SlideShare uma empresa Scribd logo
Médicos Sem Fronteiras




                         Docente: Cristina Mateus
                     Discentes: Ana Filipa Augusto
                                  Tânia Domingos
Quem são?
•   É uma organização médico-humanitária internacional não-governamental
sem fins lucrativos, independente e comprometida em levar ajuda às pessoas
que mais precisam.
Quem são?
•   São cerca de 30 mil profissionais de diferentes áreas, espalhados por
mais de 60 países.


•   A organização foi criada em 1971, na França, por jovens médicos e
jornalistas, que actuaram como voluntários no final dos anos 60 em Biafra, na
Nigéria.


•   MSF surgem, então, como uma organização médico-humanitária que
associa socorro médico e testemunho em favor das populações em risco.
O que fazem?
•   Oferecem cuidados de saúde em situações de crise.


•   Resolvem situações como conflitos, epidemias, catástrofes naturais,
casos de desnutrição e casos de exclusão do acesso à saúde.


•   Estas situações são resolvidas com um atendimento médico especializado
e apoio logístico.
Acção Humanitária
•   O trabalho da MSF é baseado em princípios humanitários. Estão
comprometidos a trazer qualidade de cuidados médicos às pessoas em crise,
independentemente da raça, religião ou afiliação política.


•   Actuam de forma independente. Conduzem as próprias avaliações na
área para determinar as necessidades das pessoas.
Acção Humanitária
•   MSF é neutra. Não tomam partido em conflitos armados, que prestam
cuidados em função da necessidade, e ajudam as vítimas de conflitos, como é
exigido pelo direito internacional humanitário.
Principais modos de acção:
•   Assistência de saúde primária em centros de saúde e clínicas móveis;

•   Alimentação e nutrição;

•   Saúde materno-infantil;

•   Campanhas de vacinação;

•   Diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças específicas;

•   Atendimento a feridos e cirurgia de guerra;
Principais modos de acção:
•   Cuidados de saúde mental;

•   Atendimento a vítimas de violência sexual;

•   Distribuição de alimentos e de itens de abrigo de primeira necessidade;

•   Construção e manutenção de estruturas de água e saneamento básico;

•   Recuperação de hospitais e clínicas;

•   Treino de profissionais.
Como actuam?
•   Quando há uma emergência, os MSF actuam logo entre 48 a 72h após a
identificação do problema.
•   A padronização dos métodos de trabalho, a organização de materiais em
kits específicos, a manutenção de mercadorias permanentes e a experiência
dos profissionais permitem que MSF cheguem ao local afectado com rapidez
e comecem imediatamente a socorrer as vítimas.
Como actuam?
•   Possuem 4 centros de logística na Europa e no Leste da África e têm
mercadorias de equipamentos na América Central e no Leste da Ásia.


•   Desta forma, os materiais podem ser enviados por meio aéreo para as
regiões que se encontram em crise dentro de 24 horas.
Onde actuam?
Onde actuam?
África
•   Sul do Sudão
África
•   Sul do Sudão
África
•   Costa do Marfim
América
•   Brasil
Ásia
•   Afeganistão
Ásia
•   Cambodja
Ásia
•   Índia
Ásia
•   Paquistão
Europa
•   Grécia
•   Malta
•   França
•   Federação da Rússia
Médio Oriente
•   Líbia
«Médicos Sem Fronteiras actuam
      clandestinamente na Síria»
•   A organização não-governamental Médicos Sem-Fronteiras está, desde

junho, em território sírio a tratar clandestinamente as vítimas da guerra civil

no país. O hospital improvisado funciona numa vivenda e os profissionais de

saúde no terreno já realizaram mais de 150 operações. A situação foi descrita

pelo presidente da organização, Felipe Ribeiro, na segunda-feira, em Paris.

