O evangelho chega a Tessalônica_Resumo_Liç_132012

522 visualizações

Publicada em

O Objetivo do resumo da lição não é substituí-la, pelo contrário e dar mais amplitude ao estudo do tema.

A ideia e colocar os textos bíblicos diretos que respondam as questões da lição, somados aos escritos de Ellen White que dão luz sobre o assunto, eu comento o minimo possível, só títulos referentes as questões e algumas respostas e definições em azul royal, pois se os textos forem realmente claros, que é intenção, não há necessidade de ficar comentando, e a aplicação, como e mais extensa, procuro fazer na nossa classe.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

“Esse é o objetivo, que as pessoas estudem, debatam o assunto e entendam o que o Senhor tem revelado a nós como Seu povo escolhido”.

Que... Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe ; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Estou a sua disposição para pedidos, dúvidas, críticas e sugestões.

https://www.facebook.com/gerson.g.ramos

https://twitter.com/@ramosgerson7

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
522
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O evangelho chega a Tessalônica_Resumo_Liç_132012

  1. 1. O evangelho chega a TessalônicaLição 1 30 de junho a 7 de julho “Também agradecemos a Deus sem cessar, pois, ao receberem de nossa parte a Palavra de Deus,VERSO PARA MEMORIZAR: vocês a aceitaram não como palavra de homens, mas segundo verdadeiramente é, como Palavra de Deus, que atua com eficácia em vocês, os que creem” (1Ts 2:13, NVI).Recebendo a palavra de DeusA Bíblia é a voz de Deus a falar-nos, exatamente como se pudéssemos ouvi-Lo com os nossos ouvidos. APalavra do Deus vivo não é meramente escrita, mas falada. Recebemos a Bíblia como o oráculo de Deus? Sereconhecêssemos a importância dessa Palavra, com que reverência a haveríamos de abrir, e com que fervor examinar osseus preceitos! A leitura e contemplação das Escrituras seria considerada uma audiência com o Altíssimo.A Palavra de Deus é uma mensagem a nós, para ser por nós obedecida, um volume que devemos compulsardiligentemente, com um espírito disposto a absorver as verdades escritas para advertência daqueles a quem já sãochegados os fins dos séculos. Não deve ser negligenciada, dando-se preferência a qualquer outro livro. Se nãoseguirmos os caminhos de Deus, precisamos converter-nos. Se praticarmos essa Palavra, ela dará início auma influência enobrecedora em nossa vida mental, moral e física. ... Quando abrimos a Bíblia, comparemosnossa vida com os seus conselhos, aferindo nosso caráter com o grande padrão moral de justiça. Manuscrito30a, 1896.A Palavra atua com eficácia"Sempre damos graças a Deus por vós todos, fazendo menção de vós em nossas orações, lembrando-nos sem cessarda obra da vossa fé, do trabalho da caridade, e da paciência da esperança em nosso Senhor Jesus Cristo,diante de nosso Deus e Pai." I Tess. 1:2 e 3. Muitos dos crentes de Tessalônica haviam-se convertido dos ídolos a Deus,"para servir ao Deus vivo e verdadeiro". Eles haviam recebido "a palavra em muita tribulação"; e seu coraçãoestava cheio do "gozo do Espírito Santo". O apóstolo declarou que em sua fidelidade em seguir ao Senhor,haviam eles sido "exemplo para todos os fiéis na Macedônia e Acaia". Essas palavras de louvor não eramimerecidas; "porque por vós", escreveu ele, "soou a Palavra do Senhor, não somente na Macedônia e Acaia, mas tambémem todos os lugares a vossa fé para com Deus se espalhou". I Tess. 1:6-8.Os crentes de Tessalônica eram verdadeiros missionários. Seu coração estava inflamado de zelo pelo seuSalvador, que os livrara do temor da "ira futura". I Tess. 1:10. Mediante a graça de Cristo, operara-se-lhes navida uma transformação maravilhosa; e a Palavra do Senhor, pregada por eles, era acompanhada de poder.Por intermédio das verdades apresentadas, corações foram ganhos e almas acrescentadas ao número doscrentes. Atos dos Apóstolos, p. 