UmJornalaServiçodoPovo | EdiçãoQuinzenal | 28Agosto2015 | nº56 | ano3 | 7.000exemplares | DISTRIBUIÇÃOGRATUITA
Política •4...
Sexta-Feira • 28 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br2 Opinião
Carta do Editor
Juliano Rossi
• juliano@jornalcidademg.com...
Sexta-Feira • 28 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br4 Política
POLÊMICA: Vereadores aprovam
requerimento solicitando a r...
Sexta-Feira • 28 Agosto 2015
facebook.com/jornalcidademg 5Cotidiano
90% dos partos realizados em Lagoa
da Prata em 2014 fo...
Sexta-Feira • 28 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br6 Cotidiano
Dona Neli ganha uma moto zero km
do Grupo Minasprev
Apac...
Sexta-Feira • 28 Agosto 2015
facebook.com/jornalcidademg 7Cotidiano
Dona Humberta é a mais antiga
integrante do Congado em...
Sexta-Feira • 28 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br8 Solidariedade e Voluntariado
Untitled-1 1 26/05/15 09:52
Serviços ...
Sexta-Feira • 28 Agosto 2015
facebook.com/jornalcidademg 9Saúde e Bem Estar
Academia Estação do Corpo
completa 18 anos
INF...
Sexta-Feira • 28 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br10 Cultura
Estúdio de dança Impactus
participará de festival interna...
Sexta-Feira • 28 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br12 Especial
Em noite de gala, ACE/CDL
“100 Melhores Empresas
•A ACE/...
Sexta-Feira • 28 Agosto 2015
facebook.com/jornalcidademg 13Especial
L entrega o prêmio
s e Profissionais”
EMPRESÁRIOS E AUT...
Sexta-Feira • 28 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br14 Editais e Publicações

1
Relatório da Administração
Senhores Ass...
Sexta-Feira • 28 Agosto 2015
facebook.com/jornalcidademg 15Editais e Publicações
Em Reais
A T I V O 30/06/2015 30/06/2014
...
Sexta-Feira • 28 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br16 Editais e Publicações
Em Reais
Atividades Operacionais
Sobras/Per...
Sexta-Feira • 28 Agosto 2015
facebook.com/jornalcidademg 17Editais e Publicações

4
j) Intangível
Correspondem aos direit...
Sexta-Feira • 28 Agosto 2015
www.jornalcidademg.com.br18 Editais e Publicações

8
(a) Em Devedores por Depósito em Garant...
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 56
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 56
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 56
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 56
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 56
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 56
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 56
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 56
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 56

303 visualizações

Publicada em

Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 56

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
303
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
70
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Edição 56

  1. 1. UmJornalaServiçodoPovo | EdiçãoQuinzenal | 28Agosto2015 | nº56 | ano3 | 7.000exemplares | DISTRIBUIÇÃOGRATUITA Política •4 Especial •12 e 13 Cotidiano •5 ACE/CDL entrega o prêmio “100 Melhores Empresas e Profissionais” Esporte •21 Campeonato de Futebol Amador de LP completa 49 anos Cotidiano •7 D. Humberta é a mais antiga integrante do Congado em Lagoa da Prata 90% dos partos realizados em Lagoa da Prata em 2014 foram de cesarianas Vereadores aprovam requerimento solicitando a redução dos salários para R$ 970 POLÊMICA: TextosegueparaaanálisedaMesaDiretora.VereadorNatinhoadiantouqueareduçãodevese estender ao salário do prefeito, vice-prefeito e secretários municipais.
  2. 2. Sexta-Feira • 28 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br2 Opinião Carta do Editor Juliano Rossi • juliano@jornalcidademg.com.br • Fone/Whatsapp: 37 9195-1978 Estamosvivendoumacriseeconômica,alémdemoraleética. Osmicroempresáriosestãosem condiçõesdepagaremsuasdívidas,comisto,osfuncionáriosestãoperdendoospostosdetrabalho. Ainflaçãocomeçaaengolirnossossalários.Chegamosaisto,porqueospolíticosgastammaisdo quearrecadam,eaindagastammal,earrecadammaisdoqueapopulaçãoconseguesuportar.Es- tamosmuitopertodo“fundodopoço”. ÉchegadaahoradenosUNIRMOSenosMOBILIZARMOSparalutarmospelamoraliza- çãodapolíticaedogastopúblico.Precisamosmostraraospolíticosqueelesprecisamaprendera economizaregastarapenasnoquedefatoénecessárioeabaixodoquedefatoéarrecado,desta forma,reduziremosadívidapúblicaeosjuros.Nãoéapenasapopulaçãoquetemque“aper- tarocinto”,elestambémprecisam,enãoqueremreduzirsuasdespesas,nemoscargosqueocu- pam.Masnósfaremoscomqueelesofaçam,senosunirmos. Comecemosestalutaevitandoqueospolíticoscontinuemrecebendo,donossodinheiro,osAL- TÍSSIMOSsubsídidos(salários)querecebemparaaprestaçãodepoucoounenhumtrabalhoem proldapopulação. Comecemospelanossacidade.Precisamosmostraraosvereadoreseprefeitos,queganharam eganhammuito,quenãoestamosmaisdispostosalhespagarpormêsoque,muitasvezes,nãoga- nhamosnoano.Equeafasedelesdeabusos,comdecisõeseaumentosembenefíciopróprio,emui- tasvezesnacaladadanoite,acabou.Onossodinheirotemquesermelhorinvestido. CONVOCAMOStodososcidadãosaincentivaremerealizarememsuascidades,nosmeses deAGOSTOaOUTUBRO,movimentospelareduçãodossaláriosdosvereadoresedoprefeitoe areduçãodecadeirasnaCâmara. Precisamosnostornareincentivaroutraspessoasaseremcidadãosquelutampeloquecon- sideramcorretoejusto.Secadaumdenósconseguirmobilizarapopulaçãodasuacidade,conse- guiremosmobilizaroBrasil.Comecemoslocalmente,emnossacidade.Nósqueremosqueonosso dinheirosejagastocomaçõesmaisúteisàpopulação.Epodemosconseguiristo! AmaioriadapopulaçãobrasileiraesperaqueosOUTROSfaçamoqueprecisaserfeito.Eeste éumdosgrandesproblemasdoBrasil,poristo,precisamossairdaINÉRCIAemostrar,atravésde nossasações,quenãoestamosdeacordocomasdecisõesdenossospolíticosequequeremosmu- dançarealeimediata,começandopeloabsurdosubsídioquecadavereador,secretáriomunicipal eprefeitorecebem. Assim,façaadiferença,aceiteserolíderquevocêé,convoqueamigos,peçaapoio,apoiea outros,seforocaso,acreditequeareivindicaçãoécorretaejusta. Ospolíticosvãoceder.Nóspodemosfazerissoacontecer. Atenciosamente, Umcidadãobrasileiro. Obs.:Aosmaisafoitos,informamosquetambémqueremosmovimentospelareduçãodosaláriodos deputadosestaduaisedogovernador,assimcomoareduçãodosaláriodosdeputadosfederais,sena- dores,ministrosepresidente.Masprecisamosnosorganizarlocalmenteprimeiro,poristo,asações iniciaisdevemocorremnascidadeseregiõespróximas.Quantomaiscidadesparticiparem,mas forteficaremos.Queremosiniciarafaseestadualemoutubroeafasenacionalemnovembro. •OJornalCidadepublicou emseusitenaúltimasegun- da-feira(24/08)umaentre- vistacomovereadorAdria- no Moraes, na qual ele de- fende a redução dos salá- rios pagos aos parlamen- taresemLagoadaPrata,de R$ 3.785,84 para R$ 970. No dia seguinte recebemos um e-maildomovimentoquees- táliderandoaLutaNacional pela Redução dos Salários dos Vereadores. Recebemos oslinksdemaisde100maté- riasjornalísticas,publicadas em veículos de comunica- ção em todas as regiões do Brasil, com iniciativas po- pulares que tiveram êxito nareduçãodossaláriosdos vereadores. Reproduzireiaseguiro manifesto,intitulado: Campanha nacional pela redução dos salários dos vereadores “Carta Aberta aos Brasileiros”
  3. 3. Sexta-Feira • 28 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br4 Política POLÊMICA: Vereadores aprovam requerimento solicitando a redução dos salários para R$ 970 •OsvereadoresdeLagoada Prataaprovaramnareunião ordinária de segunda-feira (24/08) um requerimento de autoria de Adriano Mo- raes solicitando à Mesa Di- retora da Câmara que re- duza os salários dos parla- mentaresdeR$3.785,84pa- raR$970apartirdejaneiro de2017.Opedidofoiaprova- dopor6votosa2.CidaMar- celino e Nego da Ambulân- ciavotaramcontráriosàpro- posta. Porlei,umprojetodere- ajuste dos subsídios dos ve- readores só pode ser apre- sentado pela Mesa Direto- ra, que é formada pela pre- sidenteQuelliCoutoeosco- legasPauloRobertoPereira, Cida Marcelino e Natinho. Com a aprovação do reque- rimento, um novo texto de- veráserapresentado,esten- dendo a redução aos salá- riosdoprefeito,vice-prefei- to e secretários municipais, conformeadiantouNatinho em seu pronunciamento ao defenderaredução. A redução dos salários é um assunto que vem inco- modando os vereadores em várias cidades do Brasil. A CâmaraMunicipaldeSanto AntôniodaPlatina,nonorte doParaná,aprovounodia15 de agosto a redução salarial Em Curitiba, capital pa- ranaense, um estudante de direito está coletando as- sinaturas para apresentar um projeto de lei de inicia- tiva popular reduzindo os salários dos vereadores de R$ 15.156,70 para R$ 1,5 mil ao mês. Em Mauá da Serra, também no estado do Para- ná,pressionadospelapopu- laçãoosvereadoresaprova- ram a redução dos salários deR$3milparaR$820. Movimentos populares pedindo a redução dos ven- cimentosdosvereadoreses- tão ganhando força no Bra- silcomorecentedescrédito da classe política. Na inter- net, é possível verificar de- zenas de cidades que estão aumentando o cerco em re- lação aos ganhos dos legis- ladores.EmPiumhi,nocen- tro-oeste de Minas, o presi- dente da Câmara, vereador Wilde Wéllis de Oliveira, propõe extinguir totalmen- te os recebimentos dos par- lamentares. Naúltimasegunda-feira, osvereadoresdePerdões,no sul de Minas, reduziram os saláriosdeR$6.323paraR$ 3.691,72,mas,mesmoassim, contrariaramopovoquelo- tou o plenário da Câmara e vaiouosparlamentares.Um movimento iniciado nas re- des sociais, denominado “Por uma Perdões Melhor”, pedia a redução para dois salários mínimos. Os ven- cimentos do prefeito, vice- -prefeito e secretários tam- bémserãoreduzidos,masos valores não foram informa- dos.Osagentespolíticosre- ceberãoosnovosvencimen- tosemjaneirode2016. ECONOMIA DE 1,2 MILHÃO DE REAIS Naentrevistaaseguir,Adria- no Moraes explica que a re- duçãodossaláriosdosvere- adoresemLagoadaPratairá gerarumaeconomiaaosco- fres públicos municipais na ordemde1milhãoe200mil reaisduranteosquatroanos dapróximalegislatura. JornalCidade:Porqueso- menteagora,aumanodas eleições, você decidiu pro- porumrequerimentopara reduzirosaláriodosverea- doresemLagoadaPrata? Adriano Moraes: Toda lei nasce a partir do princípio da moralidade subjetiva e objetiva do momento. Hoje, omomentopedeisso.