SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
4. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 4-1
DIAGNOSE DE DEFEITOS 4-2
AJUSTE DO CARBURADOR
(AJUSTES MENORES) 4-3
AJUSTE DO CARBURADOR
(AJUSTES MAIORES) 4-3
AJUSTE PARA CONDIÇÕES ESPECIAIS 4-5
REMOÇÃO/DESMONTAGEM DO
CARBURADOR 4-6
MONTAGEM/INSTALAÇÃO
DO CARBURADOR 4-9
VÁLVULA DE PALHETA 4-14
CARCAÇA DO FILTRO DE AR 4-15
4-1
CR125R
INFORMAÇÕES DE SERVIÇO
GERAL
c
• Trabalhe numa área bem-ventilada. Evite a presença de chamas ou faíscas na área de trabalho ou no local de
armazenamento de combustível. Caso contrário, poderá ocorrer um incêndio ou explosão.
• Consulte o capítulo 2 quanto aos procedimentos de remoção e instalação do tanque de combustível.
• Ao desmontar os componentes do sistema de alimentação, observe a localização dos anéis de vedação. Substitua-os
por novos durante a montagem.
• Antes de desmontar o carburador, coloque um recipiente adequado sob o seu tubo de drenagem, solte o parafuso e
drene o carburador.
• Após remover o carburador, proteja os orifícios de admissão do motor com um pano ou cubra-os com um pedaço de
fita para evitar a penetração de materiais estranhos no interior do motor.
NOTA
ESPECIFICAÇÕES
Se a motocicleta for permanecer inativa por mais de um mês, drene a cuba da bóia. Se o combustível for deixado na
cuba da bóia, os giclês poderão ficar obstruídos, dificultando a partida e prejudicando a dirigibilidade.
• A gasolina é altamente inflamável e explosiva sob certas condições. MANTENHA-A FORA DO ALCANCE DAS
CRIANÇAS.
• Se os cabos de controle forem torcidos ou dobrados, não será possível um funcionamento suave ou os cabos
poderão ficar engripados, resultando na perda de controle da motocicleta.
Item Especificações
Capacidade do tanque de combustível 7,5 l
Combustível recomendado De alta octanagem
Óleo para motor recomendado Óleo para motor 2 tempos Pro Honda HP-2 ou equivalente
Proporção da mistura de combustível/óleo 32:1
Número de identificação do carburador TMX01A
Giclê principal nº 360
Giclê de marcha lenta nº 50
Agulha 6BEG20-69
Posição da trava da agulha 3a ranhura superior
Abertura inicial do parafuso de mistura 1-3/4 voltas para fora
Nível da bóia 15,0 mm
Folga livre da manopla do acelerador 3 – 5 mm
Limite de uso da folga da válvula de palheta 0,2 mm
4
4-0
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO CR125R
29 N.m (2,9 kg.m)
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-2
VALORES DE TORQUE
Parafuso de fixação do chassi secundário (superior) 29 N.m (2,9 kg.m)
Parafuso de fixação da válvula de palheta 1 N.m (0,1 kg.m)
Suporte do cabo do acelerador 3 N.m (0,3 kg.m)
Parafuso do pino da bóia 2 N.m (0,2 kg.m)
Pulverizador 3 N.m (0,3 kg.m)
Giclê principal 2 N.m (0,2 kg.m)
Giclê de marcha lenta 1 N.m (0,1 kg.m)
Parafuso da válvula da bóia 1 N.m (0,1 kg.m)
Parafuso superior do carburador 4 N.m (0,4 kg.m)
Contraporca do parafuso do acelerador 2 N.m (0,2 kg.m)
Parafuso da cuba da bóia 2 N.m (0,2 kg.m)
Bujão de drenagem do carburador 7 N.m (0,7 kg.m)
Contraporca do botão do afogador 4 N.m (0,4 kg.m)
FERRAMENTA
Medidor de nível da bóia do carburador 07401-0010000
CR125R
DIAGNOSE DE DEFEITOS
O motor não dá partida
• Excesso de combustível fluindo para o motor
– Filtro de ar obstruído
– Carburadores afogados
• Vazamento do ar de admissão
• Combustível contaminado/deteriorado
• Não há fluxo de combustível para o carburador
– Filtro de combustível obstruído
– Tubo de combustível obstruído
– Registro de combustível engripado
– Nível da bóia incorreto
– Tubo de respiro do tanque de combustível obstruído
• Circuito de marcha lenta obstruído
• Não há faísca na vela (vela defeituosa ou mau
funcionamento da ignição)
Mistura pobre
• Giclês de combustível obstruídos
• Tubo de respiro do tanque de combustível obstruído
• Filtro de combustível obstruído
• Linha de combustível obstruída
• Válvula da bóia defeituosa
• Nível da bóia muito baixo
• Tubo de respiro obstruído
• Ponto de ignição avançado
• Vazamento do ar de admissão
• Retentor da árvore de manivelas desgastado (lado do
alternador)
• Ajuste incorreto para as condições de
altitude/temperatura
Mistura rica
• Válvula do afogador na posição ON
• Válvula da bóia defeituosa
• Nível da bóia muito alto
• Giclês de ar obstruídos
• Elemento do filtro de ar contaminado
• Carburador afogado
• Retentor da árvore de manivelas desgastado (lado da
embreagem)
• Ajuste incorreto para as condições de
altitude/temperatura
O motor morre, dificuldade na partida, marcha lenta
irregular
• Linha de combustível obstruída
• Mau funcionamento da ignição
• Baixa compressão do cilindro
• Mistura de combustível muito rica/pobre
• Combustível contaminado/deteriorado
• Vazamento do ar de admissão
• Nível incorreto da bóia
• Tubo de respiro do tanque de combustível obstruído
• Parafuso de mistura desajustado
• Circuito de marcha lenta ou de enriquecimento da
partida obstruído
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-3
CR125R
AJUSTE DO CARBURADOR (AJUSTES
MENORES)
MISTURA E ROTAÇÃO DE MARCHA LENTA
NOTA
1. Ajuste o carburador utilizando a tabela de informações de
ajuste (pág. 4-4).
Ajuste padrão:
Nível da bóia 15,0 mm
Abertura inicial do parafuso da mistura 1-3/4 voltas para fora
Giclê de marcha lenta nº 50
Giclê principal nº 360
Agulha 6BEG20-69
Posição da trava da agulha 3ª ranhura superior
2. Quando o motor estiver quente o suficiente para funcionar
sem o uso do afogador, pressione o botão do afogador
para baixo a fim de desligá-lo.
3. Gire o botão do afogador para obter uma marcha lenta
mais suave:
• Para diminuir a rotação da marcha lenta, gire o botão no
sentido anti-horário.
• Para aumentar a rotação da marcha lenta, gire o botão no
sentido horário.
4. Ajuste o parafuso de mistura a fim de obter o melhor
desempenho possível para rotações acima da marcha lenta:
• Se a mistura estiver rica gire o parafuso de mistura no
sentido anti-horário para tornar a mistura mais pobre.
• Se a mistura estiver pobre gire o parafuso de mistura no
sentido horário para tornar a mistura mais rica.
AJUSTE DO CARBURADOR (AJUSTES
MAIORES)
PARA TEMPERATURA E ALTITUDE
1. Aqueça o motor.
2. Dê duas ou três voltas na pista com o ajuste-padrão.
Observe a aceleração e outras condições do motor
relacionadas à abertura do acelerador. Verifique o
carburador retirando a vela de ignição e efetuando o teste
da faísca.
3. Mude os ajustes do carburador ou selecione os giclês
adequados, levando em consideração as condições do
motor e a tabela de informações de ajuste de acordo com
a temperatura e altitude (pág. 4-4).
Os ajustes-padrão do carburador são ideais para as
seguintes condições: proporção da mistura de 32:1
utilizando óleo para motor 2 tempos Pro Honda HP-2 ou
equivalente, no nível do mar e com temperatura de 20°C.
Se as condições de uso da motocicleta forem diferentes,
pode ser necessário regular o carburador utilizando-se a
tabela de informações de ajuste (pág. 4-4).
BOTÃO DO AFOGADOR
GICLÊ PRINCIPAL
VELA DE IGNIÇÃO
PARAFUSO DE ACELERAÇÃO PARAFUSO DE MISTURA
CONTRAPORCA
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-4
4. Feche o registro de combustível, solte o parafuso da
braçadeira do coletor do carburador e o parafuso da
braçadeira do tubo de conexão.
5. Drene a gasolina do carburador. Remova os parafusos, a
cuba da bóia e a placa defletora.
c
6. Mude os giclês, conforme necessário, e reinstale a cuba da
bóia.
7. Remova a agulha da válvula de aceleração (pág. 4-6) e
mude a posição da trava da agulha, conforme necessário.
8. Reinstale a agulha e a tampa do carburador (pág. 4-13).
9. Aperte o parafuso da braçadeira do coletor do carburador
e o parafuso da braçadeira do tubo de conexão.
10. Ajuste a abertura do parafuso de mistura, conforme
necessário.
TABELA DE INFORMAÇÕES DE AJUSTE
A gasolina é altamente inflamável e explosiva sob certas
condições.
VÁLVULA DE COMBUSTÍVEL
VALVULA DE ACELERAÇÃO
CR125R
Ajuste
Padrão
Temperatura
C –35° ~ –18° –17° ~ –7° –6° ~ 4° 3° ~ 15° 14° ~ 26° 25° ~ 38° 37° ~ 49°
Altitude
3.000 m AS: 1-3/4 2 2-1/4 2-1/2 2-3/4 3 3-1/2
SJ: 50 50 50 50 50 50 45
NC: 3ª 3ª 3ª 3ª 2ª 2ª 2ª
2.300 m MJ: 360 350 340 330 320 310 300
