Cecília Meireles
Biografia.
Cecília Meireles <ul><li>Nasceu no Rio, em 7 de novembro de1901, mesma cidade em que morreu em 9 de novembro de 1964 </li>...
Poeta e Educadora A paixão pelos livros e a leitura norteia o caminho da jovem Cecília. Aos 16 anos, ela se diploma profes...
<ul><li>A partir de 1925, a educadora Cecília Meireles se sobressai à poeta. Em 1927, ela publica a prosa poética CRIANÇA,...
Alguns poemas   *Leilão de jardim *O cavalinho branco *Colar de Carolina *O mosquito escreve *Sonhos de menina *O menino a...
Poemas: &quot;Leilão do jardim'' e  &quot;É preciso não esquecer nada&quot;
Leilão do jardim. Quem me compra um jardim com flores? Borboletas de muitas cores, lavadeiras e passarinhos, ovos verdes e...
É preciso não esquecer nada <ul><li>É preciso não esquecer nada: nem a torneira aberta nem o fogo aceso, nem o sorriso par...
Frases <ul><li>&quot;Aprendi com a primavera a me deixar cortar.  E a voltar sempre inteira.&quot;   </li></ul><ul><li>“ L...
Livros de Cecília Meireles
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

cacilia meireles

3.319 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.319
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • cacilia meireles

    1. 1. Cecília Meireles
    2. 2. Biografia.
    3. 3. Cecília Meireles <ul><li>Nasceu no Rio, em 7 de novembro de1901, mesma cidade em que morreu em 9 de novembro de 1964 </li></ul>“ Nasci no Rio de Janeiro, três meses depois da morte do meu pai, e perdi minha mãe antes dos três anos. Essas e outras mortes ocorridas na família acarretaram muitos contratempos materiais, mas ao mesmo tempo me deram, desde pequenina, uma tal intimidade com a morte que docemente aprendi essas relações entre o Efêmero e o Eterno. Em toda a vida, nunca me esforcei por ganhar nem me espantei por perder. A noção ou sentimento da transitoriedade de tudo é o fundamento da minha personalidade.&quot; Cecília Meireles
    4. 4. Poeta e Educadora A paixão pelos livros e a leitura norteia o caminho da jovem Cecília. Aos 16 anos, ela se diploma professora. A vontade e o fascínio pelo &quot;saber&quot; a conduzem, então, para o estudo de outros idiomas e para o Conservatório Nacional de Música, onde tem aulas de canto e violino. Ainda que &quot;fizesse versos&quot; e compusesse cantigas para os seus brinquedos desde a escola primária, é na adolescência que Cecília Meireles começa a &quot;escrever poesias&quot;, segundo sua própria definição. Em 1919, aos 18 anos, ela publica seu primeiro livro de poemas: ESPECTROS, iniciando um período de grande produção .
    5. 5. <ul><li>A partir de 1925, a educadora Cecília Meireles se sobressai à poeta. Em 1927, ela publica a prosa poética CRIANÇA, MEU AMOR, livro que posteriormente seria indicado como leitura oficial nas escolas. Dois anos depois, ela se candidata à cátedra de literatura da Escola Normal, mas o cargo, de acordo com as cabeças pensantes, destinava-se a alguém reconhecidamente católico. Cecília concorre à vaga com a tese O ESPÍRITO VITORIOSO, um trabalho liberal onde discorria sobre a liberdade individual na sociedade. Perde para um técnico em educação sem qualquer pretensão literária, perfil que agradava mais aos &quot;eleitores&quot;da vaga a que Cecília Meireles concorria. </li></ul>
    6. 6. Alguns poemas *Leilão de jardim *O cavalinho branco *Colar de Carolina *O mosquito escreve *Sonhos de menina *O menino azul *A pombinha da mata , Entre outros.
    7. 7. Poemas: &quot;Leilão do jardim'' e &quot;É preciso não esquecer nada&quot;
    8. 8. Leilão do jardim. Quem me compra um jardim com flores? Borboletas de muitas cores, lavadeiras e passarinhos, ovos verdes e azuis nos ninhos? Quem me compra este caracol? Quem me compra um raio de sol? Um lagarto entre o muro e a hera, uma estátua da Primavera? Quem me compra este formigueiro? E este sapo, que é jardineiro? E a cigarra e a sua canção? E o grilinho dentro do chão? (Este é o meu leilão.)
    9. 9. É preciso não esquecer nada <ul><li>É preciso não esquecer nada: nem a torneira aberta nem o fogo aceso, nem o sorriso para os infelizes nem a oração de cada instante. É preciso não esquecer de ver a nova borboleta nem o céu de sempre. O que é preciso é esquecer o nosso rosto, o nosso nome, o som da nossa voz, o ritmo do nosso pulso. O que é preciso esquecer é o dia carregado de atos, a idéia de recompensa e de glória. O que é preciso é ser como se já não fôssemos, vigiados pelos próprios olhos severos conosco, pois o resto não nos pertence. </li></ul>
    10. 10. Frases <ul><li>&quot;Aprendi com a primavera a me deixar cortar. E a voltar sempre inteira.&quot; </li></ul><ul><li>“ Liberdade é uma palavra que o sonho humano alimenta, não há ninguém que explique e ninguém que não entenda.” </li></ul><ul><li>“ No mistério do sem-fim equilibra-se um planeta. E no planeta um jardim e no jardim um canteiro no canteiro uma violeta e sobre ela o dia inteiro entre o planeta e o sem-fim a asa de uma borboleta.” </li></ul><ul><li>Cecília Meireles </li></ul>
    11. 11. Livros de Cecília Meireles

    ×