SlideShare uma empresa Scribd logo
CURSO DE CAPACITAÇÃO E
CONSCIENTIZAÇÃO HALAL
Industrial e Frigoríficos
Turma: 2023-006
MODULO I
OS PRINCÍPIOS DO ISLAM
E O HALAL
MODULO V
NORMAS INTERNACIONAIS
01 05
MODULO II
O HALAL NO BRASIL
MODULO VI
ESTUDOS DE CASO
MODULO VII
O MERCADO E O
CONSUMIDOR MUÇULMANO
MODULO IV
PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO
DA FAMBRAS
International
Halal Academy
04 ‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬
‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
MODULO III
O CONCEITO HALAL
06
07
02
03
International
Halal Academy
‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬
‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
MODULO I
OS PRINCÍPIOS DO ISLAM
E O HALAL
MODULO I
OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL
ESTEREÓTIPOS EM RELAÇÃO À
CULTURA ISLÂMICA E DOS
PRATICANTES DO ISLAM
• A atual conjuntura mundial está marcada
por conflitos religiosos, divergências
diplomáticas, polarizações, extremismos e
intolerâncias;
• Retrato na Mídia, Entretenimento e o
Conhecimento.
• Respeito às diferenças;
• “ e vos fizemos povos e tribos diferentes para
que rivalizassem pela boas ações”
• Liberdade na Crença ;
• “Não há imposição em matéria de religião”
• Preservação da Vida;
• “Quem matar alguém inocente é como se
tivesse matado toda humanidade e quem salvar
uma pessoa inocente é como se tivesse salvo
toda a humanidade”
• O Conceito Halal;
“Foram vos permitidas todas as coisas
sadias(éticas e lícitas)”
Bases essenciais na Tradição Islâmica
MÓDULO I
Os Princípios do Islam e o Halal
Bases essenciais na Tradição Islâmica
• Respeito às diferenças;
“e vos fizemos povos e tribos diferentes para que
rivalizassem pela boas ações”
• Liberdade na Crença ;
“Não há imposição em matéria de religião”
• Preservação da Vida;
“Quem matar alguém inocente é como se tivesse
matado toda humanidade e quem salvar uma
pessoa inocente é como se tivesse salvo toda a
humanidade”
• O Conceito Halal;
“Foram vos permitidas todas as coisas
sadias(éticas e lícitas)”
OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL
MODULO I
MODULO I
OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL
ISLAM DERIVA DE SALAM,
QUE SIGNIFICA PAZ.
• A saudação islâmica “Assalamu Alaikum”
significa “Que a paz esteja com você”.
• O Islam é uma religião monoteísta, cuja
mensagem de Deus foi repassada à humanidade por
meio de Profetas e mensageiros.
• Os muçulmanos acreditam nas três
Religiões monoteístas: o Cristianismo, o
Judaísmo e o Islam.
International
Halal Academy
‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬
‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
MODULO I
OS PRINCÍPIOS DO ISLAM
E O HALAL
O QUE É O
ALCORÃO?
MODULO I
OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL
ALCORÃO SAGRADO E NA SUNNAH
(Ditos e Comportamentos do Profeta Muhammad)
O Nobre Alcorão é o registro das palavras exatas
enviadas por Deus, por intermédio do Anjo
Gabriel, ao Profeta Muhammad (S.A.A.S).
Foi memorizado por ele e, então, ditado aos seus
companheiros, registrado pelos seus escribas, que
o conferiram durante sua vida. Nenhuma palavra
dos seus 114 Capítulos (Surat) foi mudada no
decorrer dos séculos.
MODULO I
OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL
ALCORÃO SAGRADO E NA SUNNAH
(Ditos e Comportamentos do Profeta Muhammad)
Assim, o Alcorão é, em cada detalhe, o único e
miraculoso texto que foi revelado a Muhammad (S.A.A.S).
O Altíssimo disse:
“Nós revelamos a mensagem e somos
o seu preservador.”
15:9 Al Hijr
International
Halal Academy
‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬
‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
MODULO I
OS PRINCÍPIOS DO ISLAM
E O HALAL
5 PILARES
DO ISLAM
MODULO I
OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL
5 PILARES DO ISLAM
Testemunho (Chahada)
Oração (Salat)
Jejum (Sawm)
Zakat
Peregrinação (Hajj)
International
Halal Academy
‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬
‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
MODULO I
OS PRINCÍPIOS DO ISLAM
E O HALAL
O QUE É
HALAL?
MODULO I
OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL
A PALAVRA “HALAL” SIGNIFICA
LÍCITO, O MESMO QUE PERMITIDO.
Produtos designados Halal são aqueles os quais o
consumo é permitido por Deus, de acordo com a
Shariah.
Halal é então a base de tudo o que é lícito, na
alimentação, no social, nos atos praticados
(conduta), na justiça, na vestimenta, nas finanças,
etc., é um sistema baseado nos princípios e valores
que beneficiem a humanidade.
MODULO I
OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL
O Sagrado Alcorão nos ensina:
“Foram-vos permitidas todas as coisas
sadias”
(5ª Surata, versículo 4).
A PALAVRA “HALAL” SIGNIFICA
LÍCITO, O MESMO QUE PERMITIDO.
International
Halal Academy
‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬
‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
MODULO II
O HALAL NO BRASIL
MODULO II
O HALAL NO BRASIL
O PIONEIRISMO DA FAMBRAS
Década de 70 – Primeira exportação de carne de
frango Halal (Comerciantes da Arábia Saudita e do
Kuwait solicitaram uma grande quantidade de frango
Halal: 650 toneladas. Foi criado, então, um pool entre
Seara, Perdigão, Frangosul e Minuano para atender a
demanda. transportada no navio finlandês Aconcágua,
pelo Porto de Itajaí)
Fundação da FAMBRAS em 1979: Hajj Hussein
Mohamed El Zoghbi;
Atuação: religioso, social, econômico, diplomático e
Certificação.
MODULO II
O HALAL NO BRASIL
O PIONEIRISMO DA FAMBRAS
• O mercado de proteínas Halal consolida o Brasil
na primeira posição das exportações deste
segmento para os países árabes, graças ao empenho
da FAMBRAS Halal;
• O Brasil segue como líder mundial quando o assunto
é frango Halal. Em 2021 Foram 1,9 milhão de
tonelada de frango e quase 400 mil toneladas de
carnes bovinas.
MODULO II
O HALAL NO BRASIL
SYS HALAL
é o novo sistema de gerencia-
mento de certificação Halal
da FAMBRAS Halal.
International
Halal Academy
‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬
‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
MODULO III
O CONCEITO HALAL
MODULO III
O CONCEITO HALAL
Halal -> Lícito ou permitido Haram -> Ilícito ou proibido Mashbooh -> Duvidoso,
processo industrial pode ter
contaminado ou origem
duvidosa.
de acordo com a
jurisprudência islâmica.
de acordo com a
jurisprudência islâmica.
MODULO III
O CONCEITO HALAL
O QUE SIGNIFICA HARAM?
É o mesmo que ilícito, impuro, ilegal (Proibido por
Deus).
Tudo que é prejudicial a saúde, bem estar e moral do
ser humano entra na categoria Haram.
Alimentos e bebidas Haram são absolutamente
proibidos para os muçulmanos!
‫َٱلد‬‫و‬ ُ‫َة‬‫ت‬ْ‫ي‬َ‫م‬ْ‫ٱل‬ ُ‫م‬ُ‫ك‬ْ‫ي‬َ‫ل‬َ‫ع‬ ْ‫َت‬‫م‬ِّ‫ر‬ُ‫ح‬
ِّ‫ير‬ِّ‫نز‬ِّ‫خ‬ْ‫ٱل‬ ُ‫م‬ْ‫ح‬َ‫َل‬‫و‬ ُ‫م‬
‫ۦ‬
ِّ‫ه‬ِّ‫ب‬ ِّ‫ٱَّلل‬ ِّ‫ر‬ْ‫ي‬َ‫غ‬ِّ‫ل‬ ‫ل‬ِّ‫ه‬
ُ
‫أ‬ ٓ‫َا‬‫م‬َ‫و‬
“Está-vos vedado: a carniça, o sangue, a carne de suíno e
tudo o que tenha sido sacrificado com a invocação de outro
nome que não seja Deus”.
(5ª Surata, versículo 3)
Material didático.pdf
MODULO III
O CONCEITO HALAL
ABATE HALAL
• Ritual de sacrifício;
• Minimizar o sofrimento do animal;
• Bem-estar animal;
• Animais saudáveis;
• Realizado por um muçulmano sadio e
intencionado. Na ausência deste pode ser
judeu ou cristão.
MODULO III
O CONCEITO HALAL
ABATE HALAL
• Preferencialmente voltado para Meca.
• Corte único e preciso;
• Faca afiada;
• Controle da insensibilização (se
autorizado);
• Escoamento do sangue espontâneo e
completo.
• Invocar a Tasmyah;
Aves
predatórias
Material didático.pdf
MODULO III
O CONCEITO HALAL
O QUE SIGNIFICA MASHBOOH?
A palavra Mashbooh significa duvidoso ou suspeito.
Produtos industrializados, pois o processo de fabricação
pode agregar matérias-primas, insumos ou auxiliares de
processo Haram que podem contaminá-lo.
Produtos com duas ou mais fontes de obtenção (vegetal,
animal, seres humano), por exemplo:
Glicerina, Ácidos Graxos - Origem animal ou vegetal.
L-Cisteína – Origem humana, animal, vegetal e petróleo.
A certificação Halal é obrigatória
para produtos desta categoria!
MODULO III
O CONCEITO HALAL
O QUE SIGNIFICA HALAL MIZEN?
▪ O Islam se preocupa com a proteção dos direitos
do consumidor buscando obter a medida e/ou
peso correto no produto.
➢ Sobre isto o alcorão sagrado menciona:
“Ai dos fraudadores, aqueles que, quando alguém
lhes mede algo, exigem a medida exata/plena. Porém,
quando eles medem ou pesam para os demais,
fraudam-nos.” (Surata 83:1-3).
▪ Comercialização → deve-se transpor o mesmo
conceito de justiça.
➢ Sobre isto, o alcorão sagrado menciona:
“Ó povo meu, disponde da medida e do peso com
equidade; não defraudeis os humanos em seus bens e
não pratiqueis a devassidão na terra, como
corruptores.” (Surata 11:85).
MODULO III
O CONCEITO HALAL
• Istihala significa mudança ou, mais precisamente, uma mudança física ou química.
• É a transformação ou conversão (total ou parcial) de um material para outro → cor, sabor, odor,
aparência física ou estado material.
• Algo impuro ou najis pode se tornar puro (tahir) ao se transformar quimicamente ou fisicamente, em
outro elemento.
• Transformação química ➔ Éster. O Éster é obtido a partir de uma reação de esterificação.
O QUE SIGNIFICA ISTIHALA?
MODULO IV
PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO
FAMBRAS HALAL
International
Halal Academy
‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬
‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
Material didático.pdf
MODULO IV
PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL
ANÁLISES LABORATORIAIS
• Identificação de DNA Animal
✓ PCR Suíno, Bovino, Caprino e Galináceo
• Solventes residuais
✓ Etanol
Material didático.pdf
CERTIFICADO DA FAMBRAS HALAL
Validade de 3 anos;
Autorização para aplicar o selo Halal;
Auditorias anuais de manutenção.
MODULO IV
PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL
