SlideShare uma empresa Scribd logo
CNP-IFRR 1
Biomas
Mediterrâneo,
Florestas
Temperadas e
Tundras.Samuel dos Santos
Natália Machado
Marcus Vinícius
Eduarda Cutrim
Ione de Jesus
Trundra
O termo Tundra deriva da palavra finlandesa Tunturia, que
significa planície sem árvores.
2
Nesse bioma,
a vegetação se desenvolve
apenas no verão, que dura
de dois a três meses por
ano, com temperatura
máxima de 10oC. Nos
outros meses do ano, a
tundra permanece
congelada, atingindo -20oC.
Tundra
• Nela, a vegetação que consegue sobreviver são
plantas de pequeno porte, como musgos, líquens e
arbustos, que servem de alimento aos animais que
ali vivem. Nesse bioma não existem árvores, pois a
pouca claridade e o frio impedem o seu crescimento.
3
• A Tundra é classificada em dois tipos
diferentes:
• Tundra alpina: encontrada no alto de
montanhas em diversos países;
• Tundra ártica: tipo de solo bastante
permeável.
4
• O solo da tundra é chamado de permafrost, que em uma
tradução literal significa “sempre congelado”, e é justamente essa
característica que dá a tundra suas feições naturais.
• O permafrost é um solo típico das regiões antárticas composto
por terra, pedras e gelo. Sua profundidade pode alcançar até mais
de 1 metro e ele é totalmente impermeável.
5
Tundra Ártica
• Surge a sul da região dos gelos polares do
Ártico, entre os 60º e os 75º de latitude Norte,
e estende-se pela Escandinávia, Sibéria,
Alasca, Canadá e Gronelândia.
6
• Situada próximo do pólo norte, no círculo polar Ártico, recebe
pouca luz e pouca chuva, apresentando um clima polar, frio e
seco. O solo permanece gelado e coberto de neve durante a
maior parte do ano.
7
Animais
• Eles sobre tudo aves e mamíferos, apenas
utilizam a Tundra no curto Verão, migrando, no
Inverno, para regiões mais quentes. Os animais
que ali vivem permanentemente, como os ursos
polares, bois almiscarados (na América do Norte)
e lobos árticos, desenvolveram as suas próprias
adaptações para resistir aos longos e frios meses
de Inverno, como um pêlo espesso, camadas de
gordura sob a pele e a hibernação.
8
Por exemplo:
• Os bois almiscarados apresentam duas camadas de pêlo, uma
curta e outra longa. Também possuem cascos grandes e duros
o que lhe permite quebrar o gelo e beber a água que se
encontra por baixo.
Obs:.Os répteis e anfíbios são poucos ou encontram-se
completamente ausentes devido às temperaturas serem
muito baixas.
9
Tundra Alpina
• Encontra-se em vários países e situa-se no
topo das altas montanhas.
• É muito fria e ventosa e não tem árvores.
10
• Ao contrário da Tundra Ártica, o solo
apresenta uma boa drenagem e não
apresenta permafrost. Apresenta ervas,
arbustos e musgos, tal como a Tundra Ártica.
Encontram-se animais como as cabras da
montanha, alces, marmotas (pequeno
roedor), insetos (gafanhotos, borboletas,
escaravelhos).
11
Floresta
Temperada
12
Floresta Temperada
• O bioma é o típico de certas regiões da Europa e do leste
da América do Norte, Japão, Austrália e extremidades
da América do Sul onde o clima é temperado e as quatro
estações do ano são bem delimitadas.
13
Existem dois tipos de florestas
temperadas
O aspecto que as diferencia é a ocorrência ou não da queda das
folhas no inverno. Quando as árvores perdem folhas
periodicamente, a floresta é chamada de caducifólia, quando
isso não ocorre, é denominada de perenifólia.
14
• A vegetação dessas florestas varia desde
enormes árvores até pequenos arbustos:
carvalhos, pinheiros, cedros, faias, etc.
15
Flora
• Predominam as plantas decíduas ou caducifólias,
ou seja, as folhas adquirem colorações
amareladas e alaranjadas e começam a cair,
perdem as folhas no fim do outono e as
readquirem na primavera.
16
Exemplos de clima Verão, Primavera,
Outono, Inverno
17
