Processo extrusão 2011

4.204 visualizações

Publicada em

Treinamento de Extrusoras

Publicada em: Educação
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.204
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
89
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Processo extrusão 2011

  1. 1. PMS - Pirelli Manufacturing SystemTecnologia de Processo Construindo Phuturo Campinas 2011
  2. 2. PMS - Pirelli Manufacturing System INTRODUÇÃO De todos os seres da natureza, o homem é o único ser consciente pelos atos que pratica e o único que tem a capacidade de aumentar seus conhecimentos por vontade própria. Por isso é o mais desenvolvido.Necessidade de conhecer – os aprendizes adultos sabem da sua necessidade de conhecimento, bem como de colocar em prática o conhecimento adquirido.Autoconceito de aprendiz – o adulto aprendiz é capaz de se autodesenvolver, suprindo de forma independente sua necessidade de conhecimento.O papel da experiência – central na aprendizagem de adultos. “É a partir dela que ele se dispõe ou se nega a participar de algum programa de desenvolvimento.”Prontidão para aprender – disponibilidade do adulto para aprender o que se decidiu a aprender, baseado numa seleção natural e realista. Recusa, por parte desse adulto, de aprender o que lhes impõem.Orientação para a aprendizagem – significado prático da aprendizagem para o adulto, diferente de uma mera retenção de conhecimentos.Motivação – baseada na própria vontade de crescimento do adulto (motivação interna) e não em estímulos externos “vindos de outras pessoas, como notas de professores, avaliação escolar, opiniões de superiores, pressão de comandos, etc.” Construindo Phuturo Campinas 2011
  3. 3. PMS - Pirelli Manufacturing SystemAs extrusoras estão presentes nos seguintesprocessos: •Emborrachamento de fios metálicos (Arame)NS/FPA/BARTEL •Emborrachamento de fios texteis (Bandina) •Folhetas (lista base-talão, listinha extremidade cintura, lista cobre emenda) •Rodagens, Flanco, Enchimento Construindo Phuturo Campinas 2011
  4. 4. PMS - Pirelli Manufacturing System RODAGM LISTA ESTREMIDADE Piggy Back CINTURA 8+8 Calandra Listino 8+6 10+10 Triplex FLANCOENCHIMENTO SRH6A 8+6 Y NYLON ESPIRALADO 8+8 YDuplex 6+6EMBORRACHAMENTOARAME LISTA BASEBARTEL, FPA e NS TALÃO Bonfanti I Bonfanti II Berstorf Construindo Phuturo Campinas 2011
  5. 5. PMS - Pirelli Manufacturing SystemExtrusoras são máquinas que forçam o composto atravésde uma matriz para dar forma preliminar ou definitiva aeste material. Construindo Phuturo Campinas 2011
  6. 6. PMS - Pirelli Manufacturing System Componentes daBoca alimentação Extrusora Parafuso ou hélice Cabeçote ou cabeça Matriz Cilindro oco ou corpo Sistema de aquecimento e Resfriamento : o controle de temperatura na superfície interna do corpo e na superfície externa da hélice é importante para obter-se a eficiência do cisalhamento e o deslocamento do material. Construindo Phuturo Campinas 2011
  7. 7. PMS - Pirelli Manufacturing System Extrusoras Hot-FeedAlimentação quente; utilizadas para massas que necessitam debastante energia para homogenizar, maior concentração deborracha natural. Construindo Phuturo Campinas 2011
  8. 8. PMS - Pirelli Manufacturing System Extrusoras: Cold-FeedAlimentação a frio utilizada para compostos que não precisamde muita energia para homogenizar massas com maiorconcentração de borracha sintética.TIPOS:PLAST-SCREWPIN-TYPE Construindo Phuturo Campinas 2011
  9. 9. PMS - Pirelli Manufacturing System Parafuso ou HéliceA Hélice é o elemento principal de uma extrusora, ela confere adenominação desse equipamento. Exemplo: 60-12D comportaum parafuso de 60 mm de diâmetro e 720 mm de comprimento( L/D = 12:1 ) 12 X d d Construindo Phuturo Campinas 2011