Éisso que a população quer e não do prefeito, do vice-prefei- to e dos vereadores. Os no- vos valores passarão a valer a partir de janeiro de 2017. Os vereadores terão os ven- cimentosfixadosem970re- ais.Acidadede40milhabi- tantespossuinovevereado- res. há como ir contra. Fazemos lei de acordo com a consci- ênciacoletiva. Jornal Cidade: Qual o cri- térioparasechegaraova- lor de 970 reais dos venci- mentos? Por que, então, nãoextinguirosaláriodos vereadores? AdrianoMoraes:Porqueo desempenho da função de vereadorexigequesetenha gasto. Esse valor é para cus- tearosgastosbásicos. Jornal Cidade: Você pre- tende tentar a reeleição e se dispõe a receber 970 re- ais? Adriano Moraes: Com es- sa proposta eu sou obriga- do a tentar a reeleição. E, se caso for reeleito, tenho que assumir o cargo. Se eu pro- ponho,naturalmenteeume tornoobrigadoacumprir. Jornal Cidade: Por que a proposta de redução, se aprovada, vai valer so- menteapartirde2017?Por quenãoreduzirossalários jáapartirdopróximomês? Adriano Moraes: Os atuais vereadoressecandidataram e foram eleitos tendo como base o atual salário, previs- to em lei. Agora, para a pró- ximalegislatura,oscandida- tosjásaberãoanovarealida- dequeterãoqueaceitar.Sea gente aprova a proposta pa- rahoje,osvereadoresquese sentirem lesados poderiam entrar na justiça e reaver os vencimentos que estavam previstosemlei. Jornal Cidade: Pessoas contrárias à sua proposta argumentamqueosverea- dores, recebendo o salário de 970 reais, ficarão mais propensos à corrupção e aceitar vantagens pesso- aisparavotaremdetermi- nadosprojetos.Oquevocê pensaaesserespeito? AdrianoMoraes:LánoPa- raná, um vereador recebia 14.000 reais por mês e ele mesmo disse que aceitava propina e era corrupto. Os protagonistas do Mensalão e da Lavajato são deputa- dos, lobistas e empresários que recebem 40 mil, 50 mil, 100 mil reais ao mês. Não é ovalordosalárioquedeter- mina se o sujeito é corrupto ou não, se é honesto ou não. Levar vantagem no Brasil é umamáximaqueagoraesta- moscomeçandoamoralizar. JornalCidade:Vocês,vere- adores, já chegaram a dis- cutiraregulamentaçãodo cargo de vereador no mu- nicípio,demodoqueoobri- gue a ter dedicação exclu- siva? AdrianoMoraes:Issoseria o ideal, o vereador ser bem remuneradoeterdedicação exclusivaàvereança.Masis- soéinviável,poiséumtraba- lhoparaapenasquatroanos. Pelo que temosvisto nosúl- timos anos, a pessoa não vai investir na carreira políti- ca,eocargodevereadorse- rácomosefosseum“bico”. Autordaproposta,vereadorAdrianoMoraesconsultou,in- formalmente,aopiniãodapopulaçãopelainterneteabai- xo-assinado Texto segue para a aná- lise da Mesa Diretora. VereadorNatinhoadian- tou que a redução deve se estender ao salário do prefeito, vice-prefei- to e secretários munici- pais. DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br Foto:JulianoRossi •CidadedoMéxico-R$0 Ocargodevereadoréhono- rário e não existe nenhum tipo de contribuição. Exis- tem pouco mais de 1,8 mil comitês de bairros, organi- zados em torno de 9 verea- doresenomeadosparaser- virdurante3anos. •NovaYork-R$16mil Enquanto um assalariado médioamericanoganhaR$ 3,9 mil por mês, um verea- OsvereadoresdeLagoadaPratarecebem,mensalmen- te,osaláriodeR$3.785,84.Comosencargossociais,cadaum delescustaaomunicípioR$4.579,85aomês.Levantamen- tofeitopeloJornalCidademostraqueemjunhode2015os vereadores participaram de 11 reuniões – sendo 5 ordiná- riase6extraordinárias,totalizando19horas. Comovalorqueomunicípiopagaaosparlamentares,é possívelcontratartrêsmédicosparaatenderemnasunida- desdesaúde,comosvencimentosafixadosemR$11.384,00 mensais, e atenderem gratuitamente a cerca de 1.200 pes- soastodososmeses. Veja abaixo a relação das reuniões oficiais da Câmara de Lagoa da Prata no mês de junho. Sessõesordinárias:Totalde16horas Sessõesextraordinárias:Totalde3horas 01/06–De16hàs19h 08/06–De16hàs18h30 15/06–De16hàs19h 10/06–30minutos 15/06–30minutos 22/06–De16hàs19h15 29/06–De16hàs20h 22/06–60minutos (em3reuniões) 29/06–60minutos QUANTORECEBEOVEREADOREMOUTROSPAÍSES? Fonte:RevistaSuperInteressante(2013) Comoatualsaláriodosvereadoresépos- sível contratar três médicos para atender nas unidades de saúde dor nova-iorquino recebe R$ 16 mil, ou seja, 4 vezes mais. A Câmara é composta por 51 membroseocargonãoexigededicaçãoexclusiva. •Estocolmo-R$350 Na capital da Suécia, o salário de um vereador é apenas uma ajuda de custo. Se ele fizer parte de um comitê, pode subir para R$ 790. O valor representa apenas 10% da renda de umassalariadomédiosueco,queganhaR$7,5milmensais. •Paris-R$3,5milaR$6mil O salário na capital francesa varia muito porque depende do tamanho da área da cidade emqueovereadoratua.Mesmooscilando,ovalorépróximodosaláriomédiodeumfran- cês,queganhaR$5milmensais. •Toronto-R$4,3mil EnquantoosaláriomédiodeumcanadenseéR$5,2milpormês,umvereadordeToron- to,amaiorcidadedopaís,ganhaR$4,3mil.Aleinãodeterminaumacargahoráriaacum- prir,masafunçãoexigededicaçãoexclusiva.
  4. 4. Sexta-Feira • 28 Agosto 2015 facebook.com/jornalcidademg 5Cotidiano 90% dos partos realizados em Lagoa da Prata em 2014 foram de cesarianas •Levantamento feito pelo Hospital São Carlos, a pedi- dodoJornalCidade,mostra que 9 em cada 10 crianças nascidas em Lagoa da Prata no ano de 2014 vieram à vi- da por meio de cirurgias ce- sarianas. Oíndiceémaiordo que a média nacional, que é de 84,6%, de acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar. A cesariana, quando não tem indicação médica,ocasionariscosdes- necessários à saúde da mu- lher e do bebê. O parto pre- maturoaumentaem120ve- zes a probabilidade de pro- blemas respiratórios para o recém-nascido e triplica o risco de morte da mãe. Cer- cade25%dosóbitosneona- taise16%dosóbitosinfantis noBrasilestãorelacionados àprematuridade. Começaram a valer no dia6dejulhoasnovasregras estabelecidas pela Agência Nacional de Saúde Suple- mentar (ANS) que visa es- timularopartonormalere- duzir o número de cesaria- nas desnecessárias. A Reso- lução Normativa nº 368 ga- rante o acesso à informação das beneficiárias de planos de saúde (gestantes ou não) aosnúmerostotaisedeper- centuaisdecirurgiascesáre- as e de partos normais, por operadora, por estabeleci- mento de saúde e por mé- dico. “O parto é um dos mo- mentosmaisimportantesna vidadeumamulheredesua família e nós acreditamos que, ao fornecer informa- ções qualificadas à mulher, ao informá-la sobre os ris- cos que podem ser gerados em decorrência de um pro- cedimento cirúrgico desne- cessário, ela estará mais se- para uma recuperação mais rápida. Durante o pré-natal omédicotambémavaliaasi- tuaçãogestacionaleindicaa melhorformadopartoacon- tecer,sendoderiscoaopção seráacesárea”,afirmou. Com a entrada em vigor da Resolução Normativa nº 368, as operadoras de pla- nosdesaúde,tambémserão obrigadas a fornecer o Car- tão da Gestante e a Carta de Informação à Gestante, na qual deverá constar o regis- trodetodoopré-nataleexi- girqueosobstetrasutilizem tras de Lagoa da Prata, mas nenhum quis se manifestar sobreaaplicaçãodanovalei nospartos. A lei ainda estabelece que as informações sobre astaxasdepartosdevemes- tardisponíveisnoprazomá- ximo de 15 dias, contados a partirdadatadesolicitação. As instituições que deixa- rem de prestar as informa- çõessolicitadasemcumpri- mento à Resolução Norma- tiva pagarão multa de R$ 25 mildeacordocominforma- çõescontidasnositedaANS. gura na decisão em relação aoseuparto”,afirmaodire- tor-presidentedaANS,José CarlosdeSouzaAbrahão. A coordenadora geral da enfermagem do Hospi- tal São Carlos, Simoni Iná- cio da Cunha, comenta que oHSCjáestápreparadopa- ra atender as determina- ções da ANS e não haverá mudançassignificativaspa- raasgestantes.“Averdadeé que não mudou nada para a usuáriaW,masobrigouare- adequação das instituições no apoio ao parto normal. A gestanteapenasassinaoter- moautorizandoqueseráre- alizadaacesárea,comouma escolha dela mesma. Para nós, como instituição espe- ramos o aumento dos par- tosnaturaiseahumanização o Partograma, documen- to gráfico onde é registrado tudo o que acontece duran- teotrabalhodeparto.Simo- niressaltaqueopartograma é adotado parcialmente pe- lo Hospital São Carlos. “Em partoscesarianosagestante assinaumtermodeconsen- timentolivreesclarecidopa- rasubstituiropartograma.E nos partos normais são rea- lizadosospartogramasnor- malmente”,destacouacoor- denadora. O Jornal Cidade entrou em contato com dois obste- Atualmente, o percen- tual de partos cesáreos na saúde suplementar no país é de 84,6% DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br SimoniCunha,coordenado- ra geral da enfermagem do HospitalSãoCarlos “Omeupartofoicesá- rea,masminhaescolha eraopartonormal.Com 40semanaseunãoti- nhadilataçãoetiveque fazeracirurgia.” Lorena Alexandre, mãe do Estevão,seuprimeirofilho, nascidonomêsdejulho “Decidipelopartonor- malporqueachomais saudável,tantopara mimquantoparaomeu bebê.” Larissa Leite, 18 anos, no sexto mês de gestação do seuprimeirofilho Fotos:Arquivopessoal Partos realizados em LP em 2014 Cesarianas: 193 (SUS) e 216 (particular/convênio) • Total: 409 (90,3%) Normais: 38 (SUS) e 6 (particular/convênio) • Total: 44 (9,7%) De 1 de junho a 18 de agosto de 2015: Cesarianas: 31 (SUS) e 51 (particular/convênio) • Normais: 11 Fonte: Hospital São Carlos Estatísticas do COC apontam que o Centro Educacional Tutores cresceu 400% de 2011 a 2015 • Entre os dias 12 e 15 de julho o Centro Educacio- nal Tutores participou do EncontroInternacionalde Mantenedores do sistema COCdeensino,emCampi- nas. Ao todo, participaram representantesdecercade 600 colégios de todo o pa- modestaquedentrodeuma rede que é maior do Brasil. Ficamos muito satisfeitos e novidades virão para o ano de2016,paraaeducaçãoin- fantileparaoensinofunda- mental”,afirmou. Costatambémfrisouque umdospontosprincipaisdi- ferenciaisdoCentroEduca- cionalTutoreséseantecipar gados ao contemporâneo e pautadosnatradiçãodosva- lores morais. Temos siste- mas e parceiros muito for- tes, a Oxford que é um gru- po extremamente exigente, nos escolheu como parcei- ros. O sistema COC de ensi- no é uma potencia mundial, trazsempreomelhoreesta- mosemparceria”,destacou. TURMINHA DO COC Inovando sempre, a Tu- tores trará para seus alu- nos a Turminha do COC. “Dentro do sistema edu- cacional tem a Turminha do COC, que existe há vin- te anos. Todo aluno que se matricula recebe uma pas- ta com seus materiais. Es- saTurminhaémuitofamo- sadentrodoscolégiosCOC, quetemvárioscoleguinhas, cada um com suas caracte- rísticasediferença”,afirma Costa. às novidades do segmento de educação. “Hoje pode- mos dizer que a Tutores é o colégio mais bem prepara- doouoquetemavisãomais focadaparaofuturo.Hoje,o quehádequalidadedeensi- no no Brasil nós trouxemos para cá. Somos um colégio preparado para a tecnolo- gia e inovação. Estamos li- ís.Duranteoeventoalgumas escolasforamescolhidaspe- losbonsresultadoseaTuto- res foi uma delas. Eleita na categoriadeeducaçãoinfan- tilepré-vestibular,aempre- sa de Lagoa da Prata passou afazerpartedobancodeex- celênciadoCOC. Fundadoem2011,oCen- tro Educacional Tutores vem crescendo a cada ano, trazendosemprenovidades paraseusalunos.Deacordo com o diretor da escola, Ri- cardo Costa, a Tutores foi um dos colégios que se des- tacounoencontrodemante- nedoresdevidooseucresci- mento de 400%. “A Tutores dobraoseunúmerodealuno por ano. No mês de setem- brofaremosquatroanos.Os dados estatísticos do COC mostram que nos três anos temos, ano a ano, dobrado a quantidade de alunos. Fica- mosextremamenteconten- tesemserreconhecidosco- AnaCristina,SandroBonás-VicePresidente daPersonBra- sileRicardoCosta Devidoaocrescimento, aescolapassaráafazer partedobancodeexce- lência do COC INFORME PUBLICITÁRIO
