SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
VIOLÊNCIA VS.
ESPÍRITO DESPORTIVO
Educação Física 9º Ano
Introdução
• Atualmente é comum ouvir-se falar, através dos meios de
comunicação social de casos de violência no desporto. Por inúmeras
razões o desporto, que deveria ser uma forma de divertimento e
competição justa, perde esse estatuto e atinge outro patamar: a
violência, a agressividade, a indignação, a raiva, etc.
• Mas porque será que o desporto tem de ser violento? Será que é pela
falta de desportivismo dos jogadores? Será pela pressão que os fãs,
os adeptos e os treinadores exercem sobre estes? Será pela falta de
controlo que o Homem tem sobre si, transformando a ira e a fúria
em violência?
Introdução
Introdução
• A verdade é que cada vez mais o desporto é violento e estima-se que
há violência no desporto desde a Antiguidade (nomeadamente nos
Jogos Olímpicos originais na Grécia Antiga). Uma das coisas que,
infelizmente, é comum a praticamente todas as modalidades é a
violência. Desporto e violência são conceitos totalmente opostos
que, contudo, estão interligados até de mais.
• No extremo oposto da violência desportiva temos o espírito
desportivo, do inglês fair-play. Será que, apesar do que foi referido,
ainda há desportivismo entre os jogadores? Ainda podemos
presenciar jogos justos? Ainda há espírito desportivo ou será que
este foi transformado em violência?
A violência e o desporto
• A violência é um instinto natural do ser humano que causa
intencionalmente danos morais ou físicos noutro indivíduo. A
violência pode ser física (agressão física), verbal ou moral (insultos),
gestual (gestos obscenos) ou psicológica (intimidação e
humilhação).
• Existe uma lista infindável das causas da violência no desporto. Esta
pode ser causada pela indignação, pela frustração, pelas rivalidades
entre as equipas, pelos problemas pessoais dos jogadores (que
“descarregam” toda a sua raiva em campo), pela pressão dos
treinadores, etc.
A violência e o desporto
A violência e o desporto
• Muitas vezes, são os fãs e os adeptos que começam a violência. São
estes que, por uma paixão cega à sua equipa ou clube ou por ódio
puro à equipa adversária, cometem atos de violência, perturbando o
equilíbrio dos jogos. Nos piores casos, estes atos de violência podem
causar mortes.
• De salientar os hooligans, grupos com ideias neo-nazis nascidos nos
anos 70 e 80 na Grã-Bretanha e que dedicam-se a sujar a reputação
do desporto, nomeadamente do futebol e dos desportos
universitários, de forma a afastar o público dos recintos desportivos.
A violência e o desporto
• Embora muitas pessoas associem violência desportiva a futebol, a
realidade é que há violência em todos os desportos. O futebol foi
frequentemente definido como um desporto violento, especialmente
por ser um desporto muito praticado. Contudo há desportos piores
nesse aspeto, como o hóquei e o râguebi, desportos com número de
casos de violência muito maior.
Fair-play / espírito desportivo
• Numa tradução linear para o português,
podemos definir fair-play como o termo
inglês para designar jogo limpo. Em
português também temos outros termos
com o mesmo significado, como por
exemplo espírito desportivo e
desportivismo.
• Espírito desportivo é o oposto à violência
desportiva. Este termo abrange inúmeros
significados e não se limita apenas ao
cumprimento das regras ou à aceitação
dos resultados.
Fair-play / espírito desportivo
Ter espírito desportivo é:
• cumprir todas as regras do
desporto em causa;
• respeitar o árbitro ou júri e não
contestar as suas decisões;
• demonstrar a vontade de ganhar,
mas reconhecendo a derrota com
dignidade;
• reconhecer a vitória
modestamente, sem inferiorizar o
adversário;
• reconhecer o bom desempenho ou
as boas estratégias do adversário;
Fair-play / espírito desportivo
Ter espírito desportivo é:
• competir com igualdade e conseguir a vitória apenas com esforço e
habilidade;
• recusar o uso da batota e da violência ou outras práticas desonestas
para conseguir a vitória;
• dar a mostrar o lado positivo de um erro, encorajando os jogadores
após uma derrota; esforçar-se ao máximo em cada partida;
• demonstrar desportivismo para com os outros, independentemente
de serem da mesma equipa ou adversários;
• gratificar-se com o esforço e com a tentativa, não apenas com
ganhar ou perder.
Fair-play / espírito desportivo
• Se todos os desportistas cumprissem estas simples, mas muito
importantes práticas, melhorava-se imenso o estatuto do desporto e
erradicava-se a violência e a corrupção desportiva, promovendo um
ambiente de paz e divertimento, transformando o desporto no que
este deve ser de verdade.
Bibliografia
• http://napsi.no.sapo.pt/espirito.html
• http://kinballportugal.webs.com/espritodesportivo.htm
• http://sports.specialolympics.org/specialo.org/Special_/English/C
oach/Coaching/Portuguese/Rhythmic/Rhythmic_Gymnastics_Rule
s_Protocol_and_Etiquette/Sportsmanship.htm
• http://www.cm-vfxira.pt/PageGen.aspx?WMCM_PaginaId=65396
• http://pt.wikipedia.org/wiki/Hooliganismo
• http://violencianodesporto.comuf.com/
Bibliografia (continuação)
• http://violencianodesporto.comuf.com/index.php?option=com_co
ntent&view=article&id=47&Itemid=57
• http://viverodesporto.blogspot.pt/2010/03/o-que-e-o-espirito-
desportivo.html
• http://pt.wikipedia.org/wiki/Viol%C3%AAncia
• http://pt.wikipedia.org/wiki/Viol%C3%AAncia_no_futebol
• http://estadosdalma.blogs.sapo.pt/5662.html
• http://desporto-esfrl.blogspot.pt/p/violencia-no-desporto.html
• https://www.google.pt/imghp?hl=pt-
PT&tab=wi&ei=orT9VNT4HMK0Ue-MhPgG&ved=0CBUQqi4oAg
FIM!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Miguel Torga - Poemas
Miguel Torga - PoemasMiguel Torga - Poemas
Miguel Torga - Poemas
Ana Tapadas
 
Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho
Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho
Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho
Marisa Ferreira
 
Corrupçao vs verdade desportiva
Corrupçao vs verdade desportivaCorrupçao vs verdade desportiva
Corrupçao vs verdade desportiva
Fabio Rocha
 

Mais procurados (20)

Amor de perdição
Amor de perdiçãoAmor de perdição
Amor de perdição
 
Miguel Torga - Poemas
Miguel Torga - PoemasMiguel Torga - Poemas
Miguel Torga - Poemas
 
Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho
Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho
Crónica de Costumes - Jantar dos Gouvarinho
 
Os maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analiseOs maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analise
 
A Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúdeA Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúde
 
Antero de Quental
Antero de QuentalAntero de Quental
Antero de Quental
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-Sistematização
 
Memorial do convento
Memorial do conventoMemorial do convento
Memorial do convento
 
Memorial do Convento - Cap. V
Memorial do Convento - Cap. VMemorial do Convento - Cap. V
Memorial do Convento - Cap. V
 
Especialização precoce - educação fisica
Especialização precoce - educação fisicaEspecialização precoce - educação fisica
Especialização precoce - educação fisica
 
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão LopesCrónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
 
Cesário Verde - "Ao Gás"
Cesário Verde - "Ao Gás"Cesário Verde - "Ao Gás"
Cesário Verde - "Ao Gás"
 
Modelo de relatório da Prova de Aptidão Profissional
Modelo de relatório da Prova de Aptidão ProfissionalModelo de relatório da Prova de Aptidão Profissional
Modelo de relatório da Prova de Aptidão Profissional
 
Corrupçao vs verdade desportiva
Corrupçao vs verdade desportivaCorrupçao vs verdade desportiva
Corrupçao vs verdade desportiva
 
Os maias a intriga
Os maias   a intrigaOs maias   a intriga
Os maias a intriga
 
Os Maias, capítulos I a IV
Os Maias, capítulos I a IVOs Maias, capítulos I a IV
Os Maias, capítulos I a IV
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
 
Os Maias estrutura
Os Maias estruturaOs Maias estrutura
Os Maias estrutura
 
Noite Fechada, de Cesário Verde
Noite Fechada, de Cesário VerdeNoite Fechada, de Cesário Verde
Noite Fechada, de Cesário Verde
 
Fatores de saúde e riscos associados à prática das actividades físicas
Fatores de saúde e riscos associados à prática das actividades físicasFatores de saúde e riscos associados à prática das actividades físicas
Fatores de saúde e riscos associados à prática das actividades físicas
 

Semelhante a Violência VS. Espírito Desportivo (6)

Violência vs Espírito Desportivo
Violência vs Espírito DesportivoViolência vs Espírito Desportivo
Violência vs Espírito Desportivo
 
Educação física para peças
Educação física para peçasEducação física para peças
Educação física para peças
 
207 atitude antidesportiva
207 atitude                             antidesportiva 207 atitude                             antidesportiva
207 atitude antidesportiva
 
Jogo x Esporte
Jogo x EsporteJogo x Esporte
Jogo x Esporte
 
jornalismo e inclusão nos esportes
jornalismo e inclusão nos esportesjornalismo e inclusão nos esportes
jornalismo e inclusão nos esportes
 
Violência Desportiva vs Espírito Desportivo e Corrupção Desportiva
Violência Desportiva vs Espírito Desportivo e Corrupção DesportivaViolência Desportiva vs Espírito Desportivo e Corrupção Desportiva
Violência Desportiva vs Espírito Desportivo e Corrupção Desportiva
 

Mais de 713773

Mais de 713773 (20)

A organização das áreas urbanas em Portugal: as áreas funcionais - Geografia ...
A organização das áreas urbanas em Portugal: as áreas funcionais - Geografia ...A organização das áreas urbanas em Portugal: as áreas funcionais - Geografia ...
A organização das áreas urbanas em Portugal: as áreas funcionais - Geografia ...
 
