SlideShare uma empresa Scribd logo
Professor : Homero Jr.
                        Aluno (a):                                           Nº
                        9º Ano             Turma: (   )                      Data: 19 de setembro de 2009
                                             Oficina de Física
1. ACÚSTICA: é a parte da Física que estuda as            5. REFLEXÃO DO SOM - É um dos principais
ondas sonoras.                                            fenômenos que ocorre com o som, onde o intervalo
2. ONDAS SONORAS: são ondas mecânicas,                    de tempo (∆t), decorrido entre o som direto e o som
longitudinais e tridimensionais.                          refletido, ouvidos por um observador, é dado por:




O ouvido humano normal consegue captar
freqüências sonoras que vão de 20Hz até
20.000Hz. Abaixo de 20Hz, temos o infra-som e
acima de 20.000 Hz, o ultra-som.
                                                          Assim, definem-se:
                                                          Eco: ocorre se ∆t ≥ 0,1s (0,1s é o tempo que o som
                                                          persiste no cérebro). O observador ouve
                                                          separadamente o som
3. VELOCIDADE DO SOM - Por ser uma onda                   direto e o som refletido.
mecânica, o som se propaga mais rapidamente               Ex: Uma pessoa gritando
nos sólidos do que nos líquidos, e, nos líquidos,         na entrada de uma longa
mais rapidamente do que nos gases.                        caverna, ouve o eco de
                                                          sua própria voz.
                                                          REVERBERAÇÃO: ocorre se 0s < ∆t < 0,1s. O
                                                          observador ouve o som refletido, quando o som
                                                          direto ainda está se extinguindo. Há um
                                                          prolongamento do som.
                                                          Ex: Uma pessoa gritando num auditório vazio,
                                                          ouve a reverberação de sua voz.
4. QUALIDADES FISIOLÓGICAS DO SOM - O                     Reforço: ocorre se ∆t ≈ 0s. O observador ouve o
ouvido humano é capaz de diferenciar algumas              som direto juntamente com o som refletido. Há um
qualidades do som, como altura, intensidade e             aumento na intensidade do som.
timbre.                                                   Ex: Uma pessoa cantando num pequeno banheiro.
4.1. ALTURA: permite diferenciar um som grave             Obs: O sonar emite ultra-sons e capta o eco
de um som agudo, através da freqüência.                   (ondas que se refletem no eventual obstáculo),
                                                          medindo o intervalo de tempo ∆t entre a emissão e
        Som grave: menor freqüência (som baixo)           a recepção.
Ex: Voz de homem (100Hz à 200Hz)
        Som agudo: maior freqüência (som alto)
Ex: Voz de Mulher (200Hz à 400Hz)
4.2. INTENSIDADE: permite diferenciar um som
forte de um som fraco, através da amplitude.
    Som      forte:     maior  amplitude  (ambiente
    barulhento)
    Som fraco: menor amplitude (ambiente calmo)
Obs1: Aproximando-se da fonte sonora, o som fica
mais forte;afastando-se da fonte, fica mais fraco.
Obs2: A             intensidade mínima audível é          6. RESSONÂNCIA - Um diapasão, um pêndulo e
 I 0 10
         12      2
            W / m e a intensidade máxima suportável       um sistema massa-mola possuem uma única
(limiar da dor) é I MAX 1W / m 2 .                        freqüência de vibração chamada de freqüência
                                                          natural (ou própria). Assim, todos os corpos
4.3. TIMBRE: permite diferenciar dois sons de             (prédios, pontes, taças de cristal, balanços etc)
mesma altura e mesma intensidade, emitidos por            possuem uma freqüência natural de vibração.
fontes diferentes.                                        Quando um corpo recebe energia de uma fonte
Ex: A mesma nota musical emitida por um violino           com freqüência igual à sua freqüência natural
e um piano diferem-se pelo timbre, ou seja, pela          (ffonte= fnatural), o corpo entra em ressonância com a
forma das ondas.                                          fonte e a sua amplitude de vibração aumenta cada
                                                          vez mais.
                                                          Ex1. Uma taça de cristal pode-se
                                                          estilhaçar quando uma cantora
                                                          com voz de soprano (alta f)
                                                          emitir uma nota musical com
                                                          freqüência igual à freqüência natural da taça.
Exercícios
1. Em relação às ondas sonoras podemos afirmar          Anotações
que:
a) a propriedade física que nos permite classificar a
altura do som em grave ou agudo é a sua
freqüência.
b) quando alteramos o botão do volume do rádio,
estamos alterando a altura dos sons do rádio.
c) ao atravessar a superfície de separação de dois
meios, uma onda varia sua freqüência.
d) a altura de uma onda sonora é a qualidade
ligada diretamente à forma da onda.
e) dois sons com mesma altura e intensidade,
provenientes de dois instrumentos musicais
diferentes, são perfeitamente idênticos ao ouvido
humano.
2. Duas cordas idênticas de violão foram afinadas
para produzirem a mesma nota musical.
Dedilhando-se uma das cordas, observa-se que a
outra também vibra. Esse fenômeno é conhecido
como:
a) difração.   b) batimentos. c) interferência.
d) refração.   e) ressonância.
3. O ouvido humano detecta sons cuja freqüência
varia de 20Hz a 20.000Hz. Considere a velocidade
de qualquer som no ar igual a 340 m/s. Um som
inaudível pelo nosso ouvido, emitido por um
animal, tem freqüência de 3,4.104Hz. O
comprimento de onda desse som, em metros, vale:
a) 1,0.10-2 b) 1,7.10-2   c) 3,4.10-2
d) 1,7       e) 1,7 . 10
4. Com relação à velocidade de propagação do
som, podemos afirmar que é:
a) maior nos sólidos do que nos líquidos.
b) maior nos gases do que nos sólidos.
c) maior nos líquidos do que nos sólidos.
d) nula nos sólidos.
e) máxima no vácuo.
 5. A tabela apresenta a freqüência f dos sons
fundamentais de notas musicais produzidas por
diapasões e que se propagam no ar. Considerando
esses dados, selecione a alternativa que completa
corretamente as lacunas das seguintes afirmações:



