6718662 a-arte-do-johrei

7.644 visualizações

Publicada em

johrei

Publicada em: Espiritual
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.644
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
215
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

6718662 a-arte-do-johrei

  1. 1. ENSINAMENTOS DE MEISHU SAMA JOHREI NO WAZAA ARTE DO JOHREI Ed. Lux Oriens Revisado em maio de 2005
  2. 2. A Arte do Johrei ÍNDICEENSINAMENTOS DE .......................................................................................................... ........1MEISHU SAMA........................................................................................................ ....................1................................................................................................................................. ....................1JOHREI NO WAZA.................................................................................................................... ...1A ARTE DO JOHREI............................................................................................ ........................1ED. LUX ORIENS.................................................................................................................. .............1REVISADO EM MAIO DE 2005...................................................................................... .........................1ÍNDICE........................................................................................................................ .................2MEISHU SAMA, O SENHOR DA LUZ................................................................................ .........6PREFÁCIO......................................................................................................................... ........12ABRE-SE A PORTA DO MISTÉRIO....................................................................... ...................12SIGNIFICADO DE KENSHINJITSU............................................................................................. ...............14EU, MEISHU SAMA.......................................................................................................................... .14AO LEITOR...................................................................................................................... ..........16I - DOENÇAS E FRAGILIDADE DO EFEITO DOS REMÉDIOS................................................ 171 - DOENÇAS................................................................................................................................ ..17 O que é a doença?.......................................................................................17 Dissolução das toxinas.................................................................................192 - GRIPE............................................................................................................................. .........223 - INTENSIFICAÇÃO DO ESPÍRITO DO FOGO E FRAGILIDADE DO EFEITO DOS REMÉDIOS (05/02/1953)...................264 - COMENTÁRIOS DO TRADUTOR (PALESTRA PROFERIDA EM 24/07/99)................................................ .......27 4.1 - A intensificação do espírito do fogo......................................................27 4.2 - A canalização do Johrei........................................................................32 4.3 - A experiência do Johrei........................................................................33II - FRAGMENTOS DE PALESTRAS DE MEISHU SAMA....................................... .................35A ARTE DO JOHREI................................................................................................................ ..35UNIDADE I - JOHREI................................................................................................................. 351 - LEI DO JOHREI (JOHREI HO).......................................................................................... ...............352 - A FORÇA ESPIRITUAL DO JOHREI.............................................................................. .......................36UNIDADE II - SABEDORIA E PONTO FOCAL..................................................... ....................381 - TIESHOKAKU (SABEDORIA)...................................................................................... ......................382 - PONTO FOCAL................................................................................................... ........................383 - OBSERVAÇÃO DAS CIRCUNSTÂNCIAS................................................................................. ................404 - ALGUMAS SITUAÇÕES-PROBLEMAS E RESPOSTAS DE MEISHU SAMA................................................... .......41UNIDADE III – MICRÓBIOS E NUVENS ESPIRITUAIS.................................................... .......441 - SURGIMENTO DOS MICRÓBIOS.................................................................................................. .......442 - COMO SURGEM AS DOENÇAS................................................................................................... .......463 - COMO EXTINGUIR AS NUVENS ESPIRITUAIS?............................................................ ...........................48UNIDADE IV - ORDEM E PONTO FOCAL DO JOHREI..................................... ......................501 - COMO ENCONTRAR O PONTO FOCAL..................................................................................... ............502 - ORDEM A SEGUIR AO MINISTRAR JOHREI......................................................................... ..................51 2.1 - Centro da cabeça.................................................................................51 2.2 - Ombro...................................................................................................513 - IMPORTÂNCIA DO JOHREI NOS OMBROS............................................................................. ................52 3.1 - Em problemas de tuberculose, coração, pulmão e estômago.............52 3.2 - Em problemas do fígado, rins e pâncreas...........................................53 2
  3. 3. A Arte do Johrei 3.3 - Em problemas com a cabeça...............................................................534 - CONCLUSÕES....................................................................................................................... ......545 - EXCEÇÃO........................................................................................................................... .......546 - OUTRAS OBSERVAÇÕES..................................................................................... ...........................547 - CONCLUSÕES GERAIS........................................................................................................... ........56UNIDADE V - A PRÁTICA DO JOHREI............................................................................... ......571- AUMENTO DO ESPÍRITO DO FOGO E A PRÁTICA DO JOHREI.................................................................... ...572 - CONSEQÜÊNCIAS DO EMPREGO DA FORÇA AO MINISTRAR JOHREI..................................................... ........58 2.1 - Efeito contrário.....................................................................................58 2.2 - Interrupção da Luz...............................................................................583 - EFICÁCIA DO JOHREI................................................................................................................. ...584 - OUTRAS LIÇÕES SOBRE A PRÁTICA DO JOHREI.......................................................................... ..........59 4.1 - Rigidez dos ombros..............................................................................59 4.2 - A prática do Autojohrei..........................................................................59 4.3 - Conservar o apetite..............................................................................59 4.4 - Cuidados com nuca e costas...............................................................60 4.5 - Eliminação de toxinas..........................................................................60 4.6 - O aumento da encefalite entre os japoneses......................................60 4.7 - Cegueira e surdez................................................................................61 4.8 - Problemas estomacais.........................................................................61 4.9 - Gagueira ( = tartamudez).....................................................................62 4.10 - Problemas nas pernas e coxas..........................................................62 4.11 - Miopia e tracoma................................................................................62 4.12 - Zumbido nos ouvidos e timpanite......................................................63 4.13 - Febre na parte frontal da cabeça.......................................................63UNIDADE VI - KAMPOO - O PERIGO DAS ERVAS MEDICINAIS...........................................671 - CONCEITO E ORIGEM DA PALAVRA......................................................................................... ...........672 - EFEITOS PERNICIOSOS DO KAMPOO.............................................................................. ...................673 - O VÍCIO DO CHÁ GUENNOSHOKO.................................................................................................. ...684 - KAMPOO E LONGEVIDADE...................................................................................... ........................685 - DANOS FUTUROS.............................................................................................. ..........................696 - A VERDADEIRA SAÚDE............................................................................................................... ....707 - ATITUDE CORRETA....................................................................................................... ................708 - GRANDE PERIGO DO USO DO KAMPOO............................................................................................ ..709 - CONCLUSÃO........................................................................................................ ......................71UNIDADE VII - DOENÇAS MENTAIS................................................................................ ........731 - A CAUSA DAS DOENÇAS MENTAIS.................................................................................. ...................73 1.1 - O choque como um fator agravante.....................................................75 1.2 - A doença mental nos Estados Unidos..................................................75 1.3 - Conclusões...........................................................................................762 - DOENÇAS MENTAIS E JOHREI............................................................................... ..........................76UNIDADE VIII - TOXINAS...................................................................................................... ....801 - FUNÇÃO DA CABEÇA E TOXINAS...................................................................................................... .80 1.1 - Tipos de toxinas....................................................................................80 1.2 - Causas da falta de ar...........................................................................80 1.3 - Agilidade...............................................................................................80 1.4 - Lentidão................................................................................................81 1.5 - Importância da parte frontal da cabeça da mulher..............................82 1.6 - Importância dos ombros.......................................................................832 - ACÚMULO DE TOXINAS E SEU PROCESSO DE ELIMINAÇÃO....................................................................... .83 2.1 - Toxinas localizadas na cabeça, ombros e pescoço.............................83 3