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º anoAs áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
 
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º anoA expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
 
Soluções para os problemas urbanos - Geografia 11º Ano
Soluções para os problemas urbanos - Geografia 11º AnoSoluções para os problemas urbanos - Geografia 11º Ano
Soluções para os problemas urbanos - Geografia 11º Ano
 
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º AnoProblemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
Problemas no espaço urbano - Geografia 11º Ano
 
Os transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
Os transportes em Portugal - Geografia 11º AnoOs transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
Os transportes em Portugal - Geografia 11º Ano
 
As redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
As redes de transporte no território português - Geografia 11º AnoAs redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
As redes de transporte no território português - Geografia 11º Ano
 
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º AnoAs características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
 
O Cavaquinho
O CavaquinhoO Cavaquinho
O Cavaquinho
 
Como Elaborar um Relatório Científico
Como Elaborar um Relatório CientíficoComo Elaborar um Relatório Científico
Como Elaborar um Relatório Científico
 
Evolução Fonética
Evolução FonéticaEvolução Fonética
Evolução Fonética
 
O Texto Expositivo
O Texto ExpositivoO Texto Expositivo
O Texto Expositivo
 
O Advérbio
O Advérbio O Advérbio
O Advérbio
 
Sílabas Métricas
Sílabas MétricasSílabas Métricas
Sílabas Métricas
 
Utilização Correta dos Pronomes
Utilização Correta dos PronomesUtilização Correta dos Pronomes
Utilização Correta dos Pronomes
 
Processos Fonológicos
Processos FonológicosProcessos Fonológicos
Processos Fonológicos
 
Orações Coordenadas e Subordinadas
Orações Coordenadas e SubordinadasOrações Coordenadas e Subordinadas
Orações Coordenadas e Subordinadas
 
Sustentabilidade na Terra
Sustentabilidade na TerraSustentabilidade na Terra
Sustentabilidade na Terra
 
Ciências Naturais 7º Ano - Resumo da Matéria / Mapa de Conceitos
Ciências Naturais 7º Ano - Resumo da Matéria / Mapa de ConceitosCiências Naturais 7º Ano - Resumo da Matéria / Mapa de Conceitos
Ciências Naturais 7º Ano - Resumo da Matéria / Mapa de Conceitos
 
Cem Anos de Solidão - Personagens
Cem Anos de Solidão - PersonagensCem Anos de Solidão - Personagens
Cem Anos de Solidão - Personagens
 

Último

ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
WendelldaLuz
 
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
TaniaN8
 

Último (12)

Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
 
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
aula de Me enxergou na minha tormenta Me livrou em meus problemas Transformou...
 
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptxSlides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
Slides-trabalho-biossegurança em hospitais.pptx
 
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdfATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
ATLAS DE FOTOGRAMETRIA FORENSE - EEPHCFMUSP .pdf
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
 
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptxanemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
anemia ferropriva e megaloblástica FINAL.pptx
 
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
 
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
 
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
 
Treinamento Básico em Primeiros Socorros.ppt
Treinamento Básico em Primeiros Socorros.pptTreinamento Básico em Primeiros Socorros.ppt
Treinamento Básico em Primeiros Socorros.ppt
 
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
Não podemos esquecer que outros critérios são necessários para se fazer o dia...
 
