Sua história em poesia                        Texto criado em                     setembro de 2004  História de vida      ...
Eu nunca relei um tratosempre fui bem resolvido,procuro no meu sentidoeu nunca quebrei um pratoJá comi carne de ratoLacei ...
Quase não pude estudarMeu saber foi muito poucoCresci arrancando tocoNo sertão do CearáPara as terras cultivarPlantei milh...
Eu quero a sua bençãoOh Deus da poesiaCom a sua sabedoriaMe dê muita paciênciaO Deus de tanta clemênciaQue me de capacidad...
No lugar que eu moravaEu era muito respeitadoEu ficava admiradoDo jeito que me tratavaCoisa que eu nuca esperavaTanta dedi...
Já matei porco do mato                              Também matei punaré                              Do couro de um jacaré...
Eu conheço JuazeiroFica bem perto de CratoOnde tem gado baratoDali até o LimoeiroTem muito fazendeiroQue mora em Cachoeiri...
Terra do Zé de AlencarÉ a nossa FortalezaExiste grande riquezaLugar bom de se morarVou até o QuixadáPerto de BaturitéTem p...
Eu saí da MeruocaFui até o ParazinBem perto do CamucimFui até JejocaDepois fui a UruocaAssisti uma grande feiraLá tem peix...
Saí de UeirasParei em Pedro SegundoDe todo lugar do mundoÉ fora de brincadeiraO que vi muito na feiraFoi farofa de cariNo ...
Eu estava em LivramentoE tive uma grande astúciaFui até Nova RússiaMontado no jumentoTomei muita chuva e ventoPor todo aqu...
Mumbaça e Serra TalhadaSenador e Novo HorizonteTerra de gente descenteE não se troca por nadaSempre vão pra vaquejadaNo se...
Eu estava no bom jardimViajei mais de cem léguaAmuntado numa éguaFui ficar em CamucimDepois vim para o ParazimTem muito ca...
Tudo o fogo levou                                         Até a minha esperança                                         Eu...
Eu sempre vivo contente                                          Nada mais me atrapalha                                   ...
Peço a Nossa Senhora                                           E um Deus de tantas virtudes                               ...
Foi embora a mocidade                                         Estou velho decadente                                       ...
Hoje estou velho cansado                                        Já passei dos setenta                                     ...
Sinto dor no espinhaço                                        Não posso ficar parado                                      ...
Sempre existe um ditado                                           Pra tudo precisa sorte                                  ...
Não importa o que o povo fala                                           Da minha grande pobreza                           ...
Porém existe um ditado                                          Que eu não acho interessante                              ...
Eu tenho muitos parentes                                              Que se esqueceram de mim                            ...
Não posso ficar calado                                            Existe muita Josina                                     ...
O saber já vem do berço                                         Não há quem pode tirar                                    ...
Nesta minha poesia                                          Eu entrei de cabeça                                          P...
Entre netos e bisnetos                                             Eu já tenho quase setenta                              ...
Essa história eu ofereço                                           A toda minha irmandade                                 ...
A coisa que eu mais queria                                            É que os velhos da minha idade                      ...
A minha história eu conteiMe sinto realizadoFiz com muito cuidadoPara as pessoas que mais ameiEu nunca esquecereiDe abrir ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

História em poesia

2.328 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.328
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
374
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História em poesia

  1. 1. Sua história em poesia Texto criado em setembro de 2004 História de vida 1
  2. 2. Eu nunca relei um tratosempre fui bem resolvido,procuro no meu sentidoeu nunca quebrei um pratoJá comi carne de ratoLacei boi no corredorMontei burro puladorDigo e não peço segredoeu nunca corri com medo Eu nasci no Cearánem nunca gemi de dor. Por lá mesmo me criei Muito pouco eu estudei Porque o tempo não dá Não podia nem passear Porque meu pai não deixava No lugar que eu pisava Sempre havia confusão Cabra respeitava o chão No lugar que eu passava. História de vida 2
