As mulheres na sociedade

2.477 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.477
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
111
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
80
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As mulheres na sociedade

  1. 1. AS MULHERES NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA Alessandra Schneider Coordenadora do Escritório Antena da UNESCO no RS Porto Alegre, 05/03/07
  2. 2. <ul><li>“ A cada ano, o Dia Internacional da Mulher é um momento para contabilizar o progresso e os desafios a serem enfrentados em relação ao cumprimento das metas do Sistema das Nações Unidas sobre a igualdade de gênero por meio do empoderamento da mulher.” </li></ul><ul><li>Koichiro Matsuura - Diretor-Geral da UNESCO (2006) </li></ul>
  3. 3. Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), sancionados por 189 países na Cúpula do Milênio das Nações Unidas, em setembro de 2000.
  4. 4. <ul><li>Garantir que, até 2015, todas as crianças, de ambos os sexos, terminem um ciclo completo de ensino básico. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Eliminar a disparidade entre os sexos no ensino primário e secundário, se possível até 2005, e em todos os níveis de ensino, a mais tardar até 2015. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Reduzir em dois terços, entre 1990 e 2015, a mortalidade de crianças menores de 5 anos. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Reduzir em três quartos, entre 1990 e 2015, a taxa de mortalidade materna. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Até 2015, ter detido a propagação do HIV/Aids e começado a inverter a tendência atual. </li></ul><ul><li>Estima-se que quase 50% dos portadores do HIV/AIDS sejam mulheres. Mais alarmantes são os índices de infecção entre mulheres jovens com idades entre 18 e 25 anos e acima de 50 anos. </li></ul>
  9. 9. No Brasil... <ul><li>As mulheres têm, atualmente, níveis de escolaridade superiores aos dos homens,mantendo-se à frente deles </li></ul><ul><li>em praticamente todos os indicadores educacionais. Isso significa que os grandes entraves à promoção da igualdade de gênero e à autonomia feminina não se encontram no acesso ao ensino, mas em outros aspectos como a inserção no mercado de trabalho e na vida política ou a vulnerabilidade à violência doméstica e sexual. </li></ul>
  10. 10. PARA AS MULHERES, OBSTÁCULOS À IGUALDADE DE GÊNERO ESTÃO ALÉM DA EDUCAÇÃO FORMAL <ul><li>No ensino médio e no superior, a proporção de mulheres é 25% maior que a dos homens; </li></ul><ul><li>Barreiras invisíveis interferem em escolhas no ensino superior (A distribuição nos cursos universitários remonta à divisão sexual, do trabalho,mas também do conhecimento: </li></ul><ul><li>Elas tendem a estender à formação profissional sua formação familiar,concentrando-se em áreas que remetem ao exercício dos cuidados e da atenção. Já os homens encontram-se, predominantemente, nos cursos das áreas de ciências exatas,que são considerados “mais difíceis” e “exigentes” e formam profissionais com maior reconhecimento social.) </li></ul><ul><li>Mulheres enfrentam dificuldades de inserção no mercado de trabalho ( Dupla discriminação: mulheres negras são as que se inserem em condições mais precárias no mercado de trabalho) </li></ul>
  11. 11. PARA AS MULHERES, OBSTÁCULOS À IGUALDADE DE GÊNERO ESTÃO ALÉM DA EDUCAÇÃO FORMAL <ul><li>Embora mais escolarizadas, mulheres ganham menos ( A desigualdade aumenta à medida que se avança na escolaridade.) </li></ul><ul><li>Na política predomina a presença masculina, mas as mulheres avançam </li></ul><ul><li>Violência contra as mulheres: fenômeno nacional </li></ul><ul><li>A violência doméstica e sexual praticada contra mulheres é uma das principais formas de violação dos direitos humanos, atingindo-as em seus direitos fundamentais à vida, à saúde e à integridade física e psíquica. </li></ul><ul><li>Essa violência doméstica,que se manifesta cotidianamente das mais diferentes formas física,psíquica,sexual,patrimonial), </li></ul><ul><li>fundamenta-se em relações desiguais de poder e autoridade que se estabelecem entre homens e mulheres em todas as esferas da vida e,em particular, na esfera privada, podendo, portanto, ser reconhecida como uma violência de gênero. </li></ul>
  12. 12. Homens e mulheres experimentam a pobreza de maneiras distintas <ul><li>A promoção da igualdade de gênero – o terceiro Objetivo de Desenvolvimento do Milênio – é essencial não só para a garantia da cidadania como também para a consecução da meta de redução da pobreza. As mulheres sofrem uma série de desvantagens, em comparação com os homens, que passam pela realização de atividades domésticas não-remuneradas, maior desemprego e discriminação salarial, assim como desigualdade no acesso, uso e controle dos recursos produtivos. </li></ul>
  13. 13. Homens e mulheres experimentam a pobreza de maneiras distintas <ul><li>A vulnerabilidade econômica das mulheres está relacionada ao crescente desemprego feminino e à sua concentração em atividades de baixa qualificação e mal remuneradas, bem como às restrições de tempo e mobilidade, uma vez que elas têm de conciliar o trabalho remunerado com o trabalho reprodutivo (atividades domésticas e cuidado da família). </li></ul>
  14. 14. Capacidade de gerar recursos financeiros e tomar decisões sobre os gastos <ul><li>Nas áreas urbanas observa-se que, em 2003, 36% das mulheres maiores de 16 anos careciam de renda própria, comparados com 18% dos homens. No caso das mulheres que vivem em zonas rurais essa dependência econômica é ainda maior (46% das mulheres não tinham renda própria). Essa condição se reflete na falta de autonomia econômica, o que potencializa as chances de essas mulheres tornarem-se ainda mais pobres ou enfrentarem a extrema pobreza, sobretudo se as circunstâncias familiares e conjugais forem modificadas (viuvez, rupturas matrimoniais). </li></ul>
  15. 15. AS MULHERES E OS DESAFIOS DO MILÊNIO <ul><li>Nenhum desenvolvimento nacional poderá ser considerado satisfatório se </li></ul><ul><li>as mulheres não tiverem plena participação na vida da comunidade, da sociedade e no trabalho. </li></ul>
  16. 16. UNESCO cria Rede Internacional de Mulheres Filósofas <ul><li>Foi anunciada no dia 08 de março de 2007 </li></ul><ul><li>Objetivo é reunir o maior número possível de mulheres filósofas – artistas, escritoras, poetisas, etc – provenientes de todos os países de forma a integrá-las nos diferentes projetos e atividades da Organização sobre filosofia. </li></ul><ul><li>“ O papel crucial e indispensável das mulheres na reflexão filosófica e seu valiosíssimo aporte à compreensão cabal dos grandes desafios da nossa época.” (Pierre Sané – ADG Ciências Humanas e Sociais da UNESCO) </li></ul>

×