2.299 m AS: 1-1/2 1-3/4 2 2-1/4 2-1/2 2-3/4 3
SJ: 50 50 50 50 50 50 50
NC: 3ª 3ª 3ª 3ª 2ª 2ª 2ª
1.500 m MJ: 370 360 350 340 330 320 310
1.499 m AS: 1-1/4 1-1/2 1-3/4 2 2-1/4 2-1/2 2-3/4
SJ: 50 50 50 50 50 50 50
NC: 4ª 3ª 3ª 3ª 3ª 2ª 2ª
750 m MJ: 390 380 370 350 340 330 320
749 m AS: 1 1-1/4 1-1/2 1-3/4 2 2-1/4 2-1/2
SJ: 50 50 50 50 50 50 50
NC: 4ª 4ª 3ª 3ª 3ª 3ª 3ª
300 m MJ: 410 390 380 360 350 340 330
299 m AS: 1-1/2 1 1-1/4 1-1/2 1-3/4 2 2-1/4
SJ: 55 50 50 50 50 50 50
NC: 4ª 4ª 3ª 3ª 3ª 3ª 3ª
Nível do mar MJ: 420 400 390 370 360 350 340
AS: Abertura do parafuso de mistura a partir da posição totalmente assentada
SJ: Giclê de marcha lenta
NC: Posição da trava da agulha
MJ: Giclê principal
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-5
CR125R
NOTA
• Rotações acima da marcha lenta:
Mistura rica: gire o parafuso de mistura 1/4 de volta para fora.
Mistura pobre: gire o parafuso de mistura 1/4 de volta para dentro.
NOTA
• Em alta rotação:
Mistura rica: selecione um giclê principal menor.
Mistura pobre: selecione um giclê principal maior.
a
• Em médias rotações:
Mistura rica: abaixe a agulha levantando sua trava em uma posição.
Mistura pobre: levante a agulha abaixando sua trava em uma posição.
AJUSTE PARA CONDIÇÕES ESPECIAIS
Após o carburador ser ajustado de acordo com a temperatura e altitude, não deve ser necessário outros ajustes, a
menos que as condições da corrida mudem drasticamente. Além da tabela de informações de ajuste, existem algumas
condições atmosféricas únicas que podem necessitar de ajustes adicionais. Os ajustes são como se segue:
Giclê principal:
• Enriqueça a mistura aumentando o giclê principal em um número, quando o percurso for longo, apresentar aclives
acentuados, grande quantidade de areia ou muita lama.
• Empobreça a mistura diminuindo o giclê principal em um número, quando estiver muito úmido ou chovendo, ou
quando a temperatura for superior a 45°C.
Agulhas:
• Sob condições normais, a agulha-padrão pode ser ajustada para se adequar à maioria das situações. Entretanto, uma
condição peculiar pode requerer a substituição da agulha-padrão. Contudo, antes de substituí-la, complete todos os
ajustes do carburador (págs. 4-3 a 4-5). Se o desempenho em médias rotações ainda não for satisfatório, tente uma das
agulhas opcionais. Consulte a página 1-21.
Para evitar danos ao motor, sempre ajuste o giclê principal (altas rotações) antes de ajustar a agulha (médias
rotações).
• A faixa de ajuste do parafuso de mistura é de 1 a 3 voltas (mínimo e máximo) para fora a partir da posição
ligeiramente assentada.
• Caso as 3 voltas sejam excedidas, um giclê de marcha lenta menor será necessário.
• Caso o ajuste seja inferior a 1 volta, um giclê de marcha lenta maior será necessário.
• Se a tabela for utilizada corretamente, não será necessário alterar os giclês em mais de um número (mais rico, mais
pobre) para ajustar sua CR. Caso um ajuste maior seja necessário, provavelmente há algo errado em outro lugar.
Verifique quanto a retentores desgastados da árvore de manivelas, vazamentos de ar, sistema de alimentação ou
escapamento obstruídos ou presença de sujeira no elemento do filtro de ar.
• A tabela de informações de ajuste fará com que o ajuste esteja bastante próximo do ideal. Entretanto, devido às
diferenças na pressão e umidade, pode ser necessário efetuar um ajuste fino do carburador para as condições da
corrida em questão.
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-6
REMOÇÃO/DESMONTAGEM DO
CARBURADOR
REMOÇÃO
c
Desacople o tubo de combustível.
Gire o guidão totalmente para o lado esquerdo.
Solte o parafuso da braçadeira do coletor do carburador e o
parafuso da braçadeira do tubo de conexão, e incline o
carburador para a esquerda.
Remova o parafuso e a tampa do carburador e retire a
válvula de aceleração.
• A gasolina é altamente inflamável e explosiva sob certas
condições.
• Trabalhe numa área bem-ventilada com o motor
desligado.
• Não fume nem permita a presença de chamas ou faíscas
na área de trabalho ou no local de armazenamento de
gasolina.
TUBO DE COMBUSTÍVEL
PARAFUSOS
DESMONTAGEM
Comprima a mola e remova o espaçador da válvula de
aceleração.
Comprima a mola e remova e remova o cabo do acelerador
do suporte.
Remova o cabo do acelerador do suporte do cabo.
Remova o suporte do cabo e a agulha da válvula de
aceleração.
Inspecione a agulha quanto a desgaste excessivo ou danos.
Inspecione a válvula de aceleração quanto a danos.
Substitua essas peças, caso necessário.
AGULHA SUPORTE DO CABO
VÁLVULA DE ACELERAÇÃO
PARAFUSOS
TAMPA DO CARBURADOR VÁLVULA DE ACELERAÇÃO
CR125R
ESPAÇADOR CABO DO
ACELERADOR
MOLA
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-7
CR125R
Solte os tubos de respiro e o ladrão.
Remova o parafuso e o pino da bóia.
Remova a bóia e a válvula da bóia.
Remova o parafuso e o assento da válvula.
Inspecione a bóia quanto a danos.
Inspecione a válvula da bóia e o assento da válvula quanto a
riscos, escoriações, obstrução ou danos.
Inspecione o anel de vedação do assento da válvula quanto a
desgaste ou danos.
Inspecione a extremidade da válvula da bóia na área de
contato com seu assento quanto a desgaste ou
contaminação.
Substitua ou limpe essas peças, se necessário.
NOTA
Uma válvula da bóia contaminada ou desgastada não se
assenta corretamente e eventualmente afoga o carburador.
Remova o bujão de drenagem e o parafuso.
Remova a cuba da bóia e o anel de vedação.
LADRÃO
TUBOS DE RESPIRO
PINO DA BÓIA VÁLVULA DA BÓIA
PARAFUSO BÓIA
PARAFUSO
ASSENTO DA VÁLVULA/ANEL DE VEDAÇÃO
PARAFUSOS
BUJÃO DE DRENAGEM CUBA DA BÓIA
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-8
Remova a placa defletora, o pulverizador, o giclê principal e o
giclê de marcha lenta.
GICLÊ PRINCIPAL PLACA DEFLETORA
PULVERIZADOR GICLÊ DE MARCHA LENTA
Inspecione cada giclê quanto a danos ou desgaste.
Limpe os giclês com solvente não-inflamável e aplique ar
comprimido para desobstruí-los.
Inspecione o parafuso de mistura quanto a desgaste ou
danos.
Inspecione a mola quanto a danos.
Substitua essas peças, caso seja necessário.
PARAFUSO DE GICLÊ DE
ACELERAÇÃO MARCHA LENTA
PARAFUSO
DE MISTURA MOLA PULVERIZADOR
Solte a contraporca e remova o botão do afogador.
BOTÃO DO AFOGADOR
NOTA
Remova o parafuso de mistura e o parafuso de aceleração.
Antes de remover o parafuso de mistura, anote o número
de voltas necessárias para que ele se assente
ligeiramente, de forma que possa ser reinstalado em sua
posição original.
PARAFUSO DE ACELERAÇÃO PARAFUSO DE MISTURA
CR125R
GICLÊ
PRINCIPAL
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-9
CR125R
Inspecione o assento da válvula quanto a danos ou desgaste
excessivo.
Inspecione o anel de vedação quanto a danos.
MONTAGEM/INSTALAÇÃO DO
CARBURADOR
a
Aplique ar comprimido em todas as passagens de ar e
combustível no carburador.
Não limpe as passagens de ar e combustível com um
pedaço de arame a fim de evitar danos ao corpo do
carburador.
VÁLVULA
DA BÓIA
BÓIA
PINO DA BÓIA
GICLÊ DE
MARCHA LENTA
BOTÃO DO
AFOGADOR
PARAFUSO DE
ACELERAÇÃO
PARAFUSO
DE MISTURA
ASSENTO
DA VÁLVULA
PULVERIZA-
DOR
GICLÊ
PRINCIPAL
PLACA DEFLETORA
TAMPA DO
CARBURADOR
MOLA
ESPAÇADOR
SUPORTE DO CABO
AGULHA
VÁLVULA DE
ACELERAÇÃO
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-10
MONTAGEM
Instale o botão do afogador e aperte a contraporca com o
torque especificado.
TORQUE: 4 N.m (0,4 kg.m)
BOTÃO DO AFOGADOR
Instale o giclê de marcha lenta, o pulverizador, o giclê
principal e a placa defletora.
TORQUE: Giclê de marcha lenta 1 N.m (0,1 kg.m)
Pulverizador 3 N.m (0,3 kg.m)
Giclê principal 2 N.m (0,2 kg.m)
GICLÊ PRINCIPAL PLACA DEFLETORA
PULVERIZADOR GICLÊ DE MARCHA LENTA
Instale o assento da válvula e o anel de vedação.
Aperte o parafuso com o torque especificado.
TORQUE: 1 N.m (0,1 kg.m)
PARAFUSO
ASSENTO DA VÁLVULA/ANEL DE VEDAÇÃO
Instale a mola, o parafuso da mistura, o parafuso de
aceleração e a contraporca.
NOTA
Instale o parafuso de mistura e retorne-o à sua posição
original conforme anotado durante a remoção.
PARAFUSO DE PARAFUSO
ACELERAÇÃO DA MISTURA
CR125R
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-11
CR125R