Essa perda das folhas é uma adaptação ao inverno, rigoroso ou
estação seca, pois faz com que a planta reduza sua atividade
metabólica, conservando a água durante o período em que a
maior parte dela fica imobilizada no solo sob forma de gelo,
suportando assim as baixas temperaturas.
18
Nas florestas temperadas chega a haver quatro
camadas de vegetação:
Uma camada de árvores, cujas copas formam
uma cobertura contínua, com cerca de 8 metros a
30 metros de altura;
Uma camada de arbustos, com cerca de 5 metros;
A camada de capins e outras plantas herbáceas
(não lenhosas), que florescem tipicamente na
primavera antes das árvores refazerem as frondes
(copa);
A camada rasteira, que consiste de musgos e
hepáticas, cobertas por uma camada de folhas
caídas. 19
20
Fauna
• Em relação a fauna, a floresta abriga várias espécies
de mamíferos, entre eles os veados, javalis, raposas, leões da
montanha e doninhas, além de pequenos mamíferos
arborícolas (que vivem nas árvores) como esquilos.
21
• As aves também estão presente nessa
floresta, como as corujas.
22
• Os mamíferos se protegem do frio em troncos
ocos. Os ursos que adquiriram gordura
durante todo o verão, mantêm
a temperatura do corpo. A maioria dos insetos
e de outros invertebrados abandona as
árvores e arbustos e migra para o solo
23
Solo
• O solo é constituído principalmente de material orgânico
(partes de vegetais, insetos e outros animais em
decomposição) e de bactérias, protozoários,fungos, vermes e
artrópodes que se alimentam dessa matéria orgânica.
24
Floresta
mediterrânea
25
Floresta mediterrânea
• Este tipo de bioma localiza-se na região
mediterrânica entre 30 e 40 º de latitude
Norte. Apresenta 4 estações.
26
Clima
• É quente e seco no Verão e moderado e
húmido no Inverno. A temperatura varia entre
os 3 e os 33ºC.
27
As espécies arbóreas identificadas na vegetação
mediterrânea são sobreiro, azinheiro, oliveira-
brava, pinheiro, cedro e cipestre.
Atualmente, a floresta mediterrânea original
quase não existe mais, isso é resultado da ação
antrópica (pecuária, extração de madeira,
agricultura, entre outros).
A vegetação em questão é formada basicamente
por maquis e garrigue.
28
REGIME TERMOPLUVIOMÉTRICO
• O clima temperado mediterrâneo
• Verões quentes, longos;
• Invernos amenos.
29
A amplitude térmica anual é
pouco acentuada (entre 6 e 17
°C). A precipitação distribui-se
de forma irregular e ocorre
sobretudo no Outono e no
Inverno. O número de meses
secos pode variar entre 4 a 6.
Maquis
É uma zona de mato que se encontra na região
mediterrânica, em geral em solo siliciosos,
fase de degradação de áreas onde
predominava o sobreiro.
30
• É composto por arbustos muito densos e de
difícil penetração. Entre as várias espécies de
plantas que compõem o maquis, destacam-se
o medronheiro, o loureiro, a urze, a giesta
espinhosa, a piteira e alguns cactos.
31
Garrigue
• Caracteriza-se por ser uma formação vegetal
menos densa do que o maquis, constituída
por pequenos arbustos, mais ou menos
dispersos.
32
• O garrigue desenvolve-se, geralmente, em
solos calcários, onde outrora predominou a
azinheira. Forma áreas muito aromáticas e
onde predominam o buxo, o carrasco, o
alecrim, o rosmaninho, a alfazema e o timo.
33
A Fauna
• É muito variada, e também se encontra adaptada às
condições ambientais. Por exemplo, os animais são
normalmente pequenos, necessitam de pouca água e têm
hábitos noturnos. Aparecem coelhos, lebres, javalis, ratos do
campo, veados, texugos, diversos tipos de répteis (cobra-de-
escada, cobra rateira, ....), uma variedade grande de aves
(codornizes, cegonhas, abetardas, pardais...), sobretudo aves
migratórias, e de insectos (escaravelho-das-bolas, ...).
34
35
texugos
cobra-de-escada
escaravelho-das-bolas
cegonhas
36