  4. 4. A Arte do Johrei 2.2 - Toxinas localizadas nos quadris e pernas............................................84 2.3 - Outras observações.............................................................................85 2.4 - Conclusões gerais................................................................................86UNIDADE IX - INTOXICAÇÃO POR COSMÉTICOS.......................................................... .......881 - EFEITO DOS COSMÉTICOS.................................................................................................... ..........882 - O PERIGO DOS PRODUTOS PARA CABELO............................................................................... ............893 - MAQUIAGEM, UMA SUPERSTIÇÃO............................................................................... ......................904 - O TEMPO PERDIDO COM MAQUIAGEM É UM TIPO DE APEGO................................................................ .....905 - A BELEZA FEMININA NA NOVA ERA................................................................................................... 916 - JOHREI COMO MEIO DE EMBELEZAMENTO DO SER HUMANO.............................................. .......................92UNIDADE X - MEDICINA DIVINA...................................................................................... ........941 - IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DA MEDICINA DIVINA............................................................... ............94 1.1 - Missão do Mamehito (Homem verdadeiro)..........................................94 1.2 - Necessidade de compreensão correta dos Ensinamentos.................95 1.3 - Difusão dos Ensinamentos...................................................................95 1.4 - Aceitação da Agricultura da Grande Natureza.....................................96 1.5 - O Plano de Deus..................................................................................96 1.6 - Urgência na formação de eficientes ministrantes de Johrei................97 1.7 - Qualificação espiritual..........................................................................98UNIDADE XI - JOHREI E FORÇA HUMANA................................................... .......................1001 - PRINCÍPIOS BÁSICOS......................................................................................... ........................100 1.1 - Primeiro princípio: retirar a força do corpo.........................................100 1.2 - Segundo princípio: a luz deve ultrapassar o corpo do paciente........101 1.3 - Terceiro princípio: palma da mão parada e relaxada.........................101 1.4 - Quarto princípio: duração do Johrei...................................................102UNIDADE XII - JOHREI E ORDEM............................................................. ............................103UNIDADE XIII - ESCLARECIMENTO DE DÚVIDAS.................................................. .............1061 - COMO TIRAR A FORÇA DO BRAÇO E IRRADIAR A LUZ DIRETAMENTE PARA O LOCAL DA ENFERMIDADE................1062 - POSIÇÃO DO BRAÇO............................................................................................................... ....1063 - DISTÂNCIA........................................................................................................................... ....1074 - POSIÇÃO DOS DEDOS DA MÃO............................................................................ ..........................1075 - PEQUENAS TOXINAS........................................................................................................ ...........1086 - POSIÇÃO DE QUEM RECEBE JOHREI.......................................................................... .....................1087 - MÃO DE MAIOR POTÊNCIA PARA IRRADIAÇÃO DA LUZ................................................... .......................1088 - UM SÓ MINISTRANTE?............................................................................................. ...................1099 - MANEIRA CORRETA DE RECEBER JOHREI......................................................................... ................10910 - COMO DESCOBRIR O PONTO FOCAL?.................................................................................. ..........10911- PREDISPOSIÇÃO PARA A DOENÇA......................................................................... .........................11012 - INFLUÊNCIA DA HEREDITARIEDADE......................................................................................... ........11113 - JOHREI PARA ANIMAIS..................................................................................... ..........................11114 - JOHREI NOS HOSPITAIS........................................................................................................... ...11215 - TOQUE EM CADÁVERES......................................................................................... ....................11216 - ATITUDE ESPIRITUAL AO MINISTRAR JOHREI............................................................. .......................11317 - INFORMAÇÕES SOBRE TRATAMENTOS ANTERIORMENTE FEITOS.................................................. ............11318 - CALOR NA PALMA DA MÃO AO MINISTRAR JOHREI.............................................................. ...............11519 - SENSAÇÃO DAS MÁCULAS DO OUTRO......................................................................... ...................11520 – BOCEJOS................................................................................................. ............................11621- AMATSU NORITO E JOHREI................................................................................... ......................11722 - MANIFESTAÇÃO DE ESPÍRITOS................................................................................... ..................11723 - ORAÇÃO E JOHREI AO MESMO TEMPO..................................................................................... ......11824 - INVOCAÇÃO A KAKURIYO-NO-OOKAMI............................................................................ ...............118UNIDADE XIV - SUPERSTIÇÃO DOS MEDICAMENTOS......................................................119 4
  5. 5. A Arte do Johrei1- O FUTURO DA MEDICINA SOB O PONTO DE VISTA DE DEUS CRIADOR........................................................ 1192 - MINHA EXPERIÊNCIA NA RELIGIÃO OOMOTO........................................................................... ...........1193 - PERDA DO EFEITO DOS REMÉDIOS...................................................................... ...........................1204 - AUMENTO DAS DOENÇAS PERNICIOSAS.......................................................................... ..................1205 - O FUTURO DO MÉDICO E DOS REMÉDIOS................................................................... ......................1216 - REAÇÃO CONTRÁRIA......................................................................................... .........................1237 - O VÍCIO DO REMÉDIO......................................................................................... ........................1248 - DURAÇÃO DO EFEITO DOS REMÉDIOS....................................................................................... .......125UNIDADE XV - MEDICINA ATUAL É CIÊNCIA? (25/09/1953)...............................................1271- REMÉDIO CONSIDERADO COMO ALIMENTO................................................................... ......................1272 - AÇÃO DO REMÉDIO ASSEMELHA-SE À DA DROGA................................................................. ...............1273 - VARIEDADE DE REMÉDIOS................................................................................................... .........1294 - CONTAMINAÇÃO POR TOXINAS................................................................................................. ......1295 – MICRÓBIOS..................................................................................................................... ........1306 - DIMINUIÇÃO DA VITALIDADE HUMANA................................................................................. ..............1317 - VIDA DO MICRÓBIO............................................................................................. .......................1338 - FALTA DE LÓGICA NAS AVALIAÇÕES MÉDICAS...................................................................... ...............1349 - A POUCA EFICÁCIA DOS REMÉDIOS.............................................................................. ...................13510 - BCG NÃO CONSEGUE SOLIDIFICAR................................................................................. .............13611- BCG PODE CAUSAR PURIFICAÇÃO DA TUBERCULOSE......................................................... ................13612 - INTOXICAÇÃO POR COSMÉTICOS................................................................................................ ...137III - COMENTÁRIOS GERAIS DO TRADUTOR................................................ ......................139TOXINAS E SUAS CONSEQÜÊNCIAS................................................................................ ...1391 - A TOXINA NA VISÃO DE MEISHU SAMA.............................................................................. ..............1392 - O CAMINHO PERCORRIDO PELA TOXINA (TOXIVIA)............................................................... ...............1393 - A LUTA ENTRE O ORGANISMO E AS TOXINAS............................................................................... .......1404 - O VERDADEIRO CONCEITO DE DOENÇA............................................................................... .............140TOXIVIA.................................................................................................................... ...............143IV - SALMOS DE MEISHU SAMA........................................................................... ................1501 - BYOKI.................................................................................................................... ................1502 - KUSURI.......................................................................................................... ........................1503 - IGAKU NO AYAMARI................................................................................................................. ....1514 - IGAKU KAKUMEI................................................................................................................ .........1525 - JOHREI.......................................................................................................................... .........1536 - CHOSEI............................................................................................................... ...................1547 - JOHREI NO TIKARA................................................................................................... .................1548 - HINO SEREI.................................................................................................. ..........................1559 - TAIYO NO KOKUTEN......................................................................................... ..........................156A MÃO QUE ELIMINA O SOFRIMENTO DO MUNDO.................................................. ..........158POSSÍVEIS REAÇÕES AO RECEBER JOHREI................................................................... ..159GLOSSÁRIO................................................................................................................... .........160 5
  6. 6. A Arte do Johrei MEISHU SAMA, O SENHOR DA LUZ Divinal Senhor, fulgurante Sol que ilumina o mundo, guiandoo homem na trilha da felicidade. O Kototama verdadeiro de Meishu Sama expressa a puraessência do verbo de Deus Criador. Da Nova Era insigne construtor. Prontas já deixou as colunasmestras do Reino do Céu na Terra. Sublime vida de amor dedicada às criaturas! Não Oconheceu, porém, a grande maioria. Quando escreveu Ohikari, intensa e inefável Luz semanifestou. Nova vida a todos mostrou. Meishu Sama (o Senhor da Luz, em japonês) nasceu no dia23 de dezembro de 1882 em Tóquio, capital do Japão, num bairrochamado Hashiba. Tanto a data quanto o local de Seu nascimento estão, doponto de vista espiritual, estritamente relacionados à missão quedeveria desempenhar durante a sua vida terrena, como propagadorda Luz do Oriente, através da divulgação dos SagradosEnsinamentos que lhe foram revelados por Deus, visando àsalvação da humanidade. Por ter nascido num dos bairros mais orientais de Tóquio,cidade também situada bem ao Leste do Japão, o país do SolNascente, que, por sua vez, está localizado no extremo Oriente doGlobo Terrestre, já é um sinal de que seria o precursor dasmudanças da Noite para o Dia. Tal transformação ocorrerá quando,após o milenar reinado das trevas, a Luz de uma Nova Eradespontar no horizonte. Por outro lado, é também em 23 de 6
  7. 7. A Arte do Johreidezembro que, no hemisfério norte, os dias começam a ficar maislongos do que as noites, e a Luz ganha terreno sobre as trevas. São, portanto, todos esses dados altamente significativos navida de um menino simples que, ao nascer, recebeu o nome MokitiOkada, e para quem estava destinada a missão de tornar-se oSenhor da fonte inesgotável de Luz da Era do Dia, semelhante aoSol no mundo material. Revestido de tamanho poder, concretizou aestrutura do Reino do Céu na Terra, estabelecendo as colunasmestras que estão sintetizadas nos seus Ensinamentos. Sãoprincípios resultantes de suas experiências sobre Agricultura daGrande Natureza, Johrei como meio de eliminar doenças e demaissofrimentos e criar felicidade; e também sobre a sua maneira deinterpretar a missão da Arte, segundo a qual a expressão daverdadeira beleza contribui para a elevação espiritual de quem aaprecia. Tão preciosos conceitos é que vão despertar a consciênciadivina no homem, permitindo-lhe criar, em comunhão com Deus,uma nova civilização. Até 1920, Meishu Sama foi um homem comum, dotado,contudo, de grande inteligência, profunda nobreza de atitudes,enorme senso de justiça, incomparável sensibilidade artística egrande amor à humanidade. Durante algum tempo, dedicou-setambém a atividades comerciais, com o objetivo de conseguir osrecursos necessários para fundar um jornal, visando à defesa dascausas sociais. Em um dia de dezembro de 1926, à meia-noite, MeishuSama começou a receber as primeiras revelações, através dasquais descobriu o grande Plano Divino para eliminar do mundotodos os infortúnios, tais como doenças, pobreza e conflitos. Aomesmo tempo, tomou conhecimento de que ele fora o escolhidopelo Criador para construir, na Terra, o Reino do Céu. No início, Meishu Sama ficou em dúvida a respeito de tantase tão extraordinárias revelações. Não aceitava que ele, um simples 7
  8. 8. A Arte do Johreimortal, pudesse ter sido incumbido de tamanha missão. Pouco apouco, porém, ocorrências misteriosas à sua volta o fizeram aceitara verdade dos fatos sem contestação. Assim, na década de 30, jácom 45 anos, era um grande Mestre, com o grau de Kenshinjitsu(sabedoria que transcende o tempo e o espaço) que lhe permitianão só enxergar o presente, o passado e o futuro da humanidade,mas também ter a possibilidade de, já revestido de todo esse poder,trabalhar concomitantemente nos Mundos Material e Divino. Foi assim que, na madrugada de 15 de junho de 1931,Meishu Sama, acompanhado de um pequeno grupo de discípulos,subiu ao Monte Nokoguiri para aguardar o nascer do Sol e fazeroração. Aí, ao alvorecer, recebeu a extraordinária revelação de quese aproximava a Era do Dia, marco inicial de uma nova civilização.Dias mais tarde, instalou-se em seu ventre uma "Bola de Luz",conhecida em sânscrito como Cintamani e em japonês como Nyoi-Hoshu, sendo Hoshu = Cinta, termos que, em português,correspondem à palavra bola; Nyoi = Mani, cujo significado é "forçacapaz de realizar todas as vontades". Durante a Era da Noite, essa "Bola" permaneceu sob odomínio do Dragão. No momento em que a Aurora começou adespontar, Meishu Sama a recebeu e passou a usufruir de umpoder capaz de concretizar a estrutura do Reino do Céu na Terra,oferecendo, assim, aos homens, meios concretos para criarem ummundo de Verdade, Virtude e Beleza. A partir de então, tornou-seum manancial inesgotável da Luz Divina que brilha, a cada dia, commais intensidade. Investido, então, de um poder ilimitado, passou a dedicar-seem tempo integral à salvação da humanidade. Nos primeiros tempos, quando Meishu Sarna começou acurar doenças através do Johrei, a Era do Dia estava apenas no 8
  9. 9. A Arte do Johreiinício e a Luz Divina estava ainda bastante fraca; por essa razão,somente Ele era capaz de canalizá-la e, assim mesmo,empregando força física por meio de massagens, feitas com aponta dos dedos, em determinadas partes do corpo. Também nessa época, Meishu Sarna adquiriu a firmeconvicção de que o Johrei resolveria todos os problemas dahumanidade. Imbuído de tamanha certeza, começou a divulgaressa verdade, tendo, como suporte, a própria experiência resultantede suas pesquisas e observações. Procurou, então, uma forma deoutorgar para toda a humanidade a Luz que estava nele. Foi assimque descobriu ser possível fixá-la em papel, através da letra. A partirdaí, escrevia diariamente a palavra Hikari (Luz). Depois de prontosdez pacotes, cada um com cinqüenta escritos, Meishu Sama seconcentrava durante cinco minutos, para impregná-los com a Luzde Deus, centralizando, assim, em cada um dos ohikari, toda aforça oriunda de sua "Bola de Fogo". Dessa forma, começou aconceder aos seus seguidores (mamehito) permissão para canalizarJohrei. Desde então, todos os mamehito passaram a ministrá-lo,inicialmente a familiares e amigos, com resultados surpreendentes. Nesse mesmo ano ainda (1935) Meishu Sama fundou aprimeira Igreja, mas logo foi obrigado a fechá-la. Por imposição doregime militar, não havia liberdade de crença. Daí, as autoridadesjaponesas ordenarem-lhe que não misturasse ensinamentosreligiosos com trabalho de cura. Impuseram-lhe a escolha entre umou outro. Optou, então, pela cura. Nos dez anos seguintes, dedicou-se somente à salvaçãodaqueles que vinham procurá-lo, empregando a Luz Divina como sefosse um tratamento, visando apenas à cura física. Mesmo assim,as pessoas que se aproximavam dele sentiam intensamente apresença de Deus; por isso retornavam e o indicavam a outras.Dessa forma, o número de seus seguidores ia aumentando. 9
  10. 10. A Arte do Johrei Foi somente após a Segunda Guerra Mundial que aliberdade de culto passou a ser garantida pela Constituiçãojaponesa. Meishu Sama pôde, então, dedicar-se livremente à suamissão. Nessa época, centenas de mamehito o assistiam notrabalho do Johrei; o número de freqüentadores aumentava cadavez mais. Uma organização religiosa formal foi estabelecida em1947, com oito igrejas filiais espalhadas pelo país. Em 1950,recebeu o nome de Sekai Meshya Kyo (Doutrina do Messias para oMundo). O número de templos passou para oitenta, com algumascentenas de Casas de Difusão. Quando Meishu Sama passou para o Mundo Divino, em 10de fevereiro de 1955, aos 72 anos, já contava com mais de 150 milseguidores no Japão. Em menos de dez anos, conseguiu organizara Igreja, formar Ministros, escrever os Ensinamentos e edificar ummuseu com valiosíssimas coleções de obras de arte orientais. É de se notar ainda que todos os grandes mestres dopassado também realizaram milagres e curaram doentes. Nenhumdeles, porém, legou tal poder a todos os seus seguidores. Já o fimda vida terrena de Meishu Sama não interrompeu a canalização doJohrei. Pelo contrário. Como ele mesmo previa, a "Bola de Fogo"que possuía, uma vez liberta das limitações do corpo físico,aumentou ainda mais, permitindo a todos os mamehito efetuarcuras prodigiosas. À medida que o tempo passa, as profecias de Meishu Sarnavão-se confirmando. A contaminação dos alimentos por agrotóxicos,o aumento dos índices mundiais de criminalidade, resultante daobnubilação do corpo espiritual pelas máculas, o agravamento dasenfermidades existentes e o surgimento de novas e terríveismoléstias - muitas delas causadas pelos próprios medicamentosutilizados pela moderna ciência médica - são hoje fatosincontestáveis. 10
  11. 11. A Arte do Johrei Nada, pois, a não ser o poder da Luz, poderá livrar ahumanidade de tantos infortúnios. Minoru Nakahashi 11