Instale a válvula da bóia, a bóia e o pino da bóia.
Aperte o parafuso com o torque especificado.
TORQUE: 2 N.m (0,2 kg.m)
NOTA
Posicione o carburador de forma que a válvula da bóia entre
ligeiramente em contato com o lábio do seu braço.
Certifique-se de que a extremidade da válvula esteja
firmemente em contato com o assento da válvula.
Inspecione o nível da bóia utilizando o medidor.
Ferramenta:
Medidor de nível da bóia 07401-0010000
Nível da bóia: 15,0 mm
Caso o nível esteja fora das especificações, ajuste-o
dobrando seu lábio.
• Verifique o nível da bóia após inspecionar a válvula e a
bóia.
• Posicione o medidor de nível da bóia de forma que fique
perpendicular à face da cuba da bóia e em linha com o
giclê principal.
Instale um novo anel de vedação na cuba da bóia.
Instale a cuba da bóia no carburador.
Instale e aperte os parafusos com o torque especificado.
TORQUE: 2 N.m (0,2 kg.m)
Instale e aperte o bujão de drenagem com o torque
especificado.
TORQUE: 7 N.m (0,7 kg.m)
VÁLVULA DA BÓIA PINO DA BÓIA
BÓIA PARAFUSO
ANEL DE VEDAÇÃO CUBA DA BÓIA
PARAFUSO
BUJÃO DE DRENAGEM
MEDIDOR DE NÍVEL DA BÓIA
NOVO
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-12
Conecte os tubos de respiro e o ladrão.
LADRÃO
TUBOS DE RESPIRO
Instale a agulha na válvula de aceleração.
Instale o suporte do cabo na válvula de aceleração e, em
seguida aperte o suporte com o torque especificado.
TORQUE: 3 N.m (0,3 kg.m)
AGULHA SUPORTE DO CABO
VÁLVULA DE ACELERAÇÃO
Passe a mola da válvula de aceleração e o espaçador pelo
cabo do acelerador.
Comprima a mola da válvula de aceleração e insira o cabo do
acelerador no suporte.
Instale o espaçador de fixação alinhando a lingüeta com a
ranhura do suporte do cabo.
Instale a trava da agulha na agulha.
Posição-padrão da trava: 3ª ranhura superior
CR125R
TRAVA DA AGULHA
AGULHA
CABO DO ACELERADOR
Alinhe
MOLA
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-13
CR125R
INSTALAÇÃO
Instale provisoriamente o carburador.
Mova o carburador para a esquerda e deslize a válvula de
aceleração para dentro do corpo do carburador com o lado
do seu rebaixo virado para a carcaça do filtro de ar.
Alinhe o ressalto do carburador com a ranhura do coletor do
carburador.
Aperte firmemente os parafusos das braçadeiras do coletor e
do tubo de conexão.
Após a instalação, ajuste os seguintes itens:
– Folga livre da manopla do acelerador (pág. 3-5)
– Parafuso de mistura (pág. 4-3)
Após a instalação, inspecione os seguintes itens:
– Vazamentos de ar secundário ao redor do coletor e tubo de
conexão
– Vazamentos de combustível ao redor do tubo de
combustível e carburador
– Passagem do ladrão, tubo de respiro e tubo de combustível
Aperte a tampa do carburador aperte os parafusos com o
torque especificado.
TORQUE: 4 N.m (0,4 kg.m)
RESSALTO REBAIXO
VÁLVULA DE ACELERAÇÃO
Alinhe
TUBO DE COMBUSTÍVEL
PARAFUSOS
PARAFUSOS
TAMPA DO CARBURADOR
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-14
VÁLVULA DE PALHETA
REMOÇÃO
Remova o carburador (pág. 4-6).
Remova os parafusos, a presilha do cabo da embreagem e o
coletor.
PARAFUSOS
PRESILHA COLETOR
Inspecione a válvula de palheta quanto a fadiga ou danos, e
substitua-a, caso necessário.
Inspecione o batente da válvula de palheta quanto a trincas,
danos e folga com a palheta. Substitua-o, caso necessário.
DESMONTAGEM/MONTAGEM
Remova os parafusos, o batente da válvula de palheta e a
válvula.
Substitua a válvula de palheta após 3 corridas ou cerca de 7,5
horas de uso da motocicleta.
Instale a válvula de palheta e seu batente alinhando seus
rebaixos.
Limpe as roscas dos parafusos.
Aplique um pouco de trava química nas extremidades das
roscas dos parafusos.
Aperte os parafusos no torque especificado.
TORQUE: 1 N.m (0,1 kg.m)
NOTA
Não aplique trava química na válvula de palheta.
VÁLVULA DE PALHETA
Remova a válvula de palheta e a junta.
VÁLVULA DE PALHETA JUNTA
CR125R
PARAFUSO BATENTE
Alinhe PALHETA
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-15
CR125R
Após a instalação, verifique a folga da válvula de palheta.
Limite de Uso 0,2 mm
Instale o coletor, a presilha do cabo da embreagem e os
parafusos.
Aperte firmemente os parafusos.
Instale o carburador (pág. 4-12).
Após a instalação, inspecione os seguintes itens:
– Vazamentos de ar secundário ao redor do coletor e tubo de
conexão
– Vazamentos de combustível ao redor do tubo de
combustível e carburador
CARCAÇA DO FILTRO DE AR
REMOÇÃO
Remova o chassi secundário (pág. 2-4).
Remova os parafusos e o pára-lama traseiro.
INSTALAÇÃO
Instale uma nova junta na carcaça do motor.
Instale a válvula de palheta com sua lingüeta virada para
cima.
PARAFUSOS
PRESILHA COLETOR
PARAFUSOS
PÁRA-LAMA TRASEIRO
JUNTA VÁLVULA DE PALHETA
0,2 mm
NOVA
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-16
Remova os parafusos e a carcaça do filtro de ar do chassi
secundário.
Remova o elemento do filtro de ar (pág. 3-5).
Inspecione o tubo de conexão do carburador para verificar se
a vedação da carcaça do filtro é adequada.
Inspecione a carcaça do filtro de ar quanto a danos.
Remova o tubo de conexão do carburador da carcaça do
filtro de ar e vede-o completamente caso haja sinais de
vedação inadequada.
PARAFUSOS
CARCAÇA
INSTALAÇÃO
A instalação da carcaça do filtro de ar deve ser efetuada na
ordem inversa da remoção.
CR125R
BRAÇADEIRA DO
TUBO DE CONEXÃO
SUPORTE DO
ELEMENTO
ELEMENTO DO
FILTRO DE AR
PLACA
REGULADORA DE AR
CARCAÇA DO
FILTRO DE AR
PÁRA-LAMA
TRASEIRO
Alinhe
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO
4-17
CR125R
NOTAS
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
INFORMAÇÕES GERAISCR125R
COMO USAR ESTE MANUAL
Este manual descreve os procedimentos de
serviço para a CR125R.
Siga as recomendações da Tabela de
Manutenção (página 3-3) para garantir condições
perfeitas de funcionamento.
Os Capítulos 1 e 3 aplicam-se à toda motocicleta.
O Capítulo 2 apresenta os procedimentos de
remoção/instalação de componentes que podem
ser necessários para efetuar os serviços descritos
nos capítulos subseqüentes.
Os Capítulos 4 a 15 apresentam as peças da
motocicleta, agrupadas de acordo com sua
localização.
Localize o capítulo desejado nesta página. Em
seguida, consulte o índice apresentado na
primeira página do capítulo selecionado.
A maioria dos capítulos começa com uma
ilustração do sistema ou conjunto, informações
de serviço e diagnose de defeitos.
As páginas subseqüentes apresentam os
procedimentos detalhados.
Caso não esteja familiarizado com esta
motocicleta, leia as Características Técnicas no
capítulo 16.
Se a causa do problema for desconhecida,
consulte o Capítulo 17, “Diagnose de Defeitos”.
MOTO HONDA DA AMAZÔNIA LTDA.
Departamento de Serviços Pós-Venda
Setor de Publicações Técnicas
TODAS AS INFORMAÇÕES, ILUSTRAÇÕES,
PROCEDIMENTOS E ESPECIFICAÇÕES
APRESENTADAS NESTA PUBLICAÇÃO SÃO
BASEADAS NAS INFORMAÇÕES MAIS
RECENTES DISPONÍVEIS SOBRE O PRODUTO
NO MOMENTO DA APROVAÇÃO DA
IMPRESSÃO.
A MOTO HONDA DA AMAZÔNIA LTDA. SE
RESERVA O DIREITO DE ALTERAR AS
CARACTERÍSTICAS DA MOTOCICLETA A
QUALQUER MOMENTO E SEM PRÉVIO AVISO,
NÃO INCORRENDO, ASSIM, EM OBRIGAÇÕES
DE QUALQUER ESPÉCIE. NENHUMA PARTE
DESTA PUBLICAÇÃO PODE SER
REPRODUZIDA SEM AVISO PRÉVIO. ESTE
MANUAL FOI ELABORADO PARA PESSOAS
QUE TENHAM CONHECIMENTOS BÁSICOS
SOBRE A MANUTENÇÃO DAS
MOTOCICLETAS, SCOTTERS ou ATVS HONDA.
ÍNDICE GERAL
INFORMAÇÕES GERAIS
CHASSI/CARENAGEM/SISTEMA DE
ESCAPAMENTO
MANUTENÇÃO
SISTEMA DE COMBUSTÍVEL
SISTEMA DE ARREFECIMENTO
REMOÇÃO/INSTALAÇÃO DO MOTOR
CABEÇOTE/CILINDRO/PISTÃO
VÁLVULA RC
EMBREAGEM/MECANISMO DE
PARTIDA/ SELETOR DE MARCHAS
CARCAÇA DO MOTOR/ÁRVORE DE
MANIVELAS/TRANSMISSÃO
RODA DIANTEIRA/SUSPENSÃO/
SISTEMA DE DIREÇÃO
RODA TRASEIRA/SUSPENSÃO
FREIO HIDRÁULICO
SISTEMA DE IGNIÇÃO/ALTERNADOR
DIAGRAMA ELÉTRICO
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
17DIAGNOSE DE DEFEITOS
SISTEMA
ELÉTRICO
CHASSIMOTORETRANSMISSÃO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) cabecote
Manual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) cabecoteManual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) cabecote
Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) cabecote
Thiago Huari
 
Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) informac
Manual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) informacManual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) informac
Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) informac
Thiago Huari
 
Manaul de serviço ms cbx250 (2001) motor
Manaul de serviço ms cbx250 (2001) motorManaul de serviço ms cbx250 (2001) motor
Manaul de serviço ms cbx250 (2001) motor
Thiago Huari
 
Manual serviço biz125 ks es 00 x6b-kss-001 arvore-manivelas
Manual serviço biz125 ks es   00 x6b-kss-001 arvore-manivelasManual serviço biz125 ks es   00 x6b-kss-001 arvore-manivelas
Manual serviço biz125 ks es 00 x6b-kss-001 arvore-manivelas
Thiago Huari
 
Manual de serviço cb600 f hornet inf gerais
Manual de serviço cb600 f hornet inf geraisManual de serviço cb600 f hornet inf gerais
Manual de serviço cb600 f hornet inf gerais
Thiago Huari
 
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 cabecote
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 cabecoteManual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 cabecote
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 cabecote
Thiago Huari
 

Mais procurados (20)

Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) cabecote
Manual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) cabecoteManual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) cabecote
Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) cabecote
 
Manual de serviço cr125 99 manutenc
Manual de serviço cr125 99 manutencManual de serviço cr125 99 manutenc
Manual de serviço cr125 99 manutenc
 
Manual de serviço cr125 99 manivela
Manual de serviço cr125 99 manivelaManual de serviço cr125 99 manivela
Manual de serviço cr125 99 manivela
 
Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) informac
Manual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) informacManual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) informac
Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) informac
 
Manaul de serviço ms cbx250 (2001) motor
Manaul de serviço ms cbx250 (2001) motorManaul de serviço ms cbx250 (2001) motor
Manaul de serviço ms cbx250 (2001) motor
 
Manual de serviço cg150 titan ks es esd cabecote
Manual de serviço cg150 titan ks es esd cabecoteManual de serviço cg150 titan ks es esd cabecote
Manual de serviço cg150 titan ks es esd cabecote
 
Manual de serviço cr125 00 defeitos
Manual de serviço cr125 00 defeitosManual de serviço cr125 00 defeitos
Manual de serviço cr125 00 defeitos
 
Manual de serviço nxr125 bros ks es 00 x6b-ksm-001 manutecao
Manual de serviço nxr125 bros ks es   00 x6b-ksm-001 manutecaoManual de serviço nxr125 bros ks es   00 x6b-ksm-001 manutecao
Manual de serviço nxr125 bros ks es 00 x6b-ksm-001 manutecao
 
Manual serviço biz125 ks es 00 x6b-kss-001 arvore-manivelas
Manual serviço biz125 ks es   00 x6b-kss-001 arvore-manivelasManual serviço biz125 ks es   00 x6b-kss-001 arvore-manivelas
Manual serviço biz125 ks es 00 x6b-kss-001 arvore-manivelas
 
Manual de serviço nxr125 bros ks es 00 x6b-ksm-001 cilindro
Manual de serviço nxr125 bros ks es   00 x6b-ksm-001 cilindroManual de serviço nxr125 bros ks es   00 x6b-ksm-001 cilindro
Manual de serviço nxr125 bros ks es 00 x6b-ksm-001 cilindro
 
Manual de serviço supl cbx250
Manual de serviço supl cbx250Manual de serviço supl cbx250
Manual de serviço supl cbx250
 
Manual de serviço cr125 00 informac
Manual de serviço cr125 00 informacManual de serviço cr125 00 informac
Manual de serviço cr125 00 informac
 
Manual de serviço cb600 f hornet inf gerais
Manual de serviço cb600 f hornet inf geraisManual de serviço cb600 f hornet inf gerais
Manual de serviço cb600 f hornet inf gerais
 
Manual de serviço xr250 embreagem
Manual de serviço xr250 embreagemManual de serviço xr250 embreagem
Manual de serviço xr250 embreagem
 
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 cilindro
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 cilindroManual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 cilindro
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 cilindro
 
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 cabecote
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 cabecoteManual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 cabecote
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 cabecote
 
Manual de serviço cr125 00 embreage
Manual de serviço cr125 00 embreageManual de serviço cr125 00 embreage
Manual de serviço cr125 00 embreage
 
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 supl-nx4-falcon
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 supl-nx4-falconManual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 supl-nx4-falcon
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 supl-nx4-falcon
 
Manual de serviço xl250 r (1983) mskb7831p embreage
Manual de serviço xl250 r (1983)   mskb7831p embreageManual de serviço xl250 r (1983)   mskb7831p embreage
Manual de serviço xl250 r (1983) mskb7831p embreage
 
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 alternad
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 alternadManual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 alternad
Manual de serviço ms nx 4 falcon - 00 x6b-mcg-002 alternad
 

Semelhante a Manual de serviço cr125 00 alimenta

Manual serviço 125 ml83 alimenta
Manual serviço 125 ml83 alimentaManual serviço 125 ml83 alimenta
Manual serviço 125 ml83 alimenta
Thiago Huari
 
Manual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimenta
Manual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimentaManual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimenta
Manual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimenta
Thiago Huari
 
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade (~1999) alimenta
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade (~1999) alimentaManaul de serviço cbr900 rr fireblade (~1999) alimenta
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade (~1999) alimenta
Thiago Huari
 
Manual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo aliment
Manual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo alimentManual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo aliment
Manual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo aliment
Thiago Huari
 
Manual de serviço c 100 dream - 00 x6b-gn5-710 alimenta
Manual de serviço c 100 dream - 00 x6b-gn5-710 alimentaManual de serviço c 100 dream - 00 x6b-gn5-710 alimenta
Manual de serviço c 100 dream - 00 x6b-gn5-710 alimenta
Thiago Huari
 
Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) alimenta
Manual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) alimentaManual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) alimenta
Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) alimenta
Thiago Huari
 
Manual de serviço cb450 alimenta
Manual de serviço cb450 alimentaManual de serviço cb450 alimenta
Manual de serviço cb450 alimenta
Thiago Huari
 
Manual de serviço cb450 e cb450 custom (1983) ms443831 p alimenta
Manual de serviço cb450 e cb450 custom (1983)   ms443831 p alimentaManual de serviço cb450 e cb450 custom (1983)   ms443831 p alimenta
Manual de serviço cb450 e cb450 custom (1983) ms443831 p alimenta
Thiago Huari
 