Categorias de Certificação Halal
MODULO IV
PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL
DA FAZENDA AO GARFO
PRINCIPAIS REQUISITOS DE AVALIAÇÃO
MODULO IV
PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL
• Homologação de novas matérias-primas e
fornecedores – planilha sempre atualizada;
• Segurança dos alimentos.
• Confirmação do escopo;
• Riscos invisíveis (água, lubrificantes, produtos de
limpeza e embalagem);
• Contaminação cruzada / Segregação entre o
Halal e não Halal e Higienização;
• Armazém e Transporte;
• Aplicação do selo Halal;
• Meio ambiente – Água e descarte de resíduos;
SISTEMA DE GARANTIA HALAL – HALAL ASSURANCE SYSTEM (HAS)
Objetivo garantir a segurança, qualidade e sustentabilidade de um
processo Halal de produção.
Similar ao APPCC – Foco nos perigos relacionados ao Halal:
• Identificação dos perigos;
• Determinação dos riscos;
• Ação no caso de desvios.
MODULO IV
PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL
ANÁLISE DE RISCO HALAL
MODULO IV
PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO
FAMBRAS HALAL
Política
Halal
Comitê
Halal
Treinamento
Auditoria
interna
Halal
Análise
de riscos
Halal (PC/
PCCH)
Rastreabilidade
Sistema de
Garantia Halal
Descrição do
produto
ANÁLISE DE RISCO HALAL
MODULO IV
PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL
PREENCHIMENTO OBRIGATÓRIO/ MANDATORY FILLING PREENCHIMENTO SOMENTE PARA PCCH
ETAPA DO
PROCESSO
OU
NOME DA
MATÉRIA PRIMA
OU INSUMO
PERIGO AO HALAL
PROBABI
LIDADE
(Alta,
média,
baixa)
SEVERI
DADE
(Alta,
média,
baixa)
RISCO
(probabilidade
X severidade)
PCH /
PCCH
JUSTIFICATIVA
MEDIDAS
PREVENTIVAS
CRITÉRIO MONITORAMENTO
AÇÃO
CORRETIVA
REGISTRO VERIFICAÇÃO
Ácido ascórbico
(vitamina)
Origem da
vitamina ser de
fontes não
Halal
Baixo Alta Risco Médio PCH
Probabilidade é baixa porque
todas matérias-primas
utilizadas nos produtos Halal
são devidamente
homologadas, considerando a
necessidade de ter uma
documentação que comprove
o seu status Halal.
Além disso, a matéria-prima
também é aprovada pela
FAMBRAS HALAL antes de ser
homologada.
A severidade é alta porque se
ocorrer esta contaminação, a
matéria-prima Halal, se torna
não Halal e não pode ser
utilizada no produto Halal.
Procedimento de
homologação das
matérias-primas.
Aprovação das
matérias-primas
usadas nos
produtos Halal
com a
certificadora;
Aquisição apenas
de matérias-
primas
homologadas.
MODULO IV
PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL
PREENCHIMENTO OBRIGATÓRIO/ MANDATORY FILLING PREENCHIMENTO SOMENTE PARA PCCH
ETAPA DO
PROCESSO
OU
NOME DA
MATÉRIA PRIMA
OU INSUMO
PERIGO AO HALAL
PROBABI
LIDADE
(Alta,
média,
baixa)
SEVERI
DADE
(Alta,
média,
baixa)
RISCO
(probabilidade
X severidade)
PCH /
PCCH
JUSTIFICATIVA
MEDIDAS
PREVENTIVAS
CRITÉRIO MONITORAMENTO
AÇÃO
CORRETIVA
REGISTRO VERIFICAÇÃO
Recepção
Não
identificado
** ** *** ** *** ***
ANÁLISE DE RISCO HALAL
MODULO IV
PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL
PREENCHIMENTO OBRIGATÓRIO/ MANDATORY FILLING PREENCHIMENTO SOMENTE PARA PCCH
ETAPA DO
PROCESSO
OU
NOME DA
MATÉRIA PRIMA
OU INSUMO
PERIGO AO
HALAL
PROBABI
LIDADE
(Alta,
média,
baixa)
SEVERI
DADE
(Alta,
média,
baixa)
RISCO
(probabilidade
X severidade)
PCH /
PCCH
JUSTIFICATIVA
MEDIDAS
PREVENTIVAS
CRITÉRIO MONITORAMENTO AÇÃO CORRETIVA REGISTRO VERIFICAÇÃO
MISTURA
Contaminação
cruzada com
produto não
Halal
Média Alto Risco Alto PCCH
Probabilidade é
média porque pode
ocorrer a
contaminação devido
ao compartilhamento
do equipamento de
mistura dos produtos
Halal, com
ingredientes de
produtos não Halal.
Severidade é alta,
porque se ocorrer a
contaminação
cruzada o produto
final deixa de ser
Halal.
Identificação
dos produtos
como Halal
durante todo o
processamento
Layout
adequado;
Procedimento
de higienização
aprovado;
Inspeção do
equipamento
antes da
produção.
Toda
primeira
produção
Halal, após a
fabricação de
um produto
não Halal,
deverá
acontecer
após a
higienização
úmida com 7
etapas.
Durante o processo
de higienização,
será registrado no
checklist de
higienização do
misturador – FM
XX, o horário em
que ocorreu cada
uma das 7 etapas.
Caso não tenha sido
totalizada as 7 etapas de
enxague, realizar as
etapas adicionais, através
da passagem de água,
conforme determinado
no POP de limpeza.
Caso a produção Halal
tenha iniciado, apesar de
não ter ocorrido a
higienização de 7 etapas,
a mesma não será
vendida como Halal, e o
comitê Halal será
comunicado do desvio,
para abertura de não
conformidade e
investigação de causas.
Checklist FM
XX
Checklist FM
WW
O supervisor de
produção irá verificar se
o equipamento está
devidamente higienizado
antes do início da
produção Halal, sem
resquícios de produções
anteriores.
Este supervisor também
irá verificar o checklist de
higienização do
misturador – FM XX, de
modo a confirmar se
ocorreu a higienização
em 7 etapas.
ANÁLISE DE RISCO HALAL
MODULO IV
PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL
PREENCHIMENTO OBRIGATÓRIO/ MANDATORY FILLING PREENCHIMENTO SOMENTE PARA PCCH
ETAPA DO
PROCESSO
OU
NOME DA
MATÉRIA PRIMA
OU INSUMO
PERIGO AO
HALAL
PROBABI
LIDADE
(Alta,
média,
baixa)
SEVERI
DADE
(Alta,
média,
baixa)
RISCO
(probabilidade
X severidade)
PCH /
PCCH
JUSTIFICATIVA
MEDIDAS
PREVENTIVAS
CRITÉRIO MONITORAMENTO AÇÃO CORRETIVA REGISTRO VERIFICAÇÃO
SANGRIA
O corte não
ser preciso
Média Alta Risco Alto PCCH
Probabilidade é
avaliada como média,
afinal a degola
depende de um fator
humano, que é o
degolador.
A severidade foi
classificada como alta
pois se o corte não
for preciso, a carcaça
deve ser condenada
para o Halal.
Garantir que a
degola atinja
todas as
estruturas
necessárias;
Treinar o
degolador;
O corte deve
atingir:
1 - Esôfago;
1 - Traquéia;
2 - Veias
jugulares
2 - Artérias
carótidas
O monitoramento
é realizado através
do preenchimento
do check list x
Descartar para o Halal o
animal que não foi
adequadamente
degolado.
Check list x A cada animal degolado.
ANÁLISE DE RISCO HALAL
MODULO IV
PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL
PREENCHIMENTO OBRIGATÓRIO/ MANDATORY FILLING PREENCHIMENTO SOMENTE PARA PCCH
ETAPA DO
PROCESSO
OU
NOME DA
MATÉRIA PRIMA
OU INSUMO
PERIGO AO HALAL
PROBABI
LIDADE
(Alta,
média,
baixa)
SEVERI
DADE
(Alta,
média,
baixa)
RISCO
(probabilidade
X severidade)
PCH /
PCCH
JUSTIFICATIVA
MEDIDAS
PREVENTIVAS
CRITÉRIO MONITORAMENTO
AÇÃO
CORRETIVA
REGISTRO VERIFICAÇÃO
Armazém do
produto final
Contaminação
cruzada com
produto não
Halal
Baixo Alta Risco Médio PCH
Probabilidade é baixa porque
os produtos Halal são
identificados, e armazenado
segregados, a uma distância
significativa aqueles não Halal,
por exemplo os produtos para
alimentação animal.
A severidade é alta porque se
ocorrer esta contaminação, o
produto final deixa de ser
Halal.
Segregação entre
os produtos finais
Halal e não Halal;
Identificação dos
produtos Halal;
Layout
adequado;
Transporte do
material
protegido e
plastificado.
ANÁLISE DE RISCO HALAL
MODULO V
NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL
International
Halal Academy
‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬
‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
MODULO V
NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL
AUTORIDADES ISLÂMICAS E NORMAS MUNDIAIS RELACIONADAS AO HALAL
Região/ País Autoridade Logo Normas Halal
GOLFO ARÁBICO
(Arábia Saudita,
Bahrein, Emirados
Árabes, Omã, Qatar,
Kuwait, Iêmen)
GAC = GCC* Accreditation Center GSO 2055-2;
GSO 2055-1;
GSO 993
* GCC = Gulf Cooperation Consul
ARÁBIA SAUDITA
SASO = Saudi Standards, Metrology
and Quality; GSO 2055-2;
GSO 2055-1;
GSO 993
SFDA Halal Center (Saudi Food and
Drugs Authority);
EMIRADOS ÁRABES
MOIAT = Ministry of Industry and
Advanced Technology
UAE.S 2055-2;
UAE.S 2055-1;
UAE.S 2055-4
UAE.S 993
MODULO V
NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL
Região/ País Autoridade Logo Normas Halal
INDONÉSIA
LPPOM MUI = Assessment
Institution of Food, Drugs and
Cosmetics Majelis Ulama Indonesia HAS 23000;
HAS 23103;
HAS 23201
BPJPH - Kementerian Agama
Republik Indonesia - Badan
Penyelenggara Jaminan Produk
Halal
MALÁSIA
JAKIM Malaysia = Jabatan
Kemajuan Islam Malaysia
MS 1500;
MS 1900;
MS 2200;
MS 2634
SINGAPURA
MUIS = Majelis Ugama Islam
Singapore
MUIS-HC-S001;
MUIS-HC-S002
AUTORIDADES ISLÂMICAS E NORMAS MUNDIAIS RELACIONADAS AO HALAL
MODULO V
NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL
MODULO V
NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL
PARTICULARIDADES
• Indonésia:
FAMBRAS Halal é reconhecida para:
✓ Proteína Animal in-natura, carnes e aves;
✓ Matérias-primas e aditivos;
✓ Aromas.
Produtos de varejo, destinados diretamente ao consumidor, precisam passar por uma recertificação
(validação) junto ao organismo Halal do país, que é a LPPOM MUI Indonésia.
• Emirados Árabes:
Certificados pela FAMBRAS HALAL → Único selo permitido no país é a Marca Halal emitida pela MOIAT
(Halal National Mark);
• Egito e Irã:
Possui certificadoras próprias do país, que atuam mundialmente. Restrições especialmente para
produtos cárneos. Sempre consultar o importador.
MODULO V
NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL
MODULO V
NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL
Países do Golfo
GSO 993
Malásia
MS 1500
Indonésia
HAS 23103
- Tempo mínimo de 3 minutos de sangria: morte seja
comprovada.
- Animal não pode ser abatido na frente de outro e
não pode ver a faca ser afiada.
- Preferencialmente com a mão direita (moral
pública).
- Proibido arrancar ou quebrar a cabeça → Condenar
que foram arrancadas.
- O abate deve ser feito mediante supervisor
muçulmano da FAMBRAS Halal, que deverá
monitorar continuamente todo o procedimento do
abate.
- Abate pode ser realizado por um judeu ou cristão,
desde que formalmente aprovados e conheça os
fundamentos e princípios islâmicos do abate Halal, e
tenha um Certificado de competência, emitido por
um centro Islâmico.
