SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Baixar para ler offline
EXPEDIENTE
Coordenação
Adriana Denadai Espindula
Duo:D Comunicação e Sustentabilidade
Produção editorial,
textos e revisão
Anna Carolina Passos – Gestão e
Assessoria em Comunicação e Educação
Colaboração
Aldeia Comunicação
Cleci Krüger
Felipe Alves da Costa
Geise Frigini
Janaína Silva Oliveira
Rafael de Jesus
Fotos
Acervo Grupo Águia Branca
Gibran Chequer
Josiane Chieppe
Marcos Salles
Sagrilo
Thiago Lyra
Weverson Roccio
Projeto gráfico e editoração
Bios
Impressão
Grafitusa
70anos
1
Quando Carlos Chieppe, o famoso “seu Carlim” e grande precursor dos negócios de trans-
porte da família, partiu em busca da formação de seu próprio patrimônio, lá nos idos 1940,
talvez não tivesse a menor ideia que neste ano de 2016 estaríamos aqui escrevendo uma
revista comemorativa de 70 anos do Grupo Águia Branca. Tudo bem que a empresa foi
construída sobre princípios muito fortes! Ainda assim, talvez nem ele vislumbrasse ta-
manha longevidade...
Passeando pela história do Grupo Águia Branca logo vem à mente os valores que apren-
demos em família, se perpetuaram e acabaram se tornando nossas marcas registradas,
como ética, liderança, inovação, desenvolvimento sustentável, integração com a comu-
nidade, respeito ao meio ambiente e, principalmente, às pessoas.
Edificamos nossa “casa” sobre fortes pilares, mas se chegamos tão longe é porque du-
rante todo esse tempo contamos com as milhares de pessoas que já fizeram ou fazem parte
deste time. Somos uma empresa cuja construção é baseada, acima de tudo, em pessoas
e temos muito orgulho disso. E como todas elas fazem parte desta história de sucesso,
em nome do Conselho de Administração do Grupo Águia Branca fazemos questão de dei-
xar aqui nosso muito obrigado!
Neste ano em que comemoramos sete décadas de vida, estamos trazendo um pouco
dos capítulos já vividos, daqueles que estão por vir e compartilhando-os com você! Cada
página desta revista comemorativa está carregada de história, de lembranças, de conquis-
tas e de perspectivas. Esperamos que gostem do que vem pela frente.
Boa leitura!
DECIO LUIZ CHIEPPE
Presidente do Conselho de
Administração do Grupo Águia Branca
Grupo
Águia Branca:
PASSADO, PRESENTE E FUTURO!
EDITORIAL
Somos uma
empresa cuja
construção
é baseada,
acima de
tudo, em
pessoas.”
70anos
2
O GRUPO ÁGUIA BRANCA
superlativa
UMA HISTÓRIA
T
rabalho, valores, exce-
lência. Não é fácil elen-
car em poucas palavras
a verdadeira essência do
Grupo Águia Branca. Afi-
nal, a empresa familiar, nascida em
1946 no município de Colatina, in-
terior do Espírito Santo, comemora
70 anos tendo a seu favor uma his-
tória superlativa.
O que começou com uma peque-
na empresa de ônibus comandada pe-
los irmãos Vallecio, Wander e Aylmer
Chieppe tornou-se um dos maiores
grupos empresariais do setor de trans-
portes do País. Com sede em Vitó-
ria, no Espírito Santo, e faturamen-
to superior a R$5 bilhões por ano, o
Grupo Águia Branca atua nos servi-
ços de transporte rodoviário e aéreo
de passageiros, logística e comércio
de veículos.
O crescimento e as novas opor-
tunidades que começavam a surgir
na década de 1970 exigiram a estru-
turação e profissionalização do Gru-
po. Com o movimento ascenden-
te em curso, no ano de 1993 veio
a primeira reestruturação. E den-
tre as medidas resultantes daquele
estudo estava a criação das Unida-
des de Negócios (atuais Divisões)
– Passageiros, Logística e Comér-
cio –, que são as responsáveis pela
gestão das empresas que compõem
a Águia Branca.
Cada Divisão de Negócios atua de
maneira independente e especiali-
zada, conforme as características de
cada segmento. Dessa forma, a Divi-
são Passageiros é representada pela
Viação Águia Branca, que é especia-
lizada em transporte de passagei-
ros, aluguel de ônibus para turismo
e transporte de pequenas encomen-
das, e a Azul Linhas Aéreas, empre-
sa coligada.
Vix Logística e Autoport são as
marcas que compõem a Divisão Lo-
gística. Considerada uma das maio-
res empresas do setor de trans-
portes e logística do País, a Vix
Logística opera de norte a sul do
Brasil, e no Mercosul, com loca-
ção e gestão de frotas, traslados,
70anos
3
Ano base 2015
11.217.460
Passageiros transportados
24.188
Veículos comercializados
300.840.654
Quilômetros percorridos
6.599
Veículos e equipamentos
movimentação de cargas, logísti-
ca automotiva e logística dedicada.
A Divisão Comércio, por sua vez,
é a que reúne o maior número de
empresas. Ela representa as mar-
cas Toyota, Lexus, Mercedes-Benz,
Smart, Chrysler, Jeep, Dodge, RAM,
Land Rover e Jaguar. E seja na comer-
cialização de veículos comerciais ou
de automóveis de luxo, as concessio-
nárias oferecem aos seus clientes o
que há de mais moderno e sofisticado
no mercado automobilístico mundial,
tanto em produtos quanto em servi-
ços e atendimento.
Vitória Diesel no Espírito Santo
(Cariacica, Linhares e Cachoeiro do
Itapemirim) e Savana no Paraná e
Santa Catarina (Curitiba, São José
dos Pinhais, Ponta Grossa e Joinvil-
le) são revendedoras de caminhões
Mercedes-Benz. Kurumá, no Espí-
rito Santo e Rio de Janeiro, e Osaka,
em Minas Gerais, são concessioná-
rias Toyota.A Vitória Motors-Mer-
cedes-Benz é pioneira no segmento
de automóveis de luxo no Espírito
Santo, a Vitória Motors-Jeep ofe-
rece aos clientes as marcas do Gru-
po Chrysler (Jeep, Dodge, Chrysler
e Ram) e a Land Vitória é a primei-
ra concessionária Jaguar Land Ro-
ver do Estado.
Modelo
organizacional
Talento e tecnologia são outras
palavras de ordem na empresa, que
se consolidou no mercado apostan-
do num modelo organizacional que
busca valorizar pessoas. O presiden-
te Decio Chieppe, inclusive, costuma
dizer que o primeiro pilar estratégico
da Águia Branca são as pessoas que
fazem parte do time.
E este time é grandioso! Atual-
mente, o Grupo Águia Branca em-
prega mais de 13 mil pessoas – entre
funcionários diretos e terceiriza-
dos – e incentiva constantemente
o aperfeiçoamento profissional. Na
empresa “a regra é clara”: a quali-
ficação é o caminho que leva à ex-
celência, valor que os executivos
tanto prezam.
Segurança
e crescimento
sustentável
Além do fato de integrarem o mes-
mo grupo empresarial, os serviços
de transporte da Águia Branca têm
algo a mais em comum: a seguran-
ça como valor principal. Na práti-
ca, isso significa investimentos ma-
ciços em programas de capacitação
dos motoristas e modernos sistemas
de gestão da frota.
A empresa também não perde de
vista as premissas da sustentabilida-
de e tem no controle das emissões
de gases e na destinação correta dos
resíduos exemplos de iniciativas que
visam minimizar o impacto ambien-
tal das operações e a preservação dos
recursos naturais.
Outra iniciativa mais recente do
Grupo responde pelo nome de Reser-
va Ambiental Águia Branca, localiza-
da em Vargem Alta, região serrana do
Espírito Santo. Essa Reserva Parti-
cular do Patrimônio Natural (RPPN)
terá 2.250 hectares e seu registro está
em fase final.
Âmbito social
Uma empresa que valoriza as pes-
soas, investe em capacitação, não
perde de vista as diretrizes de sus-
tentabilidade e estimula a solidarie-
dade por meio do trabalho voluntário.
Neste quesito, o Grupo é também re-
ferência, tendo um bem estruturado
programa de voluntariado corporati-
vo do qual participam mais de 300 co-
laboradores e que beneficia cerca de
2000 crianças e jovens anualmente.
A Reserva Ambiental Águia Branca vai conectar
por meio de um mosaico de áreas preservadas os
parques estaduais de Pedra Azul e Forno Grande.
Este bioma é constituído por um grande fragmento
de floresta primária e foi reconhecido pela Unesco
como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.”
DIMENSÕES DO GRUPO ÁGUIA BRANCA
70anos
4
A
história da Viação Águia
Branca passa por núme-
ros grandiosos. Por ano
são mais de 11 milhões de
passageiros transporta-
dos, 70 milhões de quilômetros per-
corridos e mais de 230 viagens. Tudo
permeado por uma gestão com foco
em segurança operacional, inovação
e atendimento diferenciado.
Empresa pioneira na adoção do
sistema informatizado de emissão
de passagens, a viação é reconheci-
da pela excelência nos segmentos em
que atua. Além do transporte rodoviá-
rio de passageiros, realiza transporte
de encomendas e locação de ônibus
para turismo.
Em 2000 implantou o Programa de
Medicina do Sono, que cuida da saúde
e da boa qualidade do sono dos moto-
ristas, visando dotá-los de melhores
condições para desempenharem com
excelênciasuasatividades.Nessecon-
texto, a empresa ainda possui as Salas
de Estimulação do Alerta, com enfo-
que na luminoterapia com intensida-
de adequada, visando à prevenção da
sonolência em viagens noturnas. Tes-
te de vigília e bafômetro antes de to-
das as viagens são outros diferenciais.
A empresa dispõe ainda do Centro
de Controle Operacional, que plane-
ja e monitora as viagens pelo sistema
de videomonitoramento, com foco na
performance e melhorias dos proces-
sos de segurança das viagens.
DIVISÃO PASSAGEIROS
Com afinco e paixão, sem medir esforços,
atendemos a milhões de pessoas ao
longo dessas sete décadas. Segurança,
encantamento e respeito foram
determinantes para uma caminhada bem
sucedida e de longo prazo”.
Renan Chieppe
Diretor-geral da Divisão Passageiros
OPORTUNIDADE NO SETOR AÉREO
Além da excelência no segmento de transporte rodoviário de pas-
sageiros, o Grupo Águia Branca está fazendo história no transporte
aéreo por meio de um projeto que se iniciou há aproximadamente 10
anos, quando a empresa viu no boom do segmento aéreo uma nova
possibilidade de negócio.
Após analisar os riscos e oportunidades, o Grupo decidiu em 2006
entrar oficialmente no segmento de transporte aéreo. “Na época, estu-
damos três projetos e optamos pela ação mais contida, que foi a compra
da participação de 50% da Trip Linhas Aéreas”, conta Renan Chieppe.
Em pouco tempo, o investimento rendeu frutos. Em 2008 a Trip
foi eleita a maior empresa regional do Brasil e em 2012 uma nova lei-
tura do mercado colocou os executivos diante de outra oportunidade.
“Tivemos uma rápida escalada à frente da Trip, no mesmo mo-
mento em que víamos a Azul replicar um modelo de negócio bem pa-
recido com o nosso. Então, concluímos juntos que seria muito me-
lhor para a aviação brasileira ter uma grande empresa de aviação
nacional do que duas empresas médias. E a fusão dessas duas jo-
vens companhias, que primam por modelo de negócio arrojado, pro-
piciou ganho de sinergia e a criação da terceira maior empresa aérea
do Brasil”, diz Renan.
capítulos gloriosos
VIAÇÃO ÁGUIA BRANCA:
70anos
5
Chegamos aos 70 anos e
estamos fazendo história junto
com nossa equipe. E tenho
certeza que a capacidade
de inovar e realizar levará o
Grupo Águia Branca a novos e
promissores caminhos.”
Kaumer Chieppe
Diretor-geral da Divisão Logística
DIVISÃO LOGÍSTICA
VixLogística!
BUSCA CONSTANTE
PELA EXCELÊNCIA:
F
ornecer soluções logísti-
cas com segurança e exce-
lência por meio de pessoas
qualificadas, agregando
valor aos clientes e visan-
do à sustentabilidade do negócio.
Essa é a missão da Vix Logística. E
uma breve análise da história da em-
presa, que representa a Divisão Lo-
gística do Grupo Águia Branca, com-
prova o quanto sua rotina e operação
estão convergentes com este com-
promisso.
“Nosso time faz parte de uma
história de sucesso que já dura mais
de quatro décadas. E falamos dessa
trajetória com muito orgulho, afinal
a Vix Logística é uma das maiores
empresas do setor no País. Atua-
mos nos segmentos de locação e
gestão de frotas, traslados de pes-
soas, movimentação de cargas, lo-
gística automotiva e logística de-
dicada, com operações que vão de
norte a sul do Brasil e em outros
países da América do Sul. E tudo
isso sem perder nossos principais
focos: segurança, respeito ao meio
ambiente, qualidade e busca incan-
sável pela excelência”, destacou o
diretor-geral da Divisão Logística,
Kaumer Chieppe.
O primeiro capítulo da história
da Vix começou a ser escrito em
1971, quando a Águia Branca ini-
ciou as operações de fretamento.
Onze anos depois, o Grupo adqui-
riu a Viação Capixaba, ampliando a
frota de veículos e o volume de seus
negócios. Em seguida, tiveram iní-
cio as atividades de locação e logísti-
ca dedicada, sobretudo no segmen-
to de celulose.
Veio a década de 90 e com ela a
aquisição da Autoport. A compra da
empresa viabilizou os serviços de lo-
gística automotiva.
Especializada em soluções logís-
ticas customizadas, a curva ascen-
dente da Vix Logística não para...
Ampliou sua atuação em novos mer-
cados – mineração, cargas espe-
ciais, movimentação portuária,
óleo e gás – e fechou o ano de 2014
de maneira bem especial ao receber
um investimento de capital da IFC
(membro do Grupo Banco Mundial,
é a maior instituição de desenvol-
vimento global voltada para o setor
privado nos países em desenvolvi-
mento) e da IFC Alac. Juntas, as
duas instituições investiram R$ 200
milhões na Vix. Também em 2014,
ela lançou sua nova identidade vi-
sual, que busca representar com di-
namismo e modernidade o espírito
inovador do time que veste a cami-
sa da empresa.
„ FLEET SERVICE: Gestão de
frota, terceirização e locação de
veículos leves e vans.
„ FRETAMENTO: Transporte
dedicado para funcionários, tras-
lados e viagens especiais.
„ LOGÍSTICA AUTOMOTIVA:
Distribuição de caminhões, ônibus
e veículos zero quilômetro.
„ LOGÍSTICA DEDICADA:
Transporte e movimentação de
produtos, operações portuárias e
armazenagens.
„ RENT A CAR: Locação indi-
vidual de veículos leves.
OS NEGÓCIOS DA VIX
isso é com a
70anos
6
Sonhos
realidade
QUE VIRAM
DIVISÃO COMÉRCIO
“N
ão estamos em bus-
ca de uma venda ape-
nas. Queremos vender
parasempreaosnossos
clientes. Trabalhamos
para proporcionar a melhor experiência
de compra; para oferecer, dentre os me-
lhores produtos do mercado, aquele mais
adequadoàssuasnecessidadesecondições
financeiras. E depois, poder atendê-lo nas
revisões periódicas ou qualquer outro ser-
viço com conforto, preço e excelência”.
A afirmação, do diretor-geral da Divi-
são Comércio do Grupo Águia Branca, Ri-
guel Chieppe, demonstra bem como sua
equipe – que reúne as concessionárias de
caminhões Mercedes-Benz Vitória Die-
sel, Linhares Diesel e Savana, e de auto-
móveis Toyota (Kurumá e Osaka), Merce-
des-Benz (Vitória Motors), Jeep, Dodge,
RAM e Chrysler (Vitória Motors), Jaguar
e Land Rover (Land Vitória) – veste a ca-
misa. Muito mais do que vender veículos,
eles transformam sonhos em realidade!
A criação oficial da Divisão Comércio
aconteceu em 1993, em decorrência da
primeira reestruturação do Grupo Águia
Branca. Mas a experiência no segmen-
to de comércio de veículos começou em
1971, com a inauguração da Valadares
Diesel, revendedora de caminhões e ôni-
bus Mercedes-Benz, em Governador Va-
ladares (MG).
A Divisão Comércio “segue a cartilha”
do Grupo e escreve as páginas de sua his-
tória baseando-se, sobretudo, na presta-
ção de serviços de qualidade, no respei-
to ao cliente e nas relações sólidas com a
sociedade. E isso passa, obrigatoriamen-
te, pelas marcas representadas, que pos-
suem valores e princípios alinhados com
os da empresa.
E segundo Riguel, “através dessa con-
vergênciativemosachancedeconstruirre-
laçõesdelongadatacommarcascomoMer-
cedes-Benz e Toyota, e iniciamos parcerias
mais recentes com Jeep e Land Rover”.
Émuitaemoção
fazerpartedeste
momento.Eo
melhoréverque
osvaloresque
nortearamahistória
doGrupoÁguia
Brancapermanecem
vivosatéhoje.
Nossasempresas,
emboranãotenham
perdidosuaessência,
semodernizaram,
evoluíramese
prepararampara os
desafiosfuturos”.
Riguel Chieppe
Diretor-geral da Divisão Comércio
Concessionárias
30
Veículos vendidos
24.188
Referência: dezembro 2015
NÚMEROS
70anos
7
HOLDING
O
segredo do bom fun-
cionamento de uma
orquestra passa, obri-
gatoriamente, por ins-
trumentos afinados e
profissionais qualificados, que sob a
regência de um maestro encolhem e
alongam as notas, e equilibram tons
graves e agudos. No ambiente empre-
sarial a dinâmica é a mesma. Ou seja,
todas as “engrenagens” que possibi-
litam seu pleno funcionamento pre-
cisam estar ajustadas.
Em se tratando da Águia Branca,
emboracadaempresadasDivisõesPas-
regente
orquestra
UMA ESPÉCIE DE
da
sageiros, Logística e Comércio tenha
sua própria estrutura organizacional,
a Holding completa esse quadro como
acontroladoradosnegóciosdoGrupo.
Dona de um quadro profissional
mais enxuto – são 126 pessoas, en-
tre funcionários e estagiários –, a Hol-
ding atua sob quatro vertentes: pro-
vedora dos serviços de tecnologia da
informação (toda a área de TI é cor-
porativa e atua na Holding); respon-
sável por perenizar as boas práticas
das diretrizes do Conselho de Admi-
nistração; prestadora de serviços téc-
nicos e especializados às empresas; e
Family office (atendimento aos acio-
nistas).E é dela também a responsa-
bilidade de intermediar as grandes ne-
gociações financeiras que envolvem o
Grupo Águia Branca.
“Como possui um quadro de pro-
fissionais com expertise diferencia-
da, a Holding disponibiliza assessoria
técnica e especializada às empresas
do Grupo, principalmente no que diz
respeito a demandas jurídicas, tribu-
tárias e financeiras. A Holding atua
em todos os processos que agreguem
valor quando se age de forma cor-
porativa, permitindo que a força do
Grupo Águia Branca se transforme
em benefícios, seja pelos ganhos de
escala, pela minimização dos riscos
ou pela otimização de recursos”, ex-
plica o Diretor de Gestão, Ricardo
Vaze Pinto.
E além de cuidar dos assuntos cor-
porativos, a Holding carrega ainda ou-
tra responsabilidade. Ela é uma espé-
cie de “guardiã” dos valores, pilares e
conceitos que fazem parte da história
de 70 anos do Grupo Águia Branca.
A Holding tem o papel de transformar em
ações todas as políticas do Grupo Águia Branca,
deliberadas pelo Conselho de Administração,
