Impacto da ingestão crônica de Canela  (Cinnamomum zeylanicum) sobre parâmetros endócrinos e metabólicos         Profa Dra...
CANELA              Estudos com óleos essenciais, extratos alcoólicos e aquosos:              - antioxidante              ...
CANELAComposição:- Fenóis, tanino, aldeídos e açúcares (Moraes e Colla, 2006);- Óleos essenciais - cinnamic aldehyde e cin...
CANELAPrincipal ação biológica descrita até o momento:      Melhora da sensibilidade à insulina                 - Obesidad...
CANELAPrincipal ação biológica descrita até o momento:       Melhora da sensibilidade à insulina                          ...
CANELAInvestigação de outros parâmetros endócrinos e metabólicos
Sub-projeto 1: Ingestão crônica de canela e função tireoideanaProjeto de mestrado de Thaiane Gadioli Gaique (Ciências Card...
SacrifícioDesenho Experimental                                                           Soro                             ...
T3 total, T4 total e TSH séricos                                                                        80             *P<...
Expressão da GPDm hepática                            (biomarcador da função tireóidea)                                  ...
Expressão protéica TR1                 Expressão RNA TR1       (relativo ao controle)                (relativo ao contro...
Expressão dos Receptores para HT                                          VENTRÍCULOExpressão protéica TRα1               ...
Sub-projeto 2: Impacto da ingestão crônica de canela sobre o         metabolismo lipídico e função adipocitária    Projeto...
Sacrifício   Desenho Experimental Ratos Wistar machos adultos                            Composição corporal EU e HIPOTIRE...
Ganho de Massa Corporal                                                               Ganho de massa corporal (g)Ganho de ...
Massa Tecido Adiposo BrancoMassa do tecido adiposo branco/PC               (ING + EPI + RET)                              ...
Conteúdo de PTN Corporal                                     (carcaça)                                      P<0,05 vs C   ...
Leptina sérica                      15Leptina (ng/mL)                      10                                       P<0,05...
Animais Eutireoideos              Perfil Lipídico                            Colesterol total, LDL, HDL, Triglicerídeo:   ...
Expressão do PPAR alfa                                             FÍGADO                                                 ...
Fatores de impressão metabólicaHORMONAIS           NUTRICIONAIS          AMBIENTAISHiperleptinemia   Desnutrição Calórica ...
Sub-projeto 3:   Ingestão de canela por fêmeas lactantes – impacto na prole                     a curto e longo prazo   Pr...
Perfil Materno         Ingestão alimentarEvolução de massa corporal      NORMAL                                 39%Massa ...
Perfil Prole aos 21 dias (desmame)   Evolução de massa corporal                                   NORMAL  Massa adiposa re...
Perfil Prole aos 31 dias (machos)                        Ingestão e massa corporal                                        ...
Perfil Prole aos 100 dias (machos)                                                                              Teste Sens...
Perfil Prole aos 100 dias (fêmeas)                                                                                        ...
Perfil Prole aos 180 dias (machos)                                                              0.08                      ...
Sub-projeto 4: Ingestão de canela e exercício físico     Projeto de IC Thamara Britto (Farmácia, UFF, bolsista PIBIC)     ...
Desenho Experimental                                             Controle: n=4 sedentários /n=4 exercício                 ...
Tempo e distância                               alcançados              15                                       0.3      ...
Perfil Glicêmico                               Glicemia basal                                                             ...
AgradecimentosLaboratório de Endocrinologia Molecular             IBCCFº, UFRJ                                 Laboratório...
Impacto da Ingestão crônica de Canela
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Impacto da Ingestão crônica de Canela

1.055 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.055
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Impacto da Ingestão crônica de Canela

  1. 1. Impacto da ingestão crônica de Canela (Cinnamomum zeylanicum) sobre parâmetros endócrinos e metabólicos Profa Dra Karen de Jesus Oliveira
  2. 2. CANELA Estudos com óleos essenciais, extratos alcoólicos e aquosos: - antioxidante - imunossupressora - hipolipemiante - anti-hipertensiva - anti-diabetogênica...Dahankumar et al., 2000;Khan e Safdar, 2003;Lampe, 2003;Qin et al., 2004;Kim et al., 2006;Kannappan et al., 2006.
