Desinformacao

136 visualizações

Publicada em

Apresentação para STC, curso EFA 2016, Agrupamento de escolas de Paço de Arcos

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
136
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Quem controla quem? A existência de feedbacks tornam a teia de influências em algo que tem características orgânicas e que como um todo reage automaticamente a alterações do ambiente, embora no seu interior possam existir segmentos mais rígidos que outros.
    Na minha opinião, a base do preconceito é sempre a religião, não está necessariamente ligada a um Deus, mas sim à fé que temos que podemos ser melhores que os outros. De uma forma ou de outra, todas as religiões se consideram superiores, ou pelo menos mais verdadeiras que as outras.
  • Há graus de RVs, dependem dos recursos existentes, hoje podemos simplesmente modificar ligeiramente a realidade, no futuro…
    Mas, são realidades virtuais apenas um sonho da ficção cientifica ??? Nem por isso, todos os dias lidamos com uma RV muito mais complexa que o facebook.
  • Há graus de RVs, dependem dos recursos existentes, hoje podemos simplesmente modificar ligeiramente a realidade, no futuro…
    O fim de BW, ao contrário do esperado, veio, especialmente a partir de 1985, aumentar a volatibilidade dos mercados. Para contrariar esta tendência surgem novas ferramentas, os derivados. Que, ao facilitarem ganhos especulativos gozam de enorme popularidade.
    Dado que os derivados não têm que ser transacionados apenas em bolsa a transparência é muito mais reduzida que nos produtos mais tradicionais (acões/obrigações), são criados (pelos bancos e outras IF) mecanismos para evadirem a supervisão. Ganhos especulativos em novos mercados de derivados geram fluxos de preços que não têm nada a ver com a economia real. As crises financeiras são mais intensas e até 300% mais frequentes.
    Comprar um crédito passa a ter valor, tem o valor do crédito mais os x% do juro associado, como tal parece ser um bom negócio, mas apenas se o crédito for pago. Para diminuir o risco, aparecem seguros, um investidor pode segurar o seu investimento, a companhia de seguros garante o pagamento do crédito mesmo que o devedor não o pague.
    Declínio da transparência, aumento de ganhos especulativos.
    Mercado de derivados, cria valor sobre objetos virtuais, como por exemplo, créditos. O aparecimento de seguros sobre este tipo de investimentos permite ao investidor lucrar mais e mais rapidamente se o crédito não for pago. O que dá origem ao boom dos empréstimos sub-prime, cuja bolha rebentou em 2007 com os resultados que se sabem. O mesmo processo aconteceu com as dividas soberanas, dando origem a países com dividas impagáveis. Exatamente a situação que o sistema Brenton Woods era suposto resolver.
  • Porque razão é desejável passar do mundo real ao mundo virtual. Será asceder ao grau de divindade no nosso mundo privado onde podemos ter tudo o que queremos, porque no fundo é o nosso mundo. E poder experimentar imersivamente algo que de outro modo seria apenas imaginação é algo muito apelativo.
    Mas não deixa de ser irónico o facto da necessidade do escapismo ser causada pelas condições atuais do mundo, que não seriam tão más se não o tivéssemos estragado ao longo da nossa evolução
  • Existe um movimento que tende para desinformação máxima.
    Fica por determinar se este movimento é gerado por causas naturais inerentes à natureza humana ou se é o resultado de uma conspiração de uma entidade desconhecida.
  • Existe um movimento que tende para desinformação máxima.
    Fica por determinar se este movimento é gerado por causas naturais inerentes à natureza humana ou se é o resultado de uma conspiração de uma entidade desconhecida.
  • Desinformacao