  12. 12. A Arte do Johrei PREFÁCIO ABRE-SE A PORTA DO MISTÉRIO O caminho da maioria dos preceitos que prego não foipisado pelos meus antecessores. Por essa razão, eu acho quemuitas pessoas questionam, no bom sentido, a sua veracidade.Quero, por isso, dar algumas explicações para torná-los bem claros. Constantemente estou falando sobre a construção do Reinodo Céu na Terra. Não é, porém, invenção minha. É revelação doCriador. Como o tempo já está chegando, Deus me mostrou o Seuplano para estabelecer na Terra o Reino do Céu, bem como osfundamentos e as condições para concretizá-lo. Ao mesmo tempo,outorgou-me um poder especial para que eu pudesse atingir esseobjetivo. Uma das manifestações do auxílio divino, que me foiconcedido, são os meus Ensinamentos, através dos quais todospoderão descobrir a verdade sobre o universo e a vida. Esse conhecimento reflete a minha sensibilidade espiritualpela qual pude compreender princípios ocultos por longo tempopela coluna negra da escuridão do Mundo da Noite. Agora é chegado o momento de serem mostrados todos osmistérios, toda a verdade ainda obscura ou coberta de névoa. Evidentemente que, antes desta época, foi impossívelenxergar nitidamente, pois as trevas imperavam. Nem mesmo a luzda Lua permitia uma visão clara da realidade. Até o presente, o mundo foi caracterizado por esse aspectode incerteza, de nebulosidade. A partir, porém, da metade do ano de 12
  13. 13. A Arte do Johrei1931, teve início o período da Aurora em que, lentamente, o Sol vaise levantando e determinando a entrada da Era do Dia. Agora, então, está chegando o Mundo da Luz e o Reino doCéu, aos poucos, se concretizará na Terra. Com o início dessas transformações, todos os segredos douniverso, os males sociais, as questões obscuras começam a serdesvendadas pela Luz; quer dizer, o nebuloso torna-setransparente. É chegado o tempo em que não mais existirá um lugar ondeo Mal possa permanecer oculto. Como esse infortúnio representa a essência da causa dasdoenças, pobreza e conflitos, não é estranho que, após suaexpulsão, apareça um mundo de felicidade, isento desses trêsgrandes males. Dentre esses sofrimentos, o mais terrível é a doença, queabala a estabilidade da vida. Agora, porém, com o esclarecimentoda causa das moléstias, surgirá uma situação de plenatranqüilidade, em que o ser humano viverá completamente feliz. Até os dias de hoje, foi impossível para a humanidade tocar,através das religiões, filosofias, educação ou ideologias, o âmagodos problemas causados pelo Mal. Para alcançar essa capacidade de entendimento, osiluminados precisam atingir o estado de Kenshinjitsu (sabedoria quetranscende o tempo e o espaço). Sakiamuni, o fundador do Budismo, diz ter chegado ao graude Kenshinjitsu aos 72 anos. Foi quando pôde saber sobre a épocada extinção do Budismo e do nascimento de Miroku (Maitréia). 13
  14. 14. A Arte do Johrei Nichiren, (monge e profeta Budista do século XIII) afirma queconquistou esse mesmo nível (Kenshinjitsu) com pouco mais de 50anos. Foi nessa época que lhe ficou claro o aparecimento deBodissatwa Jooguiyo (Miroku) após 650 anos de sua morte, quandochegaria o Mundo de Guinoo (Mundo de Miroku). Embora Jesus nunca tenha se referido ao estado deKenshinjitsu, é possível deduzir que ele atingiu esse nível pelassuas profecias sobre a aproximação do Reino do Céu na Terra e asegunda vinda de Cristo. Pode-se imaginar, também, que muitos dos homens santosque apareceram neste mundo devam ter vivido próximos a essenível.Significado de Kenshinjitsu Para que a noção sobre o conceito de Kenshinjitsu fique bemclara, vou dar uma explicação bastante simples. O grau de Kenshinjitsu pode ser comparado a alguém quealcançou o cume de uma pirâmide. Estando nessa altura máxima, apessoa é capaz de olhar para todas as direções e conseguir umavisão ampla e total do conjunto. Assim, então, quanto mais alta for apirâmide, maior será a extensão observada.Eu, Meishu Sama Agora, acho que devo falar também sobre mim. Atingi oKenshinjitsu aos 45 anos. Quando alcancei esse estado, conseguiver claramente o passado, o presente e o futuro de todas as coisas.É óbvio que me foram esclarecidos todos os erros anteriores e, aomesmo tempo, fiquei sabendo como seria o mundo do futuro.Consegui enxergar nitidamente como a humanidade vai viver. 14
  15. 15. A Arte do Johrei Entretanto, não posso ainda transmitir em detalhes tudo oque sei, porque Daiba (dewa, satã) ainda continua atrapalhando oplano de Deus. Por conseguinte, sou obrigado a anunciar a verdadeaté certo limite. Daí a razão de eu sentir certa dificuldade paraesclarecê-la profundamente. Mesmo assim, o que já escrevi é bemdiferente, se comparado ao que pregaram os meus antecessores. Acredito, por isso, que, ao lerem atentamente os meusEnsinamentos, todos poderão perceber que os preceitos nelesexpressos já estão bem mais claros e transparentes se comparadosaos dos meus predecessores. Na verdade, já foi aberta a porta domistério. Meishu Sama 30 de janeiro de 1950 15
  16. 16. A Arte do Johrei AO LEITOR O mundo está vivendo atualmente um período de grandesconturbações. Guerras, lutas, incompreensões, desarmonia. Paracompletar, inúmeras doenças estranhas, sem quase nenhumachance de cura, estão afetando a saúde da humanidade, gerandosofrimentos intermináveis. Diante de tal realidade, é grande o número de pessoas quebuscam desesperadamente uma alternativa de salvação. Foi, então, com base nessa realidade que resolvemos lançareste livro sobre a Arte do Johrei, esta dádiva divina, o único "portoseguro" ao qual o ser humano pode se dirigir na certeza de queencontrará recursos para entender a causa de todas as desgraçasque o afligem. O Johrei é, na verdade, um dos pontos fundamentais dosEnsinamentos revelados por Deus a Meishu Sama. Constitui overdadeiro método pelo qual todas as pessoas poderão solucionarproblemas relativos a doenças, misérias e conflitos. Desejando, do fundo do coração, que este livro seja umafonte de Luz para cada leitor em particular, tivemos o máximocuidado de, ao traduzi-lo, manter, o mais fiel possível, a idéiaoriginal do nosso Grande Mestre. Temos, inclusive, certeza de que, embora, no momentomuitos não concordem com o que esta obra propõe, especialmentesobre doença, num futuro próximo, tais conceitos passarão a sercompreendidos e respeitados, porque retratam uma verdaderevelada pelo Criador. Recomendamos, pois, que o leiam com espírito crítico,meditem sobre os Ensinamentos nele expostos e, a seguir, tentemcolocá-los em prática, ficando atentos aos resultados. O tradutor 16
  17. 17. A Arte do Johrei I - DOENÇAS E FRAGILIDADE DO EFEITO DOS REMÉDIOS1 - DoençasO que é a doença? É um processo de eliminação das toxinas do organismo. Quando não existem impurezas no corpo, a circulaçãosangüínea permanece normal e as pessoas usufruem de saúdevigorosa. Podem exercer suas atividades tranqüilamente, sempassarem pelo infortúnio das doenças. E o que se entende por toxinas? Na sua essência, são o resultado da ação de medicamentosintroduzidos no organismo, os quais se deterioram, intoxicam osangue ou se transformam em pus. Então, já que produzem doenças, por que o homem utilizaremédios? A razão é a seguinte: em épocas bem primitivas, quando apopulação humana começou a aumentar, os recursos de nutriçãoforam tornando-se mais escassos. Em conseqüência disso, oshomens procuravam alimentos por toda a parte. E comiam tudo oque encontravam, tanto nas montanhas como em vales e rios. Porexemplo: grãos, frutos silvestres, insetos, conchas, pequenospeixes. Uma vez que os métodos de pesca e agricultura eramprimitivamente muito rudimentares, os homens não possuíamtécnicas específicas para escolher os alimentos adequados aocorpo humano. Então comiam de tudo, preocupados apenas emsaciar a fome; por isso, freqüentemente se intoxicavam. E, aosofrimento decorrente de tais abusos, chamaram doença. Para se 17
  18. 18. A Arte do Johreilivrarem desse infortúnio que lhes causava dores, mal-estares eoutros problemas, experimentaram raízes e cascas de árvores. Aodescobrirem, por acaso, que algumas plantas atenuavam asperturbações orgânicas, os homens, agradecidos, deram-lhes onome de remédios. Houve, inclusive, alguns que se notabilizaram comodescobridores de medicamentos. Entre eles, pode ser citadoNanko-shi, que viveu na China, no período da dinastia Han (206 a.C- 220 d.C). Também conhecido pelo nome de Shin-no, foi o iniciadordo Kampoo, um tipo de medicina chinesa à base de plantas. Naturalmente que dores e mal-estares, os quaisacompanham uma intoxicação alimentar, fazem parte do processode purificação. E, se os remédios aliviam essas indisposições, é porque detêm a eliminação das toxinas. Foi exatamente por isso que, apartir da época do surgimento de terapias à base de plantas, oshomens começaram a pensar que a paralisação das toxinas fosseum meio de curar as doenças. Essa ilusão ainda persiste hoje,embora já se tenham passados mais de dois mil anos. Também no Ocidente, existe o mesmo hábito: extraem-seremédios não só de raízes e cascas, mas de todos os outroselementos da natureza. É espantoso perceber que, sob este aspecto, a inteligênciahumana pouco evoluiu, pois ainda hoje perdura a primitiva idéia deque os remédios curam enfermidades. Para que vocês entendam melhor o processo de purificaçãochamado doença, tomarei como ponto de partida os resfriados, poisnão há pessoa alguma que não os tenha contraído. O primeirosintoma é a elevação da temperatura. A seguir, surgem dores nacabeça, nas articulações, nas costas; também aparecem tosse,catarro, suores e languidez. Algumas dessas indisposições sãoinfalíveis. Todas, porém, resultantes do processo utilizado pelo 18
  19. 19. A Arte do Johreicorpo para a eliminação das toxinas. Desconhecendo esse fato, aterapêutica tradicional procura deter o fluxo normal de saída dasimpurezas, o que constitui um erro imperdoável. Torna-se, portanto, extremamente necessário que as toxinas,existentes no interior do corpo, sejam eliminadas, para que oorganismo tenha condições de realizar uma atividade saudável. Épor isso que, havendo excessivo acúmulo de impurezas, o própriocorpo naturalmente provoca a sua eliminação. Nesse processo, afebre dissolve toxinas solidificadas, as quais são expulsas doorganismo em forma de catarro, coriza, suor, diarréia ou por outrosdiferentes métodos. Se a pessoa suportar pacientemente dores ealgumas perturbações orgânicas, a ação purificadora processar-se-á naturalmente e num curto período. Assim, ao se reduzirem astoxinas, a saúde melhora e a força vital aumenta. Outro ponto fundamental: quase sempre, quanto maior for avitalidade, mais facilmente surgem as purificações. Portanto, orecurso adequado para impedi-Ias é baixar a resistência orgânica, oque justamente fazem os tratamentos médicos, cometendo, poressa razão, um terrível engano. Como os sintomas das doençasdiminuem à medida que o corpo se debilita, é compreensível que setenha propagado esse mal-entendido. Contudo, agora não se pode mais ignorar que os remédiossão apenas recursos utilizados para tirar a força vital do homem.Dissolução das toxinas É preciso também ficar claro que a febre é o meio naturalpelo qual o corpo humano dissolve as toxinas para depois eliminá-las, sob a forma líquida. Como constitui um processo que irrita osnervos, causa dor e sofrimento, passou a ser considerado algonocivo ao homem. Em conseqüência desse conceito errado, asterapias tradicionais empregam bolsas de gelo, cataplasmas eoutros medicamentos para baixar a febre, conservando, assim, 19
