SlideShare uma empresa Scribd logo
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
CLASSIFICAÇÃO DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.1 - Página 1
TÍTULO I
NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO
E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
CAPÍTULO 1.1
CLASSIFICAÇÃO DOS UNIFORMES ESPECIAIS
Os Uniformes Especiais são classificados por grupos, de acordo com
as atividades ou usuários específicos:
Artigo 1.1.1
Classificação.
Os Uniformes Especiais do grupo operativo são os destinados ao
pessoal envolvido com as atividades a bordo dos navios, nos serviços de
máquinas e nas fainas marinheiras, como se segue:
- ATIVIDADES DE BORDO (OP)
- ATIVIDADES DE VÔO (VV)
- ATIVIDADES DE MERGULHO (MG)
- ATIVIDADES DE CAMPANHA (AC)
- ATIVIDADES DE PÁRA-QUEDISMO (PQ)
- ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA (HN)
- FAINAS MARINHEIRAS (MR)
- ATIVIDADES DIVERSAS (AD)
- INSPEÇÃO NAVAL (IN)
Artigo 1.1.2
Grupo I -
Operativo.
Uniformes Especiais para as atividades de bordo, operativa e
serviços de máquinas:
- OPERATIVO AZUL-FERRETE (OP-1)
- OPERATIVO CAMUFLADO (OP-2).
Artigo 1.1.3
Atividade de
Bordo.
(OP)
Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com o serviço de vôo:
- PARA VÔO NO VERÃO (VV-1)
- PARA VÔO NO INVERNO SOBRE TERRA (VV-2)
- PARA VÔO NO INVERNO SOBRE ÁGUA (VV-3)
- PARA OS SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO (VV-4)
- PARA OS POSTOS DE VÔO (VV-5)
Artigo 1.1.4
Atividade de Vôo.
(VV)
Uniformes especiais para o pessoal envolvido com as atividades de
mergulho:
- PARA ESCAFANDRIA (MG-1)
- PARA ESCAFANDRIA (MG-2)
- PARA MERGULHADORES DE COMBATE (MG-5)
- PARA SALTO DE MERGULHADORES DE COMBATE
(MG-7)
- PARA SALTO DE MERGULHADORES DE COMBATE
(MG-8)
Artigo 1.1.5
Atividade de
Mergulho.
(MG)
Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com campanha:
- PARA CAMPANHA (AC-1)
- PARA CAMPANHA (AC-2)
- PARA CAMPANHA (AC-3)
- PARA CAMPANHA (AC-4)
- PARA CAMPANHA (AC-5)
- PARA CAMPANHA (AC-6)
Artigo 1.1.6
Atividade de
Campanha.
(AC)
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
CLASSIFICAÇÃO DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.1 - Página 2
Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com os serviços de
pára-quedismo:
- SALTO REPRESENTATIVO (PQ-1)
- SALTO LIVRE (PQ-2)
- SALTO SEMI-AUTOMÁTICO (PQ-3)
Artigo 1.1.7
Atividade de Pára-
Quedismo.
(PQ)
Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com os serviços de
hidrografia, oceanografia e balizamento:
- ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E
BALIZAMENTO (HN-1)
Artigo 1.1.8
Atividade de
Hidrografia,
Oceanografia e
Balizamento.
(HN)
Os Comandantes de Navios, autorizados pelos Comandantes de
Forças poderão adotar, estabelecendo o seu uso, peças especiais
necessárias à realização de fainas marinheiras.
Igual autorização é estendida às fainas específicas dos
serviços de pára-quedismo.
As peças especiais autorizadas são as destinadas à
proteção do pessoal ou à identificação durante as fainas, entendendo-se
como coberturas, calçados, camisas ou coletes de cores diferentes, luvas,
braçadeiras etc.
As peças especiais serão de posse de Organização Militar,
correndo as despesas por conta da própria OM.
Artigo 1.1.9
Fainas
Marinheiras.
(MR)
Uniformes Especiais para os militares envolvidos em atividades de
inspeção executadas pelas Organizações Militares do Sistema de Segu-
rança do Tráfego Aquaviário:
- INSPEÇÃO NAVAL (IN)
- CONDUÇÃO EMBARCAÇÃO (CE)
Artigo 1.1.10
Inspeção Naval
(IN)
Os Uniformes Especiais do grupo de apoio são os destinados ao
pessoal envolvido com os serviços de segurança, guardas-de-honra,
serviços de saúde, instrutoria de educação física e os serviços gerais de
taifa, como se segue:
- ATIVIDADE DE ESCOLTAS E GUARDAS ESPECIAIS (SP)
- ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE SAÚDE (SS)
- INSTRUTORIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA (EP)
- SERVIÇO GERAL DE TAIFA (TA)
Artigo 1.1.11
Grupo II -
Atividade de
Apoio
Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com os serviços de
escoltas especiais, policiamento, seguranças e guardas de honras:
- PARA O SERVIÇO DE ESCOLTA, GUARDA E
ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO (SP-1)
- PARA O SERVIÇO DE ESCOLTA, GUARDA E
ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO (SP-2)
- PARA O SERVIÇO DE GUARDA E ORIENTAÇÃO DE
TRÂNSITO (SP-3)
- PARA O SERVIÇO DE ESCOLTA, GUARDA E
ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO (SP-4)
- BEGE PARA GUARDA-DE-HONRA (SP-5)
- BEGE DE VERÃO PARA GUARDA-DE-HONRA (SP-6)
Artigo 1.1.12
Atividades de
Escoltas e
Guardas
Especiais
(SP)
Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com os serviços de
saúde:
- BRANCO INTERNO (SS-1)
- CINZA/BEGE/AZUL MESCLA INTERNO (SS-2)
- PARA TRABALHOS EM LABORATÓRlOS (SS-3)
Artigo 1.1.13
Serviço de Saúde
(SS)
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
CLASSIFICAÇÃO DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.1 - Página 3
Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com os serviços de
instrutoria de educação física:
- INTERNO (EP-1)
- INTERNO (EP-2)
- PARA REPRESENTAÇÃO (EP-3)
- PARA REPRESENTAÇÃO (EP-4)
Artigo 1.1.14
Instrutoria de
Educação Física.
(EP)
Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com o serviço geral de
taifa:
- PARA ARRUMADOR (TA-1)
- PARA BARBEIRO (TA-2)
- PARA COZINHEIRO (TA-4)
- PARA RANCHEIRO (TA-5)
Artigo 1.1.15
Serviço Geral de
Taifa.
(TA)
Os Uniformes Especiais deste grupo são os destinados a motoristas,
às gestantes, aos sentenciados, às Praças Especiais e às cantoras e
musicistas da Companhia de Bandas do Batalhão Naval, como se segue:
- MOTORISTA DE FORMA MODERADA (M-1)
- MOTORISTA DE FORMA SOLENE (M-2)
- GESTANTES (GE)
- SENTENCIADO (SE)
- MUSICISTA (MU-1)
- PRAÇAS ESPECIAIS (PE)
Artigo 1.1.16
Grupo III -
Diversos.
As militares poderão usar uniformes especiais de gestantes
compostos por bata e saia para gestantes previstas neste regulamento.
Tratam-se de adaptações das peças de uniformes básicos,
de modo a permitir variações de medidas de acordo com a evolução da
gravidez.
O uso dessas peças serão mesmo descrito para as peças
correspondentes aos uniformes básicos.
Caso haja indicação médica, as militares grávidas poderão
usar mocassins pretos de salto baixo em todos os uniformes, bem como
deixar de usar as meias previstas, ou ainda, usar meias especiais, desde
que sejam da cor da pele.
Artigo 1.1.17
Gestante.
(GE)
Uniformes Especiais para às Praças Especiais (Aspirantes e Alunos
do Colégio Naval):
- PARA INSTRUÇÃO (EN-1)
- PARA INSTRUÇÃO (EN-2)
Artigo 1.1.18
Aspirantes e
Alunos do Colégio
Naval
As militares lotadas na Companhia de Bandas do Batalhão Naval,
exclusivamente no desempenho das atividades autorizadas de apresenta-
ção da Banda Sinfônica, poderão usar o uniforme especial composto con-
forme previsto neste regulamento.
As peças especiais da composição do uniforme serão de dotação da
OM.
Artigo 1.1.19
Musicistas
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
DISTINTIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DE OM, QUALIFICAÇÃO OPERATIVA E INDIVIDUAL - CAPÍTULO 1.2 - Página 1
TÍTULO I
NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO
E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
CAPÍTULO 1.2
DISTINTIVOS DE INDENTIFICAÇÃO DE OM,
QUALIFICAÇÃO OPERATIVA E INDIVIDUAL
Os distintivos de identificação de OM e de Qualificação Operativa
deverão ser criados aprovados pelos respectivos Comandantes de Força
ou COMIMSUP equivalente..
Artigo 1.2.1
Criação dos Dis-
tintivos de Identi-
ficação de OM e
de Qualificação
Operativa.
Os distintivos de identificação de OM poderão ser usados nos
uniformes para atividades operativas, no máximo de um.
Artigo 1.2.2
Uso dos
Distintivos de
Identificação de
OM.
Os distintivos de qualificação operativa, poderão ser usados nos
uniformes para atividades operativas, no máximo de um.
Artigo 1.2.3
Uso do Distintivo
de Qualificação
Operativa.
Os distintivos de identificação individual são descritos nas
características gerais das peças de uniformes especiais da MB.
Artigo 1.2.4
Distintivos de
Identificação Indi-
vidual.
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 1
TÍTULO I
NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO
E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
CAPÍTULO 1.3
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS
OPERATIVO
O uso e a composição dos Uniformes Especiais da MB são conforme
a seguir discriminado.
Artigo 1.3.1
Composição e
Uso de Uniformes
Especiais.
As peças exclusivas dos uniformes especiais, isto é aquelas que não
compõem os uniformes básicos, são normalmente dotação da OM. As
exceções serão discriminadas em cada uniforme.
Artigo 1.3.2
Posse.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 2
OP1 - OPERATIVO AZUL-FERRETE - OFICIAIS E GM - MASCULINO
Identificação do Uniforme
OP1 - OPERATIVO AZUL-FERRETE
Categoria
OFICIAIS E GM
Sexo
MASCULINO
Composição
BOTA DE COVÉS
CAMISETA BRANCA
GORRO CINZA
INSÍGNIAS DE GORRO
INSÍGNIAS DE JAPONA
MACACÃO AZUL-FERRETE DE COMBATE
MEIAS PRETAS
Uso
VER CAMPO OBSERVAÇÃO
Observação
USO: A BORDO DOS NAVIOS, BASES, PORTOS,
CAPITANIAS, DELEGACIAS E AGÊNCIAS, NO
TRANSLADO RESIDÊNCIA X TRABALHO. NESTE
CASO, A CRITÉRIO DO COMANDANTE DO DISTRITO
NAVAL, DESDE QUE O MILITAR RESIDA EM VILA
NAVAL, LOCALIZADA PRÓXIMO AS BASES, PORTOS
E CAPITANIAS. EM SITUAÇÕES ESPECIAIS, TAIS
COMO LEVANTAMENTOS HIDROGRÁFICOS,
MANUTENÇÕES DE FARÓIS, OPERAÇÕES
RIBEIRINHAS (AÇÕES EM TERRA) E AÇÕES DE
FISCALIZAÇÕES DO TRÁFEGO AQUAVIARIO. EM
REUNIOES OPERATIVAS, INCLUSIVE COM OUTRAS
FORÇAS. A CRITÉRIO DO COMANDANTE, PODERÁ
SER UTILIZADO COMO UNIFORME DE SERVIÇO.
- Para uso no macacão azul-ferrete, a fita de identificação
será confeccionada em tecido azul-ferrete, medindo 125
x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso
em tinta amarela indelével e grupo sanguineo em tinta
vermelha indelével.
- O distintivo de identificação de nacionalidade deve ser
fixado na manga direita, centralizda a 3,0 cm da costura
do ombro.
- A Bandeira do Brasil deve ser fixada na manga
esquerda, centralizdo a 3,0 cm da costura do ombro.
- A critério do Comandante, poderá ser usado o gorro de
viagem em substituição ao gorro cinza.
- Quando o serviço recomendar, com o equipamento
individual básico (EIBC) ou equipamento individual
suplementar de combate (EISC).
- Quando em postos de vôo poderá ser usada a jaqueta
para convés de vôo e o gorro de convés de vôo. O blusão
de sueste também poderá ser utilizado quando determi-
nado.
- O distintivo de Identificação de OM, deve ser fixado na
região central do bolso direito.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 3
OP1 - OPERATIVO AZUL-FERRETE - SO/SG - MASCULINO
Identificação do Uniforme
OP1 - OPERATIVO AZUL-FERRETE
Categoria
SO/SG
Sexo
MASCULINO
Composição
BOTA DE COVÉS
CAMISETA BRANCA
GORRO CINZA
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE GORRO
INSÍGNIAS DE JAPONA
MACACÃO AZUL-FERRETE DE COMBATE
MEIAS PRETAS
Uso
VER CAMPO OBSERVAÇÃO
Observação
USO: A BORDO DOS NAVIOS, BASES, PORTOS,
CAPITANIAS, DELEGACIAS E AGÊNCIAS, NO
TRANSLADO RESIDÊNCIA X TRABALHO. NESTE
CASO, A CRITÉRIO DO COMANDANTE DO DISTRITO
NAVAL, DESDE QUE O MILITAR RESIDA EM VILA
NAVAL, LOCALIZADA PRÓXIMO AS BASES, PORTOS
E CAPITANIAS. EM SITUAÇÕES ESPECIAIS, TAIS
COMO LEVANTAMENTOS HIDROGRÁFICOS,
MANUTENÇÕES DE FARÓIS, OPERAÇÕES
RIBEIRINHAS (AÇÕES EM TERRA) E AÇÕES DE
FISCALIZAÇÕES DO TRÁFEGO AQUAVIARIO. EM
REUNIOES OPERATIVAS, INCLUSIVE COM OUTRAS
FORÇAS. A CRITÉRIO DO COMANDANTE, PODERÁ
SER UTILIZADO COMO UNIFORME DE SERVIÇO.
- Insígnias de japona para SO
- Insígnias de gorro para SO
- Insígnias de braço para SG (apenas no braço direito)
- Para uso no macacão azul-ferrete, a fita de identificação
será confeccionada em tecido azul-ferrete, medindo 125
x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso
em tinta amarela indelével e grupo sanguineo em tinta
vermelha indelével.
- O distintivo de identificação de nacionalidade deve ser
fixado na manga direita, centralizda a 3,0 cm da costura
do ombro.
- A Bandeira do Brasil deve ser fixada na manga
esquerda, centralizdo a 3,0 cm da costura do ombro.
- A critério do Comandante, poderá ser usado o gorro de
viagem em substituição ao gorro cinza.
- Quando o serviço recomendar, com o equipamento
individual básico (EIBC) ou equipamento individual
suplementar de combate (EISC).
- Quando em postos de vôo poderá ser usada a jaqueta
para convés de vôo e o gorro de convés de vôo. O blusão
de sueste também poderá ser utilizado quando determi-
nado.
- O distintivo de Identificação de OM, deve ser fixado na
região central do bolso direito.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 4
OP1 - OPERATIVO AZUL-FERRETE - CB/MN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
OP1 - OPERATIVO AZUL-FERRETE
Categoria
CB/MN
Sexo
MASCULINO
Composição
BOTA DE COVÉS
CAMISETA BRANCA
GORRO CINZA
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MACACÃO AZUL-FERRETE DE COMBATE
MEIAS PRETAS
Uso
VER CAMPO OBSERVAÇÃO
Observação
USO: A BORDO DOS NAVIOS, BASES, PORTOS,
CAPITANIAS, DELEGACIAS E AGÊNCIAS, NO
TRANSLADO RESIDÊNCIA X TRABALHO. NESTE
CASO, A CRITÉRIO DO COMANDANTE DO DISTRITO
NAVAL, DESDE QUE O MILITAR RESIDA EM VILA
NAVAL, LOCALIZADA PRÓXIMO AS BASES, PORTOS
E CAPITANIAS. EM SITUAÇÕES ESPECIAIS, TAIS
COMO LEVANTAMENTOS HIDROGRÁFICOS,
MANUTENÇÕES DE FARÓIS, OPERAÇÕES
RIBEIRINHAS (AÇÕES EM TERRA) E AÇÕES DE
FISCALIZAÇÕES DO TRÁFEGO AQUAVIARIO. EM
REUNIOES OPERATIVAS, INCLUSIVE COM OUTRAS
FORÇAS. A CRITÉRIO DO COMANDANTE, PODERÁ
SER UTILIZADO COMO UNIFORME DE SERVIÇO.
- Para uso no macacão azul-ferrete, a fita de identificação
será confeccionada em tecido azul-ferrete, medindo 125
x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso
em tinta amarela indelével e grupo sanguineo em tinta
vermelha indelével.
- O distintivo de identificação de nacionalidade deve ser
fixado na manga direita, centralizda a 3,0 cm da costura
do ombro.
- A Bandeira do Brasil deve ser fixada na manga
esquerda, centralizdo a 3,0 cm da costura do ombro.
- A critério do Comandante, poderá ser usado o gorro de
viagem em substituição ao gorro cinza.
- Quando o serviço recomendar, com o equipamento
individual básico (EIBC) ou equipamento individual
suplementar de combate (EISC).
- Quando em postos de vôo poderá ser usada a jaqueta
para convés de vôo e o gorro de convés de vôo. O blusão
de sueste também poderá ser utilizado quando determi-
nado.
- Insígnia de braço azul-ferrete apenas no braço direito.
- O distintivo de Identificação de OM, deve ser fixado na
região central do bolso direito.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 5
AD – ATIVIDADES DIVERSAS - OFICIAIS E GM - MASCULINO
Identificação do Uniforme
AD – ATIVIDADES DIVERSAS
Categoria
OFICIAIS E GM
Sexo
MASCULINO
Composição
CAMISETA BRANCA
GORRO CINZA
INSÍGNIAS DE GORRO
INSÍGNIAS DE JAPONA
MACACÃO CINZA
MEIAS PRETAS
SAPATOS PRETOS
Uso
A BORDO DOS NAVIOS ATRACADOS E EM OM DE
TERRA, PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DIVERSOS
QUE NÃO EXIJAM A PROTEÇÃO CONTRA-CHAMA E
OUTROS QUE NECESSITEM DE MACACÃO QUE NÃO
OS PREVISTOS PARA SERVIÇOS ESPECÍFICOS E
PARA FAINAS ESPECIAIS, NESTE CASO, A CRITÉRIO
DO COMANDO
Observação
- Para uso no macacão cinza, a fita de identificação será
confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm,
contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta
preta indelével e grupo sanguineo em tinta vermelha
indelével.
- O distintivo de identificação de nacionalidade deve ser
fixado na manga direita, centralizda a 3,0 cm da costura
do ombro.
- A Bandeira do Brasil deve ser fixada na manga
esquerda, centralizdo a 3,0 cm da costura do ombro.
- Quando o serviço recomendar, com o equipamento
individual básico (EIBC) ou equipamento individual
suplementar de combate (EISC).
- Em OM de terra, quando o serviço recomendar,
observando o estabelecido no Volume I , artigo 2.2.2.
situação 12.6.
- Quando em postos de vôo poderá ser usada a jaqueta
para convés de vôo, a bota de convés e o gorro de con-
vés de vôo. O blusão de sueste também poderá ser utili-
zado quando determinado.
- A Critério do Comando, nas atividades de Inspeção Na-
val, poderão ser utilizados o gorro de viagem e o tênis
branco.
- O distintivo de Identificação de OM, deve ser fixado na
região central do bolso direito.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 6
AD – ATIVIDADES DIVERSAS - SO/SG - MASCULINO
Identificação do Uniforme
AD – ATIVIDADES DIVERSAS
Categoria
SO/SG
Sexo
MASCULINO
Composição
CAMISETA BRANCA
GORRO CINZA
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE GORRO
INSÍGNIAS DE JAPONA
MACACÃO CINZA
MEIAS PRETAS
SAPATOS PRETOS
Uso
A BORDO DOS NAVIOS ATRACADOS E EM OM DE
TERRA, PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DIVERSOS
QUE NÃO EXIJAM A PROTEÇÃO CONTRA-CHAMA E
OUTROS QUE NECESSITEM DE MACACÃO QUE NÃO
OS PREVISTOS PARA SERVIÇOS ESPECÍFICOS E
PARA FAINAS ESPECIAIS, NESTE CASO, A CRITÉRIO
DO COMANDO
Observação
- Insígnias de japona para SO
- Insígnias de gorro para SO
- Insígnias de braço para SG
- Para uso no macacão cinza, a fita de identificação será
confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm,
contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta
preta indelével e grupo sanguineo em tinta vermelha
indelével.
- O distintivo de identificação de nacionalidade deve ser
fixado na manga direita, centralizda a 3,0 cm da costura
do ombro.
- A Bandeira do Brasil deve ser fixada na manga
esquerda, centralizdo a 3,0 cm da costura do ombro.
- Quando o serviço recomendar, com o equipamento
individual básico (EIBC) ou equipamento individual
suplementar de combate (EISC).
- Em OM de terra, quando o serviço recomendar,
observando o estabelecido no Volume I , artigo 2.2.2.
situação 12.6.
- Quando em postos de vôo poderá ser usada a jaqueta
para convés de vôo, a bota de convés e o gorro de con-
vés de vôo. O blusão de sueste também poderá ser utili-
zado quando determinado.
- A Critério do Comando, nas atividades de Inspeção Na-
val, poderão ser utilizados o gorro de viagem e o tênis
branco.
- O distintivo de Identificação de OM, deve ser fixado na
região central do bolso direito.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 7
AD – ATIVIDADES DIVERSAS - CB/MN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
AD – ATIVIDADES DIVERSAS
Categoria
CB/MN
Sexo
MASCULINO
Composição
CAMISETA BRANCA
CAXANGÁ
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MACACÃO CINZA
MEIAS PRETAS
SAPATOS PRETOS
Uso
A BORDO DOS NAVIOS ATRACADOS E EM OM DE
TERRA, PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DIVERSOS
QUE NÃO EXIJAM A PROTEÇÃO CONTRA-CHAMA E
OUTROS QUE NECESSITEM DE MACACÃO QUE NÃO
OS PREVISTOS PARA SERVIÇOS ESPECÍFICOS E
PARA FAINAS ESPECIAIS, NESTE CASO, A CRITÉRIO
DO COMANDO
Observação
- Para uso no macacão cinza, a fita de identificação será
confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm,
contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta
preta indelével e grupo sanguineo em tinta vermelha
indelével.
- O distintivo de identificação de nacionalidade deve ser
fixado na manga direita, centralizda a 3,0 cm da costura
do ombro.
- A Bandeira do Brasil deve ser fixada na manga
esquerda, centralizdo a 3,0 cm da costura do ombro.
- Quando o serviço recomendar, com o equipamento
individual básico (EIBC) ou equipamento individual
suplementar de combate (EISC).
- Em OM de terra, quando o serviço recomendar,
observando o estabelecido no Volume I , artigo 2.2.2.
situação 12.6.
- Quando em postos de vôo poderá ser usada a jaqueta
para convés de vôo, a bota de convés e o gorro de con-
vés de vôo. O blusão de sueste também poderá ser utili-
zado quando determinado.
- A Critério do Comando, nas atividades de Inspeção Na-
val, poderão ser utilizados o gorro de viagem e o tênis
branco.
- O distintivo de Identificação de OM, deve ser fixado na
região central do bolso direito.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 8
OP2 - OPERATIVO CAMUFLADO - CFN - OFICIAIS DO CFN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
OP2 - OPERATIVO CAMUFLADO - CFN
Categoria
OFICIAIS DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
CAMISETA VERDE-MUSGO
CAPA CAMUFLADA PARA CAPACETE
CAPACETE DE FIBRA
COTURNOS MARROM
DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN
FITA DE IDENTIFICAÇÃO
INSÍGNIAS DE GOLA
MACACÃO CAMUFLADO
MEIAS ESPECIAIS
TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO
Uso
NAS VIATURAS ESPECIAIS DO CFN
Observação
- Gorro camuflado em substituição ao capacete de fibra
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 9
OP2 - OPERATIVO CAMUFLADO - CFN - SO/SG DO CFN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
OP2 - OPERATIVO CAMUFLADO - CFN
Categoria
SO/SG DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
CAMISETA VERDE-MUSGO
CAPA CAMUFLADA PARA CAPACETE
CAPACETE DE FIBRA
COTURNOS MARROM
DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN
FITA DE IDENTIFICAÇÃO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE GOLA
MACACÃO CAMUFLADO
MEIAS ESPECIAIS
TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO
Uso
NAS VIATURAS ESPECIAIS DO CFN
Observação
- Insígnias de gola para SO
- Insígnias de braço para SG
- Gorro camuflado em substituição ao capacete de fibra
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 10
OP2 - OPERATIVO CAMUFLADO - CFN - CB/SD DO CFN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
OP2 - OPERATIVO CAMUFLADO – CFN
Categoria
CB/SD DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
CAMISETA VERDE-MUSGO
CAPA CAMUFLADA PARA CAPACETE
CAPACETE DE FIBRA
COTURNOS MARROM
DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN
FITA DE IDENTIFICAÇÃO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MACACÃO CAMUFLADO
MEIAS ESPECIAIS
TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO
Uso
NAS VIATURAS ESPECIAIS DO CFN
Observação
- Gorro camuflado em substituição ao capacete de fibra
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 11
VV1 - VÔO NO VERÃO - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO
Identificação do Uniforme
VV1 - VÔO NO VERÃO
Categoria
OFICIAIS E PRACAS
Sexo
MASCULINO
Composição
BOTAS DE VÔO
CAMISETA BRANCA
CAPACETE DE VÔO
LUVAS DE VÔO
MACACÃO DE VÔO
MEIAS ESPECIAIS
PLAQUETA DE MACACÃO DE VÔO
Uso
EM AERONAVES MILITARES E A BORDO DOS
NAVIOS COM AERONAVES EMBARCADAS.
OBRIGATÓRIO PARA O PESSOAL DA AVIAÇÃO
NAVAL.
Observação
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 12
VV2 - VÔO NO INVERNO SOBRE TERRA - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO
Identificação do Uniforme
VV2 - VÔO NO INVERNO SOBRE TERRA
Categoria
OFICIAIS E PRACAS
Sexo
MASCULINO
Composição
BLUSÃO DE VÔO
BOTAS DE VÔO
CAMISETA BRANCA
CAPACETE DE VÔO
LUVAS DE VÔO
MACACÃO DE VÔO
MEIAS ESPECIAIS
PLAQUETA DE MACACÃO DE VÔO
Uso
VÔO SOBRE TERRA EM REGIÕES FRIAS.
OBRIGATÓRIO PARA O PESSOAL DA AVIAÇÃO
NAVAL.
Observação
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 13
VV3 - VÔO NO INVERNO SOBRE ÁGUA - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO
Identificação do Uniforme
VV3 - VÔO NO INVERNO SOBRE ÁGUA
Categoria
OFICIAIS E PRACAS
Sexo
MASCULINO
Composição
BOTAS DE VÔO ANTIEXPOSIÇÃO
CAMISETA BRANCA
CAPACETE DE VÔO
CAPUZ CHABO CAMUFLADO
CAPUZ DE VÔO ANTIEXPOSIÇÃO
LUVAS DE VÔO
LUVAS DE VÔO ANTIEXPOSIÇÃO
MACACÃO DE VÔO ANTIEXPOSIÇÃO
MEIAS ESPECIAIS
Uso
VÔO SOBRE O MAR E ÁGUAS INTERIORES EM
REGIÕES FRIAS. OBRIGATÓRIO PARA O PESSOAL
DA AVIAÇÃO NAVAL.
Observação
- Capuz de vôo antiexposição (Quando determinado)
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 14
VV4 - POSTOS DE VÔO EMBARCADO - OFICIAIS E GM - MASCULINO
Identificação do Uniforme
VV4 - POSTOS DE VÔO EMBARCADO
Categoria
OFICIAIS E GM
Sexo
MASCULINO
Composição
BOTAS DE CONVÉS
CAMISETA BRANCA
GORRO DE CONVÉS DE VÔO
INSÍGNIAS DE JAPONA
MACACÃO AZUL-FERRETE DE COMBATE
MEIAS ESPECIAIS
JAQUETA PARA CONVÉS DE VÔO
Peças Complementares de Uso Autorizado
BLUSÃO DE SUESTE
Uso
NOS SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO DE AERONAVES
DENTRO DOS PERÍMETROS DOS
ESTABELECIMENTOS NAVAIS E A BORDO DE
NAVIOS COM AERONAVES EMBARCADAS.
OBRIGATÓRIO PARA O PESSOAL DA AVIAÇÃO
NAVAL.
Observação
- Blusão de sueste (quando determinado)
- Nos estabelecimentos navais, desde que não haja
comprometimento das normas de segurança de aviação,
a critério do Comandante, poderá ser usado o gorro
especial de aviação e o sapato preto, em substituição,
respectivamente, ao gorro de convés de vôo e a bota de
convés.
- Para uso no macacão operativo cinza, a fita de
identificação será confeccionada em tecido azul-ferrete,
medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do
militar impresso em tinta amarela indelével e grupo
sanguineo em tinta vermelha indelevel.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 15
VV4 - POSTOS DE VÔO EMBARCADO - SO/SG - MASCULINO
Identificação do Uniforme
VV4 - POSTOS DE VÔO EMBARCADO
Categoria
SO/SG
Sexo
MASCULINO
Composição
BOTAS DE CONVÉS
CAMISETA BRANCA
GORRO DE CONVÉS DE VÔO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE JAPONA
MACACÃO AZUL-FERRETE DE COMBATE
MEIAS ESPECIAIS
JAQUETA PARA CONVÉS DE VÔO
Peças Complementares de Uso Autorizado
BLUSÃO DE SUESTE
Uso
NOS SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO DE AERONAVES
DENTRO DOS PERÍMETROS DOS
ESTABELECIMENTOS NAVAIS E A BORDO DE
NAVIOS COM AERONAVES EMBARCADAS.
OBRIGATÓRIO PARA O PESSOAL DA AVIAÇÃO
NAVAL.
Observação
- Blusão de sueste (quando determinado)
- Insígnias de japona para SO
- Insígnias de braço para SG (apenas no braço direito)
- Nos estabelecimentos navais, desde que não haja
comprometimento das normas de segurança de aviação,
a critério do Comandante, poderá ser usado o gorro
especial de aviação e o sapato preto, em substituição,
respectivamente, ao gorro de convés de vôo e a bota de
