SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
Autora: Simone Helen Drumond de Carvalho




PROJETO: EM
   BOCA
 SAUDAVEL
 NÃO ENTRA
   CÁRIE
                                             1
História: DENTINHOS
      LIMPINHOS
 Era uma vez dentinhos de leite que
   sofriam muito com o ataque das
  bactérias depois de cada refeição.
 Isso porque o garoto, dono da boca
onde os dentinhos moravam, sempre
   esquecia de escovar os dentes.
                                   2
Não tinha para ninguém:
   As bactérias vinham com tudo,
 ajudadas pelos restos de alimentos
que ficavam entre os dentes dando a
     maior força para as cáries.

 - SOCOOOORRO!!!!!
                                  3
Ouvindo o chamado desesperado
dos dentinhos, a pasta de dentes
pulou em cima da escova e gritou
        ainda mais alto:

      - Lá vamos nóóóóóós!

E voaram para dentro da boca para
       socorrer os chorões.
                                    4
Pulando corda veio a Fita Dental.
Enfiou-se entre os dentes dando um
  "chega pra lá" nos restinhos de
              comida.

        - Quem nos ajuda?
  - Somos nós? Pasta de Dentes,
    Escova e Fio ou Fita Dental.
                                     5
Este é o batalhão da Higiene Bucal
 em Ação. Estamos em mais uma
     missão diária importante!

     Eles fizeram seu trabalho.
Expulsaram as bactérias e evitaram,
mais uma vez, que os dentes fossem
 atacados pelos bichinhos da cárie.
                                     6
PARA QUE SERVE?




                  7
ESCOVA DE DENTE:




Ajuda a retirar os restos de comida
   que ficam presos nos dentes.
                                      8
Você pode escolher um daqueles
   modelos bem incrementados,
              coloridos.
Fique ligado, porque não adianta ser
  apenas bonita, a escova que ser
  também eficiente, com tamanho
 adequado para sua boca e cerdas
 macias para limpar sem machucar.

                                       9
Seu dentista pode orientar você a
   escolher a melhor escova.

   Quando a sua escova ficar
descabelada é hora de trocar por
         uma novinha.
Temos que substituí-la rapidinho.


                                    10
A PASTA DE DENTE:

 Ela garante a limpeza da boca ao
 retirar a placa bacteriana, além de
              conter flúor.

Flúor é uma substância que torna os
 dentes mais resistentes. Mas nada
                                       11
de exagero!
 Basta uma pequena quantidade
(uma golinha do tamanho de uma
            ervilha).

No final da escovação cuspa tudo
 fora, não engula nada. Pasta de
  dente é para limpar, não para
            alimentar.
                                   12
FIO OU FITA DENTAL:



Deve ser usada pelo menos uma vez por dia. Magrinha e fininha
daquele jeito, a fita dental consegue chegar onde a escova não
                 alcança completando o serviço.


                                                                 13
ESCOVA PRA CÁ, ESCOVA PRA LÁ EXÉRCITO A POSTOS?
            ENTÃO! VAMOS AO ATAQUE:




É preciso percorrer todo o território
                                                   14
com a escova.
Você não quer deixar nenhuma área
        desprotegida, não e?
 Escove os dentes tanto na parte de
fora quanto na parte de dentro, tanto
 os dentes da frente quanto aqueles
         que estão lá atrás.

Nos dentes de cima passe a escova
                                    15
de cima para baixo. Nos dentes de
baixo faça o movimento contrário de
     baixo para cima. É como se
   estivesse "penteando" os dentes
girando levemente a escova, sempre
 tomando a gengiva como ponto de
 partida e indo até o topo do dente.

 E já que seu exército está na área,
                                       16
aproveite para escovar também a
 língua. Ela também merece uma
               faxina.

Completando a operação de guerra,
  entra em capo a fita dental tirando
de campos os restos de comida que
ficaram escondidos entre os dentes.

                                    17
Esta é a famosa guerra entre a
  higiene bucal e as bactérias que
causam a cárie. Porém de nada vale
 a escova, a pasta de dente e a fita
dental se não tiver a sua ajuda. Você
 é que tem que liderar o combate às
   cáries garantindo a limpeza e a
      conservação dos dentes.

