SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Endereçamento IPv6
John Rullan
Treinador de instrutores
certificado pela Cisco
Thomas A. Edison CTE HS
Stephen Lynch
Arquiteto de rede, CCIE #36243
Arquitetos de tecnologia ABS
• Formato hexadecimal de 128 bits (0-9, A-F)
• Utiliza os campos de número hexadecimais de 16 bits separados

por dois pontos (:)
• Cada 4 dígitos hexadecimais equivalem a 16 bits.
• Consiste em 8 sextetos/quartetos que equivalem a 16 bits por

sexteto.

2001:0DB8:0001:5270:0127:00AB:CAFE:0E1F /64
- 2001 em hexadecimal é o mesmo que 0010 0000 0000
0001 em binário

© 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Público da Cisco

2
• O Prefixo do site ou o prefixo de roteamento global constitui-

se dos primeiros 3 sextetos ou 48 bits do endereço. Ele é
determinado pelo provedor de serviços.
• A Topologia do site ou o ID da sub-rede é o quarto sexteto do

endereço.
• O ID da interface é composto pelos 4 últimos sextetos ou os

últimos 64 bits do endereço. Ele pode ser determinado
manualmente ou dinamicamente por meio do comando EUI-64
(identificador estendido exclusivo)
© 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Público da Cisco

3
• Os primeiros 3 bits são fixados em 001 ou 200::/12 (número

de roteamento global IANA)

• Os bits 16-24 identificam o registro regional:
- AfriNIC, APNIC, LACNIC, RIPE NCC and ARIN

2001:0000::/23 – IANA
2001:0200::/23 – APNIC (Região Ásia/Pacífico)

2001:0400::/23 – ARIN (Região da América do Norte)
2001:0600::/23 – RIPE (Europa, Oriente Médio e Ásia Central)
© 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Público da Cisco

4
• Os 8 bits restantes até o 32 identificam o ISP

• O terceiro sexteto representa o identificador do site ou cliente.

• O quarto sexteto representa a topologia do site ou o ID da sub-rede.
- Permite 65.536 sub-redes com 18,446,744,073,709,551,616
(18 quintilhões) para cada sub-rede.
- Não faz parte do endereço de host.

© 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Público da Cisco

5
• O ID da interface é composto pelos últimos 64-bits do endereço.
• Pode ser configurado manualmente ou dinamicamente usando o

EUI-64 (identificador estendido exclusivo).
• O comando EUI-64 usa o dispositivo de endereço MAC de 48 bits

e o converte para 64 bits adicionando FF:FE no meio do
endereço.
• O primeiro endereço (rede) e último (broadcast) podem ser

designados para uma interface. Uma interface pode conter mais
de um endereço IPv6.
• Não há endereços de broadcast; usa-se o multicast.
© 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Público da Cisco

6
• O IPv6 usa o mesmo método que o IPv4 para a criação de sub-

redes em seus endereços.
• /127 fornece 2 endereços.
• /124 fornece 16 endereços

• /120 fornece 256 endereços
• O primeiro endereço em uma rede é formado somente por zeros,

enquanto o último é formado somente por efes (F).
• Por razões de simplicidade e de design, recomenda-se a

utilização de /64 em todos os locais. Usar qualquer coisa menor
que /64 poderia possivelmente romper recursos de IPv6 e
aumentar a complexidade do projeto.

© 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Público da Cisco

7
• Zeros iniciais (0) em qualquer seção de 16 bits podem ser

omitidos.
Endereço antes da omissão:
2001:0DB8:0001:5270:0127:00AB:CAFE:0E1F /64
Endereço após a omissão:
2001:DB8:1:5270:127:AB:CAFE:E1F /64
• Essa regra se aplica somente a zeros iniciais; se zeros

posteriores forem omitidos, o endereço ficará vago.

© 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Público da Cisco

8
• Os dois pontos duplos ou os zeros de compactação podem ser usados para

encurtar um endereço IPv6 quando um ou mais sextetos são formados
exclusivamente por zeros.

