Boletim_estatistico_n_2_jun_2014

2.777 visualizações

Publicada em

Boletim Estatístico N 2

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.777
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.876
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Boletim_estatistico_n_2_jun_2014

  1. 1. www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br Secretaria do Turismo • Ano 1I • Número 2 • Jan-Dez/2013 03 08 11 05 Taxa média de ocupação tem amostra ampliada Fichas hoteleiras revelam perfil de hóspedes Aeroporto registra mais de 8 milhões de desembarques Turismo de cruzeiros gera impacto econômico 12 Alojamento, alimentação e transporte colaboram para criação de empregos
  2. 2. Ano 1I • Nº 2 • Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br Secretário: Pedro Galvão • Superintendente de Investimentos em Polos Turísticos (Suinvest): Clarissa Amaral • Diretor de Planejamento e Estudos Econômicos (DPEE): Marcelo Carvalho • Equipe DPEE: Aldenair Pugas, Andreia Brandão, Inez Garrido, Ivete Carvalho, Ivia Santana, Luiz Fernando M. Costa, Reinaldo Dantas, Rhene Jorge, Rodrigo Lopes, Uagda Carvalho • Revisão: Tânia Feitosa • Projeto Gráfico e Editoração eletrônica: Erica Almeida • Fotografias: Rita Barreto, Tatiana Azeviche e João Ramos. EQUIPE TÉCNICA 2 Ao completar o primeiro ano de existência, o Observatório do Turismo da Bahia já realizou alguns avanços na divulgação de pesquisas e estudos sobre o turismo da Bahia nos últimos meses. As pesquisas realizadas pela Setur, em 2013, foram todas disponibilizadas via Observatório, permitindo o acesso de todos os interessados aos dados e resultados do monitoramento deste setor de atividade no Estado. O Boletim nº 2 apresenta uma síntese dos principais indicadores do turismo da Bahia, destacando os resultados da hotelaria, obtidos pelo processamento das Fichas Nacionais de Registro de Hóspedes (FNRHs) do período de 2007 a 2011, e pela Pesquisa Direta da Taxa de Ocupação e Diária Média dos Meios de Hospedagem de Salvador, realizadas pela Setur em 2013. Devido à ampliação da amostra foi possível aprofundar as análises de desempenho da hotelaria de Salvador, assim como ampliar os cálculos do RevPar, que representa a receita média por unidade de hospedagem disponível e indica o nível de eficiência do setor hoteleiro no seu conjunto. A movimentação do Aeroporto Internacional de Salvador é apresentada com maiores detalhes, além do movimento total dos principais aeroportos do interior. Inclui-se ainda um estudo comparativo entre o Aeroporto de Salvador e outros aeroportos do Nordeste. O movimento dos navios de cruzeiro nos portos de Salvador e Ilhéus também confirma a relevância desse segmento para a Bahia. Outras informações destacadas para as zonas turísticas da Bahia são relativas aos dados desagregados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE – Rais), que quantificam o estoque de emprego formal nas Atividades Características do Turismo – ACTs, o rendimento médio dos trabalhadores e o número de empresas formais registradas no MTE. As estatísticas do Sistema Integrado de Informações Turísticas são também apresentadas, com destaque para os registros de acessos nas redes sociais, atendimentos pelo Disque Bahia Turismo e atendimento presencial nos SATs. Este Boletim é um convite a todos os interessados pelo turismo do nosso Estado a visitarem o portal do Observatório do Turismo da Bahia e conhecerem, detalhadamente, o seu conteúdo, na expectativa de que as informações e análises ali disponibilizadas possam oferecer subsídios à tomada de decisões das empresas do trade turístico, assim como dos gestores públicos estaduais e municipais. Apresentação Pedro Galvão Secretário do Turismo do Estado da Bahia
  3. 3. Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia • Ano 1I • nº 2 www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br As Fichas Nacionais de Registro de Hóspedes (FNRHs) dos Hotéis da Bahia referentes ao período 2007 a 2011 foram processadas pela Setur, tornando possível a apuração dos indi- cadores da hotelaria nesse período. Considerando que a partir de 2013 os meios de hospedagem no Brasil passaram a enviar os registros de hóspedes diretamente ao Ministério do Turismo, Desempenho da Hotelaria 3 Fonte: FNRHs, 2013. Origem De acordo com as FNRHs, a proporção de hóspedes regis- trados nos meios de hospedagem da Bahia apresentou a seguinte variação: os hóspedes brasileiros variaram entre 80,1% ,em 2007, chegando a 90,5%, em 2011, com estimativa de 85,4% para 2013. Nesse mesmo período, os hospedes estrangeiros representaram 19,9% em 2007, a maior proporção. Em 2011 obteve-se a me- nor parcela de estrangeiros, com apenas 9,5%, elevando-se esse percentual para 14,6% em 2013. O gráfico a seguir apresenta os resultados anuais desse período. Permanência Média A permanência média verificada para os hóspedes brasi- leiros variou entre 4,4 dias, em 2007, e 4,9 dias, em 2013. Para os hóspedes estrangeiros, a permanência é sempre maior, tendo va- riado nesse período entre 7,2 dias, em 2007, e 6,8 dias, em 2013. Observa-se uma tendência de aumento da permanência dos hós- pedes domésticos e uma recuperação do patamar obtido para os hóspedes internacionais.O gráfico a seguir demonstra a variação ano a ano. Fichas hoteleiras revelam perfil de hóspedes 80,1 83,3 88,1 83,7 90,5 86,2 85,4 19,9 16,7 11,9 16,3 9,5 13,8 14,6 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 ORIGEM DOS HÓSPEDES REGISTRADOS NOS MEIOS DE HOSPEDAGEM DA BAHIA (%) Doméstico Internacional 4,4 4,6 4,6 4,6 4,9 4,8 4,9 7,2 7,2 6,8 6,9 6,6 6,7 6,8 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 PERMANÊNCIA MÉDIA DOS HÓSPEDES REGISTRADOS NOS MEIOS DE HOSPEDAGEM DA BAHIA (DIAS) Doméstico Internacional Desempenho da Hotelaria Fonte: FNRHs, 2013. por meio do Sistema Nacional de Registro de Hóspedes SNRHos, a Setur encerrou esse processamento. Em virtude das fichas de 2012 terem sido parcialmente processadas, a Setur procedeu a estimativa de alguns indicadores para os anos de 2012 e 2013, to- mando por base a série histórica dos cinco anos anteriores. Desta forma, apresentam–se os principais resultados relativos ao perfil dos turistas hospedados na hotelaria da Bahia.
