Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013

Aposentado pede ajuda
para tratamento de filho
com problemas mentais
Lagoa da...
2

Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013

CULTURA

CARTA AO LEITOR

ACADELP - Academia
Lagopratense de Letras

Infor...
3

Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013

Embaré propõe permuta de terreno com o município
Troca de terrenos pode ge...
Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013

Administração Municipal reimplanta as 6 horas de
trabalho para o funcionalism...
Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013

5
6

Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013

Escritora lagopratense recebe o Prêmio Luso Brasileiro de Poesias
A escrit...
Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013

Automação Comercial eleva os índices de
produtividade e rentabilidade da empr...
8

Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013

Nesta primeira coluna vamos conversar
com a Gessi, proprietária do salão L...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jornal Cidade - Ano I - Nº 01

5.724 visualizações

Publicada em

http://www.jornalcidademg.com.br
>Acesse e veja mais notícias
Jornal Cidade - Ano I - Nº 01 - 15 de Abril de 2013

Principais notícias das cidades do centro-oeste mineiro. Notícias de
Lagoa da Prata, Santo Antônio do Monte, Moema, Pedra do Indaiá e Japaraíba.

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.724
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.385
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal Cidade - Ano I - Nº 01

  1. 1. Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013 Aposentado pede ajuda para tratamento de filho com problemas mentais Lagoa da Prata, 15 de abril de 2013 - Ano I - Nº 01 Rua ao lado da portaria da Embaré pode mudar de lugar Embaré e Prefeitura de Lagoa da Prata negociam a troca de terrenos que, na visão das duas instituições, seria vantajosa para ambas as partes. A proposta é objeto de estudos na Câmara Municipal. Sr. Wandil Antônio da Silva, morador do Bairro Monsenhor Alfredo, está visivelmente esgotado Página 3 Funcionários da Prefeitura e do SAAE voltam Pequena via pode ser permutada com o Município, que pretende construir 252 casas populares em um terreno que receberia em troca e seria anexado ao novo loteamento a trabalhar 6 Entrevista com os empresários Reginaldo e Paulo horas por dia Os servidores muni- Roberto, da Sommus Automação Comercial cipais de Lagoa da Prata estão comemorando o retorno da jornada diária de trabalho de seis horas. O governo resolveu atender a uma lei promulgada pela presidência da Câmara de autoria do vereador Adriano Moraes.. Página 4 Página 7 Visivelmente cansado e abatido, o Sr. Wandil trava uma luta diária para cuidar de seu filho. Desde criança o jovem sofre com problemas mentais, que, segundo o pai, nunca tiveram realmente o diagnóstico correto. O rapaz, hoje com 18 anos, tem crises de comportamento e acaba agredindo a si mesmo. Ele esmurra o próprio rosto até sangrar e está perdendo a visão de um dos olhos. A família, pai e um casal de filhos, mora em uma casa simples, com apenas um quarto e paredes sem reboco. Sobrevivem de apenas um salário mínimo e o jovem depende de vários medicamentos que não estão disponíveis gratuitamente, têm que ser comprados em farmácia. Wandil diz que não tem mais saúde para cuidar do filho da maneira que ele precisa. Ele pede ajuda para continuar o tratamento mental do filho. O Jornal da Cidade está angariando doações de qualquer espécie que serão entregues à família no dia 19 de abril. Se você puder contribuir, entregue sua doação na redação do jornal, à Av. Getúlio Vargas, 479, centro, anexo ao Studio Olhares. Assista o depoimento emocionante desse pai no Portal TV Cidade Lagoa da Prata.
  2. 2. 2 Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013 CULTURA CARTA AO LEITOR ACADELP - Academia Lagopratense de Letras Informação com conteúdo e de graça O Jornal da Cidade é o terceiro empreendimento do Grupo TV Cidade, empresa que está no mercado de comunicação e imprensa em Lagoa da Prata há quase três anos, atuando no segmento de televisão e internet. Primeiramente, em nome do Grupo Cidade de Comunicação, dos diretores e colaboradores, agradeço a todas as pessoas e empresas que acreditaram e incentivaram nossos projetos ao longo desse período. Fazer jornalismo no interior não é tarefa das mais fáceis. É preciso, sobretu- do, ter amor à profissão. O Jornal da Cidade não é um