  3. 3. Quase não pude estudarMeu saber foi muito poucoCresci arrancando tocoNo sertão do CearáPara as terras cultivarPlantei milho no roçadoPara ver o resultadoPara nunca faltar nadaEstudei tabuadaNo mato tangendo gado. Me criei no Ceará No sertão de Crateú Fui te o Iguatú Vê os vaqueiros de lá Lá vi mulher dançar Que a barriga se sacode Na festa só entra quem pode E não existe cara feia Sai com a barriga cheia Só de buchada de bode. História de vida 3
  4. 4. Eu quero a sua bençãoOh Deus da poesiaCom a sua sabedoriaMe dê muita paciênciaO Deus de tanta clemênciaQue me de capacidadeCom toda a minha vontadeAumenta a minha memóriaPra contar a minha históriaDe Deus quero a liberdade. Poeta tem liberdade, Segundo o dom da natura Depende da literatura Escreve o que tem vontade É como a propriedade Que é preciso o homem ter Pelo menos eu vou dizer Sim, o meu espírito não mente Poeta também é gente Também precisa viver. História de vida 4
  5. 5. No lugar que eu moravaEu era muito respeitadoEu ficava admiradoDo jeito que me tratavaCoisa que eu nuca esperavaTanta dedicaçãoAté mesmo meu patrãoFalava para os fazendeirosEste é o melhor vaqueiro Sinto saudade imensaDe todo este sertão. Do sertão de Tamburil Tem terra da cor de anil Fui até Independência O povo tem muita crença Na Nossa Senhora Santana Passei uma semana Para ver a padroeira Fui até a Ipueira Terra de gente bacana. História de vida 5
  6. 6. Já matei porco do mato Também matei punaré Do couro de um jacaré Fiz um para de sapato Também do couro de um rato Fiz um para de perneira Gostei da brincadeiraEu saí da Ipueira Vou fazer o povo rirFui até o pé da serra Do casco de um jabutiE gostei daquela terra Fiz um pela pulseira.Que tem muita brincadeiraTem muita moça solteiraProcurando namoradoPorém saí com cuidadoFui a Monsenhor TabosaGostei muito da prosaDos cabras falando em gado. História de vida 6
  7. 7. Eu conheço JuazeiroFica bem perto de CratoOnde tem gado baratoDali até o LimoeiroTem muito fazendeiroQue mora em CachoeirinhaTerra de muita farinhaE plantio de mandiocaAté mesmo tapioca Eu conheço MadalenaTem o nome de rainha. No pé da serra da mata Tem uma lua da cor de prata Uma terra tão serena É uma cidade pequena De um povo hospitaleiro Tem caboclo casseteiro E muita criação de bode Quase todo mundo pode Ter criação no terreiro. História de vida 7
  8. 8. Terra do Zé de AlencarÉ a nossa FortalezaExiste grande riquezaLugar bom de se morarVou até o QuixadáPerto de BaturitéTem plantio de caféFartura de mandioca Estava em SobralVou até Itapipoca E tive um grande prazerBem perto do Canindé. De conhece Massapé Numa época de carnaval Lá eu vi um animal Caído numa barroca Tem roça de mandioca Na beira da estrada Fui pra vaquejada Na serra da Meruoca. História de vida 8
  9. 9. Eu saí da MeruocaFui até o ParazinBem perto do CamucimFui até JejocaDepois fui a UruocaAssisti uma grande feiraLá tem peixe de primeiraDepois fui Acaraú Eu tava em BuritiBem longe de Parambu Nunca ficava sozinhoBem perto das Cabaceiras. Depois vim para o Parazinho Viajei para o Piauí Cheguei em Piri-Piri Uma cidade natural Tem criação de animal Tem também uma grande feira Viajei para Ueiras Foi antiga capital. História de vida 9
  10. 10. Saí de UeirasParei em Pedro SegundoDe todo lugar do mundoÉ fora de brincadeiraO que vi muito na feiraFoi farofa de cariNo estado do PiauíSua capital Terezina Vou voltar do PiauíÉ uma cidade menina Para o Estado do CearáPalácio do Buriti. Pois eu não podei deixar O sertã de Aracaté Terra de muito piqui E plantação de macaxeira Vou até Maria Pereira De lá vou para o Salgueiro Naquele mesmo roteiro Quero ir até a Fronteira. História de vida 10
  11. 11. Eu estava em LivramentoE tive uma grande astúciaFui até Nova RússiaMontado no jumentoTomei muita chuva e ventoPor todo aquele sertãoE vi muita criaçãoGostei daquele lugar O rio AcaraúVou sair do Ceará Nasce na serra das matasE viajar para o Maranhão. Eu fui uma serenata Quando cheguei no Ipú Viajei para o Crateú Vi uma égua corredeira Era um animal de primeira Fui até a Serra Grande Por favor ninguém me mande Vender banana na feira. História de vida 11
