Fatos importantes-filhos-de-alcoolistas

416 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
416
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
175
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fatos importantes-filhos-de-alcoolistas

  1. 1. Associação Nacional para Filhos de Alcoolistas e Dependentes Químicoshttp://www.nacoa.com.brFILHOS DE PAIS DEPENDENTES DE ÁLCOOL E DROGAS:FATOS IMPORTANTESO alcoolismo e outras dependências têmcausas genéticas e ambientais. Ambas têmsérios efeitos para crianças que vivem emlares nas quais um ou ambos os pais estãoenvolvidos. Mais de 28 milhões de americanossão filhos de alcoolistas; aproximadamente 11milhões tem menos de 18 anos. Esse quadro éampliado pelo número incontável de outrosque são afetados por pais com problemas emrelação a outras drogas psicoativas.Não existem estatísticas oficiais no Brasil, mascom base nas informações do I Levantamentonacional sobre os padrões de consumo deálcool na população brasileira produzido pelaUNIAD, SENAD E UNIFESP podemosafirmar que existem milhões de criançasconvivendo com um adulto que abusa ou édependente de álcool (sem levar em conta osdependentes de outras drogas).1. O alcoolismo e a dependência de drogastem a tendência de ocorrer em famílias comhistórico de abuso e dependência. Filhos depais dependentes tem um risco aumentadopara desenvolverem o alcoolismo e abuso deoutras drogas em comparação a outrascrianças.Filhos de pais dependentes são o maiorgrupo de risco para se tornarem abusadores deálcool e drogas devido a fatores genéticos eambientais .1Filhos biológicos de pais dependentes deálcool que foram adotados continuam a ter umrisco aumentado (2 a 9 vezes) para odesenvolvimento do alcoolismo.2Estudos recentes sugerem um fortecomponente genético, particularmente para oinício precoce do alcoolismo no sexo masculino.Filhos de pai alcoolista têm quatro vezes maisrisco quando comparados com descendentesmasculinos de pai não alcoolista.3O uso de substâncias pelos pais e seusfilhos adolescentes são fortemente relacionados;Geralmente, se os pais usam drogas, cedo outarde seus filhos também o farão.4Adolescentesque usam drogas tem maior probabilidade deterem um ou ambos os pais que também usamdrogas.5A influência das atitudes dos pais sobre oconsumo de drogas de uma criança ou jovempode ser tão importante quanto o abuso por partedos pais.6Um adolescente ao perceber que umou ambos os pais são permissivos sobre o uso dedrogas tem uma tendência maior a usá-las.72. A interação da família é definida peloabuso de substância ou dependência nafamília.• Famílias afetadas pelo alcoolismo reportamum elevado nível de conflito quando
  2. 2. Associação Nacional para Filhos de Alcoolistas e Dependentes Químicoshttp://www.nacoa.com.brcomparadas com famílias que não tem oalcoolismo presente. O problema com a bebida éo fator primário de desestruração familiar. Oambiente no qual os filhos de alcoolistas vivemé muitas vezes caracterizado pela falta decuidados dos pais, má gestão da casa e falta decomunicação na família, assim, efetivamentedeixando dos filhos de pais alcoolistas sem ummodelo na área de habilidades maternas,paternas e efetividade da família. 8Os problemas familiares a seguir têm sidofrequentemente associados com famíliasafetadas pelo alcoolismo. Aumento dos conflitosfamiliares; violência física ou emocional;diminuição da coesão familiar; redução daorganização da família; aumento do isolamentoda família; aumento do stress familiar, incluindoproblemas com trabalho, doenças, conflitosconjugais , problemas financeiros e mudançasfrequentes de residência.9Pais que apresentam alguma dependênciafrequentemente tem uma falta de habilidade emprover a estrutura ou estabelecer a disciplina nafamília, mas ao mesmo tempo esperam que seusfilhos sejam competentes em uma grandevariedade de tarefas precocemente emcomparação com pais que não são abusadores dealguma substância. 10Filhos de pais alcoolistas são os alvos dasmais prejudiciais práticas de disciplina dos seuspais. 