Historiando Senai de Bianca Jordão

224 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
224
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Historiando Senai de Bianca Jordão

  1. 1. Pedro de Alcântara Francisco Antonio João Carlos Xavier dePaula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal CiprianoSerafim de Bragança e Bourbom, mais conhecido como DomPedro, nasceu na cidade portuguesa de Queluz no dia 12 deOutubro do ano de 1798.D. Pedro, quandocriança.
  2. 2. Chegou no Brasil com 9 anos, no ano de 1808, com sua mãe eseu pai, D. Carlota Joaquina e D. João VI . E desde criança, jáapresentava um forte espírito de liderança. E quando cresceu,virou um homem boêmio e mulherengo, e teve vários filhosCarlota Joaquina D. João VI
  3. 3. A família real retornou à Europa em 26 de abril de 1821, ficandoD. Pedro como Príncipe Regente do Brasil. A corte de Lisboadespachou então um decreto exigindo que o Príncipe retornasse aPortugal. Essa decisão provocou um grande desagrado popular eD. Pedro resolveu permanecer no Brasil. Isso desagradou àsCortes Portuguesas, que em vingança suspenderam o pagamentode seus rendimentos. Mesmo assim resistiu, naquele que ficouconhecido como o "Dia do Fico" (09/01/1822).
  4. 4. D. Pedro morreu no palácio de Queluz, na mesma sala ondenascera, vítima de uma tuberculose, com apenas 36 anos de idade,em 24 de setembro de 1834. Foi sepultado no panteão de SãoVicente de Fora como simples general, e não como rei. Nosesquicentenário da Independência do Brasil (1972), seus restosmortais foram trazidos para a cripta do monumento do Ipiranga,em São Paulo.
  5. 5. Com os estudos de ressonância magnética e tomografias no Hospital dasClínicas, a arqueóloga Valdirene do Carmo Ambiel pôde descobrir que oimperador tinha quatro costelas fraturadas decorrentes de quedas decavalo, o que teria inutilizado um de seus pulmões, o que pode teragravado a tuberculose que o matou, em 1834, aos 36 anos.O primeiro imperador do Brasil foi enterrado como generalportuguês, vestido com botas de cavalaria, medalha quereproduzia a constituição de Portugal e galões com formato dacoroa do país ibérico.
  6. 6. As análises desmentiram um fato que era tido até agora comoverdade histórica. Dona Leopoldina não tinha nenhuma fratura nofêmur, enquanto a história registra de que ela teria caído ou sidoderrubada por Dom Pedro de uma escada no palácio da Quinta daBoa Vista.
  7. 7. Outro fato curioso e desconhecido até então é que a imperatrizAmélia de Leuchetenberg, segunda mulher de d. Pedro I, foimumificada. Ela morreu em Lisboa em 1876, e seus restosmortais, trazidos à cripta do Ipiranga em 1982, conservam pele eórgãos internos intactos. Cabelos, cílios, unhas, globos oculares eórgãos como o útero estão preservados.
  8. 8. D. Pedro D. Leopoldina D. Amélia

×