bem como ser o elo dos acionistas com as
empresas, apoiando a implementação das
decisões, interpretando as necessidades
das empresas e viabilizando soluções”.
Ricardo Vaze Pinto
Diretor de Gestão da Holding
70anos
8
GOVERNANÇA
S
ucessão, perenidade e go-
vernança corporativa são
palavras que fazem parte
da rotina do Grupo Águia
Branca desde 1974, ano
da primeira estruturação na gestão
da empresa.
Anos depois, com a “casa arru-
mada”, o crescimento em voga e a
necessidade de organizar os novos
rumos, os executivos mergulharam
fundo na essência da governança,
sistema pelo qual as empresas são
dirigidas e monitoradas a partir dos
princípios da transparência, equida-
de, prestação de contas e responsa-
bilidade corporativa.
Como resultado, em 1993 a dire-
toria promoveu uma reestruturação
e em 2014 concluiu a terceira onda
da governança. O estudo, coorde-
nado pelo ex-presidente da Holding,
Nilton Chieppe, contemplou, dentre
outras coisas, a mudança de geração
no comando da empresa.
“Em 1º de janeiro de 2015 uma
nova geração da família, no caso De-
cio Chieppe, assumiu o comando do
Grupo. Essa decisão foi tomada em
conjunto e dentro de uma visão de
longo prazo”, destacou o conselheiro
do Grupo Águia Branca, que revisi-
tou o passado e fala um pouco sobre
os outros processos de estruturação
da empresa.
A estruturação
O ano era 1974. A empresa come-
çava a crescer, novas oportunidades
surgiam e junto com o crescimento
veio a necessidade de estruturação e
profissionalização.“Precisávamos de
informatização e estatísticas da infor-
mação que nos proporcionassem um
direcionamento mais alinhado, pois
naquele momento havia um descom-
passoentreofertaedemanda.Contra-
tamosumaconsultoriaparanosajudar
nessa adequação à nova realidade e o
estudonoscolocou,inclusive,numpa-
tamar acima da maioria das empresas
da época”, detalhou Nilton Chieppe.
perenização da empresa
GOVERNANÇA, SUCESSÃO, VALORES E
Mas além de garantir a base do
departamento de informática do
Grupo, este primeiro modelo de
gestão resultou também na trans-
ferência da sede administrativa da
empresa de Colatina, Região No-
roeste do Espírito Santo, para Vi-
tória, em 1975. “A mudança foi ou-
tro marco e teve grande impacto
em nossa rotina e atividades”, disse
ele, para quem a consultoria propi-
ciou outro grande ensinamento aos
executivos.
“Quandocontratamosesteprimeiro
estudo, tínhamos pouca experiência e
deixamosodesenvolvimentodoproje-
to por conta do consultor. Mas apren-
demos o quanto é importante partici-
par, pois não existe receita pronta. E
assim temos feito desde então!”
A primeira
reestruturação
Dezenove anos se passaram entre
a estruturação de 1974 e a reestrutu-
70anos
9
ração de 1993. E segundo Nilton
Chieppe, a decisão foi novamen-
te tomada em função do cresci-
mento da empresa – impulsionada
pela diversificação dos negócios,
que começava a ganhar cada vez
mais corpo.
“Nossa nova realidade carecia
de reestruturação, pois o modelo
da década de 70 não nos atendia
mais de maneira plena. Foi quando
entramos em contato com o con-
sultor Osvaldo Nieto e demos a ele
a missão de desenhar o novo mo-
delo de gestão, que resultou, den-
tre outras medidas, na criação do
Conselho de Administração e na
instituição das Unidades de Negó-
cios (atuais Divisões de Negócios)
– Passageiros, Logística e Comér-
cio”, lembra.
Naquele ano, os executivos já
estavam mais à vontade com o
processo e não apenas participa-
ram de cada etapa da reestrutura-
ção como lançaram ideias, boas
ideias. “Foi a partir de uma inicia-
tiva nossa, por exemplo, que ins-
tauramos o Programa da Qualida-
de aqui no Grupo”, ressalta ele.
A segunda
reestruturação
Um novo aperfeiçoamento do
já bem-sucedido modelo organi-
zacional do Grupo Águia Branca
teve início no segundo semestre do
ano de 2013, quando Nilton esta-
va à frente da Holding. Como nos
anos anteriores, o estudo se tor-
nou necessário graças aos avan-
ços da empresa.
O conceito do estudo, que
definiu novas regras para cargos
executivos, conselhos setoriais e
Conselho de Administração, foi
desenvolvido pela Fundação Dom
Cabral (FDC), o conteúdo ficou a
cargo de Osvaldo Nieto e os docu-
mentos finais redigidos pelo setor
jurídico da Águia Branca, através
do Diretor de Gestão da Holding,
Ricardo Vaze Pinto. E depois de
passar pela FDC, por Nieto e pelo
setor jurídico, o documento fi-
nal foi submetido à apreciação
e aprovação de todos os acionis-
tas, e entrou em vigor no dia 1º
de janeiro de 2015.
GOVERNANÇA
Sem dúvida, a reestruturação de 2014 é
uma evolução da anterior, acredito que ela
tenha sido feita no tempo certo e todas as
medidas tomadas foram balizadas nos valores
que aprendemos em família, com Carlos
Chieppe, e tiveram como objetivo garantir
a perenização do Grupo Águia Branca”
Nilton Chieppe
Membro do Conselho de Acionistas
CONSELHO DE ACIONISTAS
Colegiado que define as
grandes decisões do Grupo.
CONSELHOS DE ADMINISTRAÇÃO
Tanto no âmbito corporativo (Grupo)
quanto nas Divisões, esses conselhos
são responsáveis pelas estratégias
relacionadas à gestão dos negócios.
DIRETORIA GERAL DA DIVISÃO
Dirige a Divisão com base no que foi
definido no Conselho, orientando sua equipe
de executivos.
DIRETORES-EXECUTIVOS
Dirigem os negócios específicos
de cada Divisão orientando os
gestores nas ações estratégicas.
OUTROS GESTORES, INCLUSIVE O SEU!
Ficam na linha de frente das operações,
colocando os negócios para funcionar
na prática.
INDEPENDENTE DA SUA ATIVIDADE,
SUA PARTICIPAÇÃO É FUNDAMENTAL PARA
O SUCESSO DA EMPRESA.
70anos
10
FUNDADORES
V
erdade seja dita... Se o
ano de 2016 marca as
comemorações dos 70
anos do Grupo Águia
Branca, devemos isso
ao espírito empreendedor dos ir-
mãos Vallecio, Wander e Aylmer
Chieppe, os fundadores desta que
é considerada hoje uma das maio-
res empresas de transportes do Bra-
sil. E some-se ao espírito empreen-
dedor desses três muito trabalho!
Naquela época não havia por parte
de nenhum dos três a menor inten-
ção de transformar o pequeno ne-
gócio numa companhia desse porte.
“Ah, naquela época, lá em 1950,
nós pensávamos apenas em trabalho,
trabalho, trabalho, e tocar a empresa.
Não havia planejamento no futuro. O
queestamosvivendohojeéconsequên-
ciadotrabalhoedeteraproveitadobem
asoportunidadesquesurgiram”,costu-
madizerAylmer,omaisnovodostrês.
A revista comemorativa de 70
anos do Grupo Águia Branca traz
VALLECIO, WANDER E
AYLMER CHIEPPE:
Irmãos
trabalho
um bate-papo com Wander e Ayl-
mer, e fragmentos de uma entrevista
dada por Vallecio em 5 de dezembro
de 1995, pouco antes dele se afas-
tar da gestão dos negócios.Vallecio,
O senhor começou na empresa como trocador e
logo depois foi promovido a motorista. Conte um
pouco da felicidade dessa promoção...
AYLMER CHIEPPE (Risos) Tenho certeza que
quando os motoristas, meus colegas de trabalho,
chegaram a essa função também definiram aquele
momento como importante na vida deles. Era cobrador e
minha primeira promoção foi formidável! Como motorista
eu tinha o domínio da situação, e quando lidamos com a
vida de outras pessoas, esse sentimento nos conforta.
Estudos sobre empresas familiares apontam
que para vencer elas precisam profissionalizar
seu negócio e a própria família. O Grupo Águia
Branca tem uma governança corporativa que é
referência. Como vocês atuam na empresa para
que aquele velho ditado “avô rico, filho nobre,
neto pobre” não seja uma realidade na família?
Sempre buscamos profissionalizar cada vez mais nossa
gestão. Então, investimos em processos para garantir
a perenidade da empresa, pois meu irmão, Vallecio,
passou, eu passei, Nilton passou, Decio vai passar. Mas
a empresa tem que ser perene. E é com esse foco que
estamos trabalhando já há algumas décadas.
Uma empresa de respeito
Se tivesse que eleger uma palavra que seja a cara da Águia
Branca ela seria respeito: às autoridades, colegas de
serviço, clientes, fornecedores, às leis e, principalmente,
a Deus. Essa é a palavra que resume tudo: respeito”
Aylmer Chieppe
70anos
11
UM POUCO DA HISTÓRIA
SOB A ÓTICA DE
VALLECIO CHIEPPE
„„ TRABALHO DESDE CEDO:
“Meus pais tiveram duas filhas mu-
lheres, depois nasceram dois ho-
mens, depois foi intercalando, uma
mulher, um homem... Somos 10
irmãos e eu sou o mais velho dos
homens. E o mais velho carrega o
maior peso, meu pai (Carlos Chie-
ppe) era um homem muito ocupa-
do, então com oito anos já me colo-
cou para trabalhar na loja de secos
e molhados, em Colatina”.
„„ A COMPRA DA ÁGUIA
BRANCA EM 1957: “Quem com-
prou fui eu, meu pai foi meu ava-
lista, mas o vendedor nem exigiu
o aval. Ele disse: ‘Eu te conheço há
muito tempo, venho lhe acompa-
nhando de perto e você leva os ne-
gócios muito a sério”.
„„ MANUTENÇÃO E SEGU-
RANÇA: “Todos queriam andar
em nossos ônibus pois fazíamos
manutenção muito boa nos car-
ros. Tínhamos uma equipe ótima!
Outro diferencial era o treinamen-
to dado aos motoristas. Eu era exi-
gente demais, quando ninguém sa-
bia me dizer se ele era bom ou não
eu o acompanhava numa viagem.
Ia dentro do ônibus para ver como
ele estava dirigindo”.
„„ TRABALHO NO DNA: “Eu
sempre gostei de trabalhar mui-
to, meu negócio foi sempre dar
tudo o que eu podia em favor da
empresa”.
considerado o grande idealizador da
empresa, faleceu dia 9 de abril de
2016, em decorrência do Mal de Al-
zheimer. Os trechos retirados da en-
trevista da década de 90, contudo,
deixam claro o quanto o empreende-
dorismo, o trabalho, o compromis-
so com os clientes e a segurança es-
tão intimamente ligados à história da
Águia Branca.
Temos que
tratar todo
mundo bem,
essa é uma
coisa que
levamos desde
sempre”
Vamos falar um pouco de números? 90% das empresas
brasileiras são familiares. Apesar disso, 30% delas chegam
à segunda geração e menos de 10% à terceira. O Grupo Águia
Branca, no entanto, foge a essa regra. Na opinião do senhor,
qual o segredo do sucesso desta empresa?
WANDER CHIEPPE Ah, se tiver que resumir o sucesso da nossa
empresa em poucas palavras, escolho sucessão, confiança e força de
vontade. O cuidado com o qual desenvolvemos o projeto de sucessão
da empresa, a confiança, que sempre foi marca registrada de nossa
história, e a força de vontade dos membros da família no que diz
respeito ao trabalho que desenvolvemos são, sem dúvida, o segredo da
longevidade do Grupo Águia Branca.
O senhor já trabalhou muito. Mas e hoje em dia?
Como é sua rotina?
Vou à empresa duas vezes por semana ver meu pessoal e continuo tocando
um negócio importante, que é a venda dos ônibus usados. Mas o que eu
gosto mesmo é da minha casa e da minha família. Também adoro pescar,
mas apenas no rio. Fui no mar duas vezes: a primeira e a última... (risos)
Além disso, tenho meu sítio, onde possuo uma criação de peixes.
“O Grupo Águia Branca
está em boas mãos!”
70anos
12
O
uvir, estudar, mergulhar na histó-
ria do Grupo Águia Branca é como
abrir um livro inspirador, cujos capí-
tulos nos mostram o sentido prático
de palavras como família, coragem,
trabalho, ousadia, perseverança, empreendedoris-
mo, sucesso.
E para justificar essa afirmação vamos voltar no
tempo... Quem imaginaria que um simples negó-
cio no interior do Espírito Santo, nascido do sonho
e da visão de futuro de Carlos Chieppe, no ano de
1946, viria a se tornar um dos maiores grupos em-
presariais do País?
À primeira vista, a história da Águia Branca não
difere muito da de outros grandes grupos nacionais.
Mas um “passeio” por essas sete décadas mostra que
não é bem assim... E que a receita do sucesso e da
longevidade da empresa perpassa por detalhes que
fazem toda a diferença.
O primeiro deles é a própria família – com mui-
tos filhos, irmãos, sobrinhos, netos. Porém, o que
poderia ser um problema, principalmente em se tra-
tando de empresa familiar, tornou-se – com certe-
za! – uma grande força. Juntos, eles não apenas to-
caram o que foi construído no século passado, como
foram responsáveis pelo crescimento, baseado em
gestão, profissionalização e uma governança cor-
porativa que já se tornou referência no mercado.
Some-se a isso o brilho nos olhos de cada mem-
UM
CONTO
DA VIDA
REAL
HISTÓRIA
bro da família ao resgatar parte desta história. Seja
para contar como “Seu” Carlim trocou seu cami-
nhão por um ônibus, tornando-se, assim, pioneiro
no transporte de passageiros na região naquela épo-
ca; seja para relembrar fatos históricos ou engraça-
dos que marcaram a trajetória da empresa; seja para
citar os valores passados de pai para filho sobre os
quais está sustentada essa construção.
Ah, os valores... Se existe algo entranhado na
história da Águia Branca são esses valores. Respei-
to, ética, crença no trabalho, solidariedade, união,
fé são apenas algumas “palavras de ordem” que
acompanham o dia a dia da companhia desde sem-
pre e que certamente se manterão vivas por mui-
tos e muitos anos.
E se o tempo não para, o Grupo Águia Branca
também não! Tudo começou com um sonho, que
exigiu esforço e foco. Os anos passaram e vieram os
investimentos, os voos mais altos. A empresa diver-
sificou suas atividades – o transporte rodoviário de
passageiros evoluiu para comércio e locação de veí-
culos, logística e transporte aéreo de passageiros –,
ganhou reconhecimento e respeito. Virou referên-
cia no mercado. É fonte de inspiração!
70anos
17
GRUPO ÁGUIA BRANCA:
ESSA É UMA HISTÓRIA QUE
VALE A PENA CONHECER!
Auto Viação 13:
O primeiro ônibus do Grupo
Primeira garagem do Grupo Águia Branca, em Colatina
70anos
13
Os irmãos Vallecio,
Wander e Aylmer
reúnem-se
novamente, com
fusão das empresas
e saída do sócio
externo.
Vallecio decide buscar
novas oportunidades, sai
dos negócios da família e
adquire, junto com João
Godoy Sobrinho, a Viação
Águia Branca, então com
12 ônibus.
Neto de Domenico, Carlos Chieppe nasceu em
1896 e começou seus negócios aos 40 anos. Em
1946, ele troca um caminhão que fazia transporte
de café por um ônibus e denomina a empresa de
Auto Viação 13. Este negócio marca o início da
atividade de transporte de passageiros da família.
Seu filho mais velho, Vallecio, então com 17 anos,
assume a função de cobrador e três meses depois,
quando completa 18 anos, se torna o motorista.
O patriarca Domenico
Chieppe chega ao Brasil
com sua família, vindo
do Vêneto, na Itália. A
família se estabelece
na região de Duas
Vendinhas, localizada
no atual município de
Colatina (ES), e começa
a trabalhar na área
agrícola.
HISTÓRIA
ÁGUIA BRANCA
DO GRUPO
1889 1961
1946 1957
A Águia Branca adquire a
Viação Capixaba, empresa
com sede em Vitória e
especializada no transporte
de funcionários para grandes
empresas, negócio que
futuramente foi incorporado à
Vix Logística. Também em 82,
foi criada pelo designer Hans
Donner a primeira logomarca
da Viação Águia Branca, que
passou a representar todos
os negócios do segmento de
transporte de passageiros do
Grupo. O ano garantiu, ainda,
impulso na diversificação dos
negócios com a compra da
concessionária Mercedes-
Benz Vitória Diesel.
Neste ano ocorre a primeira
atuação oficial no ramo de comércio
de veículos com a abertura da
concessionária Valadares Diesel,
revendedora de caminhões e ônibus
Mercedes-Benz, em Governador
Valadares (MG). No mesmo ano
é feito o primeiro contrato de
fretamento, originando os negócios
de logística, que na década de 90 foi
incorporado pela Vix.
A década marca
o crescimento e
diversificação dos
negócios do Grupo.
Em maio, a Empresa
Mariano Pires
Pontes, conhecida
como Sayonara e
que fazia transporte
urbano em cidades
de Minas Gerais, é
incorporada à Águia
Branca. Em outubro,
são compradas
frota e linhas da
Viação Itapemirim
que atendiam à
Região Norte do
Espírito Santo.
Com a expansão dos negócios
para o norte do Espírito Santo, a
sede da empresa sai de Colatina
e vai para Cariacica, Região
Metropolitana da Grande Vitória.
Naquele ano, foi adquirida a
Expresso São Jorge, na cidade
de Itabuna. A compra da
empresa somada à abertura
da BR 101, ligando Vitória a
Salvador (BA), permite o grande
desenvolvimento da empresa
no estado da Bahia.
1970 1973
1971 1982
1975
Claudio Moura, que entrou na sociedade em 1965,
deixa a empresa, fundando a Univale, em Minas Gerais.
O incremento das importações de veículos no País estimula a
abertura de uma nova concessionária, a Kurumá, revendedora
Toyota, em Vitória. O ano marca também o início do negócio de
locação de frota e logística dedicada, e a criação da marca Vix.
Dois anos após, é criada a Águia
Branca Cargas (1984-2003),
responsável pelo transporte
fracionado de cargas nas regiões
Nordeste, Sudeste e Sul do País.
A Águia Branca foi pioneira na adoção do
sistema informatizado de emissão de passagens.
Também naquele ano foi implantada a Holding
Águia Branca Participações, responsável por
organizar societariamente todas as empresas
que compunham os diferentes negócios do
Grupo e tratar os temas em comum.
Acionistas criam o Conselho de
Administração e instituem as
Unidades de Negócios (atuais
Divisões) para reunir sob uma
única diretoria as empresas que
desenvolviam atividades afins.
Ao completar 50 anos, Grupo
Águia Branca cria sua primeira
marca corporativa.
Colaboradores criam a gincana
recreativa GinVab. A iniciativa
evolui e em 2004, através do
fortalecimento de seu cunho social,
dá origem à Amigab, o programa de
voluntariado do Grupo.
1984 1998
1991
1992
1996
1987
1993
70anos
16
É aprovado o novo modelo organizacional do
Grupo Águia Branca, no qual o presidente da
Holding passa a ter um mandato de quatro
anos e responde também pela presidência
do Conselho de Administração.
No dia 9 de abril, o
fundador e primeiro
presidente Vallecio Chieppe
falece, em decorrência do
Mal de Alzheimer.
Acontece a fusão da Trip com
a Azul Linhas Aéreas, numa
negociação que formou a terceira
maior empresa aérea do Brasil.
O ano é marcado pela compra
da Salutaris, tradicional
empresa de transporte
rodoviário no Rio de Janeiro.
Decio Luiz Chieppe assume a presidência
da Holding. O executivo é o primeiro