  3. 3. CANELAComposição:- Fenóis, tanino, aldeídos e açúcares (Moraes e Colla, 2006);- Óleos essenciais - cinnamic aldehyde e cinnamyl aldehyde (Tanaka et al., 2008);- Polímeros de polifenol tipo-A  ações antioxidantes e insulino-miméticas (Anderson et al., 2004);- Metilhidroxichalcona  estímulo da via de sinalização da insulina (Qin et al., 2003).
  4. 4. CANELAPrincipal ação biológica descrita até o momento: Melhora da sensibilidade à insulina - Obesidade, Diabetes Mellitus tipo 2; Humanos - Ovário policístico ( resistência insulina). - Dieta hiperlipídica, rica em frutose; Roedores - camundongos db/db, ratos Zuker fa/fa; - Estreptozotocina. In vitro Miócitos e adipócitos isolados. Humanos/Roedores saudáveis Poucos trabalhos realizados
  5. 5. CANELAPrincipal ação biológica descrita até o momento: Melhora da sensibilidade à insulina Sítios de ação: Nutrition Reviews, 2008
  6. 6. CANELAInvestigação de outros parâmetros endócrinos e metabólicos
  7. 7. Sub-projeto 1: Ingestão crônica de canela e função tireoideanaProjeto de mestrado de Thaiane Gadioli Gaique (Ciências Cardiovasculares, UFF)  Gasto energético, ingestão alimentar  Metabolismo glicídico, lipídico e protéico  Sistema cardiovascular  Forte influência na secreção e ação de outros hormônios envolvidos na homeostase energética Hipotireoidismo é uma das principais causas Canela HT dislipidemias em humanos! Metabolismo lipídico Metabolismo glicêmico
  8. 8. SacrifícioDesenho Experimental Soro -T3, T4 e TSH (RIA)Ratos Wistar machos adultos Fígado Atividade e expressão da GPDm Expressão desiodase Fígado, coração, hipófise - Expressão dos TRs 25 dias de tratamento (WB/real-time PCR) Controle: gavagem com água e ração comercial Ração: gavagem com água e ração suplementada com canela em pó Extrato: gavagem com extrato aquoso de canela e ração comercial400mg canela/kg peso corporal/dia Baseado no protocolo de Sheng et al., 2008
  9. 9. T3 total, T4 total e TSH séricos 80 *P<0,05 vs C e CP 3 T4 total sérico (ug/dL) T3 total (ng/dL) 60 2 * 40 1 20 0 0 C CP CE C CP CE Expressão 3 Desiodase tipo 1 (DI) hepáticaTSH sérico (ng/mL) 1.5 2 mRNA D1 / 36B4 1.0 1 0.5 0 C CP CE 0.0 C CP CE
  10. 10. Expressão da GPDm hepática (biomarcador da função tireóidea)  sensibilidade Modulação da tecidual? expressão TRα e TRβ? 0.10 Ação da canela Atividade GPDm (abs/min/mg ptn) 0.08 *P<0,05 vs C independente do HT? * 0.06 * 0.04 0.02 0.00 80 C CP CET3 total (ng/dL) 60 * 40 20 0 C CP CE
  11. 11. Expressão protéica TR1 Expressão RNA TR1 (relativo ao controle) (relativo ao controle) 0.0 0.5 1.5 2.0 1.0 0.0 1.0 1.5 0.5 C C * CP CP * CE CE *P<0,05 vs C FÍGADO Expressão protéica TRα1 (relativo ao controle) 0.0 0.5 1.5 1.0CCP Expressão dos Receptores para HTCE
  12. 12. Expressão dos Receptores para HT VENTRÍCULOExpressão protéica TRα1 Expressão protéica TR1 1.5 *P<0,05 vs C (relativo ao controle) 1.5 (relativo ao controle) Pode contribuir para a 1.0 ação anti-hipertensiva 1.0 da canela? 0.5 * * 0.5 0.0 CE 0.0 C CP C CP CE
