A descoberta do Raio-x

3.486 visualizações

Publicada em

No fim da tarde de 8 de novembro de 1895, quando todos haviam encerrado a jornada de trabalho, o físico alemão Wilhelm Conrad Roentgen (1845-1923) continuava no seu pequeno laboratório, sob os olhares atentos do seu servente. Enquanto Roentgen, naquela sala escura, se ocupava com a observação da condução de eletricidade através de um tubo de Crookes, o servente, em alto estado de excitação, chamou-lhe a atenção: "Professor, olhe a tela!".
Nas proximidades do tubo de vácuo havia uma tela coberta com platinocianeto de bário, sobre a qual se projetava uma inesperada luminosidade, resultante da fluorescência do material. Roentgen girou a tela, de modo que a face sem o material fluorescente ficasse de frente para o tubo de Crookes; ainda assim ele observou a fluorescência. Foi então que resolveu colocar sua mão na frente do tubo, vendo seus ossos projetados na tela. Roentgen observava, pela primeira vez, aquilo que passou a ser denominados raios X.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

A descoberta do Raio-x

  1. 1. OBJETIVO Mostrar a repercussão da descoberta dos Raios-X não somente dentro da comunidade científica, mas também a repercussão na mídia e na comunidade leiga da época.
  2. 2. Como tudo começou ... No fim da tarde de 8 de novembro de 1895, quando todos haviam encerrado a jornada de trabalho, o físico alemão Wilhelm Conrad Röntgen continuava no seu pequeno laboratório...
  3. 3. Röntgen resolveu colocar uma fina camada de folha de alumínio e constata que os raios catódicos atravessam o alumínio e alguns centímetros para fora ficam luminescentes...
  4. 4. Podendo manchar uma chapa fotográfica...
  5. 5. Ele confeccionou uma capa de cartolina preta afim de evitar que a iluminação do tubo influencia-se na sua experiência... Ele queria verificar se os raios poderiam sensibilizar uma tela revestida de partículas fluorescentes...
  6. 6. Ele retirou a cartolina e colou a tela em um alcance mais direto da radiação, então quando ele enviou uma descarga ele passou sem querer a mão entre o tubo à vácuo e a tela fluorescente...
  7. 7. ...Röntgen observava, pela primeira vez, aquilo que passou a ser denominado Raio-X!
  8. 8. Está pode ser uma dramatização do que de fato ocorreu naquele dia, mas o fato é que esta fantástica descoberta teve estrondosa repercussão, não apenas na comunidade científica, como também nos meios de comunicação de massa. Por exemplo, em 1896, menos de um ano após a descoberta, aproximadamente 1.000 artigos e 49 livros já haviam sido publicados sobre o assunto.
  9. 9. Além desse enorme interesse despertado na comunidade científica, é interessante avaliar o interesse despertado na comunidade leiga. A título de ilustração, no dia 13 de fevereiro, um jornal informava que Röntgen havia iluminado seu cérebro e visto sua pulsação. No dia seguinte, uma outra matéria defendia que os Raios-X poderiam estabelecer novas teorias sobre a criação do mundo.
  10. 10. Utilidades do Raio X Os Raios X tem varias utilidades:  O dentista que usa para encontrar caries ou dentes inclusos.
  11. 11. Utilidades do Raio X Fratura;  Pelos médicos: Verificar objetos ;
  12. 12. Utilidades do Raio X  No aeroporto que utiliza sensores eletrônicos para olhar o que tem em nossas bagagens.
  13. 13. CONSIDERAÇÕES FINAIS A descoberta acidental dos Raios-X pelo professor Röntgen despertou enorme interesse na comunidade científica, pois se tratava de um método capaz de melhorar as condições de diagnostico médico das pessoas. Além disso, tal descoberta despertou o interesse da mídia gerando inúmeras notícias extravagantes sobre o assunto tornando tudo algo ainda mais grandioso...
  14. 14. BIBLIOGRAFIA • Artigo “A descoberta dos Raios-X”, UFRGS. (2010). • DOS SANTOS, C.A. Raios X: Descoberta casual ou criterioso experimento? Ciência Hoje, 19 (114) 26-35 (1995) • FUCHS, W.R. Física Moderna. São Paulo: Editora Polígono (1972). • HALLIDAY, D., RESNICK, R. Fundamentos de Física. Vol. 4: Ótica e Física Moderna. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos (1991). • MANES, G.I. A Descoberta dos Raios-x. Isis, 47, 236-238 (1956). • ROMER, A. O acidente e o professor Röntgen. American Journal of Physics, 27, 275-277 (1959).
  15. 15. Alunos: Andreia Pereira, Marcos Antônio e Paulo Alfeu. N°s: 02, 10 e 13.

×