Noivos sacramento do matrimônio slides

11.696 visualizações

Publicada em

dowload

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.696
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
316
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Noivos sacramento do matrimônio slides

  1. 1. SACRAMENTO DO MATRIMÔNIOPastoral Sacramental É uma realidade natural (o amor de um casal)elevada a sacramento. Sinal memorial: da Aliança de Deus com seu povo amado; do amor de Cristo pela sua esposa, a Igreja. da ação do Espírito Santo que invade o coração dosque se casam, transformando toda a vidamatrimonial numa caminhada divina feita compegadas humanas (cf DPF 244 e 254). O valor do sacramento do matrimônio está napresença de Cristo e do Espírito, que une os doisesposos, na realidade única, invisível eextraordinária e não no esplendor das cerimônias(DPF 256).
  2. 2. O Sacramento do Matrimônio É importante sublinhar que o matrimônio não é simplescelebração pública, mas algo sagrado. Não é um merocompromisso social: é compromisso assumido diante de Deuse da comunidade (cf DPF 25). A celebração do sacramento do Matrimônio deve primar peloambiente de fé, simplicidade, beleza, alegria e testemunho deamor e de vida diante da Igreja e da sociedade (DPF 259). A importância dada ao sacramento é demonstrada peloprocesso de preparação. O Sacramento seja celebrado e vivido com as devidasdisposições humanas, morais e espirituais (DPF 261), Tudo deve contribuir para dar sentido profundamente religioso,comunitário e festivo a um acontecimento marcante na vidados participantes (DPF 274).
  3. 3. SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO A vocação para o matrimônio é vocação para a santidadeA vocação para o matrimônio é vocação para a santidade (cf Mt(cf Mt5,48).5,48). “Deus voa ama loucamente, ele deseja a vossa felicidade,“Deus voa ama loucamente, ele deseja a vossa felicidade,mas quer que saibais conjugar sempre a fidelidade com amas quer que saibais conjugar sempre a fidelidade com afelicidade”felicidade” (J.Paulo II).(J.Paulo II). A graça do sacramento do matrimônio atua de formaA graça do sacramento do matrimônio atua de formapermanente, isto é, ao longo da vida do casal:permanente, isto é, ao longo da vida do casal: aperfeiçoando seu amoraperfeiçoando seu amor,, fortalece sua uniãofortalece sua união.. ajudando na superação das dificuldades e contrariedades;ajudando na superação das dificuldades e contrariedades; auxilia na compreensão mútuaauxilia na compreensão mútua (qualidades e defeitos);(qualidades e defeitos); anima os esposos assumir as cargas e responsabilidades doanima os esposos assumir as cargas e responsabilidades dolar, na educação dos filhos e nos momentos dolorosos, naslar, na educação dos filhos e nos momentos dolorosos, nassituações de doenças e de dificuldades familiaressituações de doenças e de dificuldades familiares (CPF 251).(CPF 251).
  4. 4. I-PREPARAÇÃO: A para o sacramento do matrimônio e a vidaA para o sacramento do matrimônio e a vidafamiliar é um processo abrangente de educaçãofamiliar é um processo abrangente de educaçãopermanente para o amor, assumido epermanente para o amor, assumido esantificado pelo sacramento do matrimôniosantificado pelo sacramento do matrimônio (DPF 262).(DPF 262). Face às mudanças sociais e culturais, hoje se fazFace às mudanças sociais e culturais, hoje se faznecessária uma envolvente preparação. Anecessária uma envolvente preparação. Aevangelização e a catequese de todos os que seevangelização e a catequese de todos os que sepreparam para o matrimônio cristão é fundamental,preparam para o matrimônio cristão é fundamental,para que o mesmo seja vivido de forma integral.para que o mesmo seja vivido de forma integral. A preparação consta das seguintes etapas: remota,A preparação consta das seguintes etapas: remota,próxima e imediatapróxima e imediata (Familiaris Consortio, nn. 65-66).(Familiaris Consortio, nn. 65-66).