  20. 20. A Arte do Johreisolidificadas, as toxinas. Portanto, usando esses métodosinadequados, que temporariamente aliviam a dor, a medicinaimpede a cura definitiva das enfermidades. É, pois, perfeitamente correto afirmar, como já o fiz emoutros Ensinamentos, que os criadores das moléstias são ospróprios medicamentos empregados para impedi-Ias. Torna-se,então, urgente entender, de maneira correta, o que é a doença atéagora erroneamente combatida. Na verdade, é uma graça dadapelo Céu, para aumentar a saúde e fortalecer a vitalidade do serhumano. A fim de não ficarem dúvidas, vou detalhar mais a minhaexplicação. Por exemplo: quando alguém apanha um resfriado etenta bloquear o seu livre curso, através do emprego demedicamentos, está, de fato, impedindo a eliminação de impurezasdo organismo. Numa seqüência natural, essas mesmas toxinas voltam aficar solidificadas, além de serem acrescidas de outras oriundas dosmedicamentos ou de qualquer método que tenha sido empregadopara deter o fluxo natural de limpeza do corpo. É, portanto, erradopensar que o desaparecimento de sintomas, como dores eindisposições orgânicas, signifique uma cura definitiva. Pelocontrário. Gera, no futuro, uma purificação mais severa. Observem também que as mudanças de clima provocamresfriados ou gripes, os quais se tornam para muitos afecçõescrônicas, porque jamais se curam completamente, devido ao usoindiscriminado de remédios. Ao lerem estas minhas palavras,espero que se convençam dessa grande verdade. Quero, ainda, lhes chamar atenção sobre outro pontoimportante: desde a Antigüidade, a gripe foi considerada a base detodas as doenças. Não há conceito mais falso que esse. Na 20
  21. 21. A Arte do Johreiverdade, a gripe é para o ser humano um processo simples, salutare benéfico de limpeza do corpo. Preciso também lhes falar sobre a incidência de casos detuberculose1, registrada nos últimos tempos. Esse fato resulta docombate aos resfriados, uma vez que a supressão do curso naturalda doença solidifica as toxinas, impedindo-as de serem dissolvidase posteriormente eliminadas. Portanto, o método mais eficiente decombate à tuberculose é incentivar as pessoas a contraírem gripes.Contudo, como as terapias tradicionais desconhecem essa verdade,fazem justamente o contrário. Com isso, é natural que o número decasos aumente em proporções assustadoras. Um outro conceito que deve ficar bem claro é o seguinte: hádois tipos de toxinas solidificadas e causadoras de muitas doenças:as congênitas ou herdadas e as adquiridas após o nascimento.Ambas são impurezas concentradas especialmente nas partessuperiores do corpo, tais como cérebro, olhos, ouvidos, nariz eboca, áreas onde os nervos são intensamente ativos. Antes, porém,essas mesmas toxinas se solidificam em redor do pescoço e nosombros, fato comum a quase todas as pessoas. Se tais regiõesforem apalpadas, é possível percebê-las endurecidas. Além disso,sempre há nesses locais uma febrícula que provoca levespurificações sob a forma de dor e peso na cabeça, zumbido nosouvidos, pus no canto dos olhos, coriza, catarro, além de outras.Se, porém, a quantidade de toxinas ultrapassar um certo limite, écomum surgir uma gripe como um processo natural de limpeza doorganismo. Também podem ocorrer purificações toda vez que avitalidade humana aumentar por meio de exercícios físicos ouquando se verificam mudanças bruscas de temperatura para quehaja uma adaptação do corpo à nova realidade.1 Tuberculose - moléstia que atingiu índices alarmantes na primeira metade do século XX. NoJapão pós--guerra, ocasionou a morte de muitos jovens. 21
  22. 22. A Arte do Johrei Observem também que é costume considerar oendurecimento dos ombros como um prenúncio de gripe, o queconfirma o meu ponto de vista. Ainda outro processo bastante comum para a eliminação detoxinas liquefeitas é a tosse pela qual são expulsas não sóimpurezas aglomeradas ao redor do pescoço, como em outrasáreas. Também o espirro exerce uma ação bombeadora,especialmente sobre as toxinas da região occipital. Concluindo, afirmo: a gripe é um poderoso meio de purificara parte superior do corpo, cujo centro é o cérebro. É preciso, pois,deixá-la seguir o seu curso natural. Só assim o interior do corpo setorna limpo e a cura se processa definitivamente e com rapidez. Ademais, não é necessário dizer que o conhecimento dessaverdade já constitui, por si só, uma maneira de proporcionar ao serhumano a verdadeira felicidade.2 - Gripe As terapias tradicionais desenvolveram-se apenas a partir deuma visão materialista. Vêem o corpo humano exclusivamentecomo matéria e, por isso, apresentam inúmeras falhas. Para expor o meu ponto de vista, vou tomar como exemplo agripe, doença comum à maioria das pessoas. É uma afecção da 1qual nenhum homem escapa, mas suas causas permanecemobscuras para a medicina tradicional. Há alguns anos, passou a seratribuída ao contágio de vírus transmissíveis pelo ar, ou à alergia.De acordo com a minha interpretação, essa tese não toca a raiz doproblema e, num futuro próximo, deixará de ter qualquer significado. O que, na verdade, deve ser bem entendido, é o seguinte: ocorpo humano tem várias toxinas hereditárias, algumas das quaisreconhecidas pela medicina, como as da varíola, catapora, 22
  23. 23. A Arte do Johreicoqueluche, além de outras. Através de uma reação natural docorpo, essas impurezas são expelidas do organismo por umprocesso chamado ação purificadora. Também é preciso saber que todas essas toxinas seacumulam em várias partes do corpo, mas tendem a concentrar-senas áreas onde os nervos são mais ativos, tais como as das partessuperiores, especialmente as mais próximas ao cérebro. Para maior clareza, é bom observar que, embora o homemesteja acordado e com braços e pernas em repouso, seus olhos,nariz, ouvido, boca e cérebro jamais descansam. Daí o fato dedeterminadas regiões do corpo, como ombros, pescoço, nuca,glândulas parótidas e principalmente a cabeça, serem os locaisonde se acumulam o maior número de toxinas, as quais, pouco apouco, vão solidificando-se. E, no momento em que atingem certolimite, inicia-se um processo de eliminação. É o começo, portanto,de uma ação purificadora que deve ser aceita como uma dádiva danatureza para limpar o corpo, normalizar a circulação sangüínea,eliminar o endurecimento do pescoço e dos ombros, males essescausados por toxinas solidificadas. Além desses problemas, as impurezas acumuladas noorganismo causam ainda dores de cabeça, redução da capacidadevisual, auditiva e olfativa. E também entupimento nasal, piorréia,dentes fracos, falta de ar, dores lombares, edemas. Todos essesproblemas constituem a causa da redução da vitalidade do serhumano, o qual fica, assim, impedido de exercer as suas atividadesnormais e de cumprir a missão que lhe foi destinada por Deus. Foi, então, por esse motivo que Deus determinou ummaravilhoso processo de eliminação das toxinas, ao qualnormalmente se dá o nome de doença. Entretanto, os malesidentificados pelos homens como moléstias nada mais são quedistúrbios orgânicos normais, decorrentes do ato de limpeza doorganismo, numa ação imprescindível para que se tenha boa 23
  24. 24. A Arte do Johreisaúde. Pode-se, portanto, afirmar que as enfermidades constituemuma das grandes dádivas de Deus. Se fossem completamenteabolidas, a humanidade estaria, nos dias de hoje, definhando e seextinguindo. Com essa colocação, posso, a princípio, parecercontraditório, uma vez que sempre estou falando na criação de ummundo isento de doenças. No momento, porém, estou me referindoà ação purificadora indispensável para que o homem fique livre dastoxinas. Quando essa meta for atingida, as enfermidadesdesaparecerão naturalmente e qualquer tipo de purificação deixaráde existir. Portanto, agora, no atual estágio da humanidade, todoprocesso de limpeza do corpo é extremamente benéfico e deve seraceito como uma graça divina. É importante também saber que, ao se contrair gripe, ocorrefebre como um recurso natural de dissolução das toxinas parafacilitar a sua posterior eliminação. Uma vez liquefeitas, essasimpurezas penetram, de imediato, nos pulmões, de um modoextremamente misterioso. Tal fato se torna ainda mais notórioquando o doente recebe Johrei, pois as toxinas dissolvidas pelaação da Luz de Deus atravessam até mesmo músculos e ossos. Quando se trata de solidificações existentes apenas em umaou duas partes do organismo, os sintomas são leves. Se, contudo, apurificação atingir maior número de áreas do corpo, torna-sebastante intensa. É por isso que, muitas vezes, um leve resfriado setransforma numa gripe fortíssima. Mas, em conseqüência, muitastoxinas se liquefazem e são eliminadas. As mais finas saemimediatamente através do suor e da urina. Já as mais densasestacionam temporariamente nos pulmões, aguardando uma açãobombeadora de tosse, para serem expulsas em forma de catarro.Algumas outras são eliminadas através do muco nasal ou diarréia.Também as dores de cabeça, de garganta, das articulações evirilhas, bem como as otites e amidalites, são sintomas de que astoxinas solidificadas, nessas áreas, dissolveram-se e começaram a 24
  25. 25. A Arte do Johreimovimentar-se, procurando uma saída. Daí os nervos ficaremirritados. Portanto, quando se permite que a gripe siga o seu cursonatural, sem opor-lhe nenhum tratamento, a purificação se processanormalmente e a saúde fica fortalecida. Outro ponto importante: Deus concedeu a todas as criaturasmuita vitalidade para que pudessem realizar seu trabalho comsegurança e usufruir da verdadeira felicidade. Contudo, o própriohomem, pela sua maneira errada de viver, acumulou, ao longo dosanos, inúmeras impurezas no seu organismo. Como conseqüência,surgiu a necessidade de eliminá-las para que pudesse recuperar aperfeita saúde. Então, posso afirmar, sem nenhuma dúvida, quetodos devem contrair gripes com a maior freqüência possível, poisassim estarão erradicando muitas enfermidades. O que se vê, entretanto, é a purificação sendo interpretadacomo um mal e, por isso, combatida de todas as formas. Vocêsprecisam, pois, ter a mente bem aberta e procurar entender que ossofrimentos decorrentes de uma doença não são indícios doagravamento da saúde. Portanto, não há motivos para se temeruma febre, impedir uma tosse ou qualquer outro sinal de eliminaçãode toxinas. Não pensem nunca que a interrupção dos sintomas deuma moléstia representa a cura. Muito pelo contrário. O que osmedicamentos fazem é tentar ressolidificar as toxinas que já haviamcomeçado a dissolver-se. Tal é o efeito dos antitérmicos, das bolsasde gelo, das injeções ou de qualquer outro remédio que façadesaparecer os sintomas. Embora o doente se alegre, julgandoestar curado, o que normalmente essas terapias causam é obloqueio do fluxo natural da limpeza que ia ser efetuada. Pode-secomprovar esse fato através das complicações resultantes doagravamento de determinadas moléstias pela tentativa médica deinterrompê-las. Na verdade, dá-se um atrito entre o processoespecífico da purificação e o impedimento do seu curso regular,imposto pelos remédios. E, como conseqüência, um prolongamentodesnecessário da enfermidade. 25