I. Do som mais agudo ao som mais grave, as
ondas         têm          um aumento progressivo
do(a)........................
II. O comprimento de onda do som lá é ............do
que o som mi.
a)período-menor
b)período-maior
c)freqüência-menor
d) freqüência-maior
e) altura-maior
6. Cantores de ópera se tornam famosos por
serem capazes de quebrar um copo de cristal
cantando a nota adequada. O fenômeno
responsável por isso é a:
a) difração.        c) ressonância.
b) polarização.     d) interferência
c) reflexão.
1. ÓPTICA GEOMÉTRICA - É a parte da Física              que se propaga no meio 1 incide sobre a
que estuda a trajetória da luz, não se preocupa         superfície S e retorna ao meio 1, mantendo o
com a sua natureza.                                     paralelismo.
2. CONCEITOS BÁSICOS:                                   Ex: A reflexão regular é responsável pela formação
a) Raio de luz: é a representação geométrica da         de imagens no espelho.
trajetória da luz, indicando a direção e o sentido      b) Reflexão difusa ou difusão: o feixe de raios
de sua propagação.                                      paralelos que se propaga no meio 1 incide sobre
b) Feixe de luz: é um conjunto de raios de luz.         a superfície S e retorna ao meio 1, perdendo o
Um feixe luminoso pode ser:                             paralelismo e espalhando-se em todas as direções.
                                                        A difusão é devido às irregularidades da superfície.
                                                        A reflexão difusa é
                                                        responsável       pela
                                                        visão dos objetos
                                                        que nos cercam.
3. FONTE DE LUZ - São corpos que podem ser              Ex: Vemos uma
vistos, ou seja, emitem luz.                            pessoa      porque
4. CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE LUZ.                     ela reflete difusamente para a nossa vista a luz que
4.1. QUANTO À EMISSÃO DE LUZ:                           recebe.
a) Fonte primária ou corpo luminoso: emite luz          c) Refração: o feixe de raios que se propaga no
própria.                                                meio 1 incide sobre a
Ex: o Sol, as estrelas, uma lâmpada ligada, uma         superfície S e passa
vela acesa, um                                          a se propagar
vaga-lume, um interruptor, metal aquecido ao rubro      no meio 2, . A
etc.                                                    refração ocorre
b) Fonte secundária ou corpo iluminado: não             em           meios
emite luz própria, reflete luz de uma fonte primária.   transparentes.
Ex: a Lua, os planetas, um caderno, uma caneta,         d) Absorção: o feixe de raios paralelos que se
uma cadeira, uma pessoa, um quadro etc.                 propaga no meio 1 incide sobre a superfície S e
4.2 QUANTO À DIMENSÃO:                                  não retorna ao meio 1 nem se propaga no meio
a) Fonte pontual ou puntiforme: suas dimensões          2,     ocorrendo       a    absorção. Como a luz
são desprezíveis em ralação ao ambiente                 é uma forma de
considerado.                                            energia,             sua
Ex: uma pequena lâmpada num salão.                      absorção
b) Fonte extensa: suas dimensões não são                ocasiona         um
desprezíveis em relação ao ambiente considerado.        aquecimento.
Ex: uma lâmpada fluorescente num quarto.                Ex: A absorção é responsável pelo aquecimento de
5. CLASSIFICAÇÃO DOS MEIOS ÓPTICOS.                     uma camisa preta quando exposta à luz.
a) Meio transparente: é aquele que permite a            7. CLASSIFICAÇÃO DA LUZ QUANTO À COR.
propagação regular da luz.                              a) Luz monocromática: é a luz de uma única cor,
                                                        ou seja, não é decorrente de uma composição de
                                                        cores.
                                                        Ex: A luz amarela emitida pelo vapor de sódio
                                                        incandescente.
Ex: aquário, ar, vidro comum, papel celofone, etc...    b) Luz policromática: é a luz resultante da
b) Meio Translúcido: é aquele que permite a             composição de luzes monocromáticas.
propagação irregular da luz.                            Ex: A luz branca emita pelo Sol é constituída por
                                                        uma infinidade de luzes monocromáticas, as quais
                                                        podem ser divididas em sete cores principais:
                                                        Vermelho, Alaranjado, Amarelo, Verde, Anil,
                                                        Violeta.
                                                        8. A COR DOS CORPOS - A cor apresentada por
Ex: vidro fosco, papel vegetal, tecido fino, ar com     um corpo, ao ser iluminado, depende do tipo de luz
neblina etc.                                            que ele reflete difusamente. Assim, corpos de
c) Meio opaco: é aquele que não permite a               diferentes cores, sendo iluminados por luz branca,
propagação da luz.                                      teremos:




Ex: parede de tijolos, portão de madeira, placa
metálica etc.
6. FENÔMENOS ÓPTICOS - Quando a luz incide
sobre uma superfície S que separa dois meios,           o corpo vermelho, vai refletir difusamente a luz
pode      sofrer    os                                  vermelha e absorver as demais; o corpo amarelo,
seguintes fenômenos.                                    vai refletir difusamente a luz amarela e absorver as
a)       Reflexão                                       demais, e assim por diante. E o corpo negro, vai
regular: o feixe de                                     absorver todas as luzes. Atente ao fato de que um
raios     paralelos                                     corpo amarelo parecerá negro quando for
iluminado por luz diferente da branca e da amarela,     2. No esquema da figura representamos o Sol, a
pois essa luz será devidamente absorvida.               Terra e a Lua. Para um observador na superfície
9. PRINCÍPIOS DA ÓPTICA GEOMÉTRICA                      da Terra voltada para a Lua (ponto O):
9.1. PRINCÍPIO DA INDEPENDÊNCIA DOS
RAIOS LUMINOSOS: quando raios de luz se
cruzam,     cada    um     segue    sua    trajetória
independente dos outros.

                                                        a) é noite, fase de Lua nova e ocorre eclipse da
                                                        Lua.
                                                        b) é dia, fase de Lua cheia e ocorre eclipse do Sol.
                                                        c) é noite, fase de Lua cheia e a Lua está visível.
9.2. PRINCÍPIO DA REVERSIBILIDADE DOS                   d) é dia, fase de Lua nova e ocorre eclipse da Lua.
RAIOS LUMINOSOS: a trajetória do raio de luz            e) é noite, fase de Lua cheia e ocorre eclipse da
não depende do sentido de percurso.                     Lua.
                                                        3. Numa aula prática de física foi feito o
                                                        experimento esquematizado nas figuras I e II, onde
                                                        o professor alternou a posição da fonte e do
                                                        observador. Com esse experimento, o professor
                                                        pretendia demonstrar uma aplicação da (o):




9.3. PRINCÍPIO DA PROPAGAÇÃO RETILÍNEA
DOS       RAIOS  LUMINOSOS:        nos    meios
homogêneos e transparentes, a luz se propaga em         a) reflexão difusa.
linha reta.                                             b) fenômeno da difração.
                                                        c) princípio da reflexão.
                                                        d) princípio da reversibilidade da Luz.
                                                        e) princípio da independência dos raios luminosos.
                                                        4. A formação de sombra evidencia que:
                                                        a) a luz se propaga em linha reta.
10. SOMBRA E PENUMBRA - A sombra                        b) a velocidade da luz não depende do referencial.
corresponde a uma região com ausência total de          c) a luz sofre refração.
luz, enquanto a penumbra corresponde a uma              d) a luz é necessariamente fenômeno da natureza
região parcialmente iluminada.                          corpuscular.
11. ECLIPSE: ocorre devido à propagação retilínea       e) a temperatura do obstáculo influi na luz que o
da luz, quando o Sol, a Lua e a Terra estão             atravessa.
alinhados.                                              5. Quando a Lua se coloca entre o Sol e a Terra,
                                                        durante o eclipse do Sol, ela projeta sobre a
                                                        superfície terrestre uma região de sombra e outra
                                                        de penumbra. Para um observador situado na
                                                        região de penumbra:
                                                        a) o eclipse será total e o disco solar ficará
                                                        totalmente escuro.
                                                        b) o eclipse será total e o disco solar ficará cinza.
                                                        c) o eclipse será parcial.
                                                        d) o eclipse será parcial, pois o disco solar ficará
                                                        cinza.
                                                        e) não haverá eclipse.
                                                        6. O fenômeno conhecido como eclipse solar
Obs.: Os eclipses da Lua ocorrem na lua cheia e         evidencia que a luz:
os eclipses do Sol, na lua nova.                        a) é independente quando se propaga.
                   EXERCÍCIOS                           b) é reversível quando se propaga.
1. Durante um eclipse solar, um observador:             c) se propaga em linha reta.
a) no cone de sombra, vê um eclipse parcial.            d) se propaga em linha curva.
b) na região de penumbra, vê um eclipse total.          e) contorna os objetos ao se propagar.
c) na região plenamente iluminada, vê a Lua
eclipsada.                                              “Um homem não pode fazer o certo numa área da vida,
d) na região da sombra própria da Terra, vê             enquanto está ocupado em fazer o errado em outra. A
somente a Lua.                                          vida é um todo indivisível”.
                                                                                             Mahatma Gandhi
e) na região plenamente iluminada, não vê o
eclipse solar.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Movimento uniforme
Movimento uniformeMovimento uniforme
Movimento uniforme
Betine Rost
 
Atividades física 2 ano prof. waldir montenegro
Atividades física 2  ano prof. waldir montenegroAtividades física 2  ano prof. waldir montenegro
Atividades física 2 ano prof. waldir montenegro
Waldir Montenegro
 
Física 1º ano prof. pedro ivo - (movimento uniformemente variado )
Física 1º ano   prof. pedro ivo - (movimento uniformemente variado )Física 1º ano   prof. pedro ivo - (movimento uniformemente variado )
Física 1º ano prof. pedro ivo - (movimento uniformemente variado )
Pedro Ivo Andrade Sousa
 