• Os dois pontos duplos só podem ser usados para compactar blocos contínuos

de 16 bits. Você não pode utilizar dois pontos duplos para incluir parte de um
bloco.

• Os dois pontos duplos podem ser usados apenas uma vez em um endereço.

Mais do que isso e o endereço poderá se tornar ambíguo.

© 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Público da Cisco

9
• Endereço Unicast
•
•
•

•

Identifica exclusivamente uma única
interface em um dispositivo de IPv6.
Um pacote enviado para um
endereço unicast viaja de um host
para o host de destino.
Uma interface pode ter mais de um
endereço IPv6 ou um endereço
combinado de IPv6 e IPv4,
chamado de "Pilha Dupla".
Se ocorrerem erros na interface do
IPv6 ao inserir um endereço, o
usuário deve acionar o comando no
ipv6 address antes de digitar o
endereço correto, caso contrário o
endereço errado continuará
aparecendo na interface. (veja a
figura)

© 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Público da Cisco

10
• Endereço multicast
•

Um endereço multicast identifica um grupo de interfaces.

•

Todos os endereços multicast são identificados pela fileira de endereço FF00::0/8

•

Um pacote enviado para um endereço multicast é entregado a todos os dispositivos
identificáveis pelo endereço.
Protocolo
OSPF (Router)
OSPF (DR/BDR)
RIPv2
EIGRP

multicast IPv4
224,0.0,5
224,0.0,6
224,0.0,9
224,0.0,10

multicast IPv6
FF02::5
FF02::6
FF02::9
FF02::A

• Endereço anycast
•

Um endereço unicast pode ser designado para várias interfaces/dispositivos.

•

Um pacote enviado para um endereço de anycast vai apenas até o membro mais
próximos do grupo, de acordo com os protocolos de roteamento e medidas de
distância.

•

Anycast é descrita como uma mistura entre unicast e multicast.

•

A diferença entre anycast e multicast é que em anycast, o pacote é entregue a um
único dispositivo, enquanto que em multicast ele é enviado para vários dispositivos.

© 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Público da Cisco

11
Endereço local de link
•

Endereços locais de link são projetados para serem utilizados em um único local de
link.

•

Endereços locais de link são automaticamente configurados em todas as interfaces.

•

O prefixo usado por um endereço local de link é FE80::X/10.

•

Os roteadores não encaminham o pacote com endereço de destino e de origem que
contenham um endereço local de link.

Endereço de loopback
•

Função similar ao endereço de IPv4 127.0.0.1

•

O endereço de loopback é 0:0:0:0:0:0:0:1, mas pode ser simplificado usando dois
pontos duplos como ::1.

•

É usado por um dispositivo para enviar um pacote para si mesmo
Representação
De preferência
Sem zeros iniciais
Compactações

© 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Endereço de loopback IPv6
0000:0000:0000:0000:0000:0000:0000:0001
0:0:0:0:0:0:0:1
::1
Público da Cisco

12
• Endereço de 128 bits que contém

• Esquema de endereçamento de

o prefixo de roteamento global, ID
da sub-rede e o ID da interface.

32 bits que contém um host e
uma parte da rede.

• Utiliza um formato hexadecimal

• Utiliza um formato binário entre

que varia de 0-9 e de A-F.

0 e 1.

• Unidade máxima de transmissão

• Unidade máxima de

de até 1280 bytes.

transmissão de até 576 bytes.

• Endereços de rede e de

• Endereços de rede e de

broadcast podem ser designados
para uma interface ou para
dispositivo final.

broadcasts não podem ser
designados para uma interface
ou dispositivo final.

• Criptografia nativa de segurança

• As tecnologias de VPN devem

de IP

ser usadas para criptografar os
pacotes de IPv4.

