SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 807
Baixar para ler offline
eXpert
e
en
nf
fe
er
rm
ma
ag
ge
em
m
Perguntas e respostas
comentadas que abrangem mais de
20 matérias para exames e concursos
Organizadora:
Rosangela Aparecida Sala Jeronimo
2a
edição
Atualizada e revista
• Cardiologia • Centro Cirúrgico­• Emergência
• Ética • Gastroenterologia • Ginecologia e Obstetrícia
• Oncologia • Ortopedia • Pediatria • Prevenção e Controle
de Infecção Hospitalar • Sistema Endócrino • Sistema Renal
• Sistema Respiratório • Psiquiatria • Saúde Pública
• Sistema Nervoso • Técnicas Básicas
• UTI • Administração • Língua Portuguesa
• Vacinação • Legislação
00_Iniciais.indd 1 6/5/09 6:40:31 PM
ii
Presidente e Editor Italo Amadio
Diretora Editorial Katia F. Amadio
Projeto Gráfico HDesign Conceito
Diagramação Ricardo Mittelstaedt
Revisão Carla Montagner
		 Flávia Brandão
		 Gisela Carnicelli
		 Patrizia Zagni
Produção Gráfica Hélio Ramos
Impressão Leograf Gráfica e Editora Ltda.
E x p e d i e n t e
Expert enfermagem / organizadora Rosangela Aparecida Sala
Jeronimo. – 2. ed. – São Paulo : Rideel, 2009.
1. Enfermagem - Estudo e ensino 2. Enfermagem –
Problemas, exercícios etc. I. Jeronimo, Rosangela
Aparecida Sala.
09-05703 CDD-610.7307
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)
Índice para catálogo sistemático:
1. Enfermagem : Estudo e ensino 610.7307
ISBN 978-85-339-1282-3
© Copyright – todos os direitos reservados à:
Av. Casa Verde, 455 – Casa Verde
CEP 02519-000 – São Paulo – SP
www.rideel.com.br – e-mail: sac@rideel.com.br
Proibida qualquer reprodução, seja mecânica ou eletrônica, total ou parcial,
sem a permissão expressa do editor.
1 3 5 7 9 8 6 4 2
0 6 0 9
00_Iniciais.indd 2 6/5/09 6:40:31 PM
iii
P r e f á c i o
Com o propósito de promover conhecimentos e dar bases instrumentais a
profissionais e a estudantes que desejam atuar na área de enfermagem, tem origem
este livro,cujo conteúdo é fruto de anos de experiência de sua organizadora, profissio-
nal aficionada na qualidade e melhoria dos resultados assistenciais.
Produto de observações, investigações, estudos, pesquisas e vivência profis-
sional voltados às áreas de Cardiologia, Centro Cirúrgico, Emergências e demais
especialidades, o livro destina-se a elevar substancialmente os conhecimentos dos lei-
tores, capacitá-los para equacionar e solucionar questões pertinentes à Enfermagem
e assim alcançar o sucesso profissional.
Além das questões técnicas abordadas,seu conteúdo é também enriquecido pela
temática da questão ética, imprescindível para nortear as ações e conduta profissional.
Antesdeencerrar,nãopossodeixardeexpressarminhaadmiraçãopelos profissio-
nais da enfermagem, empenhados em transmitir e compartilhar os seus conhecimentos,
e especialmente pela organizadora, por sua dedicação e contínuo interesse em elevar o
nome de nossa profissão.
Aos leitores, aqui segue o meu convite: não apenas leiam este livro, mas, so-
bretudo, o estudem com muita atenção e carinho.
Fumico Sonoda
Gerente Assistencial de Enfermagem – HCor.
00_Iniciais.indd 3 6/5/09 6:40:35 PM
iv
Coordenadora do Projeto
Rosangela Aparecida Sala Jeronimo
Enfermeira graduada pela Escola Paulista de Medicina, pós-graduada em Administração Hospitalar pelo Instituto
Brasileiro de Desenvolvimento em Pesquisa Hospitalar e Gestão de Qualidade pelas Faculdades Oswaldo Cruz.
Coordenadora do Serviço de Qualidade do Hospital do Coração e do curso de Enfermagem na Escola da Saúde.
Áreas: Língua Portuguesa e Centro Cirúrgico.
Adriana Machado Covino
Mestre em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. Especialista em Saúde Pública
pela Universidade de Ribeirão Preto e docente do curso de Enfermagem da Universidade Ibirapuera.
Área: Psiquiatria.
Elisabete Cordoba
Graduada pelo Centro Universitário de Santo André. Enfermeira especialista em Enfermagem Pediátrica e Neo-
natal pela UNINOVE (cursando). Licenciada em Ciências Biológicas pela UNINOVE.
Áreas: Pediatria e Saúde Pública.
Janeth Aparecida de Andrade
Graduada em Enfermagem pela Universidade Cidade de São Paulo, especialista em Geriatria e Gerontologia pela
Universidade Federal de São Paulo.
Áreas: Nefrologia, Endocrinologia, Ginecologia, Pneumologia, Neurologia e Oncologia.
Jane Grace Andrade de Faria
Formada pela Universidade Cidade de São Paulo. Especialista em Pediatria pela Universidade de Guarulhos.
Coordenadora do cursoTécnico de Enfermagem pelo Senac - Itaquera.
Áreas: Introdução de Enfermagem e Farmacologia.
Aline Laurenti Cheregatti
Enfermeira graduada pela PUC-CAMP, pós-graduada em Terapia Intensiva e Home Care pela USP e em Admi-
nistração Hospitalar pelo Centro Universitário São Camilo. Enfermeira da Educação Continuada do Hospital do
Coração e docente da Escola da Saúde.
Área: Legislação, Unidade deTerapia Intensiva e Cardiologia.
Cláudia Gonçalves
Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem da USP, pós-graduada, Residência em Cardiologia pelo INCOR-
HCFMUSP, Cuidados Intensivos pela Escola de Enfermagem da USP, Dermatologia em Enfermagem pela Univer-
sidade Federal de São Paulo, Docente da Escola da Saúde e mestranda pela Universidade Federal de São Paulo.
Áreas: Pronto-Socorro e Ortopedia.
Adriana Maria da Silva
Graduada pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (USP). Especialista em Controle de Infecção pela Uni-
versidade Federal de São Paulo. Especialista em Epidemiologia pela Fundação GetúlioVargas. Mestranda em En-
fermagem Fundamental pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto.
Área: Infecção Hospitalar.
A u t o r e s
00_Iniciais.indd 4 6/5/09 6:40:36 PM
v
R e v i s o r e s T é c n i c o s
Sue Kariya Chiu
Graduada em Enfermagem e Especialista em Enfermagem Pediátrica pela Escola Paulista de Medicina/Unifesp.
Aprimoramento em PediatriaAmbulatorial pela Fac. de Medicina da Universidade de São Paulo.
Yelma Jacob
Bacharel em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da USP. Especialista em Oncologia pela Fundação Antonio
Prudente – Hospital do Câncer; Pediatria, pelo Instituto de Pesquisa do Hosp.Albert Einstein; e Cuidados Inten-
sivos e Emergência à Criança e aoAdolescente, pelo Instituto da Criança da USP.
00_Iniciais.indd 5 6/5/09 6:40:36 PM
S u m á r i o
Siglas e abreviaturas.
.........................................................................................................VII
Cardiologia Clínica / Cirúrgica.
.............................................................................................1
Gabarito.........................................................................................................................29
Centro Cirúrgico.................................................................................................................31
Gabarito.........................................................................................................................45
Emergência........................................................................................................................47
Gabarito.......................................................................................................................121
Ética.................................................................................................................................123
Gabarito.......................................................................................................................143
Gastroenterologia.............................................................................................................145
Gabarito.......................................................................................................................155
Ginecologia e Obstetrícia.................................................................................................157
Gabarito.......................................................................................................................187
Oncologia.........................................................................................................................189
Gabarito.......................................................................................................................201
Ortopedia.
.........................................................................................................................203
Gabarito.......................................................................................................................223
Pediatria...........................................................................................................................225
Gabarito.......................................................................................................................273
Prevenção e Controle de Infecção Hospitalar.
.................................................................275
Gabarito.......................................................................................................................295
Psiquiatria.
........................................................................................................................297
Gabarito.......................................................................................................................313
Saúde Pública..................................................................................................................315
Gabarito.......................................................................................................................365
Sistema Endócrino...........................................................................................................367
Gabarito.......................................................................................................................389
Sistema Nervoso..............................................................................................................391
Gabarito....................................................................................................................... 411
Sistema Renal..................................................................................................................413
Gabarito.......................................................................................................................439
Sistema Respiratório........................................................................................................441
Gabarito.......................................................................................................................461
Técnicas Básicas.............................................................................................................463
Gabarito.......................................................................................................................573
UTI.
...................................................................................................................................575
Gabarito.......................................................................................................................629
Administração.
..................................................................................................................631
Gabarito.......................................................................................................................683
Língua Portuguesa...........................................................................................................685
Gabarito.......................................................................................................................707
Legislação........................................................................................................................709
Vacinação.........................................................................................................................783
00_Iniciais.indd 6 6/5/09 6:40:36 PM
vii
Siglas e abreviaturas
ABEn –Associação Brasileira de Enfermagem.
ACTP –Angioplastia coronária transluminal percutânea.
AIDS – Síndrome da imunodeficiência adquirida (sigla em inglês).
APH –Atendimento pré-hospitalar.
ATLS – Suporte avançado de vida no trauma.
AV –Acidente vascular.
AVC – Acidente vascular cerebral.
AVE –Acidente vascular encefálico.
AVF – Derivação do eletrocardiograma localizada no pé.
AVL – Derivação do eletrocardiograma localizada no lado esquerdo.
AVR – Derivação do eletrocardiograma localizada no lado direito.
AZT – Azidotimidina.
BAV – Bloqueio atrioventricular.
Bat/min – Batimentos por minuto.
BCG –Vacinação contra a tuberculose.
BIA – Balão intra-aórtico.
BZD – Benzodiazepínicos.
Bpm – Batimentos por minuto.
Ca+
– Íon de cálcio.
CAP – Cateter de artéria pulmonar.
CAPS – Centro de apoio psicossocial.
CCIH – Comissão de controle de infecção hospitalar.
CIA – Comunicação intra-atrial.
CIPA – Comissão interna de prevenção de acidentes.
CIV – Comunicação intraventricular.
CK – Creatinoquinase ou creatinocinase.
CK-MB – Enzima creatinofosfoquinase.
CPK – Creatinofosfoquinase.
CPF – Cadastro de pessoa física.
CO2
– Dióxido de carbono.
COFEN – Conselho Federal de Enfermagem.
COREN – Conselho Regional de Enfermagem.
COT – Cânula orotraqueal.
CVE – Centro de vigilância epidemiológica.
DC – Débito cardíaco.
DDH – Decúbito dorsal horizontal.
DIU – Dispositivo intrauterino.
00_Iniciais.indd 7 6/5/09 6:40:36 PM
viii
DL – Decúbito lateral.
DMH – Doença da membrana hialina.
DNA –Ácido desoxirribonucleico.
DPOC – Doença pulmonar obstrutiva crônica.
DST – Doença sexualmente transmissível.
dT –Vacina contra difteria e tétano.
DTP –Vacina tríplice (difteria + tétano + coqueluche).
DV – Decúbito ventral.
E.coli – Escherichia coli.
EAP – Edema agudo do pulmão.
ECG – Eletrocardiograma.
ECT – Eletroconvulsoterapia.
EEG – Eletroencefalograma.
EMG – Eletromiografia.
EP – Equipamento de proteção.
EPC – Equipamento de proteção coletiva.
EPI – Equipamento de proteção individual.
EV – Endovenosa.
ETO – Óxido de etileno.
FA – Fibrilação atrial.
FA –Vacina contra febre amarela.
FC – Frequência cardíaca.
FiO2
– Fração inspiratória de oxigênio.
FR – Frequência respiratória.
FV – Fibrilação ventricular.
GABA –Ácido alfa-aminobutírico.
GIG – Grande para idade gestacional.
HAS – Hipertensão arterial sistêmica.
HDA – Hemorragia digestiva alta.
HDB – Hemorragia digestiva baixa.
Hep B –Vacina contra hepatite B.
HIV –Vírus daAIDS.
Hib –Vacina contra infecções causadas por Haemophilus influenzae do tipo B, entre
elas a meningite.
HPV –Vírus da herpes.
H2
O –Água.
IAM – Infarto agudo do miocárdio.
ICC – Insuficiência cardíaca congestiva.
ID – Intradérmica.
IgA – ImunoglobulinaA.
00_Iniciais.indd 8 6/5/09 6:40:37 PM
ix
IgE – Imunoglobulina E.
IgM – Imunoglobulina M.
IM – Intramuscular.
IRA – Insuficiência renal aguda.
IRC – Insuficiência renal crônica.
ITU – Infecção do trato urinário.
K+
– Íon potássio.
kcal – Unidade de medida quilocaloria.
KCl – Cloreto de potássio.
kg – Quilograma.
KMnO4
– Permanganato de potássio.
LDH/DHL – Desidrogenase lática.
LEC – Líquido extracelular.
MEC – Ministério da Educação e Cultura.
Mg/dl – Miligrama por decilitro.
Mg/ml – Miligrama por mililitro.
mmHg – Milímetros de mercúrio.
Ml – Mililitro.
MMII – Membros inferiores.
MMSS – Membros superiores.
MSD – Membro superior direito.
MSE – Membro superior esquerdo.
Na+
– Íon sódio.
NaCl – Cloreto de sódio.
NAPS – Núcleo de atenção psicossocial.
NAV – Nódulo atrioventricular.
NPP – Nutrição parenteral periférica.
NPT – Nutrição parenteral total.
O2
– Oxigênio.
PA – Pressão arterial.
PAD – Pressão arterial diastólica.
PAM – Pressão arterial média.
PAS – Pressão arterial sistólica.
PCR – Parada cardiorrespiratória.
PEEP – Pressão expiratória positiva final (sigla em inglês).
PHTLS –Atendimento pré-hospitalar ao paciente com trauma (sigla em inglês).
PIC – Pressão intracraniana.
PICC – Cateter venoso central de inserção periférica (sigla em inglês).
PIG – Pequeno para idade gestacional.
PIS – Número de identificação social.
00_Iniciais.indd 9 6/5/09 6:40:37 PM
x
PPA – Pressão de perfusão abdominal.
PPC – Pressão de perfusão cerebral.
PPD –Teste intradérmico para tuberculose.
PVC – Pressão venosa central.
RCP – Ressuscitação cardiopulmonar.
RFM – Reação à luminosidade.
Rh – Fator Rhesus.
RN – Recém-nascido.
RG – Registro geral.
SC – Subcutânea.
SCR –Vacina contra sarampo, caxumba e rubéola.
SCQ – Superfície corpórea queimada.
SDR – Síndrome do desconforto respiratório.
SG 5%– Solução com glicose na concentração de 5%.
SGOT –Transaminase glutâmica oxalacética sérica.
SF 0,9% – Solução fisiológica na concentração de 0,9%.
SNA – Sistema nervoso autônomo.
SNC – Sistema nervoso central.
SNE – Sonda nasoenteral.
SNG – Sonda nasogástrica.
SR –Vacina contra sarampo e rubéola.
SRO – Solução de reidratação oral.
SRT – Serviço residencial terapêutico.
SSVV – Sinais vitais.
SUS – Sistema Único de Saúde.
TCE –Trauma cranioencefálico.
TFG –Taxa de filtração glomerular.
TMO –Transplante de medula óssea.
TSH – Hormônio estimulante da tireoide.
TV –Taquicardia ventricular.
UBS – Unidade Básica de Saúde.
UTI – Unidade deTerapia Intensiva.
VCT –Valor calórico total.
VD –Ventrículo direito.
VDRL – Exame laboratorial para detectar sífilis (sigla em inglês).
VO –Via oral.
VOP –Vacina contra pólio (paralisia infantil).
00_Iniciais.indd 10 6/5/09 6:40:37 PM
1
1. Aumentar o débito cardíaco e reduzir o consumo miocárdio de oxigênio é fina-
lidade do:
a) cateter de Swan-Ganz.
b) balão intra-aórtico.
c) cateter de PIC.
d) nenhuma das anteriores.
Comentário
O cateter de PIC, também conhecido como cateter de CCIP, tem por finalidade permitir o
acesso de veia central com a inserção sendo feita por uma veia periférica. O procedimento
é realizado por enfermeiros que possuem treinamento específico. Esse cateter é consi-
derado de longa permanência e diminui a quantidade de acessos venosos periféricos em
tratamentos longos com drogas injetáveis.
2. As bulhas cardíacas B3, também chamadas de galope ventricular, ocorrem quando:
a) os átrios se contraem.
b) os ventrículos se contraem.
c) a valva aórtica se fecha antes da mitral.
d)	
as valvas mitral e tricúspide se abrem e o sangue dos átrios entra abruptamente nos
ventrículos.
Comentário
As bulhas cardíacas são os sons decorrentes das vibrações das estruturas cardíacas du-
rante seu ciclo. A bulha B3 resulta da vibração da parede ventricular; sua audição é consi-
derada normal em atletas, crianças e adolescentes.
3. As bulhas cardíacas B4, também chamadas de galope atrial, ocorrem quando:
a) os átrios se contraem.
b) os ventrículos se contraem.
c) a valva aórtica se fecha antes da mitral.
d) as valvas mitral e tricúspide se abrem e o sangue dos átrios entra abruptamente.
4. Analise as sentenças a seguir:
I. Sopros não são bulhas cardíacas, mas estão relacionados com condições patológicas.
II. O sopro é fisiológico.
III. O sopro advém do desdobramento das bulhas.
a) somente a II é verdadeira.
b) somente a III é falsa.
c) somente a I é verdadeira.
Cardiologia
Clínica / Cirúrgica
01_Cardiologia.indd 1 6/5/09 6:51:43 PM
2
d) I e III são verdadeiras.
5. Os sopros sistólicos são auscultados:
a) em B1.
b) em B2.
c) entre B2 e B1.
d) entre B1 e B2.
6. Os sopros diastólicos são auscultados:
a) em B1.
b) em B2.
c) entre B2 e B1.
d) entre B1 e B2.
7. Analise as sentenças a seguir:
I. O som do sopro sistólico é gerado quando o ventrículo se enche.
II. 
O sopro sistólico está relacionado com insuficiência tricúspide, estenose aórtica ou
pulmonar.
III. O sopro diastólico é gerado quando o ventrículo se contrai.
IV. O sopro diastólico está relacionado com estenose tricúspide ou mitral.
a) todas são verdadeiras.
b) todas são falsas.
c) somente I e III são verdadeiras.
d) somente II e IV são verdadeiras.
8. Na bulha B1:
a) as valvas mitral e tricúspide se fecham.
b) as valvas aórtica e pulmonar se fecham.
c) as valvas mitral e tricúspide se abrem.
d) as valvas aórtica e pulmonar se abrem.
Comentário
A bulha B1 está relacionada ao fechamento das valvas tricúspide e mitral.
9. Na bulha B2:
a) as valvas mitral e tricúspide se fecham.
b) as valvas aórtica e pulmonar se fecham.
c) as valvas mitral e tricúspide se abrem.
d) as valvas aórtica e pulmonar se abrem.
Comentário
A audição da bulha B2 está relacionada ao fechamento das valvas aórtica e pulmonar.
01_Cardiologia.indd 2 6/5/09 6:51:44 PM
3
Cardiologia
10. No interior da célula miocárdica há:
a) elevada concentração de potássio.
b) elevada concentração de sódio.
c) elevada concentração de magnésio.
d) baixa concentração de potássio.
11. Quando a célula miocárdica está em repouso e polarizada há:
a) elevada concentração de potássio no intracelular e elevada concentração de sódio no
extracelular.
b) baixa concentração de potássio no intracelular e elevada concentração de sódio no
extracelular.
c) elevada concentração de potássio no intracelular e baixa concentração de sódio no
extracelular.
d) baixa concentração de potássio no intracelular e baixa concentração de sódio no
extracelular.
Comentário
Célula polarizada é aquela que no seu interior encontra-se uma grande quantidade de
ânions proteicos.
12. O procedimento utilizado para reverter arritmias mediante a utilização de corren-
te elétrica direta e sincronizada é chamado de:
a) desfibrilação.
b) cardioversão.
c) cardiodesfibrilação.
d) nenhuma das anteriores.
Comentário
A cardioversão é um procedimento realizado com o auxílio de um equipamento cardiover-
sor, que possui a característica de sincronizar seu estímulo elétrico ao estímulo elétrico do
coração. As contrações cardíacas ocorrem por descarga de estímulos elétricos.
13. Na cardioversão:
a) o desfibrilador identifica a onda P para o sincronismo.
b) o desfibrilador identifica a onda R para o sincronismo.
c) o desfibrilador identifica o complexo QRS para o sincronismo.
d) o desfibrilador identifica a onda T para o sincronismo.
Comentário
O sincronismo na cardioversão ocorre na onda R, que representa a contração dos ven-
trículos. A onda P corresponde à contração dos átrios e a onda T, ao relaxamento dos
ventrículos.
O ciclo completo P, QRS e T corresponde a uma contração cardíaca. Em um adulto normal-
mente ocorrem 80 contrações por minuto.
01_Cardiologia.indd 3 6/5/09 6:51:44 PM
4
14. As pás para a realização da cardioversão deverão ser colocadas:
a)	
uma na região do tórax à direta, na linha axilar média, e a outra à esquerda do ester-
no, no segundo espaço intercostal.
b)	
uma na região apical à esquerda, na linha axilar média, e a outra à esquerda do es-
terno, no quinto espaço intercostal.
c)	
é utilizada apenas uma pá para o procedimento que deverá ser colocada sobre a
região apical à esquerda.
d)	
uma na região apical à esquerda, na linha axilar média, e a outra à direita do esterno,
no segundo espaço intercostal.
15. O gás utilizado no balão intra-aórtico para a terapia da contrapulsação é:
a) oxigênio.
b) nitrogênio.
c) hélio.
d) ar comprimido.
Comentário
Para a terapia de contrapulsação é utilizado o balão intra-aórtico, e para insuflar esse balão,
pode-se utilizar os gases hélio ou o dióxido de carbono.
16. São cuidados no uso do BIA:
I. verificar extremidade do membro onde o balão está inserido.
II. manter paciente em decúbito dorsal horizontal a 90º.
III. observar o sítio de inserção do cateter (balão).
a) somente I é verdadeira.
b) somente II é verdadeira.
c) somente III é verdadeira.
d) I e III são verdadeiras.
17. O marcapasso cardíaco é um método artificial de estimulação do miocárdio que
pode utilizar:
a) somente estimulador temporário transtorácico.
b) somente estimulador temporário transvenoso.
c) estimulador temporário transtorácico e estimulador temporário transvenoso.
d) nenhuma das anteriores.
Comentário
O marcapasso pode ser temporário (quando a arritmia é reversível) ou definitivo (quando
a bradicardia é irreversível). Sua implantação pode ser por via transvenosa (endocárdicos)
ou por toracotomia (epicárdicos).
18. Diástole significa:
a) relaxamento atrial.
b) contração ventricular.
c) fase do relaxamento ventricular na qual ocorre a despolarização.
d) fase do relaxamento ventricular na qual ocorre a repolarização.
01_Cardiologia.indd 4 6/5/09 6:51:44 PM
5
Cardiologia
19. Sístole significa:
a) relaxamento atrial.
b) contração ventricular.
c) fase do relaxamento ventricular na qual ocorre a despolarização.
d) fase do relaxamento ventricular na qual ocorre a repolarização.
Comentário
A sístole cardíaca corresponde à contração dos ventrículos. O ventrículo direito, ao con-
trair-se, expulsa o sangue em direção ao pulmão, onde ocorrerá a sua oxigenação. O ven-
trículo esquerdo, por sua vez, expulsa o sangue através da aorta para todo o organismo,
levando o sangue já oxigenado.
20. Assinale a alternativa CORRETA:
a) derivações bipolares são as AVR, AVL e AVF.
b) derivações unipolares são as DI, DII e DIII.
c) derivações bipolares são as DI, DII e DIII.
d) derivações bipolares são as V1, V2, V3, V4, V5 e V6.
Comentário
As derivações precordiais (V1,V2,V3,V4,V5 e V6) são unipolares e constituem o polo po-
sitivo. As derivações dos membros são divididas unipolares/monopolares (aVR, aVL e aVF)
e bipolares (DI, DII, DIII – formam o triângulo de Einthoven).
21. Automatismo significa:
a) capacidade de a célula iniciar espontaneamente o impulso.
b)	
deslocamento de íons através da membrana celular e também como a célula respon-
de ao estímulo elétrico.
c)	
capacidade que a célula tem em transmitir um impulso elétrico para outra célula car-
díaca.
d) o ato de contração das células após estimulação elétrica.
22. Condutividade significa:
a) capacidade de a célula iniciar espontaneamente o impulso elétrico.
b)	
deslocamento de íons através da membrana celular e também como a célula respon-
de ao estímulo elétrico.
c)	
capacidade de transmissão do impulso elétrico de uma célula cardíaca para outra
célula cardíaca.
d) capacidade de contração celular após receber um estímulo elétrico.
23. V1, V2, V3, V4, V5 e V6 visualizam:
a) a parede lateral do coração.
b) a parede anterior do coração.
c) a parede inferior do coração.
d) as paredes lateral e inferior do coração.
01_Cardiologia.indd 5 6/5/09 6:51:44 PM
6
Comentário
As derivações pré-cordiais seguem o seguinte esquema de colocação de eletrodos:
V1: 4º espaço intercostal direito junto do esterno.
V2: 4º espaço intercostal esquerdo junto do esterno.
V3: equidistante de V2 e V4.
V4: 5º espaço intercostal esquerdo na linha médio-clavicular.
V5: 5º espaço intercostal esquerdo na linha axilar anterior.
V6: 5º espaço intercostal esquerdo na linha média axilar.
24. No papel do eletrocardiógrafo:
a) o tempo é visto no eixo horizontal e a amplitude, no eixo vertical.
b) o tempo é visto no eixo vertical e a amplitude, no eixo horizontal.
c) o tempo é visto no eixo horizontal e cada quadrado pequeno corresponde a 0,5 s.
d) o tempo é visto no eixo vertical e cada quadrado pequeno corresponde a 0,5 s.
Comentário
O tempo é visualizado no eixo horizontal e cada quadrado corresponde a 0,04 s. O eixo
vertical permite visualizar a amplitude (voltagem) e cada quadrado corresponde a 0,1 mv.
25. A onda P significa:
a) despolarização ventricular.
b) despolarização atrial.
c) repolarização ventricular.
d) repolarização atrial.
26. O complexo QRS significa:
a) despolarização ventricular.
b) despolarização atrial.
c) repolarização ventricular.
d) repolarização atrial.
27. A onda T significa:
a) despolarização ventricular.
b) despolarização atrial.
c) repolarização ventricular.
d) repolarização atrial
28. R-R significa:
a) identificação do ritmo atrial.
b) identificação do ritmo ventricular.
c) que a frequência é atrioventricular.
d) repolarização atrial.
01_Cardiologia.indd 6 6/5/09 6:51:44 PM
7
Cardiologia
29. Durante a cardioversão, o desfibrilador deverá:
a) estar com o modo sincronizado ligado.
b) não há a necessidade de manter o desfibrilador no modo sincronizado.
c) não há relação entre sincronismo e cardioversão.
d) nenhuma das anteriores.
30. Qual é o marcador bioquímico de lesão miocárdica que se eleva mais precoce-
mente no IAM?
a) CK-total.
b)Troponina.
c) Mioglobina.
d) CK-MB atividade.
Comentário
A troponina é uma proteína encontrada no músculo cardíaco. Na ocorrência de um dano
cardíaco, a troponina é liberada no sangue no período de 4 a 6 horas do início da dor e
permanece elevada até 10 dias, permitindo assim um período de tempo maior para detec-
tar algum dano.
31. Assinale a alternativa CORRETA sobre o sistema de condução:
a) nó sinusal → feixe de Bachmann → nó AV → feixe de His → fibra de Purkinje.
b) nó sinusal → nó AV → fibra de Purkinje → feixe de His.
c) nó sinusal → feixe de Bachmann → nó AV → fibra de Purkinje → feixe de His.
d) nó sinusal → fibra de Purkinje → nó AV → feixe de His → feixe de Bachmann.
32. Qual o local para colocação do eletrodo explorador V5, no momento de realizar
um eletrocardiograma?
a) Lado direito do esterno no quarto espaço intercostal.
b) À esquerda do esterno no quarto espaço intercostal.
c) Quinto espaço intercostal sobre a linha axilar média.
d) Quinto espaço intercostal sobre a linha axilar anterior.
Comentário
Há eletrocardiógrafos em que as derivações pré-cordiais são colocadas antes do início do
exame e outros equipamentos cujo eletrodo da derivação é único e colocado a cada deri-
vação, retardando a realização do exame.
33. Qual o valor normal do intervalo PR?
a) 0,6 a 0,10 s.
b) 0,8 s.
c) 0,12 a 0,20 s.
d) 0,36 a 0,44 s.
01_Cardiologia.indd 7 6/5/09 6:51:45 PM
8
Comentário
Cada quadrado (menor) do papel de eletrocardiograma corresponde a 0,04 s. O intervalo
PR normal corresponde a 5 quadradinhos.
34. Qual intervalo, complexo, segmento ou onda representa a condução do impulso
atrial até o NAV?
a) Intervalo PR.
b) Complexo QRS.
c) Segmento ST.
d) Onda P.
Comentário
Existem eletrocardiógrafos em que as derivações pré-cordiais são colocadas antes do início
do exame e outros equipamentos onde o eletrodo da derivação é único e colocado a cada
derivação, retardando a realização do exame.
35. O que caracteriza o BAV (bloqueio atrioventricular)de 2º grau tipo I (Mobitz I ou
Wenckbach)?
a) Ausência de QRS entre duas ondas P.
b) Aumento progressivo do intervalo PR até surgir uma onda P bloqueada.
c) Dissociação AV.
d) Onda P bloqueada subitamente.
Comentário
O bloqueio atrioventricular é definido como uma falha na condução do estímulo elétrico,
podendo ser permanente ou transitório. O bloqueio tipo Mobitz I caracteriza-se por um
aumento do intervalo PR.
36. A pós-carga refere-se:
a) à força de contração miocárdica.
b) ao volume de sangue que a carga contém no fim da diástole.
c) ao volume que chega da circulação sistêmica.
d) à pressão contra a qual uma câmara cardíaca deve ejetar o sangue durante a sístole.
37. O débito cardíaco é determinado por:
a) frequência cardíaca x volume sistólico.
b) frequência cardíaca x volume terminodiastólico.
c) volume sistólico + volume terminodiastólico.
d) pós-carga x pré-carga.
38. Fontes de impulso neural que regulam o miocárdio incluem:
a) receptores de distensão atrial.
b) o sistema limbino.
c) barorreceptores no seio carotídeo e aorta.
d) todas as respostas estão corretas.
01_Cardiologia.indd 8 6/5/09 6:51:45 PM
9
Cardiologia
Comentário
Barorreceptores são células cardíacas que auxiliam no controle da pressão arterial e estão
localizadas no arco aórtico.
39. A pré-carga refere-se:
