Universidade	  do	  Algarve	  Faculdade	  de	  Ciências	  Humanas	  e	  Sociais	  Departamento	  de	  Línguas,	  Comunicaç...
Introdução________________________________________________________________Este trabalho surge no âmbito da disciplina de C...
Tavira é mais uma cidade que vive profundas transformações urbanas:A. Zonas de habitação essencialmente nas periferias da ...
A Casa das Artes de TaviraA Casa das Artes de Tavira é um equipamento cultural localizado na cidade deTavira, junto ao rio...
4. Revitalização da horta da Igreja de São Paulo, sendo um espaço amplo compotencialidades de ser um “pulmão” natural no c...
Este projecto implica a articulação com outras áreas de trabalho, nomeadamente aarquitectura, a arquitectura paisagista, a...
será mantido, tendo novas valências para outras possibilidades artísticas comoteatro, música, poesia, performances, ... O ...
Artes assim o entenda), com zonas de apoio com instalações sanitários públicos,privadas, e arrecadação, uma zona de apoio ...
Mapa IMapa II          9
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mestrado Gestão Cultural

526 visualizações

Publicada em

Trabalho de cidades e criatividade (pedro.sonia)

Publicada em: Diversão e humor
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
526
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
96
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mestrado Gestão Cultural

  1. 1. Universidade  do  Algarve  Faculdade  de  Ciências  Humanas  e  Sociais  Departamento  de  Línguas,  Comunicação  e  Artes  Pós  -­‐  graduação  em  Gestão  Cultural  ________________________________________________________________                 A Outra Margem - Projecto de revitalização da Casa das Artes e doespaço urbano da margem esquerda do rio Gilão e dinamização do Alto de Santa Ana -              ________________________________________________________________Disciplina: Cidades e CriatividadeDocentes: José Adrião e Rosário SalemaDiscente: Pedro Nascimento n.º 22113|Sónia Silva n.º 23119 1
  2. 2. Introdução________________________________________________________________Este trabalho surge no âmbito da disciplina de Cidades e Criatividade, na qual nosfoi proposto a realização de um projecto que implicava a escolha de umadeterminada localidade e em particular de um determinado edifício, ondedeveríamos imprimir uma nova dinâmica.Depois da escolha do local, definimos os nossos objectivos e estruturamos o nossotrabalho.Neste sentido, as partes constituintes deste projecto são: a introdução, alocalização, a contextualização, o projecto base, as referências bibliográficas e osanexos. Na introdução é anunciada a estrutura do trabalho; na localização éindicado o sítio escolhido para desenvolver este trabalho; na contextualização éapresentada a cidade, os problemas e potencialidades, bem como os factores quedesencadearam a idealização deste projecto; no projecto base, para além de seapresentar o programa e os objectivos, dá-se destaque à valorização emusealização de estruturas arquitectónicas e artísticas; nas referênciasbibliográficas são indicados os locais onde efectuamos a pesquisa e por último osanexos contêm os mapas da cidade.Localização_____________________________________________________________Este projecto tem o propósito de intervir na cidade de Tavira, na zona ribeirinha emais concretamente num equipamento cultural da cidade: a Casa das Artes deTavira e no espaço imediatamente circundante.Contextualização_____________________________________________________________A cidade de TaviraTavira é sede de um município com 611 km² de área e 25 394 habitantes,subdividido em 9 freguesias. O posicionamento geográfico de Tavira concede-lheuma importância regional com dinâmicas particulares no plano económico, social ecultural, permitindo entender que o concelho é constituído por territórios comespecificidades distintas. 2
  3. 3. Tavira é mais uma cidade que vive profundas transformações urbanas:A. Zonas de habitação essencialmente nas periferias da zona urbana (Plano Geralde Urbanização cada vez mais extenso nos limites da cidade no lado oposto aocentro da cidade), o que provoca falta de unicidade das cidades com as periferias,visto que são separados por uma fractura que é imposta pela EN 125;B. Centro Histórico totalmente abandonado com todas as problemáticas que issoacarreta;C. Novas centralidades: os limites da cidade na parte ocidental estão adesenvolver-se devido a novos empreendimentos imobiliários (habitação, escolas,equipamentos desportivos e centro comercial), assim como novas empresas eserviços;D. Uma população flutuante e sazonal: a população no concelho de Tavira aumentaexponencialmente nos períodos do verão e festivos, tornando a cidade o grandecentro de vivências do concelho em momento muito particulares, levantandoproblemáticas complexas nesses períodos de circulação, etc., mas é também umfactor de grandes possibilidades para experiências e vivências culturais;E. A população residente na área urbana e freguesias circundantes de Tavira temapresentado um crescimento constante, segundo os últimos CENSOS. Também apopulação de estrangeiros residentes tem crescido nas últimas décadas, mas maisinteressante é o facto de estas comunidades serem cada vez mais activas nasociedade que os acolhe, tornando-se públicos-alvo a considerar.Estando longe de estar suficientemente explorada, a actividade turística tem umvasto e diversificado potencial de desenvolvimento atendendo às valências naturais,patrimoniais e culturais presentes ao longo de todo o espaço em se estende oconcelho. Aliado a este potencial de desenvolvimento cultural e patrimonial,temos o facto de ser um município em profundo crescimento nas áreas derestauração, lojas e serviços e de ser uma cidade portuária com uma profundahistória na sua relação com o rio Gilão, o que significa que esta área reúne umconjunto de “ingredientes” que justificam a aplicação deste projecto. 3