  10. 10. PMS - Pirelli Manufacturing System Extrusoras Plast-screwA constituição da hélice é para quebrar a massa, uniformizar ecompactarIndicada para compostos com viscosidade entre 50 à 70 mooney a b a Construindo Phuturo Campinas 2011
  11. 11. PMS - Pirelli Manufacturing System Extrusoras Pin-typeA constituição da hélice é com passos identicos,e o trabalho damassa será exercido por pinos colocados entre os sulcos da héliceHélices hi-performanceUltra-hi-performance Construindo Phuturo Campinas 2011
  12. 12. PMS - Pirelli Manufacturing System ALIMENTAÇÃOHot-Feed: Correias com velocidades constate alterando alargura da fita de alimentação de massaCold-Feed: a) Alimetação das fitas de massa direto do bancalpara a extrusorab) Alimentação das fitas de massa por correias on-offc) Alimentação das fitas de massa por correias auto-reguladas Construindo Phuturo Campinas 2011
  13. 13. PMS - Pirelli Manufacturing System CORREIA DE ALIMENTAÇÃOConstruindo Phuturo Campinas 2011
  14. 14. PMS - Pirelli Manufacturing System Boca alimentaçãoImportância:Falha na alimentação ocasiona variaçãodimensional no extrudado,verificar temperatura do roleteprensador- Regulagem da correia automática deve manter a fita dealimentação tensionada- Excesso de sabão na massa ocasiona variação do extrudado- Massa grudada entre mantas ocasiona variação no extrudado Construindo Phuturo Campinas 2011
  15. 15. PMS - Pirelli Manufacturing System CorpoImportância: Deve estar com temperatura intermediária entre40ºC e 60ºC, tem a função de dar energia (calor) para o compostofacilitando a homogenização.- Corpo com temperaturas altas ocasiona queima de massa.- Corpo com temperaturas baixas ocasiona travamento da héliceou laceração do extrudado. Construindo Phuturo Campinas 2011
  16. 16. PMS - Pirelli Manufacturing System CabeçaImportância:Temperatura alta, reduz o atrito da massa evitandomassa fria.- Falha na troca térmica da cabeça ocasiona queima de massa.- Temperatura baixa ocasiona massa fria no extrudado. Construindo Phuturo Campinas 2011
  17. 17. PMS - Pirelli Manufacturing System CABEÇA YConstruindo Phuturo Campinas 2011
  18. 18. PMS - Pirelli Manufacturing System CABEÇA SRHConstruindo Phuturo Campinas 2011
  19. 19. PMS - Pirelli Manufacturing System Hélice ou RoscaImportância:Extrusoras hot-feed trabalham com água gelada na héciceextrusoras cold-feed trabalham com temperaturas entre 70ºC à 90ºC .Existe uma especificação de folga entre o corpo da extrusora e a héliceo aumento da folga resulta em menor vazão de massa.- Temperaturas altas ocasionam queima de massa.- Temperaturas baixas ocasionam laceração no extrudado. Construindo Phuturo Campinas 2011
  20. 20. PMS - Pirelli Manufacturing System Folga de HéliceÉ a distancia entre a crista da hélice e a corpo ou barrilImportância:Folga excessiva provoca o retorno da massa entre ahélice e o corpo da extrusora reduzindo a performance da máquinae ocasionando queima de massa. Construindo Phuturo Campinas 2011
  21. 21. PMS - Pirelli Manufacturing System Módulo Folga de HélicesConstruindo Phuturo Campinas 2011
  22. 22. PMS - Pirelli Manufacturing System Carregamento da extrusoraImportância:Extrusoras devem ser carregadas com velocidades deHélice entre 4 e 10 rpm, após a estabilização das temperaturas dastermorregulagem-Velocidades acima destes valores ocasiona bolhas no extrudado.- Temperaturas baixas ocasionam elevado índice de reciclo outravamento da hélice. Construindo Phuturo Campinas 2011
  23. 23. PMS - Pirelli Manufacturing System Inserto/FieiraImportância:Todo perfil de extrudado tem especificado a relaçãoInserto/fieira que deve ser respeitada.-Fieira e/ou inserto fora da especificação de trabalho resulta emperfil de extrudado fora das dimensões especificadas. Construindo Phuturo Campinas 2011