  5. 5. Sexta-Feira • 28 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br6 Cotidiano Dona Neli ganha uma moto zero km do Grupo Minasprev Apac de Lagoa da Prata recebe sete toneladas de açúcar da Biosev •O Grupo Minasprev rea- lizou na manhã do último sábado (22/08) o sorteio de uma moto Yamaha Fac- tor entre os associados do Plano de Assistência Fami- liar Minasprev. A contem- plada foi a aposentada Ne- li Borges Garcia, moradora no bairro Santa Alexandri- na, em Lagoa da Prata. De- zenas de pessoas acompa- nharamosorteio.Aempre- sa ofereceu música, pipoca ealgodão-doceaospartici- pantes. Acampanha“Quemtem Minas,temmais”,realizada entre os meses de março a agostode2015,teveporob- jetivovalorizaroassociado do Plano Minasprev. Cerca de30milcuponsconcorre- ramaoprêmio. Duas pessoas presen- tes foram convidadas pa- ra acompanhar o sorteio e conferir se o cupom pre- miado estava preenchido corretamente. O diretor- -presidente do Grupo Mi- •A Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (APAC)deLagoadaPratare- cebeunodia21deagostosete toneladas de açúcar da Bio- sev. Executivos da empresa fizeram a entrega simbólica domantimentoqueseráuti- lizado na fabricação de pães naprópriainstituição.Adoa- çãofazpartedoprojeto“La- goadaPrataSolidária”,idea- lizadoporGilbertoSilva. ParaJoséLibériodeMe- lo, presidente do Hospital SãoCarloseparceirodaBio- de termos conseguido fazer o evento e acima de tudo ter atingido o objetivo”, ressal- tou. Segundo Lindomar Ri- beiro, executivo da Biosev, a intençãodaempresaeraen- tregar o açúcar que está dis- poníveldesdeaépocadado- ação, mas devido à dificul- dadedereceberessagrande quantidade de uma só vez, optou-se em fazer a entre- ga simbólica. “Eu gostaria deassinar,emnomeda Bio- sev, o documento para con- solidar a autorização para a Apac, com a qual os repre- sentantespodemirlánausi- naeretiraroaçúcardeacor- docomanecessidade”,fina- lizou. sev,amelhormaneiradebe- neficiartodasasinstituições seria fazer a doação para a APAC. “Como a quantidade deaçúcarémuitogrande,fi- cou decidido entre os orga- nizadoresdoeventoeasen- tidadesbeneficiadasqueto- da a doação feita pela Bio- sevseriaentregueàApacde Lagoa da Prata, que vai usar o material na fabricação de pães que serão distribuídos na mesma proporção às en- tidades do município”, afir- mou. Gilberto Silva também destacou o seu orgulho em podercontarcomaajudade empresas e da população de Lagoa da Prata para benefi- ciar as entidades. “Fico feliz nasprev, Érico Ricardo Ma- tucuma, acompanhou todo o evento e informou à dona Neli,portelefone,queelaha- viaganhadoamotozeroqui- lômetro.“Nossa,quebeleza! Fiqueimuitoalegre.Fuiuma dasprimeiraspessoasafazer oplano”,disseNeli. Em entrevista ao Jornal Cidade, Érico agradeceu a confiança da população de Lagoa da Prata e reafirmou o compromisso do Grupo Minasprev em sempre ofe- recer benefícios que trazem maisvaloràvidadaspessoas. “Nossa missão é servir bem as famílias. É estar presente emtodososmomentos,sen- doúteis,oferecendocarinho, apoioeconforto.Essafiloso- fiaestáimplantadaemtodas as empresas, na Funerária SãoFrancisco,naDrogariae no Laboratório Minasprev. Eaempresacresceusempre alicerçada nas necessidades dos nossos associados. Ho- menagear os nossos asso- ciados é muito gratificante. É em momentos como esse, emquepercebemosnosorri- sodedonaNeli,queavidava- le a pena se pudermos fazer outraspessoasfelizes.Estou muitofeliz”,finalizouÉrico. INFORME PUBLICITÁRIO DonaNeli,associadadoPlanoMinaspreveÉricoMatucuma,diretor-presidentedoGrupoMinasprev Momentodosorteio Executivos da empresa, Gilberto Silva e representantes de entidades em Lagoa da Prata comemoramaWaçãobeneficente O Grupo Minasprev ofereceu música, pipoca e algodão- -doceaosparticipantes. Fotos:GrupoMinasprev Foto:JéssicaRibeiro Aposentada foi a gran- decontempladadapro- moção “Quem tem Mi- nasprev, tem mais” A iniciativa faz parte do projeto“LagoadaPrata Solidária” realizado em dezembro de 2014 DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br
  6. 6. Sexta-Feira • 28 Agosto 2015 facebook.com/jornalcidademg 7Cotidiano Dona Humberta é a mais antiga integrante do Congado em LP •Com 92 anos, Humberta Pereira Delfino, conhecida como“DonaHumberta”,éa componente mais antiga do ReinadoemLagoadaPratae atualmenteéaRainhaConga da festa. Ela recebeu a equi- pedoJornalCidadeemuma varanda na casa de sua irmã econtoucomoéseraRainha Conga mais antiga de Lagoa daPrata.Brincando,elaain- da comentou que pretende viveraté120anosequeatéo fimdesuavidasededicaráao reinado. Jornal Cidade: Como a se- nhoracomeçouafazerpar- te do reinado em Lagoa da Prata? Humberta Pereira: Quan- doaquiaindaerachamadode ArraialdoPântano,meuavô, queerasitiante,criouoreina- donomunicípio.Elesecha- mavaAntônioPereiraBarbo- saeminhaavóAnaPereirade Jesus.Meuavômorreuquan- doeutinhaapenasoitoanos, masperpetuamosatradição. Jornal Cidade: Como a se- nhora explica a paixão de suafamíliaporessacultu- raafricana? Humberta Pereira: Sou de uma geração de doze ir- mãosesomosdescendentes de sul-africanos (por par- te da minha bisavó) e ango- lanos (por parte do meu bi- savô). Toda essa cultura ho- jeérepresentadanoreinado. Jornal Cidade: Desde quando a senhora faz par- tedoreinado? HumbertaPereira:Eucos- tumo falar que dentro da barriga da minha mãe eu já acompanhava o reinado e por isso conheço a cultu- ra antes de nascer. Minha mãe era Rainha Conga e a minha avó Rainha Perpé- tua, pois naquele tempo só existiam duas rainhas. De- pois que meu pai ficou no lugar do meu avô é que sur- giramasRainhasdePromes- sa. O Reinado tem um bom significado em minha vida, poisrepresentaumareligião e uma fé, onde reúne muita gente e traz movimento pa- ra a cidade. Atrás desse mo- vimentosegerarendaparao município. Jornal Cidade: Atualmen- te,oreinadorecebepessoas demuitascidades.Aquese deve esse encanto que faz as pessoas percorrem qui- lômetros para fazer parte dessafesta? Humberta Pereira: A festa reúneemLagoadaPratavá- rioscongadeirosdeLuz,Es- teios,EstreladoIndaiá,Do- resdoIndaiá,Formiga,San- to Antônio do Monte, Bom Despacho, Carmo do Caju- ru,CarmodaMataeDivinó- polis.Essaéumafestapopu- larquerecebepessoasdeto- das as classes, cores e cida- des. Quando uma festa é re- ceptivaatodosospovoséfá- cil fazer com que as pessoas sintam-seavontadeparaes- taraqui.Eestoumuitoentu- siasmada com a chegada da data, que será de 4 a 7 de se- tembro. Jornal Cidade: Obrigado por nos receber para esta conversa sobre nossa cul- tura. A senhora gostaria fazer mais alguma consi- deração? Humberta Pereira: O Rei- nado é uma festa que a ci- dade inteira participa, ri- cos e pobres, pretos e bran- cos. Agora vai surgir a can- tina.Nãoseiquandovaisair. Santo Antônio do Monte já conseguiu. Dizem que ago- ra a nossa verba saiu. Esta- moslutandohámaisdetrin- taanosparaganhar.Averba só vai ser liberada depois que o presidente da festa fi- zerumorçamentodomate- rial e da mão de obra. Nos- sareuniãodecongadoacon- tece na primeira sexta-feira decadamês.Tenhoqueestar presenteparafazeraabertu- radareunião,poissouaRai- nhaConga.Soumuitoentu- siasmada com a festa e que- ria que voltasse o tratamen- toqueopovodavaaoscortes. Em entrevista ao Jornal Cidadeelacontoucomo começou a paixão pela cultura Brincando, dona Humberta comentou que pretende viver até os 120 anos e que até o fim desuavidasededicaráaoreinado. Foto:ArquivoPessoal DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br
  7. 7. Sexta-Feira • 28 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br8 Solidariedade e Voluntariado Untitled-1 1 26/05/15 09:52 Serviços de Obras Sociais realiza campanha para aumentar número de colaboradores •OServiçodeObrasSociais deLagoadaPrata(S.O.S)es- tá realizando uma campa- nhaparaaumentaronúme- rodecolaboradoresquepos- sam fazer doações mensal- menteparaajudaramanter a instituição. Atualmente o SOS atende 88 idosos, e de acordocomapresidenteLu- dmila Rocha Dorella, o cus- to mensal da unidade é ele- vado. “Hoje contamos com um quadro de funcionários, que são enfermeiros, técni- cos em enfermagem, psicó- logas, assistente social, mé- dicos (voluntários), nutri- cionista, cozinheiras, auxi- liaresdecozinhaecuidado- ras.Tudoissogeraumcusto. Nossas despesas são muito altas e os recursos são pou- cos para cuidar dos nossos idosos dignamente”, afir- mou. A realização da campa- nhasurgiudeumaideiapro- postaporumgrupodecola- boradores. “A ideia surgiu quando apresentamos nos- sas reais necessidades fi- nanceiras para o susten- detrabalhosocial,comodis- tribuição de alimento, rou- paemedicamentos;clubede mãesparaorientaçãoeesco- la profissionalizante. Hoje, apenasoserviçodeacolhida de idosos com condição so- cial desfavorável e vínculos familiares rompidos ou en- fraquecidos”, ressaltou Lu- dmila. to do SOS e as necessida- desqueaindatemosemvis- tas de uma série de adequa- çõesqueprecisamserfeitas emrelaçãoacontrataçãode pessoal para corresponder- mosàlegislaçãovigente.No último ano obtivemos mui- tos avanços, mas ainda es- tamos bem longe do ide- al. Tomando conhecimen- to de que era grande a ne- cessidade de aumentarmos nossa renda mensal, surgiu a ideia de pedir a parceria dos meios de comunicação disponíveisemnossacidade para sensibilizar a comuni- dadedeLagoadaPrataeau- mentar nossa receita a par- tirdacontribuiçãodepesso- as solidárias que abracem a causa com fidelidade”, res- saltouapresidente. O Serviço de Obras So- ciais existe há 47 anos em Lagoa da Prata e foi criado por Maria Teresa Winters, holandesa,leigaconsagrada doInstitutoUnitas,quefun- douolocalcomoobjetivode socorrerasnecessidadesdos pobres. “No começo, o SOS desenvolvia várias frentes Foto:JéssicaRibeiro DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br Quem puder fazer a doação deve entrar em contato com Tales ou Rosa pelo telefone 3261-1744, ou deixar um recado na fanpa- gedoSOS.Umaequipe da instituição entrará em contato para fazer o cadastro. As doações também poderão ser feitas através da conta de água, para isso, bas- taprocuraroserviçode atendimento do SAAE ou solicitar a ficha de cadastro no próprio SOS.