membro da segunda geração a assumir o
cargo. Em dezembro, a Viação Águia Branca
atualiza a pintura dos ônibus, novamente
desenvolvida por Hans Donner. No mesmo
mês, o Grupo Águia Branca reestiliza seu
logotipo.
A Trip Linhas Aéreas, empresa
fundada em 1998 pelo Grupo Caprioli,
marca a entrada do Grupo Águia
Branca no segmento de transporte
aéreo de passageiros e cargas, com a
aquisição de 50% do seu capital.
No mês de dezembro, a Vix Logística
recebe um investimento de capital
da IFC e da IFC Alac. Juntas, as duas
instituições investiram R$ 200 milhões
na empresa. Também neste ano, a Vix
lança sua nova identidade visual.
2006 2014
2012
2003 2015
2013 2016
70anos
18
SEGURANÇA
máxima
inegociável!
D
e tudo o que compõe a
essência do Grupo Águia
Branca, não há dúvida
de que segurança é um
dos atributos mais rele-
vantes. Na Divisão Passageiros ou de
Logística, cujas operações envolvem
o transporte de pessoas, as ações e
projetos são planejados e desenvol-
vidos com a premissa da segurança,
dia após dia, ano após ano. É sem-
pre assim!
Diretor de Operações da Viação
Águia Branca, Wallace Serafim resu-
me bem o peso da palavra segurança
na rotina da empresa.
“Na Viação Águia Branca, segu-
rança é um pilar estratégico opera-
cional, de forma que todos os nossos
processos são estruturados visando
ao transporte de passageiros com ex-
celência no atendimento e segurança
veicular, tema inegociável em nos-
sa empresa. Investimos tempo e re-
cursos para proporcionar às equipes
TRANSPORTAR COM SEGURANÇA,
Tudo começa na prevenção
Quando o assunto é segurança,
a Vix Logística não perde de vista
as ações preventivas, as principais
responsáveis pelas boas práticas
da empresa e, consequentemen-
te, pelo alto nível de suas opera-
ções logísticas.
A principal ação da Vix para ga-
rantir a segurança de colaborado-
res e clientes é o Programa de Re-
ciclagem de Motoristas, cuja meta
é manter 100% dos motoristas trei-
nados. O treinamento, dividido em
um módulo comportamental e ou-
tro de legislação, é uma agenda
permanente e inclui grupos de es-
tudo para escolha dos temas a se-
rem discutidos.
O Diálogo Diário de Segurança
(DDS)éoutrapráticaforteeincen-
tivadapelosgestores.Diariamente,
por 10 minutos antes da jornada de
trabalho, os motoristas debatem e
trocam experiências a respeito da
segurança. Campanhas educati-
vas, testes etílicos (bafômetros)
e a Patrulha do Trânsito também
fazem parte das iniciativas de pre-
venção desenvolvidas na empresa.
E a prova do quanto segurança
é um valor impregnado na sua roti-
na é o fato da Vix ser certificada na
OSHAS 18.001, que é uma ferra-
menta que engloba orientações so-
bre as quais uma organização pode
implantar e ser avaliada com rela-
ção aos procedimentos de saúde e
segurança do trabalho. Em outras
palavras, é uma certificação dada
a organizações que desenvolvem
um trabalho de excelência no to-
cante à segurança.
condições ideais para o exercício de
suas atividades, sempre prestando
serviços com a máxima qualidade e
segurança”.
Acompanhe abaixo algumas ações
das empresas para garantir que no iní-
cio, meio ou fim de qualquer viagem,
a segurança esteja presente.
70anos
19
De ponta a ponta
Na Águia Branca,
segurança vem sempre
em primeiro lugar.
É um valor do qual
não abrimos mão.
Temos a consciência
de que transportamos
vidas humanas, e isso
não tem preço.”
Sou motorista na
Vix há nove anos e
participei de muitos
treinamentos e
reuniões sobre
segurança. E isso é
fundamental para
eu desempenhar
minha função com
responsabilidade.”
Amarilio dos Santos
Instrutor da Patrulha Eletrônica
Leonardo Guimarães
Motorista do Contrato ArcelorMittal – Vix Logística
Para garantir a segurança em
suas operações, a Viação Águia
Branca cumpre diretrizes opera-
cionais e procedimentos obrigató-
rios antes e durante cada viagem.
Treinamentos, exames toxicoló-
gicos, monitoramento de vigília
e bafômetro fazem parte da roti-
na dos motoristas, que também
dispõem de Salas de Estimula-
ção em pontos estratégicos onde
os ônibus passam. Parte do Pro-
grama Medicina do Sono, a Sala
de Estimulação tem enfoque na
luminoterapia. Lá, nas paradas
das viagens, os motoristas tam-
bém fazem alongamento e utili-
zam bicicleta ergométrica, além
de lanchar.
Oacompanhamentodaqualidade
dosonoéoutraatividadedoprogra-
ma. Os motoristas são estimulados
a adotar hábitos saudáveis para que
durmambeme,consequentemente,
tenham melhor qualidade de vida.
As técnicas de segurança não
param por aí! Velocidade, georre-
ferenciamento, pontualidade e efi-
cáciaoperacionaldafrotasãomoni-
torados por sistema de telemetria e
câmeras, com foco na direção pre-
ventiva. Campanhas internas tam-
bém são instrumentos de sensibi-
lização. E todas essas ações estão
interligadas a consolidados progra-
mas de ambientação, capacitação,
aperfeiçoamento e de reconheci-
mento das equipes.
O foco de todas as ações que desenvolvemos
é sempre a mudança de comportamento, pois
a análise de nossas ocorrências demonstra
que a principal causa de acidentes é a conduta
insegura. É preciso que o colaborador
entenda que realizar suas atividades com
segurança não é uma só exigência da Vix,
mas é o que o fará voltar para casa, ao final
da sua jornada de trabalho, com saúde para
poder conviver com sua família e amigos.”
Alexandro Klippel Krebel
Gerência de Operação da Vix Logística – Diretoria de Fleet Service
70anos
20
INOVAÇÃO
melhor
INCESSANTE BUSCA PELA
INOVAÇÃO, PELO FAZER MAIS E
E
stá descrito no dicionário:
inovação significa novida-
de ou renovação, se refere
a uma ideia, método ou ob-
jeto que é criado e que pou-
co se parece com padrões anteriores.
E essa busca pelo fazer melhor e com
mais qualidade faz parte do DNA do
Grupo Águia Branca.
Diretor de Tecnologia e Inovação
da Holding, Janc Lage resume a re-
lação entre a empresa e a inovação
nesses 70 anos. “A busca pela inova-
ção é algo que se perpetua através de
nossa cultura organizacional. Investi-
mos em treinamentos, certificações e
prêmios por meio da sedimentação de
práticas, processos de melhoria con-
tínua e da realização de nosso Prêmio
da Qualidade”, destaca.
Essa obstinação pela melhoria con-
tínua, adicionada à coragem de ino-
var, sempre fizeram com que o Grupo
mirasse na excelência. E por diversas
vezes, de forma espontânea, foi pio-
neiro no mercado.
A Águia Branca foi a primeira em-
presa do setor a implantar um ERP
(Planejamento de Recurso Corpora-
tivo – Enterprise Resource Planning
em inglês). “Quando muitos de nos-
sos concorrentes sequer eram infor-
matizados, desfrutamos de alta dis-
ponibilidade tecnológica e tolerância
a falhas. Isso foi há quase duas déca-
das”, lembra o diretor.
Falando, ainda, de inovação es-
pontânea, o Grupo saiu na frente na
venda on-line de passagens, na tele-
metria da frota, na eliminação de odo-
res dos banheiros dos ônibus, num
projeto que adaptou cegonhas para o
transporte de Hilux/Toyota, na emis-
são de passagens por terminais ele-
trônicos, na venda embarcada com
uso de coletores eletrônicos, no apro-
veitamento de água condensada nos
ônibus e na governança corporativa.
Regra básica quando o que está
em pauta é a inovação, a adaptação
às mudanças possibilitou ao Grupo
avançar. “Há alguns anos a dinâmi-
ca do mercado se intensificou e mo-
delos de negócio vêm se tornando ob-
soletos rapidamente. Esse movimento
trouxe desafios diferentes, pois per-
cebemos que o modelo de inovações
espontâneas que nos trouxe até aqui
precisava de lapidação, incentivo e
estrutura”.
Diante dessa nova demanda, o ano
de 2015 se transformou num divisor
de águas. “Adequamos a governan-
ça corporativa e incluímos a inovação
como um de nossos pilares. Nossa in-
tenção é ser uma corporação inova-
dora em seus processos, negócios,
atendimento aos clientes e na forma
de se relacionar no ambiente empre-
sarial”, argumenta o diretor.
E completou, deixando no ar o que
vem pela frente... “Esperamos que
nos próximos anos, a inovação seja
um dos elementos fundamentais da
nossa perpetuação e crescimento”.
Prêmio Grupo Águia Branca da Qualidade
A primeira empresa do Grupo
Águia Branca a incentivar o uso
das ferramentas da qualidade foi a
Viação Águia Branca, que lançou
o Prêmio da Qualidade em 1996.
E este acabou sendo incorporado
pela Holding, que levou a premia-
çãoàsdemaisDivisõesdeNegócios
– Logística e Comércio de Veículos.
O Prêmio Grupo Águia Branca
da Qualidade incentiva a dissemi-
nação da metodologia de gestão
por processos como instrumen-
to de identificação de oportunida-
des de melhorias. Os participantes
implantam melhorias preventivas,
corretivas ou de inovação, utilizan-
do as ferramentas da qualidade, e
em seguida inscrevem seu proje-
to. Anualmente, são elaborados
em média 70 cases.
MAIS SOBRE A AMIGAB
„ Anualmente, participam mais
de300colaboradoresdoGrupo;
„ Mais de 11 instituições filan-
trópicas já foram beneficiadas
em 2016;
„ A Amigab nasceu em 1998, por
meio da Gincana Social, inicia-
da pelos funcionários;
„ Em 2004, a gincana deu lugar
ao Programa de Voluntariado
Amigab, que beneficia por ano
uma média de 2000 crianças e
jovens dos estados do Espírito
Santo, Rio de Janeiro, Mara-
nhão, São Paulo e Bahia.
VOLUNTARIADO
fazer o bemsem olhar a quem...
AMIGAB:
70anos
21
E
squeça a definição formal
de trabalho voluntário – se-
gundo a ONU, “o voluntá-
rio é o jovem ou adulto que
devido a seu interesse pes-
soal e seu espírito cívico, dedica parte
de seu tempo, sem remuneração, a
diversas formas de atividade de bem-
-estar social”. Para os mais de 300
colaboradores do Grupo Águia Bran-
ca que integram anualmente o Pro-
grama de Voluntariado Amigab isso
vai além! O lema deles é fazer o bem,
sem olhar a quem!
Ação, compromisso, aprendizado,
força de vontade, fé... O que, de fato,
a Amigab representa para esse grupo?
De que forma as atividades e projetos
impactam sua vida? Com a palavra,
quatro voluntários da Amigab!
Vendedora de Telepeças da Vitó-
ria Diesel, Geanne Gomes entrou no
programa porque sabia que se senti-
ria em casa. “O voluntariado está no
DNA de minha família e quero passar
o mesmo valor para minha filha, Bár-
bara. Cresci no interior e várias vezes
vi meu avô doar leite aos vizinhos”.
Na Amigab é assim... Família que
trabalha voluntariamente unida per-
manece unida! Essa é a realidade da
Secretária da Holding Kátia Fernan-
des de Lima, que já envolveu o ma-
rido, Nelson, e o filho, Eduardo, nas
ações. “A harmonia familiar que le-
vei para a Amigab refletiu dentro de
casa”, diz ela, para quem o amor dos
voluntários é capaz de amenizar a fal-
ta de perspectiva que muitas vezes
impera na vida das crianças e jovens
atendidos pelas entidades.
A força da Amigab não se limita ao
Espírito Santo, onde está a sede do
Grupo Águia Branca. Voluntários de
outras bases do programa, como é o
caso de Vanessa Moraes, Encarrega-
da de Tráfego da Vix Logística Freta-
mento de São Luiz, no Maranhão, e
do Analista Administrativo da Viação
Águia Branca de Salvador, na Bahia,
Deyvid Lino Euzébio Silva, são a pro-
va disso!
Ambos têm a essência do progra-
ma interiorizadas.“Saí da minha zona
de conforto e já vejo o mundo de ou-
tra forma”, reconhece Vanessa. Dey-
vid, por sua vez, aproveitou as ex-
periências do grupo de jovens de sua
comunidade e decidiu avançar no tra-
balho voluntário. E quando chegou a
um dos orfanatos atendidos pela Ami-
gab notou que sua vida nunca mais
seria a mesma...“Sou adotado, tive
sorte em entrar para a minha família
e faço questão de passar minha ex-
periência de vida para eles”, desta-
cou o rapaz.
A seriedade com a qual cada vo-
luntário da Amigab encara a missão
de fazer o bem nasceu há 18 anos,
quando ela foi criada pelos próprios
colaboradores. Mas todo esse com-
prometimento está alinhado à essên-
cia do Grupo. Em outras palavras, a
Amigab se tornou grandiosa porque
oficializa uma cultura que faz parte
da nossa história.
70anos
22
MEIO AMBIENTE
Verde,QUE TE QUERO VERDE!
A
preocupação com o meio
ambiente–ecomodesen-
volvimento sustentável,
num sentido mais amplo
– seja talvez a pedra fun-
damentaldadiscussãosobreodirecio-
namento do processo produtivo para
a gestão responsável dos recursos. O
mundojánosdáexemplosdaevolução
dos processos da iniciativa privada em
relaçãoàpreservaçãoderecursosnatu-
raisedosresultadospositivosparaaso-
ciedadeeparaasgeraçõesfuturas.Eo
Grupo ÁguiaBrancaestáinseridones-
secontexto.Sejapelasinúmerasações
desenvolvidas pelas empresas que o
compõem, seja pela criação da Reser-
vaAmbientalÁguiaBranca,nomefan-
tasiadeumaReservaParticulardoPa-
trimônioNatural(RPPN)cujoregistro
está em fase final.
A Reserva está localizada na re-
gião central do Espírito Santo e pos-
sui 2.250 hectares. A propriedade foi
adquirida pelo Grupo Águia Branca em
2007, com área total de 2.320 hec-
tares – 97% da área será destinada à
unidade de conservação e o restante é
constituído pelo Hotel Fazenda Mon-
te Verde Golf & Resort e futuramen-
te abrigará também um empreendi-
mento imobiliário.
A região tem particularidades que
a torna, digamos, especial... Está lo-
calizada entre os parques estaduais de
Pedra Azul e Forno Grande, e cerca-
da do verde da mata atlântica por to-
dos os lados.
A RPPN complementa um mosai-
co de áreas preservadas com mais de
quatro mil hectares, constituindo um
dos maiores fragmentos maciços pri-
mários de Mata Atlântica do Espírito
Santo. Este bioma, inclusive, foi ca-
racterizado pela Unesco (Organização
das Nações Unidas para a Educação,
Ciência e Cultura) como Reserva da
Biosfera da Mata Atlântica. E além da
Reserva Ambiental, cerca de 300 pe-
quenas propriedades compõem o mo-
saico, que inclui predominantemen-
te áreas agrícolas e estabelecimentos
comerciais.
Toda a região é caracterizada por
relevo montanhoso e tem forte apelo
turístico, sendo reconhecida por sua
linda paisagem, clima agradável e fa-
vorecimento ao agroturismo. O setor
hoteleiro e a infraestrutura receptiva
têm, inclusive, crescido bastante nos
últimosanos,sendohojeumdosrotei-
ros mais badalados do Espírito Santo.
Todo o contexto que se criou em
torno desta RPPN – levando-se em
conta fatores geográficos, econômi-
cos e sociais – não deixam dúvidas:
por meio de programas de visitação
e ecoturismo, e programas de edu-
cação ambiental associados à impor-
tância da preservação da exuberante
floresta nativa e da grande biodiver-
sidade existente naquela área, a Re-
serva Ambiental Águia Branca pode se
tornar uma referência positiva para o
fortalecimento da cultura da susten-
tabilidade em todo o Espírito Santo.
70anos
23
Engajamento que vem de longe...
Muito antes do Grupo Águia
Branca adquirir a propriedade que
se transformará na maior Reserva
Particular do Patrimônio Natural
(RPPN) capixaba, a Viação Águia
Branca, a Vix Logística e as con-
cessionárias da Divisão Comércio
já estavam engajadas em ações e
projetos ambientais que aconte-
cem dia após dia, ao longo dos 12
meses do ano.
Diante de um cenário de escas-
sezhídrica,assuntoqueganhoure-
levância mundial nos dois últimos
anos, os colaboradores do Grupo
Águia Branca fazem sua parte e já
agregaram à sua rotina sistemas
de reutilização de água que geram
menos consumo, economia e óti-
mo exemplo.
Projetos de coleta seletiva são,
há tempos, uma realidade nas em-
presas e está mais do que integra-
da à rotina das equipes. E a reuti-
lização da água e o uso consciente
da energia também são ações rele-
vantes dentro do Grupo.
Outro bom exemplo diz respei-
to à gestão atmosférica. Tanto na
Viação Águia Branca quanto na Vix
Logística existe uma preocupação
constante com o que se refere às
emissões dos gases do efeito es-
tufa. Por isso, todos os veículos e
equipamentos movidos a diesel são
sistematicamente monitorados.
Aliando economia
de combustível, ma-
nutenção dos veícu-
los, segurança e prote-
ção ao meio ambiente,
o Programa de Condu-
ção Econômica, da Via-
ção Águia Branca, pre-
mia anualmente os 12
motoristas com melhor
desempenho nesses
quesitos. Em 2015, eles proporcio-
naram uma redução de consumo
de 18,7 mil litros de óleo diesel.
Com isso, 51 toneladas de gás car-
bônico deixaram de ser lançadas na
atmosfera, o que equivale a 4.677
árvores plantadas.
Os profissionais que vestem
a camisa do Grupo Águia Branca
sabem que o sucesso dos progra-
mas ambientais está intimamente
ligado à participação de todos os
colaboradores e o envolvimento
das comunidades.
E embora projetos, campa-
nhas e programas sejam realiza-
dos de forma constante em todas
as empresas, outras ações pon-
tuais complementam o conjunto
de iniciativas em prol de um am-
biente de trabalho cada vez mais
sustentável.
70anos
24
equação
RECONHECIMENTO
O
que significa se relacio-
nar bem? Qual a rele-
vância do bom relacio-
namento para a história
deumaempresa?Quais
os diferenciais competitivos das orga-
nizações que mantêm parcerias dura-
douras? Com a palavra, o Diretor de
RelaçõesInstitucionaisdoGrupoÁguia
Branca, Luiz Wagner Chieppe.
Oexecutivodefendeque“serelacio-
narbem,antesdequalquercoisa,faci-
lita a troca de ideias, serviços e infor-
mações”, e que isso é fundamental no
ambientecorporativo.“Obomrelacio-
namento,comcolaboradores,clientes
efornecedores,éumconstantedesafio.
Enãobastatratarbem,éprecisoaten-
der aos desejos e necessidade de nos-
so público. Aí está o grande segredo”.
Além de ser conhecido pela histó-
ria marcada por trabalho, empreen-
dedorismo e inovação, o Grupo Águia
Brancanãoperdeofoconaculturaba-
seada em parcerias longas e bom rela-
cionamento.Tantoumaquantoaoutra
permeiam as sete décadas da empre-
sa e têm ligação direta na boa reputa-
ção construída ao longo desses anos.
Abaixo, ele fala um pouco mais so-
bre essa relação tão relevante para a
saúde das empresas.
RELAÇÕES DE LONGO PRAZO
“Temosclientes,parceirosefornecedo-
resdelongadataeessaéumarealidade
detodasasDivisões–Passageiros,Lo-
gística e Comércio. Dedicamos tempo