- Plantas que realizam o abate Halal até a
distribuição → dedicadas apenas para
Halal.
- Proibido a presença de produtos Najis,
como porco e cachorro, e produtos não
Halal.
- Obrigatório sangradores muçulmanos,
presença de supervisor e checker – para
avaliar todas as cabeças.
- Deve existir registro de treinamento de
todos os funcionários (degolador,
checker e supervisor).
- Plantas dedicadas ao abate Halal→ proibição de
realizar abate não Halal em outros turnos.
- Frigoríficos que abatem Halal devem ser
completamente separados de frigoríficos que
abatem porco, nem nas adjacências da empresa→ 5
km de distância.
- O tempo de sangria mínimo é de 3 minutos.
- O abate não pode cortar a cabeça completamente ou
medula espinhal
- O processo de abate não pode cortar a medula
espinhal e o tempo de sangria mínimo é 45
segundos para bovinos.
- Número de funcionários adequado a quantidade de
animais abatidos;
- Obrigatório ser muçulmano (degolador e supervisor)
e ter um certificado de treinamento.
MODULO V
NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL
MODULO V
NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL
Países do Golfo
GSO 993
Malásia
MS 1500
Indonésia
HAS 23103
- Não é permitida a insensibilização (choque elétrico ou
qualquer outro) para o abate de aves.
- Para bovinos, não é recomendada, no entanto, se
necessária, pode ser aplicada insensibilização elétrica,
através de baixa voltagem apenas na cabeça
- O abate mecânico pode ser utilizado para aves, desde
que todas as estruturas necessárias sejam atingidas.
- Deve ser verificado se todas as aves foram
adequadamente degoladas. Os animais que não foram
abatidos pela faca mecânica devem ser abatidos
manualmente.
- Se as aves forem completamente decapitadas durante o
abate mecânico, elas deverão ser eliminadas
(condenadas para o Halal).
- Deve identificar no rótulo as aves provenientes do
abate mecânico.
- O método permitido de insensibilização é a
elétrica e pneumática para bovinos, e para aves
apenas insenbilização elétrica, por banho de
água.
- Deve ser supervisionada por um muçulmano
treinado e periodicamente monitorado pela
FAMBRAS Halal, bem como a intensidade da
insensibilização.
- Equipamento de insensibilização não pode ser
compartilhado entre abate Halal e abate de
animais impuros.
- Bovinos: A cabeça do animal a ser
insensibilizado deve ser apoiada antes da
insensibilização ser aplicada.
- Aves: O tempo da pendurada até a
insensibilização deve ser limitado ao máximo de
60 segundos.
- Não permite abate mecânico.
- A insensibilização pode ser mecânica (percussão
pneumática, não penetrava) ou elétrica para
bovinos. Já para aves, apenas a insensibilização
elétrica (por banho de água) é aceita.
- O supervisor Halal deve verificar periodicamente o
insensibilizador, em intervalos de tempos
predeterminados, para assegurar que o método e
parâmetros da insensibilização são compatíveis com
os valores aprovados na validação.
- O intervalo entre a insensibilização e o abate deve ser
no máximo de 10 segundos.
- O supervisor Halal deve verificar periodicamente o
equipamento de abate mecânico, em intervalos de
tempos predeterminados, para assegurar o correto
funcionamento, corte bilateral, e único golpe.
MODULO VI
ESTUDOS DE CASO
International
Halal Academy
‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬
‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
MODULO VI
ESTUDOS DE CASO
COMPOSTO LÁCTEO
Alto risco: Proveniente
do soro do queijo, que
usa coalho e enzimas.
Agentes de
filtração
Industrialização e
eventuais aditivos
Enzimas, filtração e
outros aditivos
Origem do
fermento e meio de
cultura/ replicação
Inúmeros ingredientes,
aminoácidos, e base etílica
Produzido a partir do
ácido sórbico.
Pode ser proveniente
de diversas fontes
Industrialização e
eventuais aditivos
Fermentação
outros aditivos
Ingredientes: Leite desnatado e/ou leite desnatado reconstituído, creme de leite soro de leite, açúcar
líquido, amido modificado, fermento lácteo, preparado de mel (xarope de açúcar, água, mel, amido
modificado, açúcar, acidulante ácido cítrico, conservador sorbato de potássio, espessante goma xantana
e aromatizante) e estabilizante gelatina.
MODULO VI
ESTUDOS DE CASO
Requisito:
DT 7.1 – Item 6.10 - “As Regras Islâmicas devem ser aplicadas em todas as fases da cadeia de produtos
certificados pela FAMBRAS HALAL, incluindo recebimento, preparação, embalagem, rotulagem, armazenamento e
transporte.”
Hipóteses (investigação da causa raiz):
• A empresa não se atentou que o controle do produto Halal também se aplica ao armazém externo;
• Falha no entendimento;
Correção: Auditar também as instalações do armazém externo, visando o controle de toda a cadeia do produto Halal
até o momento do transporte e venda final como Halal.
Ação corretiva
• Registrar o controle do armazém externo no Sistema de Garantia Halal (HAS);
• Treinamento para a equipe responsável a fim de melhorar seu entendimento.
A rastreabilidade da cadeia Halal deve ser completa, incluindo todos os terceiros: armazéns, secagem externa,
envase e etc.
“Foi constatado que a empresa possui armazéns externos que acondicionam os
produtos Halal antes da venda”
MODULO VI
ESTUDOS DE CASO
Análise do contexto: Existe divergência entre as escolas islâmicas diante da aceitação do corante Carmim de
Cochonilha.
▪ Algumas escolas permitem o corante carmim de cochonilha porque o inseto cochonilha se assemelha ao gafanhoto
(que é permitido para consumo no Islam), uma vez que não flui sangue e se alimenta de plantas e por ser natural,
não é nocivo à saúde, como alguns sintéticos.
➢ Exemplos de países que aceitam o corante: Maioria dos países, incluindo Indonésia, Malásia.
▪ Já outras escolas não permitem este corante por ser proveniente de um inseto.
➢ Exemplos de países que não aceitam o corante Carmim de cochonilha: Países do Golfo.
Conclusão:
• É possível certificar este produto, dependendo do mercado para o qual o mesmo será destinado:
➢ Se for vendido para a Malásia, pode certificar;
➢ Se for vendido para algum país do Golfo, não pode certificar.
• A FAMBRAS Halal pode certificar no modelo sem reconhecimento para o Golfo;
• O cliente da FAMBRAS Halal sempre deve consultar a posição do seu cliente que requisita o Halal, em relação a
este ingrediente.
“Uma unidade que fabrica proteína texturizada de soja rosa, e
usa corante carmim de cochonilha. Neste caso, o produto pode
ser certificado?”
MODULO VI
ESTUDOS DE CASO
Requisito:
DT 7.1 – Item 9.3 - “A publicidade do produto Halal não pode contrariar os princípios da Shariah.”
Hipóteses (investigação da causa raiz):
• A equipe do marketing não conhece a certificação Halal;
• A equipe do marketing não sabe que bacon é proibido para a certificação Halal, e contraria os princípios da Shariah.
Correção: Reprovar a arte do folder, e solicitar a substituição da imagem, por uma sem o bacon.
Ação corretiva
• Treinar a equipe de marketing, e todos os envolvidos, sobre o conceito Halal, especialmente elementos proibidos,
que não podem constar nos rótulos e materiais publicitários.
• Registrar no manual de garantia Halal um perigo relacionado a folders e rótulos, e definir como medida
preventiva a prévia aprovação da certificadora Halal, antes da confecção de qualquer material.
“Foi enviado para aprovação um folder com selo
FAMBRAS Halal, que na imagem de apresentação do
produto continha bacon”
MODULO VII
O MERCADO E O CONSUMIDOR
MUÇULMANO
International
Halal Academy
‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬
‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
MODULO VII
O MERCADO E O CONSUMIDOR
MUÇULMANO
2,7%
Europa
0,2%
América do Norte
0,1%
América do Sul
62,1%
Asia
15%
África
Sub-Sahariana
80%
Arab
Countries
0,7%
Oceania
Fonte: Fundação Africana de Economia Islâmica e ONU.
População mundial: 7,75 bilhões
População muçulmana: 1,9 bilhão
Participação da população
muçulmana: 24,5%
2020
População mundial: 9,8 bilhões
População muçulmana: 3 bilhões
Participação da população
muçulmana: 31,5%
2060
Distribuição da População Muçulmana
MODULO VII
O MERCADO E O CONSUMIDOR MUÇULMANO
PIRÂMIDES ETÁRIAS
0 5 10 15 20
EU
EUA
Brasil
Paises arábes
19.1
16.7
9.5
4.7
População com 65 anos ou
mais
0 10 20 30 40 50
Países árabes
Brasil
EUA
EU
49.5
36.4
31.5
26.4
População até 24 anos
Fonte: CCAB
MODULO VII
O MERCADO E O CONSUMIDOR MUÇULMANO
O CONSUMIDOR MUÇULMANO
• Demoram mais a se aproximar de novas
empresas e marcas;
• As empresas e marcas tradicionais, conquistam
maior fidelidade;
• Não estão disponíveis a testes, novidades e a
tudo que é desconhecido;
• O boca a boca tem muita força;
• Se um marca não respeitar os valores
culturais locais, dificilmente alcançará
aceitação;
• Os consumidores estão exigindo cada vez
mais Halal, produtos éticos, impulsionando
um ecossistema de negócio dedicado.
MODULO VII
O MERCADO E O CONSUMIDOR MUÇULMANO
MODULO VII
O MERCADO E O CONSUMIDOR MUÇULMANO
Fonte: 20/21 - State of the Global Islamic Economy Report.
A FAMBRAS Halal
é líder de mercado e
o Brasil é o maior
exportador de alimentos
Halal no mundo.
MODULO VII
O MERCADO E O CONSUMIDOR MUÇULMANO
AS PRÁTICAS HALAL E O ESG NAS
EMPRESAS DEVEM SER
CONVERGENTES
Ou seja, conceitos similares aos fundamentos do conceito
Halal, uma exigência para o consumidor muçulmano.
ESG = Environmental, Social e Governance
(tradução: Ambiental, Social e Governança)
• Práticas sustentáveis;
• Prioriza a saúde e bem-estar do planeta e das
pessoas;
• Considera relações internas e externas;
• Inclui a comunidade local, sociedade civil, profissionais
e investidores;
• Compliance e boas práticas na gestão corporativa;
OBRIGADO
SHUKRAN
SECRETARIAGERAL@ACADEMIAHALAL.COM.BR
WWW.ACADEMIAHALAL.COM.BR
International
Halal Academy
‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬
‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
@ACADEMIAHALAL

