CECÍLIAMEIRELES
VidaFilha de Carlos Alberto de Carvalho Meireles, funcionário do Bancodo Brasil S.A., e de D. Matilde Benevides Meireles, ...
Sua formação como professora einteresse pela educação levou-a afundar a primeira biblioteca infantildo Rio de Janeiro no a...
No ano de 1939, Cecíliapublicou o livro Viagem. Abeleza das poesias trouxe-lheum grande reconhecimento dosleitores e també...
AmoresNo ano de 1922, Cecília casou-se com o pintor Fernando Correia Dias.Com ele, a escritora teve três filhas: Maria Elv...
ObrasEspectro - 1919Criança, meu amor - 1923Nunca mais... - 1923Poema dos Poemas -1923Baladas para El-Rei - 1925O Espírito...
Romanceiro da Inconfidência -1953Poemas Escritos na Índia - 1953Batuque - 1953Pequeno Oratório de Santa Clara - 1955Pistói...
CaracterísticasA LINGUAGEM No plano estilístico – ao contrário do coloquialismo dos poetasmodernos – há em sua obra uma te...
PoemasTu Tens Um Medo―Tu tens um medo:Acabar.Não vês que acabas todo o dia.Que morres no amor.Na tristeza.Na dúvida.No des...
Retrato“Eu não tinha este rosto de hoje,Assim calmo, assim triste, assim magro,Nem estes olhos tão vazios,Nem o lábio amar...
Timidez“Basta-me um pequeno gesto,      - que amargamente inventei.feito de longe e de leve,para que venhas comigo        ...
O Amor―É difícil para os indecisos.É assustador para os medrosos.Avassalador para os apaixonados!Mas, os vencedores no amo...
MarchaQuando penso no teu rosto, fecho os olhos de saudadeTenho visto muita coisa, menos a felicidadeSoltam-se meus dedos ...
Motivo―Eu canto porque o instante existee a minha vida está completa.Não sou alegre nem triste:sou poeta.Irmão das coisas ...
EREM Professor Trajano de MendonçaAlunas: Iris Cynthia   (2ª A)        Juliane Araújo (2ª A)Trabalho feito sobre a escrito...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cecilia meireles

