SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
PROGRAMAÇÃO
ORIENTADA A
OBJETOS
POO
Professor: José Maria Lehrback Filho
Curso: Técnico em Informática
Turno: Noturno
Data: 16/02/2017
Introdução a POO
Classe e Objeto
Método
Herança
Encapsulamento
Abstração
Polimorfismo
Interface
Coesão / Acoplamento
OBJETO
Programação
Orientada a Objetos?
O que é um objeto?
Programação
Orientada a Objetos?
Programação
Orientada a Objetos?
Objeto – Coisa material ou abstrata que pode
ser percebida pelos sentidos e descrita por
meio de suas características, comportamento
E estado atual
Programação
Orientada a Objetos?
Objeto – Coisa material ou
abstrata que pode ser percebida
pelos sentidos e descrita por
meio de suas características,
comportamento e estado atual.
Programação
Orientada a Objetos?
Programação
Orientada a Objetos?
Molde = Classe Caneta = Objeto
Programação
Orientada a Objetos?
RESUMO
POO é um paradigma de programação que usa "objetos"
compostos por campos e métodos, justamente com suas
interações - para projetar programas de computadores.
http://en.wikipedia.org/wiki/Object-oriented_programming
POO é uma forma especial de programar, mais próximo de
como expressaríamos as coisas na vida real do que outros
tipos de programação.
http://www.criarweb.com/artigos/215.php
POO é organizar o mundo real como uma coleção de objetos
que incorporam estrutura de dados e um conjunto de
operações que manipulam estes dados e trocam mensagens
entre si. http://www.macoratti.net/oo_conc2.htm
CLASSE
Uma classe é uma estrutura que abstrai um conjunto de
objetos com características similares. É como um projeto, a
partir dela que criamos os objetos utilizados em nossos
programas.
http://en.wikipedia.org/wiki/Object-oriented_programming
Classe:
Atributos
Os Atributos em Programação Orientada a Objetos são os
elementos que definem a estrutura de uma classe, ou seja
suas características.
http://en.wikipedia.org/wiki/Object-oriented_programming
Classe:
Construtores
Um construtor é uma estrutura especial da classe, um
método, que tem como objetivo definir a configuração inicial
de uma classe. É utilizado quando existem atributos da classe
que são essenciais para o funcionamento do objeto, porém,
são atributos de instância, e, assim, variam de acordo com
cada objeto.
http://www.webartz.com.br/php/php-orientado-a-objetos-conceitos-construtores-e-
destrutores
Classe:
Destrutores
Semelhante aos construtores, o destrutor também é uma
estrutura, outro método, da classe, porém este é responsável
por limpar a memória ou atributos utilizados na execução da
classe.
http://www.webartz.com.br/php/php-orientado-a-objetos-conceitos-construtores-e-
destrutores
Classe:
Visibilidade
Quem tem acesso à classe tem acesso também a qualquer membro com
visibilidade public, é raro ter atributos públicos, mas é comum ter
métodos públicos.
http://www.dsc.ufcg.edu.br/~jacques/cursos/p2/html/oo/visibilidade.htm
+ Public
O membro private não é acessível fora da classe, a intenção é que apenas
quem escreve a classe possa usar esses membros.
http://www.dsc.ufcg.edu.br/~jacques/cursos/p2/html/oo/visibilidade.htm
- Private
O membro protected é acessível à classe e a suas subclasses, a intenção é
dar acesso aos programadores que estenderão sua classe.
http://www.dsc.ufcg.edu.br/~jacques/cursos/p2/html/oo/visibilidade.htm
# Protected
Classe:
Objeto
Objetos são instâncias de classes. É através deles que (praticamente) todo
o processamento ocorre em sistemas implementados com linguagens de
programação orientadas a objetos.
Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
No paradigma de orientação a objetos, tudo pode ser potencialmente
representado como um objeto. Sob o ponto de vista da programação
orientada a objetos, um objeto não é muito diferente de uma variável
normal.
Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
MÉTODO
Um método é uma subrotina que é executada por um objeto
ao receber uma mensagem. Os métodos determinam o
comportamento dos objetos de uma classe.
http://en.wikipedia.org/wiki/Object-oriented_programming
