SlideShare uma empresa Scribd logo
Open Virtualization

       Virtualização em Software Livre



                                                   Frederico Madeira
                                                 LPIC­1, LPIC­2, CCNA
                                                 fred@madeira.eng.br
                                                  www.madeira.eng.br

2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
O que é Virtualização ?



“É um termo que se refere a criação de máquinas virtuais que se comportam com se fosse
um computador real. O software executado nesta máquina virtual é separado do hardware
real da máquina.”
                                                                            Wikipedia

“É um termo amplo da computação que se refere a capacidade de executar software,
comumente, sistemas operacionais, concorrentemente e isolados de outros programas do
sistema.”
                                          Red Hat Enterprise Linux 5Virtualization Guide


“É a criação de substitutos flexíveis para recursos reais — substitutos que têm as mesmas
funções e interfaces externas que seus equivalentes reais, mas diferem em atributos
como tamanho, desempenho e custo. Esses substitutos são denominados recursos
virtuais; seus usuários geralmente não têm conhecimento da substituição.”

                            IBM DeveloperWorks: Hypervisores, virtualização e a nuvem


2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Por que Virtualizar ?



➔   Consolidação de Servidores (redução do número físico de servidores)

➔   Menor Complexidade em infra-estrutura física

➔   Rápido aprovisionamento de novos servidores

➔   Recuperação de desastres

➔   Redução de Custo

    ➔   Com Hardware: contratos de manutenção, upgrades, aquisições
    ➔   Energia
    ➔   Espaço
    ➔   Tempo de instalação
    ➔   Gerenciamento
    ➔   Produtividade do administrador aumentada




2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Hypervisors



➔   Os hypervisors são componentes de software ou firmware que podem
    virtualizar recursos do sistema.


➔   A virtualização geralmente é implementada através de um Hypervisor


➔   Também chamado de Virtual Machine Monitor (Monitor de Máquina Virtual)
    ou VMM


➔   Oferecem uma forma conveniente de usar o mesmo hardware do computador
    físico para outras tarefas diferentes


➔   Os hypervisors não são iguais, mas todos oferecem recursos semelhantes




2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Tipos de Hypervisors


➔   Tipo 1

    ➔   Funcionam diretamente no HW
    ➔   Chamados de HardV
    ➔   Recomendados para servidores de produção
    ➔   Pode ser carregado via pendrive
    ➔   Baixo overhead

➔   Tipo 2

    ➔   Funcionam sobre um sistema operacional host e oferecem o serviço de
        virtualização
    ➔   Chamados de SoftV
    ➔   Não recomendado para servidores de produção
    ➔   Normalmente utilizados como porta de entrada para a virtualização
    ➔   Alto overhead, pois o SO Host consome recursos do Hw

➔   Temos outros tipos de virtualização, mas para escopo deste trabalho, não foram
    descritos aqui


2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Tipos de Hypervisors




2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Exemplo de Hypervisors



➔   PowerVM: Um recurso dos servidores IBM POWER5, POWER6 e POWER7,
    suporte fornecido por IBM i, AIX®e Linux®.
    http://www-03.ibm.com/systems/power/software/virtualization/index.html

➔   VMware ESX Server (vSphere): Hypervisor integrado "do zero", os
    hypervisores de software empresariais da VMware ESX funcionam
    diretamente no hardware do servidor sem a necessidade de outro sistema
    operacional subjacente.
    http://www.vmware.com/products/datacenter-virtualization/vsphere/index.html


➔   Xen (Citrix): Os sistemas do Xen têm uma estrutura com o hypervisor Xen
    como a camada mais baixa e mais privilegiada.
    http://www.citrix.com/products/xenserver/overview.html




2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Exemplo de Hypervisors




➔   KVM: Estrutura de virtualização para Linux kernel, o KVM suporta a
    virtualização nativa em processadores com extensões de virtualização de
    hardware (Intel VT ou AMD-V). O KVM é nativo no kernel do linux a partir da
    versão 2.6.20.
    http://www.linux-kvm.org/page/Main_Page


➔   z/VM: Versão atual dos sistemas operacionais de máquina virtual da IBM, o
    z/VM funciona no zSeries da IBM e pode ser usado para suportar uma grande
    quantidade (milhares) de máquinas virtuais Linux.
    http://www.vm.ibm.com/




2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Funcionalidades desejadas em um
                                 Hypervisor

➔   Desempenho da máquina virtual

     Os sistemas virtuais deveriam ter desempenho similar ou superior aos seus
     equivalentes, pelo menos em relação aos aplicativos dentro cada servidor.
     Qualquer coisa além dessa referência é lucro.

➔   Gerenciamento de memória

➔   Alta disponibilidade

     Cada grande fornecedor tem sua própria solução de alta disponibilidade e a
     maneira como cada um atinge isso pode ser bem diferente, variando desde
     métodos minimalistas até muito complexos

➔   Migração ativa

     Migração ativa em diferentes plataformas e a capacidade de migrar
     simultaneamente duas ou mais VMs


2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Funcionalidades desejadas em um
                                 Hypervisor

➔   Redes, armazenamento e segurança

     Em rede, os hypervisors devem suportar agrupamento de cartões de
     interface de rede (NICs) e balanceamento de carga, isolamento Unicast e
     suporte para o entroncamento de rede de área local virtual (VLAN) padrão
     (802.1Q).
     Em armazenamento, devem suportar armazenamento em rede iSCSI e
     Fibre Channel

➔   Recursos de gerenciamento

     Devem oferecer recursos de trap do Simple Network Management Protocol
     (SNMP), integração com outros softwares de gerenciamento e tolerância a
     falhas do servidor de gerenciamento.
     Interface para o gerenciamento da solução




2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
KVM – Kernel-based Virtual Machine



➔   É um módulo do kernel Linux que transforma o Linux em um hypervisor

➔   Requer extensões de virtualização da CPU

     # grep -E 'svm|vmx' /proc/cpuinfo

    onde svm(AMD) e vmx(Intel)

➔   Possui performance competitiva em relação aos outros hypervisors e é rico
    em funcionalidades

➔   Possui sistema avançado de gerenciamento de memória

➔   Bastante integrado ao kernel Linux.




