SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Baixar para ler offline
Campanha exclusiva para associados das cooperativas
filiadas ao Sicoob Central Crediminas.
Use o seu Sicoobcard e concorra a:
9EtiosHatch,9TVs40’’deLED e 5S10.
Consulte as cooperativas participantes e o regulamento no site cartaopremiadosicoobcard.com.br.
CrediprataParticipação de 1º/12/2015 a 29/2/2016 para pessoas maiores de 18 anos e pessoas jurídicas, associadas a uma das cooperativas das nove regiões filiadas ao Sicoob Central Crediminas, portadoras de cartão Sicoobcard participante. Sorteios: 20/1/16 - nove Etios Hatch X, um por região; 16/3/16 - noveTVs 40”de LED,
uma por região; 30/3/16 - cinco S10 LT entre os ganhadores dasTVs. Consulte cooperativas participantes, demais condições, descrição e distribuição dos prêmios no regulamento no site www.cartaopremiadosicoob.com.br. Imagens meramente ilustrativas. Certificado de Autorização SEAE/MF nº 04/0442/2015.
CULTURA • Pág. 11
Livro da Acadelp é
lançado em Mostra
Cultural
COTIDIANO • Pág. 12
Novos conselheiros
tutelares tomam
posse em LP
Lagoa da Prata • Sexta-feira, 15/Janeiro/2016 • Edição Semanal - Ano III - Nº 73 • Jornal de Distribuição Gratuita - Venda Proibida
Páginas 04 a 09
Os bandidos vieram de Bom Despacho e foram presos com ajuda do dono de um
estabelecimento comercial
OCORRÊNCIAS • Pág. 13
Polícia Militar captura
assaltantes de relojoaria
Jornal Cidade
entrevista
vereadores
SEXTA-FEIRA, 15/JAN/20164 OPINIÃO
Carta do Editor Juliano Rossi
juliano@jornalcidademg.com.br
C
om o objetivo de mos-
traraoleitororesultado
obtido pelos vereado-
res de Lagoa da Prata nos três
primeiros anos da atual legisla-
tura,oJornalCidadeprotocolou
na secretaria da Câmara Muni-
cipal, no dia 23 de novembro,
uma solicitação de entrevis-
ta individual com cada um dos
nove parlamentares. A propos-
ta era gravar em áudio e vídeo
asentrevistas(quevocêpode
conferirembreve,naíntegra,
nositewww.jornalcidademg.
com.br) para que o leitor pos-
saavaliarseodesempenhodos
vereadores está satisfatório.
A reportagem do Jornal Ci-
dadeestipulouoprazoparaque
as entrevistas fossem realiza-
dasentreosdias27denovem-
broa4dedezembro. Emrazão
do pedido de dois vereadores,
o prazo foi estendido até o dia
14 do mês passado.
Dos9vereadoresdeLagoa
da Prata, 5 aceitaram gravar a
entrevista nos moldes acerta-
dos e dentro do prazo estabe-
lecido. Nesta edição você po-
derá ler o que tem a dizer os
parlamentares Adriano Mora-
es, Adriano Moreira, Di-Gianne
Nunes, Edmar Nunes e Paulo
Pereira. A sequência das en-
trevistas está publicada em or-
dem alfabética, a partir da pá-
gina5.OsvereadoresNatinho,
Cida Marcelino e Quelli mani-
festaram interesse em gravar a
entrevista, porém, após o pra-
zoacordadocomareportagem
do Jornal Cidade e após o iní-
cio do recesso de fim de ano
da equipe do semanário. E por
consideraçãoaosdemaisvere-
adoresquesedisponibilizaram
A
partirdefevereiro,oJor-
nalCidadefaráalgumas
mudanças em sua linha
editorial e na identidade visual.
O objetivo é estar ainda mais
sintonizado ao que o leitor es-
peralernosemanário.Estamos
implantando um departamen-
to comercial, que será coorde-
nado por Juliana Figueiredo, e
seremos os responsáveis pela
produção das quatro edições
anuais da Lagoa Em Revista,
publicação que já está em sua
quinta edição.
O que não muda é o com-
promissodelevaraoleitoruma
notícia isenta, produzida com
qualidade e riqueza de conte-
údo. Para os anunciantes, re-
novamos o nosso compromis-
so de produzir o jornal com o
maior alcance da cidade, dis-
tribuídogratuitamenteemmais
de 50 comércios, localizados
em todos (TODOS) os bairros
de Lagoa da Prata, e distribuí-
do também nos semáforos da
Avenida Brasil.
O Jornal Cidade possui
a maior tiragem (são 4.000
exemplares em cada edição)
e o maior alcance comprova-
do de todos os jornais que cir-
culam na região. A comprova-
ção da tiragem pode ser feita
por qualquer empresa, profis-
sional liberal ou leitor, sem bu-
rocracia.
aprestarcontadoseutrabalho
conforme os termos estabele-
cidos previamente, as entrevis-
tas de Natinho, Cida Marcelino
eQuelli(alémdeNegodaSaú-
de) não foram realizadas.
OJornalCidadedisponibili-
zou uma página para que cada
vereador falasse de seu traba-
lho ou de seus posicionamen-
tos. Uma mesma pergunta foi
feita para todos os parlamen-
tares: “Qual o benefício direto
que o seu trabalho como vere-
adortrouxeparaapopulaçãode
Lagoa da Prata?” Se não hou-
ve interesse por parte do vere-
ador que não quis prestar es-
te esclarecimento aos leitores,
eleitoresecidadãos,ouseove-
readornãotemnadadeconcre-
toparamostrarqueéresultado
de seu trabalho, paciência! As
eleições estão aí.
Jornal Cidade
entrevista vereadores
Novidades no
Jornal Cidade
www.pharlab.com.br
facebook.com/pharlab
@Pharlab
@pharlab_oficial@pharlab_oficial
Anuncio Jornal Cidade Institucional.indd 1 12/01/16 15:47
www.jornalcidademg.com.br
5SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016 facebook.com/jornalcidademg POLÍTICA
ENTREVISTA: VEREADOR ADRIANO MORAES
De 2013 a 2015, Adriano Moraes apresentou 72 requerimentos,
17 projetos de lei e 31 anteprojetos.
“A política é o lado sujo
que eu vivo e aqui eu sou
obrigado a ser a pessoa que
fica limpando a sujeira”
“Eu sei que
sou mal
interpretado e
isso é natural.
As pessoas
levam tempo,
a maioria leva
anos para ser
verdadeira com
você”
FOTO: JULIANO ROSSI
DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br
Como você avalia os três pri-
meiros anos desta sua legis-
latura?
Satisfatório, principalmente neste
mandato, onde a Administração fa-
voreceu os vereadores que querem
desenvolver um bom trabalho. O que
temos visto nessa gestão é que a ci-
dade virou um canteiro de obras, e a
maioria do dinheiro para essas obras
não veio do orçamento municipal, e
sim de verbas que partiram de depu-
tados estaduais e federais que fize-
ram todo esse movimento na cida-
de. Outras cidades da região estão
em crise, e nós temos uma economia
forte em Lagoa da Prata. A gente vê
que o dinheiro está sobrando para fa-
zer os projetos sociais, que é o mais
importante.
O que você pode mostrar para
o eleitor que é fruto direto do
seu trabalho e do seu empe-
nho nesses três anos da atual
legislatura?
Tenho diversos projetos em anda-
mento, como cultura disponível a to-
das as pessoas, cultura nas escolas,
pormeiodadistribuiçãodelivros,etc.
No âmbito do Legislativo, tenho di-
zer que a Câmara não funciona sem
o Executivo, porque senão os proje-
tos ficam só no papel. Todos os pro-
jetos que estiveram em andamento
nesses três anos foram viabilizados
através do Executivo. Tem que deixar
isso bem claro, porque vereador não
executaprojeto.Omelhorprojetoque
já passou aqui na casa é de minha
autoria, que proíbe o plantio de cana
no perímetro urbano. Outro, de rele-
vância, foi a melhoria da cesta bási-
ca e implantação da jornada de tra-
balho de 6 horas para os funcioná-
rios públicos.
Alguns vereadores o criticam
pelo fato de você ter uma liga-
ção muito próxima com o pre-
feitoeaAdministraçãoMunici-
pal, e que muitos dos projetos
são idealizados dentro da Pre-
feitura, o que lhe beneficiaria
politicamente. O que você tem
a dizer sobre esse assunto?
Político tem que saber fazer política.
Eu estou aqui para trabalhar para o
povo. Eu queria que todo mundo fi-
casse falando bem de mim, mas a
política não funciona desse jeito. No
meu outro mandato, onde o prefeito
só sabia ouvir o Marlúcio Meireles,
que era o secretário de governo de-
le, eu não parei de tentar me comuni-
car com o Divininho, como faço com
o Paulo Teodoro. Só que o Paulinho
me escuta, o Divininho não me escu-
tava. A diferença está só aí.
Recebemos muitas reclama-
ções de pessoas que ouvem a
reunião da Câmara pelo rádio.
Elas dizem que não se resolve
nada. Como você avalia a pro-
dutividade do trabalho da Câ-
mara?
Nos projetos importantes minha pos-
tura foi de oposição. A base do go-
verno é mais dura do que a oposição.
Não me considero uma pessoa boa,
nem justa, mas tento manter o meu
princípio de servir a população, mes-
mo que me doa, mesmo que fique al-
guns pedaços da minha carne no ca-
minho e que eu (e até minha família)
sofra muito. Trabalhar para o outro
é uma característica da minha famí-
lia que tem assistente social, profes-
sora e padre. Uma frase bíblica resu-
me: “Eu e a minha casa serviremos
ao Senhor”.
Você é um vereador conheci-
do pelos discursos inflamados
na tribuna, e tem uma perso-
nalidade mais amena no âmbi-
to pessoal. Seriam dois “Adria-
nos”, um que trabalha com
política, e outro com traba-
lhos de autoajuda? Como vo-
cê orienta as pessoas a enxer-
garem essas personalidades?
Eu não espero que elas enxerguem,
senão, elas deveriam estar aqui, e
não eu. Eu sei que sou mal interpre-
tado e isso é natural. As pessoas le-
vam tempo, a maioria leva anos para
ser verdadeira com você. Estamos
vivendo uma instabilidade nacional
e eu estou pregando a paz interior.
Então eu sou incompreendido, pois
eles não veem que há uma manipu-
lação da mídia mundial para deses-
truturar o cidadão. E eu, como um re-
presentante do cidadão, estou pre-
gando a amizade, amor, temperança,
candura, o abraço e o acolhimento.
E essas coisas para mim são impor-
tantes porque eu sei que, como re-
presentante do povo, eu tenho que
direcioná-los para o que é bom e pa-
ra o que é belo. Acho que essa é a
minha função.
Falando do mandato de legis-
lador, você tem algum arre-
pendimento de alguma pos-
tura que você tomou nesses
três anos?
Eu sou o autor da denúncia de nepo-
tismo que causou a demissão do car-
go da Lúcia de secretária de gover-
no. Não só ela, mas do Juninho, ex-
-secretário de cultura e sobrinho do
Fortunato. Vou te dar o exemplo da
Lúcia, que eu causei a demissão de-
la. Todos os pedidos da população
que eu levei, a Lucia conseguiu resol-
ver. E eu vejo que não é só isso não,
tanto ela quanto o prefeito tiram di-
nheiro do bolso para ajudar as pes-
soas e as entidades. Eu senti muito
por ter ferido pessoas que são com-
petentes e boas.
Uma proposta polêmica que
vocêcolocouempautafoiare-
dução dos salários. Na verdade
é um requerimento que pede à
Mesa Diretora, formada pelos
vereadoresCidaMarcelino,For-
tunatodoCouto,PauloRoberto
e Quelli Cássia, que coloque o
projeto em votação. O requeri-
mentofoiaprovadoporseisvo-
tos a dois. Até hoje a presiden-
te não se manifestou se vai ou
não colocar o projeto em vota-
ção.Vocêvaicobrardelaouvai
ficar por isso mesmo?
Omeupapeleujáfiz,agoravocêestá
fazendo o seu. Isso você não está fa-
zendo em seu nome e sim porque vo-
cê representa um grupo, sempre co-
brando e articulando neste sentido.
Cabe agora a vocês estarem fazen-
do a divulgação, pois o requerimen-
to é forte porque ele é contra o verea-
dornãotertempointegralparaavere-
ança. O vereador não vai largar a pro-
fissão de carreira para ser vereador,
isso é impossível, sei disso. A maio-
ria está quase aposentando e não vai
largar a carreira. Mas é amoral, antié-
tico e chato quando a gente vê o ve-
readornohoráriodetrabalhodevere-
ança estar exercendo outro cargo de
carteira assinada.
Vocêvaisercandidatonaselei-
ções de 2017?
Soucatólicopraticanteeacreditoque
nãocaiumafolhadaárvoresenãofor
davontadedeDeus.Ofuturonãode-
pendedemim.Aminhavontadeénão
candidatar.
Mas e a questão dos salários
que você propôs para os próxi-
mos vereadores?
Não é só a questão do salário, isso é
o mínimo. Uma coisa é a minha von-
tade e outra é a de Deus, que rege as
coisas. A política é o lado sujo que eu
vivo e aqui eu sou obrigado a ser a
pessoaqueficalimpandoasujeira.Eu
queriamexercomcultura,trabalharle-
cionando, pois sou professor. Queria
trabalhar atendendo, pois estou for-
mando em psicanálise. Eu não que-
ria estar trabalhando nesse chiquei-
ro, que é a política, mas foi aqui que
Deus me colocou e é aqui que eu te-
nho que usar o meu dom. E aqui Ele
medácondiçõesdeestarcrescendo
comopessoa.Agenteaprendeénas
dificuldades, é na luta, é vendo o lado
feio do irmão, que a gente vê que não
está preparado, tem muita imaturida-
de e a gente tem que amá-lo mesmo
sabendo que ele está falando mal de
você pelas costas no Facebook e no
Whatsapp.
O espaço está aberto para as
suas considerações finais.
Primeiramente, aos leitores do Jornal
Cidade quero deixar o meu agradeci-
mento, agradeço à equipe do Jornal
Cidade que tem feito um trabalho di-
ferenciado,eagradeçoprincipalmen-
te ao prefeito municipal Paulo César
Teodoro, que sem uma boa gestão o
vereador fica só ouvindo não e que
não tem dinheiro, conforme eu ouvia
na outra gestão. Estamos passando
porumacrisemundialeLagoadaPra-
tacomtantaobraetudofuncionando
bem. Tem uma hora que precisamos
largar as diferenças de lado e pensar
maior, de uma forma iluminada. Agra-
deço principalmente a Deus que tem
iluminado.
6 SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016www.jornalcidademg.com.brPOLÍTICA
ENTREVISTA: VEREADOR ADRIANO MOREIRA
De 2013 a 2015, Adriano Moreira apresentou 87 requerimentos,
15 projetos de lei e 17 anteprojetos.
“É um projeto que compete
à Mesa Diretora. Assim que
o projeto for mandado, se for
mandado, a gente pode fazer
emendas para adequá-lo da
melhor maneira possível”
Sobre a redução dos salários dos vereadores
“As pessoas
saberão se o
vereador fará
projetos, se
está debatendo
e se está se
posicionando
de forma
adequada. Ali o
vereador vai se
expor de forma
negativa ou
positiva”
Sobre as transmissões da
reunião pelo rádio
FOTO: JULIANO ROSSI
DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br
Oquevocêpodeapresentarpa-
ra o eleitor que foi resultado di-
reto de seu trabalho nos três
primeiros anos desta legisla-
tura?
O principal do vereador, além do po-
sicionamento dele, não é a quantida-
de de projetos, mas sim a qualidade.
Equeessesprojetosinterfiramnavida
das pessoas no dia a dia para melho-
rar a qualidade de vida delas. Dentre
os meus projetos eu posso citar três,
que é o projeto que multa os donos
quenãolimpamasresidências,ouse-
ja, se for encontrado um foco de den-
gueessapessoaserámultada.Outro
éoqueimplantouoProgramaCâma-
ra Mirim, que é um projeto que leva a
política para dentro da escola. Tive-
mos de 1000 a 1500 eleitores e ele-
gemos nove vereadores nas escolas.
Também tivemos o projeto ficha lim-
pa, que é uma adaptação do proje-
to federal.
Você votou a favor do reque-
rimento que visava diminuir o
salário dos vereadores a par-
tir de 2017, mas até hoje a Me-
sa Diretora não colocou a pro-
posta em votação. Qual é a sua
opinião?
O vereador que não faz parte da Me-
sa Diretora não pode apresentar es-
se projeto por vício de iniciativa. É um
projeto que compete à Mesa Direto-
ra. Assim que o projeto for mandado,
se for mandado, a gente pode fazer
emendas para adequá-lo da melhor
maneira possível.
Recentemente, quando o Mu-
nicípio fez a entrega dos lotes
para as famílias que foram be-
neficiadas, no seu discurso vo-
cê ressaltou que foi a primeira
vezqueoMunicípiofazdoação
de lotes e que passa pela aná-
lise da Câmara e por uma sin-
dicância de um profissional de
assistência social, que no ca-
so foi você, que é funcionário
concursado da prefeitura. Fale
um pouco mais sobre essa de-
claração.
O Executivo Municipal que faz essa
doação de lote. Sabemos que passa
pelaCâmaraparaaaprovaçãodopro-
jeto e para um embasamento melhor
o profissional de serviço social verá
ascondiçõeseconômicasequestões
que afetam a família como um todo.
A sua fala na hora da entrega
deixou a entender que nas ges-
tões passadas não havia esse
cuidado de verificar se a famí-
lia realmente precisava.
Não só isso, mas a questão de doar
um lote de boca e nem passar pela
Câmara. Não é que não passava pela
Câmara,masadoaçãodoloteerafei-
tadeformaprecária,ouseja,aspesso-
as que receberam os lotes há 10, 12,
15 anos agora é que estão regulari-
zandoasituaçãopelaCâmara.Então,
uma pessoa recebeu um lote e tec-
nicamente ou juridicamente esse lo-
te ainda é do município. Assim, nem a
doação foi feita, tampouco a questão
do relatório do assistente social. Não
foi passado pela Câmara e não foi fei-
ta a documentação. Esses lotes tec-
nicamente são da prefeitura.
As pessoas reclamam muito
do horário que a Câmara faz as
reuniões, às 16 horas. Existe a
possibilidade de voltar a reu-
nião para o horário antigo, às
20 horas?
Eu e outro vereador votamos contra.
Por décadas as reuniões da Câmara
sempre foram às 20 horas. Posso ci-
tar a questão do horário que é vendi-
do para as rádios, ou seja, o horário
de transmissão que é feito de 16 ho-
rasàs19horaséumhorárionobrepa-
ra o rádio, portanto, é muito mais caro
do que à noite. Primeiro vem a ques-
tão da economia da câmara. Transmi-
tindo às 16 horas chegamos a pagar
atéodobrodoquesefossetransmiti-
doànoite.Tambémtemaquestãodas
pessoas que estão trabalhando, que
não vão parar o seu serviço para ouvir
areunião.Eudefendoqueohorárioda
reunião da Câmara seja às 20 horas.
Ao transmitir as reuniões a Câ-
mara cumpre o objetivo de in-
formareformaropiniãodoelei-
tor?
ACâmaracumpredetodasasformas,
namedidaemqueapopulaçãoacom-
panhaastransmissõeselaconhecerá
o vereador. As pessoas saberão se o
vereador fará projetos, se está deba-
tendo e se está se posicionando de
forma adequada. Ali o vereador vai se
expor de forma negativa ou positiva.
Então, quando a população for votar
saberá através das transmissões co-
moovereadorseportouaquinacasa.
A Câmara aprovou em primeira
votação, sem nenhum questio-
namento, um projeto que proi-
bia o lançamento de vinhoto
nos canaviais. Na semana se-
guinte,oplenáriodaCâmarafi-
cou lotado de funcionários da
Biosevquepressionaramader-
rubada do projeto em segunda
votação. Os vereadores – ex-
ceto Adriano Moraes, autor da
proposta – mudaram repenti-
namente de opinião Explica is-
so pra nós.
Aquestãodosvereadoresémuitosim-
ples, pois quando um vereador entra
comumprojetodeumaformabemsu-
perficial ele tem boa intenção. A pri-
meira coisa que houve de errado no
projeto desse vereador é que ele não
ouviuaspartes,poistemorisco-bene-
fício. Às vezes você faz com que pare
dejogarovinhoto,issonósnãosomos
de acordo. Temos também a questão
social que irá causar o desemprego,
assim temos que pesar os dois lados.
Oprojetofoimalfeito,elenãoouviuto-
das as partes. Todos nós somos con-
trários a jogar vinhoto nos canaviais.
Você é a favor do projeto para
que o SAAE faça cobrança do
consumo real?
Com certeza, se for um projeto que
não aumente o preço do metro cúbi-
coeusouafavor.Porém,oSAAEnão
pode se abster de receita. Se ele tem
uma receita de 100 mil reais o consu-
mo real irá diminuir a sua receita. Vai
que acaba com a taxa mínima, o me-
tro cúbico vai aumentar.
Tem um projeto que você apre-
sentou em 2013 que concede
gratuidade para deficientes fí-
sicos na Praça de Esportes. Vo-
cêtemacompanhadoessepro-
jeto para saber se está funcio-
nando?
Esse projeto foi aprovado. Falei com
o Gilfar (secretário de Esportes), in-
clusive tem pacientes bariátricos que
fazem este tipo de trabalho. Todos os
encaminhamentosquemandamospa-
ra a Praça de Esportes são incluídos.
OsCRAS(CentrosdeReferênciaem
Assistência Social) também encami-
nham pacientes com deficiência físi-
ca e na medida em que esses enca-
minhamentos vão chegando eles são
aceitos lá.
O espaço está aberto para as
suas considerações finais.
Primeiro eu gostaria de agradecer.
Sempre que o vereador precisou ex-
porosseusprojetoselefoiouvidoete-
veespaço.Essefoiumanomuitobom
paraoLegislativo,foiumanoqueapre-
sentei projetos e eu acho que o vere-
ador tem como o conteúdo os seus
projetos e opiniões. Então, a popula-
ção acompanha a reunião da Câma-
raevêoposicionamentodosprojetos
do vereador. Quando ela vota já sabe
emquemestávotandoporqueconhe-
ce os trabalhos.
7SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016 facebook.com/jornalcidademg POLÍTICA
ENTREVISTA: VEREADOR DI-GIANNE NUNES
De 2013 a 2015, Di-Gianne Nunes apresentou 93 requerimentos,