a esse relacionamento, nos preocupa-
mos com o nível de satisfação de nos-
so público e reconhecemos nossa res-
ponsabilidade.”
UMA QUESTÃO DE CULTURA
“Faz parte de nossa cultura essa ma-
neira especial de tratar as pessoas. O
relacionamentoéumafortecaracterís-
a nossa
BOM RELACIONAMENTO +
RECONHECIMENTO + REPUTAÇÃO:
Se há algo que
precisamos perenizar,
assim como a própria
empresa, é essa
forma como nos
relacionamos com
parceiros, clientes,
fornecedores e
colaboradores. Não
podemos perder essa
característica e é
ela que deixaremos
como legado”
Luiz Wagner Chieppe
Diretor de Relações Institucionais
do Grupo Águia Branca
ticadaempresa,estáemnossaessên-
cia.Foiumacaracterísticafundamen-
tal em nossa trajetória e temos uma
preocupação constante para que não
sepercanocaminho.Seexistealgodo
qual não abrimos mão é atuar de ma-
neira simples e bem próxima. E esse
olhardiferenciadofazemosquestãode
dar também aos colaboradores, tanto
que muitos deles fizeram e fazem car-
reira no Grupo.”
PRÊMIOSERECONHECIMENTO
“Temosumahistóriadereconhecimen-
todemercadoquemuitonosorgulha.
E em alguns momentos esse reconhe-
cimento chegou em forma de prêmios
– oferecidos individualmente, a exe-
cutivos, ou ao Grupo. Vejo essas con-
quistas como fruto de nossa história.”
REPUTAÇÃO “Nossa boa reputa-
ção foi construída em função da rela-
ção direta que mantemos com o pú-
blico com o qual nos relacionamos. A
meuver,aliás,fidelização,reconheci-
mentoereputaçãofazempartedeuma
mesmaequação,eesseéolegadoque
pretendemos deixar.”
VISÃO DE COLETIVO “O compro-
missodoGrupoÁguiaBrancavaialém
de conseguir manter a própria reputa-
ção. Queremos ser úteis ao setor de
transportes e às instituições classis-
tas.Essapreocupaçãoexplicaa
atuaçãovoluntáriadeexecu-
tivosdaempresaemen-
tidadeslocais,regionais
enacionais.Quere-
mos estar integra-
dos às discussões
acerca de desenvol-
vimento,oportuni-
dades,potenciali-
dades e qualidade
de vida”.
70anos
25
Parceria duradoura aos olhos de grandes parceiros
“O pioneirismo da família Chieppe,
somado ao talento e à determinação, re-
sultaram num dos mais admirados con-
glomerados empresariais do Brasil. A Mer-
cedes-Benz e a Águia Branca têm muito em
comum. Não só pela parceria dos conces-
sionários, mas pelo compromisso com a
busca da melhoria contínua, visando, aci-
ma de tudo, a satisfação dos clientes. Os
70 anos da Águia Branca coincidem com os
60 anos da Mercedes-Benz do Brasil. Esses
marcos nos inspiram a continuar sempre
juntos diante de novos desafios.”
Philipp Schiemer
Presidente e CEO América Latina
MERCEDES-BENZ DO BRASIL
“Sempre acreditamos na capacida-
de do Grupo Águia Branca de suportar
o desenvolvimento. E foi com esta visão
que em 2007 celebramos nosso primei-
ro contrato. A logística de transportes
tem um papel fundamental na satisfação
dos clientes e o sucesso dessa parceria
com a ArcelorMittal se deve à política
de inovação e desenvolvimento tecno-
lógico conjunto. Apesar do cenário ad-
verso, a empresa tem trabalhado para
se manter competitiva. E essa capaci-
dade de adaptação é um diferencial.”
Raquel Pittella
Diretora de Suprimentos
ARCELORMITTAL BRASIL
“A Vale e o Grupo Águia Branca man-
têm uma parceria de longa data. Um rela-
cionamento pautado na confiança, já que
através da Vix Logística o Grupo transpor-
ta, todos os dias, o ativo mais importante
da Vale, nossos empregados. E essa parce-
ria já se estende além das fronteiras do Es-
pírito Santo, o que reforça a competência e
a qualidade dos serviços prestados. Certa-
mente é motivo de orgulho para todos nós
que tivemos a oportunidade de acompanhar
o desenvolvimento da empresa ver o Gru-
po Águia Branca chegando aos 70 anos.”
Fabio Brasileiro
Diretor
VALE
“Destes 70 anos do Grupo, pelo menos
há 20 temos uma parceria sólida com a Au-
toport, parceria esta que teve início na pri-
meira metade da década de 90, com a aber-
tura das importações de automóveis. Com
o início da produção de automóveis Honda
no Brasil, em 1997, no Sumaré (São Pau-
lo), o desafio era a distribuição do reduzido
volume de automóveis para o ainda reduzi-
do número de concessionários. Mas a Au-
toport aceitou tal desafio e continua sendo
nosso principal parceiro para distribuição”.
Helio Shimpei Matsuzawa
Gerente de Logística de
Distribuição de Automóveis
HONDA
“Ética, valorização das pessoas e res-
ponsabilidade socioeconômica nos re-
metem ao Grupo Águia Branca, do qual
a Samarco se orgulha de ter como par-
ceiro desde o início das nossas opera-
ções, em 1977. Por meio de seus ser-
viços de transporte e logística, o Grupo
leva o nome do Espírito Santo para todo
o Brasil. Que venham outros 70 anos,
de uma empresa que cresceu junto com
o Estado e tornou-se um dos principais
pilares da economia capixaba. Parabe-
nizamos a diretoria e os empregados da
Águia Branca”.
Roberto Carvaho
Diretor-presidente
SAMARCO
“Em primeiro lugar, parabenizo o Grupo
Águia Branca e os seus colaboradores pe-
los seus 70 anos. Uma história tão longeva
é uma prova indubitável da capacidade do
seu corpo diretivo no gerenciamento das
operações e de todos os seus membros na
execução das atividades diárias. Em mais
de 40 anos de parceria, a Toyota do Bra-
sil tem o orgulho de ser parte importante
desta história de sucesso. Estou esperan-
çoso que essa parceria entre a Toyota do
Brasil e o Grupo Águia Branca perdure e
cresça nos próximos 100 anos!”
Koji Kondo
Presidente
TOYOTA DO BRASIL
70anos
26
U
ma empresa só faz história, só conquista es-
paço e cresce com a participação de pessoas.
Pessoas que vestem a camisa, que colocam
a mão na massa, que sonham junto. O Gru-
po Águia Branca chegou aos 70 anos contan-
do com um time de peso! Profissionais que já fizeram ou
ainda fazem parte desta história.
A seguir, você vai ler um pouco sobre a trajetória de
oito colaboradores que cresceram junto com o Grupo. Pro-
fissionais que vestem, não apenas a camisa, mas os va-
lores e a cultura da empresa. São histórias inspiradoras e
que, como tantas outras, carregam exemplos de uma li-
derança positiva e agregadora. Com eles, representamos
também a história de muitos outros profissionais que fa-
zem acontecer.
cresceram
gente!
Eles
com a
RECONHECIMENTO
“Tenho 25 anos de Grupo Águia Branca e minha trajetória começou em
1990, como estagiário de Contabilidade da Viação Águia Branca. Passei pe-
las áreas de Controle e Receita, Contabilidade, Orçamento e Custos da Viação
e da Águia Branca Cargas. Em 1999 cheguei à Holding para assumir a Asses-
soria Financeira.
Minha vida no Grupo tem marcos importantes. O primeiro foi o convite para
assumir a Assessoria de Orçamento e Custos da Viação, pois tive seis meses
para me preparar. O segundo foi desenvolver a mesma área na Águia Branca
Cargas. E não foi uma decisão fácil, já que implicaria em deixar três anos de
investimentos que a Viação havia feito no meu desenvolvimento, além de mi-
nhas expectativas de progressão na empresa. E o terceiro marco, meu grande
desafio, quando assumi a Assessoria Financeira. Estava diante de uma gran-
de responsabilidade...
Tenho muito orgulho de trabalhar no Grupo. Eu me sinto parte disso tudo.”
“Falar sobre minha história no Grupo me emociona... Tudo começou em
1994, como estagiária na Vitória Diesel. Em 1996 fui contratada como Auxi-
liar Contábil e depois passei por assistente, analista e líder, e no ano 2000 as-
sumi a coordenação da área. Neste mesmo ano, comecei a atuar na Kurumá
Veículos, onde fiquei como contadora até 2006. Ainda em 2006, assumi a Ge-
rência Administrativa e Financeira da Kurumá.
Em 2009, junto com Cláudio Chieppe, começamos a planejar o que era um
desejo do Riguel Chieppe: criar a Administração Central da Divisão Comércio.
E essa fusão me trouxe a oportunidade de assumir a gestão administrativa e fi-
nanceira da Divisão.
Tenho uma trajetória marcada por desafios, mas a criação da Administra-
ção Central é especial, pois envolveu mudanças e um trabalho forte de ges-
tão de pessoas.
Trabalhar no Grupo é absolutamente inspirador. Fundadores, acionistas,
diretores... São todos uma grande inspiração!”
“Eu me sinto
parte disso tudo”
Fonte de inspiração
Gilberto Vieira
Assessor Financeiro da
Holding do Grupo Águia Branca
Andréia Gabriel
Gerente Geral Administrativa e
de Finanças da Divisão Comércio
70anos
27
“Cheguei à Águia Branca em 1996, quando a empresa comemorava 50
anos. Participei das comemorações e mal sabia que estava começando a cons-
truir uma história...
Comecei estagiando na área de Tecnologia da Informação. Depois, passei pela
Assessoria de Operações do Núcleo Operacional Campo Grande, na Viação Águia
Branca, e aos 25 anos fui promovido a Gerente Operacional da mesma filial.
Aofinalde2008,fuipromovidoaGerentedePlanejamentoOperacionaleparti-
cipeideumimportantecapítulodahistóriadaempresa.Fuiconvidadoadesenvolver
umprojetoinovadoredessaideiasurgiuoCCO–CentrodeControleOperacional.
Em2012fuiparaoRiogerenciaroNúcleoOperacionaleretorneiaCampoGran-
de em 2015, sendo responsável atualmente pelos setores do Rio e Colatina, além
do próprio núcleo Campo Grande.
Quando perguntam minha relação com o Grupo Águia Branca é fácil respon-
der: pertencimento e amor!”
“Entrei em 1990, através de um projeto similiar ao Programa Jovem Apren-
diz. Logo depois, ingressei como estagiário da Águia Branca Cargas e fui ad-
mitido em 1994. De lá pra cá, passei pelas áreas de Controladoria e Filial Vitó-
ria da Águia Branca Cargas, e pela Controladoria da Viação Águia Branca. Em
2006 cheguei à Holding como parte da equipe de Gerência de Projetos e Ino-
vação, na Diretoria de Tecnologia e Inovação.
Nesses mais de 26 anos, encarei vários desafios e o mais recente foi a par-
ticipação na gestão das duas ondas do Projeto Águia. A implantação do SAP foi
um divisor de águas em minha carreira.
Quando olho para o que percorri, meu sentimento é de realização. Tenho
tanta satisfação por tudo o que vivi que guardo meus certificados de reconheci-
mento por tempo de casa. A cada dia procuro contribuir, compartilhar experiên-
cias e celebrar as conquistas. Sou grato por fazer parte deste Grupo inovador.”
“Entrei no Grupo em 1997, como estagiário na Águia Branca Cargas. Atua-
va no Almoxarifado, que era compartilhado com a Viação Águia Branca, e den-
tre as atividades que desempenhava, eu embalava e despachava kits de lanches
para os ônibus. Ainda como estagiário, atuei no setor de Faturamento e depois
fui promovido a Assistente Administrativo.
Em 2004 fui trabalhar como Analista na Águia Branca Logística e no ano se-
guinte, com o encerramento das atividades, fui transferido para a Vix Logística,
onde assumi o cargo de Analista Comercial.
A ida para a Vix foi um momento delicado, pois exigiria adaptação. Mas deu
tudocerto!Tantoqueemjulhode2007fuipromovidoaAssessorOperacional,eno
mesmoanochegueiaSupervisorOperacional.Em2008assumiocargogerencial.
Qualquer carreira é cercada de desafios. Eu abracei todos porque a empre-
sa me ofereceu suporte e confiança. A credibilidade da Águia Branca me impul-
sionou para frente.”
Uma relação de
pertencimento e amor
Mistura de
realização e orgulho
Suporte, confiança
e credibilidade
Leonardo Martins Balestrassi
Gerente de Operações da Vix Logística
Marcelo Serpa
Gerente Operacional da Viação Águia Branca
Hudson Vieira da Silva
Supervisor de Projetos da Diretoria de
Tecnologia e Informação da Holding
70anos
28
“A porta que me trouxe ao Grupo Águia Branca se abriu em 1995. Fui con-
tratada como prestadora de serviços na Viação Capixaba (empresa que foi in-
corporada à Vix). Terminado o contrato, fui contratada como Analista de Ad-
ministração de Pessoal, onde fiquei por três anos, e a seguir recebi minha
primeira promoção, para o cargo de Supervisora de Administração de Pessoal.
Após nove anos, me vi diante do grande desafio da minha carreira: implantar
e assumir a Gerência de Recursos Humanos da Vix.
Quando recebi o convite, não sabia se ria ou se chorava! Eu dominava tec-
nicamente o assunto, mas estava diante de algo completamente novo.
Além deste desafio pontual, a Vix, por si só, é uma empresa desafiado-
ra, pois mobiliza e desmobiliza negócios o tempo inteiro. Para dar conta
das demandas, precisamos de comprometimento constante. Mas isso não
é problema, pois tudo o que o Grupo Águia Branca se propõe a fazer é de
maneira comprometida.”
“Falar do Grupo Águia Branca é falar de respeito. E faço desse valor um com-
panheiro de minha trajetória, que se iniciou em 1996. Entrei como estagiário.
E terminada a faculdade, fui chamado para atuar como Assessor da Qualidade
na implantação da Iso 9000 na Vitória Diesel.
Os três anos que se seguiram foram de conhecimento e trabalho. Em 2000
recebi convite para assumir a Gerência de Assistência Técnica de Caminhões.
No ano de 2009 fui para a Gerência de Pós-Vendas e em 2011 mudei de Estado
e assumi a Gerência Comercial da Operação Sul da Divisão Comércio.
Cada desafio enfrentado nesses anos teve uma particularidade. No entan-
to, minha ida para o Sul tem um peso diferenciado.
E por falar em desafio, estou vivendo outro atualmente, pois respondo pe-
las quatro unidades da Savana (revendedora Mercedes-Benz na Região Sul).”
Comecei minha história no Grupo em 1997, como estagiário, e costumo di-
zer que fui a primeira pessoa contratada em 1999, pois tive minha Carteira de
Trabalho assinada no dia 1º de janeiro daquele ano como Auxiliar Administra-
tivo do Departamento Pessoal da Viação Águia Branca. De auxiliar passei a as-
sistente, analista e em 2007, ano de minha formatura na faculdade de Conta-
bilidade, fui promovido a coordenador do setor.
Nesses 19 anos de empresa, encarei muitos desafios. No entanto, o maior
deles foi participar do Projeto Águia, entre 2014 e 2015. E foi desafiador por-
que embora soubesse de antemão que participaria dele, não fazia ideia que en-
traria como gerente. Foi uma responsabilidade e tanto!
E sabe o que é melhor nisso tudo? Que mesmo no ambiente de trabalho
me sinto em família, acolhido. E isso é possível porque o Grupo Águia Bran-
ca foi construído sobre valores que continuam fazendo parte de sua essência.”
Uma empresa
comprometida com
tudo o que faz
Cada desafio,
uma particularidade
“Eu me sinto
em família, acolhido”
Débora Abade
Gerente de Recursos Humanos
da Divisão Logística
Eugênio Ramiro da Silva Filho
Gerente Comercial Operação Sul – Vitória Diesel
Leandro da Silva Matias
Coordenador de Administração de
Pessoal da Divisão Passageiros
RECONHECIMENTO
70anos
29
logo alie é para lá que vamos!
FOCO NO FUTURO
a excelência. Some-se a eles a ética,
a autocrítica e a constante busca pelo
crescimento sustentável.
A força dos nossos valores nos
trouxe até aqui, mas a história con-
tinua... E daqui pra frente este cami-
nhar continuará sendo sustentado por
pilares estratégicos. O primeiro são as
pessoas, que considero nosso maior
poder. Pois elas fazem acontecer!
O segundo pilar que direcionará os
novos passos é a inovação. E não so-
mente a inovação tecnológica, mas
principalmenteadosprocessos.Temos
a inovação em nosso DNA, no entan-
to daqui pra frente precisamos adotar
mecanismos de sistematização deste
que é um diferencial mercadológico.
E o terceiro é a estratégia. Que es-
colhas precisaremos fazer? Como an-
tecipar riscos de ruptura? Só conse-
guimos obter essas respostas quando
estamos engajados, afinados, como
uma orquestra. E para que sigamos
no caminho que traçamos até hoje é
essencial ter lideranças alinhadas à
nossa cultura, pois os valores do Gru-
po Águia Branca são nossa essência
e devem permear do nível mais es-
tratégico à base.
O mercado não vai crescer em
2016, mas podemos nos posicio-
nar melhor e ganhar market sha-
re aproveitando nossas maiores
forças: marcas reconhecidas, ino-
vações contínuas e um olhar atento
para ajustar estratégias. Isso sem
falar em nossa principal for-
taleza, as pessoas.
2016! Temos uma data
paracomemoraremuitos
desafios a vencer. E va-
mos fazer os dois. Apos-
tando no trabalho, no
compromisso e nos va-
lores que nos trouxeram
até aqui.
Nosso time
está motivado e
preparado para
nos ajudar a
manter o Grupo
Águia Branca
vivo e forte
para enfrentar
qualquer
tempestade”
E
mpresas familiares co-
mandam a economia glo-
bal. Estimativas apontam
que 80% das empresas do
mundo são familiares e no
Brasil não é diferente, onde cerca de
90% das companhias são formadas
por membros de uma mesma família.
O cenário seria bem interessante se
não fosse por um detalhe: desse to-
tal, apenas 30% chega à segunda ge-
ração e menos de 10% dessas organi-
zações sobrevive à terceira.
Uma breve análise desses números
demonstra que o Grupo Águia Branca
nada contra a maré – felizmente! Afi-
nal, o ano de 2016 marca nossos 70
anos. Temos, é claro, motivos para
comemorar, mas é impossível se des-
conectar da realidade que nos cerca
neste momento.
O Brasil está sendo afetado por
uma série de fatores econômicos e
políticos que interagem fortemente
entre si e têm causado turbulências
no mercado. O que temos hoje são
dúvidas, falta de perspectivas e um
baixo nível de investimentos.
E a matemática aqui é simples! Os
mais fortes sobreviverão à crise. Es-
tamos, portanto, diante do grande
desafio: fortalecer nossos valores e
fazer deles um instrumento de acul-
turamento de nosso time para que,
juntos, possamos escrever os próxi-
mos capítulos desta história.
E quando falo de valores, recorro a
itens que enxergo como fundamentais
à nossa estrutura e longevidade. O pri-
meiro deles é o respeito às pessoas –
clientes, fornecedores, parceiros, co-
laboradores ou qualquer agente que
tenha relação com nossos negócios.
O segundo chama-se paixão. Estamos
há 70 anos no mercado, mas sempre
querendo fazer mais e melhor. E além
da paixão, nosso compromisso é com
O FUTURO É
Decio Luiz Chieppe
Presidente da Holding do Grupo Águia Branca
Revista Grupo Águia Branca 70 anos

