ACESSIBILIDADE E INCLUSÃO DIGITAL




       E-Learning para Todos
Acessibilidade e Inclusão Digital

Condicionantes
NÃO
OUVE
NÃO VÊ
NÃO
TOCA
NÃO ENTENDE
NÃO
ACEDE
NÃO SABE
NÃO
 TEM
NÃO
ALCANÇAM
População residente – 10 356 117   População c/ deficiência 636 059




                                                  ...
Acessibilidade e Inclusão Digital

Bases
Bases



        FALA
               OUVE
Bases



 LÊ

        ESCREVE
Bases




        TECNOLOGIA
Principais Barreiras
Material de carácter textual, potencialmente complexo em termos de legibilidade e
leiturabilidade;

E...
Principais Barreiras




      http://video.google.com/videoplay?docid=-7761743687117920635&ei=5w5fSrbdM8Kf-
           Aa...
Acessibilidade e Inclusão Digital

Soluções
Soluções




           Manipulação do rato
Soluções




           Variantes de ratos
Soluções




           Teclado com Linha Braille
Soluções




           Sistema adaptado
Soluções




           Equipamento
Soluções




           Software
Soluções




           Normas
Soluções
Assegurar uma fácil navegabilidade a todos os níveis;

Garantir máxima leiturabilidade através de uma linguagem c...
Soluções
Criar documentos em formatos de leitura acessível;

Assegurar uma boa utilização de cores e contrastes no design ...
Soluções
Tecnologia assistida
Acessibilidade e Inclusão Digital

Resultados
Resultados
Resultados
Resultados
Como…



        “Ver com os ouvidos e
                  ouvir com os olhos”
Ver com os ouvidos

A maioria dos utilizadores com baixa visão ou cegueira utilizam leitores de ecrã.


Independentemente ...
Texto alternativo

                              Considera-se texto alternativo:


 <long tag> neste formato o texto que d...
Descrever uma imagem


   A necessidade em estabelecer criteriosamente o objectivo da utilização de
  determinada imagem e...
Descrever uma imagem


Uma descrição deverá focalizar apenas o que é importante no contexto em que se
insere a imagem.

É ...
Ouvir com os olhos

                                       Como se “vêem” sons…


- Vêem-nos no recorte dos lábios - leitu...
Ler o som

Conteudos complementados com LGP;


Legendagem apropriada;


Técnicas da linguagem fílmica;


Textos simples e ...
Legendas
                             Informações sobre:

                      - O que se diz (legendas das falas)



   ...
Exemplo




          Excerto, com tradução para língua gestual e legendas, do filme “Atrás das nuvens”.
                 ...
E-learning para Todos



              Todos são diferentes,
      sendo essa diferença a maior vantagem
      para a evol...
E-learning para Todos



Quando todos nos sentirmos naturalmente diferentes
        e aceitarmos a diferença dos outros
 e...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Acessibilidades FITEC

527 visualizações

Publicada em

Vídeo de sensibilização apresentado na FITEC 2009. UED-IPL

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
527
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acessibilidades FITEC