256.Pensamento-chave: A compreensão e a confiança nas promessas de Deus deve estar fundamentada no ensino de SuaPalavra. Domingo: Os pregadores pagam um preço 1. Por que os filipenses reagiram de modo tão negativo ao evangelho? Que lição aprendemos com essa reação e queprecauções devemos adotar diante desse risco? De que outras formas esse princípio pode se manifestar, mesmo na vidados cristãos? At 16:9-40Por que envolvidos pelos prazeres deste mundo, o ganho lhes era mais importante que as pessoas envolvidasDe outra feita, ao pregarem Paulo e Silas a Jesus, uma certa mulher possuída de um espírito de adivinhação, seguiu-os,clamando: "Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo." Atos 16:17. Assimela seguiu os discípulos por muitos dias. Mas Paulo ficou indignado, pois clamando assim após eles, desviava da verdadea mente do povo. O objetivo de Satanás em levá-la a fazer isto era enfadar o povo e destruir a influência dos discípulos.O espírito de Paulo se agitou dentro dele, e voltou e disse ao espírito: "Em nome de Jesus Cristo, te mando que saiasdela." Atos 16:18. E o espírito mau, repreendido, deixou-a.Seus senhores apreciavam que ela clamasse atrás dos discípulos; mas quando o espírito mau a deixou, eeles viram-na como uma humilde discípula de Cristo, ficaram enraivecidos. Haviam acumulado muitodinheiro graças a suas adivinhações, e agora a sua esperança de ganho se fora. O propósito de Satanáshavia sido derrotado; mas os seus servos agarraram Paulo e Silas e os arrastaram para a praça, à presençadas autoridades, e dos juízes, e disseram: "Estes homens, sendo judeus, perturbaram a nossa cidade." Atos 16:20. Ea multidão se levantou unida contra eles, e os pretores rasgaram-lhes os vestidos, mandando açoitá-los. Edepois de lhes haverem dado muitos açoites, lançaram-nos na prisão, ordenando ao carcereiro que osguardasse com segurança. O carcereiro, havendo recebido tal ordem, conduziu-os ao cárcere interior e lhesprendeu os pés no tronco. Mas os anjos do Senhor os acompanharam para dentro da prisão, e fizeram que o seu Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com
  2. 2. aprisionamento redundasse em glória para Deus, mostrando ao povo que Deus estava no trabalho, e com os Seus servosescolhidos. Cerca da meia-noite Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus, quando subitamente houve tamanhoterremoto, que sacudiu os alicerces da prisão; e vi que imediatamente o anjo de Deus libertou as cadeias de todos.Primeiros Escritos, pp. 203-204.Sendo que o evangelho é uma notícia tão boa, e é gratuito, por que alguém iria resistir-lhe ou lutar contra ele? A respostaé simples: aceitar o evangelho exige que deixemos de confiar em nós mesmos e nas coisas materiais, como dinheiro,poder e atração sexual. Essas coisas são boas quando submetidas à vontade e aos caminhos de Deus. Masquando as pessoas se apegam a essas questões triviais que substituem a segurança do evangelho, suamensagem e os que a proclamam se tornam uma ameaça. LES.Os que hoje ensinam verdades impopulares não se devem desanimar, se por vezes encontram, mesmo porparte dos que se dizem cristãos, recepção não mais favorável que a dispensada a Paulo e seuscompanheiros, por aqueles por quem trabalham. Os mensageiros da cruz devem armar-se de vigilância eoração, avançando com fé e ânimo, trabalhando sempre no nome de Jesus. Devem exaltar a Cristo comoMediador do homem no santuário celestial; como Aquele em quem se centralizam todos os sacrifícios da dispensação doAntigo Testamento, e por cujo sacrifício expiatório os transgressores da lei de Deus podem encontrar paz e perdão. Atosdos Apóstolos, p. 230.