2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
KVM – Kernel-based Virtual Machine



➔   Um hypervisor necessita de:

    ➔   Gerenciamento de memória e um escalonador
    ➔   I/O stack
    ➔   Device drivers
    ➔   Gerenciamento de pilha
    ➔   Rede

➔   O linux é reconhecidamente eficiente em todas as tarefas acima, então por
    que reinventar a roda ?

➔   Reuso do código linux sempre que possível




2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
KVM – Arquitetura




                                 ➔   Guest OS, executado no user-space

                                 ➔   Cada Guest OS representa um único
                                     processo no Host OS.

                                 ➔   O hypervisor é um módulo carregado no
                                     kernel como qualquer outro.

                                 ➔   A CPU provê suporte a virtualização

                                 ➔   A memória é virtualizada através do
                                     módulo KVM

                                 ➔   O I/O e demais recursos de hardware
                                     como disco, rede são virtualizados
                                     através do QEMU



2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Libvirt – Virtualization Library

➔   É uma API Linux para virtualização que suporta diversos hypervisors como
    Xen, KVM, QEMU, OpenVZ, etc.


➔   Biblioteca para gerenciamento de sistemas operacionais Guest “hypervisor-
    agnostic”


➔   Representa apenas a API sobre a qual devem ser desenvolvidas ferramentas
    para gerenciamento das máquinas virtuais


➔   Originalmente desenvolvida para gerenciamento do Xen, mas estendida para
    outros hypervisors


➔   Controla tanto hypervisors locais como remotos, através de protocolos
    seguros como TLS e Kerberos

➔   Na parte de rede, suporta bridging, bondig, vlans

2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Libvirt – Virtualization Library




 Gerenciamento Local                 Gerenciamento Remoto




2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Ferramentas

➔   Graças a as API's do libvirt, temos diversas ferramentas para gerenciamento
    de nosso ambiente virtualizado.

    ➔   virsh: Ferramenta de linha de comando que oferece um shell interativo e
        uma ferramenta de scipting batch para gerenciamento de todos os
        domínios libvirt, rede e armazenamento

    ➔   virt-top: Verifique a utilização de CPU, memória e disco de todas as
        máquians virtuais que estão rodando em um host

    ➔   virt-install: Fornece uma interface para criação de novas máquinas
        virtuais. Suporta instalação a partir de imagens locais de CD/DVD ou via
        rede através de NFS, HTTP e FTP

    ➔   Virt-manager: Ferramenta de gerenciamento de máquinas virtuais.
        Permite o gerenciamento de VM's tanto na máquina local como em
        máquinas remotas, efetuando conexões a seus hipervisors. Direcionada
        para utilização em casa e pequenos escritórios, gerencia até 20 hosts e
        suas máquinas virtuais

➔   Lista completa em: http://libvirt.org/apps.html#configmgmt
2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Ferramentas - Virsh




2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Ferramentas - virt-manager




                        Fonte: http://wiki.deimos.fr/KVM_:_Mise_en_place_de_KVM
2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
oVirt


➔   Definido como uma plataforma de gerenciamento para datacenter
    virtual para:

    Provisionar, gerenciar, e monitorar hosts, hypervisors,
            máquinas virtuais, storage e network

➔   É um projeto do Open Virtualization project

➔   Open Source

➔   Baseado em virtualização linux KVM

➔   É um servidor rico em funcionalidades, oferecendo diversas funcionalidades
    encontradas apenas nas soluções de mercado como VmWare, Citrix,
    alternativa ou vCenter/vSphere

➔   Base de solução de virtualização da RedHat

➔   Provê imagem de instalação para o nó oVirt
2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Ovirt - Funcionalidades


  ➔   High availability para prover tolerância a falhas

  ➔   Live migration para mover hosts entre máquinas físicas sem
      interrupção

  ➔   Storage management

  ➔   System scheduler onde          é   possível   criar   políticas   para
      balanceamento dos recursos

  ➔   Image Engine para criar, gerenciar e provisionar máquinas virtuais

  ➔   Storage Virtualization     para garantir acesso a storage de
      qualquer servidor

  ➔   Compatível com Glustefs


2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Ovirt - Arquitetura




2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Ovirt - Dashboard




2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Ovirt - Comparativo




                                       ➔   Solução de virtualização da
                                           RedHat é baseada em KVM e oVirt


                                       ➔   Segundo lugar frente a soluções
                                           conhecidas de mercado


                                       ➔   Fonte: http://bit.ly/virtshootout




2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Dúvidas




2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
Referências

● Hypervisores, virtualização e a nuvem, disponível em:
http://www.ibm.com/developerworks/br/cloud/library/cl-hypervisorcompare/

● Virtualização, verbete wikipedia, disponível em:
http://en.wikipedia.org/wiki/Virtualization

● Red Hat Enterprise Linux 5, Admin Guide, disponível em:
https://access.redhat.com/knowledge/docs/en-US/Red_Hat_Enterprise_Linux/5/html/Virtualizatio

●   Virtualization – The Beguines guide, McGraw Hill

●   Dez benefícios da virtualização e consolidação de servidores. Disponível em:
    http://www.a2f.com.br/blog/consolidacao-e-virtualizacao/10-beneficios-da-consolidacao-e-virtua

●   Discover       the      Linux        Kernel          Virtual          Machine         -
    http://www.ibm.com/developerworks/linux/library/l-linux-kvm/

●   Anatomy          of       the        libvirt         virtualization         library       -
    http://www.ibm.com/developerworks/linux/library/l-libvirt/