jornal político. Não temos filiação partidária. Não somos oposicionistas e nem governistas. Embora tenhamos a consciência de que a política é importante para a vida em sociedade e os assuntos inerentes a ela se tornarão notícias em nossas páginas, este não é um jornal político. O Jornal da Cidade é um periódico do povo, concebido a partir da demanda de vários comerciantes e leitores do Portal TV Cidade na internet que comentavam sobre a ne- Juliano Rossi Editor cessidade de se ter uma mídia impressa com essas características. O Jornal da Cidade será distribuído gratuitamente em todas as lojas do centro comercial e em cerca de 40 postos de distribuição (padarias, açougues, supermercados etc) localizados em todos os bairros de Lagoa da Prata. Serão 6.000 exemplares entregues à população a cada edição quinzenal. Isto posto, mãos à obra. Lagopratense é nomeado delegado regional de polícia em Formiga Dr. Ricardo Bessas Foi publicado no Diário Oficial de Minas Gerais no sábado (6) a nomeação de Dr. Ricardo Augusto de Bessas como Delegado Regional, de Formiga. Ricardo Augusto de Bessas é filho de José Osvaldo de Bessas e Maria do Rosário Bessas. Natural de Lagoa da Prata, é delegado da Policia Civil há 11 anos e professor de Direito Penal da Unifor. É casado com Débora Bessas, e recentemente teve o seu primeiro filho, Moisés. Sua promoção para Delegado Regional lhe foi concedida pelo destaque que obteve na sua atuação enquanto responsável pela delegacia de tóxicos e entorpecentes e crimes contra a vida. “Foi sempre uma pessoa centrada na sua profissão, um estudioso incansável e admirado pela sua imparcialidade e seriedade com a sua profissão”, ressalta a sua mãe Maria do Rosário, que também é presidente da Academia Lagopratense de Letras. Ao acreditar que “ A cultura brasileira representa uma esperança de superação de fronteiras e de construção da relação de confiança na humanidade”, um grupo de escritores lagopratenses-natos ou por adoção, juntamente com a professora e então vereadora Fátima Tavares, instala a Academia Lagopratense de Letras- a ACADELP . Através dela, sonha com a possibilidade de se construir um novo espaço cultural em nossa cidade. Essa Academia já idealizada em décadas passadas, tomou forma aos 4 de novembro de 2002, data importante para o município, pois é dia de São Carlos BorromeuPadroeiro da Paróquia. Entre a fundação e sua instalação, decorreram aproximadamente 9 meses, tempo necessário à gestação da vida humana, tempo igualmente necessário ao pensar e repensar, ao propor e se rever as propostas, às discórdias e ao entendimento. No mês de março de 2003, em duas reuniões consecutivas, elegeu-se os dez primeiros acadêmicos, os Fundadores e cada um destes o patrono para a sua cadeira. E todos os que participaram deste processo receberam o título de Acadêmicos Fundadores. A ACADELP tem como patrona, a escritora, poetisa, musicista e compositora Guiomar Sampaio e Presidente Honoris causa/post mortem, o escritor e historiador Acácio Mendes;reconhecendo assim a importância desses dois vultos históricos no contexto cultural lagopratense. Dia 25 de julho, oficialmente, essa instituição literária fora instalada em cerimônia realizada no salão da CREDIPRATA. A ACADELP se constituirá de 38 acadêmicos . É composta atualmente pelos acadêmicos: Adircilene Lerilda Batista e Silva, Ciro dos Santos, Antônio de Pádua Lima Sampaio, Claudinei Rezende de Oliveira, Dirce Aparecida Basílio,Elizabete Lacerda de Oliveira Pedrosa, Elvis Ezequiel Aquino de Almeida, Genésio Magalhães dos Santos, Gilda de Castro Rodrigues, José Benedito Jeunon, José Pimenta da Silva, Juliano Rossi da Silva, Laura Aparecida de Oliveira Resende, Marcondes Antônio Gontijo, Marcos Mateus Silva, Maria do Rosário Fátima de Bessas, Marina Alves Gontijo, Múcio Rogério Mendes, Otacílio Oliveira de Miranda, Otaviana de Moraes Ferreira, Roberta Teperino Gomes, Sally Garcia de Lima, Silvério Rocha de Oliveira, Sônia Maria Rezende Mesquita, Vera Lúcia Viana de Macedo, Gilmar Francisco, Sebastião Camilo, José Eustáquio de Moraes, Cida Robadel e Luiz Expedito Calazans......todos com o propósito de fomentar a arte literária no município como resgate de valores e cidadania A ACADELP é uma instituição voltada para a valorização sócio-cultural e propagação da Língua Portuguesa. E o incentivo a leitura é uma das maiores preocupações da Academia. Porque a leitura é um dos instrumentos essenciais para que o indivíduo construa seu conhecimento e exerça a cidadania. Ela amplia nosso entendimento do mundo, propicia o acesso à informação com autonomia, permite o exercício da fantasia e da imaginação e estimula a reflexão crítica, o debate e a troca de ideias. E um bom leitor é aquele que sabe ler o que está escrito e o que está implícito. É aquele que sabe relacionar o que lê à sua vida, à vida de sua comunidade, de seu país. É o que sabe interpretar os vários sentidos que pode ter um texto literário ou não. Assim a história da Academia de Letras de Lagoa da Prata se constrói a cada dia.
