Governança corporativa prof_leandro_faccini_27_nov2013

580 visualizações

Publicada em

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
580
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Governança corporativa prof_leandro_faccini_27_nov2013

  1. 1. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais TEORIA DE FINANÇAS Prof. Dr. Rubens Famá Política de dividendos Leandro Faccini ESTRUTURA CONCEITUAL DE GOVERNANÇA CORPORATIVA: TEORIA E USO COMO FERRAMENTA DE GESTÃO TEORIA DE FINANÇAS Prof. Dr. Rubens Famá Mestrando: Leandro Esperanca Faccini São Paulo, 27 de Novembro de 2013.
  2. 2. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais SUMÁRIO 1. Objetivo e Metodologia; 2. Linha do tempo; 3. Fundamentação teórica; 4. O ambiente regulatório; 5. Teoria de agência e governança corporativa; 6. Lei Anticorrupção; 7. Coleta e análise de dados; 8. Análise dos resultados; 9. Conclusão; 10. Referências bibliográficas.
  3. 3. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais 1. Objetivo e Metodologia Objetivo: O objetivo dessa pesquisa é fazer um diagnóstico, tirar um raio x dos procedimentos e métodos relacionados com boas práticas de governança corporativa adotados pelas empresas listadas na Bolsa de Valores de São Paulo que obtiveram as maiores valorizações em valor de ações nos últimos dez anos. Metodologia: A pesquisa evidencia características de cunho descritivo, com abordagem quantitativa para os dados coletados nas séries históricas com os valores das ações avaliadas no período (31/10/2003 até 31/10/2013).
  4. 4. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais 2. Linha do tempo Ao avaliar a linha do tempo com os acontecimentos que levaram o mercado a desenvolver práticas de governança corporativa, pode-se verificar que sempre após as principais crises econômicas houve uma resposta dos órgãos reguladores, com emissão de novas normas e regulamentações. Isso é notório após os escândalos do início dos anos 2000, quando senadores Republicanos e Democratas se reuniram para o desenvolvimento e aprovação da Lei Sarbanes-Oxley em 2002.
  5. 5. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais 3. Fundamentação teórica Segundo BRIGHAM e EHRHARDT (2012), a governança corporativa é o conjunto de leis, regras e procedimentos que regem as operações de uma empresa e as decisões tomadas por seis administradores. Os autores explicam que a maioria das disposições de governança corporativa assume duas formas: i) punições; e ii) incentivos.
  6. 6. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais 3. Fundamentação teórica A punição vem geralmente em forma de demissão em decorrência dos administradores não terem maximizado o valor dos recursos confiados a eles. Por outro lado, em forma de reconhecimento dos esforços dos administradores, as empresas pagam além do salário, participação nos lucros e resultados alcançados é o que os autores chamam de “incentivos”.
  7. 7. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais 4. Ambiente regulatório No Brasil o ambiente regulatório aplicável a governança corporativa é desenvolvido, principalmente pela CVM, que procura adaptar os melhores conceitos internacionais sobre o tema às características próprias da realidade brasileira, basicamente a predominância de companhias com controle definido.
  8. 8. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais 4. Ambiente regulatório A BM&Fbovespa é a responsável em fiscalizar se as empresas listadas cumprem as diretrizes legais e para isso, criou cinco segmentos de listagem, com diferentes exigências relacionadas o nível de governança corporativa, são eles: • Novo mercado; • Nível 2; • Nível 1; • Bovespa mais; e • Tradicional.
  9. 9. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais 5. Teoria de agência e governança corporativa O problema de agência ocorre, principalmente, quando os gestores tomam decisões com o intuito de maximizar sua utilidade pessoal e não a riqueza de todos os acionistas, motivo pelo qual foram contratados. A importância da governança corporativa no ambiente empresarial se dá, principalmente, pela complexidade dos negócios e a sofisticação dos instrumentos financeiros, que contribuem para camuflar operações antiéticas que visam a maximização do lucro a qualquer custo, resultando, na maioria das vezes fraudes que ocasionam crises financeiras.
  10. 10. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais 6. Lei Anticorrupção Vista como uma aliada às boas práticas de governança corporativa, a Lei 12.846 de 1º de agosto de 2013, conhecida como Lei Anticorrupção, tem como alvo a corrupção no ambiente empresarial e corrobora com o crescente movimento pela criação e aplicação de mecanismos de controle e transparência com objetivo de inibir ações que ameaçam a integridade financeira empresarial, política e social. Ela muda a lógica da punição restrita ao alvo da corrupção: “o corrupto”. A partir dessa legislação, também é punido o responsável por corromper: “o corruptor”.