  26. 26. A Arte do Johrei Concluindo, reafirmo: a verdadeira cura de uma doençaconsiste na eliminação das toxinas causadoras do problema. Dessemodo, o corpo, através de um processo próprio de limpeza, ficaliberto dos males que o afligem. Então, a verdadeira medicina éaquela que ajuda o organismo a dissolver solidificações deimpurezas e eliminá-las rapidamente, na maior quantidade possível,tornando, assim, o homem saudável e feliz.3 - Intensificação do espírito do fogo e fragilidade do efeito dosremédios (05/02/1953) Com a aproximação da Era do Dia, o Espírito do Fogo vaicrescendo no Mundo Espiritual. E, na Terra, as purificações seintensificam. Na verdade, esse processo de limpeza resulta dopoder do Johrei que promove a eliminação das toxinas. Por outro lado, torna-se cada vez mais difícil curar pelosmétodos da medicina tradicional, fundamentados na solidificação.Tanto assim que recentemente os jornais noticiaram a queda doefeito da penicilina. Esse fato é interessante porque, se a penicilinaera eficaz dez anos atrás, deveria produzir hoje o mesmo efeito. Os médicos afirmam, contudo, que os micróbios ficarammais fortes atualmente e, por isso, muito resistentes à ação deantibióticos. É, porém, bastante estranho que vírus e bactériastenham adquirido tamanha resistência em tão pouco tempo. O que, de fato, está acontecendo é a aceleração crescentedas purificações em conseqüência da intensificação da forçadissolvente do Espírito do Fogo. Então, não significa que a penicilina tenha perdido o seuefeito. Na verdade, ela não está mais conseguindo solidificar astoxinas. 26
  27. 27. A Arte do Johrei Apesar disso, a medicina continua recorrendo a venenoscom poder cada vez maior. Chegará, porém, o dia em que deixarãode surtir qualquer efeito. Poderão, inclusive, num futuro próximo,causar mortes. Nessa época, a força do Johrei aumentaráextraordinariamente e as curas serão comprovadas a cadamomento. Também os próprios médicos desistirão de empregarmedicamentos. Os livros que estou escrevendo atualmente sãouma preparação para esse tempo. Hoje, entretanto, quando afirmo essa verdade, ninguém aaceita, achando minhas idéias absurdas. Quando, porém, a ciênciachegar à conclusão de que os remédios não curam as doenças, amaioria das pessoas aceitará os meus Ensinamentos, deixando deconsiderá-los sem fundamentação lógica. Após discorrer sobre as doenças, publicarei também umasérie de testemunhos daqueles que já experimentaram o poder doJohrei não só na cura de enfermidades físicas, como na resoluçãode problemas de ordem espiritual. Assim, o plano de Deus, atéagora oculto, tornar-se-á visível, passando a atuar definitivamenteno mundo material.4 - Comentários do Tradutor (palestra proferida em 24/07/99)4.1 - A intensificação do espírito do fogo O Jornal "O Estado de São Paulo" publicou, no dia19/07/1999, uma reportagem sobre o uso exagerado de antibióticos.Esse fato está determinando o aparecimento de um vírus super-resistente para o qual já não existe um antídoto eficiente. Com isso,os médicos estão ficando bastante intranqüilos, pois já não sabemcomo atacá-lo. Esse vírus está aparecendo na Europa, nos Estados Unidose no Japão. É acompanhado de febre alta e um estado dedebilidade orgânica semelhante ao da gripe. Depois vem uma 27
  28. 28. A Arte do Johreidiarréia, hemorragia e morte. Tem-se notícia de que na Rússia,numa pequena cidade, as pessoas começaram a morrer, levandoum tal medo às demais que, em conseqüência, abandonaram olocal. No Japão, o noticiário comenta diariamente sobre um vírusdenominado Vana, para o qual os médicos não estão encontrandoantibiótico adequado. Em relação às pragas da agricultura, o Sr. João Pereira LimaNeto, cafeicultor de Caconde, diz que estão também assim. Não háveneno que as extermine. Por isso, pessoas estão morrendo emconseqüência até de mordidas de carrapatos. Estes, jácontaminados pelos inseticidas lançados no solo, chupam o sanguehumano e transmitem ao corpo das pessoas o veneno que maistarde lhes causa a morte. Se prestarmos atenção, Meishu Sarna já falava, em 1953,sobre esse problema, ao escrever o Ensinamento sobre a"intensificação do espírito do fogo e a fragilidade dos remédios". Eledizia que ia ser assim mesmo. Hoje nós sabemos dos danos causados pela infecçãohospitalar. O próprio médico sabe que o paciente poderá ficar maisdoente ainda dentro do hospital. Esses locais estão altamenteinfectados por vírus e bactérias e quem vai até lá é um terreno fértilà proliferação desses microorganismos, uma vez que são pessoasdebilitadas, com baixa vitalidade. Acredito inclusive que o problemadeva ser bem maior do que os comentários e notícias a respeito. De fato, está acontecendo exatamente como Meishu Sarnaalertou nos seus Ensinamentos. Como o espírito do fogo estáaumentando, não há outro jeito: a força da dissolução é muito forte. Um fato interessante, acontecido no culto de antepassadosdo mês de agosto, pode ilustrar melhor essa realidade. Uma 28
  29. 29. A Arte do Johreipessoa, que assistiu à cerimônia pela primeira vez, viu, durante oJohrei coletivo, sair fogo através da palma da mão. Ela entendeuque esse fogo estava queimando máculas. Quer dizer, Deus estavamostrando para uma pessoa totalmente leiga toda a verdadecontida no ensinamento sobre a intensificação do espírito do fogo,exatamente o que fora lido durante o culto. Se isso tivesseacontecido com um membro experiente, iriam dizer que era fruto deimaginação. Deus, porém, usou como instrumento uma pessoatotalmente inexperiente para mostrar o poder do Johrei. Outro fato que também comprova a força do espírito do fogoé o de uma família que há tempo freqüentava o Templo. Não sei seé do conhecimento de alguém, mas um dos filhos, de 12 anos, tinhaum tumor de dois centímetros de diâmetro na cabeça. Iam operá-lo;porém, após ter recebido Johrei durante alguns meses, começou avomitar catarro pelo nariz e pela boca, em grande quantidade,durante algum tempo. Submeteu-se a novos exames e ficoucomprovado que não tinha mais nada. Foi curado totalmente. Também dá para sentir, especialmente depois do último dia15 de junho, que a Luz está cada vez mais intensa. Mesmo umJohrei coletivo, recebido por quem veio pela primeira vez aoTemplo, já promove uma purificação. Dá, pois, para se notar claramente que, enquanto de um ladoa Luz está aumentando, de outro, começam a acontecer fatos(como o citado na reportagem sobre vírus super-resistentes) paraalertar os pacientes e médicos sobre o uso indiscriminado demedicamentos. Nessa mesma reportagem, há recomendações paraque não sejam empregados antibióticos no caso de gripes ou outrosproblemas simples porque esses medicamentos destroem a floraintestinal e causam desequilíbrio total das funções normais dointestino. Outro fato digno de nota é que no Japão surgiu um livroescrito por um médico, que se tornou Best Seller. Nessa obra, o 29
  30. 30. A Arte do Johreiautor está falando exatamente o contrário do que prega a medicinaa respeito das doenças de pele. Lá no Japão, está aumentandoconsideravelmente um tipo de doença que causa ressecamento eembranquecimento da pele, deixando-a semelhante à do elefante.Essa doença causa muita coceira e não há remédio que a cure. Pesquisando, o médico japonês descobriu o seguinte: maisou menos a partir de 1950, os japoneses começaram a realizargrandes campanhas de limpeza sanitária, empregando todos osesforços para matar vírus e bactérias. Foram, então, desenvolvidosprodutos de limpeza visando à extinção completa das infecçõesbacterianas. Com isso, desapareceram todas as bactérias e aspessoas ficaram sem os microorganismos positivos necessários àmanutenção do equilíbrio orgânico e do ecossistema. Tendo ido, certa vez, ao Sudoeste Asiático, esse médico epesquisador observou a total falta de higiene. Aí, todos os detritossão jogados no rio onde as crianças tomam banho, além da mesmaágua ser usada na preparação dos alimentos. Observando essa realidade e comparando-a com ajaponesa, o médico notou que, apesar da terrível sujeira em quevivem, as crianças asiáticas têm a pele lisa, embora todas elastenham a barriga cheia de vermes e sejam também bastanteresistentes a qualquer infecção. Esse exemplo serve para nós começarmos a aprender sobreo equilíbrio. É como o Bem e o Mal. As pessoas acham que abactéria é sempre nociva e querem matá-la. É preciso, ao contrário,que entendam qual a verdadeira função desses microorganismos.Elas não podem ser destruídas, mas conservadas dentro de umnível de equilíbrio perfeito para que possam exercer a sua função,qual seja, a de destruir os elementos perniciosos à conservação daespécie humana. É por isso que Meishu Sama condena o uso demedicamentos que podem matar também as bactériasindispensáveis à manutenção do equilíbrio vital. 30
  31. 31. A Arte do Johrei A atitude correta está no fortalecimento da vitalidade, poisuma pessoa bem forte, com menos toxinas, corpo puro e muitaenergia, tanto física quanto espiritual, fica imune à qualquer açãoperniciosa das bactérias. Mesmo que algumas penetrem noorganismo, se não houver toxinas para alimentá-las, naturalmenteelas deixam o corpo. Não há, pois, motivo para medo. Meishu Sarna explica que um remédio ingerido transforma-se, dentro do organismo, em toxinas. Então surge a bactéria paracomê-las. Portanto, cada vez que novos medicamentos ouagrotóxicos são inventados, surge um novo tipo de bactéria paradestruir essa toxina ou, no caso da agricultura, uma praga diferente. Na verdade, então, não foram as bactérias que se tornarammais fortes, conforme propaga a ciência. De acordo com osEnsinamentos de Meishu Sarna, cada vez que os agricultoresjogam no solo um novo tipo de agrotóxico ou as pessoas ingeremum medicamento recém-descoberto, surge também uma outrabactéria transformada e adaptada a essa nova toxina. São, pois, ospróprios venenos que geram as bactérias e as transformam. Precisa também ficar bem claro o seguinte: antibióticosignifica algo que é contra a vida. Tem, portanto, como finalidade,diminuir a vitalidade, num processo oposto ao da purificação, peloqual, quanto mais vida houver, mais força o corpo terá paraexpulsar qualquer coisa estranha e inadequada à sua natureza. Se,porém, o organismo estiver fraco e debilitado,não terá forças parareagir, começa a aceitar tudo e vai se encaminhando para a morte.Nesse estado não surge febre, nem outra reação qualquer.Desaparecem, de fato, os sintomas. É a isso que a medicina chamade cura. Como no caso da quimioterapia,que nada mais é do queunia grande quantidade de veneno lançada no sangue, passando acircular pelo corpo inteiro. Além de causar incontáveis danosorgânicos, aproxima a pessoa do limite entre a vida e a morte,baixando-lhe acentuadamente a vitalidade, determinando o 31