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Biomas do mundo
Biomas do mundoBiomas do mundo
Biomas do mundo
André Luiz Marques
 
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRAVEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
Conceição Fontolan
 
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEAFLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
Conceição Fontolan
 
Biomas do mundo
Biomas do mundoBiomas do mundo
Biomas do mundo
André Luiz Marques
 
O Cerrado; conceito e vegetação
O Cerrado; conceito e vegetaçãoO Cerrado; conceito e vegetação
O Cerrado; conceito e vegetação
UESPI - PI
 
Biomas.
Biomas.Biomas.
Biomas.
Lara Lídia
 
Geografia vegetação aprovação virtual
Geografia vegetação aprovação virtualGeografia vegetação aprovação virtual
Geografia vegetação aprovação virtual
Paulo Henrique Netinho
 
Tundra
TundraTundra
Ciclo Da Agua
Ciclo Da AguaCiclo Da Agua
Ciclo Da Agua
Alda Palmeiro
 
Trabalho de geo CERRADO
Trabalho de geo CERRADOTrabalho de geo CERRADO
Trabalho de geo CERRADO
William Barcellos
 
Biogeografia
BiogeografiaBiogeografia
Tundra e Taiga
Tundra e TaigaTundra e Taiga
Tundra e Taiga
michael cayo
 
Ecossistemas globais - Floresta decídua temperada
Ecossistemas globais - Floresta decídua temperadaEcossistemas globais - Floresta decídua temperada
Ecossistemas globais - Floresta decídua temperada
Felipe Esteves
 
Deriva continental e tectónica de placas
Deriva continental e tectónica de placasDeriva continental e tectónica de placas
Deriva continental e tectónica de placas
Cláudia Moura
 
Vegetação mundial
Vegetação mundialVegetação mundial
Vegetação mundial
dela28
 
Biomas terrestres
Biomas terrestres Biomas terrestres
Biomas terrestres
Andre Luiz Nascimento
 
Biomas Brasileiros
Biomas BrasileirosBiomas Brasileiros
Biomas Brasileiros
Escola Adventista de Amaralina
 
Trabalho De Ciencias Sobre Biomas
Trabalho De Ciencias Sobre BiomasTrabalho De Ciencias Sobre Biomas
Trabalho De Ciencias Sobre Biomas
8ºC
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
Maicon Azevedo
 
Regiões polares
Regiões polaresRegiões polares
Regiões polares
Fernanda Lopes
 

Mais procurados (20)

Biomas do mundo
Biomas do mundoBiomas do mundo
Biomas do mundo
 
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRAVEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
 
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEAFLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
 
Biomas do mundo
Biomas do mundoBiomas do mundo
Biomas do mundo
 
O Cerrado; conceito e vegetação
O Cerrado; conceito e vegetaçãoO Cerrado; conceito e vegetação
O Cerrado; conceito e vegetação
 
Biomas.
Biomas.Biomas.
Biomas.
 
Geografia vegetação aprovação virtual
Geografia vegetação aprovação virtualGeografia vegetação aprovação virtual
Geografia vegetação aprovação virtual
 
Tundra
TundraTundra
Tundra
 
Ciclo Da Agua
Ciclo Da AguaCiclo Da Agua
Ciclo Da Agua
 
Trabalho de geo CERRADO
Trabalho de geo CERRADOTrabalho de geo CERRADO
Trabalho de geo CERRADO
 
Biogeografia
BiogeografiaBiogeografia
Biogeografia
 
Tundra e Taiga
Tundra e TaigaTundra e Taiga
Tundra e Taiga
 
Ecossistemas globais - Floresta decídua temperada
Ecossistemas globais - Floresta decídua temperadaEcossistemas globais - Floresta decídua temperada
Ecossistemas globais - Floresta decídua temperada
 
Deriva continental e tectónica de placas
Deriva continental e tectónica de placasDeriva continental e tectónica de placas
Deriva continental e tectónica de placas
 
Vegetação mundial
Vegetação mundialVegetação mundial
Vegetação mundial
 
Biomas terrestres
Biomas terrestres Biomas terrestres
Biomas terrestres
 
Biomas Brasileiros
Biomas BrasileirosBiomas Brasileiros
Biomas Brasileiros
 
Trabalho De Ciencias Sobre Biomas
Trabalho De Ciencias Sobre BiomasTrabalho De Ciencias Sobre Biomas
Trabalho De Ciencias Sobre Biomas
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
 
Regiões polares
Regiões polaresRegiões polares
Regiões polares
 

Semelhante a Mediterrâneo, Florestas Temperadas e Tundras

Biomas
BiomasBiomas
Biomas
BriefCase
 
TUNDRA - GEOGRAFIA.pptx
TUNDRA - GEOGRAFIA.pptxTUNDRA - GEOGRAFIA.pptx
TUNDRA - GEOGRAFIA.pptx
EEMAS
 
Taiga e tundra
Taiga e tundraTaiga e tundra
Taiga e tundra
Isaias Raabe
 
Taiga e Tundra
Taiga e TundraTaiga e Tundra
Taiga e Tundra
dela28
 
Ecossistemas do meio_terrestre_neoval
Ecossistemas do meio_terrestre_neovalEcossistemas do meio_terrestre_neoval
Ecossistemas do meio_terrestre_neoval
sidik-satar789
 
Biomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasilBiomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasil
Adriana Gomes Messias
 
Taiany e Victor
Taiany e VictorTaiany e Victor
Taiany e Victor
inclusaodigital2011
 
Seminário de biologia
Seminário de biologiaSeminário de biologia
Seminário de biologia
Gabriel Moura
 
Paisagens Vegetais da Terra
Paisagens Vegetais da Terra Paisagens Vegetais da Terra
Paisagens Vegetais da Terra
Gabriela Fabrin
 
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRAVEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
Conceição Fontolan
 
Biomas mundiais
Biomas mundiaisBiomas mundiais
Biomas mundiais
segundomanhaluce
 
Vegetações Subpolares.pptx
 Vegetações Subpolares.pptx Vegetações Subpolares.pptx
Vegetações Subpolares.pptx
Richard Brito
 
Floresta temperada e vegetação mediterrânia
Floresta temperada e vegetação mediterrâniaFloresta temperada e vegetação mediterrânia
Floresta temperada e vegetação mediterrânia
Divino Carvalho
 
Domínio morfoclimático
Domínio morfoclimáticoDomínio morfoclimático
Domínio morfoclimático
Adriana Gomes Messias
 
Os grandes biomas terrestres – Biomas tropicais
Os grandes biomas terrestres – Biomas tropicaisOs grandes biomas terrestres – Biomas tropicais
Os grandes biomas terrestres – Biomas tropicais
Bruna M
 
Bioloia
BioloiaBioloia
Bioloia
BioloiaBioloia
Biomas - Primeira Parte
Biomas - Primeira ParteBiomas - Primeira Parte
Biomas - Primeira Parte
411sjt
 
Biomas mundo e brasil
Biomas    mundo e brasilBiomas    mundo e brasil
Biomas mundo e brasil
Jakson Raphael Pereira Barbosa
 
Biodiversidade e ambientes biomas
Biodiversidade e ambientes biomasBiodiversidade e ambientes biomas
Biodiversidade e ambientes biomas
Célia Figueiredo
 

Semelhante a Mediterrâneo, Florestas Temperadas e Tundras (20)

Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
TUNDRA - GEOGRAFIA.pptx
TUNDRA - GEOGRAFIA.pptxTUNDRA - GEOGRAFIA.pptx
TUNDRA - GEOGRAFIA.pptx
 
Taiga e tundra
Taiga e tundraTaiga e tundra
Taiga e tundra
 
Taiga e Tundra
Taiga e TundraTaiga e Tundra
Taiga e Tundra
 
Ecossistemas do meio_terrestre_neoval
Ecossistemas do meio_terrestre_neovalEcossistemas do meio_terrestre_neoval
Ecossistemas do meio_terrestre_neoval
 
Biomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasilBiomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasil
 
Taiany e Victor
Taiany e VictorTaiany e Victor
Taiany e Victor
 
Seminário de biologia
Seminário de biologiaSeminário de biologia
Seminário de biologia
 
Paisagens Vegetais da Terra
Paisagens Vegetais da Terra Paisagens Vegetais da Terra
Paisagens Vegetais da Terra
 
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRAVEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
VEGETAÇÃO DE TAIGA E TUNDRA
 
Biomas mundiais
Biomas mundiaisBiomas mundiais
Biomas mundiais
 
Vegetações Subpolares.pptx
 Vegetações Subpolares.pptx Vegetações Subpolares.pptx
Vegetações Subpolares.pptx
 
Floresta temperada e vegetação mediterrânia
Floresta temperada e vegetação mediterrâniaFloresta temperada e vegetação mediterrânia
Floresta temperada e vegetação mediterrânia
 
Domínio morfoclimático
Domínio morfoclimáticoDomínio morfoclimático
Domínio morfoclimático
 
Os grandes biomas terrestres – Biomas tropicais
Os grandes biomas terrestres – Biomas tropicaisOs grandes biomas terrestres – Biomas tropicais
Os grandes biomas terrestres – Biomas tropicais
 