Semelhante a Manual de serviço cr125 00 alimenta (20)

Manual de serviço cr250 00 alimenta
Manual de serviço cr250 00 alimentaManual de serviço cr250 00 alimenta
Manual de serviço cr250 00 alimenta
 
Manual de serviço cr80 r sistalim
Manual de serviço cr80 r sistalimManual de serviço cr80 r sistalim
Manual de serviço cr80 r sistalim
 
Manual serviço 125 ml83 alimenta
Manual serviço 125 ml83 alimentaManual serviço 125 ml83 alimenta
Manual serviço 125 ml83 alimenta
 
Manual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimenta
Manual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimentaManual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimenta
Manual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimenta
 
Manual de serviço cr250 99 sistalim
Manual de serviço cr250 99 sistalimManual de serviço cr250 99 sistalim
Manual de serviço cr250 99 sistalim
 
Manual de serviço turuna83 alimenta
Manual de serviço turuna83 alimentaManual de serviço turuna83 alimenta
Manual de serviço turuna83 alimenta
 
Manual de serviço turuna (1983) ms441831 p alimenta
Manual de serviço turuna (1983)   ms441831 p alimentaManual de serviço turuna (1983)   ms441831 p alimenta
Manual de serviço turuna (1983) ms441831 p alimenta
 
Manual de serviço xlx350 r alimenta
Manual de serviço xlx350 r alimentaManual de serviço xlx350 r alimenta
Manual de serviço xlx350 r alimenta
 
Manual de serviço xlx350 r 00x6b-kv2-603 alimenta
Manual de serviço xlx350 r   00x6b-kv2-603 alimentaManual de serviço xlx350 r   00x6b-kv2-603 alimenta
Manual de serviço xlx350 r 00x6b-kv2-603 alimenta
 
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade (~1999) alimenta
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade (~1999) alimentaManaul de serviço cbr900 rr fireblade (~1999) alimenta
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade (~1999) alimenta
 
Manual de serviço nx150 (1989) mskw8891 p alimenta
Manual de serviço nx150 (1989)   mskw8891 p alimentaManual de serviço nx150 (1989)   mskw8891 p alimenta
Manual de serviço nx150 (1989) mskw8891 p alimenta
 
Manual de serviço nx150 alimenta
Manual de serviço nx150 alimentaManual de serviço nx150 alimenta
Manual de serviço nx150 alimenta
 
Manual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo aliment
Manual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo alimentManual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo aliment
Manual de serviço cg125 titan ks es cg125 cargo aliment
 
Manual de servço dream alimenta
Manual de servço dream alimentaManual de servço dream alimenta
Manual de servço dream alimenta
 
Manual de serviço c 100 dream - 00 x6b-gn5-710 alimenta
Manual de serviço c 100 dream - 00 x6b-gn5-710 alimentaManual de serviço c 100 dream - 00 x6b-gn5-710 alimenta
Manual de serviço c 100 dream - 00 x6b-gn5-710 alimenta
 
Manual de serviço cg150 titan ks es esd alimenta
Manual de serviço cg150 titan ks es esd alimentaManual de serviço cg150 titan ks es esd alimenta
Manual de serviço cg150 titan ks es esd alimenta
 
Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) alimenta
Manual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) alimentaManual de serviço cg125 titan  ks es kse cg125 cargo (2002) alimenta
Manual de serviço cg125 titan ks es kse cg125 cargo (2002) alimenta
 
Manual de serviço cb450 alimenta
Manual de serviço cb450 alimentaManual de serviço cb450 alimenta
Manual de serviço cb450 alimenta
 
Manual de serviço cb450 e cb450 custom (1983) ms443831 p alimenta
Manual de serviço cb450 e cb450 custom (1983)   ms443831 p alimentaManual de serviço cb450 e cb450 custom (1983)   ms443831 p alimenta
Manual de serviço cb450 e cb450 custom (1983) ms443831 p alimenta
 
Manual de serviço xl125 s (1984) ms437841p alimenta
Manual de serviço xl125 s (1984)   ms437841p alimentaManual de serviço xl125 s (1984)   ms437841p alimenta
Manual de serviço xl125 s (1984) ms437841p alimenta
 

Mais de Thiago Huari

Mais de Thiago Huari (20)

Manual de serviço xr250 defeitos
Manual de serviço xr250 defeitosManual de serviço xr250 defeitos
Manual de serviço xr250 defeitos
 
Manual de serviço xr250 alimentacao
Manual de serviço xr250 alimentacaoManual de serviço xr250 alimentacao
Manual de serviço xr250 alimentacao
 
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s mskbb931p rodadian
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s   mskbb931p rodadianManual de serviço xr200 r nx200 cbx200s   mskbb931p rodadian
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s mskbb931p rodadian
 
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s mskbb931p indice
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s   mskbb931p indiceManual de serviço xr200 r nx200 cbx200s   mskbb931p indice
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s mskbb931p indice
 
Manual de serviço xr250 luzes ind
Manual de serviço xr250 luzes indManual de serviço xr250 luzes ind
Manual de serviço xr250 luzes ind
 
Manual de serviço xr250 lubrificacao
Manual de serviço xr250 lubrificacaoManual de serviço xr250 lubrificacao
Manual de serviço xr250 lubrificacao
 
Manual de serviço xr250 introd
Manual de serviço xr250 introdManual de serviço xr250 introd
Manual de serviço xr250 introd
 
Manual de serviço xr250 informacao
Manual de serviço xr250 informacaoManual de serviço xr250 informacao
Manual de serviço xr250 informacao
 
Manual de serviço xr250 indice
Manual de serviço xr250 indiceManual de serviço xr250 indice
Manual de serviço xr250 indice
 
Manual de serviço xr250 ignicao
Manual de serviço xr250 ignicaoManual de serviço xr250 ignicao
Manual de serviço xr250 ignicao
 
Manual de serviço xr250 freio hidraulico
Manual de serviço xr250 freio hidraulicoManual de serviço xr250 freio hidraulico
Manual de serviço xr250 freio hidraulico
 
Manual de serviço xr250 diagrama
Manual de serviço xr250 diagramaManual de serviço xr250 diagrama
Manual de serviço xr250 diagrama
 
Manual de serviço xr250 ctracapa
Manual de serviço xr250 ctracapaManual de serviço xr250 ctracapa
Manual de serviço xr250 ctracapa
 
Manual de serviço xr250 cilindro
Manual de serviço xr250 cilindroManual de serviço xr250 cilindro
Manual de serviço xr250 cilindro
 
Manual de serviço xr250 chassi
Manual de serviço xr250 chassiManual de serviço xr250 chassi
Manual de serviço xr250 chassi
 
Manual de serviço xr250 capa
Manual de serviço xr250 capaManual de serviço xr250 capa
Manual de serviço xr250 capa
 
Manual de serviço xr250 cabecote
Manual de serviço xr250 cabecoteManual de serviço xr250 cabecote
Manual de serviço xr250 cabecote
 
Manual de serviço xr250 bateria
Manual de serviço xr250 bateriaManual de serviço xr250 bateria
Manual de serviço xr250 bateria
 
Manual de serviço xr250 alternador
Manual de serviço xr250 alternadorManual de serviço xr250 alternador
Manual de serviço xr250 alternador
 
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s mskbb931p suplemen2
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s   mskbb931p suplemen2Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s   mskbb931p suplemen2
Manual de serviço xr200 r nx200 cbx200s mskbb931p suplemen2
 