2 em exercicios-ondas
2 em exercicios-ondas2 em exercicios-ondas
2 em exercicios-ondas
Emerson Assis
 
01 exercicios 2 ano-ondas
01 exercicios 2 ano-ondas01 exercicios 2 ano-ondas
01 exercicios 2 ano-ondas
Pedro Mateus
 
Cinemática introdução
Cinemática introduçãoCinemática introdução
Cinemática introdução
O mundo da FÍSICA
 
Exercícios de distribuição eletrônica
Exercícios de distribuição eletrônicaExercícios de distribuição eletrônica
Exercícios de distribuição eletrônica
Valquiria R. Nascimento
 
avaliação 9 ano química
avaliação 9 ano químicaavaliação 9 ano química
avaliação 9 ano química
daianafrs
 
Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano]
Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano] Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano]
Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano]
Ronaldo Santana
 
Atividades sobre aceleração
Atividades sobre aceleraçãoAtividades sobre aceleração
Atividades sobre aceleração
wagneripo
 
Exercicios resolvidos movimento retilíneo uniforme
Exercicios resolvidos movimento retilíneo uniformeExercicios resolvidos movimento retilíneo uniforme
Exercicios resolvidos movimento retilíneo uniforme
razonetecontabil
 
Fisica exercicios resolvidos 003
Fisica exercicios resolvidos  003Fisica exercicios resolvidos  003
Fisica exercicios resolvidos 003
comentada
 
Introdução à óptica geométrica
Introdução à óptica geométricaIntrodução à óptica geométrica
Introdução à óptica geométrica
fisicaatual
 
Leis De Kepler
Leis De KeplerLeis De Kepler
Leis De Kepler
ISJ
 
Gabarito física
Gabarito físicaGabarito física
Gabarito física
Ronaldo Santana
 
Potência Elétrica-Exercícios
Potência Elétrica-ExercíciosPotência Elétrica-Exercícios
Potência Elétrica-Exercícios
jucimarpeixoto
 
20 ondulatória fundamentos
20  ondulatória fundamentos20  ondulatória fundamentos
20 ondulatória fundamentos
Bruno De Siqueira Costa
 
Tabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º anoTabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º ano
Carlos Magno Braga
 
Dilatacao linear exercicios
Dilatacao linear exerciciosDilatacao linear exercicios
Dilatacao linear exercicios
Marcia Marcia.Cristina2
 
Calor sensivel e calor latente
Calor sensivel e calor latenteCalor sensivel e calor latente
Calor sensivel e calor latente
ReinaldoMassayuki1
 

Mais procurados (20)

Movimento uniforme
Movimento uniformeMovimento uniforme
Movimento uniforme
 
Atividades física 2 ano prof. waldir montenegro
Atividades física 2  ano prof. waldir montenegroAtividades física 2  ano prof. waldir montenegro
Atividades física 2 ano prof. waldir montenegro
 
Física 1º ano prof. pedro ivo - (movimento uniformemente variado )
Física 1º ano   prof. pedro ivo - (movimento uniformemente variado )Física 1º ano   prof. pedro ivo - (movimento uniformemente variado )
Física 1º ano prof. pedro ivo - (movimento uniformemente variado )
 
2 em exercicios-ondas
2 em exercicios-ondas2 em exercicios-ondas
2 em exercicios-ondas
 
01 exercicios 2 ano-ondas
01 exercicios 2 ano-ondas01 exercicios 2 ano-ondas
01 exercicios 2 ano-ondas
 
Cinemática introdução
Cinemática introduçãoCinemática introdução
Cinemática introdução
 
Exercícios de distribuição eletrônica
Exercícios de distribuição eletrônicaExercícios de distribuição eletrônica
Exercícios de distribuição eletrônica
 
avaliação 9 ano química
avaliação 9 ano químicaavaliação 9 ano química
avaliação 9 ano química
 
Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano]
Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano] Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano]
Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano]
 
Atividades sobre aceleração
Atividades sobre aceleraçãoAtividades sobre aceleração
Atividades sobre aceleração
 
Exercicios resolvidos movimento retilíneo uniforme
Exercicios resolvidos movimento retilíneo uniformeExercicios resolvidos movimento retilíneo uniforme
Exercicios resolvidos movimento retilíneo uniforme
 
Fisica exercicios resolvidos 003
Fisica exercicios resolvidos  003Fisica exercicios resolvidos  003
Fisica exercicios resolvidos 003
 
Introdução à óptica geométrica
Introdução à óptica geométricaIntrodução à óptica geométrica
Introdução à óptica geométrica
 
Leis De Kepler
Leis De KeplerLeis De Kepler
Leis De Kepler
 
Gabarito física
Gabarito físicaGabarito física
Gabarito física
 
Potência Elétrica-Exercícios
Potência Elétrica-ExercíciosPotência Elétrica-Exercícios
Potência Elétrica-Exercícios
 
20 ondulatória fundamentos
20  ondulatória fundamentos20  ondulatória fundamentos
20 ondulatória fundamentos
 
Tabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º anoTabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º ano
 
Dilatacao linear exercicios
Dilatacao linear exerciciosDilatacao linear exercicios
Dilatacao linear exercicios
 
Calor sensivel e calor latente
Calor sensivel e calor latenteCalor sensivel e calor latente
Calor sensivel e calor latente
 

