SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
O PRETO
pode ficar
BRANCO
Esse fenômeno é provocado pela ação
de um feixe de fótons sobre células
especializadas da retina, as quais
transmitem impressões para o sistema
nervoso, permitindo diferenciar os
objetos do espaço com maior precisão.
•

Portanto, a cor resulta da existência
da luz. E branco e preto não são
cores, mas características da luz, que
convencionamos chamar de cor. Na
ausência de luz não há cores, existe
apenas o preto.
• Em 1676 o físico inglês Isaac Newton
demonstrou, utilizando um prisma de
três faces, que a luz branca podia ser
decomposta em 7 cores, na natureza
essa decomposição origina o arco-íris.
Ao incidir nas gotas de água da
chuva, os raios da luz solar que
atravessa sob as nuvens se
decompõem nas várias cores.
Considerando as cores como luz, a cor branca resulta da sobreposição
de todas as cores, enquanto o preto é a ausência de luz.

Espectro visível

Cor

Comprimento de onda
(nm)

Freqüência
(THz)

violeta

~ 380-440

~ 790-680

azul

~ 440-485

~ 680-620

ciano

~ 485-500

~ 620-600

verde

~ 500-565

~ 600-530

amarelo

~ 565-590

~ 530-510

laranja

~ 590-625

~ 510-480

vermelho

~ 625-740

~ 625-740
Convém
ressaltar
que
podemos:

Ver o que nos
rodeia porque os
corpos refletem a
luz que os
ilumina, sendo
que a cor que
enxergamos é a
luz refletida por
um corpo.

Distinguir os
corpos por
terem a
capacidade de
refletir a luz de
modo diferente

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a O preto pode ficar branco

Refração da luz e o Modelo Atômico de Bohr
Refração da luz e o Modelo Atômico de BohrRefração da luz e o Modelo Atômico de Bohr
Refração da luz e o Modelo Atômico de Bohr
Raiane Assunção
 
Radiação solar
Radiação solarRadiação solar
Radiação solar
Ana Isidoro
 

Semelhante a O preto pode ficar branco (20)

Sem Luz não existe Cor
Sem Luz não existe CorSem Luz não existe Cor
Sem Luz não existe Cor
 
Aula 01 teoria da cor
Aula 01   teoria da corAula 01   teoria da cor
Aula 01 teoria da cor
 
Aula 04 linguagem gráfica no jornalismo
Aula 04   linguagem gráfica no jornalismoAula 04   linguagem gráfica no jornalismo
Aula 04 linguagem gráfica no jornalismo
 
A cor
A corA cor
A cor
 
PercepçãO Da Cor1
PercepçãO Da Cor1PercepçãO Da Cor1
PercepçãO Da Cor1
 
A Luz Cor
A Luz CorA Luz Cor
A Luz Cor
 
Cor
CorCor
Cor
 
Luz cor 1
Luz cor 1Luz cor 1
Luz cor 1
 
Energia luminosa
Energia luminosaEnergia luminosa
Energia luminosa
 
Aula 06 - Fundamentos Teoria da Cor 2022.pdf
Aula 06 - Fundamentos Teoria da Cor 2022.pdfAula 06 - Fundamentos Teoria da Cor 2022.pdf
Aula 06 - Fundamentos Teoria da Cor 2022.pdf
 
ESPECTROSCOPIA.pptx
ESPECTROSCOPIA.pptxESPECTROSCOPIA.pptx
ESPECTROSCOPIA.pptx
 
Graude brancurasolout2005
Graude brancurasolout2005Graude brancurasolout2005
Graude brancurasolout2005
 
Leitura 2
Leitura 2Leitura 2
Leitura 2
 
Refração da luz e o Modelo Atômico de Bohr
Refração da luz e o Modelo Atômico de BohrRefração da luz e o Modelo Atômico de Bohr
Refração da luz e o Modelo Atômico de Bohr
 