8 projetos de lei e 17 anteprojetos.
“Eu fui eleito com uma votação
muito expressiva, e o que me
faz ficar muito agradecido
é que dois anos e meio
após a posse já cogitavam a
possibilidade de que eu me
candidate a prefeito”“Eu honro
cada centavo
que recebo da
minha função
de vereador,
inclusive, a
controladoria
da Câmara é
testemunha
que já tirei até
dinheiro meu
para acelerar
projetos da
Casa”
FOTO: JULIANO ROSSI
DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br
Como você avalia os seus três
primeiros anos de legislatura?
O que você teve de decepção?
Quando eu me candidatei a verea-
dor, queria repetir tudo que eu tinha
feito pela educação da cidade. Tanto
é que eu só prometi uma coisa na mi-
nha campanha política, que foi justa-
mente entrar com o projeto da Câma-
ra Itinerante. Eu queria ser um verea-
dor atuante, inclusive meu slogan era
“Umprofessoratuanteparafazeruma
Câmara Municipal diferente”. A gen-
te aprende a cada dia, foi muita bata-
lha, teve muita conquista, muita coisa
boa, decepções a gente tem a todo o
momentonavidapolítica.Euconside-
roquenofinaldascontas,encerrando
o terceiro ano do mandato, o saldo é
mais positivo do que negativo.
O que você pode mostrar pa-
ra o eleitor que foi fruto dire-
to do seu trabalho como verea-
dornessestrêsprimeirosanos?
Nessemomentoemqueestamosten-
do esta entrevista, têm atletas de La-
goa da Prata que estão sendo apoia-
dosporumprojetoqueeuidealizei,eu
batalhei muito para que desse certo.
Nessemomentotambémtemcrianças
eadolescentesnapistadeskate,que
também foi uma batalha, além do re-
curso eu lutei muito para que ela fos-
se implantada. Nesse momento tem
senhoras da melhor idade que estão
praticandohidroginásticanaPraçade
Esportes. Esse também é um projeto
meuquefoiaprovadopeloprefeito. E
academias ao ar livre.
Essas iniciativas se tornaram
concretas por causa de apoio
da administração municipal e
pelo seu relacionamento com
o governo?
Sem sombra de dúvida. Eu e o Prefei-
tojátivemosproblema,maseuvouaté
ogabinete,conversoemostroporque
é interessante apoiar tal projeto. Já ti-
ve que utilizar de outros métodos, co-
mo por exemplo, quando eu vi que o
apoio ao aluno do transporte univer-
sitário não estava saindo, fui à rodo-
via gravar um vídeo para mostrar a im-
portância daquilo ali e movimentar o
pessoal. A partir disso, melhorou mui-
to,nuncateveumaumentotãosignifi-
cativo. São meios de tentar movimen-
tarapolíticaefazeracoisaacontecer.
Você lançou recentemente um
informativo parlamentar com
as suas ações. Muitas pesso-
as o criticaram falando que era
propaganda política, que você
é um pré-candidato a prefeito
para as eleições de 2016. Vo-
cê, de fato, vai ser candidato a
prefeito ou vereador?
Eu fui eleito com uma votação muito
expressiva, e o que me faz ficar mui-
to agradecido é que dois anos e meio
após a posse já cogitavam a possibi-
lidade de que eu me candidate a pre-
feito. Mas falta um ano ainda, a gente
tem que pensar é na população e em
terminar bem esse mandato. Não fu-
jo dessa história, mas o que eu que-
ro mesmo é terminar bem o mandato.
Quem são as pessoas que for-
mam o seu grupo político atu-
almente? Hoje você é o presi-
dentedoPPS,queéopartidodo
ex-prefeito Divininho, que está
agoranoPV(dodeputadoTiago
Ulisses).Seaeleiçãofossehoje,
atendênciaéqueseugrupose-
riaformadoporquaispartidos?
Essa é uma pergunta que ainda não
tem a possibilidade da gente conver-
sarouafirmar,umavezqueagentetem
sempre conversado com presidentes
de outros partidos, mas o que eu pos-
sotedizeréoqueoPPSteveumaboa
renovação, ainda continua com pes-
soas boas. O partido está preparado
para sair na próxima eleição com uma
candidatura majoritária (para prefeito)
e com um número bom de vereado-
res também.
ComovocêavaliaaAdministra-
ção Municipal?
O prefeito está trabalhando como eu
estoutrabalhando,comovocêestátra-
balhando.Pavimentaçãoéobrigação.
Pagar o 13º salário do funcionalismo
público também. Se a gente for olhar,
até esse momento não foi feito nada
de extraordinário nesta gestão. É um
mandato normal.
Uma pauta importante que foi
discutida em 2015 na Câmara
foi a aprovação de um requeri-
mentoquepediaàMesaDireto-
ra a redução do salário dos ve-
readores a partir de 2017. Vo-
cê concorda em reajustar para
baixoosaláriodosvereadores?
Euhonrocadacentavoquereceboda
minhafunçãodevereador,inclusive,a
controladoria da Câmara é testemu-
nha que já tirei até dinheiro meu pa-
ra acelerar projetos da Casa. Mas eu
voteiafavordesserequerimentoees-
pero por ele. Como disse na ocasião
da votação desse requerimento, exis-
te muita máscara aqui nesta Câma-
ra, muita politicagem e teatrinho. Eu
acho que se esse salário diminuir vai
ter mais vereadores com melhores in-
tenções.Sóotempodiráseissoacon-
tecer, mas acho que a politicagem di-
minuiria muito.
Você falou na última resposta
sobre o teatro que, às vezes, é
simulado por alguns vereado-
res durante as reuniões. Esta-
mos gravando essa entrevista
em uma sexta-feira (18/12), e
a reunião da Câmara desta se-
manafoiumpoucoconfusa.Na
sua avaliação, a transmissão
das reuniões pela rádio contri-
bui mais para a informação do
cidadão ou mais para o verea-
dor fazer palanque político em
causa própria?
Quando eu entrei na Câmara ficamos
dois meses sem transmissão. O pri-
meiromês,pelofatodeserjaneiro,não
tem reunião ordinária. Nas ruas eu en-
contrava muitas pessoas falando que
tinhaquetransmitir.Achoqueapopu-
lação prefere as transmissões. Fato é
que nas ruas o pessoal comenta até
as vírgulas que a gente fala aqui. Mas
que a transmissão em certos momen-
tosvirouumabobagem,isso,qualquer
um sabe e nota. Tem vereador que fa-
la muito bem e começa com o falató-
rio.Porisso,muitasvezeseuprefirofi-
car calado. Aproveitar da reunião pa-
ra fazer campanha é o grande proble-
ma. Ainda acho que tem mais pontos
positivos que negativos. O eleitor sa-
be filtrar o que é um trabalho sério e o
que é politicagem.
Obrigado pela entrevista. O es-
paço está aberto para as suas
considerações finais.
Três anos, eu gostei muito. Diversas
coisas aconteceram. Para acontece-
rem foi com muita luta. Eu penso que
ainda falta um ano, vamos tentar con-
tinuardamesmaformaqueagenteini-
ciou.Eutenhotrêsprojetosqueestão
sobaanálisedaPrefeituraMunicipale
até agora não obtive resposta. O pas-
se livre no transporte local para pes-
soa com deficiência, o projeto para a
criaçãode10cargosnaSecretariade
Educaçãoparaagentedeapoioàpes-
soa com espectro do autismo e tem
também o projeto da Guarda Escolar.
Essefoimeugrandesonhoetambém
minha maior decepção. Porque nem
paradiscutiroassuntoeufuiatendido.
Quem está no ambiente escolar sabe
daimportânciadesseprojeto.Umlocal
onde a gente quer que o pedagógico
aconteçadamelhormaneirapossível,
tem que ser um lugar seguro. É o meu
sonhoparaoanoquevemeeuvouco-
brar da Prefeitura Municipal e irei fa-
zer todos os movimentos que fiz ante-
riormente. Isso é que pretendo o ano
quevem.Encerrarbemessemandato.
8 SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016www.jornalcidademg.com.brPOLÍTICA
ENTREVISTA: VEREADOR EDMAR NUNES
De 2013 a 2015, Edmar Nunes apresentou 121 requerimentos,
15 projetos de lei e 18 anteprojetos.
“No início de
2013 realizamos
a audiência
pública de
segurança
pública. A parte
dos vereadores
nós realizamos,
porém, a parte de
executar caberia
ao Estado, não foi
feita”
FOTO: JULIANO ROSSI
DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br
Aofinalizaroterceiroanodesua
primeira legislatura, o que você
podemostrarparaocidadãoque
é resultado direto de seu traba-
lho?
Todocidadãoquevaiassumirumcargo
públicotemquesertransparenteparaa
sociedade. O vereador tem que tentar
terumaaberturacomaprefeituraeman-
ter um discurso direto com os deputa-
dos.MuitasvezesaAdministraçãotem
quereceberosrecursoseacatar.Tenho
queparabenizarosprefeitosRobertoe
Paulinho,queabriramespaçoparaque
outrosdeputadostivessemabertura,co-
mo é o caso do Reginaldo Lopes, que
trouxe quase 2 milhões de reais para o
HospitalSãoCarlosparaaaquisiçãodo
CentrodeImagem,inclusive,tenhores-
posta do documento que ele mandou
pra mim. Isso foi o esforço de um gru-
po que apoiou o deputado Reginaldo
Lopes.APauleneAndradeeaJanaína,
ambas da Secretaria de Educação, fo-
ram as pessoas que deram suporte ao
maior número de votos para o Reginal-
doLopesemLagoadaPrata.Issomos-
traqueantesdeelepedirvotomandouo
recursoparaajudaratrazeroIFMGpa-
raomunicípio.Aívocêmepergunta:Foi
overeador?Euestavajuntocomopre-
feitoecomabase.Agradeçoaelepelo
empenho em Lagoa da Prata. Junto ao
deputadoSargentoRodrigueseucon-
segui uma ambulância que já foi adqui-
ridaparaaSecretariadeSaúde.Como
deputadoAlencardaSilveiraJúniorcon-
seguiorecursode50milreaisparaailu-
minaçãodocampodoAssociaçãodos
Veteranos do bairro Gomes. Cerca de
duassemanasantesdesairanotíciaso-
bre a possibilidade do fechamento da
agênciadoINSSeujáhaviaenviadoofí-
cio para o deputado Reginaldo Lopes.
Elogoquandosaiuaveiculaçãodano-
tíciaeledeuumaentrevistanarádiopa-
ra dizer que a agência não fecharia. Is-
so é um trabalho de contatos, pois não
é fácil. Embora não seja função do ve-
reador, nós temos que procurar recur-
sos, pois nem sempre a prefeitura terá
comoajudar.
Você veio da área da segurança
pública como policial militar e
trabalhoudurantemuitotempoà
frentedoProerd.Nenhumdosve-
readores conhece a área de se-
gurança pública tão bem quan-
tovocê.Oquevocêsenteaover-
mosqueaviolênciatemaumen-
tadocadadiamaisemLagoada
Prata e nada parece acontecer
para diminuir a escalada da cri-
minalidade?
Noiníciode2013realizamosaaudiên-
cia pública de segurança pública, que
teve a presença dos deputados João
Leite, Sargento Rodrigues, Tiago Ulis-
seseFabianoTolentino.Tambémparti-
ciparamjuízes,promotoresedodelega-
do regional. A audiência me deixou um
poucofrustrado,poisváriosanseiosda
sociedadenãoforamcumpridos.Apar-
te dos vereadores nós realizamos, po-
rém,apartedeexecutarcaberiaaoEs-
tado,nãofoifeita.
A Guarda Civil Municipal é uma ques-
tãoquemepreocupa.Eomotivoéque
aPolíciaMilitarésubordinadaaoEstado
eaGuardaCivilésubordinadaaoMuni-
cípio.Então,oMunicípio,nomeuponto
devista,teriaqueinvestirmaisnaguar-
da. Inclusive foi repassado pela Câma-
raumrecursode60milreaisefoiindica-
doparaaaquisiçãodeumaviatura,cur-
sosdeteasereaquisiçãodearmasnão
letaisparaGMC.Acreditoqueoprefei-
to esteja estudando melhor para inves-
tir, municipalizar o trânsito, mas temos
que correr atrás o mais rápido possível
para aumentar esse efetivo e com cur-
sos de qualificação para a Guarda Ci-
vilMunicipal.
Existe a possibilidade de cria-
ção de um programa municipal
de combate às drogas nos mol-
des do Proerd?
Se Deus quiser isso vai sair do papel.
Eu tive um apoio da secretária de edu-
cação Paulene Andrade, da sua equi-
peedoprefeito.Seesteprogramader
certooutrosmunicípiospoderãousá-lo,
poiseleseráumprogramamunicipalde
combate às drogas. O município está
numacrescentedeusuáriosdedrogas.
Um assunto que as pessoas re-
clamammuitoécomrelaçãoao
horário que a Câmara realiza as
reuniões. Qual o motivo da mu-
dança desse horário?
Aprincípio,oobjetivodessehoráriodas
16horaséquetrouxessemaiscrianças
e adolescentes das escolas para esta-
rem presentes nas reuniões, pois o fu-
turo de Lagoa da Prata está nas mãos
dosjovens.Aideiaseriaque,comesta
parceriacomasescolas,pudéssemos
fazer com que os alunos vissem como
é o trabalho na Câmara e, através dis-
so,formarmoscidadãosconscientes.
Vimos que a presença dessas
pessoas na reunião não acon-
teceu. Existe a possibilidade de
voltarasreuniõesparaàs20ho-
ras?
Ointuitoeraterapresençadaspesso-
as,jáquenãoaconteceuvimosqueas
elasdãopreferênciaparaouviratrans-
missão feita pela rádio. Já que não deu
certo, deveria voltar para 20 horas pa-
ra que as pessoas possam vir ou ouvir
melhoremcasa.
Esteéseuprimeiromandatoco-
mo vereador. Tem algum arre-
pendimento sobre determinada
votação ou posicionamento?
Qual a avaliação que você faz
da política. O que você enfren-
taaquinaCâmaraeoqueacon-
teceatrásdosmicrofones,algu-
macoisalhesurpreendeunega-
tivamente?
Não me arrependo. Venho de uma fa-
mília que ensina a fazer o melhor pos-
sível, a não prometer o que não posso
cumprir. Como vereador, pude ajudar
muitasfamílias,nãocomrecursos,mas
com influência. Eu imaginava uma coi-
sa totalmente diferente, principalmen-
te por muitas vezes precisar de recur-
sosparaoProerdepensarqueseesti-
vesse dentro da Câmara seria mais fá-
cil. É claro que temos divergências po-
líticas e pessoais, mas aqui tem bons
vereadorestrabalhandoemproldeLa-
goadaPrata.
Na redação do Jornal Cidade re-
cebemosváriasreclamaçõesde
que as reuniões dos vereadores
são improdutivas, que aconte-
cemmuitasbrigaseacoisanão
funciona.Porexemplo,aCâma-
radeixoupassaraoportunidade
de de obrigar o SAAE a negociar
o valor da taxa de esgoto quan-
doautorizouaautarquiaafazer
o concurso público. Depois dis-
soaprovouumdecretolegislati-
vo anulando o aumento, que foi
derrubado pelo SAAE. E recente-
mente outra vereadora entrou
comoutrapropostaparaquese
cobre o consumo real. Falou-se
muito, fez muito barulho e não
aconteceu nada. Muitas vezes
as pessoas tem essa sensação
em alguns momentos. Por que
isso acontece?
Tarifar não é competência da Câmara.
IssoquemfazéoExecutivo.Algunspro-
jetostêmquepassarpelaCâmara.Nes-
se caso dos cargos, todos nós sabe-
mos da necessidade de funcionamen-
todaETEetemquecontratarfuncioná-
rios. Agora, se esse valor está alto, bai-
xo ou precisa melhorar é mais técnico.
Acredito que o próprio SAAE fez o es-
tudo. Mexeu muito com a sociedade?
Mexeu, por ser uma tarifa muito pesa-
da para muitas pessoas. Infelizmente,
nós, cidadãos, estamos pagando pa-
ra termos melhorias, que no meu pon-
todevistaaETEéumaobradoGover-
noFederalequemdeveriaarcarcomo
seufuncionamentoéquemfezaobra.
Você é candidato à reeleição?
Soucandidatoavereador.
Obrigadopelaentrevista.Oespa-
çoestáabertoparaassuascon-
siderações finais.
Gostaria de informar que parte dos re-
cursos economizados na Câmara no
exercício de 2013 ficou à disposição
do prefeito o valor de 180 mil reais. In-
dicamos e solicitamos que tais recur-
sosfossemutilizadosnacoberturadas
quadrasdosbairrosSantaHelena,Sol
Nascente e no Conjunto Habitacional
Chico Rezende. Bem como o valor de
130milreaisquefoirepassadoempar-
tesiguaispara13entidadesdomunicí-
piocadastradasnoConselhoMunicipal
deAssistênciaSocial.Salientoaindao
recurso de 60 mil reais que foi indica-
do para aquisição de motocicletas pa-
ra a equipe GPMOR da Polícia Militar,
visandomaisagilidadenasabordagens
policiais.Tambémfoirepassadoovalor
de60milreaisparaaaquisiçãodeuma
viatura,cursosdeteaserearmasletais
paraaGuardaPatrimonial.
O Jornal Cidade é muito bem visto e
gostariadepedirparavocês,leitores,vi-
sitaremaCâmara.Conheçaosseusve-
readores,procuremmaisaCâmarapa-
ravocêconhecerotrabalhodapessoa
quevocêescolheuparaterepresentar.
“Venho de uma família que
ensina a fazer o melhor
possível, a não prometer o
que não posso cumprir”
9SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016 facebook.com/jornalcidademg POLÍTICA
ENTREVISTA: VEREADOR PAULO ROBERTO PEREIRA
De 2013 a 2015, Paulo Roberto Pereira apresentou 71 requerimentos,
8 projetos de lei e 16 anteprojetos.
“A Câmara não
discute o bem de
uma população,
esse bem vem
em segundo
plano. O bem
da população
é discutido de
acordo com que
ele pensa do
projeto de poder
que ele tem. Isso
é horripilante.
Acontece no
Brasil inteiro, não
é coisa de Lagoa
da Prata”
FOTO: ARQUIVO
DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br
Nesses três primeiros anos na
suaprimeiralegislatura,qualéo
benefício para o cidadão que foi
resultadodiretodeseutrabalho?
Alguns benefícios são concretos e ou-
trosmaissubjetivos.Comobenefíciodi-
retopossodizerqueaproximidadecom
o deputado Newton Cardoso Júnior,
que trouxe para Lagoa da Prata emen-
das entregando caminhão e máquinas
agrícolas.Noiníciodoanotambémexis-
teumaemendaqueirápossibilitaraen-
tregadecaminhão,patrolaeretroesca-
vadeira. A Fundação São Carlos tam-
bémrecebeuumvalorde400milreais
eoutrascoisasqueestãoengatilhadas
para o próximo ano. Mas, ao meu ver, o
benefício maior foi do que pude contri-
buiremdebatessériosemaioresquea
Câmaraviveunessalegislatura.
Por exemplo, mesmo sendo da classe
empresarialepresidentedaCDL,quan-
dose foi votara ampliação das classifi-
caçõesparaacontribuiçãodeISS(Im-
postoSobreServiçosdeQualquerNa-
tureza) do Município, adequando-as à
do Governo Federal, era de se esperar
que o presidente da CDL fosse contra
essa situação, e seria muito fácil, pois
este é um projeto que quem estava no
poder antes do Paulinho queria muito
que fosse aprovado e os vereadores
daquela legislatura não queriam. Esse
ano,quandooPaulinhoentroucomes-
se projeto na Câmara poderia ser fei-
ta a mesma coisa, e a gente sabe mui-
tobemquealgunsprojetosatrapalham
a disputa de poder. Fui um líder lá den-
tro, onde em uma discussão tentamos
tiraropartidarismoeconseguimos.Re-
solvemos este problema que precisa-
va ser resolvido há muito tempo. Além
disso,possofalardeváriosprojetosde
discussãodealtonívelemquedeiami-
nhacontribuição.
O IPTU em Lagoa da Prata está
defasado e precisa ser corrigi-
do. Em 2013 a Prefeitura enviou
para a Câmara um projeto ten-
tando reajustar o imposto, po-
rém, os valores estavam muito
foradarealidade.Vocêfoioúni-
co vereador que se propôs a de-
baterseriamenteebuscaralter-
nativas.Umavezqueseuscole-
gassequerpropuseramalterna-
tivas e nem discutiram as pro-
postas que você apresentou,
qual a sensação que ficou, le-
vando em consideração que es-
saéumapautaimportantepara
o Município e os vereadores fo-
ram omissos ao fugirem do de-
batedaquestão?
Talveztenhasidoaprimeiragrandede-
cepçãodaminhavidapolítica.Quando
entreicomovereadoreutinhaumsenti-
mentomaisromântico,acreditandoque
agoraseriamnovevereadores,umpre-
feitoesecretáriosquefariamdetudopa-
raterumacidademelhor.Ealieucome-
ceiaverascoisasnãoerambemassim.
Quando o projeto chegou ele tinha vá-
rioserrosevalorescompletamentefora
de questão. Tinha valores de IPTU que
iriamsubir25vezes,nãotinhacabimen-
to.Fuiatéàprefeitura,trouxeasinforma-
çõesefizumaprojeçãodequantocada
proprietárioteriaquepagardecadaum
dos imóveis. Quando fiz isso, cheguei
comumaalegriamuitograndeparaten-
tarreunirosvereadoresemostrarofruto
daquele trabalho. Ali eu vi que podería-
mos corrigir algumas distorções, onde
casasnoSolNascentepagammuitoe
casasembairrosnobrespagampouco.
Eutiveumagrandedecepção,poisqua-
senenhumvereadorfezquestãodese-
querouvir.Osimplesfatodeaumentaro
IPTUfazcomque“mancheonomedos
vereadores”,eissoelesnãoqueriam.Fi-
queiextremamentedecepcionado.Até
meia hora antes da votação a gente ti-
nhaseisvotosparapoderregularizarum
monte de injustiça e melhorar a arreca-
daçãoeajustarovalordoIPTUdaque-
lascasasquedeveriampagarmais.
Você vem da área privada, onde
asdecisõessãofeitascombase
emcritériosobjetivosparaofere-
ceramáximaresolutividadenas
situações que são pontuadas, e
napolíticademodogeralascoi-
sas não acontecem assim. E na
Câmara,quasesempre,aoinvés
dos vereadores discutirem os
projetos de uma forma objetiva,
eles descambam para o lado da
politicagem, tomando o tempo
detransmissãoeocupandooes-
paçoemquepoderiamserdiscu-
tidas coisas mais sérias de for-
mamaisobjetiva.Qualasuaopi-
niãosobreessaperdadetempo?
Ficaopensamentodequeissonãovai
mudar.Nãovaimudarnemaencenação
que se faz lá e muito menos a cidade.
Eu desacredito muito e sou muito “de-
sesperançoso”emrelaçãoaisso.Nes-
tetempodeCâmaraeupudeperceber
isso,oquenãoquerdizerquesejaaCâ-
mara,massimocenáriopolítico.ACâ-
mara não discute o bem de uma popu-
lação, esse bem vem em segundo pla-
no.Obemdapopulaçãoédiscutidode
acordocomqueelepensadoprojetode
poder que ele tem. Isso é horripilante.
Acontece no Brasil inteiro, não é coisa
deLagoadaPrata.Tenhoprofundores-
peitopelosmeuscolegasvereadorese
com eles aprendi muito e fiz várias ami-
zades lá dentro, mas é isso que penso