É certo que encontraremos oposição, devemos estar preparados até para a perseguição ferrenha, só não devemosprovocá-la, nosso testemunho e evangelismo deve seguir em vigilância e oração, avançando com fé disposição ecoragem, trabalhando como cristo nós orientou e seremos bem sucedidos. Segunda: A estratégia de pregação de Paulo 2. Quais foram os passos estratégicos seguidos por Paulo ao trabalhar em Tessalônica? At 17:1-3Tendo passado por Anfípolis e Apolônia, chegaram a Tessalônica, onde havia uma sinagoga de judeus. (1ºEstratégia) Paulo, segundo o seu costume, foi procurá-los e, por três sábados, arrazoou com eles acerca dasEscrituras, (2º Estratégia) expondo e demonstrando ter sido necessário que o Cristo (O Messias) padecesse eressurgisse dentre os mortos; (3º Estratégia) e este, dizia ele, é o Cristo, (O Messias é este) Jesus, que eu vosanuncio. (Atos 17:1-3)Ao pregar aos tessalonicenses, Paulo recorreu às profecias do Antigo Testamento concernentes ao Messias.Cristo, em Seu ministério, tornara claras aos Seus discípulos estas profecias; "começando por Moisés, e por todos osprofetas, explicava-lhes o que dEle se achava em todas as Escrituras". Luc. 24:27. Pedro, ao pregar a Cristo, tinhaapresentado provas do Antigo Testamento. Estêvão procedeu de modo idêntico. Também Paulo, em seuministério, recorreu às passagens que prediziam o nascimento, sofrimentos, morte, ressurreição eascensão de Cristo. Pelo inspirado testemunho de Moisés e dos profetas, provou cabalmente que Jesus de Nazaréera o Messias, e demonstrou que desde os dias de Adão foi a voz de Cristo que falara por intermédio dospatriarcas e profetas. Atos dos Apóstolos, pp. 221-222.Com poder convincente Paulo demonstrava, baseado nas Escrituras do Antigo Testamento, "que convinha queo Cristo padecesse e ressuscitasse dos mortos". Atos 17:3. Não havia Miquéias profetizado: "Ferirão com a vara no queixoao Juiz de Israel?" Miq. 5:1. E não havia o Prometido profetizado de Si próprio por intermédio de Isaías: "As Minhas costasdou aos que Me ferem, e as Minhas faces aos que Me arrancam os cabelos; não escondo a Minha face dos que Meafrontam e Me cospem"? Isa. 50:6. Por intermédio do salmista, Cristo havia predito o tratamento que receberia doshomens: "Mas Eu sou... opróbrio dos homens e desprezado do povo. Todos os que Me vêem zombam de Mim, estendemos beiços e meneiam a cabeça, dizendo: Confiou no Senhor, que O livre; livre-O, pois nEle tem prazer." "Poderia contartodos os Meus ossos; eles vêem e Me contemplam. Repartem entre si os Meus vestidos, e lançam sortes sobre a Minhatúnica." Sal. 22:6-8, 17 e 18. "Tenho-Me tornado como um estranho para com Meus irmãos, e um desconhecido para comos filhos de Minha mãe. Pois o zelo da Tua casa Me devorou, e as afrontas dos que Te afrontam caíram sobre Mim.""Afrontas Me quebrantaram o coração, e estou fraquíssimo. Esperei por alguém que tivesse compaixão, mas não houvenenhum; e por consoladores, mas não os achei." Sal. 69:8, 9 e 20.Quão inconfundivelmente claras foram as profecias de Isaías, referentes aos sofrimentos e morte de Cristo! "Quem deucrédito a nossa pregação?" interroga o profeta, "e a quem se manifestou o braço do Senhor? Porque foi subindo como umrenovo perante Ele, e como, raiz duma terra seca; não tinha parecer nem formosura; e, olhando nós para Ele, nenhumabeleza víamos, para que O desejássemos. Era desprezado, e o mais indigno entre os homens; homem de dores, eexperimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e não fizemos dElecaso algum."Verdadeiramente Ele tomou sobre Si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre Si; e nós O reputamos poraflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas Ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniquidades; ocastigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas Suas pisaduras fomos sarados. "Todos nós andamos desgarradoscomo ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre Ele a iniquidade de nós todos. Ele foioprimido, mas não abriu a Sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e, como a ovelha muda perante os seustosquiadores, Ele não abriu a Sua boca. Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da Sua vida?porquanto foi cortado da Terra dos viventes; pela transgressão do Meu povo foi Ele atingido." Isa. 53:1-8. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com
