SlideShare uma empresa Scribd logo
Movimento da água
no solo
Movimento de água no solo
Sempre que no sistema
houver diferença de
potencial total de água no
solo(ψ), pode haver
movimento de água
no solo.
Energia potencial total da água (Ψ)

Ψ= Ψg + Ψp + Ψm + Ψo Sendo:
Ψg = potencial gravitacional
Ψp = potencial de pressão
Ψm = potencial matricial
Ψo = potencial osmótico
CURVA CARACTERÍSTICA DE ÁGUA NO SOLO
No solo, Ψ m varia de 0 (solo saturado) a 107 cm (solo seco na
estufa). Assim, por conveniência, é expressa como:
pF = Log (- Ψ M )

Log (- Ψ M)

sendo Ψ M expresso em bar (1 cm de água = 981 bar ou 1 bar = 0,1 pa).
7
6
5
4
3
2
1
0

silte

argila

areia
Teor de umidade

Saturação
Diferenças de umidade nas diferentes
camadas do solo provocam
movimento de água:
• camadas superficiais mais secas:
movimento ascendente
• todo o solo úmido: movimento
descendente
Solo saturado sobre camada impermeável
•A
0,20m

Lâmina de água

•B

0,20m

•C

Solo

Camada impermeável

Nesse caso:
gradiente ψ g= gradiente
pois
gradiente ψ g= dg
gradiente ψ p= dg

ψp
Todo o solo úmido: movimento descendente
Caso de uma chuva prolongada e intensa:

0,10

1,0

0,30

0,50

Movimento de água

0,5
Gradiente
gravitacional

Profundidade (m)

Umidade do solo (cm3/cm3)

2,0

Drenagem interna
Camada superficial mais seca: movimento ascendente

0,20

0,40

0,60

0,30

Movimento de água

0,10

Gradiente

Profundidade (m)

Umidade do solo (cm3/cm3)
0,50

MAIOR POTENCIAL
MATRICIAL
A água pode mover-se em qualquer sentido e direção de
acordo com a distribuição dos potenciais de água no solo
e dos gradientes gerados.
Condutividade hidráulica
Definição:
Parâmetro que mede a facilidade com a qual o
solo transmite água.
Maior a condutividade hidráulica maior será a
facilidade da água se movimentar no solo.
3

Q
cm
cm
K=
=
=
2
A ∗ t cm ∗ s
s
Onde:
Q=volume de água (cm3)
A= área (cm2)
t= tempo (s)
Condutividade hidráulica (K)
A condutividade hidráulica do solo é tanto
maior quanto maior for a umidade do solo.
Valor máximo de K ocorre quando o solo está
saturado - condutividade hidráulica saturada.

k ∗ ρe ∗ g
K=
η
Onde:
k= permeabilidade intrínseca (cm2) que depende do arranjo geométrico
das partículas e da umidade.
ρ e= massa específica do fluido (g/cm3)
g= aceleração da gravidade (cm/s2)
η= viscosidade do fluido (g/cm s)
k ∗ ρe ∗ g
K=
η
Pode-se considerar que ρ e= massa específica do fluído
(g/cm3), g= aceleração da gravidade (cm/s 2)
e η= viscosidade do fluido (g/cm s) são constantes.
k varia em função da umidade do solo.
Assim,
Solos não saturados:
K é função da umidade
Solos saturados:
o K é constante
Equação utilizada para quantificar o
movimento de água no solo.
Equação de Darcy:

q = − K (cm / s ) ∗ grad .ψ (cm / cm) = cm / s
Dois Fatores !
D

Atmosfera
Ψ=-5 a -20MPa

Ψ A> Ψ B> Ψ C> Ψ D

C para D - ocorre mudança de estado
Ψ=-0,03 a -1MPa

C

Planta
B para C - transporte ocorre via xilema

Solo
Ψ=-0,01 a -0,02MPa

A

B

Ψ=-0,1 a -0,5MPa

q = − K ∗ grad .ψ = cm / h
Atmosfera

D

fatores importantes:
radiação solar, vento e
umidade relativa do ar.

