Escola Secundária Augusto Gomes
Ciências Naturais
1 | P á g i n a
Biodiversidade da praia do Paraíso em Leça da Palmeira
I...
Escola Secundária Augusto Gomes
Ciências Naturais
2 | P á g i n a
Sublitoral
O sublitoral estende-se até ao limite da plat...
Escola Secundária Augusto Gomes
Ciências Naturais
3 | P á g i n a
Eulitoral
O eulitoral é a verdadeira zona das marés, o i...
Escola Secundária Augusto Gomes
Ciências Naturais
4 | P á g i n a
Na nossa visita de estudo à Praia do Paraíso (que se sit...
Escola Secundária Augusto Gomes
Ciências Naturais
5 | P á g i n a
Escola Secundária Augusto Gomes
Ciências Naturais
6 | P á g i n a
Escola Secundária Augusto Gomes
Ciências Naturais
7 | P á g i n a
Escola Secundária Augusto Gomes
Ciências Naturais
8 | P á g i n a
Escola Secundária Augusto Gomes
Ciências Naturais
9 | P á g i n a
Escola Secundária Augusto Gomes
Ciências Naturais
10 | P á g i n a
Escola Secundária Augusto Gomes
Ciências Naturais
11 | P á g i n a
Escola Secundária Augusto Gomes
Ciências Naturais
12 | P á g i n a
Escola Secundária Augusto Gomes
Ciências Naturais
13 | P á g i n a
Trabalho elaborado por:
Gonçalo Leonardo
João Veludo
Ma...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Biodiversidade

189 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
189
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
70
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Biodiversidade