  3. 3. 3 Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013 Embaré propõe permuta de terreno com o município Troca de terrenos pode gerar economia e aumento de produção para a empresa, geração de novos empregos e possibilitará ao município a regularização de um loteamento para a construção de 252 casas populares A Prefeitura de Lagoa da Prata e a Embaré estudam a possibilidade de permutar dois terrenos que, na visão das duas instituições, seria vantajosa para ambas as partes. O Município repassaria à empresa um terreno onde existe uma pequena via que liga a Rua José Bernardes Lobato e Rua Olegário Maciel (foto abaixo), com a área de 360 metros quadrados. Em contrapartida, a Embaré repassaria ao Município um terreno 2.180 metros quadrados que fica ao lado do Conjunto Habitacional Maria Clara Luciano Henriques. A Prefeitura pretende anexar este terreno a um loteamento do município para construir 252 casas populares, que já estão liberadas dentro do Programa Minha Casa, Minha Vida, da Caixa Econômica Federal. De acordo com o vice-presidente da Embaré, Alexandre Antunes, a empresa já adquiriu os imóveis localizados em frente e ao lado da portaria da empresa, de modo que não haverá prejuízo para o traçado da pequena via, uma vez que ela será deslocada Imagem aérea mostra como ficará o futuro traçado da rua se o projeto for aprovado. A foto à direita mostra a área pleiteada pela empresa a poucos metros acima do local original (como mostra a imagem acima). A Câmara Municipal está analisando o projeto. Se for aprovado, possibilitará à empresa a ampliação da área industrial e o aumento da produção do leite longa vida. Com o novo espaço, a Embaré irá aumentar a área do pátio interno para os caminhões e irá instalar uma caldeira, dentro de um galpão fechado, que atenderá à duplicação da produção atual do leite. Outro benefício, segundo o executivo da empresa, é com relação ao meio ambiente. Hoje, a Embaré gasta R$ 16 milhões/ano na queima Todos os lotes na lateral da rua pleiteada pela Embaré já pertencem à empresa de combustível fóssil nas caldeiras. Com a aprovação do projeto, a indústria vai utilizar combustível renovável originada do cavaco (lenha picada proveniente do eucalipto), gastando em torno de R$ 8 milhões/ano. O vice-presidente da Embaré, Alexandre Antunes, concedeu uma entrevista exclusiva ao Jornal da Cidade e Portal TV Cidade: Quais são as vantagens dessa troca de terrenos? Antunes: O grande beneficiário no nosso ponto de vista é o Município pelo fato de deixarmos de queimar um combustível fóssil por um combustível renovável. Além de toda a geração de emprego que vamos trazer. Como a empresa pretende utilizar o terreno que está pleiteando? Antunes: Não é só para caldeira. Vai ser também para ampliar o pátio interno de caminhões da empresa, que possibilitará tirar cami- Terreno repassado pela Embaré será anexado a um loteamento pertencente à Prefeitura, que já tem aprovado o projeto para a construção de 252 casas populares nhões da rua. Estamos pleiteando 360 metros quadrados, que vai ser permutado por outro terreno de 2.180 metros quadrados para ser anexado ao novo loteamento das casas populares. Foi feita uma avaliação e a Embaré vai reembolsar a Prefeitura com a diferença de R$ 8 mil. Quais os riscos que essas potentes caldeiras podem oferecer a áreas residenciais? Antunes: Existe um mito sobre isso. A Embaré tem caldeira desde 1948. Nunca houve nem sinal sobre acidentes nesse tipo de equipamento. É muito mais segura do que uma panela de pressão caseira. O equipamento é de última geração, que está sendo exportado para a França e Inglaterra. É o que há de mais moderno no mundo. Super seguro e silencioso. Vai ser instalada dentro de um galpão fechado. A segurança é 100%. Queremos ficar em Lagoa da Prata. A Embaré sempre trabalhou de uma forma muito consciente. Sabemos que estamos inseridos no Centro da cidade, mas sempre buscamos uma solução que atenda todas as partes envolvidas sem causar prejuízo a ninguém. Existe a possibilidade concreta de a indústria ser transferida para outra cidade? Antunes: Convite a empresa sempre tem. O que recebemos mais contundente é da prefeitura de Pompéu, que quer que a gente monte uma indústria lá. Mas isso não é intenção da empresa. Como está a situação financeira da empresa? Antunes: O país está no princípio de uma recessão. Enquanto houve uma queda de 2,5% na indústria, a Embaré cresceu nesse primeiro trimestre em torno de 30% em comparação com o mesmo período do ano passado.