Planta

fatores importantes:

C

atividade, distribuição e
profundidade radicular,
condição de sanidade do
xilema, arquitetura foliar.

Solo

fatores importantes:
umidade, relação ψ e θ e K

A

B
• Enquanto o fluxo de água atender à
demanda atmosférica, a planta
desenvolve-se adequadamente.
• Quando não atender mais, a planta
murcha.
• Quanto maior a perda de água e mais
longo o período de murcha, tanto mais
irreversível o processo.
• Devido a isto, devem ser definidos a
quantidade de água do solo que é
disponível para as plantas, não
havendo falta nem excesso
O que acontece com o
movimento de água no solo
quando o solo não é uniforme?
Solo com camada compactada
Camada impermeável
H2O

H2O

NãoCompactado

Compactado
Camada arenosa sobre camada
argilosa
H2O

Água começa a passar para a camada argilosa
assim que entrar em contato com ela

H2O
Camada argilosa sobre
camada arenosa
H2O

Água começa a passar para camada arenosa
quando a camada argilosa saturar

H2O
Camadas arenosa-argilosa-arenosa
H2 O

Wet & Dry Layers

H2 O
Solos irregulares
H 2O

Patchy Soil Moisture

H2O
VÍDEO:

“How water moves in
the soil”

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação aula 9
Apresentação aula 9Apresentação aula 9
Apresentação aula 9
IF Baiano - Campus Catu
 
Origem e formação do solo
Origem e formação do soloOrigem e formação do solo
Origem e formação do solo
Fabíola Mello
 
10 Propriedades Físicas do Solo-aula
10 Propriedades Físicas do Solo-aula10 Propriedades Físicas do Solo-aula
10 Propriedades Físicas do Solo-aula
Romulo Vinicius Tio Rominho
 
Aula 1 solos
Aula 1 solosAula 1 solos
Aula 1 solos
Giovanna Ortiz
 
12 agua no-solo
12  agua no-solo12  agua no-solo
12 agua no-solo
fatimaeng
 
Pedologia
PedologiaPedologia
Pedologia
Ruana Viana
 
Os fatores e processos de formação dos solos
Os fatores e processos de formação dos solosOs fatores e processos de formação dos solos
Os fatores e processos de formação dos solos
Jadson Belem de Moura
 
Preparação do Solo e Aplicação
Preparação do Solo e AplicaçãoPreparação do Solo e Aplicação
Preparação do Solo e Aplicação
Geagra UFG
 
Aula propriedades solo
Aula propriedades  soloAula propriedades  solo
Aula propriedades solo
Elton Mendes
 
Aula origem dos solos
Aula  origem dos solosAula  origem dos solos
Aula origem dos solos
Carolina Corrêa
 
Adubação Foliar - Nutrição/Fitormônios
Adubação Foliar - Nutrição/Fitormônios Adubação Foliar - Nutrição/Fitormônios
Adubação Foliar - Nutrição/Fitormônios
Geagra UFG
 
06 propriedades fisicas do solo ligadas a mecanização
06   propriedades fisicas do solo ligadas a mecanização06   propriedades fisicas do solo ligadas a mecanização
06 propriedades fisicas do solo ligadas a mecanização
Romulo Vinicius Tio Rominho
 
Manejo da Materia Orgânica
Manejo da Materia OrgânicaManejo da Materia Orgânica
Manejo da Materia Orgânica
Bruno Anacleto
 
Slides micronutrientes das plantas: Cobre
Slides micronutrientes das plantas: CobreSlides micronutrientes das plantas: Cobre
Slides micronutrientes das plantas: Cobre
Guilherme Lucio Martins
 
Aula 04 preparo do solo
Aula 04   preparo do soloAula 04   preparo do solo
Aula 04 preparo do solo
Willian Passos
 
Solos
SolosSolos
Fertilidade e manejo do uso do solo de cerrado
Fertilidade e manejo do uso do solo de cerradoFertilidade e manejo do uso do solo de cerrado
Fertilidade e manejo do uso do solo de cerrado
Marília Gomes
 