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
 

Violência VS. Espírito Desportivo

  • 2. Introdução • Atualmente é comum ouvir-se falar, através dos meios de comunicação social de casos de violência no desporto. Por inúmeras razões o desporto, que deveria ser uma forma de divertimento e competição justa, perde esse estatuto e atinge outro patamar: a violência, a agressividade, a indignação, a raiva, etc. • Mas porque será que o desporto tem de ser violento? Será que é pela falta de desportivismo dos jogadores? Será pela pressão que os fãs, os adeptos e os treinadores exercem sobre estes? Será pela falta de controlo que o Homem tem sobre si, transformando a ira e a fúria em violência?
  • 4. Introdução • A verdade é que cada vez mais o desporto é violento e estima-se que há violência no desporto desde a Antiguidade (nomeadamente nos Jogos Olímpicos originais na Grécia Antiga). Uma das coisas que, infelizmente, é comum a praticamente todas as modalidades é a violência. Desporto e violência são conceitos totalmente opostos que, contudo, estão interligados até de mais. • No extremo oposto da violência desportiva temos o espírito desportivo, do inglês fair-play. Será que, apesar do que foi referido, ainda há desportivismo entre os jogadores? Ainda podemos presenciar jogos justos? Ainda há espírito desportivo ou será que este foi transformado em violência?
  • 5. A violência e o desporto • A violência é um instinto natural do ser humano que causa intencionalmente danos morais ou físicos noutro indivíduo. A violência pode ser física (agressão física), verbal ou moral (insultos), gestual (gestos obscenos) ou psicológica (intimidação e humilhação). • Existe uma lista infindável das causas da violência no desporto. Esta pode ser causada pela indignação, pela frustração, pelas rivalidades entre as equipas, pelos problemas pessoais dos jogadores (que “descarregam” toda a sua raiva em campo), pela pressão dos treinadores, etc.
  • 6. A violência e o desporto
  • 7. A violência e o desporto • Muitas vezes, são os fãs e os adeptos que começam a violência. São estes que, por uma paixão cega à sua equipa ou clube ou por ódio puro à equipa adversária, cometem atos de violência, perturbando o equilíbrio dos jogos. Nos piores casos, estes atos de violência podem causar mortes. • De salientar os hooligans, grupos com ideias neo-nazis nascidos nos anos 70 e 80 na Grã-Bretanha e que dedicam-se a sujar a reputação do desporto, nomeadamente do futebol e dos desportos universitários, de forma a afastar o público dos recintos desportivos.
  • 8. A violência e o desporto • Embora muitas pessoas associem violência desportiva a futebol, a realidade é que há violência em todos os desportos. O futebol foi frequentemente definido como um desporto violento, especialmente por ser um desporto muito praticado. Contudo há desportos piores nesse aspeto, como o hóquei e o râguebi, desportos com número de casos de violência muito maior.
  • 9. Fair-play / espírito desportivo • Numa tradução linear para o português, podemos definir fair-play como o termo inglês para designar jogo limpo. Em português também temos outros termos com o mesmo significado, como por exemplo espírito desportivo e desportivismo. • Espírito desportivo é o oposto à violência desportiva. Este termo abrange inúmeros significados e não se limita apenas ao cumprimento das regras ou à aceitação dos resultados.
  • 10. Fair-play / espírito desportivo Ter espírito desportivo é: • cumprir todas as regras do desporto em causa; • respeitar o árbitro ou júri e não contestar as suas decisões; • demonstrar a vontade de ganhar, mas reconhecendo a derrota com dignidade; • reconhecer a vitória modestamente, sem inferiorizar o adversário; • reconhecer o bom desempenho ou as boas estratégias do adversário;
  • 11. Fair-play / espírito desportivo Ter espírito desportivo é: • competir com igualdade e conseguir a vitória apenas com esforço e habilidade; • recusar o uso da batota e da violência ou outras práticas desonestas para conseguir a vitória; • dar a mostrar o lado positivo de um erro, encorajando os jogadores após uma derrota; esforçar-se ao máximo em cada partida; • demonstrar desportivismo para com os outros, independentemente de serem da mesma equipa ou adversários; • gratificar-se com o esforço e com a tentativa, não apenas com ganhar ou perder.
  • 12. Fair-play / espírito desportivo • Se todos os desportistas cumprissem estas simples, mas muito importantes práticas, melhorava-se imenso o estatuto do desporto e erradicava-se a violência e a corrupção desportiva, promovendo um ambiente de paz e divertimento, transformando o desporto no que este deve ser de verdade.
  • 13. Bibliografia • http://napsi.no.sapo.pt/espirito.html • http://kinballportugal.webs.com/espritodesportivo.htm • http://sports.specialolympics.org/specialo.org/Special_/English/C oach/Coaching/Portuguese/Rhythmic/Rhythmic_Gymnastics_Rule s_Protocol_and_Etiquette/Sportsmanship.htm • http://www.cm-vfxira.pt/PageGen.aspx?WMCM_PaginaId=65396 • http://pt.wikipedia.org/wiki/Hooliganismo • http://violencianodesporto.comuf.com/
  • 14. Bibliografia (continuação) • http://violencianodesporto.comuf.com/index.php?option=com_co ntent&view=article&id=47&Itemid=57 • http://viverodesporto.blogspot.pt/2010/03/o-que-e-o-espirito- desportivo.html • http://pt.wikipedia.org/wiki/Viol%C3%AAncia • http://pt.wikipedia.org/wiki/Viol%C3%AAncia_no_futebol • http://estadosdalma.blogs.sapo.pt/5662.html • http://desporto-esfrl.blogspot.pt/p/violencia-no-desporto.html • https://www.google.pt/imghp?hl=pt- PT&tab=wi&ei=orT9VNT4HMK0Ue-MhPgG&ved=0CBUQqi4oAg
  • 15. FIM!