● Virtualization shoot-out: Citrix, Microsoft, Red Hat, and Vmware
http://www.infoworld.com/d/virtualization/virtualization-shoot-out-citrix-microsoft-red-hat-and-vmw
    2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 3 (alta disponibilidade)
Aula 3 (alta disponibilidade)Aula 3 (alta disponibilidade)
Aula 3 (alta disponibilidade)
Evandro Júnior
 
Alta Disponibilidade
Alta DisponibilidadeAlta Disponibilidade
Alta Disponibilidade
elliando dias
 
SI - Processos, Threads, Virtualização e Migração de Código
SI - Processos, Threads, Virtualização e Migração de CódigoSI - Processos, Threads, Virtualização e Migração de Código
SI - Processos, Threads, Virtualização e Migração de Código
Frederico Madeira
 
Monitoramento de Redes com Nagios
Monitoramento de Redes com NagiosMonitoramento de Redes com Nagios
Monitoramento de Redes com Nagios
Daniel Lara
 
Análise de segurança e hacking de containers Docker - Fernando Silva - Tcheli...
Análise de segurança e hacking de containers Docker - Fernando Silva - Tcheli...Análise de segurança e hacking de containers Docker - Fernando Silva - Tcheli...
Análise de segurança e hacking de containers Docker - Fernando Silva - Tcheli...
Tchelinux
 
tutorial nagios
tutorial nagiostutorial nagios
tutorial nagios
André Luiz Cunha
 
DevOps e redes -- SDN NFV e Docker
DevOps e redes -- SDN NFV e DockerDevOps e redes -- SDN NFV e Docker
DevOps e redes -- SDN NFV e Docker
Lucas Arbiza
 
Introdução à plataforma Docker
Introdução à plataforma DockerIntrodução à plataforma Docker
Introdução à plataforma Docker
MOSS Open Source Services
 
Docker - Tutorial for beginners
Docker - Tutorial for beginnersDocker - Tutorial for beginners
Docker - Tutorial for beginners
Rafael Chiavegatto
 
Administração de Redes Linux - I
Administração de Redes Linux - IAdministração de Redes Linux - I
Administração de Redes Linux - I
Marcelo Barros de Almeida
 
Nagios
NagiosNagios
Containers em produção!
Containers em produção!Containers em produção!
Containers em produção!
Evandro Couto
 
Introdução a Containers Docker
Introdução a Containers DockerIntrodução a Containers Docker
Introdução a Containers Docker
Matheus Fidelis
 
Docker | Meetspark - #2
Docker | Meetspark - #2Docker | Meetspark - #2
Docker | Meetspark - #2
Lucas Martins
 
Monitoração com Nagios
Monitoração com NagiosMonitoração com Nagios
Monitoração com Nagios
Cristiano Casado
 
Alta disponibilidade em ambiente GNU/Linux
Alta disponibilidade em ambiente GNU/LinuxAlta disponibilidade em ambiente GNU/Linux
Alta disponibilidade em ambiente GNU/Linux
Mario Bittencourt
 
Oficina de Squid: Filtros Inteligentes
 Oficina de Squid: Filtros Inteligentes Oficina de Squid: Filtros Inteligentes
Oficina de Squid: Filtros Inteligentes
Thiago Finardi
 
Estou seguro com no sql
Estou seguro com no sqlEstou seguro com no sql
Estou seguro com no sql
Rafael Redondo
 
Docker - minicurso utfpr 2017
Docker -  minicurso utfpr 2017Docker -  minicurso utfpr 2017
Docker - minicurso utfpr 2017
Fabio Janiszevski
 
Introdução ao docker
Introdução ao dockerIntrodução ao docker
Introdução ao docker
Hugo Leonardo Costa e Silva
 

Mais procurados (20)

Aula 3 (alta disponibilidade)
Aula 3 (alta disponibilidade)Aula 3 (alta disponibilidade)
Aula 3 (alta disponibilidade)
 
Alta Disponibilidade
Alta DisponibilidadeAlta Disponibilidade
Alta Disponibilidade
 
SI - Processos, Threads, Virtualização e Migração de Código
SI - Processos, Threads, Virtualização e Migração de CódigoSI - Processos, Threads, Virtualização e Migração de Código
SI - Processos, Threads, Virtualização e Migração de Código
 
Monitoramento de Redes com Nagios
Monitoramento de Redes com NagiosMonitoramento de Redes com Nagios
Monitoramento de Redes com Nagios
 
Análise de segurança e hacking de containers Docker - Fernando Silva - Tcheli...
Análise de segurança e hacking de containers Docker - Fernando Silva - Tcheli...Análise de segurança e hacking de containers Docker - Fernando Silva - Tcheli...
Análise de segurança e hacking de containers Docker - Fernando Silva - Tcheli...
 
tutorial nagios
tutorial nagiostutorial nagios
tutorial nagios
 
DevOps e redes -- SDN NFV e Docker
DevOps e redes -- SDN NFV e DockerDevOps e redes -- SDN NFV e Docker
DevOps e redes -- SDN NFV e Docker
 
Introdução à plataforma Docker
Introdução à plataforma DockerIntrodução à plataforma Docker
Introdução à plataforma Docker
 
Docker - Tutorial for beginners
Docker - Tutorial for beginnersDocker - Tutorial for beginners
Docker - Tutorial for beginners
 
Administração de Redes Linux - I
Administração de Redes Linux - IAdministração de Redes Linux - I
Administração de Redes Linux - I
 
Nagios
NagiosNagios
Nagios
 
Containers em produção!
Containers em produção!Containers em produção!
Containers em produção!
 
