SlideShare uma empresa Scribd logo
1
PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO
Diocese de Caratinga
PREPARAÇÃO PARA
O BATISMO
CONCEIÇÃO DE IPANEMA – MG
2011
2
ORAÇÕES DURANTE OS ENCONTROS
ORAÇÃO INICIAL
D.: Em nome do Pai...
T.: Amém.
D.: Enviai o vosso Espírito e tudo será criado.
T.: E renovareis a face da terra.
Oremos: Ó Deus, que instruís os corações de Vossos fiéis com a Luz do Espírito Santo, fazei que
saibamos apreciar retamente todas as coisas, segundo o mesmo Espírito, e possamos gozar
sempre de sua consolação. Por Cristo, Senhor Nosso. Amém.
D.: Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
T.: Como era no princípio agora e sempre. Amém.
ORAÇÃO FINAL
D.: Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
T.: Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois, é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna.
T.: Pai-nosso...Ave Maria...Sinal da Cruz.
SUGESTÃO DE LEITURAS BÍBLICAS SOBRE O BATISMO
Evangelhos: Mc 12, 28b-31. Mt 22, 35-40. Mc 1, 9-11. Mc 10, 13-16. Jo 4, 5-14. Jo 6, 44-47. Jo
7, 37b-39a. Jo 9, 1-7. Jo 19, 31-35.
Cartas: Gal 3, 26-28. Ef 4, 1-6. Rom 8, 28-32. I Pd 2, 4-5.9-10.
© Adaptado por José Aristides da Silva Gamito do original de Mons. Raul Motta de Oliveira,
de 1976, intitulado de “O Batismo”
3
UNIDADE I
O SIGNIFICADO DO SACRAMENTO DO BATISMO
LEITURA BÍBLICA: At 2, 37-41.
A preparação para a celebração do Batismo
A Igreja pede para que se tenha uma catequese de preparação para o Batismo em obediência a
Jesus que diz “Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos, batizando-as em
nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ensinando-as a observar tudo quanto eu vos ordenei”
(Mt 28, 19-20). Os três mandatos de Jesus à Igreja é fazer discípulos, batizar e ensinar a Boa
Nova. O Batismo é sacramento muito sério por isso exige-se uma preparação das pessoas
envolvidas na sua celebração.
A exigência de uma catequese antes do Batismo é uma prática que origem no tempo dos
primeiros cristãos. Naquela época, exigiam-se três ou quatro anos de preparação. Além disso,
cada pessoa que desejasse ser batizada era apresentada à comunidade por meio de um padrinho
que examinava seu comportamento. Somente depois de um longo conhecimento do Evangelho e
da vida da Igreja é que a pessoa era batizada.
O Batismo é a entrada para a Igreja
Pelo Batismo, começamos então, a fazer parte da Igreja. Sendo assim um novo membro. Por
isso, precisamos entender, que não podemos ser um membro inútil. Precisamos ver a que grande
dignidade Deus nos colocou. Participamos de uma comunidade, na qual ninguém é maior que o
outro. Só há um chefe: Cristo. Uma comunidade que um irmão dá a mão ao outro.
Infelizmente, para muitos, o Batismo está na base da superstição. Batizam para curar as doenças
do neném e outras coisas mais, e se esquecem do verdadeiro significado que ele tem: A entrada
para a Igreja.
Estas reflexões vão fazer a gente pensar na cultivação do batismo. Vão fazer a gente sentir a
responsabilidade que temos diante de uma vida nova que se inicia. Pois, é necessário que
tenhamos boas luzes, para iluminar o caminho daqueles que ainda não podem caminhar sozinhos.
Os membros da Igreja constituem uma família já que todos são irmãos em Cristo.
O que representa a preparação para o Batismo
Deus criou tudo com perfeição (Gn 1, 31). Para sermos membros dele, precisamos fazer tudo
para segui-Lo. “Sede perfeitos, como vosso Pai celestial é perfeito” (Mt 5, 48).
Mas uma criança não terá condições de entender isto sem ser orientada pelos pais ou
responsáveis. Sozinha, ela não tem condição de crescer ligada à comunidade e também não
consegue desenvolver seu cristianismo. A fé precisa de educação para se desenvolver.
Por isso, a conscientização começa com os pais e com os responsáveis. Eles têm como missão,
conscientizar a criança, aos poucos. Não basta só batizar uma criança, é preciso ajudá-la a viver a
fé que foi assumida. Os pais e padrinhos são os tutores que se responsabilizam pela educação da
criança na fé e na moral.
À vezes alguém diz: “Para quê tanto curso? Parece que os padres não têm mais nada que
inventar!” – Olha, meu amigo: Hoje em dia existem cursos para tudo. Tudo que formos fazer
precisa de uma preparação. Quem não faz curso fica para trás.
4
Também a Igreja sente necessidade de promover cursos de conscientização. Pois, de uma vez
que a sociedade, sendo material, se preocupa com a sua evolução, muito mais a Igreja deve se
preocupar com o seu desenvolvimento espiritual. O desenvolvimento da pessoa deve se dar como
um todo. É preciso se preparar bem para realizarmos aquilo pelo qual temos consideração e
respeito.
A conscientização das crianças se dá pelo exemplo dos mais velhos
A criança tem muita vontade de se parecer com os grandes. Gosta de fazer aquilo que vê os
mais velhos fazendo. Por isso, não é tão difícil conscientizar uma criança. Pois numa casa em que
os adultos rezam e vão à igreja, meninos de 4 anos já começam a cantar os cânticos da Igreja e a
rezar. Portanto, vamos aproveitar desta vontade que a criança tem de nos imitar, do interesse em