  24. 24. PMS - Pirelli Manufacturing System Relação de FieiraCada extrusora tem uma relação de fieira exemplo:Trafila SRH , o nominal da fieira corresponde ao nominal doextrudado: 3 mm de espessura no flanco tem uma abertura de 3mm na fieira.Trafila 10 + 10, para cada 1 mm de espessura no centro darodagem tem uma abertura de 0,90 mm na fieira e para cada1mm de espessura no ombro da rodagem tem uma abertura de1,1 mm na fieira. Construindo Phuturo Campinas 2011
  25. 25. PMS - Pirelli Manufacturing System INSERT FIEIRA O 0,9 mm 1,0 mmConstruindo Phuturo Campinas 2011
  26. 26. PMS - Pirelli Manufacturing System TROCA DE MEDIDAS Programar a parada para a troca devendo disponibilizar o material a ser utilizado. Verificar se a fieira e o inserto correspondem ao especificado na E.T. para amedida a ser produzida. O número do inserto deve estar gravado junto ao número dafieira. Importância: Fieira e/ou inserto fora do especificado ocasiona extrudado fora dasdimensões especificadas e o reciclo do mesmo e/ou refugo do produto acabado. A fieira e o insertos a serem utilizados devem estar pré aquecidos na estufa eapós o uso devem ser limpos, retirando-se os resíduos de massa e recolocados naestante. Importância: Demora na execução das trocas pode ocasionar refugo de massa oualto índice de reciclo interferindo nas dimensõesO pré-aquecimento dos equipamentosfavorece o início da extrusão, evitando “massa fria” e a diminuição do reciclo gerado. Construindo Phuturo Campinas 2011
  27. 27. PMS - Pirelli Manufacturing System TROCA DE MASSAS Efetuar o controle de massa, conforme item. No processo Hot Feed, durante a troca de massa, não deve ocorrer mistura demassas de siglas diferentes nos misturadores. No processo Cold Feed, para garantia do descarregamento da massa que foitrocada e o início da próxima massa retirar tres “línguas” de aproximadamente 300mm de comprimento cada, cortá-las rente a parede do bloco com uma espátula passaras línguas no misturador retirando em mantas e armazená-las no cabideiro pararesfriamento identificando com giz. As mantas devem ser resfriadas e enviadas para área de refino. Importância: A mistura de massas de siglas diferentes interfere nas propriedadesfísico/química do material extrudado, devendo-se portanto eliminar o material.Utilização de massa fora do especificado ocasiona refugo do produto acabado. Verificar as novas temperaturas nas zonas de termorregulagem das extrusoras eefetuar o postamento conforme E.T. Importância: Temperaturas fora do especificado ocasionam queima de massa oumassa fria e variações dimensionais no material com conseqüente refugo do mesmo. Construindo Phuturo Campinas 2011
  28. 28. PMS - Pirelli Manufacturing System TEMPERATURA DE EXTRUSÃO EMS 0,95É medida com pirômetro infra vermelho à 100 mm da fieira durante oprocesso de extrusão.Obs.: Cada componente (Flanco, rodagem c/ sílica,Rodagem s/ sílica,enchimento, bandina ) tem uma temperatura de extrusão especificada.- Temperatura de extrusão alta ocasiona a degradação dos ingredientesalterando o processo de vulcanização e propriedades do pneu. Construindo Phuturo Campinas 2011
  29. 29. PMS - Pirelli Manufacturing System Majoração do extrudado início de linhaLargura Largura200 mm 210 mm Cada extrusora dependendo do componente e tipo de composto tem uma majoração de largura definida no início do processo. Importañcia: Alteração na majoração do extrudado pode ocasionar defeito no produto acabado. Construindo Phuturo Campinas 2011
  30. 30. PMS - Pirelli Manufacturing System Estiro do extrudado Até 5% + 5% 1000 mm 993 mm 5,0 mmÉ a deformação que o o extrudado apresenta do início da linha atéo final.Exemplo :Trafila P. Back 1000 mm marcado no início da linha representa995 mm na correia de recolhimento. Construindo Phuturo Campinas 2011