  5. 5. 1.1- Preparação Remota A preparação remota é básica. Sobre ela se apóiam as posteriores.A preparação remota é básica. Sobre ela se apóiam as posteriores.Abrange o um período bastante grande da vida do ser humano comoAbrange o um período bastante grande da vida do ser humano comocidadão e como cristão. Também tem seu início no seio da família ecidadão e como cristão. Também tem seu início no seio da família epercorre o caminho da escola da catequese da primeira eucaristia e dapercorre o caminho da escola da catequese da primeira eucaristia e dacrisma (cf DPF 264);crisma (cf DPF 264); Nesse período é muito significativo criar condições para:Nesse período é muito significativo criar condições para: a educação da afetividade e da sexualidade humana;a educação da afetividade e da sexualidade humana; Iniciar nos elementos básicos da mensagem cristã, na vidaIniciar nos elementos básicos da mensagem cristã, na vidacrista, na moral e na ética;crista, na moral e na ética; Formar para a vivência comunitária e cidadã;Formar para a vivência comunitária e cidadã; apresentar os fundamentos da vida matrimonial – o sacramentoapresentar os fundamentos da vida matrimonial – o sacramento(RM 1-11);(RM 1-11); formar a consciência crítica em relação às falsas idéias eformar a consciência crítica em relação às falsas idéias eimagens veiculadas da vida familiar e matrimonial;imagens veiculadas da vida familiar e matrimonial; formar a consciência critica face às atitudes e à mentalidadeformar a consciência critica face às atitudes e à mentalidadeconsumista, hedonista, contrárias à Boa Nova do Evangelho (cfconsumista, hedonista, contrárias à Boa Nova do Evangelho (cfDPF 266);DPF 266);
  6. 6. 1.2- Preparação Próxima É a etapa que coincide com o noivadoÉ a etapa que coincide com o noivado Por preparação próxima entende-se as providências a seremPor preparação próxima entende-se as providências a seremtomadas para que sejam apresentados aos noivos ostomadas para que sejam apresentados aos noivos oselementos fundamentais da vida familiar cristã, e as condiçõeselementos fundamentais da vida familiar cristã, e as condiçõesnecessárias indispensáveis à celebração do sacramento:necessárias indispensáveis à celebração do sacramento: a conversão;a conversão; a vivência da fé;a vivência da fé; a inserção comunitária;a inserção comunitária; o testemunho de vida cristã;o testemunho de vida cristã; Meios da preparação pré-matrimonial:Meios da preparação pré-matrimonial:Os meios são muito diversificados face às diferentes situações.Os meios são muito diversificados face às diferentes situações.Como também não há meios mágicos que, de imediatoComo também não há meios mágicos que, de imediatoresolvem tudo. Se requer todo um processo de adequaçãoresolvem tudo. Se requer todo um processo de adequação.
  7. 7. 1.2- Preparação Próxima Encontro e preparação pessoalEncontro e preparação pessoalEste reflete a necessidade de se acolher pessoalmente os noivos, com oEste reflete a necessidade de se acolher pessoalmente os noivos, com oobjetivo de se fomentar e fortalecer sua fé (RM, n. 16). O encontro pessoal seobjetivo de se fomentar e fortalecer sua fé (RM, n. 16). O encontro pessoal sefaz necessário para um diálogo sobre as atitudes e as disposições de fé efaz necessário para um diálogo sobre as atitudes e as disposições de fé esobre o sentido do sacramento. Para a autenticidade do encontro dever-se-iasobre o sentido do sacramento. Para a autenticidade do encontro dever-se-iaadotar uma postura:adotar uma postura: mais evangelizadora e pastoral do que jurídica;mais evangelizadora e pastoral do que jurídica; ter abertura ao acompanhamento dialogal com os noivos;ter abertura ao acompanhamento dialogal com os noivos; acolher a todos, sem celebrar indiscriminadamente tudo;acolher a todos, sem celebrar indiscriminadamente tudo; evitar ao mesmo tempo o rigorismo e o laxismo;evitar ao mesmo tempo o rigorismo e o laxismo; animar sua liberdade sem mostrar indiferentismo;animar sua liberdade sem mostrar indiferentismo; valorizar o mínimo positivo em vista do crescimento da fé;valorizar o mínimo positivo em vista do crescimento da fé; possibilitar ou recomendar aos noivos a leitura de textospossibilitar ou recomendar aos noivos a leitura de textosbíblicos, algum resumo sobre o sentido do sacramento e debíblicos, algum resumo sobre o sentido do sacramento e desua celebração, que exponha as atitudes e sentimentos desua celebração, que exponha as atitudes e sentimentos dequem se aproximar da celebração sacramental;quem se aproximar da celebração sacramental;