aprender, praticando boas ações.
Por outro lado, quando os mais velhos só sabem falar palavrões, praticar ações desonestas,
quando não têm participação na vida de comunidade, a criança vai crescendo no mesmo ritmo. A
boa educação faz toda a diferença.
Ninguém tem coragem de colocar uma criança numa canoa, dentro d’água, e deixar que ela se
vire sozinha. Ela não tem condição de remar. Portanto, ninguém pode ter a coragem de,
simplesmente, batizar uma criança e deixar as responsabilidades da vida cristã por conta dela.
O exemplo e o apoio dos adultos, ou seja, da comunidade, muito contribuirão para a boa
formação cristã da criança. Pelo batismo a criança se torna oficialmente membro da Igreja. A
Igreja é uma comunidade. Todos os membros devem participar e se sentir responsável por ela. O
batismo precisa de seguimento. Os pais e padrinhos são responsáveis de ensinar e dar exemplo
para que as crianças aprendam e assumam aos poucos o compromisso firmado por eles no
Batismo. Não basta só mandar a criança fazer, mandar ir ao catecismo e à igreja. É necessário
também praticar para que ela se convença que aquilo é importante. Não vale aquele dito popular
“façam o que eu falo, mas façam o que eu faço”.
PONTOS PARA REFLEXÃO:
1. O Batismo é a entrada para Igreja. Por que muitos vivem fora dela?
2. Por que nem todos se preocupam em preparar-se para batizar filho?
3. Por que existem muitos batizados e poucos praticantes?
4. Somos conscientes do valor e da responsabilidade que temos como membros da Igreja? Por
quê?
5. Se as crianças seguirem o nosso exemplo, elas terão uma boa vivência? Por quê?
UNIDADE II
A RESPONSABILIDADE DE SER CRISTÃO E DE SER IGREJA
LEITURA BÍBLICA: 1 Cor 12, 12-22
Ser membro da Igreja
Ser membro da Igreja é ser discípulo de Jesus. Pelo batismo, a pessoa se torna membro da
Igreja. A cabeça da Igreja é Jesus. Portanto, o batizado é chamado à comunhão com a sua
5
comunidade e ao seguimento de Jesus. Este seguimento implica aderir ao programa de Jesus:
evangelizar, promover o perdão e a solidariedade, a justiça e a liberdade e proclamar o Ano da
Graça do Senhor (Lc 4, 18-19).
A responsabilidade dos padrinhos
Antes de a criança nascer, os pais já começam a pensar: “Quem será o padrinho?” Geralmente
pensam numa pessoa influente, rica, estudada etc.
É muito perigoso a gente esquecer que os padrinhos também são responsáveis, e convidar
qualquer pessoa para ser padrinho de uma criança. Se quisermos que a criança seja uma boa cristã
é importante que procuremos alguém que tenha condições de ser esta referência. Ninguém pode
dar o que não tem. Primeiramente, devemos olhar é a capacidade que a pessoa tem, não
financeiramente, porque isso não importa. Mas sobretudo, a capacidade de a pessoa dar bom
testemunho e educar o afilhado como cristão. Para que assim se evite problemas futuro. Ser um
bom cristão é ser alguém honesto, bem educado, um bom cidadão, uma pessoa cultive valores
verdadeiramente humanos.
Outra coisa que às vezes acontece é que alguém dê afilhado a pessoas de outra igreja ou
religião. É claro que estas pessoas podem ser boas e que dão um ótimo exemplo, de acordo com a
sua religiosidade. Mas no caso do batismo é necessário que se professe a mesma fé e que dê
testemunho do que acredita. A unidade na fé e na moral são requisitos indispensáveis. Não é um
caso de discriminação, é definição de critério. Porque ninguém pode testemunhar e se
comprometer a ensinar algo que não acredita. É uma questão de discernimento.
Dentro da própria Igreja Católica, é importante que se procure pessoas que tenham fé, sejam
praticantes e dêem bom exemplo de vida. Apenas o rótulo de “católico” não é suficiente para
testemunhar tão grandioso sacramento. A experiência já nos ensina isso. O número de batizados é
muito grande, mas sabemos que praticantes são poucos. O Batismo não pode ser aderido
simplesmente por superstição, por tradição, por medo do inferno. Hoje já somos bastante
esclarecidos para não sermos “Maria vai com as outras”.
Os padrinhos ajudam os pais a serem mais pais
Os pais não são quem coloca o filho no mundo. Mas quem cuida da formação do filho. Esta
formação se refere à formação religiosa, física, moral e social. É necessário educá-lo para viver
em sociedade, cuidando de si, dos outros e do planeta como um todo. Somos responsáveis pelo
ambiente e pelas pessoas que nos rodeiam. Por isso, precisamos ter moral, princípios, ninguém
vive para si mesmo. Já que somos responsáveis uns pelos outros, os padrinhos podem e devem
ajudar os pais a darem boas orientações aos filhos.
Se entendermos o significado da palavra “compadre” e da palavra “comadre”, poderemos
entender melhor, se os padrinhos ajudam ou não ajudam os pais a serem mais pais. A palavra
“compadre” significa “ser pai com”; a palavra “comadre” significa “ser mãe com”. Isto porque, a
palavra “padre” significa “pai”. E a palavra “madre” significa “mãe”.
Com isso, dá para entender que, a palavra “padrinho” significa “paizinho” e a palavra
“madrinha” significa “mãezinha”. Portanto, ser compadre não é coisa tão simples. É honra e
compromisso.