  12. 12. Mumbaça e Serra TalhadaSenador e Novo HorizonteTerra de gente descenteE não se troca por nadaSempre vão pra vaquejadaNo sertão do IamumVi muito ninho de anum Eu fui uma serestaPor dentro das capoeira Na casa do tal FeitosaMontar égua puladeira Só por causa de uma prosaNão ficou pra qualquer um. O cabra virou a molesta Fez eu correr da festa As duas da madrugada Topei uma onça pintada Umas duas horas eu briguei Por sorte eu acordei Com a calça toda molhada. História de vida 12
  13. 13. Eu estava no bom jardimViajei mais de cem léguaAmuntado numa éguaFui ficar em CamucimDepois vim para o ParazimTem muito canaubalDepois fui até SobralUm dia de sexta-feira Eu nunca me esquecereiTamburil e Oliveiras Do dia do meu casamentoÉ a minha terra natal. Também fiz um juramento A mulher que eu mais amei Meu compromisso honrarei Com toda satisfação Me casei no Maranhão Na cidade de Pedreira O tempo passa na carreira Aonde existe união. História de vida 13
  14. 14. Tudo o fogo levou Até a minha esperança Eu chorei como uma criança Quando nada ali ficou Minha mulher me aconselhou Tudo isto é uma luzEu sei que foi aprovado Que trouxe o Senhor JesusPor Deus eu tenho certeza Que não tem num um pecadoFalo com tanta clareza E morreu crucificadoEu sei que fui castigado Nos braços de uma cruz.Por desconto de pecadoA minha casa queimouAinda vivo eu estouTenho certeza que eu não erroUma panelinha de ferroFoi só o que me restou. História de vida 14
  15. 15. Eu sempre vivo contente Nada mais me atrapalha Minha caneta é uma navalha Pra falar pra muita gente Eu sou um velho valente Não tenho medo de nadaMuito tempo se passava A minha casa é fechadaMas eu não me esmorecia Pra qualquer desconhecidoTrabalhava todo dia Pois não faz sentidoMuitas coisas me faltava Se dá apoio a gente errado.Quando menos eu esperavaAdoeci muito decadenteDesgostoso da vidaFoi a Virgem AparecidaQue me deu este presente. História de vida 15
  16. 16. Peço a Nossa Senhora E um Deus de tantas virtudes Que me dê vida e saúde Aumenta a minha memória Pra contar a minha história É essa a minha esperançaQuero dar continuidade Sou velho, não sou criançaA minha pequena história Graças a um Deus criador,Jesus é o Senhor da Glória Assim diz Nosso Senhor:É a luz e a verdade O homem é minha semelhança.Falo com sinceridadeMuito feliz eu estouPorque Deus me ajudouA fazer a minha rimaAquele que está lá em cimaÉ o nosso Criador. História de vida 16
  17. 17. Foi embora a mocidade Estou velho decadente Na boca não tem um dente Uma perna me falta a metade Cheguei a terceira idade Ainda tenho prazerTenho certeza que eu não era Me sinto feliz porqueO pai que vocês queria Deus me deu uma grande trilhaNunca usei da covardia Graças a minha famíliaTambém não fui uma fera Me dá forças pra viver.Sempre falo de VeraFoi um dom que Deus me deuDe lutar pelo que é meuPor toda minha pelejaTem muitos filhos que desejaTer um pai igual a eu. História de vida 17
  18. 18. Hoje estou velho cansado Já passei dos setenta Minhas pernas já não agüentam Sinto meu corpo pesado Neste meu tucum rasgadoTrabalhei enquanto pude Lembro a história de DimasHoje nada mais faço Estou fazendo a minha rimaDói minhas pernas e meus braços Um pouco da minha históriaJá não tenho mais saúde Quem refresca minha memóriaUm Deus de tantas virtudes É aquele que está lá em cima.Me deu forças de vencerMe sinto feliz porqueDeus me fez tão corajosoSei que sou muito teimosoMuito tempo vou viver. História de vida 18
  19. 19. Sinto dor no espinhaço Não posso ficar parado Fui caminhar vexado Caí e quebrei um braço Mas eu sinto até cansaçoO homem quando envelhece Quando fico sem fazer nadaNo corpo aparece cansaço Olho para minha enxadaAfina também seus braços E fico até desgostosoA força desaparece Jesus é o homem bondosoLogo a barriga cresce Minha caneta é minha espada.Por nada fico cansadoCom o seu borná de um ladoCom um cachimbo e o isqueiroEle entra no banheiroSai com o fumo moiado. História de vida 19
  20. 20. Sempre existe um ditado Pra tudo precisa sorte Ter quem tem um braço forte Pra dar conta do recado Meu Senhor obrigadoPenso nesta mocidade Por esse sofrimento meuQue não pretende ter filho Foi um dom que Deus me deuNão querem sair do trilho Mais estou de bem com a vidaE perder a liberdade Graças a minha mãe queridaSó pensa na vaidade Foi Jesus quem escreveu.Não pára para pensarQue a velhice vai chegarE fica no abandonoFeito cachorro sem donoNão tem por quem chamar. História de vida 20