Semelhante a Oficina De FíSica 9º Ano SáBado 19 09 2009

Ondas resumo
Ondas   resumoOndas   resumo
Ondas resumo
NS Aulas Particulares
 
Someluz
SomeluzSomeluz
Ondas e som resumo
Ondas e som   resumoOndas e som   resumo
Ondas e som resumo
NS Aulas Particulares
 
Acústica
AcústicaAcústica
Ondas e sons- aulas para alunos da turma do 9 ano do ensino fundamental
Ondas e sons- aulas para alunos da turma do 9 ano do ensino fundamentalOndas e sons- aulas para alunos da turma do 9 ano do ensino fundamental
Ondas e sons- aulas para alunos da turma do 9 ano do ensino fundamental
ferreiraericaluana
 
Fenómenos acústicos.pptx
Fenómenos acústicos.pptxFenómenos acústicos.pptx
Fenómenos acústicos.pptx
LucyCamilo2
 
O som
O somO som
Som e Luz
Som e LuzSom e Luz
Som e Luz
Fábio Simões
 
Conceitos da acústica estudados em aulas
Conceitos da acústica estudados em aulasConceitos da acústica estudados em aulas
Conceitos da acústica estudados em aulas
398829
 
Acústica
AcústicaAcústica
Fenômenos - Física
Fenômenos - FísicaFenômenos - Física
Fenômenos - Física
rodrigodalri
 
06042022114120Ondas sonoras - 9 ano.ppt
06042022114120Ondas sonoras  - 9 ano.ppt06042022114120Ondas sonoras  - 9 ano.ppt
06042022114120Ondas sonoras - 9 ano.ppt
fagnerlopes11
 
Ondas sonoras - 9 ano.ppt
Ondas sonoras  - 9 ano.pptOndas sonoras  - 9 ano.ppt
Ondas sonoras - 9 ano.ppt
robson226649
 
Ondas 9° ano cec
Ondas 9° ano cecOndas 9° ano cec
Ondas 9° ano cec
Sergio Madureira
 
Conceito de onda e som.pptx
Conceito de onda e som.pptxConceito de onda e som.pptx
Conceito de onda e som.pptx
Carlos Fernando Oliveira
 
Ondulatória 9º Ano.ppt
Ondulatória 9º Ano.pptOndulatória 9º Ano.ppt
Ondulatória 9º Ano.ppt
Bruno Oliveira
 
ACÚSTICA.pptx
ACÚSTICA.pptxACÚSTICA.pptx
ACÚSTICA.pptx
rickriordan
 
12 som acustica_1
12 som acustica_112 som acustica_1
12 som acustica_1
Sonia Aluna Química 2012-2
 
Acustica da sala de cinema
Acustica da sala de cinemaAcustica da sala de cinema
Acustica da sala de cinema
Marco Aurélio Aurélio
 
Som
SomSom

Semelhante a Oficina De FíSica 9º Ano SáBado 19 09 2009 (20)

Ondas resumo
Ondas   resumoOndas   resumo
Ondas resumo
 
Someluz
SomeluzSomeluz
Someluz
 
Ondas e som resumo
Ondas e som   resumoOndas e som   resumo
Ondas e som resumo
 
Acústica
AcústicaAcústica
Acústica
 
Ondas e sons- aulas para alunos da turma do 9 ano do ensino fundamental
Ondas e sons- aulas para alunos da turma do 9 ano do ensino fundamentalOndas e sons- aulas para alunos da turma do 9 ano do ensino fundamental
Ondas e sons- aulas para alunos da turma do 9 ano do ensino fundamental
 
Fenómenos acústicos.pptx
Fenómenos acústicos.pptxFenómenos acústicos.pptx
Fenómenos acústicos.pptx
 
O som
O somO som
O som
 
Som e Luz
Som e LuzSom e Luz
Som e Luz
 
Conceitos da acústica estudados em aulas
Conceitos da acústica estudados em aulasConceitos da acústica estudados em aulas
Conceitos da acústica estudados em aulas
 
Acústica
AcústicaAcústica
Acústica
 
Fenômenos - Física
Fenômenos - FísicaFenômenos - Física
Fenômenos - Física
 
06042022114120Ondas sonoras - 9 ano.ppt
06042022114120Ondas sonoras  - 9 ano.ppt06042022114120Ondas sonoras  - 9 ano.ppt
06042022114120Ondas sonoras - 9 ano.ppt
 
Ondas sonoras - 9 ano.ppt
Ondas sonoras  - 9 ano.pptOndas sonoras  - 9 ano.ppt
Ondas sonoras - 9 ano.ppt
 
Ondas 9° ano cec
Ondas 9° ano cecOndas 9° ano cec
Ondas 9° ano cec
 
Conceito de onda e som.pptx
Conceito de onda e som.pptxConceito de onda e som.pptx
Conceito de onda e som.pptx
 
Ondulatória 9º Ano.ppt
Ondulatória 9º Ano.pptOndulatória 9º Ano.ppt
Ondulatória 9º Ano.ppt
 
ACÚSTICA.pptx
ACÚSTICA.pptxACÚSTICA.pptx
ACÚSTICA.pptx
 
12 som acustica_1
12 som acustica_112 som acustica_1
12 som acustica_1
 
Acustica da sala de cinema
Acustica da sala de cinemaAcustica da sala de cinema
Acustica da sala de cinema
 
