Luís Vaz de Camões - Vida e obra

62.341 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
5 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
62.341
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
201
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
844
Comentários
5
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Luís Vaz de Camões - Vida e obra

  1. 1. aior m s do uê ra tug ob or a e ta p id eV o p
  2. 2. Terra Natal Não se sabe onde o poeta nasceu. A maioria dos historiadores inclina-se para duas hipóteses: Coimbra e Lisboa. A Família Pai: Simão Vaz de Camões, natural de Lisboa Mãe: Ana Pertenciam ao povo ou à nobreza?
  3. 3. Os estudos Pensa-se que estudou em Coimbra. Era um homem cultíssimo. Estudou humanidades, história, literatura e latim. Conhecia os grandes clássicos da antiguidade: Homero, Platão, Vergílio… e os seus heróis Ulisses e Eneias
  4. 4. A sua juventude  Foi um pequeno poeta na corte de Dom João III  Foi um grande namoradeiro! (nenhuma miúda escapava aos seus olhares e “conversa”... )  Foi um grande aventureiro!
  5. 5. Vida dupla em Lisboa  Viveu em Lisboa já homem e poeta.  Frequentava o palácio real e as festas, os saraus de musica e de poesia nos salões de nobreza.  Também se divertia nas tabernas e festas de bairro.
  6. 6. Os amores do Poeta Apaixonou-se por damas da corte:  A Infanta D. Maria, irmã do Rei D. Manuel I  Catarina de Ataíde,  Joana Meneses (Dinamene)
  7. 7. Os amores do PoetaTambém se apaixonoupor uma rapariga dopovo que oimpressionou quando ia Descalça vai para a fontepara a fonte. Leonor pela verdura vai formosa e não segura… Tão linda que o mundo espanta Chove nela graça tanta Que dá graça à formosura Vai formosa e não segura…
  8. 8. Onde viveu ?  Viveu em Constância  “ Há quem diga que foi por crime de amor que o obrigaram a passar uma temporada noutra terra”  Aqui escreveu muitos dos seus poemas!Casa de Camões ou Casa dos Arcos -Construção quinhentista, com arcos em tijolo,que aparece associada à passagem deCamões pela Vila (Freguesia de Constância
  9. 9. Em buscade aventura  Em 1549, partiu o Norte de África (Ceuta) em busca de aventura.  Juntou-se ao exército na luta contra os Mouros!  Foi durante uma grande batalha que perdeu o seu olho direito.  Por isso é retratado com uma pala, como os piratas...
  10. 10. De volta, a Lisboa mete-se novamente em sarilhos.Foi condenado a pagar uma multa.Resolveu então oferecer-se para ir para a Índia.
  11. 11. Camões e viagem até ao Oriente  Embarcou para o Oriente em busca de mais lutas e aventuras.Nau S. Bento na qual viajou Luís de Camões a caminho da Índia.
  12. 12. Rota
  13. 13. Camões no Oriente Esteve em várias expedições de busca Em Macau foi provedor de defuntos e ausentes. (Um trabalho demasiado parado para ele) Depois de ser demitido do cargo, embarcou para Goa.
  14. 14. Na Índia… Nascem as ideias mestras para escrever a sua grande obra prima “Os Lusíadas”. É um poema muito longo que tem como tema central a viagem de Vasco da Gama à Índia. Com essa viagem, Camões conta toda a história de Portugal desde o início da sua formação até à época em que viveu
  15. 15. Naufrágio no rio Mekong  Quando navegava ao largo da foz do rio Mekong sofreu um terrível naufrágio  Nadou para salvar a vida.  Segundo a tradição, nadou com o braço fora de água para salvar também a sua maior riqueza: o manuscrito d`Os Lusíadas
  16. 16. Regresso definitivo a Lisboa  No ano de 1567 Camões partiu de Goa rumo a Lisboa  A viagem demorava seis meses.  Ele demorou mais tempo…  Ficou preso em Moçambique.  Vivia com muitas dificuldades  Era um poeta pobre.
  17. 17. Os últimos dias da vida de Camões  Conseguiu publicar “Os Lusíadas” em 1572  Graças à influência de alguns amigos junto do rei D. Sebastião.  Em recompensa dos serviços prestados à pátria, o Rei concede- lhe uma modesta pensão.  Era paga tarde e às más horas  O poeta vive em extrema pobreza.
  18. 18. A sua morte  Faleceu, em Lisboa, no dia 10 de Junho de 1580 .  Tem dois túmulos oficiais– um no Mosteiro dos Jerónimos e outro no Panteão Nacional.
  19. 19. Obra“Os Lusíadas”  "Os Lusíadas", um livro que cantava os feitos dos portugueses .  Foi dedicado ao Rei D. Sebastião, que desapareceu em Alcácer Quibir.  Obra de Camões: centenas de poemas líricos de todos géneros, cartas e algumas peças de teatro.
  20. 20. Assim começa a grande obra… As armas e os barões assinalados Que, da Ocidental praia Lusitana, Por mares nunca dantes navegados Passaram ainda além da Taprobana, Em perigos e guerras esforçados Mais do que prometia a força humana E entre gente remota edificaram Novo Reino, que tanto sublimaram
  21. 21. Poema de amor Amor é um fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer. É um não querer mais que bem querer; É um andar solitário entre a gente; É nunca contentar-se de contente; É um cuidar que ganha em se perder. É querer estar preso por vontade; É servir a quem vence o vencedor; É ter com quem nos mata lealdade.
  22. 22. Orgulho em ser  Camões tinha orgulho em serportuguês. português. Foi um exemplo para o nosso país!  Viva Portugal, Camões e as Comunidades Portuguesas!
  23. 23. Feriado Nacional - 10 de JunhoDia Portugal e de Camões
  24. 24. Hino Nacional A Portuguesa Heróis do mar, nobre povo, Nação valente, imortal, Levantai hoje de novo O esplendor de Portugal! Entre as brumas da memória, Ó Pátria, sente-se a voz Dos teus egrégios avós, Que há-de guiar-te à vitória! Às armas, às armas! Sobre a terra, sobre o mar, Às armas, às armas! Pela Pátria lutar Contra os canhões marchar, marchar! BE/CRE

×