DEP - Diferença Esperada na Progênie

2.672 visualizações

Publicada em

DEP genômica, resumindo, é o nível de superioridade que espera-se ser transmitido a progênie , em outras palavras, é a diminuição de erros na capacidade de precisão dos resultados. Tire suas dúvidas, a partir das respostas dos profissionais, neste questionário.

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

DEP - Diferença Esperada na Progênie

  1. 1. Tire Dúvidas Sobre DEPsSeleção de Perguntas, tiradas de sites relacionados, sobre o uso de DEP,sua funcionalidade e como utilizá-lo no dia a dia.Sumário 1. As DEPs e a seleção ......................................................................... 2 2. Um touro pode transmitir habilidade materna? ........................... 2 3. Como interpretar as DEPs?............................................................. 3 4. Na prática, como escolher um touro para reprodução?............... 3 5. A sustentabilidade é uma questão latente hoje em dia. Como o melhoramento genético pode influenciar os impactos no meio ambiente e a emissão de gases estufa, como o metano? ............. 4 6. Nós sabemos que a digestão dos ruminantes influencia diretamente na liberação de metano. É possível que a genética interfira ao ponto de criar uma DEP metano? Ou seja, fazer com que o animal tenha a necessidade de liberar menos metano? ... 4 7. Falando agora sobre o melhoramento genético de precisão, que ainda é novidade para alguns produtores. Como está o desenvolvimento desta tecnologia no Brasil? ............................... 5 8. Então, o senhor diria que o Brasil não está devendo mais nada em relação às evoluções em melhoramento genético no mundo? ............................................................................................................. 5 9. Quais são as perspectivas do melhoramento genético para os próximos anos? O que o pecuarista pode esperar de novidade e o que o senhor espera para essa próxima década? ...................... 6
  2. 2. 2As DEPs e a seleçãoQuando selecionamos um animal, nos baseamos em informações paradeterminadas características, como por exemplo, o peso a desmama,utilizado quando um pecuarista deseja incrementar em suas futurascrias, um peso a desmama superior ao atual. Para tais objetivos, énecessária a utilização de uma genética superior para a característicade peso a desmama.Neste caso, o valor do peso a desmama das crias de um determinadoreprodutor serão comparadas com o peso a desmama das crias dosdemais reprodutores envolvidos na avaliação, sendo conferido ao loteque apresentar o melhor peso a desmama, o mérito genético de seuprogenitor. Essa comparação considera uma série de efeitos e agenealogia dos animais. A metodologia de estimação permite quesejam comparados os valores genéticos de animais de diferentes pais,fazendas, lotes, etc., desde que algumas pré-condições sejamobedecidas. Ostouros cujas progênies apresentarem o mais elevadospesos à desmama, após a remoção dos efeitos não genéticos, serãoconsiderados como animais melhoradores para a característica peso àdesmama ou outra qualquer que estiver sendo estudada.A metodologia de avaliação é semelhante para os demais índiceszootécnicos, como ganho de peso diário, índice de fertilidade, taxa deconversão alimentar etc. O importante é lembrarmos que os melhoresanimais para determinada característica não necessariamente serão osmelhores para outras, já que um animal com DEP positiva para ganhode peso diário, por exemplo, pode apresentar uma DEP negativa parauma característica como habilidade materna ou outra(s).Um touro pode transmitir habilidade materna?As características são condicionadas por genes, além dos efeitos demeio ambiente, e esses genes são transmitidos pelos touros e vacas, paisdos bezerros.Habilidade materna? Como um touro pode ser avaliado por suahabilidade materna, característica expressa pelas fêmeas, neste casorepresentada pela vaca. Como dissemos, os animais são avaliadoslevando em consideração o desempenho de suas progênies, tantomachos como fêmeas. Assim, um touro pode ser avaliado por suahabilidade materna, idade ao primeiro parto, produção de leite,persistência de lactação etc., pois no fundo, estamos avaliando opatrimônio e a qualidade genética dos animais. Apoio Genética – Tradição e Qualidade em Genética www.apoiogenetica.com.br (18) 3903-5151 – Presidente Prudente / SP