  21. 21. Não importa o que o povo fala Da minha grande pobreza Eu tenho certeza Que isto não me abala Chego na minha casaEstou terminando a minha história Vejo filhas, netos e uma esposaSem nenhum constrangimento Escrevo na minha lousaTodo meu sofrimento São estes desejos meusEu tenho como uma vitória Tenho certeza que para DeusJesus é o Senhor da glória Eu serei alguma coisa.Que me fez compreenderNão posso me mal dizerTodos nós tem uma cruzSei que não foi só JesusQue nasceu para sofrer. História de vida 21
  22. 22. Porém existe um ditado Que eu não acho interessante Aonde tem gente importante Também tem muito coitado Pois eu fico indignadoA verdade nem que doa E fico muito aborrecidoTem que ser bem contada Tanto dinheiro perdidoMentira não vale nada Mais do que folha de boldoQuem mente só vive a toa O sal nasce para todosHoje estou numa boa A sombra só para os sabidos.Tenho casa pra morarUma rede pra deitarGraças a Deus tenho um abrigoPra receber meus amigosPra nós juntos conversar. História de vida 22
  23. 23. Eu tenho muitos parentes Que se esqueceram de mim Eu não posso achar ruim Por abandonar a gente Eu não fico descontenteEu conheço muita gente Para mim não falta nadaQue nunca tem respeito Tenho uma família estimadaTrata mal de qualquer jeito E as minhas sete filhasMesmo que seja parente Que completa minha famíliaE sendo um velho doente Com a minha netarada.Seja tio ou padrinhoPodia tratar com mais carinhoMas trata com rebeldiaNão se lembra que um diaEle pode ficar sozinho. História de vida 23
  24. 24. Não posso ficar calado Existe muita Josina Que tem chácara boa e piscina Muita terra e muito gado Com seu assalariadoA fama é que faz o nome De setecentos reaisO nome é que traz a rima Ela tira muito maisJesus olha lá de cima Lá dentro do INSSVê tanta gente com fome Os velhos é só os que padeceTudo por culpa do homem E vão ficando para trás.A sua ganância por dinheiroCorre atrás com desesperoNão se importa com ninguémRouba até o que o pobre temVai guardar no estrangeiro. História de vida 24
  25. 25. O saber já vem do berço Não há quem pode tirar O saber que Deus me dá De coração eu agradeço Apesar que não mereçoMe sinto feliz demais Ter tanta sabedoriaPor Deus me dá consentimento Peço a Deus todo diaDe renovar um casamento Para nos livrar da guerraDe cinqüenta anos atrás A superfície da terraJesus é que traz a paz É a nossa geografia.Junto com a Virgem MariaEu tive muita alegriaFoi este acontecimentoQuem renovou meu casamentoFoi o padre da freguesia. História de vida 25
  26. 26. Nesta minha poesia Eu entrei de cabeça Por favor não se esqueça Que eu não tenho sabedoria Não estudei geografiaEu quero pedir licença Porque o tempo não deuA Deusa da poesia O pequeno estudo meuCom a sua sabedoria Estudei cinco meses somenteTenha muita paciência Pra mim foi o maior presenteQuero a vossa presença Que Jesus Cristo me deu.Pra senhora me ajudarEu moro no AxixáSou um pequeno brasileiroAqui sou pioneiroMas nasci no Ceará. História de vida 26
  27. 27. Entre netos e bisnetos Eu já tenho quase setenta Não tem paiol que agüenta O mundo é dos mais espertosCaros admiradores Minha história é um livro abertoEu digo muito obrigado Pra minha vida eu contarNão faço verso errado Deus vai me ajudarNem pelo um milhão de flores O Senhor olha para mimFoi a Senhora das Dores Vou até o CamucimQue me deu este saber No estado do Ceará.Agora vou escreverNinguém queira ficar a toaO trabalho das pessoasDá bem para se manter. História de vida 27
  28. 28. Essa história eu ofereço A toda minha irmandade Eu sinto muita saudade Deles eu nunca me esqueçoTerminei minha história Eu sei que não mereçoEu quero ser desculpado Um dia ser desprezadoSe teve algum verso errado Confio no meu pai amadoFoi falta da minha memória Que me trouxe essa luzTive uma grande vitória Eu espero que JesusPor Jesus me ajudar Fique sempre do meu lado.A minha vida eu contarSou um velho pioneiroPreciso ganhar dinheiroPra poder me sustentar História de vida 28
  29. 29. A coisa que eu mais queria É que os velhos da minha idade Mais ou menos a metade Fizessem uma poesiaAviso a toda família Pra ter mais alegriaQue cuide bem de seus pais Ter um pouco de confortoQue Jesus da muita paz Que estão velhos mais não estão mortoSaúde e sabedoria Procure se divertirTrate bem e com alegria Fazendo os amigos sorrirQue o velho já foi homem Bebendo vinho do porto.Zele bem este nomeDe um arrozinho com feijãoOu um pedacinho de pãoMais não deixe passar fome. História de vida 29
  30. 30. A minha história eu conteiMe sinto realizadoFiz com muito cuidadoPara as pessoas que mais ameiEu nunca esquecereiDe abrir outros caminhosAviso todos os velhinhosQue tenha mais alegriaE faça uma poesiaPra eu não fazer sozinho. História de vida 30

×