  8. 8. 1.2- Preparação Próxima Os Cursinhos pré-matrimoniaisOs Cursinhos pré-matrimoniaisGrande é a diversidade cursinhos, de conteúdos, de duração,Grande é a diversidade cursinhos, de conteúdos, de duração,de metodologia e de meios. Os noivos participam com certasde metodologia e de meios. Os noivos participam com certasprevenções, ao concluírem, saem razoavelmente satisfeitos.prevenções, ao concluírem, saem razoavelmente satisfeitos.Estes cursinhos apresentam aspectos positivos:Estes cursinhos apresentam aspectos positivos: a possibilidade de encontro e diálogo com os agentes (leigos ea possibilidade de encontro e diálogo com os agentes (leigos esacerdotes);sacerdotes); o encontro com outros casais, partilha de vida, de inquietudes .o encontro com outros casais, partilha de vida, de inquietudes . reflexão e intercâmbio sobre temas importantes que afetam areflexão e intercâmbio sobre temas importantes que afetam avida conjugal e familiar;vida conjugal e familiar; possibilidade de revisar as próprias atitudes humanas, de fé,possibilidade de revisar as próprias atitudes humanas, de fé,de engajamento....de engajamento.... ilumina e prepara para a celebração do sacramento;ilumina e prepara para a celebração do sacramento;
  9. 9. Os Cursinhos na sua maior parte, padecem de algumas limitações:Os Cursinhos na sua maior parte, padecem de algumas limitações: ser um cumprimento de uma decisão superior - algo a ser cumprido,ser um cumprimento de uma decisão superior - algo a ser cumprido,sem muita profundidade, que não atinge a fé, a vida e ossem muita profundidade, que não atinge a fé, a vida e oscompromissos matrimoniais;compromissos matrimoniais; os agentes (padres e leigos) nem sempre dispõem de uma sólidaos agentes (padres e leigos) nem sempre dispõem de uma sólidapreparação e de uma pedagogia adequada e de capacidade aopreparação e de uma pedagogia adequada e de capacidade aodiálogo;diálogo; os temas desenvolvidos se atem mais às realidades antropológicasos temas desenvolvidos se atem mais às realidades antropológicas( sexo, natalidade, cuidados médicos e jurídicos, etc...) sem se( sexo, natalidade, cuidados médicos e jurídicos, etc...) sem seimportar com o lado da fé e da comunidade cristã;importar com o lado da fé e da comunidade cristã; quase não se aborda a questão do sacramento, de sua celebração, dequase não se aborda a questão do sacramento, de sua celebração, deseus símbolos, da Palavra de Deus ...seus símbolos, da Palavra de Deus ... ““No desempenho dessa tarefa, a Pastoral Familiar é desafiada aNo desempenho dessa tarefa, a Pastoral Familiar é desafiada aatualizar-se no que se refere aos conteúdos e a metodologia, para queatualizar-se no que se refere aos conteúdos e a metodologia, para queos noivos recebam ensinamentos vivos, inculturados e se tornemos noivos recebam ensinamentos vivos, inculturados e se tornemcapazes de responder, eles próprios, aos seus questionamentos ecapazes de responder, eles próprios, aos seus questionamentos eproblemas” (DPF 268)problemas” (DPF 268)
  10. 10. 1.3- Preparação Imediata A preparação imediata à celebração do sacramento do Matrimônio porA preparação imediata à celebração do sacramento do Matrimônio pormeio de uma pedagogia litúrgico-catequética oferecerá aos noivos omeio de uma pedagogia litúrgico-catequética oferecerá aos noivos osignificado e o conteúdo para as adequadas e conscientes respostassignificado e o conteúdo para as adequadas e conscientes respostasàs três perguntas litúrgicas do matrimônio, que refletem oàs três perguntas litúrgicas do matrimônio, que refletem ocompromisso matrimonial que os noivos assumem: o sentidocompromisso matrimonial que os noivos assumem: o sentidoverdadeiro da liberdade, do amor e da paternidade