Bioloia
BioloiaBioloia
Bioloia
 
Bioloia
BioloiaBioloia
Bioloia
 
Biomas - Primeira Parte
Biomas - Primeira ParteBiomas - Primeira Parte
Biomas - Primeira Parte
 
Biomas mundo e brasil
Biomas    mundo e brasilBiomas    mundo e brasil
Biomas mundo e brasil
 
Biodiversidade e ambientes biomas
Biodiversidade e ambientes biomasBiodiversidade e ambientes biomas
Biodiversidade e ambientes biomas
 

Último

Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 

Último (20)

Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 

Mediterrâneo, Florestas Temperadas e Tundras

  • 1. CNP-IFRR 1 Biomas Mediterrâneo, Florestas Temperadas e Tundras.Samuel dos Santos Natália Machado Marcus Vinícius Eduarda Cutrim Ione de Jesus
  • 2. Trundra O termo Tundra deriva da palavra finlandesa Tunturia, que significa planície sem árvores. 2 Nesse bioma, a vegetação se desenvolve apenas no verão, que dura de dois a três meses por ano, com temperatura máxima de 10oC. Nos outros meses do ano, a tundra permanece congelada, atingindo -20oC.
  • 3. Tundra • Nela, a vegetação que consegue sobreviver são plantas de pequeno porte, como musgos, líquens e arbustos, que servem de alimento aos animais que ali vivem. Nesse bioma não existem árvores, pois a pouca claridade e o frio impedem o seu crescimento. 3
  • 4. • A Tundra é classificada em dois tipos diferentes: • Tundra alpina: encontrada no alto de montanhas em diversos países; • Tundra ártica: tipo de solo bastante permeável. 4
  • 5. • O solo da tundra é chamado de permafrost, que em uma tradução literal significa “sempre congelado”, e é justamente essa característica que dá a tundra suas feições naturais. • O permafrost é um solo típico das regiões antárticas composto por terra, pedras e gelo. Sua profundidade pode alcançar até mais de 1 metro e ele é totalmente impermeável. 5
  • 6. Tundra Ártica • Surge a sul da região dos gelos polares do Ártico, entre os 60º e os 75º de latitude Norte, e estende-se pela Escandinávia, Sibéria, Alasca, Canadá e Gronelândia. 6
  • 7. • Situada próximo do pólo norte, no círculo polar Ártico, recebe pouca luz e pouca chuva, apresentando um clima polar, frio e seco. O solo permanece gelado e coberto de neve durante a maior parte do ano. 7
  • 8. Animais • Eles sobre tudo aves e mamíferos, apenas utilizam a Tundra no curto Verão, migrando, no Inverno, para regiões mais quentes. Os animais que ali vivem permanentemente, como os ursos polares, bois almiscarados (na América do Norte) e lobos árticos, desenvolveram as suas próprias adaptações para resistir aos longos e frios meses de Inverno, como um pêlo espesso, camadas de gordura sob a pele e a hibernação. 8
  • 9. Por exemplo: • Os bois almiscarados apresentam duas camadas de pêlo, uma curta e outra longa. Também possuem cascos grandes e duros o que lhe permite quebrar o gelo e beber a água que se encontra por baixo. Obs:.Os répteis e anfíbios são poucos ou encontram-se completamente ausentes devido às temperaturas serem muito baixas. 9
  • 10. Tundra Alpina • Encontra-se em vários países e situa-se no topo das altas montanhas. • É muito fria e ventosa e não tem árvores. 10
  • 11. • Ao contrário da Tundra Ártica, o solo apresenta uma boa drenagem e não apresenta permafrost. Apresenta ervas, arbustos e musgos, tal como a Tundra Ártica. Encontram-se animais como as cabras da montanha, alces, marmotas (pequeno roedor), insetos (gafanhotos, borboletas, escaravelhos). 11
  • 13. Floresta Temperada • O bioma é o típico de certas regiões da Europa e do leste da América do Norte, Japão, Austrália e extremidades da América do Sul onde o clima é temperado e as quatro estações do ano são bem delimitadas. 13
  • 14. Existem dois tipos de florestas temperadas O aspecto que as diferencia é a ocorrência ou não da queda das folhas no inverno. Quando as árvores perdem folhas periodicamente, a floresta é chamada de caducifólia, quando isso não ocorre, é denominada de perenifólia. 14
  • 15. • A vegetação dessas florestas varia desde enormes árvores até pequenos arbustos: carvalhos, pinheiros, cedros, faias, etc. 15