  32. 32. A Arte do Johreidesaparecimento de todos os microorganismos, inclusive daquelesnecessários à manutenção do equilíbrio vital. Então, a gente precisa ter bem claro na mente o que é averdadeira saúde. Não significa abolição dos sintomas dasdoenças, mas, pelo contrário, é aquela energia que nos permiteandar quilômetros sem ficarmos cansados, agachar sem sentirmostontura ou pernas trêmulas, ter sempre bom apetite e sonotranqüilo. Era essa a qualidade de vida de Meishu Sarna. Andava,escalava montanhas e realizava trabalhos, nos quais muitos dosseus auxiliares bem mais jovens não conseguiam acompanhá-lo nomesmo ritmo. Há, pois, alguns pontos aos quais a gente precisa estaratento. Um deles é o conceito atual de saúde, de doença. Nascrianças, por exemplo, o corpo apresenta maior vitalidade, poisnasceram há pouco tempo, estão ainda bem longe da velhice; porisso muitas vezes apresentam febres bem altas como um meionatural que o corpo está usando para eliminar as toxinas e ficarmais forte. Daí não haver motivo de preocupação quando taissintomas se manifestarem.4.2 - A canalização do Johrei Está chegando o tempo em que a canalização do Johreideve ser feita com mais concentração do que antigamente. Épreciso maior espiritualidade para que a Luz desça com maisintensidade. No início, o ato de ministrar Johrei era bem material. Apessoa ficava deitada primeiro de barriga para cima e recebia a Luzda cabeça aos pés; depois, virava-se de costas e a canalização erafeita através de toques em determinados pontos. Mais tarde,passou-se a aplicar Johrei com o braço bem esticado, com força emovimentando a palma da mão como se estivesse empurrando aLuz. Procedia-se dessa maneira porque ela era ainda muito fraca. 32
  33. 33. A Arte do JohreiEntretanto, a partir de 15 de junho de 1950, Meishu Sama deu umanova orientação de como canalizar Johrei. Como a Luz já estavaficando mais intensa, deveria ser transmitida sem forçar, com obraço bem relaxado, numa atitude de, cada vez mais, intensaconcentração espiritual. E, à medida que for se aproximando a Erado Dia, maior atenção deve ser dada a esse princípio. Meishu Sama, já um ano antes do seu falecimento nãoministrava mais Johrei. Ele apenas mandava que a pessoasentasse perto dele e ficasse quieta. Assim já estava recebendo aLuz. Então, esse fato hoje significa que, quarenta e quatro anosapós o Seu falecimento, se a gente sentar em frente ao altar, com aintenção de receber Luz, com certeza Ele a estará transmitindo.Precisa apenas um pouco de esforço da nossa parte para esqueceras coisas materiais e ficar mais voltados à realidade espiritual.Como, porém, a gente não enxerga, torna-se difícil acreditar que épossível receber Luz diretamente de Meishu Sama, dependendoapenas de uma postura interior de cada um de nós. Antigamente,inclusive, havia membros que não se contentavam somente com oato de ministrar Johrei. Então faziam massagens no ombro, nopescoço, nas costas. Não há necessidade de nada disso. Basta quenos liguemos com Deus para receber diretamente a Luz, que hoje jáestá preenchendo todos os espaços do globo terrestre. Tanto assimque Meishu Sama falava na chegada de um tempo no qual mesmoaqueles que não recebessem Johrei iriam ter purificações, porque aLuz Divina estaria emanando em todas as direções. Se ficarmosatentos, perceberemos que esse tempo já está chegando.4.3 - A experiência do Johrei Observando as pessoas que estão recebendo Johrei, dápara perceber uma mudança na aparência, após uns cinco minutos.Geralmente fica mais clara. É sinal de que a Luz está penetrando.Normalmente esse fenômeno ocorre de maneira instantânea e 33
  34. 34. A Arte do Johreinatural. De repente a pessoa sente a presença da Luz de Deus. Apartir dessa primeira sensação, é preciso criar, até meioartificialmente, outras situações semelhantes, lembrando aquelebem-estar anteriormente vivido para voltar a senti-lo em outrasocasiões. Então, em qualquer momento ou lugar, vai acontecer omesmo estado, como da primeira vez em que a pessoa sentiu apresença da Luz. Aí significa que já aprendeu a perceber adiferença e o bem-estar proporcionado pelo infinito amor de Deus.Não se pode, pois, esperar que o Pai Eterno faça tudo. A gente temque buscar, criar as situações. E, quando acontecer, é importanteverificar qual era o estado da nossa mente, do corpo físico eespiritual, do coração. Com certeza, iremos descobrir que a Luz semanifesta nos momentos em que estamos despreocupados, compensamentos positivos. Daí, então, a importância de estarmossempre buscando esse estado de tranqüilidade para que a Luz deDeus subitamente nos envolva. 34
  35. 35. A Arte do Johrei II - FRAGMENTOS DE PALESTRAS DE MEISHU SAMA A ARTE DO JOHREI UNIDADE I - JOHREI1 - Lei do Johrei (Johrei Ho) O objetivo principal da Doutrina Messiânica é despertar oshomens para o poder de Deus, ou seja, tornar evidente a Suasupremacia sobre todas as coisas. Dessa forma, torna-se urgente,em primeiro lugar, curar as doenças, para que, através desse fato, ahumanidade reconheça a presença Divina. Nesse sentido é muito importante que os Mamehito2 ampliemo conhecimento sobre as doenças, não segundo os preceitos damedicina atual, mas do ponto de vista do Pai Criador. Para tanto, não há necessidade de grandes conhecimentossobre anatomia. O primeiro passo é desenvolver a capacidade dedescobrir o ponto focal, pois, uma vez encontrado, basta ministrarJohrei somente nesse local, que a cura se processa maisrapidamente. Por desconhecer o ponto focal das doenças, a maioria daspessoas ministra Johrei mais no sentido espiritual, onde a cura éobtida, porém, muito mais lenta. Acompanhando os ministros e responsáveis pelas difusões,vejo que ainda é muito restrito o conceito sobre as enfermidades.Os Mamehito geralmente fazem perguntas básicas ou então mequestionam a respeito de assuntos sobre os quais eu já escrevianteriormente. Portanto, é de suma importância a realização decursos para ampliar o conhecimento espiritual e físico das doenças.2 Mamehito - palavra japonesa, cuja tradução é Homem Verdadeiro. Engloba, pois, em seusignificado, todo aquele que se inicia na Doutrina Messiânica e estuda e pratica osEnsinamentos de Meishu Sama. 35
  36. 36. A Arte do JohreiPeço, especialmente aos ministros, que se esforcem o máximo paraaprimorar-se nesse sentido, pois sem o conhecimento necessárionão será possível obter bons resultados.2 - A força espiritual do Johrei A cura de uma doença depende do poder espiritual do Johreida pessoa que o ministra. Contudo, quanto menos forçado, maisforte ele será. É, pois, muito importante a atitude de quem o estácanalizando. Se verdadeiramente o ministrante conseguir não usara sua própria força, deixando a mão bem relaxada para que a Luzflua com naturalidade, estará prestando uma valiosa ajuda. Há outro ponto fundamental a ser ressaltado: o poder doJohrei depende também da elevação espiritual daquele que oministra. Para consegui-Ia, os Mamehito devem dedicar-se, comperseverança, à leitura dos Ensinamentos. Dessa forma, irão,pouco a pouco, aprofundando a sua sabedoria e adquirindo maisconfiança e fé no Johrei que, conseqüentemente, se tornará maispoderoso. É preciso, porém, ficarem atentos para não se deixaremdominar pela vaidade, porque essa atitude diminui sensivelmente aforça do Johrei. Eis a razão pela qual um Mamehito novo, que aindacanaliza a Luz de Deus com um pouco de receio, sem confiar muitona própria capacidade, consegue curar relativamente melhor. Por outro lado, quando alguém fica convencido de que jásabe ministrar bem Johrei, dificilmente alcança bons resultados.Não quero, contudo, dizer que seja melhor canalizar Johrei cominsegurança ou medo. É preciso somente que o membro tenhahumildade para reconhecer que está servindo, apenas, comoinstrumento de Deus. Além disso, todos os doentes ou quaisquer pessoas quebusquem ajuda devem ser tratados sem ansiedade. Neste aspecto, 36
  37. 37. A Arte do Johreia melhor maneira é agir sem nenhum tipo de envolvimentoemocional, ou seja, de pensamentos advindos, quer de sentimentosde estima, amor, admiração, quer de considerações relativas àposição social, econômica ou cultural da pessoa a quem se estáprestando ajuda. Se os Mamehito não mantiverem uma atitude decompleta imparcialidade, terão, com certeza, o poder do seu Johreidiminuído. Embora a energia espiritual outorgada aos messiânicos sejaincomparavelmente maior do que a de outras religiões, tal fato nãodeve, nunca, ser motivo de vaidade para os Mamehito. Muito pelocontrário. É preciso que todos reconheçam, a cada instante, oprivilégio de terem sido agraciados com tamanha deferência,conservando o coração humilde e agradecido. 37
  38. 38. A Arte do Johrei UNIDADE II - SABEDORIA E PONTO FOCAL1 - Tieshokaku (Sabedoria) Ao ministrar Johrei, em primeiro lugar é preciso Tieshokaku(sabedoria). É esta capacidade que lhes permite enxergar ascausas dos sofrimentos. Tendo Tieshokaku, todos vocês podem ver corretamente oponto onde está a origem do problema e avaliá-lo com precisão.Assim está escrito no Go-shinsho (Escritos Divinos). Então, quandoconseguirem compreender a maior parte do conteúdo do Go-shinsho, é por que vocês já estarão num nível bem elevado deTieshokaku. Muitas vezes acontece de um ponto da doutrina parecermuito claro no momento da explicação, mas, ao voltar para casa,poucas passagens são lembradas. Depois de algum tempo, porém,repentinamente surge uma idéia que esclarece com precisão osdiversos assuntos, aparentemente esquecidos. Essa ocorrência éum sinal de que a pessoa está desenvolvendo seu Tieshokaku. Também, para que vocês possam observar os sintomasapresentados por alguém doente e, imediatamente, sejam capazesde dizer de qual doença a pessoa sofre, é preciso que o Tieshokakuesteja bastante elevado. Portanto, se vocês antigamente acertavam cinco entre dezcasos e agora já conseguem seis ou sete, é prova de que estãoprogredindo na elevação do nível espiritual do seu Tieshokaku.2 - Ponto Focal Descobrir o ponto focal de tudo na vida é de sumaimportância. Entretanto, muitas das coisas que vocês fazem estãofora do ponto focal. Não me refiro apenas às doenças, mas também 38