responsávelverdadeiro da liberdade, do amor e da paternidade responsável (DPF(DPF273).273). Esta etapa é sumamente importante, porque:Esta etapa é sumamente importante, porque: Consolida a decisão de casar na Igreja;Consolida a decisão de casar na Igreja; Intensifica a preparação espiritual dos noivosIntensifica a preparação espiritual dos noivos Preparam-se as diversas partes da celebração;Preparam-se as diversas partes da celebração; Intensificam-se a celebração e a oração pessoal e comunitária emIntensificam-se a celebração e a oração pessoal e comunitária emvista de uma participação digna, externa e interna, pessoal evista de uma participação digna, externa e interna, pessoal ecomunitária na celebração;comunitária na celebração; É momento de aproximação dos noivos à comunidade eclesial –É momento de aproximação dos noivos à comunidade eclesial –acolher carinhosamente – para favorecer o retorno à vida cristã e àacolher carinhosamente – para favorecer o retorno à vida cristã e àconversão;conversão;
  11. 11. 1.3 Preparação imediata Nesta etapa, mais do que uma preparação, ou uma explicaçãoNesta etapa, mais do que uma preparação, ou uma explicaçãoteórica, ou reduzida aos trâmites burocráticos, os noivosteórica, ou reduzida aos trâmites burocráticos, os noivosaprofundam sua opção, vivem uma certa experiência religiosaaprofundam sua opção, vivem uma certa experiência religiosapor meio da preparação da celebração, da escolha das leituras,por meio da preparação da celebração, da escolha das leituras,dos ritos e símbolos e dispõem-se a celebrar comdos ritos e símbolos e dispõem-se a celebrar comautenticidade.autenticidade.Para isto é significativo:Para isto é significativo: Iniciar os noivos sobre a celebração do sacramento;Iniciar os noivos sobre a celebração do sacramento; Dialogar sobre as motivações para o sacramento (esclarecerDialogar sobre as motivações para o sacramento (esclareceros noivos sobre o sentido, a riqueza litúrgica, asos noivos sobre o sentido, a riqueza litúrgica, aspossibilidades e exigências do sacramento;possibilidades e exigências do sacramento; Propor a celebração do sacramento da Reconciliação;Propor a celebração do sacramento da Reconciliação; Tudo deve favorecer aos noivos um encontro pessoal comTudo deve favorecer aos noivos um encontro pessoal comCristo e a vivência de uma fé profunda;Cristo e a vivência de uma fé profunda;
  12. 12. 2. A CELEBRAÇÃO DO MATRIMÔNIO 2.1- O que a Igreja celebra? A união matrimonial, firmada entre o homem e a mulher, é sinal e expressão daA união matrimonial, firmada entre o homem e a mulher, é sinal e expressão daaliança entre Deus e o povo, de Cristo e a Igreja, de forma eterna e indissolúvel,aliança entre Deus e o povo, de Cristo e a Igreja, de forma eterna e indissolúvel,por isso elevada à dignidade de sacramento da Igreja (RM, Introd. 1-11). “Nopor isso elevada à dignidade de sacramento da Igreja (RM, Introd. 1-11). “Nomatrimônio o homem e a mulher participam do amor que une Cristo e a Igrejamatrimônio o homem e a mulher participam do amor que une Cristo e a Igrejanum só corpo”.num só corpo”. A Celebração do Matrimônio é: O conteúdo (o fato valorizado) do sacramento é o amor que une o homem e aO conteúdo (o fato valorizado) do sacramento é o amor que une o homem e amulher. A experiência de amar e sentir-se amado. Quando participamos de umamulher. A experiência de amar e sentir-se amado. Quando participamos de umacelebração matrimonial e assistimos ao consentimento mútuo de duas pessoascelebração matrimonial e assistimos ao consentimento mútuo de duas pessoasmovidas pelo amor. A comunidade renova sua aliança com Deus.movidas pelo amor. A comunidade renova sua aliança com Deus. Memorial da aliança (a aliança conjugal do homem e da mulher), éexpressão da aliança de Deus com seu povo; do amor apaixonado de Deus porseu povo eleito; É a celebração da união amorosa de duas pessoas que, diantede Deus e por toda a vida, celebram o seu amor. Memória da Páscoa – da passagem da morte para a vida, que marcou a experiênciade Jesus e daqueles que o seguem. Na celebração do matrimônio, a comunidadeentoa o cântico do amor, da vitória da vida.