dapolítica.Napolíticasemostraasver-
sõesenãoofato.OExecutivotemuma
versãoeeleproduzverdades.Qualquer
Executivo que tiver a mídia do seu lado
produzverdades.Elefazumamentiravi-
rarverdade.Agentevêprojetosloucos
quenuncapoderiamseraprovadoseo
povoconclamaaaprovação.
Vocêpretendetentarareeleição
avereadorouseráumpré-candi-
datoaprefeito?
Isso tem sido uma coisa que está me
machucando muito porque eu ouço
muita gente pedindo para que eu siga
essa carreira, mas a carreira política no
Legislativo não é meu perfil. Eu não te-
nhoperfilparaservereador,omeuperfil
éparaserumexecutivo,masomomen-
tonãoéesse.Nãoestouvivendoome-
lhor momento onde eu possa disputar
uma eleição para prefeito. Será que is-
sovaiaconteceremalgumtempo?Sim,
emalgumtempoeudevasercandidato
aprefeito,masnãoagora.Aúnicacoisa
que posso dizer é que não serei candi-
datoanadanapróximaeleição.
Comovocêavaliaodesempenho
doPoderExecutivoedoLegislati-
voemLagoadaPratanessestrês
primeirosanos?
O Poder Executivo está sendo admi-
nistrado, do lado financeiro e de obras,
muito bem. Acho que o prefeito Pauli-
nho tem mostrado a capacidade de fa-
zerobrasedefazeracidadeavançar.A
questãodaaberturadeLagoadaPrata
anovosdeputadoserepresentantesfoi
muitointeressante,apesardenãocon-
cordarquesefecheaosantigosdeputa-
dosquetrabalharamcomoDivino,pois
eles fazem muito por Lagoa em alguns
momentos.Setivéssemosaceitadoal-
gumasofertasdoFábioRamalhonossa
situaçãoestariamuitomelhor.
Eu vejo uma Câmara que tenta traba-
lhar. Euvejo alialguns vereadores eve-
readoras que são extremamente com-
petentes, que investigam e trabalham,
apesardequetivemosumgrandepro-
blemanessaCâmara,ondeseiscandi-
datosnuncaforamvereadores,eporser
a primeira vez deixamos de entender e
discutirumaagendaprioritáriaparatra-
balhar leis e focar no que a cidade pre-
cisa. O que não acho legal é isso, mas
no resto eu aprovo o trabalho das du-
ascasas.
Obrigado pela entrevista. O es-
paço está aberto para as suas
considerações finais.
As pessoas precisam entender um
pouco mais. Hoje, com o advento da
internet,sediscutemuitosobrealguns
projetos, mas a pessoa discute a par-
tirdoqueouvefalarenãosediscutea
partirdoquerealmenteé.Porexemplo,
oParquedosBuritis.Paratodomundo
precisa acontecer, e precisa, mas da
forma como foi colocado e feito, não.
Tudo muito errado e a opinião pública
inteira quis que se fizesse errado por
nãosaberqueestavasendofeitocomo
estava. A produção de verdades, que
nemsempresãotãoverdadesassim,é
algo muito normal em Lagoa da Prata.
No mais, eu quero agradecer o apoio
quenóstivemosnessestrêsanos,es-
se foi um ano de muito trabalho e par-
ticularmente não vou entrar na dispu-
ta política e vou continuar fazendo o
meu trabalho de uma maneira muito
isenta. Que Lagoa tenha boas pesso-
as para vir para a Câmara no ano que
vem e que o nosso prefeito seja cada
vez melhor.
“Em algum tempo eu deva ser
candidato a prefeito, mas não
agora. A única coisa que posso
dizer é que não serei candidato
a nada na próxima eleição”
10 SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016www.jornalcidademg.com.brVARIEDADES
FASES DA LUA
JANEIRO DE 2016
PALAVRAS CRUZADAS HORÓSCOPO
Minguante
dia 2, 3h31
Nova
dia 9, 23h31
Crescente
dia 16, 21h27
Cheia
dia 23, 23h46SOLUÇÕES
Encante-se pelo seu lar. Você
plantará a semente que será co-
lhida anos a fio. Amor é uma ár-
vorequedáfrutosbonseregula-
res, quando bem cuidada.
Procure um curso de expansão
ou alguma forma de ampliar seu
arcabouço cultural. Idas a tea-
tros, livrarias ou palestras po-
dem ser benéficas.
Você deve estar ouvindo dentro
de si o chamado da cidade. Fes-
tas, eventos e pessoas. Tudo is-
sofalaaltoeaportadaruapare-
ce ser a melhor opção.
Sua mente nem sempre conse-
gue ficar focada no presente, e a
ansiedade de ver o futuro mani-
festado causará dor de cabeça.
Deixe o tempo correr.
Momento de olhar para o passa-
doetentarresgatarasamizades
que lhe trouxeram tanta alegria
eemoções.Nãoénostalgia,mas
um reencontro.
Estão saindo emoção, sensibili-
dade e afeto pelos poros. O as-
pecto de Vênus e Lua, que está
nasua1ªcasa,ressaltaessasca-
racterísticas em você.
A busca pela cultura está em al-
ta. Vá atrás de atividades cultu-
rais,artísticasou“poéticas”.Sol-
te o criador que mora dentro de
si e mãos à obra!
Presteatenção:ograndeamorda
sua vida já está do seu lado. Po-
de planejar filhos e netos. Culti-
ve seu jardim emocional para os
frutos corretos.
Cuide das consequências dos
seus atos. Nem tudo que dá pra-
zer hoje é irrelevante. Às vezes,
pequenas ações podem causar
tragédias, dramas épicos.
Tire o dia para pintar, cantar ou
fazer música. Se você não tiver
habilidades artísticas, visite um
museu ou vá ao teatro. Há fome
de arte em você.
Dêtempoasimesmo,diminuaa
cadênciadassuasatividadesso-
ciais. Procure a companhia dos
próprios pensamentos e emo-
ções. Medite.
Nosso subconsciente pode libe-
rarenergiascomoátomosemfu-
são.Secontrolados,viramestre-
las;selibertosnamultidão,viram
catástrofe.
O JORNAL CIDADE também pode ser encontra-
do na CASA DO PÃO DE QUEIJO (Rua Joaquim
Gomes Pereira, 1466, Gomes), no SICOOB CRE-
DIPRATA (Av. Benedito Valadares, 590 - Centro) e
no SICOOB LAGOACRED (Av. Benedito Valada-
res, 800 - Centro). Os exemplares estarão à dispo-
sição dos moradores e comerciantes, todas as se-
manas, às sextas-feiras. O jornal poderá ser retirado
gratuitamente.Éonossojornalfazendoparceriasin-
teligentes,levandoinformaçãosériaedecredibilida-
de ao alcance de mais pessoas. Boa leitura a todos!
PEGUE O SEU JORNAL! SÃO MAIS DE 50 LOCAIS POR TODA A CIDADE!
CASA DO PÃO DE QUEIJO
37 3261-4778
SICOOB CREDIPRATA
37 3262-5600
SICOOB LAGOACRED
37 3262-5500
SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016 11CULTURAfacebook.com/jornalcidademg
Livro da Acadelp é
lançado em Mostra
Cultural
DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br
A Academia Lagopratense de Letras (Aca-
delp) realizou no dia 28 de dezembro a Mostra
Cultural. O evento, realizado na sede do Lions
Clube, teve o objetivo de promover a cultura no
municípioelançarolivro“LagoadaPrataemPro-
sa e Verso III”, coletânea dos poemas finalistas
detodososconcursosdepoesiasrealizadospe-
laacademiaetextosescritospelosacadêmicos.
Amostracontoucomexposiçãodetelasdas
artistasLetíciaFaria,MicheliGonçalveseMarita-
naBessas,livrosdeescritoresdeLagoadaPra-
ta,bannerscompoesias,fotosdeeventos,apre-
sentaçãodeumadançapelacoreógrafaebaila-
rinaBiancaMayra(EstúdiodeDançaImpactus),
apresentaçãomusicalcomHelderClérioe reci-
tal com os acadêmicos.
Oeventofoiabertocomolema“Aculturade
um povo é o seu maior patrimônio. Preservá-la é
resgatar a história, perpetuar valores, é permitir
que as novas gerações não vivam sob as trevas
do anonimato”. O evento contou com a presen-
çadepessoasquevalorizamaarteeaculturade
LagoadaPrata,dentreelasosecretárioMunici-
pal de Cultura Ricardo Costa, Carmem Simões
(representantesdoConselhoMunicipaldeCul-
turaeTurismo),vereadorEdmarNunes,abiblio-
tecária Georgina, o escritor Tadeu Lobo, de No-
vaSerrana,oescritorAntônioCarlosDayrell,de
Belo Horizonte, imprensa, diretores de escolas,
professores,alunos,acadêmicos,umconvidado
dePortugaledemaisconvidadosquemuitoabri-
lhantaram o evento. “A Acadelp agradece a to-
dos que contribuíram para a realização de mais
este evento cultural”, afirmou a acadêmica Adir-
cilene Batista.
Para Maria Bruna Mota, que teve seu texto
publicado no livro, a sensação foi maravilhosa.
“Eu acredito potencialmente na educação. Ho-
je, depois de mais de 5 anos, fui agraciada com
apublicaçãodolivro,noqualconstaumademi-
nhaspoesiasaindadaépocadaescola.Edepois
de tantos anos, ainda escrevo poesias e agora,
também, os textos acadêmicos”, afirmou.
Terceira edição do livro “Lagoa da Prata em Prosa e Verso”reúne textos finalistas dos concur-
sos realizados pela Acadelp
A estudante Maria Bruna Mota foi uma das
escritoras contempladas com a publicação
de seu texto no livro da Acadelp
DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
SEJAVOCÊ
QUEM FOR,NÓS
TRABALHAMOS
MUITO PORVOCÊ.
VejamaisnonossoPortal:almg.gov.br
A Assembleia Legislativa se empenhou muito para superar
osdesafiosde2015.Nopalcodademocracia,obomembatedeideias
foi fundamental para enfrentar a crise econômica, aprimorar
ogerenciamentodosgastosnoParlamentoemelhoraravidadosmineiros.
SEXTA-FEIRA, 15/JAN/201612 COTIDIANO www.jornalcidademg.com.br
Novos conselheiros tutelares
tomam posse em Lagoa da Prata
DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br
O Prefeito Paulo Teodoro recebeu
emseugabinetenodia8dejaneiroos
cincoconselheirostutelareseleitosno
mês de outubro. Tomaram posse Iara
Aparecida Oliveira Moura, Thaís Apa-
recida Nunes Rodarte, Bianca Soa-
res Oliveira Souza, Camila Dias Xavier
e Cláudio Henrique de Vasconcelos,
que estarão à frente dos trabalhos du-
rante a gestão de 2016 a 2020.
Oprocessodeseleçãodosconse-
lheiroscomeçouemabril.Issoaconte-
ceu em todo país com as eleições uni-
ficadas. “A escolha dos conselheiros
tutelares foi dividida em duas etapas.
Aprimeirafoioprocessoseletivo,com
prova de conhecimentos específicos,
decarátereliminatório.Asegundafoia
eleição,ocorridaem4deoutubro.Tive-
mosumaeleiçãomuitoexpressiva,cer-
cade1300pessoascompareceramna
escolaJacintoCamposparanosajudar
aelegeroConselhoTutelar”,disseCali
Silva,secretáriadeAssistênciaSocial.
Reeleito,CláudioHenriquedeVas-
concelosafirmaquepretendecontinu-
ar servindo à população. “A minha ex-
pectativa é a mesma do primeiro man-
dato, é estar sempre à disposição pa-
ra servir a cidade de Lagoa da Prata
no que for preciso. Tudo o que for per-
tinente à área de violação de direitos
da criança e do adolescente. Sou gra-
to a todos os eleitores que confiaram
emmim.Estamoscomaesperançade
nos aprimorar, melhorar cada dia mais
fazendo o que é preciso”, disse.
Para Bianca Soares Oliveira Sou-
za é importante que a população es-
clareça as dúvidas sobre o papel do
Conselho Tutelar. “Meu desejo é reali-
zarumbomtrabalho,servirapopulação
emproldascriançasedosadolescen-
tes. Sou grata a todos que mais uma
vez confiaram no meu trabalho e vota-
ram em mim. Todos aqueles que têm
alguma dúvida quanto aos direitos da
criança e do adolescente, podem me
procurarenãoapenasquandohouver
aviolaçãodestesdireitos.Equandone-
cessário,iremosencaminharaspesso-
asparaasentidadesparceiras–CRE-
AS (Centro de referência especializa-
dodeass.social),CRAS(Centrodere-
ferência de ass. social) e toda a rede -
para que possamos juntos lutar pelos
direitos da criança e do adolescente”,
afirmou.
Oapoiodapopulaçãoéfundamen-
talparaosucessodotrabalhodoscon-
selheiros tutelares. “É o meu primeiro
mandato, estou com muita expectati-
va. Quero continuar com tudo aquilo
que foi bom e melhorar cada dia mais.
Trabalhamos juntos, somos uma equi-
pe e dependemos da população para
dar continuidade a cada trabalho com
acriançaeadolescente“,destacouCa-
mila Dias Xavier.
Thaís Aparecida Nunes Rodarte
tem a intenção de intensificar os tra-
balhosdomandatoanterior.“Estamos
prontos e dispostos a desempenhar
um bom trabalho, dar continuidade ao
que a gente já fez e propor melhoras.
Sempre com a intenção de garantir o
direitodacriançaedoadolescente”,sa-
lientou.
PARA MAIS INFORMAÇÕES:
OConselhoTutelardeLagoadaPrata
ficasituadonaruaSantaCatarina,169.
Contato: (37)3261-1111 (das 8h às
11hedas13hàs18h)ou(37)99913-
9597 (Plantão).
FOTO: ASCOM PMLP
Iara Moura, Thaís Rodarte, Camila Dias, Cláudio Vasconcelos, Bianca
Soares, Paulo Teodoro, Cali Silva, Adriana Ferreira e Thiago Henrique
SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016 13OCORRÊNCIASfacebook.com/jornalcidademg
Polícia Militar
captura assaltantes
de relojoaria
DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br
Umarelojoarialocalizadanocentro
deLagoadaPratafoiassaltadanatar-
dedesegunda-feira(11).Doisindivídu-
osdacidadedeBomDespachoentra-
ram no local portando arma de fogo e
anunciaram o assalto. A Polícia Militar
foiacionadaassimqueosautoresfugi-
ramdolocal.Aindaemfuga,elesforam
surpreendidosporumaequipedaPM,
queiniciouaperseguiçãoporváriasru-
as da área central e do bairro Gomes
até que eles retornaram para o centro
dacidadeeabandonaramamotocicle-
tautilizadanocrimeatrásdealgunsveí-
culoseentraramemumaoficina,tendo
emseguidasubidonostelhadosdasre-
sidênciasecomércios.
Com a chegada do reforço policial
o quarteirão foi cercado e após inten-
sasbuscasumdosautoresfoilocaliza-
do e apreendido após tentar fugir pu-
lando muros e telhados para ter aces-
soàrua.Elefoicapturadoportandoum
revólvercalibre32comseismunições
intactas. Houve disparos e a rua esta-
va cheia de populares querendo ver o
desfechodaperseguição.
Ooutroautorfoipresominutosde-
pois no telhado de uma empresa de
alarmecomaajudadoprópriodonodo
estabelecimento.Aoserconduzidopa-
raaviatura,popularesqueacompanha-
ram a ação aplaudiram a ação da polí-
cia e alguns, mais entusiasmados, gri-
tavam“Deixanós(sic)baternele”,“Dei-
xanós(sic)darneleumcascudo”.
ASSISTAAOVÍDEONOSITE:
www.jornalcidademg.com.br
A ação mobilizou quatro viaturas e
pelo menos 12 policiais. Todos os arti-
gosfurtadosforamrecuperados.Amo-
tocicleta utilizada no crime – que não
eraprodutodefurto–eaarmadefogo
foramapreendidas.
DeacordocomoCapitãoSimões,
a Polícia Militar tem desenvolvido im-
portantes operações de combate ao
crime. “Excelente trabalho repressivo
da polícia, que no mesmo dia também
efetuouaprisãodetrêsautoresportrá-
ficodedrogas,sendonaocasiãoapre-
endidas 95 pedras de crack, algumas
buchasdemaconhaemaisdemilreais
em dinheiro. Na data do assalto efetu-
amos a consulta da placa no momen-
todosfatos.Nãoconstavanenhumim-
pedimentoemdesfavordoveiculo”,afir-
mou.
ParaoSargentoPereira,aaçãoda
polícia foi instantânea. “A minha equi-
pe estava na Delegacia de Polícia Ci-
vilparaumautodeprisãoemflagrante
de traficantes, quando escutamos pe-
lorádioqueaviaturadosargentoDênis
necessitavadeapoiodevidoaumrou-
bo à mão armada na Relojoaria Ôme-
ga. De imediato, saímos e deparamos
com dois indivíduos em uma moto pe-
laAvenidaBrasil,momentoemqueini-
ciamosaperseguiçãopelasruasdaci-
dade.Notamosqueorapazdagarupa
estava com uma mochila, característi-
cas idênticas às repassadas pela nos-
sasaladeoperações.Osmeliantesfo-
ramperseguidose,dadaapressãoso-
breeleseadificuldadedefugiremdas
viaturas, eles entraram em uma oficina
mecânica,abandonandooveículoefu-
gindo a pé, se desfazendo pelo cami-
nho dos produtos do roubo. Subiram
no telhado de residências e foram cer-
cados e posteriormente capturados”,
descreveu.
PereiratambémfrisouqueaPolícia
Militar tem muito zelo com a seguran-
çadocidadãodebem.“Somoscaute-
lososquandooassuntoéperseguiral-
guémnotrânsito.Senotarmosquedali
possaocorrerummalmaior,cessamos
a perseguição. Ali os meliantes foram
pegos de surpresa e devido ao empe-
nhoincondicionaldospoliciaiseocom-
promissocomoresultadoaocorrência
foiresolvidacomêxito.Aajudadapopu-
laçãofoimagnífica,nosdandoapoio,fi-
cando a distância para não atrapalhar
nossa ação, repassando informações
tanto para nós, que estávamos na rua,
comoparaasaladeoperações”.
BANDIDOMOSTRA
INDIFERENÇA
EmentrevistaaorepórterLuizFrancis-
co,darádioVeredas,umdosbandidos
disse ser normal a situação. “É isso aí
mesmo. Sou culpado. É isso mesmo,
agoraéprisão,issoénormal”,disse.
De acordo com o Tenente Morais,
quetambémparticipoudaoperação,a
políciajáestavapróximaaolocalquan-
dofoiacionada.“Agimosrápido.Todoo
materialfoirecuperadoeamotocicleta
que estava sendo utilizada por eles foi
apreendida. Não tivemos feridos, mas
gostaria de fazer um alerta para a po-
pulação,poisnestetipodeocorrência
sempre há a possibilidade de troca de
tiros. Então orientamos a população a
evitaraglomeraçãoparanãoseratingi-
da por bala perdida. Indivíduos como
essesnormalmentepraticamsériesde
assaltos,prendendodoiscomofoioca-
so, já são menos bandidos nas ruas”,
afirmou.
Paraumadasvítimas,quenãoquis
seidentificar,omomentodoassaltofoi
de muito medo. “Jogaram-nos no ba-
nheiro,deramvárioschutesecoronha-
das na cabeça pedindo ouro. Eles di-
ziam:Ouro,ouro,ouro...euqueroéou-
ro.Chutavam-nosmuito.Elespegaram
algumas coisas na loja e outras de um
cliente, e fugiram logo. Primeiro vem a
raiva de ver como eles agem e depois
oalíviodesaberqueforampresos.Es-
tou muito nervoso, preocupado e ten-
sopornuncaterpassadoporisso”,re-
velou.
Apesar do sucesso da operação, a PM alerta sobre o risco que as pessoas correm por acompanharem de
perto a situação.
FOTOS: JULIANO ROSSI
Os bandidos vieram de Bom Despacho e foram presos com ajuda do
dono de um estabelecimento comercial
SEXTA-FEIRA, 15/JAN/201614 COOPERATIVISMO
Crediprata
A cada R$ 100 em compras com seu Sicoobcard, você recebe
um número da sorte para concorrer a 9 Etios Hatch e 9TVs 40’’de LED.
E ainda pode concorrer a 5 S10 no sorteio final!
Participe! Quanto mais você usar seu Sicoobcard, mais chances tem de ganhar!
CAMPANHA
VÁLIDA PARA
CARTÕES DE
CRÉDITO
E DÉBITO
Participação de 1º/12/2015 a 29/2/2016 para pessoas maiores de 18 anos e pessoas jurídicas, associadas a uma das cooperativas das nove regiões filiadas ao Sicoob Central Crediminas, portadoras de cartão Sicoobcard participante. Sorteios: 20/1/16
- nove Etios Hatch X, um por região; 16/3/16 - noveTVs 40”de LED, uma por região; 30/3/16 - cinco S10 LT entre os ganhadores dasTVs. Consulte cooperativas participantes, demais condições, descrição e distribuição dos prêmios no regulamento no
site www.cartaopremiadosicoob.com.br. Imagens meramente ilustrativas. Certificado de Autorização SEAE/MF nº 04/0442/2015.
Campanha exclusiva para associados das cooperativas filiadas aoSicoobCentralCrediminas.
Consulte as cooperativas participantes e o regulamento no site
cartaopremiadosicoobcard.com.br
Quer concorrer a 9
Etios Hatch, 9 TVs
40” e a 5 S10?
SICOOB
CREDIPRATA
contrata
 O SICOOB CREDIPRATA fará um processo sele-
tivo para composição do cargo agente de microcrédito.
Para candidatar-se a vaga, o interessado deve ter os se-
guintes requisitos:
•Ter curso superior completo em Administração, Ci-
ências Contábeis ou Economia;
•Pós graduação em áreas correlatas com a função;
•Curso Microsoft Excel Avançado;
•Noções de planejamento estratégico;
•Ter boa comunicação;
•Capacidade de trabalhar em equipe;
•Raciocínio lógico e sistêmico.
O Candidato deverá residir no município da Agência
e não possuir grau de parentesco por consanguinidade
ouporafinidadecomfuncionários,membrosdosConse-
lhosdeAdministraçãoeFiscal,atéo2ºgrau,emlinhare-
ta ou colateral.
ParainscrevernoPROCESSOSELETIVOSICOOB
CREDIPRATA basta enviar seu currículo completo pa-
racurrículos@sicoobcrediprata.com.br,constandono
assunto:AgentedeAtendimento–Microcrédito,atéodia
25/01/2016.
Venha fazer parte da nossa equipe!
PUBLIEDITORIAL
 Para concorrer a es-
tes prêmios, basta utili-
zar o seu cartão Sicoob-
carddoSicoobCredipra-
taquejáestaráparticipan-
do da Campanha CAR-
TÃO PREMIADO que é
uma promoção efetivada
pelo Sicoob Central Cre-
diminas e cooperativas
singulares.
A cada R$100,00 em
comprascomoCARTÃO
SICOOBCARD, o asso-
ciadoreceberáumnúme-
rodasorteeletrônico,que
serágeradopelasuacom-
pra automaticamente pa-
raconcorreraosprêmios.
Quanto mais o associa-
do utilizar os CARTÕES
SICOOBCARD do SI-
COOBCREDIPRATA,na
função crédito ou débito,
maioresserãoaschances
de ganhar.
Nestacampanhaserão
sorteados5caminhone-
tesS10LT,9carrosEtios
Hatch X e 9 TV’s 40” e o
associado do SICOOB
CREDIPRATA não preci-
sa se cadastrar para par-
ticipardapromoção,ape-
nasutilizaroseucartãoSI-
COOBCARD.
O(s) número(s) da
Sorte podem ser consul-
tados no site www.car-
taopremiadosicoob-
card.com.br, em até 3
(três) dias úteis antes da
data do respectivo sor-
teio, informando, apenas,
o número do seu CPF no
campo apropriado.
OperíododaCampa-
nhaseráde01/12/2015
a 29/02/2016.
www.jornalcidademg.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Jornal opção 208
Jornal opção 208Jornal opção 208
Jornal opção 208Alair Arruda
 
PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]‏
PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]‏PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]‏
PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]‏pedroribeiro1973
 
PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]
PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]
PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]pedroribeiro1973
 
MOÇÃO FUTURO 2012 | VERSÃO COMPLETA
MOÇÃO FUTURO 2012 | VERSÃO COMPLETAMOÇÃO FUTURO 2012 | VERSÃO COMPLETA
MOÇÃO FUTURO 2012 | VERSÃO COMPLETApedroribeiro1973
 
Discurso TransmissãO 2
Discurso TransmissãO 2Discurso TransmissãO 2
Discurso TransmissãO 2jpcostaesilva4
 
Comunidade Vida e Paz: um exemplo de cidadania ativa
Comunidade Vida e Paz: um exemplo de cidadania ativaComunidade Vida e Paz: um exemplo de cidadania ativa
Comunidade Vida e Paz: um exemplo de cidadania ativaJSD Distrital de Lisboa
 
Jornal opção 200 colorido
Jornal opção 200 coloridoJornal opção 200 colorido
Jornal opção 200 coloridoAlair Arruda
 
PL 01 2018 parlamento jovem - Vereadora Lúcia Maria Ichu
PL 01 2018 parlamento jovem - Vereadora Lúcia Maria IchuPL 01 2018 parlamento jovem - Vereadora Lúcia Maria Ichu
PL 01 2018 parlamento jovem - Vereadora Lúcia Maria IchuAndre Luiz Lima Oliveira
 
Jornal opção 167 ed online
Jornal opção 167 ed onlineJornal opção 167 ed online
Jornal opção 167 ed onlineAlair Arruda
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 131 - 06/12/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 131 - 06/12/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 131 - 06/12/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 131 - 06/12/2018Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Ano II - Nº 24
Jornal Cidade - Ano II - Nº 24Jornal Cidade - Ano II - Nº 24
Jornal Cidade - Ano II - Nº 24Jornal Cidade
 
III Newsletter Geração de Mudança e Futuro
III Newsletter Geração de Mudança e FuturoIII Newsletter Geração de Mudança e Futuro
III Newsletter Geração de Mudança e Futurogoncalofgaspar
 
Boletim Ps Albufeira - 1
Boletim Ps Albufeira - 1Boletim Ps Albufeira - 1
Boletim Ps Albufeira - 1PSAlbufeira
 

Mais procurados (19)

Jornal opção 208
Jornal opção 208Jornal opção 208
Jornal opção 208
 
PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]‏
PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]‏PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]‏
PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]‏
 
PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]
PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]
PEDRO RIBEIRO | MOÇÃO DE ORIENTAÇÃO POLÍTICA | FUTURO [versão integral]
 
MOÇÃO FUTURO 2012 | VERSÃO COMPLETA
MOÇÃO FUTURO 2012 | VERSÃO COMPLETAMOÇÃO FUTURO 2012 | VERSÃO COMPLETA
MOÇÃO FUTURO 2012 | VERSÃO COMPLETA
 
Newsletter Outubro 2013
Newsletter Outubro 2013Newsletter Outubro 2013
Newsletter Outubro 2013
 
Pronunciamento1
Pronunciamento1Pronunciamento1
Pronunciamento1
 
Discurso TransmissãO 2
Discurso TransmissãO 2Discurso TransmissãO 2
Discurso TransmissãO 2
 
Notícias das Gerais nº80
Notícias das Gerais nº80 Notícias das Gerais nº80
Notícias das Gerais nº80
 
08022013 camarguinho d
08022013 camarguinho d08022013 camarguinho d
08022013 camarguinho d
 
Edição 209
Edição 209Edição 209
Edição 209
 
Comunidade Vida e Paz: um exemplo de cidadania ativa
Comunidade Vida e Paz: um exemplo de cidadania ativaComunidade Vida e Paz: um exemplo de cidadania ativa
Comunidade Vida e Paz: um exemplo de cidadania ativa
 
Jornal opção 200 colorido
Jornal opção 200 coloridoJornal opção 200 colorido
Jornal opção 200 colorido
 
PL 01 2018 parlamento jovem - Vereadora Lúcia Maria Ichu
PL 01 2018 parlamento jovem - Vereadora Lúcia Maria IchuPL 01 2018 parlamento jovem - Vereadora Lúcia Maria Ichu
PL 01 2018 parlamento jovem - Vereadora Lúcia Maria Ichu
 
Jornal opção 167 ed online
Jornal opção 167 ed onlineJornal opção 167 ed online
Jornal opção 167 ed online
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 131 - 06/12/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 131 - 06/12/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 131 - 06/12/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 131 - 06/12/2018
 
Jornal Cidade - Ano II - Nº 24
Jornal Cidade - Ano II - Nº 24Jornal Cidade - Ano II - Nº 24
Jornal Cidade - Ano II - Nº 24
 
III Newsletter Geração de Mudança e Futuro
III Newsletter Geração de Mudança e FuturoIII Newsletter Geração de Mudança e Futuro
III Newsletter Geração de Mudança e Futuro
 
Jornal digital 5057 qua_07122016
Jornal digital 5057 qua_07122016Jornal digital 5057 qua_07122016
Jornal digital 5057 qua_07122016
 
Boletim Ps Albufeira - 1
Boletim Ps Albufeira - 1Boletim Ps Albufeira - 1
Boletim Ps Albufeira - 1
 

Semelhante a Vereadores do Sicoob falam sobre trabalho na Câmara de Lagoa da Prata

Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70SINDIMETAL RS
 
I encontro de militantes virtuais do pt rj
I encontro de militantes virtuais do pt rjI encontro de militantes virtuais do pt rj
I encontro de militantes virtuais do pt rjRildo Ferreira
 
Manual do Candidato do PCdoB 2016
Manual do Candidato do PCdoB 2016Manual do Candidato do PCdoB 2016
Manual do Candidato do PCdoB 2016Paulo Veras
 
Revista Estação - Edição 32 de Novembro
Revista Estação - Edição 32 de NovembroRevista Estação - Edição 32 de Novembro
Revista Estação - Edição 32 de NovembroMichael Yoo
 
Balanço da acção política do psd amadora rui valada
Balanço da acção política do psd amadora rui valadaBalanço da acção política do psd amadora rui valada
Balanço da acção política do psd amadora rui valadacidadedaamadora
 
Uma entrevista com marina silva
Uma entrevista com marina silvaUma entrevista com marina silva
Uma entrevista com marina silvaPolibio Braga
 
CORRUPÇÃO NUNCA MAIS - SEJA PATRIOTA - PARTICIPE
CORRUPÇÃO NUNCA MAIS - SEJA PATRIOTA - PARTICIPECORRUPÇÃO NUNCA MAIS - SEJA PATRIOTA - PARTICIPE
CORRUPÇÃO NUNCA MAIS - SEJA PATRIOTA - PARTICIPERoberto Capriles Smith
 
Edição Jornal Correio Regional 09
Edição Jornal Correio Regional 09Edição Jornal Correio Regional 09
Edição Jornal Correio Regional 09cris allison barbosa
 
Jornal opção 201 colorido
Jornal opção 201 coloridoJornal opção 201 colorido
Jornal opção 201 coloridoAlair Arruda
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Nº 75 - 04/02/2016
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Nº 75 - 04/02/2016Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Nº 75 - 04/02/2016
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Nº 75 - 04/02/2016Jornal Cidade
 
Guia do-eleitor-eleicoes-2016-politize
Guia do-eleitor-eleicoes-2016-politizeGuia do-eleitor-eleicoes-2016-politize
Guia do-eleitor-eleicoes-2016-politizeCarlo Sales
 

Semelhante a Vereadores do Sicoob falam sobre trabalho na Câmara de Lagoa da Prata (20)

Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70
 
Diz Jornal - Edição 232
Diz Jornal - Edição 232Diz Jornal - Edição 232
Diz Jornal - Edição 232
 
Jornal Correio Popular
Jornal Correio PopularJornal Correio Popular
Jornal Correio Popular
 
I encontro de militantes virtuais do pt rj
I encontro de militantes virtuais do pt rjI encontro de militantes virtuais do pt rj
I encontro de militantes virtuais do pt rj
 
Manual do Candidato do PCdoB 2016
Manual do Candidato do PCdoB 2016Manual do Candidato do PCdoB 2016
Manual do Candidato do PCdoB 2016
 
Revista Estação - Edição 32 de Novembro
Revista Estação - Edição 32 de NovembroRevista Estação - Edição 32 de Novembro
Revista Estação - Edição 32 de Novembro
 
Balanço da acção política do psd amadora rui valada
Balanço da acção política do psd amadora rui valadaBalanço da acção política do psd amadora rui valada
Balanço da acção política do psd amadora rui valada
 
Guaianas 063
Guaianas 063Guaianas 063
Guaianas 063
 
Guaianas 063
Guaianas 063Guaianas 063
Guaianas 063
 
Uma entrevista com marina silva
Uma entrevista com marina silvaUma entrevista com marina silva
Uma entrevista com marina silva
 
CORRUPÇÃO NUNCA MAIS - SEJA PATRIOTA - PARTICIPE
CORRUPÇÃO NUNCA MAIS - SEJA PATRIOTA - PARTICIPECORRUPÇÃO NUNCA MAIS - SEJA PATRIOTA - PARTICIPE
CORRUPÇÃO NUNCA MAIS - SEJA PATRIOTA - PARTICIPE
 
Edição Jornal Correio Regional 09
Edição Jornal Correio Regional 09Edição Jornal Correio Regional 09
Edição Jornal Correio Regional 09
 
Guaianas 126
Guaianas 126Guaianas 126
Guaianas 126
 
Jornal digital 4982 seg_15082016
Jornal digital 4982 seg_15082016Jornal digital 4982 seg_15082016
Jornal digital 4982 seg_15082016
 
Revista Surrealista
Revista SurrealistaRevista Surrealista
Revista Surrealista
 
Jornal opção 201 colorido
Jornal opção 201 coloridoJornal opção 201 colorido
Jornal opção 201 colorido
 
Diz JORNAL - EDIÇÃO 241
Diz JORNAL - EDIÇÃO 241Diz JORNAL - EDIÇÃO 241
Diz JORNAL - EDIÇÃO 241
 
De quem é a culpa
De quem é a culpaDe quem é a culpa
De quem é a culpa
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Nº 75 - 04/02/2016
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Nº 75 - 04/02/2016Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Nº 75 - 04/02/2016
Jornal Cidade - Lagoa da Prata - Nº 75 - 04/02/2016
 
Guia do-eleitor-eleicoes-2016-politize
Guia do-eleitor-eleicoes-2016-politizeGuia do-eleitor-eleicoes-2016-politize
Guia do-eleitor-eleicoes-2016-politize
 

Mais de Jornal Cidade

Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 137 - 11/ABR/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 137 - 11/ABR/2019Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 137 - 11/ABR/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 137 - 11/ABR/2019Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 134 - 14/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 134 - 14/FEV/2019Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 134 - 14/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 134 - 14/FEV/2019Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 133 - 31/JAN/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 133 - 31/JAN/2019Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 133 - 31/JAN/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 133 - 31/JAN/2019Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 130 - 22/11/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 130 - 22/11/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 130 - 22/11/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 130 - 22/11/2018Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 128 - 18/10/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 128 - 18/10/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 128 - 18/10/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 128 - 18/10/2018Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 126 - 20/09/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 126 - 20/09/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 126 - 20/09/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 126 - 20/09/2018Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 125 - 06/09/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 125 - 06/09/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 125 - 06/09/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 125 - 06/09/2018Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 124 - 23/08/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 124 - 23/08/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 124 - 23/08/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 124 - 23/08/2018Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 122 - 26/07/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 122 - 26/07/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 122 - 26/07/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 122 - 26/07/2018Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 121 - 12/07/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 121 - 12/07/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 121 - 12/07/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 121 - 12/07/2018Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 114 - 29/03/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 114 - 29/03/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 114 - 29/03/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 114 - 29/03/2018Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 111 - 08/02/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 111 - 08/02/2017Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 111 - 08/02/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 111 - 08/02/2017Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 108 - 27/12/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 108 - 27/12/2017Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 108 - 27/12/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 108 - 27/12/2017Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 107 - 14/12/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 107 - 14/12/2017Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 107 - 14/12/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 107 - 14/12/2017Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 95 - 15/06/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 95 - 15/06/2017 Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 95 - 15/06/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 95 - 15/06/2017 Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 94 - 25/05/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 94 - 25/05/2017Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 94 - 25/05/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 94 - 25/05/2017Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 91 - 27/04/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 91 - 27/04/2017Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 91 - 27/04/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 91 - 27/04/2017Jornal Cidade
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 87 - 26/01/2017
 Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 87 - 26/01/2017 Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 87 - 26/01/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 87 - 26/01/2017Jornal Cidade
 

Mais de Jornal Cidade (20)

Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 137 - 11/ABR/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 137 - 11/ABR/2019Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 137 - 11/ABR/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 137 - 11/ABR/2019
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 135 - 28/FEV/2019
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 134 - 14/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 134 - 14/FEV/2019Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 134 - 14/FEV/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 134 - 14/FEV/2019
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 133 - 31/JAN/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 133 - 31/JAN/2019Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 133 - 31/JAN/2019
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 133 - 31/JAN/2019
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 130 - 22/11/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 130 - 22/11/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 130 - 22/11/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 130 - 22/11/2018
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 128 - 18/10/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 128 - 18/10/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 128 - 18/10/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 128 - 18/10/2018
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 126 - 20/09/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 126 - 20/09/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 126 - 20/09/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 126 - 20/09/2018
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 125 - 06/09/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 125 - 06/09/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 125 - 06/09/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 125 - 06/09/2018
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 124 - 23/08/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 124 - 23/08/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 124 - 23/08/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 124 - 23/08/2018
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 122 - 26/07/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 122 - 26/07/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 122 - 26/07/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 122 - 26/07/2018
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 121 - 12/07/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 121 - 12/07/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 121 - 12/07/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 121 - 12/07/2018
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 114 - 29/03/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 114 - 29/03/2018Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 114 - 29/03/2018
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 114 - 29/03/2018
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 111 - 08/02/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 111 - 08/02/2017Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 111 - 08/02/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 111 - 08/02/2017
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 108 - 27/12/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 108 - 27/12/2017Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 108 - 27/12/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 108 - 27/12/2017
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 107 - 14/12/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 107 - 14/12/2017Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 107 - 14/12/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 107 - 14/12/2017
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 95 - 15/06/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 95 - 15/06/2017 Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 95 - 15/06/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 95 - 15/06/2017
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 94 - 25/05/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 94 - 25/05/2017Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 94 - 25/05/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 94 - 25/05/2017
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 91 - 27/04/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 91 - 27/04/2017Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 91 - 27/04/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 91 - 27/04/2017
 
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 87 - 26/01/2017
 Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 87 - 26/01/2017 Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 87 - 26/01/2017
Jornal Cidade - Lagoa da Prata e região - Nº 87 - 26/01/2017
 