    1. 1. 29 Abril 2016 António Vasconcelos
    2. 2. O QUE É ? Desinformação é o ato de fornecer informação de tal forma que orienta o recetor para uma determinada conclusão. Mesmo quando a informação fornecida é 100% correta, é possível indiciar relações que não existem. DESINFORMAÇÃODESINFORMAÇÃO Hitler matou milhões de Judeus, é adepto da teoria da Evolução de Darwin. IMPLICA QUE… A Teoria da Evolução de Darwin é algo em que só um montro psicótico poderia acreditar. É necessário fazer adaptações consoante o recetor, não é provável que tenha o mesmo efeito quando aplicada a um neonazi.
    3. 3. PARA QUÊ? – NA GUERRA • Obter vantagens táticas sobre o inimigo; • Manipular a opinião pública interna de modo a melhorar o desempenho dos soldados e incrementar a produção; • Denegrir a reputação do inimigo noutros fóruns.
    4. 4. PARA QUÊ? – NA POLITICA INDIVIDUOS (CAÓTICOS) INDIVIDUOS (ORDENADOS) PROCESSOS DE NORMALIZAÇÃO DIFICIL DE GOVERNAR FÁCIL DE GOVERNAR
    5. 5. PARA QUÊ? – NOS NEGÓCIOS • Obter vantagem em relação a um concorrente difundindo informação enganadora sobre o produto concorrente; • Suprimir ou desacreditar a investigação de produtos ou processos mais eficientes e mais baratos. No mínimo eliminar as vantagens financeiras através da criação de obstáculos artificiais muitas vezes usando os governos ou entidades reguladoras;
    6. 6. PODER ECONÓMICO POLITICAS EDITORIAIS PRECONCEITO QUEM? PODER POLITICO GOVERNOS MILITARES FAN ATISM O DIVIDA CENSURA OU INF. FALSA ARTIGOS DEOPINIÃO DESINFORMAÇÃO OFFSHORES TEORIA DA CONSPIRAÇÃO BAILO UTS IM PO STO S CRÉDITO+JURO Micro e pequenas empresas We, the people RELEGIÃO 
    7. 7. EVOLUÇÃO O alcance da desinformação depende da difusão da Informação Petróglifos Dependente da localização, mas sempre reduzido Internet Móvel Equivalente a 97% da população em 2009 (fonte: wikipedia) o nº de ligações por pessoa em muitos países ultrapassa as 100 por cada 100 habitantes, logo não chega a 97% da população, mas com os dados que tenho não é possível calcular um numero
    8. 8. EVOLUÇÃO - Processadores O número de transistors num circuito integrado duplica a cada dois anos. Gordon E. Moore, 1965 O nº de transístores de um CPU é um dos fatores que determina o seu poder de processamento, mas há muitos outros. 1970: 10 µm (10*1.0-6 m)  1971: intel 4004, 2.300 transístores 2016: 10 nm (10*1.0-9 m)  2015: SPARC M7, 10.000.000.000 transístores 2021?: 5 nm (5*1.0-9 m)  Julga-se ser o limite da tecnologia, abaixo destas dimensões os eletrões já apresentam um comportamento diferente Para comparação: 1 cabelo humano tem 100 µm de diâmetro. 2013 4.823.449.600 2015 9.646.899.200 2017 19.293.798.400 2019 38.587.596.800 2021 77.175.193.600
    9. 9. EVOLUÇÃO – Alcance das Tecnologias Petróglifos  Escrita Cuneiforme  Grego + Latim  Gutenberg  Paperbacks Jornais  Rádio  Cinema  TV Mainframe  PC  Internet  Mobile WEB  Online APPs Online permanente  Serviços de Localização  Bio sensores (smartwatches) Internet of Things (IOT)  Bio sensores #2  Novos interfaces  Quantum computing (QC)  IOT + QC  Novos interfaces + IOT + QC  Realidades Virtuais
    10. 10. Realidades Virtuais
    11. 11. REALIDADES VIRTUAIS HOJE O Sistema Financeiro $ € ¥£CNY 1870 Gold Standard 1914 - 1918 WW1 1925 Gold Ex. Standard 1939-1945 WW2 1945 Brenton Woods 1973 - 1985 Flexible Ex. Rates FMI Banco Mundial FMI Banco Mundial 1947 GATT-WTO 1971 Dólar deixa de ser convertível em ouro (Nixon Shock) 1985 – 1999 Managed Ex. Rates 1999 - ? Dolar / Euro • Aumento da volatilidade • Declínio da transparência • Mercado de derivados • Seguros de crédito (CDF’s) • Crise do sub-prime • Crise das dividas soberanas – Dividas soberanas impagáveis, ironicamente esta situação foi uma das principais razões que levou ao aparecimento do sistema Brenton Woods em 1945. Em toda a sua inutilidade, o ouro continua a ser a base do sistema financeiro, mas a sua relação com o dinheiro é muito mais complexa. Continua a ser usado como arma na geopolítica. Em 2016 fala-se de obrigar a China a adotar um Gold Standard de modo a reduzir a vantagem que têm em poder fazer flutuar o cambio do Yuan (CNY). 1926: Liechtenstein 1º Paraíso Fiscal Moderno 1713: Suíça Primeiras leis de privacidade bancária 1932: Suíça Criminalizam a quebra do sigilo bancário Valores Virtuais
    12. 12. Do Mundo Real ao Virtual PORQUÊ? DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Nível de desinformação: 0% Nível de desinformação: 100%
    13. 13. Porquê? Causas Naturais Conspiração
    14. 14. FIM Trabalho realizado no âmbito da disciplina de STC - Abril 2016 E.S. Luís de Freitas Branco – Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos Monitores: Profª Dora Garcia Prof André Oliveira Coordenadora: Profª Manuela Esteves Fontes: Banco de Portugal Forbes Gold Seek Health Now Iowa State University – Department of Economics Kingdom Economics Kitco The New York Times The Tax Justice Network War and Gold, by Kwasi Kwarteng Wikipedia World Gold Council Autor: António Vasconcelos, EFA 1C4, nº 24891

    ×