•   Além das 150 intervenções cirúrgicas, já foram tratados no hospital

cerca de 300 feridos devido ao esforço de sete expatriados, 50 voluntários

sírios e um pequeno grupo de especialistas estrangeiros.
«Médicos Sem Fronteiras actuam
      clandestinamente na Síria»
•   A localização do hospital não foi revelado e só se sabe que fica no norte

do país, numa zona controlada pelos rebeldes.

•   O presidente da Médicos Sem-Fronteiras confessou que, por diversas

vezes, o regime de Bashar al-Assad fez saber que não eram "bem-vindos" no

país mas nunca fez nada para os expulsar do território sírio.

•   Segundo Felipe Ribeiro, embora a maioria dos que recorrem ao hospital

sejam rebeldes, no local presta-se auxílio aos que combatem nos dois lados

do conflito.
«Médicos Sem Fronteiras actuam
      clandestinamente na Síria»
•   O enfermeiro Brian Moller esteve responsável pela gestão do hospital e

explica que a maioria dos rebeldes não têm qualquer assistência, porque só

os que são fiéis ao regime é que podem recorrer a hospitais públicos. O

enfermeiro adianta que não têm uma "autorização para trabalhar no país

pelo que não há outra solução" a não ser fazê-lo clandestinamente havendo

pessoas que fazem "até 150 km" para serem atendidas no hospital


                     Notícia publicada pelo Jornal de Notícias a 22 de Agosto de 2012
Curiosidades
•   Em 1999, os MSF receberam o prémio Nobel da Paz, como
reconhecimento do seu combate em favor da sua intervenção e ajuda
humanitária.


•   Mais de 89% dos fundos dos MSF vêm de Donativos Privados.
Campanhas
Campanhas
Campanhas
Campanhas
Campanhas
Médicos sem fronteiras
Médicos sem fronteiras
Médicos sem fronteiras
Médicos sem fronteiras
Médicos sem fronteiras
A Solidez constrói-se
              A Competência cultiva-se
              A Confiança conquista-se




Médicos Sem

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1 globalização
1 globalização1 globalização
1 globalização
manuela3016
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosPrincipais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Ilda Bicacro
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
vermar2010
 
Geografia c 12
Geografia c 12Geografia c 12
Geografia c 12
Ilda Bicacro
 
Organizações Governamentais e Não Governamentais
Organizações Governamentais e Não GovernamentaisOrganizações Governamentais e Não Governamentais
Organizações Governamentais e Não Governamentais
kyzinha
 
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialAs transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
Teresa Maia
 
A Educação nos Maias
A Educação nos MaiasA Educação nos Maias
A Educação nos Maias
mauro dinis
 
Resumo economia c 2º periodo
Resumo economia c 2º periodoResumo economia c 2º periodo
Resumo economia c 2º periodo
Lia Treacy
 
Onu
OnuOnu
A questão colonial e o 25 de abril
A questão colonial e o 25 de abrilA questão colonial e o 25 de abril
A questão colonial e o 25 de abril
Carlos Vieira
 
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
Vítor Santos
 
Portugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundialPortugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundial
Susana Simões
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Fria
nanasimao
 
Teste modulo 7
Teste modulo 7Teste modulo 7
Teste modulo 7
Sérgio Machado
 
A mulher nos anos 20
A mulher  nos anos 20A mulher  nos anos 20
A mulher nos anos 20
Carla Teixeira
 
Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.
home
 
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
Vítor Santos
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Vanda Sousa
 
Educação n' os maias
Educação n' os maiasEducação n' os maias
Educação n' os maias
Ester Pinto Pereira
 
Acidentes litoral
Acidentes litoralAcidentes litoral
Acidentes litoral
mariamoraisgeo
 

Mais procurados (20)

1 globalização
1 globalização1 globalização
1 globalização
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosPrincipais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficos
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Geografia c 12
Geografia c 12Geografia c 12
Geografia c 12
 
Organizações Governamentais e Não Governamentais
Organizações Governamentais e Não GovernamentaisOrganizações Governamentais e Não Governamentais
Organizações Governamentais e Não Governamentais
 
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialAs transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
 
A Educação nos Maias
A Educação nos MaiasA Educação nos Maias
A Educação nos Maias
 