convés.
- Para uso no macacão operativo cinza, a fita de
identificação será confeccionada em tecido azul-ferrete,
medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do
militar impresso em tinta amarela indelével e grupo
sanguineo em tinta vermelha indelevel.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 16
VV4 - POSTOS DE VÔO EMBARCADO - CB/MN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
VV4 - POSTOS DE VÔO EMBARCADO
Categoria
CB/MN
Sexo
MASCULINO
Composição
BOTAS DE CONVÉS
CAMISETA BRANCA
GORRO DE CONVÉS DE VÔO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MACACÃO AZUL-FERRETE DE COMBATE
MEIAS ESPECIAIS
JAQUETA PARA CONVÉS DE VÔO
Peças Complementares de Uso Autorizado
BLUSÃO DE SUESTE
Uso
NOS SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO DE AERONAVES
DENTRO DOS PERÍMETROS DOS
ESTABELECIMENTOS NAVAIS E A BORDO DE
NAVIOS COM AERONAVES EMBARCADAS.
OBRIGATÓRIO PARA O PESSOAL DA AVIAÇÃO
NAVAL.
Observação
- Blusão de sueste (quando determinado)
- Insignia de braço (apenas no braço direito)
- Nos estabelecimentos navais, desde que não haja
comprometimento das normas de segurança de aviação,
a critério do Comandante, poderá ser usado o gorro
especial de aviação e o sapato preto, em substituição,
respectivamente, ao gorro de convés de vôo e a bota de
convés.
- Para uso no macacão operativo cinza, a fita de
identificação será confeccionada em tecido azul-ferrete,
medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do
militar impresso em tinta amarela indelével e grupo
sanguineo em tinta vermelha indelevel.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 17
VV5 - ORIENTADOR EM TERRA - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO
Identificação do Uniforme
VV5 - ORIENTADOR EM TERRA
Categoria
OFICIAIS E PRACAS
Sexo
MASCULINO
Composição
JALECO DE ORIENTADOR
Uso
DURANTE OS POSTOS DE VÔO, A BORDO DOS
NAVIOS E EM ATIVIDADES DE PISTAS, NOS
ESTABELECIMENTOS NAVAIS.
Observação
- O jaleco de orientador será utilizado com qualquer
uniforme que o militar esteja usando.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 18
VV5 - ORIENTADOR EM NAVIO - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO
Identificação do Uniforme
VV5 - ORIENTADOR EM NAVIO
Categoria
OFICIAIS E PRACAS
Sexo
MASCULINO
Composição
BOTAS DE CONVÉS
CAMISETA BRANCA
CAPACETE PARA CONVÉS DE VÔO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE JAPONA
JAQUETA PARA CONVÉS DE VÔO
MACACÃO CINZA
MEIAS PRETAS
Uso
DURANTE OS POSTOS DE VÔO, A BORDO DOS
NAVIOS E EM ATIVIDADES DE PISTAS, NOS
ESTABELECIMENTOS NAVAIS.
Observação
- Meias de algodão
- Insígnias de japona para OF e SO
- Insígnias de braço para SG, CB e MN
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 19
MG1 - MERGULHADOR - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO
Identificação do Uniforme
MG1 - MERGULHADOR
Categoria
OFICIAIS E PRACAS
Sexo
MASCULINO
Composição
CALÇÃO DE NATAÇÃO
CALÇÃO PRETO PARA OFICIAIS E PRAÇAS
CAMISETA BRANCA
MEIAS ESPECIAIS
TÊNIS BRANCOS
Uso
DIARIAMENTE, QUANDO AUTORIZADO PELO
COMANDANTE OU DIRETOR, NAS OM COMO
UNIFORME DE TRABALHO E EVENTUALMENTE, NOS
NAVIOS E ESTABELECIMENTOS CIVIS E MILITARES.
Observação
- Quando determinado poderá ser usado com o blusão de
sueste e a calça de sueste, ou com a camisa olímpica
de mergulhador e a calça olímpica de mergulhador, ou
com o agasalho de mergulhador que é composto de
calça e jaqueta.
- Poderá ser usada a camiseta verde-musgo para Oficiais
e Praças Mergulhadores de Combate.
- Na parte frontal do tórax, centrado a meia altura, o dis-
tintivo operativo de Escafandria, Mergulhador de Comba-
te e Medicina de Submarino e Escafandria com 120mm
de comprimento x 25 mm de altura, e abaixo o pos-
to/graduação e nome de guerra do militar em tinta preta
indelével, com características de imprensa maiúscula,
com 10mm de altura.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 20
MG2 - ESCAFANDRIA - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO
Identificação do Uniforme
MG2 - ESCAFANDRIA
Categoria
OFICIAIS E PRACAS
Sexo
MASCULINO
Composição
CALÇÃO DE NATAÇÃO
SANDÁLIAS PRETAS
Uso
NOS SERVIÇOS DE ESCAFANDRIA, NAS OM E
DURANTE A REALIZAÇÃO DAS FAINAS DE
MERGULHO.
Observação
Outra composição:
- Calça de mergulhador
- Camisa olímpica de mergulhador
- Meias especiais
- Ténis branco
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 21
MG5 - MERGULHADORES DE COMBATE - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO
Identificação do Uniforme
MG5 - MERGULHADORES DE COMBATE
Categoria
OFICIAIS E PRACAS
Sexo
MASCULINO
Composição
CALÇA CAMUFLADA
CAMISETA VERDE-MUSGO
CAPA CAMUFLADA PARA CAPACETE
CAPACETE DE AÇO
COTURNOS DE SELVA
EQUIPAMENTO INDIVIDUAL BÁSICO DE COMBATE
GANDOLA CAMUFLADA
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE GOLA
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
MEIAS ESPECIAIS
TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO
Uso
EM INSTRUÇÃO ESPECIAL E ADESTRAMENTO,
QUANDO AS CARACTERÍSTICAS DO TERRENO OU A
NATUREZA DAS OPERAÇÕES REQUEREREM O USO
DOS COTURNOS DE SELVA
Observação
- Equipamento individual suplementar de combate
(quando determinado)
- Insígnias de gola (OF. e SO)
- Insígnias de braço (Demais Praças)
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 22
MG7 - MERGULHADORES DE COMBATE - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO
Identificação do Uniforme
MG7 - MERGULHADORES DE COMBATE
Categoria
OFICIAIS E PRACAS
Sexo
MASCULINO
Composição
CAPACETE BRANCO PARA SALTO-LIVRE
COTURNOS MARROM
MACACÃO PRETO PARA SALTO
MEIAS ESPECIAIS
Uso
EM SALTOS LIVRES E COMPETIÇÕES
Observação
- Poderá ser usado o gorro especial preto em substituição
ao capacete branco para salto livre
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 23
MG8 - MERGULHADORES DE COMBATE - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO
Identificação do Uniforme
MG8 - MERGULHADORES DE COMBATE
Categoria
OFICIAIS E PRACAS
Sexo
MASCULINO
Composição
CAMISETA BRANCA
COTURNOS MARROM
MACACÃO DE VÔO
MEIAS ESPECIAIS
PLAQUETA DE MACACÃO DE VÔO
Uso
ATIVIDADES ESPECIAIS
Observação
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 24
AC1 - CAMPANHA - CFN - OFICIAIS E PRACAS DO CFN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
AC1 - CAMPANHA - CFN
Categoria
OFICIAIS E PRACAS DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
CALÇA CAMUFLADA
CAMISETA VERDE-MUSGO
CAPA CAMUFLADA PARA CAPACETE
CAPACETE DE AÇO
CINTO VERDE-MUSGO
COTURNOS MARROM
DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN
EQUIPAMENTO INDIVIDUAL BÁSICO DE COMBATE
GANDOLA CAMUFLADA
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE GOLA
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
MEIAS ESPECIAIS
TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO
Uso
EM OPERAÇÕES TERRESTRES, ANFÍBIAS E
ESPECIAIS
Observação
- Equipamento individual suplementar de combate
(quando determinado)
- Insígnias de gola (OF. e SO)
- Insígnias de braço (SG, CB e SD)
- Utilizado por militares de outros Corpos ou Quadros
para participação em operações/ exercícios de Forças de
FN, quando determinado por autoridade competente.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 25
AC2 - CAMPANHA - CFN - OFICIAIS E PRACAS DO CFN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
AC2 - CAMPANHA - CFN
Categoria
OFICIAIS E PRACAS DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
CALÇA CAMUFLADA
CAMISETA VERDE-MUSGO
CINTO VERDE-MUSGO
COTURNOS MARROM
DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN
EQUIPAMENTO INDIVIDUAL BÁSICO DE COMBATE
GANDOLA CAMUFLADA
GORRO CAMUFLADO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE GOLA
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
MEIAS ESPECIAIS
TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO
Uso
EM OPERAÇÕES ANTIGUERRILHAS, ANFÍBIAS E
ESPECIAIS, QUANDO AUTORIZADO
Observação
- Equipamento individual suplementar de combate
(quando determinado)
- Insígnias de gola (OF. e SO)
- Insígnias de braço (SG, CB e SD)
- Utilizado por militares de outros Corpos ou Quadros
para participação em operações/ exercícios de Forças de
FN, quando determinado por autoridade competente.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 26
AC3 - CAMPANHA - CFN - OFICIAIS E PRACAS DO CFN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
AC3 - CAMPANHA - CFN
Categoria
OFICIAIS E PRACAS DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
CALÇA CAMUFLADA
CAMISETA VERDE-MUSGO
CAPA CAMUFLADA PARA CAPACETE
CAPACETE DE AÇO
CINTO VERDE-MUSGO
COTURNOS DE SELVA
DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN
EQUIPAMENTO INDIVIDUAL BÁSICO DE COMBATE
GANDOLA CAMUFLADA
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE GOLA
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
MEIAS ESPECIAIS
TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO
Uso
EM OPERAÇÕES ANFÍBIAS PELO PESSOAL DO
BATALHÃO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS DA TROPA
DE REFORÇO E DOS GRUPAMENTOS. REGIONAIS
DE BELÉM, LADÁRIO E MANAUS
Observação
- Equipamento individual suplementar de combate
(quando determinado)
- Insígnias de gola (OF. e SO)
- Insígnias de braço (SG, CB e SD)
- Utilizado por militares de outros Corpos ou Quadros
para participação em operações/ exercícios de Forças de
FN, quando determinado por autoridade competente.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 27
AC4 - CAMPANHA - CFN - OFICIAIS E PRACAS DO CFN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
AC4 - CAMPANHA - CFN
Categoria
OFICIAIS E PRACAS DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
CALÇA CAMUFLADA
CAMISETA VERDE-MUSGO
CINTO VERDE-MUSGO
COTURNOS DE SELVA
DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN
EQUIPAMENTO INDIVIDUAL BÁSICO DE COMBATE
GANDOLA CAMUFLADA
GORRO CAMUFLADO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE GOLA
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
MEIAS ESPECIAIS
TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO
Uso
EM OPERAÇÕES ANFÍBIAS PELO PESSOAL DO
BATALHÃO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS DA TROPA
DE REFORÇO E DOS GRUPAMENTOS. REGIONAIS
DE BELÉM, LADÁRIO E MANAUS
Observação
- Equipamento individual suplementar de combate
(quando determinado)
- Insígnias de gola (OF. e SO)
- Insígnias de braço (SG, CB e SD)
- Utilizado por militares de outros Corpos ou Quadros
para participação em operações/ exercícios de Forças de
FN, quando determinado por autoridade competente.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 28
PQ1 - SALTO REPRESENTATIVO - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO
Identificação do Uniforme
PQ1 - SALTO REPRESENTATIVO
Categoria
OFICIAIS E PRACAS
Sexo
MASCULINO
Composição
CAPACETE ENCARNADO PARA SALTO - LIVRE
COTURNOS MARROM
MACACÃO ENCARNADO PARA SALTO
MEIAS ESPECIAIS
Uso
EM EXIBIÇÃO POR EQUIPES DA MARINHA DE SALTO
REPRESENTATIVO
Observação
- Gorro especial encarnado em substituição ao capacete
encarnado para salto-livre.
- Para uso no macacão para hidrógrafo, a fita de
identificação será confeccionada em tecido branco,
medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do
militar impresso em tinta preta indelével.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 29
PQ2 - SALTO LIVRE - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO
Identificação do Uniforme
PQ2 - SALTO LIVRE
Categoria
OFICIAIS E PRACAS
Sexo
MASCULINO
Composição
CAPACETE BRANCO PARA SALTO-LIVRE
COTURNOS MARROM
MACACÃO PRETO PARA SALTO
MEIAS ESPECIAIS
Uso
EM SALTOS LIVRES E COMPETIÇÕES
Observação
- Gorro especial preto em substituição ao capacete
branco para salto-livre
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 30
PQ3 - SALTO SEMI-AUTOMÁTICO - CFN - OFICIAIS DO CFN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
PQ3 - SALTO SEMI-AUTOMÁTICO - CFN
Categoria
OFICIAIS DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
CALÇA CAMUFLADA
CAMISETA VERDE-MUSGO
CAPACETE BRANCO PARA SALTO-LIVRE
CINTO VERDE-MUSGO
COTURNOS MARROM
FITA DE IDENTIFICAÇÃO
GANDOLA CAMUFLADA
INSÍGNIAS DE GOLA
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
MEIAS ESPECIAIS
TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO
Uso
EM EXERCÍCIOS DE SALTO SEMI-AUTOMÁTICO
Observação
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 31
PQ3 - SALTO SEMI-AUTOMÁTICO - CFN - SO/SG DO CFN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
PQ3 - SALTO SEMI-AUTOMÁTICO - CFN
Categoria
SO/SG DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
CALÇA CAMUFLADA
CAMISETA VERDE-MUSGO
CAPACETE BRANCO PARA SALTO-LIVRE
CINTO VERDE-MUSGO
COTURNOS MARROM
FITA DE IDENTIFICAÇÃO
GANDOLA CAMUFLADA
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE GOLA
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
MEIAS ESPECIAIS
TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO
Uso
EM EXERCÍCIOS DE SALTO SEMI-AUTOMÁTICO
Observação
- Insígnias de gola (SO)
- Insígnias de braço (SG)
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 32
PQ3 - SALTO SEMI-AUTOMÁTICO - CFN - CB/SD DO CFN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
PQ3 - SALTO SEMI-AUTOMÁTICO - CFN
Categoria
CB/SD DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
CALÇA CAMUFLADA
CAMISETA VERDE-MUSGO
CAPACETE BRANCO PARA SALTO-LIVRE
CINTO VERDE-MUSGO
COTURNOS MARROM
FITA DE IDENTIFICAÇÃO
GANDOLA CAMUFLADA
INSÍGNIAS DE BRAÇO
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
MEIAS ESPECIAIS
TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO
Uso
EM EXERCÍCIOS DE SALTO SEMI-AUTOMÁTICO
Observação
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 33
HN1 - ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E BALIZAMENTO -
OFICIAIS E GM - MASCULINO
Identificação do Uniforme
HN1 - ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA,
OCEANOGRAFIA E BA
Categoria
OFICIAIS E GM
Sexo
MASCULINO
Composição
GORRO CINZA
INSÍGNIAS DE JAPONA
MACACÃO PARA HIDRÓGRAFO
MEIAS PRETAS
SAPATOS PRETOS
Uso
A BORDO OU NO CAMPO DE DESEMPENHO DOS
SERVIÇOS DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E
BALIZAMENTO.
Observação
- Para uso no macacão para hidrógrafo, a fita de
identificação será confeccionada em tecido branco,
medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do
militar impresso em tinta preta indelével.
- A critério do Comandante, poderá ser usado o gorro de
viagem em substituição ao gorro cinza.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 34
HN1 - ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E BALIZAMENTO -
SO/SG - MASCULINO
Identificação do Uniforme
HN1 - ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA,
OCEANOGRAFIA E BA
Categoria
SO/SG
Sexo
MASCULINO
Composição
GORRO CINZA
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE JAPONA
MACACÃO PARA HIDRÓGRAFO
MEIAS PRETAS
SAPATOS PRETOS
Uso
A BORDO OU NO CAMPO DE DESEMPENHO DOS
SERVIÇOS DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E
BALIZAMENTO.
Observação
- Insígnias de japona para SO;
- Insígnias de braço para SG.
- Para uso no macacão para hidrógrafo, a fita de
identificação será confeccionada em tecido branco,
medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do
militar impresso em tinta preta indelével.
- A critério do Comandante, poderá ser usado o gorro de
viagem em substituição ao gorro cinza.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 35
HN1 - ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E BALIZAMENTO -
CB/MN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
HN1 - ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA,
OCEANOGRAFIA E BA
Categoria
CB/MN
Sexo
MASCULINO
Composição
CAXANGÁ
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MACACÃO PARA HIDRÓGRAFO
MEIAS PRETAS
SAPATOS PRETOS
Uso
A BORDO OU NO CAMPO DE DESEMPENHO DOS
SERVIÇOS DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E
BALIZAMENTO.
Observação
- Para uso no macacão para hidrógrafo, a fita de
identificação será confeccionada em tecido branco,
medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do
militar impresso em tinta preta indelével.
- A critério do Comandante, poderá ser usado o gorro de
viagem em substituição ao caxangá.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 36
IN – INSPEÇÃO NAVAL – OFICIAIS - MASCULINO
Identificação do Uniforme
IN – INSPEÇÃO NAVAL
Categoria
OFICIAIS
Sexo
MASCULINO
Composição
BERMUDA CINZA
CAMISA POLO
GORRO DE VIAGEM
CINTO PRETO
MEIA BRANCA DE ALGODÃO
TÊNIS BRANCO
Uso
NAS ATIVIDADES DE INSPEÇÃO NAVAL
Observação
- Para uso na camisa polo, a fita de identificação será
confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm,
contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta
preta indelével.
- A critério do Comando, poderá ser utilizada a calça cin-
za em substituição à bermuda.
- Este uniforme é alternativo aos uniformes OP1 e do
grupo VI para as atividades de Inspeção Naval, executa-
das pelas Organizações Militares do Sistema de Segu-
rança do Tráfego Aquaviário, em regiões ou épocas do
ano com temperaturas elevadas.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 37
IN – INSPEÇÃO NAVAL – SO/SG - MASCULINO
Identificação do Uniforme
IN – INSPEÇÃO NAVAL
Categoria
SO/SG
Sexo
MASCULINO
Composição
BERMUDA CINZA
CAMISA POLO
GORRO DE VIAGEM
CINTO PRETO
MEIA BRANCA DE ALGODÃO
TÊNIS BRANCO
Uso
NAS ATIVIDADES DE INSPEÇÃO NAVAL
Observação
- Para uso na camisa polo, a fita de identificação será
confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm,
contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta
preta indelével.
- A critério do Comando, poderá ser utilizada a calça em
substituição à bermuda.
- Este uniforme é alternativo aos uniformes OP1 e do
grupo VI para as atividades de Inspeção Naval, executa-
das pelas Organizações Militares do Sistema de Segu-
rança do Tráfego Aquaviário, em regiões ou épocas do
ano com temperaturas elevadas.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 38
IN – INSPEÇÃO NAVAL – CB/MN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
IN – INSPEÇÃO NAVAL
Categoria
CB/MN
Sexo
MASCULINO
Composição
BERMUDA CINZA (SO/SG)
BERMUDA MESCLA (CB/MN)
CAMISA POLO
GORRO DE VIAGEM
CINTO PRETO
MEIA BRANCA DE ALGODÃO
TÊNIS BRANCO
Uso
NAS ATIVIDADES DE INSPEÇÃO NAVAL
Observação
- Para uso na camisa polo, a fita de identificação será
confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm,
contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta
preta indelével.
- A critério do Comando, poderá ser utilizada a calça em
substituição à bermuda.
- Este uniforme é alternativo aos uniformes OP1 e do
grupo VI para as atividades de Inspeção Naval, executa-
das pelas Organizações Militares do Sistema de Segu-
rança do Tráfego Aquaviário, em regiões ou épocas do
ano com temperaturas elevadas.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 39
CE– CONDUÇÃO EMBARCAÇÃO- JET-SKI – OFICIAIS E PRAÇAS- MASCULINO
Identificação do Uniforme
CE– CONDUÇÃO EMBARCAÇÃO- JET-SKI
Categoria
OFICIAIS E PRAÇAS
Sexo
MASCULINO
Composição
GORRO DE VIAGEM
ROUPA DE NEOPRENE
SAPATILHA PARA ESPORTE AQUÁTICO
Uso
CONDUÇÃO DE JET-SKI NAS ATIVIDADES DE
INSPEÇÃO NAVAL
Observação
.
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 1
TÍTULO I
NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO, USO
E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
CAPÍTULO 1.3
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS
ATIVIDADE DE APOIO
O uso e a composição dos Uniformes Especiais da MB são conforme
a seguir discriminado.
Artigo 1.3.1
Composição e
Uso de Uniformes
Especiais
As peças exclusivas dos uniformes especiais, isto é aquelas que não
compõem os uniformes básicos, são normalmente dotação da OM. As
exceções serão discriminadas em cada uniforme.
Artigo 1.3.2
Posse
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 2
SP1 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - OFICIAIS DO CFN -
MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE
TRÂNSITO – CFN
Categoria
OFICIAIS DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
BRAÇADEIRA DE SP
CACHECOL CAMUFLADO
CALÇA BEGE
CAMISA BEGE DE MEIA-MANGA
CAPACETE DE FIBRA
CINTO BEGE
COTURNOS MARROM
EQUIPAMENTOS PARA O ARMAMENTO
INSÍGNIAS DE GOLA
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
LUVA BRANCA DE CANO LONGO
MEIAS ESPECIAIS
TIRANTE BRANCO
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS,
SEGURANÇA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE
TRÂNSITO
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O coturno marrom deverá ser usado com cadarço
branco
- A critério da autoridade competente, poderá ser usado
cachecol vermelho em substituição ao cachecol
camuflado.
- O capacete de fibra deverá ser na cor branca.
- Os FN lotados nas CiaPol e PelPol usarão o capacete
de SP, na cor branca, em substituição ao capacete de
fibra.
- A critério do Comando, é facultado o uso da camisa be-
ge manga longa.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 3
SP1 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - SO/SG DO CFN -
MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE
TRÂNSITO - CFN
Categoria
SO/SG DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
BRAÇADEIRA DE SP
CACHECOL CAMUFLADO
CALÇA BEGE
CAMISA BEGE MEIA-MANGA
CAPACETE DE FIBRA
CINTO BEGE
COTURNOS MARROM
EQUIPAMENTOS PARA O ARMAMENTO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE GOLA
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
LUVA BRANCA DE CANO LONGO
MEIAS ESPECIAIS
TIRANTE BRANCO
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS,
SEGURANÇA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE
TRÂNSITO
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O coturno marrom deverá ser usado com cadarço
branco
- Insígnias de gola para SO
- Insígnias de braço para SG
- A critério da autoridade competente, poderá ser usado
cachecol vermelho em substituição ao cachecol
camuflado.
- O capacete de fibra deverá ser na cor branca.
- Os FN lotados nas CiaPol e PelPol usarão o capacete
de SP, na cor branca, em substituição ao capacete de
fibra.
- A critério do Comando, é facultado o uso da camisa be-
ge manga longa.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 4
SP1 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CB/SD DO CFN -
MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE
TRÂNSITO - CFN
Categoria
CB/SD DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
BRAÇADEIRA DE SP
CACHECOL CAMUFLADO
CALÇA BEGE
CAMISA BEGE DE MEIA-MANGA
CAPACETE DE FIBRA
CINTO BEGE
COTURNOS MARROM
EQUIPAMENTOS PARA O ARMAMENTO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
LUVA BRANCA DE CANO LONGO
MEIAS ESPECIAIS
TIRANTE BRANCO
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS,
SEGURANÇA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE
TRÂNSITO
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O coturno marrom deverá ser usado com cadarço
branco
- A critério da autoridade competente, poderá ser usado
cachecol vermelho em substituição ao cachecol
camuflado.
- O capacete de fibra deverá ser na cor branca.
- Os FN lotados nas CiaPol e PelPol usarão o capacete
de SP, na cor branca, em substituição ao capacete de
fibra.
- A critério do Comando, é facultado o uso da camisa be-
ge manga longa.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 5
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 3.4 - OFICIAIS E GM - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 3.4
Categoria
OFICIAIS E GM
Sexo
MASCULINO
Composição
BONÉ MASCULINO BRANCO PARA OFICIAL
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA BRANCA
CAMISA BRANCA DE MANGA LONGA
CINTO BRANCO
COLDRE VERDE-MUSGO
GRAVATA PRETA VERTICAL
INSÍGNIAS DE PUNHO
JAQUETÃO AZUL-FERRETE
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
SAPATOS PRETOS
TALABARTE VERDE-MUSGO
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um
elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa
apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
- Os FN, quando integrando tropa exclusivamente
composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de
fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços
brancos em substituição ao boné masculino branco para
oficial com sapatos pretos e perneiras.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 6
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 3.4 - SO/SG - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 3.4
Categoria
SO/SG
Sexo
MASCULINO
Composição
BONÉ MASCULINO BRANCO PARA SUBOFICIAL E
SARGENTO
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA BRANCA
CAMISA BRANCA DE MANGA LONGA
CINTO BRANCO
COLDRE VERDE-MUSGO
GRAVATA PRETA VERTICAL
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE PUNHO
JAQUETÃO AZUL-FERRETE
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
SAPATOS PRETOS
TALABARTE VERDE-MUSGO
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Insígnias de punho para SO;
- Insígnias de braço para SG.
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um
elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa
apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
- Os FN, quando integrando tropa exclusivamente
composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de
fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços
brancos em substituição ao boné masculino branco para
SO e SG com sapatos pretos e perneiras.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 7
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 3.4 - CB/MN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 3.4
Categoria
CB/MN
Sexo
MASCULINO
Composição
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA BRANCA
CAMISETA BRANCA
CAXANGÁ
CINTO PRETO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
GANDOLA AZUL-FERRETE
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
SAPATOS PRETOS
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um
elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa
apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
- Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre
verde-musgo (conforme determinado)
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 8
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.4 - OFICIAIS E GM - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.4
Categoria
OFICIAIS E GM
Sexo
MASCULINO
Composição
BONÉ MASCULINO BRANCO PARA OFICIAL
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA AZUL-FERRETE
CAMISA BRANCA DE MANGA LONGA
CINTO PRETO
COLDRE VERDE-MUSGO
GRAVATA PRETA VERTICAL
INSÍGNIAS DE PUNHO
JAQUETÃO AZUL-FERRETE
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
SAPATOS PRETOS
TALABARTE VERDE-MUSGO
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um
elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa
apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
- Os FN, quando integrando tropa exclusivamente
composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de
fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços
brancos em substituição ao boné masculino branco para
oficial com sapatos pretos e perneiras.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 9
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.4 - SO/SG - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.4
Categoria
SO/SG
Sexo
MASCULINO
Composição
BONÉ MASCULINO BRANCO PARA SUBOFICIAL E
SARGENTO
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA AZUL-FERRETE
CAMISA BRANCA DE MANGA LONGA
CINTO PRETO
COLDRE VERDE-MUSGO
GRAVATA PRETA VERTICAL
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE PUNHO
JAQUETÃO AZUL-FERRETE
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
SAPATOS PRETOS
TALABARTE VERDE-MUSGO
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Insígnias de punho para SO;
- Insígnias de braço para SG.
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um
elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa
apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
- Os FN, quando integrando tropa exclusivamente
composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de
fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços
brancos em substituição ao boné masculino branco para
SO e SG com sapatos pretos e perneiras.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 10
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.4 - CB/MN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.4
Categoria
CB/MN
Sexo
MASCULINO
Composição
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA AZUL-FERRETE
CAMISETA BRANCA
CAXANGÁ
CINTO PRETO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
GANDOLA AZUL-FERRETE
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
SAPATOS PRETOS
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre
verde-musgo (conforme determinado)
- Exceto CFN
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e-
lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a-
presentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 11
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.6 - OFICIAIS E GM - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.6
Categoria
OFICIAIS E GM
Sexo
MASCULINO
Composição
BONÉ MASCULINO BRANCO PARA OFICIAL
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA AZUL-FERRETE
CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA COM
PASSADORES
CAMISETA BRANCA
CINTO PRETO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO
PLATINAS
SAPATOS PRETOS
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um
elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa
apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
- Os FN, quando integrando tropa exclusivamente
composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de
fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços
brancos em substituição ao boné masculino branco para
oficial com sapatos pretos e perneiras.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 12
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.6 - SO/SG - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.6
Categoria
SO/SG
Sexo
MASCULINO
Composição
BONÉ MASCULINO BRANCO PARA SUBOFICIAL E
SARGENTO
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA AZUL-FERRETE
CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA SEM
PASSADORES
CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA COM
PASSADORES
CAMISETA BRANCA
CINTO PRETO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO
PLATINAS
SAPATOS PRETOS
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Platinas para SO;
- Insígnias de braço para SG.
- Camisa branca de meia manga com passadores para
SO
- Camisa branca de meia-manga sem passadores para
SG
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um
elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa
apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
- Os FN, quando integrando tropa exclusivamente
composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de
fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços
brancos em substituição ao boné masculino branco para
SO e SG com sapatos pretos e perneiras.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 13
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.6 - CB/MN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.6
Categoria
CB/MN
Sexo
MASCULINO
Composição
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA AZUL-FERRETE
CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA SEM
PASSADORES
CAMISETA BRANCA
CAXANGÁ
CINTO PRETO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO
SAPATOS PRETOS
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre
verde-musgo (conforme determinado)
- Exceto CFN
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e-
lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a-
presentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 14
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.4 - OFICIAIS E GM - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.4
Categoria
OFICIAIS E GM
Sexo
MASCULINO
Composição
BONÉ MASCULINO BRANCO PARA OFICIAL
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA BRANCA
CAMISETA BRANCA
CINTO BRANCO
COLDRE VERDE-MUSGO
DÓLMÃ BRANCO COM PASSADORES
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
PLATINAS
SAPATOS PRETOS
TALABARTE VERDE-MUSGO
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um
elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa
apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
- Os FN, quando integrando tropa exclusivamente
composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de
fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços
brancos em substituição ao boné masculino branco para
oficial com sapatos pretos e perneiras.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 15
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.4 - SO/SG - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.4
Categoria
SO/SG
Sexo
MASCULINO
Composição
BONÉ MASCULINO BRANCO PARA SUBOFICIAL E
SARGENTO
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA BRANCA
CAMISETA BRANCA
CINTO BRANCO
COLDRE VERDE-MUSGO
DÓLMÃ BRANCO SEM PASSADORES
DÓLMÃ BRANCO COM PASSADORES
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
PLATINAS
SAPATOS PRETOS
TALABARTE VERDE-MUSGO
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Dólmã branco com passadores para SO
- Dólmã branco sem passadores para SG
- Platinas para SO
- Insígnias de braço para SG
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um
elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa
apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
- Os FN, quando integrando tropa exclusivamente
composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de
fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços
brancos em substituição ao boné masculino branco para
oficial com sapatos pretos e perneiras.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 16
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.4 - CB/MN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.4
Categoria
CB/MN
Sexo
MASCULINO
Composição
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA BRANCA
CAMISETA BRANCA
CAXANGÁ
CINTO PRETO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
GANDOLA BRANCA
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
SAPATOS PRETOS
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre
verde-musgo (conforme determinado)
- Exceto CFN
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e-
lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a-
presentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 17
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6 - OFICIAIS E GM - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6
Categoria
OFICIAIS E GM
Sexo
MASCULINO
Composição
BONÉ MASCULINO BRANCO PARA OFICIAL
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA BRANCA
CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA COM
PASSADORES
CAMISETA BRANCA
CINTO BRANCO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO
PLATINAS
SAPATOS PRETOS
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um
elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa
apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
- Os FN, quando integrando tropa exclusivamente
composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de
fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços
brancos em substituição ao boné masculino branco para
oficial com sapatos pretos e perneiras.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 18
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6 - SO/SG - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6
Categoria
SO/SG
Sexo
MASCULINO
Composição
BONÉ MASCULINO BRANCO PARA SUBOFICIAL E
SARGENTO
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA BRANCA
CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA COM
PASSADORES
CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA SEM
PASSADORES
CAMISETA BRANCA
CINTO BRANCO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO
PLATINAS
SAPATOS PRETOS
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Platinas para SO
- Insígnias de braço para SG
- Camisa branca meia-manga com passadores para SO
- Camisa branca meia-manga sem passadores para SG
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um
elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa
apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
- Os FN, quando integrando tropa exclusivamente
composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de
fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços
brancos em substituição ao boné masculino branco para
SO e SG com sapatos pretos e perneiras.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 19
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6 - CB/MN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6
Categoria
CB/MN
Sexo
MASCULINO
Composição
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA BRANCA
CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA SEM
PASSADORES
CAMISETA BRANCA
CAXANGÁ
CINTO PRETO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO
SAPATOS PRETOS
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um
elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa
apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
- Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre
verde-musgo (conforme determinado)
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 20
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6 - CB/SD DO CFN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6
Categoria
CB/SD DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA BRANCA
CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA SEM
PASSADORES
CAMISETA BRANCA
CAPACETE DE FIBRA
CINTO PRETO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
COTURNOS MARROM
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MEIAS PRETAS
PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O coturno marrom deverá ser usado com cadarços
brancos
- Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre
verde-musgo (conforme determinado)
- Os FN, quando integrantes de escoltas mistas de
militares de outros Corpos e Quadros, deverão utilizar o
gorro branco CFN, sapatos pretos e perneiras.
- O capacete de fibra deverá ser na cor branca.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 21
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.3 - OFICIAIS E GM - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.3
Categoria
OFICIAIS E GM
Sexo
MASCULINO
Composição
BONÉ MASCULINO CINZA PARA OFICIAL
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA CINZA
CAMISA CINZA MANGA LONGA
CINTO PRETO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
GRAVATA PRETA VERTICAL
INSÍGNIAS DE GOLA
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO
SAPATOS PRETOS
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e-
lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a-
presentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 22
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.3 - SO/SG - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.3
Categoria
SO/SG
Sexo
MASCULINO
Composição
BONÉ MASCULINO CINZA PARA SUBOFICIAL E
SARGENTO
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA CINZA
CAMISA CINZA MANGA LONGA
CINTO PRETO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
GRAVATA PRETA VERTICAL
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE GOLA
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO
SAPATOS PRETOS
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Insígnias de gola para SO;
- Insígnias de braço para SG.
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e-
lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a-
presentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 23
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.3 - CB/MN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.3
Categoria
CB/MN
Sexo
MASCULINO
Composição
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA AZUL-MESCLA
CAMISA AZUL-MESCLA DE MANGA-LONGA
CAMISETA BRANCA
CAXANGÁ
CINTO PRETO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO
SAPATOS PRETOS
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre
verde-musgo (conforme determinado)
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um
elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa
apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
- Os CB/SD do CFN deverão usar o SP1-CFN
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 24
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.4 - OFICIAIS E GM - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.4
Categoria
OFICIAIS E GM
Sexo
MASCULINO
Composição
BARRETA
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA CINZA
CAMISA CINZA DE MEIA-MANGA
CINTO PRETO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
GORRO CINZA
INSÍGNIA DE GOLA
INSÍGNIA DE GORRO
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO
SAPATOS PRETOS
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e-
lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a-
presentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 25
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.4 - SO/SG - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.4
Categoria
SO/SG
Sexo
MASCULINO
Composição
BARRETA
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA CINZA
CAMISA CINZA DE MEIA-MANGA
CINTO PRETO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
GORRO CINZA
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE GOLA
INSIGNIA DE GORRO
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO
SAPATOS PRETOS
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Insígnias de gola e gorro para SO
- Insígnias de braço para SG
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e-
lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a-
presentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 26
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.4 - CB/MN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.4
Categoria
CB/MN
Sexo
MASCULINO
Composição
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA AZUL-MESCLA
CAMISA AZUL-MESCLA DE MEIA-MANGA
CAMISETA BRANCA
CAXANGÁ
CINTO PRETO
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MEIAS PRETAS
PERNEIRAS
PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO
SAPATOS PRETOS
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre
verde-musgo (conforme determinado)
- O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e-
lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a-
presentação. A barra da calça não deverá ser colocada
para dentro da perneira.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 27
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.4 - CB/SD DO CFN - MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.5
Categoria
CB/SD DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA BEGE
CAMISA BEGE DE MEIA-MANGA
CAMISETA BRANCA
CAPACETE DE FIBRA
CINTO BEGE
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
COTURNOS MARROM
DISTINTIVO DE GOLA
DISTINTIVOS
INSÍGNIAS DE BRAÇO
MEIAS PRETAS
PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO
Uso
NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E
SEGURANÇA
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O coturno marrom deverá ser usado com cadarço
branco
- Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre
verde-musgo (conforme determinado)
- Os FN, quando integrantes de escoltas mistas de
militares de outros Corpos e Quadros, deverão utilizar o
gorro bege CFN, sapatos pretos e perneiras.
- A critério do Comando, é facultado o uso da camisa be-
ge manga longa.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 28
SP2 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - OFICIAIS DO CFN -
MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP2 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE
TRÂNSITO - CFN
Categoria
OFICIAIS DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA CAMUFLADA
CAMISETA VERDE-MUSGO
CAPACETE DE FIBRA
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
COTURNOS MARROM
DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN
FITA DE IDENTIFICAÇÃO
GANDOLA CAMUFLADA
INSÍGNIAS DE GOLA
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
MEIAS ESPECIAIS
TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO
TIRANTE ENCARNADO
Uso
PARA OS SERVIÇOS EXTERNOS DE GUARDA E
ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO, INTERNA OU
EXTERNAMENTE, QUANDO. DETERMINADO PELA
AUTORIDADE COMPETENTE
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O capacete de fibra deverá ser na cor verde-musgo
- Poderá ser utilizado o capacete balístico em substitui-
ção ao capacete de fibra
- Os FN lotados nas CiaPol e PelPol poderão, quando
autorizados, usar o capacete de SP, na cor verde-musgo,
em substituição ao capacete balístico
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 29
SP2 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - SO/SG DO CFN -
MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP2 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE
TRÂNSITO - CFN
Categoria
SO/SG DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA CAMUFLADA
CAMISETA VERDE-MUSGO
CAPACETE DE FIBRA
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
COTURNOS MARROM
GANDOLA CAMUFLADA
DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN
FITA DE IDENTIFICAÇÃO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE GOLA
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
MEIAS ESPECIAIS
TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO
TIRANTE ENCARNADO
Uso
PARA OS SERVIÇOS EXTERNOS DE GUARDA E
ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO, INTERNA OU
EXTERNAMENTE, QUANDO. DETERMINADO PELA
AUTORIDADE COMPETENTE
Observação
- Insígnias de gola para SO
- Insígnias de braço para SG
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O capacete de fibra deverá ser na cor verde-musgo
- Poderá ser utilizado o capacete balístico em substitui-
ção ao capacete de fibra
- Os FN lotados nas CiaPol e PelPol poderão, quando
autorizados, usar o capacete de SP, na cor verde-musgo,
em substituição ao capacete balístico
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 30
SP2 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CB/SD DO CFN -
MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP2 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE
TRÂNSITO - CFN
Categoria
CB/SD DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
BRAÇADEIRA DE SP
CALÇA CAMUFLADA
CAMISETA VERDE-MUSGO
CAPACETE DE FIBRA
CINTO VERDE-MUSGO
COLDRE VERDE-MUSGO
COTURNOS MARROM
DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN
FITA DE IDENTIFICAÇÃO
GANDOLA CAMUFLADA
INSÍGNIAS DE BRAÇO
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
MEIAS ESPECIAIS
TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO
TIRANTE ENCARNADO
Uso
PARA OS SERVIÇOS EXTERNOS DE GUARDA E
ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO, INTERNA OU
EXTERNAMENTE, QUANDO. DETERMINADO PELA
AUTORIDADE COMPETENTE
Observação
- Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à
braçadeira de SP
- O capacete de fibra deverá ser na cor verde-musgo
- Poderá ser utilizado o capacete balístico em substitui-
ção ao capacete de fibra
- Os FN lotados nas CiaPol e PelPol poderão, quando
autorizados, usar o capacete de SP, na cor verde-musgo,
em substituição ao capacete balístico
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 31
SP3 - GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN - OFICIAIS DO CFN -
MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP3 - GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN
Categoria
OFICIAIS DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
APITO DE TRÂNSITO
BOTAS DE MOTOCICLISTA
BRAÇADEIRA DE SP
CACHECOL CAMUFLADO
CALÇA BEGE
CAMISA BEGE DE MEIA-MANGA
CAPACETE PARA MOTOCICLISTA
CINTO BEGE
EQUIPAMENTOS PARA O ARMAMENTO
INSÍGNIAS DE GOLA
JAQUETA DE MOTOCICLISTA
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
LUVAS PARA MOTOCICLISTA
MEIAS ESPECIAIS
ÓCULOS DE MOTOCICLISTA
TIRANTE BRANCO
Uso
PARA ESCOLTAS, POR BATEDORES, QUANDO
DETERMINADO PELA AUTORIDADE COMPETENTE
Observação
- Jaqueta de motociclista (quando autorizado)
- A critério da autoridade competente, poderá ser usado o
cachecol vermelho em substituição ao cachecol camufla-
do.
- A critério do Comando, é facultado o uso da camisa be-
ge manga longa.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 32
SP3 - GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN - SO/SG DO CFN -
MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP3 - GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN
Categoria
SO/SG DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
APITO DE TRÂNSITO
BOTAS DE MOTOCICLISTA
BRAÇADEIRA DE SP
CACHECOL CAMUFLADO
CALÇA BEGE
CAMISA BEGE DE MEIA-MANGA
CAPACETE PARA MOTOCICLISTA
CINTO BEGE
EQUIPAMENTOS PARA O ARMAMENTO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
INSÍGNIAS DE GOLA
JAQUETA DE MOTOCICLISTA
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
LUVAS PARA MOTOCICLISTA
MEIAS ESPECIAIS
ÓCULOS DE MOTOCICLISTA
TIRANTE BRANCO
Uso
PARA ESCOLTAS, POR BATEDORES, QUANDO
DETERMINADO PELA AUTORIDADE COMPETENTE
Observação
- Insígnias de gola para SO
- Insígnias de braço para SG
- Jaqueta de motociclista (quando autorizado)
- A critério da autoridade competente, poderá ser usado o
cachecol vermelho em substituição ao cachecol camufla-
do.
- A critério do Comando, é facultado o uso da camisa be-
ge manga longa.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 33
SP3 - GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN - CB/SD DO CFN -
MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP3 - GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN
Categoria
CB/SD DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
APITO DE TRÂNSITO
BOTAS DE MOTOCICLISTA
BRAÇADEIRA DE SP
CACHECOL CAMUFLADO
CALÇA BEGE
CAMISA BEGE DE MEIA MANGA
CAPACETE PARA MOTOCICLISTA
CINTO BEGE
EQUIPAMENTOS PARA O ARMAMENTO
INSÍGNIAS DE BRAÇO
JAQUETA DE MOTOCICLISTA
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
LUVAS PARA MOTOCICLISTA
MEIAS ESPECIAIS
ÓCULOS DE MOTOCICLISTA
TIRANTE BRANCO
Uso
PARA ESCOLTAS, POR BATEDORES, QUANDO
DETERMINADO PELA AUTORIDADE COMPETENTE
Observação
- Jaqueta de motociclista (quando autorizado)
- A critério da autoridade competente, poderá ser usado o
cachecol vermelho em substituição ao cachecol camufla-
do.
- A critério do Comando, é facultado o uso da camisa be-
ge manga longa.
MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA
Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB
TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB
COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 34
SP4 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - OFICIAIS DO CFN -
MASCULINO
Identificação do Uniforme
SP4 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE
TRÂNSITO - CFN
Categoria
OFICIAIS DO CFN
Sexo
MASCULINO
Composição
APITO DE TRÂNSITO
BOTAS DE MOTOCICLISTA
BRAÇADEIRA DE SP
CAMISETA VERDE-MUSGO
CAPACETE PARA MOTOCICLISTA
CINTO VERDE-MUSGO
CINTO VERDE-MUSGO PARA SERVIÇO
COLDRE VERDE-MUSGO
DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DA CFN
FITA DE IDENTIFICAÇÃO
INSÍGNIAS DE GOLA
JAQUETA DE MOTOCICLISTA
LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS
LUVAS PARA MOTOCICLISTA
MACACÃO CAMUFLADO
MEIAS ESPECIAIS
TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO
Uso
PARA ESCOLTAS, POR BATEDORES E EM MISSÕES
DE ROTINA
Observação
- As luvas para motociclista deverão ser na cor marrom.
- Jaqueta de motociclista (quando autorizado)
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMBRegulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB
Falcão Brasil
 
