A vida na idade media dinis

718 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
718
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A vida na idade media dinis

  1. 1. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 1 História e Geografia de Portugal A Vida Quotidiana nos séculos XIII e XIV Dinis Andrade Morais Barata dos Santos, n.º 9, 5.º A Professora: Ana Mafalda Damião Março de 2014
  2. 2. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 2 Introdução: Este trabalho surgiu a pedido da professora Ana Mafalda Damião para a disciplina de História e Geografia de Portugal. Tentaremos aqui caracterizar, numa primeira parte do trabalho, as várias ordens sociais da Idade Média e o seu modo de vida nos séculos XIII e XIV, identificando as suas principais atividades, distrações, vestuário, habitações e regime alimentar. Reservaremos a segunda parte do trabalho para fazermos a distinção entre grupos privilegiados e não privilegiados, indicando os seus direitos e deveres. Optamos por uma apresentação simplificada, com a utilização de tabelas que nos permitem identificar rapidamente os vários aspetos relativos a cada ordem social.
  3. 3. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 3 Na Idade Média, a população europeia estava dividida em três grandes grupos, as ordens sociais: o Clero, a Nobreza e o Povo. Cada uma destas ordens sociais desempenhava uma função específica na sociedade; uns rezavam outros combatiam e outros trabalhavam. A cima destes apenas estava Deus e o Rei, a quem todos os grupos deviam fidelidade, obediência e auxílio (militar e económico). Pertencia-se a uma ordem social por nascimento. “A família do Senhor está dividida em três grupos. Uns rezam, outros combatem, os últimos trabalham.” Adalberón de Laon (bispo francês), Cântico ao Rei Roberto (século XI) (adaptado)
  4. 4. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 4 Clero “Os membros do Clero devem ensinar a verdadeira fé e rezar para salvar as almas do povo”. Adalberón de Laon (bispo francês), Cântico ao Rei Roberto (século XI) (adaptado) O Clero era a principal ordem social e estabelecia a relação entre o povo e Deus. Era muito rico e possuía muitas terras (Senhorios), oferecidas em testamento por quem pretendia alcançar a salvação da sua alma. Os seus membros sabiam ler e escrever. O Clero dividia-se em Clero Secular e Clero Regular. O primeiro vivia nas aldeias, vilas e cidades, em contacto direto com as populações. O segundo habitava em comunidades isoladas, em Mosteiros e Conventos.
  5. 5. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 5 Atividade Principal  Serviço Religioso (Rezar) Outras Atividades Combater pela expansão da fé (Ordens Religioso- militares Ensino (escolas episcopais) Cópia de livros Antigos Agricultura Assistência aos doentes Assistência aos peregrinos Assistência aos pobres Vestuário Clero Secular  Túnica de tecido grosso  Bispos – Alva, casula bordada a ouro e prata, estola, mitra e báculo Clero Regular  Hábitos (de lã grossa)
  6. 6. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 6 Habitação Clero Secular  Igrejas  Sés Episcopais Clero Regular  Mosteiros  Conventos Alimentação  sopa, pão, um pouco de carne ou peixe, legumes, frua e vinho
  7. 7. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 7 Nobreza “Os nobres são os guerreiros, protetores das igrejas e dos povos”. Adalberón de Laon (bispo francês), Cântico ao Rei Roberto (século XI) (adaptado) A Nobreza combatia e defendia as populações. À Nobreza pertenciam os cavaleiros e seus descendentes e os familiares dos reis. Era uma ordem social muito rica, importante e poderosa que ajudava os reis na governação e manutenção do território. Possuía muitas terras (Senhorios), que explorava em proveito próprio. Teve um importante papel na história de Portugal medieval, pois ajudou a reconquistar territórios aos muçulmanos e promoveu a sua defesa, povoamento e exploração económica.
  8. 8. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 8 Atividade Principal  Serviço militar Outras Atividades Explorar os Senhorios Caça Equitação Distrações: - torneios - justas - Banquetes - Saraus - Jogos de sala: Xadrez, Dados Vestuário  Tecidos coloridos e caros: veludos e sedas  Joias Habitação  Castelos  Palácios / Paço  Salas com
  9. 9. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 9 tapetes e peles Alimentação  carne, pão de trigo, vinho, queijo e um pouco de fruta.