Introdução a Containers Docker
Introdução a Containers DockerIntrodução a Containers Docker
Introdução a Containers Docker
 
Docker | Meetspark - #2
Docker | Meetspark - #2Docker | Meetspark - #2
Docker | Meetspark - #2
 
Monitoração com Nagios
Monitoração com NagiosMonitoração com Nagios
Monitoração com Nagios
 
Alta disponibilidade em ambiente GNU/Linux
Alta disponibilidade em ambiente GNU/LinuxAlta disponibilidade em ambiente GNU/Linux
Alta disponibilidade em ambiente GNU/Linux
 
Oficina de Squid: Filtros Inteligentes
 Oficina de Squid: Filtros Inteligentes Oficina de Squid: Filtros Inteligentes
Oficina de Squid: Filtros Inteligentes
 
Estou seguro com no sql
Estou seguro com no sqlEstou seguro com no sql
Estou seguro com no sql
 
Docker - minicurso utfpr 2017
Docker -  minicurso utfpr 2017Docker -  minicurso utfpr 2017
Docker - minicurso utfpr 2017
 
Introdução ao docker
Introdução ao dockerIntrodução ao docker
Introdução ao docker
 

Destaque

Redes VoIP - O Futuro da Telefonia
Redes VoIP - O Futuro da TelefoniaRedes VoIP - O Futuro da Telefonia
Redes VoIP - O Futuro da Telefonia
Frederico Madeira
 
Redes NGN - Next Generation Networks
Redes NGN - Next Generation NetworksRedes NGN - Next Generation Networks
Redes NGN - Next Generation Networks
Frederico Madeira
 
Shell Scipt - Comandos
Shell Scipt - ComandosShell Scipt - Comandos
Shell Scipt - Comandos
Frederico Madeira
 
An overview of OpenVZ virtualization technology
An overview of OpenVZ virtualization technologyAn overview of OpenVZ virtualization technology
An overview of OpenVZ virtualization technology
OpenVZ
 
Linux - Instalação de Programas
Linux - Instalação de ProgramasLinux - Instalação de Programas
Linux - Instalação de Programas
Frederico Madeira
 
Instalación ftp, telnet y ssh sobre linux
Instalación ftp, telnet y ssh sobre linuxInstalación ftp, telnet y ssh sobre linux
Instalación ftp, telnet y ssh sobre linux
Ger Hernandez
 
SI - Sistemas Distribuídos - Apresentação da disciplina
SI - Sistemas Distribuídos - Apresentação da disciplinaSI - Sistemas Distribuídos - Apresentação da disciplina
SI - Sistemas Distribuídos - Apresentação da disciplina
Frederico Madeira
 
Uso de Telnet en Windows y Linux
Uso de Telnet en Windows y LinuxUso de Telnet en Windows y Linux
Uso de Telnet en Windows y Linux
Miguel Angel López Moyano
 
Virtualizacao e o uso de Software Livre
Virtualizacao e o uso de Software LivreVirtualizacao e o uso de Software Livre
Virtualizacao e o uso de Software Livre
JUAREZ DE OLIVEIRA
 
Openvz - a quick introduction
Openvz - a quick introductionOpenvz - a quick introduction
Openvz - a quick introduction
Olle E Johansson
 

Destaque (10)

Redes VoIP - O Futuro da Telefonia
Redes VoIP - O Futuro da TelefoniaRedes VoIP - O Futuro da Telefonia
Redes VoIP - O Futuro da Telefonia
 
Redes NGN - Next Generation Networks
Redes NGN - Next Generation NetworksRedes NGN - Next Generation Networks
Redes NGN - Next Generation Networks
 
Shell Scipt - Comandos
Shell Scipt - ComandosShell Scipt - Comandos
Shell Scipt - Comandos
 
An overview of OpenVZ virtualization technology
An overview of OpenVZ virtualization technologyAn overview of OpenVZ virtualization technology
An overview of OpenVZ virtualization technology
 
Linux - Instalação de Programas
Linux - Instalação de ProgramasLinux - Instalação de Programas
Linux - Instalação de Programas
 
Instalación ftp, telnet y ssh sobre linux
Instalación ftp, telnet y ssh sobre linuxInstalación ftp, telnet y ssh sobre linux
Instalación ftp, telnet y ssh sobre linux
 
SI - Sistemas Distribuídos - Apresentação da disciplina
SI - Sistemas Distribuídos - Apresentação da disciplinaSI - Sistemas Distribuídos - Apresentação da disciplina
SI - Sistemas Distribuídos - Apresentação da disciplina
 
Uso de Telnet en Windows y Linux
Uso de Telnet en Windows y LinuxUso de Telnet en Windows y Linux
Uso de Telnet en Windows y Linux
 
Virtualizacao e o uso de Software Livre
Virtualizacao e o uso de Software LivreVirtualizacao e o uso de Software Livre
Virtualizacao e o uso de Software Livre
 
Openvz - a quick introduction
Openvz - a quick introductionOpenvz - a quick introduction
Openvz - a quick introduction
 

Semelhante a Open Virtualization - Virtualização em Software Livre

Virtualização de servidores com tecnologia Linux
Virtualização de servidores com tecnologia LinuxVirtualização de servidores com tecnologia Linux
Virtualização de servidores com tecnologia Linux
Fernando Costa
 
Consolidação Mic&Mac Soluções em TI
Consolidação Mic&Mac Soluções em TIConsolidação Mic&Mac Soluções em TI
Consolidação Mic&Mac Soluções em TI
Mic&Mac Soluções em TI
 
Virtualização
VirtualizaçãoVirtualização
Virtualização
Flávio Schuindt
 
Arquitetura de Computadores e Sistemas Operacionais Etapa 08.pdf
Arquitetura de Computadores e Sistemas Operacionais Etapa 08.pdfArquitetura de Computadores e Sistemas Operacionais Etapa 08.pdf
Arquitetura de Computadores e Sistemas Operacionais Etapa 08.pdf
FabianoGisbert1
 
INT302 - VDI com Linux
INT302 - VDI com LinuxINT302 - VDI com Linux
INT302 - VDI com Linux
mestresemhd
 