Método:
Assinatura
Cada método é especificado por uma assinatura, composta
por um identificador para o método (o nome do método), o
tipo para o valor de retorno e sua lista de argumentos, sendo
cada argumento identificado por seu tipo e nome.
Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
[modificador] tipo nome (argumentos)
{
corpo do método
}
Através do mecanismo de sobrecarga (overloading), dois
métodos de uma classe podem ter o mesmo nome, desde
que suas assinaturas de argumentos sejam diferentes.
Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
Método:
Sobrecarga
São métodos que tem o mesmo nome, mas com
argumentos diferentes.
http://www.devmedia.com.br/post-5124-Orientacao-a-objetos-parte-ll.html
Lista de Argumentos diferentes
Podem alterar o tipo de retorno
Podem alterar o modificador de acesso
Declarar exceções novas ou mais abrangentes
Características
Método:
Mensagens
Um programa orientado a objetos é composto por um
conjunto de objetos que interagem através de “trocas de
mensagens”. Na prática, essa troca de mensagem traduz-se
na aplicação de métodos a objetos.
Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
Método:
Estáticos
Usualmente, métodos definidos em uma classe são aplicados
a objetos daquela classe. Há no entanto situações nas quais
um método pode fazer uso dos recursos de uma classe para
realizar sua tarefa sem necessariamente estar associado a um
objeto individualmente.
Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
Para lidar com tais situações, define os métodos da classe,
cuja declaração deve conter o modificador static. Um método
estático pode ser aplicado à classe e não necessariamente a
um objeto.
Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
HERANÇA
Herança é um mecanismo que permite que características
comuns a diversas classes sejam fatoradas em uma classe
base, ou superclasse. A partir de uma classe base, outras
classes podem ser especificadas.
Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
Herança:
Sobreposição
A sobreposição refere-se à redefinição de métodos na hierarquia
da herança, de forma que estes métodos implementam
definições diferentes (mais especializadas) nos subtipos.
http://arquiteturaemobilidade.blogspot.com/2008/07/conceitos-da-orientao-objetos-
com-uml_08.html
ENCAPSULAMENTO
É o princípio pelo qual cada componente de um programa
deve agregar toda a informação relevante para sua
manipulação como uma unidade (uma cápsula). Aliado ao
conceito de ocultamento de informação.
Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
ABSTRAÇÃO
Abstração é o processo de extrair as características essenciais de um
objeto real. A abstração é necessária para se ter um modelo fiel da
realidade sobre a qual se possa operar.
http://www.slideshare.net/danielrpgj30/curso-de-programao-orientada-a-objetos
O conjunto de características resultante da abstração forma um tipo de
dado abstrato com informações sobre seu estado e comportamento.
http://www.slideshare.net/danielrpgj30/curso-de-programao-orientada-a-objetos
POLIMORFISMO
O polimorfismo permite que referências de tipos de classes
mais abstratas representem o comportamento das classes
concretas que referenciam. Assim, um mesmo método pode
apresentar várias formas, de acordo com o seu contexto.
http://www.slideshare.net/danielrpgj30/curso-de-programao-orientada-a-objetos
INTERFACE
É um conjunto de métodos que um objeto deve suportar, mas
contendo apenas a especificação da funcionalidade que uma
classe deve conter, sem determinar como essa funcionalidade
deve ser implementadas.
Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
COESÃO / ACOPLAMENTO
Acoplamento é o grau que uma classe depende, interage com outra classe.
Coesão refere a finalidade que a classe foi criada.
http://www.devmedia.com.br/post-5124-Orientacao-a-objetos-parte-ll.html
Quanto menos uma classe depende da outra, menor o acoplamento, e maior a
especialização dela, isso significa alta coesão.
http://www.devmedia.com.br/post-5124-Orientacao-a-objetos-parte-ll.html