  31. 31. PMS - Pirelli Manufacturing System Sistema de aplicação de soluçãoPara as rodagens sem folheta e folheta ULR é aplicado soluçãoadesiva sob toda a rodagem, esta tem a função exclusiva demelhorar a adesividade da rodagem na aplicação na confecçãosolução utilizada na FPC = Hortelã Construindo Phuturo Campinas 2011
  32. 32. PMS - Pirelli Manufacturing System PLATAFORMA RODAGEM RODAG EM RODAG EM C/ FO LHETA FOLHETARODAG EM C/ COEXTRUDADO COEXTRUDADO RODAG EM C/ COEXTRUDADO E INDUTIVO COEXTRUDADO C/ INDUTIVO Construindo Phuturo Campinas 2011
  33. 33. PMS - Pirelli Manufacturing System RODAGEMFunção no Pneu: Resistência a abrasão, aderência ao solo, durabilidade.A massas de rodagem BAND, BODY, DUSE, BELA são compostos para atenderexigências específicas no pneu.Importância: Mistura de compostos causam variabilidade nodesempenho no pneu, podendoimpactar na segurança do veículo.O minifianco da rodagem tem a função de fazer a soldabilidade entre rodagem e flancoImportância: Minifianco FTT pode ocasionar rachaduras no pneu, contaminações podeocasionar descolamento.Folheta ou coextrudado tem a função de isolar o aquecimento exercido pelo contato daRodagem com o solo.Importância: Falha ou falta da folheta/coextrudado pode causar descolamento da bandade rodagem. Construindo Phuturo Campinas 2011
  34. 34. PMS - Pirelli Manufacturing System PLATAFORMA FLANCO FLANCO PRETO MASSA ESA MASSA TACO FL AN CO BRANCO MASSA ESA MASSA LW S MASSA EITA MASSA TACO FL AN CO TRIMESCOL A MASSA ESA MASSA U LR MASSA TACOConstruindo Phuturo Campinas 2011
  35. 35. PMS - Pirelli Manufacturing System FLANCOFunção no Pneu: Resistência a torção, flexibilidade e rigidez próximo ao aro do pneuA massas de Flanco ESA, composto para atender resistência a torção, flexibilidade.Importância: Mistura de compostos causam rachaduras no pneu.A massas de Flanco TACO ou TALV, composto para atender rigidez próximo ao aro dopneuImportância: Mistura de compostos pode causar defeitos no produto acabado.Massa TALVutilizada no Flanco Branco é para evitar mancha na lista ou letra branca.A massas de Flanco EITA (branca), função ornamental não podendo ter manchas.Importância: Massa EITA é de difícil plastificação, podendo haver fissuras entre massascausando defeito no produto acabado.A massa LWS tem a função de proteger a massa branca no momento da vulcanização, sendoretirada após o pneu ser vulcanizado.Importância: A folheta protetora não pode apresentar grumos podendo ocasionar defeito noproduto acabado. Construindo Phuturo Campinas 2011
  36. 36. PMS - Pirelli Manufacturing System ENCHIMENTO MONOMESCOLAMASSASTRIC ENCHIMENTOTRB BIMESCOLATSK MASSA TRIC MASSA TRB ENCHIMENTO CAVALERA MASSA TRIC MASSA TRB Construindo Phuturo Campinas 2011
  37. 37. PMS - Pirelli Manufacturing System ENCHIMENTOFunção no Pneu: Dirigibilidade, resistência à torção.A massa TSK utilizada para pneus passeio com pouca exigência rigidez lateral.A massa TRIC utilizada para pneus recreacional, alta resistência ao detalonamento necessitando de complemento em lonaImportância: Massa de difícil plastificação, necessidade de temperaturas altas para oProcessamento.A massa TRB utilizada para pneus alta performance, dirigibilidade (handling).Importância: Massa alta vicosidade, queima rápida no processo extrusão.O enchimento com massa TRIC/TRB pneus que necessitam de resistência ao detalonamentoRigidez lateral, dirigibilidade (handling).Importância: O acoplamento não pode apresentar bolhas e a divisão das massas deverespeitar o perfil dimensional. Construindo Phuturo Campinas 2011