  4. 4. Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013 Administração Municipal reimplanta as 6 horas de trabalho para o funcionalismo de Lagoa da Prata Os servidores municipais de Lagoa da Prata – da Prefeitura e do SAAE – estão comemorando a redução da carga horária de trabalho adotada pela Administração Municipal. Implantada em 1995 pelo então prefeito José Octaviano Zezinho Ribeiro, a jornada diária de 6 horas possibilitava ao funcionário público obter uma renda extra em outro trabalho, ou mais tempo disponível para realizar as suas tarefas do dia-a-dia. Em 2009, o governo municipal determinou que os servidores cumprissem as oito horas diárias, gerando protestos de funcionários públicos. Em 2012, a jornada de trabalho de seis horas virou lei a partir de um projeto de lei complementar (03/2012) de autoria do vereador Adriano Moraes/PV, que foi colocada em prática pela atual Administração Municipal. Para a agente administrativa Lucimar Aparecida Borges, servidora concursada que trabalha no prédio da Prefeitura desde 1998, a reimplantação das 6 horas de trabalho diárias refletiu diretamente no convívio da família. “Sou mãe de duas meninas. Uma de sete e outra de dez anos. Eu estava ajudando a fazer o dever de casa delas à noite. Lavava roupa à noite. Como a gente ganha pouco, não temos dinheiro para pagar alguém Os servidores municipais Lucimar (acima) e Fábio (à direita) afirmam que a nova jornada de trabalho irá proporcionar melhoria na qualidade de vida para arrumar a casa. Estou trabalhando porque eu preciso. Nesses dois dias que eu já fiquei em casa, ajudei as meninas a fazer o dever de casa e meu arroz não queimou!”, brinca a servidora. Borges ressalta que o investimento no funcionário público reflete na comunidade. “Quem não conhece o serviço público acha que a gente não trabalha. Tem gente que não tem nem noção do que é o serviço público. Somos mais de mil funcionários. Cada um tem duas, três pessoas na família. Se olhar para nós, está olhando para a comunidade. A maioria são pessoas que ganham pouco”, acrescenta. MELHORIA NO ATENDIMENTO Fábio Machado Borges é auxiliar administrativo no Pronto Atendimento Municipal (PAM). Ele afirma que agora os funcionários da unidade de saúde estão trabalhando mais motivados. “Por ser um local que funciona 24 horas, temos condições de agregar mais valor ao trabalho porque estamos mais descansados. Houve uma valorização do funcionário público. Tivemos até uma melhoria de qualidade de vida. A partir do momento que a Prefeitura valoriza o funcionário, ela está considerando o funcionário como parte de seu patrimônio. Isso vai repercutir num melhor atendimento, numa satisfação profissional. Foi uma iniciativa brilhante das pessoas envolvidas”, afirma Fábio. A Administração Municipal informa, por meio da Assessoria de Comunicação, que o atendimento ao público não sofrerá alterações. “Apenas o prédio da Prefeitura e os serviços administrativos funcionarão das 12 às 18 horas. Não haverá prejuízos para a população, visto que alguns setores estão funcionando em dois turnos. Vale salientar que os serviços “Somos mais de mil funcionários. Cada um tem duas, três pessoas na família. Se olhar para nós, está olhando para a comunidade. A maioria são pessoas que ganham pouco” Lucimar Borges, funcionária da Prefeitura Perda salarial chega a 50% Desde 2011, o vereador Adriano Moraes/PV vem apresentando indicações, requerimentos, projetos e anteprojetos para voltar a jornada de seis horas de trabalho para os servidores públicos municipais. Um dos motivos, segundo ele, é a perda salarial dos funcionários públicos, que de 2001 a 2008 chega a R$ 49,67% em relação ao salário mínimo. “Pude constatar uma enorme perda salarial e de poder de compra dos servidores. Se levarmos em conta que o custo de vida sobe a cada vez que o salário mínimo aumenta, fica claro que os servidores municipais de Lagoa da Prata perderam, e muito, o seu poder de compra. A jornada de seis horas prode urgência, emergência ou aqueles que não podem