  4. 4. A Casa das Artes de TaviraA Casa das Artes de Tavira é um equipamento cultural localizado na cidade deTavira, junto ao rio e foi criado com o objectivo de trazer a este município umanova dinâmica cultural. Este espaço, alavanca do desenvolvimento local, motor dadinâmica da comunidade, tem um papel fundamental na promoção da ofertacultural do concelho. Este organismo multiplica as respostas de tempos livres,lazer e formação.A proposta de revitalização e aumento da Casa das Artes de Tavira surge porque:A. É um espaço cultural que tem um papel fundamental na difusão das artes noSotavento Algarvio;B. É uma entidade que celebra 25 anos de programação riquíssima no panoramaartístico português;C. Apresenta um programa artístico de grande qualidade com uma continuidade eregularidade ao longo dos 25 anos;D. Este fenómeno tem apenas paralelo no Algarve no Centro Cultural de SãoLourenço em Almancil, que trabalha em prole das Artes nas últimas três décadas.Projecto base (uma proposta de programa)_____________________________________________________________Importa num projecto estabelecer o programa base que orienta a nossa linha deacção. Desta forma, depois de analisarmos o local (caracterização e análise daspotencialidades), apresentamos a nossa proposta de intervenção, que se divideem três fases:1. Revitalização da margem do rio imediatamente em frente à Casa das Artes,articulando artes com natureza e paisagem urbana (ligação da Casa das Artes coma margem do rio e a cidade);2. Ampliação da Casa das Artes para o espaço anexo que é o Lagar do Azeite,passando de um espaço expositivo a um equipamento cultural com váriasvalências;3. Programação cultural e criação de uma rede de espaços e actividades artísticas,nos vários equipamentos como o antigo quartel da GNR, a Academia de Música deTavira, a Galeria de Arte e a Igreja de Santa Ana; 4
  5. 5. 4. Revitalização da horta da Igreja de São Paulo, sendo um espaço amplo compotencialidades de ser um “pulmão” natural no centro da cidade, mas também umsitio interessante para desenvolver um projecto paisagístico, actividadeseducativas, lúdicas e desportivas, e uma programação diversificada para o ar livre.Os nossos objectivos com este projecto são:- Criar um conjunto de condições funcionais e de fruição do espaço em articulaçãocom o programa museológico: criação de um novo espaço cultural, apto a recebervárias linguagens artísticas, anexo à Casa das Artes de Tavira;- Dinamizar/ dignificar uma área urbana por meio de uma ampliação de umequipamento cultural já existente, permitindo confrontar diferentes escalas, novasdinâmicas culturais nos conceitos de cidade contemporânea, dando uma valênciamorfológica e linguística nova ao edifício e respectivo trabalho de difusão dasartes;- Desenvolver uma proposta para complementar e reestruturar a parcela propostapara área de intervenção em que analisa o fenómeno urbano como um todo,elaborando estratégias de intervenção que integram obrigatoriamente o programado equipamento;- Revitalizar/ melhorar o aspecto da actual margem nesta zona, tornando-a maisapetecível para o convívio social e cultural, através da construção de um jardim ede estruturas de vivência. Com esta reabilitação pretendemos não só desenvolveruma relação directa com o rio, mas também com o centro histórico e com o centrosocial e administrativo da cidade, na outra margem do rio;- Constituir uma rede de equipamentos com uma programação articulada, tirandopartido da estreita ligação desta zona urbana com o rio, com a cidade e centrohistórico, assim como possibilitar novas vistas panorâmicas sobre a cidade;- Articular os seguintes espaços numa programação diversificada e coerente: Casadas Artes e Lagar do Azeite; antigo Quartel da GNR;- Promover redes de colaboração com a Galeria de Arte (na cercania junto ao rio),a Academia de Música e Igreja de Santa Ana (que oferece uma programaçãoartística delineada pela autarquia). 5