  13. 13. 2. Celebração do matrimônio O noivo e noiva, celebram o mistério pascal na sua forma mais direta,O noivo e noiva, celebram o mistério pascal na sua forma mais direta,mais íntima e mais intensa: a doação, a entrega mútua no amor,mais íntima e mais intensa: a doação, a entrega mútua no amor,expressão do mistério da entrega de Jesus Cristo à sua Igreja – deexpressão do mistério da entrega de Jesus Cristo à sua Igreja – desua morte e ressurreição para que a Igreja tenha vida e vida emsua morte e ressurreição para que a Igreja tenha vida e vida emabundância. Pela vivência fiel do matrimônio, os cônjuges participamabundância. Pela vivência fiel do matrimônio, os cônjuges participame, ao mesmo tempo, revelam esse amor de Cristo à sua Igreja. Oe, ao mesmo tempo, revelam esse amor de Cristo à sua Igreja. Omatrimônio cristão deve significar para o mundo um sinal profético domatrimônio cristão deve significar para o mundo um sinal profético doamor aliança e do amor pascal do Senhor.amor aliança e do amor pascal do Senhor. Memorial da ação Espírito Santo – Os noivos celebrando seuMemorial da ação Espírito Santo – Os noivos celebrando seumatrimônio recebem o Espírito Santo. O Espírito gera e alimenta amatrimônio recebem o Espírito Santo. O Espírito gera e alimenta aaliança do esposo e da esposa, do homem e da mulher, de Cristo e daaliança do esposo e da esposa, do homem e da mulher, de Cristo e daIgreja. “Ora, essa aliança é o próprio Espírito Santo. Ele é a fonte deIgreja. “Ora, essa aliança é o próprio Espírito Santo. Ele é a fonte deunidade, desse amor sem divisão. Ele é a comunhão que instaura umaunidade, desse amor sem divisão. Ele é a comunhão que instaura umanova relação no interior da vida de um casal, de uma família. Onova relação no interior da vida de um casal, de uma família. OMatrimônio é dom do Espírito para o bem de todos, energiaMatrimônio é dom do Espírito para o bem de todos, energiadivinizante para aqueles que recebem este dom.divinizante para aqueles que recebem este dom.É ação comunitária e participativa – requer a presença da comunidadeÉ ação comunitária e participativa – requer a presença da comunidadeeclesial. Como o Matrimônio destina-se ao desenvolvimento e àeclesial. Como o Matrimônio destina-se ao desenvolvimento e àsantificação de todo o povo de Deus. É a Igreja quem celebra a uniãosantificação de todo o povo de Deus. É a Igreja quem celebra a uniãode seus filhos e filhas.de seus filhos e filhas.
  14. 14. 2. Celebração matrimonialA ação litúrgico-sacramental: supõe: Reunião da comunidade eclesial (acolhida eReunião da comunidade eclesial (acolhida eparticipação);participação); Ação ministerial (ministérios, equipe ....)Ação ministerial (ministérios, equipe ....) Proclamação da Palavra de Deus;Proclamação da Palavra de Deus; Orações,Orações, Cântico, hinos e salmos;Cântico, hinos e salmos; Expressões simbólicas (gestos e sinais);Expressões simbólicas (gestos e sinais); Clima orante - Silêncio e contemplação;Clima orante - Silêncio e contemplação; Ambiente adequado e digno;Ambiente adequado e digno;A celebração matrimonial seja digna, participada eA celebração matrimonial seja digna, participada ecalmamente realizada.calmamente realizada.
  15. 15. 2.1- Celebração Matrimonial O rito a ser usado:O rito a ser usado: Celebração dentro da Missa – Normalmente o Matrimônio sejaCelebração dentro da Missa – Normalmente o Matrimônio sejacelebrado na Missa, em vista do vínculo de todos oscelebrado na Missa, em vista do vínculo de todos ossacramentos com o mistério pascal de Jesus Cristo (RM 28; CICsacramentos com o mistério pascal de Jesus Cristo (RM 28; CIC1621). Assim se evidencia que a Eucaristia é centro e raiz da1621). Assim se evidencia que a Eucaristia é centro e raiz davida cristã e que todos os sacramentos convergem para avida cristã e que todos os sacramentos convergem para aEucaristiaEucaristia (DPF 276).(DPF 276). Celebração sem Missa.Celebração sem Missa. Para o Brasil existe o:Para o Brasil existe o: Ritual Romano Latino (original);Ritual Romano Latino (original); Ritual Adaptado para o BrasilRitual Adaptado para o BrasilConsidera-se habitualmente que são os esposos que, como ministrosConsidera-se habitualmente que são os esposos que, como ministrosda graça de Cristo, se conferem mutuamente o sacramento doda graça de Cristo, se conferem mutuamente o sacramento domatrimônio manifestando diante da Igreja o seu consentimento.matrimônio manifestando diante da Igreja o seu consentimento.
  16. 16. 2.2- Celebração Matrimonial A acolhida: A acolhida afetiva dispõe as pessoas entrarem no espíritoda celebração e no clima humano e orante; A entrada dos noivos observa as tradições locais: Entrada conjunta Ministros e os Noivos, Personalizada (noivo, noiva, etc....), Os noivos acolhem a comunidade, os convidados ... Estamodalidade expressa melhor o protagonismo dos noivos nacelebração do matrimônio. Dever-se-ia evitar tudo o que der impressão de passarela –desfile de moda.
  17. 17. 2.3- Celebração Matrimonial Acolhida: Sinal da cruz e saudação do Ministro; Breve motivação; Sendo oportuno, fazer uma apresentação dos noivos, sobretudoquando a celebração acontece na Missa da comunidade; Os pais poderiam apresentar seus filho (ou um padrinho..); Os próprios noivos poderiam falar e manifestar sua alegria e avontade de construir juntos o projeto da vida conjugal; Nas celebrações do matrimônio omite-se ato penitencial Canta-se o glória: Oração do dia. (O ritual propõe diferentes orações, considerando arealidade dos noivos ou a escolha deles).