© 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Público da Cisco

13
Obrigado.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Material de apoio comandos i os (1)
Material de apoio   comandos i os (1)Material de apoio   comandos i os (1)
Material de apoio comandos i os (1)
Alessandra Fonseca
 
Exploration lan switching_capítulo3
Exploration lan switching_capítulo3Exploration lan switching_capítulo3
Exploration lan switching_capítulo3
Vitor Albuquerque
 

Mais procurados (19)

Etherchannel
EtherchannelEtherchannel
Etherchannel
 
Material de apoio comandos i os (1)
Material de apoio   comandos i os (1)Material de apoio   comandos i os (1)
Material de apoio comandos i os (1)
 
Ospf
OspfOspf
Ospf
 
Camada de rede parte3
Camada de rede   parte3Camada de rede   parte3
Camada de rede parte3
 
Prática Laboratório CISCO - ACLs
Prática Laboratório CISCO - ACLsPrática Laboratório CISCO - ACLs
Prática Laboratório CISCO - ACLs
 
Configuração de Interface de Rede no Linux por comandos
Configuração de Interface de Rede no Linux por comandosConfiguração de Interface de Rede no Linux por comandos
Configuração de Interface de Rede no Linux por comandos
 
WANs e Roteadores Cap. 3 Configurando um Roteador - CCNA 3.1 Wellington Pinto...
WANs e Roteadores Cap. 3 Configurando um Roteador - CCNA 3.1 Wellington Pinto...WANs e Roteadores Cap. 3 Configurando um Roteador - CCNA 3.1 Wellington Pinto...
WANs e Roteadores Cap. 3 Configurando um Roteador - CCNA 3.1 Wellington Pinto...
 
Cisco ccna modulo 02
Cisco ccna modulo 02Cisco ccna modulo 02
Cisco ccna modulo 02
 
Camada de rede parte1
Camada de rede   parte1Camada de rede   parte1
Camada de rede parte1
 
Prática Laboratório CISCO - Balanceador
Prática Laboratório CISCO - BalanceadorPrática Laboratório CISCO - Balanceador
Prática Laboratório CISCO - Balanceador
 
WANs e Roteadores Cap. 1 - CCNA 3.1 Wellington Pinto de Oliveira
WANs e Roteadores Cap. 1 - CCNA 3.1 Wellington Pinto de OliveiraWANs e Roteadores Cap. 1 - CCNA 3.1 Wellington Pinto de Oliveira
WANs e Roteadores Cap. 1 - CCNA 3.1 Wellington Pinto de Oliveira
 
WANs e Roteadores Cap. 6 Roteamento e Protocolos de Roteamento - CCNA 3.1 Wel...
WANs e Roteadores Cap. 6 Roteamento e Protocolos de Roteamento - CCNA 3.1 Wel...WANs e Roteadores Cap. 6 Roteamento e Protocolos de Roteamento - CCNA 3.1 Wel...
WANs e Roteadores Cap. 6 Roteamento e Protocolos de Roteamento - CCNA 3.1 Wel...
 
Camada de rede parte2
Camada de rede   parte2Camada de rede   parte2
Camada de rede parte2
 
Vantagens da Nova Certificação Cisco
Vantagens da Nova Certificação CiscoVantagens da Nova Certificação Cisco
Vantagens da Nova Certificação Cisco
 
Prática Laboratório CISCO - NAT
Prática Laboratório CISCO - NATPrática Laboratório CISCO - NAT
Prática Laboratório CISCO - NAT
 
Lab 2.1 revisao_ccna
Lab 2.1 revisao_ccnaLab 2.1 revisao_ccna
Lab 2.1 revisao_ccna
 
Implementação de Redes com Alta Disponibilidade
Implementação de Redes com Alta DisponibilidadeImplementação de Redes com Alta Disponibilidade
Implementação de Redes com Alta Disponibilidade
 
Cisco Call Manager - Ambiente e Topologias
Cisco Call Manager - Ambiente e TopologiasCisco Call Manager - Ambiente e Topologias
Cisco Call Manager - Ambiente e Topologias
 