                                    18
Por isso, depois das refeições ou de
comer doces e antes de dormir, não
  esqueça de colocar em ação o
 Batalhão da Limpeza
  Bucal: A Escova de
Dentes, Pasta e Fio ou
     Fita Dental.
                                   19
XÔ CÁRIE


Como guerra é guerra, nada melhor
   do que conhecer o inimigo.

                                    20
Vamos lá:

A cárie acontece quando uma certa
    bactéria, muito chata por sinal,
 transforma os restos de alimentos
   que ingerimos, principalmente o
açúcar, em ácidos prejudiciais aos
               dentes.

                                       21
Essa bactéria fica grudadinha com
muitas outras sobre os dentes e ao
redor das gengivas, formando uma
película chamada placa bacteriana.




                                     22
Insistente e teimosa, essa placa se forma todos os dias. Os ácidos liberados
pelas bactérias da placa atacam o esmalte dental (a parte branca), até causar
  um "buraco", a famosa cárie, em um processo chamado desmineralização.

 Se não for tratada logo, a cárie começa a aumentar e a corroer o interior do
dente, provocando dor. E não dá pra descuidar, porque as cáries atacam sem
                                    avisar.

Sabia que a dieta tem tudo a ver com a cárie? É bom comer alimentos ricos em
       fibras, como cenoura, aveia, maçã, pepino e verduras em geral.




                                                                                23
Eles são verdadeiros desinfetantes, pois diminuem a acidez da boca, que
                        também contribui para a cárie.

    E agora a parte mais difícil: evitar comer muito chocolate, balas, doces e
 refrigerantes_ ou seja, tudo que é rico em açúcar. Assim como a gente, os tais
                      ácidos também adoram um docinho.

Os dentes não querem saber de moleza: eles também precisam de exercícios. É
                                verdade!




                                                                                  24
Mas não precisa levá-los para a
             academia.
    A melhor ginástica para os
dentes - e também para as arcadas
    dentárias, onde eles estão
  confortavelmente instalados - é
 mastigar alimentos duros, como
      maçã e cenoura crua.

                                    25
Se até os dentes gostam de
  ginástica, por que você vai ficar
 nessa preguiça toda, enrolando na
hora de escovar os dentes? Coloque
      esse quarteto em ação...

    FIM DA HISTÓRIA               26

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Bom dia todas as cores
Bom dia todas as coresBom dia todas as cores
Bom dia todas as coresweleslima
 
7 pretinha de neve e os sete gigantes
7  pretinha de neve e os sete gigantes7  pretinha de neve e os sete gigantes
7 pretinha de neve e os sete gigantestlfleite
 
Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil Luiza Carvalho
 
A gotinha Plim Plim, de Gerusa Rodrigues Pinto
A gotinha Plim Plim, de Gerusa Rodrigues PintoA gotinha Plim Plim, de Gerusa Rodrigues Pinto
A gotinha Plim Plim, de Gerusa Rodrigues PintoElisangela Terra
 
O dia em que um monstro veio à escola
O dia em que um monstro veio à escolaO dia em que um monstro veio à escola
O dia em que um monstro veio à escolaMafalda Souto
 
A menina que não gostava de fruta
A menina que não gostava de frutaA menina que não gostava de fruta
A menina que não gostava de frutaDébora Frazao
 
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITAJOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITAFabiana Lopes
 
Historia " Os Nossos Amigos Animais"
Historia " Os Nossos Amigos Animais"Historia " Os Nossos Amigos Animais"
Historia " Os Nossos Amigos Animais"bibdjosei
 
Projeto Borboleta Metamorfose
Projeto Borboleta MetamorfoseProjeto Borboleta Metamorfose
Projeto Borboleta MetamorfoseClaudia Ramos
 
Mensagem para pais reunião.
Mensagem para pais reunião.Mensagem para pais reunião.
Mensagem para pais reunião.Debora Silva
 
Era Uma Vez Uma Bruxa
Era Uma Vez Uma BruxaEra Uma Vez Uma Bruxa
Era Uma Vez Uma BruxaBruxx
 
