Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 132

4.067 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.067
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.374
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 132

  1. 1. Catual = ‘chefe da polícia, regedor’ Samorim = ‘rei, governador’  
  2. 2. Vejam agora os espíritos especulativos Quanto, tanto nos homens ricos como nos pobres, Podem o vil interesse e a ambição Do dinheiro, que nos leva à prática de todas as más ações.
  3. 3. munidas = ‘bem guarnecidas’ tredoros = ‘traidores’ a mais nobres = ‘aos mais nobres’ cor = ‘aparência’
  4. 4. O poder corruptor do dinheiro percorre todas as camadas sociais. «Quanto no rico, assi como no pobre, / Pode o vil interesse e sede imiga / Do dinheiro» (est. 96, vv. 2-4)
  5. 5. A deterioração dos valores da classe nobre é destacada pelo poeta. «Este a mais nobre faz fazer vilezas, / E entrega Capitães aos inimigos» (est. 98, vv. 3-4)
  6. 6. O dinheiro influencia a compreensão das situações. «Este deprava às vezes as ciências, / Os juízos cegando e as consciências» (est. 98, vv. 7-8)
  7. 7. Nem os membros religiosos (os sacaninhas!) escapam à influência negativa do dinheiro. «Até os que só a Deus omnipotente / Se dedicam, mil vezes ouvireis / Que corrompe este encantador, e ilude» (est. 99, vv. 5-7)
  8. 8. O domínio do dinheiro pode influenciar situações legais. «Este interpreta mais que sutilmente / Os textos; este faz e desfaz leis» (est. 99, vv. 1-2)
  9. 9. Sob influência do dinheiro, o ser humano pratica ações desleais, a não ser que ande na catequese e veja A Missão muitas vezes. «Faz tredoros e falsos os amigos; / Este a mais nobres faz viver vilezas, / E entrega Capitães aos inimigos» (est. 98, vv. 2-4); «Este causa os perjúrios entre a gente / E mil vezes tiranos torna os Reis» (est. 99, vv. 3-4)
  10. 10. VIII, 96-98 [manual, p. 182] Traição de que ia sendo vítima Vasco da Gama é ultrapassada pela entrega de fazendas. O poeta adverte que o ouro (os bens, a riqueza) a todos corrompe.
  11. 11. Lê «Retrato de um país que gosta da cunha» (p. 183) e relaciona esse texto com as estâncias (VIII, 96-99, p. 182) que vimos em aula.

×