parar ou reduzir sua carga horária, continuarão a funcionar normalmente”, diz a nota enviada ao Jornal da Cidade. Em entrevista ao programa TV Cidade em agosto de 2012, durante o período eleitoral, o prefeito Paulo Teodoro foi questionado sobre a jornada de trabalho de seis horas dos servidores municipais. “Ele (o servidor municipal) trabalhava na prefeitura na parte da manhã e na parte da tar- O vereador Adriano Moraes criou até uma página no Facebook para defender os interesses dos sevidores públicos municipais porciona ao servidor a oportunidade de possuir outra atividade remunerada no turno em que não estiver a trabalho da Administração Municipal. Sempre lutamos pela volta das seis horas, e conseguimos com o prefeito Paulo Teodoro outros benefícios para os servidores”, afirma o vereador. de tinha outra atribuição para completar o ganho da família. Simplesmente eles chegaram e ceifaram esse direito do trabalhador sem dar satisfação, como se fosse uma forma de castigá-los. Vejo isso como uma falta de sensibilidade e responsabilidade para o servidor público de carreira. Temos uma proposta de investir no servidor concursado. Pois são eles que vão ficar e prestar um serviço de qualidade à população”, disse o prefeito Paulo Teodoro. Autoridades municipais, estaduais e federais formalizam inauguração da UTI Dona Sônia, esposa do saudoso Paulo Rodrigues, ex-presidente da Fundação São Carlos que deu início ao projeto da UTI, ao lado do deputado Tiago Ulisses. À direita, o presidente da ALMG, deputado Dinis Pinheiro Autoridades políticas estaduais visitaram a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital São Carlos no final de março. A cerimônia contou com a presença do Secretário de Estado de Saúde Antônio Jorge; do Secretário de Estado de Esportes Eros Biondini; do presidente da Assembleia Legislativa de Minas, o deputado Dinis Pinheiro, dos deputados majoritários de Lagoa da Prata Tiago Ulisses (estadual) e Fábio Ramalho (federal); do deputado federal Jaime Martins; dos deputados estaduais Gustavo Correia e Luiz Henrique; do prefeito Paulo Teodoro e o vice Ismar Roberto; secretários municipais; vereadores; dos promotores Dr. Luis Augusto e Dr. Eduardo Almeida; do ex-prefeito Antônio Divino de Miran- 4 da e membros da governo anterior; representantes de entidades; de Dona Sônia, esposa do finado Paulo Rodrigues, presidente da Fundação São Carlos que deu início ao projeto de instalação da UTI, entre outras autoridades da cidade. O deputado federal Fábio Ramalho anunciou que vai destinar uma verba, obtida através de uma emenda parla- mentar, para a compra de um aparelho de mamografia para o hospital ainda em 2013. Ele disse também que estará providenciando outra verba no valor de R$ 1 milhão para a compra de equipamentos para a instituição e ressaltou o empenho da ex-deputada Maria Olívia e do deputado Tiago Ulisses para conseguir viabilizar a UTI do Hospital São Carlos.
  5. 5. Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013 5
  6. 6. 6 Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013 Escritora lagopratense recebe o Prêmio Luso Brasileiro de Poesias A escritora e presidente da Academia Lagopratense de Letras, Maria do Rosário Bessas, foi agraciada com o Prêmio Luso Brasileiro de Poesias, que é concedido aos 80 melhores poetas da língua portuguesa que publicaram trabalhos em 2012. O evento aconteceu no Hotel Golden Tulip, em Copacabana, no dia 30 de março, com apresentação dos autores homenageados e editoras do Brasil e de Portugal. Maria do Rosário foi convidada a escrever para uma editora portuguesa, que se interessou pelo seu livro “Poesias de Criança”. Como teve início o seu amor pela escrita? Maria do Rosário: “Sempre tive mania de Maria do Rosário foi convidada a publicar o seu livro “Poesias de Criança”, por uma editora em Portugal escrever versos. Desde criança já transformava tudo que eu pensava em poesia, algumas ainda guardadas em pedacinhos amarelados de papel. Eram minhas reflexões sobre o mundo, sobre a vida ou algum momento que estivesse vivendo. Guardava-as só para mim. De repente, fui me soltando e sem quase sem perceber, comecei a dividir com os outros essa mania de escrever. Daí, vieram outros textos, um livro que escrevi para crianças e vez ou outra, uma poesia cai no gosto das pessoas. Foi assim que alguém me indicou para receber um prêmio no Rio de Janeiro. Com minhas publicações no Recanto das Letras, consideraram que o que escrevo é uma contribuição para a cultura luso-brasileira, uma vez que