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Curso java 05 - herança, classes e métodos abstratos
Curso java   05 - herança, classes e métodos abstratosCurso java   05 - herança, classes e métodos abstratos
Curso java 05 - herança, classes e métodos abstratos
Maurício Linhares
 
O paradigma da orientação a objetos
O paradigma da orientação a objetosO paradigma da orientação a objetos
O paradigma da orientação a objetos
Nécio de Lima Veras
 

Mais procurados (20)

Java: Heranca e polimorfismo
Java: Heranca e polimorfismoJava: Heranca e polimorfismo
Java: Heranca e polimorfismo
 
Engenharia de Requisitos
Engenharia de RequisitosEngenharia de Requisitos
Engenharia de Requisitos
 
UML - Criando Diagramas Eficientes
UML - Criando Diagramas EficientesUML - Criando Diagramas Eficientes
UML - Criando Diagramas Eficientes
 
POO - Unidade 2 (parte 1) - Diagrama de Classe - Associação (versão 2)
POO   - Unidade 2 (parte 1) - Diagrama de Classe - Associação (versão 2)POO   - Unidade 2 (parte 1) - Diagrama de Classe - Associação (versão 2)
POO - Unidade 2 (parte 1) - Diagrama de Classe - Associação (versão 2)
 
UML - Diagrama de Pacotes
UML - Diagrama de PacotesUML - Diagrama de Pacotes
UML - Diagrama de Pacotes
 
Banco de Dados I Aula 06 - Generalização e Especialização
Banco de Dados I Aula 06 - Generalização e EspecializaçãoBanco de Dados I Aula 06 - Generalização e Especialização
Banco de Dados I Aula 06 - Generalização e Especialização
 
Caso De Uso
Caso De UsoCaso De Uso
Caso De Uso
 
POO - Aula 1
POO - Aula 1POO - Aula 1
POO - Aula 1
 
Uml Diagramas Estruturais
Uml   Diagramas EstruturaisUml   Diagramas Estruturais
Uml Diagramas Estruturais
 
02 - Orientação a objetos e revisão de C# v1.5
02 - Orientação a objetos e revisão de C# v1.502 - Orientação a objetos e revisão de C# v1.5
02 - Orientação a objetos e revisão de C# v1.5
 
Banco de dados exercícios resolvidos
Banco de dados exercícios resolvidosBanco de dados exercícios resolvidos
Banco de dados exercícios resolvidos
 
Curso java 05 - herança, classes e métodos abstratos
Curso java   05 - herança, classes e métodos abstratosCurso java   05 - herança, classes e métodos abstratos
Curso java 05 - herança, classes e métodos abstratos
 
Programação Orientada a Objetos
Programação Orientada a ObjetosProgramação Orientada a Objetos
Programação Orientada a Objetos
 
Engenharia de Software Pressman
Engenharia de Software PressmanEngenharia de Software Pressman
Engenharia de Software Pressman
 
Diagrama de Classes
Diagrama de ClassesDiagrama de Classes
Diagrama de Classes
 
Aula 02 - Principios da Orientação a Objetos (POO)
Aula 02 - Principios da Orientação a Objetos (POO)Aula 02 - Principios da Orientação a Objetos (POO)
Aula 02 - Principios da Orientação a Objetos (POO)
 
Documentação do software
Documentação do softwareDocumentação do software
Documentação do software
 
POO - 01 - Introdução ao Paradigma Orientado a Objetos
POO - 01 - Introdução ao Paradigma Orientado a ObjetosPOO - 01 - Introdução ao Paradigma Orientado a Objetos
POO - 01 - Introdução ao Paradigma Orientado a Objetos
 
Modelagem de dados
Modelagem de dadosModelagem de dados
Modelagem de dados
 
O paradigma da orientação a objetos
O paradigma da orientação a objetosO paradigma da orientação a objetos
O paradigma da orientação a objetos
 

Semelhante a Introdução a poo

Orientação a Objetos no Delphi - Por onde começar (I)
Orientação a Objetos no Delphi - Por onde começar (I)Orientação a Objetos no Delphi - Por onde começar (I)
Orientação a Objetos no Delphi - Por onde começar (I)
Ryan Padilha
 
Curso : Introdução Orientação a Objetos
Curso : Introdução Orientação a ObjetosCurso : Introdução Orientação a Objetos
Curso : Introdução Orientação a Objetos
danielrpgj30
 
Introdução à programação por objectos final
Introdução à programação por objectos finalIntrodução à programação por objectos final
Introdução à programação por objectos final
emcp11
 
APOO.INT- S01 Paradigma de Orientação a Objetos (2).pdf
APOO.INT- S01 Paradigma de Orientação a Objetos (2).pdfAPOO.INT- S01 Paradigma de Orientação a Objetos (2).pdf
APOO.INT- S01 Paradigma de Orientação a Objetos (2).pdf
pedrina4
 
Apresentação programação orientada à objetos
Apresentação   programação orientada à objetosApresentação   programação orientada à objetos
Apresentação programação orientada à objetos
soncino
 

