Vitória Para Colorir

1.849 visualizações

Publicada em

Publicada em: Esportes
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.849
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
963
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vitória Para Colorir

  1. 1. (UTILIZE A BARRA DE ESPAÇOS OU AS <=SETAS=> DO TECLADO)
  2. 2. Torcedor Rubro-Negro,o MOVIMENTO SOMOS MAIS VITÓRIA (MSMV), buscando cumprir o seu papelde democratizar o acesso à informação e sempre garantindo o máximo respeitoao torcedor, apresenta o projeto intitulado “Vitória Para Colorir”.Trata-se da apresentação de uma série de temas de interesse geral, explicadosde forma simples e didática, com vistas a difundir conhecimentos básicos acercado mundo do futebol e, mais diretamente, do Esporte Clube Vitória.Neste primeiro capítulo, trataremos da natureza jurídica do E.C.Vitória, como elese apresenta perante a sociedade e sua relação com a torcida. Boa leitura!
  3. 3. CAPÍTULO 1 “O VITÓRIA TEM DONOOU PERTENCE À SUA TORCIDA?”
  4. 4. Caro amigo Rubro-Negro, você pode até estranhar o que vamos dizer, mas,João é uma pessoa, Maria é uma pessoa, um município é uma pessoa, omercadinho do seu bairro é uma pessoa, uma Organização Não-Governamental (ONG) é uma pessoa e o ESPORTE CLUBE VITÓRIA também éuma pessoa, dentre tantas outras que existem na nossa sociedade... - O Vitória é uma pessoa?!... Como assim?
  5. 5. É que, para o Direito, “pessoa” é todo ser que tem vontade própria, que se manifesta de alguma forma, que tem aspirações, que realiza atividades. Não importa se ele possui natureza biológica ou legal. Assim, João e Maria são as pessoas "naturais" (ou "físicas"), cuja origem é Deus, a natureza, etc. As outras entidades também são pessoas, e são denominadas "jurídicas", pois são criadas pelo Direito.- Ué!? Mas o E.C.VITÓRIA, um mercadinho ou um ONG têm a vontade própria?
  6. 6. Tem, sim. Veja só: na maternidade, ao“nascerem”, as pessoas jurídicas estabelecem em sua “certidão de nascimento” (que pode ser um contrato, uma lei, um estatuto, etc.) afinalidade de sua existência, os objetivos quequerem alcançar, como fazer para atingi-los,ou seja, tudo o que diz respeito à sua origem e seus fins dentro da sociedade - Mas, peraí... Como as Pessoas Jurídicas (PJs) colocam em prática tudo aquilo que desejam?
  7. 7. Como as PJs não têm cabeça, tronco e membros pra realizar suas atividadesdiretamente, elas fazem isso por intermédio das pessoas de carne e osso. Todaessa gente que dirige e administra as PJs, se compromete a realizar (ou, pelo menos, tentar realizar) os objetivos previamente definidos. Quer um exemplo? Algumas dessas Pessoas podem ter como missão preservar os animais, outras cuidam de menores em situação de risco social, etc. Já o E.C.VITÓRIA, existe para difundir a prática desportiva, participar de competições, dentre outros propósitos estabelecidos no seu Estatuto.- Então, as PJs são sempre entidades filantrópicas, de apoio à sociedade?
  8. 8. Nem sempre. Algumas Pessoas Jurídicas têm no seu "DNA" o objetivo de auferir lucros e, para tanto, organizam-se sob a forma de Sociedades. É o caso, por exemplo, do mercadinho doseu bairro. Já outras (como as ONGs e o próprio E.C.VITÓRIA),não possuem finalidade econômica e se organizam sob a forma de Associações. Todas elas contribuem (cada uma a seu modo) com o crescimento do país, seja gerando empregos, estimulando o comércio ou trazendo benefícios ambientais, desportivos, etc.- Beleza, mas como atuam os dirigentes dessas Associações?
  9. 9. As pessoas escolhidas para administrar as Associações (presidentes, diretores, etc.) têm atuação bem definida pelos respectivos atos constitutivos (as "certidões de nascimento", lembra?). Eles não podem se afastar dos limites impostos, sob pena de serem responsabilizados por atos lesivos ou praticados em desacordo com os fins pré-determinados. Veja bem: a relação entre os dirigentes e as entidades deve ser decoordenação de atividades. Não se pode subordinar essas Associa ções a interesses particulares de seus administradores ou de terceiros. - Quer dizer, então, que os dirigentes não "mandam" nas Associações?
  10. 10. Os diretores normalmente podem realizar atos próprios de gestão, de comando e têm poder de decisão. No entanto, eles devem sempre respeitar os limites impostos por seus estatutos, bem como toda a legislação do país, inclusive a Constituição Federal. Devemos lembrar que, como é uma relação travada entre pessoas, físicas (dirigentes) e jurídicas (entidades), não há relação de posse ou propriedade entre elas. Afinal, ninguém pode ser "dono" de outra pessoa, não é mesmo? - E, no caso específico do VITÓRIA, ele pertence à sua torcida?
  11. 11. Do ponto de vista estritamente legal, o VITÓRIA não é propriedade de ninguém. Porém, nosso Clube não se resume apenas a um ente jurídico.O Leão da Barra pertence à sociedade baiana, pelabrilhante história que construiu em mais de 1 século deexistência, pertence àqueles que diariamente trabalhamcom profissionalismo e seriedade em prol do seu sucesso,pertence aos milhares de atletas que já envergaram seumanto sagrado e conquistaram tantas glórias, ou seja...
  12. 12. ...o VITÓRIA também pertence à sua TORCIDA, poissempre esteve e sempre estará pulsando vivo no coração de cada Rubro-Negro! - Agora, sim! Captei a mensagem. Valeu! Mas aindaquero saber: de que forma nós, torcedores, podemos mudar alguma coisa no nosso Clube?
  13. 13. Para saber o quê, como, onde e quando algo pode ser feito, basta acompanhar os próximos capítulos do VITÓRIA PARA COLORIR Saudações Rubro-Negras! MOVIMENTO SOMOS MAIS VITÓRIA É hora do torcedor fazer história*Conteúdo elaborado pela Coordenadoria Jurídica do MSMV.

×