Nasceu na Beira, Moçambique, em1955.Com 14 anos de idade, teve algunspoemas publicados no jornal Notíciasda Beira e 3 anos...
• Vozes     Anoitecidas   (1ª   ed.   da    Associação     dos   Escritores    Moçambicanos, em 1986; 1ª ed. Caminho, em 1...
• 1995 - Prémio Nacional de Ficção da Associação dos Escritores    Moçambicanos• 2001 - Prémio Mário António, pelo livro O...
Este conto fala-nos numa meninaque não dizia uma palavra. Ela não eramuda simplesmente falava uma línguaque ninguém perceb...
O     pai   fez   de   tudo   mas   nadaresultou, até que se lembrou de lhe contaruma história que falava de uma menina qu...
Ao longe viram uma fendaigual à da história contada pelo pai. Amenina continuou o caminho equando chegaram perto da falha ...
Vê, agora, se encontras todas as    palavras relacionadas com esta             1. Escritor do conto “Menina sem    apresen...
Não é da luz do sol que carecemos. Milenarmente a grande estrelailuminou a terra e, afinal, nós pouco aprendemos a ver. O ...
O Bruxedo, de Miguel Torga
O Bruxedo, de Miguel Torga
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O Bruxedo, de Miguel Torga

926 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
926
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Bruxedo, de Miguel Torga

  1. 1. Nasceu na Beira, Moçambique, em1955.Com 14 anos de idade, teve algunspoemas publicados no jornal Notíciasda Beira e 3 anos depois, em1971, mudou-se para a cidade capitalde Lourenço Marques (Maputo).Iniciou os estudos universitários emmedicina, mas abandonou esta áreano princípio do terceiroano, passando a exercer a profissãode jornalista depois do 25 de Abrilde 1974.Foi director da Agência deInformação de Moçambique, darevista “Tempo” e do jornal “Notíciasde Maputo”.
  2. 2. • Vozes Anoitecidas (1ª ed. da Associação dos Escritores Moçambicanos, em 1986; 1ª ed. Caminho, em 1987; 8ª ed. em 2006; Grande Prémio da Ficção Narrativa em 1990, ex aequo)• Cada Homem é uma Raça (1ª ed. da Caminho em 1990; 9ª ed., 2005)• Histórias Abensonhadas (1ª ed. da Caminho, em 1994; 7ª ed. em 2003)• Contos do Nascer da Terra (1ª ed. da Caminho, em 1997; 5ª ed. em 2002)• Na Berma de Nenhuma Estrada (1ª ed. da Caminho em 1999; 3ª ed. em 2003)• O Fio das Missangas (1ª ed. da Caminho em 2003; 4ª ed. em 2004)
  3. 3. • 1995 - Prémio Nacional de Ficção da Associação dos Escritores Moçambicanos• 2001 - Prémio Mário António, pelo livro O último voo do flamingo• 2007 - Prémio União Latina de Literaturas Românicas• 2007 - Prémio Passo Fundo Saffari e Bourbon de Literatura, na Jornada Nacional de Literatura• 2011 - Prémio Eduardo Lourenço 2011
  4. 4. Este conto fala-nos numa meninaque não dizia uma palavra. Ela não eramuda simplesmente falava uma línguaque ninguém percebia. Os seus paisfaziam de tudo para ajudar mas nadaresultava. Uma noite, o seu pai foi ter comela e pediu-lhe que ela falasse com ele eaí a menina disse “Mar”. O seu pai ficouradiante e decidiu levá-la ao mar.Passado algum tempo, o pai queria irembora mas parecia que ela tinha criadoraízes na areia e não saiu de lá.
  5. 5. O pai fez de tudo mas nadaresultou, até que se lembrou de lhe contaruma história que falava de uma menina quepediu ao pai que lhe trouxesse a lua, mas paraisso tinha que atravessar o mar. Quando chegou ao horizonte agarrou oastro, no mar abriu-se uma fenda e o barcoonde ia o pai afundou. Aí a menina gritou. Chegado a este ponto da história o paificou sem ideias. A menina levantou-se ecomeçou a andar contra as ondas, o paitemeroso mandava-a voltar para trás mas elanão ligou.
  6. 6. Ao longe viram uma fendaigual à da história contada pelo pai. Amenina continuou o caminho equando chegaram perto da falha elatocou-lhe com a mão e a falhafechou-se. A menina agarrou na mão doseu pai, voltou para casa e disse-lhe“Viu pai ? Acabei a sua história. No fim da história a meninae o seu pai estavam no quarto deonde nunca tinham saído.
  7. 7. Vê, agora, se encontras todas as palavras relacionadas com esta 1. Escritor do conto “Menina sem apresentação. palavra”. 2. Terra Natal do escritor.A F J O T S D L N T E M P O X 3. Estudou em que área.K Ç E H F I P H H G S O D D A 4. Em que revista foi director naM F M N J E R P O U H Ç F N D agência de informação deE V D I I D E J R G D A H A C Moçambique.D U H M A C M D I V U M O C M 5. Editora de 1990.I G C A L C I J Z L J B I I W 6. Livro publicado em 1991.C B A C P F O F O Y Y I U N T 7. Ele ganhou vários…I F R A Ç D A U N E E Q F O K 8. O que o pai teve de ultrapassarN E N M A R Q H T D A U C R J para agarrar o astro.A I D R S F H A E O T E E C H 9. Onde o pai agarrou o astro. 10. O que a menina desejava.
  8. 8. Não é da luz do sol que carecemos. Milenarmente a grande estrelailuminou a terra e, afinal, nós pouco aprendemos a ver. O mundonecessita ser visto sob outra luz: a luz do luar, essa claridade que caicom respeito e delicadeza. Só o luar revela o lado feminino dos seres.Só a lua revela intimidade da nossa morada terrestre. Necessitamosnão do nascer do Sol. Carecemos do nascer da Terra”. Mia Couto

×