Infiltração
InfiltraçãoInfiltração
Infiltração
Hidrologia UFC
 
Morfologia do solo
Morfologia do soloMorfologia do solo
Morfologia do solo
Elvio Giasson
 
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05   sistema brasileiro de classificação de solosAula 05   sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
Jadson Belem de Moura
 

Mais procurados (20)

Apresentação aula 9
Apresentação aula 9Apresentação aula 9
Apresentação aula 9
 
Origem e formação do solo
Origem e formação do soloOrigem e formação do solo
Origem e formação do solo
 
10 Propriedades Físicas do Solo-aula
10 Propriedades Físicas do Solo-aula10 Propriedades Físicas do Solo-aula
10 Propriedades Físicas do Solo-aula
 
Aula 1 solos
Aula 1 solosAula 1 solos
Aula 1 solos
 
12 agua no-solo
12  agua no-solo12  agua no-solo
12 agua no-solo
 
Pedologia
PedologiaPedologia
Pedologia
 
Os fatores e processos de formação dos solos
Os fatores e processos de formação dos solosOs fatores e processos de formação dos solos
Os fatores e processos de formação dos solos
 
Preparação do Solo e Aplicação
Preparação do Solo e AplicaçãoPreparação do Solo e Aplicação
Preparação do Solo e Aplicação
 
Aula propriedades solo
Aula propriedades  soloAula propriedades  solo
Aula propriedades solo
 
Aula origem dos solos
Aula  origem dos solosAula  origem dos solos
Aula origem dos solos
 
Adubação Foliar - Nutrição/Fitormônios
Adubação Foliar - Nutrição/Fitormônios Adubação Foliar - Nutrição/Fitormônios
Adubação Foliar - Nutrição/Fitormônios
 
06 propriedades fisicas do solo ligadas a mecanização
06   propriedades fisicas do solo ligadas a mecanização06   propriedades fisicas do solo ligadas a mecanização
06 propriedades fisicas do solo ligadas a mecanização
 
Manejo da Materia Orgânica
Manejo da Materia OrgânicaManejo da Materia Orgânica
Manejo da Materia Orgânica
 
Slides micronutrientes das plantas: Cobre
Slides micronutrientes das plantas: CobreSlides micronutrientes das plantas: Cobre
Slides micronutrientes das plantas: Cobre
 
Aula 04 preparo do solo
Aula 04   preparo do soloAula 04   preparo do solo
Aula 04 preparo do solo
 
Solos
SolosSolos
Solos
 
Fertilidade e manejo do uso do solo de cerrado
Fertilidade e manejo do uso do solo de cerradoFertilidade e manejo do uso do solo de cerrado
Fertilidade e manejo do uso do solo de cerrado
 
Infiltração
InfiltraçãoInfiltração
Infiltração
 
Morfologia do solo
Morfologia do soloMorfologia do solo
Morfologia do solo
 
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05   sistema brasileiro de classificação de solosAula 05   sistema brasileiro de classificação de solos
Aula 05 sistema brasileiro de classificação de solos
 

Semelhante a Movimento de agua no solo

1 fluxo unidimensional - 05-08-2013
1   fluxo unidimensional - 05-08-20131   fluxo unidimensional - 05-08-2013
1 fluxo unidimensional - 05-08-2013
raphaelcava
 
Aula completa de Hidráulica dos solos.ppt
Aula completa de Hidráulica dos solos.pptAula completa de Hidráulica dos solos.ppt
Aula completa de Hidráulica dos solos.ppt
taloMoraes4
 
Aula 8 permeabilidade_dos_solos.
Aula 8 permeabilidade_dos_solos.Aula 8 permeabilidade_dos_solos.
Aula 8 permeabilidade_dos_solos.
RamonQuimico
 
13aula agua subterranea
13aula agua subterranea13aula agua subterranea
13aula agua subterranea
UFRN
 
Apresentação seminário tatiane
Apresentação seminário tatianeApresentação seminário tatiane
Apresentação seminário tatiane
MESTRADOAMBIENTAL
 