  6. 6. Este projecto implica a articulação com outras áreas de trabalho, nomeadamente aarquitectura, a arquitectura paisagista, a escultura e a gestão cultural. No primeiromomento deste trabalho é fundamental um arquitecto paisagista para pensar aenvolvente da Casa das Artes e a margem do rio, para desenvolver actividadesculturais ao ar livre, assim como a sua utilização social e lúdica pela população.Um artista convidado teria a importante missão de criar esculturas públicas para osjardins que se relacionassem com a Casa das Artes. Ao arquitecto cabia a funçãode ampliar a casa para o lagar do azeite, para permitir a dinamização de maisactividades artísticas e culturais. Ao gestor cultural teria a tarefa de desenvolveruma programação para todos os espaços referidos, fazendo uma interligação entretodos eles, gerindo os recursos afectos aos mesmos.Valorização e musealização de estruturas arquitectónicas e artísticas:A. Definição dos espaços- Despertar a análise do objecto arquitectónico tendo em conta a história, ocontexto, o tipológico e o construtivo da Casa das Artes de Tavira;- Estudar e analisar de forma cuidada as relações entre os vários elementosarquitectónicos e urbanos intervenientes;- Reflectir tendo em conta alguns textos teóricos paradigmáticos sobre os temas –reconstrução, recuperação, requalificação, reabilitação, revivificação,remodelação, ampliação e alteração;- Elaborar plataformas de observação, tendo em conta as característicastopográficas da zona abrangida e a diversidade das estruturas a “musealizar”. Seriainteressante criar um sistema de locais de observação nos equipamentos sobre acidade: - Plataforma 1 – na margem do rio em frente à Casa das Artes; - Plataforma 2 - visualização pormenorizada nas traseiras do antigo quartel da GNR; - Plataforma 3 - visualização geral da cidade no Largo de Santa Ana.B. Públicos-alvoA ampliação e diversificação do edifício da Casa das Artes irá ter reflexos nospúblicos-alvo, visto que o espaço reservado à exposição de arte contemporânea 6
  7. 7. será mantido, tendo novas valências para outras possibilidades artísticas comoteatro, música, poesia, performances, ... O público-alvo da actual Casa das Artescontinuará a seguir a programação de qualidade que sempre se pautou no espaçocultural, tendo agora o equipamento possibilidades de trabalhar novas áreasartísticas, com uma programação cultural diversificada e conquistar novospúblicos.C. CirculaçãoO plano de circulação deverá iniciar-se no espaço da margem do rio junto à Casadas Artes. O tratamento paisagístico desse espaço fronteiro não deverá afectar onível arqueológico do mesmo, nem as leituras dos edifícios na rua João Vaz CorteReal. A recepção e instalações sanitárias deverão localizar-se na zona de entrada.A entrada e saída dos visitantes deverá realizar-se preferencialmente pela ruaJoão Vaz Corte Real. O plano de circulação/protecçã dos visitantes consideraráainda a adequação às características de mobilidade de grupos especiais, como ascrianças, idosos, deficientes.D. IluminaçãoO sistema geral de iluminação deverá ser trabalhado na zona, prevendo-se aindailuminação presencial para os períodos nocturnos em todas as zonas. Deverá serdada especial atenção às questões de climatização/ventilação de modo a evitarambientes de “estufa” e eventual proliferação de espécies intrusivas.E. SegurançaA segurança da intervenção deve ser tida em conta em todo o perímetro, quer naescolha dos materiais quer nas cercanias do equipamento.F. Programa funcionalPara o desenvolvimento da solução deverá ter como ponto de partida umaestrutura que acondicione serviços mínimos e que responda de forma articulada àprogramação cultural definida para o equipamento.Define-se como áreas funcionais uma zona de acolhimento/recepção, onde seincluirá a bilheteira, bengaleiro e venda de artigos (caso a direcção da Casa das 7
  8. 8. Artes assim o entenda), com zonas de apoio com instalações sanitários públicos,privadas, e arrecadação, uma zona de apoio técnico como sala de reserva egabinete de trabalho (caso a direcção da Casa das Artes o pretenda).Referênci s bibliográficas_____________________________________________________________▪ http://cultura.cm-tavira.pt/index.php?pagina=39▪ http://orlandompnc.planetaclix.pt/espaco_e_arquitectura.html▪http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_património_edificado_no_distrito_de_Faro#Concelho_de_Tavira▪ http://pt.wikipedia.org/wiki/Arquitetura▪ http://pt.wikilingue.com/es/Projecto_arquitectónicohttp://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/1862/2/Modelo%20de%20análise%20da%20adequação%20entre%20sistemas%20arquitectónicos%20e%20programas%20funcionais.pdf▪ http://pt.wikipedia.org/wiki/Tavira▪ http://sig.cm-tavira.pt/#▪ http://www.acasadasartes.com/Site/ACAT_Home.html▪ http://www.ambienteonline.pt/fotos/banner/Reg_ficha_inscricao_PNAP08.pdf▪ http://www.apap.pt/Default.aspx?Module=Artigo&Cod=ACAD▪ http://www.cm-tavira.pt/cmt/index.▪ http://www.espacosescolares.europanportugal.pt/pdf/Manual_AP.pdf▪ http://www.imensis.eu/arquitectura.aspxAnexos_____________________________________________________________Tendo como intuito ilustrar da melhor forma possível o trabalho que se pretenderealizar, apresentamos dois mapas da cidade onde estão destacados o local e azona circundante.No primeiro mapa é exposto um plano da cidade, no qual pretendemos demonstrara proximidade da área com o rio, com o centro histórico e com a zona derestauração e serviços que se tem vindo a desenvolver.No segundo mapa podemos entender de uma forma mais clara, qual a área deintervenção, uma vez que estão apontados os vários equipamentos culturais. 8
  9. 9. Mapa IMapa II 9

×