  38. 38. PMS - Pirelli Manufacturing System Sistema de identificação de rodagensToda rodagem é identificada por ID, este identifica o lado dosemestral do pneu para carregamento correto nos vulcanizadorese identificação dos pneus no acabamento e armazensO Semestral é definido por norma Pirelliseguindo a sequencia: 2011 1º Semestre - AMARELO 2011 2º Semestre - BRANCO 2012 1º Semestre - VERMELHO 2012 2º Semestre - AZUL 2013 1º Semestre - LARANJA 2013 2º Semestre - VERDE Construindo Phuturo Campinas 2011
  39. 39. PMS - Pirelli Manufacturing System Sistema de resfriamento (vasca), SecagemResfrimanto do extrudado por aspersão de água gelada( 10 à 15ºC ) com controle on-line do PhImportância: Extrudado com temperatura acima de 40ºCDe temperatura no recolhimento ocasiona esticamento nafase posterior do processo e a degradação dos componentesDa massa.Extrudado recolhido com umidade pode ocasionar refugoNo produto acabado. Construindo Phuturo Campinas 2011
  40. 40. PMS - Pirelli Manufacturing System Sistema da Recolhimento Verificar se a bobina está devidamente acoplada ao eixo motriz. O envoltório aser utilizado deve estar isento de sujeiras, conforme OPL 366. Verificar as pressões do freio, forro e tensão do material ConformeIQ/1TR.003c. Importância: - Bobina posicionada irregularmente provoca embobinamento Fora do tensionamento correto, provoca a deformação do material extrudadocom conseqüente refugo do material. Acondicionamento dobrado, com rugas,descentrado na bobina ou colados, ocasionam refugo do produto acabado. NOTA: Para enchimento ajustar a movimentação horizontal da bobina demaneira que o material esteja centrado no forro, sem deformações. Verificar se osistema de recolhimento apresenta-se sincronizado, de modo a formar “camadas”uniformes em toda a extensão da bobina e sem apresentar esticamento no semi-pronto ou falha no envoltório do mesmo. Construindo Phuturo Campinas 2011
  41. 41. PMS - Pirelli Manufacturing System Controles Conferir dimensional dos materiais produzidos logo após extrusão 1a. ou 2a. correia de transporte. Fazer controle dimensional, verificando se o valor medido encontra-se no terçomédio do limite de controle do processo. Conforme treinamento operacional. Rodagem Semi-largura - Largura centro e Total - Peso (Registrar). Flancos Comprimento - Larguras Listinha e Total - Peso (Registrar) Enchimento Talão Altura – Largura O gráfico de Farol deve ser preenchido corretamente, obedecendo à freqüência(descrita no verso do Gráfico de Farol), intervindo no processo (se necessário) eanotando irregularidades no Diário de Bordo. Ver módulos C.092 ( para flanco) e C.091 ( para rodagem). Importância: A conferência logo após a extrusão evita materiais produzidosfora de tolerância, evitando aumento do reciclo por set-up. Materiais fora das dimensões especificadas ocasionam refugo do produtoacabado. Construindo Phuturo Campinas 2011
  42. 42. PMS - Pirelli Manufacturing System Trafila 6 + 6Processo de extrusão para emborrachamento de fio textilExtrusora cold feed 90 mm plast screwpressão controlada pelo PLC de acordo com receita Construindo Phuturo Campinas 2011
  43. 43. PMS - Pirelli Manufacturing System BARTELLProcesso de extrusão para emborrachamento de fios metálicosExtrusora de 2 ½” cold feedPressão controlada na cabeça pelo PLC Construindo Phuturo Campinas 2011
  44. 44. PMS - Pirelli Manufacturing SystemDificuldade com massas sílica +borracha natural enchimento com massa tric , trb, tric/trb Flanco branco canoa relação de aplicação da lista antiabrasiva (shimitarra) relação de aplicação da lista base talão dificuldade com variação da massa taxa de cisalhamento adesividade da massa cálculo de vazão Trafila 5 + 5 Construindo Phuturo Campinas 2011
  45. 45. PMS - Pirelli Manufacturing System BOCA ALIMENTAÇÃOConstruindo Phuturo Campinas 2011

×