  4. 4. Ano 1I • Nº 2 • Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br Meios de Transporte O meio de transporte declarado pelos hóspedes registra- dos nos meios de hospedagem da Bahia, no período de 2007 a 2011, revelou que a grande maioria utiliza o avião para chegar a Salvador. No interior, esta proporção é ainda maior a cada ano. 4 Motivo da Viagem O motivo da viagem declarado pelos hóspedes registra- dos nos meios de hospedagem da Bahia, no período de 2007 a 2011, revelou que em Salvador ocorre uma melhor distribuição de motivos entre viagens para turismo, negócios, convenção e outros, o que nos leva a supor que contribui para a redução da sazonalida- de. Por outro lado, nos MHs do interior, verifica-se uma concentração de cerca de dois terços dos hóspedes que viajam por motivo de turismo (de lazer). Isto também pode explicar a acentuada sazona- lidade de grande parte dos destinos turísticos do interior. A tabela a seguir apresenta o perfil motivacional dos hóspedes dos MHs na Bahia, para esse período. Fonte: FNRHs, 2013. A extensão territorial da Bahia explica a necessidade do transpor- te aéreo para todos os destinos turísticos, principalmente quando analisada a permanência média ocorrida. A tabela a seguir de- monstra os resultados obtidos das FNRHs. Fonte: FNRHs, 2013. Motivo da viagem 2007 2008 2009 2010 2011 Salvador Interior Salvador Interior Salvador Interior Salvador Interior Salvador Interior Turismo 30,7 57,8 28,2 61,7 24,3 64,0 30,4 63,9 29,1 64,1 Negócios 26,9 9,1 17,8 7,7 9,2 6,1 18,4 6,0 20,0 6,9 Convenção 8,8 11,6 7,5 11,3 4,8 8,0 8,9 12,0 7,6 8,8 Outros 7,6 4,3 7,9 3,9 4,3 3,6 7,6 2,8 6,2 3,0 Não informado 25,9 17,3 38,6 15,4 57,4 18,4 34,7 15,3 37,1 17,2 MOTIVO DA VIAGEM DOS HÓSPEDES REGISTRADOS NOS MEIOS DE HOSPEDAGEM – BAHIA – 2007-2011 Meio de transporte 2007 2008 2009 2010 2011 Salvador Interior Salvador Interior Salvador Interior Salvador Interior Salvador Interior Avião 48,5 49,6 35,3 52,1 24,6 49,9 42,8 54,1 40,3 54,7 Automóvel 10,7 16,2 0,7 0,8 9,6 16,3 8,7 16,4 8,6 13,7 Ônibus 4,1 3,0 10,8 17,2 3,0 3,0 2,4 2,3 1,8 2,3 Navio 1,7 0,7 3,8 2,7 0,6 0,6 0,6 0,7 0,4 0,5 Não informado 34,9 30,6 49,5 27,3 62,1 30,2 45,4 26,5 48,9 28,8 MEIOS DE TRANSPORTE UTILIZADOS PELOS HÓSPEDES REGISTRADOS - BAHIA - 2007-2011
  5. 5. Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia • Ano 1I • nº 2 www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br A taxa média de ocupação dos meios de hospedagem da cidade de Salvador vem sendo apresentada ao longo dos últimos anos, com base nas informações do Sindicato de Hotéis, Restau- rantes, Bares e Similares – SHRBS, que pesquisa uma amostra de 25 hotéis, cujo indicador foi adotado pela Setur até 2012. A par- tir do ano de 2013, a Setur iniciou pesquisa própria para obser- vação do desempenho hoteleiro, levantando a taxa média mensal de ocupação e a diária média dos hotéis de Salvador, sendo a sua amostra um total de 52 hotéis. Esses resultados gerais apurados para as médias mensais e anual mostraram-se bastante semelhantes aos apresentados 5 Taxa média de ocupação tem amostra ampliada pelo Sindicato, mas, devido à ampliação da amostra, tornou-se possível realizar algumas análises adicionais, conforme são apre- sentadas a seguir. Em 2013, é importante destacar o comportamento das médias mensais, embora não se tenha verificado taxas mais eleva- das nos meses típicos de alta temporada, também não ocorreram decréscimos acentuados, como era usual se constatar nos meses de baixa estação turística. Assim, observa-se maior estabilidade es- tacional no fluxo de hóspedes em Salvador, com variações mensais entre 53% e 64%, aproximadamente, de acordo com o gráfico a seguir. 62,71 63,95 52,97 53,55 53,7 53,38 57,81 55,92 55,3 63,64 62,71 57,42 57,75 0 10 20 30 40 50 60 70 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ MÉDIA ANUAL Taxa Média Anual de Ocupação dos Meios de Hospedagem de Salvador, 2013 Ocupação hoteleira Fonte: DPEE, 2014.