  18. 18. 2.4- Celebração matrimonial Liturgia da Palavra: É parte integrante e essencialÉ parte integrante e essencial A liturgia da Palavra situa o matrimônio na história daA liturgia da Palavra situa o matrimônio na história dasalvação (sacramento da aliança) e expressa claramentesalvação (sacramento da aliança) e expressa claramenteque os noivos simbolizam a união e o amor pessoal,que os noivos simbolizam a união e o amor pessoal,fecundo, total e exclusivo entre Cristo e a Igrejafecundo, total e exclusivo entre Cristo e a Igreja (DPF 275).(DPF 275). O Ritual do Matrimônio apresenta 37 textos da SagradaO Ritual do Matrimônio apresenta 37 textos da SagradaEscritura -> revelam a caminhada que o matrimônio nasEscritura -> revelam a caminhada que o matrimônio naspáginas do Antigo Testamento até que, em Jesus, o amorpáginas do Antigo Testamento até que, em Jesus, o amordo Pai se tornou visível e próximo de todos.do Pai se tornou visível e próximo de todos. Cabe aos noivos escolher os textos bíblicos – os noivosCabe aos noivos escolher os textos bíblicos – os noivospoderão revelar as motivações de sua escolha;poderão revelar as motivações de sua escolha; Deus falará ao noivos pela proclamação da Palavra feitaDeus falará ao noivos pela proclamação da Palavra feitapor um familiar, amigo ou padrinho – Leitor;por um familiar, amigo ou padrinho – Leitor; Valorizar o Livro da Palavra (não um folheto);Valorizar o Livro da Palavra (não um folheto); Gesto simbólico da entrega da Bíblia aos noivos;Gesto simbólico da entrega da Bíblia aos noivos;
  19. 19. 2.5- Celebração Matrimonial Rito Sacramental: No sacramento do matrimônio, a Igreja vive com especialintensidade o amor gratuito de Deus e nessa fé recebe o novocasal que se ama. Os esposos confessando que seu amorhumano é dom de Deus, comprometem-se aperfeiçoá-lo nagratuidade do amor divino. O Diálogo: Sublinha a unidade entre o Batismo e o Matrimônio; Revela as disposições dos noivos: liberdade, fidelidade,acolhida dos filhos, na fé e na confiança de que serãoacompanhados e abençoados em Jesus Cristo. O casal poderia revelar à comunidade, de formaespontânea, a história e o projeto de sua vida matrimonial.
  20. 20. 2.6- Celebração Matrimonial O Consentimento: Consiste no “ato humano pelo qual os cônjuges se doam e seConsiste no “ato humano pelo qual os cônjuges se doam e serecebem mutuamente” -recebem mutuamente” - Eu te recebo por minha esposa .. porEu te recebo por minha esposa .. pormeu esposo ...meu esposo ... Une entre si duas pessoasUne entre si duas pessoas – uma só carne.– uma só carne. É o elemento indispensável “que produz o matrimônio” – NaÉ o elemento indispensável “que produz o matrimônio” – Nafalta do consentimento, não há matrimônio”;falta do consentimento, não há matrimônio”; O consentimento deve ser um ato da vontade de cada um dosO consentimento deve ser um ato da vontade de cada um dosnoivos, livre de violência ou de medo grave externo. Na faltanoivos, livre de violência ou de medo grave externo. Na faltadesta liberdade o casamento será inválido;desta liberdade o casamento será inválido; O Consentimento é expresso pelos noivos:O Consentimento é expresso pelos noivos: pela linguagem oral, através de uma das fórmulaspela linguagem oral, através de uma das fórmulasapresentadas pelo ritual ou por declaração espontânea;apresentadas pelo ritual ou por declaração espontânea; pela atitude corporal: união das mãos, olhos nos olhos;pela atitude corporal: união das mãos, olhos nos olhos; Gestos que expressam a entrega total de um ao outro.Gestos que expressam a entrega total de um ao outro. O caráter público do consentimento protege o mútuo SIM que umO caráter público do consentimento protege o mútuo SIM que umdia foi pronunciado e ajuda a permanecer-lhe fiel.dia foi pronunciado e ajuda a permanecer-lhe fiel.