  1. 1. ACESSIBILIDADE E INCLUSÃO DIGITAL E-Learning para Todos
  2. 2. Acessibilidade e Inclusão Digital Condicionantes
  3. 3. NÃO OUVE
  4. 4. NÃO VÊ
  5. 5. NÃO TOCA
  6. 6. NÃO ENTENDE
  7. 7. NÃO ACEDE
  8. 8. NÃO SABE
  9. 9. NÃO TEM
  10. 10. NÃO ALCANÇAM
  11. 11. População residente – 10 356 117 População c/ deficiência 636 059 Fonte: Censos 2001
  12. 12. Acessibilidade e Inclusão Digital Bases
  13. 13. Bases FALA OUVE
  14. 14. Bases LÊ ESCREVE
  15. 15. Bases TECNOLOGIA
  16. 16. Principais Barreiras Material de carácter textual, potencialmente complexo em termos de legibilidade e leiturabilidade; Estrutura complexa, de difícil navegação e com inúmeras inconsistências; Pouca adequação a aprendentes com fraca mobilidade ou baixa visão e que não utilizem o rato para navegar; Materiais multimédia vedados a pessoas com limitações motoras ou sensoriais.
  17. 17. Principais Barreiras http://video.google.com/videoplay?docid=-7761743687117920635&ei=5w5fSrbdM8Kf- AaYr-0O&q=acessibilidade+na+web+custo+ou+benef%C3%ADcio&hl=pt-PT
  18. 18. Acessibilidade e Inclusão Digital Soluções
  19. 19. Soluções Manipulação do rato
  20. 20. Soluções Variantes de ratos
  21. 21. Soluções Teclado com Linha Braille
  22. 22. Soluções Sistema adaptado
  23. 23. Soluções Equipamento
  24. 24. Soluções Software
  25. 25. Soluções Normas
  26. 26. Soluções Assegurar uma fácil navegabilidade a todos os níveis; Garantir máxima leiturabilidade através de uma linguagem clara e objectiva, potenciadora de uma proximidade dialogante com o aprendente; Assegurar o uso apropriado e consistente de grafismos, ícones e outros elementos visuais; Garantir que todos os gráficos, imagens e ilustrações contêm uma versão equivalente em formato verbal;
  27. 27. Soluções Criar documentos em formatos de leitura acessível; Assegurar uma boa utilização de cores e contrastes no design gráfico; Incluir materiais em formato alternativo, vídeo e áudio; Ter consciência das limitações de leitores de ecrã perante textos fora do comum, com caracteres estranhos ou abreviaturas.
  28. 28. Soluções Tecnologia assistida
  29. 29. Acessibilidade e Inclusão Digital Resultados
  30. 30. Resultados
  31. 31. Resultados
  32. 32. Resultados
  33. 33. Como… “Ver com os ouvidos e ouvir com os olhos”
  34. 34. Ver com os ouvidos A maioria dos utilizadores com baixa visão ou cegueira utilizam leitores de ecrã. Independentemente da motivação do uso das imagens, é fundamental que cada utilizador se questione sobre a pertinência/utilidade de cada imagem no contexto em que se integra. Grande parte do software e ferramentas disponíveis nos LMS apresentam campos para texto alternativo.
  35. 35. Texto alternativo Considera-se texto alternativo: <long tag> neste formato o texto que descreve uma imagem ou gráfico poderá não estar visível, sendo apenas lido por leitores de ecrã ou quando convertido para formato TXT. <alt text> é um formato de texto complementar, visível ou não. Por norma este campo está associado á passagem do cursor sobre a imagem, sendo lido também por leitores de ecrã.
  36. 36. Descrever uma imagem A necessidade em estabelecer criteriosamente o objectivo da utilização de determinada imagem e quais os elementos dessa imagem que cumprem esse objectivo. Esse objectivo ditará o relevo a dar a determinados componentes dessa imagem, orientando a “melhor forma de ver” e auxiliará na escolha da linguagem mais adequada à sua descrição.
  37. 37. Descrever uma imagem Uma descrição deverá focalizar apenas o que é importante no contexto em que se insere a imagem. É necessário encontrar uma medida de profundidade da pormenorização. Essa medida só é encontrada com sensibilidade e bom senso aliados a técnicas específicas para o efeito.
  38. 38. Ouvir com os olhos Como se “vêem” sons… - Vêem-nos no recorte dos lábios - leitura labial; - nos gestos do rosto e do corpo - expressão corporal; - na língua gestual - tridimensional e holística; - na memória de sons anteriormente ouvidos ou apropriados através de um “ouvir cultural”.
  39. 39. Ler o som Conteudos complementados com LGP; Legendagem apropriada; Técnicas da linguagem fílmica; Textos simples e claros, contrastantes com o fundo.
  40. 40. Legendas Informações sobre: - O que se diz (legendas das falas) - Como se diz (icones emotivos, explicação de informação paralinguística) - Quem diz (diferentes cores ou alinhamentos para identificar falantes) Sincronização entre imagens e legendas.
  41. 41. Exemplo Excerto, com tradução para língua gestual e legendas, do filme “Atrás das nuvens”. Realização: Jorge Queiroga. Distribuição: Lusomundo.
  42. 42. E-learning para Todos Todos são diferentes, sendo essa diferença a maior vantagem para a evolução de qualquer sociedade.
  43. 43. E-learning para Todos Quando todos nos sentirmos naturalmente diferentes e aceitarmos a diferença dos outros encontramos o denominador comum da igualdade. Manuela Amado Francisco, 2009

×