  6. 6. Ano 1I • Nº 2 • Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br 6 Taxa Média de Ocupação por Porte Com a base de dados ampliada, foi possível aprofundar os cálculos de taxas médias de ocupação, adotando-se dois parâme- tros: a) segundo o porte, agrupando-se os meios de hospeda- gem (MHs) pelo número de unidades habitacionais (UHs); b) segundo a localização geográfica, agrupando-se os meios de hospedagem (MHs) por polo hoteleiro em Salvador. A amostra foi definida com base na representatividade dos estabelecimentos e no atendimento ao convite para participar do fornecimento das informações mensais, por telefone. A distri- buição da amostra de acordo com o porte dos empreendimentos resultou em uma maior concentração dos meios de hospedagem na faixa de 101 a 200 UHs, representando 31% da observação, se- guidos pelos MHs com 51 a 100 UHs com 27%. O gráfico a seguir apresenta a distribuição da amostra, segundo o porte: 6% 15% 27% 31% 21% Distribuição da Amostra dos Hotéis por nº UHs Salvador-2013 Até 20 UHs 21 até 50 51 até 100 101 até 200 201 ou mais A taxa média de ocupação dos hotéis pesquisados apre- sentou em 2013 uma maior ocupação hoteleira para o grupo de hotéis entre 101 até 200 UHs, com uma média anual de ocupação de 61,5%, conforme gráfico a seguir. Podemos destacar também que esta categoria atingiu a maior taxa média de ocupação no mês de outubro (75,3%), além de liderar os resultados por sete meses no ano de 2013. Já a categoria com 51 a 100 UHs, apresentou a segunda melhor taxa média anual de ocupação (56,6%), seguida pelos empreendimentos de menor porte, com até 20 UHs, cuja taxa média anual de ocupação foi de 55,5%. Fonte: DPEE, 2014. Taxa Média de Ocupação por Polo Hoteleiro Quanto à localização geográfica dos polos hoteleiros, a pesquisa identificou que 40% dos MHs se localizam na região da Barra, Graça, Ondina, Rio Vermelho, Vitória e Campo Grande. A segunda maior concentração se encontra na região de Amaralina, Caminho das Árvores, Pituba e Stiep, com 23%, conforme gráfico a seguir. 19% 40% 23% 12% 6% Distribuição da Amostra de MHs Segundo Polos Hoteleiros, Salvador - 2013 ARMAÇÃO e PATAMARES BARRA,GRAÇA,ONDINA,RIO VERMELHO,VITÓRIA E CAMPO GRANDE AMARALINA, C. DAS ÁRVORES, PITUBA, STIEP PELOURINHO, SANTO ANTÔNIO, CALÇADA e NAZARÉ ITAPUÃ e STELLA MARES Fonte: DPEE, 2014. Analisando a taxa média de ocupação, segundo a classi- ficação por polo hoteleiro, verifica-se o melhor desempenho, com 70% da taxa média anual de ocupação para o polo Itapuã e Stella Mares, sendo o mesmo resultado alcançado na avaliação mensal, dentre os polos hoteleiros estudados. Já o polo hoteleiro Pelouri- nho, Santo Antônio, Calçada e Nazaré demonstrou a menor taxa média anual de ocupação em 2013, com 47,56%, sendo que o mês de abril foi o que obteve a menor taxa média mensal de ocupação do ano (37,32%), quando comparado com os demais polos hotelei- ros participantes deste estudo. 54,08 53,06 54,79 47,56 70,04 0,00 10,00 20,00 30,00 40,00 50,00 60,00 70,00 80,00 ARMAÇÃO e PATAMARES BARRA,GRAÇA,ONDINA,RIO VERMELHO,VITÓRIA E CAMPO GRANDE AMARALINA, C. DAS ÁRVORES, PITUBA, STIEP PELOURINHO, SANTO ANTÔNIO, CALÇADA e NAZARÉ ITAPUÃ e STELLA MARES Taxa Média Anual de Ocupação Hoteleira por Polo Hoteleiro, Salvador - 2013 MÉDIA ANUAL Fonte: DPEE, 2014. 55,5 54 56,6 61,5 54,3 50,0 52,0 54,0 56,0 58,0 60,0 62,0 64,0 Até 20 UHs 21 até 50 51 até 100 101 até 200 201 ou mais Taxa Média Anual de Ocupação dos Meios de Hospedagem por nº de UHs - Salvador, 2013 MÉDIA ANUAL Fonte: DPEE, 2014.
  7. 7. Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia • Ano 1I • nº 2 www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br 7 Diária Média O estudo do desempenho da hotelaria de Salvador tam- bém levantou a diária média mensal dos meios de hospedagem participantes da amostra, e realizou estudo comparativo dos valo- res agregados, segundo número de UHs e localização. Desta forma, os meios de hospedagem de menor porte, ou seja, com até 20 UHs, foram os que apresentaram a maior di- ária media anual, no valor de R$ 391, e o polo hoteleiro Pelouri- nho, Santo Antônio, Calçada e Nazaré foi o que se destacou com a melhor diária média anual, com um valor de R$236,10, conforme pode ser observado nos gráficos a seguir. 0,0 50,0 100,0 150,0 200,0 250,0 300,0 350,0 400,0 450,0 Até 20 UHs 21 até 50 51 até 100 101 até 200 201 ou mais Diária Média Anual dos Meios de Hospedagem por Nº de UHs, Salvador - 2013 MÉDIA ANUAL Fonte: DPEE, 2014. 0,0 50,0 100,0 150,0 200,0 250,0 ARMAÇÃO e PATAMARES BARRA,GRAÇA,ONDINA,RIO VERMELHO,VITÓRIA E CAMPO GRANDE AMARALINA, C. DAS ÁRVORES, PITUBA, STIEP PELOURINHO, SANTO ANTONIO, CALÇADA e NAZARÉ ITAPUÃ e STELLA MARES Diária Média Anual dos Meios de Hospedagem por Polo Hoteleiro, Salvador, 2013 MÉDIA ANUALFonte: DPEE, 2014. RevPar Outra análise realizada a partir dos dados coletados re- feriu-se ao indicador RevPar (Revenue per Available Room) que representa a rentabilidade média por unidade de hospedagem e indica o nível de eficiência da hotelaria. Os resultados calculados para a amostra total demonstraram uma variação mensal de recei- ta mais elevada no mês de fevereiro, seguido dos meses de janeiro, outubro e dezembro. Por outro lado, os meses que obtiveram me- nor nível de eficiência foram março, abril e maio, conforme explici- ta o quadro a seguir. RevPar Médio Mensal da Hotelaria de Salvador - Ba, 2013 Hotéis/Mês RevPar Janeiro 134,65 Fevereiro 182,02 Março 107,11 Abril 103,48 Maio 107,06 Junho 119,74 Julho 120,49 Agosto 119,39 Setembro 114,61 Outubro 130,98 Novembro 115,41 Dezembro 130,48 Média Anual 123,79 Adotando-se o mesmo padrão de análise utilizado nos itens anteriores, o cálculo de RevPar por porte e por polo hoteleiro indicou que os empreendimentos até 20 UHs são os que apresen- tam RevPar mais elevado (R$ 203,53), seguidos pela faixa de 51 a 100 UHs (R$ 131,32). Considerando que o RevPar médio anual geral de Salvador foi de R$123,79, conforme apresenta a tabela an- terior, observa-se que em 2013 as faixas de 21 a 50 UHs e acima de 101 UHs apresentaram resultados abaixo da média geral. O menor desempenho está associado aos empreendimentos de 21 a 50 UHs (R$ 83,73). 203,53 83,73 131,32 111,28 113,37 0,00 50,00 100,00 150,00 200,00 250,00 Até 20 UHs 21 até 50 51 até 100 101 até 200 201 ou mais RevPar Média Anual dos Meios de Hospedagem por Nº de UHs Salvador, 2013 REVPARFonte: DPEE, 2014 Fonte: DPEE, 2014. Quando comparados os polos hoteleiros integrantes desta amostra verificou-se que o melhor RevPar foi obtido pelo polo Itapuã e Stella Mares (R$ 160,40), seguido do polo Pelouri- nho, Santo Antônio, Calçada e Nazaré, cujo resultado alcançou R$ 145,30. Comparando-se os resultados obtidos por polo hoteleiro em relação ao RevPar médio anual geral (R$123,79), constata-se que em quatro dos cinco polos estudados o resultado por polo es- teve igual ou acima da média. Apenas o polo Armação e Patamares apresentou um RevPar abaixo da média geral (R$80). O gráfico a seguir sintetiza esses resultados. Fonte: DPEE, 2014. 80,0 129,9 123,5 145,3 160,4 0,0 20,0 40,0 60,0 80,0 100,0 120,0 140,0 160,0 180,0 ARMAÇÃO e PATAMARES BARRA,GRAÇA,ONDINA, RIO VERMELHO,VITÓRIA e CAMPO GRANDE AMARALINA, CAMINHO DAS ÁRVORES, PITUBA e STIEP PELOURINHO, SANTO ANTÔNIO, CALÇADA e NAZARÉ ITAPUÃ e STELLA MARES RevPar Média Anual dos Meios de Hospedagem por Polo Hoteleiro, Salvador, 2013 REVPAR Fonte: DPEE, 2014. A análise realizada por meio do RevPar apon- ta a performance operacional e estratégica do se- tor hoteleiro. Esses resultados fornecem subsídios às políticas públicas de turismo, assim como ao empresariado, na formulação de suas estratégias de negócios em Salvador.