  21. 21. 2.7- Celebração Matrimonial Acolhida do Consentimento: O ministro (testemunha qualificada) que assiste àO ministro (testemunha qualificada) que assiste àcelebração acolhe o consentimento dos esposos em nomecelebração acolhe o consentimento dos esposos em nomeda Igreja e abençoa em nome da mesma Igreja. A presençada Igreja e abençoa em nome da mesma Igreja. A presençado ministro exprime visivelmente que o casamento é umado ministro exprime visivelmente que o casamento é umarealidade eclesial.realidade eclesial. Após o consentimento e sua ratificação, a assembléia podeApós o consentimento e sua ratificação, a assembléia podemanifestar-se com uma solene aclamação por palavras, pormanifestar-se com uma solene aclamação por palavras, porum canto ou por uma salva de palmas ou uma outraum canto ou por uma salva de palmas ou uma outraexpressão própria dos costumes locais.expressão própria dos costumes locais. Para que o “SIM” dos esposos seja um ato livre ePara que o “SIM” dos esposos seja um ato livre eresponsável e para que a aliança matrimonial tenha basesresponsável e para que a aliança matrimonial tenha baseshumanas e cristãs sólidas e duráveis, a preparação para ohumanas e cristãs sólidas e duráveis, a preparação para ocasamento é de primeira importância.casamento é de primeira importância.
  22. 22. 2.8- Celebração Matrimonial Bênção e entrega das alianças:Bênção e entrega das alianças: A bênção das alianças que os esposos usarão, é umaA bênção das alianças que os esposos usarão, é umaratificação do consentimento, que estabelece a união no amor eratificação do consentimento, que estabelece a união no amor ena fidelidade. É o sinal propriamente do matrimônio.na fidelidade. É o sinal propriamente do matrimônio. O Rito prevê:O Rito prevê: Diversas fórmulas de bênção – a fórmula do rito adaptado refere-seDiversas fórmulas de bênção – a fórmula do rito adaptado refere-seao Deus da aliança;ao Deus da aliança; As alianças podem ser aspergidas com água benta;As alianças podem ser aspergidas com água benta; Os noivos beijam a aliança antes de colocá-la no dedo anular daOs noivos beijam a aliança antes de colocá-la no dedo anular damão esquerda ou depois, deixando transparecer que é no outro emão esquerda ou depois, deixando transparecer que é no outro ecom o outro que esta aliança de amor se fundamenta;com o outro que esta aliança de amor se fundamenta; As alianças são aclamadas após serem colocadas no dedo anular;As alianças são aclamadas após serem colocadas no dedo anular; O ideal seria que as alianças fossem trazidas e entregues aosO ideal seria que as alianças fossem trazidas e entregues aosnubentes por um casal da equipe que os preparou ou por um casalnubentes por um casal da equipe que os preparou ou por um casalde testemunhas ou de familiares e ao invés de uma criança; Ode testemunhas ou de familiares e ao invés de uma criança; Otrazer e o entregar as alianças é gesto de acolhida e de inserção natrazer e o entregar as alianças é gesto de acolhida e de inserção narealidade simbolizada pelas alianças.realidade simbolizada pelas alianças.
  23. 23. 2.9- Celebração Matrimonial A bênção nupcial Oração que gozou de grande importância na história;Oração que gozou de grande importância na história; Proclamada depois das orações dos fiéis ou do Pai nosso (na Missa), éProclamada depois das orações dos fiéis ou do Pai nosso (na Missa), éelemento essencial. Ela faz memória do processo da Aliança de Deuselemento essencial. Ela faz memória do processo da Aliança de Deuscom o povo:com o povo: Da criação: “Pai de amor, ao criar a pessoa humana..”Da criação: “Pai de amor, ao criar a pessoa humana..” O amor humano dos esposos é sinal da aliança de Deus com o Povo;O amor humano dos esposos é sinal da aliança de Deus com o Povo; Por isso o Matrimônio é sacramento da união e do amor de Cristo ePor isso o Matrimônio é sacramento da união e do amor de Cristo eda Igreja;da Igreja; Súplica de bênção e a força do Espírito Santo que une e fortalece eSúplica de bênção e a força do Espírito Santo que une e fortalece etorna um só coração e uma só alma.torna um só coração e uma só alma. Evoca o amor e a união fundante de um novo lar;Evoca o amor e a união fundante de um novo lar; Suplica pela bênção da esposa e do esposo;Suplica pela bênção da esposa e do esposo; Suplica para que Deus acompanhe os esposos na caminhada terrenaSuplica para que Deus acompanhe os esposos na caminhada terrenaaté as bodas da vida eterna.até as bodas da vida eterna.< Após a exaltação do matrimônio como instituição divina, suplica-< Após a exaltação do matrimônio como instituição divina, suplica-se a bênção dos nubentes, a assistência do Senhor e as graçasse a bênção dos nubentes, a assistência do Senhor e as graçasnecessárias para a vivência cristã – sacramental do matrimônio >.necessárias para a vivência cristã – sacramental do matrimônio >.
