Dominios Germanicos

9.693 visualizações

Publicada em

Grupos de alunos do primeiro ano do Ensino Médio

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.693
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
38
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
89
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dominios Germanicos

  1. 1. Domínios germânicos Akisa, Aldenis, Alexandra, Álvaro, Angélica, Antônio, César, Cínthia, Dayana, Evilane.
  2. 2. Domínios germânicos <ul><li>3 povos, após a queda do império romano: os Visigodos( Península Ibérica); os Ostrogodos (Península Itálica); e os Francos( Gália). </li></ul><ul><li>Atividades econômicas – Praticavam o pastoreio e a agricultura, assim como as pilhagens como atividade complementar. </li></ul><ul><li>O comércio consistia na troca de mercadorias sem grandes transformações. </li></ul><ul><li>Os principais produtos eram: madeira, pelos, âmbar, escravos, ouro e prata, tecidos e vinhos. </li></ul>
  3. 3. Domínios germânicos <ul><li>Atividades sociais – A cultura era uma fusão das culturas germânica e a romana. </li></ul><ul><li>Eram seminomades, a terra era coletiva embora houvesse lotes de uso familiar. As habitações eram rústicas assim como as roupas, feitas de peles e tecidos grosseiros. </li></ul><ul><li>A sociedade era pratiarcal cabendo ao chefe da familia os direitos e as decisões importantes. A reuniao de familias formam clãs, tribos ou comunidades, que se uniam aos Francos, os vândalos e aos godos. </li></ul>
  4. 4. Domínios germânicos <ul><li>Atividades religiosas – os germanos eram aminista. Acreditavam existir um paraíso (valhala), para onde iam os guereiros mortos levados por donzelas chamadas de valquirias. </li></ul>
  5. 5. Domínios germânicos <ul><li>Como erma os germanos antes da conquista – antes da conquista os germanos não se organizavam em um Estado centralizado, que só existia em tempo de guerra quando um líder( dux) assumia o poder do comitatus , exercito de guerreiros que eram pagos com parte dos saques que efetuavam. </li></ul><ul><li>As leis germânicas eram orais, daí o direito germano ser chamado consuetudinário, isto é baseava –se nos costumes. </li></ul>
  6. 6. Domínios germânicos <ul><li>A divisão do império – A península Itálica foi a região mais invadida pelos barbaros. </li></ul><ul><li>Atraidos pela importância e pela riqueza de Roma, e pela perspectiva de segurança vários povos lutaram pela região, entre eles: os Herulos, os Ostrgodos, os Francos, os Lombardos, os Vândalos, e os Normandos. </li></ul>
  7. 7. Domínios germânicos <ul><li>As ilhas britânicas – ocupadas pelos anglos, saxões e justos, unidos aos Bretões nelas fundaram sete reinos(heptarquia) </li></ul><ul><li>Os Vândalos, após sua passagem pela península Ibérica, especificamente na região da Andaluzia, estabeleceram no no morte da África. Os Visgodos inicialmente ocuparam a Gália, mas depois se deslocaram para a península Ibérica, onde fundaram um importante reino com capital Toledo. Os Burgúndios, na região da Borgonha romana, cristianizada, desde o século II, mas acabaram sendo incorporados pelos francos em 534. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>No fim do século V, os francos fixaram-se no norte da Gália, encorparam a cultura romana, e se cristializam. Clãs rivaias acabaram unificados politicamente por Clovis, proclamado rei franco em 481. </li></ul><ul><li>Em 800, o papa Leão III, desejoso de converter o lado pagão e ampliar o seu poder espiritual corou Carlos Magno como imperador. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>O fato de Carlos Magno ter sido coraoado imperador pelo papa tinha um grande significado simbólico. Isso representava que Carlos Magno seria o sucessor dos imperadores romanos. </li></ul><ul><li>A criação do império Carolingio foi muito importante para o aumento do poder do papa pois o papa era líder espiritual dos cristão e o clero desempenhava funções no estado. Mas também ocasionou um autoctonismo com imperador Bragantino que se considerava o legitimo sucessor do império romano. </li></ul>

×