A Estrutura da Classe Trabalhadora e Seus Exércitos de Reserva

208 visualizações

Publicada em

A Estrutura da Classe Trabalhadora e Seus Exércitos de Reserva

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
208
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Estrutura da Classe Trabalhadora e Seus Exércitos de Reserva

  1. 1. A Estrutura da Classe Trabalhadora e seus Exércitos de Reserva (Capítulo 17)
  2. 2. • Povo oprimido pelas Elites • Reféns do Capital
  3. 3. Analise: • Trabalho e capital são oposições; • Trabalho é capital; • Classe trabalhadora Submissa; • Baixos Salários. O principal objetivo da burguesia em relação ao trabalhador é ter o trabalho-mercadoria com menor preço possível
  4. 4. Exército Industrial de Reserva Quanto mais trabalhadores estiverem desempregados, mais barato é seu preço no mercado, ou seja, a empresa paga menores salários. O uso da palavra “exército” tem referência aos trabalhadores recrutados e arregimentados no local de trabalho em hierarquia, sob o comando de autoridade dos proprietários de capitais.
  5. 5. Marx distinguia três formas de Exército de Reserva ou população excedente relativa: FLUTUANTE LATENTE ESTAGNÁRI A
  6. 6. Flutuante Encontra-se nos centros da indústria e do emprego, sob a forma de trabalhadores que vão de função a função, atraídos ou repelidos (isto é, contratados e descartados) pelos movimentos da tecnologia e do capital, e sofrendo certo grau de desemprego no curso desse movimento.
  7. 7. Segundo pesquisas recentes, a taxa de rotatividade em um Call Center gira em torno de 42%, o que significa que uma empresa do ramo troca todo o seu quadro funcional de atendentes a cada dois anos e meio. Outro exemplo: Call Center
  8. 8. Excedente relativa é, de acordo com a definição de Marx, aquela que se encontra nas zonas agrícolas. Nessas regiões, diferentemente dos centros da indústria capitalista, não existem contra movimentos e atração para compensar a repulsão daqueles “liberados” pela revolução na tecnologia agrícola, e em consequência o movimento do trabalho esta fora das zonas agrícolas e dentro das cidades ou áreas metropolitanas. Latente
  9. 9. Essa população, irregular e ocasionalmente empregada, “fornece ao capital”, nas palavras de Marx, “um reservatório inexaurível e força de trabalho disponível. Suas condições de vida afundam-se abaixo do nível normal da classe trabalhadora; isto faz dela ao mesmo tempo a ampla base de ramos especiais de exploração”. A importância desse ramo da população excedente para os tipos de emprego que têm aumentado rapidamente é clara. Estagnária
  10. 10. Bruna Sabrina Erika Dayane Geisy Verônica Namayara Líneia Suany Karine Winne Aniele Discentes: Docente: Jetson Lourenço Curso: Serviço Social 4º Período

×