Hidrologia 5
Hidrologia 5Hidrologia 5
Hidrologia 5
lipemodesto
 
Definição..
Definição..Definição..
Definição..
Ronaldo Conceição
 
Aula curso midias virtuais ciclo hidrológico
Aula curso midias virtuais ciclo hidrológicoAula curso midias virtuais ciclo hidrológico
Aula curso midias virtuais ciclo hidrológico
HENIO MELO
 
Infiltração de agua no solo capitulo 5
Infiltração de agua no solo capitulo 5 Infiltração de agua no solo capitulo 5
Infiltração de agua no solo capitulo 5
Francinete Alves
 
Hidro cap5-inf
Hidro cap5-infHidro cap5-inf
Hidro cap5-inf
Vilobaldo Arquivila
 
Interceptac a-o e infiltrac-a-o - notas de aula
Interceptac a-o e infiltrac-a-o - notas de aulaInterceptac a-o e infiltrac-a-o - notas de aula
Interceptac a-o e infiltrac-a-o - notas de aula
Felipe Leandro
 
Lei da darcy
Lei da darcyLei da darcy
Lei da darcy
Gilson Adao
 
Agua no solo
Agua no soloAgua no solo
Agua no solo
JACKSONSOUZA1976
 
Como se define e como se detemina o coeficiente de permeabilidade dos solos d...
Como se define e como se detemina o coeficiente de permeabilidade dos solos d...Como se define e como se detemina o coeficiente de permeabilidade dos solos d...
Como se define e como se detemina o coeficiente de permeabilidade dos solos d...
Anizio Souza Leal
 
Unidade VII - Permeabilidade dos solos
Unidade VII - Permeabilidade dos solosUnidade VII - Permeabilidade dos solos
Unidade VII - Permeabilidade dos solos
Rodrigo Andrade Brígido
 
Drenagem
DrenagemDrenagem
Evaporação e Evapotranspiração
Evaporação e Evapotranspiração Evaporação e Evapotranspiração
Evaporação e Evapotranspiração
Hidrologia UFC
 
Aula Hidrologia - Método Racional
Aula Hidrologia - Método RacionalAula Hidrologia - Método Racional
Aula Hidrologia - Método Racional
Lucas Sant'ana
 
Aula 4 hidrogeologia
Aula 4   hidrogeologiaAula 4   hidrogeologia
Aula 4 hidrogeologia
JOAO CARLOS DA SILVA
 
Hidrologia
Hidrologia Hidrologia
Hidrologia
silverenglish01
 

Semelhante a Movimento de agua no solo (20)

1 fluxo unidimensional - 05-08-2013
1   fluxo unidimensional - 05-08-20131   fluxo unidimensional - 05-08-2013
1 fluxo unidimensional - 05-08-2013
 
Aula completa de Hidráulica dos solos.ppt
Aula completa de Hidráulica dos solos.pptAula completa de Hidráulica dos solos.ppt
Aula completa de Hidráulica dos solos.ppt
 
Aula 8 permeabilidade_dos_solos.
Aula 8 permeabilidade_dos_solos.Aula 8 permeabilidade_dos_solos.
Aula 8 permeabilidade_dos_solos.
 
13aula agua subterranea
13aula agua subterranea13aula agua subterranea
13aula agua subterranea
 
Apresentação seminário tatiane
Apresentação seminário tatianeApresentação seminário tatiane
Apresentação seminário tatiane
 
Hidrologia 5
Hidrologia 5Hidrologia 5
Hidrologia 5
 
Definição..
Definição..Definição..
Definição..
 