  3. 3. 3Como interpretar as DEPs?A interpretação das DEPs fica facilitada com um exemplo. Vamosinterpretar o significado dos valores das DEPs, ou seja, o que representapara o pecuarista um animal com DEP 15 kg, outro 7 kg e ainda umoutro com DEP de -5 kg, para uma determinada característica, comopeso à desmama. As DEPs significam que os filhos do touro A terão 15kg a mais do que a média dos filhos dos touros avaliados, os do touro Bserão 7 kg mais pesados e os do touro C serão 5 kg mais leves que amédia. No entanto, esses valores serão alterados pelo meio ambiente epodem ser maiores ou menores. De qualquer maneira, a diferença depeso entre os filhos dos touros deverá permanecer a mesma, se asvacas forem semelhantes. Assim, os filhos do touro A, em condições deambiente semelhantes às verificadas na avaliação desses touros, serão,em média, 20 kg mais pesados dos que os do touro C e 8 kg maispesados que os do touro B.Caso o pecuarista opte pelo incremento da genética do Touro 1 em seurebanho, espera-se que seus futuros animais desmamem com um peso20 kg superior à média das progênies do rebanho. Se a média de pesoà desmama da população onde os touros foram avaliados for de 170kg, aos 7 meses, espera-se que os filhos desse touro tenham uma médiade peso à desmama de 190 kg, alteração essa devida à ação dosgenes desse touro.Na prática, como escolher um touro para reprodução?É de suma importância que se estabeleçam os chamados critérios deseleção, ou seja, os objetivos que se deseja buscar com o processo demelhoramento genético.As melhores DEPs não necessariamente implicam nos melhores animais,cabendo aos objetivos do processo de melhoramento genético essadeterminação. Esse fato pode ser relatado nas avaliações para peso aonascimento, onde DEPs muito elevadas tendem a comprometer ospartos, já que as crias nascidas de reprodutores com tais DEPs tenderãoa ser maiores e mais pesadas.Interpretando as DEPs e balanceando a escolha dos reprodutores, opecuarista certamente melhorará seu rebanho, em velocidade muitomaior do que o faria com as metodologias atuais, como a avaliaçãovisual geral dos touros. No entanto, para cada situação em especial,para cada objetivo de melhoramento, o pecuarista deve escolher oreprodutor que melhor se adeque às Apoio Genética – Tradição e Qualidade em Genética www.apoiogenetica.com.br (18) 3903-5151 – Presidente Prudente / SP
  4. 4. 4A sustentabilidade é uma questão latente hoje em dia.Como o melhoramento genético pode influenciar osimpactos no meio ambiente e a emissão de gasesestufa, como o metano?1Raysildo Lobo - Nós implantamos o Sistema Certificação Global G. Essesistema é similar ao antigo sistema global GAP utilizado na Europa, ondetemos três tipos de classificação. A classificação g1 é a qualidade dainformação, desde a coleta dos dados ao treinamento da equipe, lotesde manejo, aferição da balança. A g2 diz respeito à certificação defazendas que têm progresso genético, porque não basta participar doprograma de melhoramento sem fazer o dever de casa. A classificaçãog3 é um trabalho de melhoramento genético inédito, onde já foramidentificadas 41 fazendas, e diz respeito a esta sustentabilidadeambiental, controle da emissão dos gases estufa, principalmente ometano, e questão sanitária da fazenda. Nós fazemos um levantamentoe depois são gerados indicadores para mostrar ao fazendeiro quantoele está eliminando de poluentes. Isso é associado com omelhoramento genético para reduzir o tempo de abate do animal,porque