113. O relacionamento entre dependência dospais e abuso infantil tem sido documentadoem larga proporção nos casos de negligência eabuso infantil.Três em quatro (71,6%) dos profissionaisde serviço social infantil citam o uso desubstâncias como a causa principal para odramático aumento nos maus tratos infantisdesde 1986.12A maioria dos profissionais da área deassistência social (79.6%) citam que o abuso desubstâncias causa ou contribui ao menos com50% dos casos de maus tratos infantis; 39.7%dizem que é um fator presente em 75% doscasos.13Em uma amostra de pais que significamentemaltrataram seus filhos, o abuso do álcool éespecificamente associado com maus tratosfísicos, enquanto a cocaína demonstra umarelação particular com maus tratos sexuais.14Crianças expostas no período pré-natal adrogas ilícitas tem de 2 a 3 vezes mais chancesde serem abusadas ou negligenciadas.154. Filhos de pais dependentes de drogas temelevado risco para viverem fora de seu lar deorigem.• Três de quatro profissionais na área decuidados infantis (75,7%) afirmam que filhos depais dependentes tem mais tendência a entraremem abrigos infantis e 73% afirmam que filhosde alcoolistas permanecem por mais tempo emabrigos em comparação com outras crianças.16Em um estudo, 79% de adolescentes quefugiram de casa ou vivem nas ruas citaram o usode álcool em seus lares, 53% reportaram usoabusivo de álcool no lar e 54% reportaram usode drogas em seus lares.17A cada ano, aproximadamente 11.900crianças são abandonadas ao nascerem ou sãomantidas em hospital, sendo que 78% delasforam expostas ao uso de drogas. O custo diáriode cada um desses bebês é de US$460.185. Filhos de pais dependentes exibem maissintomas de depressão e ansiedade emcomparação com crianças de lares onde nãohá uma dependência.Filhos de pais dependentes exibem maissintomas de depressão e ansiedade em
  3. 3. Associação Nacional para Filhos de Alcoolistas e Dependentes Químicoshttp://www.nacoa.com.brcomparação com crianças de lares onde não háuma dependência.19Filhos de pais dependentes tem maiortendência a desenvolverem distúrbios deansiedade ou demostrarem sintomas deansiedade.20Filhos de pais dependentes tem maior riscoem taxas elevadas para o desenvolvimento dedisfunções psiquiátricas e psicológicas, assimcomo para o alcoolismo.216. Filhos de pais alcoolistas passam porproblemas físicos e mentais mais acentuados etem custos mais elevados para o sistema desaúde e bem estar em comparação com filhosde pais não dependentes.As taxas de internamento e permanênciahospitalar entre filhos de alcoolistas foram 24%e 29% maiores em comparação com filhos depais não alcoolistas. Abuso de substâncias eoutros distúrbios mentais são os problemas maiscomuns entre filhos de dependentes. 22É estimado que o abuso de substâncias edependências são a causa principal em cerca de70 a 90% de todos os custos na área de bemestar social infantil. Usando a mais conservadorataxa de 70 por cento, em 1998 o abuso desubstâncias e dependências responderamaproximadamente por US$ 10 bilhões nos gastosem nível municipal, estadual e federalsimplesmente para manter os programas de bemestar social para crianças.23Os custos econômicos associados asíndrome alcoólica fetal são estimados em US$1,9 bilhões em 1992.24Uma amostra de crianças hospitalizadasdevido a problemas psiquiátricos demonstrouque mais de 50% eram filhos de paisdependentes.257. Filhos de pais dependentes tem uma altataxa de problemas de comportamento.Um estudo comparativo entre filhos dealcoolistas (com idade entre 6 e 17 anos) e filhosde pacientes psiquiatricamente saudáveis chegouà conclusão de que filhos de alcoolistas têmtaxas elevadas de TDAH (Transtorno de déficitde atenção e hiperatividade) e TOD (Transtornoopositor desafiante) quando comparados com ogrupo de controle. 26Pesquisas na área de problemas decomportamento apresentados por filhos dealcoolistas revelaram algumas das seguintescaracterísticas. Falta de empatia com outraspessoas; adequação social e adaptaçãointerpessoais diminuídas; baixa autoestima eausência de controle em relação ao ambiente.27Pesquisas têm demonstrado que filhos depais dependentes demonstram característicascomportamentais e um estilo de temperamentoque predispõe a futuros problemas deadaptação.288. Filhos de pais dependentes têmdesempenho mais baixo em testes que medemo desempenho escolar e demonstram outrasdificuldades na escola.Filhos homens de pais dependentes temresultados piores em todas as áreas que medem odesempenho escolar usando o teste devocabulário por imagens Peabody (TVIP),incluindo informações gerais, reconhecimentoda leitura, compreensão da leitura, leitura total,matemática e ortografia.29Em geral, filhos de pais alcoolistas temdesempenho pior em avaliações escolares. Elestambém têm maiores taxas de abstenção escolare tem maior tendência a abandonar a escola,serem retidos ou encaminhados para o serviço depsicologia em comparação com filhos de paisnão alcoolistas.30Em um estudo, 41% dos pais dependentesinformaram que ao menos um de seus filhos