CADERNO DE INSTRUÇÃO SIMULAÇÃO DE COMBATE CI 105-5/1
CADERNO DE INSTRUÇÃO SIMULAÇÃO DE COMBATE CI 105-5/1CADERNO DE INSTRUÇÃO SIMULAÇÃO DE COMBATE CI 105-5/1
CADERNO DE INSTRUÇÃO SIMULAÇÃO DE COMBATE CI 105-5/1
Falcão Brasil
 
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
Falcão Brasil
 
MANUAL DE CAMPANHA CENTRO DE COMUNICAÇÕES 1ª PARTE C 24-17
MANUAL DE CAMPANHA CENTRO DE COMUNICAÇÕES 1ª PARTE C 24-17MANUAL DE CAMPANHA CENTRO DE COMUNICAÇÕES 1ª PARTE C 24-17
MANUAL DE CAMPANHA CENTRO DE COMUNICAÇÕES 1ª PARTE C 24-17
Falcão Brasil
 
CADERNO DE INSTRUÇÃO O INSTRUTOR DE CORPO DE TROPA CI 20-10/4
CADERNO DE INSTRUÇÃO O INSTRUTOR DE CORPO DE TROPA CI 20-10/4CADERNO DE INSTRUÇÃO O INSTRUTOR DE CORPO DE TROPA CI 20-10/4
CADERNO DE INSTRUÇÃO O INSTRUTOR DE CORPO DE TROPA CI 20-10/4
Falcão Brasil
 
PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1
PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1
PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1
Falcão Brasil
 
Tabela Uniformes Masculinos_Femininos 4º ação
Tabela Uniformes Masculinos_Femininos 4º açãoTabela Uniformes Masculinos_Femininos 4º ação
Tabela Uniformes Masculinos_Femininos 4º ação
Falcão Brasil
 
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009 CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
Falcão Brasil
 
CGCFN-1003 - Manual Básico do Fuzileiro Naval
CGCFN-1003 - Manual Básico do Fuzileiro NavalCGCFN-1003 - Manual Básico do Fuzileiro Naval
CGCFN-1003 - Manual Básico do Fuzileiro Naval
Falcão Brasil
 
ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA DE SELVA PPA INF/4
ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA DE SELVA PPA INF/4ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA DE SELVA PPA INF/4
ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA DE SELVA PPA INF/4
Falcão Brasil
 
MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20
MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20
MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20
Falcão Brasil
 
RUE - Capítulo IX - Da Apresentação Pessoal
RUE - Capítulo IX - Da Apresentação PessoalRUE - Capítulo IX - Da Apresentação Pessoal
RUE - Capítulo IX - Da Apresentação Pessoal
Falcão Brasil
 
RUE - Capítulo VII - Dos Uniformes dos Estabelecimentos de Ensino
RUE - Capítulo VII - Dos Uniformes dos Estabelecimentos de EnsinoRUE - Capítulo VII - Dos Uniformes dos Estabelecimentos de Ensino
RUE - Capítulo VII - Dos Uniformes dos Estabelecimentos de Ensino
Falcão Brasil
 
MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5
MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5
MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5
Falcão Brasil
 
IG 10-42 - Correspondência, Publicações e Atos Administrativos
IG 10-42 - Correspondência, Publicações e Atos AdministrativosIG 10-42 - Correspondência, Publicações e Atos Administrativos
IG 10-42 - Correspondência, Publicações e Atos Administrativos
Falcão Brasil
 
MANUAL DE CAMPANHA TÉCNICA DE TIRO DE ARTILHARIA DE CAMPANHA VOLUME I C 6-40
MANUAL DE CAMPANHA TÉCNICA DE TIRO DE ARTILHARIA DE CAMPANHA VOLUME I C 6-40MANUAL DE CAMPANHA TÉCNICA DE TIRO DE ARTILHARIA DE CAMPANHA VOLUME I C 6-40
MANUAL DE CAMPANHA TÉCNICA DE TIRO DE ARTILHARIA DE CAMPANHA VOLUME I C 6-40
Falcão Brasil
 
Uniforme de Representação e Serviços da Força Aérea Brasileira
Uniforme de Representação e Serviços da Força Aérea BrasileiraUniforme de Representação e Serviços da Força Aérea Brasileira
Uniforme de Representação e Serviços da Força Aérea Brasileira
Falcão Brasil
 
Caderno de Instrução Ginástica com Armas (EB60-CI-27.402)
Caderno de Instrução Ginástica com Armas (EB60-CI-27.402)Caderno de Instrução Ginástica com Armas (EB60-CI-27.402)
Caderno de Instrução Ginástica com Armas (EB60-CI-27.402)
Falcão Brasil
 
ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA PÁRA-QUEDISTA PPA INF/3
ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA PÁRA-QUEDISTA PPA INF/3ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA PÁRA-QUEDISTA PPA INF/3
ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA PÁRA-QUEDISTA PPA INF/3
Falcão Brasil
 
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO DE INFANTARIA ...
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO DE INFANTARIA ...PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO DE INFANTARIA ...
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO DE INFANTARIA ...
Falcão Brasil
 

Mais procurados (20)

Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMBRegulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB
Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB
 
CADERNO DE INSTRUÇÃO SIMULAÇÃO DE COMBATE CI 105-5/1
CADERNO DE INSTRUÇÃO SIMULAÇÃO DE COMBATE CI 105-5/1CADERNO DE INSTRUÇÃO SIMULAÇÃO DE COMBATE CI 105-5/1
CADERNO DE INSTRUÇÃO SIMULAÇÃO DE COMBATE CI 105-5/1
 
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
FORMAÇÃO BÁSICA DO COMBATENTE PPB/2 2010
 
MANUAL DE CAMPANHA CENTRO DE COMUNICAÇÕES 1ª PARTE C 24-17
MANUAL DE CAMPANHA CENTRO DE COMUNICAÇÕES 1ª PARTE C 24-17MANUAL DE CAMPANHA CENTRO DE COMUNICAÇÕES 1ª PARTE C 24-17
MANUAL DE CAMPANHA CENTRO DE COMUNICAÇÕES 1ª PARTE C 24-17
 