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Bpf Treinamento
Bpf TreinamentoBpf Treinamento
Bpf Treinamento
Lidiane Marcele Scandelai
 
Mastite dos bovinos: identificação, controle e prevenção
Mastite dos bovinos: identificação, controle e prevençãoMastite dos bovinos: identificação, controle e prevenção
Mastite dos bovinos: identificação, controle e prevenção
Leonardo Gravina
 
Mastite bovina fisio ii
Mastite bovina fisio iiMastite bovina fisio ii
Mastite bovina fisio ii
Thalita Maciel de Melo
 
Relatorio analise de leite pratica
Relatorio analise de leite   praticaRelatorio analise de leite   pratica
Relatorio analise de leite pratica
CARDENE A. GUARITA CARDENE ANDRADE
 
Aula 07 tecnologias da eng quimica - reatores quimicos - 18.03
Aula 07   tecnologias da eng quimica - reatores quimicos - 18.03Aula 07   tecnologias da eng quimica - reatores quimicos - 18.03
Aula 07 tecnologias da eng quimica - reatores quimicos - 18.03
Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
A.b aula 4 amostragem
A.b aula 4 amostragemA.b aula 4 amostragem
A.b aula 4 amostragem
Lilian Keila Alves
 
Medida de volume
Medida de volumeMedida de volume
Aula 10 ensaio de dureza
Aula 10   ensaio de durezaAula 10   ensaio de dureza
Aula 10 ensaio de dureza
Ronald Vasconcelos
 
Aula 2 ensaios mecânicos e end - ensaio de tração
Aula 2   ensaios mecânicos e end - ensaio de traçãoAula 2   ensaios mecânicos e end - ensaio de tração
Aula 2 ensaios mecânicos e end - ensaio de tração
Alex Leal
 
Alumínio
AlumínioAlumínio
Alumínio
Aline Costa
 
Metalografia
MetalografiaMetalografia
Controle de Processos Industriais Aplicados
Controle de Processos Industriais AplicadosControle de Processos Industriais Aplicados
Controle de Processos Industriais Aplicados
Alysson Domingos
 
operações unitárias-processos de refrigeração e congelamento
operações unitárias-processos de refrigeração e congelamentooperações unitárias-processos de refrigeração e congelamento
operações unitárias-processos de refrigeração e congelamento
Flavia Alencar
 