  10. 10. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 10 Povo “ O outro grupo, o povo, fornece a todos alimento e vestuário e os outros não poderiam viver sem ele”. Adalberón de Laon (bispo francês), Cântico ao Rei Roberto (século XI) (adaptado) A maioria da população pertencia ao povo. Constituía cerca de 90% da população. Aqui poderemos encontrar elementos dedicados a todas as atividades económicas: camponeses, pescadores, artesãos e mercadores. É também no povo que se englobam os marginalizados da sociedade: mendigos, ciganos e criminosos. A maioria dos elementos do povo vivia nos campos e explorava as terras dos senhores (casais), em troca do pagamento de elevados impostos e taxas em dinheiro e/ou géneros (ovos, carradas de lenha, galinhas, parte da colheita, etc), assim como do cumprimento de determinadas obrigações (usar e pagar pelo uso do forno, lagar e moinho do senhor, trabalhar gratuitamente na reserva, reparar caminhos, pontes e muros, etc). Os elementos do povo que habitavam as vilas e cidades dedicavam-se ao artesanato e ao comércio. Mais tarde alguns foram chamados de Burguesia, distinguindo-
  11. 11. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 11 se dos restantes elementos do povo pela sua riqueza, educação e modo de vida. Atividades  Agricultura  Artesanato  Comércio  Pesca  Distrações  Ofícios religiosos (missa)  Procissões  Romarias  Feiras
  12. 12. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 12 Vestuário  Tecidos de linho e lã Habitação  Uma única divisão  teto de colmo  paredes de madeira ou pedra, quase sem aberturas  chão em terra batida;  só uma divisão  pouca mobília (mesa, arcas e escanos);  As camas eram molhos de palha. Alimentação  Pão negro  Castanhas  Cebolas  Alhos
  13. 13. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 13  Toucinho  Nos dias festivos: -queijo -ovos - carne Grupos Privilegiados e Não Privilegiados - Direitos e Deveres A sociedade medieval era muito desigual e os seus elementos diferenciavam-se não apenas pela função que exerciam, mas também pelo facto de possuírem ou não privilégios. O Clero e a Nobreza eram grupos privilegiados. Tinham a obrigação de rezar e defender, respetivamente, mas não estavam obrigados ao pagamento de impostos ao Rei. Tinham o direito de receber e cobrar rendas e impostos aos camponeses que trabalhavam nos seus senhorios, aplicavam a justiça e tinham tribunais próprios. A Nobreza podia ainda recrutar homens para a guerra. Apesar de maioritário, o Povo era um grupo Não privilegiado. Trabalhava de sol a sol nas oficinas das
  14. 14. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 14 cidades e vilas ou nas terras do Rei, do Clero ou da Nobreza; pagava impostos ao Rei, ao senhor da terra que explorava e ao Clero.
  15. 15. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 15 Conclusão Com este trabalho percebemos que a vida na Idade Média era muito diferente da nossa. A maior parte da população, o Povo, passava muitas dificuldades e era-lhe muito difícil sobreviver. Também a Nobreza não tinha uma vida muito calma, porque em tempo de guerra era chamada a combater em combates corpo a corpo muito violentos. Apenas o clero vivia mais resguardado e sossegado nos seus mosteiros e igrejas, tendo um lugar importante devido à relação que estabelecia entre os homens e Deus.
  16. 16. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 16 Índice: A Vida Quotidiana nos séculos XIII e XIV - Capa-------------------------------------------------------pág. 1 - Introdução----------------------------------------- pág. 2 - Clero------------------------------------------------ pág. 4 - Nobreza-------------------------------------------- pág. 7 - Povo------------------------------------------------ pág. 10 - Grupos Privilegiados e Não Privilegiados----- pág. 13 - Direitos e Deveres - Conclusão----------------------------------------- pág. 14 - Índice---------------------------------------------- pág. 15 - Bibliografia---------------------------------------- pág. 16
  17. 17. Agrupamento de Escolas de Rio Tinto n.º 3 Centro Escolar de Baguim do Monte, ano letivo 2013/14 17 Bibliografia: - BAIÃO; Sandra Lopes; SANTOS, Sandra- hg.pt 5.Porto, Areal Editores, 2011, páginas 20-30 - http://historiageografiadeportugal.blogspot.pt/search/label/F%20-%20S%C3%A9culo%20XIII - http://www.obichinhodosaber.com/2011/10/13/historia-e-geografia-de-portugal- 5%C2%BA-ano-a-vida-quotidiana-no-sec-xiii/

×