  3. 3. Mesmo a maneira de Sua morte foi prefigurada. Como a serpente de bronze foi levantada no deserto, assim devia serlevantado o Redentor por vir, "para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna". João 3:16."E se alguém Lhe disser: Que feridas são essas nas Tuas mãos? Dirá Ele: São as feridas com que fui ferido em casa dosMeus amigos." Zac. 13:6. "E puseram a Sua sepultura com os ímpios, e com o rico na Sua morte; porquanto nunca fezinjustiça, nem houve engano na Sua boca. Todavia, ao Senhor agradou moê Lo, fazendo-O enfermar." Isa. 53:9 e 10.Mas Aquele que havia de sofrer a morte às mãos de homens vis, devia ressurgir como conquistador sobre opecado e sobre a sepultura. Sob a inspiração do Todo-poderoso, o suave cantor de Israel havia testificadodas glórias da manhã da ressurreição. "Também a Minha carne", proclamou jubiloso, "repousará segura. Pois nãodeixarás a Minha alma no inferno [a sepultura], nem permitirás que o Teu Santo veja corrupção." Sal. 16:9 e 10. Atos dosApóstolos, pp. 225-227.Paulo trabalhava dentro do limite que as pessoas tinham, procurava alcançar as pessoas onde estivessem e usava comoponto de partida o conhecimento que elas possuíam, e dai lhes ampliava, tendo as escrituras (O Velho Testamento) comobase e fonte de autoridade. Terça: Duas visões do Messias 3. Que características teria o futuro libertador? Existe algum tipo de “conflito” entre as imagens apresentadas? Jr23:1-6; Is 9:1-7; 53:1-6;Zc 9:9Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto! —diz o SENHOR. Portanto, assim diz o SENHOR, oDeus de Israel, contra os pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes as minhas ovelhas, e as afugentastes,e delas não cuidastes; mas eu cuidarei em vos castigar a maldade das vossas ações, diz o SENHOR. Eu mesmo recolhereio restante das minhas ovelhas, de todas as terras para onde as tiver afugentado, e as farei voltar aos seus apriscos;serão fecundas e se multiplicarão. Levantarei sobre elas pastores que as apascentem, e elas jamais temerão, nem seespantarão; nem uma delas faltará, diz o SENHOR. Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que levantarei a Davi umRenovo justo; e, rei que é, reinará, e agirá sabiamente, e executará o juízo e a justiça na terra. Nos seus dias,Judá será salvo, e Israel habitará seguro; será este o seu nome, com que será chamado: SENHOR, Justiça Nossa.(Jer. 23:1-6)Mas para a terra que estava aflita não continuará a obscuridade. Deus, nos primeiros tempos, tornou desprezível a terrade Zebulom e a terra de Naftali; mas, nos últimos, tornará glorioso o caminho do mar, além do Jordão, Galiléia dosgentios. O povo que andava em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhesa luz. Tens multiplicado este povo, a alegria lhe aumentaste; alegram-se eles diante de ti, como se alegram na ceifa ecomo exultam quando repartem os despojos. Porque tu quebraste o jugo que pesava sobre eles, a vara que lhes feria osombros e o cetro do seu opressor, como no dia dos midianitas; porque toda bota com que anda o guerreiro no tumulto dabatalha e toda veste revolvida em sangue serão queimadas, servirão de pasto ao fogo. Porque um menino nos nasceu,um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, DeusForte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz; para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim sobre o tronode Davi e sobre o seu reino, para o estabelecer e o firmar mediante o juízo e a justiça, desde agora e parasempre. O zelo do SENHOR dos Exércitos fará isto. (Isa. 9:1-7)Quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do SENHOR? Porque foi subindo como renovo peranteele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza haviaque nos agradasse. Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que épadecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso.Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamospor aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossasiniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nósandávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele ainiquidade de nós todos. (Isa. 53:1-6)Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém: eis aí te vem o teu Rei, justo e salvador, humilde,montado em jumento, num jumentinho, cria de jumenta. (Zac. 9:9)Certamente não há “conflito” e sim detalhes, destacando com precisão a sua missão referente a sua 1º, e a sua 2º vindaa está Terra.Paulo mostrou quão intimamente havia Deus ligado o sacrifício expiatório com as profecias referentesÀquele que devia, como um cordeiro, ser "levado ao matadouro". O Messias devia dar a Sua vida como"expiação do pecado". Olhando através dos séculos as cenas do sacrifício expiatório do Salvador, o profetaIsaías testificara que o Cordeiro de Deus "derramou a Sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; masEle levou sobre Si o pecado de muitos, e pelos transgressores intercede". Isa. 53:7, 10 e 12.O Salvador profetizado devia vir, não como um rei temporal, para livrar a nação judaica de opressoresterrestres, mas como um homem entre homens, para viver uma vida de pobreza e humildade, e ser afinaldesprezado, rejeitado e morto. O Salvador predito nas Escrituras do Antigo Testamento devia oferecer-Secomo um sacrifício em favor da raça caída, cumprindo assim cada requisito da lei quebrantada . NEle ostipos sacrificais deviam encontrar seu antítipo, e Sua morte na cruz devia emprestar significado à inteiradispensação judaica. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com
  4. 4. Paulo falou aos judeus tessalonicenses a respeito de seu zelo anterior pela lei cerimonial, e de sua maravilhosaexperiência às portas de Damasco. Antes de sua conversão estivera ele confiando numa piedade hereditária efalsa esperança. Sua fé não estivera ancorada em Cristo; em lugar disto estivera confiando emformalidades e cerimônias. Seu zelo pela lei estava dissociado da fé em Cristo, sendo vão. Enquantoblasonava de ser irrepreensível na prática das obras da lei, tinha recusado aceitar Aquele que tornara a lei valiosa.Mas ao tempo de sua conversão, tudo havia sido mudado. Jesus de Nazaré, a quem ele perseguira napessoa de Seus santos, aparecera diante dele como o prometido Messias. O perseguidor vira-O como sendoo Filho de Deus, Aquele que viera à Terra em cumprimento das profecias, e em cuja vida se cumprira cadaespecificação dos Sagrados Escritos.Ao proclamar Paulo, com zelo santo, o evangelho na sinagoga de Tessalônica, um jato de luz se derramousobre o verdadeiro significado dos ritos e cerimônias que se relacionavam com o serviço do tabernáculo.Conduziu ele a mente de seus ouvintes para além do cerimonial terrestre e do ministério de Cristo nosantuário celestial, até o tempo em que, tendo completado Seu trabalho de intercessão, Ele deverá voltar,com poder e grande glória, para estabelecer Seu reino na Terra. Paulo cria na segunda vinda de Cristo;apresentou as verdades concernentes a este evento com tanta clareza e ênfase, que produziu na mente demuitos dos ouvintes uma impressão que nunca mais se apagou.Por três sábados sucessivos Paulo pregou aos tessalonicenses, disputando com eles sobre as Escrituras referentes à vida,morte, ressurreição, obra intercessória e glória futura de Cristo, "o Cordeiro morto desde a fundação do mundo". Apoc.13:8. Ele exaltava a Cristo, de cujo ministério a compreensão exata é a chave que abre as Escrituras doAntigo Testamento, dando acesso a seus ricos tesouros. Atos dos Apóstolos, pp. 227-229Em sua primeira vinda está revelado que o Jesus seria o bom pastor, que dá a vida pelas ovelhas, descenderia da tribo deJudá, seria um grande profeta que ensinaria todas as coisas referentes ao reino dos céus, viveria sem pecado, sendoassim o imaculado cordeiro de Deus, sofreria e morreria em lugar dos pecadores, e ressuscitaria ao terceiro dia, tornado-se o salvador tanto da terra como do céu. Quarta: Sofrimento antes da glória 4. Com espírito de oração, leia Isaías 53. Que símbolos indicam que Jesus sofreria antes de Sua glória? O que Elesofreu para que você tivesse a vida eterna? À luz desse amor divino, em que posição Cristo deve estar em nossa vida?Quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do SENHOR? Porque foi subindo como renovo peranteele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia quenos agradasse. Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e,como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso. Certamente, ele tomou sobresi as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido.Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a pazestava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um sedesviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos. Ele foi oprimido e humilhado, masnão abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores,ele não abriu a boca. Por juízo opressor foi arrebatado, e de sua linhagem, quem dela cogitou? Porquanto foi cortadoda terra dos viventes; por causa da transgressão do meu povo, foi ele ferido. Designaram-lhe a sepultura com osperversos, mas com o rico esteve na sua morte, posto que nunca fez injustiça, nem dolo algum se achou em sua boca.Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando der ele a sua alma como oferta pelo pecado, verá asua posteridade e prolongará os seus dias; e a vontade do SENHOR prosperará nas suas mãos. Ele verá o fruto do penosotrabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque asiniqüidades deles levará sobre si. Por isso, eu lhe darei muitos como a sua parte, e com os poderosos repartirá ele odespojo, porquanto derramou a sua alma na morte; foi contado com os transgressores; contudo, levou sobre si o pecadode muitos e pelos transgressores intercedeu. (Isa. 53)Os símbolos aqui indicados são: renovo; raiz de uma terra seca; cordeiro levado ao matadouro; como ovelha mudaperante os seus tosquiadores, por causa da transgressão do meu povo, foi ele ferido.Com respeito aos sofrimentos do Salvador, Jeová mesmo declarou por intermédio de Zacarias: "Ó espada, ergue-tecontra o Meu Pastor e contra o varão que é o Meu companheiro." Zac. 13:7. Como substituto e garantia pelo pecado dohomem, Cristo sofreria sob a justiça divina. Ele compreenderia o que justiça significa; saberia o que significa para opecador estar sem intercessor na presença de Deus. Pelo salmista o Redentor mesmo profetizara de Si: "Afrontas Mequebrantaram o coração, E estou fraquíssimo: Esperei por alguém que tivesse compaixão, Mas não houve nenhum; E porconsoladores, Mas não os achei. Deram-Me fel por mantimento, E na Minha sede Me deram a beber vinagre." Sal. 69:20 e 21.Sobre o tratamento que deveria receber, Ele profetizou: "Pois Me rodearam cães; o ajuntamento de malfeitores Mecercou, transpassaram-Me as mãos e os pés. Poderia contar todos os Meus ossos; eles vêem, e Me contemplam.Repartem entre si os Meus vestidos, e lançam sorte sobre a Minha túnica." Sal. 22:16-18.Essas retratações do amargo sofrimento e cruel morte do Prometido, penosos como fossem, eram ricos em promessa;pois dAquele de quem se diz que "ao Senhor agradou moê Lo, fazendo-O enfermar", para que Se pudesse tornar "umaoferta pelo pecado", Jeová declarou: Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com