Aula01
Aula01Aula01
oVirt - gerenciamento de máquinas virtuais com código aberto
oVirt - gerenciamento de máquinas virtuais com código abertooVirt - gerenciamento de máquinas virtuais com código aberto
oVirt - gerenciamento de máquinas virtuais com código aberto
ehabkost
 
Maximize o Potencial do seu Datacenter com Citrix XenServer
Maximize o Potencial do seu Datacenter com Citrix XenServerMaximize o Potencial do seu Datacenter com Citrix XenServer
Maximize o Potencial do seu Datacenter com Citrix XenServer
Lorscheider Santiago
 
Virtualiza%e7%e3o(3)
Virtualiza%e7%e3o(3)Virtualiza%e7%e3o(3)
Virtualiza%e7%e3o(3)
Paulo Henrique Henrique
 
Introdução à Virtualização
Introdução à VirtualizaçãoIntrodução à Virtualização
Introdução à Virtualização
Lucas Miranda
 
Flisol 2015
Flisol 2015 Flisol 2015
Flisol 2015
Ricardo Martins ☁
 
Introduction to the citrix xenserver
Introduction to the citrix xenserverIntroduction to the citrix xenserver
Introduction to the citrix xenserver
Lorscheider Santiago
 
Artigo
ArtigoArtigo
Artigo
sergiorrm2
 
Virtualização com Citrix XENSERVER
Virtualização com Citrix XENSERVERVirtualização com Citrix XENSERVER
Virtualização com Citrix XENSERVER
Impacta Eventos
 
Hyper-V
Hyper-VHyper-V
Hyper-V
gabrielca200
 
Virtualização
VirtualizaçãoVirtualização
Virtualização
Impacta Eventos
 
Virtualização de Servidores Usando Microsoft® Hyper-V ™ Server 2008 R2
Virtualização de Servidores Usando Microsoft® Hyper-V ™ Server 2008 R2Virtualização de Servidores Usando Microsoft® Hyper-V ™ Server 2008 R2
Virtualização de Servidores Usando Microsoft® Hyper-V ™ Server 2008 R2
David Adam
 
Hyper-V
Hyper-VHyper-V
Hyper-V
Eduardo Sena
 
Apresentação Monografia Virtualização
Apresentação Monografia VirtualizaçãoApresentação Monografia Virtualização
Apresentação Monografia Virtualização
Kleber Lyra
 
Virtualização e consolidação de servidores
Virtualização e consolidação de servidoresVirtualização e consolidação de servidores
Virtualização e consolidação de servidores
Ruy Mendonça
 

Semelhante a Open Virtualization - Virtualização em Software Livre (20)

Virtualização de servidores com tecnologia Linux
Virtualização de servidores com tecnologia LinuxVirtualização de servidores com tecnologia Linux
Virtualização de servidores com tecnologia Linux
 
Consolidação Mic&Mac Soluções em TI
Consolidação Mic&Mac Soluções em TIConsolidação Mic&Mac Soluções em TI
Consolidação Mic&Mac Soluções em TI
 
Virtualização
VirtualizaçãoVirtualização
Virtualização
 
Arquitetura de Computadores e Sistemas Operacionais Etapa 08.pdf
Arquitetura de Computadores e Sistemas Operacionais Etapa 08.pdfArquitetura de Computadores e Sistemas Operacionais Etapa 08.pdf
Arquitetura de Computadores e Sistemas Operacionais Etapa 08.pdf
 
INT302 - VDI com Linux
INT302 - VDI com LinuxINT302 - VDI com Linux
INT302 - VDI com Linux
 
Aula01
Aula01Aula01
Aula01
 
oVirt - gerenciamento de máquinas virtuais com código aberto
oVirt - gerenciamento de máquinas virtuais com código abertooVirt - gerenciamento de máquinas virtuais com código aberto
oVirt - gerenciamento de máquinas virtuais com código aberto
 
Maximize o Potencial do seu Datacenter com Citrix XenServer
Maximize o Potencial do seu Datacenter com Citrix XenServerMaximize o Potencial do seu Datacenter com Citrix XenServer
Maximize o Potencial do seu Datacenter com Citrix XenServer
 
Virtualiza%e7%e3o(3)
Virtualiza%e7%e3o(3)Virtualiza%e7%e3o(3)
Virtualiza%e7%e3o(3)
 
Introdução à Virtualização
Introdução à VirtualizaçãoIntrodução à Virtualização
Introdução à Virtualização
 
Flisol 2015
Flisol 2015 Flisol 2015
Flisol 2015
 
Introduction to the citrix xenserver
Introduction to the citrix xenserverIntroduction to the citrix xenserver
Introduction to the citrix xenserver
 
Artigo
ArtigoArtigo
Artigo
 
Virtualização com Citrix XENSERVER
Virtualização com Citrix XENSERVERVirtualização com Citrix XENSERVER
Virtualização com Citrix XENSERVER
 
Hyper-V
Hyper-VHyper-V
Hyper-V
 
Virtualização
VirtualizaçãoVirtualização
Virtualização
 
Virtualização de Servidores Usando Microsoft® Hyper-V ™ Server 2008 R2
Virtualização de Servidores Usando Microsoft® Hyper-V ™ Server 2008 R2Virtualização de Servidores Usando Microsoft® Hyper-V ™ Server 2008 R2
Virtualização de Servidores Usando Microsoft® Hyper-V ™ Server 2008 R2
 
Hyper-V
Hyper-VHyper-V
Hyper-V
 
Apresentação Monografia Virtualização
Apresentação Monografia VirtualizaçãoApresentação Monografia Virtualização
Apresentação Monografia Virtualização
 
Virtualização e consolidação de servidores
Virtualização e consolidação de servidoresVirtualização e consolidação de servidores
Virtualização e consolidação de servidores
 

Mais de Frederico Madeira

WebServices
WebServicesWebServices
WebServices
Frederico Madeira
 
IoT - Internet of Things
IoT -  Internet of ThingsIoT -  Internet of Things
IoT - Internet of Things
Frederico Madeira
 