Aula curso midias virtuais ciclo hidrológico
Aula curso midias virtuais ciclo hidrológicoAula curso midias virtuais ciclo hidrológico
Aula curso midias virtuais ciclo hidrológico
 
Infiltração de agua no solo capitulo 5
Infiltração de agua no solo capitulo 5 Infiltração de agua no solo capitulo 5
Infiltração de agua no solo capitulo 5
 
Hidro cap5-inf
Hidro cap5-infHidro cap5-inf
Hidro cap5-inf
 
Interceptac a-o e infiltrac-a-o - notas de aula
Interceptac a-o e infiltrac-a-o - notas de aulaInterceptac a-o e infiltrac-a-o - notas de aula
Interceptac a-o e infiltrac-a-o - notas de aula
 
Lei da darcy
Lei da darcyLei da darcy
Lei da darcy
 
Agua no solo
Agua no soloAgua no solo
Agua no solo
 
Como se define e como se detemina o coeficiente de permeabilidade dos solos d...
Como se define e como se detemina o coeficiente de permeabilidade dos solos d...Como se define e como se detemina o coeficiente de permeabilidade dos solos d...
Como se define e como se detemina o coeficiente de permeabilidade dos solos d...
 
Unidade VII - Permeabilidade dos solos
Unidade VII - Permeabilidade dos solosUnidade VII - Permeabilidade dos solos
Unidade VII - Permeabilidade dos solos
 
Drenagem
DrenagemDrenagem
Drenagem
 
Evaporação e Evapotranspiração
Evaporação e Evapotranspiração Evaporação e Evapotranspiração
Evaporação e Evapotranspiração
 
Aula Hidrologia - Método Racional
Aula Hidrologia - Método RacionalAula Hidrologia - Método Racional
Aula Hidrologia - Método Racional
 
Aula 4 hidrogeologia
Aula 4   hidrogeologiaAula 4   hidrogeologia
Aula 4 hidrogeologia
 
Hidrologia
Hidrologia Hidrologia
Hidrologia
 

Mais de Elvio Giasson

Importância da avaliação de terras para o planejamento
Importância da avaliação de terras para o planejamento Importância da avaliação de terras para o planejamento
Importância da avaliação de terras para o planejamento
Elvio Giasson
 
Aula sobre classificação das terras para irrigação usando o sistema do US Bur...
Aula sobre classificação das terras para irrigação usando o sistema do US Bur...Aula sobre classificação das terras para irrigação usando o sistema do US Bur...
Aula sobre classificação das terras para irrigação usando o sistema do US Bur...
Elvio Giasson
 
Aula sobre "Fatores de formação do solo", Faculdade de Agronomia da UFRGS
Aula sobre "Fatores de formação do solo", Faculdade de Agronomia da UFRGSAula sobre "Fatores de formação do solo", Faculdade de Agronomia da UFRGS
Aula sobre "Fatores de formação do solo", Faculdade de Agronomia da UFRGS
Elvio Giasson
 
Aula sobre "Classificação da capacidade de uso dos solos", preparada para a d...
Aula sobre "Classificação da capacidade de uso dos solos", preparada para a d...Aula sobre "Classificação da capacidade de uso dos solos", preparada para a d...
Aula sobre "Classificação da capacidade de uso dos solos", preparada para a d...
Elvio Giasson
 
Aplicações do Geoprocessamento na Ciência do Solo, palestra apresentada no XX...
Aplicações do Geoprocessamento na Ciência do Solo, palestra apresentada no XX...Aplicações do Geoprocessamento na Ciência do Solo, palestra apresentada no XX...
Aplicações do Geoprocessamento na Ciência do Solo, palestra apresentada no XX...
Elvio Giasson
 
Aula sobre classificações de aptidão de uso das terras, preparada para o Curs...
Aula sobre classificações de aptidão de uso das terras, preparada para o Curs...Aula sobre classificações de aptidão de uso das terras, preparada para o Curs...
Aula sobre classificações de aptidão de uso das terras, preparada para o Curs...
Elvio Giasson
 
Sistema Brasileiro de Classificação da Aptidão Agrícola das Terras (SiBCAAT)
Sistema Brasileiro de Classificação da Aptidão Agrícola das Terras (SiBCAAT)Sistema Brasileiro de Classificação da Aptidão Agrícola das Terras (SiBCAAT)
Sistema Brasileiro de Classificação da Aptidão Agrícola das Terras (SiBCAAT)
Elvio Giasson
 