Tratamento termico
Tratamento termicoTratamento termico
Tratamento termico
George Mello
 
Carta psicometrica
Carta psicometricaCarta psicometrica
Carta psicometrica
lizi94
 
334654358 aula-1-microbiologia-de-alimentos
334654358 aula-1-microbiologia-de-alimentos334654358 aula-1-microbiologia-de-alimentos
334654358 aula-1-microbiologia-de-alimentos
Eliane Souza
 
Helmintos
HelmintosHelmintos
Helmintos
farmaciausc
 
Ciência e-engenharia-dos-materiais
Ciência e-engenharia-dos-materiaisCiência e-engenharia-dos-materiais
Ciência e-engenharia-dos-materiais
Deivid Prates
 
Aula 7 - M
Aula 7 - MAula 7 - M
Aula SGA / SGQ / SGI
Aula   SGA / SGQ / SGI Aula   SGA / SGQ / SGI
Aula SGA / SGQ / SGI
fabiofm
 

Mais procurados (20)

Bpf Treinamento
Bpf TreinamentoBpf Treinamento
Bpf Treinamento
 
Mastite dos bovinos: identificação, controle e prevenção
Mastite dos bovinos: identificação, controle e prevençãoMastite dos bovinos: identificação, controle e prevenção
Mastite dos bovinos: identificação, controle e prevenção
 
Mastite bovina fisio ii
Mastite bovina fisio iiMastite bovina fisio ii
Mastite bovina fisio ii
 
Relatorio analise de leite pratica
Relatorio analise de leite   praticaRelatorio analise de leite   pratica
Relatorio analise de leite pratica
 
Aula 07 tecnologias da eng quimica - reatores quimicos - 18.03
Aula 07   tecnologias da eng quimica - reatores quimicos - 18.03Aula 07   tecnologias da eng quimica - reatores quimicos - 18.03
Aula 07 tecnologias da eng quimica - reatores quimicos - 18.03
 
A.b aula 4 amostragem
A.b aula 4 amostragemA.b aula 4 amostragem
A.b aula 4 amostragem
 
Medida de volume
Medida de volumeMedida de volume
Medida de volume
 
Aula 10 ensaio de dureza
Aula 10   ensaio de durezaAula 10   ensaio de dureza
Aula 10 ensaio de dureza
 
Aula 2 ensaios mecânicos e end - ensaio de tração
Aula 2   ensaios mecânicos e end - ensaio de traçãoAula 2   ensaios mecânicos e end - ensaio de tração
Aula 2 ensaios mecânicos e end - ensaio de tração
 
Alumínio
AlumínioAlumínio
Alumínio
 
Metalografia
MetalografiaMetalografia
Metalografia
 
Controle de Processos Industriais Aplicados
Controle de Processos Industriais AplicadosControle de Processos Industriais Aplicados
Controle de Processos Industriais Aplicados
 
operações unitárias-processos de refrigeração e congelamento
operações unitárias-processos de refrigeração e congelamentooperações unitárias-processos de refrigeração e congelamento
operações unitárias-processos de refrigeração e congelamento
 
Tratamento termico
Tratamento termicoTratamento termico
Tratamento termico
 
Carta psicometrica
Carta psicometricaCarta psicometrica
Carta psicometrica
 
334654358 aula-1-microbiologia-de-alimentos
334654358 aula-1-microbiologia-de-alimentos334654358 aula-1-microbiologia-de-alimentos
334654358 aula-1-microbiologia-de-alimentos
 
Helmintos
HelmintosHelmintos
Helmintos
 
Ciência e-engenharia-dos-materiais
Ciência e-engenharia-dos-materiaisCiência e-engenharia-dos-materiais
Ciência e-engenharia-dos-materiais
 
Aula 7 - M
Aula 7 - MAula 7 - M
Aula 7 - M
 
Aula SGA / SGQ / SGI
Aula   SGA / SGQ / SGI Aula   SGA / SGQ / SGI
Aula SGA / SGQ / SGI
 