a) à pressão contra a qual as câmaras cardíacas devem ejetar sangue durante a sístole.
b) à carga miocárdica.
c) à quantidade de distensão colocada sobre a fibra muscular cardíaca imediatamente
antes da sístole.
d) quantidade de distensão colocada sobre a fibra muscular cardíaca imediatamente
antes da diástole.
40. O impulso cardíaco origina-se:
a) no nó atrioventricular.
b) no nó sinoatrial.
c) no feixe de His.
d) nas fibras de Purkinje.
Comentário
O nó ou nódulo sinoatrial localiza-se na parte superior do átrio direito e é considerado o
marcapasso natural. O estímulo elétrico gerado nesse nó será conduzido para todo o cora-
ção, promovendo sua contração. Em casos de falha na geração do impulso elétrico pelo nó
sinoatrial, outro conjunto de células cardíacas poderá assumir esse comando.
41. É CORRETO dizer que o nosso marcapasso fisiológico é:
a) nó sinoatrial.
b) nó atrioventricular.
c) nó sinoatrial e nó atrioventricular.
d) ramo direito e ramo esquerdo.
42. As bulhas cardíacas representam que período do ciclo cardíaco?
a) Sístole e diástole.
b) Somente diástole.
c) Somente sístole.
d) Fechamentos e aberturas das válvulas.
43. A contração do músculo cardíaco se dá por meio de:
a) saída de Ca+
e rompimento da ligação actina-miosina.
b) entrada de Ca+
e interação do complexo renina-angiotensina.
c) saída de Ca+
e interação de actina-miosina.
d) entrada de Ca+
e interação de actina-miosina.
01_Cardiologia.indd 9 6/5/09 6:51:45 PM
10
Comentário
A contração do músculo cardíaco ocorre pela despolarização das células miocárdicas com
a entrada de cálcio no miócito.
44. Assinale a alternativa CORRETA sobre as propriedades específicas do músculo
cardíaco.
a) Condutibilidade (cromotropismo) diz respeito à condução do processo de ativação
elétrica por todo o miocárdio, numa sequência sistematicamente estabelecida.
b) Automatismo diz respeito à capacidade de o coração NÃO gerar seus próprios estí-
mulos, dependendo de fatores extrínsecos.
c) Inotropismo (contratilidade) diz respeito à capacidade de contração isolada de cada
célula da musculatura cardíaca, diferente de um sincício.
d) Batmotropismo diz respeito à capacidade de as células da musculatura cardíaca per-
manecerem excitadas, portanto contraídas, por muito tempo.
45. Quando se ANTAGONIZA a ação de β (beta) 2 se produz:
a) broncodilatação e vasodilatação.
b) broncoconstrição e vasoconstrição.
c) feedback negativo sobre α 1.
d) aumento da frequência cardíaca.
Comentário
Antagônico significa contraditório.
46. A fase de sístole atrial é essencial para o enchimento ventricular?
a)	
Sim, pois é a fase na qual a maior parte do volume de sangue escorre dos átrios para
os ventrículos.
b)	
Não, cerca de 70% do sangue escoa para os ventrículos durante a fase de enchimen-
to rápido.
c) Não, a fase essencial para o enchimento ventricular é a diástole.
d)	
Sim, já que é essa contração que efetivamente impulsiona o sangue para os ven-
trículos.
Comentário
A contração atrial contribui com um volume adicional de sangue no enchimento ventricu-
lar; entretanto, cerca de 70% do enchimento ocorre passivamente durante a diástole. Os
orifícios das veias cavas e pulmonares são estreitados pela contração do miocárdio atrial
que os circunda, e a inércia do sangue que entra no coração tende a manter o sangue no
seu interior.
47. O que diferencia a célula cardíaca contrátil da célula muscular esquelética?
a) Presença de discos intercalares, separando as fibras.
b) Diferente potencial de ação.
c) A musculatura cardíaca é composta de músculos lisos.
d) Nada, as células são absolutamente iguais.
01_Cardiologia.indd 10 6/5/09 6:51:45 PM
11
Cardiologia
Comentário
A célula muscular estriada é também chamada de fibra muscular e possui inúmeros núcle-
os. As células cardíacas possuem estriação transversal e são uninucleares.
48. Qual o efeito da estimulação de β (beta) 1 sobre o coração?
a) Bradicardia e ↓ contratilidade.
b) Bradicardia.
c) ↑ contratilidade.
d) ↓ contratilidade.
Comentário
As substâncias beta-adrenérgicas promovem estímulos do sistema simpático, aumentado
sua ação.
49. Qual das alternativas a seguir é um sinal de insuficiência cardíaca congestiva no
adulto?
a) Sopro de ejeção sistólica.
b) Sopro holossistólico.
c) Sopro telessistólico.
d) Sopro metadiastólico.
50. Qual dos seguintes órgãos contém o maior porcentual de CKMB?
a) Músculo esquelético.
b) Córtex cerebral.
c) Coração.
d) Fígado.
51. Em relação às enzimas cardíacas, pode-se dizer que no infarto:
a) somente a CK-MB se eleva.
b) há elevação de CK-MB E CPK.
c) somente a CPK, MB, LDH se elevam.
d) troponina, CPK, MB, LDH estão elevadas.
52. É CORRETO dizer que as enzimas CPK e MB retornam ao normal em:
a) 2 dias.
b) 2-3 dias.
c) após 24 horas.
d) 7-14 dias.
01_Cardiologia.indd 11 6/5/09 6:51:46 PM
12
Comentário
Quando ocorre um dano cardíaco, a MB (mioglobina) é liberada entre 2 e 4 horas, retor-
nando aos níveis normais após 24 a 36 horas. Já a CK-MB (creatino quinase MB)
é liberada entre 3 e 8 horas, retornando aos níveis basais após 48 a 72 horas.
53. Hoje no infarto qual tem sido considerada uma enzima específica do coração?
a) Tropina, troponina C.
b) CK-MB.
c) CK-MB, troponina.
d) Troponina.
54. Sobre o infarto agudo do miocárdio é CORRETO dizer que:
a) é uma lesão isquêmica.
b) é uma lesão reversível.
c) é uma oclusão parcial.
d) é a ocorrência de morte celular.
55. A primeira bulha é marcada pelo:
a) fechamento das válvulas aórtica e pulmonar.
b) fechamento das válvulas mitral e tricúspide.
c) abertura das válvulas aórtica e pulmonar.
d) abertura das válvulas mitral e tricúspide.
56. Quais válvulas são conhecidas como semilunares?
a) Tricúspide e mitral.
b) Mitral e aórtica.
c) Tricúspide e pulmonar.
d) Pulmonar e aórtica.
Comentário
As válvulas cardíacas impedem o refluxo do sangue durante as contrações tanto dos átrios
quanto dos ventrículos. As válvulas encontradas nas saídas dos ventrículos são denomi-
nadas semilunares, pois apresentam a forma de semilua. Essas válvulas correspondem à
pulmonar e à aórtica.
57. O músculo cardíaco é dividido em:
a) miocárdio, epicárdio.
b) epicárdio, miocárdio, endocárdio.
c) epicárdio, endocárdio.
d) miocárdio, endocárdio, pericárdio.
58. O músculo cardíaco tem tecido:
a) liso e esquelético.
b) somente liso.
01_Cardiologia.indd 12 6/5/09 6:51:46 PM
13
Cardiologia
c) somente esquelético.
d) nenhuma das anteriores.
59. Em relação ao sistema fisiológico de condução elétrica, os íons importantes para
manter-se estável são:
a) sódio, potássio, fósforo.
b) sódio, potássio, fósforo e magnésio.
c) sódio, potássio, magnésio.
d) sódio, potássio, cálcio e magnésio.
60. O ciclo cardíaco começa pela:
a) geração espontânea de um potencial de ação no sinusal.
b) geração espontânea de um potencial de ação no atrioventricular.
c) geração espontânea de um potencial de ação no sinusal e atrioventricular.
d) nenhuma das anteriores.
61. O ciclo cardíaco consiste em um período de relaxamento e contração denominado:
a) diástole.
b) sístole.
c) sístole e diástole.
d) diástole e sístole.
62. Em qual período do ciclo cardíaco as coronárias são perfundidas?
a) Sístole.
b) Diástole.
c) No final da diástole.
d) No final da sístole.
63. No ECG, que onda representa os átrios?
a) Onda P.
b) Onda R.
c) Intervalo PR.
d) Onda T.
64. É conhecido como marcapasso fisiológico:
a) feixe de His.
b) nó atrioventricular.
c) fibras de Purkinje.
d) nó sinusal.
65. O QRS no ECG representa:
a) despolarização ventricular.
b) repolarização atrial.
01_Cardiologia.indd 13 6/5/09 6:51:46 PM
14
c) repolarização ventricular.
d) nenhuma das anteriores.
66. É conhecida como tempo porta-agulha:
a) o tempo do infarto.
b) o tempo para realização do ECG.
c) o tempo para realizar trombolítico.
d) o tempo para realizar angioplastia primária.
Comentário
O tempo compreendido entre a entrada do paciente no hospital e o início da terapêutica
com trombolítico é conhecido por tempo porta-agulha.
Vários fatores interferem nesse período de tempo, como: demora no processo de admissão
do paciente; demora na avaliação inicial; demora na interpretação do eletrocardiograma;
demora na preparação da droga etc. O ideal é que esse tempo não seja superior a 30
minutos.
67. O tempo porta-agulha no infarto do miocárdio é:
a)  45 min.
b)  30 min.
c)  90 min.
d) até 3 horas.
68. Qual o significado de Mona?
a) Monitoração, oxigênio, nitrato e analgesia.
b) Monitoração, oxigênio, nitrato e aspirina.
c) Analgesia, oxigênio, nitrato, aspirina.
d) Morfina, oxigênio, nitrato e aspirina.
69. É CORRETO dizer que na angina estável:
a) há melhora após uso de aspirina.
b) há melhora após uso de nitrato e aspirina.
c) há melhora após 15 min do uso de nitrato.
d) não há melhora.
70. Os principais sinais do infarto agudo do miocárdio, conhecido como “dor típica”,
são:
a) precordialgia, dispneia pararoxística, epigastralgia, náuseas.
b) precordialgia, náuseas, êmese, epigastralgia.
c) precordialgia com irradiação para MSE, mandíbula, epigastralgia, náuseas, êmese,
sudorese e dispneia.
d) somente a alternativa b está correta.
01_Cardiologia.indd 14 6/5/09 6:51:46 PM
15
Cardiologia
Comentário
O quadro clínico típico de infarto agudo do miocárdio é:
•Dor no peito.
•Irradiação da dor para os braços esquerdo, para o abdome, pescoço, queixo ou pescoço.
•Sudorese fria.
•Falta de ar.
•Fraqueza ou perda dos equilíbrios súbitos.
•Náuseas e vômitos.
•Desmaios.
•Taquicardia e palpitações.
•Confusão mental.
•Agitação.
71. Podem-se dizer que no infarto agudo do miocárdio com supra de ST o tratamento
considerado ouro é:
a) angioplastia de resgate.
b) angioplastia de reperfusão.
c) uso de trombolítico e angioplastia de resgate.
d) angioplastia primária.
72. No infarto, quais exames devem ter um controle por 24 horas?
a) Enzimas cardíacas, função renal, glicemia.
b) Enzimas cardíacas e bioquímica.
c) Somente bioquímica.
d) Somente as enzimas cardíacas.
73. O valor da enzima CK-MB pode ter um valor falso-negativo quando há:
a) aplicação de injeção intramuscular.
b) lesão muscular.
c) estresse cirúrgico.
d) todas as alternativas anteriores.
74. Todas as provas diagnósticas a seguir são usadas na avaliação de pacientes com
doença da artéria coronariana, EXCETO:
a) estudo de perfusão do tálio com esforços.
b) angiografia coronária.
c) ECG de sinal médio.
d) ECG de esforço.
75. 
A monitoração do Holter e os estudos eletrofisiológicos com provas diagnósticas
são mais utilizados em quais das patologias cardíacas a seguir?
a) IAM.
b) Taquicardia ventricular.
c) Insuficiência cardíaca congestiva.
d) Isquemia miocárdica.
01_Cardiologia.indd 15 6/5/09 6:51:46 PM
16
Comentário
A monitorização do Holter é um eletrocardiograma de longa duração (24 horas) que regis-
trará as alterações cardíacas diante das atividades rotineiras do paciente.
76. As arritmias que devem ser tratadas com cardioversão elétrica são:
a)	
taquicardia ventricular com pulso, flutter atrial e fibrilação atrial de alta resposta ventricular.
b)	
taquicardia ventricular sem pulso, flutter atrial e fibrilação atrial de baixa resposta
ventricular.
c) fibrilação atrial, flutter e taquicardia supraventricular.
d) as alternativas a e b estão corretas
Comentário
Os casos de flutter atrial estão relacionados a arritmias no átrio direito. São mais comuns
em homens.
77. Amiodarona é uma droga utilizada somente para:
a) arritmias supraventriculares.
b) arritmias atriais.
c) nos dois tipos, pois é uma droga antiarrítmica.
d) arritmias ventriculares.
78. Os átrios possuem uma frequência específica de:
a) 400-600 bpm.
b) 300-400 bpm.
c) 100-200 bpm.
d) as alternativas estão todas incorretas.
79. No ritmo juncional, pode-se dizer que não há visualização de:
a) onda P.
b) onda R.
c) onda T.
d) ondas P e R.
Comentário
O ritmo juncional é o ritmo cardíaco comandado pelo nó atrioventricular. Normalmente, o
ritmo cardíaco é controlado pelo nó sinusal.
80. Qual das enzimas cardíacas citadas a seguir, continuará anormal após 12 horas
de infarto agudo do miocárdio?
a) Transaminase glutâmico-oxalacético sérica (SGOT).
b) Desidrogenase lática (DHL).
c) Creatinoquinase (CK-MB).
d) Creatinoquinase (CK).
01_Cardiologia.indd 16 6/5/09 6:51:47 PM
17
Cardiologia
81. A taquicardia supraventricular pode ser revertida por:
a) massagem do seio carotídeo.
b) administração de xilocaína em bolus.
c) administração de Ancoron®
em bolus.
d) massagem carotídea e uso de adenosina endovenosa se não houver resposta.
82. Qual das anormalidades eletrolíticas a seguir aumenta a sensibilidade do cora-
ção ao digital e suas arritmias associadas?
a) Hipercalemia.
b) Hipercalcemia.
c) Hipocalemia.
d) Hipocalcemia.
83. A hipercalemia produz qual tipo de alterações no ECG?
a) Intervalo QT prolongado.
b) Encurtamento do intervalo QT.
c) Ondas U salientes.
d) Ondas T altas, em pico.
Comentário
A hipercalemia é caracterizada pela elevação dos níveis de potássio no sangue. Com essa
elevação, o ritmo cardíaco torna-se anormal e o coração pode parar de contrair. Os primei-
ros sintomas são batimentos cardíacos extras.
O intervalo QT refere-se à repolarização ventricular.
84. Ao cuidar de um paciente que apresentou uma série de taquicardias ventricula-
res, todas as alternativas são verdadeiras a respeito dessa arritmia, EXCETO:
a) é sempre indicado o tratamento imediato com cardioversão elétrica.
b) o paciente pode manter a consciência durante o episódio de TV.
c) a TV é definida como três ou mais batimentos ventriculares prematuros em uma série.
d) a TV pode deteriorar-se em uma fibrilação ventricular quando não tratada adequada-
mente.
85. Qual dos seguintes medicamentos diminui a contratilidade do músculo cardíaco?
a) Digital.
b) Glucagon.
c) Propranolol.
d) Cálcio.
86. Qual o antiarrítmico, dos citados a seguir, tem meia-vida de 10 s e também pode
ser utilizado no tratamento de arritmia supraventricular?
a) Procainamida.
b) Propafenona.
01_Cardiologia.indd 17 6/5/09 6:51:47 PM
18
c) Lidocaína.
d) Adenosina.
Comentário
A procainamida é uma droga utilizada em arritmias ventriculares e supraventriculares. Pos-
sui meia-vida curta, o que torna necessária a administração de várias doses durante o dia.
Propafenona: antiarrítmico utilizado em arritmias ventriculares.
Lidocaína: utilizada como antiarrítmico quando a arritmia ventricular está associada à is-
quemia do miocárdio.
Adenosina: antiarrítmico utilizado em taquicardias supraventriculares. Possui ação em segun-
dos quando administrada em bolus rápido, preferencialmente por acesso venoso central.
87. Após a ACTP (angioplastia coronária transluminal percutânea), o sintoma mais
evidente de uma complicação é:
a) temperatura elevada.
b) recidiva da angina.
c) pele fria, úmida.
d) náuseas e sudorese.
Comentário
A angioplastia é realizada através de uma punção arterial que pode ser: radial, ulnar, bra-
quial ou femoral.
88. As complicações resultantes da valvuloplastia por balão incluem todas, EXCETO:
a) sangramento no local da punção arterial.
b) embolização sistêmica.
c) reestenose.
d) perfuração ventricular direita.
89. Quais sinais podem evidenciar uma frequência cardíaca baixa?
a) Sudorese, pele fria, hipotensão, oligúria.
b) Sudorese, dispneias, hipotensão.
c) Diminuição do débito de diurese.
d) As alternativas a e c estão corretas.
90. O suporte básico de vida primário inclui:
a) manter vias aéreas pérvias, ventilação, circulação com massagem cardíaca.
b) manter vias aéreas pérvias, uso de drogas.
c) manter vias aéreas pérvias, ventilação com massagem cardíaca, acesso periférico.
d) somente a alternativa a está correta.
91. O suporte de vida avançado inclui:
a) manter vias aéreas pérvias, ventilação, acesso venoso, definir ritmo cardíaco.
b) entubação, garantir ventilação, acesso venoso, definir ritmo e ministrar drogas e diag-
nóstico diferencial.
01_Cardiologia.indd 18 6/5/09 6:51:47 PM
19
Cardiologia
c) entubação, definir ritmo cardíaco.
d) nenhuma das anteriores.
92. As drogas iniciais mais utilizadas na parada cardíaca são:
a) atropina, noradrenalina, gluconato de cálcio.
b) atropina, adrenalina, gluconato de cálcio, bicarbonato.
c) atropina, adrenalina.
d) nenhuma das anteriores.
Comentário
Atropina: promove a taquicardia, utilizada para reverter bradicardia severa.
Noradrenalina: aumenta a contração cardíaca e a condução do estímulo elétrico.
Gluconato de cálcio: aumenta a quantidade de íons de cálcio em casos de hipocalemia.
Adrenalina: promove aumento das contrações cardíacas e faz que o sangue chegue mais
rápido até os órgãos nobres, como coração e cérebro.
Bicarbonato: correção de desequilíbrio ácido-básico.
93. A desfibrilação cardíaca é indicada nas arritmias:
a) FV e TV com pulso.
b) FV e fribrilação atrial.
c) FV e TV sem pulso.
d) nenhuma das anteriores.
Comentário
FV significa fibrilação ventricular, quando as contrações cardíacas podem chegar até
300 bat/min.
94. Um paciente com fibrilação atrial aguda será submetido à cardioversão elétrica.
Quais exames devem ser realizados previamente?
a) Sódio, potássio, cálcio, magnésio.
b) Potássio e magnésio.
c) Potássio, magnésio e ecocardiograma.
d) Somente a alternativa a está correta.
95. Qual a ordem para o ciclo cardíaco?
a) Enchimento rápido, sístole atrial, contração isovolúmica, ejeção (rápida e lenta).
b) Contração isovolumétrica, ejeção (rápida e lenta), sístole atrial, enchimento rápido.
c) Enchimento rápido, diástole, sístole atrial, contração isovolumétrica e ejeção (rápida).
d) As alternativas a e b estão corretas.
96. Pode-se considerar bradicardia sinusal:
a) FC  50 bpm.
b) FC  40 bpm.
c) FC  60 bpm.
d) todas as alternativas estão incorretas.
01_Cardiologia.indd 19 6/5/09 6:51:47 PM
20
Comentário
Bradicardia sinusal é caracterizada pela diminuição do estímulo elétrico gerado no nó sinusal.
97. Quais exames devem ser realizados no pós-operatório imediato de cirurgia
cardíaca?
a) Ureia, creatinina, sódio, potássio e hemograma.
b) Ureia, creatinina, sódio, potássio e coagulograma.
c) Ureia, creatina, sódio, potássio, coagolugrama, hemograma, raio-X e ECG.
d) Sódio, potássio e urina I.
98. No pós-operatório imediato de cirurgia cardíaca, o controle dos sinais vitais deve
ser realizado de:
a) 30 min em 30 min.
b) 1 hora em 1 hora.
c) 2 horas em 2 horas.
d) deve ser seguida a rotina de cada hospital.
99. Após quantas horas o paciente em pós-operatório imediato pode ser alimentado
quando extubado:
a) Após 24 horas.
b) 8 horas.
c) 6 horas.
d) Deve ser seguida a rotina de cada hospital.
Comentário
A intubação prolongada pode levar à estenose da traqueia e pregas vocais.
100. Quais as principais sintomatologias após uso de contraste em cateterismo cardíaco:
a) Dispneia, náuseas, perda da consciência, hipotensão, parada respiratória (choque
anafilático).
b) Parada cardíaca, náuseas, perda da consciência.
c) Parada respiratória (choque cardíaco), náuseas e vômitos.
d) Dispneia, perda da consciência, hipotensão, parada respiratória (choque anafilático).
Comentário
O cateterismo cardíaco pode ser feito para pesquisar dados fisiológicos como pressões
cavitárias, amostra de sangue para dosagem de oxigênio. Dados funcionais também são
pesquisados como débito, volumes ventriculares e dados anatômicos com avaliação do
trajeto do cateter e injeção de contraste.
101. Nas complicações pós-cateterismo cardíaco, pode-se citar:
a) pseudoaneurisma, hematomas, sangramentos, fístula arteriovenosa, oclusão trom-
bótica, trombose arterial, perfuração e hematoma retroperitoneal, embolização pe-
riférica.
b) pseudoaneurisma, hematoma, sangramentos, oclusão trombótica.
01_Cardiologia.indd 20 6/5/09 6:51:47 PM
21
Cardiologia
c) hematoma, sangramento e pseudoaneurisma.
d) as alternativas a e b estão corretas.
Comentário
O cateterismo cardíaco é um procedimento invasivo realizado por um médico com a função
de fazer diagnóstico ou tratamento do coração. É feito com a introdução de um cateter
longo, fino e flexível cuja inserção é em vasos sanguíneos de grande calibre, localizados
nos membros inferiores, membros superiores ou pescoço, sendo levado até o coração.
102. As válvulas cardíacas biológicas:
a) exigem coagulação durante a vida toda.
b) têm durabilidade precária.
c) são válvulas preferidas para o paciente com menos de 50 anos de idade.
d) têm maior incidência de tromboembolia.
103. As válvulas mecânicas:
a) exigem coagulação durante a vida toda.
b) têm durabilidade precária.
c) são válvulas preferidas para o paciente com menos de 50 anos de idade.
d) têm maior incidência de tromboembolia.
104. Após a cirurgia de troca de válvula, ocorre com maior incidência:
a) fibrilação ventricular.
b) infarto agudo do miocárdio.
c) fibrilação atrial.
d) nenhuma das anteriores.
105. O sangramento pós-operatório no paciente de cirurgia cardíaca pode ser trata-
do com:
a) protamina.
b) PEEP.
c) autotransfusão.
d) todas as anteriores.
106. A intervenção para o índice cardíaco diminuído produzida por pós-carga aumen-
tada logo depois da cirurgia cardíaca inclui:
a) autotransfusão.
b) gotejamento de dopamina.
c) expansão de volume.
d) cobertores e calor radiante.
107. Quando o receptor de transplante cardíaco apresenta bradicardia, qual o trata-
mento que não deve ser usado?
01_Cardiologia.indd 21 6/5/09 6:51:48 PM
22
a) Atropina.
b) Isoproterenol.
c) Marcapasso.
d) Adrenalina.
108. No receptor de transplante cardíaco, a rejeição é diagnosticada por:
a) alterações do ECG.
b) cateterismo cardíaco.
c) biópsia endomiocárdica.
d) níveis de ciclosporina.
Comentário
A rejeição de um transplante de coração pode ser diagnosticada por meio de avaliação his-
topatológica de biópsias de células endomiocárdicas. As alterações funcionais aparecem
tardiamente.
109. Na insuficiência cardíaca, pode-se dizer que as drogas que melhoram a sobrevida
são:
a) digital, betabloqueador, inibidor da enzima de angiotensina, diurético.
b) antiarrítmico, betabloqueador e diurético.
c) drogas vasoativas, betabloqueador e diurético.
d) nenhuma das anteriores.
110. A insuficiência cardíaca é classificada como:
a) classes funcionais I e II.
b) classes funcionais I, II e III.
c) classes funcionais I, II, III e IV.
d) somente a alternativa b está correta.
Comentário
A insuficiência cardíaca é uma síndrome em que ocorre a incapacidade de o coração manter o
débito cardíaco em níveis normais. Pode ser classificada em classes funcionais I, II, III e IV.
111. Pode-se definir insuficiência cardíaca como:
a) falência miocárdia final comum de diversas cardiopatias.
b) falência miocárdia final da doença coronariana.
c) falência miocárdia final secundária a hipertensão.
d) falência miocárdia final secundária a diabetes.
112. A estenose mitral é a patologia caracterizada por:
a) obstrução da via de saída do átrio esquerdo.
b) obstrução da via de saída do átrio direito.
c) obstrução do fluxo cardíaco.
d) nenhuma das anteriores.
01_Cardiologia.indd 22 6/5/09 6:51:48 PM
23
Cardiologia
113. O sopro na estenose mitral pode ser auscultado em que fase do ciclo cardíaco?
a) Sístole e diástole.
b) Mesossistólico.
c) Telossistólico.
d) Diástole.
114. A valva tricúspide localiza-se entre:
a) átrio esquerdo e artéria pulmonar.
b) átrio direito e ventrículo direito.
c) átrio esquerdo e ventrículo esquerdo.
d) ventrículo esquerdo e circulação sistêmica.
115. A valva pulmonar localiza-se entre:
a) átrio esquerdo e artéria pulmonar.
b) átrio direito e ventrículo direito.
c) átrio esquerdo e ventrículo esquerdo.
d) ventrículo direito e artéria pulmonar.
116. A valva mitral localiza-se entre:
a) átrio esquerdo e ventrículo esquerdo.
b) átrio direito e ventrículo direito.
c) átrio esquerdo e ventrículo direito.
d) ventrículo direito e artéria pulmonar.
117. As valvas atrioventriculares são:
a) aórtica e pulmonar.
b) mitral e tricúspide.
c) aórtica e mitral.
d) tricúspide e aórtica.
118. As valvas semilunares são:
a) mitral e tricúspide.
b) aórtica e mitral.
c) tricúspide e aórtica.
d) pulmonar e aórtica.
119. As artérias do coração são chamadas de:
a) artéria safena.
b) artéria mamária.
c) artéria epigástrica.
d) artérias coronárias.
01_Cardiologia.indd 23 5/30/09 12:56:18 PM
24
120. A artéria coronária direita irriga:
a) ventrículo esquerdo.
b) ventrículo direito.
c) o nodo atrioventricular.
d) átrio esquerdo.
Comentário
Artéria coronária divide-se em artérias coronárias direita e esquerda. A coronária esquerda
irriga a parede ântero-lateral do ventrículo esquerdo, átrio esquerdo e a porção anterior do
septo interventricular.
121. Na fibrilação atrial, a frequência de resposta ventricular está:
a) abaixo de 60 batimentos/minuto.
b) abaixo de 100 batimentos/minuto.
c) acima de 100 batimentos/minuto.
d) entre 60 e 100 batimentos/minuto.
122. No ritmo juncional acelerado, o complexo QRS aparece:
a) estreitado.
b) alargado.
c) normal.
d) não aparece.
Comentário
O complexo QRS tem duração entre 0,05 e 0,10 segundo.
123. As principais manifestações clínicas da síndrome de Marfan são nos sistemas:
a) esquelético, cardiovascular e ocular.
b) esquelético, cardiovascular e renal.
c) esquelético, cardiovascular e neurológico.
d) esquelético, cardiovascular e digestório.
124. Quais as cardiopatias congênitas que apresentam hipofluxo pulmonar?
a) Tetralogia de Fallot, atresia tricúspide e anomalia de Ebstein.
b) CIA, tetralogia de Fallot, atresia tricúspide.
c) CIV, tetralogia de Fallot, atresia tricúspide.
d) CIA, CIV e anomalia de Ebstein.
Comentário:
Tetralogia de Fallot: é caracterizada por quatro anomalias que culminam com insuficiência
de sangue oxigenado. É um defeito congênito.
Atresia tricúspide: é uma patologia cardíaca caracterizada pela obstrução do sangue do
átrio direito para o ventrículo direito. É uma doença congênita.
01_Cardiologia.indd 24 5/30/09 12:56:18 PM
25
Cardiologia
Anomalia de Ebstein: má formação da válvula tricúspide.
CIA: comunicação interatrial.
CIV: comunicação interventricular.
125. Quais as considerações hemodinâmicas da tetralogia de Fallot?
a) CIV, obstrução da via de saída pulmonar, hipertrofia do VD e dextroposição da
aorta.
b) CIA, obstrução da via de saída pulmonar, hipertrofia do VD e dextroposição da
aorta.
c) CIA, atresia tricúspide e anomalia de Ebstein.
d) CIA, dextroposição da aorta e anomalia de Ebstein.
126. Os principais tipos de cirurgias paliativas em cardiopediatria são:
a) anastomose de Blalock-Taussig, anastomose de Glenn, anastomose de Potts.
b) anastomose de Waterston-Cooley.
c) cirurgia de Marfan, anastomose de Blalock-Taussig.
d) correção intra-atrial, cirurgia de Marfan e anastomose de Glenn.
e) anastomose de Blalock-Taussig, anastomose de Glenn e cirurgia de Marfan.
Comentário
Anastomose de Blalock-Taussig: cirurgia em que é criado um shunt para ligar a artéria aorta
à artéria pulmonar.
Anastomose de Potts: é uma variação da anastomose de Blalock-Taussig.
Anastomose de Glenn: anastomose da veia cava superior com a artéria pulmonar direita.
Anastomose de Waterston-Cooley: anastomose da artéria aorta descendente e a artéria
pulmonar direita.
127. A anastomose de Blalock-Taussig é definida como:
a) anastomose término-lateral da artéria subclávia no ramo direito ou esquerdo da
artéria pulmonar.
b) anastomose látero-lateral da aorta descendente com ramo esquerdo da artéria
pulmonar.
c) anastomose término-terminal da veia cava superior com ramo direito da artéria pul-
monar.
d) nenhuma das anteriores.
128. A anastomose de Potts é definida como:
a)	
anastomose término-terminal da veia cava superior com ramo direito da artéria
pulmonar.
b)	
anastomose látero-lateral da aorta descendente com ramo esquerdo da artéria
pulmonar.
c)	
anastomose término-lateral da artéria subclávia no ramo direito ou esquerdo da
artéria pulmonar.
d) nenhuma das anteriores.
01_Cardiologia.indd 25 5/30/09 12:56:18 PM
26
129. A anastomose de Glenn é definida como:
a)	
anastomose término-lateral da artéria subclávia no ramo direito ou esquerdo da
artéria pulmonar.
b)	
anastomose látero-lateral da aorta descendente com ramo esquerdo da artéria pul-
monar.
c)	
anastomose término-terminal da veia cava superior com ramo direito da artéria
pulmonar.
d) nenhuma das anteriores.
130. Os enxertos que podem ser utilizados na cirurgia das coronárias são:
a) somente safena e mamária.
b) somente safena e radial.
c) safena, radial e mamária.
d) safena e mamária, radial, epigástrica.
Comentário
Atualmente, os excelentes resultados da utilização da artéria torácica interna esquerda
têm estimulado o uso crescente de outros enxertos arteriais alternativos, como: ambas as
artérias torácicas internas, artéria gastroepiploica, artéria epigástrica inferior e da radial
como enxertos livres ou compostos, com resultados superiores aos dos enxertos venosos,
a curto e longo prazos.
131. A sutura que se faz para unir um enxerto de mamária ou de safena à artéria
coronária é chamada de:
a) anastomose.
b) sutura.
c) junção.
d) transplante.
Comentário
Sutura significa o fechamento de uma incisão.
132. A técnica que consiste na retirada do sangue do corpo para passá-lo por um oxige-
nador que bombeia o sangue de volta para o organismo do paciente chama-se:
a) circulação cardíaca.
b) pequena circulação.
c) grande circulação.
d) circulação extracorpórea.
Comentário
Técnica em que o bombeamento do sangue e sua oxigenação são garantidos pelo uso de
um equipamento específico que capta o sangue venoso, processa o sangue em seu interior
e devolve para o organismo sangue oxigenado.
133. Quando o sangue venoso que se encontra no ventrículo direito vai para as
artérias pulmonares, dirigindo-se para os pulmões e percorrendo os capilares
pulmonares, é chamado de:
a) pequena circulação.
01_Cardiologia.indd 26 5/30/09 12:56:18 PM
27
Cardiologia
b) média circulação.
c) hematose.
d) grande circulação.
134. A grande circulação começa ........................... e termina ..........................
a) no átrio direito, no ventrículo esquerdo.
b) no ventrículo esquerdo, na aurícula direita.
c) na aurícula direita, na aurícula esquerda.
d) no ventrículo direito, na aurícula esquerda.
135. Cor pulmonale pode ser definida como:
a) aumento do ventrículo direito secundário a uma doença pulmonar.
b) aumento do ventrículo esquerdo secundário a uma doença pulmonar.
c) aumento do átrio direito secundário a uma doença pulmonar.
d) aumento do átrio esquerdo secundário a uma doença pulmonar.
Comentário
Cor pulmonale pode ser definida como alteração da estrutura e do funcionamento do ven-
trículo direito secundário a uma alteração do sistema respiratório. Apresenta evolução
crônica e lenta.
136. Na ausculta cardíaca, o foco aórtico localiza-se no:
a) 2º espaço intercostal direito.
b) 5º espaço intercostal direito.
c) 2º espaço intercostal esquerdo.
d) 5º espaço intercostal esquerdo.
137. Na ausculta cardíaca, o foco mitral localiza-se no:
a) 2º espaço intercostal direito.
b) 5º espaço intercostal direito.
c) 2º espaço intercostal esquerdo.
d) 5º espaço intercostal esquerdo.
Comentário
As áreas auscultatórias podem ser divididas em foco:
•aórtico
•pulmonar
•mitral
•tricúspide
138. Na ausculta cardíaca, o foco pulmonar localiza-se no:
a) 2º espaço intercostal direito.
b) 5º espaço intercostal direito.
01_Cardiologia.indd 27 5/30/09 12:56:18 PM
28
c) 2º espaço intercostal esquerdo.
d) 5º espaço intercostal esquerdo.
139. Na ausculta cardíaca, o foco tricúspide localiza-se no:
a) 2º espaço intercostal direito.
b) 5º espaço intercostal direito.
c) 2º espaço intercostal esquerdo.
d) 5º espaço intercostal esquerdo.
140. Complete as lacunas sobre débito cardíaco:

O volume de sangue em litros ejetado pelo coração a cada minuto é o produto do
volume ................ e da ............... O volume normal fica entre ........................ l/min.
a) sistólico, frequência cardíaca, 15 e 20 l/min.
b) diastólico, frequência cardíaca, 15 e 20 l/min.
c) sistólico, frequência cardíaca, 7 e 10 l/min.
d) sistólico, frequência cardíaca, 4 e 7 l/min.
141. Para a administração dos anticoagulantes, assinale (V) para Verdadeiro ou (F)
para Falso:
( )	
Se a medicação estiver previamente preparada, não deverá ser retirada a bolha de
ar.
( ) A bolha de ar não deverá ser introduzida durante a administração da medicação.
( )	
Ao administrar o anticoagulante, deverá ser feita uma prega de aproximadamente
2,5 cm de pele e mantê-la até o final da injeção, preferencialmente em ângulo de 90
graus.
( )	
Os anticoagulantes deverão ser administrados somente em região abdominal, de
preferência com o paciente deitado, alternando-se, a cada aplicação, o lado direito
com o esquerdo.
( )	
Não aspirar o êmbolo quando for administrar anticoagulantes para evitar o risco de
formar hematoma.
a) F; V; F; F; F. c) V; F; V; V; V.
b) F; V; F; V; F. d) V; V; F; V; F.
Comentário
Anticoagulantes são substâncias que evitam a coagulação do sangue.
01_Cardiologia.indd 28 5/30/09 12:56:19 PM
29
Gabarito
1 B 15 C 29 A 43 D 57 D 71 D 85 C 99 C 113 D 127 A 141 C
2 D 16 D 30 B 44 A 58 A 72 B 86 D 100 D 114 B 128 B
3 A 17 C 31 A 45 B 59 D 73 C 87 B 101 A 115 D 129 C
4 C 18 D 32 D 46 B 60 A 74 C 88 C 102 B 116 A 130 D
5 D 19 B 33 C 47 A 61 D 75 B 89 D 103 A 117 B 131 A
6 C 20 C 34 A 48 C 62 C 76 A 90 A 104 C 118 D 132 D
7 D 21 A 35 B 49 A 63 A 77 D 91 B 105 D 119 D 133 A
8 A 22 C 36 D 50 C 64 D 78 A 92 C 106 D 120 C 134 B
9 B 23 D 37 A 51 D 65 A 79 A 93 C 107 A 121 A 135 A
10 A 24 A 38 D 52 B 66 C 80 D 94 C 108 C 122 C 136 A
11 C 25 B 39 C 53 D 67 C 81 D 95 C 109 A 123 A 137 D
12 B 26 A 40 B 54 D 68 D 82 C 96 C 110 C 124 A 138 C
13 B 27 C 41 A 55 B 69 C 83 B 97 C 111 A 125 A 139 B
14 D 28 B 42 D 56 D 70 C 84 A 98 B 112 D 126 A 140 D
01_Cardiologia.indd 29 5/30/09 12:56:19 PM
31
1. Complete a frase. Midríase pupilar é _________________________.
a) dilatação das pupilas.
b) contração das pupilas.
c) divisão celular.
d) reprodução celular.
Comentário
Mídriase pupilar significa dilatação das pupilas. É um sinal observado em pacientes com
suspeita de lesão cerebral.
2. Em relação à temperatura corporal, é CORRETO afirmar que:
a) a temperatura por via oral é a mais precisa.
b) a temperatura mais precisa é a retal.
c) a temperatura retal é 1ºC mais elevada do que a temperatura axilar.
d) nenhuma das anteriores.
3. Para aferição da temperatura anal, é CORRETO afirmar que:
a) não há necessidade de lubrificar o termômetro antes da introdução.
b) em adultos colocá-lo na posição genupeitoral.
c) em adultos, introduzir aproximadamente 4 cm.
d) nenhuma das anteriores.
Comentário
A temperatura corpórea pode ser verificada nas regiões axilar, oral e anal. A verificação
na região anal, apesar de ser mais precisa, corresponde à temperatura interna e é pouco
utilizada em decorrência do incômodo na sua aferição.
4. O que é esterilização?
a) Destruição de bactérias.
b) 
Destruição de todas as formas de vida microbiana por um processo que utiliza agentes
químicos ou físicos, inclusive esporos.
c) Destruição do vírus da hepatite.
d) Destruição de vírus.
Centro Cirúrgico
02_Centro Ciru rgico.indd 31 5/30/09 12:56:47 PM
32
Comentário
O processo de preparo de materiais em uma instituição de saúde pode ser classificado em:
limpeza, desinfecção e esterilização. A limpeza consiste no processo de lavar com água
e sabão e enxaguar os materiais. No processo de desinfecção, o material fica submerso
em solução própria, que possui a capacidade de eliminar microrganismo, com exceção
dos esporos. Já no processo de esterilização, todos os microrganismos são eliminados,
inclusive os esporos.
5. Qual é a função do enfermeiro em uma equipe de enfermagem?
a) 
Planejar a assistência a ser prestada ao paciente e gerenciamento dos recursos que
a envolvem.
b) Comandar a equipe sem envolver-se na assistência.
c) Realizar exclusivamente atividades burocráticas.
d) Todas as alternativas estão corretas.
e) Todas as alternativas estão erradas.
6. De acordo com a classificação de Spauding, o que são artigos críticos?
a) 
Artigos ou produtos destinados ao contato com a pele íntegra e também aqueles que
não entram em contato direto com o paciente.
b) 
Artigos ou produtos que entram em contato com a pele não-íntegra, restritos a suas
camadas ou aqueles que entram em contato com mucosas íntegras.
c) Somente artigos descartáveis.
d) 
Artigos ou produtos utilizados em procedimentos invasivos com penetração em pele e
mucosas adjacentes, tecidos subepiteliais e sistema vascular, incluindo também todos
os artigos ou produtos que estejam diretamente conectados com esses sistemas.
Comentário
A classificação de Spauding recebe esse nome em homenagem a Earl H. Sapuding, que
estabeleceu, por volta de 1960, a separação dos artigos para esterilização. A classificação
separa os materiais em críticos, semicríticos e não críticos.
7. De acordo com a classificação de Spauding, o que são artigos semicríticos?
a) 
Artigos ou produtos destinados ao contato com a pele íntegra e também aqueles que
não entram em contato direto com o paciente.
b) 
Artigos ou produtos que entram em contato com a pele não-íntegra, restritos a suas
camadas ou aqueles que entram em contato com mucosas íntegras.
c) Artigos descartáveis.
d) 
Artigos ou produtos utilizados em procedimentos invasivos com penetração em pele e
mucosas adjacentes, tecidos subepiteliais e sistema vascular, incluindo também todos
os artigos ou produtos que estejam diretamente conectados com esses sistemas.
8. De acordo com a classificação de Spauding, o que são artigos não-críticos?
a) 
Artigos ou produtos destinados ao contato com a pele íntegra e também aqueles que
não entram em contato direto com o paciente.
02_Centro Ciru rgico.indd 32 5/30/09 12:56:47 PM
33
Centro Cirúrgico
b) 
Artigos ou produtos que entram em contato com a pele não-íntegra, restritos a suas
camadas ou aqueles que entram em contato com mucosas íntegras.
c) Artigos descartáveis.
d) 
Artigos ou produtos utilizados em procedimentos invasivos com penetração em pele e
mucosas adjacentes, tecidos subepiteliais e sistema vascular, incluindo também todos
os artigos ou produtos que estejam diretamente conectados com esses sistemas.
9. De acordo com a classificação de Spauding, o que é limpeza?
a) Processo que visa à remoção de sujidade somente em artigos críticos.
b) Processo que visa à remoção de sujidade somente em artigos semicríticos.
c) 
Processo que visa à remoção de sujidade visível e, por conseguinte, à diminuição da
carga microbiana.
d) Processo que visa à remoção de sujidade somente em artigos não críticos.
10. São profissionais que atuam no centro cirúrgico:
a) equipe de enfermagem, assistência social.
b) equipe de enfermagem, profissionais da farmácia, profissionais da cozinha.
c) equipe de enfermagem, equipe da manutenção predial.
d) equipes de enfermagem, médica (clínicos), administrativa e de higiene.
e) equipes médicas (cirúrgica e anestesiologia), de enfermagem, administrativa e de
higiene.
11. Não é função do enfermeiro na sala de cirurgia:
a) monitoração.
b) ações de segurança para evitar queda.
c) auxiliar o anestesiologista durante a indução anestésica com a equipe cirúrgica.
d) instrumentar a equipe médica.
e) posicionar o paciente na mesa cirúrgica, colocando os coxins para conforto.
12. A marcação de cirurgia é uma atividade complexa que envolve:
a) disponibilidade de sala e imposição médica.
b) disponibilidade de sala, disponibilidade de material e equipe de enfermagem.
c) administração de materiais, instrumentais, equipamentos, tamanho de sala adequado
ao procedimento, auxiliar ou técnico para prestar assistência e dinâmica geral do
programa cirúrgico e do setor.
d) apenas reserva de sala e sangue.
e) apenas o interesse médico.
Comentário
A marcação de cirurgia é um procedimento complexo, em que vários itens devem ser veri-
ficados. Entre eles: tempo de cirurgia previsto, utilização de materiais especiais, necessi-
dade de reserva de sangue e UTI, e classificação em contaminada ou limpa.
02_Centro Ciru rgico.indd 33 5/30/09 12:56:47 PM
34
13. A recuperação anestésica é o local onde o paciente é recebido no período do
pós-operatório imediato e fica sob observação e cuidados constantes até que
haja a recuperação da consciência, estabilidade dos sinais vitais e prevenção
das intercorrências caso ocorram. Durante essa fase, quem é o responsável pela
assistência ao paciente?
a) Cirurgião.
b) Anestesiologista.
c) Enfermeiro.
d) Auxiliar de enfermagem.
e) Técnico de enfermagem.
14. Qual destes não é um método de esterilização por agentes químicos?
a) Glutaraldeído.
b) Estéres.
c) Abitox.
d) Formaldeído.
e) Autoclave.
15. Complete: ____________ não é um método de esterilização por agentes físicos.
a) Forno de Pasteur.
b) Estufa.
c) Sterrad.
d) Raio gama.
e) Electronbeam.
16. De que maneira ocorre a esterilização por estufa?
a) Destruição bacteriana por meio da oxidação celular.
b) Destruição da bactéria por queimadura devido à alta temperatura.
c) Por inibição de crescimento.
17. Não influencia no risco de corrosão dos instrumentos cirúrgicos por cloretos:
a) aumento de temperatura.
b) tipo de cirurgia em que será utilizado o material.
c) diminuição do pH.
d) superfícies ásperas e foscas.
e) secagem insuficiente.
18. Relacione corretamente a primeira coluna com a segunda:
I. água esterilizada a) isenta de íons, os quais conduzem a energia elétrica
II. água deionizada b) isenta de íons através de resinas catiônicas e aniônicas.
III. água destilada c) isenta de íons, sais, minerais e outros, quando obtida por destilação.
IV. água dessalinizada d) isenta de micro-organismos vivos.
02_Centro Ciru rgico.indd 34 5/30/09 12:56:48 PM
35
Centro Cirúrgico
a) I c – II b – III d – IV a.
b) I c – II a – III d – IV b.
c) I d – II b – III a – IV c.
d) I d – II a – III c – IV b.
e) I d – II c – III b – IV a.
19. A utilização de substâncias ácidas ou alcalinas para a limpeza de instrumentais
pode causar deterioração, seja por oxidação, seja por desgaste químico. Logo,
devem ser usadas substâncias com o pH mais neutro possível. Qual o pH ade-
quado para tal?
a) pH = 0.
b) pH = 3.
c) pH = 5.
d) pH = 7.
e) pH = 10.
Comentário
Quando o pH está abaixo de 7, a solução é chamada de ácida e pH acima de 7, é conside-
rada solução básica.
20. Na limpeza e desinfecção pelo ultrassom, a temperatura do banho deverá ser
mantida abaixo de 45 ºC, devido a razões que favorecem sua ação no interior das
peças. Entre elas, não se pode citar:
a) evitar a coagulação das proteínas.
b) ação do vapor.
c) facilitar a limpeza dos ácidos graxos.
d) aumentar o desempenho das enzimas.
e) facilitar a volatilização dos agentes de limpeza.
Comentário
A lavagem em lavadoras de ultrassom não dispensa a lavagem manual, feita com água,
sabão e escova, para remoção de sujidade, resíduos, gordura etc. Os instrumentais são
colocados em posição aberta, com temperatura superior a 40 °C. Devem ficar imersos de
3 a 5 minutos sob frequência de 35kHz.
21. Qual desses instrumentais é o único que pode ser submetido ao processo de
esterilização por calor seco?
a) Instrumentais cirúrgicos.
b) Endoscópios rígidos.
c) Lupas para aumento da imagem.
d) Prismas óticos.
e) Cabos de fibra.
02_Centro Ciru rgico.indd 35 5/30/09 12:56:48 PM
36
Comentário
A esterilização por calor seco é feita em estufas com temperatura a 170ºC por um período
de 2 horas. Nessa situação, apenas os instrumentais metálicos resistem ao processo com-
pleto. Os demais materiais serão danificados, ou o processso não será feito de maneira
correta.
22. Para esterilização por óxido de etileno (ETO), devem-se respeitar os parâmetros
de temperatura, umidade relativa, pressão, tempo e concentração. Em valores
aproximados, são eles, respectivamente:
a) 54ºC, 0,56 bar, 60%, 120 min, 600 mg/l.
b) 54ºC, 0,56 bar, 600 mg/l, 120 min, 60%.
c) 54ºC, 60%, 600 mg/l, 120 min, 0,56 bar.
d) 54ºC, 60%, 0,56 bar, 120 min, 600 mg/l.
e) 54ºC, 600 mg/l, 60%, 120 min, 0,65 bar.
23. Por que o aço inox é mais resistente à oxidação?
a) Por ter menor concentração de oxigênio.
b) Por ter menor concentração de hidrogênio.
c) Por ter menor concentração de nitrogênio.
d) Por ter menor concentração de carbono.
e) Por ter menor concentração de ferro.
Comentário
O processo de corrosão é constituído por reações químicas que ocorrem na superfície do
metal. Cada metal, dependendo de sua composição, apresenta uma reação diferente.
24. Qual a quantidade máxima permitida de fibras óticas quebradas no sistema de
iluminação dos endoscópios?
a) Nenhuma.
b) 10%.
c) 20%.
d) 30%.
e) 40%.
25. Qual o objetivo da lavagem de mãos dos profissionais no pré-operatório?
a) Apenas proteção do profissional.
b) Eliminar a sujidade das mãos.
c) Facilitar o calçamento das luvas.
d) Evitar a colonização do paciente com a flora hospitalar.
Comentário
A lavagem das mãos é um procemento indispensável para garantir a minimização dos
riscos de infecção.
02_Centro Ciru rgico.indd 36 5/30/09 12:56:48 PM
37
Centro Cirúrgico
26. Qual o objetivo do banho pré-operatório?
a) Promover o relaxamento do paciente.
b) Retirar pelos da tricotomia.
c) Manter o organismo aquecido.
d) Eliminar a sujidade, a oleosidade e o maior número de micro-organismo patogênicos
da pele do paciente, para evitar a contaminação, durante a incisão cirúrgica da ferida
pela flora microbiana natural da pele.
e) Cumprimento de rotina hospitalar.
27. Quanto ao fluxo de trabalho, o Centro Cirúrgico é dividido em três áreas. Rela-
cione as colunas:
I. irrestritas		 (a) utilizam-se roupa privativa e gorro.
II. semirrestritas (b) utilizam-se roupa privativa, gorro e máscara.
III. restritas		 (c) pode-se utilizar roupa comum.
a) I a – II b – III c. d) I b – II c – III a.
b) I b – II a – III c. e) I c – II a – III b.
c) I c – II b – III a.
28. Assinale V (verdadeiro) e F (falso) e a sequência CORRETA. Para um processo de
desinfecção eficaz é necessário:
( ) limpeza prévia do artigo.
( ) tempo de exposição.
( ) troca da solução de acordo com sua validade.
( ) imersão parcial do artigo em solução.
a) F; F; F; F. c) V; F; V; F.
b) V; V; V; F. d) V; V; F; F.
29. São locais de verificação do pulso:
a) braquial, radial e tibial posterior.
b) temporal, radial e apical.
c) dorsal do pé, femoral e apical.
d) todas as alternativas.
Comentário
A verificação do pulso é utilizada para saber o número de contrações cardíacas por minuto.
Essa aferição deve ser feita em artérias, preferencialmente de grandes calibres e localiza-
ção superficial.
30. O movimento de abdução é:
a) membro superior reto junto ao corpo.
b) mão voltada para cima.
c) mão voltada para baixo.
d) membro superior elevado lateralmente, mantendo-se em linha reta em relação ao ombro.
e) nenhuma das anteriores.
02_Centro Ciru rgico.indd 37 5/30/09 12:56:48 PM
38
31. Na transferência de um paciente da maca para a mesa cirúrgica é necessário
observar:
a) limpeza da maca.
b) limpeza da mesa cirúrgica.
c) altura da maca em relação à mesa cirúrgica.
d) nenhuma das anteriores.
32. São características da central de materiais esterilizados, EXCETO a alternativa:
a) permitir um fluxo contínuo e unidirecional dos materiais.
b) 
o enfermeiro não faz parte do quadro de funcionários, a supervisão é sempre do
centro cirúrgico.
c) é dividida em área suja, área limpa e área estéril.
d) é responsável pela limpeza, preparo, esterilização, guarda e distribuição de material.
Comentário
O centro de material esterilizado é a área destinada ao preparo, processamento e ar-
mazenamento de materiais que necessitam de um tratamento específico. Em muitos
hospitais, todo o material é processado no centro de material, mesmo os que não
passem por processo de esterilização. Nesses casos, o processo de desinfecção tam-
bém será centralizado. De acordo com o volume de materiais processados, o centro
de material é desvinculado do centro cirúrgico, tendo funcionários, organização e área
física distintos.
33. Após o procedimento cirúrgico é INCORRETO afirmar que:
a) o paciente pode ser encaminhado para recuperação pós-anestésica.
b) o paciente pode ser encaminhado para UTI.
c) o paciente precisa estar consciente para ser transportado.
d) nenhuma das anteriores.
34. Caso o paciente apresente dor enquanto estiver na recuperação pós-anestésica,
é CORRETO:
a) administrar medicação de acordo com a prescrição médica.
b) administrar medicação somente por ordem verbal do anestesista.
c) encaminhar o paciente para o andar, para ser medicado lá.
d) nenhuma das anteriores.
35. Assinale V (verdadeiro) e F (falso) e a sequência CORRETA. Na escolha da emba-
lagem que será utilizada na esterilização de materiais é necessário observar:
( ) resistência ao manuseio evitando danos à embalagem.
( ) não conter em sua composição ingredientes tóxicos, corantes ou liberar resíduos.
( ) apresentar facilidade para abrir sem contaminar o material em seu conteúdo.
a) F; V; F. c) V; F; V.
b) V; V; V.
02_Centro Ciru rgico.indd 38 5/30/09 12:56:48 PM
39
Centro Cirúrgico
Comentário
As principais embalagens utilizadas são: tecido (algodão cru ou brim), papel (kraft, grau
cirúrgico) e inox.
36. Em relação à tricotomia, é CORRETO afirmar:
a) sempre é feita um dia antes da cirurgia.
b) sempre é feita no andar.
c) é feita no mínimo 2 horas antes da cirurgia.
d) em algumas situações pode ser feita no centro cirúrgico.
Comentário
Tricotomia é o processo de remoção de pelos do organismo. Normalmente, é um procedi-
mento pré-cirúrgico realizado no local onde o paciente estiver aguardando cirurgia, como,
por exemplo, apartamentos, enfermarias etc. Em algumas situações raras, a tricotomia
pode ser feita no centro cirúrgico após indução anestésica.
37. Assinale V (verdadeiro) e F (falso) e a alternativa que contém a sequência COR-
RETA. Em relação à esterilização, é CORRETO afirmar:
( ) 
na esterilização por estufa o material deverá permanecer a 170 ºC por um período
de 120 minutos.
( ) a esterilização em estufa tem validade de 20 dias.
( ) 
normalmente em autoclave a vapor o material fica no mínimo 30 minutos em uma
temperatura de 121 ºC a 132 ºC.
( ) 
o processo na autoclave pode ser interrompido, abrindo-se a porta, sempre que
necessário.
a) F; V; F; V.
b) F; F; F; F.		
c) V; V; V; V. 		
d) V; F; V; F.
38. Assinale a alternativa INCORRETA em relação à esterilização por óxido de etileno:
a) o óxido de etileno é um gás incolor, tóxico e inflamável.
b) a validade do material é de 3 meses a 5 anos.
c) apresenta baixo custo operacional.
d) o tempo de exposição do material é de 2 a 7 horas.
Comentário
A esterilização por óxido de etileno apresenta alto poder de penetração. É altamente tóxica
para quem manipula e para o meio ambiente, além de apresentar alto custo operacional.
39. Assinale a alternativa CORRETA em relação a agentes químicos esterilizantes:
a) os compostos à base de aldeído têm ação apenas de desinfecção.
b) são produtos altamente corrosivos.
c) tempo médio de 10 horas para esterilização.
d) não é necessária a limpeza prévia do material antes de colocar em solução.
02_Centro Ciru rgico.indd 39 5/30/09 12:56:48 PM
40
40. Limpadores enzimáticos são:
a) compostos de detergentes e enzimas capazes de dissolver e desprender a matéria
orgânica das superfícies dos materiais.
b) detergentes utilizados em pessoas.
c) detergentes utilizados em lavadoras específicas.
d) nenhuma das anteriores.
Comentário
Os limpadores enzimáticos possuem a capacidade de remover material orgânico em curto
período de tempo.
41. Em relação ao uso do álcool como desinfetante químico, pode-se afirmar:
a) para desinfecção de artigos é recomendado na concentração inferior a 60%.
b) o álcool é potente esporicida.
c) apresenta ação rápida, fácil uso e baixo custo.
d) nenhuma das anteriores.
Comentário
O álcool possui ação de desinfecção em superfícies, sendo indicado para artigos que ne-
cessitem de ação de nível intermediário ou baixo. Exemplos de materiais: termômetros,
estetoscópio, colchões, macas, otoscópios, entre outros.
42. São consideradas complicações pós-operatórias:
a) hipotensão, hipovolêmica.
b) retenção urinária, distensão abdominal.
c) pneumonia, constipação.
d) todas as alternativas.
43. Para reposição de líquidos em caso de hipovolemia pós-operatória, a via indica-
da é:
a) oral.
b) IM (intramuscular).
c) ID (intradérmica).
d) EV (endovenosa).
44. Assinale V (verdadeiro) e F (falso) e a alternativa que contém a sequência COR-
RETA. São vantagens do processo de esterilização pelo vapor:
( ) aquecimento rápido.
( ) destruição de microrganismos resistentes no prazo de tempo menor.
( ) não deixar resíduos tóxicos
a) F; V; V.		 c) V; V; V.
b) V; F; V.		 d) F; V; V.
02_Centro Ciru rgico.indd 40 5/30/09 12:56:49 PM
41
Centro Cirúrgico
45. Assinale V (verdadeiro) ou F (falso) e a alternativa que contém a sequência COR-
RETA. São cuidados pré-operatórios:
( ) coletar somente dados de alergias.
( ) verificação de sinais vitais e medidas antropométricas.
( ) manutenção do jejum necessário.
( ) obrigatoriedade de atendimento psicológico.
( ) administrar medicações via oral.
a) F; V; V; F; V.		 d) F; V; V; V; V.
b) F; V; V; F; F.		 e) F; F; V; V; V.
c) F; F; V; F; V.
46. Antes de encaminhar o paciente para o centro cirúrgico é CORRETO:
a) verificar pulseira de identificação.
b) verificar se o prontuário está completo.
c) certificar-se da retirada de próteses móveis, adornos.
d) certificar-se do consentimento para o procedimento.
e) todas as alternativas.
Comentário
A instituição precisa garantir condições de segurança para o paciente. Entre essas medi-
das, deve-se garantir que o procedimento seja realizado no paciente e local certos.
47. Durante o ato cirúrgico é responsabilidade do circulante de sala:
a) fornecer material necessário para o procedimento.
b) anotar em impresso próprio os materiais utilizados.
c) conferir número de compressas fornecidas e desprezadas.
d) todas as alternativas.
48. A farmácia do centro cirúrgico tem a finalidade de:
a) abastecer o centro cirúrgico em situações de emergência.
b) reposição de todo o material e medicamento gasto em procedimentos.
c) controlar o uso de psicotrópicos.
d) todas as alternativas.
49. Assinale V (verdadeiro) ou F (falso). Um sintoma que pode ocorrer como compli-
cação pós-operatória é:
( ) deiscência de sutura.
( ) febre.
( ) íleo paralítico.
( ) psicose pós-operatória.
A sequência correta é:
a) V; V; V; V.		 c) F; F; V; V.
b) V; V; F. V;		 d) F; F; F; V.
02_Centro Ciru rgico.indd 41 5/30/09 12:56:49 PM
42
50. O cuidado espiritual pode influenciar nos períodos pré e pós-operatório. Em rela-
ção a esse cuidado, é CORRETO afirmar:
a) os hospitais possuem capela ecumênica para esse fim.
b) os hospitais providenciam padres católicos para esse apoio.
c) não são permitidas outras manifestações religiosas, somente a católica.
d) as afirmativas a e b estão corretas.
Comentário
Os processos de certificação de qualidade total solicitam aos hospitais uma rotina pre-
determinada para atender os pacientes em suas necessidades espirituais. Nesses casos, a
instituição deverá garantir a livre manifestação religiosa, garantindo também o direito dos
outros pacientes de não participarem de manifestações contrárias ao seu credo e cultura.
51. Assinale a alternativa CORRETA. Os circuitos de respiradores devem passar por
desinfecção:
a) de baixo nível, pois o ar não é estéril.
b) a esterilização por calor seco é a mais indicada.
c) os circuitos de respiradores devem passar por desinfecção diariamente.
d) nenhuma alternativa está correta.
Comentário
Os circuitos de respiradores devem passar por processo de desinfecção entre um paciente e
outro. A desinfecção deverá ser de alto nível. O glutaraldeído é a solução mais utilizada.
52. Em relação à desinfecção de artigos não-críticos, é INCORRETO afirmar:
a) é recomendada desinfecção de baixo nível.
b) na maioria dos casos o uso de água e sabão é o suficiente.
c) a utilização de lavadoras não é recomendada.
d) são considerados artigos não-críticos: comadre, papagaio, bacias etc.
53. Em relação à doação de órgãos:
a) basta o paciente ter consentido que a doação é efetivada.
b) mesmo com consentimento do paciente, a família precisa autorizar.
c) uma equipe especializada irá verificar a possibilidade de doação dos órgãos.
d) as alternativas b e c estão corretas.
54. Durante o ato cirúrgico, os parâmetros vitais do paciente são de responsabilidade do:
a) auxiliar de enfermagem.
b) cirurgião.
c) circulante de sala.
d) anestesista.
02_Centro Ciru rgico.indd 42 5/30/09 12:56:49 PM
43
Centro Cirúrgico
55. Segundo Kübler-Ross, os cinco estágios da morte são, em ordem:
a) negação, ira, barganha, depressão e aceitação.
b) negação, barganha, depressão, ira e aceitação.
c) negação, ira, depressão, barganha e aceitação.
d) negação, depressão, ira, barganha e aceitação.
Comentário
Elisabeth Kübler-Ross nasceu em 8 de julho de 1926 e morreu em 24 de agosto de 2004.
Formou-se em Medicina e mudou a maneira como as pessoas enfrentam a morte, estipu-
lando cinco estágios em que os sentimentos vão alterando, até a pessoa ou familiar aceitar
a morte.
56. No centro cirúrgico, a via de administração de preferência é:
a) oral.
b) retal.
c) endovenosa.
d) intradérmica.
57. Os anestésicos podem ser classificados em:
a) inalatórios.
b) endovenosos.
c) alternativas a e b estão corretas.
d) nenhuma das anteriores.
58. Em crianças, o anestésico de preferência é:
a) inalatório.
b) endovenoso.
c) intramuscular.
d) retal.
e) nenhuma das anteriores.
59. Complete a frase. Ação de anestésico inalatório é _________________.
a) agir em local específico.
b) agir somente no coração.
c) agir em todo o organismo.
d) agir no cérebro.
60. O uso da hipotermia em cirurgia tem a finalidade de:
a) reduzir o metabolismo e com isso a necessidade de oxigênio.
b) reduzir a dor.
c) não se usa hipotermia em cirurgia.
d) nenhuma das anteriores.
02_Centro Ciru rgico.indd 43 5/30/09 12:56:49 PM
44
Comentário
O uso da hipotermia em cirurgias não está totalmente aceito nos meios acadêmicos. A
hipotermia entre 32 °C e 34 °C pode colaborar nos casos de diminuição da isquemia ce-
rebral.
02_Centro Ciru rgico.indd 44 5/30/09 12:56:49 PM
45
Gabarito
1 A 11 D 21 A 31 C 41 C 51 D
2 B 12 C 22 B 32 B 42 D 52 C
3 C 13 B 23 D 33 C 43 D 53 D
4 B 14 E 24 D 34 A 44 C 54 D
5 A 15 D 25 D 35 B 45 B 55 A
6 D 16 A 26 D 36 D 46 E 56 C
7 B 17 B 27 E 37 D 47 D 57 C
8 A 18 D 28 B 38 C 48 D 58 A
9 C 19 D 29 D 39 C 49 A 59 C
10 E 20 B 30 D 40 A 50 D 60 A
02_Centro Ciru rgico.indd 45 5/30/09 12:56:50 PM
02_Centro Ciru rgico.indd 46 5/30/09 12:56:50 PM
47
1. A Sra. M.C.M. dá entrada no serviço de emergência. Ela se encontra no último
trimestre de gravidez e relata sonolência, escotomas, diplopia, cefaleia, vômitos,
epigastralgia, proteinúria e edema. O quadro que a Sra. M.C.M. apresenta é com-
patível com:
a) epilepsia.
b) coma pós-epilepsia.
c) eclampsia.
d) placenta prévia.
Comentário
A eclampsia, também conhecida como DHEG (doença hipertensiva específica da gestação),
é caracterizada pela elevação dos níveis de pressão arterial, colocando em risco a vida
da mãe e a do feto. Em situações de descontrole clínico, faz-se necessária a intervenção
cirúrgica com a realização do parto cesárea.
2. Algumas alterações fisiológicas da gravidez devem ser consideradas para o aten-
dimento da gestante traumatizada, EXCETO:
a) hemodiluição.
b) hipervolemia.
c) velocidade de esvaziamento gástrico aumentado.
d) taxa de filtração glomerular aumentada.
3. No trauma da gestante, a principal causa de morte materno-fetal é:
a) cordão umbilical enrolado no pescoço da criança.
b) placenta prévia.
c) eclampsia.
d) descolamento prematuro de placenta.
Comentário
No descolamento prematuro da placenta, esta se solta do útero, interrompendo tanto o
fornecimento de nutrientes da mãe para o feto quanto de excretos do feto para a mãe.
Como o descolamento é abrupto, ocorre ruptura de vasos sanguíneos, que eleva a hemor-
ragia interna.
4. As queimaduras podem ser de diferentes etiologias e exigem ação imediata do
socorrista, com o intuito de evitar complicações ou óbito da vítima. A queimadura
é uma lesão que pode comprometer parcial ou totalmente a pele e outras estrutu-
ras mais profundas. Assinale a seguir a alternativa que corresponde às estruturas
comprometidas em uma queimadura de segundo grau:
Emergência
03_Emerge ncia.indd 47 5/30/09 12:57:10 PM
48
a) estrato córneo e epiderme.
b) derme e tecido muscular.
c) tecido muscular e ósseo.
d) epiderme e derme.
5. Artz e Pruitt (1980) definem queimadura como uma lesão causada por agentes tér-
micos, não-térmicos, químicos, elétricos ou radioativos, que atuando nos tecidos
de revestimento do corpo humano podem destruir parcial ou totalmente a pele e
seus anexos, ou atingir camadas mais profundas, como tecido celular subcutâ-
neo, músculos, tendões e ossos. Desta forma, o tratamento inicial de queimadu-
ras térmicas deve priorizar:
a) lesões da pele.
b) lesões pulmonares.
c) reposição volêmica.
d) lesões de mucosas.
6. As queimaduras constituem um grave problema socioeconômico de saúde públi-
ca. Dentre os fatores que podem aumentar a gravidade da queimadura térmica se
encontram:
a) presença de bolhas, dor, vômitos e náusea.
b) tipos de agente: água, óleo, gelatina, café.
c) uso de produtos caseiros imediatamente após a queimadura.
d) idade, SCQ, área lesada, lesões associadas (trauma ou inalação de gases tóxicos).
7. Queimaduras podem ser causadas por raio e choque elétrico. Assinale a alternati-
va que NÃO É COMUM a esses agentes causadores:
a) possibilidade de PCR por assistolia.
b) graves lesões de pele, músculos e partes moles.
c) possibilidade de arritmias cardíacas por corrente elétrica.
d) possibilidade de parada respiratória por inibição do centro respiratório.
8. As queimaduras são lesões frequentes e representam a quarta causa de morte por
trauma. Leia cuidadosamente as seguintes afirmativas:
I. 
As queimaduras podem ser classificadas quanto a profundidade, extensão e agente
causador.
II. As queimaduras químicas são as causadas por radiação, calor e ácidos.
III. As queimaduras de primeiro grau atingem apenas a epiderme.
IV. 
A avaliação da extensão das queimaduras é realizada através das camadas da pele
que estão comprometidas.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras.
b) Somente as afirmativas I, II e IV são verdadeiras.
c) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas II, III e IV são verdadeiras.
03_Emerge ncia.indd 48 5/30/09 12:57:10 PM
49
Emergência
9. Criança de 10 anos deu entrada no setor de emergência vítima de queimadura
por leite quente. No exame físico, apresenta eritema, edema e flictemas na região
do braço e essas características classificam a queimadura dessa criança como
sendo de:
a) 1º grau.
b) 2º grau.
c) 3º grau.
d) 4º grau.
Comentário
Flictema é uma bolha de pequena dimensão cheia de líquido seroso.
10. De acordo com a regra dos nove para avaliar a superfície corpórea queimada
(SCQ), pode-se dizer que a criança do item anterior teve aproximadamente:
a) 27% de SCQ.
b) 18% de SCQ.
c) 9% de SCQ.
d) 36% de SCQ.
Comentário
Pela regra dos nove, em queimados, a área corpórea é dividida em regiões e para cada uma
é determinado um valor múltiplo de 9. Os membros superiores correspondem a 9% cada
um; membros inferiores, 18% cada um; cabeça e pescoço, 9%; genitais, 1%; e tronco
(ventral e dorsal), 36%. Essa divisão serve para auxiliar na determinação da área corpórea
atingida.
11. No atendimento a grandes queimados, a terapia de reposição hídrica venosa é de-
nominada por alguns autores como sendo “ressuscitação volêmica”, devido às
alterações hidroeletrolíticas sofridas nas primeiras 48 horas. Esta terapia inclui:
a) 
coloides (sangue total, plasma e expansores plasmáticos), importantes porque o vo-
lume sanguíneo tem uma redução significante nas primeiras 48 horas, devido ao
grande sangramento.
b) cristaloides/eletrólitos (soro fisiológico ou ringer com lactato), importantes por resta-
belecer o equilíbrio hídrico e contribuir com a restauração dos níveis plasmáticos.
c) 
cristaloides e coloides são igualmente dispensáveis, pois a queimadura resulta em
diminuição brusca do hematócrito e hemoglobina. Desta forma, só concentrado de
hemácias é suficiente.
d) 
coloides, eletrólitos e glicose hipertônica são igualmente indispensáveis, pois dimi-
nuem o edema pulmonar, aumentam a motilidade gastrointestinal e reduzem o meta-
bolismo dos carboidratos.
Comentário
Em grandes queimados, a ressuscitação volêmica será baseada na adequação da fisiopa-
tologia da lesão e dos liquidos que serão utilizados nessa reposição.
03_Emerge ncia.indd 49 5/30/09 12:57:10 PM
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf
Livro Expert questões de concurso.pdf