ela tem alcance também em Portugal. E sendo assim, lá fui eu receber o meu diploma e minha medalha, outorgados pelo valor artístico e poético que viram nos meus textos. Qual foi a sensação de ser agraciada com o Prêmio Luso Brasileiro de Poesias? Maria do Rosário: Senti-me muito envaidecida, fiquei imensamente feliz e me enchi de orgulho por ver o nome de Lagoa da Prata estar representado no meio de tantos escritores de renome, a maioria de grandes capitais, como Rio e São Paulo. Então, posso dizer que esse dia foi muito especial para mim, que estou me sentindo realizada enquanto escritora, alcançando méritos que nunca sonhei alcançar com esse meu jeito atrevido de colocar as coisas no papel. Como eu já disse, muitos são só desabafo, crítica, rebeldia com alguma coisa que me incomoda, mas aos olhos de muitos é poesia. Então, só me resta agradecer Deus pela inspiração poética que Ele me deu e aos homens pela sensibilidade de entender e gostar do que escrevo. Prefeitura pretende fechar ruas ao redor da Praça da Matriz A ideia é criar um calçadão em frente à Eletrozema e à Casa Paroquial e, consequentemente, revitalizar a Praça da Matriz. Embora não seja um projeto prioritário da Administração Municipal, existe a intenção de se realizar uma mudança paisagística na praça. A informação é do atual secretário de obras, Carlos Brasil Guadalupe, o Lalinho. O calçadão também poderia ser utilizado em eventos culturais e sociais de entidades beneficentes. O projeto ainda está em fase de estudo e o governo de Lagoa da Prata não tem previsão com relação ao início de execução da obra na Praça da Matriz. Deputado aprova democratização de incentivo à cultura INFORMATIVO INSTITUCIONAL Raíla Melo/Assembleia Legislativa Como membro efetivo da Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa, o Deputado Tiago Ulisses participou de uma audiência pública no Teatro da Assembleia, em Belo Horizonte, para discutir o Projeto de Lei 1.631/11 que altera a Lei 15.975, DE 2006, que criou o Fundo Estadual de Cultura (FEC). Participaram da audiência, além dos outros deputados, centenas de produtores culturais de todo o Estado e representantes do Governo do Estado. Entre as propostas do novo projeto, destaca-se a redução do percentual de contrapartida exigido das empresas que tenham interesse em patrocinar projetos culturas. O Deputado Tiago Ulisses, preocupado em apoiar a difusão da atividade cultural, sobretudo para o interior do Estado, defendeu uma maior participação nos recursos que hoje estão concentrados nos grandes centros e destinados a grandes produções culturais. “Recebo sempre em meu Gabinete grupos O deputado estadual Tiago Ulisses participa da Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa culturais do Centro-Oeste, como grupos de Con- gado, grupos de Teatro, entre outros, reclamando da dificuldade financeira em manter um trabalho cultural na região .As bandas de música até tem “Recebo sempre em meu Gabinete grupos culturais do Centro-Oeste, como grupos de Congado, grupos de Teatro, entre outros, reclamando da dificuldade financeira em manter um trabalho cultural na região. Em razão disso, defendo que a lei garanta recursos para os pequenos, sobretudo os que estão longe da capital. E que a lei também desburocratize a liberação desses recursos” - Deputado Tiago Ulisses recebido apoio do Governo do Estado, mas outras modalidades sofrem para manter viva a memória cultural do nosso povo. Em razão disso, defendo que a lei garanta recursos para os pequenos, sobretudo os que estão longe da capital. E que a lei também desburocratize a liberação desses recursos”, disse Tiago Ulisses. Tiago Ulisses aproveitou o ensejo para destacar o investimento por parte do Governo Anastasia à Cultura. Desde o início de seu Governo as bandas de música de Minas têm recebido instrumentos musicais. Para um breve período serão distribuídos recursos para compra de uniforme para os músicos. O deputado lembrou também do apoio ao artesanato por parte do Governo, com realização de grandes eventos e diversas atividades para o setor. Tiago ainda parabenizou ao Governo do Estado pela histórica participação de Minas no festival de gastronomia realizado em Madri, Espanha, no mês de janeiro deste ano.