Exploration lan switching_capítulo3
Exploration lan switching_capítulo3Exploration lan switching_capítulo3
Exploration lan switching_capítulo3
 

Destaque (8)

Endereçamento ipv4 e ipv6-
 Endereçamento ipv4 e ipv6- Endereçamento ipv4 e ipv6-
Endereçamento ipv4 e ipv6-
 
Tópicos - Redes para Cluster de Alta Performance
Tópicos - Redes para Cluster de Alta PerformanceTópicos - Redes para Cluster de Alta Performance
Tópicos - Redes para Cluster de Alta Performance
 
Fhrp notes
Fhrp notesFhrp notes
Fhrp notes
 
Asterisk trunk
Asterisk trunkAsterisk trunk
Asterisk trunk
 
Gerenciamento de Infra-Estrutura - Aula 2 - Definições Utilizadas em Gerencia...
Gerenciamento de Infra-Estrutura - Aula 2 - Definições Utilizadas em Gerencia...Gerenciamento de Infra-Estrutura - Aula 2 - Definições Utilizadas em Gerencia...
Gerenciamento de Infra-Estrutura - Aula 2 - Definições Utilizadas em Gerencia...
 
UTFPR-inventario-patrimonio-laboratorio-e105
UTFPR-inventario-patrimonio-laboratorio-e105UTFPR-inventario-patrimonio-laboratorio-e105
UTFPR-inventario-patrimonio-laboratorio-e105
 
Alta Disponibilidade na Prática utilizando servidores Linux
Alta Disponibilidade na Prática utilizando servidores LinuxAlta Disponibilidade na Prática utilizando servidores Linux
Alta Disponibilidade na Prática utilizando servidores Linux
 
Cluster de Alta Disponibilidade em Linux
Cluster de Alta Disponibilidade em LinuxCluster de Alta Disponibilidade em Linux
Cluster de Alta Disponibilidade em Linux
 

Semelhante a Endereçamento IPv6

Redes - IPv6 Pratica
Redes - IPv6 PraticaRedes - IPv6 Pratica
Redes - IPv6 Pratica
Luiz Arthur
 
Capítulo 20 camada de rede - internet protocol
Capítulo 20   camada de rede - internet protocolCapítulo 20   camada de rede - internet protocol
Capítulo 20 camada de rede - internet protocol
Faculdade Mater Christi
 
Rct 17 - camada de rede - endereçamento ip
Rct   17 - camada de rede - endereçamento ipRct   17 - camada de rede - endereçamento ip
Rct 17 - camada de rede - endereçamento ip
Universal.org.mx
 

Semelhante a Endereçamento IPv6 (20)

I pv6
I pv6I pv6
I pv6
 
Protocolos - IPV6
Protocolos - IPV6Protocolos - IPV6
Protocolos - IPV6
 
Redes - IPv6 Pratica
Redes - IPv6 PraticaRedes - IPv6 Pratica
Redes - IPv6 Pratica
 
Redes sem FIO
Redes sem FIORedes sem FIO
Redes sem FIO
 
Redes - Enderecamento IP
Redes - Enderecamento IPRedes - Enderecamento IP
Redes - Enderecamento IP
 
IPv6
IPv6IPv6
IPv6
 
Diferenças entre IPV4 e IPV6
Diferenças entre IPV4 e IPV6Diferenças entre IPV4 e IPV6
Diferenças entre IPV4 e IPV6
 
Apresentação i pv6
Apresentação i pv6Apresentação i pv6
Apresentação i pv6
 
Conteúdo de IPV6
Conteúdo de IPV6Conteúdo de IPV6
Conteúdo de IPV6
 
Palestra IPv6 Estácio Parangaba - 10-05
Palestra IPv6 Estácio Parangaba - 10-05Palestra IPv6 Estácio Parangaba - 10-05
Palestra IPv6 Estácio Parangaba - 10-05
 