  5. 5. "A Sua posteridade, prolongará os dias; E o bom prazer do Senhor prosperará na Sua mão. O trabalho da Sua alma Eleverá, e ficará satisfeito; "Com o Seu conhecimento o Meu Servo, o Justo, justificará a muitos, Porque as iniquidades deleslevará sobre Si. Pelo que Lhe darei a parte de muitos, E com os poderosos repartirá Ele o despojo; Porquanto derramou aSua alma na morte, E foi contado com os transgressores; Mas Ele levou sobre Si os pecados de muitos, E pelostransgressores intercede." Isa. 53:10-12.Foi o amor pelos pecadores que levou Cristo a pagar o preço da redenção. "Viu que ninguém havia, e maravilhou Se deque não houvesse intercessor"; nenhum outro poderia resgatar os homens e mulheres do poder do inimigo; "pelo que oSeu próprio braço Lhe trouxe a salvação, e a Sua própria justiça O susteve." Isa. 59:16. "Eis aqui o Meu Servo, a quemsustenho; O Meu Eleito, em quem Se compraz a Minha alma; Pus o Meu Espírito sobre Ele; Juízo produzirá entre osgentios." Isa. 42:1. Profetas e Reis, p. 691-692. Quinta: Nasce uma igreja 5. Que classes de pessoas formaram o núcleo da igreja de Tessalônica? At 17:1-4, 12Tendo passado por Anfípolis e Apolônia, chegaram a Tessalônica, onde havia uma sinagoga de judeus. Paulo, segundo oseu costume, foi procurá-los e, por três sábados, arrazoou com eles acerca das Escrituras, expondo e demonstrando tersido necessário que o Cristo padecesse e ressurgisse dentre os mortos; e este, dizia ele, é o Cristo, Jesus, que eu vosanuncio. Alguns deles (Judeus convertidos) foram persuadidos e unidos a Paulo e Silas, bem como numerosamultidão de gregos piedosos e muitas distintas mulheres. (Atos 17:1-4)Com isso, muitos deles creram, mulheres gregas de alta posição e não poucos homens. (Atos 17:12)Judeus convertidos, gregos piedosos e mulheres de alta posição.Por três sábados sucessivos Paulo pregou aos tessalonicenses, disputando com eles sobre as Escrituras referentes à vida,morte, ressurreição, obra intercessora e glória futura de Cristo, "o Cordeiro morto desde a fundação do mundo". Apoc.13:8. Ele exaltava a Cristo, de cujo ministério a compreensão exata é a chave que abre as Escrituras doAntigo Testamento, dando acesso a seus ricos tesouros.Ao serem as verdades do evangelho assim proclamadas em Tessalônica com forte poder, foi atraída aatenção de grandes congregações. "E alguns deles creram, e ajuntaram-se com Paulo e Silas; e também uma grandemultidão de gregos religiosos, e não poucas mulheres principais." Atos 17:4. Atos dos Apóstolos, pp. 229.O Espírito Santo, tem estado a chamar tanto judeus como gentios.Desde os dias de Paulo até o presente, Deus, pelo Seu Espírito Santo, tem estado a chamar tanto judeuscomo gentios. “Para com Deus não há acepção de pessoas” (Rom. 2:11), declarou Paulo. O apóstolo se consideravadevedor “tanto a gregos como a bárbaros” (Rom. 1:14), bem como a judeus; mas jamais ele perdeu de vista as decididasvantagens que os judeus haviam possuído sobre outros, “primeiramente”, porque “as palavras de Deus lhe[s] foramconfiadas” (Rm 3:2, RC). Declarou ele: “O evangelho é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, primeirodo judeu e também do grego” (Rom. 1:16; Atos dos Apóstolos, p. 380).Paulo seguindo a orientação profética (Gên, 18:18 ; 22:18 ; 26:4 ; Jo. 4:22) levava a mensagem primeiramente ao judeu etambém ao grego.Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre aterra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo, (Apoc. 14:6) Sexta: Estudo adicionalConclusão:Com “O chegar o evangelho em Tessalônica” aprendi que ... • O mundo religioso de hoje tem um conceito equivocado do messias em relação a sua pessoa e a sua segunda vinda, como tinham os fariseus no tempo de Jesus em relação a Ele e sua primeira vinda, a história se repete, por isso à temos como referência. • Por isso ao pregar o evangelho, e encontrar oposição e perseguição devemos ter a disposição de pagar o preço, lembrando que o servo não é maior que seu Senhor, fazendo assim nos tornamos coobreiros de cristo sendo participantes em seu modo de viver, e o seremos também quando se manifestar em glória. • É importante levar a mensagem: usando de estratégias evangelísticas, tendo a palavra de Deus como base e fonte de autoridade, confirmando as profecias transmitidas pelos patriarcas e profetas, com vista no objetivo de plantar novas igrejas, não fazendo acepção de pessoas, seguindo nossa missão revelada em Apoc. 14:6-12. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com

×