Soil taxonomy
Soil taxonomySoil taxonomy
Soil taxonomy
Elvio Giasson
 
Solos do RS para disciplina Introdução à Agronomia do Curso de Agronomia da U...
Solos do RS para disciplina Introdução à Agronomia do Curso de Agronomia da U...Solos do RS para disciplina Introdução à Agronomia do Curso de Agronomia da U...
Solos do RS para disciplina Introdução à Agronomia do Curso de Agronomia da U...
Elvio Giasson
 

Mais de Elvio Giasson (9)

Importância da avaliação de terras para o planejamento
Importância da avaliação de terras para o planejamento Importância da avaliação de terras para o planejamento
Importância da avaliação de terras para o planejamento
 
Aula sobre classificação das terras para irrigação usando o sistema do US Bur...
Aula sobre classificação das terras para irrigação usando o sistema do US Bur...Aula sobre classificação das terras para irrigação usando o sistema do US Bur...
Aula sobre classificação das terras para irrigação usando o sistema do US Bur...
 
Aula sobre "Fatores de formação do solo", Faculdade de Agronomia da UFRGS
Aula sobre "Fatores de formação do solo", Faculdade de Agronomia da UFRGSAula sobre "Fatores de formação do solo", Faculdade de Agronomia da UFRGS
Aula sobre "Fatores de formação do solo", Faculdade de Agronomia da UFRGS
 
Aula sobre "Classificação da capacidade de uso dos solos", preparada para a d...
Aula sobre "Classificação da capacidade de uso dos solos", preparada para a d...Aula sobre "Classificação da capacidade de uso dos solos", preparada para a d...
Aula sobre "Classificação da capacidade de uso dos solos", preparada para a d...
 
Aplicações do Geoprocessamento na Ciência do Solo, palestra apresentada no XX...
Aplicações do Geoprocessamento na Ciência do Solo, palestra apresentada no XX...Aplicações do Geoprocessamento na Ciência do Solo, palestra apresentada no XX...
Aplicações do Geoprocessamento na Ciência do Solo, palestra apresentada no XX...
 
Aula sobre classificações de aptidão de uso das terras, preparada para o Curs...
Aula sobre classificações de aptidão de uso das terras, preparada para o Curs...Aula sobre classificações de aptidão de uso das terras, preparada para o Curs...
Aula sobre classificações de aptidão de uso das terras, preparada para o Curs...
 
Sistema Brasileiro de Classificação da Aptidão Agrícola das Terras (SiBCAAT)
Sistema Brasileiro de Classificação da Aptidão Agrícola das Terras (SiBCAAT)Sistema Brasileiro de Classificação da Aptidão Agrícola das Terras (SiBCAAT)
Sistema Brasileiro de Classificação da Aptidão Agrícola das Terras (SiBCAAT)
 
Soil taxonomy
Soil taxonomySoil taxonomy
Soil taxonomy
 
Solos do RS para disciplina Introdução à Agronomia do Curso de Agronomia da U...
Solos do RS para disciplina Introdução à Agronomia do Curso de Agronomia da U...Solos do RS para disciplina Introdução à Agronomia do Curso de Agronomia da U...
Solos do RS para disciplina Introdução à Agronomia do Curso de Agronomia da U...
 