Manual de serviço cr125 00 alimenta

  • 1. 4. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 4-1 DIAGNOSE DE DEFEITOS 4-2 AJUSTE DO CARBURADOR (AJUSTES MENORES) 4-3 AJUSTE DO CARBURADOR (AJUSTES MAIORES) 4-3 AJUSTE PARA CONDIÇÕES ESPECIAIS 4-5 REMOÇÃO/DESMONTAGEM DO CARBURADOR 4-6 MONTAGEM/INSTALAÇÃO DO CARBURADOR 4-9 VÁLVULA DE PALHETA 4-14 CARCAÇA DO FILTRO DE AR 4-15 4-1 CR125R INFORMAÇÕES DE SERVIÇO GERAL c • Trabalhe numa área bem-ventilada. Evite a presença de chamas ou faíscas na área de trabalho ou no local de armazenamento de combustível. Caso contrário, poderá ocorrer um incêndio ou explosão. • Consulte o capítulo 2 quanto aos procedimentos de remoção e instalação do tanque de combustível. • Ao desmontar os componentes do sistema de alimentação, observe a localização dos anéis de vedação. Substitua-os por novos durante a montagem. • Antes de desmontar o carburador, coloque um recipiente adequado sob o seu tubo de drenagem, solte o parafuso e drene o carburador. • Após remover o carburador, proteja os orifícios de admissão do motor com um pano ou cubra-os com um pedaço de fita para evitar a penetração de materiais estranhos no interior do motor. NOTA ESPECIFICAÇÕES Se a motocicleta for permanecer inativa por mais de um mês, drene a cuba da bóia. Se o combustível for deixado na cuba da bóia, os giclês poderão ficar obstruídos, dificultando a partida e prejudicando a dirigibilidade. • A gasolina é altamente inflamável e explosiva sob certas condições. MANTENHA-A FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS. • Se os cabos de controle forem torcidos ou dobrados, não será possível um funcionamento suave ou os cabos poderão ficar engripados, resultando na perda de controle da motocicleta. Item Especificações Capacidade do tanque de combustível 7,5 l Combustível recomendado De alta octanagem Óleo para motor recomendado Óleo para motor 2 tempos Pro Honda HP-2 ou equivalente Proporção da mistura de combustível/óleo 32:1 Número de identificação do carburador TMX01A Giclê principal nº 360 Giclê de marcha lenta nº 50 Agulha 6BEG20-69 Posição da trava da agulha 3a ranhura superior Abertura inicial do parafuso de mistura 1-3/4 voltas para fora Nível da bóia 15,0 mm Folga livre da manopla do acelerador 3 – 5 mm Limite de uso da folga da válvula de palheta 0,2 mm 4
  • 2. 4-0 SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO CR125R 29 N.m (2,9 kg.m)
  • 3. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 4-2 VALORES DE TORQUE Parafuso de fixação do chassi secundário (superior) 29 N.m (2,9 kg.m) Parafuso de fixação da válvula de palheta 1 N.m (0,1 kg.m) Suporte do cabo do acelerador 3 N.m (0,3 kg.m) Parafuso do pino da bóia 2 N.m (0,2 kg.m) Pulverizador 3 N.m (0,3 kg.m) Giclê principal 2 N.m (0,2 kg.m) Giclê de marcha lenta 1 N.m (0,1 kg.m) Parafuso da válvula da bóia 1 N.m (0,1 kg.m) Parafuso superior do carburador 4 N.m (0,4 kg.m) Contraporca do parafuso do acelerador 2 N.m (0,2 kg.m) Parafuso da cuba da bóia 2 N.m (0,2 kg.m) Bujão de drenagem do carburador 7 N.m (0,7 kg.m) Contraporca do botão do afogador 4 N.m (0,4 kg.m) FERRAMENTA Medidor de nível da bóia do carburador 07401-0010000 CR125R DIAGNOSE DE DEFEITOS O motor não dá partida • Excesso de combustível fluindo para o motor – Filtro de ar obstruído – Carburadores afogados • Vazamento do ar de admissão • Combustível contaminado/deteriorado • Não há fluxo de combustível para o carburador – Filtro de combustível obstruído – Tubo de combustível obstruído – Registro de combustível engripado – Nível da bóia incorreto – Tubo de respiro do tanque de combustível obstruído • Circuito de marcha lenta obstruído • Não há faísca na vela (vela defeituosa ou mau funcionamento da ignição) Mistura pobre • Giclês de combustível obstruídos • Tubo de respiro do tanque de combustível obstruído • Filtro de combustível obstruído • Linha de combustível obstruída • Válvula da bóia defeituosa • Nível da bóia muito baixo • Tubo de respiro obstruído • Ponto de ignição avançado • Vazamento do ar de admissão • Retentor da árvore de manivelas desgastado (lado do alternador) • Ajuste incorreto para as condições de altitude/temperatura Mistura rica • Válvula do afogador na posição ON • Válvula da bóia defeituosa • Nível da bóia muito alto • Giclês de ar obstruídos • Elemento do filtro de ar contaminado • Carburador afogado • Retentor da árvore de manivelas desgastado (lado da embreagem) • Ajuste incorreto para as condições de altitude/temperatura O motor morre, dificuldade na partida, marcha lenta irregular • Linha de combustível obstruída • Mau funcionamento da ignição • Baixa compressão do cilindro • Mistura de combustível muito rica/pobre • Combustível contaminado/deteriorado • Vazamento do ar de admissão • Nível incorreto da bóia • Tubo de respiro do tanque de combustível obstruído • Parafuso de mistura desajustado • Circuito de marcha lenta ou de enriquecimento da partida obstruído
  • 4. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 4-3 CR125R AJUSTE DO CARBURADOR (AJUSTES MENORES) MISTURA E ROTAÇÃO DE MARCHA LENTA NOTA 1. Ajuste o carburador utilizando a tabela de informações de ajuste (pág. 4-4). Ajuste padrão: Nível da bóia 15,0 mm Abertura inicial do parafuso da mistura 1-3/4 voltas para fora Giclê de marcha lenta nº 50 Giclê principal nº 360 Agulha 6BEG20-69 Posição da trava da agulha 3ª ranhura superior 2. Quando o motor estiver quente o suficiente para funcionar sem o uso do afogador, pressione o botão do afogador para baixo a fim de desligá-lo. 3. Gire o botão do afogador para obter uma marcha lenta mais suave: • Para diminuir a rotação da marcha lenta, gire o botão no sentido anti-horário. • Para aumentar a rotação da marcha lenta, gire o botão no sentido horário. 4. Ajuste o parafuso de mistura a fim de obter o melhor desempenho possível para rotações acima da marcha lenta: • Se a mistura estiver rica gire o parafuso de mistura no sentido anti-horário para tornar a mistura mais pobre. • Se a mistura estiver pobre gire o parafuso de mistura no sentido horário para tornar a mistura mais rica. AJUSTE DO CARBURADOR (AJUSTES MAIORES) PARA TEMPERATURA E ALTITUDE 1. Aqueça o motor. 2. Dê duas ou três voltas na pista com o ajuste-padrão. Observe a aceleração e outras condições do motor relacionadas à abertura do acelerador. Verifique o carburador retirando a vela de ignição e efetuando o teste da faísca. 3. Mude os ajustes do carburador ou selecione os giclês adequados, levando em consideração as condições do motor e a tabela de informações de ajuste de acordo com a temperatura e altitude (pág. 4-4). Os ajustes-padrão do carburador são ideais para as seguintes condições: proporção da mistura de 32:1 utilizando óleo para motor 2 tempos Pro Honda HP-2 ou equivalente, no nível do mar e com temperatura de 20°C. Se as condições de uso da motocicleta forem diferentes, pode ser necessário regular o carburador utilizando-se a tabela de informações de ajuste (pág. 4-4). BOTÃO DO AFOGADOR GICLÊ PRINCIPAL VELA DE IGNIÇÃO PARAFUSO DE ACELERAÇÃO PARAFUSO DE MISTURA CONTRAPORCA
  • 5. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 4-4 4. Feche o registro de combustível, solte o parafuso da braçadeira do coletor do carburador e o parafuso da braçadeira do tubo de conexão. 5. Drene a gasolina do carburador. Remova os parafusos, a cuba da bóia e a placa defletora. c 6. Mude os giclês, conforme necessário, e reinstale a cuba da bóia. 7. Remova a agulha da válvula de aceleração (pág. 4-6) e mude a posição da trava da agulha, conforme necessário. 8. Reinstale a agulha e a tampa do carburador (pág. 4-13). 9. Aperte o parafuso da braçadeira do coletor do carburador e o parafuso da braçadeira do tubo de conexão. 10. Ajuste a abertura do parafuso de mistura, conforme necessário. TABELA DE INFORMAÇÕES DE AJUSTE A gasolina é altamente inflamável e explosiva sob certas condições. VÁLVULA DE COMBUSTÍVEL VALVULA DE ACELERAÇÃO CR125R Ajuste Padrão Temperatura C –35° ~ –18° –17° ~ –7° –6° ~ 4° 3° ~ 15° 14° ~ 26° 25° ~ 38° 37° ~ 49° Altitude 3.000 m AS: 1-3/4 2 2-1/4 2-1/2 2-3/4 3 3-1/2 SJ: 50 50 50 50 50 50 45 NC: 3ª 3ª 3ª 3ª 2ª 2ª 2ª 2.300 m MJ: 360 350 340 330 320 310 300 2.299 m AS: 1-1/2 1-3/4 2 2-1/4 2-1/2 2-3/4 3 SJ: 50 50 50 50 50 50 50 NC: 3ª 3ª 3ª 3ª 2ª 2ª 2ª 1.500 m MJ: 370 360 350 340 330 320 310 1.499 m AS: 1-1/4 1-1/2 1-3/4 2 2-1/4 2-1/2 2-3/4 SJ: 50 50 50 50 50 50 50 NC: 4ª 3ª 3ª 3ª 3ª 2ª 2ª 750 m MJ: 390 380 370 350 340 330 320 749 m AS: 1 1-1/4 1-1/2 1-3/4 2 2-1/4 2-1/2 SJ: 50 50 50 50 50 50 50 NC: 4ª 4ª 3ª 3ª 3ª 3ª 3ª 300 m MJ: 410 390 380 360 350 340 330 299 m AS: 1-1/2 1 1-1/4 1-1/2 1-3/4 2 2-1/4 SJ: 55 50 50 50 50 50 50 NC: 4ª 4ª 3ª 3ª 3ª 3ª 3ª Nível do mar MJ: 420 400 390 370 360 350 340 AS: Abertura do parafuso de mistura a partir da posição totalmente assentada SJ: Giclê de marcha lenta NC: Posição da trava da agulha MJ: Giclê principal