  8. 8. Ano 1I • Nº 2 • Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br 8 Aeroporto de Salvador registra mais de 8 milhões de desembarques em 2013 Segundo a Infraero, empresa encarregada da adminis- tração do Aeroporto Internacional de Salvador, a movimentação geral de passageiros domésticos e internacionais, embarcados e desembarcados, no período de janeiro a dezembro de 2013, foi de 8.443.883 passageiros. Em comparação com o mesmo período de 2012, que foi de 8.811.540 passageiros, o decréscimo foi de 4,2%. Os pousos e decolagens de voos em geral, doméstico e internacio- nal, totalizaram 107.944 operações; no mesmo período de 2012 foram registradas 121.587 operações de pouso e decolagem com decréscimo de 11,2%. Entretanto, vale salientar que estão embu- tidos neste resultado geral as operações de pouso e decolagem de aviões militares, bem como a movimentação de passageiros em trânsito, conexão e cabotagem. Levando em conta os interesses específicos da SETUR quanto à identificação dos fluxos turísticos, os dados foram desa- gregados e desconsiderando os números relativos a esses segmen- tos, que, de acordo com a Organização Mundial de Turismo (OMT), não são considerados como movimentação turística. Como resul- tado dessa depuração, no Aeroporto de Salvador a movimentação geral de embarcados e desembarcados, no ano de 2013, foi de 7.451.089 passageiros, um acréscimo de 0,5% em relação ao ano de 2012, que foi de 7.411.174. Os passageiros de voos internacio- nais, embarcados e desembarcados, somam 318.744, apontando um acréscimo de 2,1% em relação a 2012. Os passageiros de voos domésticos, embarcados e desembarcados, totalizam 7.132.345, crescendo 0,5% em relação a 2012. Considerando-se apenas os de- sembarques, registraram-se 3.945.133 passageiros, um acréscimo de 1,6% em relação a 2012. Quanto aos embarques, registraram- -se 3.505.956 passageiros, decréscimo de 0,6% em relação ao ano anterior. FLUXO NÚMERO DE PAXs (EMBARCADOS E DESEMBARCADOS JAN A DEZ) VARIAÇÃO % VARIAÇÃO % 2011 2012 2013 2012/2011 2013/2012 INTERNACIONAL 356.666 312.042 318.744 -12,51 2,15 DOMÉSTICO 6.750.408 7.099.132 7.132.345 5,17 0,47 TOTAL 7.107.074 7.411.174 7.451.089 4,28 0,54 Fonte: INFRAERO, elaboração DPEE/SETUR. Nota:(1)Não estão incluídas as movimentações de aviões militares, de carga, mala postal, passageiros em trânsito, conexão e cabotagem. MOVIMENTO DE PASSAGEIROS NO AEROPORTO DE SALVADOR (JAN-DEZ 2011-2013)¹ FLUXO NÚMERO DE PAXs (INTERNACIONAL + DOMÉSTICO) VARIAÇÃO % VARIAÇÃO % 2011 2012 2013 2012/2011 2013/2012 DESEMBARQUE 3.693.331 3.884.701 3.945.133 5,2 1,6 EMBARQUE 3.413.743 3.526.473 3.505.956 3,3 -0,6 TOTAL 7.107.074 7.411.174 7.451.089 4,3 0,5 MOVIMENTO DE PASSAGEIROS NO AEROPORTO DE SALVADOR (JAN-DEZ 2011-2013) Fonte: INFRAERO, elaboração da DPEE/SETUR. Movimentação aeroportuária
  9. 9. Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia • Ano 1I • nº 2 www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br 9 Movimento de Passageiros nos Aeroportos da Bahia O movimento dos aeroportos localizados nas zonas tu- rísticas da Bahia registrou, em 2013, um montante de 9.311.572 passageiros (embarques + desembarques). Comparando a movi- mentação total de 2013 em relação a 2012 verifica-se um aumento de 1,16%, já entre 2012 e 2011 ocorreu um aumento de 4,16 %. A Passageiros Domésticos e Internacionais Desembarcados nos Principais Aeroportos do Nordeste FLUXO TOTAL (EMBARQUE + DESEMBARQUE) VARIAÇÃO % VARIAÇÃO % 2011 2012 2013 2012/2011 2013/2012 SALVADOR 7.107.074 7.411.174 7.451.089 4,28 0,54 PORTO SEGURO 1.218.273 1.257.596 1.352.611 3,23 7,56 ILHÉUS 503.097 526.574 495.388 4,67 -5,92 LENÇÓIS 4.720 6.658 8.542 41,06 28,30 PAULO AFONSO 3.688 2.537 3.942 -31,21 55,38 TOTAL 8.836.852 9.204.539 9.311.572 4,16 1,16 MOVIMENTO DE PASSAGEIROS NOS AEROPORTOS DA BAHIA, 2011-2013 Fonte: Infraero/Sinart/ São Francisco Ltda. Levantamento estatístico DPEE/Setur-Ba Ao comparar o número de passageiros domésticos de- sembarcados em voos regulares nos principais aeroportos do Nor- deste, verificou-se que os aeroportos de Recife e Salvador obti- veram acréscimo, no ano de 2013 em relação a 2012, de 5,2% e 1,5%,respectivamente. Já Fortaleza e Natal apresentaram decrés- cimo de 1,3% e 10,7%, respectivamente. Em números absolutos, Salvador continua na liderança com cerca de 3,7 milhões, Recife 3,1 milhões, Fortaleza 2,7 milhões e Natal com 1,1 milhão de pas- sageiros desembarcados. Ao comparar os desembarques de passageiros em voos AEROPORTOS ANO VARIAÇÃO % VARIAÇÃO % 2011 2012 2013 2012/2011 2013/2012 SALVADOR 3.515.208 3.729.193 3.785.895 6,1 1,5 FORTALEZA 2.577.044 2.765.464 2.728.904 7,3 -1,3 NATAL 1.210.588 1.259.341 1.124.898 4,0 -10,7 RECIFE 2.855.592 2.963.887 3.119.479 3,8 5,2 TOTAL 10.158.432 