CADERNO DE INSTRUÇÃO O INSTRUTOR DE CORPO DE TROPA CI 20-10/4
CADERNO DE INSTRUÇÃO O INSTRUTOR DE CORPO DE TROPA CI 20-10/4CADERNO DE INSTRUÇÃO O INSTRUTOR DE CORPO DE TROPA CI 20-10/4
CADERNO DE INSTRUÇÃO O INSTRUTOR DE CORPO DE TROPA CI 20-10/4
 
PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1
PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1
PROGRAMA-PADRÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO INSTRUÇÃO COMUM PPQ/1
 
Tabela Uniformes Masculinos_Femininos 4º ação
Tabela Uniformes Masculinos_Femininos 4º açãoTabela Uniformes Masculinos_Femininos 4º ação
Tabela Uniformes Masculinos_Femininos 4º ação
 
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009 CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
 
CGCFN-1003 - Manual Básico do Fuzileiro Naval
CGCFN-1003 - Manual Básico do Fuzileiro NavalCGCFN-1003 - Manual Básico do Fuzileiro Naval
CGCFN-1003 - Manual Básico do Fuzileiro Naval
 
ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA DE SELVA PPA INF/4
ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA DE SELVA PPA INF/4ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA DE SELVA PPA INF/4
ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA DE SELVA PPA INF/4
 
MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20
MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20
MANUAL DE CAMPANHA TREINAMENTO FÍSICO MILITAR C 20-20
 
RUE - Capítulo IX - Da Apresentação Pessoal
RUE - Capítulo IX - Da Apresentação PessoalRUE - Capítulo IX - Da Apresentação Pessoal
RUE - Capítulo IX - Da Apresentação Pessoal
 
RUE - Capítulo VII - Dos Uniformes dos Estabelecimentos de Ensino
RUE - Capítulo VII - Dos Uniformes dos Estabelecimentos de EnsinoRUE - Capítulo VII - Dos Uniformes dos Estabelecimentos de Ensino
RUE - Capítulo VII - Dos Uniformes dos Estabelecimentos de Ensino
 
MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5
MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5
MANUAL DE CAMPANHA ORDEM UNIDA C 22-5
 
IG 10-42 - Correspondência, Publicações e Atos Administrativos
IG 10-42 - Correspondência, Publicações e Atos AdministrativosIG 10-42 - Correspondência, Publicações e Atos Administrativos
IG 10-42 - Correspondência, Publicações e Atos Administrativos
 
MANUAL DE CAMPANHA TÉCNICA DE TIRO DE ARTILHARIA DE CAMPANHA VOLUME I C 6-40
MANUAL DE CAMPANHA TÉCNICA DE TIRO DE ARTILHARIA DE CAMPANHA VOLUME I C 6-40MANUAL DE CAMPANHA TÉCNICA DE TIRO DE ARTILHARIA DE CAMPANHA VOLUME I C 6-40
MANUAL DE CAMPANHA TÉCNICA DE TIRO DE ARTILHARIA DE CAMPANHA VOLUME I C 6-40
 
Uniforme de Representação e Serviços da Força Aérea Brasileira
Uniforme de Representação e Serviços da Força Aérea BrasileiraUniforme de Representação e Serviços da Força Aérea Brasileira
Uniforme de Representação e Serviços da Força Aérea Brasileira
 
Caderno de Instrução Ginástica com Armas (EB60-CI-27.402)
Caderno de Instrução Ginástica com Armas (EB60-CI-27.402)Caderno de Instrução Ginástica com Armas (EB60-CI-27.402)
Caderno de Instrução Ginástica com Armas (EB60-CI-27.402)
 
ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA PÁRA-QUEDISTA PPA INF/3
ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA PÁRA-QUEDISTA PPA INF/3ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA PÁRA-QUEDISTA PPA INF/3
ADESTRAMENTO BÁSICO NAS UNIDADES DE INFANTARIA PÁRA-QUEDISTA PPA INF/3
 
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO DE INFANTARIA ...
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO DE INFANTARIA ...PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO DE INFANTARIA ...
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO QUALIFICAÇÃO DO CABO E DO SOLDADO DE INFANTARIA ...
 

Mais de Falcão Brasil

A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdfEstado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdfSegurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
Falcão Brasil
 
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdfSegurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
Falcão Brasil
 
Sistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdf
Sistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdfSistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdf
Sistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdf
Falcão Brasil
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Falcão Brasil
 
Programa Inclusão Digital do Censipam.pdf
Programa Inclusão Digital do Censipam.pdfPrograma Inclusão Digital do Censipam.pdf
Programa Inclusão Digital do Censipam.pdf
Falcão Brasil
 
Projeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Projeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdfProjeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Projeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Falcão Brasil
 
Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdfSistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Falcão Brasil
 
Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...
Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...
Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...
Falcão Brasil
 
Prognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdf
Prognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdfPrognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdf
Prognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdf
Falcão Brasil
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Falcão Brasil
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Falcão Brasil
 
Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdfSistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...
Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...
Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...
Falcão Brasil
 

Mais de Falcão Brasil (20)

A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdfEstado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdfSegurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
Segurança e Defesa Uma Moldura Teórico-Conceitual.pdf
 
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdfSegurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
Segurança na África e o Entorno Estratégico Brasileiro.pdf
 
Sistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdf
Sistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdfSistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdf
Sistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).pdf
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
 
Programa Inclusão Digital do Censipam.pdf
Programa Inclusão Digital do Censipam.pdfPrograma Inclusão Digital do Censipam.pdf
Programa Inclusão Digital do Censipam.pdf
 
Projeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Projeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdfProjeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Projeto do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
 
Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdfSistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM.pdf
 
Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...
Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...
Uso de Software Livre para Geoinformação na Proteção da Amazônia uma história...
 
Prognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdf
Prognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdfPrognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdf
Prognóstico Climático da Amazônia Trimestre Jul-Ago-Set 2023.pdf
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
 
Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdfSistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológico do CENSIPAM.pdf
 
Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...
Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...
Manual SipamHidro Sistema Integrado de Monitoramento e Alerta Hidrometeorológ...
 

Último

Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
EduardoLealSilva
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 

Último (20)

TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 

Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil RUMB VOLUME II

  • 1. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB CLASSIFICAÇÃO DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.1 - Página 1 TÍTULO I NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB CAPÍTULO 1.1 CLASSIFICAÇÃO DOS UNIFORMES ESPECIAIS Os Uniformes Especiais são classificados por grupos, de acordo com as atividades ou usuários específicos: Artigo 1.1.1 Classificação. Os Uniformes Especiais do grupo operativo são os destinados ao pessoal envolvido com as atividades a bordo dos navios, nos serviços de máquinas e nas fainas marinheiras, como se segue: - ATIVIDADES DE BORDO (OP) - ATIVIDADES DE VÔO (VV) - ATIVIDADES DE MERGULHO (MG) - ATIVIDADES DE CAMPANHA (AC) - ATIVIDADES DE PÁRA-QUEDISMO (PQ) - ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA (HN) - FAINAS MARINHEIRAS (MR) - ATIVIDADES DIVERSAS (AD) - INSPEÇÃO NAVAL (IN) Artigo 1.1.2 Grupo I - Operativo. Uniformes Especiais para as atividades de bordo, operativa e serviços de máquinas: - OPERATIVO AZUL-FERRETE (OP-1) - OPERATIVO CAMUFLADO (OP-2). Artigo 1.1.3 Atividade de Bordo. (OP) Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com o serviço de vôo: - PARA VÔO NO VERÃO (VV-1) - PARA VÔO NO INVERNO SOBRE TERRA (VV-2) - PARA VÔO NO INVERNO SOBRE ÁGUA (VV-3) - PARA OS SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO (VV-4) - PARA OS POSTOS DE VÔO (VV-5) Artigo 1.1.4 Atividade de Vôo. (VV) Uniformes especiais para o pessoal envolvido com as atividades de mergulho: - PARA ESCAFANDRIA (MG-1) - PARA ESCAFANDRIA (MG-2) - PARA MERGULHADORES DE COMBATE (MG-5) - PARA SALTO DE MERGULHADORES DE COMBATE (MG-7) - PARA SALTO DE MERGULHADORES DE COMBATE (MG-8) Artigo 1.1.5 Atividade de Mergulho. (MG) Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com campanha: - PARA CAMPANHA (AC-1) - PARA CAMPANHA (AC-2) - PARA CAMPANHA (AC-3) - PARA CAMPANHA (AC-4) - PARA CAMPANHA (AC-5) - PARA CAMPANHA (AC-6) Artigo 1.1.6 Atividade de Campanha. (AC)
  • 2. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB CLASSIFICAÇÃO DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.1 - Página 2 Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com os serviços de pára-quedismo: - SALTO REPRESENTATIVO (PQ-1) - SALTO LIVRE (PQ-2) - SALTO SEMI-AUTOMÁTICO (PQ-3) Artigo 1.1.7 Atividade de Pára- Quedismo. (PQ) Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com os serviços de hidrografia, oceanografia e balizamento: - ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E BALIZAMENTO (HN-1) Artigo 1.1.8 Atividade de Hidrografia, Oceanografia e Balizamento. (HN) Os Comandantes de Navios, autorizados pelos Comandantes de Forças poderão adotar, estabelecendo o seu uso, peças especiais necessárias à realização de fainas marinheiras. Igual autorização é estendida às fainas específicas dos serviços de pára-quedismo. As peças especiais autorizadas são as destinadas à proteção do pessoal ou à identificação durante as fainas, entendendo-se como coberturas, calçados, camisas ou coletes de cores diferentes, luvas, braçadeiras etc. As peças especiais serão de posse de Organização Militar, correndo as despesas por conta da própria OM. Artigo 1.1.9 Fainas Marinheiras. (MR) Uniformes Especiais para os militares envolvidos em atividades de inspeção executadas pelas Organizações Militares do Sistema de Segu- rança do Tráfego Aquaviário: - INSPEÇÃO NAVAL (IN) - CONDUÇÃO EMBARCAÇÃO (CE) Artigo 1.1.10 Inspeção Naval (IN) Os Uniformes Especiais do grupo de apoio são os destinados ao pessoal envolvido com os serviços de segurança, guardas-de-honra, serviços de saúde, instrutoria de educação física e os serviços gerais de taifa, como se segue: - ATIVIDADE DE ESCOLTAS E GUARDAS ESPECIAIS (SP) - ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE SAÚDE (SS) - INSTRUTORIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA (EP) - SERVIÇO GERAL DE TAIFA (TA) Artigo 1.1.11 Grupo II - Atividade de Apoio Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com os serviços de escoltas especiais, policiamento, seguranças e guardas de honras: - PARA O SERVIÇO DE ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO (SP-1) - PARA O SERVIÇO DE ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO (SP-2) - PARA O SERVIÇO DE GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO (SP-3) - PARA O SERVIÇO DE ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO (SP-4) - BEGE PARA GUARDA-DE-HONRA (SP-5) - BEGE DE VERÃO PARA GUARDA-DE-HONRA (SP-6) Artigo 1.1.12 Atividades de Escoltas e Guardas Especiais (SP) Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com os serviços de saúde: - BRANCO INTERNO (SS-1) - CINZA/BEGE/AZUL MESCLA INTERNO (SS-2) - PARA TRABALHOS EM LABORATÓRlOS (SS-3) Artigo 1.1.13 Serviço de Saúde (SS)
  • 3. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB CLASSIFICAÇÃO DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.1 - Página 3 Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com os serviços de instrutoria de educação física: - INTERNO (EP-1) - INTERNO (EP-2) - PARA REPRESENTAÇÃO (EP-3) - PARA REPRESENTAÇÃO (EP-4) Artigo 1.1.14 Instrutoria de Educação Física. (EP) Uniformes Especiais para o pessoal envolvido com o serviço geral de taifa: - PARA ARRUMADOR (TA-1) - PARA BARBEIRO (TA-2) - PARA COZINHEIRO (TA-4) - PARA RANCHEIRO (TA-5) Artigo 1.1.15 Serviço Geral de Taifa. (TA) Os Uniformes Especiais deste grupo são os destinados a motoristas, às gestantes, aos sentenciados, às Praças Especiais e às cantoras e musicistas da Companhia de Bandas do Batalhão Naval, como se segue: - MOTORISTA DE FORMA MODERADA (M-1) - MOTORISTA DE FORMA SOLENE (M-2) - GESTANTES (GE) - SENTENCIADO (SE) - MUSICISTA (MU-1) - PRAÇAS ESPECIAIS (PE) Artigo 1.1.16 Grupo III - Diversos. As militares poderão usar uniformes especiais de gestantes compostos por bata e saia para gestantes previstas neste regulamento. Tratam-se de adaptações das peças de uniformes básicos, de modo a permitir variações de medidas de acordo com a evolução da gravidez. O uso dessas peças serão mesmo descrito para as peças correspondentes aos uniformes básicos. Caso haja indicação médica, as militares grávidas poderão usar mocassins pretos de salto baixo em todos os uniformes, bem como deixar de usar as meias previstas, ou ainda, usar meias especiais, desde que sejam da cor da pele. Artigo 1.1.17 Gestante. (GE) Uniformes Especiais para às Praças Especiais (Aspirantes e Alunos do Colégio Naval): - PARA INSTRUÇÃO (EN-1) - PARA INSTRUÇÃO (EN-2) Artigo 1.1.18 Aspirantes e Alunos do Colégio Naval As militares lotadas na Companhia de Bandas do Batalhão Naval, exclusivamente no desempenho das atividades autorizadas de apresenta- ção da Banda Sinfônica, poderão usar o uniforme especial composto con- forme previsto neste regulamento. As peças especiais da composição do uniforme serão de dotação da OM. Artigo 1.1.19 Musicistas
  • 5. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB DISTINTIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DE OM, QUALIFICAÇÃO OPERATIVA E INDIVIDUAL - CAPÍTULO 1.2 - Página 1 TÍTULO I NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB CAPÍTULO 1.2 DISTINTIVOS DE INDENTIFICAÇÃO DE OM, QUALIFICAÇÃO OPERATIVA E INDIVIDUAL Os distintivos de identificação de OM e de Qualificação Operativa deverão ser criados aprovados pelos respectivos Comandantes de Força ou COMIMSUP equivalente.. Artigo 1.2.1 Criação dos Dis- tintivos de Identi- ficação de OM e de Qualificação Operativa. Os distintivos de identificação de OM poderão ser usados nos uniformes para atividades operativas, no máximo de um. Artigo 1.2.2 Uso dos Distintivos de Identificação de OM. Os distintivos de qualificação operativa, poderão ser usados nos uniformes para atividades operativas, no máximo de um. Artigo 1.2.3 Uso do Distintivo de Qualificação Operativa. Os distintivos de identificação individual são descritos nas características gerais das peças de uniformes especiais da MB. Artigo 1.2.4 Distintivos de Identificação Indi- vidual.
  • 7. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 1 TÍTULO I NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB CAPÍTULO 1.3 COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS OPERATIVO O uso e a composição dos Uniformes Especiais da MB são conforme a seguir discriminado. Artigo 1.3.1 Composição e Uso de Uniformes Especiais. As peças exclusivas dos uniformes especiais, isto é aquelas que não compõem os uniformes básicos, são normalmente dotação da OM. As exceções serão discriminadas em cada uniforme. Artigo 1.3.2 Posse.
  • 8. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 2 OP1 - OPERATIVO AZUL-FERRETE - OFICIAIS E GM - MASCULINO Identificação do Uniforme OP1 - OPERATIVO AZUL-FERRETE Categoria OFICIAIS E GM Sexo MASCULINO Composição BOTA DE COVÉS CAMISETA BRANCA GORRO CINZA INSÍGNIAS DE GORRO INSÍGNIAS DE JAPONA MACACÃO AZUL-FERRETE DE COMBATE MEIAS PRETAS Uso VER CAMPO OBSERVAÇÃO Observação USO: A BORDO DOS NAVIOS, BASES, PORTOS, CAPITANIAS, DELEGACIAS E AGÊNCIAS, NO TRANSLADO RESIDÊNCIA X TRABALHO. NESTE CASO, A CRITÉRIO DO COMANDANTE DO DISTRITO NAVAL, DESDE QUE O MILITAR RESIDA EM VILA NAVAL, LOCALIZADA PRÓXIMO AS BASES, PORTOS E CAPITANIAS. EM SITUAÇÕES ESPECIAIS, TAIS COMO LEVANTAMENTOS HIDROGRÁFICOS, MANUTENÇÕES DE FARÓIS, OPERAÇÕES RIBEIRINHAS (AÇÕES EM TERRA) E AÇÕES DE FISCALIZAÇÕES DO TRÁFEGO AQUAVIARIO. EM REUNIOES OPERATIVAS, INCLUSIVE COM OUTRAS FORÇAS. A CRITÉRIO DO COMANDANTE, PODERÁ SER UTILIZADO COMO UNIFORME DE SERVIÇO. - Para uso no macacão azul-ferrete, a fita de identificação será confeccionada em tecido azul-ferrete, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta amarela indelével e grupo sanguineo em tinta vermelha indelével. - O distintivo de identificação de nacionalidade deve ser fixado na manga direita, centralizda a 3,0 cm da costura do ombro. - A Bandeira do Brasil deve ser fixada na manga esquerda, centralizdo a 3,0 cm da costura do ombro. - A critério do Comandante, poderá ser usado o gorro de viagem em substituição ao gorro cinza. - Quando o serviço recomendar, com o equipamento individual básico (EIBC) ou equipamento individual suplementar de combate (EISC). - Quando em postos de vôo poderá ser usada a jaqueta para convés de vôo e o gorro de convés de vôo. O blusão de sueste também poderá ser utilizado quando determi- nado. - O distintivo de Identificação de OM, deve ser fixado na região central do bolso direito.
  • 9. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 3 OP1 - OPERATIVO AZUL-FERRETE - SO/SG - MASCULINO Identificação do Uniforme OP1 - OPERATIVO AZUL-FERRETE Categoria SO/SG Sexo MASCULINO Composição BOTA DE COVÉS CAMISETA BRANCA GORRO CINZA INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE GORRO INSÍGNIAS DE JAPONA MACACÃO AZUL-FERRETE DE COMBATE MEIAS PRETAS Uso VER CAMPO OBSERVAÇÃO Observação USO: A BORDO DOS NAVIOS, BASES, PORTOS, CAPITANIAS, DELEGACIAS E AGÊNCIAS, NO TRANSLADO RESIDÊNCIA X TRABALHO. NESTE CASO, A CRITÉRIO DO COMANDANTE DO DISTRITO NAVAL, DESDE QUE O MILITAR RESIDA EM VILA NAVAL, LOCALIZADA PRÓXIMO AS BASES, PORTOS E CAPITANIAS. EM SITUAÇÕES ESPECIAIS, TAIS COMO LEVANTAMENTOS HIDROGRÁFICOS, MANUTENÇÕES DE FARÓIS, OPERAÇÕES RIBEIRINHAS (AÇÕES EM TERRA) E AÇÕES DE FISCALIZAÇÕES DO TRÁFEGO AQUAVIARIO. EM REUNIOES OPERATIVAS, INCLUSIVE COM OUTRAS FORÇAS. A CRITÉRIO DO COMANDANTE, PODERÁ SER UTILIZADO COMO UNIFORME DE SERVIÇO. - Insígnias de japona para SO - Insígnias de gorro para SO - Insígnias de braço para SG (apenas no braço direito) - Para uso no macacão azul-ferrete, a fita de identificação será confeccionada em tecido azul-ferrete, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta amarela indelével e grupo sanguineo em tinta vermelha indelével. - O distintivo de identificação de nacionalidade deve ser fixado na manga direita, centralizda a 3,0 cm da costura do ombro. - A Bandeira do Brasil deve ser fixada na manga esquerda, centralizdo a 3,0 cm da costura do ombro. - A critério do Comandante, poderá ser usado o gorro de viagem em substituição ao gorro cinza. - Quando o serviço recomendar, com o equipamento individual básico (EIBC) ou equipamento individual suplementar de combate (EISC). - Quando em postos de vôo poderá ser usada a jaqueta para convés de vôo e o gorro de convés de vôo. O blusão de sueste também poderá ser utilizado quando determi- nado. - O distintivo de Identificação de OM, deve ser fixado na região central do bolso direito.
  • 10. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 4 OP1 - OPERATIVO AZUL-FERRETE - CB/MN - MASCULINO Identificação do Uniforme OP1 - OPERATIVO AZUL-FERRETE Categoria CB/MN Sexo MASCULINO Composição BOTA DE COVÉS CAMISETA BRANCA GORRO CINZA INSÍGNIAS DE BRAÇO MACACÃO AZUL-FERRETE DE COMBATE MEIAS PRETAS Uso VER CAMPO OBSERVAÇÃO Observação USO: A BORDO DOS NAVIOS, BASES, PORTOS, CAPITANIAS, DELEGACIAS E AGÊNCIAS, NO TRANSLADO RESIDÊNCIA X TRABALHO. NESTE CASO, A CRITÉRIO DO COMANDANTE DO DISTRITO NAVAL, DESDE QUE O MILITAR RESIDA EM VILA NAVAL, LOCALIZADA PRÓXIMO AS BASES, PORTOS E CAPITANIAS. EM SITUAÇÕES ESPECIAIS, TAIS COMO LEVANTAMENTOS HIDROGRÁFICOS, MANUTENÇÕES DE FARÓIS, OPERAÇÕES RIBEIRINHAS (AÇÕES EM TERRA) E AÇÕES DE FISCALIZAÇÕES DO TRÁFEGO AQUAVIARIO. EM REUNIOES OPERATIVAS, INCLUSIVE COM OUTRAS FORÇAS. A CRITÉRIO DO COMANDANTE, PODERÁ SER UTILIZADO COMO UNIFORME DE SERVIÇO. - Para uso no macacão azul-ferrete, a fita de identificação será confeccionada em tecido azul-ferrete, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta amarela indelével e grupo sanguineo em tinta vermelha indelével. - O distintivo de identificação de nacionalidade deve ser fixado na manga direita, centralizda a 3,0 cm da costura do ombro. - A Bandeira do Brasil deve ser fixada na manga esquerda, centralizdo a 3,0 cm da costura do ombro. - A critério do Comandante, poderá ser usado o gorro de viagem em substituição ao gorro cinza. - Quando o serviço recomendar, com o equipamento individual básico (EIBC) ou equipamento individual suplementar de combate (EISC). - Quando em postos de vôo poderá ser usada a jaqueta para convés de vôo e o gorro de convés de vôo. O blusão de sueste também poderá ser utilizado quando determi- nado. - Insígnia de braço azul-ferrete apenas no braço direito. - O distintivo de Identificação de OM, deve ser fixado na região central do bolso direito.
  • 11. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 5 AD – ATIVIDADES DIVERSAS - OFICIAIS E GM - MASCULINO Identificação do Uniforme AD – ATIVIDADES DIVERSAS Categoria OFICIAIS E GM Sexo MASCULINO Composição CAMISETA BRANCA GORRO CINZA INSÍGNIAS DE GORRO INSÍGNIAS DE JAPONA MACACÃO CINZA MEIAS PRETAS SAPATOS PRETOS Uso A BORDO DOS NAVIOS ATRACADOS E EM OM DE TERRA, PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DIVERSOS QUE NÃO EXIJAM A PROTEÇÃO CONTRA-CHAMA E OUTROS QUE NECESSITEM DE MACACÃO QUE NÃO OS PREVISTOS PARA SERVIÇOS ESPECÍFICOS E PARA FAINAS ESPECIAIS, NESTE CASO, A CRITÉRIO DO COMANDO Observação - Para uso no macacão cinza, a fita de identificação será confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta preta indelével e grupo sanguineo em tinta vermelha indelével. - O distintivo de identificação de nacionalidade deve ser fixado na manga direita, centralizda a 3,0 cm da costura do ombro. - A Bandeira do Brasil deve ser fixada na manga esquerda, centralizdo a 3,0 cm da costura do ombro. - Quando o serviço recomendar, com o equipamento individual básico (EIBC) ou equipamento individual suplementar de combate (EISC). - Em OM de terra, quando o serviço recomendar, observando o estabelecido no Volume I , artigo 2.2.2. situação 12.6. - Quando em postos de vôo poderá ser usada a jaqueta para convés de vôo, a bota de convés e o gorro de con- vés de vôo. O blusão de sueste também poderá ser utili- zado quando determinado. - A Critério do Comando, nas atividades de Inspeção Na- val, poderão ser utilizados o gorro de viagem e o tênis branco. - O distintivo de Identificação de OM, deve ser fixado na região central do bolso direito.
  • 12. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 6 AD – ATIVIDADES DIVERSAS - SO/SG - MASCULINO Identificação do Uniforme AD – ATIVIDADES DIVERSAS Categoria SO/SG Sexo MASCULINO Composição CAMISETA BRANCA GORRO CINZA INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE GORRO INSÍGNIAS DE JAPONA MACACÃO CINZA MEIAS PRETAS SAPATOS PRETOS Uso A BORDO DOS NAVIOS ATRACADOS E EM OM DE TERRA, PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DIVERSOS QUE NÃO EXIJAM A PROTEÇÃO CONTRA-CHAMA E OUTROS QUE NECESSITEM DE MACACÃO QUE NÃO OS PREVISTOS PARA SERVIÇOS ESPECÍFICOS E PARA FAINAS ESPECIAIS, NESTE CASO, A CRITÉRIO DO COMANDO Observação - Insígnias de japona para SO - Insígnias de gorro para SO - Insígnias de braço para SG - Para uso no macacão cinza, a fita de identificação será confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta preta indelével e grupo sanguineo em tinta vermelha indelével. - O distintivo de identificação de nacionalidade deve ser fixado na manga direita, centralizda a 3,0 cm da costura do ombro. - A Bandeira do Brasil deve ser fixada na manga esquerda, centralizdo a 3,0 cm da costura do ombro. - Quando o serviço recomendar, com o equipamento individual básico (EIBC) ou equipamento individual suplementar de combate (EISC). - Em OM de terra, quando o serviço recomendar, observando o estabelecido no Volume I , artigo 2.2.2. situação 12.6. - Quando em postos de vôo poderá ser usada a jaqueta para convés de vôo, a bota de convés e o gorro de con- vés de vôo. O blusão de sueste também poderá ser utili- zado quando determinado. - A Critério do Comando, nas atividades de Inspeção Na- val, poderão ser utilizados o gorro de viagem e o tênis branco. - O distintivo de Identificação de OM, deve ser fixado na região central do bolso direito.
  • 13. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 7 AD – ATIVIDADES DIVERSAS - CB/MN - MASCULINO Identificação do Uniforme AD – ATIVIDADES DIVERSAS Categoria CB/MN Sexo MASCULINO Composição CAMISETA BRANCA CAXANGÁ INSÍGNIAS DE BRAÇO MACACÃO CINZA MEIAS PRETAS SAPATOS PRETOS Uso A BORDO DOS NAVIOS ATRACADOS E EM OM DE TERRA, PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DIVERSOS QUE NÃO EXIJAM A PROTEÇÃO CONTRA-CHAMA E OUTROS QUE NECESSITEM DE MACACÃO QUE NÃO OS PREVISTOS PARA SERVIÇOS ESPECÍFICOS E PARA FAINAS ESPECIAIS, NESTE CASO, A CRITÉRIO DO COMANDO Observação - Para uso no macacão cinza, a fita de identificação será confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta preta indelével e grupo sanguineo em tinta vermelha indelével. - O distintivo de identificação de nacionalidade deve ser fixado na manga direita, centralizda a 3,0 cm da costura do ombro. - A Bandeira do Brasil deve ser fixada na manga esquerda, centralizdo a 3,0 cm da costura do ombro. - Quando o serviço recomendar, com o equipamento individual básico (EIBC) ou equipamento individual suplementar de combate (EISC). - Em OM de terra, quando o serviço recomendar, observando o estabelecido no Volume I , artigo 2.2.2. situação 12.6. - Quando em postos de vôo poderá ser usada a jaqueta para convés de vôo, a bota de convés e o gorro de con- vés de vôo. O blusão de sueste também poderá ser utili- zado quando determinado. - A Critério do Comando, nas atividades de Inspeção Na- val, poderão ser utilizados o gorro de viagem e o tênis branco. - O distintivo de Identificação de OM, deve ser fixado na região central do bolso direito.
  • 14. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 8 OP2 - OPERATIVO CAMUFLADO - CFN - OFICIAIS DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme OP2 - OPERATIVO CAMUFLADO - CFN Categoria OFICIAIS DO CFN Sexo MASCULINO Composição CAMISETA VERDE-MUSGO CAPA CAMUFLADA PARA CAPACETE CAPACETE DE FIBRA COTURNOS MARROM DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN FITA DE IDENTIFICAÇÃO INSÍGNIAS DE GOLA MACACÃO CAMUFLADO MEIAS ESPECIAIS TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO Uso NAS VIATURAS ESPECIAIS DO CFN Observação - Gorro camuflado em substituição ao capacete de fibra
  • 15. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 9 OP2 - OPERATIVO CAMUFLADO - CFN - SO/SG DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme OP2 - OPERATIVO CAMUFLADO - CFN Categoria SO/SG DO CFN Sexo MASCULINO Composição CAMISETA VERDE-MUSGO CAPA CAMUFLADA PARA CAPACETE CAPACETE DE FIBRA COTURNOS MARROM DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN FITA DE IDENTIFICAÇÃO INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE GOLA MACACÃO CAMUFLADO MEIAS ESPECIAIS TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO Uso NAS VIATURAS ESPECIAIS DO CFN Observação - Insígnias de gola para SO - Insígnias de braço para SG - Gorro camuflado em substituição ao capacete de fibra
  • 16. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 10 OP2 - OPERATIVO CAMUFLADO - CFN - CB/SD DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme OP2 - OPERATIVO CAMUFLADO – CFN Categoria CB/SD DO CFN Sexo MASCULINO Composição CAMISETA VERDE-MUSGO CAPA CAMUFLADA PARA CAPACETE CAPACETE DE FIBRA COTURNOS MARROM DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN FITA DE IDENTIFICAÇÃO INSÍGNIAS DE BRAÇO MACACÃO CAMUFLADO MEIAS ESPECIAIS TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO Uso NAS VIATURAS ESPECIAIS DO CFN Observação - Gorro camuflado em substituição ao capacete de fibra
  • 17. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 11 VV1 - VÔO NO VERÃO - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO Identificação do Uniforme VV1 - VÔO NO VERÃO Categoria OFICIAIS E PRACAS Sexo MASCULINO Composição BOTAS DE VÔO CAMISETA BRANCA CAPACETE DE VÔO LUVAS DE VÔO MACACÃO DE VÔO MEIAS ESPECIAIS PLAQUETA DE MACACÃO DE VÔO Uso EM AERONAVES MILITARES E A BORDO DOS NAVIOS COM AERONAVES EMBARCADAS. OBRIGATÓRIO PARA O PESSOAL DA AVIAÇÃO NAVAL. Observação
  • 18. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 12 VV2 - VÔO NO INVERNO SOBRE TERRA - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO Identificação do Uniforme VV2 - VÔO NO INVERNO SOBRE TERRA Categoria OFICIAIS E PRACAS Sexo MASCULINO Composição BLUSÃO DE VÔO BOTAS DE VÔO CAMISETA BRANCA CAPACETE DE VÔO LUVAS DE VÔO MACACÃO DE VÔO MEIAS ESPECIAIS PLAQUETA DE MACACÃO DE VÔO Uso VÔO SOBRE TERRA EM REGIÕES FRIAS. OBRIGATÓRIO PARA O PESSOAL DA AVIAÇÃO NAVAL. Observação
  • 19. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 13 VV3 - VÔO NO INVERNO SOBRE ÁGUA - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO Identificação do Uniforme VV3 - VÔO NO INVERNO SOBRE ÁGUA Categoria OFICIAIS E PRACAS Sexo MASCULINO Composição BOTAS DE VÔO ANTIEXPOSIÇÃO CAMISETA BRANCA CAPACETE DE VÔO CAPUZ CHABO CAMUFLADO CAPUZ DE VÔO ANTIEXPOSIÇÃO LUVAS DE VÔO LUVAS DE VÔO ANTIEXPOSIÇÃO MACACÃO DE VÔO ANTIEXPOSIÇÃO MEIAS ESPECIAIS Uso VÔO SOBRE O MAR E ÁGUAS INTERIORES EM REGIÕES FRIAS. OBRIGATÓRIO PARA O PESSOAL DA AVIAÇÃO NAVAL. Observação - Capuz de vôo antiexposição (Quando determinado)
  • 20. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 14 VV4 - POSTOS DE VÔO EMBARCADO - OFICIAIS E GM - MASCULINO Identificação do Uniforme VV4 - POSTOS DE VÔO EMBARCADO Categoria OFICIAIS E GM Sexo MASCULINO Composição BOTAS DE CONVÉS CAMISETA BRANCA GORRO DE CONVÉS DE VÔO INSÍGNIAS DE JAPONA MACACÃO AZUL-FERRETE DE COMBATE MEIAS ESPECIAIS JAQUETA PARA CONVÉS DE VÔO Peças Complementares de Uso Autorizado BLUSÃO DE SUESTE Uso NOS SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO DE AERONAVES DENTRO DOS PERÍMETROS DOS ESTABELECIMENTOS NAVAIS E A BORDO DE NAVIOS COM AERONAVES EMBARCADAS. OBRIGATÓRIO PARA O PESSOAL DA AVIAÇÃO NAVAL. Observação - Blusão de sueste (quando determinado) - Nos estabelecimentos navais, desde que não haja comprometimento das normas de segurança de aviação, a critério do Comandante, poderá ser usado o gorro especial de aviação e o sapato preto, em substituição, respectivamente, ao gorro de convés de vôo e a bota de convés. - Para uso no macacão operativo cinza, a fita de identificação será confeccionada em tecido azul-ferrete, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta amarela indelével e grupo sanguineo em tinta vermelha indelevel.