A família é responsável pelo bom membro
Como sabemos, a família é o ambiente em que o novo membro da Igreja de Cristo vive mais.
Nela deve existir um verdadeiro amor e um verdadeiro exemplo da vida cristã.
6
É de uma família que surgem os grandes homens e mulheres, ou também os criminosos e
corruptos. E porque acontece isto? Será que Deus abençoa uma família e amaldiçoa a outra? Será
a sorte de cada pessoa? Estas perguntas devem ter respostas.
Deus sempre abençoou as famílias. E sempre que ajudá-las, quando estão em problemas. O
perigo é a gente fechar-se e não dar vez a Ele. A família precisa assumir o seu papel de
educadora.
No milagre que Jesus fez em Caná da Galileia (Jo 2, 1-10), temos uma ótima idéia para isto. O
texto relata que, estavam muitas pessoas presentes, mas Jesus também tinha sido convidado. Ele e
sua mãe, Maria. Não podemos atribuir os problemas familiares à falta de sorte. Antes, devemos
assumi-los e procurar solucioná-los. A responsabilidade das famílias é muito grande. Uma boa
sociedade, uma comunidade, depende de pessoas bem educadas por suas famílias. Esta
responsabilidade não pode ser transferida para a escola ou para outra instituição. A Escola, A
Igreja, o Estado, eles são apenas parceiros.
A moral e a prática cristã
Se nós batizamos alguém é porque queremos que ele seja cristão. Jesus diz que ninguém
acende uma lâmpada para escondê-la, a finalidade dela é brilhar. Assim, batizar para cumprir
tabela é uma atitude pouco sensata (Mt 5, 14-16). O cristão precisa fazer a diferença no mundo.
Existem tantas pessoas batizadas por aí que são mal educadas, irresponsáveis, criminosas e
corruptas. Não é esse o tipo de cristão que queremos.
Por isso, devemos nos preocupar em batizar as crianças e torná-las autenticamente cristãs. Ser
cristãos significa assumir os valores do Reinado de Deus. Esses são os valores que Jesus pregou:
O amor fraterno, a solidariedade, a justiça, a paz e o esforço para praticar sempre o bem para que
todos tenham vida e a tenham em abundância.
PONTOS PARA REFLEXÃO:
1. Que tipo de ambiente temos sido para os novos membros? Por quê?
2. Os padrinhos que você conhece, dão exemplo aos afilhados? Por quê?
3. Nossas famílias têm sempre a presença de Deus? Por quê?
4. Todos sabem da necessidade da boa formação da pessoa humana? Por quê?
5. É fácil ser compadre? Por quê?
UNIDADE III
A GRAÇA DO BATISMO NA VIDA DO NOVO CRISTÃO
LEITURA BÍBLICA: Rm 6, 1-14
Existem sete sacramentos na Igreja. Eles acompanham a vida natural. Assim como nascemos,
crescemos, amadurecemos, nos casamos e morremos também a vida de Igreja é marcada por
celebrações especiais que nos põem em contato com a graça de Deus e nos leva a experimentar
de modo mais profundo os mistérios da existência humana. O Batismo é o nascimento para a vida
na Igreja; a Eucaristia é o alimento para fortalecer a caminhada; a Confissão é nossa
reconciliação com Deus e com a comunidade; o Matrimônio marca nossa participação plena no
7
exercício do amor e do mistério da criança; a Unção dos Enfermos nos fortalece e nos reconforta
na enfermidade e na velhice; e por fim, a Ordem habilita ministros para cuidar das necessidades
da Igreja.
Pelo batismo nós morremos e ressuscitamos com Cristo
Pelo Batismo nós participamos da morte de Cristo, para podermos participar de sua
ressurreição. Com isso, São Paulo nos chama à atenção para sairmos do pecado e buscarmos
viver só em Cristo. “Se morremos para o pecado, como ainda poderemos viver nele?” (Rm 6, 2).
Fomos batizados foi para que tudo que existe de mal possa ir sendo eliminado. Pelo Batismo a
gente recebe a força de Cristo. Com a força de Cristo, nós podemos fazer muita coisa boa. E onde
existe esta tal de “coisa boa”, o mal vai desaparecendo aos poucos.
Cristo, que morreu uma vez por todas, como nos diz São Paulo, está junto do Pai, sem perigo
de morte. Ele está também conosco, querendo que cada um de nós participe da sua glória. O
batismo é a abertura para realizarmos isto.
O pecado já não tem mais força de nos dominar, quando confiamos em Deus. A graça divina
habita em nós (Rm 4, 14).
O Batismo é a semente da vida
Todos que são batizados recebem esta semente. É preciso que ela seja bem cultivada. E uma
coisa muito prática, todos já conhecemos: A semente só germina, cresce e produz bem, se a terra
for boa. No pedregulho é que ela não tem condição de produzir nada. Ela nasce, mas morre
depressa (Lc 8,6).
Mesmo que a terra seja boa, devemos ter muito cuidado com as formigas que rodeiam as
plantinhas que nela existem.
As crianças são uma ótima terra. Um terreno novo, descansado. Mas é preciso que os adultos
zelem por elas, porque o mundo está cheio de formigas do mal. E é uma pena se atacarem a mais
bela planta que é o Batismo.
E como a semente não nasce e cresce de uma só vez, o Batismo das crianças também não se
desenvolve de uma só vez. É devagar que ele vai se enraizando e apanhando firmeza para crescer.
Todo esforço investido na educação do novo cristão terá com certeza um resultado positivo.
Educar bem vale a pena.
A Igreja caminha, quando os cristãos caminham