10.717.885 10.759.176 5,5 0,4 PASSAGEIROS DESEMBARCADOS EM VOOS DOMÉSTICOS NOS PRINCIPAIS AEROPORTOS DO NORDESTE (JAN-DEZ 2011-2013) PASSAGEIROS DESEMBARCADOS EM VOOS INTERNACIONAIS NOS PRINCIPAIS AEROPORTOS DO NORDESTE (JAN-DEZ 2011-2013) Fonte: Infraero/Sinart/ São Francisco Ltda. Levantamento estatístico DPEE/Setur-Ba Fonte: INFRAERO, elaboração DPEE/SETUR. Obs: sem conexão e cabotagem análise da movimentação de cada aeroporto em si indica que Pau- lo Afonso e Lençóis apresentaram maiores taxas de crescimento, em virtude da atração de novos voos nesse período. A tabela a seguir discrimina os resultados alcançados no período. internacionais nos principais aeroportos do Nordeste, no ano de 2013, em relação ao ano de 2012, verificou-se crescimento em Re- cife, Fortaleza e Salvador, um resultado muito mais favorável se comparado ao período anterior. Apenas no aeroporto de Natal ocorreu decréscimo de 12,4%. Acredita-se que a redução do flu- xo tem como principal motivo a crise econômica em quase toda a Europa, assim como nos Estados Unidos e na Argentina, nossos maiores emissores de turistas estrangeiros. A Tabela a seguir apre- senta a comparação entre os principais protões de entrada inter- nacionais do Nordeste. AEROPORTOS ANO VARIAÇÃO % VARIAÇÃO % 2011 2012 2013 2012/2011 2013/2012 SALVADOR 178.123 155.508 159.238 -12,7 2,4 FORTALEZA 115.038 99.571 102.366 -13,4 2,8 NATAL 55.807 52.192 45.715 -6,5 -12,4 RECIFE 113.925 101.512 128.530 -10,9 26,6 TOTAL 462.893 408.783 435.849 -11,7 6,6
  10. 10. Ano 1I • Nº 2 • Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br 10 Movimento Mensal de Passageiros Desembarcados nos Principais Aeroportos do Nordeste Considerando o movimento mensal no período de janeiro a dezembro de 2013, verifica-se que Salvador situa-se no patamar de pouco mais de 35% do movimento dessas quatro capitais, se- MÊS SALVADOR RECIFE FORTALEZA NATAL TOTAL PAXs % PAXs % PAXs % PAXs % PAXs JANEIRO 363.748 35,8 271.624 26,7 254.876 25,1 126.272 12,4 1.016.520 FEVEREIRO 295.741 37,4 218.447 27,6 185.231 23,4 92.075 11,6 791.494 MARÇO 311.606 36,0 244.573 28,3 212.590 24,6 95.629 11,1 864.398 ABRIL 299.380 35,3 243.636 28,7 214.988 25,3 90.798 10,7 848.802 MAIO 308.137 33,8 270.388 29,7 241.320 26,5 91.166 10,0 911.011 JUNHO 328.292 34,8 279.826 29,7 243.186 25,8 90.780 9,6 942.084 JULHO 343.978 33,3 304.171 29,4 281.284 27,2 104.528 10,1 1.033.961 AGOSTO 317.292 34,6 270.492 29,5 237.253 25,9 91.010 9,9 916.047 SETEMBRO 318.183 35,4 274.335 30,6 223.343 24,9 82.047 9,1 897.908 OUTUBRO 315.222 33,5 289.921 30,8 234.659 24,9 101.955 10,8 941.757 NOVEMBRO 340.181 35,9 281.531 29,7 228.277 24,1 98.822 10,4 948.811 DEZEMBRO 403.373 37,3 299.065 27,6 274.263 25,3 105.531 9,8 1.082.232 TOTAL 3.945.133 35,2 3.248.009 29,0 2.831.270 25,3 1.170.613 10,5 11.195.025 PASSAGEIROS DESEMBARCADOS NOS PRINCIPAIS AEROPORTOS DO NORDESTE TOTAL DE VOOS DOMÉSTICOS + INTERNACIONAIS (ANO 2013) guido de Recife, com 29%, Fortaleza, com 25%, e Natal, com 10%. Desta forma, fica evidente a liderança do Aeroporto de Salvador na movimentação total de passageiros desembarcados no Nordeste. Fonte: Infraero, elaboração DPEE/SETUR Obs: sem conexão e cabotagem
  11. 11. Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia • Ano 1I • nº 2 www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br 11 O porto de Salvador tem o seu fluxo de passageiros mais expressivo no período de setembro a abril, sendo sempre para o levantamento estatístico apresentado de um ano para o outro, pois, desta forma, podemos observar o fluxo durante o período das férias e do verão. Na temporada de setembro de 2012 a maio de 2013, a movimentação dos Cruzeiros Marítimos nos portos de Salvador e Ilhéus foi de 32 navios com 103 ancoragens, sendo 83 Turismo de cruzeiros gera impacto econômico realizadas no porto de Salvador e 20 no porto de Ilhéus. Na Bahia desembarcaram 187.166 passageiros, um decréscimo de 23,3% em relação à temporada do ano anterior. Como é do conhecimen- to, o fluxo turístico dos Cruzeiros gera inegável impacto econômico para a economia do país e para as cidades de atracação, com o incremento de demandas em restaurantes, comércio, sistema de transportes e receptivo, dentre outros. TEMPORADA 2012/2013 2011/2012 2010/2011 2009/2010 2008/2009 LOCALIDADE SSA ILHÉUS SSA ILHÉUS SSA ILHÉUS SSA ILHÉUS SSA ILHÉUS PASSAGEIROS 148.385 38.781 176.369 67.537 204.680 33.203 206.243 39.496 150.886 48.795 ATRACAÇÕES 83 20 105 33 135 23 137 20 101 27 NAVIOS 32 30 31 35 32 CRUZEIROS MARÍTIMOS NO LITORAL BAIANO – 2008-2013 FONTE: SINDETUR / CODEBA , Estatística elaborada pelo DPEE / SETUR-BA Movimentação Portuária
