Ficha Técnica

7.852 visualizações

Publicada em

1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.852
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
91
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ficha Técnica

  1. 1. FICHA TÉCNICA Nome do filme: A Guerra do Fogo Ano de edição:1981 Autor: Jean-Jacques Annaud Actores principais: Ron Perlman (Amoukar) e Rae Dawn Chong (Ika) ANÁLISE GLOBALIZANTE 1 - Este filme retrata a importância que foi para o homem o fogo. Nos tempos primitivos, o fogo destruía florestas e afugentava todos os animais, sem que alguém soubesse dominá-lo. Começava com trovoadas ou grandes temperaturas e extinguia-se por si mesmo. A sociedade existente nesse período era dominada pelo mais forte à custa do mais fraco. Os mais fortes são representados por leões, lobos por exemplo, e os mais fracos seriam as crias do homem e as mulheres. O homem do Neanderthal e o Cromagnom coexistiram no tempo (por esta ordem) e viveram em cavernas. Logo que aprenderam a fazer e manter o fogo (Homem de Pequim), acenderam fogueiras à porta das cavernas e assim puderam sair para a caça e apanhar frutos sem que as suas crias e respectivas mães, corressem perigo. Daí a importância dada no filme à paixão entre uma mulher de uma tribo e um homem de outra. 2 – Fazendo um paralelo com os tempos atrás podemos considerar o conhecimento com o poder a fazer a diferença das nossas sociedades. Saber como o conseguir, mantê-lo, desenvolvê-lo e utilizá-lo na defesa dos valores da civilização é acender luzes da cultura que, sem fronteiras nem raças irão defender e projectar um futuro ambicioso a todas as criações da humanidade. Como no filme, é da paixão que homem e mulher, protegidos pelo conhecimento, estarão preparados para a felicidade, evoluindo assim como aqueles homens do filme o fizeram, transformando-se em Homosapiens.
  2. 2. IDEIAS PRINCIPAIS Tribo: Sociedade rudimentar autónoma. Sobrevivência: Dependência de uma fonte de energia “inesgotável” – o fogo natural. Defesa de pessoas e continuação da espécie (tribo). (Altruísmo) Inconsciência: Incapacidade de formular alternativas, caso a fonte se esgote. Conhecimentos: Tão rudes que, quando o fogo se apaga, partem em busca de outra chama (ilusão?) Crueldade: O princípio mata/morre entre animais selvagens é adoptado pelos Ulan e pelos Uvaka. Solidariedade: Praticamente inexistente, a não ser dentro da própria tribo devido ao isolamento provocado pela escassez de população. Negociação/Diálogo: Impossível a não ser à força (sequestro). Ambos conhecem o fogo e o seu poder: uns querem-no outros não o dão. ASPECTOS POSITIVOS / NEGATIVOS Positivos: Filme com representação forte, caracterizados todos os intervenientes, acção fortíssima e mensagens bem conseguidas. História pertinente fazendo luz sobre os princípios da humanidade e a luta dos povos pelas fontes básicas de vida, sempre em defesa do seu clã. A característica humana, que contra tudo e contra todos (mesmo da lógica) se chama amor / paixão, e aqui aparece como primeiro passo de um novo tempo. Negativos: Redução da “sobrevivência” à questão da guerra do fogo e ao seu vale – tudo, na vida interna da tribo, como no convívio intertribal. Aposta no impacto de os animais selvagens serem ferozes (agressivos).
  3. 3. PERTINÊNCIA PEDAGÓGICA PALAVRAS-CHAVE Pré-história – Altruísmo - Rivalidade –Tribo – Magia – Crueldade - Rito – Segredo – Conhecimento – Energia - Aventura – Sequestro – Homen/Mulher - Procura – Sobrevivência - Ilusão - Feras - Protecção – Voluntarismo - Solidariedade – Determinação – Valentia - Agressividade - Companheirismo. ANÁLISE CONCENTRADA Nas ideias principais transparece um leque de envolvências que o filme, através dos seus aspectos positivos e também dos negativos,,abre a uma pertinência pedagógica de grande valor, desde que, e se pretende extrair educação,se situe a analise no tempo e se façam as respectivas derivações para o tempo actual, reforçando e dando o maior impacto às ideias: diálogo, solidariedade, convívio, troca de conhecimentos e sua divulgação (até de geração para geração), não à diferença de raças, etc. DESCRIÇÃO DO CONTESTO E DAS SITUAÇÕES/ RECONSTRUÇÃO DA TEMÁTICA (HISTÓRIA) Uma tribo (descendentes de um troco comum) os Ulam, vivem junto a uma fonte natural de fogo (vulcânica), usando esse fogo em sua defesa e sobrevivência contra temperaturas, animais ferozes, etc. Quando essa chama se apaga, os três homens mais fortes partem à procura da nova fonte de fogo, certos de não só a encontrar, como de regressar para levar toda a tribo ao novo local, e ao regresso à vida “normal”. Lutam como animais ferozes e condições difíceis até que encontram os Ivakas. Estes Ivakas tinham já descoberto como fazer o fogo, mas não estavam disponíveis para ceder o seu segredo. Os Ulan sequestram uma mulher Ivaka e, entre toda a crueldade e conhecimento rudimentar (cultural), acontece a simpatia entre Ulan e Ivaka (relação homem-mulher). Este sequestro é pois um principio usado como meio para atingir o fim (o segredo do fogo) mas surpreendentemente provoca um passo civilizacional até aí estranho e impensável.

×