Material didático.pdf

  • 1. CURSO DE CAPACITAÇÃO E CONSCIENTIZAÇÃO HALAL Industrial e Frigoríficos Turma: 2023-006
  • 2. MODULO I OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL MODULO V NORMAS INTERNACIONAIS 01 05 MODULO II O HALAL NO BRASIL MODULO VI ESTUDOS DE CASO MODULO VII O MERCADO E O CONSUMIDOR MUÇULMANO MODULO IV PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO DA FAMBRAS International Halal Academy 04 ‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬ ‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬ MODULO III O CONCEITO HALAL 06 07 02 03
  • 3. International Halal Academy ‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬ ‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬ MODULO I OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL
  • 4. MODULO I OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL ESTEREÓTIPOS EM RELAÇÃO À CULTURA ISLÂMICA E DOS PRATICANTES DO ISLAM • A atual conjuntura mundial está marcada por conflitos religiosos, divergências diplomáticas, polarizações, extremismos e intolerâncias; • Retrato na Mídia, Entretenimento e o Conhecimento.
  • 5. • Respeito às diferenças; • “ e vos fizemos povos e tribos diferentes para que rivalizassem pela boas ações” • Liberdade na Crença ; • “Não há imposição em matéria de religião” • Preservação da Vida; • “Quem matar alguém inocente é como se tivesse matado toda humanidade e quem salvar uma pessoa inocente é como se tivesse salvo toda a humanidade” • O Conceito Halal; “Foram vos permitidas todas as coisas sadias(éticas e lícitas)” Bases essenciais na Tradição Islâmica MÓDULO I Os Princípios do Islam e o Halal Bases essenciais na Tradição Islâmica • Respeito às diferenças; “e vos fizemos povos e tribos diferentes para que rivalizassem pela boas ações” • Liberdade na Crença ; “Não há imposição em matéria de religião” • Preservação da Vida; “Quem matar alguém inocente é como se tivesse matado toda humanidade e quem salvar uma pessoa inocente é como se tivesse salvo toda a humanidade” • O Conceito Halal; “Foram vos permitidas todas as coisas sadias(éticas e lícitas)” OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL MODULO I
  • 6. MODULO I OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL ISLAM DERIVA DE SALAM, QUE SIGNIFICA PAZ. • A saudação islâmica “Assalamu Alaikum” significa “Que a paz esteja com você”. • O Islam é uma religião monoteísta, cuja mensagem de Deus foi repassada à humanidade por meio de Profetas e mensageiros. • Os muçulmanos acreditam nas três Religiões monoteístas: o Cristianismo, o Judaísmo e o Islam.
  • 7. International Halal Academy ‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬ ‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬ MODULO I OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL O QUE É O ALCORÃO?
  • 8. MODULO I OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL ALCORÃO SAGRADO E NA SUNNAH (Ditos e Comportamentos do Profeta Muhammad) O Nobre Alcorão é o registro das palavras exatas enviadas por Deus, por intermédio do Anjo Gabriel, ao Profeta Muhammad (S.A.A.S). Foi memorizado por ele e, então, ditado aos seus companheiros, registrado pelos seus escribas, que o conferiram durante sua vida. Nenhuma palavra dos seus 114 Capítulos (Surat) foi mudada no decorrer dos séculos.
  • 9. MODULO I OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL ALCORÃO SAGRADO E NA SUNNAH (Ditos e Comportamentos do Profeta Muhammad) Assim, o Alcorão é, em cada detalhe, o único e miraculoso texto que foi revelado a Muhammad (S.A.A.S). O Altíssimo disse: “Nós revelamos a mensagem e somos o seu preservador.” 15:9 Al Hijr
  • 10. International Halal Academy ‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬ ‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬ MODULO I OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL 5 PILARES DO ISLAM
  • 11. MODULO I OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL 5 PILARES DO ISLAM Testemunho (Chahada) Oração (Salat) Jejum (Sawm) Zakat Peregrinação (Hajj)
  • 12. International Halal Academy ‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬ ‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬ MODULO I OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL O QUE É HALAL?
  • 13. MODULO I OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL A PALAVRA “HALAL” SIGNIFICA LÍCITO, O MESMO QUE PERMITIDO. Produtos designados Halal são aqueles os quais o consumo é permitido por Deus, de acordo com a Shariah. Halal é então a base de tudo o que é lícito, na alimentação, no social, nos atos praticados (conduta), na justiça, na vestimenta, nas finanças, etc., é um sistema baseado nos princípios e valores que beneficiem a humanidade.
  • 14. MODULO I OS PRINCÍPIOS DO ISLAM E O HALAL O Sagrado Alcorão nos ensina: “Foram-vos permitidas todas as coisas sadias” (5ª Surata, versículo 4). A PALAVRA “HALAL” SIGNIFICA LÍCITO, O MESMO QUE PERMITIDO.
  • 15. International Halal Academy ‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬ ‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬ MODULO II O HALAL NO BRASIL
  • 16. MODULO II O HALAL NO BRASIL O PIONEIRISMO DA FAMBRAS Década de 70 – Primeira exportação de carne de frango Halal (Comerciantes da Arábia Saudita e do Kuwait solicitaram uma grande quantidade de frango Halal: 650 toneladas. Foi criado, então, um pool entre Seara, Perdigão, Frangosul e Minuano para atender a demanda. transportada no navio finlandês Aconcágua, pelo Porto de Itajaí) Fundação da FAMBRAS em 1979: Hajj Hussein Mohamed El Zoghbi; Atuação: religioso, social, econômico, diplomático e Certificação.
  • 17. MODULO II O HALAL NO BRASIL O PIONEIRISMO DA FAMBRAS • O mercado de proteínas Halal consolida o Brasil na primeira posição das exportações deste segmento para os países árabes, graças ao empenho da FAMBRAS Halal; • O Brasil segue como líder mundial quando o assunto é frango Halal. Em 2021 Foram 1,9 milhão de tonelada de frango e quase 400 mil toneladas de carnes bovinas.
  • 18. MODULO II O HALAL NO BRASIL SYS HALAL é o novo sistema de gerencia- mento de certificação Halal da FAMBRAS Halal.
  • 19. International Halal Academy ‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬ ‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬ MODULO III O CONCEITO HALAL
  • 20. MODULO III O CONCEITO HALAL Halal -> Lícito ou permitido Haram -> Ilícito ou proibido Mashbooh -> Duvidoso, processo industrial pode ter contaminado ou origem duvidosa. de acordo com a jurisprudência islâmica. de acordo com a jurisprudência islâmica.
  • 21. MODULO III O CONCEITO HALAL O QUE SIGNIFICA HARAM? É o mesmo que ilícito, impuro, ilegal (Proibido por Deus). Tudo que é prejudicial a saúde, bem estar e moral do ser humano entra na categoria Haram. Alimentos e bebidas Haram são absolutamente proibidos para os muçulmanos! ‫َٱلد‬‫و‬ ُ‫َة‬‫ت‬ْ‫ي‬َ‫م‬ْ‫ٱل‬ ُ‫م‬ُ‫ك‬ْ‫ي‬َ‫ل‬َ‫ع‬ ْ‫َت‬‫م‬ِّ‫ر‬ُ‫ح‬ ِّ‫ير‬ِّ‫نز‬ِّ‫خ‬ْ‫ٱل‬ ُ‫م‬ْ‫ح‬َ‫َل‬‫و‬ ُ‫م‬ ‫ۦ‬ ِّ‫ه‬ِّ‫ب‬ ِّ‫ٱَّلل‬ ِّ‫ر‬ْ‫ي‬َ‫غ‬ِّ‫ل‬ ‫ل‬ِّ‫ه‬ ُ ‫أ‬ ٓ‫َا‬‫م‬َ‫و‬ “Está-vos vedado: a carniça, o sangue, a carne de suíno e tudo o que tenha sido sacrificado com a invocação de outro nome que não seja Deus”. (5ª Surata, versículo 3)
  • 23. MODULO III O CONCEITO HALAL ABATE HALAL • Ritual de sacrifício; • Minimizar o sofrimento do animal; • Bem-estar animal; • Animais saudáveis; • Realizado por um muçulmano sadio e intencionado. Na ausência deste pode ser judeu ou cristão.
  • 24. MODULO III O CONCEITO HALAL ABATE HALAL • Preferencialmente voltado para Meca. • Corte único e preciso; • Faca afiada; • Controle da insensibilização (se autorizado); • Escoamento do sangue espontâneo e completo. • Invocar a Tasmyah;
  • 27. MODULO III O CONCEITO HALAL O QUE SIGNIFICA MASHBOOH? A palavra Mashbooh significa duvidoso ou suspeito. Produtos industrializados, pois o processo de fabricação pode agregar matérias-primas, insumos ou auxiliares de processo Haram que podem contaminá-lo. Produtos com duas ou mais fontes de obtenção (vegetal, animal, seres humano), por exemplo: Glicerina, Ácidos Graxos - Origem animal ou vegetal. L-Cisteína – Origem humana, animal, vegetal e petróleo. A certificação Halal é obrigatória para produtos desta categoria!
  • 28. MODULO III O CONCEITO HALAL O QUE SIGNIFICA HALAL MIZEN? ▪ O Islam se preocupa com a proteção dos direitos do consumidor buscando obter a medida e/ou peso correto no produto. ➢ Sobre isto o alcorão sagrado menciona: “Ai dos fraudadores, aqueles que, quando alguém lhes mede algo, exigem a medida exata/plena. Porém, quando eles medem ou pesam para os demais, fraudam-nos.” (Surata 83:1-3). ▪ Comercialização → deve-se transpor o mesmo conceito de justiça. ➢ Sobre isto, o alcorão sagrado menciona: “Ó povo meu, disponde da medida e do peso com equidade; não defraudeis os humanos em seus bens e não pratiqueis a devassidão na terra, como corruptores.” (Surata 11:85).
  • 29. MODULO III O CONCEITO HALAL • Istihala significa mudança ou, mais precisamente, uma mudança física ou química. • É a transformação ou conversão (total ou parcial) de um material para outro → cor, sabor, odor, aparência física ou estado material. • Algo impuro ou najis pode se tornar puro (tahir) ao se transformar quimicamente ou fisicamente, em outro elemento. • Transformação química ➔ Éster. O Éster é obtido a partir de uma reação de esterificação. O QUE SIGNIFICA ISTIHALA?
  • 30. MODULO IV PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL International Halal Academy ‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬ ‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
  • 32. MODULO IV PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL ANÁLISES LABORATORIAIS • Identificação de DNA Animal ✓ PCR Suíno, Bovino, Caprino e Galináceo • Solventes residuais ✓ Etanol