Ciência das Cores.pdf
Ciência das Cores.pdfCiência das Cores.pdf
Ciência das Cores.pdf
 
Luz e cor
Luz e corLuz e cor
Luz e cor
 
Luz e Cor
Luz e CorLuz e Cor
Luz e Cor
 
Espectro luminoso
Espectro luminosoEspectro luminoso
Espectro luminoso
 
004 Foto Luz
004 Foto Luz004 Foto Luz
004 Foto Luz
 
Radiação solar
Radiação solarRadiação solar
Radiação solar
 

Mais de Paloma Meneses (20)

Winnicott
WinnicottWinnicott
Winnicott
 
Washington d.c
Washington d.cWashington d.c
Washington d.c
 
Nietzsche e sua filosofia a golpes de martelo
Nietzsche e sua filosofia a golpes de marteloNietzsche e sua filosofia a golpes de martelo
Nietzsche e sua filosofia a golpes de martelo
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Geografia do ceara
Geografia do cearaGeografia do ceara
Geografia do ceara
 
Movimento constitucionalista
Movimento constitucionalistaMovimento constitucionalista
Movimento constitucionalista
 
Período vargas 1930 1945
Período vargas 1930 1945Período vargas 1930 1945
Período vargas 1930 1945
 
Juscelino kubitschek
Juscelino kubitschekJuscelino kubitschek
Juscelino kubitschek
 
India x paquistão
India x paquistãoIndia x paquistão
India x paquistão
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
 
Atletismo para deficientes visuais
Atletismo para deficientes visuaisAtletismo para deficientes visuais
Atletismo para deficientes visuais
 
As cidades e a urbanização brasileira
As  cidades  e  a urbanização   brasileiraAs  cidades  e  a urbanização   brasileira
As cidades e a urbanização brasileira
 
Aids
AidsAids
Aids
 
A ética de aristóteles
A ética de aristótelesA ética de aristóteles
A ética de aristóteles
 
A crise da metafísica com hume.
A crise da metafísica com hume.A crise da metafísica com hume.
A crise da metafísica com hume.
 
Apec
ApecApec
Apec
 
Congresso
CongressoCongresso
Congresso
 
Gêneros textuais
Gêneros textuaisGêneros textuais
Gêneros textuais
 

Último

4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
LindinhaSilva1
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
GisellySobral
 

Último (20)

4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 

O preto pode ficar branco

  • 2. Esse fenômeno é provocado pela ação de um feixe de fótons sobre células especializadas da retina, as quais transmitem impressões para o sistema nervoso, permitindo diferenciar os objetos do espaço com maior precisão.
  • 3.
  • 4. • Portanto, a cor resulta da existência da luz. E branco e preto não são cores, mas características da luz, que convencionamos chamar de cor. Na ausência de luz não há cores, existe apenas o preto. • Em 1676 o físico inglês Isaac Newton demonstrou, utilizando um prisma de três faces, que a luz branca podia ser decomposta em 7 cores, na natureza essa decomposição origina o arco-íris. Ao incidir nas gotas de água da chuva, os raios da luz solar que atravessa sob as nuvens se decompõem nas várias cores.
  • 5. Considerando as cores como luz, a cor branca resulta da sobreposição de todas as cores, enquanto o preto é a ausência de luz. Espectro visível Cor Comprimento de onda (nm) Freqüência (THz) violeta ~ 380-440 ~ 790-680 azul ~ 440-485 ~ 680-620 ciano ~ 485-500 ~ 620-600 verde ~ 500-565 ~ 600-530 amarelo ~ 565-590 ~ 530-510 laranja ~ 590-625 ~ 510-480 vermelho ~ 625-740 ~ 625-740
  • 6. Convém ressaltar que podemos: Ver o que nos rodeia porque os corpos refletem a luz que os ilumina, sendo que a cor que enxergamos é a luz refletida por um corpo. Distinguir os corpos por terem a capacidade de refletir a luz de modo diferente