Vimos no início que não é à toa que fazemos parte da Igreja. Ela é o ambiente próprio
daqueles que querem viver em paz. Numa paz que não significa estacionamento. Numa paz, que
tem como ponto principal, a alegria de ser cristão, a alegria de caminhar.
A Igreja não pode ficar parada. Precisa ser água corrente. Água parada é brejo. Ela precisa
crescer dia-a-dia. E o crescimento dela se dá com o nosso crescimento no amor. Se a gente foi
batizado, diz ser católico, mas não faz nada de bom, a gente está é atrasando o crescimento da
Igreja.
Não precisa ninguém correr atrás dos outros para entrarem na Igreja. Basta que os que nela
estiverem, deem testemunho de seu cristianismo. Isso depende de cada um de nós. A Igreja
crescer se formos participativos e responsáveis por ela. Não podemos ser meros “torcedores”, é
preciso que sejamos “jogadores”, que estejamos sempre em ação. A Igreja é de todos os
batizados. A responsabilidade se mostra na participação ativa da vida comunitária e no
testemunho daquilo que se professa.
8
PONTOS PARA REFLEXÃO:
1. Em que nossa vida, damos morada ao pecado? Por quê?
2. O que existe mais em nossa comunidade o bem ou o mal? Por quê?
3. Como encaramos a nossa responsabilidade de Igreja: com desânimo ou com entusiasmo? Por
quê?
4. Em nossa comunidade, temos visto os frutos do Batismo? Por quê?
5. Já ajudei a alguém a viver o seu Batismo? Como?
UNIDADE IV
A LITURGIA DO BATISMO
Leitura Bíblica: 1 Cor 12, 12-13
A Celebração do Batismo é repleta de simbolismo. É de fundamental importância que quem
vai participar da celebração deste sacramento esteja consciente dos gestos e da linguagem
presentes nela. Os principais elementos do Batismo são a água e as palavras “Eu te batizo...”. E
toda a realidade assumida a partir dali é expressa através dos elementos que acompanham o
batismo.
A água e a invocação
Pelo nosso Batismo, a água derramada em nós, com a invocação do Pai, do Filho e do
Espírito Santo, nos transfigura, faz de nós criaturas novas. Somos purificados de todo o mal que
herdamos desde as origens da humanidade, principalmente o pecado original. A presença de
Deus, através da água batismal, nos fortalece e nos enriquece.
A luz dentro do rito do Batismo
Jesus dizia: Eu sou a luz do mundo. E pediu para seus discípulos: Que vossa luz brilhe
para todos. E vendo as boas obras, glorifiquem o Pai. A luz representa o Cristo ressuscitado. São
Paulo escreve aos coríntios: “Outrora éreis trevas, agora sois luz no Senhor. Andai como filhos da
luz.”
As vestes brancas
A nossa Igreja coloca este símbolo da veste branca no Batismo para dizer-nos que nos
revestimos da graça de Deus, de sua presença que nos purifica, ilumina e faz resplandecer a sua
glória no mundo.
O uso do óleo
A Igreja usa para celebrar o Batismo a unção com óleo santo. O óleo serve para preparar a
comida. Há óleos perfumados que tornam nosso corpo e nossa presença mais agradáveis a nós
mesmos e aos outros. Há os óleos para combustível e para engrenagem de carros e máquinas. Há
os óleos, na Bíblia, para consagrar os Reis, Profetas e Sacerdotes. Samuel pegou o vaso de óleo e
ungiu o rei Davi na presença de todos. Jesus dizia: O Espírito está sobre mim, ele me ungiu e me
9
enviou para evangelizar. O nome. O anjo diz a Maria: Tu lhe darás o nome de Jesus, que significa
Deus salva. Em geral todos os nomes dados a pessoas, na Bíblia, têm um significado bem
específico. Na Bíblia o nome é um modo de referir-se à pessoa; é o mesmo que dizer: é tal
pessoa.
As promessas do Batismo
Durante o Batismo recebemos o Creio em Deus Pai. É que depois do batismo passamos a
viver a mesma fé que milhões e milhões de pessoas vivem no mundo. O celebrante nos pede para
proclamarmos a nossa fé em Deus Pai, em Deus o Filho e em Deus o Espírito Santo.
Recitação do resumo da fé assumida no Batismo
Todos: Creio em Deus Pai, todo poderoso, criador do céu e da terra. Creio em Jesus Cristo, seu
único Filho e nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu da Virgem
Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, morto e sepultado. Desceu à mansão dos mortos, subiu aos
céus, está sentado à direita de Deus Pai, todo poderoso, donde há de vir julgar os vivos e os
mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja católica, na comunhão dos santos, na
ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.
PONTOS PARA REFLEXÃO:
1. Você tinha consciência da riqueza dos símbolos e gestos usados na Celebração do Batismo?
2. Em que nos comprometemos a crer com a “reza” do Creio?
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
OLIVEIRA, Raul Motta de Oliveira. O Batismo: Preparação e celebração do sacramento do
Batismo nas comunidades eclesiais de base. Caratinga: Gráfica Dom Carloto, 1976.
PADRES AGOSTINIANOS. Temas de preparação ao Batismo. São Paulo: Comunidade Santo
Agostinho, 2007.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Livrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismo
Livrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismoLivrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismo
Livrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismo
torrasko
 