  13. 13. Sub-projeto 2: Impacto da ingestão crônica de canela sobre o metabolismo lipídico e função adipocitária Projeto de mestrado de Bruna Pereira Lopes (Fisiologia, IBCCFº, UFRJ) HT: Ingestão alimentar e gasto energético, metabolismo lipídico Leptina: Adiponectina & Ingestão alimentar e gasto energético Adiponectina: Sensibilidade insulínica
  14. 14. Sacrifício Desenho Experimental Ratos Wistar machos adultos Composição corporal EU e HIPOTIREOIDEOS (pesagem de TAB e (Metimazol 0,03% água de beber por 21 dias) conteúdo de PTN carcaça) Soro - Leptina e Adipo (RIA) - Perfil Lipídico Fígado,TAB, TAM 25 dias de tratamento - Expressão do PPAR (WB/real-time PCR) Controle: gavagem água e ração comercialHIPO = Ração: gavagem com água e ração suplementada com canela em pó Extrato: gavagem com extrato aquoso de canela e ração comercial 400mg canela/Kg peso corporal/dia Baseado no protocolo de Sheng et al., 2008
  15. 15. Ganho de Massa Corporal Ganho de massa corporal (g)Ganho de massa corporal (g) 35 40 30 *0,001 vs EU 20 25 P<0,05 vs C 20 Hipo HCP HCE * 0 15 Eu * 10 -20 5 * 0 -40 * * C CP CE 0,01 0,001 Ingestão alimentar: sem alteração
  16. 16. Massa Tecido Adiposo BrancoMassa do tecido adiposo branco/PC (ING + EPI + RET) Massa do tecido adiposo branco/PC P<0,05 vs C 0.06 0.06 0.05 P<0,05 vs C * * 0.04 0.04 * 0.03 0.02 0.02 0.01 0.00 0.00 C CP CE Eu Hipo HCP HCE 24% 40% 17% 39% 38%
  17. 17. Conteúdo de PTN Corporal (carcaça) P<0,05 vs C 20 40% Proteína carcaça % Proteína carcaça * P<0,05 vs C 30 15 * * 20 10 10 5 0 0 C CP CE Eu Hipo HCP HCE 15% 27% 27% 21%
  18. 18. Leptina sérica 15Leptina (ng/mL) 10 P<0,05 vs C 0.8 * Leptina/Massa TAB 5 0.6 0 0.4 C CP CE 0.2 0.6 Leptina/Massa TAB 0.0 P<0,05 vs C Eu Hipo HCP HCE 0.4 * * 0.2 0.0 C CP CE
  19. 19. Animais Eutireoideos Perfil Lipídico Colesterol total, LDL, HDL, Triglicerídeo: sem alteração LDL 80 # * #P<0,05 vs Hipo * * 60 * P<0,001 vs Eu mg/dL 40 Colesterol total 100 20 #* 80 * * 0 Eu Hipo HCP HCE 60mg/dL 40 HDL 15 20 * P<0,001 vs Eu 0 10 * mg/dL Eu Hipo HCP HCE * * 5 0 Eu Hipo HCP HCE
  20. 20. Expressão do PPAR alfa FÍGADO 1.5 Expressão protéica PPARα (relativo ao controle) * P<0,05 vs CExpressão protéica PPARα 1.0 (relativo ao controle) 1.0 * * P<0,05 vs C * 0.5 0.5 0.0 0.0 C CP CE Eu Hipo HCP HCE
  21. 21. Fatores de impressão metabólicaHORMONAIS NUTRICIONAIS AMBIENTAISHiperleptinemia Desnutrição Calórica Exposição à Nicotina Desnutrição Protéica Fumaça de Cigarro Supernutrição Semente de Linhaça PROGRAMAÇÃO CANELA
  22. 22. Sub-projeto 3: Ingestão de canela por fêmeas lactantes – impacto na prole a curto e longo prazo Projeto de IC Thais Bento Bernardes (Biomedicina, UFF, bolsista FAPERJ) redução ninhadan = 6 machos ou fêmeas Avaliação da ingestão alimentar Nascimento Desmame Sacrifício: 21 dias Composição corporal 31 dias 100 dias (massa TAB e carcaça) 180 dias T3, T4, TSH, Leptina, Adiponectina, Insulina 20 dias de tratamento (secreção e ação) com extrato aquoso de canela (P1) Avaliação diária do PC mães e prole Avaliação diária da ingestão alimentar