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Livro Expert questões de concurso.pdf

Uso seguro-medicamentos
Uso seguro-medicamentosUso seguro-medicamentos
Uso seguro-medicamentosAlberto Lima
 
2017 protocolos em medicina interna orc
2017   protocolos em medicina interna orc2017   protocolos em medicina interna orc
2017 protocolos em medicina interna orcMarianaCabral51
 
Sala vermelha no HUB STARTRJ
Sala vermelha no HUB STARTRJSala vermelha no HUB STARTRJ
Sala vermelha no HUB STARTRJNvestor
 
REVISTA INDERME- ENFERMAGEM ATUAL
REVISTA INDERME- ENFERMAGEM ATUALREVISTA INDERME- ENFERMAGEM ATUAL
REVISTA INDERME- ENFERMAGEM ATUALAndréa Dantas
 
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da SaúdeEstratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da SaúdeRobson Peixoto
 
Epidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completo
Epidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completoEpidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completo
Epidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completoRobsonGomes753918
 
Desafio Operações Unitárias
Desafio Operações UnitáriasDesafio Operações Unitárias
Desafio Operações Unitáriashenriquetabosa
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem
Sistematização da Assistência de EnfermagemSistematização da Assistência de Enfermagem
Sistematização da Assistência de EnfermagemWhevergton Santos
 
Brochura_2016_2017
Brochura_2016_2017Brochura_2016_2017
Brochura_2016_2017Helena Sousa
 
Concepção da atuação dos enfermeiros.pdf
Concepção da atuação dos enfermeiros.pdfConcepção da atuação dos enfermeiros.pdf
Concepção da atuação dos enfermeiros.pdftaticfarias28
 
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêuticaGuias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêuticaangelitamelo
 
Coleta e preparo da amostra biológica SBPC/ML (2014)
Coleta e preparo da amostra biológica SBPC/ML (2014)Coleta e preparo da amostra biológica SBPC/ML (2014)
Coleta e preparo da amostra biológica SBPC/ML (2014)Juliana Lima
 

Semelhante a Livro Expert questões de concurso.pdf (20)

Medica seguros coren
Medica seguros corenMedica seguros coren
Medica seguros coren
 
Uso seguro-medicamentos
Uso seguro-medicamentosUso seguro-medicamentos
Uso seguro-medicamentos
 
2017 protocolos em medicina interna orc
2017   protocolos em medicina interna orc2017   protocolos em medicina interna orc
2017 protocolos em medicina interna orc
 
Aleitamento: 5a turma de Especialização - Passo 1 SP
Aleitamento: 5a turma de Especialização - Passo 1 SP Aleitamento: 5a turma de Especialização - Passo 1 SP
Aleitamento: 5a turma de Especialização - Passo 1 SP
 
Sala vermelha no HUB STARTRJ
Sala vermelha no HUB STARTRJSala vermelha no HUB STARTRJ
Sala vermelha no HUB STARTRJ
 
Relatorio 1
Relatorio 1Relatorio 1
Relatorio 1
 
Manual de exames 2013 hermes-pardini
Manual de exames 2013 hermes-pardiniManual de exames 2013 hermes-pardini
Manual de exames 2013 hermes-pardini
 
REVISTA INDERME- ENFERMAGEM ATUAL
REVISTA INDERME- ENFERMAGEM ATUALREVISTA INDERME- ENFERMAGEM ATUAL
REVISTA INDERME- ENFERMAGEM ATUAL
 
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da SaúdeEstratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
Estratégias para a Segurança do Paciente - Manual para Profissionais da Saúde
 
Epidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completo
Epidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completoEpidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completo
Epidemiologia_Gordis_5_ed.pdf - livro completo
 
Desafio Operações Unitárias
Desafio Operações UnitáriasDesafio Operações Unitárias
Desafio Operações Unitárias
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem
Sistematização da Assistência de EnfermagemSistematização da Assistência de Enfermagem
Sistematização da Assistência de Enfermagem
 
Guiadevacinas
GuiadevacinasGuiadevacinas
Guiadevacinas
 
Brochura_2016_2017
Brochura_2016_2017Brochura_2016_2017
Brochura_2016_2017
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagemAnotações de enfermagem
Anotações de enfermagem
 
Concepção da atuação dos enfermeiros.pdf
Concepção da atuação dos enfermeiros.pdfConcepção da atuação dos enfermeiros.pdf
Concepção da atuação dos enfermeiros.pdf
 
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêuticaGuias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
Guias de pratica clínica e prescrição farmacêutica
 
Manual do Calouro
Manual do CalouroManual do Calouro
Manual do Calouro
 
Folder Institucional
Folder InstitucionalFolder Institucional
Folder Institucional
 
Coleta e preparo da amostra biológica SBPC/ML (2014)
Coleta e preparo da amostra biológica SBPC/ML (2014)Coleta e preparo da amostra biológica SBPC/ML (2014)
Coleta e preparo da amostra biológica SBPC/ML (2014)
 

Último

As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 

Último (20)