Dia do pai todos os pais são diferentes
Dia do pai todos os pais são diferentesDia do pai todos os pais são diferentes
Dia do pai todos os pais são diferentesTeresa Ramos
 
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém  que precisa de limitesParecer de um bom aluno porém  que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limitesSimoneHelenDrumond
 
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regularRelatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regularNethy Marques
 
O menino que não gostava de sopa
O menino que não gostava de sopaO menino que não gostava de sopa
O menino que não gostava de sopaDébora Frazao
 
Relatorios individuais do desempenho ed infantil 2ºsemestre_mundinhodacrianca...
Relatorios individuais do desempenho ed infantil 2ºsemestre_mundinhodacrianca...Relatorios individuais do desempenho ed infantil 2ºsemestre_mundinhodacrianca...
Relatorios individuais do desempenho ed infantil 2ºsemestre_mundinhodacrianca...Alexandre Bandoch
 

Mais procurados (20)

Bom dia todas as cores
Bom dia todas as coresBom dia todas as cores
Bom dia todas as cores
 
7 pretinha de neve e os sete gigantes
7  pretinha de neve e os sete gigantes7  pretinha de neve e os sete gigantes
7 pretinha de neve e os sete gigantes
 
Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil
 
A gotinha Plim Plim, de Gerusa Rodrigues Pinto
A gotinha Plim Plim, de Gerusa Rodrigues PintoA gotinha Plim Plim, de Gerusa Rodrigues Pinto
A gotinha Plim Plim, de Gerusa Rodrigues Pinto
 
O dia em que um monstro veio à escola
O dia em que um monstro veio à escolaO dia em que um monstro veio à escola
O dia em que um monstro veio à escola
 
A menina que não gostava de fruta
A menina que não gostava de frutaA menina que não gostava de fruta
A menina que não gostava de fruta
 
A CASA SONOLENTA
A CASA SONOLENTAA CASA SONOLENTA
A CASA SONOLENTA
 
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITAJOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
JOGOS PARA TRABALHAR OS NÍVEIS DE LEITURA E ESCRITA
 
Fogo+no+céu+novo
Fogo+no+céu+novoFogo+no+céu+novo
Fogo+no+céu+novo
 
Historia " Os Nossos Amigos Animais"
Historia " Os Nossos Amigos Animais"Historia " Os Nossos Amigos Animais"
Historia " Os Nossos Amigos Animais"
 
Projeto Borboleta Metamorfose
Projeto Borboleta MetamorfoseProjeto Borboleta Metamorfose
Projeto Borboleta Metamorfose
 
Mensagem para pais reunião.
Mensagem para pais reunião.Mensagem para pais reunião.
Mensagem para pais reunião.
 
Era Uma Vez Uma Bruxa
Era Uma Vez Uma BruxaEra Uma Vez Uma Bruxa
Era Uma Vez Uma Bruxa
 
Dia do pai todos os pais são diferentes
Dia do pai todos os pais são diferentesDia do pai todos os pais são diferentes
Dia do pai todos os pais são diferentes
 
O Menino Marrom
O Menino MarromO Menino Marrom
O Menino Marrom
 
As flores-da-primavera-pdf
As flores-da-primavera-pdfAs flores-da-primavera-pdf
As flores-da-primavera-pdf
 
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém  que precisa de limitesParecer de um bom aluno porém  que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
 
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regularRelatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
Relatorio de acompanhamento do professor do aee e sala regular
 
O menino que não gostava de sopa
O menino que não gostava de sopaO menino que não gostava de sopa
O menino que não gostava de sopa
 
Relatorios individuais do desempenho ed infantil 2ºsemestre_mundinhodacrianca...
Relatorios individuais do desempenho ed infantil 2ºsemestre_mundinhodacrianca...Relatorios individuais do desempenho ed infantil 2ºsemestre_mundinhodacrianca...
Relatorios individuais do desempenho ed infantil 2ºsemestre_mundinhodacrianca...
 