Semelhante a Introdução a poo (20)

Aula orientação a objetos
Aula orientação a objetosAula orientação a objetos
Aula orientação a objetos
 
Poo padadigmas
Poo padadigmasPoo padadigmas
Poo padadigmas
 
Orientação a Objetos no Delphi - Por onde começar (I)
Orientação a Objetos no Delphi - Por onde começar (I)Orientação a Objetos no Delphi - Por onde começar (I)
Orientação a Objetos no Delphi - Por onde começar (I)
 
Curso : Introdução Orientação a Objetos
Curso : Introdução Orientação a ObjetosCurso : Introdução Orientação a Objetos
Curso : Introdução Orientação a Objetos
 
IES GF - Introdução a Linguagem de Programação Orientada a Objetos
IES GF - Introdução a Linguagem de Programação Orientada a ObjetosIES GF - Introdução a Linguagem de Programação Orientada a Objetos
IES GF - Introdução a Linguagem de Programação Orientada a Objetos
 
Orientacao a Objetos
Orientacao a ObjetosOrientacao a Objetos
Orientacao a Objetos
 
Conceitos Básicos de Orientação o Objetos aplicdo ao VBA - Classes em vba
Conceitos Básicos de Orientação o Objetos aplicdo ao VBA - Classes em vbaConceitos Básicos de Orientação o Objetos aplicdo ao VBA - Classes em vba
Conceitos Básicos de Orientação o Objetos aplicdo ao VBA - Classes em vba
 
Java7
Java7Java7
Java7
 
Intro oca,ocp 6 & 7, oo basics
Intro   oca,ocp 6 & 7, oo basicsIntro   oca,ocp 6 & 7, oo basics
Intro oca,ocp 6 & 7, oo basics
 
Introdução à programação por objectos final
Introdução à programação por objectos finalIntrodução à programação por objectos final
Introdução à programação por objectos final
 
Java 00 Poo
Java 00 PooJava 00 Poo
Java 00 Poo
 
Aula 3 -_fundamentos_sobre_aoo
Aula 3 -_fundamentos_sobre_aooAula 3 -_fundamentos_sobre_aoo
Aula 3 -_fundamentos_sobre_aoo
 
Programação orientada a objetos – II
Programação orientada a objetos – IIProgramação orientada a objetos – II
Programação orientada a objetos – II
 
APOO.INT- S01 Paradigma de Orientação a Objetos (2).pdf
APOO.INT- S01 Paradigma de Orientação a Objetos (2).pdfAPOO.INT- S01 Paradigma de Orientação a Objetos (2).pdf
APOO.INT- S01 Paradigma de Orientação a Objetos (2).pdf
 
Paradigma Orientado a Objetos
Paradigma Orientado a ObjetosParadigma Orientado a Objetos
Paradigma Orientado a Objetos
 
Estrutura de dados
Estrutura de dadosEstrutura de dados
Estrutura de dados
 
Orientação a objetos com PHP
Orientação a objetos com PHPOrientação a objetos com PHP
Orientação a objetos com PHP
 
Apresentação programação orientada à objetos
Apresentação   programação orientada à objetosApresentação   programação orientada à objetos
Apresentação programação orientada à objetos
 
Virada Tecnológica 2017
Virada Tecnológica 2017Virada Tecnológica 2017
Virada Tecnológica 2017
 
Conceitos de Orientação A Objeto
Conceitos de Orientação A ObjetoConceitos de Orientação A Objeto
Conceitos de Orientação A Objeto
 

Mais de Sedu (15)

Html aula 1
Html aula 1Html aula 1
Html aula 1
 
Introdução de web
Introdução de webIntrodução de web
Introdução de web
 
Fluxograma
FluxogramaFluxograma
Fluxograma
 
Algoritmo
AlgoritmoAlgoritmo
Algoritmo
 
Poo encapsulamento
Poo encapsulamentoPoo encapsulamento
Poo encapsulamento
 
Poo metodo especiais
Poo metodo especiaisPoo metodo especiais
Poo metodo especiais
 
Poo metodo especiais
Poo metodo especiaisPoo metodo especiais
Poo metodo especiais
 