Reunião de pais final
Reunião de pais finalReunião de pais final
Reunião de pais final
Pedro Gilberto
 
Preparação para batismo
Preparação para batismoPreparação para batismo
Preparação para batismo
Luciane tonete
 
Querigma e catequese
Querigma e catequeseQuerigma e catequese
Querigma e catequese
Francisco Rodrigues
 
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/20121º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
Adriano de Paula
 
Catecumenato
CatecumenatoCatecumenato
Catecumenato
paroquiasaojose
 
Encontro de Catequistas
Encontro de Catequistas  Encontro de Catequistas
Encontro de Catequistas
José Vieira Dos Santos
 
Dinamica do advento dinamica
Dinamica do advento dinamicaDinamica do advento dinamica
Dinamica do advento dinamica
Maria José Gonçalves
 
O que é a Eucaristia?
O que é a Eucaristia?O que é a Eucaristia?
O que é a Eucaristia?
Juliana Cristina M. Muniz
 
Reunião de Pais - 3º ano - 2013 - 2014
Reunião de Pais - 3º ano - 2013 - 2014Reunião de Pais - 3º ano - 2013 - 2014
Reunião de Pais - 3º ano - 2013 - 2014
Marisa Lopes
 
A espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequistaA espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequista
Francisco Rodrigues
 
A música litúrgica formação
A música litúrgica formaçãoA música litúrgica formação
A música litúrgica formação
mbsilva1971
 
Reuniao de pais 19 de março pronto
 Reuniao de pais 19 de março pronto Reuniao de pais 19 de março pronto
Reuniao de pais 19 de março pronto
Mara Maria Junckes
 
Pastoral do batismal 01
Pastoral do batismal 01Pastoral do batismal 01
Pastoral do batismal 01
torrasko
 
Diretório da Pastoral Familiar
Diretório da Pastoral FamiliarDiretório da Pastoral Familiar
Diretório da Pastoral Familiar
Geraldo Gomes
 
1º ANO DE EUCARISTIA
1º ANO DE EUCARISTIA1º ANO DE EUCARISTIA
1º ANO DE EUCARISTIA
Catequista Josivaldo
 
A missa– parte por parte
A missa– parte por parteA missa– parte por parte
A missa– parte por parte
Jean
 
Power point da formação
Power point da formaçãoPower point da formação
Power point da formação
acolitosdeparanhos
 
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro ppsFormação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
José Luiz Silva Pinto
 
A iniciação à vida cristã os passos a serem dados
A iniciação à vida cristã   os passos a serem dadosA iniciação à vida cristã   os passos a serem dados
A iniciação à vida cristã os passos a serem dados
Liana Plentz
 

Mais procurados (20)

Livrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismo
Livrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismoLivrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismo
Livrinho encontro de-preparacao-para-ra-o-batismo
 
Reunião de pais final
Reunião de pais finalReunião de pais final
Reunião de pais final
 
Preparação para batismo
Preparação para batismoPreparação para batismo
Preparação para batismo
 
Querigma e catequese
Querigma e catequeseQuerigma e catequese
Querigma e catequese
 
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/20121º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
1º Encontro de Pais e Catequistas 24/05/2012
 
Catecumenato
CatecumenatoCatecumenato
Catecumenato
 
Encontro de Catequistas
Encontro de Catequistas  Encontro de Catequistas
Encontro de Catequistas
 
Dinamica do advento dinamica
Dinamica do advento dinamicaDinamica do advento dinamica
Dinamica do advento dinamica
 
O que é a Eucaristia?
O que é a Eucaristia?O que é a Eucaristia?
O que é a Eucaristia?
 
Reunião de Pais - 3º ano - 2013 - 2014
Reunião de Pais - 3º ano - 2013 - 2014Reunião de Pais - 3º ano - 2013 - 2014
Reunião de Pais - 3º ano - 2013 - 2014
 
A espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequistaA espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequista
 
A música litúrgica formação
A música litúrgica formaçãoA música litúrgica formação
A música litúrgica formação
 
Reuniao de pais 19 de março pronto
 Reuniao de pais 19 de março pronto Reuniao de pais 19 de março pronto
Reuniao de pais 19 de março pronto
 
Pastoral do batismal 01
Pastoral do batismal 01Pastoral do batismal 01
Pastoral do batismal 01
 
Diretório da Pastoral Familiar
Diretório da Pastoral FamiliarDiretório da Pastoral Familiar
Diretório da Pastoral Familiar
 
1º ANO DE EUCARISTIA
1º ANO DE EUCARISTIA1º ANO DE EUCARISTIA
1º ANO DE EUCARISTIA
 
A missa– parte por parte
A missa– parte por parteA missa– parte por parte
A missa– parte por parte
 
Power point da formação
Power point da formaçãoPower point da formação
Power point da formação
 
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro ppsFormação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
 
A iniciação à vida cristã os passos a serem dados
A iniciação à vida cristã   os passos a serem dadosA iniciação à vida cristã   os passos a serem dados
A iniciação à vida cristã os passos a serem dados
 

Semelhante a Livrinho e preparacao para-o-batismo

Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Rodrigo F Menegatti
 
Especial Comunhão Relacionamento e Missão
Especial Comunhão Relacionamento e MissãoEspecial Comunhão Relacionamento e Missão
Especial Comunhão Relacionamento e Missão
uniaolestebrasileira
 
Ap. pré matrimonio
Ap. pré matrimonioAp. pré matrimonio
Ap. pré matrimonio
Walter Unger
 
Os Jovens e o projeto pessoal de vida
Os Jovens e o projeto pessoal de vidaOs Jovens e o projeto pessoal de vida
Os Jovens e o projeto pessoal de vida
Mary Donzellini MJC
 
Capitulo15
Capitulo15Capitulo15
Capitulo15
Edvando Tomaz
 
Jornal sta. bernadete edição 41
Jornal sta. bernadete   edição 41Jornal sta. bernadete   edição 41
Jornal sta. bernadete edição 41
Paróquia Santa Bernadete
 
Carta pastoral ano da fé
Carta pastoral ano da féCarta pastoral ano da fé
Carta pastoral ano da fé
nuvemluminosa
 
A VIDA DE FREIO JOÃO PEDRO DE SEXTO
A VIDA DE FREIO JOÃO PEDRO DE SEXTOA VIDA DE FREIO JOÃO PEDRO DE SEXTO
A VIDA DE FREIO JOÃO PEDRO DE SEXTO
Isabel Aguiar
 
Reunião de treinamento da estaca sister costa
Reunião de treinamento da estaca sister costaReunião de treinamento da estaca sister costa
Reunião de treinamento da estaca sister costa
Cristina dos Santos Moreira
 
Pastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.doc
Pastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.docPastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.doc
Pastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.doc
MarceloJosRocha1
 
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da IgrejaLBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
boasnovassena
 
Formação catequese
Formação catequeseFormação catequese
Formação catequese
Rafael Maciel
 