  12. 12. Ano 1I • Nº 2 • Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br Alojamento, alimentação e transporte colaboram para criação de empregos formais As atividades de alojamento, alimentação, transporte e terminais destacam-se por sua elevada participação no quantita- tivo total da mão de obra formal ocupada nas ACTs, representan- do cerca de 90% do total de empregos. Nessas atividades ocorre- ram incrementos discretos em 2012, quando comparado ao ano A distribuição dos postos de trabalho das ACTs na Bahia comprova a polaridade que as zonas turísticas representam em relação à oferta de serviços aos visitantes, uma vez que 92,4 % dos empregos formais dessas atividades estão distribuidos nas 13 zonas turísticas do Estado. Nessas regiões, o crescimento médio anual verificado em 2012, em comparação com 2011, foi de 4,18%. Dentre as atividades características do turismo destacam-se a ali- mentação, com um total de 55.120 postos de trabalho formais, se- guida por transporte e terminais, com 47.313, e alojamento, com 26.183. A participação da zona turística Baía de Todos-os-Santos Atividades 2011 2012 % TRANSPORTE E TERMINAIS 50.606 50.832 0,45 ALOJAMENTO 27.088 27.992 3,34 ALIMENTAÇÃO 57.357 60.553 5,57 ALUGUEL DE VEÍCULO 2.624 3.331 26,94 AGÊNCIA DE TURISMO 3.748 4.090 9,12 CULTURA E LAZER 6.917 7.892 14,10 Total 148.340 154.690 4,28 ESTOQUE FORMAL DE EMPREGO NAS ATIVIDADES CARACTERÍSTICAS DO TURISMO - ACTS, BAHIA, 2011 - 2012 anterior. Entretanto, a atividade de aluguel de veículos foi a que apresentou o maior incremento de mão de obra nesse período, com um aumento de 26,94% nos anos observados. O segundo maior crescimento foi verificado nas atividades de cultura e lazer (14,10%), conforme tabela a seguir. (BTS) é predominante para ambos os anos, seguida pela Costa dos Coqueiros e Costa do Descobrimento, confirmando o maior grau de desenvolvimento do turismo nessas regiões. Na BTS, encontra- -se Salvador, principal destino turístico nacional e internacional da Bahia. Nessas três zonas turísticas merece destaque o número de empregos formais vinculados ao setor de alojamento, fato que confirma a liderança que as mesmas exercem no turismo do Es- tado. O quadro a seguir discrimina os empregos formais por zona turística e respectivas ACTs. Fonte: Elaboração própria, com base nos dados da MTE–RAIS. Dados sistematizados pela SEI/Dipeq/Copes, 2013. 12 Geração de emprego
  13. 13. Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia • Ano 1I • nº 2 www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br Número de empresas por Grupo de Atividades Características do Turismo De acordo com os dados do Ministério do Trabalho e Emprego, em 2012 o Estado da Bahia apresentou um quantitati- vo total de 15.118 empresas, distribuídas nas seis Atividades Ca- racterísticas do Turismo, segundo a Classificação Nacional de Ati- vidades Econômicas – CNAE. Comparando com o ano de 2011, o número de empresas formais inclusas nas ACTs cresceu um 5,2%. Em 2012, as zonas turísticas da Bahia concentraram 86,2% das em- presas formais incluídas nas ACTs do Estado, confirmando que a regionalização abrange os municípios que atuam efetivamente na atividade turística, e o turismo tem contribuído para a geração de BAÍA DE TODOS- OS -SANTOS Agência de Turismo Alimentação Alojamento Aluguel de Transporte Cultura e Lazer Transporte e Terminais TOTAL 2011 2012 2011 2012 2011 2012 2011 2012 2011 2012 2011 2012 2011 2012 ÍNDICE BAÍA DE TODOS- OS-SANTOS 2.162 1.999 31.105 32.554 7.331 7.649 1.263 2.016 4.154 4.911 30.750 31.090 76.765 80.219 4,50 CAMINHOS DO JIQUIRIÇÁ 35 46 981 1.638 692 338 86 71 116 122 283 106 2.193 1.630 -25,67 CAMINHOS DO OESTE 62 78 1.468 3.814 203 842 77 63 118 131 1.101 1.094 3.029 3.846 26,97 CAMINHOS DO SERTÃO 142 184 3.511 1.971 959 924 108 131 252 332 1.595 1.653 6.567 7.038 7,17 CAMINHOS DO SUDOESTE 58 51 1.673 261 513 547 24 28 244 226 3.251 3.270 5.763 6.093 5,73 CÂNIONS E LAGOS DO SÃO FRANCISCO 4 2 224 607 182 176 36 26 53 50 462 461 961 976 1,56 CHAPADA DIAMANTINA 33 40 547 1.106 570 614 54 88 119 127 415 426 1.738 1.902 9,44 COSTA DAS BALEIAS 141 124 1.215 2.591 848 889 78 56 160 139 983 931 3.425 3.245 -5,26 COSTA DO CACAU 184 177 2.434 555 2.445 2.396 91 121 279 272 2.476 2.567 7.909 8.124 2,72 COSTA DO DENDÊ 36 67 509 3.021 902 879 30 29 29 19 253 223 1.759 1.772 0,74 COSTA DO DESCOBRIMENTO 404 766 2.627 5.406 4.447 4.391 172 149 222 261 1.586 1.600 9.458 10.188 7,72 COSTA DOS COQUEIROS 201 225 5.125 798 6.129 6.299 319 255 491 584 3.774 3.426 16.039 16.195 0,97 VALE DO SÃO FRANCISCO 12 49 732 798 231 239 17 9 72 84 476 446 1.540 1.645 6,82 TOTAL POR ACT-ANO 3.474 3.808 52.151 55.120 25.452 26.183 2.355 3.042 6.309 7.258 47.405 47.313 137.146 142.873 4,18 ESTOQUE FORMAL DE EMPREGO, SEGUNDO ZONAS TURÍSTICAS DO ESTADO, POR ATIVIDADE CARACTERÍSTICA DO TURISMO DE 2011 - 2012 Fonte: Elaboração própria, com base nos dados da MTE–RAIS. Dados sistematizados pela SEI/Dipeq/Copes, 2013. negócios formais e, consequentemente, para o desenvolvimento socioeconômico dessas regiões. Dentre as zonas turísticas, desta- cam-se a BTS, a Costa dos Coqueiros, a Costa do Descobrimento e os Caminhos do Sertão. Na BTS encontra-se Salvador, o principal destino turístico do Estado; na Costa dos Coqueiros registra-se o maior número de hotéis e resorts na Bahia. Na Costa do Desco- brimento ocorre grande concentração de meios de hospedagem, principalmente no município de Porto Seguro, e nos Caminhos do Sertão está situada a cidade de Feira de Santana, a segunda maior do Estado da Bahia. 13