As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 

Livro Expert questões de concurso.pdf

  • 2. Perguntas e respostas comentadas que abrangem mais de 20 matérias para exames e concursos Organizadora: Rosangela Aparecida Sala Jeronimo 2a edição Atualizada e revista • Cardiologia • Centro Cirúrgico­• Emergência • Ética • Gastroenterologia • Ginecologia e Obstetrícia • Oncologia • Ortopedia • Pediatria • Prevenção e Controle de Infecção Hospitalar • Sistema Endócrino • Sistema Renal • Sistema Respiratório • Psiquiatria • Saúde Pública • Sistema Nervoso • Técnicas Básicas • UTI • Administração • Língua Portuguesa • Vacinação • Legislação 00_Iniciais.indd 1 6/5/09 6:40:31 PM
  • 3. ii Presidente e Editor Italo Amadio Diretora Editorial Katia F. Amadio Projeto Gráfico HDesign Conceito Diagramação Ricardo Mittelstaedt Revisão Carla Montagner Flávia Brandão Gisela Carnicelli Patrizia Zagni Produção Gráfica Hélio Ramos Impressão Leograf Gráfica e Editora Ltda. E x p e d i e n t e Expert enfermagem / organizadora Rosangela Aparecida Sala Jeronimo. – 2. ed. – São Paulo : Rideel, 2009. 1. Enfermagem - Estudo e ensino 2. Enfermagem – Problemas, exercícios etc. I. Jeronimo, Rosangela Aparecida Sala. 09-05703 CDD-610.7307 Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Índice para catálogo sistemático: 1. Enfermagem : Estudo e ensino 610.7307 ISBN 978-85-339-1282-3 © Copyright – todos os direitos reservados à: Av. Casa Verde, 455 – Casa Verde CEP 02519-000 – São Paulo – SP www.rideel.com.br – e-mail: sac@rideel.com.br Proibida qualquer reprodução, seja mecânica ou eletrônica, total ou parcial, sem a permissão expressa do editor. 1 3 5 7 9 8 6 4 2 0 6 0 9 00_Iniciais.indd 2 6/5/09 6:40:31 PM
  • 4. iii P r e f á c i o Com o propósito de promover conhecimentos e dar bases instrumentais a profissionais e a estudantes que desejam atuar na área de enfermagem, tem origem este livro,cujo conteúdo é fruto de anos de experiência de sua organizadora, profissio- nal aficionada na qualidade e melhoria dos resultados assistenciais. Produto de observações, investigações, estudos, pesquisas e vivência profis- sional voltados às áreas de Cardiologia, Centro Cirúrgico, Emergências e demais especialidades, o livro destina-se a elevar substancialmente os conhecimentos dos lei- tores, capacitá-los para equacionar e solucionar questões pertinentes à Enfermagem e assim alcançar o sucesso profissional. Além das questões técnicas abordadas,seu conteúdo é também enriquecido pela temática da questão ética, imprescindível para nortear as ações e conduta profissional. Antesdeencerrar,nãopossodeixardeexpressarminhaadmiraçãopelos profissio- nais da enfermagem, empenhados em transmitir e compartilhar os seus conhecimentos, e especialmente pela organizadora, por sua dedicação e contínuo interesse em elevar o nome de nossa profissão. Aos leitores, aqui segue o meu convite: não apenas leiam este livro, mas, so- bretudo, o estudem com muita atenção e carinho. Fumico Sonoda Gerente Assistencial de Enfermagem – HCor. 00_Iniciais.indd 3 6/5/09 6:40:35 PM
  • 5. iv Coordenadora do Projeto Rosangela Aparecida Sala Jeronimo Enfermeira graduada pela Escola Paulista de Medicina, pós-graduada em Administração Hospitalar pelo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento em Pesquisa Hospitalar e Gestão de Qualidade pelas Faculdades Oswaldo Cruz. Coordenadora do Serviço de Qualidade do Hospital do Coração e do curso de Enfermagem na Escola da Saúde. Áreas: Língua Portuguesa e Centro Cirúrgico. Adriana Machado Covino Mestre em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. Especialista em Saúde Pública pela Universidade de Ribeirão Preto e docente do curso de Enfermagem da Universidade Ibirapuera. Área: Psiquiatria. Elisabete Cordoba Graduada pelo Centro Universitário de Santo André. Enfermeira especialista em Enfermagem Pediátrica e Neo- natal pela UNINOVE (cursando). Licenciada em Ciências Biológicas pela UNINOVE. Áreas: Pediatria e Saúde Pública. Janeth Aparecida de Andrade Graduada em Enfermagem pela Universidade Cidade de São Paulo, especialista em Geriatria e Gerontologia pela Universidade Federal de São Paulo. Áreas: Nefrologia, Endocrinologia, Ginecologia, Pneumologia, Neurologia e Oncologia. Jane Grace Andrade de Faria Formada pela Universidade Cidade de São Paulo. Especialista em Pediatria pela Universidade de Guarulhos. Coordenadora do cursoTécnico de Enfermagem pelo Senac - Itaquera. Áreas: Introdução de Enfermagem e Farmacologia. Aline Laurenti Cheregatti Enfermeira graduada pela PUC-CAMP, pós-graduada em Terapia Intensiva e Home Care pela USP e em Admi- nistração Hospitalar pelo Centro Universitário São Camilo. Enfermeira da Educação Continuada do Hospital do Coração e docente da Escola da Saúde. Área: Legislação, Unidade deTerapia Intensiva e Cardiologia. Cláudia Gonçalves Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem da USP, pós-graduada, Residência em Cardiologia pelo INCOR- HCFMUSP, Cuidados Intensivos pela Escola de Enfermagem da USP, Dermatologia em Enfermagem pela Univer- sidade Federal de São Paulo, Docente da Escola da Saúde e mestranda pela Universidade Federal de São Paulo. Áreas: Pronto-Socorro e Ortopedia. Adriana Maria da Silva Graduada pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (USP). Especialista em Controle de Infecção pela Uni- versidade Federal de São Paulo. Especialista em Epidemiologia pela Fundação GetúlioVargas. Mestranda em En- fermagem Fundamental pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Área: Infecção Hospitalar. A u t o r e s 00_Iniciais.indd 4 6/5/09 6:40:36 PM
  • 6. v R e v i s o r e s T é c n i c o s Sue Kariya Chiu Graduada em Enfermagem e Especialista em Enfermagem Pediátrica pela Escola Paulista de Medicina/Unifesp. Aprimoramento em PediatriaAmbulatorial pela Fac. de Medicina da Universidade de São Paulo. Yelma Jacob Bacharel em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da USP. Especialista em Oncologia pela Fundação Antonio Prudente – Hospital do Câncer; Pediatria, pelo Instituto de Pesquisa do Hosp.Albert Einstein; e Cuidados Inten- sivos e Emergência à Criança e aoAdolescente, pelo Instituto da Criança da USP. 00_Iniciais.indd 5 6/5/09 6:40:36 PM
  • 7. S u m á r i o Siglas e abreviaturas. .........................................................................................................VII Cardiologia Clínica / Cirúrgica. .............................................................................................1 Gabarito.........................................................................................................................29 Centro Cirúrgico.................................................................................................................31 Gabarito.........................................................................................................................45 Emergência........................................................................................................................47 Gabarito.......................................................................................................................121 Ética.................................................................................................................................123 Gabarito.......................................................................................................................143 Gastroenterologia.............................................................................................................145 Gabarito.......................................................................................................................155 Ginecologia e Obstetrícia.................................................................................................157 Gabarito.......................................................................................................................187 Oncologia.........................................................................................................................189 Gabarito.......................................................................................................................201 Ortopedia. .........................................................................................................................203 Gabarito.......................................................................................................................223 Pediatria...........................................................................................................................225 Gabarito.......................................................................................................................273 Prevenção e Controle de Infecção Hospitalar. .................................................................275 Gabarito.......................................................................................................................295 Psiquiatria. ........................................................................................................................297 Gabarito.......................................................................................................................313 Saúde Pública..................................................................................................................315 Gabarito.......................................................................................................................365 Sistema Endócrino...........................................................................................................367 Gabarito.......................................................................................................................389 Sistema Nervoso..............................................................................................................391 Gabarito....................................................................................................................... 411 Sistema Renal..................................................................................................................413 Gabarito.......................................................................................................................439 Sistema Respiratório........................................................................................................441 Gabarito.......................................................................................................................461 Técnicas Básicas.............................................................................................................463 Gabarito.......................................................................................................................573 UTI. ...................................................................................................................................575 Gabarito.......................................................................................................................629 Administração. ..................................................................................................................631 Gabarito.......................................................................................................................683 Língua Portuguesa...........................................................................................................685 Gabarito.......................................................................................................................707 Legislação........................................................................................................................709 Vacinação.........................................................................................................................783 00_Iniciais.indd 6 6/5/09 6:40:36 PM
  • 8. vii Siglas e abreviaturas ABEn –Associação Brasileira de Enfermagem. ACTP –Angioplastia coronária transluminal percutânea. AIDS – Síndrome da imunodeficiência adquirida (sigla em inglês). APH –Atendimento pré-hospitalar. ATLS – Suporte avançado de vida no trauma. AV –Acidente vascular. AVC – Acidente vascular cerebral. AVE –Acidente vascular encefálico. AVF – Derivação do eletrocardiograma localizada no pé. AVL – Derivação do eletrocardiograma localizada no lado esquerdo. AVR – Derivação do eletrocardiograma localizada no lado direito. AZT – Azidotimidina. BAV – Bloqueio atrioventricular. Bat/min – Batimentos por minuto. BCG –Vacinação contra a tuberculose. BIA – Balão intra-aórtico. BZD – Benzodiazepínicos. Bpm – Batimentos por minuto. Ca+ – Íon de cálcio. CAP – Cateter de artéria pulmonar. CAPS – Centro de apoio psicossocial. CCIH – Comissão de controle de infecção hospitalar. CIA – Comunicação intra-atrial. CIPA – Comissão interna de prevenção de acidentes. CIV – Comunicação intraventricular. CK – Creatinoquinase ou creatinocinase. CK-MB – Enzima creatinofosfoquinase. CPK – Creatinofosfoquinase. CPF – Cadastro de pessoa física. CO2 – Dióxido de carbono. COFEN – Conselho Federal de Enfermagem. COREN – Conselho Regional de Enfermagem. COT – Cânula orotraqueal. CVE – Centro de vigilância epidemiológica. DC – Débito cardíaco. DDH – Decúbito dorsal horizontal. DIU – Dispositivo intrauterino. 00_Iniciais.indd 7 6/5/09 6:40:36 PM
  • 9. viii DL – Decúbito lateral. DMH – Doença da membrana hialina. DNA –Ácido desoxirribonucleico. DPOC – Doença pulmonar obstrutiva crônica. DST – Doença sexualmente transmissível. dT –Vacina contra difteria e tétano. DTP –Vacina tríplice (difteria + tétano + coqueluche). DV – Decúbito ventral. E.coli – Escherichia coli. EAP – Edema agudo do pulmão. ECG – Eletrocardiograma. ECT – Eletroconvulsoterapia. EEG – Eletroencefalograma. EMG – Eletromiografia. EP – Equipamento de proteção. EPC – Equipamento de proteção coletiva. EPI – Equipamento de proteção individual. EV – Endovenosa. ETO – Óxido de etileno. FA – Fibrilação atrial. FA –Vacina contra febre amarela. FC – Frequência cardíaca. FiO2 – Fração inspiratória de oxigênio. FR – Frequência respiratória. FV – Fibrilação ventricular. GABA –Ácido alfa-aminobutírico. GIG – Grande para idade gestacional. HAS – Hipertensão arterial sistêmica. HDA – Hemorragia digestiva alta. HDB – Hemorragia digestiva baixa. Hep B –Vacina contra hepatite B. HIV –Vírus daAIDS. Hib –Vacina contra infecções causadas por Haemophilus influenzae do tipo B, entre elas a meningite. HPV –Vírus da herpes. H2 O –Água. IAM – Infarto agudo do miocárdio. ICC – Insuficiência cardíaca congestiva. ID – Intradérmica. IgA – ImunoglobulinaA. 00_Iniciais.indd 8 6/5/09 6:40:37 PM
  • 10. ix IgE – Imunoglobulina E. IgM – Imunoglobulina M. IM – Intramuscular. IRA – Insuficiência renal aguda. IRC – Insuficiência renal crônica. ITU – Infecção do trato urinário. K+ – Íon potássio. kcal – Unidade de medida quilocaloria. KCl – Cloreto de potássio. kg – Quilograma. KMnO4 – Permanganato de potássio. LDH/DHL – Desidrogenase lática. LEC – Líquido extracelular. MEC – Ministério da Educação e Cultura. Mg/dl – Miligrama por decilitro. Mg/ml – Miligrama por mililitro. mmHg – Milímetros de mercúrio. Ml – Mililitro. MMII – Membros inferiores. MMSS – Membros superiores. MSD – Membro superior direito. MSE – Membro superior esquerdo. Na+ – Íon sódio. NaCl – Cloreto de sódio. NAPS – Núcleo de atenção psicossocial. NAV – Nódulo atrioventricular. NPP – Nutrição parenteral periférica. NPT – Nutrição parenteral total. O2 – Oxigênio. PA – Pressão arterial. PAD – Pressão arterial diastólica. PAM – Pressão arterial média. PAS – Pressão arterial sistólica. PCR – Parada cardiorrespiratória. PEEP – Pressão expiratória positiva final (sigla em inglês). PHTLS –Atendimento pré-hospitalar ao paciente com trauma (sigla em inglês). PIC – Pressão intracraniana. PICC – Cateter venoso central de inserção periférica (sigla em inglês). PIG – Pequeno para idade gestacional. PIS – Número de identificação social. 00_Iniciais.indd 9 6/5/09 6:40:37 PM
  • 11. x PPA – Pressão de perfusão abdominal. PPC – Pressão de perfusão cerebral. PPD –Teste intradérmico para tuberculose. PVC – Pressão venosa central. RCP – Ressuscitação cardiopulmonar. RFM – Reação à luminosidade. Rh – Fator Rhesus. RN – Recém-nascido. RG – Registro geral. SC – Subcutânea. SCR –Vacina contra sarampo, caxumba e rubéola. SCQ – Superfície corpórea queimada. SDR – Síndrome do desconforto respiratório. SG 5%– Solução com glicose na concentração de 5%. SGOT –Transaminase glutâmica oxalacética sérica. SF 0,9% – Solução fisiológica na concentração de 0,9%. SNA – Sistema nervoso autônomo. SNC – Sistema nervoso central. SNE – Sonda nasoenteral. SNG – Sonda nasogástrica. SR –Vacina contra sarampo e rubéola. SRO – Solução de reidratação oral. SRT – Serviço residencial terapêutico. SSVV – Sinais vitais. SUS – Sistema Único de Saúde. TCE –Trauma cranioencefálico. TFG –Taxa de filtração glomerular. TMO –Transplante de medula óssea. TSH – Hormônio estimulante da tireoide. TV –Taquicardia ventricular. UBS – Unidade Básica de Saúde. UTI – Unidade deTerapia Intensiva. VCT –Valor calórico total. VD –Ventrículo direito. VDRL – Exame laboratorial para detectar sífilis (sigla em inglês). VO –Via oral. VOP –Vacina contra pólio (paralisia infantil). 00_Iniciais.indd 10 6/5/09 6:40:37 PM
  • 12. 1 1. Aumentar o débito cardíaco e reduzir o consumo miocárdio de oxigênio é fina- lidade do: a) cateter de Swan-Ganz. b) balão intra-aórtico. c) cateter de PIC. d) nenhuma das anteriores. Comentário O cateter de PIC, também conhecido como cateter de CCIP, tem por finalidade permitir o acesso de veia central com a inserção sendo feita por uma veia periférica. O procedimento é realizado por enfermeiros que possuem treinamento específico. Esse cateter é consi- derado de longa permanência e diminui a quantidade de acessos venosos periféricos em tratamentos longos com drogas injetáveis. 2. As bulhas cardíacas B3, também chamadas de galope ventricular, ocorrem quando: a) os átrios se contraem. b) os ventrículos se contraem. c) a valva aórtica se fecha antes da mitral. d) as valvas mitral e tricúspide se abrem e o sangue dos átrios entra abruptamente nos ventrículos. Comentário As bulhas cardíacas são os sons decorrentes das vibrações das estruturas cardíacas du- rante seu ciclo. A bulha B3 resulta da vibração da parede ventricular; sua audição é consi- derada normal em atletas, crianças e adolescentes. 3. As bulhas cardíacas B4, também chamadas de galope atrial, ocorrem quando: a) os átrios se contraem. b) os ventrículos se contraem. c) a valva aórtica se fecha antes da mitral. d) as valvas mitral e tricúspide se abrem e o sangue dos átrios entra abruptamente. 4. Analise as sentenças a seguir: I. Sopros não são bulhas cardíacas, mas estão relacionados com condições patológicas. II. O sopro é fisiológico. III. O sopro advém do desdobramento das bulhas. a) somente a II é verdadeira. b) somente a III é falsa. c) somente a I é verdadeira. Cardiologia Clínica / Cirúrgica 01_Cardiologia.indd 1 6/5/09 6:51:43 PM
  • 13. 2 d) I e III são verdadeiras. 5. Os sopros sistólicos são auscultados: a) em B1. b) em B2. c) entre B2 e B1. d) entre B1 e B2. 6. Os sopros diastólicos são auscultados: a) em B1. b) em B2. c) entre B2 e B1. d) entre B1 e B2. 7. Analise as sentenças a seguir: I. O som do sopro sistólico é gerado quando o ventrículo se enche. II. O sopro sistólico está relacionado com insuficiência tricúspide, estenose aórtica ou pulmonar. III. O sopro diastólico é gerado quando o ventrículo se contrai. IV. O sopro diastólico está relacionado com estenose tricúspide ou mitral. a) todas são verdadeiras. b) todas são falsas. c) somente I e III são verdadeiras. d) somente II e IV são verdadeiras. 8. Na bulha B1: a) as valvas mitral e tricúspide se fecham. b) as valvas aórtica e pulmonar se fecham. c) as valvas mitral e tricúspide se abrem. d) as valvas aórtica e pulmonar se abrem. Comentário A bulha B1 está relacionada ao fechamento das valvas tricúspide e mitral. 9. Na bulha B2: a) as valvas mitral e tricúspide se fecham. b) as valvas aórtica e pulmonar se fecham. c) as valvas mitral e tricúspide se abrem. d) as valvas aórtica e pulmonar se abrem. Comentário A audição da bulha B2 está relacionada ao fechamento das valvas aórtica e pulmonar. 01_Cardiologia.indd 2 6/5/09 6:51:44 PM
  • 14. 3 Cardiologia 10. No interior da célula miocárdica há: a) elevada concentração de potássio. b) elevada concentração de sódio. c) elevada concentração de magnésio. d) baixa concentração de potássio. 11. Quando a célula miocárdica está em repouso e polarizada há: a) elevada concentração de potássio no intracelular e elevada concentração de sódio no extracelular. b) baixa concentração de potássio no intracelular e elevada concentração de sódio no extracelular. c) elevada concentração de potássio no intracelular e baixa concentração de sódio no extracelular. d) baixa concentração de potássio no intracelular e baixa concentração de sódio no extracelular. Comentário Célula polarizada é aquela que no seu interior encontra-se uma grande quantidade de ânions proteicos. 12. O procedimento utilizado para reverter arritmias mediante a utilização de corren- te elétrica direta e sincronizada é chamado de: a) desfibrilação. b) cardioversão. c) cardiodesfibrilação. d) nenhuma das anteriores. Comentário A cardioversão é um procedimento realizado com o auxílio de um equipamento cardiover- sor, que possui a característica de sincronizar seu estímulo elétrico ao estímulo elétrico do coração. As contrações cardíacas ocorrem por descarga de estímulos elétricos. 13. Na cardioversão: a) o desfibrilador identifica a onda P para o sincronismo. b) o desfibrilador identifica a onda R para o sincronismo. c) o desfibrilador identifica o complexo QRS para o sincronismo. d) o desfibrilador identifica a onda T para o sincronismo. Comentário O sincronismo na cardioversão ocorre na onda R, que representa a contração dos ven- trículos. A onda P corresponde à contração dos átrios e a onda T, ao relaxamento dos ventrículos. O ciclo completo P, QRS e T corresponde a uma contração cardíaca. Em um adulto normal- mente ocorrem 80 contrações por minuto. 01_Cardiologia.indd 3 6/5/09 6:51:44 PM
  • 15. 4 14. As pás para a realização da cardioversão deverão ser colocadas: a) uma na região do tórax à direta, na linha axilar média, e a outra à esquerda do ester- no, no segundo espaço intercostal. b) uma na região apical à esquerda, na linha axilar média, e a outra à esquerda do es- terno, no quinto espaço intercostal. c) é utilizada apenas uma pá para o procedimento que deverá ser colocada sobre a região apical à esquerda. d) uma na região apical à esquerda, na linha axilar média, e a outra à direita do esterno, no segundo espaço intercostal. 15. O gás utilizado no balão intra-aórtico para a terapia da contrapulsação é: a) oxigênio. b) nitrogênio. c) hélio. d) ar comprimido. Comentário Para a terapia de contrapulsação é utilizado o balão intra-aórtico, e para insuflar esse balão, pode-se utilizar os gases hélio ou o dióxido de carbono. 16. São cuidados no uso do BIA: I. verificar extremidade do membro onde o balão está inserido. II. manter paciente em decúbito dorsal horizontal a 90º. III. observar o sítio de inserção do cateter (balão). a) somente I é verdadeira. b) somente II é verdadeira. c) somente III é verdadeira. d) I e III são verdadeiras. 17. O marcapasso cardíaco é um método artificial de estimulação do miocárdio que pode utilizar: a) somente estimulador temporário transtorácico. b) somente estimulador temporário transvenoso. c) estimulador temporário transtorácico e estimulador temporário transvenoso. d) nenhuma das anteriores. Comentário O marcapasso pode ser temporário (quando a arritmia é reversível) ou definitivo (quando a bradicardia é irreversível). Sua implantação pode ser por via transvenosa (endocárdicos) ou por toracotomia (epicárdicos). 18. Diástole significa: a) relaxamento atrial. b) contração ventricular. c) fase do relaxamento ventricular na qual ocorre a despolarização. d) fase do relaxamento ventricular na qual ocorre a repolarização. 01_Cardiologia.indd 4 6/5/09 6:51:44 PM