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Revista Grupo Águia Branca 70 anos

Trabalho Rapidão Cometa
Trabalho Rapidão CometaTrabalho Rapidão Cometa
Trabalho Rapidão Cometa
wilsonperesilva
 
RSA Group.ppt
RSA Group.pptRSA Group.ppt
RSA Group.ppt
amadsamir
 
Empresa que Aprende (Estudo de Caso)
Empresa que Aprende (Estudo de Caso)Empresa que Aprende (Estudo de Caso)
Empresa que Aprende (Estudo de Caso)
Renan Miranda
 

Semelhante a Revista Grupo Águia Branca 70 anos (20)

Relatório de Sustentabilidade 2016
Relatório de Sustentabilidade 2016Relatório de Sustentabilidade 2016
Relatório de Sustentabilidade 2016
 
Relatório de sustentabilidade 2013
Relatório de sustentabilidade 2013Relatório de sustentabilidade 2013
Relatório de sustentabilidade 2013
 
Estrutura organizacional
Estrutura organizacionalEstrutura organizacional
Estrutura organizacional
 
Relatório Social - Asas de Socorro 2017
Relatório Social - Asas de Socorro 2017Relatório Social - Asas de Socorro 2017
Relatório Social - Asas de Socorro 2017
 
Balanço Social FTC 2017
Balanço Social FTC 2017Balanço Social FTC 2017
Balanço Social FTC 2017
 
Folha Verde Dezembro
Folha Verde DezembroFolha Verde Dezembro
Folha Verde Dezembro
 
Revenda disbec
Revenda disbecRevenda disbec
Revenda disbec
 
Abracorp - Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas
Abracorp - Associação Brasileira de Agências de Viagens CorporativasAbracorp - Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas
Abracorp - Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas
 
Raízes Desenvolvimento Sustentável Institucional
Raízes Desenvolvimento Sustentável InstitucionalRaízes Desenvolvimento Sustentável Institucional
Raízes Desenvolvimento Sustentável Institucional
 
Trabalho Rapidão Cometa
Trabalho Rapidão CometaTrabalho Rapidão Cometa
Trabalho Rapidão Cometa
 
Melhores empresas para trabalhar
Melhores empresas  para trabalhar Melhores empresas  para trabalhar
Melhores empresas para trabalhar
 
T.I.G - Casas bahia a empresa
T.I.G - Casas bahia a empresaT.I.G - Casas bahia a empresa
T.I.G - Casas bahia a empresa
 
Relatório de sustentabilidade 2012
Relatório de sustentabilidade 2012Relatório de sustentabilidade 2012
Relatório de sustentabilidade 2012
 
RSA Group.ppt
RSA Group.pptRSA Group.ppt
RSA Group.ppt
 
Empresa que Aprende (Estudo de Caso)
Empresa que Aprende (Estudo de Caso)Empresa que Aprende (Estudo de Caso)
Empresa que Aprende (Estudo de Caso)
 
Comunicação na Gestão de Pessoas
Comunicação na Gestão de PessoasComunicação na Gestão de Pessoas
Comunicação na Gestão de Pessoas
 
Invepar. Relatório Anual 2012 (MZ Group)
Invepar. Relatório Anual 2012 (MZ Group)Invepar. Relatório Anual 2012 (MZ Group)
Invepar. Relatório Anual 2012 (MZ Group)
 
Prestar Contas aos Açorianos - PS/Açores
Prestar Contas aos Açorianos - PS/AçoresPrestar Contas aos Açorianos - PS/Açores
Prestar Contas aos Açorianos - PS/Açores
 
Excelencias Feisma
Excelencias FeismaExcelencias Feisma
Excelencias Feisma
 
14 MODELO ROTEIRO INTEGRAÇÃO.pptx
14 MODELO ROTEIRO INTEGRAÇÃO.pptx14 MODELO ROTEIRO INTEGRAÇÃO.pptx
14 MODELO ROTEIRO INTEGRAÇÃO.pptx
 

Mais de Grupo Águia Branca

Mais de Grupo Águia Branca (7)

Guia de Boas Maneiras em Reuniões em Treinamentos
Guia de Boas Maneiras em Reuniões em Treinamentos Guia de Boas Maneiras em Reuniões em Treinamentos
Guia de Boas Maneiras em Reuniões em Treinamentos
 
Case ABERJE 2006
Case ABERJE 2006Case ABERJE 2006
Case ABERJE 2006
 
O OUTRO LADO - AMIGAB
O OUTRO LADO - AMIGABO OUTRO LADO - AMIGAB
O OUTRO LADO - AMIGAB
 
Apresentação Ação de Natal Adote uma Estrela
Apresentação Ação de Natal Adote uma EstrelaApresentação Ação de Natal Adote uma Estrela
Apresentação Ação de Natal Adote uma Estrela
 
Apresentação Institucional AMIGAB
Apresentação Institucional AMIGABApresentação Institucional AMIGAB
Apresentação Institucional AMIGAB
 
Manual da Marca - Memória Águia Branca
Manual da Marca - Memória Águia BrancaManual da Marca - Memória Águia Branca
Manual da Marca - Memória Águia Branca
 
Manual da Marca - Grupo Águia Branca
Manual da Marca - Grupo Águia Branca Manual da Marca - Grupo Águia Branca
Manual da Marca - Grupo Águia Branca
 

Último

Último (7)

Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
 
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
 
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
 
Opções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfOpções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdf
 