Semelhante a História dentinhos limpos por simone drumond

Higiene Dentária - Conteúdo Teórico
Higiene Dentária - Conteúdo TeóricoHigiene Dentária - Conteúdo Teórico
Higiene Dentária - Conteúdo Teóricopsylva
 
Saúde bucal do adulto
Saúde bucal do adultoSaúde bucal do adulto
Saúde bucal do adultoDessa Reis
 
Ténica de Higienização para Adultos
Ténica de Higienização para AdultosTénica de Higienização para Adultos
Ténica de Higienização para Adultosbarbaralourenco
 
Prevenção das periodontopatias
Prevenção das periodontopatiasPrevenção das periodontopatias
Prevenção das periodontopatiasgeriatric
 
Prevençao das periodontopatias
Prevençao das periodontopatiasPrevençao das periodontopatias
Prevençao das periodontopatiasodontosocial
 
Saúde bucal do adulto
Saúde bucal do adultoSaúde bucal do adulto
Saúde bucal do adultoCms Nunes
 
Apostila da Especialidade de higiene oral
Apostila da Especialidade de  higiene oralApostila da Especialidade de  higiene oral
Apostila da Especialidade de higiene oralPaulo Silveira
 
Apostila da Especialidade de Higiene Oral
Apostila da Especialidade de  Higiene OralApostila da Especialidade de  Higiene Oral
Apostila da Especialidade de Higiene OralPaulo Silveira
 
Cuide dos seus dentes
Cuide dos seus dentesCuide dos seus dentes
Cuide dos seus dentesCLESIOANDRADE
 
1201900210 higiene oral
1201900210 higiene oral1201900210 higiene oral
1201900210 higiene oralPelo Siro
 
Campanha: Cuidado com os Dentes
Campanha: Cuidado com os DentesCampanha: Cuidado com os Dentes
Campanha: Cuidado com os DentesISI Engenharia
 
O Que é Uma Boa Higiene Bucal
O Que é Uma Boa Higiene BucalO Que é Uma Boa Higiene Bucal
O Que é Uma Boa Higiene Bucaljosé Augusto Dias
 
Dentição canina e felina
Dentição canina e felinaDentição canina e felina
Dentição canina e felinaHarumicham Nishi
 
O batalhão da limpeza dos dentes
O batalhão da limpeza dos dentesO batalhão da limpeza dos dentes
O batalhão da limpeza dos denteslabeques
 

Semelhante a História dentinhos limpos por simone drumond (20)

Higiene bucal
Higiene bucalHigiene bucal
Higiene bucal
 
Higiene Dentária - Conteúdo Teórico
Higiene Dentária - Conteúdo TeóricoHigiene Dentária - Conteúdo Teórico
Higiene Dentária - Conteúdo Teórico
 
Saúde bucal do adulto
Saúde bucal do adultoSaúde bucal do adulto
Saúde bucal do adulto
 
Ténica de Higienização para Adultos
Ténica de Higienização para AdultosTénica de Higienização para Adultos
Ténica de Higienização para Adultos
 
Amigos do dentinho
Amigos do dentinhoAmigos do dentinho
Amigos do dentinho
 
Prevenção das periodontopatias
Prevenção das periodontopatiasPrevenção das periodontopatias
Prevenção das periodontopatias
 
Prevençao das periodontopatias
Prevençao das periodontopatiasPrevençao das periodontopatias
Prevençao das periodontopatias
 
Saúde bucal do adulto
Saúde bucal do adultoSaúde bucal do adulto
Saúde bucal do adulto
 
O rei leao e a saude bucal
O rei leao e a saude bucalO rei leao e a saude bucal
O rei leao e a saude bucal
 
Apostila da Especialidade de higiene oral
Apostila da Especialidade de  higiene oralApostila da Especialidade de  higiene oral
Apostila da Especialidade de higiene oral
 
Apostila da Especialidade de Higiene Oral
Apostila da Especialidade de  Higiene OralApostila da Especialidade de  Higiene Oral
Apostila da Especialidade de Higiene Oral
 
Cuide dos seus dentes
Cuide dos seus dentesCuide dos seus dentes
Cuide dos seus dentes
 
1201900210 higiene oral
1201900210 higiene oral1201900210 higiene oral
1201900210 higiene oral
 
Campanha: Cuidado com os Dentes
Campanha: Cuidado com os DentesCampanha: Cuidado com os Dentes
Campanha: Cuidado com os Dentes
 