Movimento de agua no solo

  • 2. Movimento de água no solo Sempre que no sistema houver diferença de potencial total de água no solo(ψ), pode haver movimento de água no solo.
  • 3. Energia potencial total da água (Ψ) Ψ= Ψg + Ψp + Ψm + Ψo Sendo: Ψg = potencial gravitacional Ψp = potencial de pressão Ψm = potencial matricial Ψo = potencial osmótico
  • 4. CURVA CARACTERÍSTICA DE ÁGUA NO SOLO No solo, Ψ m varia de 0 (solo saturado) a 107 cm (solo seco na estufa). Assim, por conveniência, é expressa como: pF = Log (- Ψ M ) Log (- Ψ M) sendo Ψ M expresso em bar (1 cm de água = 981 bar ou 1 bar = 0,1 pa). 7 6 5 4 3 2 1 0 silte argila areia Teor de umidade Saturação
  • 5. Diferenças de umidade nas diferentes camadas do solo provocam movimento de água: • camadas superficiais mais secas: movimento ascendente • todo o solo úmido: movimento descendente
  • 6. Solo saturado sobre camada impermeável •A 0,20m Lâmina de água •B 0,20m •C Solo Camada impermeável Nesse caso: gradiente ψ g= gradiente pois gradiente ψ g= dg gradiente ψ p= dg ψp
  • 7. Todo o solo úmido: movimento descendente Caso de uma chuva prolongada e intensa: 0,10 1,0 0,30 0,50 Movimento de água 0,5 Gradiente gravitacional Profundidade (m) Umidade do solo (cm3/cm3) 2,0 Drenagem interna
  • 8. Camada superficial mais seca: movimento ascendente 0,20 0,40 0,60 0,30 Movimento de água 0,10 Gradiente Profundidade (m) Umidade do solo (cm3/cm3) 0,50 MAIOR POTENCIAL MATRICIAL
  • 9. A água pode mover-se em qualquer sentido e direção de acordo com a distribuição dos potenciais de água no solo e dos gradientes gerados.
  • 10. Condutividade hidráulica Definição: Parâmetro que mede a facilidade com a qual o solo transmite água. Maior a condutividade hidráulica maior será a facilidade da água se movimentar no solo. 3 Q cm cm K= = = 2 A ∗ t cm ∗ s s Onde: Q=volume de água (cm3) A= área (cm2) t= tempo (s)
  • 11. Condutividade hidráulica (K) A condutividade hidráulica do solo é tanto maior quanto maior for a umidade do solo. Valor máximo de K ocorre quando o solo está saturado - condutividade hidráulica saturada. k ∗ ρe ∗ g K= η Onde: k= permeabilidade intrínseca (cm2) que depende do arranjo geométrico das partículas e da umidade. ρ e= massa específica do fluido (g/cm3) g= aceleração da gravidade (cm/s2) η= viscosidade do fluido (g/cm s)
  • 12. k ∗ ρe ∗ g K= η Pode-se considerar que ρ e= massa específica do fluído (g/cm3), g= aceleração da gravidade (cm/s 2) e η= viscosidade do fluido (g/cm s) são constantes. k varia em função da umidade do solo. Assim, Solos não saturados: K é função da umidade Solos saturados: o K é constante
  • 13. Equação utilizada para quantificar o movimento de água no solo. Equação de Darcy: q = − K (cm / s ) ∗ grad .ψ (cm / cm) = cm / s Dois Fatores !
  • 14. D Atmosfera Ψ=-5 a -20MPa Ψ A> Ψ B> Ψ C> Ψ D C para D - ocorre mudança de estado Ψ=-0,03 a -1MPa C Planta B para C - transporte ocorre via xilema Solo Ψ=-0,01 a -0,02MPa A B Ψ=-0,1 a -0,5MPa q = − K ∗ grad .ψ = cm / h
  • 15. Atmosfera D fatores importantes: radiação solar, vento e umidade relativa do ar. Planta fatores importantes: C atividade, distribuição e profundidade radicular, condição de sanidade do xilema, arquitetura foliar. Solo fatores importantes: umidade, relação ψ e θ e K A B
  • 16. • Enquanto o fluxo de água atender à demanda atmosférica, a planta desenvolve-se adequadamente. • Quando não atender mais, a planta murcha. • Quanto maior a perda de água e mais longo o período de murcha, tanto mais irreversível o processo. • Devido a isto, devem ser definidos a quantidade de água do solo que é disponível para as plantas, não havendo falta nem excesso
  • 17. O que acontece com o movimento de água no solo quando o solo não é uniforme?
  • 18. Solo com camada compactada Camada impermeável H2O H2O NãoCompactado Compactado
  • 19. Camada arenosa sobre camada argilosa H2O Água começa a passar para a camada argilosa assim que entrar em contato com ela H2O
  • 20. Camada argilosa sobre camada arenosa H2O Água começa a passar para camada arenosa quando a camada argilosa saturar H2O
  • 22. Solos irregulares H 2O Patchy Soil Moisture H2O
  • 23. VÍDEO: “How water moves in the soil”