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
 
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
 

Revista Grupo Águia Branca 70 anos

  • 1.
  • 2. EXPEDIENTE Coordenação Adriana Denadai Espindula Duo:D Comunicação e Sustentabilidade Produção editorial, textos e revisão Anna Carolina Passos – Gestão e Assessoria em Comunicação e Educação Colaboração Aldeia Comunicação Cleci Krüger Felipe Alves da Costa Geise Frigini Janaína Silva Oliveira Rafael de Jesus Fotos Acervo Grupo Águia Branca Gibran Chequer Josiane Chieppe Marcos Salles Sagrilo Thiago Lyra Weverson Roccio Projeto gráfico e editoração Bios Impressão Grafitusa
  • 3. 70anos 1 Quando Carlos Chieppe, o famoso “seu Carlim” e grande precursor dos negócios de trans- porte da família, partiu em busca da formação de seu próprio patrimônio, lá nos idos 1940, talvez não tivesse a menor ideia que neste ano de 2016 estaríamos aqui escrevendo uma revista comemorativa de 70 anos do Grupo Águia Branca. Tudo bem que a empresa foi construída sobre princípios muito fortes! Ainda assim, talvez nem ele vislumbrasse ta- manha longevidade... Passeando pela história do Grupo Águia Branca logo vem à mente os valores que apren- demos em família, se perpetuaram e acabaram se tornando nossas marcas registradas, como ética, liderança, inovação, desenvolvimento sustentável, integração com a comu- nidade, respeito ao meio ambiente e, principalmente, às pessoas. Edificamos nossa “casa” sobre fortes pilares, mas se chegamos tão longe é porque du- rante todo esse tempo contamos com as milhares de pessoas que já fizeram ou fazem parte deste time. Somos uma empresa cuja construção é baseada, acima de tudo, em pessoas e temos muito orgulho disso. E como todas elas fazem parte desta história de sucesso, em nome do Conselho de Administração do Grupo Águia Branca fazemos questão de dei- xar aqui nosso muito obrigado! Neste ano em que comemoramos sete décadas de vida, estamos trazendo um pouco dos capítulos já vividos, daqueles que estão por vir e compartilhando-os com você! Cada página desta revista comemorativa está carregada de história, de lembranças, de conquis- tas e de perspectivas. Esperamos que gostem do que vem pela frente. Boa leitura! DECIO LUIZ CHIEPPE Presidente do Conselho de Administração do Grupo Águia Branca Grupo Águia Branca: PASSADO, PRESENTE E FUTURO! EDITORIAL Somos uma empresa cuja construção é baseada, acima de tudo, em pessoas.”
  • 4. 70anos 2 O GRUPO ÁGUIA BRANCA superlativa UMA HISTÓRIA T rabalho, valores, exce- lência. Não é fácil elen- car em poucas palavras a verdadeira essência do Grupo Águia Branca. Afi- nal, a empresa familiar, nascida em 1946 no município de Colatina, in- terior do Espírito Santo, comemora 70 anos tendo a seu favor uma his- tória superlativa. O que começou com uma peque- na empresa de ônibus comandada pe- los irmãos Vallecio, Wander e Aylmer Chieppe tornou-se um dos maiores grupos empresariais do setor de trans- portes do País. Com sede em Vitó- ria, no Espírito Santo, e faturamen- to superior a R$5 bilhões por ano, o Grupo Águia Branca atua nos servi- ços de transporte rodoviário e aéreo de passageiros, logística e comércio de veículos. O crescimento e as novas opor- tunidades que começavam a surgir na década de 1970 exigiram a estru- turação e profissionalização do Gru- po. Com o movimento ascenden- te em curso, no ano de 1993 veio a primeira reestruturação. E den- tre as medidas resultantes daquele estudo estava a criação das Unida- des de Negócios (atuais Divisões) – Passageiros, Logística e Comér- cio –, que são as responsáveis pela gestão das empresas que compõem a Águia Branca. Cada Divisão de Negócios atua de maneira independente e especiali- zada, conforme as características de cada segmento. Dessa forma, a Divi- são Passageiros é representada pela Viação Águia Branca, que é especia- lizada em transporte de passagei- ros, aluguel de ônibus para turismo e transporte de pequenas encomen- das, e a Azul Linhas Aéreas, empre- sa coligada. Vix Logística e Autoport são as marcas que compõem a Divisão Lo- gística. Considerada uma das maio- res empresas do setor de trans- portes e logística do País, a Vix Logística opera de norte a sul do Brasil, e no Mercosul, com loca- ção e gestão de frotas, traslados,
  • 5. 70anos 3 Ano base 2015 11.217.460 Passageiros transportados 24.188 Veículos comercializados 300.840.654 Quilômetros percorridos 6.599 Veículos e equipamentos movimentação de cargas, logísti- ca automotiva e logística dedicada. A Divisão Comércio, por sua vez, é a que reúne o maior número de empresas. Ela representa as mar- cas Toyota, Lexus, Mercedes-Benz, Smart, Chrysler, Jeep, Dodge, RAM, Land Rover e Jaguar. E seja na comer- cialização de veículos comerciais ou de automóveis de luxo, as concessio- nárias oferecem aos seus clientes o que há de mais moderno e sofisticado no mercado automobilístico mundial, tanto em produtos quanto em servi- ços e atendimento. Vitória Diesel no Espírito Santo (Cariacica, Linhares e Cachoeiro do Itapemirim) e Savana no Paraná e Santa Catarina (Curitiba, São José dos Pinhais, Ponta Grossa e Joinvil- le) são revendedoras de caminhões Mercedes-Benz. Kurumá, no Espí- rito Santo e Rio de Janeiro, e Osaka, em Minas Gerais, são concessioná- rias Toyota.A Vitória Motors-Mer- cedes-Benz é pioneira no segmento de automóveis de luxo no Espírito Santo, a Vitória Motors-Jeep ofe- rece aos clientes as marcas do Gru- po Chrysler (Jeep, Dodge, Chrysler e Ram) e a Land Vitória é a primei- ra concessionária Jaguar Land Ro- ver do Estado. Modelo organizacional Talento e tecnologia são outras palavras de ordem na empresa, que se consolidou no mercado apostan- do num modelo organizacional que busca valorizar pessoas. O presiden- te Decio Chieppe, inclusive, costuma dizer que o primeiro pilar estratégico da Águia Branca são as pessoas que fazem parte do time. E este time é grandioso! Atual- mente, o Grupo Águia Branca em- prega mais de 13 mil pessoas – entre funcionários diretos e terceiriza- dos – e incentiva constantemente o aperfeiçoamento profissional. Na empresa “a regra é clara”: a quali- ficação é o caminho que leva à ex- celência, valor que os executivos tanto prezam. Segurança e crescimento sustentável Além do fato de integrarem o mes- mo grupo empresarial, os serviços de transporte da Águia Branca têm algo a mais em comum: a seguran- ça como valor principal. Na práti- ca, isso significa investimentos ma- ciços em programas de capacitação dos motoristas e modernos sistemas de gestão da frota. A empresa também não perde de vista as premissas da sustentabilida- de e tem no controle das emissões de gases e na destinação correta dos resíduos exemplos de iniciativas que visam minimizar o impacto ambien- tal das operações e a preservação dos recursos naturais. Outra iniciativa mais recente do Grupo responde pelo nome de Reser- va Ambiental Águia Branca, localiza- da em Vargem Alta, região serrana do Espírito Santo. Essa Reserva Parti- cular do Patrimônio Natural (RPPN) terá 2.250 hectares e seu registro está em fase final. Âmbito social Uma empresa que valoriza as pes- soas, investe em capacitação, não perde de vista as diretrizes de sus- tentabilidade e estimula a solidarie- dade por meio do trabalho voluntário. Neste quesito, o Grupo é também re- ferência, tendo um bem estruturado programa de voluntariado corporati- vo do qual participam mais de 300 co- laboradores e que beneficia cerca de 2000 crianças e jovens anualmente. A Reserva Ambiental Águia Branca vai conectar por meio de um mosaico de áreas preservadas os parques estaduais de Pedra Azul e Forno Grande. Este bioma é constituído por um grande fragmento de floresta primária e foi reconhecido pela Unesco como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.” DIMENSÕES DO GRUPO ÁGUIA BRANCA
  • 6. 70anos 4 A história da Viação Águia Branca passa por núme- ros grandiosos. Por ano são mais de 11 milhões de passageiros transporta- dos, 70 milhões de quilômetros per- corridos e mais de 230 viagens. Tudo permeado por uma gestão com foco em segurança operacional, inovação e atendimento diferenciado. Empresa pioneira na adoção do sistema informatizado de emissão de passagens, a viação é reconheci- da pela excelência nos segmentos em que atua. Além do transporte rodoviá- rio de passageiros, realiza transporte de encomendas e locação de ônibus para turismo. Em 2000 implantou o Programa de Medicina do Sono, que cuida da saúde e da boa qualidade do sono dos moto- ristas, visando dotá-los de melhores condições para desempenharem com excelênciasuasatividades.Nessecon- texto, a empresa ainda possui as Salas de Estimulação do Alerta, com enfo- que na luminoterapia com intensida- de adequada, visando à prevenção da sonolência em viagens noturnas. Tes- te de vigília e bafômetro antes de to- das as viagens são outros diferenciais. A empresa dispõe ainda do Centro de Controle Operacional, que plane- ja e monitora as viagens pelo sistema de videomonitoramento, com foco na performance e melhorias dos proces- sos de segurança das viagens. DIVISÃO PASSAGEIROS Com afinco e paixão, sem medir esforços, atendemos a milhões de pessoas ao longo dessas sete décadas. Segurança, encantamento e respeito foram determinantes para uma caminhada bem sucedida e de longo prazo”. Renan Chieppe Diretor-geral da Divisão Passageiros OPORTUNIDADE NO SETOR AÉREO Além da excelência no segmento de transporte rodoviário de pas- sageiros, o Grupo Águia Branca está fazendo história no transporte aéreo por meio de um projeto que se iniciou há aproximadamente 10 anos, quando a empresa viu no boom do segmento aéreo uma nova possibilidade de negócio. Após analisar os riscos e oportunidades, o Grupo decidiu em 2006 entrar oficialmente no segmento de transporte aéreo. “Na época, estu- damos três projetos e optamos pela ação mais contida, que foi a compra da participação de 50% da Trip Linhas Aéreas”, conta Renan Chieppe. Em pouco tempo, o investimento rendeu frutos. Em 2008 a Trip foi eleita a maior empresa regional do Brasil e em 2012 uma nova lei- tura do mercado colocou os executivos diante de outra oportunidade. “Tivemos uma rápida escalada à frente da Trip, no mesmo mo- mento em que víamos a Azul replicar um modelo de negócio bem pa- recido com o nosso. Então, concluímos juntos que seria muito me- lhor para a aviação brasileira ter uma grande empresa de aviação nacional do que duas empresas médias. E a fusão dessas duas jo- vens companhias, que primam por modelo de negócio arrojado, pro- piciou ganho de sinergia e a criação da terceira maior empresa aérea do Brasil”, diz Renan. capítulos gloriosos VIAÇÃO ÁGUIA BRANCA:
  • 7. 70anos 5 Chegamos aos 70 anos e estamos fazendo história junto com nossa equipe. E tenho certeza que a capacidade de inovar e realizar levará o Grupo Águia Branca a novos e promissores caminhos.” Kaumer Chieppe Diretor-geral da Divisão Logística DIVISÃO LOGÍSTICA VixLogística! BUSCA CONSTANTE PELA EXCELÊNCIA: F ornecer soluções logísti- cas com segurança e exce- lência por meio de pessoas qualificadas, agregando valor aos clientes e visan- do à sustentabilidade do negócio. Essa é a missão da Vix Logística. E uma breve análise da história da em- presa, que representa a Divisão Lo- gística do Grupo Águia Branca, com- prova o quanto sua rotina e operação estão convergentes com este com- promisso. “Nosso time faz parte de uma história de sucesso que já dura mais de quatro décadas. E falamos dessa trajetória com muito orgulho, afinal a Vix Logística é uma das maiores empresas do setor no País. Atua- mos nos segmentos de locação e gestão de frotas, traslados de pes- soas, movimentação de cargas, lo- gística automotiva e logística de- dicada, com operações que vão de norte a sul do Brasil e em outros países da América do Sul. E tudo isso sem perder nossos principais focos: segurança, respeito ao meio ambiente, qualidade e busca incan- sável pela excelência”, destacou o diretor-geral da Divisão Logística, Kaumer Chieppe. O primeiro capítulo da história da Vix começou a ser escrito em 1971, quando a Águia Branca ini- ciou as operações de fretamento. Onze anos depois, o Grupo adqui- riu a Viação Capixaba, ampliando a frota de veículos e o volume de seus negócios. Em seguida, tiveram iní- cio as atividades de locação e logísti- ca dedicada, sobretudo no segmen- to de celulose. Veio a década de 90 e com ela a aquisição da Autoport. A compra da empresa viabilizou os serviços de lo- gística automotiva. Especializada em soluções logís- ticas customizadas, a curva ascen- dente da Vix Logística não para... Ampliou sua atuação em novos mer- cados – mineração, cargas espe- ciais, movimentação portuária, óleo e gás – e fechou o ano de 2014 de maneira bem especial ao receber um investimento de capital da IFC (membro do Grupo Banco Mundial, é a maior instituição de desenvol- vimento global voltada para o setor privado nos países em desenvolvi- mento) e da IFC Alac. Juntas, as duas instituições investiram R$ 200 milhões na Vix. Também em 2014, ela lançou sua nova identidade vi- sual, que busca representar com di- namismo e modernidade o espírito inovador do time que veste a cami- sa da empresa. „ FLEET SERVICE: Gestão de frota, terceirização e locação de veículos leves e vans. „ FRETAMENTO: Transporte dedicado para funcionários, tras- lados e viagens especiais. „ LOGÍSTICA AUTOMOTIVA: Distribuição de caminhões, ônibus e veículos zero quilômetro. „ LOGÍSTICA DEDICADA: Transporte e movimentação de produtos, operações portuárias e armazenagens. „ RENT A CAR: Locação indi- vidual de veículos leves. OS NEGÓCIOS DA VIX isso é com a
  • 8. 70anos 6 Sonhos realidade QUE VIRAM DIVISÃO COMÉRCIO “N ão estamos em bus- ca de uma venda ape- nas. Queremos vender parasempreaosnossos clientes. Trabalhamos para proporcionar a melhor experiência de compra; para oferecer, dentre os me- lhores produtos do mercado, aquele mais adequadoàssuasnecessidadesecondições financeiras. E depois, poder atendê-lo nas revisões periódicas ou qualquer outro ser- viço com conforto, preço e excelência”. A afirmação, do diretor-geral da Divi- são Comércio do Grupo Águia Branca, Ri- guel Chieppe, demonstra bem como sua equipe – que reúne as concessionárias de caminhões Mercedes-Benz Vitória Die- sel, Linhares Diesel e Savana, e de auto- móveis Toyota (Kurumá e Osaka), Merce- des-Benz (Vitória Motors), Jeep, Dodge, RAM e Chrysler (Vitória Motors), Jaguar e Land Rover (Land Vitória) – veste a ca- misa. Muito mais do que vender veículos, eles transformam sonhos em realidade! A criação oficial da Divisão Comércio aconteceu em 1993, em decorrência da primeira reestruturação do Grupo Águia Branca. Mas a experiência no segmen- to de comércio de veículos começou em 1971, com a inauguração da Valadares Diesel, revendedora de caminhões e ôni- bus Mercedes-Benz, em Governador Va- ladares (MG). A Divisão Comércio “segue a cartilha” do Grupo e escreve as páginas de sua his- tória baseando-se, sobretudo, na presta- ção de serviços de qualidade, no respei- to ao cliente e nas relações sólidas com a sociedade. E isso passa, obrigatoriamen- te, pelas marcas representadas, que pos- suem valores e princípios alinhados com os da empresa. E segundo Riguel, “através dessa con- vergênciativemosachancedeconstruirre- laçõesdelongadatacommarcascomoMer- cedes-Benz e Toyota, e iniciamos parcerias mais recentes com Jeep e Land Rover”. Émuitaemoção fazerpartedeste momento.Eo melhoréverque osvaloresque nortearamahistória doGrupoÁguia Brancapermanecem vivosatéhoje. Nossasempresas, emboranãotenham perdidosuaessência, semodernizaram, evoluíramese prepararampara os desafiosfuturos”. Riguel Chieppe Diretor-geral da Divisão Comércio Concessionárias 30 Veículos vendidos 24.188 Referência: dezembro 2015 NÚMEROS
  • 9. 70anos 7 HOLDING O segredo do bom fun- cionamento de uma orquestra passa, obri- gatoriamente, por ins- trumentos afinados e profissionais qualificados, que sob a regência de um maestro encolhem e alongam as notas, e equilibram tons graves e agudos. No ambiente empre- sarial a dinâmica é a mesma. Ou seja, todas as “engrenagens” que possibi- litam seu pleno funcionamento pre- cisam estar ajustadas. Em se tratando da Águia Branca, emboracadaempresadasDivisõesPas- regente orquestra UMA ESPÉCIE DE da sageiros, Logística e Comércio tenha sua própria estrutura organizacional, a Holding completa esse quadro como acontroladoradosnegóciosdoGrupo. Dona de um quadro profissional mais enxuto – são 126 pessoas, en- tre funcionários e estagiários –, a Hol- ding atua sob quatro vertentes: pro- vedora dos serviços de tecnologia da informação (toda a área de TI é cor- porativa e atua na Holding); respon- sável por perenizar as boas práticas das diretrizes do Conselho de Admi- nistração; prestadora de serviços téc- nicos e especializados às empresas; e Family office (atendimento aos acio- nistas).E é dela também a responsa- bilidade de intermediar as grandes ne- gociações financeiras que envolvem o Grupo Águia Branca. “Como possui um quadro de pro- fissionais com expertise diferencia- da, a Holding disponibiliza assessoria técnica e especializada às empresas do Grupo, principalmente no que diz respeito a demandas jurídicas, tribu- tárias e financeiras. A Holding atua em todos os processos que agreguem valor quando se age de forma cor- porativa, permitindo que a força do Grupo Águia Branca se transforme em benefícios, seja pelos ganhos de escala, pela minimização dos riscos ou pela otimização de recursos”, ex- plica o Diretor de Gestão, Ricardo Vaze Pinto. E além de cuidar dos assuntos cor- porativos, a Holding carrega ainda ou- tra responsabilidade. Ela é uma espé- cie de “guardiã” dos valores, pilares e conceitos que fazem parte da história de 70 anos do Grupo Águia Branca. A Holding tem o papel de transformar em ações todas as políticas do Grupo Águia Branca, deliberadas pelo Conselho de Administração, bem como ser o elo dos acionistas com as empresas, apoiando a implementação das decisões, interpretando as necessidades das empresas e viabilizando soluções”. Ricardo Vaze Pinto Diretor de Gestão da Holding
  • 10. 70anos 8 GOVERNANÇA S ucessão, perenidade e go- vernança corporativa são palavras que fazem parte da rotina do Grupo Águia Branca desde 1974, ano da primeira estruturação na gestão da empresa. Anos depois, com a “casa arru- mada”, o crescimento em voga e a necessidade de organizar os novos rumos, os executivos mergulharam fundo na essência da governança, sistema pelo qual as empresas são dirigidas e monitoradas a partir dos princípios da transparência, equida- de, prestação de contas e responsa- bilidade corporativa. Como resultado, em 1993 a dire- toria promoveu uma reestruturação e em 2014 concluiu a terceira onda da governança. O estudo, coorde- nado pelo ex-presidente da Holding, Nilton Chieppe, contemplou, dentre outras coisas, a mudança de geração no comando da empresa. “Em 1º de janeiro de 2015 uma nova geração da família, no caso De- cio Chieppe, assumiu o comando do Grupo. Essa decisão foi tomada em conjunto e dentro de uma visão de longo prazo”, destacou o conselheiro do Grupo Águia Branca, que revisi- tou o passado e fala um pouco sobre os outros processos de estruturação da empresa. A estruturação O ano era 1974. A empresa come- çava a crescer, novas oportunidades surgiam e junto com o crescimento veio a necessidade de estruturação e profissionalização.“Precisávamos de informatização e estatísticas da infor- mação que nos proporcionassem um direcionamento mais alinhado, pois naquele momento havia um descom- passoentreofertaedemanda.Contra- tamosumaconsultoriaparanosajudar nessa adequação à nova realidade e o estudonoscolocou,inclusive,numpa- tamar acima da maioria das empresas da época”, detalhou Nilton Chieppe. perenização da empresa GOVERNANÇA, SUCESSÃO, VALORES E Mas além de garantir a base do departamento de informática do Grupo, este primeiro modelo de gestão resultou também na trans- ferência da sede administrativa da empresa de Colatina, Região No- roeste do Espírito Santo, para Vi- tória, em 1975. “A mudança foi ou- tro marco e teve grande impacto em nossa rotina e atividades”, disse ele, para quem a consultoria propi- ciou outro grande ensinamento aos executivos. “Quandocontratamosesteprimeiro estudo, tínhamos pouca experiência e deixamosodesenvolvimentodoproje- to por conta do consultor. Mas apren- demos o quanto é importante partici- par, pois não existe receita pronta. E assim temos feito desde então!” A primeira reestruturação Dezenove anos se passaram entre a estruturação de 1974 e a reestrutu-
  • 11. 70anos 9 ração de 1993. E segundo Nilton Chieppe, a decisão foi novamen- te tomada em função do cresci- mento da empresa – impulsionada pela diversificação dos negócios, que começava a ganhar cada vez mais corpo. “Nossa nova realidade carecia de reestruturação, pois o modelo da década de 70 não nos atendia mais de maneira plena. Foi quando entramos em contato com o con- sultor Osvaldo Nieto e demos a ele a missão de desenhar o novo mo- delo de gestão, que resultou, den- tre outras medidas, na criação do Conselho de Administração e na instituição das Unidades de Negó- cios (atuais Divisões de Negócios) – Passageiros, Logística e Comér- cio”, lembra. Naquele ano, os executivos já estavam mais à vontade com o processo e não apenas participa- ram de cada etapa da reestrutura- ção como lançaram ideias, boas ideias. “Foi a partir de uma inicia- tiva nossa, por exemplo, que ins- tauramos o Programa da Qualida- de aqui no Grupo”, ressalta ele. A segunda reestruturação Um novo aperfeiçoamento do já bem-sucedido modelo organi- zacional do Grupo Águia Branca teve início no segundo semestre do ano de 2013, quando Nilton esta- va à frente da Holding. Como nos anos anteriores, o estudo se tor- nou necessário graças aos avan- ços da empresa. O conceito do estudo, que definiu novas regras para cargos executivos, conselhos setoriais e Conselho de Administração, foi desenvolvido pela Fundação Dom Cabral (FDC), o conteúdo ficou a cargo de Osvaldo Nieto e os docu- mentos finais redigidos pelo setor jurídico da Águia Branca, através do Diretor de Gestão da Holding, Ricardo Vaze Pinto. E depois de passar pela FDC, por Nieto e pelo setor jurídico, o documento fi- nal foi submetido à apreciação e aprovação de todos os acionis- tas, e entrou em vigor no dia 1º de janeiro de 2015. GOVERNANÇA Sem dúvida, a reestruturação de 2014 é uma evolução da anterior, acredito que ela tenha sido feita no tempo certo e todas as medidas tomadas foram balizadas nos valores que aprendemos em família, com Carlos Chieppe, e tiveram como objetivo garantir a perenização do Grupo Águia Branca” Nilton Chieppe Membro do Conselho de Acionistas CONSELHO DE ACIONISTAS Colegiado que define as grandes decisões do Grupo. CONSELHOS DE ADMINISTRAÇÃO Tanto no âmbito corporativo (Grupo) quanto nas Divisões, esses conselhos são responsáveis pelas estratégias relacionadas à gestão dos negócios. DIRETORIA GERAL DA DIVISÃO Dirige a Divisão com base no que foi definido no Conselho, orientando sua equipe de executivos. DIRETORES-EXECUTIVOS Dirigem os negócios específicos de cada Divisão orientando os gestores nas ações estratégicas. OUTROS GESTORES, INCLUSIVE O SEU! Ficam na linha de frente das operações, colocando os negócios para funcionar na prática. INDEPENDENTE DA SUA ATIVIDADE, SUA PARTICIPAÇÃO É FUNDAMENTAL PARA O SUCESSO DA EMPRESA.