  • 21. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 15 VV4 - POSTOS DE VÔO EMBARCADO - SO/SG - MASCULINO Identificação do Uniforme VV4 - POSTOS DE VÔO EMBARCADO Categoria SO/SG Sexo MASCULINO Composição BOTAS DE CONVÉS CAMISETA BRANCA GORRO DE CONVÉS DE VÔO INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE JAPONA MACACÃO AZUL-FERRETE DE COMBATE MEIAS ESPECIAIS JAQUETA PARA CONVÉS DE VÔO Peças Complementares de Uso Autorizado BLUSÃO DE SUESTE Uso NOS SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO DE AERONAVES DENTRO DOS PERÍMETROS DOS ESTABELECIMENTOS NAVAIS E A BORDO DE NAVIOS COM AERONAVES EMBARCADAS. OBRIGATÓRIO PARA O PESSOAL DA AVIAÇÃO NAVAL. Observação - Blusão de sueste (quando determinado) - Insígnias de japona para SO - Insígnias de braço para SG (apenas no braço direito) - Nos estabelecimentos navais, desde que não haja comprometimento das normas de segurança de aviação, a critério do Comandante, poderá ser usado o gorro especial de aviação e o sapato preto, em substituição, respectivamente, ao gorro de convés de vôo e a bota de convés. - Para uso no macacão operativo cinza, a fita de identificação será confeccionada em tecido azul-ferrete, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta amarela indelével e grupo sanguineo em tinta vermelha indelevel.
  • 22. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 16 VV4 - POSTOS DE VÔO EMBARCADO - CB/MN - MASCULINO Identificação do Uniforme VV4 - POSTOS DE VÔO EMBARCADO Categoria CB/MN Sexo MASCULINO Composição BOTAS DE CONVÉS CAMISETA BRANCA GORRO DE CONVÉS DE VÔO INSÍGNIAS DE BRAÇO MACACÃO AZUL-FERRETE DE COMBATE MEIAS ESPECIAIS JAQUETA PARA CONVÉS DE VÔO Peças Complementares de Uso Autorizado BLUSÃO DE SUESTE Uso NOS SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO DE AERONAVES DENTRO DOS PERÍMETROS DOS ESTABELECIMENTOS NAVAIS E A BORDO DE NAVIOS COM AERONAVES EMBARCADAS. OBRIGATÓRIO PARA O PESSOAL DA AVIAÇÃO NAVAL. Observação - Blusão de sueste (quando determinado) - Insignia de braço (apenas no braço direito) - Nos estabelecimentos navais, desde que não haja comprometimento das normas de segurança de aviação, a critério do Comandante, poderá ser usado o gorro especial de aviação e o sapato preto, em substituição, respectivamente, ao gorro de convés de vôo e a bota de convés. - Para uso no macacão operativo cinza, a fita de identificação será confeccionada em tecido azul-ferrete, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta amarela indelével e grupo sanguineo em tinta vermelha indelevel.
  • 23. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 17 VV5 - ORIENTADOR EM TERRA - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO Identificação do Uniforme VV5 - ORIENTADOR EM TERRA Categoria OFICIAIS E PRACAS Sexo MASCULINO Composição JALECO DE ORIENTADOR Uso DURANTE OS POSTOS DE VÔO, A BORDO DOS NAVIOS E EM ATIVIDADES DE PISTAS, NOS ESTABELECIMENTOS NAVAIS. Observação - O jaleco de orientador será utilizado com qualquer uniforme que o militar esteja usando.
  • 24. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 18 VV5 - ORIENTADOR EM NAVIO - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO Identificação do Uniforme VV5 - ORIENTADOR EM NAVIO Categoria OFICIAIS E PRACAS Sexo MASCULINO Composição BOTAS DE CONVÉS CAMISETA BRANCA CAPACETE PARA CONVÉS DE VÔO INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE JAPONA JAQUETA PARA CONVÉS DE VÔO MACACÃO CINZA MEIAS PRETAS Uso DURANTE OS POSTOS DE VÔO, A BORDO DOS NAVIOS E EM ATIVIDADES DE PISTAS, NOS ESTABELECIMENTOS NAVAIS. Observação - Meias de algodão - Insígnias de japona para OF e SO - Insígnias de braço para SG, CB e MN
  • 25. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 19 MG1 - MERGULHADOR - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO Identificação do Uniforme MG1 - MERGULHADOR Categoria OFICIAIS E PRACAS Sexo MASCULINO Composição CALÇÃO DE NATAÇÃO CALÇÃO PRETO PARA OFICIAIS E PRAÇAS CAMISETA BRANCA MEIAS ESPECIAIS TÊNIS BRANCOS Uso DIARIAMENTE, QUANDO AUTORIZADO PELO COMANDANTE OU DIRETOR, NAS OM COMO UNIFORME DE TRABALHO E EVENTUALMENTE, NOS NAVIOS E ESTABELECIMENTOS CIVIS E MILITARES. Observação - Quando determinado poderá ser usado com o blusão de sueste e a calça de sueste, ou com a camisa olímpica de mergulhador e a calça olímpica de mergulhador, ou com o agasalho de mergulhador que é composto de calça e jaqueta. - Poderá ser usada a camiseta verde-musgo para Oficiais e Praças Mergulhadores de Combate. - Na parte frontal do tórax, centrado a meia altura, o dis- tintivo operativo de Escafandria, Mergulhador de Comba- te e Medicina de Submarino e Escafandria com 120mm de comprimento x 25 mm de altura, e abaixo o pos- to/graduação e nome de guerra do militar em tinta preta indelével, com características de imprensa maiúscula, com 10mm de altura.
  • 26. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 20 MG2 - ESCAFANDRIA - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO Identificação do Uniforme MG2 - ESCAFANDRIA Categoria OFICIAIS E PRACAS Sexo MASCULINO Composição CALÇÃO DE NATAÇÃO SANDÁLIAS PRETAS Uso NOS SERVIÇOS DE ESCAFANDRIA, NAS OM E DURANTE A REALIZAÇÃO DAS FAINAS DE MERGULHO. Observação Outra composição: - Calça de mergulhador - Camisa olímpica de mergulhador - Meias especiais - Ténis branco
  • 27. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 21 MG5 - MERGULHADORES DE COMBATE - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO Identificação do Uniforme MG5 - MERGULHADORES DE COMBATE Categoria OFICIAIS E PRACAS Sexo MASCULINO Composição CALÇA CAMUFLADA CAMISETA VERDE-MUSGO CAPA CAMUFLADA PARA CAPACETE CAPACETE DE AÇO COTURNOS DE SELVA EQUIPAMENTO INDIVIDUAL BÁSICO DE COMBATE GANDOLA CAMUFLADA INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE GOLA LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS MEIAS ESPECIAIS TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO Uso EM INSTRUÇÃO ESPECIAL E ADESTRAMENTO, QUANDO AS CARACTERÍSTICAS DO TERRENO OU A NATUREZA DAS OPERAÇÕES REQUEREREM O USO DOS COTURNOS DE SELVA Observação - Equipamento individual suplementar de combate (quando determinado) - Insígnias de gola (OF. e SO) - Insígnias de braço (Demais Praças)
  • 28. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 22 MG7 - MERGULHADORES DE COMBATE - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO Identificação do Uniforme MG7 - MERGULHADORES DE COMBATE Categoria OFICIAIS E PRACAS Sexo MASCULINO Composição CAPACETE BRANCO PARA SALTO-LIVRE COTURNOS MARROM MACACÃO PRETO PARA SALTO MEIAS ESPECIAIS Uso EM SALTOS LIVRES E COMPETIÇÕES Observação - Poderá ser usado o gorro especial preto em substituição ao capacete branco para salto livre
  • 29. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 23 MG8 - MERGULHADORES DE COMBATE - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO Identificação do Uniforme MG8 - MERGULHADORES DE COMBATE Categoria OFICIAIS E PRACAS Sexo MASCULINO Composição CAMISETA BRANCA COTURNOS MARROM MACACÃO DE VÔO MEIAS ESPECIAIS PLAQUETA DE MACACÃO DE VÔO Uso ATIVIDADES ESPECIAIS Observação
  • 30. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 24 AC1 - CAMPANHA - CFN - OFICIAIS E PRACAS DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme AC1 - CAMPANHA - CFN Categoria OFICIAIS E PRACAS DO CFN Sexo MASCULINO Composição CALÇA CAMUFLADA CAMISETA VERDE-MUSGO CAPA CAMUFLADA PARA CAPACETE CAPACETE DE AÇO CINTO VERDE-MUSGO COTURNOS MARROM DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN EQUIPAMENTO INDIVIDUAL BÁSICO DE COMBATE GANDOLA CAMUFLADA INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE GOLA LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS MEIAS ESPECIAIS TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO Uso EM OPERAÇÕES TERRESTRES, ANFÍBIAS E ESPECIAIS Observação - Equipamento individual suplementar de combate (quando determinado) - Insígnias de gola (OF. e SO) - Insígnias de braço (SG, CB e SD) - Utilizado por militares de outros Corpos ou Quadros para participação em operações/ exercícios de Forças de FN, quando determinado por autoridade competente.
  • 31. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 25 AC2 - CAMPANHA - CFN - OFICIAIS E PRACAS DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme AC2 - CAMPANHA - CFN Categoria OFICIAIS E PRACAS DO CFN Sexo MASCULINO Composição CALÇA CAMUFLADA CAMISETA VERDE-MUSGO CINTO VERDE-MUSGO COTURNOS MARROM DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN EQUIPAMENTO INDIVIDUAL BÁSICO DE COMBATE GANDOLA CAMUFLADA GORRO CAMUFLADO INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE GOLA LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS MEIAS ESPECIAIS TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO Uso EM OPERAÇÕES ANTIGUERRILHAS, ANFÍBIAS E ESPECIAIS, QUANDO AUTORIZADO Observação - Equipamento individual suplementar de combate (quando determinado) - Insígnias de gola (OF. e SO) - Insígnias de braço (SG, CB e SD) - Utilizado por militares de outros Corpos ou Quadros para participação em operações/ exercícios de Forças de FN, quando determinado por autoridade competente.
  • 32. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 26 AC3 - CAMPANHA - CFN - OFICIAIS E PRACAS DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme AC3 - CAMPANHA - CFN Categoria OFICIAIS E PRACAS DO CFN Sexo MASCULINO Composição CALÇA CAMUFLADA CAMISETA VERDE-MUSGO CAPA CAMUFLADA PARA CAPACETE CAPACETE DE AÇO CINTO VERDE-MUSGO COTURNOS DE SELVA DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN EQUIPAMENTO INDIVIDUAL BÁSICO DE COMBATE GANDOLA CAMUFLADA INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE GOLA LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS MEIAS ESPECIAIS TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO Uso EM OPERAÇÕES ANFÍBIAS PELO PESSOAL DO BATALHÃO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS DA TROPA DE REFORÇO E DOS GRUPAMENTOS. REGIONAIS DE BELÉM, LADÁRIO E MANAUS Observação - Equipamento individual suplementar de combate (quando determinado) - Insígnias de gola (OF. e SO) - Insígnias de braço (SG, CB e SD) - Utilizado por militares de outros Corpos ou Quadros para participação em operações/ exercícios de Forças de FN, quando determinado por autoridade competente.
  • 33. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 27 AC4 - CAMPANHA - CFN - OFICIAIS E PRACAS DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme AC4 - CAMPANHA - CFN Categoria OFICIAIS E PRACAS DO CFN Sexo MASCULINO Composição CALÇA CAMUFLADA CAMISETA VERDE-MUSGO CINTO VERDE-MUSGO COTURNOS DE SELVA DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN EQUIPAMENTO INDIVIDUAL BÁSICO DE COMBATE GANDOLA CAMUFLADA GORRO CAMUFLADO INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE GOLA LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS MEIAS ESPECIAIS TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO Uso EM OPERAÇÕES ANFÍBIAS PELO PESSOAL DO BATALHÃO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS DA TROPA DE REFORÇO E DOS GRUPAMENTOS. REGIONAIS DE BELÉM, LADÁRIO E MANAUS Observação - Equipamento individual suplementar de combate (quando determinado) - Insígnias de gola (OF. e SO) - Insígnias de braço (SG, CB e SD) - Utilizado por militares de outros Corpos ou Quadros para participação em operações/ exercícios de Forças de FN, quando determinado por autoridade competente.
  • 34. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 28 PQ1 - SALTO REPRESENTATIVO - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO Identificação do Uniforme PQ1 - SALTO REPRESENTATIVO Categoria OFICIAIS E PRACAS Sexo MASCULINO Composição CAPACETE ENCARNADO PARA SALTO - LIVRE COTURNOS MARROM MACACÃO ENCARNADO PARA SALTO MEIAS ESPECIAIS Uso EM EXIBIÇÃO POR EQUIPES DA MARINHA DE SALTO REPRESENTATIVO Observação - Gorro especial encarnado em substituição ao capacete encarnado para salto-livre. - Para uso no macacão para hidrógrafo, a fita de identificação será confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta preta indelével.
  • 35. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 29 PQ2 - SALTO LIVRE - OFICIAIS E PRACAS - MASCULINO Identificação do Uniforme PQ2 - SALTO LIVRE Categoria OFICIAIS E PRACAS Sexo MASCULINO Composição CAPACETE BRANCO PARA SALTO-LIVRE COTURNOS MARROM MACACÃO PRETO PARA SALTO MEIAS ESPECIAIS Uso EM SALTOS LIVRES E COMPETIÇÕES Observação - Gorro especial preto em substituição ao capacete branco para salto-livre
  • 36. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 30 PQ3 - SALTO SEMI-AUTOMÁTICO - CFN - OFICIAIS DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme PQ3 - SALTO SEMI-AUTOMÁTICO - CFN Categoria OFICIAIS DO CFN Sexo MASCULINO Composição CALÇA CAMUFLADA CAMISETA VERDE-MUSGO CAPACETE BRANCO PARA SALTO-LIVRE CINTO VERDE-MUSGO COTURNOS MARROM FITA DE IDENTIFICAÇÃO GANDOLA CAMUFLADA INSÍGNIAS DE GOLA LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS MEIAS ESPECIAIS TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO Uso EM EXERCÍCIOS DE SALTO SEMI-AUTOMÁTICO Observação
  • 37. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 31 PQ3 - SALTO SEMI-AUTOMÁTICO - CFN - SO/SG DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme PQ3 - SALTO SEMI-AUTOMÁTICO - CFN Categoria SO/SG DO CFN Sexo MASCULINO Composição CALÇA CAMUFLADA CAMISETA VERDE-MUSGO CAPACETE BRANCO PARA SALTO-LIVRE CINTO VERDE-MUSGO COTURNOS MARROM FITA DE IDENTIFICAÇÃO GANDOLA CAMUFLADA INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE GOLA LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS MEIAS ESPECIAIS TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO Uso EM EXERCÍCIOS DE SALTO SEMI-AUTOMÁTICO Observação - Insígnias de gola (SO) - Insígnias de braço (SG)
  • 38. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 32 PQ3 - SALTO SEMI-AUTOMÁTICO - CFN - CB/SD DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme PQ3 - SALTO SEMI-AUTOMÁTICO - CFN Categoria CB/SD DO CFN Sexo MASCULINO Composição CALÇA CAMUFLADA CAMISETA VERDE-MUSGO CAPACETE BRANCO PARA SALTO-LIVRE CINTO VERDE-MUSGO COTURNOS MARROM FITA DE IDENTIFICAÇÃO GANDOLA CAMUFLADA INSÍGNIAS DE BRAÇO LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS MEIAS ESPECIAIS TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO Uso EM EXERCÍCIOS DE SALTO SEMI-AUTOMÁTICO Observação
  • 39. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 33 HN1 - ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E BALIZAMENTO - OFICIAIS E GM - MASCULINO Identificação do Uniforme HN1 - ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E BA Categoria OFICIAIS E GM Sexo MASCULINO Composição GORRO CINZA INSÍGNIAS DE JAPONA MACACÃO PARA HIDRÓGRAFO MEIAS PRETAS SAPATOS PRETOS Uso A BORDO OU NO CAMPO DE DESEMPENHO DOS SERVIÇOS DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E BALIZAMENTO. Observação - Para uso no macacão para hidrógrafo, a fita de identificação será confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta preta indelével. - A critério do Comandante, poderá ser usado o gorro de viagem em substituição ao gorro cinza.
  • 40. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 34 HN1 - ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E BALIZAMENTO - SO/SG - MASCULINO Identificação do Uniforme HN1 - ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E BA Categoria SO/SG Sexo MASCULINO Composição GORRO CINZA INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE JAPONA MACACÃO PARA HIDRÓGRAFO MEIAS PRETAS SAPATOS PRETOS Uso A BORDO OU NO CAMPO DE DESEMPENHO DOS SERVIÇOS DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E BALIZAMENTO. Observação - Insígnias de japona para SO; - Insígnias de braço para SG. - Para uso no macacão para hidrógrafo, a fita de identificação será confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta preta indelével. - A critério do Comandante, poderá ser usado o gorro de viagem em substituição ao gorro cinza.
  • 41. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 35 HN1 - ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E BALIZAMENTO - CB/MN - MASCULINO Identificação do Uniforme HN1 - ATIVIDADES DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E BA Categoria CB/MN Sexo MASCULINO Composição CAXANGÁ INSÍGNIAS DE BRAÇO MACACÃO PARA HIDRÓGRAFO MEIAS PRETAS SAPATOS PRETOS Uso A BORDO OU NO CAMPO DE DESEMPENHO DOS SERVIÇOS DE HIDROGRAFIA, OCEANOGRAFIA E BALIZAMENTO. Observação - Para uso no macacão para hidrógrafo, a fita de identificação será confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta preta indelével. - A critério do Comandante, poderá ser usado o gorro de viagem em substituição ao caxangá.
  • 42. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 36 IN – INSPEÇÃO NAVAL – OFICIAIS - MASCULINO Identificação do Uniforme IN – INSPEÇÃO NAVAL Categoria OFICIAIS Sexo MASCULINO Composição BERMUDA CINZA CAMISA POLO GORRO DE VIAGEM CINTO PRETO MEIA BRANCA DE ALGODÃO TÊNIS BRANCO Uso NAS ATIVIDADES DE INSPEÇÃO NAVAL Observação - Para uso na camisa polo, a fita de identificação será confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta preta indelével. - A critério do Comando, poderá ser utilizada a calça cin- za em substituição à bermuda. - Este uniforme é alternativo aos uniformes OP1 e do grupo VI para as atividades de Inspeção Naval, executa- das pelas Organizações Militares do Sistema de Segu- rança do Tráfego Aquaviário, em regiões ou épocas do ano com temperaturas elevadas.
  • 43. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 37 IN – INSPEÇÃO NAVAL – SO/SG - MASCULINO Identificação do Uniforme IN – INSPEÇÃO NAVAL Categoria SO/SG Sexo MASCULINO Composição BERMUDA CINZA CAMISA POLO GORRO DE VIAGEM CINTO PRETO MEIA BRANCA DE ALGODÃO TÊNIS BRANCO Uso NAS ATIVIDADES DE INSPEÇÃO NAVAL Observação - Para uso na camisa polo, a fita de identificação será confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta preta indelével. - A critério do Comando, poderá ser utilizada a calça em substituição à bermuda. - Este uniforme é alternativo aos uniformes OP1 e do grupo VI para as atividades de Inspeção Naval, executa- das pelas Organizações Militares do Sistema de Segu- rança do Tráfego Aquaviário, em regiões ou épocas do ano com temperaturas elevadas.
  • 44. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 38 IN – INSPEÇÃO NAVAL – CB/MN - MASCULINO Identificação do Uniforme IN – INSPEÇÃO NAVAL Categoria CB/MN Sexo MASCULINO Composição BERMUDA CINZA (SO/SG) BERMUDA MESCLA (CB/MN) CAMISA POLO GORRO DE VIAGEM CINTO PRETO MEIA BRANCA DE ALGODÃO TÊNIS BRANCO Uso NAS ATIVIDADES DE INSPEÇÃO NAVAL Observação - Para uso na camisa polo, a fita de identificação será confeccionada em tecido branco, medindo 125 x 25 mm, contendo o nome de guerra do militar impresso em tinta preta indelével. - A critério do Comando, poderá ser utilizada a calça em substituição à bermuda. - Este uniforme é alternativo aos uniformes OP1 e do grupo VI para as atividades de Inspeção Naval, executa- das pelas Organizações Militares do Sistema de Segu- rança do Tráfego Aquaviário, em regiões ou épocas do ano com temperaturas elevadas.
  • 45. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - OPERATIVO - CAPÍTULO 1.3 - Página 39 CE– CONDUÇÃO EMBARCAÇÃO- JET-SKI – OFICIAIS E PRAÇAS- MASCULINO Identificação do Uniforme CE– CONDUÇÃO EMBARCAÇÃO- JET-SKI Categoria OFICIAIS E PRAÇAS Sexo MASCULINO Composição GORRO DE VIAGEM ROUPA DE NEOPRENE SAPATILHA PARA ESPORTE AQUÁTICO Uso CONDUÇÃO DE JET-SKI NAS ATIVIDADES DE INSPEÇÃO NAVAL Observação .
  • 47. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 1 TÍTULO I NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB CAPÍTULO 1.3 COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS ATIVIDADE DE APOIO O uso e a composição dos Uniformes Especiais da MB são conforme a seguir discriminado. Artigo 1.3.1 Composição e Uso de Uniformes Especiais As peças exclusivas dos uniformes especiais, isto é aquelas que não compõem os uniformes básicos, são normalmente dotação da OM. As exceções serão discriminadas em cada uniforme. Artigo 1.3.2 Posse
  • 48. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 2 SP1 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - OFICIAIS DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO – CFN Categoria OFICIAIS DO CFN Sexo MASCULINO Composição BRAÇADEIRA DE SP CACHECOL CAMUFLADO CALÇA BEGE CAMISA BEGE DE MEIA-MANGA CAPACETE DE FIBRA CINTO BEGE COTURNOS MARROM EQUIPAMENTOS PARA O ARMAMENTO INSÍGNIAS DE GOLA LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS LUVA BRANCA DE CANO LONGO MEIAS ESPECIAIS TIRANTE BRANCO Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS, SEGURANÇA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O coturno marrom deverá ser usado com cadarço branco - A critério da autoridade competente, poderá ser usado cachecol vermelho em substituição ao cachecol camuflado. - O capacete de fibra deverá ser na cor branca. - Os FN lotados nas CiaPol e PelPol usarão o capacete de SP, na cor branca, em substituição ao capacete de fibra. - A critério do Comando, é facultado o uso da camisa be- ge manga longa.
  • 49. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 3 SP1 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - SO/SG DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN Categoria SO/SG DO CFN Sexo MASCULINO Composição BRAÇADEIRA DE SP CACHECOL CAMUFLADO CALÇA BEGE CAMISA BEGE MEIA-MANGA CAPACETE DE FIBRA CINTO BEGE COTURNOS MARROM EQUIPAMENTOS PARA O ARMAMENTO INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE GOLA LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS LUVA BRANCA DE CANO LONGO MEIAS ESPECIAIS TIRANTE BRANCO Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS, SEGURANÇA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O coturno marrom deverá ser usado com cadarço branco - Insígnias de gola para SO - Insígnias de braço para SG - A critério da autoridade competente, poderá ser usado cachecol vermelho em substituição ao cachecol camuflado. - O capacete de fibra deverá ser na cor branca. - Os FN lotados nas CiaPol e PelPol usarão o capacete de SP, na cor branca, em substituição ao capacete de fibra. - A critério do Comando, é facultado o uso da camisa be- ge manga longa.
  • 50. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 4 SP1 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CB/SD DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN Categoria CB/SD DO CFN Sexo MASCULINO Composição BRAÇADEIRA DE SP CACHECOL CAMUFLADO CALÇA BEGE CAMISA BEGE DE MEIA-MANGA CAPACETE DE FIBRA CINTO BEGE COTURNOS MARROM EQUIPAMENTOS PARA O ARMAMENTO INSÍGNIAS DE BRAÇO LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS LUVA BRANCA DE CANO LONGO MEIAS ESPECIAIS TIRANTE BRANCO Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS, SEGURANÇA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O coturno marrom deverá ser usado com cadarço branco - A critério da autoridade competente, poderá ser usado cachecol vermelho em substituição ao cachecol camuflado. - O capacete de fibra deverá ser na cor branca. - Os FN lotados nas CiaPol e PelPol usarão o capacete de SP, na cor branca, em substituição ao capacete de fibra. - A critério do Comando, é facultado o uso da camisa be- ge manga longa.
  • 51. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 5 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 3.4 - OFICIAIS E GM - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 3.4 Categoria OFICIAIS E GM Sexo MASCULINO Composição BONÉ MASCULINO BRANCO PARA OFICIAL BRAÇADEIRA DE SP CALÇA BRANCA CAMISA BRANCA DE MANGA LONGA CINTO BRANCO COLDRE VERDE-MUSGO GRAVATA PRETA VERTICAL INSÍGNIAS DE PUNHO JAQUETÃO AZUL-FERRETE MEIAS PRETAS PERNEIRAS SAPATOS PRETOS TALABARTE VERDE-MUSGO Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira. - Os FN, quando integrando tropa exclusivamente composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços brancos em substituição ao boné masculino branco para oficial com sapatos pretos e perneiras.
  • 52. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 6 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 3.4 - SO/SG - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 3.4 Categoria SO/SG Sexo MASCULINO Composição BONÉ MASCULINO BRANCO PARA SUBOFICIAL E SARGENTO BRAÇADEIRA DE SP CALÇA BRANCA CAMISA BRANCA DE MANGA LONGA CINTO BRANCO COLDRE VERDE-MUSGO GRAVATA PRETA VERTICAL INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE PUNHO JAQUETÃO AZUL-FERRETE MEIAS PRETAS PERNEIRAS SAPATOS PRETOS TALABARTE VERDE-MUSGO Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Insígnias de punho para SO; - Insígnias de braço para SG. - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira. - Os FN, quando integrando tropa exclusivamente composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços brancos em substituição ao boné masculino branco para SO e SG com sapatos pretos e perneiras.
  • 53. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 7 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 3.4 - CB/MN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 3.4 Categoria CB/MN Sexo MASCULINO Composição BRAÇADEIRA DE SP CALÇA BRANCA CAMISETA BRANCA CAXANGÁ CINTO PRETO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO GANDOLA AZUL-FERRETE INSÍGNIAS DE BRAÇO MEIAS PRETAS PERNEIRAS SAPATOS PRETOS Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira. - Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre verde-musgo (conforme determinado)