  • 16. 5 Cardiologia 19. Sístole significa: a) relaxamento atrial. b) contração ventricular. c) fase do relaxamento ventricular na qual ocorre a despolarização. d) fase do relaxamento ventricular na qual ocorre a repolarização. Comentário A sístole cardíaca corresponde à contração dos ventrículos. O ventrículo direito, ao con- trair-se, expulsa o sangue em direção ao pulmão, onde ocorrerá a sua oxigenação. O ven- trículo esquerdo, por sua vez, expulsa o sangue através da aorta para todo o organismo, levando o sangue já oxigenado. 20. Assinale a alternativa CORRETA: a) derivações bipolares são as AVR, AVL e AVF. b) derivações unipolares são as DI, DII e DIII. c) derivações bipolares são as DI, DII e DIII. d) derivações bipolares são as V1, V2, V3, V4, V5 e V6. Comentário As derivações precordiais (V1,V2,V3,V4,V5 e V6) são unipolares e constituem o polo po- sitivo. As derivações dos membros são divididas unipolares/monopolares (aVR, aVL e aVF) e bipolares (DI, DII, DIII – formam o triângulo de Einthoven). 21. Automatismo significa: a) capacidade de a célula iniciar espontaneamente o impulso. b) deslocamento de íons através da membrana celular e também como a célula respon- de ao estímulo elétrico. c) capacidade que a célula tem em transmitir um impulso elétrico para outra célula car- díaca. d) o ato de contração das células após estimulação elétrica. 22. Condutividade significa: a) capacidade de a célula iniciar espontaneamente o impulso elétrico. b) deslocamento de íons através da membrana celular e também como a célula respon- de ao estímulo elétrico. c) capacidade de transmissão do impulso elétrico de uma célula cardíaca para outra célula cardíaca. d) capacidade de contração celular após receber um estímulo elétrico. 23. V1, V2, V3, V4, V5 e V6 visualizam: a) a parede lateral do coração. b) a parede anterior do coração. c) a parede inferior do coração. d) as paredes lateral e inferior do coração. 01_Cardiologia.indd 5 6/5/09 6:51:44 PM
  • 17. 6 Comentário As derivações pré-cordiais seguem o seguinte esquema de colocação de eletrodos: V1: 4º espaço intercostal direito junto do esterno. V2: 4º espaço intercostal esquerdo junto do esterno. V3: equidistante de V2 e V4. V4: 5º espaço intercostal esquerdo na linha médio-clavicular. V5: 5º espaço intercostal esquerdo na linha axilar anterior. V6: 5º espaço intercostal esquerdo na linha média axilar. 24. No papel do eletrocardiógrafo: a) o tempo é visto no eixo horizontal e a amplitude, no eixo vertical. b) o tempo é visto no eixo vertical e a amplitude, no eixo horizontal. c) o tempo é visto no eixo horizontal e cada quadrado pequeno corresponde a 0,5 s. d) o tempo é visto no eixo vertical e cada quadrado pequeno corresponde a 0,5 s. Comentário O tempo é visualizado no eixo horizontal e cada quadrado corresponde a 0,04 s. O eixo vertical permite visualizar a amplitude (voltagem) e cada quadrado corresponde a 0,1 mv. 25. A onda P significa: a) despolarização ventricular. b) despolarização atrial. c) repolarização ventricular. d) repolarização atrial. 26. O complexo QRS significa: a) despolarização ventricular. b) despolarização atrial. c) repolarização ventricular. d) repolarização atrial. 27. A onda T significa: a) despolarização ventricular. b) despolarização atrial. c) repolarização ventricular. d) repolarização atrial 28. R-R significa: a) identificação do ritmo atrial. b) identificação do ritmo ventricular. c) que a frequência é atrioventricular. d) repolarização atrial. 01_Cardiologia.indd 6 6/5/09 6:51:44 PM
  • 18. 7 Cardiologia 29. Durante a cardioversão, o desfibrilador deverá: a) estar com o modo sincronizado ligado. b) não há a necessidade de manter o desfibrilador no modo sincronizado. c) não há relação entre sincronismo e cardioversão. d) nenhuma das anteriores. 30. Qual é o marcador bioquímico de lesão miocárdica que se eleva mais precoce- mente no IAM? a) CK-total. b)Troponina. c) Mioglobina. d) CK-MB atividade. Comentário A troponina é uma proteína encontrada no músculo cardíaco. Na ocorrência de um dano cardíaco, a troponina é liberada no sangue no período de 4 a 6 horas do início da dor e permanece elevada até 10 dias, permitindo assim um período de tempo maior para detec- tar algum dano. 31. Assinale a alternativa CORRETA sobre o sistema de condução: a) nó sinusal → feixe de Bachmann → nó AV → feixe de His → fibra de Purkinje. b) nó sinusal → nó AV → fibra de Purkinje → feixe de His. c) nó sinusal → feixe de Bachmann → nó AV → fibra de Purkinje → feixe de His. d) nó sinusal → fibra de Purkinje → nó AV → feixe de His → feixe de Bachmann. 32. Qual o local para colocação do eletrodo explorador V5, no momento de realizar um eletrocardiograma? a) Lado direito do esterno no quarto espaço intercostal. b) À esquerda do esterno no quarto espaço intercostal. c) Quinto espaço intercostal sobre a linha axilar média. d) Quinto espaço intercostal sobre a linha axilar anterior. Comentário Há eletrocardiógrafos em que as derivações pré-cordiais são colocadas antes do início do exame e outros equipamentos cujo eletrodo da derivação é único e colocado a cada deri- vação, retardando a realização do exame. 33. Qual o valor normal do intervalo PR? a) 0,6 a 0,10 s. b) 0,8 s. c) 0,12 a 0,20 s. d) 0,36 a 0,44 s. 01_Cardiologia.indd 7 6/5/09 6:51:45 PM
  • 19. 8 Comentário Cada quadrado (menor) do papel de eletrocardiograma corresponde a 0,04 s. O intervalo PR normal corresponde a 5 quadradinhos. 34. Qual intervalo, complexo, segmento ou onda representa a condução do impulso atrial até o NAV? a) Intervalo PR. b) Complexo QRS. c) Segmento ST. d) Onda P. Comentário Existem eletrocardiógrafos em que as derivações pré-cordiais são colocadas antes do início do exame e outros equipamentos onde o eletrodo da derivação é único e colocado a cada derivação, retardando a realização do exame. 35. O que caracteriza o BAV (bloqueio atrioventricular)de 2º grau tipo I (Mobitz I ou Wenckbach)? a) Ausência de QRS entre duas ondas P. b) Aumento progressivo do intervalo PR até surgir uma onda P bloqueada. c) Dissociação AV. d) Onda P bloqueada subitamente. Comentário O bloqueio atrioventricular é definido como uma falha na condução do estímulo elétrico, podendo ser permanente ou transitório. O bloqueio tipo Mobitz I caracteriza-se por um aumento do intervalo PR. 36. A pós-carga refere-se: a) à força de contração miocárdica. b) ao volume de sangue que a carga contém no fim da diástole. c) ao volume que chega da circulação sistêmica. d) à pressão contra a qual uma câmara cardíaca deve ejetar o sangue durante a sístole. 37. O débito cardíaco é determinado por: a) frequência cardíaca x volume sistólico. b) frequência cardíaca x volume terminodiastólico. c) volume sistólico + volume terminodiastólico. d) pós-carga x pré-carga. 38. Fontes de impulso neural que regulam o miocárdio incluem: a) receptores de distensão atrial. b) o sistema limbino. c) barorreceptores no seio carotídeo e aorta. d) todas as respostas estão corretas. 01_Cardiologia.indd 8 6/5/09 6:51:45 PM
  • 20. 9 Cardiologia Comentário Barorreceptores são células cardíacas que auxiliam no controle da pressão arterial e estão localizadas no arco aórtico. 39. A pré-carga refere-se: a) à pressão contra a qual as câmaras cardíacas devem ejetar sangue durante a sístole. b) à carga miocárdica. c) à quantidade de distensão colocada sobre a fibra muscular cardíaca imediatamente antes da sístole. d) quantidade de distensão colocada sobre a fibra muscular cardíaca imediatamente antes da diástole. 40. O impulso cardíaco origina-se: a) no nó atrioventricular. b) no nó sinoatrial. c) no feixe de His. d) nas fibras de Purkinje. Comentário O nó ou nódulo sinoatrial localiza-se na parte superior do átrio direito e é considerado o marcapasso natural. O estímulo elétrico gerado nesse nó será conduzido para todo o cora- ção, promovendo sua contração. Em casos de falha na geração do impulso elétrico pelo nó sinoatrial, outro conjunto de células cardíacas poderá assumir esse comando. 41. É CORRETO dizer que o nosso marcapasso fisiológico é: a) nó sinoatrial. b) nó atrioventricular. c) nó sinoatrial e nó atrioventricular. d) ramo direito e ramo esquerdo. 42. As bulhas cardíacas representam que período do ciclo cardíaco? a) Sístole e diástole. b) Somente diástole. c) Somente sístole. d) Fechamentos e aberturas das válvulas. 43. A contração do músculo cardíaco se dá por meio de: a) saída de Ca+ e rompimento da ligação actina-miosina. b) entrada de Ca+ e interação do complexo renina-angiotensina. c) saída de Ca+ e interação de actina-miosina. d) entrada de Ca+ e interação de actina-miosina. 01_Cardiologia.indd 9 6/5/09 6:51:45 PM
  • 21. 10 Comentário A contração do músculo cardíaco ocorre pela despolarização das células miocárdicas com a entrada de cálcio no miócito. 44. Assinale a alternativa CORRETA sobre as propriedades específicas do músculo cardíaco. a) Condutibilidade (cromotropismo) diz respeito à condução do processo de ativação elétrica por todo o miocárdio, numa sequência sistematicamente estabelecida. b) Automatismo diz respeito à capacidade de o coração NÃO gerar seus próprios estí- mulos, dependendo de fatores extrínsecos. c) Inotropismo (contratilidade) diz respeito à capacidade de contração isolada de cada célula da musculatura cardíaca, diferente de um sincício. d) Batmotropismo diz respeito à capacidade de as células da musculatura cardíaca per- manecerem excitadas, portanto contraídas, por muito tempo. 45. Quando se ANTAGONIZA a ação de β (beta) 2 se produz: a) broncodilatação e vasodilatação. b) broncoconstrição e vasoconstrição. c) feedback negativo sobre α 1. d) aumento da frequência cardíaca. Comentário Antagônico significa contraditório. 46. A fase de sístole atrial é essencial para o enchimento ventricular? a) Sim, pois é a fase na qual a maior parte do volume de sangue escorre dos átrios para os ventrículos. b) Não, cerca de 70% do sangue escoa para os ventrículos durante a fase de enchimen- to rápido. c) Não, a fase essencial para o enchimento ventricular é a diástole. d) Sim, já que é essa contração que efetivamente impulsiona o sangue para os ven- trículos. Comentário A contração atrial contribui com um volume adicional de sangue no enchimento ventricu- lar; entretanto, cerca de 70% do enchimento ocorre passivamente durante a diástole. Os orifícios das veias cavas e pulmonares são estreitados pela contração do miocárdio atrial que os circunda, e a inércia do sangue que entra no coração tende a manter o sangue no seu interior. 47. O que diferencia a célula cardíaca contrátil da célula muscular esquelética? a) Presença de discos intercalares, separando as fibras. b) Diferente potencial de ação. c) A musculatura cardíaca é composta de músculos lisos. d) Nada, as células são absolutamente iguais. 01_Cardiologia.indd 10 6/5/09 6:51:45 PM
  • 22. 11 Cardiologia Comentário A célula muscular estriada é também chamada de fibra muscular e possui inúmeros núcle- os. As células cardíacas possuem estriação transversal e são uninucleares. 48. Qual o efeito da estimulação de β (beta) 1 sobre o coração? a) Bradicardia e ↓ contratilidade. b) Bradicardia. c) ↑ contratilidade. d) ↓ contratilidade. Comentário As substâncias beta-adrenérgicas promovem estímulos do sistema simpático, aumentado sua ação. 49. Qual das alternativas a seguir é um sinal de insuficiência cardíaca congestiva no adulto? a) Sopro de ejeção sistólica. b) Sopro holossistólico. c) Sopro telessistólico. d) Sopro metadiastólico. 50. Qual dos seguintes órgãos contém o maior porcentual de CKMB? a) Músculo esquelético. b) Córtex cerebral. c) Coração. d) Fígado. 51. Em relação às enzimas cardíacas, pode-se dizer que no infarto: a) somente a CK-MB se eleva. b) há elevação de CK-MB E CPK. c) somente a CPK, MB, LDH se elevam. d) troponina, CPK, MB, LDH estão elevadas. 52. É CORRETO dizer que as enzimas CPK e MB retornam ao normal em: a) 2 dias. b) 2-3 dias. c) após 24 horas. d) 7-14 dias. 01_Cardiologia.indd 11 6/5/09 6:51:46 PM
  • 23. 12 Comentário Quando ocorre um dano cardíaco, a MB (mioglobina) é liberada entre 2 e 4 horas, retor- nando aos níveis normais após 24 a 36 horas. Já a CK-MB (creatino quinase MB) é liberada entre 3 e 8 horas, retornando aos níveis basais após 48 a 72 horas. 53. Hoje no infarto qual tem sido considerada uma enzima específica do coração? a) Tropina, troponina C. b) CK-MB. c) CK-MB, troponina. d) Troponina. 54. Sobre o infarto agudo do miocárdio é CORRETO dizer que: a) é uma lesão isquêmica. b) é uma lesão reversível. c) é uma oclusão parcial. d) é a ocorrência de morte celular. 55. A primeira bulha é marcada pelo: a) fechamento das válvulas aórtica e pulmonar. b) fechamento das válvulas mitral e tricúspide. c) abertura das válvulas aórtica e pulmonar. d) abertura das válvulas mitral e tricúspide. 56. Quais válvulas são conhecidas como semilunares? a) Tricúspide e mitral. b) Mitral e aórtica. c) Tricúspide e pulmonar. d) Pulmonar e aórtica. Comentário As válvulas cardíacas impedem o refluxo do sangue durante as contrações tanto dos átrios quanto dos ventrículos. As válvulas encontradas nas saídas dos ventrículos são denomi- nadas semilunares, pois apresentam a forma de semilua. Essas válvulas correspondem à pulmonar e à aórtica. 57. O músculo cardíaco é dividido em: a) miocárdio, epicárdio. b) epicárdio, miocárdio, endocárdio. c) epicárdio, endocárdio. d) miocárdio, endocárdio, pericárdio. 58. O músculo cardíaco tem tecido: a) liso e esquelético. b) somente liso. 01_Cardiologia.indd 12 6/5/09 6:51:46 PM
  • 24. 13 Cardiologia c) somente esquelético. d) nenhuma das anteriores. 59. Em relação ao sistema fisiológico de condução elétrica, os íons importantes para manter-se estável são: a) sódio, potássio, fósforo. b) sódio, potássio, fósforo e magnésio. c) sódio, potássio, magnésio. d) sódio, potássio, cálcio e magnésio. 60. O ciclo cardíaco começa pela: a) geração espontânea de um potencial de ação no sinusal. b) geração espontânea de um potencial de ação no atrioventricular. c) geração espontânea de um potencial de ação no sinusal e atrioventricular. d) nenhuma das anteriores. 61. O ciclo cardíaco consiste em um período de relaxamento e contração denominado: a) diástole. b) sístole. c) sístole e diástole. d) diástole e sístole. 62. Em qual período do ciclo cardíaco as coronárias são perfundidas? a) Sístole. b) Diástole. c) No final da diástole. d) No final da sístole. 63. No ECG, que onda representa os átrios? a) Onda P. b) Onda R. c) Intervalo PR. d) Onda T. 64. É conhecido como marcapasso fisiológico: a) feixe de His. b) nó atrioventricular. c) fibras de Purkinje. d) nó sinusal. 65. O QRS no ECG representa: a) despolarização ventricular. b) repolarização atrial. 01_Cardiologia.indd 13 6/5/09 6:51:46 PM
  • 25. 14 c) repolarização ventricular. d) nenhuma das anteriores. 66. É conhecida como tempo porta-agulha: a) o tempo do infarto. b) o tempo para realização do ECG. c) o tempo para realizar trombolítico. d) o tempo para realizar angioplastia primária. Comentário O tempo compreendido entre a entrada do paciente no hospital e o início da terapêutica com trombolítico é conhecido por tempo porta-agulha. Vários fatores interferem nesse período de tempo, como: demora no processo de admissão do paciente; demora na avaliação inicial; demora na interpretação do eletrocardiograma; demora na preparação da droga etc. O ideal é que esse tempo não seja superior a 30 minutos. 67. O tempo porta-agulha no infarto do miocárdio é: a) 45 min. b) 30 min. c) 90 min. d) até 3 horas. 68. Qual o significado de Mona? a) Monitoração, oxigênio, nitrato e analgesia. b) Monitoração, oxigênio, nitrato e aspirina. c) Analgesia, oxigênio, nitrato, aspirina. d) Morfina, oxigênio, nitrato e aspirina. 69. É CORRETO dizer que na angina estável: a) há melhora após uso de aspirina. b) há melhora após uso de nitrato e aspirina. c) há melhora após 15 min do uso de nitrato. d) não há melhora. 70. Os principais sinais do infarto agudo do miocárdio, conhecido como “dor típica”, são: a) precordialgia, dispneia pararoxística, epigastralgia, náuseas. b) precordialgia, náuseas, êmese, epigastralgia. c) precordialgia com irradiação para MSE, mandíbula, epigastralgia, náuseas, êmese, sudorese e dispneia. d) somente a alternativa b está correta. 01_Cardiologia.indd 14 6/5/09 6:51:46 PM
  • 26. 15 Cardiologia Comentário O quadro clínico típico de infarto agudo do miocárdio é: •Dor no peito. •Irradiação da dor para os braços esquerdo, para o abdome, pescoço, queixo ou pescoço. •Sudorese fria. •Falta de ar. •Fraqueza ou perda dos equilíbrios súbitos. •Náuseas e vômitos. •Desmaios. •Taquicardia e palpitações. •Confusão mental. •Agitação. 71. Podem-se dizer que no infarto agudo do miocárdio com supra de ST o tratamento considerado ouro é: a) angioplastia de resgate. b) angioplastia de reperfusão. c) uso de trombolítico e angioplastia de resgate. d) angioplastia primária. 72. No infarto, quais exames devem ter um controle por 24 horas? a) Enzimas cardíacas, função renal, glicemia. b) Enzimas cardíacas e bioquímica. c) Somente bioquímica. d) Somente as enzimas cardíacas. 73. O valor da enzima CK-MB pode ter um valor falso-negativo quando há: a) aplicação de injeção intramuscular. b) lesão muscular. c) estresse cirúrgico. d) todas as alternativas anteriores. 74. Todas as provas diagnósticas a seguir são usadas na avaliação de pacientes com doença da artéria coronariana, EXCETO: a) estudo de perfusão do tálio com esforços. b) angiografia coronária. c) ECG de sinal médio. d) ECG de esforço. 75. A monitoração do Holter e os estudos eletrofisiológicos com provas diagnósticas são mais utilizados em quais das patologias cardíacas a seguir? a) IAM. b) Taquicardia ventricular. c) Insuficiência cardíaca congestiva. d) Isquemia miocárdica. 01_Cardiologia.indd 15 6/5/09 6:51:46 PM
  • 27. 16 Comentário A monitorização do Holter é um eletrocardiograma de longa duração (24 horas) que regis- trará as alterações cardíacas diante das atividades rotineiras do paciente. 76. As arritmias que devem ser tratadas com cardioversão elétrica são: a) taquicardia ventricular com pulso, flutter atrial e fibrilação atrial de alta resposta ventricular. b) taquicardia ventricular sem pulso, flutter atrial e fibrilação atrial de baixa resposta ventricular. c) fibrilação atrial, flutter e taquicardia supraventricular. d) as alternativas a e b estão corretas Comentário Os casos de flutter atrial estão relacionados a arritmias no átrio direito. São mais comuns em homens. 77. Amiodarona é uma droga utilizada somente para: a) arritmias supraventriculares. b) arritmias atriais. c) nos dois tipos, pois é uma droga antiarrítmica. d) arritmias ventriculares. 78. Os átrios possuem uma frequência específica de: a) 400-600 bpm. b) 300-400 bpm. c) 100-200 bpm. d) as alternativas estão todas incorretas. 79. No ritmo juncional, pode-se dizer que não há visualização de: a) onda P. b) onda R. c) onda T. d) ondas P e R. Comentário O ritmo juncional é o ritmo cardíaco comandado pelo nó atrioventricular. Normalmente, o ritmo cardíaco é controlado pelo nó sinusal. 80. Qual das enzimas cardíacas citadas a seguir, continuará anormal após 12 horas de infarto agudo do miocárdio? a) Transaminase glutâmico-oxalacético sérica (SGOT). b) Desidrogenase lática (DHL). c) Creatinoquinase (CK-MB). d) Creatinoquinase (CK). 01_Cardiologia.indd 16 6/5/09 6:51:47 PM
  • 28. 17 Cardiologia 81. A taquicardia supraventricular pode ser revertida por: a) massagem do seio carotídeo. b) administração de xilocaína em bolus. c) administração de Ancoron® em bolus. d) massagem carotídea e uso de adenosina endovenosa se não houver resposta. 82. Qual das anormalidades eletrolíticas a seguir aumenta a sensibilidade do cora- ção ao digital e suas arritmias associadas? a) Hipercalemia. b) Hipercalcemia. c) Hipocalemia. d) Hipocalcemia. 83. A hipercalemia produz qual tipo de alterações no ECG? a) Intervalo QT prolongado. b) Encurtamento do intervalo QT. c) Ondas U salientes. d) Ondas T altas, em pico. Comentário A hipercalemia é caracterizada pela elevação dos níveis de potássio no sangue. Com essa elevação, o ritmo cardíaco torna-se anormal e o coração pode parar de contrair. Os primei- ros sintomas são batimentos cardíacos extras. O intervalo QT refere-se à repolarização ventricular. 84. Ao cuidar de um paciente que apresentou uma série de taquicardias ventricula- res, todas as alternativas são verdadeiras a respeito dessa arritmia, EXCETO: a) é sempre indicado o tratamento imediato com cardioversão elétrica. b) o paciente pode manter a consciência durante o episódio de TV. c) a TV é definida como três ou mais batimentos ventriculares prematuros em uma série. d) a TV pode deteriorar-se em uma fibrilação ventricular quando não tratada adequada- mente. 85. Qual dos seguintes medicamentos diminui a contratilidade do músculo cardíaco? a) Digital. b) Glucagon. c) Propranolol. d) Cálcio. 86. Qual o antiarrítmico, dos citados a seguir, tem meia-vida de 10 s e também pode ser utilizado no tratamento de arritmia supraventricular? a) Procainamida. b) Propafenona. 01_Cardiologia.indd 17 6/5/09 6:51:47 PM
  • 29. 18 c) Lidocaína. d) Adenosina. Comentário A procainamida é uma droga utilizada em arritmias ventriculares e supraventriculares. Pos- sui meia-vida curta, o que torna necessária a administração de várias doses durante o dia. Propafenona: antiarrítmico utilizado em arritmias ventriculares. Lidocaína: utilizada como antiarrítmico quando a arritmia ventricular está associada à is- quemia do miocárdio. Adenosina: antiarrítmico utilizado em taquicardias supraventriculares. Possui ação em segun- dos quando administrada em bolus rápido, preferencialmente por acesso venoso central. 87. Após a ACTP (angioplastia coronária transluminal percutânea), o sintoma mais evidente de uma complicação é: a) temperatura elevada. b) recidiva da angina. c) pele fria, úmida. d) náuseas e sudorese. Comentário A angioplastia é realizada através de uma punção arterial que pode ser: radial, ulnar, bra- quial ou femoral. 88. As complicações resultantes da valvuloplastia por balão incluem todas, EXCETO: a) sangramento no local da punção arterial. b) embolização sistêmica. c) reestenose. d) perfuração ventricular direita. 89. Quais sinais podem evidenciar uma frequência cardíaca baixa? a) Sudorese, pele fria, hipotensão, oligúria. b) Sudorese, dispneias, hipotensão. c) Diminuição do débito de diurese. d) As alternativas a e c estão corretas. 90. O suporte básico de vida primário inclui: a) manter vias aéreas pérvias, ventilação, circulação com massagem cardíaca. b) manter vias aéreas pérvias, uso de drogas. c) manter vias aéreas pérvias, ventilação com massagem cardíaca, acesso periférico. d) somente a alternativa a está correta. 91. O suporte de vida avançado inclui: a) manter vias aéreas pérvias, ventilação, acesso venoso, definir ritmo cardíaco. b) entubação, garantir ventilação, acesso venoso, definir ritmo e ministrar drogas e diag- nóstico diferencial. 01_Cardiologia.indd 18 6/5/09 6:51:47 PM