  • 12. 70anos 10 FUNDADORES V erdade seja dita... Se o ano de 2016 marca as comemorações dos 70 anos do Grupo Águia Branca, devemos isso ao espírito empreendedor dos ir- mãos Vallecio, Wander e Aylmer Chieppe, os fundadores desta que é considerada hoje uma das maio- res empresas de transportes do Bra- sil. E some-se ao espírito empreen- dedor desses três muito trabalho! Naquela época não havia por parte de nenhum dos três a menor inten- ção de transformar o pequeno ne- gócio numa companhia desse porte. “Ah, naquela época, lá em 1950, nós pensávamos apenas em trabalho, trabalho, trabalho, e tocar a empresa. Não havia planejamento no futuro. O queestamosvivendohojeéconsequên- ciadotrabalhoedeteraproveitadobem asoportunidadesquesurgiram”,costu- madizerAylmer,omaisnovodostrês. A revista comemorativa de 70 anos do Grupo Águia Branca traz VALLECIO, WANDER E AYLMER CHIEPPE: Irmãos trabalho um bate-papo com Wander e Ayl- mer, e fragmentos de uma entrevista dada por Vallecio em 5 de dezembro de 1995, pouco antes dele se afas- tar da gestão dos negócios.Vallecio, O senhor começou na empresa como trocador e logo depois foi promovido a motorista. Conte um pouco da felicidade dessa promoção... AYLMER CHIEPPE (Risos) Tenho certeza que quando os motoristas, meus colegas de trabalho, chegaram a essa função também definiram aquele momento como importante na vida deles. Era cobrador e minha primeira promoção foi formidável! Como motorista eu tinha o domínio da situação, e quando lidamos com a vida de outras pessoas, esse sentimento nos conforta. Estudos sobre empresas familiares apontam que para vencer elas precisam profissionalizar seu negócio e a própria família. O Grupo Águia Branca tem uma governança corporativa que é referência. Como vocês atuam na empresa para que aquele velho ditado “avô rico, filho nobre, neto pobre” não seja uma realidade na família? Sempre buscamos profissionalizar cada vez mais nossa gestão. Então, investimos em processos para garantir a perenidade da empresa, pois meu irmão, Vallecio, passou, eu passei, Nilton passou, Decio vai passar. Mas a empresa tem que ser perene. E é com esse foco que estamos trabalhando já há algumas décadas. Uma empresa de respeito Se tivesse que eleger uma palavra que seja a cara da Águia Branca ela seria respeito: às autoridades, colegas de serviço, clientes, fornecedores, às leis e, principalmente, a Deus. Essa é a palavra que resume tudo: respeito” Aylmer Chieppe
  • 13. 70anos 11 UM POUCO DA HISTÓRIA SOB A ÓTICA DE VALLECIO CHIEPPE „„ TRABALHO DESDE CEDO: “Meus pais tiveram duas filhas mu- lheres, depois nasceram dois ho- mens, depois foi intercalando, uma mulher, um homem... Somos 10 irmãos e eu sou o mais velho dos homens. E o mais velho carrega o maior peso, meu pai (Carlos Chie- ppe) era um homem muito ocupa- do, então com oito anos já me colo- cou para trabalhar na loja de secos e molhados, em Colatina”. „„ A COMPRA DA ÁGUIA BRANCA EM 1957: “Quem com- prou fui eu, meu pai foi meu ava- lista, mas o vendedor nem exigiu o aval. Ele disse: ‘Eu te conheço há muito tempo, venho lhe acompa- nhando de perto e você leva os ne- gócios muito a sério”. „„ MANUTENÇÃO E SEGU- RANÇA: “Todos queriam andar em nossos ônibus pois fazíamos manutenção muito boa nos car- ros. Tínhamos uma equipe ótima! Outro diferencial era o treinamen- to dado aos motoristas. Eu era exi- gente demais, quando ninguém sa- bia me dizer se ele era bom ou não eu o acompanhava numa viagem. Ia dentro do ônibus para ver como ele estava dirigindo”. „„ TRABALHO NO DNA: “Eu sempre gostei de trabalhar mui- to, meu negócio foi sempre dar tudo o que eu podia em favor da empresa”. considerado o grande idealizador da empresa, faleceu dia 9 de abril de 2016, em decorrência do Mal de Al- zheimer. Os trechos retirados da en- trevista da década de 90, contudo, deixam claro o quanto o empreende- dorismo, o trabalho, o compromis- so com os clientes e a segurança es- tão intimamente ligados à história da Águia Branca. Temos que tratar todo mundo bem, essa é uma coisa que levamos desde sempre” Vamos falar um pouco de números? 90% das empresas brasileiras são familiares. Apesar disso, 30% delas chegam à segunda geração e menos de 10% à terceira. O Grupo Águia Branca, no entanto, foge a essa regra. Na opinião do senhor, qual o segredo do sucesso desta empresa? WANDER CHIEPPE Ah, se tiver que resumir o sucesso da nossa empresa em poucas palavras, escolho sucessão, confiança e força de vontade. O cuidado com o qual desenvolvemos o projeto de sucessão da empresa, a confiança, que sempre foi marca registrada de nossa história, e a força de vontade dos membros da família no que diz respeito ao trabalho que desenvolvemos são, sem dúvida, o segredo da longevidade do Grupo Águia Branca. O senhor já trabalhou muito. Mas e hoje em dia? Como é sua rotina? Vou à empresa duas vezes por semana ver meu pessoal e continuo tocando um negócio importante, que é a venda dos ônibus usados. Mas o que eu gosto mesmo é da minha casa e da minha família. Também adoro pescar, mas apenas no rio. Fui no mar duas vezes: a primeira e a última... (risos) Além disso, tenho meu sítio, onde possuo uma criação de peixes. “O Grupo Águia Branca está em boas mãos!”
  • 14. 70anos 12 O uvir, estudar, mergulhar na histó- ria do Grupo Águia Branca é como abrir um livro inspirador, cujos capí- tulos nos mostram o sentido prático de palavras como família, coragem, trabalho, ousadia, perseverança, empreendedoris- mo, sucesso. E para justificar essa afirmação vamos voltar no tempo... Quem imaginaria que um simples negó- cio no interior do Espírito Santo, nascido do sonho e da visão de futuro de Carlos Chieppe, no ano de 1946, viria a se tornar um dos maiores grupos em- presariais do País? À primeira vista, a história da Águia Branca não difere muito da de outros grandes grupos nacionais. Mas um “passeio” por essas sete décadas mostra que não é bem assim... E que a receita do sucesso e da longevidade da empresa perpassa por detalhes que fazem toda a diferença. O primeiro deles é a própria família – com mui- tos filhos, irmãos, sobrinhos, netos. Porém, o que poderia ser um problema, principalmente em se tra- tando de empresa familiar, tornou-se – com certe- za! – uma grande força. Juntos, eles não apenas to- caram o que foi construído no século passado, como foram responsáveis pelo crescimento, baseado em gestão, profissionalização e uma governança cor- porativa que já se tornou referência no mercado. Some-se a isso o brilho nos olhos de cada mem- UM CONTO DA VIDA REAL HISTÓRIA bro da família ao resgatar parte desta história. Seja para contar como “Seu” Carlim trocou seu cami- nhão por um ônibus, tornando-se, assim, pioneiro no transporte de passageiros na região naquela épo- ca; seja para relembrar fatos históricos ou engraça- dos que marcaram a trajetória da empresa; seja para citar os valores passados de pai para filho sobre os quais está sustentada essa construção. Ah, os valores... Se existe algo entranhado na história da Águia Branca são esses valores. Respei- to, ética, crença no trabalho, solidariedade, união, fé são apenas algumas “palavras de ordem” que acompanham o dia a dia da companhia desde sem- pre e que certamente se manterão vivas por mui- tos e muitos anos. E se o tempo não para, o Grupo Águia Branca também não! Tudo começou com um sonho, que exigiu esforço e foco. Os anos passaram e vieram os investimentos, os voos mais altos. A empresa diver- sificou suas atividades – o transporte rodoviário de passageiros evoluiu para comércio e locação de veí- culos, logística e transporte aéreo de passageiros –, ganhou reconhecimento e respeito. Virou referên- cia no mercado. É fonte de inspiração!
  • 15. 70anos 17 GRUPO ÁGUIA BRANCA: ESSA É UMA HISTÓRIA QUE VALE A PENA CONHECER! Auto Viação 13: O primeiro ônibus do Grupo Primeira garagem do Grupo Águia Branca, em Colatina
  • 16. 70anos 13 Os irmãos Vallecio, Wander e Aylmer reúnem-se novamente, com fusão das empresas e saída do sócio externo. Vallecio decide buscar novas oportunidades, sai dos negócios da família e adquire, junto com João Godoy Sobrinho, a Viação Águia Branca, então com 12 ônibus. Neto de Domenico, Carlos Chieppe nasceu em 1896 e começou seus negócios aos 40 anos. Em 1946, ele troca um caminhão que fazia transporte de café por um ônibus e denomina a empresa de Auto Viação 13. Este negócio marca o início da atividade de transporte de passageiros da família. Seu filho mais velho, Vallecio, então com 17 anos, assume a função de cobrador e três meses depois, quando completa 18 anos, se torna o motorista. O patriarca Domenico Chieppe chega ao Brasil com sua família, vindo do Vêneto, na Itália. A família se estabelece na região de Duas Vendinhas, localizada no atual município de Colatina (ES), e começa a trabalhar na área agrícola. HISTÓRIA ÁGUIA BRANCA DO GRUPO 1889 1961 1946 1957
  • 17. A Águia Branca adquire a Viação Capixaba, empresa com sede em Vitória e especializada no transporte de funcionários para grandes empresas, negócio que futuramente foi incorporado à Vix Logística. Também em 82, foi criada pelo designer Hans Donner a primeira logomarca da Viação Águia Branca, que passou a representar todos os negócios do segmento de transporte de passageiros do Grupo. O ano garantiu, ainda, impulso na diversificação dos negócios com a compra da concessionária Mercedes- Benz Vitória Diesel. Neste ano ocorre a primeira atuação oficial no ramo de comércio de veículos com a abertura da concessionária Valadares Diesel, revendedora de caminhões e ônibus Mercedes-Benz, em Governador Valadares (MG). No mesmo ano é feito o primeiro contrato de fretamento, originando os negócios de logística, que na década de 90 foi incorporado pela Vix. A década marca o crescimento e diversificação dos negócios do Grupo. Em maio, a Empresa Mariano Pires Pontes, conhecida como Sayonara e que fazia transporte urbano em cidades de Minas Gerais, é incorporada à Águia Branca. Em outubro, são compradas frota e linhas da Viação Itapemirim que atendiam à Região Norte do Espírito Santo. Com a expansão dos negócios para o norte do Espírito Santo, a sede da empresa sai de Colatina e vai para Cariacica, Região Metropolitana da Grande Vitória. Naquele ano, foi adquirida a Expresso São Jorge, na cidade de Itabuna. A compra da empresa somada à abertura da BR 101, ligando Vitória a Salvador (BA), permite o grande desenvolvimento da empresa no estado da Bahia. 1970 1973 1971 1982 1975
  • 18. Claudio Moura, que entrou na sociedade em 1965, deixa a empresa, fundando a Univale, em Minas Gerais. O incremento das importações de veículos no País estimula a abertura de uma nova concessionária, a Kurumá, revendedora Toyota, em Vitória. O ano marca também o início do negócio de locação de frota e logística dedicada, e a criação da marca Vix. Dois anos após, é criada a Águia Branca Cargas (1984-2003), responsável pelo transporte fracionado de cargas nas regiões Nordeste, Sudeste e Sul do País. A Águia Branca foi pioneira na adoção do sistema informatizado de emissão de passagens. Também naquele ano foi implantada a Holding Águia Branca Participações, responsável por organizar societariamente todas as empresas que compunham os diferentes negócios do Grupo e tratar os temas em comum. Acionistas criam o Conselho de Administração e instituem as Unidades de Negócios (atuais Divisões) para reunir sob uma única diretoria as empresas que desenvolviam atividades afins. Ao completar 50 anos, Grupo Águia Branca cria sua primeira marca corporativa. Colaboradores criam a gincana recreativa GinVab. A iniciativa evolui e em 2004, através do fortalecimento de seu cunho social, dá origem à Amigab, o programa de voluntariado do Grupo. 1984 1998 1991 1992 1996 1987 1993
  • 19. 70anos 16 É aprovado o novo modelo organizacional do Grupo Águia Branca, no qual o presidente da Holding passa a ter um mandato de quatro anos e responde também pela presidência do Conselho de Administração. No dia 9 de abril, o fundador e primeiro presidente Vallecio Chieppe falece, em decorrência do Mal de Alzheimer. Acontece a fusão da Trip com a Azul Linhas Aéreas, numa negociação que formou a terceira maior empresa aérea do Brasil. O ano é marcado pela compra da Salutaris, tradicional empresa de transporte rodoviário no Rio de Janeiro. Decio Luiz Chieppe assume a presidência da Holding. O executivo é o primeiro membro da segunda geração a assumir o cargo. Em dezembro, a Viação Águia Branca atualiza a pintura dos ônibus, novamente desenvolvida por Hans Donner. No mesmo mês, o Grupo Águia Branca reestiliza seu logotipo. A Trip Linhas Aéreas, empresa fundada em 1998 pelo Grupo Caprioli, marca a entrada do Grupo Águia Branca no segmento de transporte aéreo de passageiros e cargas, com a aquisição de 50% do seu capital. No mês de dezembro, a Vix Logística recebe um investimento de capital da IFC e da IFC Alac. Juntas, as duas instituições investiram R$ 200 milhões na empresa. Também neste ano, a Vix lança sua nova identidade visual. 2006 2014 2012 2003 2015 2013 2016
  • 20. 70anos 18 SEGURANÇA máxima inegociável! D e tudo o que compõe a essência do Grupo Águia Branca, não há dúvida de que segurança é um dos atributos mais rele- vantes. Na Divisão Passageiros ou de Logística, cujas operações envolvem o transporte de pessoas, as ações e projetos são planejados e desenvol- vidos com a premissa da segurança, dia após dia, ano após ano. É sem- pre assim! Diretor de Operações da Viação Águia Branca, Wallace Serafim resu- me bem o peso da palavra segurança na rotina da empresa. “Na Viação Águia Branca, segu- rança é um pilar estratégico opera- cional, de forma que todos os nossos processos são estruturados visando ao transporte de passageiros com ex- celência no atendimento e segurança veicular, tema inegociável em nos- sa empresa. Investimos tempo e re- cursos para proporcionar às equipes TRANSPORTAR COM SEGURANÇA, Tudo começa na prevenção Quando o assunto é segurança, a Vix Logística não perde de vista as ações preventivas, as principais responsáveis pelas boas práticas da empresa e, consequentemen- te, pelo alto nível de suas opera- ções logísticas. A principal ação da Vix para ga- rantir a segurança de colaborado- res e clientes é o Programa de Re- ciclagem de Motoristas, cuja meta é manter 100% dos motoristas trei- nados. O treinamento, dividido em um módulo comportamental e ou- tro de legislação, é uma agenda permanente e inclui grupos de es- tudo para escolha dos temas a se- rem discutidos. O Diálogo Diário de Segurança (DDS)éoutrapráticaforteeincen- tivadapelosgestores.Diariamente, por 10 minutos antes da jornada de trabalho, os motoristas debatem e trocam experiências a respeito da segurança. Campanhas educati- vas, testes etílicos (bafômetros) e a Patrulha do Trânsito também fazem parte das iniciativas de pre- venção desenvolvidas na empresa. E a prova do quanto segurança é um valor impregnado na sua roti- na é o fato da Vix ser certificada na OSHAS 18.001, que é uma ferra- menta que engloba orientações so- bre as quais uma organização pode implantar e ser avaliada com rela- ção aos procedimentos de saúde e segurança do trabalho. Em outras palavras, é uma certificação dada a organizações que desenvolvem um trabalho de excelência no to- cante à segurança. condições ideais para o exercício de suas atividades, sempre prestando serviços com a máxima qualidade e segurança”. Acompanhe abaixo algumas ações das empresas para garantir que no iní- cio, meio ou fim de qualquer viagem, a segurança esteja presente.
  • 21. 70anos 19 De ponta a ponta Na Águia Branca, segurança vem sempre em primeiro lugar. É um valor do qual não abrimos mão. Temos a consciência de que transportamos vidas humanas, e isso não tem preço.” Sou motorista na Vix há nove anos e participei de muitos treinamentos e reuniões sobre segurança. E isso é fundamental para eu desempenhar minha função com responsabilidade.” Amarilio dos Santos Instrutor da Patrulha Eletrônica Leonardo Guimarães Motorista do Contrato ArcelorMittal – Vix Logística Para garantir a segurança em suas operações, a Viação Águia Branca cumpre diretrizes opera- cionais e procedimentos obrigató- rios antes e durante cada viagem. Treinamentos, exames toxicoló- gicos, monitoramento de vigília e bafômetro fazem parte da roti- na dos motoristas, que também dispõem de Salas de Estimula- ção em pontos estratégicos onde os ônibus passam. Parte do Pro- grama Medicina do Sono, a Sala de Estimulação tem enfoque na luminoterapia. Lá, nas paradas das viagens, os motoristas tam- bém fazem alongamento e utili- zam bicicleta ergométrica, além de lanchar. Oacompanhamentodaqualidade dosonoéoutraatividadedoprogra- ma. Os motoristas são estimulados a adotar hábitos saudáveis para que durmambeme,consequentemente, tenham melhor qualidade de vida. As técnicas de segurança não param por aí! Velocidade, georre- ferenciamento, pontualidade e efi- cáciaoperacionaldafrotasãomoni- torados por sistema de telemetria e câmeras, com foco na direção pre- ventiva. Campanhas internas tam- bém são instrumentos de sensibi- lização. E todas essas ações estão interligadas a consolidados progra- mas de ambientação, capacitação, aperfeiçoamento e de reconheci- mento das equipes. O foco de todas as ações que desenvolvemos é sempre a mudança de comportamento, pois a análise de nossas ocorrências demonstra que a principal causa de acidentes é a conduta insegura. É preciso que o colaborador entenda que realizar suas atividades com segurança não é uma só exigência da Vix, mas é o que o fará voltar para casa, ao final da sua jornada de trabalho, com saúde para poder conviver com sua família e amigos.” Alexandro Klippel Krebel Gerência de Operação da Vix Logística – Diretoria de Fleet Service
  • 22. 70anos 20 INOVAÇÃO melhor INCESSANTE BUSCA PELA INOVAÇÃO, PELO FAZER MAIS E E stá descrito no dicionário: inovação significa novida- de ou renovação, se refere a uma ideia, método ou ob- jeto que é criado e que pou- co se parece com padrões anteriores. E essa busca pelo fazer melhor e com mais qualidade faz parte do DNA do Grupo Águia Branca. Diretor de Tecnologia e Inovação da Holding, Janc Lage resume a re- lação entre a empresa e a inovação nesses 70 anos. “A busca pela inova- ção é algo que se perpetua através de nossa cultura organizacional. Investi- mos em treinamentos, certificações e prêmios por meio da sedimentação de práticas, processos de melhoria con- tínua e da realização de nosso Prêmio da Qualidade”, destaca. Essa obstinação pela melhoria con- tínua, adicionada à coragem de ino- var, sempre fizeram com que o Grupo mirasse na excelência. E por diversas vezes, de forma espontânea, foi pio- neiro no mercado. A Águia Branca foi a primeira em- presa do setor a implantar um ERP (Planejamento de Recurso Corpora- tivo – Enterprise Resource Planning em inglês). “Quando muitos de nos- sos concorrentes sequer eram infor- matizados, desfrutamos de alta dis- ponibilidade tecnológica e tolerância a falhas. Isso foi há quase duas déca- das”, lembra o diretor. Falando, ainda, de inovação es- pontânea, o Grupo saiu na frente na venda on-line de passagens, na tele- metria da frota, na eliminação de odo- res dos banheiros dos ônibus, num projeto que adaptou cegonhas para o transporte de Hilux/Toyota, na emis- são de passagens por terminais ele- trônicos, na venda embarcada com uso de coletores eletrônicos, no apro- veitamento de água condensada nos ônibus e na governança corporativa. Regra básica quando o que está em pauta é a inovação, a adaptação às mudanças possibilitou ao Grupo avançar. “Há alguns anos a dinâmi- ca do mercado se intensificou e mo- delos de negócio vêm se tornando ob- soletos rapidamente. Esse movimento trouxe desafios diferentes, pois per- cebemos que o modelo de inovações espontâneas que nos trouxe até aqui precisava de lapidação, incentivo e estrutura”. Diante dessa nova demanda, o ano de 2015 se transformou num divisor de águas. “Adequamos a governan- ça corporativa e incluímos a inovação como um de nossos pilares. Nossa in- tenção é ser uma corporação inova- dora em seus processos, negócios, atendimento aos clientes e na forma de se relacionar no ambiente empre- sarial”, argumenta o diretor. E completou, deixando no ar o que vem pela frente... “Esperamos que nos próximos anos, a inovação seja um dos elementos fundamentais da nossa perpetuação e crescimento”. Prêmio Grupo Águia Branca da Qualidade A primeira empresa do Grupo Águia Branca a incentivar o uso das ferramentas da qualidade foi a Viação Águia Branca, que lançou o Prêmio da Qualidade em 1996. E este acabou sendo incorporado pela Holding, que levou a premia- çãoàsdemaisDivisõesdeNegócios – Logística e Comércio de Veículos. O Prêmio Grupo Águia Branca da Qualidade incentiva a dissemi- nação da metodologia de gestão por processos como instrumen- to de identificação de oportunida- des de melhorias. Os participantes implantam melhorias preventivas, corretivas ou de inovação, utilizan- do as ferramentas da qualidade, e em seguida inscrevem seu proje- to. Anualmente, são elaborados em média 70 cases.
  • 23. MAIS SOBRE A AMIGAB „ Anualmente, participam mais de300colaboradoresdoGrupo; „ Mais de 11 instituições filan- trópicas já foram beneficiadas em 2016; „ A Amigab nasceu em 1998, por meio da Gincana Social, inicia- da pelos funcionários; „ Em 2004, a gincana deu lugar ao Programa de Voluntariado Amigab, que beneficia por ano uma média de 2000 crianças e jovens dos estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro, Mara- nhão, São Paulo e Bahia. VOLUNTARIADO fazer o bemsem olhar a quem... AMIGAB: 70anos 21 E squeça a definição formal de trabalho voluntário – se- gundo a ONU, “o voluntá- rio é o jovem ou adulto que devido a seu interesse pes- soal e seu espírito cívico, dedica parte de seu tempo, sem remuneração, a diversas formas de atividade de bem- -estar social”. Para os mais de 300 colaboradores do Grupo Águia Bran- ca que integram anualmente o Pro- grama de Voluntariado Amigab isso vai além! O lema deles é fazer o bem, sem olhar a quem! Ação, compromisso, aprendizado, força de vontade, fé... O que, de fato, a Amigab representa para esse grupo? De que forma as atividades e projetos impactam sua vida? Com a palavra, quatro voluntários da Amigab! Vendedora de Telepeças da Vitó- ria Diesel, Geanne Gomes entrou no programa porque sabia que se senti- ria em casa. “O voluntariado está no DNA de minha família e quero passar o mesmo valor para minha filha, Bár- bara. Cresci no interior e várias vezes vi meu avô doar leite aos vizinhos”. Na Amigab é assim... Família que trabalha voluntariamente unida per- manece unida! Essa é a realidade da Secretária da Holding Kátia Fernan- des de Lima, que já envolveu o ma- rido, Nelson, e o filho, Eduardo, nas ações. “A harmonia familiar que le- vei para a Amigab refletiu dentro de casa”, diz ela, para quem o amor dos voluntários é capaz de amenizar a fal- ta de perspectiva que muitas vezes impera na vida das crianças e jovens atendidos pelas entidades. A força da Amigab não se limita ao Espírito Santo, onde está a sede do Grupo Águia Branca. Voluntários de outras bases do programa, como é o caso de Vanessa Moraes, Encarrega- da de Tráfego da Vix Logística Freta- mento de São Luiz, no Maranhão, e do Analista Administrativo da Viação Águia Branca de Salvador, na Bahia, Deyvid Lino Euzébio Silva, são a pro- va disso! Ambos têm a essência do progra- ma interiorizadas.“Saí da minha zona de conforto e já vejo o mundo de ou- tra forma”, reconhece Vanessa. Dey- vid, por sua vez, aproveitou as ex- periências do grupo de jovens de sua comunidade e decidiu avançar no tra- balho voluntário. E quando chegou a um dos orfanatos atendidos pela Ami- gab notou que sua vida nunca mais seria a mesma...“Sou adotado, tive sorte em entrar para a minha família e faço questão de passar minha ex- periência de vida para eles”, desta- cou o rapaz. A seriedade com a qual cada vo- luntário da Amigab encara a missão de fazer o bem nasceu há 18 anos, quando ela foi criada pelos próprios colaboradores. Mas todo esse com- prometimento está alinhado à essên- cia do Grupo. Em outras palavras, a Amigab se tornou grandiosa porque oficializa uma cultura que faz parte da nossa história.
