Indicadores da Atividade Goiana em Pesquisa e Inovação

170 visualizações

Publicada em

A apresentação é fruto do projeto de pesquisa que teve o objetivo de mapear a atividade goiana de pesquisa e inovação identificando potencialidades e deficiências nas áreas estratégicas de desenvolvimento científico e tecnológico de forma a produzir subsídios para os formadores e gestores das políticas públicas de pesquisa e inovação no Estado de Goiás

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
170
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Indicadores da Atividade Goiana em Pesquisa e Inovação

  1. 1. Equipe do Projeto 0 Coordenador da Rede: Cândido Borges 0 Líder do Projeto: Ricardo Limongi 0 Equipe Executora: Altair Camargo, Denise Santos, Marcos Severo e Mariana Uchoa 2
  2. 2. Objetivo do projeto 0 Mapear a atividade goiana de pesquisa e inovação identificando potencialidades e deficiências nas áreas estratégicas de desenvolvimento científico e tecnológico, de forma a produzir subsídios para os formuladores e gestores das políticas públicas de pesquisa e inovação no Estado de Goiás 3
  3. 3. Contexto econômico da pesquisa 0 3,25% previsto constitucionalmente para CT&I 0 2006 – R$ 72,24 mi e 2012 – R$ 220,88 mi 0 Recursos recebidos pela FAPEG 0 2006 – R$ 76 mil e 2012 – R$ 42,54 mi 4 Fonte: SIFAPs (2014)
  4. 4. Método 0 Estudo de Caso: Estado de Goiás 0 Definição dos indicadores de CT&I 0 “CT” – projetos de pesquisa, redes e grupos de pesquisa e publicações 0 “I” – registro de patentes, projetos de inovação aprovados na FINEP e prêmios obtidos em inovação 0 Análises estatísticas 5
  5. 5. Coleta de dados 6
  6. 6. 0Pesquisa 7
  7. 7. Pós graduação no Brasil contexto 0Em 2012: 0 3.342 programas de mestrado e doutorado 0 71.507 docentes 0 203.717 alunos matriculados 0 71.180 bolsas concedidas Fonte: CAPES (2014); MCTI (2012) 8
  8. 8. Pós graduação no Brasil contexto 0Em 2010: 0 452 instituições cadastradas no Diretório dos Grupos de Pesquisa 0 27.523 grupos de pesquisa 0 128.892 pesquisadores 0 458.107 publicações 9 Fonte: CNPQ (2010)
  9. 9. Pós graduação no Brasil contexto 0 Região: 0 87% dos programas estão nas regiões Sudeste, Sul e Nordeste 0 8% no Centro Oeste e 5% no Norte 0 Estado: 0 54% dos cursos estão no RS, MG, RJ e SP e 30% dos alunos 10 Fonte: CAPES (2014)
  10. 10. Pós graduação no Brasil contexto 0 Centro-Oeste e Norte: 0 284 programas - Mestrado e Doutorado (8,5% do país) 0 6.747 docentes 0 20.591 alunos 11 Fonte: CAPES (2014)
  11. 11. Indicadores da Atividade Goiana em Pesquisa 0 Número de programas por Grande Área 0 Número de discentes por Grande Área 0 Número de grupos de pesquisa, linhas de pesquisa pesquisadores e estudantes 0 Produção por IES 0 Produção científica dos pesquisadores 0 Publicação estadual em periódicos por Área do Conhecimento 12
  12. 12. IES que ofertam cursos de pós graduação 13 Fonte: CAPES (2014)