4.299 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Cecilia meireles

  1. 1. CECÍLIAMEIRELES
  2. 2. VidaFilha de Carlos Alberto de Carvalho Meireles, funcionário do Bancodo Brasil S.A., e de D. Matilde Benevides Meireles, professoramunicipal, Cecília Benevides de Carvalho Meireles, nasceu em 7 denovembro de 1901, na Tijuca, Rio de Janeiro. Foi a únicasobrevivente dos quatros filhos do casal.Formou-se professora (cursou a Escola Normal) e com apenas 18anos de idade, no ano de 1919, publicou seu primeiro livro“Espectro” (vários poemas de caráter simbolista). Embora fosse oauge do Modernismo, a jovem poetisa foi fortemente influenciadapelo movimento literário simbolista.
  3. 3. Sua formação como professora einteresse pela educação levou-a afundar a primeira biblioteca infantildo Rio de Janeiro no ano de 1934.Escreveu várias obras na área deliteratura infantil como, por exemplo,―O cavalinho branco‖, ―Colar deCarolina‖, ―Sonhos de menina‖, ―Omenino azul‖, entre outros. Estespoemas infantis são marcados pelamusicalidade (uma das principaiscaracterísticas de sua poesia).
  4. 4. No ano de 1939, Cecíliapublicou o livro Viagem. Abeleza das poesias trouxe-lheum grande reconhecimento dosleitores e também dosacadêmicos da áreade literatura. Com este livro,ganhou o Prêmio de Poesia daAcademia Brasileira de Letras.Cecília faleceu em sua cidadenatal no dia 9 de novembro de1964.
  5. 5. AmoresNo ano de 1922, Cecília casou-se com o pintor Fernando Correia Dias.Com ele, a escritora teve três filhas: Maria Elvira, Maria Mathilde e MariaFernanda, esta última artista teatral consagrada. Suas filhas lhe dão cinconetos.O marido suicidou-se em 1936, após vários anos de sofrimento pordepressão aguda. O novo casamento de Cecília aconteceu somente em1940, quando conheceu o engenheiro agrônomo e professor HeitorVinícius da Silveira Grilo, falecido em 1972.
  6. 6. ObrasEspectro - 1919Criança, meu amor - 1923Nunca mais... - 1923Poema dos Poemas -1923Baladas para El-Rei - 1925O Espírito Vitorioso - 1935Viagem - 1939Vaga Música - 1942Poetas Novos de Portugal - 1944Mar Absoluto - 1945Rute e Alberto - 1945Rui — Pequena História de uma Grande Vida - 1948Retrato Natural - 1949Amor em Leonoreta - 195212 Noturnos de Holanda e o Aeronauta - 1952
  7. 7. Romanceiro da Inconfidência -1953Poemas Escritos na Índia - 1953Batuque - 1953Pequeno Oratório de Santa Clara - 1955Pistóia, Cemitério Militar Brasileiro - 1955Panorama Folclórico de Açores -1955Canções - 1956Giroflê, Giroflá - 1956Romance de Santa Cecília - 1957A Rosa - 1957Obra Poética -1958Metal Rosicler -1960Solombra -1963Ou Isto ou Aquilo -1964Escolha o Seu Sonho - 1964
  8. 8. CaracterísticasA LINGUAGEM No plano estilístico – ao contrário do coloquialismo dos poetasmodernos – há em sua obra uma tendência à linguagem elevada,sempre carregada de musicalidade. A música, algumas vezes,parece ser mais importante que o próprio sentido dos versos.Também a exemplo dos simbolistas, as palavras para a autoramais sugerem do que descrevem.A TEMÁTICA A poesia de Cecília Meireles revela ligações com várias estéticastradicionais, especialmente o Simbolismo. Entre os seus motivosdominantes figuram: O registro de estados de ânimo vagos equase incorpóreos. Uma aguda consciência da passagem do tempo, da brevidadeenganosa de todas as coisas, sobremodo dos sentimentos.Aatmosfera de dor existencial que emana dos poemas de CecíliaMeireles é centrada na percepção de que tudo passa e de que ofluir do tempo dissolve as ilusões e os amores, o corpo e mesmo amemória..
  9. 9. PoemasTu Tens Um Medo―Tu tens um medo:Acabar.Não vês que acabas todo o dia.Que morres no amor.Na tristeza.Na dúvida.No desejo.Que te renovas todo o dia.No amor.Na tristeza.Na dúvida.No desejo.Que és sempre outro.Que és sempre o mesmo.Que morrerás por idades imensas.Até não teres medo de morrer.E então serás eterno.‖
  10. 10. Retrato“Eu não tinha este rosto de hoje,Assim calmo, assim triste, assim magro,Nem estes olhos tão vazios,Nem o lábio amargo.Eu não tinha estas mãos sem força,Tão paradas e frias e mortas;Eu não tinha este coraçãoQue nem se mostra.Eu não dei por esta mudança,Tão simples, tão certa, tão fácil:- Em que espelho ficou perdidaA minha face?”
  11. 11. Timidez“Basta-me um pequeno gesto, - que amargamente inventei.feito de longe e de leve,para que venhas comigo E, enquanto não me descobres,e eu para sempre te leve... os mundos vão navegando nos ares certos do tempo,- mas só esse eu não farei. até não se sabe quando...Uma palavra caída e um dia me acabarei.”das montanhas dos instantesdesmancha todos os marese une as terras mais distantes...- palavra que não direi.Para que tu me adivinhes,entre os ventos taciturnos,apago meus pensamentos,ponho vestidos noturnos,
  12. 12. O Amor―É difícil para os indecisos.É assustador para os medrosos.Avassalador para os apaixonados!Mas, os vencedores no amor são osfortes.Os que sabem o que querem e querem o que têm!Sonhar um sonho a dois,e nunca desistir da busca de ser feliz,é para poucos!‖
  13. 13. MarchaQuando penso no teu rosto, fecho os olhos de saudadeTenho visto muita coisa, menos a felicidadeSoltam-se meus dedos tristesdos sonhos claros que inventoNem aquilo que imaginojá me dá contentamentoGosto da minha palavra pelo sabor que me desteMesmo quando é linda, amargaComo qualquer fruto agreste.Mesmo assim amarga, é tudo que tenhoentre o sol e o vento.Meu vestido, minha música,meu sonho, meu alimento.
  14. 14. Motivo―Eu canto porque o instante existee a minha vida está completa.Não sou alegre nem triste:sou poeta.Irmão das coisas fugidias,não sinto gozo nem tormento.Atravesso noites e diasno vento.Se desmorono ou edifico,se permaneço ou me desfaço,- não sei, não sei. Não sei se ficoou passo.Sei que canto. E a canção é tudo.Tem sangue eterno e asa ritmada.E sei que um dia estarei mudo:- mais nada.‖
  15. 15. EREM Professor Trajano de MendonçaAlunas: Iris Cynthia (2ª A) Juliane Araújo (2ª A)Trabalho feito sobre a escritora Cecília Meireles para aSemana Rosa e Lilás.

×