  • 6. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 4-5 CR125R NOTA • Rotações acima da marcha lenta: Mistura rica: gire o parafuso de mistura 1/4 de volta para fora. Mistura pobre: gire o parafuso de mistura 1/4 de volta para dentro. NOTA • Em alta rotação: Mistura rica: selecione um giclê principal menor. Mistura pobre: selecione um giclê principal maior. a • Em médias rotações: Mistura rica: abaixe a agulha levantando sua trava em uma posição. Mistura pobre: levante a agulha abaixando sua trava em uma posição. AJUSTE PARA CONDIÇÕES ESPECIAIS Após o carburador ser ajustado de acordo com a temperatura e altitude, não deve ser necessário outros ajustes, a menos que as condições da corrida mudem drasticamente. Além da tabela de informações de ajuste, existem algumas condições atmosféricas únicas que podem necessitar de ajustes adicionais. Os ajustes são como se segue: Giclê principal: • Enriqueça a mistura aumentando o giclê principal em um número, quando o percurso for longo, apresentar aclives acentuados, grande quantidade de areia ou muita lama. • Empobreça a mistura diminuindo o giclê principal em um número, quando estiver muito úmido ou chovendo, ou quando a temperatura for superior a 45°C. Agulhas: • Sob condições normais, a agulha-padrão pode ser ajustada para se adequar à maioria das situações. Entretanto, uma condição peculiar pode requerer a substituição da agulha-padrão. Contudo, antes de substituí-la, complete todos os ajustes do carburador (págs. 4-3 a 4-5). Se o desempenho em médias rotações ainda não for satisfatório, tente uma das agulhas opcionais. Consulte a página 1-21. Para evitar danos ao motor, sempre ajuste o giclê principal (altas rotações) antes de ajustar a agulha (médias rotações). • A faixa de ajuste do parafuso de mistura é de 1 a 3 voltas (mínimo e máximo) para fora a partir da posição ligeiramente assentada. • Caso as 3 voltas sejam excedidas, um giclê de marcha lenta menor será necessário. • Caso o ajuste seja inferior a 1 volta, um giclê de marcha lenta maior será necessário. • Se a tabela for utilizada corretamente, não será necessário alterar os giclês em mais de um número (mais rico, mais pobre) para ajustar sua CR. Caso um ajuste maior seja necessário, provavelmente há algo errado em outro lugar. Verifique quanto a retentores desgastados da árvore de manivelas, vazamentos de ar, sistema de alimentação ou escapamento obstruídos ou presença de sujeira no elemento do filtro de ar. • A tabela de informações de ajuste fará com que o ajuste esteja bastante próximo do ideal. Entretanto, devido às diferenças na pressão e umidade, pode ser necessário efetuar um ajuste fino do carburador para as condições da corrida em questão.
  • 7. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 4-6 REMOÇÃO/DESMONTAGEM DO CARBURADOR REMOÇÃO c Desacople o tubo de combustível. Gire o guidão totalmente para o lado esquerdo. Solte o parafuso da braçadeira do coletor do carburador e o parafuso da braçadeira do tubo de conexão, e incline o carburador para a esquerda. Remova o parafuso e a tampa do carburador e retire a válvula de aceleração. • A gasolina é altamente inflamável e explosiva sob certas condições. • Trabalhe numa área bem-ventilada com o motor desligado. • Não fume nem permita a presença de chamas ou faíscas na área de trabalho ou no local de armazenamento de gasolina. TUBO DE COMBUSTÍVEL PARAFUSOS DESMONTAGEM Comprima a mola e remova o espaçador da válvula de aceleração. Comprima a mola e remova e remova o cabo do acelerador do suporte. Remova o cabo do acelerador do suporte do cabo. Remova o suporte do cabo e a agulha da válvula de aceleração. Inspecione a agulha quanto a desgaste excessivo ou danos. Inspecione a válvula de aceleração quanto a danos. Substitua essas peças, caso necessário. AGULHA SUPORTE DO CABO VÁLVULA DE ACELERAÇÃO PARAFUSOS TAMPA DO CARBURADOR VÁLVULA DE ACELERAÇÃO CR125R ESPAÇADOR CABO DO ACELERADOR MOLA
  • 8. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 4-7 CR125R Solte os tubos de respiro e o ladrão. Remova o parafuso e o pino da bóia. Remova a bóia e a válvula da bóia. Remova o parafuso e o assento da válvula. Inspecione a bóia quanto a danos. Inspecione a válvula da bóia e o assento da válvula quanto a riscos, escoriações, obstrução ou danos. Inspecione o anel de vedação do assento da válvula quanto a desgaste ou danos. Inspecione a extremidade da válvula da bóia na área de contato com seu assento quanto a desgaste ou contaminação. Substitua ou limpe essas peças, se necessário. NOTA Uma válvula da bóia contaminada ou desgastada não se assenta corretamente e eventualmente afoga o carburador. Remova o bujão de drenagem e o parafuso. Remova a cuba da bóia e o anel de vedação. LADRÃO TUBOS DE RESPIRO PINO DA BÓIA VÁLVULA DA BÓIA PARAFUSO BÓIA PARAFUSO ASSENTO DA VÁLVULA/ANEL DE VEDAÇÃO PARAFUSOS BUJÃO DE DRENAGEM CUBA DA BÓIA
  • 9. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 4-8 Remova a placa defletora, o pulverizador, o giclê principal e o giclê de marcha lenta. GICLÊ PRINCIPAL PLACA DEFLETORA PULVERIZADOR GICLÊ DE MARCHA LENTA Inspecione cada giclê quanto a danos ou desgaste. Limpe os giclês com solvente não-inflamável e aplique ar comprimido para desobstruí-los. Inspecione o parafuso de mistura quanto a desgaste ou danos. Inspecione a mola quanto a danos. Substitua essas peças, caso seja necessário. PARAFUSO DE GICLÊ DE ACELERAÇÃO MARCHA LENTA PARAFUSO DE MISTURA MOLA PULVERIZADOR Solte a contraporca e remova o botão do afogador. BOTÃO DO AFOGADOR NOTA Remova o parafuso de mistura e o parafuso de aceleração. Antes de remover o parafuso de mistura, anote o número de voltas necessárias para que ele se assente ligeiramente, de forma que possa ser reinstalado em sua posição original. PARAFUSO DE ACELERAÇÃO PARAFUSO DE MISTURA CR125R GICLÊ PRINCIPAL
  • 10. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 4-9 CR125R Inspecione o assento da válvula quanto a danos ou desgaste excessivo. Inspecione o anel de vedação quanto a danos. MONTAGEM/INSTALAÇÃO DO CARBURADOR a Aplique ar comprimido em todas as passagens de ar e combustível no carburador. Não limpe as passagens de ar e combustível com um pedaço de arame a fim de evitar danos ao corpo do carburador. VÁLVULA DA BÓIA BÓIA PINO DA BÓIA GICLÊ DE MARCHA LENTA BOTÃO DO AFOGADOR PARAFUSO DE ACELERAÇÃO PARAFUSO DE MISTURA ASSENTO DA VÁLVULA PULVERIZA- DOR GICLÊ PRINCIPAL PLACA DEFLETORA TAMPA DO CARBURADOR MOLA ESPAÇADOR SUPORTE DO CABO AGULHA VÁLVULA DE ACELERAÇÃO
  • 11. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 4-10 MONTAGEM Instale o botão do afogador e aperte a contraporca com o torque especificado. TORQUE: 4 N.m (0,4 kg.m) BOTÃO DO AFOGADOR Instale o giclê de marcha lenta, o pulverizador, o giclê principal e a placa defletora. TORQUE: Giclê de marcha lenta 1 N.m (0,1 kg.m) Pulverizador 3 N.m (0,3 kg.m) Giclê principal 2 N.m (0,2 kg.m) GICLÊ PRINCIPAL PLACA DEFLETORA PULVERIZADOR GICLÊ DE MARCHA LENTA Instale o assento da válvula e o anel de vedação. Aperte o parafuso com o torque especificado. TORQUE: 1 N.m (0,1 kg.m) PARAFUSO ASSENTO DA VÁLVULA/ANEL DE VEDAÇÃO Instale a mola, o parafuso da mistura, o parafuso de aceleração e a contraporca. NOTA Instale o parafuso de mistura e retorne-o à sua posição original conforme anotado durante a remoção. PARAFUSO DE PARAFUSO ACELERAÇÃO DA MISTURA CR125R