Vereadores do Sicoob falam sobre trabalho na Câmara de Lagoa da Prata

  • 1. Campanha exclusiva para associados das cooperativas filiadas ao Sicoob Central Crediminas. Use o seu Sicoobcard e concorra a: 9EtiosHatch,9TVs40’’deLED e 5S10. Consulte as cooperativas participantes e o regulamento no site cartaopremiadosicoobcard.com.br. CrediprataParticipação de 1º/12/2015 a 29/2/2016 para pessoas maiores de 18 anos e pessoas jurídicas, associadas a uma das cooperativas das nove regiões filiadas ao Sicoob Central Crediminas, portadoras de cartão Sicoobcard participante. Sorteios: 20/1/16 - nove Etios Hatch X, um por região; 16/3/16 - noveTVs 40”de LED, uma por região; 30/3/16 - cinco S10 LT entre os ganhadores dasTVs. Consulte cooperativas participantes, demais condições, descrição e distribuição dos prêmios no regulamento no site www.cartaopremiadosicoob.com.br. Imagens meramente ilustrativas. Certificado de Autorização SEAE/MF nº 04/0442/2015. CULTURA • Pág. 11 Livro da Acadelp é lançado em Mostra Cultural COTIDIANO • Pág. 12 Novos conselheiros tutelares tomam posse em LP Lagoa da Prata • Sexta-feira, 15/Janeiro/2016 • Edição Semanal - Ano III - Nº 73 • Jornal de Distribuição Gratuita - Venda Proibida Páginas 04 a 09 Os bandidos vieram de Bom Despacho e foram presos com ajuda do dono de um estabelecimento comercial OCORRÊNCIAS • Pág. 13 Polícia Militar captura assaltantes de relojoaria Jornal Cidade entrevista vereadores
  • 2.
  • 3.
  • 4. SEXTA-FEIRA, 15/JAN/20164 OPINIÃO Carta do Editor Juliano Rossi juliano@jornalcidademg.com.br C om o objetivo de mos- traraoleitororesultado obtido pelos vereado- res de Lagoa da Prata nos três primeiros anos da atual legisla- tura,oJornalCidadeprotocolou na secretaria da Câmara Muni- cipal, no dia 23 de novembro, uma solicitação de entrevis- ta individual com cada um dos nove parlamentares. A propos- ta era gravar em áudio e vídeo asentrevistas(quevocêpode conferirembreve,naíntegra, nositewww.jornalcidademg. com.br) para que o leitor pos- saavaliarseodesempenhodos vereadores está satisfatório. A reportagem do Jornal Ci- dadeestipulouoprazoparaque as entrevistas fossem realiza- dasentreosdias27denovem- broa4dedezembro. Emrazão do pedido de dois vereadores, o prazo foi estendido até o dia 14 do mês passado. Dos9vereadoresdeLagoa da Prata, 5 aceitaram gravar a entrevista nos moldes acerta- dos e dentro do prazo estabe- lecido. Nesta edição você po- derá ler o que tem a dizer os parlamentares Adriano Mora- es, Adriano Moreira, Di-Gianne Nunes, Edmar Nunes e Paulo Pereira. A sequência das en- trevistas está publicada em or- dem alfabética, a partir da pá- gina5.OsvereadoresNatinho, Cida Marcelino e Quelli mani- festaram interesse em gravar a entrevista, porém, após o pra- zoacordadocomareportagem do Jornal Cidade e após o iní- cio do recesso de fim de ano da equipe do semanário. E por consideraçãoaosdemaisvere- adoresquesedisponibilizaram A partirdefevereiro,oJor- nalCidadefaráalgumas mudanças em sua linha editorial e na identidade visual. O objetivo é estar ainda mais sintonizado ao que o leitor es- peralernosemanário.Estamos implantando um departamen- to comercial, que será coorde- nado por Juliana Figueiredo, e seremos os responsáveis pela produção das quatro edições anuais da Lagoa Em Revista, publicação que já está em sua quinta edição. O que não muda é o com- promissodelevaraoleitoruma notícia isenta, produzida com qualidade e riqueza de conte- údo. Para os anunciantes, re- novamos o nosso compromis- so de produzir o jornal com o maior alcance da cidade, dis- tribuídogratuitamenteemmais de 50 comércios, localizados em todos (TODOS) os bairros de Lagoa da Prata, e distribuí- do também nos semáforos da Avenida Brasil. O Jornal Cidade possui a maior tiragem (são 4.000 exemplares em cada edição) e o maior alcance comprova- do de todos os jornais que cir- culam na região. A comprova- ção da tiragem pode ser feita por qualquer empresa, profis- sional liberal ou leitor, sem bu- rocracia. aprestarcontadoseutrabalho conforme os termos estabele- cidos previamente, as entrevis- tas de Natinho, Cida Marcelino eQuelli(alémdeNegodaSaú- de) não foram realizadas. OJornalCidadedisponibili- zou uma página para que cada vereador falasse de seu traba- lho ou de seus posicionamen- tos. Uma mesma pergunta foi feita para todos os parlamen- tares: “Qual o benefício direto que o seu trabalho como vere- adortrouxeparaapopulaçãode Lagoa da Prata?” Se não hou- ve interesse por parte do vere- ador que não quis prestar es- te esclarecimento aos leitores, eleitoresecidadãos,ouseove- readornãotemnadadeconcre- toparamostrarqueéresultado de seu trabalho, paciência! As eleições estão aí. Jornal Cidade entrevista vereadores Novidades no Jornal Cidade www.pharlab.com.br facebook.com/pharlab @Pharlab @pharlab_oficial@pharlab_oficial Anuncio Jornal Cidade Institucional.indd 1 12/01/16 15:47 www.jornalcidademg.com.br
  • 5. 5SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016 facebook.com/jornalcidademg POLÍTICA ENTREVISTA: VEREADOR ADRIANO MORAES De 2013 a 2015, Adriano Moraes apresentou 72 requerimentos, 17 projetos de lei e 31 anteprojetos. “A política é o lado sujo que eu vivo e aqui eu sou obrigado a ser a pessoa que fica limpando a sujeira” “Eu sei que sou mal interpretado e isso é natural. As pessoas levam tempo, a maioria leva anos para ser verdadeira com você” FOTO: JULIANO ROSSI DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br Como você avalia os três pri- meiros anos desta sua legis- latura? Satisfatório, principalmente neste mandato, onde a Administração fa- voreceu os vereadores que querem desenvolver um bom trabalho. O que temos visto nessa gestão é que a ci- dade virou um canteiro de obras, e a maioria do dinheiro para essas obras não veio do orçamento municipal, e sim de verbas que partiram de depu- tados estaduais e federais que fize- ram todo esse movimento na cida- de. Outras cidades da região estão em crise, e nós temos uma economia forte em Lagoa da Prata. A gente vê que o dinheiro está sobrando para fa- zer os projetos sociais, que é o mais importante. O que você pode mostrar para o eleitor que é fruto direto do seu trabalho e do seu empe- nho nesses três anos da atual legislatura? Tenho diversos projetos em anda- mento, como cultura disponível a to- das as pessoas, cultura nas escolas, pormeiodadistribuiçãodelivros,etc. No âmbito do Legislativo, tenho di- zer que a Câmara não funciona sem o Executivo, porque senão os proje- tos ficam só no papel. Todos os pro- jetos que estiveram em andamento nesses três anos foram viabilizados através do Executivo. Tem que deixar isso bem claro, porque vereador não executaprojeto.Omelhorprojetoque já passou aqui na casa é de minha autoria, que proíbe o plantio de cana no perímetro urbano. Outro, de rele- vância, foi a melhoria da cesta bási- ca e implantação da jornada de tra- balho de 6 horas para os funcioná- rios públicos. Alguns vereadores o criticam pelo fato de você ter uma liga- ção muito próxima com o pre- feitoeaAdministraçãoMunici- pal, e que muitos dos projetos são idealizados dentro da Pre- feitura, o que lhe beneficiaria politicamente. O que você tem a dizer sobre esse assunto? Político tem que saber fazer política. Eu estou aqui para trabalhar para o povo. Eu queria que todo mundo fi- casse falando bem de mim, mas a política não funciona desse jeito. No meu outro mandato, onde o prefeito só sabia ouvir o Marlúcio Meireles, que era o secretário de governo de- le, eu não parei de tentar me comuni- car com o Divininho, como faço com o Paulo Teodoro. Só que o Paulinho me escuta, o Divininho não me escu- tava. A diferença está só aí. Recebemos muitas reclama- ções de pessoas que ouvem a reunião da Câmara pelo rádio. Elas dizem que não se resolve nada. Como você avalia a pro- dutividade do trabalho da Câ- mara? Nos projetos importantes minha pos- tura foi de oposição. A base do go- verno é mais dura do que a oposição. Não me considero uma pessoa boa, nem justa, mas tento manter o meu princípio de servir a população, mes- mo que me doa, mesmo que fique al- guns pedaços da minha carne no ca- minho e que eu (e até minha família) sofra muito. Trabalhar para o outro é uma característica da minha famí- lia que tem assistente social, profes- sora e padre. Uma frase bíblica resu- me: “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor”. Você é um vereador conheci- do pelos discursos inflamados na tribuna, e tem uma perso- nalidade mais amena no âmbi- to pessoal. Seriam dois “Adria- nos”, um que trabalha com política, e outro com traba- lhos de autoajuda? Como vo- cê orienta as pessoas a enxer- garem essas personalidades? Eu não espero que elas enxerguem, senão, elas deveriam estar aqui, e não eu. Eu sei que sou mal interpre- tado e isso é natural. As pessoas le- vam tempo, a maioria leva anos para ser verdadeira com você. Estamos vivendo uma instabilidade nacional e eu estou pregando a paz interior. Então eu sou incompreendido, pois eles não veem que há uma manipu- lação da mídia mundial para deses- truturar o cidadão. E eu, como um re- presentante do cidadão, estou pre- gando a amizade, amor, temperança, candura, o abraço e o acolhimento. E essas coisas para mim são impor- tantes porque eu sei que, como re- presentante do povo, eu tenho que direcioná-los para o que é bom e pa- ra o que é belo. Acho que essa é a minha função. Falando do mandato de legis- lador, você tem algum arre- pendimento de alguma pos- tura que você tomou nesses três anos? Eu sou o autor da denúncia de nepo- tismo que causou a demissão do car- go da Lúcia de secretária de gover- no. Não só ela, mas do Juninho, ex- -secretário de cultura e sobrinho do Fortunato. Vou te dar o exemplo da Lúcia, que eu causei a demissão de- la. Todos os pedidos da população que eu levei, a Lucia conseguiu resol- ver. E eu vejo que não é só isso não, tanto ela quanto o prefeito tiram di- nheiro do bolso para ajudar as pes- soas e as entidades. Eu senti muito por ter ferido pessoas que são com- petentes e boas. Uma proposta polêmica que vocêcolocouempautafoiare- dução dos salários. Na verdade é um requerimento que pede à Mesa Diretora, formada pelos vereadoresCidaMarcelino,For- tunatodoCouto,PauloRoberto e Quelli Cássia, que coloque o projeto em votação. O requeri- mentofoiaprovadoporseisvo- tos a dois. Até hoje a presiden- te não se manifestou se vai ou não colocar o projeto em vota- ção.Vocêvaicobrardelaouvai ficar por isso mesmo? Omeupapeleujáfiz,agoravocêestá fazendo o seu. Isso você não está fa- zendo em seu nome e sim porque vo- cê representa um grupo, sempre co- brando e articulando neste sentido. Cabe agora a vocês estarem fazen- do a divulgação, pois o requerimen- to é forte porque ele é contra o verea- dornãotertempointegralparaavere- ança. O vereador não vai largar a pro- fissão de carreira para ser vereador, isso é impossível, sei disso. A maio- ria está quase aposentando e não vai largar a carreira. Mas é amoral, antié- tico e chato quando a gente vê o ve- readornohoráriodetrabalhodevere- ança estar exercendo outro cargo de carteira assinada. Vocêvaisercandidatonaselei- ções de 2017? Soucatólicopraticanteeacreditoque nãocaiumafolhadaárvoresenãofor davontadedeDeus.Ofuturonãode- pendedemim.Aminhavontadeénão candidatar. Mas e a questão dos salários que você propôs para os próxi- mos vereadores? Não é só a questão do salário, isso é o mínimo. Uma coisa é a minha von- tade e outra é a de Deus, que rege as coisas. A política é o lado sujo que eu vivo e aqui eu sou obrigado a ser a pessoaqueficalimpandoasujeira.Eu queriamexercomcultura,trabalharle- cionando, pois sou professor. Queria trabalhar atendendo, pois estou for- mando em psicanálise. Eu não que- ria estar trabalhando nesse chiquei- ro, que é a política, mas foi aqui que Deus me colocou e é aqui que eu te- nho que usar o meu dom. E aqui Ele medácondiçõesdeestarcrescendo comopessoa.Agenteaprendeénas dificuldades, é na luta, é vendo o lado feio do irmão, que a gente vê que não está preparado, tem muita imaturida- de e a gente tem que amá-lo mesmo sabendo que ele está falando mal de você pelas costas no Facebook e no Whatsapp. O espaço está aberto para as suas considerações finais. Primeiramente, aos leitores do Jornal Cidade quero deixar o meu agradeci- mento, agradeço à equipe do Jornal Cidade que tem feito um trabalho di- ferenciado,eagradeçoprincipalmen- te ao prefeito municipal Paulo César Teodoro, que sem uma boa gestão o vereador fica só ouvindo não e que não tem dinheiro, conforme eu ouvia na outra gestão. Estamos passando porumacrisemundialeLagoadaPra- tacomtantaobraetudofuncionando bem. Tem uma hora que precisamos largar as diferenças de lado e pensar maior, de uma forma iluminada. Agra- deço principalmente a Deus que tem iluminado.
  • 6. 6 SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016www.jornalcidademg.com.brPOLÍTICA ENTREVISTA: VEREADOR ADRIANO MOREIRA De 2013 a 2015, Adriano Moreira apresentou 87 requerimentos, 15 projetos de lei e 17 anteprojetos. “É um projeto que compete à Mesa Diretora. Assim que o projeto for mandado, se for mandado, a gente pode fazer emendas para adequá-lo da melhor maneira possível” Sobre a redução dos salários dos vereadores “As pessoas saberão se o vereador fará projetos, se está debatendo e se está se posicionando de forma adequada. Ali o vereador vai se expor de forma negativa ou positiva” Sobre as transmissões da reunião pelo rádio FOTO: JULIANO ROSSI DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br Oquevocêpodeapresentarpa- ra o eleitor que foi resultado di- reto de seu trabalho nos três primeiros anos desta legisla- tura? O principal do vereador, além do po- sicionamento dele, não é a quantida- de de projetos, mas sim a qualidade. Equeessesprojetosinterfiramnavida das pessoas no dia a dia para melho- rar a qualidade de vida delas. Dentre os meus projetos eu posso citar três, que é o projeto que multa os donos quenãolimpamasresidências,ouse- ja, se for encontrado um foco de den- gueessapessoaserámultada.Outro éoqueimplantouoProgramaCâma- ra Mirim, que é um projeto que leva a política para dentro da escola. Tive- mos de 1000 a 1500 eleitores e ele- gemos nove vereadores nas escolas. Também tivemos o projeto ficha lim- pa, que é uma adaptação do proje- to federal. Você votou a favor do reque- rimento que visava diminuir o salário dos vereadores a par- tir de 2017, mas até hoje a Me- sa Diretora não colocou a pro- posta em votação. Qual é a sua opinião? O vereador que não faz parte da Me- sa Diretora não pode apresentar es- se projeto por vício de iniciativa. É um projeto que compete à Mesa Direto- ra. Assim que o projeto for mandado, se for mandado, a gente pode fazer emendas para adequá-lo da melhor maneira possível. Recentemente, quando o Mu- nicípio fez a entrega dos lotes para as famílias que foram be- neficiadas, no seu discurso vo- cê ressaltou que foi a primeira vezqueoMunicípiofazdoação de lotes e que passa pela aná- lise da Câmara e por uma sin- dicância de um profissional de assistência social, que no ca- so foi você, que é funcionário concursado da prefeitura. Fale um pouco mais sobre essa de- claração. O Executivo Municipal que faz essa doação de lote. Sabemos que passa pelaCâmaraparaaaprovaçãodopro- jeto e para um embasamento melhor o profissional de serviço social verá ascondiçõeseconômicasequestões que afetam a família como um todo. A sua fala na hora da entrega deixou a entender que nas ges- tões passadas não havia esse cuidado de verificar se a famí- lia realmente precisava. Não só isso, mas a questão de doar um lote de boca e nem passar pela Câmara. Não é que não passava pela Câmara,masadoaçãodoloteerafei- tadeformaprecária,ouseja,aspesso- as que receberam os lotes há 10, 12, 15 anos agora é que estão regulari- zandoasituaçãopelaCâmara.Então, uma pessoa recebeu um lote e tec- nicamente ou juridicamente esse lo- te ainda é do município. Assim, nem a doação foi feita, tampouco a questão do relatório do assistente social. Não foi passado pela Câmara e não foi fei- ta a documentação. Esses lotes tec- nicamente são da prefeitura. As pessoas reclamam muito do horário que a Câmara faz as reuniões, às 16 horas. Existe a possibilidade de voltar a reu- nião para o horário antigo, às 20 horas? Eu e outro vereador votamos contra. Por décadas as reuniões da Câmara sempre foram às 20 horas. Posso ci- tar a questão do horário que é vendi- do para as rádios, ou seja, o horário de transmissão que é feito de 16 ho- rasàs19horaséumhorárionobrepa- ra o rádio, portanto, é muito mais caro do que à noite. Primeiro vem a ques- tão da economia da câmara. Transmi- tindo às 16 horas chegamos a pagar atéodobrodoquesefossetransmiti- doànoite.Tambémtemaquestãodas pessoas que estão trabalhando, que não vão parar o seu serviço para ouvir areunião.Eudefendoqueohorárioda reunião da Câmara seja às 20 horas. Ao transmitir as reuniões a Câ- mara cumpre o objetivo de in- formareformaropiniãodoelei- tor? ACâmaracumpredetodasasformas, namedidaemqueapopulaçãoacom- panhaastransmissõeselaconhecerá o vereador. As pessoas saberão se o vereador fará projetos, se está deba- tendo e se está se posicionando de forma adequada. Ali o vereador vai se expor de forma negativa ou positiva. Então, quando a população for votar saberá através das transmissões co- moovereadorseportouaquinacasa. A Câmara aprovou em primeira votação, sem nenhum questio- namento, um projeto que proi- bia o lançamento de vinhoto nos canaviais. Na semana se- guinte,oplenáriodaCâmarafi- cou lotado de funcionários da Biosevquepressionaramader- rubada do projeto em segunda votação. Os vereadores – ex- ceto Adriano Moraes, autor da proposta – mudaram repenti- namente de opinião Explica is- so pra nós. Aquestãodosvereadoresémuitosim- ples, pois quando um vereador entra comumprojetodeumaformabemsu- perficial ele tem boa intenção. A pri- meira coisa que houve de errado no projeto desse vereador é que ele não ouviuaspartes,poistemorisco-bene- fício. Às vezes você faz com que pare dejogarovinhoto,issonósnãosomos de acordo. Temos também a questão social que irá causar o desemprego, assim temos que pesar os dois lados. Oprojetofoimalfeito,elenãoouviuto- das as partes. Todos nós somos con- trários a jogar vinhoto nos canaviais. Você é a favor do projeto para que o SAAE faça cobrança do consumo real? Com certeza, se for um projeto que não aumente o preço do metro cúbi- coeusouafavor.Porém,oSAAEnão pode se abster de receita. Se ele tem uma receita de 100 mil reais o consu- mo real irá diminuir a sua receita. Vai que acaba com a taxa mínima, o me- tro cúbico vai aumentar. Tem um projeto que você apre- sentou em 2013 que concede gratuidade para deficientes fí- sicos na Praça de Esportes. Vo- cêtemacompanhadoessepro- jeto para saber se está funcio- nando? Esse projeto foi aprovado. Falei com o Gilfar (secretário de Esportes), in- clusive tem pacientes bariátricos que fazem este tipo de trabalho. Todos os encaminhamentosquemandamospa- ra a Praça de Esportes são incluídos. OsCRAS(CentrosdeReferênciaem Assistência Social) também encami- nham pacientes com deficiência físi- ca e na medida em que esses enca- minhamentos vão chegando eles são aceitos lá. O espaço está aberto para as suas considerações finais. Primeiro eu gostaria de agradecer. Sempre que o vereador precisou ex- porosseusprojetoselefoiouvidoete- veespaço.Essefoiumanomuitobom paraoLegislativo,foiumanoqueapre- sentei projetos e eu acho que o vere- ador tem como o conteúdo os seus projetos e opiniões. Então, a popula- ção acompanha a reunião da Câma- raevêoposicionamentodosprojetos do vereador. Quando ela vota já sabe emquemestávotandoporqueconhe- ce os trabalhos.