  7. 7. Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013 Automação Comercial eleva os índices de produtividade e rentabilidade da empresa 7 Sommus, empresa de automação comercial em Lagoa da Prata, ganha destaque e referência no país ENTREVISTA Reginaldo e Paulo Roberto, diretores da Sommus Fundada em 2001, a Sommus Automação Comercial atende a clientes localizados em 25 estados brasileiros O mercado empresarial está cada vez mais competitivo. Agilizar vendas, controlar o fluxo do negócio e conhecer bem o cliente são objetivos de todas as empresas, independente do seu porte. Por isso, a automação comercial é hoje uma realidade em todos os segmentos empresariais e deve ser vista como um investimento fundamental para elevar os índices de produtividade e rentabilidade do negócio. Uma empresa de Lagoa da Prata vem ganhando mercado e se destacando no segmento de automação comercial no Brasil. É a Sommus, que está presente em 25 estados e possui mais de 1500 clientes. Dirigida pelos empresários Paulo Roberto Agostinho Pereira (Diretor Administrativo e Comercial) e Reginaldo José da Silva (Diretor Técnico), com o apoio de 50 colaboradores diretos e 14 parceiros comerciais, a Sommus atende desde as microempresas a redes de supermercados, como é o caso do VAP Supermercados, com cinco lojas em Bom Despacho, e diversas pequenas redes de farmácias no norte e nordeste brasileiro. Fundada em 2001, a empresa oferece soluções em automação comercial em quatro segmentos principais: postos de combustível, varejo, farmácias e autopeças, e também ofe- rece um software para atender empresas prestadoras de serviços. EFICIÊNCIA E ATENDIMENTO RÁPIDO Para oferecer sempre o melhor e mais confiável sistema de gestão, a Sommus investe pesado em treinamentos da equipe e em novas tecnologias, garantindo ao empresário informações precisas e atendimento rápido. “Nossa equipe tem no DNA a missão de prestar serviço e ser comprometida com o cliente, de estar do lado dele. Isso só veio a partir do momento em que criamos um avançado software próprio de atendimento às empresas”, diz Paulo Roberto. Este sistema geren- Acima, reunião da Equipe Diretiva para discussão dos problemas vivenciados, como também o planejamento da próxima semana de trabalho. Ao lado, os colaboradores João Gabriel e Wilson, ganhadores no último evento motivacional de 2012 a uma viagem ao Chile com direito a acompanhante. Reuniões motivacionais, treinamentos de capacitação profissional e de crescimento pessoal são frequentes no dia-a-dia da Sommus. SOMMUS AUTOMAÇÃO COMERCIAL Av. Brasil, 328, 2º andar, Centro, Lagoa da Prata/MG cia toda a comunicação com o cliente. “Isso nos dá toda a tranquilidade. O software é interligado ao portal do cliente, onde temos todo o histórico de atendimento e permite ao empresário também gerenciar estas informações”, explica o diretor Reginaldo. PRESENÇA EM EVENTOS INTERNACIONAIS Mais uma vez a Sommus apoia o Encontro Empresarial de Lagoa da Prata, pois entende também ser responsável por oferecer ao empresariado e seus funcionários oportunidades de crescimento profissional. Como no Encontro Empresarial, em junho a Sommus também exporá seus produtos na 15ª AUTOCOM (Feira e Congresso Internacional de Automação Comercial e Tecnologia para o Varejo), a maior feira de automação comercial da América Latina, que acontecerá no Expo Center Norte, em São Paulo. “Participar como expositor da AUTOCOM é um avanço incrível, mas a Sommus participa constantemente dos maiores congressos de discussão sobre questões fiscais, debatendo diretamente com as maiores autoridades e com grandes empresas brasileiras. Congresso de gente grande, mas nos achamos no direito e no dever de estar entre eles e buscar o melhor para nosso cliente”, afirma Paulo Roberto. Quais os fatores foram determinantes para o crescimento da Sommus? Paulo: É uma gestão participativa. Somos 10 gerentes e diretores que tomam as decisões em regime de colegiado. Valorizamos muito o fator humano, os profissionais. Gerenciamos nossa empresa formando profissionais com autonomia para decidir, sempre orientados pelos objetivos propostos pela diretoria. Qual a garantia que a Sommus oferece aos clientes com relação à área fiscal? Reginaldo: O principal software nosso é o PAF/ECF para emissão , de cupom fiscal. Hoje, na maioria dos estados, o sistema precisa ser homologado para emitir cupom fiscal. Tem empresas que conseguem esta homologação em um mês e meio. Nós conseguimos em quatro dias. Damos essa garantia para o cliente porque trabalhamos há muitos anos com o PAF/ECF e conhecemos toda a legislação. Paulo: Temos aqui dentro um departamento fiscal que cuida somente das situações relacionadas às obrigatoriedades fiscais. Nosso comprometimento com a questão fiscal é tão grande, que temos casos de clientes