  • 34. CERTIFICADO DA FAMBRAS HALAL Validade de 3 anos; Autorização para aplicar o selo Halal; Auditorias anuais de manutenção. MODULO IV PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL
  • 35. Categorias de Certificação Halal MODULO IV PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL DA FAZENDA AO GARFO
  • 36. PRINCIPAIS REQUISITOS DE AVALIAÇÃO MODULO IV PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL • Homologação de novas matérias-primas e fornecedores – planilha sempre atualizada; • Segurança dos alimentos. • Confirmação do escopo; • Riscos invisíveis (água, lubrificantes, produtos de limpeza e embalagem); • Contaminação cruzada / Segregação entre o Halal e não Halal e Higienização; • Armazém e Transporte; • Aplicação do selo Halal; • Meio ambiente – Água e descarte de resíduos;
  • 37. SISTEMA DE GARANTIA HALAL – HALAL ASSURANCE SYSTEM (HAS) Objetivo garantir a segurança, qualidade e sustentabilidade de um processo Halal de produção. Similar ao APPCC – Foco nos perigos relacionados ao Halal: • Identificação dos perigos; • Determinação dos riscos; • Ação no caso de desvios. MODULO IV PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL
  • 38. ANÁLISE DE RISCO HALAL MODULO IV PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL Política Halal Comitê Halal Treinamento Auditoria interna Halal Análise de riscos Halal (PC/ PCCH) Rastreabilidade Sistema de Garantia Halal Descrição do produto
  • 39. ANÁLISE DE RISCO HALAL MODULO IV PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL PREENCHIMENTO OBRIGATÓRIO/ MANDATORY FILLING PREENCHIMENTO SOMENTE PARA PCCH ETAPA DO PROCESSO OU NOME DA MATÉRIA PRIMA OU INSUMO PERIGO AO HALAL PROBABI LIDADE (Alta, média, baixa) SEVERI DADE (Alta, média, baixa) RISCO (probabilidade X severidade) PCH / PCCH JUSTIFICATIVA MEDIDAS PREVENTIVAS CRITÉRIO MONITORAMENTO AÇÃO CORRETIVA REGISTRO VERIFICAÇÃO Ácido ascórbico (vitamina) Origem da vitamina ser de fontes não Halal Baixo Alta Risco Médio PCH Probabilidade é baixa porque todas matérias-primas utilizadas nos produtos Halal são devidamente homologadas, considerando a necessidade de ter uma documentação que comprove o seu status Halal. Além disso, a matéria-prima também é aprovada pela FAMBRAS HALAL antes de ser homologada. A severidade é alta porque se ocorrer esta contaminação, a matéria-prima Halal, se torna não Halal e não pode ser utilizada no produto Halal. Procedimento de homologação das matérias-primas. Aprovação das matérias-primas usadas nos produtos Halal com a certificadora; Aquisição apenas de matérias- primas homologadas.
  • 40. MODULO IV PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL PREENCHIMENTO OBRIGATÓRIO/ MANDATORY FILLING PREENCHIMENTO SOMENTE PARA PCCH ETAPA DO PROCESSO OU NOME DA MATÉRIA PRIMA OU INSUMO PERIGO AO HALAL PROBABI LIDADE (Alta, média, baixa) SEVERI DADE (Alta, média, baixa) RISCO (probabilidade X severidade) PCH / PCCH JUSTIFICATIVA MEDIDAS PREVENTIVAS CRITÉRIO MONITORAMENTO AÇÃO CORRETIVA REGISTRO VERIFICAÇÃO Recepção Não identificado ** ** *** ** *** *** ANÁLISE DE RISCO HALAL
  • 41. MODULO IV PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL PREENCHIMENTO OBRIGATÓRIO/ MANDATORY FILLING PREENCHIMENTO SOMENTE PARA PCCH ETAPA DO PROCESSO OU NOME DA MATÉRIA PRIMA OU INSUMO PERIGO AO HALAL PROBABI LIDADE (Alta, média, baixa) SEVERI DADE (Alta, média, baixa) RISCO (probabilidade X severidade) PCH / PCCH JUSTIFICATIVA MEDIDAS PREVENTIVAS CRITÉRIO MONITORAMENTO AÇÃO CORRETIVA REGISTRO VERIFICAÇÃO MISTURA Contaminação cruzada com produto não Halal Média Alto Risco Alto PCCH Probabilidade é média porque pode ocorrer a contaminação devido ao compartilhamento do equipamento de mistura dos produtos Halal, com ingredientes de produtos não Halal. Severidade é alta, porque se ocorrer a contaminação cruzada o produto final deixa de ser Halal. Identificação dos produtos como Halal durante todo o processamento Layout adequado; Procedimento de higienização aprovado; Inspeção do equipamento antes da produção. Toda primeira produção Halal, após a fabricação de um produto não Halal, deverá acontecer após a higienização úmida com 7 etapas. Durante o processo de higienização, será registrado no checklist de higienização do misturador – FM XX, o horário em que ocorreu cada uma das 7 etapas. Caso não tenha sido totalizada as 7 etapas de enxague, realizar as etapas adicionais, através da passagem de água, conforme determinado no POP de limpeza. Caso a produção Halal tenha iniciado, apesar de não ter ocorrido a higienização de 7 etapas, a mesma não será vendida como Halal, e o comitê Halal será comunicado do desvio, para abertura de não conformidade e investigação de causas. Checklist FM XX Checklist FM WW O supervisor de produção irá verificar se o equipamento está devidamente higienizado antes do início da produção Halal, sem resquícios de produções anteriores. Este supervisor também irá verificar o checklist de higienização do misturador – FM XX, de modo a confirmar se ocorreu a higienização em 7 etapas. ANÁLISE DE RISCO HALAL
  • 42. MODULO IV PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL PREENCHIMENTO OBRIGATÓRIO/ MANDATORY FILLING PREENCHIMENTO SOMENTE PARA PCCH ETAPA DO PROCESSO OU NOME DA MATÉRIA PRIMA OU INSUMO PERIGO AO HALAL PROBABI LIDADE (Alta, média, baixa) SEVERI DADE (Alta, média, baixa) RISCO (probabilidade X severidade) PCH / PCCH JUSTIFICATIVA MEDIDAS PREVENTIVAS CRITÉRIO MONITORAMENTO AÇÃO CORRETIVA REGISTRO VERIFICAÇÃO SANGRIA O corte não ser preciso Média Alta Risco Alto PCCH Probabilidade é avaliada como média, afinal a degola depende de um fator humano, que é o degolador. A severidade foi classificada como alta pois se o corte não for preciso, a carcaça deve ser condenada para o Halal. Garantir que a degola atinja todas as estruturas necessárias; Treinar o degolador; O corte deve atingir: 1 - Esôfago; 1 - Traquéia; 2 - Veias jugulares 2 - Artérias carótidas O monitoramento é realizado através do preenchimento do check list x Descartar para o Halal o animal que não foi adequadamente degolado. Check list x A cada animal degolado. ANÁLISE DE RISCO HALAL
  • 43. MODULO IV PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO FAMBRAS HALAL PREENCHIMENTO OBRIGATÓRIO/ MANDATORY FILLING PREENCHIMENTO SOMENTE PARA PCCH ETAPA DO PROCESSO OU NOME DA MATÉRIA PRIMA OU INSUMO PERIGO AO HALAL PROBABI LIDADE (Alta, média, baixa) SEVERI DADE (Alta, média, baixa) RISCO (probabilidade X severidade) PCH / PCCH JUSTIFICATIVA MEDIDAS PREVENTIVAS CRITÉRIO MONITORAMENTO AÇÃO CORRETIVA REGISTRO VERIFICAÇÃO Armazém do produto final Contaminação cruzada com produto não Halal Baixo Alta Risco Médio PCH Probabilidade é baixa porque os produtos Halal são identificados, e armazenado segregados, a uma distância significativa aqueles não Halal, por exemplo os produtos para alimentação animal. A severidade é alta porque se ocorrer esta contaminação, o produto final deixa de ser Halal. Segregação entre os produtos finais Halal e não Halal; Identificação dos produtos Halal; Layout adequado; Transporte do material protegido e plastificado. ANÁLISE DE RISCO HALAL
  • 44. MODULO V NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL International Halal Academy ‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬ ‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
  • 45. MODULO V NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL AUTORIDADES ISLÂMICAS E NORMAS MUNDIAIS RELACIONADAS AO HALAL Região/ País Autoridade Logo Normas Halal GOLFO ARÁBICO (Arábia Saudita, Bahrein, Emirados Árabes, Omã, Qatar, Kuwait, Iêmen) GAC = GCC* Accreditation Center GSO 2055-2; GSO 2055-1; GSO 993 * GCC = Gulf Cooperation Consul ARÁBIA SAUDITA SASO = Saudi Standards, Metrology and Quality; GSO 2055-2; GSO 2055-1; GSO 993 SFDA Halal Center (Saudi Food and Drugs Authority); EMIRADOS ÁRABES MOIAT = Ministry of Industry and Advanced Technology UAE.S 2055-2; UAE.S 2055-1; UAE.S 2055-4 UAE.S 993
  • 46. MODULO V NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL Região/ País Autoridade Logo Normas Halal INDONÉSIA LPPOM MUI = Assessment Institution of Food, Drugs and Cosmetics Majelis Ulama Indonesia HAS 23000; HAS 23103; HAS 23201 BPJPH - Kementerian Agama Republik Indonesia - Badan Penyelenggara Jaminan Produk Halal MALÁSIA JAKIM Malaysia = Jabatan Kemajuan Islam Malaysia MS 1500; MS 1900; MS 2200; MS 2634 SINGAPURA MUIS = Majelis Ugama Islam Singapore MUIS-HC-S001; MUIS-HC-S002 AUTORIDADES ISLÂMICAS E NORMAS MUNDIAIS RELACIONADAS AO HALAL
  • 47. MODULO V NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL MODULO V NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL PARTICULARIDADES • Indonésia: FAMBRAS Halal é reconhecida para: ✓ Proteína Animal in-natura, carnes e aves; ✓ Matérias-primas e aditivos; ✓ Aromas. Produtos de varejo, destinados diretamente ao consumidor, precisam passar por uma recertificação (validação) junto ao organismo Halal do país, que é a LPPOM MUI Indonésia. • Emirados Árabes: Certificados pela FAMBRAS HALAL → Único selo permitido no país é a Marca Halal emitida pela MOIAT (Halal National Mark); • Egito e Irã: Possui certificadoras próprias do país, que atuam mundialmente. Restrições especialmente para produtos cárneos. Sempre consultar o importador.