  14. 14. Ano 1I • Nº 2 • Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br 14 NÚMERO DE EMPRESAS FORMAIS, SEGUNDO ATIVIDADES CARACTERÍSTICAS DO TURISMO (ACTS), 2011-2012 BAÍA DE TODOS- OS -SANTOS Agência de Turismo Alimentação Alojamento Aluguel de Transporte Cultura e Lazer Transporte e Terminais TOTAL 2012 Estado da Bahia 763 8.244 2.371 586 1.255 1.899 15.118 (13) Zonas Turísticas 676 7.250 2.070 500 1.060 1.570 13.126 Baía de Todos-os-Santos 331 3.528 480 178 547 714 5.778 Caminhos do Jiquiriçá 18 173 41 30 32 20 314 Caminhos do Oeste 31 285 117 17 39 67 556 Caminhos do Sertão 35 641 111 37 90 147 1.061 Caminhos do Sudoeste 17 331 39 3 37 86 513 Cânions e Lagos do São Francisco 2 56 15 10 11 20 114 Chapada Diamantina 24 167 119 32 44 66 452 Costa das Baleias 22 227 157 23 33 60 522 Costa do Cacau 55 497 216 52 66 66 952 Costa do Dendê 23 134 185 6 9 41 398 Costa do Descobrimento 54 458 377 51 47 72 1.059 Costa dos Coqueiros 60 582 177 55 80 143 1.097 Vale do São Francisco 4 171 36 6 25 68 310 2011 Estado da Bahia 724 7.716 2.300 572 1.217 1.804 14.333 (13) Zonas Turísticas 638 6.779 2.046 482 1.027 1.503 12.475 Baía de Todos-os-Santos 324 3.335 463 155 510 675 5.462 Caminhos do Jiquiriçá 17 158 43 35 30 20 303 Caminhos do Oeste 25 255 105 16 35 61 497 Caminhos do Sertão 30 571 108 35 84 145 973 Caminhos do Sudoeste 18 291 37 5 48 75 474 Cânions e Lagos do São Francisco 2 54 20 8 14 20 118 Chapada Diamantina 21 166 114 28 38 60 427 Costa das Baleias 21 214 162 22 33 67 519 Costa do Cacau 57 478 210 51 69 61 926 Costa do Dendê 17 120 174 7 8 35 361 Costa do Descobrimento 55 430 390 50 47 66 1.038 Costa dos Coqueiros 47 560 179 61 82 156 1.085 Vale do São Francisco 4 147 41 9 29 62 292 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) - RAIS. Nota: Dados sistematizados pela SEI/DIPEQ/COPES, 2013.
  15. 15. Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia • Ano 1I • nº 2 www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br Rendimento médio do trabalhador formal cresce 14,7% em dois anos O rendimento dos trabalhadores formais nas ACTs no Estado da Bahia, como um todo, e nas treze zo- nas turísticas apresentou, entre 2011 e 2012, um cres- cimento médio de 14,7% para os municípios das ZTs e BAÍA DE TODOS- OS -SANTOS Agência de Turismo Alimentação Alojamento Aluguel de Transporte Cultura e Lazer Transporte e Terminais 2011 2012 2011 2012 2011 2012 2011 2012 2011 2012 2011 2012 ESTADO DA BAHIA 1089,8 1260,9 731,5 847,8 895,9 1026,4 1069,0 1128,1 1184,6 1.389,28 1276,5 1.472,50 RENDA MÉDIA POR ACT (13 ZT) 856,0 1002,5 685,8 789,1 778,5 1029,5 940,1 1028,7 782,1 903,0 1123,8 1202,9 BAÍA DE TODOS- OS- SANTOS 1246,6 1419,5 752,0 870,5 958,4 1116,6 1168,7 1172,2 1445,8 1677,3 1435,1 1592,6 CAMINHOS DO JIQUIRIÇÁ 749,9 1011,3 617,3 706,9 952,9 880,1 716,4 906,7 682,1 812,6 863,3 1117,6 CAMINHOS DO OESTE 726,7 808,0 685,5 809,5 665,3 814,3 1091,4 1314,2 640,6 853,0 1040,5 1231,9 CAMINHOS DO SERTÃO 927,5 1365,2 637,7 742,4 660,1 757,9 876,3 956,3 690,6 759,5 1132,1 1314,3 CAMINHOS DO SUDOESTE 845,9 984,6 644,6 756,5 658,3 786,5 1061,6 1119,7 724,2 827,2 1014,3 1202,5 CÂNIONS E LAGOS DO SÃO FRANCISCO 638,7 776,1 678,6 798,6 607,6 748,8 941,4 1008,8 733,9 851,5 915,1 992,2 CHAPADA DIAMANTINA 667,7 683,7 628,0 693,4 628,9 684,6 886,5 997,9 661,5 657,5 1122,5 1298,9 COSTA DAS BALEIAS 825,9 763,9 705,1 772,8 186,2 823,7 930,7 991,0 868,9 900,3 932,6 1104,6 COSTA DO CACAU 815,7 906,6 681,0 808,8 1522,7 1017,4 923,0 969,6 715,7 819,4 1090,3 1348,3 COSTA DO DENDÊ 1089,4 830,4 814,8 753,4 1131,8 819,3 1215,6 839,8 1117,9 656,0 1270,2 799,6 COSTA DO DESCOBRIMENTO 860,7 1194,1 666,0 818,4 684,6 914,9 766,3 1021,7 547,4 745,2 1786,0 1069,0 COSTA DOS COQUEIROS 989,2 1175,0 751,0 929,2 802,0 1281,4 924,8 1088,7 685,1 1415,5 964,6 1454,4 VALE DO SÃO FRANCISCO 744,6 1113,9 654,2 797,5 661,3 725,7 719,0 986,9 653,5 764,1 1042,2 1111,9 ÍNDICE ZTS 17,1 15,1 32,2 9,4 15,5 7,0 ÍNDICE ESTADO DA BAHIA 15,7 15,9 14,6 5,5 17,3 15,4 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) - RAIS. Nota: Dados sistematizados pela SEI/DIPEQ/COPES, 2013. 14,6% para o Estado como um todo. Outro aspecto rele- vante observado é que os rendimentos médios nas ACTs se situam acima do piso salarial, para ambos os anos ob- servados. RENDIMENTO MÉDIO DOS TRABALHADORES FORMAIS, SEGUNDO ATIVIDADES CARACTERÍSTICAS DO TURISMO-ACTS, BAHIA E ZONAS TURÍSTICAS, 2011-2012 15