Variaveis
VariaveisVariaveis
Variaveis
 
Poo visibilidade
Poo visibilidadePoo visibilidade
Poo visibilidade
 
Variaveis php
Variaveis phpVariaveis php
Variaveis php
 
C++ introducao
C++ introducaoC++ introducao
C++ introducao
 
String c++
String c++String c++
String c++
 
Estruturas de controle if/else switch PHP
Estruturas de controle if/else switch PHPEstruturas de controle if/else switch PHP
Estruturas de controle if/else switch PHP
 
Tomada de decisao - logica
Tomada de decisao - logicaTomada de decisao - logica
Tomada de decisao - logica
 
Estrutura de controle repetição C++
Estrutura de controle repetição C++Estrutura de controle repetição C++
Estrutura de controle repetição C++
 

Introdução a poo

  • 1. PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS POO Professor: José Maria Lehrback Filho Curso: Técnico em Informática Turno: Noturno Data: 16/02/2017
  • 2. Introdução a POO Classe e Objeto Método Herança Encapsulamento Abstração Polimorfismo Interface Coesão / Acoplamento
  • 6. Programação Orientada a Objetos? Objeto – Coisa material ou abstrata que pode ser percebida pelos sentidos e descrita por meio de suas características, comportamento E estado atual
  • 7. Programação Orientada a Objetos? Objeto – Coisa material ou abstrata que pode ser percebida pelos sentidos e descrita por meio de suas características, comportamento e estado atual.
  • 9. Programação Orientada a Objetos? Molde = Classe Caneta = Objeto
  • 10. Programação Orientada a Objetos? RESUMO POO é um paradigma de programação que usa "objetos" compostos por campos e métodos, justamente com suas interações - para projetar programas de computadores. http://en.wikipedia.org/wiki/Object-oriented_programming POO é uma forma especial de programar, mais próximo de como expressaríamos as coisas na vida real do que outros tipos de programação. http://www.criarweb.com/artigos/215.php POO é organizar o mundo real como uma coleção de objetos que incorporam estrutura de dados e um conjunto de operações que manipulam estes dados e trocam mensagens entre si. http://www.macoratti.net/oo_conc2.htm
  • 11. CLASSE Uma classe é uma estrutura que abstrai um conjunto de objetos com características similares. É como um projeto, a partir dela que criamos os objetos utilizados em nossos programas. http://en.wikipedia.org/wiki/Object-oriented_programming
  • 12. Classe: Atributos Os Atributos em Programação Orientada a Objetos são os elementos que definem a estrutura de uma classe, ou seja suas características. http://en.wikipedia.org/wiki/Object-oriented_programming
  • 13. Classe: Construtores Um construtor é uma estrutura especial da classe, um método, que tem como objetivo definir a configuração inicial de uma classe. É utilizado quando existem atributos da classe que são essenciais para o funcionamento do objeto, porém, são atributos de instância, e, assim, variam de acordo com cada objeto. http://www.webartz.com.br/php/php-orientado-a-objetos-conceitos-construtores-e- destrutores
  • 14. Classe: Destrutores Semelhante aos construtores, o destrutor também é uma estrutura, outro método, da classe, porém este é responsável por limpar a memória ou atributos utilizados na execução da classe. http://www.webartz.com.br/php/php-orientado-a-objetos-conceitos-construtores-e- destrutores
  • 15. Classe: Visibilidade Quem tem acesso à classe tem acesso também a qualquer membro com visibilidade public, é raro ter atributos públicos, mas é comum ter métodos públicos. http://www.dsc.ufcg.edu.br/~jacques/cursos/p2/html/oo/visibilidade.htm + Public O membro private não é acessível fora da classe, a intenção é que apenas quem escreve a classe possa usar esses membros. http://www.dsc.ufcg.edu.br/~jacques/cursos/p2/html/oo/visibilidade.htm - Private O membro protected é acessível à classe e a suas subclasses, a intenção é dar acesso aos programadores que estenderão sua classe. http://www.dsc.ufcg.edu.br/~jacques/cursos/p2/html/oo/visibilidade.htm # Protected
  • 16. Classe: Objeto Objetos são instâncias de classes. É através deles que (praticamente) todo o processamento ocorre em sistemas implementados com linguagens de programação orientadas a objetos. Programação orientada a objetos uma abordagem com Java. No paradigma de orientação a objetos, tudo pode ser potencialmente representado como um objeto. Sob o ponto de vista da programação orientada a objetos, um objeto não é muito diferente de uma variável normal. Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