  39. 39. A Arte do Johreiem relação a atitudes do cotidiano como conversas,comportamentos corriqueiros e até a maneira de divulgar a doutrina.Daí a importância de se elevar cada vez mais o nível de sabedoria.Dessa forma, vocês poderão facilmente encontrar soluçõesharmoniosas para os problemas. Do mesmo modo, poderãoorientar, com relativa facilidade, alguém que se encontre indecisoquanto a ingressar ou não na nossa doutrina. Se vocêsconseguirem, ao falar dos Escritos Sagrados, atingirem o pontofocal, imediatamente vem a decisão. Não é fácil, contudo, acharesse pontinho tão sutil. Daí que, quanto mais elevado for o nível deTieshokaku, mais rapidamente vocês encontrarão o ponto focal. Portanto, reafirmo: em todas as situações, a melhor soluçãoé buscar antes o centro da questão. Essa prática deve prevalecer àqualquer atitude que os leve a perder a calma e, em conseqüência,agir apressadamente. É bom ter sempre em mente o seguinte: muitas vezes asdificuldades que surgem são um sinal de que talvez ainda não sejao tempo certo, ou haja algum outro motivo por trás dessa situação.Quando, porém, chegar o momento adequado, se vocêspermanecerem constantemente atentos, encontrarão, comfacilidade, o ponto focal. É o que acontece, por exemplo, em casosde febre. Na hora em que conseguem ministrar Johrei no localexato da causa da doença, a febre abaixa imediatamente. Acreditoque todos nós já devamos ter experimentado esse fenômeno. Descobrir o ponto focal é, portanto, condição fundamentalpara alcançar felicidade. Faz-se necessário, então, que o serhumano desenvolva rapidamente a sua capacidade de encontrá-lo.Uma das práticas para atingir tal finalidade é o aprimoramento dafé. Além disso, é importante saber que a doutrina messiânicaestá fundamentada no Maru ni Chom ( ). Até agora, entretanto, oser humano não havia percebido o significado do pontinho (chom) e 39
  40. 40. A Arte do Johreia importância dele para a salvação da humanidade. De fato, todasas coisas do mundo devem ser observadas e realizadas a partirdessa idéia, para que os resultados obtidos sejam excelentes.3 - Observação das circunstâncias Embora, na prática, não seja fácil encontrar o ponto focal, jádemonstra grande progresso alguém que ministre Johrei,observando as circunstâncias em que o problema está ocorrendo.Essa atitude constitui uma maneira de chegar, cada vez mais, maispróximo da causa que o determina, tais como ambiente esentimento das pessoas envolvidas. Caso essas circunstâncias nãoestejam de acordo com a Vontade de Deus, não serão obtidosresultados positivos, mesmo que o Johrei seja ministrado com muitadevoção. Deve haver, portanto, ao ministrar Johrei, uma atitude justa,em consonância com a Lei de Deus, independente da condição defé expressa pela pessoa. Por exemplo, há uma diferença muitogrande entre aqueles que já tiveram oportunidade de conhecer aatuação de Deus e outros que ainda não conhecem nada sobre opoder Divino. Estes, ainda que pratiquem um ato de ofensa a Deus,são perdoados porque não sabem o que estão fazendo. Aocontrário, dificilmente serão abençoadas as pessoas que, há muitotempo, já ingressaram na fé, receberam muitas graças e, por isso,deveriam ter aprofundado o seu conhecimento. Além de nada teremfeito, ainda continuam se comportando como aqueles que nãoconhecem a Deus. É preciso, pois, que vocês meditem profundamente sobreessa lógica para entenderem que o fato de não se obter bonsresultados através do Johrei não significa falta de força espiritual.Casos como esse são raros. Na verdade, na maioria das vezes, é oJohrei que está sendo ministrado fora do ponto focal, ou ascondições impostas pela lógica de Deus não estão sendopreenchidas. 40
  41. 41. A Arte do Johrei Portanto, vocês devem permanecer muito atentos a esseponto. Quem for capaz de perceber essas discrepâncias temsabedoria. Por isso, o mais importante é, primeiro, cada umdesenvolver e polir o Tieshokaku. Assim, descobrirá rapidamente oponto focal de qualquer problema ou circunstância diante da qualprecise tomar uma decisão, não só em relação à fé, mas tambémno que diz respeito a acontecimentos de ordem política, social oueconômica. Como vocês podem observar, pessoas ilustres realizamdiscussões intermináveis sem chegar a resultado algum. De fato,assim acontece porque tais questões estão sendo tratadas fora doponto focal.4 - Algumas situações-problemas e respostas de Meishu Sama 1ª Pergunta: Uma moça de 17 anos, estudante de balé, derepente ficou com os músculos do corpo inteiro endurecidos.Apresentava uma solidificação muito forte na parte do ombro até aaltura da nuca. Na faculdade de medicina de Nagoya o problema foidiagnosticado como coréia (doença que ataca o sistema nervoso). Na casa dessa paciente está entronizada a imagem de Deus;ela e a mãe são Mamehito da Igreja. O pai ainda não. Pela vontade dos familiares ela foi internada. Mesmo assim,a mãe está pedindo que lhe seja ministrado Johrei no hospital. Resposta de Meishu Sama: Está totalmente errado. Euacho também muito estranho você me fazer essa pergunta,demonstrando que até agora ainda não sabe a maneira certa deagir É errado ir ao hospital e ministrar Johrei, pois o doente já foientregue ao médico. Se, contudo, por alguma circunstância, opaciente foi internado pelos familiares, mas não está querendosubmeter-se ao tratamento hospitalar, você pode ir ministrar-lhe 41
  42. 42. A Arte do JohreiJohrei, desde que a família não se oponha. Se houver, mesmo queseja apenas um, dos parentes contra, é melhor desistir. No caso dessa moça, se o pai demonstrar arrependimentopelo erro cometido e lhe pedir que ministre Johrei a ela no hospital,você pode ir. Caso contrário, em absoluto, não é permitido, pois ascoisas de Deus têm de ser realizadas dentro da lógica. Mesmo no Mundo Material, o comportamento do homemdeve ter uma razão de ser. Nada pode, portanto, ocorrer fora dessepreceito. Especialmente as coisas de Deus precisam obedecer àLei. Com relação ao caso dessa moça, quando observado sobtodos os ângulos, dá para perceber que não está de acordo com alógica, e o principal responsável por essa situação é o pai dela, quesimplesmente a entregou ao médico, agindo fora da razão. 2ª Pergunta: Uma pessoa tem câncer localizado entre ocoração e o esôfago. Pela garganta só passam 200 cc de leite. Foi-lhe colocada também uma sonda na barriga por onde recebealimentos líquidos. Quando é ministrado Johrei nessa pessoa, ocorre umareação tal, que impede a passagem de qualquer líquido pelagarganta. Como devo agir nesse caso? Resposta de Meishu Sama: É melhor não ministrar maisJohrei. Como já foram tomadas muitas decisões erradas, asalvação é impossível. De nada adianta tentar, neste caso, umtratamento com Johrei. Você sofrerá um grande desgaste e nãoobterá efeito satisfatório algum. Várias vezes também escrevi que está determinado quemserá ou não salvo pelo Johrei. Muitas pessoas já se encontram dolado da destruição; não há, por isso, mais jeito, mesmo que se tente 42
  43. 43. A Arte do Johreiuma ajuda. Se esse paciente, por exemplo, estivesse fadado a sersalvo, antes da operação, teria conhecido o Johrei e ingressado nareligião. Portanto, não se tem como salvar pessoas que seencontram nessas condições. Por outro lado, não é tão difícil reconhecer quais criaturastêm chance de salvação. Normalmente para quem recebe graçascom facilidade e melhora bastante, já chegou o tempo. Se, porém,ocorrem muitas dificuldades, ainda se encontra do outro lado, compoucas chances de recuperar-se. Como já escrevi nosEnsinamentos, não são muitas as pessoas em condições deconseguir a salvação. Eu acho que não passam de dez por cento. Outras vezes, quando a gente começa a dedicar, acabaempreendendo um grande esforço com pessoas que não têmchance de salvar-se. Com isso, deixa de lado, não atendendosuficientemente àquelas que estão no caminho certo. Comoconseqüência, muitos enganos são cometidos. Para agir com discernimento, tendo certeza de quais são osque merecem ajuda, vocês têm que polir o Tieshokaku. Assimconseguirão responder corretamente às perguntas que lhes foremfeitas e, como resultado, acabarão proporcionando oportunidadepara que muitos ingressem na fé. 43
  44. 44. A Arte do Johrei UNIDADE III – MICRÓBIOS E NUVENS ESPIRITUAIS1 - Surgimento dos micróbios Os micróbios surgem naturalmente. Esta minha teoria éfundamentada na ciência de Deus. Quero explicá-la para que todosa entendam claramente. Não se trata, contudo, de um propósitofácil, porque o objeto desta pesquisa encontra-se no lado espiritual,invisível. Embora o meu pensamento contrarie a ciência convencional,estou expondo a minha teoria com base em fatos. Por isso, achoimpossível opiniões contrárias derrubarem esta minha tese. Vejamos, então, como surgem os micróbios, partindo de umainstância imaterial que vai se adensando até chegar a uma formamaterial. Antes, porém, de começar a expor propriamente a minhateoria, devo esclarecer sobre a formação do universo. Até agora,mesmo tendo a ciência materialista atingido um progressosurpreendente, ainda não desvendou, por completo, o mistério dacomposição de um conjunto existencial tão complexo. Gostaria, portanto, que vocês lessem com muita atenção emeditassem sobre o que vou escrever agora. Estas minhas idéiaspoderão ajudá-los a despertar para os erros da medicina. Tenhotambém certeza de que vocês vão ficar bastante entusiasmadoscom descobertas deveras surpreendentes. Em primeiro lugar, portanto, devo dizer-lhes que esteuniverso é composto de três diferentes dimensões com as quaismantemos contato em maior ou menor escala, de acordo com anossa sensibilidade. A primeira parte corresponde ao mundomaterial visível. A segunda, ao material invisível que pode sercontatado através dos microscópios ou outros meios científicos. É o 44
  45. 45. A Arte do Johreiplano dos microorganismos, dos átomos, etc. A terceira parte dizrespeito ao nível sutil, invisível e intocável a que normalmentechamamos de mundo espiritual. Entretanto, como pode ser observado, a ciênciaconvencional baseia-se somente nas duas primeiras partes; estudae pesquisa apenas os fenômenos relacionados com os mundosmateriais. Apresenta, portanto, uma grande falha porque, pelasminhas investigações, o mundo espiritual, ignorado como se nadafosse, detém, na realidade, a origem e a força do universo inteiro. Épela intervenção desse poder que todos os seres crescem e sedesenvolvem infinitamente na direção do eterno. Como, porém, os cientistas ignoram a realidade espiritual,têm convicção de que, por meio da ciência puramente materialista,todas as questões serão resolvidas. Pela crença exagerada namatéria, negaram a existência do mundo espiritual e acabaramcriando uma medicina cheia de defeitos que impera nos dias dehoje. Como resultado, os tratamentos atuais apenas oprimem ossintomas das doenças, tornando impossível a cura radical. Todas essas observações nos levam a comprovar que amedicina se desviou da sua essência; está, portanto, fora do pontofocal. E, à medida que progride, vai se desviando do caminho certoe ficando, cada vez mais, presa aos elementos superficiais esecundários. Por isso, chegou à conclusão errada de que a causada maioria das doenças são os micróbios. Não há, contudo, comosustentar essa dedução, pois, ao solucionar uma doença "A",surgem outras diferentes e mais complexas ("B", "C", "D", etc). Defato, o que se deu não foi cura, mas uma alteração interna dossintomas, a que a medicina chama de efeitos colaterais. Prosseguindo no meu raciocínio, quero também lhes mostrarcomo ocorre a relação entre o homem e o mundo espiritual. 45

×