  16. 16. Ano 1I • Nº 2 • Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br 16 Sistema Integrado de Informações Turísticas apresenta aderência às tecnologias digitais O Sistema Integrado de Informações Turísticas apre- sentou um destaque significativo no primeiro semestre de 2013, tendo um quantitativo de atendimento para eventos JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ TOTAL 2013 ATENDIMENTO CHAT 700 1.159 734 482 330 632 586 600 523 625 1046 1106 8.523 ATENDIMENTO TELEFÔNICO 1.008 2.866 905 801 876 1.879 1.295 1.087 886 879 511 1233 14.226 TOTAL 1.708 4.025 1.639 1.283 1.206 2.511 1.881 1.687 1.409 1.504 1.557 2.339 22.749 2012 ATENDIMENTO CHAT - 2.052 1.394 1.284 1.189 1.232 1.201 1.589 1.117 1.223 1.237 1.648 15.166 ATENDIMENTO TELEFÔNICO 1.566 2.875 1.005 921 1.336 1.376 1.637 1.990 1.102 1.278 1.313 2.085 18.484 TOTAL 1.566 4.927 2.399 2.205 1.206 2.608 2.838 3.579 2.219 2.501 2.550 3.733 33.650 Fonte: Disque Bahia Turismo Obs.: OUTRAS INFORMAÇÕES incluem acesso a cidades, artesanato, bancos, boates e centros culturais, consulados, delegacias, exposições, hospitais, ilhas, meios de comunicação, navios, praias, quilometragem, São João, shows, telefones úteis e zoológico. ATENDIMENTO ELETRÔNICO - DISQUE BAHIA TURISMO - 2012 E 2013 A promoção e divulgação da Bahia tem apresentado des- taque, com o crescimento do acesso às redes sociais, nos últimos anos, conforme levantamento realizado em 2012 e 2013. O núme- ro de acessos de seguidores tem apresentado uma forte contri- buição da comunicação social, conforme podemos identificar no quadro a seguir, o acesso ao site nesse período. Os eventos também tiveram destaque na divulgação ins- titucional através das redes sociais e sites próprios, tais como: Car- naval, Stock Car, Salão do Turismo e São João da Bahia, que apre- sentaram incrementos na visualização para os respectivos eventos, principalmente no período de janeiro a junho de cada ano, confor- me destaque na tabela a seguir. Visando contribuir para a divulgação do turismo do Es- tado e, principalmente, melhorar a estada média na Bahia, foram criados os aplicativos “Guia Bahia Turismo” e “São João da Bahia”, em junho de 2013, tendo já, nesse primeiro ano de atividade, apresentado um total de 7.658 downloads. como Carnaval e Copa das Confederações de 4.025 e 2.511, respectivamente, dos atendimentos de chat e telefônico. Informações turísticas
  17. 17. Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia • Ano 1I • nº 2 www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br REDES SEGUIDORES VISUALIZAÇÕES Facebook* 192.938 10.710.000,00 Twitter 18.315 - Flickr - 3.460.135 Youtube - 971.236 Soundcloud - 5.037 Foursquare 7.420 - Instagram 820 - TOTAL 219.493 15.146.408 SITES Visualizações 2012 (jan-dez) Visualizações 2013 (jan-dez) Portal 5.525.880 7.411.918 Setur 1.429.077 2.230.832 São João 2.229.700 2.373.562 Verão 417.398 1.303.582 Carnaval 235.374 599.405 Stock Car 385.737 244.501 Salão de Turismo 217.077 426.523 Observatório - 134.857 Copa - 274.634 TOTAL 10.440.243 14.999.814 Fonte: Monitoramento Prodeb ACESSO AOS SITES ATENDIMENTO DIGITAL - REDES SOCIAIS -2013 Fonte: Monitoramento Prodeb * Páginas Turismo Bahia, São João da Bahia, Carnaval da Bahia e Setur ** Média de 210 mil pessoas alcançadas por semana APLICATIVOS DOWNLOADS Guia Bahia Turismo 6.152 São João da Bahia 1.506 TOTAL 7.658 APLICATIVOS - SETUR* Fonte: Monitoramento Prodeb 17 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ TOTAL Pelourinho 1.487 1.669 1.006 1.359 1.256 697 876 571 2.167 746 705 462 13.001 Aeroporto 2.351 1.796 1.842 1.319 1.473 916 1.520 1.467 1.410 1.760 2.920 1.215 19.989 Rodoviária 588 767 350 686 173 148 337 358 269 188 226 211 4.301 Total 4.426 4.232 3.198 3.364 2.902 1.761 2.733 2.396 3.846 2.694 3.851 1.888 37.291 ATENDIMENTO PRESENCIAL – SATS, 2013. Fonte: DST / Bahiatursa A promoção e divulgação da Bahia tem apresen- tado destaque com o atendimento presencial ao turista realizado pela Bahiatursa, que operacionaliza os SATs (Serviço de Atendimento ao Turista) localizados no Pelou- rinho, Aeroporto e Rodoviária. Em 2013, os SATs atende- ram a um total de 37.291 turistas, dos quais 53,6% no SAT do aeroporto. A tabela a seguir apresenta o movimento mensal e anual dos SATs.
  18. 18. Ano 1I • Nº 2 • Boletim do Sistema de Informações e Estatísticas Turísticas do Estado da Bahia www.observatorio.turismo.ba.gov.br |www.bahia.com.br

×