  • 7. 7SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016 facebook.com/jornalcidademg POLÍTICA ENTREVISTA: VEREADOR DI-GIANNE NUNES De 2013 a 2015, Di-Gianne Nunes apresentou 93 requerimentos, 8 projetos de lei e 17 anteprojetos. “Eu fui eleito com uma votação muito expressiva, e o que me faz ficar muito agradecido é que dois anos e meio após a posse já cogitavam a possibilidade de que eu me candidate a prefeito”“Eu honro cada centavo que recebo da minha função de vereador, inclusive, a controladoria da Câmara é testemunha que já tirei até dinheiro meu para acelerar projetos da Casa” FOTO: JULIANO ROSSI DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br Como você avalia os seus três primeiros anos de legislatura? O que você teve de decepção? Quando eu me candidatei a verea- dor, queria repetir tudo que eu tinha feito pela educação da cidade. Tanto é que eu só prometi uma coisa na mi- nha campanha política, que foi justa- mente entrar com o projeto da Câma- ra Itinerante. Eu queria ser um verea- dor atuante, inclusive meu slogan era “Umprofessoratuanteparafazeruma Câmara Municipal diferente”. A gen- te aprende a cada dia, foi muita bata- lha, teve muita conquista, muita coisa boa, decepções a gente tem a todo o momentonavidapolítica.Euconside- roquenofinaldascontas,encerrando o terceiro ano do mandato, o saldo é mais positivo do que negativo. O que você pode mostrar pa- ra o eleitor que foi fruto dire- to do seu trabalho como verea- dornessestrêsprimeirosanos? Nessemomentoemqueestamosten- do esta entrevista, têm atletas de La- goa da Prata que estão sendo apoia- dosporumprojetoqueeuidealizei,eu batalhei muito para que desse certo. Nessemomentotambémtemcrianças eadolescentesnapistadeskate,que também foi uma batalha, além do re- curso eu lutei muito para que ela fos- se implantada. Nesse momento tem senhoras da melhor idade que estão praticandohidroginásticanaPraçade Esportes. Esse também é um projeto meuquefoiaprovadopeloprefeito. E academias ao ar livre. Essas iniciativas se tornaram concretas por causa de apoio da administração municipal e pelo seu relacionamento com o governo? Sem sombra de dúvida. Eu e o Prefei- tojátivemosproblema,maseuvouaté ogabinete,conversoemostroporque é interessante apoiar tal projeto. Já ti- ve que utilizar de outros métodos, co- mo por exemplo, quando eu vi que o apoio ao aluno do transporte univer- sitário não estava saindo, fui à rodo- via gravar um vídeo para mostrar a im- portância daquilo ali e movimentar o pessoal. A partir disso, melhorou mui- to,nuncateveumaumentotãosignifi- cativo. São meios de tentar movimen- tarapolíticaefazeracoisaacontecer. Você lançou recentemente um informativo parlamentar com as suas ações. Muitas pesso- as o criticaram falando que era propaganda política, que você é um pré-candidato a prefeito para as eleições de 2016. Vo- cê, de fato, vai ser candidato a prefeito ou vereador? Eu fui eleito com uma votação muito expressiva, e o que me faz ficar mui- to agradecido é que dois anos e meio após a posse já cogitavam a possibi- lidade de que eu me candidate a pre- feito. Mas falta um ano ainda, a gente tem que pensar é na população e em terminar bem esse mandato. Não fu- jo dessa história, mas o que eu que- ro mesmo é terminar bem o mandato. Quem são as pessoas que for- mam o seu grupo político atu- almente? Hoje você é o presi- dentedoPPS,queéopartidodo ex-prefeito Divininho, que está agoranoPV(dodeputadoTiago Ulisses).Seaeleiçãofossehoje, atendênciaéqueseugrupose- riaformadoporquaispartidos? Essa é uma pergunta que ainda não tem a possibilidade da gente conver- sarouafirmar,umavezqueagentetem sempre conversado com presidentes de outros partidos, mas o que eu pos- sotedizeréoqueoPPSteveumaboa renovação, ainda continua com pes- soas boas. O partido está preparado para sair na próxima eleição com uma candidatura majoritária (para prefeito) e com um número bom de vereado- res também. ComovocêavaliaaAdministra- ção Municipal? O prefeito está trabalhando como eu estoutrabalhando,comovocêestátra- balhando.Pavimentaçãoéobrigação. Pagar o 13º salário do funcionalismo público também. Se a gente for olhar, até esse momento não foi feito nada de extraordinário nesta gestão. É um mandato normal. Uma pauta importante que foi discutida em 2015 na Câmara foi a aprovação de um requeri- mentoquepediaàMesaDireto- ra a redução do salário dos ve- readores a partir de 2017. Vo- cê concorda em reajustar para baixoosaláriodosvereadores? Euhonrocadacentavoquereceboda minhafunçãodevereador,inclusive,a controladoria da Câmara é testemu- nha que já tirei até dinheiro meu pa- ra acelerar projetos da Casa. Mas eu voteiafavordesserequerimentoees- pero por ele. Como disse na ocasião da votação desse requerimento, exis- te muita máscara aqui nesta Câma- ra, muita politicagem e teatrinho. Eu acho que se esse salário diminuir vai ter mais vereadores com melhores in- tenções.Sóotempodiráseissoacon- tecer, mas acho que a politicagem di- minuiria muito. Você falou na última resposta sobre o teatro que, às vezes, é simulado por alguns vereado- res durante as reuniões. Esta- mos gravando essa entrevista em uma sexta-feira (18/12), e a reunião da Câmara desta se- manafoiumpoucoconfusa.Na sua avaliação, a transmissão das reuniões pela rádio contri- bui mais para a informação do cidadão ou mais para o verea- dor fazer palanque político em causa própria? Quando eu entrei na Câmara ficamos dois meses sem transmissão. O pri- meiromês,pelofatodeserjaneiro,não tem reunião ordinária. Nas ruas eu en- contrava muitas pessoas falando que tinhaquetransmitir.Achoqueapopu- lação prefere as transmissões. Fato é que nas ruas o pessoal comenta até as vírgulas que a gente fala aqui. Mas que a transmissão em certos momen- tosvirouumabobagem,isso,qualquer um sabe e nota. Tem vereador que fa- la muito bem e começa com o falató- rio.Porisso,muitasvezeseuprefirofi- car calado. Aproveitar da reunião pa- ra fazer campanha é o grande proble- ma. Ainda acho que tem mais pontos positivos que negativos. O eleitor sa- be filtrar o que é um trabalho sério e o que é politicagem. Obrigado pela entrevista. O es- paço está aberto para as suas considerações finais. Três anos, eu gostei muito. Diversas coisas aconteceram. Para acontece- rem foi com muita luta. Eu penso que ainda falta um ano, vamos tentar con- tinuardamesmaformaqueagenteini- ciou.Eutenhotrêsprojetosqueestão sobaanálisedaPrefeituraMunicipale até agora não obtive resposta. O pas- se livre no transporte local para pes- soa com deficiência, o projeto para a criaçãode10cargosnaSecretariade Educaçãoparaagentedeapoioàpes- soa com espectro do autismo e tem também o projeto da Guarda Escolar. Essefoimeugrandesonhoetambém minha maior decepção. Porque nem paradiscutiroassuntoeufuiatendido. Quem está no ambiente escolar sabe daimportânciadesseprojeto.Umlocal onde a gente quer que o pedagógico aconteçadamelhormaneirapossível, tem que ser um lugar seguro. É o meu sonhoparaoanoquevemeeuvouco- brar da Prefeitura Municipal e irei fa- zer todos os movimentos que fiz ante- riormente. Isso é que pretendo o ano quevem.Encerrarbemessemandato.
  • 8. 8 SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016www.jornalcidademg.com.brPOLÍTICA ENTREVISTA: VEREADOR EDMAR NUNES De 2013 a 2015, Edmar Nunes apresentou 121 requerimentos, 15 projetos de lei e 18 anteprojetos. “No início de 2013 realizamos a audiência pública de segurança pública. A parte dos vereadores nós realizamos, porém, a parte de executar caberia ao Estado, não foi feita” FOTO: JULIANO ROSSI DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br Aofinalizaroterceiroanodesua primeira legislatura, o que você podemostrarparaocidadãoque é resultado direto de seu traba- lho? Todocidadãoquevaiassumirumcargo públicotemquesertransparenteparaa sociedade. O vereador tem que tentar terumaaberturacomaprefeituraeman- ter um discurso direto com os deputa- dos.MuitasvezesaAdministraçãotem quereceberosrecursoseacatar.Tenho queparabenizarosprefeitosRobertoe Paulinho,queabriramespaçoparaque outrosdeputadostivessemabertura,co- mo é o caso do Reginaldo Lopes, que trouxe quase 2 milhões de reais para o HospitalSãoCarlosparaaaquisiçãodo CentrodeImagem,inclusive,tenhores- posta do documento que ele mandou pra mim. Isso foi o esforço de um gru- po que apoiou o deputado Reginaldo Lopes.APauleneAndradeeaJanaína, ambas da Secretaria de Educação, fo- ram as pessoas que deram suporte ao maior número de votos para o Reginal- doLopesemLagoadaPrata.Issomos- traqueantesdeelepedirvotomandouo recursoparaajudaratrazeroIFMGpa- raomunicípio.Aívocêmepergunta:Foi overeador?Euestavajuntocomopre- feitoecomabase.Agradeçoaelepelo empenho em Lagoa da Prata. Junto ao deputadoSargentoRodrigueseucon- segui uma ambulância que já foi adqui- ridaparaaSecretariadeSaúde.Como deputadoAlencardaSilveiraJúniorcon- seguiorecursode50milreaisparaailu- minaçãodocampodoAssociaçãodos Veteranos do bairro Gomes. Cerca de duassemanasantesdesairanotíciaso- bre a possibilidade do fechamento da agênciadoINSSeujáhaviaenviadoofí- cio para o deputado Reginaldo Lopes. Elogoquandosaiuaveiculaçãodano- tíciaeledeuumaentrevistanarádiopa- ra dizer que a agência não fecharia. Is- so é um trabalho de contatos, pois não é fácil. Embora não seja função do ve- reador, nós temos que procurar recur- sos, pois nem sempre a prefeitura terá comoajudar. Você veio da área da segurança pública como policial militar e trabalhoudurantemuitotempoà frentedoProerd.Nenhumdosve- readores conhece a área de se- gurança pública tão bem quan- tovocê.Oquevocêsenteaover- mosqueaviolênciatemaumen- tadocadadiamaisemLagoada Prata e nada parece acontecer para diminuir a escalada da cri- minalidade? Noiníciode2013realizamosaaudiên- cia pública de segurança pública, que teve a presença dos deputados João Leite, Sargento Rodrigues, Tiago Ulis- seseFabianoTolentino.Tambémparti- ciparamjuízes,promotoresedodelega- do regional. A audiência me deixou um poucofrustrado,poisváriosanseiosda sociedadenãoforamcumpridos.Apar- te dos vereadores nós realizamos, po- rém,apartedeexecutarcaberiaaoEs- tado,nãofoifeita. A Guarda Civil Municipal é uma ques- tãoquemepreocupa.Eomotivoéque aPolíciaMilitarésubordinadaaoEstado eaGuardaCivilésubordinadaaoMuni- cípio.Então,oMunicípio,nomeuponto devista,teriaqueinvestirmaisnaguar- da. Inclusive foi repassado pela Câma- raumrecursode60milreaisefoiindica- doparaaaquisiçãodeumaviatura,cur- sosdeteasereaquisiçãodearmasnão letaisparaGMC.Acreditoqueoprefei- to esteja estudando melhor para inves- tir, municipalizar o trânsito, mas temos que correr atrás o mais rápido possível para aumentar esse efetivo e com cur- sos de qualificação para a Guarda Ci- vilMunicipal. Existe a possibilidade de cria- ção de um programa municipal de combate às drogas nos mol- des do Proerd? Se Deus quiser isso vai sair do papel. Eu tive um apoio da secretária de edu- cação Paulene Andrade, da sua equi- peedoprefeito.Seesteprogramader certooutrosmunicípiospoderãousá-lo, poiseleseráumprogramamunicipalde combate às drogas. O município está numacrescentedeusuáriosdedrogas. Um assunto que as pessoas re- clamammuitoécomrelaçãoao horário que a Câmara realiza as reuniões. Qual o motivo da mu- dança desse horário? Aprincípio,oobjetivodessehoráriodas 16horaséquetrouxessemaiscrianças e adolescentes das escolas para esta- rem presentes nas reuniões, pois o fu- turo de Lagoa da Prata está nas mãos dosjovens.Aideiaseriaque,comesta parceriacomasescolas,pudéssemos fazer com que os alunos vissem como é o trabalho na Câmara e, através dis- so,formarmoscidadãosconscientes. Vimos que a presença dessas pessoas na reunião não acon- teceu. Existe a possibilidade de voltarasreuniõesparaàs20ho- ras? Ointuitoeraterapresençadaspesso- as,jáquenãoaconteceuvimosqueas elasdãopreferênciaparaouviratrans- missão feita pela rádio. Já que não deu certo, deveria voltar para 20 horas pa- ra que as pessoas possam vir ou ouvir melhoremcasa. Esteéseuprimeiromandatoco- mo vereador. Tem algum arre- pendimento sobre determinada votação ou posicionamento? Qual a avaliação que você faz da política. O que você enfren- taaquinaCâmaraeoqueacon- teceatrásdosmicrofones,algu- macoisalhesurpreendeunega- tivamente? Não me arrependo. Venho de uma fa- mília que ensina a fazer o melhor pos- sível, a não prometer o que não posso cumprir. Como vereador, pude ajudar muitasfamílias,nãocomrecursos,mas com influência. Eu imaginava uma coi- sa totalmente diferente, principalmen- te por muitas vezes precisar de recur- sosparaoProerdepensarqueseesti- vesse dentro da Câmara seria mais fá- cil. É claro que temos divergências po- líticas e pessoais, mas aqui tem bons vereadorestrabalhandoemproldeLa- goadaPrata. Na redação do Jornal Cidade re- cebemosváriasreclamaçõesde que as reuniões dos vereadores são improdutivas, que aconte- cemmuitasbrigaseacoisanão funciona.Porexemplo,aCâma- radeixoupassaraoportunidade de de obrigar o SAAE a negociar o valor da taxa de esgoto quan- doautorizouaautarquiaafazer o concurso público. Depois dis- soaprovouumdecretolegislati- vo anulando o aumento, que foi derrubado pelo SAAE. E recente- mente outra vereadora entrou comoutrapropostaparaquese cobre o consumo real. Falou-se muito, fez muito barulho e não aconteceu nada. Muitas vezes as pessoas tem essa sensação em alguns momentos. Por que isso acontece? Tarifar não é competência da Câmara. IssoquemfazéoExecutivo.Algunspro- jetostêmquepassarpelaCâmara.Nes- se caso dos cargos, todos nós sabe- mos da necessidade de funcionamen- todaETEetemquecontratarfuncioná- rios. Agora, se esse valor está alto, bai- xo ou precisa melhorar é mais técnico. Acredito que o próprio SAAE fez o es- tudo. Mexeu muito com a sociedade? Mexeu, por ser uma tarifa muito pesa- da para muitas pessoas. Infelizmente, nós, cidadãos, estamos pagando pa- ra termos melhorias, que no meu pon- todevistaaETEéumaobradoGover- noFederalequemdeveriaarcarcomo seufuncionamentoéquemfezaobra. Você é candidato à reeleição? Soucandidatoavereador. Obrigadopelaentrevista.Oespa- çoestáabertoparaassuascon- siderações finais. Gostaria de informar que parte dos re- cursos economizados na Câmara no exercício de 2013 ficou à disposição do prefeito o valor de 180 mil reais. In- dicamos e solicitamos que tais recur- sosfossemutilizadosnacoberturadas quadrasdosbairrosSantaHelena,Sol Nascente e no Conjunto Habitacional Chico Rezende. Bem como o valor de 130milreaisquefoirepassadoempar- tesiguaispara13entidadesdomunicí- piocadastradasnoConselhoMunicipal deAssistênciaSocial.Salientoaindao recurso de 60 mil reais que foi indica- do para aquisição de motocicletas pa- ra a equipe GPMOR da Polícia Militar, visandomaisagilidadenasabordagens policiais.Tambémfoirepassadoovalor de60milreaisparaaaquisiçãodeuma viatura,cursosdeteaserearmasletais paraaGuardaPatrimonial. O Jornal Cidade é muito bem visto e gostariadepedirparavocês,leitores,vi- sitaremaCâmara.Conheçaosseusve- readores,procuremmaisaCâmarapa- ravocêconhecerotrabalhodapessoa quevocêescolheuparaterepresentar. “Venho de uma família que ensina a fazer o melhor possível, a não prometer o que não posso cumprir”
  • 9. 9SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016 facebook.com/jornalcidademg POLÍTICA ENTREVISTA: VEREADOR PAULO ROBERTO PEREIRA De 2013 a 2015, Paulo Roberto Pereira apresentou 71 requerimentos, 8 projetos de lei e 16 anteprojetos. “A Câmara não discute o bem de uma população, esse bem vem em segundo plano. O bem da população é discutido de acordo com que ele pensa do projeto de poder que ele tem. Isso é horripilante. Acontece no Brasil inteiro, não é coisa de Lagoa da Prata” FOTO: ARQUIVO DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br Nesses três primeiros anos na suaprimeiralegislatura,qualéo benefício para o cidadão que foi resultadodiretodeseutrabalho? Alguns benefícios são concretos e ou- trosmaissubjetivos.Comobenefíciodi- retopossodizerqueaproximidadecom o deputado Newton Cardoso Júnior, que trouxe para Lagoa da Prata emen- das entregando caminhão e máquinas agrícolas.Noiníciodoanotambémexis- teumaemendaqueirápossibilitaraen- tregadecaminhão,patrolaeretroesca- vadeira. A Fundação São Carlos tam- bémrecebeuumvalorde400milreais eoutrascoisasqueestãoengatilhadas para o próximo ano. Mas, ao meu ver, o benefício maior foi do que pude contri- buiremdebatessériosemaioresquea Câmaraviveunessalegislatura. Por exemplo, mesmo sendo da classe empresarialepresidentedaCDL,quan- dose foi votara ampliação das classifi- caçõesparaacontribuiçãodeISS(Im- postoSobreServiçosdeQualquerNa- tureza) do Município, adequando-as à do Governo Federal, era de se esperar que o presidente da CDL fosse contra essa situação, e seria muito fácil, pois este é um projeto que quem estava no poder antes do Paulinho queria muito que fosse aprovado e os vereadores daquela legislatura não queriam. Esse ano,quandooPaulinhoentroucomes- se projeto na Câmara poderia ser fei- ta a mesma coisa, e a gente sabe mui- tobemquealgunsprojetosatrapalham a disputa de poder. Fui um líder lá den- tro, onde em uma discussão tentamos tiraropartidarismoeconseguimos.Re- solvemos este problema que precisa- va ser resolvido há muito tempo. Além disso,possofalardeváriosprojetosde discussãodealtonívelemquedeiami- nhacontribuição. O IPTU em Lagoa da Prata está defasado e precisa ser corrigi- do. Em 2013 a Prefeitura enviou para a Câmara um projeto ten- tando reajustar o imposto, po- rém, os valores estavam muito foradarealidade.Vocêfoioúni- co vereador que se propôs a de- baterseriamenteebuscaralter- nativas.Umavezqueseuscole- gassequerpropuseramalterna- tivas e nem discutiram as pro- postas que você apresentou, qual a sensação que ficou, le- vando em consideração que es- saéumapautaimportantepara o Município e os vereadores fo- ram omissos ao fugirem do de- batedaquestão? Talveztenhasidoaprimeiragrandede- cepçãodaminhavidapolítica.Quando entreicomovereadoreutinhaumsenti- mentomaisromântico,acreditandoque agoraseriamnovevereadores,umpre- feitoesecretáriosquefariamdetudopa- raterumacidademelhor.Ealieucome- ceiaverascoisasnãoerambemassim. Quando o projeto chegou ele tinha vá- rioserrosevalorescompletamentefora de questão. Tinha valores de IPTU que iriamsubir25vezes,nãotinhacabimen- to.Fuiatéàprefeitura,trouxeasinforma- çõesefizumaprojeçãodequantocada proprietárioteriaquepagardecadaum dos imóveis. Quando fiz isso, cheguei comumaalegriamuitograndeparaten- tarreunirosvereadoresemostrarofruto daquele trabalho. Ali eu vi que podería- mos corrigir algumas distorções, onde casasnoSolNascentepagammuitoe casasembairrosnobrespagampouco. Eutiveumagrandedecepção,poisqua- senenhumvereadorfezquestãodese- querouvir.Osimplesfatodeaumentaro IPTUfazcomque“mancheonomedos vereadores”,eissoelesnãoqueriam.Fi- queiextremamentedecepcionado.Até meia hora antes da votação a gente ti- nhaseisvotosparapoderregularizarum monte de injustiça e melhorar a arreca- daçãoeajustarovalordoIPTUdaque- lascasasquedeveriampagarmais. Você vem da área privada, onde asdecisõessãofeitascombase emcritériosobjetivosparaofere- ceramáximaresolutividadenas situações que são pontuadas, e napolíticademodogeralascoi- sas não acontecem assim. E na Câmara,quasesempre,aoinvés dos vereadores discutirem os projetos de uma forma objetiva, eles descambam para o lado da politicagem, tomando o tempo detransmissãoeocupandooes- paçoemquepoderiamserdiscu- tidas coisas mais sérias de for- mamaisobjetiva.Qualasuaopi- niãosobreessaperdadetempo? Ficaopensamentodequeissonãovai mudar.Nãovaimudarnemaencenação que se faz lá e muito menos a cidade. Eu desacredito muito e sou muito “de- sesperançoso”emrelaçãoaisso.Nes- tetempodeCâmaraeupudeperceber isso,oquenãoquerdizerquesejaaCâ- mara,massimocenáriopolítico.ACâ- mara não discute o bem de uma popu- lação, esse bem vem em segundo pla- no.Obemdapopulaçãoédiscutidode acordocomqueelepensadoprojetode poder que ele tem. Isso é horripilante. Acontece no Brasil inteiro, não é coisa