Boletim 580 - 06/05/18
Boletim 580 - 06/05/18Boletim 580 - 06/05/18
Boletim 580 - 06/05/18
stanaami
 
APRESENTAÇÃO OFICIAL
APRESENTAÇÃO OFICIALAPRESENTAÇÃO OFICIAL
APRESENTAÇÃO OFICIAL
Markson Cézar
 
Seminário - A Escola Dominical e a Família
Seminário - A Escola Dominical e a FamíliaSeminário - A Escola Dominical e a Família
Seminário - A Escola Dominical e a Família
Sergio Silva
 
Apostila Para O Ministério Infantil na Igreja
Apostila Para O Ministério Infantil na IgrejaApostila Para O Ministério Infantil na Igreja
Apostila Para O Ministério Infantil na Igreja
Alexandre Santos
 
Aprendendo a lidar com o adolescente
Aprendendo a lidar com o adolescenteAprendendo a lidar com o adolescente
Aprendendo a lidar com o adolescente
Sou filha do REI
 
Boletim 487 - 10/06/16
Boletim 487 - 10/06/16Boletim 487 - 10/06/16
Boletim 487 - 10/06/16
stanaami
 
Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2
Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2 Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2
Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2
familiaregsul4
 
Jornal agosto nº 167
Jornal agosto   nº 167Jornal agosto   nº 167
Jornal agosto nº 167
mcj2013
 

Semelhante a Livrinho e preparacao para-o-batismo (20)

Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos
 
Especial Comunhão Relacionamento e Missão
Especial Comunhão Relacionamento e MissãoEspecial Comunhão Relacionamento e Missão
Especial Comunhão Relacionamento e Missão
 
Ap. pré matrimonio
Ap. pré matrimonioAp. pré matrimonio
Ap. pré matrimonio
 
Os Jovens e o projeto pessoal de vida
Os Jovens e o projeto pessoal de vidaOs Jovens e o projeto pessoal de vida
Os Jovens e o projeto pessoal de vida
 
Capitulo15
Capitulo15Capitulo15
Capitulo15
 
Jornal sta. bernadete edição 41
Jornal sta. bernadete   edição 41Jornal sta. bernadete   edição 41
Jornal sta. bernadete edição 41
 
Carta pastoral ano da fé
Carta pastoral ano da féCarta pastoral ano da fé
Carta pastoral ano da fé
 
A VIDA DE FREIO JOÃO PEDRO DE SEXTO
A VIDA DE FREIO JOÃO PEDRO DE SEXTOA VIDA DE FREIO JOÃO PEDRO DE SEXTO
A VIDA DE FREIO JOÃO PEDRO DE SEXTO
 
Reunião de treinamento da estaca sister costa
Reunião de treinamento da estaca sister costaReunião de treinamento da estaca sister costa
Reunião de treinamento da estaca sister costa
 
Pastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.doc
Pastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.docPastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.doc
Pastoral Familiar - Setor Pós-Matrimonial.doc
 
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da IgrejaLBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
 
Formação catequese
Formação catequeseFormação catequese
Formação catequese
 
Boletim 580 - 06/05/18
Boletim 580 - 06/05/18Boletim 580 - 06/05/18
Boletim 580 - 06/05/18
 
APRESENTAÇÃO OFICIAL
APRESENTAÇÃO OFICIALAPRESENTAÇÃO OFICIAL
APRESENTAÇÃO OFICIAL
 
Seminário - A Escola Dominical e a Família
Seminário - A Escola Dominical e a FamíliaSeminário - A Escola Dominical e a Família
Seminário - A Escola Dominical e a Família
 
Apostila Para O Ministério Infantil na Igreja
Apostila Para O Ministério Infantil na IgrejaApostila Para O Ministério Infantil na Igreja
Apostila Para O Ministério Infantil na Igreja
 
Aprendendo a lidar com o adolescente
Aprendendo a lidar com o adolescenteAprendendo a lidar com o adolescente
Aprendendo a lidar com o adolescente
 
Boletim 487 - 10/06/16
Boletim 487 - 10/06/16Boletim 487 - 10/06/16
Boletim 487 - 10/06/16
 
Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2
Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2 Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2
Pre matrimonial e preparacao ao sacramento do matrimonio 2
 
Jornal agosto nº 167
Jornal agosto   nº 167Jornal agosto   nº 167
Jornal agosto nº 167
 

Mais de torrasko

Lá na casa dos meus pais
Lá na casa dos meus paisLá na casa dos meus pais
Lá na casa dos meus pais
torrasko
 
Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!
Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!
Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!
torrasko
 
Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02
torrasko
 
Deixa a luz do céu entrar 02
Deixa a luz do céu entrar 02Deixa a luz do céu entrar 02
Deixa a luz do céu entrar 02
torrasko
 
Cantai ao senhor
Cantai ao senhorCantai ao senhor
Cantai ao senhor
torrasko
 
Rito do-batismo-de-crianca 03
Rito do-batismo-de-crianca 03Rito do-batismo-de-crianca 03
Rito do-batismo-de-crianca 03
torrasko
 
Cantos natal
Cantos natalCantos natal
Cantos natal
torrasko
 
Diretrizes para o batismo
Diretrizes para o batismoDiretrizes para o batismo
Diretrizes para o batismo
torrasko
 
Folheto de cânticos
Folheto de cânticosFolheto de cânticos
Folheto de cânticos
torrasko
 
Cantos marianos 04
Cantos marianos 04Cantos marianos 04
Cantos marianos 04
torrasko
 
Amém aleluia
Amém aleluiaAmém aleluia
Amém aleluia
torrasko
 
Cantos meio popular
Cantos meio popularCantos meio popular
Cantos meio popular
torrasko
 
