Diretrizes | Construção de um doc word acessível

263 visualizações

Publicada em

Diretrizes de acessibilidade na construção de documentos word.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
263
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Diretrizes | Construção de um doc word acessível

  1. 1. DIRETRIZES Construção de um doc word acessível
  2. 2. PASSOS A OBSERVAR... Tema 1.1. diretrizes para a criação de conteúdos acessíveis em microsoft word
  3. 3. A. TEXTO CLARO E IDIOMA DO DOCUMENTO TEXTO linguagem informativa e simples estruturas gramaticais mais lineares coesão e coerência em frases mais curtas mensagem concisa e sentido denotativo evitar: terminologia complexa, linguagem conotativa, redundâncias IDIOMA definição do idioma para utilizadores com deficiência visual - uso de leitores conversores de texto em voz B. CARACTERÍSTICAS DA FONTE E TÍTULOS FONTE sans serif para docs impressos: arial, verdana, trebuchet serif para leitura digital (maior resolução): times new roman, georgia, garamond tamanho mínimo 12 evitar letra cursiva e uso de negritos casos de hipermetropia, miopia, visão túnel – utilizadores que adicionalmente recorrem a sistemas de cores de elevado contraste, fontes de grandes dimensões e ícones grandes com a ajuda de ampliadores de ecrã. TÍTULOS definição da estrutura do doc – ordem lógica, coerente e arborescente definição de títulos com níveis 1,2,3, …
  4. 4. 1. Neste vídeo – fonte Dyslexie 2. Ainda esta fonte Read Regular 3. E esta OpenDyslexic FONTES para disléxicos
  5. 5. C. PARÁGRAFOS, ALINHAMENTO DO TEXTO E MARGENS Implicações para pessoas com dificuldades cognitivas e com baixa visão carecem de cuidados nos: parágrafos e espaçamento de linhas alinhamento: à esquerda (cf. estudos comprovam menor dificuldade na leitura) margens: o critério de conformidade 1.4.8 da W3C1 (world wide web consortium, 2009) recomenda por linha 80 caracteres para evitar as dificuldades de leitura de linhas compridas D. ESPAÇAMENTO ENTRE LINHAS DE TEXTO E ESPAÇO ENTRE PARÁGRAFOS um espaço e meio = 150% material impresso – parágrafos sem espaço, com avanço material digital – parágrafos com espaço ou americano, sem avanço
  6. 6. E. QUEBRAS E INDENTAÇÕES • Efetuar quebra de página ou quebra de secção com as ferramentas do word, facilitando a mudança de página • Usar Marcas de lista ou Numeração para uniformizar listas bem formatadas (evitando travessões, asteriscos, símbolos) F. COLUNAS • Apenas se necessário na divisão de textos, usando a ferramenta automática • Pessoas com deficiências leem de forma corrida a mesma linha entre colunas se o espaço for curto G. TABELAS E TÍTULOS DE TABELAS • Tabelas de uma só página • Repetição dos cabeçalhos em tabelas de várias páginas • Desenhar tabelas simples (evitar combinar células e tabelas complexas) • Criar títulos para cada tabela H. LEGENDAS NAS IMAGENS, ÍNDICES DE TÍTULOS E DE ILUSTRAÇÕES • Usando a ferramenta adequada – facilita a leitura e identificação dos conteúdos I. NÚMEROS DE PÁGINA, TEXTOS ALTERNATIVOS E GRÁFICOS ACESSÍVEIS • Paginar com a respetiva ferramenta • Textos alternativos para os elementos não textuais = fornecem informação complementar, substitui informação visual ou sonora • Permite às pessoas com dificuldades sensoriais não ignorar um elemento não textual usando linhas de braille ou leitores para aceder à mensagem • Gráficos acessíveis – uso de cor, textos alternativos, legendas facilitadores no acesso à informação
  7. 7. J. ELEMENTOS MULTIMÉDIA Segundo a EBU (European Blind Union – making information accessible for all) é necessário descrever o material multimédia para o leitor saber o que esperar do conteúdo: audiodescrição: utilizadores com deficiência visual ou visão limitada, em que os vídeos ou os conteúdos de imagem são descritos e narrados no momento da sua transmissão legendagem: passar legendas do que está a ser dito num produto audiovisual, indicado para pessoas com deficiência auditiva grafia braille: sistema por pontos utilizado por pessoas com deficiência visual para ler e escrever língua gestual: língua utilizada por pessoas surdas leitura fácil: os textos em leitura fácil estão redigidos em linguagem resumida e simples para que possam ser compreendidos por pessoas com problemas cognitivos ou deficiência intelectual
  8. 8. K. USO DA COR Prever uma percentagem de daltónicos e de pessoas que não discriminam bem as cores Ter cuidados no uso semântico das cores e nos contrastes USO SEMÂNTICO as cores do semáforo (e as do sinais de trânsito) têm uma semântica universal que ajuda à clarificação e uniformização de significados CONTRASTE Assegurar que o daltonismo ou as dificuldades na perceção da cor estão salvaguardadas: usando tamanho 12 e fonte sans serif usando fundos adequados à cor da fonte usada
  9. 9. L. HIPERLIGAÇÕES E CONVERSÃO DE UM DOCUMENTO EM PDF As hiperligações acessíveis evitam “clique aqui”, “aceda ali”, “mais info” Devem trazer informação concreta, detalhada sobre a hiperligação , obedecendo à regra das três ligações dinâmicas para melhorar a cognição no acesso à informação: link de cidadania – informação simples, direta e acessível ao maior número de pessoas link de aprofundamento – mais completo, especializa o assunto link de valor acrescentado – destinado a um aprofundamento maior da informação (por vezes só disponível em versões pro, o que é fator de exclusão) A conversão de docs em PDF deve verificar as opções de acessibilidade do office
  10. 10. M. Verificação de acessibilidade no Office 2010 e AccessODF Microsoft Office 2010 – uso de ferramenta automática para verificação da acessibilidade do documento com indicação de ERRO, AVISO, SUGESTÃO AccessODF - ferramenta LibreOffice Writer para os formatos oppen document N. Teste de usabilidade e Conversão de documentos em outros formatos para a sua validação TESTE DE USABILIDADE: AWS (software pago) NVDA (software livre) PARA PAGINAS EXPORTADAS COMO HTML Examinator (Avaliação WCAG 2.0) Achecker (Avaliação WCAG 2.0, HTML y CSS) TAW (Avaliação WCAG 2.0 beta) HERA (Avaliação WCAG 1.0) WAVE, (Web Accessibility Evaluation Tool) PARA DOCS EXPORTADOS PARA PDF Ferramentas de validação online PDFCheck Accesibility Egovmon Ferramenta de validação PDF Accessibility Checker (PAC) PASSOS A OBSERVAR... Tema 1.2. Ferramentas de validação de acessibilidade
  11. 11. FICHA TÉCNICA Autor | Paula do Aido Almeida Síntese da formação: MOOC | massive open online course - Universidade de Lisboa Desenvolvimento de conteúdos acessíveis – word e ppt no âmbito do ESVI-AL | educatión superior virtual inclusiva – America Latina Formadores | António Teixeira e Magda Fonte fevereiro-março de 2016 © licença creative commons (CC BY-NC-ND 4.0)

×