Higiene oral
Higiene oralHigiene oral
Higiene oral
 
O Que é Uma Boa Higiene Bucal
O Que é Uma Boa Higiene BucalO Que é Uma Boa Higiene Bucal
O Que é Uma Boa Higiene Bucal
 
Dentição canina e felina
Dentição canina e felinaDentição canina e felina
Dentição canina e felina
 
Higiene oral
Higiene oralHigiene oral
Higiene oral
 
O batalhão da limpeza dos dentes
O batalhão da limpeza dos dentesO batalhão da limpeza dos dentes
O batalhão da limpeza dos dentes
 
controme mecânico.pdf
controme mecânico.pdfcontrome mecânico.pdf
controme mecânico.pdf
 

Mais de SimoneHelenDrumond

BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdfBLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdfSimoneHelenDrumond
 
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdfATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdfARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdfARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdfARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdfSimoneHelenDrumond
 
INCLUSÃO AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
INCLUSÃO  AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...INCLUSÃO  AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
INCLUSÃO AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdfARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdfARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdfSimoneHelenDrumond
 
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdfArtigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdfARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdfARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdfSimoneHelenDrumond
 
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdfArtigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdfARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdfARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdfARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdf
ARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdfARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdf
ARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdf
ARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdfARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdf
ARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdfSimoneHelenDrumond
 

Mais de SimoneHelenDrumond (20)

BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdfBLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
 
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdfATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
 
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdfARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
 
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdfARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
 
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdfARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
 
INCLUSÃO AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
INCLUSÃO  AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...INCLUSÃO  AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
INCLUSÃO AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
 
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdfARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
 
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdfARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
 
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdfArtigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
 
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdfARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
 
ARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdfARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdf
 
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdfARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
 
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdfArtigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdf
 
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdfARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
 
ARTIGO 1 TDAH .pdf
ARTIGO 1 TDAH .pdfARTIGO 1 TDAH .pdf
ARTIGO 1 TDAH .pdf
 
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdfARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
 
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
 
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdfARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
 
ARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdf
ARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdfARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdf
ARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdf
 
ARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdf
ARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdfARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdf
ARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdf
 

Último

As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceRonisHolanda
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...DominiqueFaria2
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 

Último (20)