Som
SomSom
Som
 

Mais de Homero Junior

Lista1
Lista1Lista1
Aula 01 (20 02 2010)
Aula 01 (20 02 2010)Aula 01 (20 02 2010)
Aula 01 (20 02 2010)
Homero Junior
 
Aula 1 (20 02 2010)
Aula 1 (20 02 2010)Aula 1 (20 02 2010)
Aula 1 (20 02 2010)
Homero Junior
 
Aula 01 (20 02 2010)
Aula 01 (20 02 2010)Aula 01 (20 02 2010)
Aula 01 (20 02 2010)
Homero Junior
 
Respostas Dos ExercíCios De CinemáTica 1
Respostas Dos ExercíCios De CinemáTica 1Respostas Dos ExercíCios De CinemáTica 1
Respostas Dos ExercíCios De CinemáTica 1
Homero Junior
 
ExercíCios De CinemáTica 1
ExercíCios De CinemáTica 1ExercíCios De CinemáTica 1
ExercíCios De CinemáTica 1
Homero Junior
 

Mais de Homero Junior (6)

Lista1
Lista1Lista1
Lista1
 
Aula 01 (20 02 2010)
Aula 01 (20 02 2010)Aula 01 (20 02 2010)
Aula 01 (20 02 2010)
 
Aula 1 (20 02 2010)
Aula 1 (20 02 2010)Aula 1 (20 02 2010)
Aula 1 (20 02 2010)
 
Aula 01 (20 02 2010)
Aula 01 (20 02 2010)Aula 01 (20 02 2010)
Aula 01 (20 02 2010)
 
Respostas Dos ExercíCios De CinemáTica 1
Respostas Dos ExercíCios De CinemáTica 1Respostas Dos ExercíCios De CinemáTica 1
Respostas Dos ExercíCios De CinemáTica 1
 
ExercíCios De CinemáTica 1
ExercíCios De CinemáTica 1ExercíCios De CinemáTica 1
ExercíCios De CinemáTica 1
 

Último

TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Danilo Pinotti
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
joaovmp3
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
Faga1939
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
Momento da Informática
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 

Último (8)

TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
 

Oficina De FíSica 9º Ano SáBado 19 09 2009

  • 1. Professor : Homero Jr. Aluno (a): Nº 9º Ano Turma: ( ) Data: 19 de setembro de 2009 Oficina de Física 1. ACÚSTICA: é a parte da Física que estuda as 5. REFLEXÃO DO SOM - É um dos principais ondas sonoras. fenômenos que ocorre com o som, onde o intervalo 2. ONDAS SONORAS: são ondas mecânicas, de tempo (∆t), decorrido entre o som direto e o som longitudinais e tridimensionais. refletido, ouvidos por um observador, é dado por: O ouvido humano normal consegue captar freqüências sonoras que vão de 20Hz até 20.000Hz. Abaixo de 20Hz, temos o infra-som e acima de 20.000 Hz, o ultra-som. Assim, definem-se: Eco: ocorre se ∆t ≥ 0,1s (0,1s é o tempo que o som persiste no cérebro). O observador ouve separadamente o som 3. VELOCIDADE DO SOM - Por ser uma onda direto e o som refletido. mecânica, o som se propaga mais rapidamente Ex: Uma pessoa gritando nos sólidos do que nos líquidos, e, nos líquidos, na entrada de uma longa mais rapidamente do que nos gases. caverna, ouve o eco de sua própria voz. REVERBERAÇÃO: ocorre se 0s < ∆t < 0,1s. O observador ouve o som refletido, quando o som direto ainda está se extinguindo. Há um prolongamento do som. Ex: Uma pessoa gritando num auditório vazio, ouve a reverberação de sua voz. 4. QUALIDADES FISIOLÓGICAS DO SOM - O Reforço: ocorre se ∆t ≈ 0s. O observador ouve o ouvido humano é capaz de diferenciar algumas som direto juntamente com o som refletido. Há um qualidades do som, como altura, intensidade e aumento na intensidade do som. timbre. Ex: Uma pessoa cantando num pequeno banheiro. 4.1. ALTURA: permite diferenciar um som grave Obs: O sonar emite ultra-sons e capta o eco de um som agudo, através da freqüência. (ondas que se refletem no eventual obstáculo), medindo o intervalo de tempo ∆t entre a emissão e Som grave: menor freqüência (som baixo) a recepção. Ex: Voz de homem (100Hz à 200Hz) Som agudo: maior freqüência (som alto) Ex: Voz de Mulher (200Hz à 400Hz) 4.2. INTENSIDADE: permite diferenciar um som forte de um som fraco, através da amplitude. Som forte: maior amplitude (ambiente barulhento) Som fraco: menor amplitude (ambiente calmo) Obs1: Aproximando-se da fonte sonora, o som fica mais forte;afastando-se da fonte, fica mais fraco. Obs2: A intensidade mínima audível é 6. RESSONÂNCIA - Um diapasão, um pêndulo e I 0 10 12 2 W / m e a intensidade máxima suportável um sistema massa-mola possuem uma única (limiar da dor) é I MAX 1W / m 2 . freqüência de vibração chamada de freqüência natural (ou própria). Assim, todos os corpos 4.3. TIMBRE: permite diferenciar dois sons de (prédios, pontes, taças de cristal, balanços etc) mesma altura e mesma intensidade, emitidos por possuem uma freqüência natural de vibração. fontes diferentes. Quando um corpo recebe energia de uma fonte Ex: A mesma nota musical emitida por um violino com freqüência igual à sua freqüência natural e um piano diferem-se pelo timbre, ou seja, pela (ffonte= fnatural), o corpo entra em ressonância com a forma das ondas. fonte e a sua amplitude de vibração aumenta cada vez mais. Ex1. Uma taça de cristal pode-se estilhaçar quando uma cantora com voz de soprano (alta f) emitir uma nota musical com freqüência igual à freqüência natural da taça.
  • 2. Exercícios 1. Em relação às ondas sonoras podemos afirmar Anotações que: a) a propriedade física que nos permite classificar a altura do som em grave ou agudo é a sua freqüência. b) quando alteramos o botão do volume do rádio, estamos alterando a altura dos sons do rádio. c) ao atravessar a superfície de separação de dois meios, uma onda varia sua freqüência. d) a altura de uma onda sonora é a qualidade ligada diretamente à forma da onda. e) dois sons com mesma altura e intensidade, provenientes de dois instrumentos musicais diferentes, são perfeitamente idênticos ao ouvido humano. 2. Duas cordas idênticas de violão foram afinadas para produzirem a mesma nota musical. Dedilhando-se uma das cordas, observa-se que a outra também vibra. Esse fenômeno é conhecido como: a) difração. b) batimentos. c) interferência. d) refração. e) ressonância. 3. O ouvido humano detecta sons cuja freqüência varia de 20Hz a 20.000Hz. Considere a velocidade de qualquer som no ar igual a 340 m/s. Um som inaudível pelo nosso ouvido, emitido por um animal, tem freqüência de 3,4.104Hz. O comprimento de onda desse som, em metros, vale: a) 1,0.10-2 b) 1,7.10-2 c) 3,4.10-2 d) 1,7 e) 1,7 . 10 4. Com relação à velocidade de propagação do som, podemos afirmar que é: a) maior nos sólidos do que nos líquidos. b) maior nos gases do que nos sólidos. c) maior nos líquidos do que nos sólidos. d) nula nos sólidos. e) máxima no vácuo. 5. A tabela apresenta a freqüência f dos sons fundamentais de notas musicais produzidas por diapasões e que se propagam no ar. Considerando esses dados, selecione a alternativa que completa corretamente as lacunas das seguintes afirmações: I. Do som mais agudo ao som mais grave, as ondas têm um aumento progressivo do(a)........................ II. O comprimento de onda do som lá é ............do que o som mi. a)período-menor b)período-maior c)freqüência-menor d) freqüência-maior e) altura-maior 6. Cantores de ópera se tornam famosos por serem capazes de quebrar um copo de cristal cantando a nota adequada. O fenômeno responsável por isso é a: a) difração. c) ressonância. b) polarização. d) interferência c) reflexão.
