Fruticultura Brasileira: patrimônio a preservar

361 visualizações

Publicada em

Palestra proferida no Workshop "Moscas-das-frutas no Brasil: Construção de uma visão de futuro", realizado em Brasília, DF, no período de 8 e 9 de dezembro de 2015.

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
361
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fruticultura Brasileira: patrimônio a preservar

  1. 1. MOSCAS DAS FRUTAS Fruticultura Brasileira: patrimônio a preservar. WORKSHOP NACIONAL Luiz Roberto Barcelos Presidente da ABRAFRUTAS Consultor da Attivo Consultoria & Treinamentos Ltda
  2. 2. PIB Brasil 2013: R$ 4,84 trilhões PIB Agronegócio 2013: R$ 1,09 trilhões (22,54%) PIB Demais setores (77,46%) R$ 3,75 trilhões Agronegócio Pecuária R$ 332,6 bilhões (30,45%) Agronegócio Agricultura R$ 759,6 bilhões (69,55%) Produto Interno Bruto do Agronegócio
  3. 3. 3º Produtor mundial; 45,6 milhões de toneladas na safra2013/14; Exporta aproximadamente 3% da produção; Responsável por 27% da mão de obra agrícola do país; 2,2 milhões de hectares cultivados; 30 polos produtivos espalhados pelo país; 20 bilhões de valor agrícola bruto em 2013; A FRUTICULTURA BRASILEIRA
  4. 4. 43,1 42,6 41,1 37,5 39,5 41,6 45,6* 0 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Produção Brasileira de Frutas Frescas - Milhões de Toneladas Fonte: IBGE / Elaboração: CNF/CNA Produção
  5. 5. Consumo Mundial (kg/ano/per capita) GRANDE OPORTUNIDADE DE EXPANSÃO
  6. 6. EXPORTAÇÕES
  7. 7. Exportações do Agronegócio Brasileiro Exportações totais do Brasil 2013 US$ 242,2 bilhões Demais setores US$ 142,23 bilhões (58,72%) Agronegócio US$ 99,97 bilhões (41,28%) Mais de um terço das exportações do Brasil Fonte: Agrostat (MAPA), MDIC
  8. 8. Mercado Externo Importância para o Brasil
  9. 9. 82,91 -80,31 2,6 -100,00 -80,00 -60,00 -40,00 -20,00 0,00 20,00 40,00 60,00 80,00 100,00 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Agronegócio Demais Saldo da Balança Comercial US$ bilhões Em 10 anos, foram US$ 585,7 bilhões de superávit do agronegócio para a economia brasileira Balança Comercial Fonte: Agrostat (MAPA), MDIC
  10. 10. PAÍSES BAIXOS(HOLANDA) 38% REINO UNIDO 17% ESPANHA 11% ESTADOS UNIDOS 7% ALEMANHA 6% URUGUAI 5% ARGENTINA 4% PORTUGAL 3% ITALIA 1% CANADA 1% FRANÇA 1% OUTROS 6% Exportações de frutas frescas por país de destino 2014 (% valor US$) Fonte: Secex – Elaboração: ABRAFRUTAS
  11. 11.  Apesar dos desafios, o Brasil fechou 2013 com um aumento de 4% nas exportações de frutas frescas e processadas;  79% vai para UE;  Balança comercial das exportações de frutas frescas em 2014 obteve um saldo positivo de U$ 152 milhões;  Qualidade: Mercado externo exigente;  Acordos comerciais são estratégicos e fundamentais;  Só uma pequena parte dos produtores consegue atender as exigências. Panorama das Exportações
  12. 12. Mais Exportadas Mais Importadas Melões Pêra Mangas Maçã Banana Uva Maçã Ameixa Limão Kiwi Uvas Laranja Melancia Pêssego Mamão Nectarina Laranja Tangerina Abacate Outras Cerejas Ranking EXP / IMP
  13. 13. Mercados emergentes para exportação de frutas CANADÁ E ESTADOS UNIDOS CHINA E SUDESTE ASIÁTICO LESTE EUROPEU E RÚSSIA PAÍSES ÁRABES POTENCIAL X RISCO RISCO MODERADO
  14. 14. Abertura de novos mercados; Mercado com um nível mais elevado de remuneração; A internacionalização de empresas pode trazer inovações organizacionais e tecnológicas a fim de atender aos requisitos do mercado internacional; As exportações podem levar a um desenvolvimento regional, através do aumento da demanda por mão-de- obra e do desenvolvimento tecnológico (ex. Ceará e Rio Grande do Norte). VANTAGENS :
  15. 15. Oscilação cambial; Exigências dos mercados importadores; Barreiras tarifárias (SGP); Barreiras não tarifárias (fitossanitárias); Mão-de-obra qualificada; Manejo correto – Colheita e pós-colheita; Crédito na hora certa para investir e custear a lavoura; Articulação para driblar problemas, como as deficiências da infraestrutura, que aumentam o custo logístico; Logística. DESAFIOS :
  16. 16. MAIOR DESAFIO DA FRUTICULTURA:  Conquista de novas fronteiras / Abertura de novos mercados;  Investimentos em propaganda e promoção das frutas brasileiras e seus derivados;  Buscar credibilidade e profissionalismo nas negociações nacionais e internacionais;  Pesquisa das preferências do consumidor final;  Inteligência de Mercado com planejamento da produção e comercialização;  Eficiência nos processos produtivos (custo, qualidade, tempo, inovações, etc);  Articulação Setorial Profissional para melhorar o poder nas negociações;  Pesquisa muito bem articulada com a cadeia produtiva. Os produtores e exportadores estão preocupados com os aumentos dos investimentos na produção e a queda na rentabilidade nos mercados externo e interno, frente a uma maior oferta futura de frutas somada à falta de coordenação articulada das federações, associações, cooperativas, grandes produtores, etc.
  17. 17. Refrigerantes, Bebidas Lácteas, Sorvetes, Confeitos etc. Sucos, Polpas, Concentrados e NDC Pomares Indústria de Sucos Beneficiamento Outras Indústrias Trasnformação Primária Distribuição e Comércio Consumo Frutas Frutas e Derivados Sucos, Nectares e Refrescos Sub produtos Frutas Frutas Sucos, Polpas, Concentrados e NDC AGROCOMERCIALIZAÇÃO AGROINDUSTRIALIZAÇÃO Frutas Sistema Agroalimentar das Frutas
  18. 18. FORNECEDORES PRODUTORES DISTRIBUIDORES GRANDES REDES VAREJISTAS PEQUENOS VAREJISTAS PESQUISA ATER OPERADORES LOGÍSTICOS CONSUMIDOR FINAL NÃO EXISTE ARTICULAÇÃO ENTRE TODOS OS ATORES DA CADEIA PRODUTIVA! AS LIGAÇÕES ENTRE OS ”ELOS” VARIAM NA INTENSIDADE !
  19. 19. LIDERANÇAS
  20. 20. Jorge Luís de Souza jlrsouza@gmail.com (16) 98154-1456 Na vida não existem soluções, existem forças em marcha. Há de se articulá-las e as soluções se articularão” Antoine de Saint-Exupérry

×