Que Briga Danada! - Vovó Mima Badan

856 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
856
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Que Briga Danada! - Vovó Mima Badan

  1. 1. ESTÓRIAS da VOVÓ MIMA
  2. 2. QUE BRIGA DANADA!!!
  3. 3. Lucas é um menino sapeca e vive a fazer travessuras. É também muito estudioso e gosta, principalmente, de desenhar. Onde quer que esteja, está sempre com papel e lápis-de-cor fazendo lindos desenhos.
  4. 4. Lucas guarda seus desenhos numa gaveta e, cada um que chega em sua casa vai mostrar, todo orgulhoso, a sua arte. Um dia, quando seus tios chegaram, Lucas foi pegar os desenhos e... Só havia papeis em branco... Cadê os desenhos??? Quem pegou os desenhos do Lucas?? Quem pegou,quem pegou??
  5. 5. Mas, ninguém tinha mexido nos seus desenhos... Lucas fez outros desenhos e seus tios acharam lindos, elogiaram e o menino ficou todo orgulhoso. E, lá foi ele guardá-los no lugar de sempre.
  6. 6. No dia seguinte, fez novos desenhos, foi guardá-los e... CADÊ OS DESENHOS??? QUEM PEGOU MEUS DESENHOS??? começa novamente a gritar . Mas, ninguém tinha mexido nos desenhos... Será que passou por aqui alguma bruxa má e carregou tudo???
  7. 7. Porém, ninguém tinha mexido nos desenhos... Os dias foram passando, Lucas desenhando e os desenhos desaparecendo... Ninguém entendia o que poderia estar acontecendo... MAS... Lá dentro da gaveta...
  8. 8. ... Uma grande briga estava sendo travada: a borracha, invejosa das cores dos lápis, apagava tudo, acabava com tudo... E assim ela se achava a tal, a poderosa!!! Os lápis já não sabiam o que fazer, pois sem as mãos de Lucas não podiam desenhar e, o que ele desenhava, a chata da borracha apagava... Hehehehe!!!
  9. 9. Eles, os lápis, fizeram uma reunião para decidir: o que fazer com a danada da borracha? Pensaram até em algumas pequenas (e grandes) maldades, mas, não tiveram coragem.
  10. 10. De repente, lá vem Lucas, apanha papéis em branco na gaveta, a caixa de lápis-de-cor e a borracha. Desenha bichos, uma estrada, árvores, crianças, pinta, apaga, pinta, apaga... Desenha até uma cidade!!! Oba! Desenho novo! Vou apagar tudo! Tomara que não suma...
  11. 11. Outro desenho e, quando apagava o que os lápis tinham colorido a borracha ficava toda cheia de si – ela sim era a boa! Tudo o que estava errado quem dava um jeito era ela ! Quando o desenho ficou pronto Lucas foi mostrar pra sua irmã – que lindo! Lucas até ganhou um beijo! Vou acabar com essa alegria!!! Hehehehe!!!!
  12. 12. Lá vai o desenho pra gaveta! E, lá vem a borracha estragar tudo! MAS ... ela olha para aquele desenho tão lindo, colorido e pensa que só ficou assim bonito porque ela corrigiu os erros. Que ele só ficou assim bonito porque... os lápis deram suas cores a ele (não era agradável, mas tinha que reconhecer...) Achou melhor ficar só admirando e se arrependendo de ter destruído tanto desenho bonito que Lucas havia feito.
  13. 13. Aos lápis pediu desculpas, que foram aceitas. Juntos, os lápis-de-cor e a borracha ajudam Lucas a continuar sua vida de menino desenhista e, quem sabe um dia, será um grande pintor! Mas, ela, a borracha, continuou “se achando”... “ Afinal, pensou a borracha, sou poderosa mesmo! Se não fosse EU , será que tinha desenho bonito? É claro que não, não, não, não... Eu sou a tal!!! ” Será que é mesmo??? Que nada... O artista é mesmo LUCAS!!!
  14. 14. Estória criada e formatada por Mima (Wilma) Badan, a Vovó Mima [email_address] Música: Choro doido – Waldir Azevedo Imagens: da Net (Repasse com os devidos créditos) Para minhas netas, com meu amor e carinho .

×