  8. 8. Sexta-Feira • 28 Agosto 2015 facebook.com/jornalcidademg 9Saúde e Bem Estar Academia Estação do Corpo completa 18 anos INFORME PUBLICITÁRIO “Equipamentosmodernossãoimportantespara umaboaacademia,masaqualificação profissional,semdúvida,éimprescindível”. AlencardeCastro,diretordaAcademiaEstaçãodoCorpo Paracomemoraradata,aacademiapassouporuma sériedeinvestimentosemsuaestruturafísica,equi- pamentos e modalidades de aulas •Comemorandosuamaioridadenestemêsdeagosto,aaca- demiaEstaçãodoCorporealizouumasériedeinvestimen- tosemsuaestruturafísica,equipamentosemodalidadesde aulas.Seusnovosambientes,quesãoclimatizadosecomdi- visão para público feminino, agora contam com um novo e diferenciado visual. Na sala de musculação ocorreu uma completa mudança estrutural com a aquisição de 24 novos equipamentos,comdesingebiomecânicadeúltimageração. Programas de atividade física e emagrecimento Sempreacompanhandoasnovastendênciasdomercado aacademiaofereceaindaváriasatividadesparaaquelesque buscamalgo alémdamusculação: Pilates,Zumba,Power Mix (localizada) e Spinning são nossos programas mais procurados. AempresadispõetambémdeserviçosdePer- sonal Trainer para os que buscam um atendimento exclu- sivo. Além destas atividades, recentemente a academia lan- çouumprogramapersonalizado:oCrossTraining Cross Training É um programa de condicionamento físico e força que proporcionaumamploeequilibradoníveldeaptidãofísica esaúdeparaqualquertipodepessoa,independentedaida- deeníveldecondicionamentofísico,indicadoparainician- teseatletas. Nosso treinamento se diferencia por ser exclusivo. Foi desenvolvidoutilizandováriosmétodosjáconsagrados,co- moCROSSFIT,TREINAMENTOFUNCIONALeHIIT. Cada sessão de Cross Training é única. As mudanças constantesnostreinosproporcionamaulasdinâmicaseva- riadas,queé ótimaopçãoparaquembuscafugirdamuscu- laçãoeaulastradicionais. Aintensidadedosestímulosgeraaltogastocalóricocom ótimosresultadosemumcurtoespaçodetempo,perfeitopa- raquembuscaemagrecimentoecondicionamentofísico. Atendimento á várias gerações Em 18 anos a empresa conquistou muitos alunos e ami- gos,eatendehojesuaterceirageraçãodeclientes.Temosvá- riasfamíliasquefazempartedaacademia,oquedemonstra acapacidadedeatendimentoaosmaisvariadosobjetivos,já quecadaalunobuscaumafinalidadediferente.Temosentre nossosalunos(as),algunsexemplosdeavós,filhas(os)ene- tosfrequentandoaacademia. Equipe de professores SegundoAlencar,ograndediferencialdaacademiaésua equipe de professores . Os melhores professores da cidade trabalham na academia ou já fizeram parte da sua equipe e hoje são profissionais de destaque. O conhecimento técni- coacumuladocomacontribuiçãodosseusprofessores,alu- nos e funcionários no transcorrer destes 18 anos é, sem du- vidanenhuma,omaiorpatrimônioqueaempresapossui. Mudanças no mercado Nesses 18 anos à frente da academia, o professor e dire- tordaAcademiaEstaçãodoCorpo,AlencarCastro,observa uma grande mudança no perfil dos alunos que buscam ati- vidadefísica,assimcomoosobjetivosdecadaum.Segundo oprofessor,opúblicoquebuscaacademiahojeémuitoeclé- ticoecomfaixaetáriavariável,aestéticavempoucoapouco dividindoespaçocomobjetivoscomoasaúde,obemestar, aqualidadedevidaeatéareabilitaçãofísica.Otrabalho desenvolvidopelaacademianestes18anostornouamesma uma referência entre médicos e fisioterapeutas da cidade, quesemprenosindicamcomoamelhoropçãoparaativida- desvoltadasàsaúdeereabilitaçãofísica. ProfessoresEveraldo,IzabelaeDiego ProfessoresFrane Riquelme
  9. 9. Sexta-Feira • 28 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br10 Cultura Estúdio de dança Impactus participará de festival internacional • O 21º festival de dança do Mercosul contará com a participação de aproxima- damente 3 mil bailarinos de diversos países, dentre eles o Brasil. Até o momen- to, Lagoa da Prata é a única cidademineiraqueseráre- presentada, com a partici- pação do Estúdio de Dança Impactus. Ocritériodeseleçãodas coreografias a serem apre- sentadas no festival foi por meio de uma seleção feita pela coordenação do even- to,queanalisoudezenasde vídeos. O Impactus enviou 15coreografiasdaprofesso- ra e diretora Bianca Mayra, das quais 14 foram selecio- nadas, com a participação de 50 bailarinos. Nesta pri- meira viagem por motivos diversos, dentre eles o fi- nanceiro, apenas 12 baila- rinos alunos participarão. Propor novos desa- fios aos alunos faz parte da proposta de excelência de qualidade da escola, uma vez ter ao longo destes 8 anos participado de diver- sos festivais competitivos, trazendo como resultado mais de 100 troféus de pri- meiros, segundos e tercei- ros lugares. “Entendemos que uma competição fo- ra do país, além de propor- cionar aos alunos uma no- va experiência, será ainda uma oportunidade de ava- liarotrabalhodosprofesso- res, diretores e o desenvol- vimento dos alunos. É jus- toagradecerecompartilhar estasconquistascompesso- as e empresas que sempre nosapoiaramnarealização deeventoscomoosfestivais de final de ano. São elas DX informática,Tutoreseaco- operativa Lagoacred”, afir- ma Bianca. DA REDAÇÃO redacao@jornalcidademg.com.br BiancaMayra,diretoraeprofessoradoStudioImpactus BailarinosqueirãoparticipardofestivalnaArgentina Fotos:ArquivoPessoal O evento acontecerá de 3 a 7 de setembro na Ar- gentina
  10. 10. Sexta-Feira • 28 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br12 Especial Em noite de gala, ACE/CDL “100 Melhores Empresas •A ACE/CDL realizou no sábado (22/08), no Umu- arama Clube, a cerimônia de entrega da segunda edi- ção do prêmio empresarial “As100MelhoresEmpresas e Profissionais de Lagoa da Prata”.Emumanoitedega- la, que contou com a parti- cipação de diversas autori- dades, os homenageados ti- veramumarecepçãoperso- nalizadapelaequipedeceri- monialesaborearamumbu- fêservidopelaDivinaGula. O baile ofereceu música paratodososgostos.Oviolo- nista Bruno Grossi foi a pri- meiraatraçãodoevento.Ele cantou canções clássicas da música popular brasileira. Após a entrega dos troféus, ocantorAlessandroCalega- ri,acompanhadodesuaban- da, embalou os maiores hits domomento.E,noencerra- mento, a Escola de Samba Bateria Show Nota 10, lite- ralmente,colocouopúblico paradançaresedivertir. OMéritoEmpresarialda ACE/CDL em 2015 trouxe novidadesemrelaçãoaoano anterior. A primeira, e con- sideradapeladireçãodaen- tidade como a mais impor- tante,foioprocessodeapu- ração junto à opinião públi- casobreasmelhoresempre- sas.AACE/CDLcontratouo maior instituto de pesquisa deMinasGerais,oCP2,que foioresponsávelpelatrans- parência de todo o proces- so. A outra novidade, foi re- conhecer o mérito de em- presaseprofissionaisdeJa- paraiba e Moema. “Vive- mos num mundo globaliza- do.Hojejánãoexistemfron- teirasparaocomérciomun- dialetorcerparaqueumpa- ís distante tenha progresso em sua economia é tão ne- cessário quanto cuidar da economiadeseuprópriopa- ís. Cidades também funcio- namassim.Reconhecerque Japaraíba e Moema fazem partedonossocrescimento, damesmaformaquecontri- buímos para o crescimento deles,éfundamental.Nessas cidades irmãs, a classe em- presarialtambémsedestaca. Porissonossentimoshonra- dosemhomenageá-los”,dis- seopresidentedaCDL,Pau- loRobertoAgostinhoPerei- ra, que ainda comentou so- breatransparêncianaesco- lhadasempresashomenage- adas. “O evento é um suces- so.Aprimeiraedição,noano passado, quebrou um para- digma que até levantava co- mentários,deumladooude outro,sobreatransparência dos prêmios. A Associação Comercial veio com o obje- tivo de trazer transparência ao processo. Contratamos o maiorinstitutodepesquisas de Minas Gerais. Foi um in- vestimento pesado, que só foipossívelporqueesseprê- mio tem o único objetivo de reconhecer publicamente o trabalhodosempresários.A Associação Comercial não visalucrodenenhumaespé- cie. O fato de não ter lucro é quenospossibilitacontratar aCP2eaindatercondiçãode ofereceraoempresáriotodo o marketing para mostrar a capacidade da empresa de- le e oferecer um baile de ga- la como o de hoje a um cus- tomuitodiferenciado”,con- clui. INFORME PUBLICITÁRIO AACE/CDLdeLagoadaPrataemparceriacomaFederami- nas realizará a campanha de Natal, uma promoção de âm- bitoestadual queirásortearumacasanovalorde250mil reais e 3 caminhonetes Amarok. De acordo com o superin- tendente da federação, Ricardo Lacerda, será a maior cam- panha de Minas Gerais. Os consumidores de Lagoa da Prata aindapoderãoparticipardosorteiolocalde3motos,20bi- cicletas e 20 mil reais em prêmios instantâneos, ofereci- dos pela ACE/CDL LP. CAMPANHA DE NATAL Bruno Grossi Alessandro Calegari Escola de Samba Bateria Show nota 10 DiegoTravez, Márcia Ribeiro, Duda Antunes, Cris Guerra, Alexandre Antunes, Paulo Pereira e José Raimundo Rezende
  11. 11. Sexta-Feira • 28 Agosto 2015 facebook.com/jornalcidademg 13Especial L entrega o prêmio s e Profissionais” EMPRESÁRIOS E AUTORIDADES APROVAM RELAÇÃO DAS EMPRESAS HOMENAGEADAS “O trabalho da ACE/CDL de LagoadaPrataéumexemplo. Esseeventoquecondecoraos 100 melhores empresários é fantástico. Num momento de crise, de situação difícil, a ACE/CDLcelebraaqueleque merece, que produz, que ge- ra empregos e que gera ren- da. Sou lojista e sei o quanto é difícil gerar emprego. Gos- taria de parabenizar a todos. Estoumuitoorgulhosodees- taraquiemLagoadaPrata.A ACE/CDltemsidosempreum braçodireitodaFederação.” FrankSinatra,presidenteda FCDL-MG “Parabéns a todos vocês, em- presários! Vocês são respon- sáveis diretos pela força de nossa economia. Em nome daAdministraçãoMunicipal, colocoasportasdaprefeitura abertas para vocês. Seremos sempreparceiros.” Roberto do Tuim, empresá- rio e vice-prefeito “Éumainiciativabacanapor- que nos incentiva sempre a melhorar a nossa prestação de serviço para continuar sendoreconhecida.” GracieneLacerda-Personal Trainner “É uma iniciativa que veio para ficar. Nós, empresá- rios, ficamos muito honra- dosemserescolhidoentreas 100 melhores empresas. Vin- do da ACE/CDL a gente sen- te uma segurança, pois tem muitacredibilidade.” Janaina Amorim Sousa - RCA Imóveis “Premiarosempresáriosque se destacaram é um incenti- voparaquetodosmelhorem e incentivem a economia lo- cal.AFederaminasrealizato- dos os anos o Mérito Empre- sarial.Em2015seráemPoços de Caldas e com certeza terá um empresário de Lagoa da Prata que será premiado. Es- tamos preparando para esse ano,emparceriadaACEeFe- deraminas,omaiorNatalque LagoadaPrataterá.Étempo de acreditar e buscar novas oportunidades.” Ricardo Lacerda, superin- tendente da Federaminas “Este evento mostra os em- presáriosqueasociedadere- conheceu pelo próprio méri- to,quefazemdoseucomércio umcomérciodiferenteparaa nossacidade.” JoséRaimundodeRezende, presidente da ACE/LP “A iniciativa é muito válida. Isso é importante para o co- mércio local. A gente vê que éumtrabalhomuitosério.” Elmo Nogueira - Drogaria Júnior “Foi uma pesquisa realiza- da com bastante critério. Es- se prêmio da ACE/CDL traz muita credibilidade para o empresário.” Gabriel Henrique de Miran- da - CFC Central “É um momento muito im- portante na vida do empre- sário.AACE/CDLestádepa- rabéns pela realização desse evento. É um reconhecimen- todetodososconsumidores. EsseeloentreACE/CDLeFe- deraminasémuitoimportan- teparaLagoadaPrata.” ValdirAndrade,ex-presiden- tedaACE/CDLeConselhei- ro da Federaminas “Minha mensagem é de oti- mismo e de reconhecimento aessacapacidadeincríveldo empresário de Lagoa da Pra- ta que faz a economia dessa cidade ser admirada aonde quer que a gente vá. Repre- sentando a ACE/CDL, parti- cipo de vários eventos pelo estado,eLagoadaPrataére- conhecidapelaeconomiapu- jante que faz inveja a muitas cidades.LagoadaPrataéuma cidadediferenciada,comcon- sumidoresexigenteseempre- sários que merecem todo o destaque.” Paulo Roberto Pereira, pre- sidente do CDL /LP HONRADOMÉRITO •SicoobLagoacred •SicoobCrediprata EMPRESAS CONDECORADAS JAPARAÍBA •D´Tom •FarmáciadoMarcinho •DivineModa •SvetlanaNovikoff •JoséAntôniodeMiranda EMPRESAS CONDECORADAS MOEMA •XeroxdaMaite •UniversodosCalçados •DrªMônicaIsabelCam- pos •Drª Ana Carolina Delfi- noSilva •Dr.HelsonGontijoMes- quita •OpçãoModas •NovaOpção 100MELHORES EMPRESAS •ACláudiaCalçados •AconchegosBar •ActualRecapLP •AdéliaCoutinho •Agda Costa Xavier Re- sende •ÁguiaGás •AlineAviamentos •Artefatos de Cimento Modelo •AutoEscolaCentral •Auto Peças São Francis- co •BancodoBrasil •BárbaraLingerie •CartórioJoséAmancito •CasaÂncora •CasadeCarneLopes •CasaElétrica •CasaTókio •CCAA •CentroEducacionalTu- tores •Churrasquinho do Divi- ninho •CobebDistribuidora •Compuway •DepósitoBrasil •DespachanteTavares •DivinaGula •Dr. Aladel Antônio de Melo •DrogariaJúnior •DulceModas •DXInformática •EdvaniNoivas •Embaré Industrias Ali- mentícias •EstaçãodoCorpo •EvelinMoveis •Exata5 •FloriculturaDedoVerde •FuzuêFestas •GominhaPneus •GracieneLacerda •GráficaLíder •HomeroAutoCar •JoãoAlfredoR.Neto •KenkôSushiLounge •Laborclin •LavaJatodoPatrique •LeãodosVidros •LindomarFotógrafo •Lojão0800 •LuidarTintas •LuizaBaby •ManoeldeCastroBaia •Instituto Maria Augusta Machado-IMAM •MadeireiraCima •MarinaTecidos •MarmorariaAndrade •Netwise •PanLanchesPrado •PapelariaJoséOlympio •PatriciaRezende •PaulinaBorges •PicogelSorveteria •PizzariaRezende •R.AMóveis •RCAImóveis •RelojoariaÔmega •RestauranteRequintes •RochaTur •SacolãoCoutinho •SalãodaVanusa •SallyGarciadeLima •SaúdeeVida •Sefer •SerralheriaSantos •SolarHotel •SommusSistemas •Spenceer •StudioImpactus Supermercado de Rede ABC SupermercadoLocalPra- doeMiranda •Terramaq •TerritórioAnimal •Topcell(Vivo) •ToteSeguradora •VasconcelosVeículos •VegasMotel •VeizinhoMotos •Zappa