Modelo OSI - Camada de Rede
Modelo OSI - Camada de RedeModelo OSI - Camada de Rede
Modelo OSI - Camada de Rede
 
Capítulo 20 camada de rede - internet protocol
Capítulo 20   camada de rede - internet protocolCapítulo 20   camada de rede - internet protocol
Capítulo 20 camada de rede - internet protocol
 
Entenda e Aplique o IPv6
Entenda e Aplique o IPv6Entenda e Aplique o IPv6
Entenda e Aplique o IPv6
 
Osp fv3
Osp fv3Osp fv3
Osp fv3
 
Aula 5 - Serviços e protocolos da camada de rede e transporte (1).pptx
Aula 5 - Serviços e protocolos da camada de rede e transporte (1).pptxAula 5 - Serviços e protocolos da camada de rede e transporte (1).pptx
Aula 5 - Serviços e protocolos da camada de rede e transporte (1).pptx
 
Wireless - Aula 2
Wireless - Aula 2Wireless - Aula 2
Wireless - Aula 2
 
Aula 6 - Redes de Computadores A - Endereçamento IP
Aula 6 - Redes de Computadores A - Endereçamento IPAula 6 - Redes de Computadores A - Endereçamento IP
Aula 6 - Redes de Computadores A - Endereçamento IP
 
Debate sobre IPV6 - Portal IP News
Debate sobre IPV6 - Portal IP NewsDebate sobre IPV6 - Portal IP News
Debate sobre IPV6 - Portal IP News
 
Grupo Binário - IPV6
Grupo Binário - IPV6Grupo Binário - IPV6
Grupo Binário - IPV6
 
Rct 17 - camada de rede - endereçamento ip
Rct   17 - camada de rede - endereçamento ipRct   17 - camada de rede - endereçamento ip
Rct 17 - camada de rede - endereçamento ip
 

Mais de Vitor Albuquerque

Exploration lan switching_capítulo6
Exploration lan switching_capítulo6Exploration lan switching_capítulo6
Exploration lan switching_capítulo6
Vitor Albuquerque
 
Exploration lan switching_capítulo5
Exploration lan switching_capítulo5Exploration lan switching_capítulo5
Exploration lan switching_capítulo5
Vitor Albuquerque
 
Exploration lan switching_capítulo4
Exploration lan switching_capítulo4Exploration lan switching_capítulo4
Exploration lan switching_capítulo4
Vitor Albuquerque
 
Exploration lan switching_capítulo7
Exploration lan switching_capítulo7Exploration lan switching_capítulo7
Exploration lan switching_capítulo7
Vitor Albuquerque
 
Exploration lan switching_capítulo2
Exploration lan switching_capítulo2Exploration lan switching_capítulo2
Exploration lan switching_capítulo2
Vitor Albuquerque
 
Exploration lan switching_capítulo1
Exploration lan switching_capítulo1Exploration lan switching_capítulo1
Exploration lan switching_capítulo1
Vitor Albuquerque
 
Visão geral do ios 15 licenciamento e processo
Visão geral do ios 15 licenciamento e processoVisão geral do ios 15 licenciamento e processo
Visão geral do ios 15 licenciamento e processo
Vitor Albuquerque
 
Introdução aos comandos ios cli 15 licensing
Introdução aos comandos ios cli 15 licensingIntrodução aos comandos ios cli 15 licensing
Introdução aos comandos ios cli 15 licensing
Vitor Albuquerque
 
Introdução à série ios 15, numeração e sistemas de empacotamento de imagem
Introdução à série ios 15, numeração e sistemas de empacotamento de imagemIntrodução à série ios 15, numeração e sistemas de empacotamento de imagem
Introdução à série ios 15, numeração e sistemas de empacotamento de imagem
Vitor Albuquerque
 