  23. 23. Perfil Materno Ingestão alimentarEvolução de massa corporal NORMAL  39%Massa adiposa retroperitoneal 20 P=0.0028 P=0,06 % Proteína carcaça 15 Perfil hormonal: Insulina 10 Leptina 5 Adiponectina T3 NORMAL 0 T4 C Canela TSH Não avaliamos composição do leite
  24. 24. Perfil Prole aos 21 dias (desmame) Evolução de massa corporal NORMAL Massa adiposa retroperitoneal Perfil hormonal: Insulina Leptina Adiponectina NORMAL T3 T4
  25. 25. Perfil Prole aos 31 dias (machos) Ingestão e massa corporal NORMAL Massa adiposa 5 *P=0,0037 80 *P=0,01 T3 sérico (ng/dL)T4 sérico (ug/dL) 4 60 3 40 2 20 1 0 0 Canela C Canela C Perfil hormonal: Insulina NORMAL Leptina Adiponectina 17% (P=0,011)
  26. 26. Perfil Prole aos 100 dias (machos) Teste Sensibilidade Insulina 150 Controle Programação Glicemia (mg/dL) 100 ** * 5 *P=0,03 50T4 sérico (ug/dL) 4 3 0 2 1 0 2.5 C Canela Insulina (ng/mL) 2.0 T3 - NORMAL 1.5 1.0 0.5 0.0 C Canela
  27. 27. Perfil Prole aos 100 dias (fêmeas) 2.5 PC e ingestão - Normal Insulina (ng/mL) 2.0 0.05 1.5 P=0.0014Massa do TAB/PC 0.04 1.0 P=0.0052 0.03 0.5 0.02 0.0 0.01 C Canela -29,2% Teste Sensibilidade Insulina 0.00 150 C Canela Controle 6 Glicemia (mg/dl) Programação Leptina (ng/mL) 100 4 P=0.0009 * 50 2 0 0 C Canela Tempo
  28. 28. Perfil Prole aos 180 dias (machos) 0.08 Massa do TAB/PC P<0.0001 0.06PC - Normal 0.04 0.02 43% 0.00 C Canela Controle 50 * P=0,0029 Leptina (ng/mL) 40 30 20 10 2,9x 0 C Canela 4 Insulina (ng/mL) *P=0,0169 Canela 3 2 1 0 C Canela
  29. 29. Sub-projeto 4: Ingestão de canela e exercício físico Projeto de IC Thamara Britto (Farmácia, UFF, bolsista PIBIC) +A capacidade física está diretamente Estimula a atividade da glicogênio relacionada com os conteúdos de sintase in vitro, o que deve refletir em glicogênio hepático e muscular. estímulo à biossíntese de glicogênio. Aumenta os estoques de glicogênio hepático e/ou muscular, com uma conseqüente melhora no desempenho de atividade física?
  30. 30. Desenho Experimental Controle: n=4 sedentários /n=4 exercício Ração: n=4 sedentários /n=4 exercícioRatos Wistar machos adultos Extrato: n=4 sedentários /n=4 exercício 25 dias de tratamento extrato aquoso de canela canela em pó na ração Tempo, distância e velocidade alcançados Glicogênio Hepático e Muscular Exercício Progressivo Máximo Teste de exercício progressivo máximo em esteira para ratos com incremento de velocidade 1 m / min a cada 2 min até a exaustão.
  31. 31. Tempo e distância alcançados 15 0.3 Distância (km)Tempo (min) 10 0.2 5 0.1 0 0.0 C CP CE C CP CE
  32. 32. Perfil Glicêmico Glicemia basal Glicemia pós-exercício 180 220Glicose sérica (mg/dL) Glicose sérica (mg/dL) 160 200 140 180 120 160 100 140 C CP CE C CP CE Delta glicemia 50  Glicose sérica (mg/dL) 40 30 20 10 0 C CP CE
  33. 33. AgradecimentosLaboratório de Endocrinologia Molecular IBCCFº, UFRJ Laboratório de Ciências do Exercício UFF

×