  12. 12. Sexta-Feira • 28 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br14 Editais e Publicações  1 Relatório da Administração Senhores Associados, Submetemos à apreciação de V.S.as as Demonstrações Contábeis do semestre findo em 30/06/2015 da Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Lagoa da Prata e Região Ltda. – SICOOB LAGOACRED GERAIS, na forma da Legislação em vigor. 1. Política Operacional Em 2015 o SICOOB LAGOACRED GERAIS completou 18 anos mantendo sua vocação de instituição voltada para fomentar o crédito para seu público alvo, os cooperados. A atuação junto aos seus cooperados se dá principalmente através da concessão de empréstimos e captação de depósitos. 2. Avaliação de Resultados No primeiro semestre de 2015, o SICOOB LAGOACRED GERAIS obteve um resultado de R$ 1.545.848,45, representando um retorno sobre o Patrimônio Líquido de 8,73%. 3. Ativos Os recursos depositados na Centralização Financeira somaram R$ 19.177.722,43. Por sua vez a carteira de créditos representava R$ 66.470.775,65. A carteira de crédito encontrava-se assim distribuída: Empréstimos R$ 35.697.913,50 53,71% Financiamentos R$ 1.796.002,81 2,70% Títulos descontados R$ 19.195.434,40 28,87% Cartão Lagoacred Card R$ 9.781.424,94 14,72% Total R$ 66.470.775,65 100,00% Os Vinte Maiores Devedores representavam na data-base de 30/06/2015 o percentual de 19,49% da carteira, no montante de R$ 11.155.669,58. 4. Captação As captações, no total de R$ 57.209.250,16, apresentaram uma evolução em relação ao mesmo período do exercício anterior de 31,34%. As captações encontravam-se assim distribuídas: Depósitos à Vista R$ 16.582.429,78 28,99% Depósito à prazo R$ 40.626.820,38 71,01%  3 Tendo em vista o risco que envolve a intermediação financeira, a Cooperativa adota ferramentas de gestão. Para exemplificar, na concessão de crédito, a Cooperativa adota o Manual de Crédito, aprovado, como muitos outros manuais, pelo Sicoob Confederação e homologado pela Central. Além do Estatuto Social, são adotados regimentos e regulamentos, entre os quais destacamos o Regimento Interno, o Regimento do Conselho de Administração, o Regimento do Conselho Fiscal, o Regulamento Eleitoral. A Cooperativa adota procedimentos para cumprir todas as normas contábeis e fiscais, além de ter uma política de remuneração de seus empregados e estagiários dentro de um plano de cargos e salários que contempla a remuneração adequada, a separação de funções e o gerenciamento do desempenho de todo o seu quadro funcional. Todos esses mecanismos de controle, além de necessários, são fundamentais para levar aos associados e à sociedade em geral a transparência da gestão e de todas as atividades desenvolvidas pela instituição. 8. Conselho Fiscal Eleito a cada 2 anos na AGO, com mandato até a AGO de 2017, o Conselho Fiscal tem função complementar à do Conselho de Administração. Sua responsabilidade é verificar de forma sistemática os atos da administração da Cooperativa, bem como validar seus balancetes mensais e seu balanço patrimonial anual. Todos os membros efetivos e suplentes do Conselho Fiscal participaram de um curso de formação ministrado pelo SICOOB CENTRAL CECREMGE, com o objetivo de detalhar as responsabilidades dos conselheiros fiscais e as formas de exercê-las. 9. Código de Ética Todos os integrantes da equipe do SICOOB LAGOACRED GERAIS aderiram, por meio de compromisso firmado, ao Código de Ética e de Conduta Profissional proposto pela Confederação Nacional das Cooperativas do SICOOB – SICOOB CONFEDERAÇÃO. A partir de então, todos os novos funcionários, ao ingressar na Cooperativa, assumem o mesmo compromisso. 10. Sistema de Ouvidoria A Ouvidoria, constituída em 2007 representou um importante avanço a serviço dos cooperados, dispõe de diretor responsável pela área e de um Ouvidor. Atende às manifestações recebidas por meio do Sistema de Ouvidoria do SICOOB, composto por sistema tecnológico específico, atendimento via DDG 0800 e sítio na internet integrado com o sistema informatizado de ouvidoria tendo  2 Os Vinte Maiores Depositantes representavam na data-base de 30/06/2015 o percentual de 20,47% da captação, no montante de R$ 11.706.413,15. 5. Patrimônio de Referência O Patrimônio de Referência do SICOOB LAGOACRED GERAIS era de R$16.391.193,79. O quadro de associados era composto por 20.496 Cooperados, havendo um acréscimo de 16,14% em relação ao mesmo período do exercício anterior. 6. Política de Crédito A concessão de crédito está pautada em prévia análise do propenso tomador, havendo limites de alçadas pré-estabelecidos a serem observados e cumpridos, cercando ainda a Singular de todas as consultas cadastrais e com análise do Associado através do “RATING” (avaliação por pontos), buscando assim garantir ao máximo a liquidez das operações. O SICOOB LAGOACRED GERAIS adota a política de classificação de crédito de sua carteira de acordo com as diretrizes estabelecidas na Resolução CMN nº 2.682/99, havendo uma concentração de 95,49% nos níveis de “A” a “C”. 7. Governança Corporativa Governança corporativa é o conjunto de mecanismos e controles, internos e externos, que permitem aos associados definir e assegurar a execução dos objetivos da cooperativa, garantindo a sua continuidade, os princípios cooperativistas ou, simplesmente, a adoção de boas práticas de gestão. Nesse sentido, a administração da Cooperativa tem na assembleia geral, que é a reunião de todos os associados, o poder maior de decisão. A gestão da Cooperativa está alicerçada em papéis definidos, com clara separação de funções. Cabem ao Conselho de Administração as decisões estratégicas e à Diretoria Executiva, a gestão dos negócios da Cooperativa no seu dia a dia. A Cooperativa possui ainda um Agente de Controles Internos, supervisionado diretamente pelo SICOOB LAGOACRED GERAIS, que, por sua vez, faz as auditorias internas. Os balanços da Cooperativa são auditados por auditor externo, que emite relatórios, levados ao conhecimento dos Conselhos e da Diretoria. Todos esses processos são acompanhados e fiscalizados pelo Banco Central do Brasil, órgão ao qual cabe a competência de fiscalizar a Cooperativa.  4 a atribuição de assegurar o cumprimento das normas relacionadas aos direitos dos usuários de nossos produtos, além de atuar como canal de comunicação com os nossos associados e integrantes das comunidades onde estamos presentes. No primeiro semestre de 2015, a Ouvidoria do SICOOB LAGOACRED GERAIS não registrou nenhuma manifestação de cooperados sobre a qualidade dos produtos e serviços oferecidos pela Cooperativa. 11. Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito – FGCoop De acordo com seu estatuto, o Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito – FGCoop tem por objeto prestar garantia de créditos nos casos de decretação de intervenção ou de liquidação extrajudicial de instituição associada, até o limite de R$ 250 mil por associado, bem como contratar operações de assistência, de suporte financeiro e de liquidez com essas instituições. O conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou resolução que estabelece a forma de contribuição das instituições associadas ao Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito – FGCoop, ratifica também seu estatuto e regulamento. Conforme previsto na Resolução nº 4.150, de 30.10.2012, esse fundo possui como instituições associadas todas as cooperativas singulares de crédito do Brasil e os bancos cooperativos integrantes do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC). Conforme previsto no artigo 2º da Resolução/CMN nº 4.284, de 05/11/2013, a contribuição mensal ordinária das instituições associadas ao Fundo é de 0,0125% dos saldos das obrigações garantidas, que abrangem as mesmas modalidades protegidas pelo Fundo Garantidor de Créditos dos bancos, o FGC, ou seja, os depósitos à vista e à prazo, as letras de crédito do agronegócio, entre outros. As contribuições ao FGCoop pelas instituições a ele associadas tiveram inicio a partir do mês de março de 2014 e recolhidas no prazo estabelecido no § 4º do art. 3º da Circular 3.700, de 06/03/2014. Ainda nos termos de seu estatuto, a governança do Fundo será exercida pela Assembleia Geral, pelo Conselho de Administração e pela Diretoria Executiva, e está estruturada de modo a permitir a efetiva representatividade das associadas, sejam elas cooperativas independentes ou filiadas a sistemas cooperativistas de crédito, sendo o direito de voto proporcional às respectivas contribuições ordinárias. Agradecimentos Agradecemos aos nossos associados pela preferência e confiança e aos funcionários e colaboradores pela dedicação. Lagoa da Prata, 07 de Agosto de 2015. Conselho de Administração e Diretoria
  13. 13. Sexta-Feira • 28 Agosto 2015 facebook.com/jornalcidademg 15Editais e Publicações Em Reais A T I V O 30/06/2015 30/06/2014 Circulante 69.306.364,31 51.785.203,43 Disponibilidades 523.076,79 688.928,16 Relações Interfinanceiras (Nota 4) 19.236.285,29 14.779.435,55 Correspondentes 58.562,86 171.240,31 Centralização Financeira - Cooperativas 19.177.722,43 14.608.195,24 Operações de Crédito (Nota 5) 39.377.355,09 28.475.264,49 Operações de Crédito 40.982.716,98 30.098.409,74 (Provisão para Operações de Crédito de Liquidação Duvidosa) (1.605.361,89) (1.623.145,25) Outros Créditos (Nota 6) 10.020.735,86 7.692.973,75 Rendas a Receber 250.129,21 173.219,95 Diversos 10.239.942,93 7.670.511,88 (Provisão para Outros Créditos de Liquidação Duvidosa) (469.336,28) (150.758,08) Outros Valores e Bens (Nota 7) 148.911,28 148.601,48 Outros Valores e Bens 97.150,35 97.150,35 (Provisões para Desvalorizações) (27.631,49) (27.631,49) Despesas Antecipadas 79.392,42 79.082,62 Realizável a Longo Prazo 16.549.344,59 11.921.331,54 Operações de Crédito (Nota 5) 16.260.866,89 11.741.793,99 Operações de Crédito 16.260.866,89 11.741.793,99 Outros Créditos (Nota 6) 288.477,70 179.537,55 Diversos 288.477,70 179.537,55 Permanente 3.927.600,14 2.205.131,20 Investimentos (Nota 8) 1.489.756,47 1.195.084,65 Participações em Cooperativas 1.489.756,47 1.195.084,65 Imobilizado em Uso (Nota 9) 1.894.995,67 965.058,53 Outras Imobilizações de Uso 3.414.200,94 2.188.757,60 (Depreciações Acumuladas) (1.519.205,27) (1.223.699,07) Intangível (Nota 10) 38.999,94 34.295,52 Ativos Intangíveis 183.180,31 164.697,25 (Amortização Acumulada) (144.180,37) (130.401,73) Diferido (Nota 11) 503.848,06 10.692,50 Gastos de Organização e Expansão 587.930,74 60.401,94 (Amortização Acumulada) (84.082,68) (49.709,44) TOTAL DO ATIVO 89.783.309,04 65.911.666,17 As Notas Explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis. BALANÇOS PATRIMONIAIS PARA OS SEMESTRES FINDOS EM 30 JUNHO DE 2015 E 2014 Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Lagoa da Prata e Região Ltda. SICOOB LAGOACRED GERAIS Em Reais Descriminação 30/06/2015 30/06/2014 RECEITAS(INGRESSOS) DAINTERMEDIAÇÃOFINANCEIRA 6.639.263,28 4.597.989,75 Operações deCrédito 6.639.263,28 4.597.989,75 DESPESAS(DISPÊNDIOS) DAINTERMEDIAÇÃOFINANCEIRA (3.433.176,37) (2.416.865,70) Operações deCaptaçãonoMercado (2.384.132,25) (1.540.967,26) Operações deEmpréstimos, Cessões eRepasses (258.196,68) (196.800,15) ProvisãoparaCréditos deLiquidaçãoDuvidosa (790.847,44) (679.098,29) RESULTADOBRUTODAINTERMEDIAÇÃOFINANCEIRA 3.206.086,91 2.181.124,05 OUTRAS RECEITAS/DESPESAS (INGRESSOS/DISPÊNDIOS) OPERACIONAIS (820.869,96) (941.478,37) Receitas(Ingressos) dePrestaçãodeServiços 1.956.769,13 1.149.931,40 Rendas(Ingressos) deTarifas Bancárias 1.193.997,01 838.186,65 Despesas(Dispêndios) dePessoal (3.115.580,90) (2.356.274,17) Outras Despesas(Dispêndios) Administrativas (1.806.698,59) (1.384.717,00) Despesas(Dispêndios) Tributárias (44.576,58) (41.834,89) Outras Receitas(Ingressos) Operacionais (Nota18) 70.499,60 50.195,38 Ingressos deDepósitos Intercooperativos 1.037.910,89 844.725,03 Outras Despesas(Dispêndios) Operacionais (Nota19) (113.190,52) (41.690,77) RESULTADOOPERACIONAL 2.385.216,95 1.239.645,68 RESULTADONÃOOPERACIONAL (Nota 20) 12.644,77 30.088,17 RESULTADOANTES DATRIBUTAÇÃOSOBRE OLUCROE PARTICIPAÇÕES 2.397.861,72 1.269.733,85 ProvisãoparaImpostodeRenda (20.572,65) (7.399,95) ProvisãoparaContribuiçãoSocial (19.378,68) (7.399,95) Participações noresultado (181.163,02) - LUCRO/PREJUÍZO(SOBRA/PERDA) LÍQUIDO 2.176.747,37 1.254.933,95 JUROS SOBRE CAPITAL PRÓPRIO(Nota 17) (630.898,92) (424.672,28) Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Lagoa da Prata e Região Ltda. SICOOB LAGOACRED GERAIS As Notas Explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis. DEMONSTRAÇÕES DE SOBRAS OU PERDAS PARAOS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHODE 2015 E 30 DE JUNHODE 2014 Em Reais BALANÇOS PATRIMONIAIS PARA OS SEMESTRES FINDOS EM 30 JUNHO DE 2015 E 2014 Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Lagoa da Prata e Região Ltda. SICOOB LAGOACRED GERAIS P A S S I V O 30/06/2015 30/06/2014 Circulante 67.806.487,02 51.963.989,04 Depósitos (Nota 12) 57.209.250,16 43.621.551,41 Depósitos à Vista 16.582.429,78 14.067.275,97 Depósitos a Prazo 40.626.820,38 29.554.275,44 Relações Interdependências 21.194,05 16.130,84 Recursos em Trânsito de Terceiros 21.194,05 16.130,84 Obrigações Por Empréstimos (Nota 13) 3.286.134,71 2.012.562,28 Empréstimos no País - Outras Instituições 3.286.134,71 2.012.562,28 Obrigações Por Repasses do País - Instituições Oficiais (Nota 13) 334.323,55 1.030.684,62 Outras Instituições 334.323,55 1.030.684,62 Outras Obrigações (Nota 14) 6.955.584,55 5.283.059,89 Cobrança e Arrecadação de Tributos e Assemelhados 64.123,08 48.187,83 Sociais e Estatutárias 663.467,21 399.420,13 Fiscais e Previdenciárias 220.907,60 245.506,58 Diversas 6.007.086,66 4.589.945,35 Exigível a Longo Prazo 4.251.528,11 971.549,87 Depósitos 83.232,44 - Depósitos a Prazo 83.232,44 - Obrigações Por Empréstimos (Nota 13) 3.666.666,86 499.999,95 Empréstimos no País - Outras Instituições 3.666.666,86 499.999,95 Obrigações Por Repasses do País - Instituições Oficiais (Nota 13) 388.888,83 361.111,06 Outras Instituições 388.888,83 361.111,06 Outras Obrigações (Nota 14) 112.739,98 110.438,86 Diversas 112.739,98 110.438,86 Patrimônio Líquido (Nota 16) 17.725.293,91 12.976.127,26 Capital Social 11.521.914,48 9.178.037,63 De Domiciliados no País 11.696.060,35 9.226.561,05 (Capital a Realizar) (174.145,87) (48.523,42) Reserva de Lucros 4.181.992,75 2.967.827,96 Sobras Acumuladas 2.021.386,68 830.261,67 TOTAL 89.783.309,04 65.911.666,17 As Notas Explicativas são parte integrante das demonstrações contábeis. EmReais CapitalSubscrito Capitala Realizar Legal Contingências Saldosem31/12/2013 8.206.774,75 (9.637,62) 2.555.928,22 195.031,79 1.177.967,34 12.126.064,48 DestinaçãodeSobrasExercícioAnterior AoFATES (178.489,89) (178.489,89) ConstituiçãodeReservas 137.299,91 274.599,83 (411.899,74) AoCapital 781.313,11 (781.313,11) CotasdeCapitalàPagar-Exassociados (1.296,39) (1.296,39) MovimentaçãodeCapital: - PorSubscrição/Realização 518.900,69 (38.885,80) 480.014,89 Por Devolução(-) (124.141,81) (124.141,81) EstornodeCapital (156.285,69) (156.285,69) ReversõesdeReservas (195.031,79) 195.031,79 - SobrasouPerdasLíquidas 1.254.933,95 1.254.933,95 ProvisãodeJurosaoCapital (424.672,28) (424.672,28) Saldosem30/06/2014 9.226.561,05 (48.523,42) 2.693.228,13 274.599,83 830.261,67 12.976.127,26 Saldosem31/12/2014 10.583.099,33 (150.510,87) 3.574.318,51 155.863,65 1.735.209,86 15.897.980,48 DestinaçãodeSobrasExercícioAnterior AoFATES (94.553,68) (94.553,68) ConstituiçãodeReservas 607.674,24 (607.674,24) AoCapital 708.777,94 (708.777,94) CotasdeCapitalàPagar-Exassociados (4.529,42) (4.529,42) MovimentaçãodeCapital: - PorSubscrição/Realização 674.386,14 (23.635,00) 650.751,14 Por Devolução(-) (270.203,06) (270.203,06) EstornodeCapital - ReversõesdeReservas (155.863,65) 155.863,65 - SobrasouPerdasLíquidas 2.176.747,37 2.176.747,37 ProvisãodeJurosaoCapital (630.898,92) (630.898,92) Saldosem30/06/2015 11.696.060,35 (174.145,87) 4.181.992,75 - 2.021.386,68 17.725.293,91 AsNotasExplicativassãoparteintegrantedasdemonstraçõescontábeis. Totais SobrasouPerdas Acumuladas ReservasdeSobras Eventos Capital CooperativadeCréditodeLivreAdmissãodeLagoadaPrataeRegiãoLtda. SICOOBLAGOACREDGERAIS DEMONSTRAÇÃODASMUTAÇÕESDOPATRIMÔNIOLÍQUIDOPARAOSSEMESTRESFINDOSEM30DEJUNHODE2015E2014
  14. 14. Sexta-Feira • 28 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br16 Editais e Publicações Em Reais Atividades Operacionais Sobras/Perdas do Semestre 2.397.861,72 1.269.733,85 IRPJ / CSLL (39.951,33) (14.799,90) Participação dos Funcionários no Resultado (181.163,02) - Provisão para Operações de Crédito 71.427,16 442.172,63 Provisão de Juros ao Capital (630.898,92) (424.672,28) Depreciações e Amortizações 212.191,26 109.930,69 1.829.466,87 1.382.364,99 Aumento (redução) em ativos operacionais Operações de Crédito (10.473.418,47) (5.525.558,23) Outros Créditos 369.468,11 (775.874,43) Outros Valores e Bens 2.453,85 (37.368,29) Aumento (redução) em passivos operacionais Depósitos a Vista (74.689,24) 2.723.374,22 Depósitos a Prazo 10.994.919,65 6.953.135,17 Outras Obrigações (5.052.010,68) (5.170.750,15) Relações Interdependências 7.764,08 10.807,34 Obrigações por Empréstimos e Repasses 4.741.820,11 (855.292,95) Caixa Líquido Aplicado em Atividades Operacionais 2.345.774,28 (1.295.162,33) Atividades de Investimentos Aplicação no Intangível (18.483,06) - Aplicação no Diferido (527.528,80) - Inversões em Imobilizado de Uso (810.619,40) (313.678,20) Inversões em Investimentos (7.967,46) (428.276,44) Outros Ajustes - 194,67 Caixa Líquido Aplicado / Originado em Investimentos (1.364.598,72) (741.759,97) Atividades de Financiamentos Aumento por novos aportes de Capital 650.751,14 480.014,89 Devolução de Capital à Cooperados (270.203,06) (124.141,81) Estorno de Capital - (156.285,69) Destinação de Sobras Exercício Anterior Cotas de Capital à Pagar (4.529,42) (1.296,39) Destinação de Sobras Exercício Anterior Ao FATES (94.553,68) (178.489,89) Caixa Líquido Aplicado / Originado em Financiamentos 281.464,98 19.801,11 Aumento / Redução Líquida das Disponibilidades 1.262.640,54 (2.017.121,19) Modificações em Disponibilidades Líquida No Ínicio do Período 18.496.721,54 17.485.484,90 No Fim do Período (Nota 3 - c) 19.759.362,08 15.468.363,71 Variação Líquida das Disponibilidades 1.262.640,54 (2.017.121,19) DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA PARA OS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHO DE 2015 E 2014 30/06/2015 30/06/2014 Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Lagoa da Prata e Região Ltda. SICOOB LAGOACRED GERAIS DESCRIÇÃO  2 Brasil. Nesse sentido, os Pronunciamentos contábeis já aprovados pelo Banco Central do Brasil são: CPC Conceitual Básico (R1) - Resolução CMN nº4.144/12; CPC 01(R1) - Redução ao Valor Recuperável de Ativos - Resolução CMN nº 3.566/08; CPC 03 (R2) - Demonstrações do Fluxo de Caixa - Resolução CMN nº 3.604/08; CPC 05 (R1) - Divulgação sobre Partes Relacionadas - Resolução CMN nº 3.750/09; CPC 10 (R1) - Pagamento Baseado em Ações - Resolução CMN nº 3.989/11; CPC 23 – Políticas Contábeis, Mudança de Estimativa e Retificação de Erro. – Resolução CMN nº 4.007/11; CPC 24 - Evento Subsequente - Resolução CMN nº 3.973/11; e CPC 25 – Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes – Resolução CMN nº 3.823/09. 3. Resumo das principais práticas contábeis a) Apuração do resultado Os ingressos e dispêndios são registrados de acordo com o regime de competência. As operações de crédito com taxas pré-fixadas são registradas pelo valor de resgate, e os ingressos e dispêndios correspondentes ao período futuro são apresentados em conta redutora dos respectivos ativos e passivos. Os ingressos e dispêndios de natureza financeira são contabilizados pelo critério "pro-rata temporis" e calculados com base no método exponencial, exceto aquelas relativas a títulos descontados, que são calculadas com base no método linear. As operações de crédito com taxas pós-fixadas são atualizadas até a data do balanço. As receitas e despesas são reconhecidas na demonstração de sobras em conformidade com o regime de competência. As receitas com prestação de serviços são reconhecidas na demonstração de sobras ou perdas quando da prestação de serviços a terceiros, substancialmente serviços bancários. Os dispêndios e as despesas e os ingressos e receitas operacionais, são proporcionalizados de acordo com os montantes do ingresso bruto de ato cooperativo e da receita bruta de ato não-cooperativo, quando não identificados com cada atividade. b) Estimativas contábeis Na elaboração das demonstrações contábeis faz-se necessário utilizar estimativas para contabilizar certos ativos, passivos e outras transações. As demonstrações contábeis da Cooperativa incluem, portanto, estimativas referentes à provisão para créditos de liquidação duvidosa, à seleção das vidas úteis dos bens do ativo imobilizado, provisões necessárias para passivos contingentes, entre outros. Os resultados reais podem apresentar variação em relação às estimativas utilizadas. A Cooperativa revisa as estimativas e premissas, no mínimo, semestralmente. c) Caixa e equivalentes de caixa Caixa e equivalentes de caixa, conforme Resolução CMN nº 3.604/08, incluem as rubricas caixa, depósitos bancários e as relações interfinanceiras de curto prazo e de alta liquidez, com risco insignificante de mudança de valores e limites, com prazo de vencimento igual ou inferior a 90 dias. O caixa e equivalente de caixa compreendem: 30/06/2015 30/06/2014 Caixa e depósitos bancários 523.076,79 688.928,16 Relações interfinanceiras – centralização financeira 19.236.285,29 14.779.435,55 Total 19.759.362,08 15.468.363,71  1 Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Lagoa da Prata e Região Ltda. – SICOOB LAGOACRED GERAIS NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHO DE 2015 E 2014 1. Contexto operacional A Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Lagoa da Prata e Região Ltda. – SICOOB LAGOACRED GERAIS é uma cooperativa de crédito singular, instituição financeira não bancária, fundada em 20 de Outubro de 1996, filiada à Central das Cooperativas de Economia e Crédito de Minas Gerais Ltda. – SICOOB CENTRAL CECREMGE e componente da Confederação Nacional das Cooperativas do SICOOB – SICOOB CONFEDERAÇÃO, em conjunto com outras cooperativas singulares e centrais. Tem sua constituição e o funcionamento regulamentados pela Lei nº 4.595/64, que dispõe sobre a Política e as Instituições Monetárias, Bancárias e Creditícias, pela Lei nº 5.764/71, que define a Política Nacional do Cooperativismo, pela Lei Complementar nº 130/09, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo e pela Resolução CMN nº 3.859/10, do Conselho Monetário Nacional, que dispõe sobre a constituição e funcionamento de cooperativas de crédito. A Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Lagoa da Prata e Região Ltda. – SICOOB LAGOACRED GERAIS, possui Posto de Atendimento (PA) na cidade de Santo Antonio do Monte. O SICOOB LAGOACRED GERAIS tem como atividade preponderante a operação na área creditícia, tendo como finalidade: (i) Proporcionar, através da mutualidade, assistência financeira aos associados; (ii) A formação educacional de seus associados, no sentido de fomentar o cooperativismo, através da ajuda mútua da economia sistemática e do uso adequado do crédito; e (iii) Praticar, nos termos dos normativos vigentes, as seguintes operações dentre outras: captação de recursos, concessão de créditos, prestação de garantias, prestação de serviços, formalização de convênios com outras instituições financeiras e aplicação de recursos no mercado financeiro, inclusive depósitos a prazo com ou sem emissão de certificado, visando preservar o poder de compra da moeda e remunerar os recursos. Em 12 de março de 2010 ocorreu a transformação do SICOOB LAGOACRED GERAIS para entidade de "Livre Admissão de Associados"; aprovada junto ao Banco Central do Brasil - BACEN em 12 de maio de 2010. 