deLagoadaPrata.Tenhoprofundores- peitopelosmeuscolegasvereadorese com eles aprendi muito e fiz várias ami- zades lá dentro, mas é isso que penso dapolítica.Napolíticasemostraasver- sõesenãoofato.OExecutivotemuma versãoeeleproduzverdades.Qualquer Executivo que tiver a mídia do seu lado produzverdades.Elefazumamentiravi- rarverdade.Agentevêprojetosloucos quenuncapoderiamseraprovadoseo povoconclamaaaprovação. Vocêpretendetentarareeleição avereadorouseráumpré-candi- datoaprefeito? Isso tem sido uma coisa que está me machucando muito porque eu ouço muita gente pedindo para que eu siga essa carreira, mas a carreira política no Legislativo não é meu perfil. Eu não te- nhoperfilparaservereador,omeuperfil éparaserumexecutivo,masomomen- tonãoéesse.Nãoestouvivendoome- lhor momento onde eu possa disputar uma eleição para prefeito. Será que is- sovaiaconteceremalgumtempo?Sim, emalgumtempoeudevasercandidato aprefeito,masnãoagora.Aúnicacoisa que posso dizer é que não serei candi- datoanadanapróximaeleição. Comovocêavaliaodesempenho doPoderExecutivoedoLegislati- voemLagoadaPratanessestrês primeirosanos? O Poder Executivo está sendo admi- nistrado, do lado financeiro e de obras, muito bem. Acho que o prefeito Pauli- nho tem mostrado a capacidade de fa- zerobrasedefazeracidadeavançar.A questãodaaberturadeLagoadaPrata anovosdeputadoserepresentantesfoi muitointeressante,apesardenãocon- cordarquesefecheaosantigosdeputa- dosquetrabalharamcomoDivino,pois eles fazem muito por Lagoa em alguns momentos.Setivéssemosaceitadoal- gumasofertasdoFábioRamalhonossa situaçãoestariamuitomelhor. Eu vejo uma Câmara que tenta traba- lhar. Euvejo alialguns vereadores eve- readoras que são extremamente com- petentes, que investigam e trabalham, apesardequetivemosumgrandepro- blemanessaCâmara,ondeseiscandi- datosnuncaforamvereadores,eporser a primeira vez deixamos de entender e discutirumaagendaprioritáriaparatra- balhar leis e focar no que a cidade pre- cisa. O que não acho legal é isso, mas no resto eu aprovo o trabalho das du- ascasas. Obrigado pela entrevista. O es- paço está aberto para as suas considerações finais. As pessoas precisam entender um pouco mais. Hoje, com o advento da internet,sediscutemuitosobrealguns projetos, mas a pessoa discute a par- tirdoqueouvefalarenãosediscutea partirdoquerealmenteé.Porexemplo, oParquedosBuritis.Paratodomundo precisa acontecer, e precisa, mas da forma como foi colocado e feito, não. Tudo muito errado e a opinião pública inteira quis que se fizesse errado por nãosaberqueestavasendofeitocomo estava. A produção de verdades, que nemsempresãotãoverdadesassim,é algo muito normal em Lagoa da Prata. No mais, eu quero agradecer o apoio quenóstivemosnessestrêsanos,es- se foi um ano de muito trabalho e par- ticularmente não vou entrar na dispu- ta política e vou continuar fazendo o meu trabalho de uma maneira muito isenta. Que Lagoa tenha boas pesso- as para vir para a Câmara no ano que vem e que o nosso prefeito seja cada vez melhor. “Em algum tempo eu deva ser candidato a prefeito, mas não agora. A única coisa que posso dizer é que não serei candidato a nada na próxima eleição”
  • 10. 10 SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016www.jornalcidademg.com.brVARIEDADES FASES DA LUA JANEIRO DE 2016 PALAVRAS CRUZADAS HORÓSCOPO Minguante dia 2, 3h31 Nova dia 9, 23h31 Crescente dia 16, 21h27 Cheia dia 23, 23h46SOLUÇÕES Encante-se pelo seu lar. Você plantará a semente que será co- lhida anos a fio. Amor é uma ár- vorequedáfrutosbonseregula- res, quando bem cuidada. Procure um curso de expansão ou alguma forma de ampliar seu arcabouço cultural. Idas a tea- tros, livrarias ou palestras po- dem ser benéficas. Você deve estar ouvindo dentro de si o chamado da cidade. Fes- tas, eventos e pessoas. Tudo is- sofalaaltoeaportadaruapare- ce ser a melhor opção. Sua mente nem sempre conse- gue ficar focada no presente, e a ansiedade de ver o futuro mani- festado causará dor de cabeça. Deixe o tempo correr. Momento de olhar para o passa- doetentarresgatarasamizades que lhe trouxeram tanta alegria eemoções.Nãoénostalgia,mas um reencontro. Estão saindo emoção, sensibili- dade e afeto pelos poros. O as- pecto de Vênus e Lua, que está nasua1ªcasa,ressaltaessasca- racterísticas em você. A busca pela cultura está em al- ta. Vá atrás de atividades cultu- rais,artísticasou“poéticas”.Sol- te o criador que mora dentro de si e mãos à obra! Presteatenção:ograndeamorda sua vida já está do seu lado. Po- de planejar filhos e netos. Culti- ve seu jardim emocional para os frutos corretos. Cuide das consequências dos seus atos. Nem tudo que dá pra- zer hoje é irrelevante. Às vezes, pequenas ações podem causar tragédias, dramas épicos. Tire o dia para pintar, cantar ou fazer música. Se você não tiver habilidades artísticas, visite um museu ou vá ao teatro. Há fome de arte em você. Dêtempoasimesmo,diminuaa cadênciadassuasatividadesso- ciais. Procure a companhia dos próprios pensamentos e emo- ções. Medite. Nosso subconsciente pode libe- rarenergiascomoátomosemfu- são.Secontrolados,viramestre- las;selibertosnamultidão,viram catástrofe. O JORNAL CIDADE também pode ser encontra- do na CASA DO PÃO DE QUEIJO (Rua Joaquim Gomes Pereira, 1466, Gomes), no SICOOB CRE- DIPRATA (Av. Benedito Valadares, 590 - Centro) e no SICOOB LAGOACRED (Av. Benedito Valada- res, 800 - Centro). Os exemplares estarão à dispo- sição dos moradores e comerciantes, todas as se- manas, às sextas-feiras. O jornal poderá ser retirado gratuitamente.Éonossojornalfazendoparceriasin- teligentes,levandoinformaçãosériaedecredibilida- de ao alcance de mais pessoas. Boa leitura a todos! PEGUE O SEU JORNAL! SÃO MAIS DE 50 LOCAIS POR TODA A CIDADE! CASA DO PÃO DE QUEIJO 37 3261-4778 SICOOB CREDIPRATA 37 3262-5600 SICOOB LAGOACRED 37 3262-5500
  • 11. SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016 11CULTURAfacebook.com/jornalcidademg Livro da Acadelp é lançado em Mostra Cultural DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br A Academia Lagopratense de Letras (Aca- delp) realizou no dia 28 de dezembro a Mostra Cultural. O evento, realizado na sede do Lions Clube, teve o objetivo de promover a cultura no municípioelançarolivro“LagoadaPrataemPro- sa e Verso III”, coletânea dos poemas finalistas detodososconcursosdepoesiasrealizadospe- laacademiaetextosescritospelosacadêmicos. Amostracontoucomexposiçãodetelasdas artistasLetíciaFaria,MicheliGonçalveseMarita- naBessas,livrosdeescritoresdeLagoadaPra- ta,bannerscompoesias,fotosdeeventos,apre- sentaçãodeumadançapelacoreógrafaebaila- rinaBiancaMayra(EstúdiodeDançaImpactus), apresentaçãomusicalcomHelderClérioe reci- tal com os acadêmicos. Oeventofoiabertocomolema“Aculturade um povo é o seu maior patrimônio. Preservá-la é resgatar a história, perpetuar valores, é permitir que as novas gerações não vivam sob as trevas do anonimato”. O evento contou com a presen- çadepessoasquevalorizamaarteeaculturade LagoadaPrata,dentreelasosecretárioMunici- pal de Cultura Ricardo Costa, Carmem Simões (representantesdoConselhoMunicipaldeCul- turaeTurismo),vereadorEdmarNunes,abiblio- tecária Georgina, o escritor Tadeu Lobo, de No- vaSerrana,oescritorAntônioCarlosDayrell,de Belo Horizonte, imprensa, diretores de escolas, professores,alunos,acadêmicos,umconvidado dePortugaledemaisconvidadosquemuitoabri- lhantaram o evento. “A Acadelp agradece a to- dos que contribuíram para a realização de mais este evento cultural”, afirmou a acadêmica Adir- cilene Batista. Para Maria Bruna Mota, que teve seu texto publicado no livro, a sensação foi maravilhosa. “Eu acredito potencialmente na educação. Ho- je, depois de mais de 5 anos, fui agraciada com apublicaçãodolivro,noqualconstaumademi- nhaspoesiasaindadaépocadaescola.Edepois de tantos anos, ainda escrevo poesias e agora, também, os textos acadêmicos”, afirmou. Terceira edição do livro “Lagoa da Prata em Prosa e Verso”reúne textos finalistas dos concur- sos realizados pela Acadelp A estudante Maria Bruna Mota foi uma das escritoras contempladas com a publicação de seu texto no livro da Acadelp DIVULGAÇÃO DIVULGAÇÃO SEJAVOCÊ QUEM FOR,NÓS TRABALHAMOS MUITO PORVOCÊ. VejamaisnonossoPortal:almg.gov.br A Assembleia Legislativa se empenhou muito para superar osdesafiosde2015.Nopalcodademocracia,obomembatedeideias foi fundamental para enfrentar a crise econômica, aprimorar ogerenciamentodosgastosnoParlamentoemelhoraravidadosmineiros.
  • 12. SEXTA-FEIRA, 15/JAN/201612 COTIDIANO www.jornalcidademg.com.br Novos conselheiros tutelares tomam posse em Lagoa da Prata DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br O Prefeito Paulo Teodoro recebeu emseugabinetenodia8dejaneiroos cincoconselheirostutelareseleitosno mês de outubro. Tomaram posse Iara Aparecida Oliveira Moura, Thaís Apa- recida Nunes Rodarte, Bianca Soa- res Oliveira Souza, Camila Dias Xavier e Cláudio Henrique de Vasconcelos, que estarão à frente dos trabalhos du- rante a gestão de 2016 a 2020. Oprocessodeseleçãodosconse- lheiroscomeçouemabril.Issoaconte- ceu em todo país com as eleições uni- ficadas. “A escolha dos conselheiros tutelares foi dividida em duas etapas. Aprimeirafoioprocessoseletivo,com prova de conhecimentos específicos, decarátereliminatório.Asegundafoia eleição,ocorridaem4deoutubro.Tive- mosumaeleiçãomuitoexpressiva,cer- cade1300pessoascompareceramna escolaJacintoCamposparanosajudar aelegeroConselhoTutelar”,disseCali Silva,secretáriadeAssistênciaSocial. Reeleito,CláudioHenriquedeVas- concelosafirmaquepretendecontinu- ar servindo à população. “A minha ex- pectativa é a mesma do primeiro man- dato, é estar sempre à disposição pa- ra servir a cidade de Lagoa da Prata no que for preciso. Tudo o que for per- tinente à área de violação de direitos da criança e do adolescente. Sou gra- to a todos os eleitores que confiaram emmim.Estamoscomaesperançade nos aprimorar, melhorar cada dia mais fazendo o que é preciso”, disse. Para Bianca Soares Oliveira Sou- za é importante que a população es- clareça as dúvidas sobre o papel do Conselho Tutelar. “Meu desejo é reali- zarumbomtrabalho,servirapopulação emproldascriançasedosadolescen- tes. Sou grata a todos que mais uma vez confiaram no meu trabalho e vota- ram em mim. Todos aqueles que têm alguma dúvida quanto aos direitos da criança e do adolescente, podem me procurarenãoapenasquandohouver aviolaçãodestesdireitos.Equandone- cessário,iremosencaminharaspesso- asparaasentidadesparceiras–CRE- AS (Centro de referência especializa- dodeass.social),CRAS(Centrodere- ferência de ass. social) e toda a rede - para que possamos juntos lutar pelos direitos da criança e do adolescente”, afirmou. Oapoiodapopulaçãoéfundamen- talparaosucessodotrabalhodoscon- selheiros tutelares. “É o meu primeiro mandato, estou com muita expectati- va. Quero continuar com tudo aquilo que foi bom e melhorar cada dia mais. Trabalhamos juntos, somos uma equi- pe e dependemos da população para dar continuidade a cada trabalho com acriançaeadolescente“,destacouCa- mila Dias Xavier. Thaís Aparecida Nunes Rodarte tem a intenção de intensificar os tra- balhosdomandatoanterior.“Estamos prontos e dispostos a desempenhar um bom trabalho, dar continuidade ao que a gente já fez e propor melhoras. Sempre com a intenção de garantir o direitodacriançaedoadolescente”,sa- lientou. PARA MAIS INFORMAÇÕES: OConselhoTutelardeLagoadaPrata ficasituadonaruaSantaCatarina,169. Contato: (37)3261-1111 (das 8h às 11hedas13hàs18h)ou(37)99913- 9597 (Plantão). FOTO: ASCOM PMLP Iara Moura, Thaís Rodarte, Camila Dias, Cláudio Vasconcelos, Bianca Soares, Paulo Teodoro, Cali Silva, Adriana Ferreira e Thiago Henrique
  • 13. SEXTA-FEIRA, 15/JAN/2016 13OCORRÊNCIASfacebook.com/jornalcidademg Polícia Militar captura assaltantes de relojoaria DA REDAÇÃO contato@jornalcidademg.com.br Umarelojoarialocalizadanocentro deLagoadaPratafoiassaltadanatar- dedesegunda-feira(11).Doisindivídu- osdacidadedeBomDespachoentra- ram no local portando arma de fogo e anunciaram o assalto. A Polícia Militar foiacionadaassimqueosautoresfugi- ramdolocal.Aindaemfuga,elesforam surpreendidosporumaequipedaPM, queiniciouaperseguiçãoporváriasru- as da área central e do bairro Gomes até que eles retornaram para o centro dacidadeeabandonaramamotocicle- tautilizadanocrimeatrásdealgunsveí- culoseentraramemumaoficina,tendo emseguidasubidonostelhadosdasre- sidênciasecomércios. Com a chegada do reforço policial o quarteirão foi cercado e após inten- sasbuscasumdosautoresfoilocaliza- do e apreendido após tentar fugir pu- lando muros e telhados para ter aces- soàrua.Elefoicapturadoportandoum revólvercalibre32comseismunições intactas. Houve disparos e a rua esta- va cheia de populares querendo ver o desfechodaperseguição. Ooutroautorfoipresominutosde- pois no telhado de uma empresa de alarmecomaajudadoprópriodonodo estabelecimento.Aoserconduzidopa- raaviatura,popularesqueacompanha- ram a ação aplaudiram a ação da polí- cia e alguns, mais entusiasmados, gri- tavam“Deixanós(sic)baternele”,“Dei- xanós(sic)darneleumcascudo”. ASSISTAAOVÍDEONOSITE: www.jornalcidademg.com.br A ação mobilizou quatro viaturas e pelo menos 12 policiais. Todos os arti- gosfurtadosforamrecuperados.Amo- tocicleta utilizada no crime – que não eraprodutodefurto–eaarmadefogo foramapreendidas. DeacordocomoCapitãoSimões, a Polícia Militar tem desenvolvido im- portantes operações de combate ao crime. “Excelente trabalho repressivo da polícia, que no mesmo dia também efetuouaprisãodetrêsautoresportrá- ficodedrogas,sendonaocasiãoapre- endidas 95 pedras de crack, algumas buchasdemaconhaemaisdemilreais em dinheiro. Na data do assalto efetu- amos a consulta da placa no momen- todosfatos.Nãoconstavanenhumim- pedimentoemdesfavordoveiculo”,afir- mou. ParaoSargentoPereira,aaçãoda polícia foi instantânea. “A minha equi- pe estava na Delegacia de Polícia Ci- vilparaumautodeprisãoemflagrante de traficantes, quando escutamos pe- lorádioqueaviaturadosargentoDênis necessitavadeapoiodevidoaumrou- bo à mão armada na Relojoaria Ôme- ga. De imediato, saímos e deparamos com dois indivíduos em uma moto pe- laAvenidaBrasil,momentoemqueini- ciamosaperseguiçãopelasruasdaci- dade.Notamosqueorapazdagarupa estava com uma mochila, característi- cas idênticas às repassadas pela nos- sasaladeoperações.Osmeliantesfo- ramperseguidose,dadaapressãoso- breeleseadificuldadedefugiremdas viaturas, eles entraram em uma oficina mecânica,abandonandooveículoefu- gindo a pé, se desfazendo pelo cami- nho dos produtos do roubo. Subiram no telhado de residências e foram cer- cados e posteriormente capturados”, descreveu. PereiratambémfrisouqueaPolícia Militar tem muito zelo com a seguran- çadocidadãodebem.“Somoscaute- lososquandooassuntoéperseguiral- guémnotrânsito.Senotarmosquedali possaocorrerummalmaior,cessamos a perseguição. Ali os meliantes foram pegos de surpresa e devido ao empe- nhoincondicionaldospoliciaiseocom- promissocomoresultadoaocorrência foiresolvidacomêxito.Aajudadapopu- laçãofoimagnífica,nosdandoapoio,fi- cando a distância para não atrapalhar nossa ação, repassando informações tanto para nós, que estávamos na rua, comoparaasaladeoperações”. BANDIDOMOSTRA INDIFERENÇA EmentrevistaaorepórterLuizFrancis- co,darádioVeredas,umdosbandidos disse ser normal a situação. “É isso aí mesmo. Sou culpado. É isso mesmo, agoraéprisão,issoénormal”,disse. De acordo com o Tenente Morais, quetambémparticipoudaoperação,a políciajáestavapróximaaolocalquan- dofoiacionada.“Agimosrápido.Todoo materialfoirecuperadoeamotocicleta que estava sendo utilizada por eles foi apreendida. Não tivemos feridos, mas gostaria de fazer um alerta para a po- pulação,poisnestetipodeocorrência sempre há a possibilidade de troca de tiros. Então orientamos a população a evitaraglomeraçãoparanãoseratingi- da por bala perdida. Indivíduos como essesnormalmentepraticamsériesde assaltos,prendendodoiscomofoioca- so, já são menos bandidos nas ruas”, afirmou. Paraumadasvítimas,quenãoquis seidentificar,omomentodoassaltofoi de muito medo. “Jogaram-nos no ba- nheiro,deramvárioschutesecoronha- das na cabeça pedindo ouro. Eles di- ziam:Ouro,ouro,ouro...euqueroéou- ro.Chutavam-nosmuito.Elespegaram algumas coisas na loja e outras de um cliente, e fugiram logo. Primeiro vem a raiva de ver como eles agem e depois oalíviodesaberqueforampresos.Es- tou muito nervoso, preocupado e ten- sopornuncaterpassadoporisso”,re- velou. Apesar do sucesso da operação, a PM alerta sobre o risco que as pessoas correm por acompanharem de perto a situação. FOTOS: JULIANO ROSSI Os bandidos vieram de Bom Despacho e foram presos com ajuda do dono de um estabelecimento comercial
  • 14. SEXTA-FEIRA, 15/JAN/201614 COOPERATIVISMO Crediprata A cada R$ 100 em compras com seu Sicoobcard, você recebe um número da sorte para concorrer a 9 Etios Hatch e 9TVs 40’’de LED. E ainda pode concorrer a 5 S10 no sorteio final! Participe! Quanto mais você usar seu Sicoobcard, mais chances tem de ganhar! CAMPANHA VÁLIDA PARA CARTÕES DE CRÉDITO E DÉBITO Participação de 1º/12/2015 a 29/2/2016 para pessoas maiores de 18 anos e pessoas jurídicas, associadas a uma das cooperativas das nove regiões filiadas ao Sicoob Central Crediminas, portadoras de cartão Sicoobcard participante. Sorteios: 20/1/16 - nove Etios Hatch X, um por região; 16/3/16 - noveTVs 40”de LED, uma por região; 30/3/16 - cinco S10 LT entre os ganhadores dasTVs. Consulte cooperativas participantes, demais condições, descrição e distribuição dos prêmios no regulamento no site www.cartaopremiadosicoob.com.br. Imagens meramente ilustrativas. Certificado de Autorização SEAE/MF nº 04/0442/2015. Campanha exclusiva para associados das cooperativas filiadas aoSicoobCentralCrediminas. Consulte as cooperativas participantes e o regulamento no site cartaopremiadosicoobcard.com.br Quer concorrer a 9 Etios Hatch, 9 TVs 40” e a 5 S10? SICOOB CREDIPRATA contrata  O SICOOB CREDIPRATA fará um processo sele- tivo para composição do cargo agente de microcrédito. Para candidatar-se a vaga, o interessado deve ter os se- guintes requisitos: •Ter curso superior completo em Administração, Ci- ências Contábeis ou Economia; •Pós graduação em áreas correlatas com a função; •Curso Microsoft Excel Avançado; •Noções de planejamento estratégico; •Ter boa comunicação; •Capacidade de trabalhar em equipe; •Raciocínio lógico e sistêmico. O Candidato deverá residir no município da Agência e não possuir grau de parentesco por consanguinidade ouporafinidadecomfuncionários,membrosdosConse- lhosdeAdministraçãoeFiscal,atéo2ºgrau,emlinhare- ta ou colateral. ParainscrevernoPROCESSOSELETIVOSICOOB CREDIPRATA basta enviar seu currículo completo pa- racurrículos@sicoobcrediprata.com.br,constandono assunto:AgentedeAtendimento–Microcrédito,atéodia 25/01/2016. Venha fazer parte da nossa equipe! PUBLIEDITORIAL  Para concorrer a es- tes prêmios, basta utili- zar o seu cartão Sicoob- carddoSicoobCredipra- taquejáestaráparticipan- do da Campanha CAR- TÃO PREMIADO que é uma promoção efetivada pelo Sicoob Central Cre- diminas e cooperativas singulares. A cada R$100,00 em comprascomoCARTÃO SICOOBCARD, o asso- ciadoreceberáumnúme- rodasorteeletrônico,que serágeradopelasuacom- pra automaticamente pa- raconcorreraosprêmios. Quanto mais o associa- do utilizar os CARTÕES SICOOBCARD do SI- COOBCREDIPRATA,na função crédito ou débito, maioresserãoaschances de ganhar. Nestacampanhaserão sorteados5caminhone- tesS10LT,9carrosEtios Hatch X e 9 TV’s 40” e o associado do SICOOB CREDIPRATA não preci- sa se cadastrar para par- ticipardapromoção,ape- nasutilizaroseucartãoSI- COOBCARD. O(s) número(s) da Sorte podem ser consul- tados no site www.car- taopremiadosicoob- card.com.br, em até 3 (três) dias úteis antes da data do respectivo sor- teio, informando, apenas, o número do seu CPF no campo apropriado. OperíododaCampa- nhaseráde01/12/2015 a 29/02/2016. www.jornalcidademg.com.br