  • 54. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 8 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.4 - OFICIAIS E GM - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.4 Categoria OFICIAIS E GM Sexo MASCULINO Composição BONÉ MASCULINO BRANCO PARA OFICIAL BRAÇADEIRA DE SP CALÇA AZUL-FERRETE CAMISA BRANCA DE MANGA LONGA CINTO PRETO COLDRE VERDE-MUSGO GRAVATA PRETA VERTICAL INSÍGNIAS DE PUNHO JAQUETÃO AZUL-FERRETE MEIAS PRETAS PERNEIRAS SAPATOS PRETOS TALABARTE VERDE-MUSGO Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira. - Os FN, quando integrando tropa exclusivamente composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços brancos em substituição ao boné masculino branco para oficial com sapatos pretos e perneiras.
  • 55. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 9 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.4 - SO/SG - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.4 Categoria SO/SG Sexo MASCULINO Composição BONÉ MASCULINO BRANCO PARA SUBOFICIAL E SARGENTO BRAÇADEIRA DE SP CALÇA AZUL-FERRETE CAMISA BRANCA DE MANGA LONGA CINTO PRETO COLDRE VERDE-MUSGO GRAVATA PRETA VERTICAL INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE PUNHO JAQUETÃO AZUL-FERRETE MEIAS PRETAS PERNEIRAS SAPATOS PRETOS TALABARTE VERDE-MUSGO Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Insígnias de punho para SO; - Insígnias de braço para SG. - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira. - Os FN, quando integrando tropa exclusivamente composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços brancos em substituição ao boné masculino branco para SO e SG com sapatos pretos e perneiras.
  • 56. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 10 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.4 - CB/MN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.4 Categoria CB/MN Sexo MASCULINO Composição BRAÇADEIRA DE SP CALÇA AZUL-FERRETE CAMISETA BRANCA CAXANGÁ CINTO PRETO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO GANDOLA AZUL-FERRETE INSÍGNIAS DE BRAÇO MEIAS PRETAS PERNEIRAS SAPATOS PRETOS Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre verde-musgo (conforme determinado) - Exceto CFN - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e- lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a- presentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira.
  • 57. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 11 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.6 - OFICIAIS E GM - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.6 Categoria OFICIAIS E GM Sexo MASCULINO Composição BONÉ MASCULINO BRANCO PARA OFICIAL BRAÇADEIRA DE SP CALÇA AZUL-FERRETE CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA COM PASSADORES CAMISETA BRANCA CINTO PRETO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO MEIAS PRETAS PERNEIRAS PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO PLATINAS SAPATOS PRETOS Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira. - Os FN, quando integrando tropa exclusivamente composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços brancos em substituição ao boné masculino branco para oficial com sapatos pretos e perneiras.
  • 58. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 12 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.6 - SO/SG - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.6 Categoria SO/SG Sexo MASCULINO Composição BONÉ MASCULINO BRANCO PARA SUBOFICIAL E SARGENTO BRAÇADEIRA DE SP CALÇA AZUL-FERRETE CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA SEM PASSADORES CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA COM PASSADORES CAMISETA BRANCA CINTO PRETO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO INSÍGNIAS DE BRAÇO MEIAS PRETAS PERNEIRAS PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO PLATINAS SAPATOS PRETOS Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Platinas para SO; - Insígnias de braço para SG. - Camisa branca de meia manga com passadores para SO - Camisa branca de meia-manga sem passadores para SG - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira. - Os FN, quando integrando tropa exclusivamente composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços brancos em substituição ao boné masculino branco para SO e SG com sapatos pretos e perneiras.
  • 59. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 13 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.6 - CB/MN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 4.6 Categoria CB/MN Sexo MASCULINO Composição BRAÇADEIRA DE SP CALÇA AZUL-FERRETE CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA SEM PASSADORES CAMISETA BRANCA CAXANGÁ CINTO PRETO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO INSÍGNIAS DE BRAÇO MEIAS PRETAS PERNEIRAS PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO SAPATOS PRETOS Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre verde-musgo (conforme determinado) - Exceto CFN - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e- lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a- presentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira.
  • 60. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 14 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.4 - OFICIAIS E GM - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.4 Categoria OFICIAIS E GM Sexo MASCULINO Composição BONÉ MASCULINO BRANCO PARA OFICIAL BRAÇADEIRA DE SP CALÇA BRANCA CAMISETA BRANCA CINTO BRANCO COLDRE VERDE-MUSGO DÓLMÃ BRANCO COM PASSADORES MEIAS PRETAS PERNEIRAS PLATINAS SAPATOS PRETOS TALABARTE VERDE-MUSGO Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira. - Os FN, quando integrando tropa exclusivamente composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços brancos em substituição ao boné masculino branco para oficial com sapatos pretos e perneiras.
  • 61. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 15 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.4 - SO/SG - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.4 Categoria SO/SG Sexo MASCULINO Composição BONÉ MASCULINO BRANCO PARA SUBOFICIAL E SARGENTO BRAÇADEIRA DE SP CALÇA BRANCA CAMISETA BRANCA CINTO BRANCO COLDRE VERDE-MUSGO DÓLMÃ BRANCO SEM PASSADORES DÓLMÃ BRANCO COM PASSADORES INSÍGNIAS DE BRAÇO MEIAS PRETAS PERNEIRAS PLATINAS SAPATOS PRETOS TALABARTE VERDE-MUSGO Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Dólmã branco com passadores para SO - Dólmã branco sem passadores para SG - Platinas para SO - Insígnias de braço para SG - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira. - Os FN, quando integrando tropa exclusivamente composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços brancos em substituição ao boné masculino branco para oficial com sapatos pretos e perneiras.
  • 62. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 16 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.4 - CB/MN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.4 Categoria CB/MN Sexo MASCULINO Composição BRAÇADEIRA DE SP CALÇA BRANCA CAMISETA BRANCA CAXANGÁ CINTO PRETO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO GANDOLA BRANCA INSÍGNIAS DE BRAÇO MEIAS PRETAS PERNEIRAS SAPATOS PRETOS Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre verde-musgo (conforme determinado) - Exceto CFN - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e- lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a- presentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira.
  • 63. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 17 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6 - OFICIAIS E GM - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6 Categoria OFICIAIS E GM Sexo MASCULINO Composição BONÉ MASCULINO BRANCO PARA OFICIAL BRAÇADEIRA DE SP CALÇA BRANCA CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA COM PASSADORES CAMISETA BRANCA CINTO BRANCO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO MEIAS PRETAS PERNEIRAS PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO PLATINAS SAPATOS PRETOS Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira. - Os FN, quando integrando tropa exclusivamente composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços brancos em substituição ao boné masculino branco para oficial com sapatos pretos e perneiras.
  • 64. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 18 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6 - SO/SG - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6 Categoria SO/SG Sexo MASCULINO Composição BONÉ MASCULINO BRANCO PARA SUBOFICIAL E SARGENTO BRAÇADEIRA DE SP CALÇA BRANCA CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA COM PASSADORES CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA SEM PASSADORES CAMISETA BRANCA CINTO BRANCO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO INSÍGNIAS DE BRAÇO MEIAS PRETAS PERNEIRAS PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO PLATINAS SAPATOS PRETOS Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Platinas para SO - Insígnias de braço para SG - Camisa branca meia-manga com passadores para SO - Camisa branca meia-manga sem passadores para SG - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira. - Os FN, quando integrando tropa exclusivamente composta pelo pessoal do CFN, utilizarão o capacete de fibra, na cor branca, com coturnos marrom e cadarços brancos em substituição ao boné masculino branco para SO e SG com sapatos pretos e perneiras.
  • 65. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 19 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6 - CB/MN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6 Categoria CB/MN Sexo MASCULINO Composição BRAÇADEIRA DE SP CALÇA BRANCA CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA SEM PASSADORES CAMISETA BRANCA CAXANGÁ CINTO PRETO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO INSÍGNIAS DE BRAÇO MEIAS PRETAS PERNEIRAS PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO SAPATOS PRETOS Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira. - Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre verde-musgo (conforme determinado)
  • 66. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 20 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6 - CB/SD DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 5.6 Categoria CB/SD DO CFN Sexo MASCULINO Composição BRAÇADEIRA DE SP CALÇA BRANCA CAMISA BRANCA DE MEIA-MANGA SEM PASSADORES CAMISETA BRANCA CAPACETE DE FIBRA CINTO PRETO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO COTURNOS MARROM INSÍGNIAS DE BRAÇO MEIAS PRETAS PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O coturno marrom deverá ser usado com cadarços brancos - Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre verde-musgo (conforme determinado) - Os FN, quando integrantes de escoltas mistas de militares de outros Corpos e Quadros, deverão utilizar o gorro branco CFN, sapatos pretos e perneiras. - O capacete de fibra deverá ser na cor branca.
  • 67. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 21 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.3 - OFICIAIS E GM - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.3 Categoria OFICIAIS E GM Sexo MASCULINO Composição BONÉ MASCULINO CINZA PARA OFICIAL BRAÇADEIRA DE SP CALÇA CINZA CAMISA CINZA MANGA LONGA CINTO PRETO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO GRAVATA PRETA VERTICAL INSÍGNIAS DE GOLA MEIAS PRETAS PERNEIRAS PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO SAPATOS PRETOS Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e- lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a- presentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira.
  • 68. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 22 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.3 - SO/SG - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.3 Categoria SO/SG Sexo MASCULINO Composição BONÉ MASCULINO CINZA PARA SUBOFICIAL E SARGENTO BRAÇADEIRA DE SP CALÇA CINZA CAMISA CINZA MANGA LONGA CINTO PRETO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO GRAVATA PRETA VERTICAL INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE GOLA MEIAS PRETAS PERNEIRAS PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO SAPATOS PRETOS Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Insígnias de gola para SO; - Insígnias de braço para SG. - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e- lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a- presentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira.
  • 69. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 23 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.3 - CB/MN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.3 Categoria CB/MN Sexo MASCULINO Composição BRAÇADEIRA DE SP CALÇA AZUL-MESCLA CAMISA AZUL-MESCLA DE MANGA-LONGA CAMISETA BRANCA CAXANGÁ CINTO PRETO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO INSÍGNIAS DE BRAÇO MEIAS PRETAS PERNEIRAS PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO SAPATOS PRETOS Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre verde-musgo (conforme determinado) - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um elástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa apresentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira. - Os CB/SD do CFN deverão usar o SP1-CFN
  • 70. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 24 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.4 - OFICIAIS E GM - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.4 Categoria OFICIAIS E GM Sexo MASCULINO Composição BARRETA BRAÇADEIRA DE SP CALÇA CINZA CAMISA CINZA DE MEIA-MANGA CINTO PRETO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO GORRO CINZA INSÍGNIA DE GOLA INSÍGNIA DE GORRO MEIAS PRETAS PERNEIRAS PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO SAPATOS PRETOS Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e- lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a- presentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira.
  • 71. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 25 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.4 - SO/SG - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.4 Categoria SO/SG Sexo MASCULINO Composição BARRETA BRAÇADEIRA DE SP CALÇA CINZA CAMISA CINZA DE MEIA-MANGA CINTO PRETO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO GORRO CINZA INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE GOLA INSIGNIA DE GORRO MEIAS PRETAS PERNEIRAS PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO SAPATOS PRETOS Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Insígnias de gola e gorro para SO - Insígnias de braço para SG - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e- lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a- presentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira.
  • 72. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 26 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.4 - CB/MN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.4 Categoria CB/MN Sexo MASCULINO Composição BRAÇADEIRA DE SP CALÇA AZUL-MESCLA CAMISA AZUL-MESCLA DE MEIA-MANGA CAMISETA BRANCA CAXANGÁ CINTO PRETO CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO INSÍGNIAS DE BRAÇO MEIAS PRETAS PERNEIRAS PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO SAPATOS PRETOS Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre verde-musgo (conforme determinado) - O uso da perneira deverá ser acompanhado de um e- lástico para fixar a barra da calça e permitir uma boa a- presentação. A barra da calça não deverá ser colocada para dentro da perneira.
  • 73. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 27 SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.4 - CB/SD DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP1 - ESCOLTA - UNIFORME 6.5 Categoria CB/SD DO CFN Sexo MASCULINO Composição BRAÇADEIRA DE SP CALÇA BEGE CAMISA BEGE DE MEIA-MANGA CAMISETA BRANCA CAPACETE DE FIBRA CINTO BEGE CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO COTURNOS MARROM DISTINTIVO DE GOLA DISTINTIVOS INSÍGNIAS DE BRAÇO MEIAS PRETAS PLAQUETA DE IDENTIFICAÇÃO Uso NOS SERVIÇOS DE POLICIAMENTO, ESCOLTAS E SEGURANÇA Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O coturno marrom deverá ser usado com cadarço branco - Poderá ser usado porta-sabre em substituição ao coldre verde-musgo (conforme determinado) - Os FN, quando integrantes de escoltas mistas de militares de outros Corpos e Quadros, deverão utilizar o gorro bege CFN, sapatos pretos e perneiras. - A critério do Comando, é facultado o uso da camisa be- ge manga longa.
  • 74. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 28 SP2 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - OFICIAIS DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP2 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN Categoria OFICIAIS DO CFN Sexo MASCULINO Composição BRAÇADEIRA DE SP CALÇA CAMUFLADA CAMISETA VERDE-MUSGO CAPACETE DE FIBRA CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO COTURNOS MARROM DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN FITA DE IDENTIFICAÇÃO GANDOLA CAMUFLADA INSÍGNIAS DE GOLA LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS MEIAS ESPECIAIS TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO TIRANTE ENCARNADO Uso PARA OS SERVIÇOS EXTERNOS DE GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO, INTERNA OU EXTERNAMENTE, QUANDO. DETERMINADO PELA AUTORIDADE COMPETENTE Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O capacete de fibra deverá ser na cor verde-musgo - Poderá ser utilizado o capacete balístico em substitui- ção ao capacete de fibra - Os FN lotados nas CiaPol e PelPol poderão, quando autorizados, usar o capacete de SP, na cor verde-musgo, em substituição ao capacete balístico
  • 75. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 29 SP2 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - SO/SG DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP2 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN Categoria SO/SG DO CFN Sexo MASCULINO Composição BRAÇADEIRA DE SP CALÇA CAMUFLADA CAMISETA VERDE-MUSGO CAPACETE DE FIBRA CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO COTURNOS MARROM GANDOLA CAMUFLADA DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN FITA DE IDENTIFICAÇÃO INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE GOLA LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS MEIAS ESPECIAIS TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO TIRANTE ENCARNADO Uso PARA OS SERVIÇOS EXTERNOS DE GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO, INTERNA OU EXTERNAMENTE, QUANDO. DETERMINADO PELA AUTORIDADE COMPETENTE Observação - Insígnias de gola para SO - Insígnias de braço para SG - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O capacete de fibra deverá ser na cor verde-musgo - Poderá ser utilizado o capacete balístico em substitui- ção ao capacete de fibra - Os FN lotados nas CiaPol e PelPol poderão, quando autorizados, usar o capacete de SP, na cor verde-musgo, em substituição ao capacete balístico
  • 76. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 30 SP2 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CB/SD DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP2 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN Categoria CB/SD DO CFN Sexo MASCULINO Composição BRAÇADEIRA DE SP CALÇA CAMUFLADA CAMISETA VERDE-MUSGO CAPACETE DE FIBRA CINTO VERDE-MUSGO COLDRE VERDE-MUSGO COTURNOS MARROM DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DO CFN FITA DE IDENTIFICAÇÃO GANDOLA CAMUFLADA INSÍGNIAS DE BRAÇO LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS MEIAS ESPECIAIS TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO TIRANTE ENCARNADO Uso PARA OS SERVIÇOS EXTERNOS DE GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO, INTERNA OU EXTERNAMENTE, QUANDO. DETERMINADO PELA AUTORIDADE COMPETENTE Observação - Poderá ser utilizada a braçadeira em substituição à braçadeira de SP - O capacete de fibra deverá ser na cor verde-musgo - Poderá ser utilizado o capacete balístico em substitui- ção ao capacete de fibra - Os FN lotados nas CiaPol e PelPol poderão, quando autorizados, usar o capacete de SP, na cor verde-musgo, em substituição ao capacete balístico
  • 77. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 31 SP3 - GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN - OFICIAIS DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP3 - GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN Categoria OFICIAIS DO CFN Sexo MASCULINO Composição APITO DE TRÂNSITO BOTAS DE MOTOCICLISTA BRAÇADEIRA DE SP CACHECOL CAMUFLADO CALÇA BEGE CAMISA BEGE DE MEIA-MANGA CAPACETE PARA MOTOCICLISTA CINTO BEGE EQUIPAMENTOS PARA O ARMAMENTO INSÍGNIAS DE GOLA JAQUETA DE MOTOCICLISTA LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS LUVAS PARA MOTOCICLISTA MEIAS ESPECIAIS ÓCULOS DE MOTOCICLISTA TIRANTE BRANCO Uso PARA ESCOLTAS, POR BATEDORES, QUANDO DETERMINADO PELA AUTORIDADE COMPETENTE Observação - Jaqueta de motociclista (quando autorizado) - A critério da autoridade competente, poderá ser usado o cachecol vermelho em substituição ao cachecol camufla- do. - A critério do Comando, é facultado o uso da camisa be- ge manga longa.
  • 78. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 32 SP3 - GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN - SO/SG DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP3 - GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN Categoria SO/SG DO CFN Sexo MASCULINO Composição APITO DE TRÂNSITO BOTAS DE MOTOCICLISTA BRAÇADEIRA DE SP CACHECOL CAMUFLADO CALÇA BEGE CAMISA BEGE DE MEIA-MANGA CAPACETE PARA MOTOCICLISTA CINTO BEGE EQUIPAMENTOS PARA O ARMAMENTO INSÍGNIAS DE BRAÇO INSÍGNIAS DE GOLA JAQUETA DE MOTOCICLISTA LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS LUVAS PARA MOTOCICLISTA MEIAS ESPECIAIS ÓCULOS DE MOTOCICLISTA TIRANTE BRANCO Uso PARA ESCOLTAS, POR BATEDORES, QUANDO DETERMINADO PELA AUTORIDADE COMPETENTE Observação - Insígnias de gola para SO - Insígnias de braço para SG - Jaqueta de motociclista (quando autorizado) - A critério da autoridade competente, poderá ser usado o cachecol vermelho em substituição ao cachecol camufla- do. - A critério do Comando, é facultado o uso da camisa be- ge manga longa.
  • 79. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 33 SP3 - GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN - CB/SD DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP3 - GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN Categoria CB/SD DO CFN Sexo MASCULINO Composição APITO DE TRÂNSITO BOTAS DE MOTOCICLISTA BRAÇADEIRA DE SP CACHECOL CAMUFLADO CALÇA BEGE CAMISA BEGE DE MEIA MANGA CAPACETE PARA MOTOCICLISTA CINTO BEGE EQUIPAMENTOS PARA O ARMAMENTO INSÍGNIAS DE BRAÇO JAQUETA DE MOTOCICLISTA LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS LUVAS PARA MOTOCICLISTA MEIAS ESPECIAIS ÓCULOS DE MOTOCICLISTA TIRANTE BRANCO Uso PARA ESCOLTAS, POR BATEDORES, QUANDO DETERMINADO PELA AUTORIDADE COMPETENTE Observação - Jaqueta de motociclista (quando autorizado) - A critério da autoridade competente, poderá ser usado o cachecol vermelho em substituição ao cachecol camufla- do. - A critério do Comando, é facultado o uso da camisa be- ge manga longa.
  • 80. MARINHA DO BRASIL - SECRETARIA-GERAL DA MARINHA Regulamento de Uniformes (RUMB) - VOLUME II - Normas Complementares sobre os Uniformes Especiais da MB TÍTULO I - NORMAS COMPLEMENTARES, COMPOSIÇÃO USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS DA MB COMPOSIÇÃO, USO E POSSE DOS UNIFORMES ESPECIAIS - CAPÍTULO 1.3 – ATIVIDADE DE APOIO - Página 34 SP4 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - OFICIAIS DO CFN - MASCULINO Identificação do Uniforme SP4 - ESCOLTA, GUARDA E ORIENTAÇÃO DE TRÂNSITO - CFN Categoria OFICIAIS DO CFN Sexo MASCULINO Composição APITO DE TRÂNSITO BOTAS DE MOTOCICLISTA BRAÇADEIRA DE SP CAMISETA VERDE-MUSGO CAPACETE PARA MOTOCICLISTA CINTO VERDE-MUSGO CINTO VERDE-MUSGO PARA SERVIÇO COLDRE VERDE-MUSGO DISTINTIVO DE IDENTIFICAÇÃO DA CFN FITA DE IDENTIFICAÇÃO INSÍGNIAS DE GOLA JAQUETA DE MOTOCICLISTA LIGAS ELÁSTICAS PARA PANTURRILHAS LUVAS PARA MOTOCICLISTA MACACÃO CAMUFLADO MEIAS ESPECIAIS TARJETA DE IDENTIFICAÇÃO Uso PARA ESCOLTAS, POR BATEDORES E EM MISSÕES DE ROTINA Observação - As luvas para motociclista deverão ser na cor marrom. - Jaqueta de motociclista (quando autorizado)