2. Apresentação das demonstrações contábeis As demonstrações contábeis são de responsabilidades da Administração da Cooperativa e foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, consideradas as alterações exigidas pelas Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09, adaptadas às peculiaridades da legislação cooperativista e às normas e instruções do Banco Central do Brasil – BACEN, bem como apresentadas conforme o Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional – COSIF. Consideram ainda, no que for julgado pertinente e relevante, os pronunciamentos, orientações e as interpretações técnicas emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC. Desta forma, as demonstrações contábeis foram revisadas e aprovadas pela administração, em sua reunião datada de 06/08/2015. Em aderência ao processo de convergência às normas internacionais de Contabilidade, algumas Normas e suas Interpretações foram emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), as quais serão aplicadas às instituições financeiras quando aprovadas pelo Banco Central do  3 d) Operações de crédito As operações de crédito com encargos financeiros pré-fixados são registradas a valor futuro, retificadas por conta de rendas a apropriar e as operações de crédito pós-fixadas são registradas a valor presente, calculadas "pro rata temporis", com base na variação dos respectivos indexadores pactuados. A apropriação dos juros é interrompida após vencidas há mais de 60 dias. As operações classificadas como nível “H” permanecem nessa classificação por 6 meses, quando então são baixadas contra a provisão existente e controladas em conta de compensação, não mais figurando no balanço patrimonial. e) Provisão para operações de crédito Constituída em montante julgado suficiente pela Administração para cobrir eventuais perdas na realização dos valores a receber, levando-se em consideração a análise das operações em aberto, as garantias existentes, a experiência passada, a capacidade de pagamento e liquidez do tomador do crédito e os riscos específicos apresentados em cada operação, além da conjuntura econômica. A Resolução CMN nº 2.682 introduziu os critérios para classificação das operações de crédito definindo regras para constituição da provisão para operações de crédito, as quais estabelecem nove níveis de risco, de AA (risco mínimo) a H (risco máximo). f) Depósitos em garantia Existem situações em que a cooperativa questiona a legitimidade de determinados passivos ou ações movidas contra si. Por conta desses questionamentos, por ordem judicial ou por estratégia da própria administração, os valores em questão podem ser depositados em juízo, sem que haja a caracterização da liquidação do passivo. g) Investimentos Representados substancialmente por quotas do SICOOB CENTRAL CECREMGE e ações do Bancoob, avaliadas pelo método de custo de aquisição. h) Imobilizado Equipamentos de processamento de dados, móveis, utensílios e outros equipamentos, instalações, veículos, benfeitorias em imóveis de terceiros e softwares, são demonstrados pelo custo de aquisição, deduzido da depreciação acumulada. A depreciação é calculada pelo método linear para baixar o custo de cada ativo a seus valores residuais de acordo com as taxas divulgadas em nota específica abaixo, que levam em consideração a vida útil econômica dos bens. i) Diferido O ativo diferido foi constituído pelas benfeitorias realizadas nas propriedades de terceiros, e pelos softwares adquiridos, registrados pelos custos incorridos nas benfeitorias e pelo custo de aquisição, respectivamente, e classificados nessa conta conforme determinação do COSIF. Esses gastos estão sendo amortizados pelo método linear no período de 05 anos. Conforme determinado pela Resolução CMN nº 3.617/08, devem ser registrados no ativo diferido, exclusivamente, os gastos que contribuirão para o aumento do resultado de mais de um exercício social. Os saldos existentes em setembro de 2008 são mantidos até a sua efetiva realização.
  15. 15. Sexta-Feira • 28 Agosto 2015 facebook.com/jornalcidademg 17Editais e Publicações  4 j) Intangível Correspondem aos direitos adquiridos que tenham por objeto bens incorpóreos destinados à manutenção da Cooperativa ou exercidos com essa finalidade. Os ativos intangíveis com vida útil definida são geralmente amortizados de forma linear no decorrer de um período estimado de benefício econômico. Os ativos intangíveis compreendem softwares adquiridos de terceiros e são amortizados ao longo de sua vida útil estimada. k) Ativos contingentes Não são reconhecidos contabilmente, exceto quando a Administração possui total controle da situação ou quando há garantias reais ou decisões judiciais favoráveis sobre as quais não cabem mais recursos contrários, caracterizando o ganho como praticamente certo. Os ativos contingentes com probabilidade de êxito provável, quando aplicável, são apenas divulgados em notas explicativas às demonstrações contábeis. l) Valor recuperável de ativos - impairment A redução do valor recuperável dos ativos financeiros (impairment) é reconhecida como perda, quando o valor de contabilização de um ativo, exceto outros valores e bens, for maior do que o seu valor recuperável ou de realização. As perdas por “impairment”, quando aplicável são registradas no resultado do período em que foram identificadas. Em 30 de junho de 2015 não existem indícios da necessidade de redução do valor recuperável dos ativos financeiros m) Obrigações por empréstimos e repasses As obrigações por empréstimos e repasses são reconhecidas inicialmente no recebimento dos recursos, líquidos dos custos da transação. Em seguida, os saldos dos empréstimos tomados são acrescidos de encargos e juros proporcionais ao período incorrido, assim como das despesas a apropriar referente aos encargos contratados até o final do contrato, quando calculáveis. n) Demais ativos e passivos São registrados pelo regime de competência, apresentados ao valor de custo ou de realização, incluindo, quando aplicável, os rendimentos e as variações monetárias auferidos, até a data do balanço. Os demais passivos são demonstrados pelos valores conhecidos ou calculáveis, acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes encargos e das variações monetárias incorridos. o) Provisões São reconhecidas quando a cooperativa tem uma obrigação presente legal ou implícita como resultado de eventos passados, sendo provável que um recurso econômico seja requerido para saldar uma obrigação legal. As provisões são registradas tendo como base as melhores estimativas do risco envolvido. p) Passivos contingentes São reconhecidos contabilmente quando, com base na opinião de assessores jurídicos, for considerado provável o risco de perda de uma ação judicial ou administrativa, gerando uma provável saída no futuro de recursos para liquidação das ações, e quando os montantes envolvidos forem mensurados com suficiente segurança. As ações com chance de perda possível são apenas divulgadas em nota explicativa às demonstrações contábeis e as ações com chance remota de perda não são divulgadas.  6 Em 2015 ocorreu a implantação da nova Plataforma de Risco de Crédito – PRC que contém um conjunto de 14 (quatorze) metodologias para avaliação de risco de tomadores e do risco das operações de crédito, em consonância com o preconizado na Resolução CMN nº 2.682/99. Desde então, as cooperativas podem utilizar a PRC para subsidiar as suas decisões de crédito. A avaliação de risco das operações é feita com base em Estimação de Perdas (PE) e parte da combinação do risco do tomador (PD – Probabilidade de Descumprimento) com o componente de risco Perda Dado o Descumprimento (LGD, em inglês), que é definido em função das garantias vinculadas. Em 30/06/15, 49,5% do saldo devedor das operações de crédito já encontravam-se avaliados por essas novas metodologias. b) Composição por tipo de operação, e classificação por nível de risco de acordo com a Resolução CMN nº 2.682/1999: Nível / Percentual de Risco / Situação Total em 30/06/2015 Provisões 30/06/2015 Total em 30/06/2014 Provisões 30/06/2014 A 0,50% Normal 40.789.268,84 203.947,47 31.495.436,30 157.479,04 B 1% Normal 10.174.552,78 101.745,53 5.313.721,91 53.137,22 B 1% Vencidas 1.301.069,88 13.010,70 624.550,02 6.245,50 C 3% Normal 1.537.459,69 46.123,80 1.374.094,40 41.222,83 C 3% Vencidas 857.067,49 25.712,03 338.902,07 10.167,02 D 10% Normal 151.321,94 15.132,20 418.693,89 41.869,39 D 10% Vencidas 702.875,78 70.287,58 322.749,40 32.274,94 E 30% Normal 59.367,88 17.810,37 455.645,06 136.693,52 E 30% Vencidas 472.322,14 141.696,65 150.661,61 45.198,48 F 50% Normal 42.126,50 21.063,25 126.602,81 63.301,40 F 50% Vencidas 300.991,36 150.495,68 197.330,55 98.665,27 G 70% Normal 17.187,69 12.031,39 44.965,72 31.476,00 G 70% Vencidas 172.222,20 120.555,54 238.117,84 166.682,49 H 100% Normal 17.333,23 17.333,23 181.400,01 181.400,01 H 100% Vencidas 648.416,47 648.416,47 557.332,14 557.332,14 Total Normal 52.788.618,55 435.187,24 39.410.560,10 706.579,41 Total Vencido 4.454.965,32 1.170.174,65 2.429.643,63 916.565,84 Total Geral 57.243.583,87 1.605.361,89 41.840.203,73 1.623.145,25 Provisões (1.605.361,89) (1.623.145,25) Total Líquido 55.638.221,98 40.217.058,48 c) Composição da carteira de crédito por faixa de vencimento: Descrição Até 90 De 91 a 360 Acima de 360 Total Empréstimos 5.266.484,70 11.952.425,39 15.368.176,15 32.587.086,24 Títulos Descontados 16.723.793,61 2.471.640,79 0,00 19.195.434,40 Financiamentos 268.595,20 634.716,87 892.690,74 1.796.002,81 Total 22.258.873,51 15.058.783,05 16.260.866,89 53.578.523,45 Obs.: Não inclui Adiantamento a Depositantes, Cheque Especial e Conta Garantida.  5 q) Obrigações legais São aquelas que decorrem de um contrato por meio de termos explícitos ou implícitos, de uma lei ou outro instrumento fundamentado em lei, aos quais a Cooperativa tem por diretriz. r) Imposto de renda e contribuição social O imposto de renda e a contribuição social sobre o lucro são calculados sobre o resultado apurado em operações consideradas como atos não-cooperativos. O resultado apurado em operações realizadas com cooperados é isento de tributação. s) Segregação em circulante e não circulante Os valores realizáveis e exigíveis com prazos inferiores a 360 dias estão classificados no circulante, e os prazos superiores, no longo prazo (não circulante). t) Eventos subsequentes Correspondem aos eventos ocorridos entre a data-base das demonstrações contábeis e a data de autorização para a sua emissão. São compostos por: • Eventos que originam ajustes: são aqueles que evidenciam condições que já existiam na data-base das demonstrações contábeis; e • Eventos que não originam ajustes: são aqueles que evidenciam condições que não existiam na data-base das demonstrações contábeis. Não houve qualquer evento subsequente para as demonstrações contábeis encerradas em 30 de junho de 2015. 4. Relações interfinanceiras Em 30 de junho de 2015 e 2014, as aplicações em Relações Interfinanceiras estavam assim compostas: Descrição 30/06/2015 30/06/2014 Correspondentes 58.562,86 171.240,31 Centralização Financeira – Cooperativas (a) 19.177.722,43 14.608.195,24 Total 19.236.285,29 14.779.435,55 (a) Referem-se à centralização financeira das disponibilidades líquidas da Cooperativa, depositadas junto ao SICOOB CENTRAL CECREMGE conforme determinado no art. 37, da Resolução CMN nº 3.859/10. 