  1. 1. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 1 | P á g i n a Biodiversidade da praia do Paraíso em Leça da Palmeira Introdução: Com este trabalho pretendemos mostrar-vos os “segredos” que uma simples praia em Leça da Palmeira esconde… Vamos abordar os seguintes tópicos:  Conceito de biodiversidade;  Dunas;  Impacto da ocupação antrópica;  Sublitoral;  Importância das marés;  Zona intertidal; Biodiversidade A biodiversidade é a grande variedade de seres vivos que vive num determinado ambiente. Os ambientes aquáticos ocupam a maior parte da Terra e dividem-se em ambientes marinhos (como oceanos, mares e regiões costeiras) e em ambientes de água doce (como lagos, lagoas, ribeiros, rios e pântanos). Dunas As dunas são barreiras naturais de protecção às investidas do mar para o interior e também são formações geológicas muito sensíveis à erosão marítima, eólica e humana. A maior parte do sistema dunar está bastante danificada devido à intervenção humana. (Vila Nova de Gaia) Um conjunto de fatores abióticos e bióticos regulam a distribuição dos organismos bentónicos no litoral, tornando-a gradual e estratificada, de acordo com os diferentes tipos de adaptações que as espécies foram desenvolvendo ao longo da sua evolução. A este tipo de povoamento ordenado e estratificado criando um sistema de andares, dá-se o nome de zonação.
  2. 2. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 2 | P á g i n a Sublitoral O sublitoral estende-se até ao limite da plataforma continental, atingindo uma profundidade entre os 200 e 300 m. A extensão da plataforma continental é variável, havendo locais nas costas europeias com dezenas de quilómetros de declive suave, terminando abruptamente nas encostas abissais ou vertentes continentais. A franja sublitoral fica a descoberto durante as marés baixas das águas vivas, e é caracterizada pelas macroalgas castanhas, por uma cintura de algas vermelhas e pela ocorrência de organismos de zonas mais profundas. Poças de maré As poças de maré são cavidades rochosas cheias de água, que ficam separadas do mar durante a mare baixa, por períodos variáveis, onde vivem e se refugiam muitos organismos.  Características: Relacionam-se com a duração do isolamento e com o volume. Quanto maior a profundidade e o volume de agua, mais estável é o ambiente e mais lentas são as alterações de temperatura e salinidade durante o isolamento imposto. Marés  As marés são variações regulares do nível do mar causadas pela atração gravitacional da Lua e do Sol. Como o mar é um meio contínuo, muito mais homogéneo que o meio terrestre, a natureza e intensidade dos fatores ambientais variam com a profundidade, com a distância à costa, etc… Combinando-se para criar uma série de zonas com características próprias, povoadas por formas de vida igualmente bem adaptadas às condições de cada uma (zona). Considerando a relação dos organismos com o fundo, distinguem-se duas zonas: • Domínio bentónico, que corresponde à zona de fundo e, que por consequência, pertencem a ele quer as espécies fixas, quer as móveis que têm uma estreita relação com o fundo marinho . • Domínio pelágico, que corresponde ao resto da massa de água e cujas espécies vivem sem nenhuma relação direta com o fundo marinho.
  3. 3. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 3 | P á g i n a Eulitoral O eulitoral é a verdadeira zona das marés, o intertidal, que, em relação ao supralitoral, apresenta um número muito maior de espécies marinhas, situa-se entre o nível máximo da maré alta equinocial e o nível médio da maré baixa das águas vivas, sujeita a duas emersões e duas emersões alternadas por dia. O Eulitoral, que é constituído por três partes: - O eulitoral inferior é dominado pelos recifes de barroeira Sabellaria alveolata, as algas vermelhas Chondrus crispus e Mastocarpus stellatus podem formar uma pequena “cintura” - No eulitoral médio as rochas são cobertas com povoamentos de mexilhões Mytilus galloprovincialis, e nas poças domina a alga calcária Lithopyllum inincrustans. - No eulitoral superior existe uma “cintura” de cracas (género Chthamalus) e lapas (género Patella), algumas rochas são colonizadas com algas verdes do género Enteromorpha, e a areia entre as rochas é povoada por crustáceos anfípodes, poliquetas e alguns bivalves. Supralitoral O supralitoral é caracterizado pela presença de organismos que nunca ou raramente estão submersos, mas que requerem um grau de humidade relativamente alto. Situa-se entre o domínio terrestre e o nível máximo da maré-alta equinocial, estando sujeito apenas a receber as gotas de água das ondas ficando só muito raramente coberto de água. A sua extensão vertical depende da exposição e do perfil da costa e do alcance das ondas. É também nesta zona que podemos observar as poças de maré, formadas devido a depressões ou fendas existentes nas plataformas rochosas, que retêm a água do mar durante a baixa-mar. Quanto mais alta se situar a poça, mais extremas serão as condições da mesma, devido ao longo período que esta permanece sem efetuar uma renovação de água. O limite superior do infralitoral situa-se no nível mais baixo da maré equinocial, onde os organismos que formam os povoamentos estão sempre em imersão ou raramente em eros. O seu limite inferior, por volta dos 30 metros de profundidade, é coincidente com apresentadas f nerogâmicas e das algas fitófilas. Este limite varia com as regiões geográficas, dependendo da penetração dos raios solares, ou seja, varia de acordo com a transparência das aguas. O circalitoral estende-se desde o limite inferior do infralitoral ate às profundidades máximas compatíveis com a presença das algas ciáfilas sem que a presença deste tipo de algas seja obrigatório. Estas, apenas necessitam de uma baixa luminosidade para sobreviverem. É uma zona, ao contrário da anterior, dominada essencialmente por animais.
  4. 4. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 4 | P á g i n a Na nossa visita de estudo à Praia do Paraíso (que se situa em Leça da Palmeira) observamos uma diversidade de seres vivos entre os quais:
  5. 5. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 5 | P á g i n a
  6. 6. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 6 | P á g i n a
  7. 7. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 7 | P á g i n a
  8. 8. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 8 | P á g i n a
  9. 9. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 9 | P á g i n a
  10. 10. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 10 | P á g i n a
  11. 11. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 11 | P á g i n a
  12. 12. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 12 | P á g i n a
  13. 13. Escola Secundária Augusto Gomes Ciências Naturais 13 | P á g i n a Trabalho elaborado por: Gonçalo Leonardo João Veludo Mariya Shevchuk

×