Resumo economia c 2º periodo
Resumo economia c 2º periodoResumo economia c 2º periodo
Resumo economia c 2º periodo
 
Onu
OnuOnu
Onu
 
A questão colonial e o 25 de abril
A questão colonial e o 25 de abrilA questão colonial e o 25 de abril
A questão colonial e o 25 de abril
 
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
 
Portugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundialPortugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundial
 
A Guerra Fria
A Guerra FriaA Guerra Fria
A Guerra Fria
 
Teste modulo 7
Teste modulo 7Teste modulo 7
Teste modulo 7
 
A mulher nos anos 20
A mulher  nos anos 20A mulher  nos anos 20
A mulher nos anos 20
 
Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.
 
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
 
Educação n' os maias
Educação n' os maiasEducação n' os maias
Educação n' os maias
 
Acidentes litoral
Acidentes litoralAcidentes litoral
Acidentes litoral
 

Semelhante a Médicos sem fronteiras

Médicos Sem Fronteiras (MSF)
Médicos Sem Fronteiras (MSF)Médicos Sem Fronteiras (MSF)
Médicos Sem Fronteiras (MSF)
Eunice Pereira
 
Médicos sem fronteiras
Médicos sem fronteiras Médicos sem fronteiras
Médicos sem fronteiras
JOANASOFIAOLIVEIRATA
 
Como prevenir o suicídio?
Como prevenir o suicídio?Como prevenir o suicídio?
Organizacoes ajuda humanitaria
Organizacoes ajuda humanitariaOrganizacoes ajuda humanitaria
Organizacoes ajuda humanitaria
ProfessoraCarlaFerna
 
Ami e pam
Ami e pamAmi e pam
Ami e pam
GeografiaC
 
AMI E PAM
AMI E PAMAMI E PAM
AMI E PAM
GeografiaC
 
Aids nos dias de hoje
Aids nos dias de hojeAids nos dias de hoje
Aids nos dias de hoje
Rodrigo Juliano Molina
 
Apresentação geografia!!
Apresentação geografia!!Apresentação geografia!!
Apresentação geografia!!
Joao Paulo
 
Ética e o Desenvolvimento Institucional
Ética e o Desenvolvimento InstitucionalÉtica e o Desenvolvimento Institucional
Ética e o Desenvolvimento Institucional
Adriano Tundú
 
Rede Cegonha APRESENTAÇÃO.pptx
Rede Cegonha APRESENTAÇÃO.pptxRede Cegonha APRESENTAÇÃO.pptx
Rede Cegonha APRESENTAÇÃO.pptx
Bianca Chaves
 
Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)
Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)
Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)
GeografiaC
 
Ong
OngOng
AMI
AMIAMI
Joaomachado9.3
Joaomachado9.3Joaomachado9.3
Joaomachado9.3
Mayjö .
 

Semelhante a Médicos sem fronteiras (14)

Médicos Sem Fronteiras (MSF)
Médicos Sem Fronteiras (MSF)Médicos Sem Fronteiras (MSF)
Médicos Sem Fronteiras (MSF)
 
Médicos sem fronteiras
Médicos sem fronteiras Médicos sem fronteiras
Médicos sem fronteiras
 
Como prevenir o suicídio?
Como prevenir o suicídio?Como prevenir o suicídio?
Como prevenir o suicídio?
 
Organizacoes ajuda humanitaria
Organizacoes ajuda humanitariaOrganizacoes ajuda humanitaria
Organizacoes ajuda humanitaria
 
Ami e pam
Ami e pamAmi e pam
Ami e pam
 
AMI E PAM
AMI E PAMAMI E PAM
AMI E PAM
 
Aids nos dias de hoje
Aids nos dias de hojeAids nos dias de hoje
Aids nos dias de hoje
 
Apresentação geografia!!
Apresentação geografia!!Apresentação geografia!!
Apresentação geografia!!
 