  • 12. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 4-11 CR125R Instale a válvula da bóia, a bóia e o pino da bóia. Aperte o parafuso com o torque especificado. TORQUE: 2 N.m (0,2 kg.m) NOTA Posicione o carburador de forma que a válvula da bóia entre ligeiramente em contato com o lábio do seu braço. Certifique-se de que a extremidade da válvula esteja firmemente em contato com o assento da válvula. Inspecione o nível da bóia utilizando o medidor. Ferramenta: Medidor de nível da bóia 07401-0010000 Nível da bóia: 15,0 mm Caso o nível esteja fora das especificações, ajuste-o dobrando seu lábio. • Verifique o nível da bóia após inspecionar a válvula e a bóia. • Posicione o medidor de nível da bóia de forma que fique perpendicular à face da cuba da bóia e em linha com o giclê principal. Instale um novo anel de vedação na cuba da bóia. Instale a cuba da bóia no carburador. Instale e aperte os parafusos com o torque especificado. TORQUE: 2 N.m (0,2 kg.m) Instale e aperte o bujão de drenagem com o torque especificado. TORQUE: 7 N.m (0,7 kg.m) VÁLVULA DA BÓIA PINO DA BÓIA BÓIA PARAFUSO ANEL DE VEDAÇÃO CUBA DA BÓIA PARAFUSO BUJÃO DE DRENAGEM MEDIDOR DE NÍVEL DA BÓIA NOVO
  • 13. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 4-12 Conecte os tubos de respiro e o ladrão. LADRÃO TUBOS DE RESPIRO Instale a agulha na válvula de aceleração. Instale o suporte do cabo na válvula de aceleração e, em seguida aperte o suporte com o torque especificado. TORQUE: 3 N.m (0,3 kg.m) AGULHA SUPORTE DO CABO VÁLVULA DE ACELERAÇÃO Passe a mola da válvula de aceleração e o espaçador pelo cabo do acelerador. Comprima a mola da válvula de aceleração e insira o cabo do acelerador no suporte. Instale o espaçador de fixação alinhando a lingüeta com a ranhura do suporte do cabo. Instale a trava da agulha na agulha. Posição-padrão da trava: 3ª ranhura superior CR125R TRAVA DA AGULHA AGULHA CABO DO ACELERADOR Alinhe MOLA
  • 14. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 4-13 CR125R INSTALAÇÃO Instale provisoriamente o carburador. Mova o carburador para a esquerda e deslize a válvula de aceleração para dentro do corpo do carburador com o lado do seu rebaixo virado para a carcaça do filtro de ar. Alinhe o ressalto do carburador com a ranhura do coletor do carburador. Aperte firmemente os parafusos das braçadeiras do coletor e do tubo de conexão. Após a instalação, ajuste os seguintes itens: – Folga livre da manopla do acelerador (pág. 3-5) – Parafuso de mistura (pág. 4-3) Após a instalação, inspecione os seguintes itens: – Vazamentos de ar secundário ao redor do coletor e tubo de conexão – Vazamentos de combustível ao redor do tubo de combustível e carburador – Passagem do ladrão, tubo de respiro e tubo de combustível Aperte a tampa do carburador aperte os parafusos com o torque especificado. TORQUE: 4 N.m (0,4 kg.m) RESSALTO REBAIXO VÁLVULA DE ACELERAÇÃO Alinhe TUBO DE COMBUSTÍVEL PARAFUSOS PARAFUSOS TAMPA DO CARBURADOR
  • 15. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 4-14 VÁLVULA DE PALHETA REMOÇÃO Remova o carburador (pág. 4-6). Remova os parafusos, a presilha do cabo da embreagem e o coletor. PARAFUSOS PRESILHA COLETOR Inspecione a válvula de palheta quanto a fadiga ou danos, e substitua-a, caso necessário. Inspecione o batente da válvula de palheta quanto a trincas, danos e folga com a palheta. Substitua-o, caso necessário. DESMONTAGEM/MONTAGEM Remova os parafusos, o batente da válvula de palheta e a válvula. Substitua a válvula de palheta após 3 corridas ou cerca de 7,5 horas de uso da motocicleta. Instale a válvula de palheta e seu batente alinhando seus rebaixos. Limpe as roscas dos parafusos. Aplique um pouco de trava química nas extremidades das roscas dos parafusos. Aperte os parafusos no torque especificado. TORQUE: 1 N.m (0,1 kg.m) NOTA Não aplique trava química na válvula de palheta. VÁLVULA DE PALHETA Remova a válvula de palheta e a junta. VÁLVULA DE PALHETA JUNTA CR125R PARAFUSO BATENTE Alinhe PALHETA
  • 16. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 4-15 CR125R Após a instalação, verifique a folga da válvula de palheta. Limite de Uso 0,2 mm Instale o coletor, a presilha do cabo da embreagem e os parafusos. Aperte firmemente os parafusos. Instale o carburador (pág. 4-12). Após a instalação, inspecione os seguintes itens: – Vazamentos de ar secundário ao redor do coletor e tubo de conexão – Vazamentos de combustível ao redor do tubo de combustível e carburador CARCAÇA DO FILTRO DE AR REMOÇÃO Remova o chassi secundário (pág. 2-4). Remova os parafusos e o pára-lama traseiro. INSTALAÇÃO Instale uma nova junta na carcaça do motor. Instale a válvula de palheta com sua lingüeta virada para cima. PARAFUSOS PRESILHA COLETOR PARAFUSOS PÁRA-LAMA TRASEIRO JUNTA VÁLVULA DE PALHETA 0,2 mm NOVA
  • 17. SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO 4-16 Remova os parafusos e a carcaça do filtro de ar do chassi secundário. Remova o elemento do filtro de ar (pág. 3-5). Inspecione o tubo de conexão do carburador para verificar se a vedação da carcaça do filtro é adequada. Inspecione a carcaça do filtro de ar quanto a danos. Remova o tubo de conexão do carburador da carcaça do filtro de ar e vede-o completamente caso haja sinais de vedação inadequada. PARAFUSOS CARCAÇA INSTALAÇÃO A instalação da carcaça do filtro de ar deve ser efetuada na ordem inversa da remoção. CR125R BRAÇADEIRA DO TUBO DE CONEXÃO SUPORTE DO ELEMENTO ELEMENTO DO FILTRO DE AR PLACA REGULADORA DE AR CARCAÇA DO FILTRO DE AR PÁRA-LAMA TRASEIRO Alinhe
  • 19. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 INFORMAÇÕES GERAISCR125R COMO USAR ESTE MANUAL Este manual descreve os procedimentos de serviço para a CR125R. Siga as recomendações da Tabela de Manutenção (página 3-3) para garantir condições perfeitas de funcionamento. Os Capítulos 1 e 3 aplicam-se à toda motocicleta. O Capítulo 2 apresenta os procedimentos de remoção/instalação de componentes que podem ser necessários para efetuar os serviços descritos nos capítulos subseqüentes. Os Capítulos 4 a 15 apresentam as peças da motocicleta, agrupadas de acordo com sua localização. Localize o capítulo desejado nesta página. Em seguida, consulte o índice apresentado na primeira página do capítulo selecionado. A maioria dos capítulos começa com uma ilustração do sistema ou conjunto, informações de serviço e diagnose de defeitos. As páginas subseqüentes apresentam os procedimentos detalhados. Caso não esteja familiarizado com esta motocicleta, leia as Características Técnicas no capítulo 16. Se a causa do problema for desconhecida, consulte o Capítulo 17, “Diagnose de Defeitos”. MOTO HONDA DA AMAZÔNIA LTDA. Departamento de Serviços Pós-Venda Setor de Publicações Técnicas TODAS AS INFORMAÇÕES, ILUSTRAÇÕES, PROCEDIMENTOS E ESPECIFICAÇÕES APRESENTADAS NESTA PUBLICAÇÃO SÃO BASEADAS NAS INFORMAÇÕES MAIS RECENTES DISPONÍVEIS SOBRE O PRODUTO NO MOMENTO DA APROVAÇÃO DA IMPRESSÃO. A MOTO HONDA DA AMAZÔNIA LTDA. SE RESERVA O DIREITO DE ALTERAR AS CARACTERÍSTICAS DA MOTOCICLETA A QUALQUER MOMENTO E SEM PRÉVIO AVISO, NÃO INCORRENDO, ASSIM, EM OBRIGAÇÕES DE QUALQUER ESPÉCIE. NENHUMA PARTE DESTA PUBLICAÇÃO PODE SER REPRODUZIDA SEM AVISO PRÉVIO. ESTE MANUAL FOI ELABORADO PARA PESSOAS QUE TENHAM CONHECIMENTOS BÁSICOS SOBRE A MANUTENÇÃO DAS MOTOCICLETAS, SCOTTERS ou ATVS HONDA. ÍNDICE GERAL INFORMAÇÕES GERAIS CHASSI/CARENAGEM/SISTEMA DE ESCAPAMENTO MANUTENÇÃO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL SISTEMA DE ARREFECIMENTO REMOÇÃO/INSTALAÇÃO DO MOTOR CABEÇOTE/CILINDRO/PISTÃO VÁLVULA RC EMBREAGEM/MECANISMO DE PARTIDA/ SELETOR DE MARCHAS CARCAÇA DO MOTOR/ÁRVORE DE MANIVELAS/TRANSMISSÃO RODA DIANTEIRA/SUSPENSÃO/ SISTEMA DE DIREÇÃO RODA TRASEIRA/SUSPENSÃO FREIO HIDRÁULICO SISTEMA DE IGNIÇÃO/ALTERNADOR DIAGRAMA ELÉTRICO CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 17DIAGNOSE DE DEFEITOS SISTEMA ELÉTRICO CHASSIMOTORETRANSMISSÃO