  4. 4. Associação Nacional para Filhos de Alcoolistas e Dependentes Químicoshttp://www.nacoa.com.brrepetiu uma série na escola, 19% “mataramaula” e 30% foram suspensos da escola.31Filhos de pais dependentes comparadoscom filhos de pais não dependentes encontraramuma desvantagem significativa em avaliações dematemática.329. O consumo de álcool e outras drogas pelamãe em qualquer fase da gestação podemcausar defeitos congênitos e déficitsneurológicos.Estudos tem demonstrado que a exposição acocaína durante o desenvolvimento fetal podelevar a tênue, mas significativos déficits nofuturo, especialmente com comportamentos quesão cruciais para o sucesso na sala de aula comobloquear distrações e concentrar-se por longosperíodos.33O desempenho cognitivo é menos afetadopela exposição ao álcool em bebês e criançascujas mães pararam de beber no início dagestação, mesmo quando as mães retornaram autilizar o álcool após darem a luz.34Os efeitos do álcool durante o período pré-natal em níveis moderados de consumo foramdetectados em mulheres não alcoolistas. Mesmoque a mãe não abuse do álcool comregularidade, sua criança pode não ser poupadados efeitos da exposição ao álcool no períodopré-natal. 3510. Filhos de pais dependentes podem sebeneficiar dos esforços de adultos para ajudá-los e dar suporte.Crianças que lidaram de forma bemsucedida com o trauma de crescer em famíliasafetadas pelo alcoolismo geralmente contavamcom o apoio de um pai ou mãe não alcoolista,padrasto ou madrasta, avós, professores entreoutros.36Filhos de pais dependentes que podemcontar com adultos disponíveis têm aumentadasua autonomia e independência, melhoreshabilidades sociais, melhores habilidades emlidar com experiências emocionais difíceis emelhores estratégias para lidar com problemasdo dia a dia.37Programas de atendimento em gruporeduzem o sentimento de isolamento, vergonha eculpa entre filhos de alcoolistas ao se utilizaremda importância do grupo entre os adolescentesalém do oferecimento de suporte mútuo entreseus membros.38Competências como a habilidade deestabelecer e manter relacionamentos íntimos,expressar emoções e resolver problemas podemser melhoradas ao trabalhar a autoestima e aauto eficácia de filhos de alcoolistas.391Kumpfer, K.L. (1999). Outcome measures of interventions in thestudy of children of substance-abusing parents. Pediatrics.Supplement. 103 (5):2Schuckit, M.A., Goodwin, D.A., & Winokur, G. (1972). A studyof alcoholism in half siblings. American Journal of Psychiatry,128: 1132-3Goodwin, D.W. (1985). Alcoholism and genetics. Archives ofGeneral4Fawzy, F.I., Coombs, R.H., & Gerber, B. (1983). Generationalcontinuity in the use of substances: the impact of parentalsubstance use on adolescent substance use. Addictive Behaviors, 8,109-114.5Skiffington, E.W. & Brown, P.M. (1981). Personal, home, andschool factors related to eleventh graders’ drug attitudes.International Journal ofthe Addictions, 16(5), 879-892.6Barnes, G.M., & Windle, M. (1987). Family factors in adolescentalcohol and drug abuse. Pediatrician, 14, 13-18.7McDermott, D. (1984).The relationship of parental drug use andparents’ attitude concerning adolescent drug use to adolescent druguse. Adolescence,XIX(73), 89-97.8Moos, R.H. & Billings, A.G. (1982). Children of alcoholicsduring the recovery process: alcoholic and matched controlfamilies. Addictive Behaviors, 7:155-163.9el Guebaly, N. & Offord, D.R. (1997). The offspring ofalcoholics: a critical review. American Journal of Psychiatry.134:4,357-365.10Kumpfer, K.L. & DeMarsh, J. (1986). Family environmentaland genetic influences on children’s future chemical dependency.In Ezekoye, S.,Kumpfer, K., & Bukoski, W., eds. Childhood andChemical Abuse, Prevention and Intervention. New York, NY:Haworth Press.11Tarter, R.E., Blackson, T.C., Martin, C.S., Loeber, R., & Moss,H.B.(1993). Characteristics and correlates of child disciplinepractices in substance abuse and normal families. The AmericanJournal on Addictions,2(1), 18-25.