  • 48. MODULO V NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL MODULO V NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL Países do Golfo GSO 993 Malásia MS 1500 Indonésia HAS 23103 - Tempo mínimo de 3 minutos de sangria: morte seja comprovada. - Animal não pode ser abatido na frente de outro e não pode ver a faca ser afiada. - Preferencialmente com a mão direita (moral pública). - Proibido arrancar ou quebrar a cabeça → Condenar que foram arrancadas. - O abate deve ser feito mediante supervisor muçulmano da FAMBRAS Halal, que deverá monitorar continuamente todo o procedimento do abate. - Abate pode ser realizado por um judeu ou cristão, desde que formalmente aprovados e conheça os fundamentos e princípios islâmicos do abate Halal, e tenha um Certificado de competência, emitido por um centro Islâmico. - Plantas que realizam o abate Halal até a distribuição → dedicadas apenas para Halal. - Proibido a presença de produtos Najis, como porco e cachorro, e produtos não Halal. - Obrigatório sangradores muçulmanos, presença de supervisor e checker – para avaliar todas as cabeças. - Deve existir registro de treinamento de todos os funcionários (degolador, checker e supervisor). - Plantas dedicadas ao abate Halal→ proibição de realizar abate não Halal em outros turnos. - Frigoríficos que abatem Halal devem ser completamente separados de frigoríficos que abatem porco, nem nas adjacências da empresa→ 5 km de distância. - O tempo de sangria mínimo é de 3 minutos. - O abate não pode cortar a cabeça completamente ou medula espinhal - O processo de abate não pode cortar a medula espinhal e o tempo de sangria mínimo é 45 segundos para bovinos. - Número de funcionários adequado a quantidade de animais abatidos; - Obrigatório ser muçulmano (degolador e supervisor) e ter um certificado de treinamento.
  • 49. MODULO V NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL MODULO V NORMAS INTERNACIONAIS DO HALAL Países do Golfo GSO 993 Malásia MS 1500 Indonésia HAS 23103 - Não é permitida a insensibilização (choque elétrico ou qualquer outro) para o abate de aves. - Para bovinos, não é recomendada, no entanto, se necessária, pode ser aplicada insensibilização elétrica, através de baixa voltagem apenas na cabeça - O abate mecânico pode ser utilizado para aves, desde que todas as estruturas necessárias sejam atingidas. - Deve ser verificado se todas as aves foram adequadamente degoladas. Os animais que não foram abatidos pela faca mecânica devem ser abatidos manualmente. - Se as aves forem completamente decapitadas durante o abate mecânico, elas deverão ser eliminadas (condenadas para o Halal). - Deve identificar no rótulo as aves provenientes do abate mecânico. - O método permitido de insensibilização é a elétrica e pneumática para bovinos, e para aves apenas insenbilização elétrica, por banho de água. - Deve ser supervisionada por um muçulmano treinado e periodicamente monitorado pela FAMBRAS Halal, bem como a intensidade da insensibilização. - Equipamento de insensibilização não pode ser compartilhado entre abate Halal e abate de animais impuros. - Bovinos: A cabeça do animal a ser insensibilizado deve ser apoiada antes da insensibilização ser aplicada. - Aves: O tempo da pendurada até a insensibilização deve ser limitado ao máximo de 60 segundos. - Não permite abate mecânico. - A insensibilização pode ser mecânica (percussão pneumática, não penetrava) ou elétrica para bovinos. Já para aves, apenas a insensibilização elétrica (por banho de água) é aceita. - O supervisor Halal deve verificar periodicamente o insensibilizador, em intervalos de tempos predeterminados, para assegurar que o método e parâmetros da insensibilização são compatíveis com os valores aprovados na validação. - O intervalo entre a insensibilização e o abate deve ser no máximo de 10 segundos. - O supervisor Halal deve verificar periodicamente o equipamento de abate mecânico, em intervalos de tempos predeterminados, para assegurar o correto funcionamento, corte bilateral, e único golpe.
  • 50. MODULO VI ESTUDOS DE CASO International Halal Academy ‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬ ‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
  • 51. MODULO VI ESTUDOS DE CASO COMPOSTO LÁCTEO Alto risco: Proveniente do soro do queijo, que usa coalho e enzimas. Agentes de filtração Industrialização e eventuais aditivos Enzimas, filtração e outros aditivos Origem do fermento e meio de cultura/ replicação Inúmeros ingredientes, aminoácidos, e base etílica Produzido a partir do ácido sórbico. Pode ser proveniente de diversas fontes Industrialização e eventuais aditivos Fermentação outros aditivos Ingredientes: Leite desnatado e/ou leite desnatado reconstituído, creme de leite soro de leite, açúcar líquido, amido modificado, fermento lácteo, preparado de mel (xarope de açúcar, água, mel, amido modificado, açúcar, acidulante ácido cítrico, conservador sorbato de potássio, espessante goma xantana e aromatizante) e estabilizante gelatina.
  • 52. MODULO VI ESTUDOS DE CASO Requisito: DT 7.1 – Item 6.10 - “As Regras Islâmicas devem ser aplicadas em todas as fases da cadeia de produtos certificados pela FAMBRAS HALAL, incluindo recebimento, preparação, embalagem, rotulagem, armazenamento e transporte.” Hipóteses (investigação da causa raiz): • A empresa não se atentou que o controle do produto Halal também se aplica ao armazém externo; • Falha no entendimento; Correção: Auditar também as instalações do armazém externo, visando o controle de toda a cadeia do produto Halal até o momento do transporte e venda final como Halal. Ação corretiva • Registrar o controle do armazém externo no Sistema de Garantia Halal (HAS); • Treinamento para a equipe responsável a fim de melhorar seu entendimento. A rastreabilidade da cadeia Halal deve ser completa, incluindo todos os terceiros: armazéns, secagem externa, envase e etc. “Foi constatado que a empresa possui armazéns externos que acondicionam os produtos Halal antes da venda”
  • 53. MODULO VI ESTUDOS DE CASO Análise do contexto: Existe divergência entre as escolas islâmicas diante da aceitação do corante Carmim de Cochonilha. ▪ Algumas escolas permitem o corante carmim de cochonilha porque o inseto cochonilha se assemelha ao gafanhoto (que é permitido para consumo no Islam), uma vez que não flui sangue e se alimenta de plantas e por ser natural, não é nocivo à saúde, como alguns sintéticos. ➢ Exemplos de países que aceitam o corante: Maioria dos países, incluindo Indonésia, Malásia. ▪ Já outras escolas não permitem este corante por ser proveniente de um inseto. ➢ Exemplos de países que não aceitam o corante Carmim de cochonilha: Países do Golfo. Conclusão: • É possível certificar este produto, dependendo do mercado para o qual o mesmo será destinado: ➢ Se for vendido para a Malásia, pode certificar; ➢ Se for vendido para algum país do Golfo, não pode certificar. • A FAMBRAS Halal pode certificar no modelo sem reconhecimento para o Golfo; • O cliente da FAMBRAS Halal sempre deve consultar a posição do seu cliente que requisita o Halal, em relação a este ingrediente. “Uma unidade que fabrica proteína texturizada de soja rosa, e usa corante carmim de cochonilha. Neste caso, o produto pode ser certificado?”
  • 54. MODULO VI ESTUDOS DE CASO Requisito: DT 7.1 – Item 9.3 - “A publicidade do produto Halal não pode contrariar os princípios da Shariah.” Hipóteses (investigação da causa raiz): • A equipe do marketing não conhece a certificação Halal; • A equipe do marketing não sabe que bacon é proibido para a certificação Halal, e contraria os princípios da Shariah. Correção: Reprovar a arte do folder, e solicitar a substituição da imagem, por uma sem o bacon. Ação corretiva • Treinar a equipe de marketing, e todos os envolvidos, sobre o conceito Halal, especialmente elementos proibidos, que não podem constar nos rótulos e materiais publicitários. • Registrar no manual de garantia Halal um perigo relacionado a folders e rótulos, e definir como medida preventiva a prévia aprovação da certificadora Halal, antes da confecção de qualquer material. “Foi enviado para aprovação um folder com selo FAMBRAS Halal, que na imagem de apresentação do produto continha bacon”
  • 55. MODULO VII O MERCADO E O CONSUMIDOR MUÇULMANO International Halal Academy ‫ﻼﺤﻠﻟ‬ ‫ل‬ ‫ا‬ ‫ﺔﻴﻤﻟﺎﻌﻟ‬ ‫ﺔﻴﻤﻳدﺎﻛﻷا‬
  • 56. MODULO VII O MERCADO E O CONSUMIDOR MUÇULMANO 2,7% Europa 0,2% América do Norte 0,1% América do Sul 62,1% Asia 15% África Sub-Sahariana 80% Arab Countries 0,7% Oceania Fonte: Fundação Africana de Economia Islâmica e ONU. População mundial: 7,75 bilhões População muçulmana: 1,9 bilhão Participação da população muçulmana: 24,5% 2020 População mundial: 9,8 bilhões População muçulmana: 3 bilhões Participação da população muçulmana: 31,5% 2060 Distribuição da População Muçulmana
  • 57. MODULO VII O MERCADO E O CONSUMIDOR MUÇULMANO PIRÂMIDES ETÁRIAS 0 5 10 15 20 EU EUA Brasil Paises arábes 19.1 16.7 9.5 4.7 População com 65 anos ou mais 0 10 20 30 40 50 Países árabes Brasil EUA EU 49.5 36.4 31.5 26.4 População até 24 anos Fonte: CCAB
  • 58. MODULO VII O MERCADO E O CONSUMIDOR MUÇULMANO O CONSUMIDOR MUÇULMANO • Demoram mais a se aproximar de novas empresas e marcas; • As empresas e marcas tradicionais, conquistam maior fidelidade; • Não estão disponíveis a testes, novidades e a tudo que é desconhecido; • O boca a boca tem muita força; • Se um marca não respeitar os valores culturais locais, dificilmente alcançará aceitação; • Os consumidores estão exigindo cada vez mais Halal, produtos éticos, impulsionando um ecossistema de negócio dedicado.
  • 59. MODULO VII O MERCADO E O CONSUMIDOR MUÇULMANO
  • 60. MODULO VII O MERCADO E O CONSUMIDOR MUÇULMANO Fonte: 20/21 - State of the Global Islamic Economy Report. A FAMBRAS Halal é líder de mercado e o Brasil é o maior exportador de alimentos Halal no mundo.
  • 61. MODULO VII O MERCADO E O CONSUMIDOR MUÇULMANO AS PRÁTICAS HALAL E O ESG NAS EMPRESAS DEVEM SER CONVERGENTES Ou seja, conceitos similares aos fundamentos do conceito Halal, uma exigência para o consumidor muçulmano. ESG = Environmental, Social e Governance (tradução: Ambiental, Social e Governança) • Práticas sustentáveis; • Prioriza a saúde e bem-estar do planeta e das pessoas; • Considera relações internas e externas; • Inclui a comunidade local, sociedade civil, profissionais e investidores; • Compliance e boas práticas na gestão corporativa;