  • 30. 19 Cardiologia c) entubação, definir ritmo cardíaco. d) nenhuma das anteriores. 92. As drogas iniciais mais utilizadas na parada cardíaca são: a) atropina, noradrenalina, gluconato de cálcio. b) atropina, adrenalina, gluconato de cálcio, bicarbonato. c) atropina, adrenalina. d) nenhuma das anteriores. Comentário Atropina: promove a taquicardia, utilizada para reverter bradicardia severa. Noradrenalina: aumenta a contração cardíaca e a condução do estímulo elétrico. Gluconato de cálcio: aumenta a quantidade de íons de cálcio em casos de hipocalemia. Adrenalina: promove aumento das contrações cardíacas e faz que o sangue chegue mais rápido até os órgãos nobres, como coração e cérebro. Bicarbonato: correção de desequilíbrio ácido-básico. 93. A desfibrilação cardíaca é indicada nas arritmias: a) FV e TV com pulso. b) FV e fribrilação atrial. c) FV e TV sem pulso. d) nenhuma das anteriores. Comentário FV significa fibrilação ventricular, quando as contrações cardíacas podem chegar até 300 bat/min. 94. Um paciente com fibrilação atrial aguda será submetido à cardioversão elétrica. Quais exames devem ser realizados previamente? a) Sódio, potássio, cálcio, magnésio. b) Potássio e magnésio. c) Potássio, magnésio e ecocardiograma. d) Somente a alternativa a está correta. 95. Qual a ordem para o ciclo cardíaco? a) Enchimento rápido, sístole atrial, contração isovolúmica, ejeção (rápida e lenta). b) Contração isovolumétrica, ejeção (rápida e lenta), sístole atrial, enchimento rápido. c) Enchimento rápido, diástole, sístole atrial, contração isovolumétrica e ejeção (rápida). d) As alternativas a e b estão corretas. 96. Pode-se considerar bradicardia sinusal: a) FC 50 bpm. b) FC 40 bpm. c) FC 60 bpm. d) todas as alternativas estão incorretas. 01_Cardiologia.indd 19 6/5/09 6:51:47 PM
  • 31. 20 Comentário Bradicardia sinusal é caracterizada pela diminuição do estímulo elétrico gerado no nó sinusal. 97. Quais exames devem ser realizados no pós-operatório imediato de cirurgia cardíaca? a) Ureia, creatinina, sódio, potássio e hemograma. b) Ureia, creatinina, sódio, potássio e coagulograma. c) Ureia, creatina, sódio, potássio, coagolugrama, hemograma, raio-X e ECG. d) Sódio, potássio e urina I. 98. No pós-operatório imediato de cirurgia cardíaca, o controle dos sinais vitais deve ser realizado de: a) 30 min em 30 min. b) 1 hora em 1 hora. c) 2 horas em 2 horas. d) deve ser seguida a rotina de cada hospital. 99. Após quantas horas o paciente em pós-operatório imediato pode ser alimentado quando extubado: a) Após 24 horas. b) 8 horas. c) 6 horas. d) Deve ser seguida a rotina de cada hospital. Comentário A intubação prolongada pode levar à estenose da traqueia e pregas vocais. 100. Quais as principais sintomatologias após uso de contraste em cateterismo cardíaco: a) Dispneia, náuseas, perda da consciência, hipotensão, parada respiratória (choque anafilático). b) Parada cardíaca, náuseas, perda da consciência. c) Parada respiratória (choque cardíaco), náuseas e vômitos. d) Dispneia, perda da consciência, hipotensão, parada respiratória (choque anafilático). Comentário O cateterismo cardíaco pode ser feito para pesquisar dados fisiológicos como pressões cavitárias, amostra de sangue para dosagem de oxigênio. Dados funcionais também são pesquisados como débito, volumes ventriculares e dados anatômicos com avaliação do trajeto do cateter e injeção de contraste. 101. Nas complicações pós-cateterismo cardíaco, pode-se citar: a) pseudoaneurisma, hematomas, sangramentos, fístula arteriovenosa, oclusão trom- bótica, trombose arterial, perfuração e hematoma retroperitoneal, embolização pe- riférica. b) pseudoaneurisma, hematoma, sangramentos, oclusão trombótica. 01_Cardiologia.indd 20 6/5/09 6:51:47 PM
  • 32. 21 Cardiologia c) hematoma, sangramento e pseudoaneurisma. d) as alternativas a e b estão corretas. Comentário O cateterismo cardíaco é um procedimento invasivo realizado por um médico com a função de fazer diagnóstico ou tratamento do coração. É feito com a introdução de um cateter longo, fino e flexível cuja inserção é em vasos sanguíneos de grande calibre, localizados nos membros inferiores, membros superiores ou pescoço, sendo levado até o coração. 102. As válvulas cardíacas biológicas: a) exigem coagulação durante a vida toda. b) têm durabilidade precária. c) são válvulas preferidas para o paciente com menos de 50 anos de idade. d) têm maior incidência de tromboembolia. 103. As válvulas mecânicas: a) exigem coagulação durante a vida toda. b) têm durabilidade precária. c) são válvulas preferidas para o paciente com menos de 50 anos de idade. d) têm maior incidência de tromboembolia. 104. Após a cirurgia de troca de válvula, ocorre com maior incidência: a) fibrilação ventricular. b) infarto agudo do miocárdio. c) fibrilação atrial. d) nenhuma das anteriores. 105. O sangramento pós-operatório no paciente de cirurgia cardíaca pode ser trata- do com: a) protamina. b) PEEP. c) autotransfusão. d) todas as anteriores. 106. A intervenção para o índice cardíaco diminuído produzida por pós-carga aumen- tada logo depois da cirurgia cardíaca inclui: a) autotransfusão. b) gotejamento de dopamina. c) expansão de volume. d) cobertores e calor radiante. 107. Quando o receptor de transplante cardíaco apresenta bradicardia, qual o trata- mento que não deve ser usado? 01_Cardiologia.indd 21 6/5/09 6:51:48 PM
  • 33. 22 a) Atropina. b) Isoproterenol. c) Marcapasso. d) Adrenalina. 108. No receptor de transplante cardíaco, a rejeição é diagnosticada por: a) alterações do ECG. b) cateterismo cardíaco. c) biópsia endomiocárdica. d) níveis de ciclosporina. Comentário A rejeição de um transplante de coração pode ser diagnosticada por meio de avaliação his- topatológica de biópsias de células endomiocárdicas. As alterações funcionais aparecem tardiamente. 109. Na insuficiência cardíaca, pode-se dizer que as drogas que melhoram a sobrevida são: a) digital, betabloqueador, inibidor da enzima de angiotensina, diurético. b) antiarrítmico, betabloqueador e diurético. c) drogas vasoativas, betabloqueador e diurético. d) nenhuma das anteriores. 110. A insuficiência cardíaca é classificada como: a) classes funcionais I e II. b) classes funcionais I, II e III. c) classes funcionais I, II, III e IV. d) somente a alternativa b está correta. Comentário A insuficiência cardíaca é uma síndrome em que ocorre a incapacidade de o coração manter o débito cardíaco em níveis normais. Pode ser classificada em classes funcionais I, II, III e IV. 111. Pode-se definir insuficiência cardíaca como: a) falência miocárdia final comum de diversas cardiopatias. b) falência miocárdia final da doença coronariana. c) falência miocárdia final secundária a hipertensão. d) falência miocárdia final secundária a diabetes. 112. A estenose mitral é a patologia caracterizada por: a) obstrução da via de saída do átrio esquerdo. b) obstrução da via de saída do átrio direito. c) obstrução do fluxo cardíaco. d) nenhuma das anteriores. 01_Cardiologia.indd 22 6/5/09 6:51:48 PM
  • 34. 23 Cardiologia 113. O sopro na estenose mitral pode ser auscultado em que fase do ciclo cardíaco? a) Sístole e diástole. b) Mesossistólico. c) Telossistólico. d) Diástole. 114. A valva tricúspide localiza-se entre: a) átrio esquerdo e artéria pulmonar. b) átrio direito e ventrículo direito. c) átrio esquerdo e ventrículo esquerdo. d) ventrículo esquerdo e circulação sistêmica. 115. A valva pulmonar localiza-se entre: a) átrio esquerdo e artéria pulmonar. b) átrio direito e ventrículo direito. c) átrio esquerdo e ventrículo esquerdo. d) ventrículo direito e artéria pulmonar. 116. A valva mitral localiza-se entre: a) átrio esquerdo e ventrículo esquerdo. b) átrio direito e ventrículo direito. c) átrio esquerdo e ventrículo direito. d) ventrículo direito e artéria pulmonar. 117. As valvas atrioventriculares são: a) aórtica e pulmonar. b) mitral e tricúspide. c) aórtica e mitral. d) tricúspide e aórtica. 118. As valvas semilunares são: a) mitral e tricúspide. b) aórtica e mitral. c) tricúspide e aórtica. d) pulmonar e aórtica. 119. As artérias do coração são chamadas de: a) artéria safena. b) artéria mamária. c) artéria epigástrica. d) artérias coronárias. 01_Cardiologia.indd 23 5/30/09 12:56:18 PM
  • 35. 24 120. A artéria coronária direita irriga: a) ventrículo esquerdo. b) ventrículo direito. c) o nodo atrioventricular. d) átrio esquerdo. Comentário Artéria coronária divide-se em artérias coronárias direita e esquerda. A coronária esquerda irriga a parede ântero-lateral do ventrículo esquerdo, átrio esquerdo e a porção anterior do septo interventricular. 121. Na fibrilação atrial, a frequência de resposta ventricular está: a) abaixo de 60 batimentos/minuto. b) abaixo de 100 batimentos/minuto. c) acima de 100 batimentos/minuto. d) entre 60 e 100 batimentos/minuto. 122. No ritmo juncional acelerado, o complexo QRS aparece: a) estreitado. b) alargado. c) normal. d) não aparece. Comentário O complexo QRS tem duração entre 0,05 e 0,10 segundo. 123. As principais manifestações clínicas da síndrome de Marfan são nos sistemas: a) esquelético, cardiovascular e ocular. b) esquelético, cardiovascular e renal. c) esquelético, cardiovascular e neurológico. d) esquelético, cardiovascular e digestório. 124. Quais as cardiopatias congênitas que apresentam hipofluxo pulmonar? a) Tetralogia de Fallot, atresia tricúspide e anomalia de Ebstein. b) CIA, tetralogia de Fallot, atresia tricúspide. c) CIV, tetralogia de Fallot, atresia tricúspide. d) CIA, CIV e anomalia de Ebstein. Comentário: Tetralogia de Fallot: é caracterizada por quatro anomalias que culminam com insuficiência de sangue oxigenado. É um defeito congênito. Atresia tricúspide: é uma patologia cardíaca caracterizada pela obstrução do sangue do átrio direito para o ventrículo direito. É uma doença congênita. 01_Cardiologia.indd 24 5/30/09 12:56:18 PM
  • 36. 25 Cardiologia Anomalia de Ebstein: má formação da válvula tricúspide. CIA: comunicação interatrial. CIV: comunicação interventricular. 125. Quais as considerações hemodinâmicas da tetralogia de Fallot? a) CIV, obstrução da via de saída pulmonar, hipertrofia do VD e dextroposição da aorta. b) CIA, obstrução da via de saída pulmonar, hipertrofia do VD e dextroposição da aorta. c) CIA, atresia tricúspide e anomalia de Ebstein. d) CIA, dextroposição da aorta e anomalia de Ebstein. 126. Os principais tipos de cirurgias paliativas em cardiopediatria são: a) anastomose de Blalock-Taussig, anastomose de Glenn, anastomose de Potts. b) anastomose de Waterston-Cooley. c) cirurgia de Marfan, anastomose de Blalock-Taussig. d) correção intra-atrial, cirurgia de Marfan e anastomose de Glenn. e) anastomose de Blalock-Taussig, anastomose de Glenn e cirurgia de Marfan. Comentário Anastomose de Blalock-Taussig: cirurgia em que é criado um shunt para ligar a artéria aorta à artéria pulmonar. Anastomose de Potts: é uma variação da anastomose de Blalock-Taussig. Anastomose de Glenn: anastomose da veia cava superior com a artéria pulmonar direita. Anastomose de Waterston-Cooley: anastomose da artéria aorta descendente e a artéria pulmonar direita. 127. A anastomose de Blalock-Taussig é definida como: a) anastomose término-lateral da artéria subclávia no ramo direito ou esquerdo da artéria pulmonar. b) anastomose látero-lateral da aorta descendente com ramo esquerdo da artéria pulmonar. c) anastomose término-terminal da veia cava superior com ramo direito da artéria pul- monar. d) nenhuma das anteriores. 128. A anastomose de Potts é definida como: a) anastomose término-terminal da veia cava superior com ramo direito da artéria pulmonar. b) anastomose látero-lateral da aorta descendente com ramo esquerdo da artéria pulmonar. c) anastomose término-lateral da artéria subclávia no ramo direito ou esquerdo da artéria pulmonar. d) nenhuma das anteriores. 01_Cardiologia.indd 25 5/30/09 12:56:18 PM
  • 37. 26 129. A anastomose de Glenn é definida como: a) anastomose término-lateral da artéria subclávia no ramo direito ou esquerdo da artéria pulmonar. b) anastomose látero-lateral da aorta descendente com ramo esquerdo da artéria pul- monar. c) anastomose término-terminal da veia cava superior com ramo direito da artéria pulmonar. d) nenhuma das anteriores. 130. Os enxertos que podem ser utilizados na cirurgia das coronárias são: a) somente safena e mamária. b) somente safena e radial. c) safena, radial e mamária. d) safena e mamária, radial, epigástrica. Comentário Atualmente, os excelentes resultados da utilização da artéria torácica interna esquerda têm estimulado o uso crescente de outros enxertos arteriais alternativos, como: ambas as artérias torácicas internas, artéria gastroepiploica, artéria epigástrica inferior e da radial como enxertos livres ou compostos, com resultados superiores aos dos enxertos venosos, a curto e longo prazos. 131. A sutura que se faz para unir um enxerto de mamária ou de safena à artéria coronária é chamada de: a) anastomose. b) sutura. c) junção. d) transplante. Comentário Sutura significa o fechamento de uma incisão. 132. A técnica que consiste na retirada do sangue do corpo para passá-lo por um oxige- nador que bombeia o sangue de volta para o organismo do paciente chama-se: a) circulação cardíaca. b) pequena circulação. c) grande circulação. d) circulação extracorpórea. Comentário Técnica em que o bombeamento do sangue e sua oxigenação são garantidos pelo uso de um equipamento específico que capta o sangue venoso, processa o sangue em seu interior e devolve para o organismo sangue oxigenado. 133. Quando o sangue venoso que se encontra no ventrículo direito vai para as artérias pulmonares, dirigindo-se para os pulmões e percorrendo os capilares pulmonares, é chamado de: a) pequena circulação. 01_Cardiologia.indd 26 5/30/09 12:56:18 PM
  • 38. 27 Cardiologia b) média circulação. c) hematose. d) grande circulação. 134. A grande circulação começa ........................... e termina .......................... a) no átrio direito, no ventrículo esquerdo. b) no ventrículo esquerdo, na aurícula direita. c) na aurícula direita, na aurícula esquerda. d) no ventrículo direito, na aurícula esquerda. 135. Cor pulmonale pode ser definida como: a) aumento do ventrículo direito secundário a uma doença pulmonar. b) aumento do ventrículo esquerdo secundário a uma doença pulmonar. c) aumento do átrio direito secundário a uma doença pulmonar. d) aumento do átrio esquerdo secundário a uma doença pulmonar. Comentário Cor pulmonale pode ser definida como alteração da estrutura e do funcionamento do ven- trículo direito secundário a uma alteração do sistema respiratório. Apresenta evolução crônica e lenta. 136. Na ausculta cardíaca, o foco aórtico localiza-se no: a) 2º espaço intercostal direito. b) 5º espaço intercostal direito. c) 2º espaço intercostal esquerdo. d) 5º espaço intercostal esquerdo. 137. Na ausculta cardíaca, o foco mitral localiza-se no: a) 2º espaço intercostal direito. b) 5º espaço intercostal direito. c) 2º espaço intercostal esquerdo. d) 5º espaço intercostal esquerdo. Comentário As áreas auscultatórias podem ser divididas em foco: •aórtico •pulmonar •mitral •tricúspide 138. Na ausculta cardíaca, o foco pulmonar localiza-se no: a) 2º espaço intercostal direito. b) 5º espaço intercostal direito. 01_Cardiologia.indd 27 5/30/09 12:56:18 PM
  • 39. 28 c) 2º espaço intercostal esquerdo. d) 5º espaço intercostal esquerdo. 139. Na ausculta cardíaca, o foco tricúspide localiza-se no: a) 2º espaço intercostal direito. b) 5º espaço intercostal direito. c) 2º espaço intercostal esquerdo. d) 5º espaço intercostal esquerdo. 140. Complete as lacunas sobre débito cardíaco: O volume de sangue em litros ejetado pelo coração a cada minuto é o produto do volume ................ e da ............... O volume normal fica entre ........................ l/min. a) sistólico, frequência cardíaca, 15 e 20 l/min. b) diastólico, frequência cardíaca, 15 e 20 l/min. c) sistólico, frequência cardíaca, 7 e 10 l/min. d) sistólico, frequência cardíaca, 4 e 7 l/min. 141. Para a administração dos anticoagulantes, assinale (V) para Verdadeiro ou (F) para Falso: ( ) Se a medicação estiver previamente preparada, não deverá ser retirada a bolha de ar. ( ) A bolha de ar não deverá ser introduzida durante a administração da medicação. ( ) Ao administrar o anticoagulante, deverá ser feita uma prega de aproximadamente 2,5 cm de pele e mantê-la até o final da injeção, preferencialmente em ângulo de 90 graus. ( ) Os anticoagulantes deverão ser administrados somente em região abdominal, de preferência com o paciente deitado, alternando-se, a cada aplicação, o lado direito com o esquerdo. ( ) Não aspirar o êmbolo quando for administrar anticoagulantes para evitar o risco de formar hematoma. a) F; V; F; F; F. c) V; F; V; V; V. b) F; V; F; V; F. d) V; V; F; V; F. Comentário Anticoagulantes são substâncias que evitam a coagulação do sangue. 01_Cardiologia.indd 28 5/30/09 12:56:19 PM
  • 40. 29 Gabarito 1 B 15 C 29 A 43 D 57 D 71 D 85 C 99 C 113 D 127 A 141 C 2 D 16 D 30 B 44 A 58 A 72 B 86 D 100 D 114 B 128 B 3 A 17 C 31 A 45 B 59 D 73 C 87 B 101 A 115 D 129 C 4 C 18 D 32 D 46 B 60 A 74 C 88 C 102 B 116 A 130 D 5 D 19 B 33 C 47 A 61 D 75 B 89 D 103 A 117 B 131 A 6 C 20 C 34 A 48 C 62 C 76 A 90 A 104 C 118 D 132 D 7 D 21 A 35 B 49 A 63 A 77 D 91 B 105 D 119 D 133 A 8 A 22 C 36 D 50 C 64 D 78 A 92 C 106 D 120 C 134 B 9 B 23 D 37 A 51 D 65 A 79 A 93 C 107 A 121 A 135 A 10 A 24 A 38 D 52 B 66 C 80 D 94 C 108 C 122 C 136 A 11 C 25 B 39 C 53 D 67 C 81 D 95 C 109 A 123 A 137 D 12 B 26 A 40 B 54 D 68 D 82 C 96 C 110 C 124 A 138 C 13 B 27 C 41 A 55 B 69 C 83 B 97 C 111 A 125 A 139 B 14 D 28 B 42 D 56 D 70 C 84 A 98 B 112 D 126 A 140 D 01_Cardiologia.indd 29 5/30/09 12:56:19 PM
  • 41. 31 1. Complete a frase. Midríase pupilar é _________________________. a) dilatação das pupilas. b) contração das pupilas. c) divisão celular. d) reprodução celular. Comentário Mídriase pupilar significa dilatação das pupilas. É um sinal observado em pacientes com suspeita de lesão cerebral. 2. Em relação à temperatura corporal, é CORRETO afirmar que: a) a temperatura por via oral é a mais precisa. b) a temperatura mais precisa é a retal. c) a temperatura retal é 1ºC mais elevada do que a temperatura axilar. d) nenhuma das anteriores. 3. Para aferição da temperatura anal, é CORRETO afirmar que: a) não há necessidade de lubrificar o termômetro antes da introdução. b) em adultos colocá-lo na posição genupeitoral. c) em adultos, introduzir aproximadamente 4 cm. d) nenhuma das anteriores. Comentário A temperatura corpórea pode ser verificada nas regiões axilar, oral e anal. A verificação na região anal, apesar de ser mais precisa, corresponde à temperatura interna e é pouco utilizada em decorrência do incômodo na sua aferição. 4. O que é esterilização? a) Destruição de bactérias. b) Destruição de todas as formas de vida microbiana por um processo que utiliza agentes químicos ou físicos, inclusive esporos. c) Destruição do vírus da hepatite. d) Destruição de vírus. Centro Cirúrgico 02_Centro Ciru rgico.indd 31 5/30/09 12:56:47 PM
  • 42. 32 Comentário O processo de preparo de materiais em uma instituição de saúde pode ser classificado em: limpeza, desinfecção e esterilização. A limpeza consiste no processo de lavar com água e sabão e enxaguar os materiais. No processo de desinfecção, o material fica submerso em solução própria, que possui a capacidade de eliminar microrganismo, com exceção dos esporos. Já no processo de esterilização, todos os microrganismos são eliminados, inclusive os esporos. 5. Qual é a função do enfermeiro em uma equipe de enfermagem? a) Planejar a assistência a ser prestada ao paciente e gerenciamento dos recursos que a envolvem. b) Comandar a equipe sem envolver-se na assistência. c) Realizar exclusivamente atividades burocráticas. d) Todas as alternativas estão corretas. e) Todas as alternativas estão erradas. 6. De acordo com a classificação de Spauding, o que são artigos críticos? a) Artigos ou produtos destinados ao contato com a pele íntegra e também aqueles que não entram em contato direto com o paciente. b) Artigos ou produtos que entram em contato com a pele não-íntegra, restritos a suas camadas ou aqueles que entram em contato com mucosas íntegras. c) Somente artigos descartáveis. d) Artigos ou produtos utilizados em procedimentos invasivos com penetração em pele e mucosas adjacentes, tecidos subepiteliais e sistema vascular, incluindo também todos os artigos ou produtos que estejam diretamente conectados com esses sistemas. Comentário A classificação de Spauding recebe esse nome em homenagem a Earl H. Sapuding, que estabeleceu, por volta de 1960, a separação dos artigos para esterilização. A classificação separa os materiais em críticos, semicríticos e não críticos. 7. De acordo com a classificação de Spauding, o que são artigos semicríticos? a) Artigos ou produtos destinados ao contato com a pele íntegra e também aqueles que não entram em contato direto com o paciente. b) Artigos ou produtos que entram em contato com a pele não-íntegra, restritos a suas camadas ou aqueles que entram em contato com mucosas íntegras. c) Artigos descartáveis. d) Artigos ou produtos utilizados em procedimentos invasivos com penetração em pele e mucosas adjacentes, tecidos subepiteliais e sistema vascular, incluindo também todos os artigos ou produtos que estejam diretamente conectados com esses sistemas. 8. De acordo com a classificação de Spauding, o que são artigos não-críticos? a) Artigos ou produtos destinados ao contato com a pele íntegra e também aqueles que não entram em contato direto com o paciente. 02_Centro Ciru rgico.indd 32 5/30/09 12:56:47 PM
  • 43. 33 Centro Cirúrgico b) Artigos ou produtos que entram em contato com a pele não-íntegra, restritos a suas camadas ou aqueles que entram em contato com mucosas íntegras. c) Artigos descartáveis. d) Artigos ou produtos utilizados em procedimentos invasivos com penetração em pele e mucosas adjacentes, tecidos subepiteliais e sistema vascular, incluindo também todos os artigos ou produtos que estejam diretamente conectados com esses sistemas. 9. De acordo com a classificação de Spauding, o que é limpeza? a) Processo que visa à remoção de sujidade somente em artigos críticos. b) Processo que visa à remoção de sujidade somente em artigos semicríticos. c) Processo que visa à remoção de sujidade visível e, por conseguinte, à diminuição da carga microbiana. d) Processo que visa à remoção de sujidade somente em artigos não críticos. 10. São profissionais que atuam no centro cirúrgico: a) equipe de enfermagem, assistência social. b) equipe de enfermagem, profissionais da farmácia, profissionais da cozinha. c) equipe de enfermagem, equipe da manutenção predial. d) equipes de enfermagem, médica (clínicos), administrativa e de higiene. e) equipes médicas (cirúrgica e anestesiologia), de enfermagem, administrativa e de higiene. 11. Não é função do enfermeiro na sala de cirurgia: a) monitoração. b) ações de segurança para evitar queda. c) auxiliar o anestesiologista durante a indução anestésica com a equipe cirúrgica. d) instrumentar a equipe médica. e) posicionar o paciente na mesa cirúrgica, colocando os coxins para conforto. 12. A marcação de cirurgia é uma atividade complexa que envolve: a) disponibilidade de sala e imposição médica. b) disponibilidade de sala, disponibilidade de material e equipe de enfermagem. c) administração de materiais, instrumentais, equipamentos, tamanho de sala adequado ao procedimento, auxiliar ou técnico para prestar assistência e dinâmica geral do programa cirúrgico e do setor. d) apenas reserva de sala e sangue. e) apenas o interesse médico. Comentário A marcação de cirurgia é um procedimento complexo, em que vários itens devem ser veri- ficados. Entre eles: tempo de cirurgia previsto, utilização de materiais especiais, necessi- dade de reserva de sangue e UTI, e classificação em contaminada ou limpa. 02_Centro Ciru rgico.indd 33 5/30/09 12:56:47 PM