  11. 11. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais 7. Coleta e análise de dados O estudo avaliou 206 ações de 185 empresas listadas nos três segmentos de governança corporativa da BM&Fbovespa (Novo Mercado, Nível 2 e Nível 1). Foram selecionadas as 30 empresas que tiveram maior valorização no preço da ação nos últimos 10 anos. Os valores das ações foram ajustados pelos dividendos recebidos ao longo do período, ou seja, o retorno apresentado é o real desconsiderando o que já recebidos pelos acionistas.
  12. 12. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais 7. Coleta e análise de dados Novo Mercado Empresa Cógido Classe 31/10/2003 31/10/2013 Retorno Raia Drogasil S.A. RADL3 ON 0,25 16,38 6452% Iochpe Maxion S.A. MYPK3 ON 0,50 27,39 5378% CCR S.A. CCRO3 ON 0,45 18,63 4040% Cia Hering HGTX3 ON 1,00 32,55 3155% Lojas Renner S.A. LREN3 ON 2,28 67,5 2864% BRF S.A. BRFS3 ON 2,15 52,6 2352% Portobello S.A. PTBL3 ON 0,23 4,97 2061% Ultrapar Participações S.A. UGPA3 ON 5,35 59,7 1016% Tractebel Energia S.A. TBLE3 ON 3,65 38,1 944% Localiza Rent a Car S.A. RENT3 ON 3,65 36,5 900%
  13. 13. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais 7. Coleta e análise de dados Nível 2 Empresa Cógido Classe 31/10/2003 31/10/2013 Retorno Marcopolo S.A. POMO3 ON 0,48 5,60 1059% Marcopolo S.A. POMO4 PN 0,53 5,78 989% Saraiva S.A. SLED4 PN 8,18 28,59 249% Forjas Taurus S.A. FJTA3 ON 0,90 2,94 227% Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A. TAEE11 UNIT 7,00 21,75 211% Contax Participações S.A. CTAX4 PN 1,36 3,54 160% Forjas Taurus S.A. FJTA4 PN 0,88 2,16 144% Multiplan - Empreendimentos Imobiliários S.A. MULT3 ON 25,00 52,59 110% Contax Participações S.A. CTAX3 ON 1,72 3,61 110% Sul America S.A. SULA11 UNIT 8,53 16,40 92% Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. CTAX3 ON 10,80 17,80 65% Abril Educação S.A. ABRE11 UNIT 20,00 31,90 60%
  14. 14. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais 7. Coleta e análise de dados Nível 1 Empresa Cógido Classe 31/10/2003 31/10/2013 Retorno Alpargatas S.A. ALPA4 PN 0,46 15,50 3262% Randon S.A. Implementos e Participações RAPT4 PN 0,81 12,70 1474% Randon S.A. Implementos e Participações RAPT3 ON 0,83 9,37 1025% klabin S.A. KLBN4 PN 1,06 11,90 1023% Eucatex S.A. Indústria e Comércio EUCA4 PN 0,70 6,74 863% Banco Bradesco S.A. BBDC3 ON 3,96 35,91 806% Itaú S.A. ITSA4 PN 1,13 9,65 757% Metalurgica Gerdau S.A. GOAU4 PN 2,75 22,90 733% Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais S.A. USIM3 ON 1,41 11,43 710% Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais S.A. USIM5 PNA 1,53 11,88 677% Banco Bradesco S.A. BBDC4 PN 4,28 32,28 654% Bradespar S.A. BRAP4 PN 3,63 26,66 635%
  15. 15. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais 8. Análise dos resultados Enquanto o principal índice da BM&FBovespa avançou 230% no período do estudo, a média das ações do segmento Novo Mercado avançou 2.916%, do Nível 2 290% e do Nível 1 1.052%. Isso significa que, se um investidor tivesse aplicado R$ 1 mil em cada empresa no dia 31/10/2003, totalizando R$ 30 mil e esperado até 31/10/2013 para vender as ações, resgataria nessa data R$ 451.055. Se tivesse aplicado os mesmos R$ 1 mil no Ibovespa teria obtido de ganhos brutos de R$ 38.874 e no CDI R$ 35.673.
  16. 16. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais 9. Conclusão A pesquisa procurou demonstrar os resultados obtidos por empresas que possuem boas práticas de governança corporativa e, que após anos de operação, mantém a credibilidade junto a seus clientes e investidores. Não se pode afirmar com os dados levantados nessa pesquisa que a valorização das ações estudadas teve total relacionamento com as boas práticas de governança corporativa adotadas por seus administradores, porém não se alcançaria resultados expressivos como os resultados apresentados por essas empresas se não fossem íntegras em seus negócios.
  17. 17. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais 10. Referências bibliográficas BRIGHAM, Eugene F.; EHRHARDT, Michel C. Administração Financeira – Teoria e Prática. São Paulo: Cengage Learning: 2012 BREALEY, Richard A.; MYERS, Stewart C.; ALLEN, Franklin. Princípios de Finanças Corporativas. Tradução: Celso Roberto Paschoa; Revisão: João Carlos Douat. Porto Alegre: AMGH: 2013 http://www.cvm.gov.br http://www.bmfbovespa.com.br
  18. 18. Tema: Governança Corporativa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Contábeis e Atuariais Obrigado. Leandro Esperança Faccini leandrofaccini@cetip.com.br

×