  13. 13. Número de programas por Grande Área 14 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Variação 16 14 12 10 8 6 4 2 0 Ciências Agrárias 6 7 7 8 8 9 10 67% Ciências Biológicas 3 3 3 3 3 5 6 100% Ciências da Saúde 6 6 6 7 8 8 8 33% Ciências Exatas e da Terra 7 6 6 6 6 7 7 0% Ciências Humanas 9 10 11 13 12 13 14 56% Ciências Sociais Aplicadas 1 4 5 5 5 4 6 500% Engenharias 3 4 4 4 5 5 5 67% Linguística, Letras e Artes 4 4 4 4 4 5 5 25% Multidisciplinar 5 7 7 7 7 8 13 160% Fonte: CAPES (2014) Dos 74 programas, 67,6% estão na UFG, e 80% em IES públicas PUC-GO 16,2% Mestrado (61,6%), Mestrado e Doutorado (26%), Mestrado Profissional (8,2%)
  14. 14. Número de discentes 15 Ausência de Doutorado em Ciências Sociais Aplicadas e Engenharia M D MP M D MP M D MP M D MP M D MP M D MP M D MP 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Aumento de 130,28% em 600 500 400 300 200 100 0 seis anos Ciências Agrárias 143 95 0 177 109 4 187 110 15 215 116 4 269 158 0 328 178 0 366 195 0 Ciências Biológicas 99 21 0 100 26 0 116 26 0 125 30 0 125 46 0 125 57 0 163 73 0 Ciências da Saúde 137 53 18 153 74 45 168 87 46 214 105 26 277 157 26 283 198 0 324 216 54 Ciências Exatas e da Terra 102 12 0 101 28 0 135 48 0 166 60 0 213 88 0 232 120 0 222 139 0 Ciências Humanas 368 58 12 408 126 22 372 140 13 453 210 0 438 255 0 466 274 0 497 304 0 Ciências Sociais Aplicadas 17 0 0 59 0 16 96 0 32 101 0 36 133 0 39 138 0 31 148 0 57 Engenharias 137 0 0 125 0 0 144 0 0 134 0 0 137 0 0 165 0 0 167 0 0 Linguística, Letras e Artes 139 27 0 156 26 0 164 32 0 184 42 0 236 56 0 278 73 0 243 71 0 Multidisciplinar 128 36 0 199 35 0 245 29 0 267 27 0 292 38 0 295 45 20 337 44 69 Fonte: CAPES (2014)
  15. 15. Número de grupos de pesquisa, linhas de pesquisa, pesquisadores e estudantes 0 Ciências Sociais Aplicadas – apenas 5 programas, porém 52 grupos de pesquisa, 107 linhas de estudo e 726 integrantes 0 Média de oito pesquisadores envolvidos 0 Aumento de 50,67% no número de grupos entre 2006 e 2010 0 7,1%dos grupos de pesquisa estão em Goiás 0 Mesmo IES sem pós graduação possui grupos de pesquisa ativo 16 Fonte: CNPq (2010)
  16. 16. Produção por IES 17 74% da produção 14% IES particulares Fonte: CNPq (2010)
  17. 17. Publicações em periódicos por área do conhecimento Fonte: SCIE/ISI Web of Science (2014) 18
  18. 18. 0Inovação 19
  19. 19. Indicadores da Atividade Goiana em Inovação 0 Número de patentes 0 Valores captados pelo Estado de Goiás por meio dos editais da FINEP 20
  20. 20. Número de patentes 21 9º posição no país Fonte: INPI (2014)
  21. 21. Valores captados por meio de editais da FINEP 22 Fonte: FINEP e FAPEG (2014) Média anual: R$ 9.755.672,99 Construção e/ou reforma de laboratórios e centros de pesquisa, consolidação de programas de pós graduação, infraestrutura para desenvolvimento de pesquisas, e ainda, desenvolvimento de novos produtos por meio de micro e pequenas empresas. 2006 a 2012 – UFG e UEG 2013 – PUC-GO FAPEG entre 2009 e 2013 – R$ 38 milhões para desenvolvimento tecnológico e inovação de produtos e processos
  22. 22. Considerações 0 Potencialidades: Ciências Agrárias, Ciências Humanas e Multidisciplinar 0 Deficiências: Engenharias e Linguística Letras e Artes 0 Abertura de MINTER e DINTER 0 Fóruns para debate e levantamento de necessidades do meio empresarial 23
  23. 23. Contato: ricardolimongi@gmail.com

×