As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 

História dentinhos limpos por simone drumond

  • 1. Autora: Simone Helen Drumond de Carvalho PROJETO: EM BOCA SAUDAVEL NÃO ENTRA CÁRIE 1
  • 2. História: DENTINHOS LIMPINHOS Era uma vez dentinhos de leite que sofriam muito com o ataque das bactérias depois de cada refeição. Isso porque o garoto, dono da boca onde os dentinhos moravam, sempre esquecia de escovar os dentes. 2
  • 3. Não tinha para ninguém: As bactérias vinham com tudo, ajudadas pelos restos de alimentos que ficavam entre os dentes dando a maior força para as cáries. - SOCOOOORRO!!!!! 3
  • 4. Ouvindo o chamado desesperado dos dentinhos, a pasta de dentes pulou em cima da escova e gritou ainda mais alto: - Lá vamos nóóóóóós! E voaram para dentro da boca para socorrer os chorões. 4
  • 5. Pulando corda veio a Fita Dental. Enfiou-se entre os dentes dando um "chega pra lá" nos restinhos de comida. - Quem nos ajuda? - Somos nós? Pasta de Dentes, Escova e Fio ou Fita Dental. 5
  • 6. Este é o batalhão da Higiene Bucal em Ação. Estamos em mais uma missão diária importante! Eles fizeram seu trabalho. Expulsaram as bactérias e evitaram, mais uma vez, que os dentes fossem atacados pelos bichinhos da cárie. 6
  • 8. ESCOVA DE DENTE: Ajuda a retirar os restos de comida que ficam presos nos dentes. 8
  • 9. Você pode escolher um daqueles modelos bem incrementados, coloridos. Fique ligado, porque não adianta ser apenas bonita, a escova que ser também eficiente, com tamanho adequado para sua boca e cerdas macias para limpar sem machucar. 9
  • 10. Seu dentista pode orientar você a escolher a melhor escova. Quando a sua escova ficar descabelada é hora de trocar por uma novinha. Temos que substituí-la rapidinho. 10
  • 11. A PASTA DE DENTE: Ela garante a limpeza da boca ao retirar a placa bacteriana, além de conter flúor. Flúor é uma substância que torna os dentes mais resistentes. Mas nada 11
  • 12. de exagero! Basta uma pequena quantidade (uma golinha do tamanho de uma ervilha). No final da escovação cuspa tudo fora, não engula nada. Pasta de dente é para limpar, não para alimentar. 12
  • 13. FIO OU FITA DENTAL: Deve ser usada pelo menos uma vez por dia. Magrinha e fininha daquele jeito, a fita dental consegue chegar onde a escova não alcança completando o serviço. 13
  • 14. ESCOVA PRA CÁ, ESCOVA PRA LÁ EXÉRCITO A POSTOS? ENTÃO! VAMOS AO ATAQUE: É preciso percorrer todo o território 14
  • 15. com a escova. Você não quer deixar nenhuma área desprotegida, não e? Escove os dentes tanto na parte de fora quanto na parte de dentro, tanto os dentes da frente quanto aqueles que estão lá atrás. Nos dentes de cima passe a escova 15
  • 16. de cima para baixo. Nos dentes de baixo faça o movimento contrário de baixo para cima. É como se estivesse "penteando" os dentes girando levemente a escova, sempre tomando a gengiva como ponto de partida e indo até o topo do dente. E já que seu exército está na área, 16
  • 17. aproveite para escovar também a língua. Ela também merece uma faxina. Completando a operação de guerra, entra em capo a fita dental tirando de campos os restos de comida que ficaram escondidos entre os dentes. 17
  • 18. Esta é a famosa guerra entre a higiene bucal e as bactérias que causam a cárie. Porém de nada vale a escova, a pasta de dente e a fita dental se não tiver a sua ajuda. Você é que tem que liderar o combate às cáries garantindo a limpeza e a conservação dos dentes. 18
  • 19. Por isso, depois das refeições ou de comer doces e antes de dormir, não esqueça de colocar em ação o Batalhão da Limpeza Bucal: A Escova de Dentes, Pasta e Fio ou Fita Dental. 19
  • 20. XÔ CÁRIE Como guerra é guerra, nada melhor do que conhecer o inimigo. 20
  • 21. Vamos lá: A cárie acontece quando uma certa bactéria, muito chata por sinal, transforma os restos de alimentos que ingerimos, principalmente o açúcar, em ácidos prejudiciais aos dentes. 21
  • 22. Essa bactéria fica grudadinha com muitas outras sobre os dentes e ao redor das gengivas, formando uma película chamada placa bacteriana. 22
  • 23. Insistente e teimosa, essa placa se forma todos os dias. Os ácidos liberados pelas bactérias da placa atacam o esmalte dental (a parte branca), até causar um "buraco", a famosa cárie, em um processo chamado desmineralização. Se não for tratada logo, a cárie começa a aumentar e a corroer o interior do dente, provocando dor. E não dá pra descuidar, porque as cáries atacam sem avisar. Sabia que a dieta tem tudo a ver com a cárie? É bom comer alimentos ricos em fibras, como cenoura, aveia, maçã, pepino e verduras em geral. 23
  • 24. Eles são verdadeiros desinfetantes, pois diminuem a acidez da boca, que também contribui para a cárie. E agora a parte mais difícil: evitar comer muito chocolate, balas, doces e refrigerantes_ ou seja, tudo que é rico em açúcar. Assim como a gente, os tais ácidos também adoram um docinho. Os dentes não querem saber de moleza: eles também precisam de exercícios. É verdade! 24
  • 25. Mas não precisa levá-los para a academia. A melhor ginástica para os dentes - e também para as arcadas dentárias, onde eles estão confortavelmente instalados - é mastigar alimentos duros, como maçã e cenoura crua. 25
  • 26. Se até os dentes gostam de ginástica, por que você vai ficar nessa preguiça toda, enrolando na hora de escovar os dentes? Coloque esse quarteto em ação... FIM DA HISTÓRIA 26