  5. 5. Associação Nacional para Filhos de Alcoolistas e Dependentes Químicoshttp://www.nacoa.com.br12Reid, J., Macchetto, P., & Foster, S. (1999). No Safe Haven:Children of Substance-Abusing Parents. Center on Addiction andSubstance Abuse at Columbia University.13 Ibid. page 2.13Ibid. page 2.14Famularo, R., Kinscherff, R., & Fenton, T. (1992). Parentalsubstanceabuse and the nature of child maltreatment. Child Abuseand Neglect, vol. 16.15Leventhal, J.M., Garber, R.B., & Brady, C.A. (1989).Identification during the postpartum period of infants who are athigh risk of child maltreatment. The Journal of Pediatrics, 114(3),481-487.16Reid, J., Macchetto, P., & Foster, S. (1999). No Safe Haven:Children of Substance-Abusing Parents. Center on Addiction andSubstance Abuse at Columbia University.17Booth, R.E., & Zhang, Y. (1996). Severe aggression and relatedconduct problems among runaway and homeless adolescents.Psychiatric Services, 47 (1) 75-80.18U.S. Department of Health and Human Services. Nationalestimates on the number of boarder babies, the cost of their care,and the number of abandoned infants. Found online athttp://waisgate.hhs.gov/cgi-bin/ waisgate: U.S. Department ofHealth and Human Services.19Fitzgerald, H.E., Sullivan, L.A., Ham, H.P., Zucker, R.A.,Bruckel, S., Schneider, A.M., & Noll, R.B. (1993). Predictors ofbehavior problems inthree-year-old sons of alcoholics: earlyevidence for the onset of risk.Child Development, 64, 110-123.20Earls, F., Reich, W., Jung, K.G., & Cloninger, C.R.(1988).Psychopathology in children of alcoholic and antisocialparents.Alcoholism: Clinical and Experimental Research, 12:481-487.21West, M.O. & Printz, R.J. (1987). Parental alcoholism andchildhood psychopathology. Psychological Bulletin,102,204-218.22Children of Alcoholics in the Medical System: HiddenProblems, HiddenCosts. New York, NY: Children of AlcoholicsFoundation, 1990.23Reid, J., Macchetto, P., & Foster, S. (1999). No Safe Haven:Children ofSubstance-Abusing Parents. Center on Addiction andSubstance Abuse at Columbia University.24The National Clearinghouse for Alcohol and DrugInformation.Substance Abuse and Mental Health ServicesAdministration. Available online at:http://www.health.org/govstudy/BKD265/Chapter4b.htm#4.4.25Rivinus, T.M., Levoy, D., Matzko, M., & Seifer, R. (1992).Hospitalized children of substance-abusing parents and sexuallyabused children: a comparison. Journal of the American Academyof Child and Adolescent Psychiatry, 31 (6), 1019-1923.26Earls, F., Reich, W., Jung, K.G., & Cloninger, C.R. (1998).Psychopathology in children of alcoholic and antisocial parents.Alcoholism: Clinical and Experimental Research, 12:481-487.27Jones, M.C. (1968). Personality correlates and antecedents ofdrinking patterns in adult males. Journal of Consulting and ClinicalPsychology,33:2-12.28Tarter, R.E., Blackson, T.C., Martin, C.S., Loeber, R., & Moss,H.B. (1993). Characteristics and correlates of child disciplinepractices in substance abuse and normal families. The AmericanJournal on Addictions.2 (1), 18-25.29Moss, H.B., Vanyukov, M., Majumder, P.P., Kirisci, L., &Tarter, R.E.(1995). Pre-pubertal sons of substance abusers:influences of parental and familial substance abuse on behavioraldisposition, IQ, and school achievement. Addictive Behaviors, 20(3), 345-358.30Sher, K.J. (1997). Psychological characteristics of children ofalcoholics.Alcohol Health and Research World, Vol. 21. No. 331Kolar, A.F., Brown, B.S., Haertzen, C.A., & Michaelson, B.S.(1994). Children of substance abusers: the life experiences ofchildren of opiate addicts in methadone maintenance. AmericanJournal of Drug and Alcohol Abuse. 20:2; 159-171.32Johnson, J., Boney, T., & Brown, B. (1990). Evidence ofdepressive symptoms in children of substance abusers.International Journal of the Addictions, 25 (4-A), 465-479.33National Institute on Drug Abuse, National Institutes of Health.25Years of Discovery to Advance the Health of the Public.October 18, 1999.Page 42.34Gabrielli, W.F., & Mednic, S.A. (1983). Intellectualperformance in children of alcoholics. Journal of Nervous andMental Disease, 171:444-447.35Larkby, C., & Day, N. (1997). The effects of prenatal alcoholexposure.Alcohol Health and Research World, vol. 21, no. 3:192-197.36Werner, E.E., & Johnson, J.L. (2000). The role of caring adultsin the lives of children of alcoholics. Children of Alcoholics:Selected Readings,Vol.2.37Werner, E.E. (1986). Resilient offspring of alcoholics: alongitudinal study from birth to age 18. Journal of Studies onAlcohol, vol. 47, no. 1,34-40.38Dies, R.R. & Burghardt, K. (1991). Group interventions forchildren of alcoholics: prevention and treatment in the schools.Journal of AdolescentGroup Therapy 1(3):219-234.39Nastasi, B.K. & DeZolt, D.M. (1994). School Interventions forChildren of Alcoholics. New York: Guilford Press.

×