  24. 24. 2.10- Celebração Matrimonial Ritos possíveis na bênção nupcial:Ritos possíveis na bênção nupcial: Após a motivação, um instante de silêncio, cantar umApós a motivação, um instante de silêncio, cantar umrefrão ao Espírito Santo ...refrão ao Espírito Santo ... Convidar os pais impor as mãos sobre os filhosConvidar os pais impor as mãos sobre os filhosnubentes;nubentes; O casal unem suas mãos no Círio Pascal ou juntandoO casal unem suas mãos no Círio Pascal ou juntandoas velas do Batismo de ambos;as velas do Batismo de ambos; A assembléia responder as aclamações (ou cantar ...)A assembléia responder as aclamações (ou cantar ...)O abraço ou beijo de pazO abraço ou beijo de paz –– expressão da intimidade de vidaexpressão da intimidade de vidae dos coraçõese dos corações (rito complementar do Consentimento e da Oração(rito complementar do Consentimento e da OraçãoNupcial);Nupcial); Comunhão Eucarística:Comunhão Eucarística: Ritos finaisRitos finais
  25. 25. 3- Pós- Celebração Matrimonial Os primeiros anos de vida matrimonial se constitui num tempoOs primeiros anos de vida matrimonial se constitui num tempode conhecimento, de adaptação e de consolidação da união dode conhecimento, de adaptação e de consolidação da união docasal.casal. Tempo de desenvolvimento e de amadurecimento daTempo de desenvolvimento e de amadurecimento daexperiência matrimonial. Isto requer o acompanhamento daexperiência matrimonial. Isto requer o acompanhamento daPastoral Familiar;Pastoral Familiar; O Desafio é construir uma comunidade paroquial viva, capazO Desafio é construir uma comunidade paroquial viva, capazde acolher os novos esposos e testemunhar os valores dade acolher os novos esposos e testemunhar os valores dafamília;família; A ação pastoral organize equipes de apoio para desencadearA ação pastoral organize equipes de apoio para desencadearum processo pedagógico de aproximação ou manutenção dosum processo pedagógico de aproximação ou manutenção dosnovos casais com a comunidade eclesial.novos casais com a comunidade eclesial. Possibilitar acolhida dos novos casais na comunidade;Possibilitar acolhida dos novos casais na comunidade; Auxiliar nos momentos difíceis e nas dificuldades dosAuxiliar nos momentos difíceis e nas dificuldades dosprimeiros anos da vida matrimonial;primeiros anos da vida matrimonial;
  26. 26. Celebração Matrimonial Ministérios:Ministérios: A celebração do Matrimônio é ação eclesial e ministerial – ElaA celebração do Matrimônio é ação eclesial e ministerial – Elacomporta serviços e ministérioscomporta serviços e ministérios (RM 12 a 27; CIC 1063 a 1072);(RM 12 a 27; CIC 1063 a 1072); 1º . Diz respeito aos nubentes e sua família –1º . Diz respeito aos nubentes e sua família – preparação epreparação ecelebração;celebração; 2º. Ao Bispo2º. Ao Bispo cabecabe cuidar da celebração e do acompanhamentocuidar da celebração e do acompanhamentopastoral do sacramento, estabelecendo normas pastorais para que opastoral do sacramento, estabelecendo normas pastorais para que oMatrimônio se mantenha no espírito cristão e progrida na perfeiçãoMatrimônio se mantenha no espírito cristão e progrida na perfeição.. 3º - Ao Pároco e Vigários paroquiais3º - Ao Pároco e Vigários paroquiais compete zelar pela preparaçãocompete zelar pela preparaçãoremota e pessoal dos noivos, da celebração sacramental;remota e pessoal dos noivos, da celebração sacramental; 4º- O Diácono:4º- O Diácono: preparar os noivos e celebrar o sacramento;preparar os noivos e celebrar o sacramento; 5º- Leigos (as):5º- Leigos (as): constituem equipes de Pastoral Familiar e deconstituem equipes de Pastoral Familiar e decelebração do Sacramentocelebração do Sacramento (Testemunhas Qualificadas).(Testemunhas Qualificadas). 6º - Os padrinhos –6º - Os padrinhos – como pessoas maduras na fé e na vidacomo pessoas maduras na fé e na vidamatrimonial representam a comunidade no ato sacramental.matrimonial representam a comunidade no ato sacramental.Conscientes do sentido do matrimônio cristãoConscientes do sentido do matrimônio cristão

×