Ética e o Desenvolvimento Institucional
Ética e o Desenvolvimento InstitucionalÉtica e o Desenvolvimento Institucional
Ética e o Desenvolvimento Institucional
 
Rede Cegonha APRESENTAÇÃO.pptx
Rede Cegonha APRESENTAÇÃO.pptxRede Cegonha APRESENTAÇÃO.pptx
Rede Cegonha APRESENTAÇÃO.pptx
 
Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)
Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)
Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)
 
Ong
OngOng
Ong
 
AMI
AMIAMI
AMI
 
Joaomachado9.3
Joaomachado9.3Joaomachado9.3
Joaomachado9.3
 

Mais de Tânia Domingos

Tráfico Humano e Emigração Clandestina
Tráfico Humano e Emigração ClandestinaTráfico Humano e Emigração Clandestina
Tráfico Humano e Emigração Clandestina
Tânia Domingos
 
A Cultura do Salão
A Cultura do SalãoA Cultura do Salão
A Cultura do Salão
Tânia Domingos
 
Arte Barroca, Luís XIV, Palácio de Versalhes
Arte Barroca, Luís XIV, Palácio de VersalhesArte Barroca, Luís XIV, Palácio de Versalhes
Arte Barroca, Luís XIV, Palácio de Versalhes
Tânia Domingos
 
Terminal XXI - Porto de Sines
Terminal XXI - Porto de SinesTerminal XXI - Porto de Sines
Terminal XXI - Porto de Sines
Tânia Domingos
 
Xenofobia e Racismo
Xenofobia e RacismoXenofobia e Racismo
Xenofobia e Racismo
Tânia Domingos
 
Energias
EnergiasEnergias
Energias
Tânia Domingos
 

Mais de Tânia Domingos (6)

Tráfico Humano e Emigração Clandestina
Tráfico Humano e Emigração ClandestinaTráfico Humano e Emigração Clandestina
Tráfico Humano e Emigração Clandestina
 
A Cultura do Salão
A Cultura do SalãoA Cultura do Salão
A Cultura do Salão
 
Arte Barroca, Luís XIV, Palácio de Versalhes
Arte Barroca, Luís XIV, Palácio de VersalhesArte Barroca, Luís XIV, Palácio de Versalhes
Arte Barroca, Luís XIV, Palácio de Versalhes
 
Terminal XXI - Porto de Sines
Terminal XXI - Porto de SinesTerminal XXI - Porto de Sines
Terminal XXI - Porto de Sines
 