  • 17. MÉTODO Um método é uma subrotina que é executada por um objeto ao receber uma mensagem. Os métodos determinam o comportamento dos objetos de uma classe. http://en.wikipedia.org/wiki/Object-oriented_programming
  • 18. Método: Assinatura Cada método é especificado por uma assinatura, composta por um identificador para o método (o nome do método), o tipo para o valor de retorno e sua lista de argumentos, sendo cada argumento identificado por seu tipo e nome. Programação orientada a objetos uma abordagem com Java. [modificador] tipo nome (argumentos) { corpo do método } Através do mecanismo de sobrecarga (overloading), dois métodos de uma classe podem ter o mesmo nome, desde que suas assinaturas de argumentos sejam diferentes. Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
  • 19. Método: Sobrecarga São métodos que tem o mesmo nome, mas com argumentos diferentes. http://www.devmedia.com.br/post-5124-Orientacao-a-objetos-parte-ll.html Lista de Argumentos diferentes Podem alterar o tipo de retorno Podem alterar o modificador de acesso Declarar exceções novas ou mais abrangentes Características
  • 20. Método: Mensagens Um programa orientado a objetos é composto por um conjunto de objetos que interagem através de “trocas de mensagens”. Na prática, essa troca de mensagem traduz-se na aplicação de métodos a objetos. Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
  • 21. Método: Estáticos Usualmente, métodos definidos em uma classe são aplicados a objetos daquela classe. Há no entanto situações nas quais um método pode fazer uso dos recursos de uma classe para realizar sua tarefa sem necessariamente estar associado a um objeto individualmente. Programação orientada a objetos uma abordagem com Java. Para lidar com tais situações, define os métodos da classe, cuja declaração deve conter o modificador static. Um método estático pode ser aplicado à classe e não necessariamente a um objeto. Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
  • 22. HERANÇA Herança é um mecanismo que permite que características comuns a diversas classes sejam fatoradas em uma classe base, ou superclasse. A partir de uma classe base, outras classes podem ser especificadas. Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
  • 23. Herança: Sobreposição A sobreposição refere-se à redefinição de métodos na hierarquia da herança, de forma que estes métodos implementam definições diferentes (mais especializadas) nos subtipos. http://arquiteturaemobilidade.blogspot.com/2008/07/conceitos-da-orientao-objetos- com-uml_08.html
  • 24. ENCAPSULAMENTO É o princípio pelo qual cada componente de um programa deve agregar toda a informação relevante para sua manipulação como uma unidade (uma cápsula). Aliado ao conceito de ocultamento de informação. Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
  • 25. ABSTRAÇÃO Abstração é o processo de extrair as características essenciais de um objeto real. A abstração é necessária para se ter um modelo fiel da realidade sobre a qual se possa operar. http://www.slideshare.net/danielrpgj30/curso-de-programao-orientada-a-objetos O conjunto de características resultante da abstração forma um tipo de dado abstrato com informações sobre seu estado e comportamento. http://www.slideshare.net/danielrpgj30/curso-de-programao-orientada-a-objetos
  • 26. POLIMORFISMO O polimorfismo permite que referências de tipos de classes mais abstratas representem o comportamento das classes concretas que referenciam. Assim, um mesmo método pode apresentar várias formas, de acordo com o seu contexto. http://www.slideshare.net/danielrpgj30/curso-de-programao-orientada-a-objetos
  • 27. INTERFACE É um conjunto de métodos que um objeto deve suportar, mas contendo apenas a especificação da funcionalidade que uma classe deve conter, sem determinar como essa funcionalidade deve ser implementadas. Programação orientada a objetos uma abordagem com Java.
  • 28. COESÃO / ACOPLAMENTO Acoplamento é o grau que uma classe depende, interage com outra classe. Coesão refere a finalidade que a classe foi criada. http://www.devmedia.com.br/post-5124-Orientacao-a-objetos-parte-ll.html Quanto menos uma classe depende da outra, menor o acoplamento, e maior a especialização dela, isso significa alta coesão. http://www.devmedia.com.br/post-5124-Orientacao-a-objetos-parte-ll.html

Notas do Editor

  1. Tudo é objeto
  2. Todas canetas tem o mesmo formato Em POO todas tem a mesma classificação (classe)
  3. Molde = classe Caneta = objeto