  • 3. 1. ÓPTICA GEOMÉTRICA - É a parte da Física que se propaga no meio 1 incide sobre a que estuda a trajetória da luz, não se preocupa superfície S e retorna ao meio 1, mantendo o com a sua natureza. paralelismo. 2. CONCEITOS BÁSICOS: Ex: A reflexão regular é responsável pela formação a) Raio de luz: é a representação geométrica da de imagens no espelho. trajetória da luz, indicando a direção e o sentido b) Reflexão difusa ou difusão: o feixe de raios de sua propagação. paralelos que se propaga no meio 1 incide sobre b) Feixe de luz: é um conjunto de raios de luz. a superfície S e retorna ao meio 1, perdendo o Um feixe luminoso pode ser: paralelismo e espalhando-se em todas as direções. A difusão é devido às irregularidades da superfície. A reflexão difusa é responsável pela visão dos objetos que nos cercam. 3. FONTE DE LUZ - São corpos que podem ser Ex: Vemos uma vistos, ou seja, emitem luz. pessoa porque 4. CLASSIFICAÇÃO DAS FONTES DE LUZ. ela reflete difusamente para a nossa vista a luz que 4.1. QUANTO À EMISSÃO DE LUZ: recebe. a) Fonte primária ou corpo luminoso: emite luz c) Refração: o feixe de raios que se propaga no própria. meio 1 incide sobre a Ex: o Sol, as estrelas, uma lâmpada ligada, uma superfície S e passa vela acesa, um a se propagar vaga-lume, um interruptor, metal aquecido ao rubro no meio 2, . A etc. refração ocorre b) Fonte secundária ou corpo iluminado: não em meios emite luz própria, reflete luz de uma fonte primária. transparentes. Ex: a Lua, os planetas, um caderno, uma caneta, d) Absorção: o feixe de raios paralelos que se uma cadeira, uma pessoa, um quadro etc. propaga no meio 1 incide sobre a superfície S e 4.2 QUANTO À DIMENSÃO: não retorna ao meio 1 nem se propaga no meio a) Fonte pontual ou puntiforme: suas dimensões 2, ocorrendo a absorção. Como a luz são desprezíveis em ralação ao ambiente é uma forma de considerado. energia, sua Ex: uma pequena lâmpada num salão. absorção b) Fonte extensa: suas dimensões não são ocasiona um desprezíveis em relação ao ambiente considerado. aquecimento. Ex: uma lâmpada fluorescente num quarto. Ex: A absorção é responsável pelo aquecimento de 5. CLASSIFICAÇÃO DOS MEIOS ÓPTICOS. uma camisa preta quando exposta à luz. a) Meio transparente: é aquele que permite a 7. CLASSIFICAÇÃO DA LUZ QUANTO À COR. propagação regular da luz. a) Luz monocromática: é a luz de uma única cor, ou seja, não é decorrente de uma composição de cores. Ex: A luz amarela emitida pelo vapor de sódio incandescente. Ex: aquário, ar, vidro comum, papel celofone, etc... b) Luz policromática: é a luz resultante da b) Meio Translúcido: é aquele que permite a composição de luzes monocromáticas. propagação irregular da luz. Ex: A luz branca emita pelo Sol é constituída por uma infinidade de luzes monocromáticas, as quais podem ser divididas em sete cores principais: Vermelho, Alaranjado, Amarelo, Verde, Anil, Violeta. 8. A COR DOS CORPOS - A cor apresentada por Ex: vidro fosco, papel vegetal, tecido fino, ar com um corpo, ao ser iluminado, depende do tipo de luz neblina etc. que ele reflete difusamente. Assim, corpos de c) Meio opaco: é aquele que não permite a diferentes cores, sendo iluminados por luz branca, propagação da luz. teremos: Ex: parede de tijolos, portão de madeira, placa metálica etc. 6. FENÔMENOS ÓPTICOS - Quando a luz incide sobre uma superfície S que separa dois meios, o corpo vermelho, vai refletir difusamente a luz pode sofrer os vermelha e absorver as demais; o corpo amarelo, seguintes fenômenos. vai refletir difusamente a luz amarela e absorver as a) Reflexão demais, e assim por diante. E o corpo negro, vai regular: o feixe de absorver todas as luzes. Atente ao fato de que um raios paralelos corpo amarelo parecerá negro quando for
  • 4. iluminado por luz diferente da branca e da amarela, 2. No esquema da figura representamos o Sol, a pois essa luz será devidamente absorvida. Terra e a Lua. Para um observador na superfície 9. PRINCÍPIOS DA ÓPTICA GEOMÉTRICA da Terra voltada para a Lua (ponto O): 9.1. PRINCÍPIO DA INDEPENDÊNCIA DOS RAIOS LUMINOSOS: quando raios de luz se cruzam, cada um segue sua trajetória independente dos outros. a) é noite, fase de Lua nova e ocorre eclipse da Lua. b) é dia, fase de Lua cheia e ocorre eclipse do Sol. c) é noite, fase de Lua cheia e a Lua está visível. 9.2. PRINCÍPIO DA REVERSIBILIDADE DOS d) é dia, fase de Lua nova e ocorre eclipse da Lua. RAIOS LUMINOSOS: a trajetória do raio de luz e) é noite, fase de Lua cheia e ocorre eclipse da não depende do sentido de percurso. Lua. 3. Numa aula prática de física foi feito o experimento esquematizado nas figuras I e II, onde o professor alternou a posição da fonte e do observador. Com esse experimento, o professor pretendia demonstrar uma aplicação da (o): 9.3. PRINCÍPIO DA PROPAGAÇÃO RETILÍNEA DOS RAIOS LUMINOSOS: nos meios homogêneos e transparentes, a luz se propaga em a) reflexão difusa. linha reta. b) fenômeno da difração. c) princípio da reflexão. d) princípio da reversibilidade da Luz. e) princípio da independência dos raios luminosos. 4. A formação de sombra evidencia que: a) a luz se propaga em linha reta. 10. SOMBRA E PENUMBRA - A sombra b) a velocidade da luz não depende do referencial. corresponde a uma região com ausência total de c) a luz sofre refração. luz, enquanto a penumbra corresponde a uma d) a luz é necessariamente fenômeno da natureza região parcialmente iluminada. corpuscular. 11. ECLIPSE: ocorre devido à propagação retilínea e) a temperatura do obstáculo influi na luz que o da luz, quando o Sol, a Lua e a Terra estão atravessa. alinhados. 5. Quando a Lua se coloca entre o Sol e a Terra, durante o eclipse do Sol, ela projeta sobre a superfície terrestre uma região de sombra e outra de penumbra. Para um observador situado na região de penumbra: a) o eclipse será total e o disco solar ficará totalmente escuro. b) o eclipse será total e o disco solar ficará cinza. c) o eclipse será parcial. d) o eclipse será parcial, pois o disco solar ficará cinza. e) não haverá eclipse. 6. O fenômeno conhecido como eclipse solar Obs.: Os eclipses da Lua ocorrem na lua cheia e evidencia que a luz: os eclipses do Sol, na lua nova. a) é independente quando se propaga. EXERCÍCIOS b) é reversível quando se propaga. 1. Durante um eclipse solar, um observador: c) se propaga em linha reta. a) no cone de sombra, vê um eclipse parcial. d) se propaga em linha curva. b) na região de penumbra, vê um eclipse total. e) contorna os objetos ao se propagar. c) na região plenamente iluminada, vê a Lua eclipsada. “Um homem não pode fazer o certo numa área da vida, d) na região da sombra própria da Terra, vê enquanto está ocupado em fazer o errado em outra. A somente a Lua. vida é um todo indivisível”. Mahatma Gandhi e) na região plenamente iluminada, não vê o eclipse solar.