Introdução a Cloud Computing
Introdução a Cloud ComputingIntrodução a Cloud Computing
Introdução a Cloud Computing
Frederico Madeira
 
SI - Comunicação
SI - ComunicaçãoSI - Comunicação
SI - Comunicação
Frederico Madeira
 
SI - Arquiteturas
SI - ArquiteturasSI - Arquiteturas
SI - Arquiteturas
Frederico Madeira
 
SI - SAD - Sistemas de Arquivos Distribuídos
SI - SAD  - Sistemas de Arquivos DistribuídosSI - SAD  - Sistemas de Arquivos Distribuídos
SI - SAD - Sistemas de Arquivos Distribuídos
Frederico Madeira
 
SI - Introdução a Sistemas Distribuidos
SI - Introdução a Sistemas DistribuidosSI - Introdução a Sistemas Distribuidos
SI - Introdução a Sistemas Distribuidos
Frederico Madeira
 
Proteja seus dados em casa e na internet
Proteja seus dados em casa e na internetProteja seus dados em casa e na internet
Proteja seus dados em casa e na internet
Frederico Madeira
 
MRTG - SNMP na Prática
MRTG - SNMP na PráticaMRTG - SNMP na Prática
MRTG - SNMP na Prática
Frederico Madeira
 
Introdução ao SNMP
Introdução ao SNMPIntrodução ao SNMP
Introdução ao SNMP
Frederico Madeira
 
Ferramentas para Detecção de Problemas em Redes
Ferramentas para Detecção de Problemas em RedesFerramentas para Detecção de Problemas em Redes
Ferramentas para Detecção de Problemas em Redes
Frederico Madeira
 
Arquiteturas de Gerência de Redes
Arquiteturas de Gerência de RedesArquiteturas de Gerência de Redes
Arquiteturas de Gerência de Redes
Frederico Madeira
 
Introdução a Gerência de Redes
Introdução a Gerência de RedesIntrodução a Gerência de Redes
Introdução a Gerência de Redes
Frederico Madeira
 
Apresentação da disciplina de Gerência de Redes
Apresentação da disciplina de Gerência de RedesApresentação da disciplina de Gerência de Redes
Apresentação da disciplina de Gerência de Redes
Frederico Madeira
 
O Uso de Captchas de Áudio no Combate ao spam em Telefonia IP
O Uso de Captchas de Áudio no Combate ao spam em Telefonia IPO Uso de Captchas de Áudio no Combate ao spam em Telefonia IP
O Uso de Captchas de Áudio no Combate ao spam em Telefonia IP
Frederico Madeira
 
Segurança em Redes de Voz Sobre IP
Segurança em Redes de Voz Sobre IPSegurança em Redes de Voz Sobre IP
Segurança em Redes de Voz Sobre IP
Frederico Madeira
 
Shell Script - Controle de fluxo
Shell Script - Controle de fluxoShell Script - Controle de fluxo
Shell Script - Controle de fluxo
Frederico Madeira
 
Linux Editor VI
Linux Editor VILinux Editor VI
Linux Editor VI
Frederico Madeira
 
Linux shell
Linux shellLinux shell
Linux shell
Frederico Madeira
 
Asterisk Voice Mail
Asterisk Voice MailAsterisk Voice Mail
Asterisk Voice Mail
Frederico Madeira
 

Mais de Frederico Madeira (20)

WebServices
WebServicesWebServices
WebServices
 
IoT - Internet of Things
IoT -  Internet of ThingsIoT -  Internet of Things
IoT - Internet of Things
 
Introdução a Cloud Computing
Introdução a Cloud ComputingIntrodução a Cloud Computing
Introdução a Cloud Computing
 
SI - Comunicação
SI - ComunicaçãoSI - Comunicação
SI - Comunicação
 
SI - Arquiteturas
SI - ArquiteturasSI - Arquiteturas
SI - Arquiteturas
 
SI - SAD - Sistemas de Arquivos Distribuídos
SI - SAD  - Sistemas de Arquivos DistribuídosSI - SAD  - Sistemas de Arquivos Distribuídos
SI - SAD - Sistemas de Arquivos Distribuídos
 
SI - Introdução a Sistemas Distribuidos
SI - Introdução a Sistemas DistribuidosSI - Introdução a Sistemas Distribuidos
SI - Introdução a Sistemas Distribuidos
 
Proteja seus dados em casa e na internet
Proteja seus dados em casa e na internetProteja seus dados em casa e na internet
Proteja seus dados em casa e na internet
 
MRTG - SNMP na Prática
MRTG - SNMP na PráticaMRTG - SNMP na Prática
MRTG - SNMP na Prática
 
Introdução ao SNMP
Introdução ao SNMPIntrodução ao SNMP
Introdução ao SNMP
 
Ferramentas para Detecção de Problemas em Redes
Ferramentas para Detecção de Problemas em RedesFerramentas para Detecção de Problemas em Redes
Ferramentas para Detecção de Problemas em Redes
 
Arquiteturas de Gerência de Redes
Arquiteturas de Gerência de RedesArquiteturas de Gerência de Redes
Arquiteturas de Gerência de Redes
 
Introdução a Gerência de Redes
Introdução a Gerência de RedesIntrodução a Gerência de Redes
Introdução a Gerência de Redes
 
Apresentação da disciplina de Gerência de Redes
Apresentação da disciplina de Gerência de RedesApresentação da disciplina de Gerência de Redes
Apresentação da disciplina de Gerência de Redes
 
O Uso de Captchas de Áudio no Combate ao spam em Telefonia IP
O Uso de Captchas de Áudio no Combate ao spam em Telefonia IPO Uso de Captchas de Áudio no Combate ao spam em Telefonia IP
O Uso de Captchas de Áudio no Combate ao spam em Telefonia IP
 
Segurança em Redes de Voz Sobre IP
Segurança em Redes de Voz Sobre IPSegurança em Redes de Voz Sobre IP
Segurança em Redes de Voz Sobre IP
 