  • 16. Flora • Predominam as plantas decíduas ou caducifólias, ou seja, as folhas adquirem colorações amareladas e alaranjadas e começam a cair, perdem as folhas no fim do outono e as readquirem na primavera. 16
  • 17. Exemplos de clima Verão, Primavera, Outono, Inverno 17
  • 18. Essa perda das folhas é uma adaptação ao inverno, rigoroso ou estação seca, pois faz com que a planta reduza sua atividade metabólica, conservando a água durante o período em que a maior parte dela fica imobilizada no solo sob forma de gelo, suportando assim as baixas temperaturas. 18
  • 19. Nas florestas temperadas chega a haver quatro camadas de vegetação: Uma camada de árvores, cujas copas formam uma cobertura contínua, com cerca de 8 metros a 30 metros de altura; Uma camada de arbustos, com cerca de 5 metros; A camada de capins e outras plantas herbáceas (não lenhosas), que florescem tipicamente na primavera antes das árvores refazerem as frondes (copa); A camada rasteira, que consiste de musgos e hepáticas, cobertas por uma camada de folhas caídas. 19
  • 20. 20
  • 21. Fauna • Em relação a fauna, a floresta abriga várias espécies de mamíferos, entre eles os veados, javalis, raposas, leões da montanha e doninhas, além de pequenos mamíferos arborícolas (que vivem nas árvores) como esquilos. 21
  • 22. • As aves também estão presente nessa floresta, como as corujas. 22
  • 23. • Os mamíferos se protegem do frio em troncos ocos. Os ursos que adquiriram gordura durante todo o verão, mantêm a temperatura do corpo. A maioria dos insetos e de outros invertebrados abandona as árvores e arbustos e migra para o solo 23
  • 24. Solo • O solo é constituído principalmente de material orgânico (partes de vegetais, insetos e outros animais em decomposição) e de bactérias, protozoários,fungos, vermes e artrópodes que se alimentam dessa matéria orgânica. 24
  • 26. Floresta mediterrânea • Este tipo de bioma localiza-se na região mediterrânica entre 30 e 40 º de latitude Norte. Apresenta 4 estações. 26
  • 27. Clima • É quente e seco no Verão e moderado e húmido no Inverno. A temperatura varia entre os 3 e os 33ºC. 27
  • 28. As espécies arbóreas identificadas na vegetação mediterrânea são sobreiro, azinheiro, oliveira- brava, pinheiro, cedro e cipestre. Atualmente, a floresta mediterrânea original quase não existe mais, isso é resultado da ação antrópica (pecuária, extração de madeira, agricultura, entre outros). A vegetação em questão é formada basicamente por maquis e garrigue. 28
  • 29. REGIME TERMOPLUVIOMÉTRICO • O clima temperado mediterrâneo • Verões quentes, longos; • Invernos amenos. 29 A amplitude térmica anual é pouco acentuada (entre 6 e 17 °C). A precipitação distribui-se de forma irregular e ocorre sobretudo no Outono e no Inverno. O número de meses secos pode variar entre 4 a 6.
  • 30. Maquis É uma zona de mato que se encontra na região mediterrânica, em geral em solo siliciosos, fase de degradação de áreas onde predominava o sobreiro. 30
  • 31. • É composto por arbustos muito densos e de difícil penetração. Entre as várias espécies de plantas que compõem o maquis, destacam-se o medronheiro, o loureiro, a urze, a giesta espinhosa, a piteira e alguns cactos. 31
  • 32. Garrigue • Caracteriza-se por ser uma formação vegetal menos densa do que o maquis, constituída por pequenos arbustos, mais ou menos dispersos. 32
  • 33. • O garrigue desenvolve-se, geralmente, em solos calcários, onde outrora predominou a azinheira. Forma áreas muito aromáticas e onde predominam o buxo, o carrasco, o alecrim, o rosmaninho, a alfazema e o timo. 33
  • 34. A Fauna • É muito variada, e também se encontra adaptada às condições ambientais. Por exemplo, os animais são normalmente pequenos, necessitam de pouca água e têm hábitos noturnos. Aparecem coelhos, lebres, javalis, ratos do campo, veados, texugos, diversos tipos de répteis (cobra-de- escada, cobra rateira, ....), uma variedade grande de aves (codornizes, cegonhas, abetardas, pardais...), sobretudo aves migratórias, e de insectos (escaravelho-das-bolas, ...). 34
  • 36. 36