Nbr 5410 instalações elétricas em bt
Nbr 5410   instalações elétricas em btNbr 5410   instalações elétricas em bt
Nbr 5410 instalações elétricas em bt
Vitor Albuquerque
 
Manual pc chips_m812_lmr-h_v5,0_traduzido
Manual pc chips_m812_lmr-h_v5,0_traduzidoManual pc chips_m812_lmr-h_v5,0_traduzido
Manual pc chips_m812_lmr-h_v5,0_traduzido
Vitor Albuquerque
 
Manual pc chips_m812_lmr-h_v5,0
Manual pc chips_m812_lmr-h_v5,0Manual pc chips_m812_lmr-h_v5,0
Manual pc chips_m812_lmr-h_v5,0
Vitor Albuquerque
 

Mais de Vitor Albuquerque (18)

Exploration lan switching_capítulo6
Exploration lan switching_capítulo6Exploration lan switching_capítulo6
Exploration lan switching_capítulo6
 
Exploration lan switching_capítulo5
Exploration lan switching_capítulo5Exploration lan switching_capítulo5
Exploration lan switching_capítulo5
 
Exploration lan switching_capítulo4
Exploration lan switching_capítulo4Exploration lan switching_capítulo4
Exploration lan switching_capítulo4
 
Exploration lan switching_capítulo7
Exploration lan switching_capítulo7Exploration lan switching_capítulo7
Exploration lan switching_capítulo7
 
Exploration lan switching_capítulo2
Exploration lan switching_capítulo2Exploration lan switching_capítulo2
Exploration lan switching_capítulo2
 
Exploration lan switching_capítulo1
Exploration lan switching_capítulo1Exploration lan switching_capítulo1
Exploration lan switching_capítulo1
 
Syslog e SNMP
Syslog e SNMPSyslog e SNMP
Syslog e SNMP
 
Visão geral do ios 15 licenciamento e processo
Visão geral do ios 15 licenciamento e processoVisão geral do ios 15 licenciamento e processo
Visão geral do ios 15 licenciamento e processo
 
Introdução aos comandos ios cli 15 licensing
Introdução aos comandos ios cli 15 licensingIntrodução aos comandos ios cli 15 licensing
Introdução aos comandos ios cli 15 licensing
 
Introdução à série ios 15, numeração e sistemas de empacotamento de imagem
Introdução à série ios 15, numeração e sistemas de empacotamento de imagemIntrodução à série ios 15, numeração e sistemas de empacotamento de imagem
Introdução à série ios 15, numeração e sistemas de empacotamento de imagem
 
Foca 1e2
Foca 1e2Foca 1e2
Foca 1e2
 
Nbr 5410 instalações elétricas em bt
Nbr 5410   instalações elétricas em btNbr 5410   instalações elétricas em bt
Nbr 5410 instalações elétricas em bt
 
Manual pc chips_m812_lmr-h_v5,0_traduzido
Manual pc chips_m812_lmr-h_v5,0_traduzidoManual pc chips_m812_lmr-h_v5,0_traduzido
Manual pc chips_m812_lmr-h_v5,0_traduzido
 
Manual pc chips_m812_lmr-h_v5,0
Manual pc chips_m812_lmr-h_v5,0Manual pc chips_m812_lmr-h_v5,0
Manual pc chips_m812_lmr-h_v5,0
 
Manual kronnus mih61 m d
Manual kronnus mih61 m dManual kronnus mih61 m d
Manual kronnus mih61 m d
 
P5ab 107
P5ab 107P5ab 107
P5ab 107
 
Cisco ccna modulo 04
Cisco ccna modulo 04Cisco ccna modulo 04
Cisco ccna modulo 04
 
Cisco ccna modulo 01
Cisco ccna modulo 01Cisco ccna modulo 01
Cisco ccna modulo 01
 

Último

Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Dirceu Resende
 

Último (6)

Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdfCertificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
Certificado - Data Analytics - CoderHouse.pdf
 
Concurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdf
Concurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdfConcurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdf
Concurso Caixa TI - Imersão Final - Rogério Araújo.pdf
 
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdfApresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
Apresentação Comercial VITAL DATA 2024.pdf
 
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
 
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfFrom_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
 
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
 

Endereçamento IPv6

  • 1. Endereçamento IPv6 John Rullan Treinador de instrutores certificado pela Cisco Thomas A. Edison CTE HS Stephen Lynch Arquiteto de rede, CCIE #36243 Arquitetos de tecnologia ABS
  • 2. • Formato hexadecimal de 128 bits (0-9, A-F) • Utiliza os campos de número hexadecimais de 16 bits separados por dois pontos (:) • Cada 4 dígitos hexadecimais equivalem a 16 bits. • Consiste em 8 sextetos/quartetos que equivalem a 16 bits por sexteto. 2001:0DB8:0001:5270:0127:00AB:CAFE:0E1F /64 - 2001 em hexadecimal é o mesmo que 0010 0000 0000 0001 em binário © 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Público da Cisco 2
  • 3. • O Prefixo do site ou o prefixo de roteamento global constitui- se dos primeiros 3 sextetos ou 48 bits do endereço. Ele é determinado pelo provedor de serviços. • A Topologia do site ou o ID da sub-rede é o quarto sexteto do endereço. • O ID da interface é composto pelos 4 últimos sextetos ou os últimos 64 bits do endereço. Ele pode ser determinado manualmente ou dinamicamente por meio do comando EUI-64 (identificador estendido exclusivo) © 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Público da Cisco 3
  • 4. • Os primeiros 3 bits são fixados em 001 ou 200::/12 (número de roteamento global IANA) • Os bits 16-24 identificam o registro regional: - AfriNIC, APNIC, LACNIC, RIPE NCC and ARIN 2001:0000::/23 – IANA 2001:0200::/23 – APNIC (Região Ásia/Pacífico) 2001:0400::/23 – ARIN (Região da América do Norte) 2001:0600::/23 – RIPE (Europa, Oriente Médio e Ásia Central) © 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Público da Cisco 4
  • 5. • Os 8 bits restantes até o 32 identificam o ISP • O terceiro sexteto representa o identificador do site ou cliente. • O quarto sexteto representa a topologia do site ou o ID da sub-rede. - Permite 65.536 sub-redes com 18,446,744,073,709,551,616 (18 quintilhões) para cada sub-rede. - Não faz parte do endereço de host. © 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Público da Cisco 5
  • 6. • O ID da interface é composto pelos últimos 64-bits do endereço. • Pode ser configurado manualmente ou dinamicamente usando o EUI-64 (identificador estendido exclusivo). • O comando EUI-64 usa o dispositivo de endereço MAC de 48 bits e o converte para 64 bits adicionando FF:FE no meio do endereço. • O primeiro endereço (rede) e último (broadcast) podem ser designados para uma interface. Uma interface pode conter mais de um endereço IPv6. • Não há endereços de broadcast; usa-se o multicast. © 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Público da Cisco 6
  • 7. • O IPv6 usa o mesmo método que o IPv4 para a criação de sub- redes em seus endereços. • /127 fornece 2 endereços. • /124 fornece 16 endereços • /120 fornece 256 endereços • O primeiro endereço em uma rede é formado somente por zeros, enquanto o último é formado somente por efes (F). • Por razões de simplicidade e de design, recomenda-se a utilização de /64 em todos os locais. Usar qualquer coisa menor que /64 poderia possivelmente romper recursos de IPv6 e aumentar a complexidade do projeto. © 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Público da Cisco 7