que contrataram nossos serviços por indicação de fiscais da receita estadual, que é considerada uma das mais exigentes no Brasil. Para nós é motivo de orgulho. O que a Sommus vai apresentar no Encontro Empresarial de Lagoa da Prata? Reginaldo: Este ano vamos ter a demonstração de um software que organiza todos os procedimentos e facilita a comunicação entre os funcionários e entre os clientes externos à nossa empresa. Vamos mostrá-lo às empresas que estiverem interessadas em melhorar o fluxo das informações da sua organização. O que diferencia a Sommus das outras empresas de automação comercial? Paulo: Temos que fazer diferenciação pela qualidade de nossa prestação de serviços. Somos uma empresa prestadora de serviço comprometida com o cliente. No mês de fevereiro tivemos quase dois mil atendimentos. Se não tivéssemos uma organização dessas informações, os clientes ficariam sem respostas, aguardando por muito tempo. E hoje não temos isso. O atendimento é rápido e eficiente. A empresa tem apresentado um crescimento considerável... Reginaldo: No ano passado, tínhamos 40 funcionários na época do encontro empresarial de Lagoa da Prata. Hoje estamos com 50. Crescemos 25% em um ano. Temos 14 parceiros comerciais que distribuem nosso software em Minas Gerais, Paraíba, Goiás, Pará, Rio Grande do Sul, Ceará e Rondônia que geram dezenas de empregos indiretos.
  8. 8. 8 Jornal da Cidade - 15 a 29 de abril de 2013 Nesta primeira coluna vamos conversar com a Gessi, proprietária do salão LOOK. Ela vai nos falar sobre sua carreira que já dura mais de 25 anos e dará dicas quentíssimas para a mulherada que gosta de estar impecável quando o assunto é cabelo. Gessi é graduada em ciências biológicas, pela PUC, e possui diversos cursos na área de beleza, como cursos de corte de nível internacional com técnicas do pirôpoint; maquiagem com maquiador da Rede Globo; penteados com a profissional internacional Karina França; curso de tricologia e cosmetologia; curso de colorometria pela Loreal e Schwarzkopf; curso de visagismo; cur- so de corte com técnicas modernas com Eliábil e curso técnico de cabeleireiro ministrada pela AlfaPaef (Alfa’Steam). Cléo: Nos fale sobre o que está em alta em termos de corte e penteados. Gessi: Hoje o que está em alta em termos de corte são cortes desconectados, bem desfiados, que dão leveza e movimentos aos cabelos, seja ele curto médio ou longo. Cléo: Hoje as meninas usam muito a chapinha. Quais os cuidados que elas devem saber sobre essa técnica? Gessi: Em primeiro lugar antes de fazer a chapinha, deve usar no cabelo creme termoativado para proteger os fios, lembrar que é muito importante não usar a chapa com temperaturas muito altas, principalmente em cabelos que receberam processo químico, associação de escova progres- Gessi - Salão Look siva com mechas, relaxamentos, entre outros. Cléo: Quais os erros mais comuns que as meninas cometem no dia a dia ao cuidar dos cabelos? Gessi: Uso incorreto de produtos em desacordo com tipo de cabelo (shampoo, creme condicionador, máscara) tem tudo para dar errado. Cléo: Com o inverno chegando nos fale que tipo de corte de cabelo a mulheres devem usar. Gessi: Cabelos curtos sempre combinam com o inverno, Nesta estação as mulheres se vestem com mais elegância e aparecem as golas, colares e brincos grandes, por isso o cabelo curto valoriza o pescoço e rosto deixando-a mais sexy. Agora, cabelos curtos com cara de naturalmente arrumado requer alguns cuidados como: uso de pomada; gel fixador e antifrizz. Esses processos são essenciais. Cléo: Fale um pouco a respeito do seu trabalho com as noivas. Gessi: Quem ainda não subiu ao altar pode não entender muito bem a importância de realizar o dia da noiva. Além de programar a maquiagem, o penteado e as unhas a noiva precisa escolher o local onde deseja se aprontar. A escolha de bons profissionais é crucial e agregar um local aconchegante com respeito a horários é também é fundamental para que ela se sinta segura e a vontade no seu grande dia, pois com tudo isso correndo de acordo com o previsto ela irá conquistar o visual que sempre so- nhou. Vale ressaltar que a noiva deve conversar bastante com os profissionais bem antes do seu grande dia, tirando suas dúvidas, perguntando sobre produtos, ela não deve ter receio de ser exigente afinal toda noiva passa meses se preparando para que nenhum detalhe saia errado. Cléo: Deixe uma mensagem para as noivas. Gessi: “A felicidade consiste em partilhar as pequenas e as grandes coisas com as pessoas que amamos”.

×