5. Operações de crédito a) Composição da carteira de crédito por modalidade: Modalidade 30/06/2015 30/06/2014 Circulante Não Circulante Total Adiantamento a Depositante 554.233,16 0,00 554.233,16 454.338,66 Cheque Especial / Conta Garantida 3.110.827,26 0,00 3.110.827,26 1.576.963,95 Empréstimos 17.218.910,09 15.368.176,15 32.587.086,24 26.405.798,51 Financiamentos 903.312,07 892.690,74 1.796.002,81 1.223.838,56 Títulos Descontados 19.195.434,40 0,00 19.195.434,40 12.179.264,05 ( - ) Provisão para Perda com Operações de Crédito (1.605.361,89) (1.623.145,25) Total 40.982.716,98 16.260.866,89 55.638.221,98 40.217.058,48  7 d) Composição da carteira de crédito por tipo de produto, cliente e atividade econômica: Descrição 30/06/2015 % da carteira Setor Privado – Comércio 14.093.566,25 26,30% Setor Privado – Indústria 46.792,96 0,09% Setor Privado – Outros Serviços 4.684.099,32 8,74% Pessoa Física 34.754.064,92 64,87% Total 53.578.523,45 100,00% e) Movimentação da provisão para créditos de liquidação duvidosa de operações de crédito: Descrição 30/06/2015 30/06/2014 Saldo Inicial 1.533.934,73 1.180.972,62 Constituições / Reversões no período Transferência para Prejuízo no período 489.916,52 (418.489,36) 630.339,71 (188.167,08) Total 1.605.361,89 1.623.145,25 f) Concentração dos Principais Devedores: Descrição 30/06/2015 % Carteira Total 30/06/2014 % Carteira Total Maior Devedor 1.260.586,96 2,21% 600.181,71 1,43% 10 Maiores Devedores 50 Maiores Devedores 6.725.317,01 19.006.950,27 11,75% 33,21% 4.236.641,53 13.379.179,67 10,08% 33,26% Não foram consideradas as hipóteses de grupos econômicos. g) Movimentação de Créditos Baixados Como Prejuízo: Descrição 30/06/2015 30/06/2014 Saldo inicial 1.992.441,79 1.400.502,18 Valor das operações transferidas no período Valor das operações recuperadas no período 489.916,52 (117.981,52) 188.167,08 (28.869,77) Total 2.364.376,79 1.559.799,49 6. Outros créditos Valores referentes às importâncias devidas a Cooperativa por pessoas físicas ou jurídicas domiciliadas no país, conforme demonstrado: Descrição 30/06/2015 30/06/2014 Rendas a Receber 250.129,21 173.219,95 Serviços Prestados a Receber 66.206,32 13.602,23 Outras Rendas a Receber 183.922,89 159.617,72 Diversos 10.528.420,63 7.850.049,43 Adiantamentos e Antecipações Salariais 114.442,28 67.193,63 Adiantamentos Para Pgto de nossa conta 13.701,80 0,00 Adiantamentos por Conta de Imobilizações 28.005,45 248.151,12 Devedores por Depósitos em Garantia (a) 288.477,70 179.537,55 Impostos e Contribuições a Compensar 80.295,80 5.837,95 Títulos e Créditos a Receber (b) 9.797.454,28 6.803.709,67 Devedores Diversos – País 206.043,32 545.619,51 (-)Provisão para Outros Créditos de Liquidação Duvidosa (469.336,28) (150.758,08) Total 10.309.213,56 7.872.511,30
  16. 16. Sexta-Feira • 28 Agosto 2015 www.jornalcidademg.com.br18 Editais e Publicações  8 (a) Em Devedores por Depósito em Garantia estão registrados depósitos judiciais para: Interposições Trabalhistas (R$ 25.096,75) e Cheques Caução Garantia Junto à Central Cecremge, liquidados aguardando recebimento do crédito pela Central (R$ 263.380,95). (b) A rubrica Títulos e Créditos à Receber está composta em sua maioria por valores à receber de Clientes Cartão Lagoacred Card, referente a compras efetuadas pelos mesmos (R$ 9.781.424,94) e composta também por tarifas à receber de cooperados (R$ 16.029,34) 7. Outros valores e bens Descrição 30/06/2015 30/06/2014 Outros Valores e Bens 69.518,86 69.518,86 Bens Não de Uso Próprio 97.150,35 97.150,35 (-)Provisão Bens não de Uso Próprio (27.631,49) (27.631,49) Despesas Antecipadas 79.392,42 79.082,62 Total 148.911,28 148.601,48 Em Bens Não de Uso Próprio está registrado o valor referente a bens recebidos como dação em pagamento de dívidas, não estando sujeitos a depreciação ou correção. Registram-se ainda no grupo, as despesas antecipadas, referentes a prêmios de seguros, contribuição cooperativista, IPTU. 8. Investimentos O saldo é, substancialmente, representado por quotas do SICOOB CENTRAL CECREMGE e ações do BANCOOB. Movimentação dos Investimentos: Descrição SICOOB CENTRAL CECREMGE BANCOOB Total Saldos em 31/12/2013 709.387,22 57.420,99 766.808,21 Investimentos 418.012,16 10.264,28 428.276,44 Provisão para perdas 0,00 0,00 0,00 Saldos em 30/06/2014 1.127.399,38 67.685,27 1.195.084,65 Saldos em 31/12/2014 1.402.899,17 78.889,84 1.481.789,01 Investimentos 0,00 7.967,46 7.967,46 Provisão para perdas 0,00 0,00 0,00 Saldos em 30/06/2015 1.402.899,17 86.857,30 1.489.756,47 9. Imobilizado de uso Demonstrado pelo custo de aquisição, menos depreciação acumulada. As depreciações são calculadas pelo método linear, com base em taxas determinadas pelo prazo de vida útil estimado conforme abaixo:  10 Os depósitos até o limite de R$ 250 mil por CPF/CNPJ estão garantidos pelo Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop), constituído conforme Resoluções CMN nº 4.150/12 e nº 4.284/13. Esse fundo tem como instituições associadas as cooperativas singulares de crédito e os bancos cooperativos integrantes do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), além disso, tem o objetivo de prestar garantia de créditos nos casos de decretação de intervenção ou de liquidação extrajudicial de instituição associada. A contribuição mensal ordinária das instituições associadas ao Fundo é de 0,0125% dos saldos das obrigações garantidas, que abrangem as mesmas modalidades protegidas pelo Fundo Garantidor de Crédito dos bancos, o FGC, que considera, os depósitos à vista e a prazo, e as letras de crédito do agronegócio, de acordo com a Resolução CMN nº 4.150/12. 13. Relações interfinanceiras / Obrigações por empréstimos e repasses São demonstradas pelo valor principal acrescido de encargos financeiros e registram os recursos captados junto a outras instituições financeiras para repasse aos associados em diversas modalidades e Capital de Giro. As garantias oferecidas são a caução dos títulos de créditos dos associados beneficiados. Instituições Taxa Vencimento 30/06/2015 30/06/2014 Cecremge 110% CDI 14/06/2018 6.952.801,57 2.512.562,23 BDMG TJLP + 1,5% a.a 15/02/2017 723.212,38 1.391.795,68 Total 7.676.013,95 3.904.357,91 14. Outras Obrigações 14.1 Sociais e Estatutárias Descrição 30/06/2015 30/06/2014 FATES - Fundo de Assistência Técnica, Educacional e Social (a) 195.012,12 146.546,24 Cotas de capital a pagar (b) 122.281,12 67.838,79 Gratificações a pagar Dirigentes e Funcionário (c) 346.173,97 185.035,10 Total 663.467,21 399.420,13 (a) O FATES é destinado a atividades educacionais, à prestação de assistência aos cooperados, seus familiares e empregados da cooperativa, sendo constituído pelo resultado dos atos não cooperativos e 10% das sobras líquidas, conforme determinação estatutária. A classificação desses valores em contas passivas segue determinação do Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional – COSIF. (b) As cotas de capital a pagar referem-se a valores a serem devolvidos aos cooperados de capital por solicitação de saída da cooperativa. (c) Provisão para pagamento de 14º e 15º Salário aos funcionários da Cooperativa no caso de cumprimento da meta anual aprovada no inicio do ano pelo Conselho de Administração e provisão para o fundo destinado aos diretores a ser pago aos mesmos no fim de seus mandatos, conforme aprovação em Assembleia Geral no Ano de 2011, letra “D”, item “7”. 14.2 Diversas Descrição 30/06/2015 30/06/2014 Cheques Depositados (1) 329.208,43 468.388,49 Credores Diversos (2) 4.200.981,26 3.226.889,63 Provisão Passivos Contingentes (3) 112.739,98 110.438,86 Provisão Para Pagamentos à efetuar (4) 1.442.700,66 874.391,55 Outros (5) 34.196,31 20.275,68 Total 6.119.826,64 4.700.384,21  9 Descrição Taxa de Depreciação 30/06/2015 30/06/2014 Instalações 10% 229.202,60 0,00 Móveis e Equipamentos 10% 1.197.913,63 611.045,50 Sistemas de Comunicação 20% 102.154,71 103.534,71 Sistema de Processamento de Dados 20% 1.644.361,29 1.242.697,68 Sistemas de Segurança 10% 132.294,11 123.205,11 Sistemas de Transportes 20% 108.274,60 108.274,60 TOTAL 3.414.200,94 2.188.757,60 Depreciação acumulada (1.519.205,27) (1.223.699,07) TOTAL 1.894.995,67 965.058,53 10. Intangível Nesta rubrica registram-se os direitos que tenham por objeto os bens incorpóreos, destinados à manutenção da companhia, como as licenças de uso de softwares. O valor registrado na rubrica “Intangível” refere-se a licenças de uso do Sistema de Informática do Sicoob - SISBR, adquirida em 2009, da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob Ltda. - Sicoob Confederação. Na mesma data, a Central cedeu exclusivamente às suas filiadas (cooperativas singulares associadas), devidamente autorizado pelo Sicoob Confederação, com prazo de até 31 de maio de 2019, o direito de uso do SISBR. 11. Diferido Nesta rubrica registram-se as benfeitorias realizadas nas propriedades de terceiros, substancialmente, instalações e reforma de PAs. Descrição Taxa de Amortização 30/06/2015 30/06/2014 Benfeitorias 587.930,74 60.401,94 TOTAL 587.930,74 60.401,94 Amortização acumulada 10% (84.082,68) (49.709,44) TOTAL 503.848,06 10.692,50 12. Depósitos Os depósitos à vista não são remunerados. Os depósitos a prazo recebem encargos financeiros contratados. Descrição 2015 2014 Sem Vencimento De 1 a 6 meses De 6 a 12 meses Acima de 1 ano Total Total Depósitos à vista 16.582.429,78 - - - 16.582.429,78 14.067.275,97 Depósitos a prazo 40.492.725,05 134.095,33 83.232,44 40.710.052,82 29.554.275,44 Total 16.582.429,78 40.492.725,05 134.095,33 83.232,44 57.292.482,60 43.621.551,41  11 (1) Refere-se a cheques depositados relativo a descontos enviados a compensação, porém não baixados até a data-base de 30/06/2015. (2) A Rubrica em sua maioria está composta por valores a repassar a lojistas que efetuaram vendas com o Cartão Lagoacred Card. (3) Quando do advento da lei no. 9.718/98, a cooperativa entrou com ação judicial questionando a legalidade da inclusão de seus ingressos decorrentes de atos cooperados na base de cálculo do PIS e COFINS (R$ 112.739,98). (4) Provisões Trabalhistas, como férias, 13º salario, encargos, etc. (R$ 595.169,96), provisões pagamentos de despesas Administrativas (R$162.791,38), Pagamentos efetuados com cartão de Crédito, a serem pagos (R$ 53.840,40) e Outros pagamentos, como Juros ao Capital (R$ 630.898,92) (5) Saldo composto por Obrigações por prestação de serviço, Conta Salario (R$ 34.196,31). 30/06/2015 30/06/2014 Descrição Provisão para contingências Depósitos judiciais Provisão para contingências Depósitos judiciais COFINS 112.739,98 0,00 110.438,86 0,00 Trabalhistas 0,00 25.096,75 0,00 140.209,43 Total 112.739,98 25.096,75 110.438,86 140.209,43 15. Instrumentos financeiros O SICOOB LAGOACRED GERAIS opera com diversos instrumentos financeiros, com destaque para disponibilidades, aplicações interfinanceiras de liquidez, relações interfinanceiras, operações de crédito, depósitos a vista e a prazo, empréstimos e repasses. Os instrumentos financeiros ativos e passivos estão registrados no balanço patrimonial a valores contábeis, os quais se aproximam dos valores justos. 16. Patrimônio líquido a) Capital Social O capital social é representado por cotas-partes no valor nominal de R$ 1,00 cada e integralizado por seus cooperados. De acordo com o Estatuto Social cada cooperado tem direito em um voto, independente do número de suas cotas-partes. b) Reserva Legal Representada pelas destinações estatutárias das sobras, no percentual de 30%, utilizada para reparar perdas e atender ao desenvolvimento de suas Atividades. c) Reserva de Contingências Saldo da Reserva de Contingência, no valor de R$ 155.863,65 foi revertido sendo incorporado às sobras do ano 2015, conforme decisão da Assembleia Geral de 2015. d) Sobras Acumuladas As sobras são distribuídas e apropriadas conforme Estatuto Social, normas do Banco Central do Brasil e posterior deliberação da Assembleia Geral Ordinária (AGO). Atendendo à instrução do BACEN, por meio da Carta Circular nº 3.224/06, o Fundo de Assistência Técnica, Educacional e Social – FATES é registrado como exigibilidade, e utilizado em despesas para o qual se destina, conforme a Lei nº 5.764/71. Em Assembleia Geral Ordinária, realizada em abril de 2015, os cooperados deliberaram por destinar as sobras acumuladas do exercício findo em 31 de dezembro de 2014, ao FATES o

×