  • 8. • Zeros iniciais (0) em qualquer seção de 16 bits podem ser omitidos. Endereço antes da omissão: 2001:0DB8:0001:5270:0127:00AB:CAFE:0E1F /64 Endereço após a omissão: 2001:DB8:1:5270:127:AB:CAFE:E1F /64 • Essa regra se aplica somente a zeros iniciais; se zeros posteriores forem omitidos, o endereço ficará vago. © 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Público da Cisco 8
  • 9. • Os dois pontos duplos ou os zeros de compactação podem ser usados para encurtar um endereço IPv6 quando um ou mais sextetos são formados exclusivamente por zeros. • Os dois pontos duplos só podem ser usados para compactar blocos contínuos de 16 bits. Você não pode utilizar dois pontos duplos para incluir parte de um bloco. • Os dois pontos duplos podem ser usados apenas uma vez em um endereço. Mais do que isso e o endereço poderá se tornar ambíguo. © 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Público da Cisco 9
  • 10. • Endereço Unicast • • • • Identifica exclusivamente uma única interface em um dispositivo de IPv6. Um pacote enviado para um endereço unicast viaja de um host para o host de destino. Uma interface pode ter mais de um endereço IPv6 ou um endereço combinado de IPv6 e IPv4, chamado de "Pilha Dupla". Se ocorrerem erros na interface do IPv6 ao inserir um endereço, o usuário deve acionar o comando no ipv6 address antes de digitar o endereço correto, caso contrário o endereço errado continuará aparecendo na interface. (veja a figura) © 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Público da Cisco 10
  • 11. • Endereço multicast • Um endereço multicast identifica um grupo de interfaces. • Todos os endereços multicast são identificados pela fileira de endereço FF00::0/8 • Um pacote enviado para um endereço multicast é entregado a todos os dispositivos identificáveis pelo endereço. Protocolo OSPF (Router) OSPF (DR/BDR) RIPv2 EIGRP multicast IPv4 224,0.0,5 224,0.0,6 224,0.0,9 224,0.0,10 multicast IPv6 FF02::5 FF02::6 FF02::9 FF02::A • Endereço anycast • Um endereço unicast pode ser designado para várias interfaces/dispositivos. • Um pacote enviado para um endereço de anycast vai apenas até o membro mais próximos do grupo, de acordo com os protocolos de roteamento e medidas de distância. • Anycast é descrita como uma mistura entre unicast e multicast. • A diferença entre anycast e multicast é que em anycast, o pacote é entregue a um único dispositivo, enquanto que em multicast ele é enviado para vários dispositivos. © 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Público da Cisco 11
  • 12. Endereço local de link • Endereços locais de link são projetados para serem utilizados em um único local de link. • Endereços locais de link são automaticamente configurados em todas as interfaces. • O prefixo usado por um endereço local de link é FE80::X/10. • Os roteadores não encaminham o pacote com endereço de destino e de origem que contenham um endereço local de link. Endereço de loopback • Função similar ao endereço de IPv4 127.0.0.1 • O endereço de loopback é 0:0:0:0:0:0:0:1, mas pode ser simplificado usando dois pontos duplos como ::1. • É usado por um dispositivo para enviar um pacote para si mesmo Representação De preferência Sem zeros iniciais Compactações © 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Endereço de loopback IPv6 0000:0000:0000:0000:0000:0000:0000:0001 0:0:0:0:0:0:0:1 ::1 Público da Cisco 12
  • 13. • Endereço de 128 bits que contém • Esquema de endereçamento de o prefixo de roteamento global, ID da sub-rede e o ID da interface. 32 bits que contém um host e uma parte da rede. • Utiliza um formato hexadecimal • Utiliza um formato binário entre que varia de 0-9 e de A-F. 0 e 1. • Unidade máxima de transmissão • Unidade máxima de de até 1280 bytes. transmissão de até 576 bytes. • Endereços de rede e de • Endereços de rede e de broadcast podem ser designados para uma interface ou para dispositivo final. broadcasts não podem ser designados para uma interface ou dispositivo final. • Criptografia nativa de segurança • As tecnologias de VPN devem de IP ser usadas para criptografar os pacotes de IPv4. © 2013 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Público da Cisco 13