  • 44. 34 13. A recuperação anestésica é o local onde o paciente é recebido no período do pós-operatório imediato e fica sob observação e cuidados constantes até que haja a recuperação da consciência, estabilidade dos sinais vitais e prevenção das intercorrências caso ocorram. Durante essa fase, quem é o responsável pela assistência ao paciente? a) Cirurgião. b) Anestesiologista. c) Enfermeiro. d) Auxiliar de enfermagem. e) Técnico de enfermagem. 14. Qual destes não é um método de esterilização por agentes químicos? a) Glutaraldeído. b) Estéres. c) Abitox. d) Formaldeído. e) Autoclave. 15. Complete: ____________ não é um método de esterilização por agentes físicos. a) Forno de Pasteur. b) Estufa. c) Sterrad. d) Raio gama. e) Electronbeam. 16. De que maneira ocorre a esterilização por estufa? a) Destruição bacteriana por meio da oxidação celular. b) Destruição da bactéria por queimadura devido à alta temperatura. c) Por inibição de crescimento. 17. Não influencia no risco de corrosão dos instrumentos cirúrgicos por cloretos: a) aumento de temperatura. b) tipo de cirurgia em que será utilizado o material. c) diminuição do pH. d) superfícies ásperas e foscas. e) secagem insuficiente. 18. Relacione corretamente a primeira coluna com a segunda: I. água esterilizada a) isenta de íons, os quais conduzem a energia elétrica II. água deionizada b) isenta de íons através de resinas catiônicas e aniônicas. III. água destilada c) isenta de íons, sais, minerais e outros, quando obtida por destilação. IV. água dessalinizada d) isenta de micro-organismos vivos. 02_Centro Ciru rgico.indd 34 5/30/09 12:56:48 PM
  • 45. 35 Centro Cirúrgico a) I c – II b – III d – IV a. b) I c – II a – III d – IV b. c) I d – II b – III a – IV c. d) I d – II a – III c – IV b. e) I d – II c – III b – IV a. 19. A utilização de substâncias ácidas ou alcalinas para a limpeza de instrumentais pode causar deterioração, seja por oxidação, seja por desgaste químico. Logo, devem ser usadas substâncias com o pH mais neutro possível. Qual o pH ade- quado para tal? a) pH = 0. b) pH = 3. c) pH = 5. d) pH = 7. e) pH = 10. Comentário Quando o pH está abaixo de 7, a solução é chamada de ácida e pH acima de 7, é conside- rada solução básica. 20. Na limpeza e desinfecção pelo ultrassom, a temperatura do banho deverá ser mantida abaixo de 45 ºC, devido a razões que favorecem sua ação no interior das peças. Entre elas, não se pode citar: a) evitar a coagulação das proteínas. b) ação do vapor. c) facilitar a limpeza dos ácidos graxos. d) aumentar o desempenho das enzimas. e) facilitar a volatilização dos agentes de limpeza. Comentário A lavagem em lavadoras de ultrassom não dispensa a lavagem manual, feita com água, sabão e escova, para remoção de sujidade, resíduos, gordura etc. Os instrumentais são colocados em posição aberta, com temperatura superior a 40 °C. Devem ficar imersos de 3 a 5 minutos sob frequência de 35kHz. 21. Qual desses instrumentais é o único que pode ser submetido ao processo de esterilização por calor seco? a) Instrumentais cirúrgicos. b) Endoscópios rígidos. c) Lupas para aumento da imagem. d) Prismas óticos. e) Cabos de fibra. 02_Centro Ciru rgico.indd 35 5/30/09 12:56:48 PM
  • 46. 36 Comentário A esterilização por calor seco é feita em estufas com temperatura a 170ºC por um período de 2 horas. Nessa situação, apenas os instrumentais metálicos resistem ao processo com- pleto. Os demais materiais serão danificados, ou o processso não será feito de maneira correta. 22. Para esterilização por óxido de etileno (ETO), devem-se respeitar os parâmetros de temperatura, umidade relativa, pressão, tempo e concentração. Em valores aproximados, são eles, respectivamente: a) 54ºC, 0,56 bar, 60%, 120 min, 600 mg/l. b) 54ºC, 0,56 bar, 600 mg/l, 120 min, 60%. c) 54ºC, 60%, 600 mg/l, 120 min, 0,56 bar. d) 54ºC, 60%, 0,56 bar, 120 min, 600 mg/l. e) 54ºC, 600 mg/l, 60%, 120 min, 0,65 bar. 23. Por que o aço inox é mais resistente à oxidação? a) Por ter menor concentração de oxigênio. b) Por ter menor concentração de hidrogênio. c) Por ter menor concentração de nitrogênio. d) Por ter menor concentração de carbono. e) Por ter menor concentração de ferro. Comentário O processo de corrosão é constituído por reações químicas que ocorrem na superfície do metal. Cada metal, dependendo de sua composição, apresenta uma reação diferente. 24. Qual a quantidade máxima permitida de fibras óticas quebradas no sistema de iluminação dos endoscópios? a) Nenhuma. b) 10%. c) 20%. d) 30%. e) 40%. 25. Qual o objetivo da lavagem de mãos dos profissionais no pré-operatório? a) Apenas proteção do profissional. b) Eliminar a sujidade das mãos. c) Facilitar o calçamento das luvas. d) Evitar a colonização do paciente com a flora hospitalar. Comentário A lavagem das mãos é um procemento indispensável para garantir a minimização dos riscos de infecção. 02_Centro Ciru rgico.indd 36 5/30/09 12:56:48 PM
  • 47. 37 Centro Cirúrgico 26. Qual o objetivo do banho pré-operatório? a) Promover o relaxamento do paciente. b) Retirar pelos da tricotomia. c) Manter o organismo aquecido. d) Eliminar a sujidade, a oleosidade e o maior número de micro-organismo patogênicos da pele do paciente, para evitar a contaminação, durante a incisão cirúrgica da ferida pela flora microbiana natural da pele. e) Cumprimento de rotina hospitalar. 27. Quanto ao fluxo de trabalho, o Centro Cirúrgico é dividido em três áreas. Rela- cione as colunas: I. irrestritas (a) utilizam-se roupa privativa e gorro. II. semirrestritas (b) utilizam-se roupa privativa, gorro e máscara. III. restritas (c) pode-se utilizar roupa comum. a) I a – II b – III c. d) I b – II c – III a. b) I b – II a – III c. e) I c – II a – III b. c) I c – II b – III a. 28. Assinale V (verdadeiro) e F (falso) e a sequência CORRETA. Para um processo de desinfecção eficaz é necessário: ( ) limpeza prévia do artigo. ( ) tempo de exposição. ( ) troca da solução de acordo com sua validade. ( ) imersão parcial do artigo em solução. a) F; F; F; F. c) V; F; V; F. b) V; V; V; F. d) V; V; F; F. 29. São locais de verificação do pulso: a) braquial, radial e tibial posterior. b) temporal, radial e apical. c) dorsal do pé, femoral e apical. d) todas as alternativas. Comentário A verificação do pulso é utilizada para saber o número de contrações cardíacas por minuto. Essa aferição deve ser feita em artérias, preferencialmente de grandes calibres e localiza- ção superficial. 30. O movimento de abdução é: a) membro superior reto junto ao corpo. b) mão voltada para cima. c) mão voltada para baixo. d) membro superior elevado lateralmente, mantendo-se em linha reta em relação ao ombro. e) nenhuma das anteriores. 02_Centro Ciru rgico.indd 37 5/30/09 12:56:48 PM
  • 48. 38 31. Na transferência de um paciente da maca para a mesa cirúrgica é necessário observar: a) limpeza da maca. b) limpeza da mesa cirúrgica. c) altura da maca em relação à mesa cirúrgica. d) nenhuma das anteriores. 32. São características da central de materiais esterilizados, EXCETO a alternativa: a) permitir um fluxo contínuo e unidirecional dos materiais. b) o enfermeiro não faz parte do quadro de funcionários, a supervisão é sempre do centro cirúrgico. c) é dividida em área suja, área limpa e área estéril. d) é responsável pela limpeza, preparo, esterilização, guarda e distribuição de material. Comentário O centro de material esterilizado é a área destinada ao preparo, processamento e ar- mazenamento de materiais que necessitam de um tratamento específico. Em muitos hospitais, todo o material é processado no centro de material, mesmo os que não passem por processo de esterilização. Nesses casos, o processo de desinfecção tam- bém será centralizado. De acordo com o volume de materiais processados, o centro de material é desvinculado do centro cirúrgico, tendo funcionários, organização e área física distintos. 33. Após o procedimento cirúrgico é INCORRETO afirmar que: a) o paciente pode ser encaminhado para recuperação pós-anestésica. b) o paciente pode ser encaminhado para UTI. c) o paciente precisa estar consciente para ser transportado. d) nenhuma das anteriores. 34. Caso o paciente apresente dor enquanto estiver na recuperação pós-anestésica, é CORRETO: a) administrar medicação de acordo com a prescrição médica. b) administrar medicação somente por ordem verbal do anestesista. c) encaminhar o paciente para o andar, para ser medicado lá. d) nenhuma das anteriores. 35. Assinale V (verdadeiro) e F (falso) e a sequência CORRETA. Na escolha da emba- lagem que será utilizada na esterilização de materiais é necessário observar: ( ) resistência ao manuseio evitando danos à embalagem. ( ) não conter em sua composição ingredientes tóxicos, corantes ou liberar resíduos. ( ) apresentar facilidade para abrir sem contaminar o material em seu conteúdo. a) F; V; F. c) V; F; V. b) V; V; V. 02_Centro Ciru rgico.indd 38 5/30/09 12:56:48 PM
  • 49. 39 Centro Cirúrgico Comentário As principais embalagens utilizadas são: tecido (algodão cru ou brim), papel (kraft, grau cirúrgico) e inox. 36. Em relação à tricotomia, é CORRETO afirmar: a) sempre é feita um dia antes da cirurgia. b) sempre é feita no andar. c) é feita no mínimo 2 horas antes da cirurgia. d) em algumas situações pode ser feita no centro cirúrgico. Comentário Tricotomia é o processo de remoção de pelos do organismo. Normalmente, é um procedi- mento pré-cirúrgico realizado no local onde o paciente estiver aguardando cirurgia, como, por exemplo, apartamentos, enfermarias etc. Em algumas situações raras, a tricotomia pode ser feita no centro cirúrgico após indução anestésica. 37. Assinale V (verdadeiro) e F (falso) e a alternativa que contém a sequência COR- RETA. Em relação à esterilização, é CORRETO afirmar: ( ) na esterilização por estufa o material deverá permanecer a 170 ºC por um período de 120 minutos. ( ) a esterilização em estufa tem validade de 20 dias. ( ) normalmente em autoclave a vapor o material fica no mínimo 30 minutos em uma temperatura de 121 ºC a 132 ºC. ( ) o processo na autoclave pode ser interrompido, abrindo-se a porta, sempre que necessário. a) F; V; F; V. b) F; F; F; F. c) V; V; V; V. d) V; F; V; F. 38. Assinale a alternativa INCORRETA em relação à esterilização por óxido de etileno: a) o óxido de etileno é um gás incolor, tóxico e inflamável. b) a validade do material é de 3 meses a 5 anos. c) apresenta baixo custo operacional. d) o tempo de exposição do material é de 2 a 7 horas. Comentário A esterilização por óxido de etileno apresenta alto poder de penetração. É altamente tóxica para quem manipula e para o meio ambiente, além de apresentar alto custo operacional. 39. Assinale a alternativa CORRETA em relação a agentes químicos esterilizantes: a) os compostos à base de aldeído têm ação apenas de desinfecção. b) são produtos altamente corrosivos. c) tempo médio de 10 horas para esterilização. d) não é necessária a limpeza prévia do material antes de colocar em solução. 02_Centro Ciru rgico.indd 39 5/30/09 12:56:48 PM
  • 50. 40 40. Limpadores enzimáticos são: a) compostos de detergentes e enzimas capazes de dissolver e desprender a matéria orgânica das superfícies dos materiais. b) detergentes utilizados em pessoas. c) detergentes utilizados em lavadoras específicas. d) nenhuma das anteriores. Comentário Os limpadores enzimáticos possuem a capacidade de remover material orgânico em curto período de tempo. 41. Em relação ao uso do álcool como desinfetante químico, pode-se afirmar: a) para desinfecção de artigos é recomendado na concentração inferior a 60%. b) o álcool é potente esporicida. c) apresenta ação rápida, fácil uso e baixo custo. d) nenhuma das anteriores. Comentário O álcool possui ação de desinfecção em superfícies, sendo indicado para artigos que ne- cessitem de ação de nível intermediário ou baixo. Exemplos de materiais: termômetros, estetoscópio, colchões, macas, otoscópios, entre outros. 42. São consideradas complicações pós-operatórias: a) hipotensão, hipovolêmica. b) retenção urinária, distensão abdominal. c) pneumonia, constipação. d) todas as alternativas. 43. Para reposição de líquidos em caso de hipovolemia pós-operatória, a via indica- da é: a) oral. b) IM (intramuscular). c) ID (intradérmica). d) EV (endovenosa). 44. Assinale V (verdadeiro) e F (falso) e a alternativa que contém a sequência COR- RETA. São vantagens do processo de esterilização pelo vapor: ( ) aquecimento rápido. ( ) destruição de microrganismos resistentes no prazo de tempo menor. ( ) não deixar resíduos tóxicos a) F; V; V. c) V; V; V. b) V; F; V. d) F; V; V. 02_Centro Ciru rgico.indd 40 5/30/09 12:56:49 PM
  • 51. 41 Centro Cirúrgico 45. Assinale V (verdadeiro) ou F (falso) e a alternativa que contém a sequência COR- RETA. São cuidados pré-operatórios: ( ) coletar somente dados de alergias. ( ) verificação de sinais vitais e medidas antropométricas. ( ) manutenção do jejum necessário. ( ) obrigatoriedade de atendimento psicológico. ( ) administrar medicações via oral. a) F; V; V; F; V. d) F; V; V; V; V. b) F; V; V; F; F. e) F; F; V; V; V. c) F; F; V; F; V. 46. Antes de encaminhar o paciente para o centro cirúrgico é CORRETO: a) verificar pulseira de identificação. b) verificar se o prontuário está completo. c) certificar-se da retirada de próteses móveis, adornos. d) certificar-se do consentimento para o procedimento. e) todas as alternativas. Comentário A instituição precisa garantir condições de segurança para o paciente. Entre essas medi- das, deve-se garantir que o procedimento seja realizado no paciente e local certos. 47. Durante o ato cirúrgico é responsabilidade do circulante de sala: a) fornecer material necessário para o procedimento. b) anotar em impresso próprio os materiais utilizados. c) conferir número de compressas fornecidas e desprezadas. d) todas as alternativas. 48. A farmácia do centro cirúrgico tem a finalidade de: a) abastecer o centro cirúrgico em situações de emergência. b) reposição de todo o material e medicamento gasto em procedimentos. c) controlar o uso de psicotrópicos. d) todas as alternativas. 49. Assinale V (verdadeiro) ou F (falso). Um sintoma que pode ocorrer como compli- cação pós-operatória é: ( ) deiscência de sutura. ( ) febre. ( ) íleo paralítico. ( ) psicose pós-operatória. A sequência correta é: a) V; V; V; V. c) F; F; V; V. b) V; V; F. V; d) F; F; F; V. 02_Centro Ciru rgico.indd 41 5/30/09 12:56:49 PM
  • 52. 42 50. O cuidado espiritual pode influenciar nos períodos pré e pós-operatório. Em rela- ção a esse cuidado, é CORRETO afirmar: a) os hospitais possuem capela ecumênica para esse fim. b) os hospitais providenciam padres católicos para esse apoio. c) não são permitidas outras manifestações religiosas, somente a católica. d) as afirmativas a e b estão corretas. Comentário Os processos de certificação de qualidade total solicitam aos hospitais uma rotina pre- determinada para atender os pacientes em suas necessidades espirituais. Nesses casos, a instituição deverá garantir a livre manifestação religiosa, garantindo também o direito dos outros pacientes de não participarem de manifestações contrárias ao seu credo e cultura. 51. Assinale a alternativa CORRETA. Os circuitos de respiradores devem passar por desinfecção: a) de baixo nível, pois o ar não é estéril. b) a esterilização por calor seco é a mais indicada. c) os circuitos de respiradores devem passar por desinfecção diariamente. d) nenhuma alternativa está correta. Comentário Os circuitos de respiradores devem passar por processo de desinfecção entre um paciente e outro. A desinfecção deverá ser de alto nível. O glutaraldeído é a solução mais utilizada. 52. Em relação à desinfecção de artigos não-críticos, é INCORRETO afirmar: a) é recomendada desinfecção de baixo nível. b) na maioria dos casos o uso de água e sabão é o suficiente. c) a utilização de lavadoras não é recomendada. d) são considerados artigos não-críticos: comadre, papagaio, bacias etc. 53. Em relação à doação de órgãos: a) basta o paciente ter consentido que a doação é efetivada. b) mesmo com consentimento do paciente, a família precisa autorizar. c) uma equipe especializada irá verificar a possibilidade de doação dos órgãos. d) as alternativas b e c estão corretas. 54. Durante o ato cirúrgico, os parâmetros vitais do paciente são de responsabilidade do: a) auxiliar de enfermagem. b) cirurgião. c) circulante de sala. d) anestesista. 02_Centro Ciru rgico.indd 42 5/30/09 12:56:49 PM
  • 53. 43 Centro Cirúrgico 55. Segundo Kübler-Ross, os cinco estágios da morte são, em ordem: a) negação, ira, barganha, depressão e aceitação. b) negação, barganha, depressão, ira e aceitação. c) negação, ira, depressão, barganha e aceitação. d) negação, depressão, ira, barganha e aceitação. Comentário Elisabeth Kübler-Ross nasceu em 8 de julho de 1926 e morreu em 24 de agosto de 2004. Formou-se em Medicina e mudou a maneira como as pessoas enfrentam a morte, estipu- lando cinco estágios em que os sentimentos vão alterando, até a pessoa ou familiar aceitar a morte. 56. No centro cirúrgico, a via de administração de preferência é: a) oral. b) retal. c) endovenosa. d) intradérmica. 57. Os anestésicos podem ser classificados em: a) inalatórios. b) endovenosos. c) alternativas a e b estão corretas. d) nenhuma das anteriores. 58. Em crianças, o anestésico de preferência é: a) inalatório. b) endovenoso. c) intramuscular. d) retal. e) nenhuma das anteriores. 59. Complete a frase. Ação de anestésico inalatório é _________________. a) agir em local específico. b) agir somente no coração. c) agir em todo o organismo. d) agir no cérebro. 60. O uso da hipotermia em cirurgia tem a finalidade de: a) reduzir o metabolismo e com isso a necessidade de oxigênio. b) reduzir a dor. c) não se usa hipotermia em cirurgia. d) nenhuma das anteriores. 02_Centro Ciru rgico.indd 43 5/30/09 12:56:49 PM
  • 54. 44 Comentário O uso da hipotermia em cirurgias não está totalmente aceito nos meios acadêmicos. A hipotermia entre 32 °C e 34 °C pode colaborar nos casos de diminuição da isquemia ce- rebral. 02_Centro Ciru rgico.indd 44 5/30/09 12:56:49 PM
  • 55. 45 Gabarito 1 A 11 D 21 A 31 C 41 C 51 D 2 B 12 C 22 B 32 B 42 D 52 C 3 C 13 B 23 D 33 C 43 D 53 D 4 B 14 E 24 D 34 A 44 C 54 D 5 A 15 D 25 D 35 B 45 B 55 A 6 D 16 A 26 D 36 D 46 E 56 C 7 B 17 B 27 E 37 D 47 D 57 C 8 A 18 D 28 B 38 C 48 D 58 A 9 C 19 D 29 D 39 C 49 A 59 C 10 E 20 B 30 D 40 A 50 D 60 A 02_Centro Ciru rgico.indd 45 5/30/09 12:56:50 PM
  • 56. 02_Centro Ciru rgico.indd 46 5/30/09 12:56:50 PM
  • 57. 47 1. A Sra. M.C.M. dá entrada no serviço de emergência. Ela se encontra no último trimestre de gravidez e relata sonolência, escotomas, diplopia, cefaleia, vômitos, epigastralgia, proteinúria e edema. O quadro que a Sra. M.C.M. apresenta é com- patível com: a) epilepsia. b) coma pós-epilepsia. c) eclampsia. d) placenta prévia. Comentário A eclampsia, também conhecida como DHEG (doença hipertensiva específica da gestação), é caracterizada pela elevação dos níveis de pressão arterial, colocando em risco a vida da mãe e a do feto. Em situações de descontrole clínico, faz-se necessária a intervenção cirúrgica com a realização do parto cesárea. 2. Algumas alterações fisiológicas da gravidez devem ser consideradas para o aten- dimento da gestante traumatizada, EXCETO: a) hemodiluição. b) hipervolemia. c) velocidade de esvaziamento gástrico aumentado. d) taxa de filtração glomerular aumentada. 3. No trauma da gestante, a principal causa de morte materno-fetal é: a) cordão umbilical enrolado no pescoço da criança. b) placenta prévia. c) eclampsia. d) descolamento prematuro de placenta. Comentário No descolamento prematuro da placenta, esta se solta do útero, interrompendo tanto o fornecimento de nutrientes da mãe para o feto quanto de excretos do feto para a mãe. Como o descolamento é abrupto, ocorre ruptura de vasos sanguíneos, que eleva a hemor- ragia interna. 4. As queimaduras podem ser de diferentes etiologias e exigem ação imediata do socorrista, com o intuito de evitar complicações ou óbito da vítima. A queimadura é uma lesão que pode comprometer parcial ou totalmente a pele e outras estrutu- ras mais profundas. Assinale a seguir a alternativa que corresponde às estruturas comprometidas em uma queimadura de segundo grau: Emergência 03_Emerge ncia.indd 47 5/30/09 12:57:10 PM
  • 58. 48 a) estrato córneo e epiderme. b) derme e tecido muscular. c) tecido muscular e ósseo. d) epiderme e derme. 5. Artz e Pruitt (1980) definem queimadura como uma lesão causada por agentes tér- micos, não-térmicos, químicos, elétricos ou radioativos, que atuando nos tecidos de revestimento do corpo humano podem destruir parcial ou totalmente a pele e seus anexos, ou atingir camadas mais profundas, como tecido celular subcutâ- neo, músculos, tendões e ossos. Desta forma, o tratamento inicial de queimadu- ras térmicas deve priorizar: a) lesões da pele. b) lesões pulmonares. c) reposição volêmica. d) lesões de mucosas. 6. As queimaduras constituem um grave problema socioeconômico de saúde públi- ca. Dentre os fatores que podem aumentar a gravidade da queimadura térmica se encontram: a) presença de bolhas, dor, vômitos e náusea. b) tipos de agente: água, óleo, gelatina, café. c) uso de produtos caseiros imediatamente após a queimadura. d) idade, SCQ, área lesada, lesões associadas (trauma ou inalação de gases tóxicos). 7. Queimaduras podem ser causadas por raio e choque elétrico. Assinale a alternati- va que NÃO É COMUM a esses agentes causadores: a) possibilidade de PCR por assistolia. b) graves lesões de pele, músculos e partes moles. c) possibilidade de arritmias cardíacas por corrente elétrica. d) possibilidade de parada respiratória por inibição do centro respiratório. 8. As queimaduras são lesões frequentes e representam a quarta causa de morte por trauma. Leia cuidadosamente as seguintes afirmativas: I. As queimaduras podem ser classificadas quanto a profundidade, extensão e agente causador. II. As queimaduras químicas são as causadas por radiação, calor e ácidos. III. As queimaduras de primeiro grau atingem apenas a epiderme. IV. A avaliação da extensão das queimaduras é realizada através das camadas da pele que estão comprometidas. Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras. b) Somente as afirmativas I, II e IV são verdadeiras. c) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras. d) Somente as afirmativas II, III e IV são verdadeiras. 03_Emerge ncia.indd 48 5/30/09 12:57:10 PM
  • 59. 49 Emergência 9. Criança de 10 anos deu entrada no setor de emergência vítima de queimadura por leite quente. No exame físico, apresenta eritema, edema e flictemas na região do braço e essas características classificam a queimadura dessa criança como sendo de: a) 1º grau. b) 2º grau. c) 3º grau. d) 4º grau. Comentário Flictema é uma bolha de pequena dimensão cheia de líquido seroso. 10. De acordo com a regra dos nove para avaliar a superfície corpórea queimada (SCQ), pode-se dizer que a criança do item anterior teve aproximadamente: a) 27% de SCQ. b) 18% de SCQ. c) 9% de SCQ. d) 36% de SCQ. Comentário Pela regra dos nove, em queimados, a área corpórea é dividida em regiões e para cada uma é determinado um valor múltiplo de 9. Os membros superiores correspondem a 9% cada um; membros inferiores, 18% cada um; cabeça e pescoço, 9%; genitais, 1%; e tronco (ventral e dorsal), 36%. Essa divisão serve para auxiliar na determinação da área corpórea atingida. 11. No atendimento a grandes queimados, a terapia de reposição hídrica venosa é de- nominada por alguns autores como sendo “ressuscitação volêmica”, devido às alterações hidroeletrolíticas sofridas nas primeiras 48 horas. Esta terapia inclui: a) coloides (sangue total, plasma e expansores plasmáticos), importantes porque o vo- lume sanguíneo tem uma redução significante nas primeiras 48 horas, devido ao grande sangramento. b) cristaloides/eletrólitos (soro fisiológico ou ringer com lactato), importantes por resta- belecer o equilíbrio hídrico e contribuir com a restauração dos níveis plasmáticos. c) cristaloides e coloides são igualmente dispensáveis, pois a queimadura resulta em diminuição brusca do hematócrito e hemoglobina. Desta forma, só concentrado de hemácias é suficiente. d) coloides, eletrólitos e glicose hipertônica são igualmente indispensáveis, pois dimi- nuem o edema pulmonar, aumentam a motilidade gastrointestinal e reduzem o meta- bolismo dos carboidratos. Comentário Em grandes queimados, a ressuscitação volêmica será baseada na adequação da fisiopa- tologia da lesão e dos liquidos que serão utilizados nessa reposição. 03_Emerge ncia.indd 49 5/30/09 12:57:10 PM