  • 24. 70anos 22 MEIO AMBIENTE Verde,QUE TE QUERO VERDE! A preocupação com o meio ambiente–ecomodesen- volvimento sustentável, num sentido mais amplo – seja talvez a pedra fun- damentaldadiscussãosobreodirecio- namento do processo produtivo para a gestão responsável dos recursos. O mundojánosdáexemplosdaevolução dos processos da iniciativa privada em relaçãoàpreservaçãoderecursosnatu- raisedosresultadospositivosparaaso- ciedadeeparaasgeraçõesfuturas.Eo Grupo ÁguiaBrancaestáinseridones- secontexto.Sejapelasinúmerasações desenvolvidas pelas empresas que o compõem, seja pela criação da Reser- vaAmbientalÁguiaBranca,nomefan- tasiadeumaReservaParticulardoPa- trimônioNatural(RPPN)cujoregistro está em fase final. A Reserva está localizada na re- gião central do Espírito Santo e pos- sui 2.250 hectares. A propriedade foi adquirida pelo Grupo Águia Branca em 2007, com área total de 2.320 hec- tares – 97% da área será destinada à unidade de conservação e o restante é constituído pelo Hotel Fazenda Mon- te Verde Golf & Resort e futuramen- te abrigará também um empreendi- mento imobiliário. A região tem particularidades que a torna, digamos, especial... Está lo- calizada entre os parques estaduais de Pedra Azul e Forno Grande, e cerca- da do verde da mata atlântica por to- dos os lados. A RPPN complementa um mosai- co de áreas preservadas com mais de quatro mil hectares, constituindo um dos maiores fragmentos maciços pri- mários de Mata Atlântica do Espírito Santo. Este bioma, inclusive, foi ca- racterizado pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica. E além da Reserva Ambiental, cerca de 300 pe- quenas propriedades compõem o mo- saico, que inclui predominantemen- te áreas agrícolas e estabelecimentos comerciais. Toda a região é caracterizada por relevo montanhoso e tem forte apelo turístico, sendo reconhecida por sua linda paisagem, clima agradável e fa- vorecimento ao agroturismo. O setor hoteleiro e a infraestrutura receptiva têm, inclusive, crescido bastante nos últimosanos,sendohojeumdosrotei- ros mais badalados do Espírito Santo. Todo o contexto que se criou em torno desta RPPN – levando-se em conta fatores geográficos, econômi- cos e sociais – não deixam dúvidas: por meio de programas de visitação e ecoturismo, e programas de edu- cação ambiental associados à impor- tância da preservação da exuberante floresta nativa e da grande biodiver- sidade existente naquela área, a Re- serva Ambiental Águia Branca pode se tornar uma referência positiva para o fortalecimento da cultura da susten- tabilidade em todo o Espírito Santo.
  • 25. 70anos 23 Engajamento que vem de longe... Muito antes do Grupo Águia Branca adquirir a propriedade que se transformará na maior Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) capixaba, a Viação Águia Branca, a Vix Logística e as con- cessionárias da Divisão Comércio já estavam engajadas em ações e projetos ambientais que aconte- cem dia após dia, ao longo dos 12 meses do ano. Diante de um cenário de escas- sezhídrica,assuntoqueganhoure- levância mundial nos dois últimos anos, os colaboradores do Grupo Águia Branca fazem sua parte e já agregaram à sua rotina sistemas de reutilização de água que geram menos consumo, economia e óti- mo exemplo. Projetos de coleta seletiva são, há tempos, uma realidade nas em- presas e está mais do que integra- da à rotina das equipes. E a reuti- lização da água e o uso consciente da energia também são ações rele- vantes dentro do Grupo. Outro bom exemplo diz respei- to à gestão atmosférica. Tanto na Viação Águia Branca quanto na Vix Logística existe uma preocupação constante com o que se refere às emissões dos gases do efeito es- tufa. Por isso, todos os veículos e equipamentos movidos a diesel são sistematicamente monitorados. Aliando economia de combustível, ma- nutenção dos veícu- los, segurança e prote- ção ao meio ambiente, o Programa de Condu- ção Econômica, da Via- ção Águia Branca, pre- mia anualmente os 12 motoristas com melhor desempenho nesses quesitos. Em 2015, eles proporcio- naram uma redução de consumo de 18,7 mil litros de óleo diesel. Com isso, 51 toneladas de gás car- bônico deixaram de ser lançadas na atmosfera, o que equivale a 4.677 árvores plantadas. Os profissionais que vestem a camisa do Grupo Águia Branca sabem que o sucesso dos progra- mas ambientais está intimamente ligado à participação de todos os colaboradores e o envolvimento das comunidades. E embora projetos, campa- nhas e programas sejam realiza- dos de forma constante em todas as empresas, outras ações pon- tuais complementam o conjunto de iniciativas em prol de um am- biente de trabalho cada vez mais sustentável.
  • 26. 70anos 24 equação RECONHECIMENTO O que significa se relacio- nar bem? Qual a rele- vância do bom relacio- namento para a história deumaempresa?Quais os diferenciais competitivos das orga- nizações que mantêm parcerias dura- douras? Com a palavra, o Diretor de RelaçõesInstitucionaisdoGrupoÁguia Branca, Luiz Wagner Chieppe. Oexecutivodefendeque“serelacio- narbem,antesdequalquercoisa,faci- lita a troca de ideias, serviços e infor- mações”, e que isso é fundamental no ambientecorporativo.“Obomrelacio- namento,comcolaboradores,clientes efornecedores,éumconstantedesafio. Enãobastatratarbem,éprecisoaten- der aos desejos e necessidade de nos- so público. Aí está o grande segredo”. Além de ser conhecido pela histó- ria marcada por trabalho, empreen- dedorismo e inovação, o Grupo Águia Brancanãoperdeofoconaculturaba- seada em parcerias longas e bom rela- cionamento.Tantoumaquantoaoutra permeiam as sete décadas da empre- sa e têm ligação direta na boa reputa- ção construída ao longo desses anos. Abaixo, ele fala um pouco mais so- bre essa relação tão relevante para a saúde das empresas. RELAÇÕES DE LONGO PRAZO “Temosclientes,parceirosefornecedo- resdelongadataeessaéumarealidade detodasasDivisões–Passageiros,Lo- gística e Comércio. Dedicamos tempo a esse relacionamento, nos preocupa- mos com o nível de satisfação de nos- so público e reconhecemos nossa res- ponsabilidade.” UMA QUESTÃO DE CULTURA “Faz parte de nossa cultura essa ma- neira especial de tratar as pessoas. O relacionamentoéumafortecaracterís- a nossa BOM RELACIONAMENTO + RECONHECIMENTO + REPUTAÇÃO: Se há algo que precisamos perenizar, assim como a própria empresa, é essa forma como nos relacionamos com parceiros, clientes, fornecedores e colaboradores. Não podemos perder essa característica e é ela que deixaremos como legado” Luiz Wagner Chieppe Diretor de Relações Institucionais do Grupo Águia Branca ticadaempresa,estáemnossaessên- cia.Foiumacaracterísticafundamen- tal em nossa trajetória e temos uma preocupação constante para que não sepercanocaminho.Seexistealgodo qual não abrimos mão é atuar de ma- neira simples e bem próxima. E esse olhardiferenciadofazemosquestãode dar também aos colaboradores, tanto que muitos deles fizeram e fazem car- reira no Grupo.” PRÊMIOSERECONHECIMENTO “Temosumahistóriadereconhecimen- todemercadoquemuitonosorgulha. E em alguns momentos esse reconhe- cimento chegou em forma de prêmios – oferecidos individualmente, a exe- cutivos, ou ao Grupo. Vejo essas con- quistas como fruto de nossa história.” REPUTAÇÃO “Nossa boa reputa- ção foi construída em função da rela- ção direta que mantemos com o pú- blico com o qual nos relacionamos. A meuver,aliás,fidelização,reconheci- mentoereputaçãofazempartedeuma mesmaequação,eesseéolegadoque pretendemos deixar.” VISÃO DE COLETIVO “O compro- missodoGrupoÁguiaBrancavaialém de conseguir manter a própria reputa- ção. Queremos ser úteis ao setor de transportes e às instituições classis- tas.Essapreocupaçãoexplicaa atuaçãovoluntáriadeexecu- tivosdaempresaemen- tidadeslocais,regionais enacionais.Quere- mos estar integra- dos às discussões acerca de desenvol- vimento,oportuni- dades,potenciali- dades e qualidade de vida”.
  • 27. 70anos 25 Parceria duradoura aos olhos de grandes parceiros “O pioneirismo da família Chieppe, somado ao talento e à determinação, re- sultaram num dos mais admirados con- glomerados empresariais do Brasil. A Mer- cedes-Benz e a Águia Branca têm muito em comum. Não só pela parceria dos conces- sionários, mas pelo compromisso com a busca da melhoria contínua, visando, aci- ma de tudo, a satisfação dos clientes. Os 70 anos da Águia Branca coincidem com os 60 anos da Mercedes-Benz do Brasil. Esses marcos nos inspiram a continuar sempre juntos diante de novos desafios.” Philipp Schiemer Presidente e CEO América Latina MERCEDES-BENZ DO BRASIL “Sempre acreditamos na capacida- de do Grupo Águia Branca de suportar o desenvolvimento. E foi com esta visão que em 2007 celebramos nosso primei- ro contrato. A logística de transportes tem um papel fundamental na satisfação dos clientes e o sucesso dessa parceria com a ArcelorMittal se deve à política de inovação e desenvolvimento tecno- lógico conjunto. Apesar do cenário ad- verso, a empresa tem trabalhado para se manter competitiva. E essa capaci- dade de adaptação é um diferencial.” Raquel Pittella Diretora de Suprimentos ARCELORMITTAL BRASIL “A Vale e o Grupo Águia Branca man- têm uma parceria de longa data. Um rela- cionamento pautado na confiança, já que através da Vix Logística o Grupo transpor- ta, todos os dias, o ativo mais importante da Vale, nossos empregados. E essa parce- ria já se estende além das fronteiras do Es- pírito Santo, o que reforça a competência e a qualidade dos serviços prestados. Certa- mente é motivo de orgulho para todos nós que tivemos a oportunidade de acompanhar o desenvolvimento da empresa ver o Gru- po Águia Branca chegando aos 70 anos.” Fabio Brasileiro Diretor VALE “Destes 70 anos do Grupo, pelo menos há 20 temos uma parceria sólida com a Au- toport, parceria esta que teve início na pri- meira metade da década de 90, com a aber- tura das importações de automóveis. Com o início da produção de automóveis Honda no Brasil, em 1997, no Sumaré (São Pau- lo), o desafio era a distribuição do reduzido volume de automóveis para o ainda reduzi- do número de concessionários. Mas a Au- toport aceitou tal desafio e continua sendo nosso principal parceiro para distribuição”. Helio Shimpei Matsuzawa Gerente de Logística de Distribuição de Automóveis HONDA “Ética, valorização das pessoas e res- ponsabilidade socioeconômica nos re- metem ao Grupo Águia Branca, do qual a Samarco se orgulha de ter como par- ceiro desde o início das nossas opera- ções, em 1977. Por meio de seus ser- viços de transporte e logística, o Grupo leva o nome do Espírito Santo para todo o Brasil. Que venham outros 70 anos, de uma empresa que cresceu junto com o Estado e tornou-se um dos principais pilares da economia capixaba. Parabe- nizamos a diretoria e os empregados da Águia Branca”. Roberto Carvaho Diretor-presidente SAMARCO “Em primeiro lugar, parabenizo o Grupo Águia Branca e os seus colaboradores pe- los seus 70 anos. Uma história tão longeva é uma prova indubitável da capacidade do seu corpo diretivo no gerenciamento das operações e de todos os seus membros na execução das atividades diárias. Em mais de 40 anos de parceria, a Toyota do Bra- sil tem o orgulho de ser parte importante desta história de sucesso. Estou esperan- çoso que essa parceria entre a Toyota do Brasil e o Grupo Águia Branca perdure e cresça nos próximos 100 anos!” Koji Kondo Presidente TOYOTA DO BRASIL
  • 28. 70anos 26 U ma empresa só faz história, só conquista es- paço e cresce com a participação de pessoas. Pessoas que vestem a camisa, que colocam a mão na massa, que sonham junto. O Gru- po Águia Branca chegou aos 70 anos contan- do com um time de peso! Profissionais que já fizeram ou ainda fazem parte desta história. A seguir, você vai ler um pouco sobre a trajetória de oito colaboradores que cresceram junto com o Grupo. Pro- fissionais que vestem, não apenas a camisa, mas os va- lores e a cultura da empresa. São histórias inspiradoras e que, como tantas outras, carregam exemplos de uma li- derança positiva e agregadora. Com eles, representamos também a história de muitos outros profissionais que fa- zem acontecer. cresceram gente! Eles com a RECONHECIMENTO “Tenho 25 anos de Grupo Águia Branca e minha trajetória começou em 1990, como estagiário de Contabilidade da Viação Águia Branca. Passei pe- las áreas de Controle e Receita, Contabilidade, Orçamento e Custos da Viação e da Águia Branca Cargas. Em 1999 cheguei à Holding para assumir a Asses- soria Financeira. Minha vida no Grupo tem marcos importantes. O primeiro foi o convite para assumir a Assessoria de Orçamento e Custos da Viação, pois tive seis meses para me preparar. O segundo foi desenvolver a mesma área na Águia Branca Cargas. E não foi uma decisão fácil, já que implicaria em deixar três anos de investimentos que a Viação havia feito no meu desenvolvimento, além de mi- nhas expectativas de progressão na empresa. E o terceiro marco, meu grande desafio, quando assumi a Assessoria Financeira. Estava diante de uma gran- de responsabilidade... Tenho muito orgulho de trabalhar no Grupo. Eu me sinto parte disso tudo.” “Falar sobre minha história no Grupo me emociona... Tudo começou em 1994, como estagiária na Vitória Diesel. Em 1996 fui contratada como Auxi- liar Contábil e depois passei por assistente, analista e líder, e no ano 2000 as- sumi a coordenação da área. Neste mesmo ano, comecei a atuar na Kurumá Veículos, onde fiquei como contadora até 2006. Ainda em 2006, assumi a Ge- rência Administrativa e Financeira da Kurumá. Em 2009, junto com Cláudio Chieppe, começamos a planejar o que era um desejo do Riguel Chieppe: criar a Administração Central da Divisão Comércio. E essa fusão me trouxe a oportunidade de assumir a gestão administrativa e fi- nanceira da Divisão. Tenho uma trajetória marcada por desafios, mas a criação da Administra- ção Central é especial, pois envolveu mudanças e um trabalho forte de ges- tão de pessoas. Trabalhar no Grupo é absolutamente inspirador. Fundadores, acionistas, diretores... São todos uma grande inspiração!” “Eu me sinto parte disso tudo” Fonte de inspiração Gilberto Vieira Assessor Financeiro da Holding do Grupo Águia Branca Andréia Gabriel Gerente Geral Administrativa e de Finanças da Divisão Comércio
  • 29. 70anos 27 “Cheguei à Águia Branca em 1996, quando a empresa comemorava 50 anos. Participei das comemorações e mal sabia que estava começando a cons- truir uma história... Comecei estagiando na área de Tecnologia da Informação. Depois, passei pela Assessoria de Operações do Núcleo Operacional Campo Grande, na Viação Águia Branca, e aos 25 anos fui promovido a Gerente Operacional da mesma filial. Aofinalde2008,fuipromovidoaGerentedePlanejamentoOperacionaleparti- cipeideumimportantecapítulodahistóriadaempresa.Fuiconvidadoadesenvolver umprojetoinovadoredessaideiasurgiuoCCO–CentrodeControleOperacional. Em2012fuiparaoRiogerenciaroNúcleoOperacionaleretorneiaCampoGran- de em 2015, sendo responsável atualmente pelos setores do Rio e Colatina, além do próprio núcleo Campo Grande. Quando perguntam minha relação com o Grupo Águia Branca é fácil respon- der: pertencimento e amor!” “Entrei em 1990, através de um projeto similiar ao Programa Jovem Apren- diz. Logo depois, ingressei como estagiário da Águia Branca Cargas e fui ad- mitido em 1994. De lá pra cá, passei pelas áreas de Controladoria e Filial Vitó- ria da Águia Branca Cargas, e pela Controladoria da Viação Águia Branca. Em 2006 cheguei à Holding como parte da equipe de Gerência de Projetos e Ino- vação, na Diretoria de Tecnologia e Inovação. Nesses mais de 26 anos, encarei vários desafios e o mais recente foi a par- ticipação na gestão das duas ondas do Projeto Águia. A implantação do SAP foi um divisor de águas em minha carreira. Quando olho para o que percorri, meu sentimento é de realização. Tenho tanta satisfação por tudo o que vivi que guardo meus certificados de reconheci- mento por tempo de casa. A cada dia procuro contribuir, compartilhar experiên- cias e celebrar as conquistas. Sou grato por fazer parte deste Grupo inovador.” “Entrei no Grupo em 1997, como estagiário na Águia Branca Cargas. Atua- va no Almoxarifado, que era compartilhado com a Viação Águia Branca, e den- tre as atividades que desempenhava, eu embalava e despachava kits de lanches para os ônibus. Ainda como estagiário, atuei no setor de Faturamento e depois fui promovido a Assistente Administrativo. Em 2004 fui trabalhar como Analista na Águia Branca Logística e no ano se- guinte, com o encerramento das atividades, fui transferido para a Vix Logística, onde assumi o cargo de Analista Comercial. A ida para a Vix foi um momento delicado, pois exigiria adaptação. Mas deu tudocerto!Tantoqueemjulhode2007fuipromovidoaAssessorOperacional,eno mesmoanochegueiaSupervisorOperacional.Em2008assumiocargogerencial. Qualquer carreira é cercada de desafios. Eu abracei todos porque a empre- sa me ofereceu suporte e confiança. A credibilidade da Águia Branca me impul- sionou para frente.” Uma relação de pertencimento e amor Mistura de realização e orgulho Suporte, confiança e credibilidade Leonardo Martins Balestrassi Gerente de Operações da Vix Logística Marcelo Serpa Gerente Operacional da Viação Águia Branca Hudson Vieira da Silva Supervisor de Projetos da Diretoria de Tecnologia e Informação da Holding
  • 30. 70anos 28 “A porta que me trouxe ao Grupo Águia Branca se abriu em 1995. Fui con- tratada como prestadora de serviços na Viação Capixaba (empresa que foi in- corporada à Vix). Terminado o contrato, fui contratada como Analista de Ad- ministração de Pessoal, onde fiquei por três anos, e a seguir recebi minha primeira promoção, para o cargo de Supervisora de Administração de Pessoal. Após nove anos, me vi diante do grande desafio da minha carreira: implantar e assumir a Gerência de Recursos Humanos da Vix. Quando recebi o convite, não sabia se ria ou se chorava! Eu dominava tec- nicamente o assunto, mas estava diante de algo completamente novo. Além deste desafio pontual, a Vix, por si só, é uma empresa desafiado- ra, pois mobiliza e desmobiliza negócios o tempo inteiro. Para dar conta das demandas, precisamos de comprometimento constante. Mas isso não é problema, pois tudo o que o Grupo Águia Branca se propõe a fazer é de maneira comprometida.” “Falar do Grupo Águia Branca é falar de respeito. E faço desse valor um com- panheiro de minha trajetória, que se iniciou em 1996. Entrei como estagiário. E terminada a faculdade, fui chamado para atuar como Assessor da Qualidade na implantação da Iso 9000 na Vitória Diesel. Os três anos que se seguiram foram de conhecimento e trabalho. Em 2000 recebi convite para assumir a Gerência de Assistência Técnica de Caminhões. No ano de 2009 fui para a Gerência de Pós-Vendas e em 2011 mudei de Estado e assumi a Gerência Comercial da Operação Sul da Divisão Comércio. Cada desafio enfrentado nesses anos teve uma particularidade. No entan- to, minha ida para o Sul tem um peso diferenciado. E por falar em desafio, estou vivendo outro atualmente, pois respondo pe- las quatro unidades da Savana (revendedora Mercedes-Benz na Região Sul).” Comecei minha história no Grupo em 1997, como estagiário, e costumo di- zer que fui a primeira pessoa contratada em 1999, pois tive minha Carteira de Trabalho assinada no dia 1º de janeiro daquele ano como Auxiliar Administra- tivo do Departamento Pessoal da Viação Águia Branca. De auxiliar passei a as- sistente, analista e em 2007, ano de minha formatura na faculdade de Conta- bilidade, fui promovido a coordenador do setor. Nesses 19 anos de empresa, encarei muitos desafios. No entanto, o maior deles foi participar do Projeto Águia, entre 2014 e 2015. E foi desafiador por- que embora soubesse de antemão que participaria dele, não fazia ideia que en- traria como gerente. Foi uma responsabilidade e tanto! E sabe o que é melhor nisso tudo? Que mesmo no ambiente de trabalho me sinto em família, acolhido. E isso é possível porque o Grupo Águia Bran- ca foi construído sobre valores que continuam fazendo parte de sua essência.” Uma empresa comprometida com tudo o que faz Cada desafio, uma particularidade “Eu me sinto em família, acolhido” Débora Abade Gerente de Recursos Humanos da Divisão Logística Eugênio Ramiro da Silva Filho Gerente Comercial Operação Sul – Vitória Diesel Leandro da Silva Matias Coordenador de Administração de Pessoal da Divisão Passageiros RECONHECIMENTO
  • 31. 70anos 29 logo alie é para lá que vamos! FOCO NO FUTURO a excelência. Some-se a eles a ética, a autocrítica e a constante busca pelo crescimento sustentável. A força dos nossos valores nos trouxe até aqui, mas a história con- tinua... E daqui pra frente este cami- nhar continuará sendo sustentado por pilares estratégicos. O primeiro são as pessoas, que considero nosso maior poder. Pois elas fazem acontecer! O segundo pilar que direcionará os novos passos é a inovação. E não so- mente a inovação tecnológica, mas principalmenteadosprocessos.Temos a inovação em nosso DNA, no entan- to daqui pra frente precisamos adotar mecanismos de sistematização deste que é um diferencial mercadológico. E o terceiro é a estratégia. Que es- colhas precisaremos fazer? Como an- tecipar riscos de ruptura? Só conse- guimos obter essas respostas quando estamos engajados, afinados, como uma orquestra. E para que sigamos no caminho que traçamos até hoje é essencial ter lideranças alinhadas à nossa cultura, pois os valores do Gru- po Águia Branca são nossa essência e devem permear do nível mais es- tratégico à base. O mercado não vai crescer em 2016, mas podemos nos posicio- nar melhor e ganhar market sha- re aproveitando nossas maiores forças: marcas reconhecidas, ino- vações contínuas e um olhar atento para ajustar estratégias. Isso sem falar em nossa principal for- taleza, as pessoas. 2016! Temos uma data paracomemoraremuitos desafios a vencer. E va- mos fazer os dois. Apos- tando no trabalho, no compromisso e nos va- lores que nos trouxeram até aqui. Nosso time está motivado e preparado para nos ajudar a manter o Grupo Águia Branca vivo e forte para enfrentar qualquer tempestade” E mpresas familiares co- mandam a economia glo- bal. Estimativas apontam que 80% das empresas do mundo são familiares e no Brasil não é diferente, onde cerca de 90% das companhias são formadas por membros de uma mesma família. O cenário seria bem interessante se não fosse por um detalhe: desse to- tal, apenas 30% chega à segunda ge- ração e menos de 10% dessas organi- zações sobrevive à terceira. Uma breve análise desses números demonstra que o Grupo Águia Branca nada contra a maré – felizmente! Afi- nal, o ano de 2016 marca nossos 70 anos. Temos, é claro, motivos para comemorar, mas é impossível se des- conectar da realidade que nos cerca neste momento. O Brasil está sendo afetado por uma série de fatores econômicos e políticos que interagem fortemente entre si e têm causado turbulências no mercado. O que temos hoje são dúvidas, falta de perspectivas e um baixo nível de investimentos. E a matemática aqui é simples! Os mais fortes sobreviverão à crise. Es- tamos, portanto, diante do grande desafio: fortalecer nossos valores e fazer deles um instrumento de acul- turamento de nosso time para que, juntos, possamos escrever os próxi- mos capítulos desta história. E quando falo de valores, recorro a itens que enxergo como fundamentais à nossa estrutura e longevidade. O pri- meiro deles é o respeito às pessoas – clientes, fornecedores, parceiros, co- laboradores ou qualquer agente que tenha relação com nossos negócios. O segundo chama-se paixão. Estamos há 70 anos no mercado, mas sempre querendo fazer mais e melhor. E além da paixão, nosso compromisso é com O FUTURO É Decio Luiz Chieppe Presidente da Holding do Grupo Águia Branca