ele fica menos tempo no pasto e evita a emissão de gasesestufa por muito tempo. Com isso nós vamos recuperar a credibilidadedos produtores brasileiros, porque os resultados estão sendo fantásticos.Nós sabemos que a digestão dos ruminantesinfluencia diretamente na liberação de metano. Épossível que a genética interfira ao ponto de criaruma DEP metano? Ou seja, fazer com que o animaltenha a necessidade de liberar menos metano?Raysildo Lobo - É possível você identificar um gene que estejarelacionado a esta emissão de metano, através dos marcadoresmoleculares. Com isso, podemos produzir animais com menor emissãodo gás metano. Isso é a mesma coisa que desenvolver animais quetenham maior eficiência de consumo alimentar e o produtor atémelhora o ganho de peso do seu rebanho. Essa variabilidade genética1Raysildo Lobo - médico veterinário, doutor em melhoramento genético e presidente da ACNP(Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores) Apoio Genética – Tradição e Qualidade em Genética www.apoiogenetica.com.br (18) 3903-5151 – Presidente Prudente / SP
  5. 5. 5existe e é possível, mas acredito que ainda demore uns 5 anos para agente produzir esta DEP.Falando agora sobre o melhoramento genético deprecisão, que ainda é novidade para algunsprodutores. Como está o desenvolvimento destatecnologia no Brasil?Raysildo Lobo - O melhoramento genético de precisão implica em vocêestar sintonizado com a aplicação das tecnologias disponíveis paramaximizar o progresso genético. Além da genética, envolve a parteambiental, sanitária, a área de nutrição e manejo de pastagem. É vocêidentificar animais com maior acurácia, tendo maior retorno nomelhoramento genético e dando resultados mais claros em termos deprodutividade. A gente está sendo buscando um sistema que ajude oprodutor a reduzir as suas despesas e aumentar a lucratividade porqueo produtor brasileiro está como uma margem de lucro muito estreita.Então, ele não pode errar, tem que ser preciso. Em 2008, nósatendíamos apenas 35% das nossas fazendas e, em 2011, atingimos99,6% das fazendas dos programas de melhoramento. Fazemos visitasaos fazendeiros com treinamento e as mais de 200 certificações queaconteceram em 2011.Então, o senhor diria que o Brasil não está devendomais nada em relação às evoluções emmelhoramento genético no mundo?Raysildo Lobo – Hoje, eu tenho a felicidade de observar estrangeirosvindo ao Brasil para conhecer tecnologias que eles nem têm lá, ouquando têm estão menos desenvolvidas. O Brasil é a sexta maioreconomia do mundo, um dos maiores exportadores de proteína animale vegetal e nós estamos, às vezes, acima de países do primeiro mundo,em termos de tecnologia. As estimativas são de que as demandas dealimentação vão duplicar até 2050 e o Brasil é um dos poucos paísesque têm condições de atender esta demanda de mais de 7 bilhões depessoas até lá. Apoio Genética – Tradição e Qualidade em Genética www.apoiogenetica.com.br (18) 3903-5151 – Presidente Prudente / SP
  6. 6. 6Quais são as perspectivas do melhoramento genéticopara os próximos anos? O que o pecuarista podeesperar de novidade e o que o senhor espera paraessa próxima década?Raysildo Lobo - Eu trabalho com melhoramento genético há 40 anos. Asdécadas de 70 e 80 eram anos em que a gente falava de genética eninguém queria saber. O melhoramento genético só foi crescer a partirde 2003 e, desde então, houve uma explosão de tecnologias e oprogresso foi imenso. Eu tenho a expectativa de que os avanços serãomuito grandes de um ano para o outro.Fontes / Sites:Dia do Campo:http://www.diadecampo.com.br/zpublisher/materias/Materia.asp?id=26267&secao=Agrotemas&c2=Gen%E9tica%20Animal – (09/04/2012 – ás 08:28H) **Perguntas 5 á 9.Criar e Plantar:http://www.criareplantar.com.br/pecuaria/lerTexto.php?categoria=27&id=77 – (18/04ás 09:24H) **Perguntas 1 á 4. Apoio Genética – Tradição e Qualidade em Genética www.apoiogenetica.com.br (18) 3903-5151 – Presidente Prudente / SP

×