Shell Script - Controle de fluxo
Shell Script - Controle de fluxoShell Script - Controle de fluxo
Shell Script - Controle de fluxo
 
Linux Editor VI
Linux Editor VILinux Editor VI
Linux Editor VI
 
Linux shell
Linux shellLinux shell
Linux shell
 
Asterisk Voice Mail
Asterisk Voice MailAsterisk Voice Mail
Asterisk Voice Mail
 

Open Virtualization - Virtualização em Software Livre

  • 1. Open Virtualization Virtualização em Software Livre Frederico Madeira LPIC­1, LPIC­2, CCNA fred@madeira.eng.br www.madeira.eng.br 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 2. O que é Virtualização ? “É um termo que se refere a criação de máquinas virtuais que se comportam com se fosse um computador real. O software executado nesta máquina virtual é separado do hardware real da máquina.” Wikipedia “É um termo amplo da computação que se refere a capacidade de executar software, comumente, sistemas operacionais, concorrentemente e isolados de outros programas do sistema.” Red Hat Enterprise Linux 5Virtualization Guide “É a criação de substitutos flexíveis para recursos reais — substitutos que têm as mesmas funções e interfaces externas que seus equivalentes reais, mas diferem em atributos como tamanho, desempenho e custo. Esses substitutos são denominados recursos virtuais; seus usuários geralmente não têm conhecimento da substituição.” IBM DeveloperWorks: Hypervisores, virtualização e a nuvem 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 3. 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 4. Por que Virtualizar ? ➔ Consolidação de Servidores (redução do número físico de servidores) ➔ Menor Complexidade em infra-estrutura física ➔ Rápido aprovisionamento de novos servidores ➔ Recuperação de desastres ➔ Redução de Custo ➔ Com Hardware: contratos de manutenção, upgrades, aquisições ➔ Energia ➔ Espaço ➔ Tempo de instalação ➔ Gerenciamento ➔ Produtividade do administrador aumentada 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 5. Hypervisors ➔ Os hypervisors são componentes de software ou firmware que podem virtualizar recursos do sistema. ➔ A virtualização geralmente é implementada através de um Hypervisor ➔ Também chamado de Virtual Machine Monitor (Monitor de Máquina Virtual) ou VMM ➔ Oferecem uma forma conveniente de usar o mesmo hardware do computador físico para outras tarefas diferentes ➔ Os hypervisors não são iguais, mas todos oferecem recursos semelhantes 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 6. Tipos de Hypervisors ➔ Tipo 1 ➔ Funcionam diretamente no HW ➔ Chamados de HardV ➔ Recomendados para servidores de produção ➔ Pode ser carregado via pendrive ➔ Baixo overhead ➔ Tipo 2 ➔ Funcionam sobre um sistema operacional host e oferecem o serviço de virtualização ➔ Chamados de SoftV ➔ Não recomendado para servidores de produção ➔ Normalmente utilizados como porta de entrada para a virtualização ➔ Alto overhead, pois o SO Host consome recursos do Hw ➔ Temos outros tipos de virtualização, mas para escopo deste trabalho, não foram descritos aqui 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 7. Tipos de Hypervisors 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 8. Exemplo de Hypervisors ➔ PowerVM: Um recurso dos servidores IBM POWER5, POWER6 e POWER7, suporte fornecido por IBM i, AIX®e Linux®. http://www-03.ibm.com/systems/power/software/virtualization/index.html ➔ VMware ESX Server (vSphere): Hypervisor integrado "do zero", os hypervisores de software empresariais da VMware ESX funcionam diretamente no hardware do servidor sem a necessidade de outro sistema operacional subjacente. http://www.vmware.com/products/datacenter-virtualization/vsphere/index.html ➔ Xen (Citrix): Os sistemas do Xen têm uma estrutura com o hypervisor Xen como a camada mais baixa e mais privilegiada. http://www.citrix.com/products/xenserver/overview.html 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 9. Exemplo de Hypervisors ➔ KVM: Estrutura de virtualização para Linux kernel, o KVM suporta a virtualização nativa em processadores com extensões de virtualização de hardware (Intel VT ou AMD-V). O KVM é nativo no kernel do linux a partir da versão 2.6.20. http://www.linux-kvm.org/page/Main_Page ➔ z/VM: Versão atual dos sistemas operacionais de máquina virtual da IBM, o z/VM funciona no zSeries da IBM e pode ser usado para suportar uma grande quantidade (milhares) de máquinas virtuais Linux. http://www.vm.ibm.com/ 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 10. Funcionalidades desejadas em um Hypervisor ➔ Desempenho da máquina virtual Os sistemas virtuais deveriam ter desempenho similar ou superior aos seus equivalentes, pelo menos em relação aos aplicativos dentro cada servidor. Qualquer coisa além dessa referência é lucro. ➔ Gerenciamento de memória ➔ Alta disponibilidade Cada grande fornecedor tem sua própria solução de alta disponibilidade e a maneira como cada um atinge isso pode ser bem diferente, variando desde métodos minimalistas até muito complexos ➔ Migração ativa Migração ativa em diferentes plataformas e a capacidade de migrar simultaneamente duas ou mais VMs 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 11. Funcionalidades desejadas em um Hypervisor ➔ Redes, armazenamento e segurança Em rede, os hypervisors devem suportar agrupamento de cartões de interface de rede (NICs) e balanceamento de carga, isolamento Unicast e suporte para o entroncamento de rede de área local virtual (VLAN) padrão (802.1Q). Em armazenamento, devem suportar armazenamento em rede iSCSI e Fibre Channel ➔ Recursos de gerenciamento Devem oferecer recursos de trap do Simple Network Management Protocol (SNMP), integração com outros softwares de gerenciamento e tolerância a falhas do servidor de gerenciamento. Interface para o gerenciamento da solução 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 12. KVM – Kernel-based Virtual Machine ➔ É um módulo do kernel Linux que transforma o Linux em um hypervisor ➔ Requer extensões de virtualização da CPU # grep -E 'svm|vmx' /proc/cpuinfo onde svm(AMD) e vmx(Intel) ➔ Possui performance competitiva em relação aos outros hypervisors e é rico em funcionalidades ➔ Possui sistema avançado de gerenciamento de memória ➔ Bastante integrado ao kernel Linux. 