Xenofobia e Racismo
Xenofobia e RacismoXenofobia e Racismo
Xenofobia e Racismo
 
Energias
EnergiasEnergias
Energias
 

Médicos sem fronteiras

  • 1. Médicos Sem Fronteiras Docente: Cristina Mateus Discentes: Ana Filipa Augusto Tânia Domingos
  • 2. Quem são? • É uma organização médico-humanitária internacional não-governamental sem fins lucrativos, independente e comprometida em levar ajuda às pessoas que mais precisam.
  • 3. Quem são? • São cerca de 30 mil profissionais de diferentes áreas, espalhados por mais de 60 países. • A organização foi criada em 1971, na França, por jovens médicos e jornalistas, que actuaram como voluntários no final dos anos 60 em Biafra, na Nigéria. • MSF surgem, então, como uma organização médico-humanitária que associa socorro médico e testemunho em favor das populações em risco.
  • 4. O que fazem? • Oferecem cuidados de saúde em situações de crise. • Resolvem situações como conflitos, epidemias, catástrofes naturais, casos de desnutrição e casos de exclusão do acesso à saúde. • Estas situações são resolvidas com um atendimento médico especializado e apoio logístico.
  • 5. Acção Humanitária • O trabalho da MSF é baseado em princípios humanitários. Estão comprometidos a trazer qualidade de cuidados médicos às pessoas em crise, independentemente da raça, religião ou afiliação política. • Actuam de forma independente. Conduzem as próprias avaliações na área para determinar as necessidades das pessoas.
  • 6. Acção Humanitária • MSF é neutra. Não tomam partido em conflitos armados, que prestam cuidados em função da necessidade, e ajudam as vítimas de conflitos, como é exigido pelo direito internacional humanitário.
  • 7. Principais modos de acção: • Assistência de saúde primária em centros de saúde e clínicas móveis; • Alimentação e nutrição; • Saúde materno-infantil; • Campanhas de vacinação; • Diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças específicas; • Atendimento a feridos e cirurgia de guerra;
  • 8. Principais modos de acção: • Cuidados de saúde mental; • Atendimento a vítimas de violência sexual; • Distribuição de alimentos e de itens de abrigo de primeira necessidade; • Construção e manutenção de estruturas de água e saneamento básico; • Recuperação de hospitais e clínicas; • Treino de profissionais.
  • 9. Como actuam? • Quando há uma emergência, os MSF actuam logo entre 48 a 72h após a identificação do problema. • A padronização dos métodos de trabalho, a organização de materiais em kits específicos, a manutenção de mercadorias permanentes e a experiência dos profissionais permitem que MSF cheguem ao local afectado com rapidez e comecem imediatamente a socorrer as vítimas.
  • 10. Como actuam? • Possuem 4 centros de logística na Europa e no Leste da África e têm mercadorias de equipamentos na América Central e no Leste da Ásia. • Desta forma, os materiais podem ser enviados por meio aéreo para as regiões que se encontram em crise dentro de 24 horas.
  • 13. África • Sul do Sudão
  • 14. África • Sul do Sudão
  • 15. África • Costa do Marfim
  • 16. América • Brasil
  • 17. Ásia • Afeganistão
  • 18. Ásia • Cambodja
  • 19. Ásia • Índia
  • 20. Ásia • Paquistão
  • 21. Europa • Grécia • Malta • França • Federação da Rússia
  • 23. «Médicos Sem Fronteiras actuam clandestinamente na Síria» • A organização não-governamental Médicos Sem-Fronteiras está, desde junho, em território sírio a tratar clandestinamente as vítimas da guerra civil no país. O hospital improvisado funciona numa vivenda e os profissionais de saúde no terreno já realizaram mais de 150 operações. A situação foi descrita pelo presidente da organização, Felipe Ribeiro, na segunda-feira, em Paris. • Além das 150 intervenções cirúrgicas, já foram tratados no hospital cerca de 300 feridos devido ao esforço de sete expatriados, 50 voluntários sírios e um pequeno grupo de especialistas estrangeiros.
  • 24. «Médicos Sem Fronteiras actuam clandestinamente na Síria» • A localização do hospital não foi revelado e só se sabe que fica no norte do país, numa zona controlada pelos rebeldes. • O presidente da Médicos Sem-Fronteiras confessou que, por diversas vezes, o regime de Bashar al-Assad fez saber que não eram "bem-vindos" no país mas nunca fez nada para os expulsar do território sírio. • Segundo Felipe Ribeiro, embora a maioria dos que recorrem ao hospital sejam rebeldes, no local presta-se auxílio aos que combatem nos dois lados do conflito.
  • 25. «Médicos Sem Fronteiras actuam clandestinamente na Síria» • O enfermeiro Brian Moller esteve responsável pela gestão do hospital e explica que a maioria dos rebeldes não têm qualquer assistência, porque só os que são fiéis ao regime é que podem recorrer a hospitais públicos. O enfermeiro adianta que não têm uma "autorização para trabalhar no país pelo que não há outra solução" a não ser fazê-lo clandestinamente havendo pessoas que fazem "até 150 km" para serem atendidas no hospital Notícia publicada pelo Jornal de Notícias a 22 de Agosto de 2012
  • 26. Curiosidades • Em 1999, os MSF receberam o prémio Nobel da Paz, como reconhecimento do seu combate em favor da sua intervenção e ajuda humanitária. • Mais de 89% dos fundos dos MSF vêm de Donativos Privados.
  • 37. A Solidez constrói-se A Competência cultiva-se A Confiança conquista-se Médicos Sem