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 13. KVM – Kernel-based Virtual Machine ➔ Um hypervisor necessita de: ➔ Gerenciamento de memória e um escalonador ➔ I/O stack ➔ Device drivers ➔ Gerenciamento de pilha ➔ Rede ➔ O linux é reconhecidamente eficiente em todas as tarefas acima, então por que reinventar a roda ? ➔ Reuso do código linux sempre que possível 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 14. KVM – Arquitetura ➔ Guest OS, executado no user-space ➔ Cada Guest OS representa um único processo no Host OS. ➔ O hypervisor é um módulo carregado no kernel como qualquer outro. ➔ A CPU provê suporte a virtualização ➔ A memória é virtualizada através do módulo KVM ➔ O I/O e demais recursos de hardware como disco, rede são virtualizados através do QEMU 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 15. Libvirt – Virtualization Library ➔ É uma API Linux para virtualização que suporta diversos hypervisors como Xen, KVM, QEMU, OpenVZ, etc. ➔ Biblioteca para gerenciamento de sistemas operacionais Guest “hypervisor- agnostic” ➔ Representa apenas a API sobre a qual devem ser desenvolvidas ferramentas para gerenciamento das máquinas virtuais ➔ Originalmente desenvolvida para gerenciamento do Xen, mas estendida para outros hypervisors ➔ Controla tanto hypervisors locais como remotos, através de protocolos seguros como TLS e Kerberos ➔ Na parte de rede, suporta bridging, bondig, vlans 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 16. Libvirt – Virtualization Library Gerenciamento Local Gerenciamento Remoto 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 17. Ferramentas ➔ Graças a as API's do libvirt, temos diversas ferramentas para gerenciamento de nosso ambiente virtualizado. ➔ virsh: Ferramenta de linha de comando que oferece um shell interativo e uma ferramenta de scipting batch para gerenciamento de todos os domínios libvirt, rede e armazenamento ➔ virt-top: Verifique a utilização de CPU, memória e disco de todas as máquians virtuais que estão rodando em um host ➔ virt-install: Fornece uma interface para criação de novas máquinas virtuais. Suporta instalação a partir de imagens locais de CD/DVD ou via rede através de NFS, HTTP e FTP ➔ Virt-manager: Ferramenta de gerenciamento de máquinas virtuais. Permite o gerenciamento de VM's tanto na máquina local como em máquinas remotas, efetuando conexões a seus hipervisors. Direcionada para utilização em casa e pequenos escritórios, gerencia até 20 hosts e suas máquinas virtuais ➔ Lista completa em: http://libvirt.org/apps.html#configmgmt 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 18. Ferramentas - Virsh 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 19. Ferramentas - virt-manager Fonte: http://wiki.deimos.fr/KVM_:_Mise_en_place_de_KVM 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 20. oVirt ➔ Definido como uma plataforma de gerenciamento para datacenter virtual para: Provisionar, gerenciar, e monitorar hosts, hypervisors, máquinas virtuais, storage e network ➔ É um projeto do Open Virtualization project ➔ Open Source ➔ Baseado em virtualização linux KVM ➔ É um servidor rico em funcionalidades, oferecendo diversas funcionalidades encontradas apenas nas soluções de mercado como VmWare, Citrix, alternativa ou vCenter/vSphere ➔ Base de solução de virtualização da RedHat ➔ Provê imagem de instalação para o nó oVirt 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 21. Ovirt - Funcionalidades ➔ High availability para prover tolerância a falhas ➔ Live migration para mover hosts entre máquinas físicas sem interrupção ➔ Storage management ➔ System scheduler onde é possível criar políticas para balanceamento dos recursos ➔ Image Engine para criar, gerenciar e provisionar máquinas virtuais ➔ Storage Virtualization para garantir acesso a storage de qualquer servidor ➔ Compatível com Glustefs 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 22. Ovirt - Arquitetura 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 23. Ovirt - Dashboard 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 24. Ovirt - Comparativo ➔ Solução de virtualização da RedHat é baseada em KVM e oVirt ➔ Segundo lugar frente a soluções conhecidas de mercado ➔ Fonte: http://bit.ly/virtshootout 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 25. Dúvidas 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012
  • 26. Referências ● Hypervisores, virtualização e a nuvem, disponível em: http://www.ibm.com/developerworks/br/cloud/library/cl-hypervisorcompare/ ● Virtualização, verbete wikipedia, disponível em: http://en.wikipedia.org/wiki/Virtualization ● Red Hat Enterprise Linux 5, Admin Guide, disponível em: https://access.redhat.com/knowledge/docs/en-US/Red_Hat_Enterprise_Linux/5/html/Virtualizatio ● Virtualization – The Beguines guide, McGraw Hill ● Dez benefícios da virtualização e consolidação de servidores. Disponível em: http://www.a2f.com.br/blog/consolidacao-e-virtualizacao/10-beneficios-da-consolidacao-e-virtua ● Discover the Linux Kernel Virtual Machine - http://www.ibm.com/developerworks/linux/library/l-linux-kvm/ ● Anatomy of the libvirt virtualization library - http://www.ibm.com/developerworks/linux/library/l-libvirt/ ● Virtualization shoot-out: Citrix, Microsoft, Red Hat, and Vmware http://www.infoworld.com/d/virtualization/virtualization-shoot-out-citrix-microsoft-red-hat-and-vmw 2ª SETIC - Semana de Tecnologia da Informação e Comunicação, 2012