Amém aleluia vi cantar no céu
Amém aleluia vi cantar no céuAmém aleluia vi cantar no céu
Amém aleluia vi cantar no céu
torrasko
 
Livreto das-santas-missões-populares
Livreto das-santas-missões-popularesLivreto das-santas-missões-populares
Livreto das-santas-missões-populares
torrasko
 
Folheto de cânticos3
Folheto de cânticos3Folheto de cânticos3
Folheto de cânticos3
torrasko
 
Ninguem te ama como eu 03
Ninguem te ama como eu 03Ninguem te ama como eu 03
Ninguem te ama como eu 03
torrasko
 
Bendida e louvada seja01
Bendida e louvada seja01Bendida e louvada seja01
Bendida e louvada seja01
torrasko
 
Os 7 sacramentos
Os 7 sacramentosOs 7 sacramentos
Os 7 sacramentos
torrasko
 
Deixa a luz do céu entrar 01
Deixa a luz do céu entrar 01Deixa a luz do céu entrar 01
Deixa a luz do céu entrar 01
torrasko
 
Folheto de cantos 100 anos-de-vida
Folheto de cantos 100 anos-de-vidaFolheto de cantos 100 anos-de-vida
Folheto de cantos 100 anos-de-vida
torrasko
 

Mais de torrasko (20)

Lá na casa dos meus pais
Lá na casa dos meus paisLá na casa dos meus pais
Lá na casa dos meus pais
 
Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!
Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!
Cantos o cristo vive, cristo reina, cristo impera!
 
Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02Rito do-batismo-de-crianca 02
Rito do-batismo-de-crianca 02
 
Deixa a luz do céu entrar 02
Deixa a luz do céu entrar 02Deixa a luz do céu entrar 02
Deixa a luz do céu entrar 02
 
Cantai ao senhor
Cantai ao senhorCantai ao senhor
Cantai ao senhor
 
Rito do-batismo-de-crianca 03
Rito do-batismo-de-crianca 03Rito do-batismo-de-crianca 03
Rito do-batismo-de-crianca 03
 
Cantos natal
Cantos natalCantos natal
Cantos natal
 
Diretrizes para o batismo
Diretrizes para o batismoDiretrizes para o batismo
Diretrizes para o batismo
 
Folheto de cânticos
Folheto de cânticosFolheto de cânticos
Folheto de cânticos
 
Cantos marianos 04
Cantos marianos 04Cantos marianos 04
Cantos marianos 04
 
Amém aleluia
Amém aleluiaAmém aleluia
Amém aleluia
 
Cantos meio popular
Cantos meio popularCantos meio popular
Cantos meio popular
 
Amém aleluia vi cantar no céu
Amém aleluia vi cantar no céuAmém aleluia vi cantar no céu
Amém aleluia vi cantar no céu
 
Livreto das-santas-missões-populares
Livreto das-santas-missões-popularesLivreto das-santas-missões-populares
Livreto das-santas-missões-populares
 
Folheto de cânticos3
Folheto de cânticos3Folheto de cânticos3
Folheto de cânticos3
 
Ninguem te ama como eu 03
Ninguem te ama como eu 03Ninguem te ama como eu 03
Ninguem te ama como eu 03
 
Bendida e louvada seja01
Bendida e louvada seja01Bendida e louvada seja01
Bendida e louvada seja01
 
Os 7 sacramentos
Os 7 sacramentosOs 7 sacramentos
Os 7 sacramentos
 
Deixa a luz do céu entrar 01
Deixa a luz do céu entrar 01Deixa a luz do céu entrar 01
Deixa a luz do céu entrar 01
 
Folheto de cantos 100 anos-de-vida
Folheto de cantos 100 anos-de-vidaFolheto de cantos 100 anos-de-vida
Folheto de cantos 100 anos-de-vida
 

Último

Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
FernandoCavalcante48
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 

Último (10)

Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 

Livrinho e preparacao para-o-batismo

  • 1. 1 PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO Diocese de Caratinga PREPARAÇÃO PARA O BATISMO CONCEIÇÃO DE IPANEMA – MG 2011
  • 2. 2 ORAÇÕES DURANTE OS ENCONTROS ORAÇÃO INICIAL D.: Em nome do Pai... T.: Amém. D.: Enviai o vosso Espírito e tudo será criado. T.: E renovareis a face da terra. Oremos: Ó Deus, que instruís os corações de Vossos fiéis com a Luz do Espírito Santo, fazei que saibamos apreciar retamente todas as coisas, segundo o mesmo Espírito, e possamos gozar sempre de sua consolação. Por Cristo, Senhor Nosso. Amém. D.: Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. T.: Como era no princípio agora e sempre. Amém. ORAÇÃO FINAL D.: Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. T.: Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Ó Mestre, Fazei que eu procure mais Consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois, é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna. T.: Pai-nosso...Ave Maria...Sinal da Cruz. SUGESTÃO DE LEITURAS BÍBLICAS SOBRE O BATISMO Evangelhos: Mc 12, 28b-31. Mt 22, 35-40. Mc 1, 9-11. Mc 10, 13-16. Jo 4, 5-14. Jo 6, 44-47. Jo 7, 37b-39a. Jo 9, 1-7. Jo 19, 31-35. Cartas: Gal 3, 26-28. Ef 4, 1-6. Rom 8, 28-32. I Pd 2, 4-5.9-10. © Adaptado por José Aristides da Silva Gamito do original de Mons. Raul Motta de Oliveira, de 1976, intitulado de “O Batismo”
  • 3. 3 UNIDADE I O SIGNIFICADO DO SACRAMENTO DO BATISMO LEITURA BÍBLICA: At 2, 37-41. A preparação para a celebração do Batismo A Igreja pede para que se tenha uma catequese de preparação para o Batismo em obediência a Jesus que diz “Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ensinando-as a observar tudo quanto eu vos ordenei” (Mt 28, 19-20). Os três mandatos de Jesus à Igreja é fazer discípulos, batizar e ensinar a Boa Nova. O Batismo é sacramento muito sério por isso exige-se uma preparação das pessoas envolvidas na sua celebração. A exigência de uma catequese antes do Batismo é uma prática que origem no tempo dos primeiros cristãos. Naquela época, exigiam-se três ou quatro anos de preparação. Além disso, cada pessoa que desejasse ser batizada era apresentada à comunidade por meio de um padrinho que examinava seu comportamento. Somente depois de um longo conhecimento do Evangelho e da vida da Igreja é que a pessoa era batizada. O Batismo é a entrada para a Igreja Pelo Batismo, começamos então, a fazer parte da Igreja. Sendo assim um novo membro. Por isso, precisamos entender, que não podemos ser um membro inútil. Precisamos ver a que grande dignidade Deus nos colocou. Participamos de uma comunidade, na qual ninguém é maior que o outro. Só há um chefe: Cristo. Uma comunidade que um irmão dá a mão ao outro. Infelizmente, para muitos, o Batismo está na base da superstição. Batizam para curar as doenças do neném e outras coisas mais, e se esquecem do verdadeiro significado que ele tem: A entrada para a Igreja. Estas reflexões vão fazer a gente pensar na cultivação do batismo. Vão fazer a gente sentir a responsabilidade que temos diante de uma vida nova que se inicia. Pois, é necessário que tenhamos boas luzes, para iluminar o caminho daqueles que ainda não podem caminhar sozinhos. Os membros da Igreja constituem uma família já que todos são irmãos em Cristo. O que representa a preparação para o Batismo Deus criou tudo com perfeição (Gn 1, 31). Para sermos membros dele, precisamos fazer tudo para segui-Lo. “Sede perfeitos, como vosso Pai celestial é perfeito” (Mt 5, 48). Mas uma criança não terá condições de entender isto sem ser orientada pelos pais ou responsáveis. Sozinha, ela não tem condição de crescer ligada à comunidade e também não consegue desenvolver seu cristianismo. A fé precisa de educação para se desenvolver. Por isso, a conscientização começa com os pais e com os responsáveis. Eles têm como missão, conscientizar a criança, aos poucos. Não basta só batizar uma criança, é preciso ajudá-la a viver a fé que foi assumida. Os pais e padrinhos são os tutores que se responsabilizam pela educação da criança na fé e na moral. À vezes alguém diz: “Para quê tanto curso? Parece que os padres não têm mais nada que inventar!” – Olha, meu amigo: Hoje em dia existem cursos para tudo. Tudo que formos fazer precisa de uma preparação. Quem não faz curso fica para trás.
  • 4. 4 Também a Igreja sente necessidade de promover cursos de conscientização. Pois, de uma vez que a sociedade, sendo material, se preocupa com a sua evolução, muito mais a Igreja deve se preocupar com o seu desenvolvimento espiritual. O desenvolvimento da pessoa deve se dar como um todo. É preciso se preparar bem para realizarmos aquilo pelo qual temos consideração e respeito. A conscientização das crianças se dá pelo exemplo dos mais velhos A criança tem muita vontade de se parecer com os grandes. Gosta de fazer aquilo que vê os mais velhos fazendo. Por isso, não é tão difícil conscientizar uma criança. Pois numa casa em que os adultos rezam e vão à igreja, meninos de 4 anos já começam a cantar os cânticos da Igreja e a rezar. Portanto, vamos aproveitar desta vontade que a criança tem de nos imitar, do interesse em aprender, praticando boas ações. Por outro lado, quando os mais velhos só sabem falar palavrões, praticar ações desonestas, quando não têm participação na vida de comunidade, a criança vai crescendo no mesmo ritmo. A boa educação faz toda a diferença. Ninguém tem coragem de colocar uma criança numa canoa, dentro d’água, e deixar que ela se vire sozinha. Ela não tem condição de remar. Portanto, ninguém pode ter a coragem de, simplesmente, batizar uma criança e deixar as responsabilidades da vida cristã por conta dela. O exemplo e o apoio dos adultos, ou seja, da comunidade, muito contribuirão para a boa formação cristã da criança. Pelo batismo a criança se torna oficialmente membro da Igreja. A Igreja é uma comunidade. Todos os membros devem participar e se sentir responsável por ela. O batismo precisa de seguimento. Os pais e padrinhos são responsáveis de ensinar e dar exemplo para que as crianças aprendam e assumam aos poucos o compromisso firmado por eles no Batismo. Não basta só mandar a criança fazer, mandar ir ao catecismo e à igreja. É necessário também praticar para que ela se convença que aquilo é importante. Não vale aquele dito popular “façam o que eu falo, mas façam o que eu faço”. PONTOS PARA REFLEXÃO: 1. O Batismo é a entrada para Igreja. Por que muitos vivem fora dela? 2. Por que nem todos se preocupam em preparar-se para batizar filho? 3. Por que existem muitos batizados e poucos praticantes? 4. Somos conscientes do valor e da responsabilidade que temos como membros da Igreja? Por quê? 5. Se as crianças seguirem o nosso exemplo, elas terão uma boa vivência? Por quê? UNIDADE II A RESPONSABILIDADE DE SER CRISTÃO E DE SER IGREJA LEITURA BÍBLICA: 1 Cor 12, 12-22 Ser membro da Igreja Ser membro da Igreja é ser discípulo de Jesus. Pelo batismo, a pessoa se torna membro da Igreja. A cabeça da Igreja é Jesus. Portanto, o batizado é chamado à comunhão com a sua
  • 5. 5 comunidade e ao seguimento de Jesus. Este seguimento implica aderir ao programa de Jesus: evangelizar, promover o perdão e a solidariedade, a justiça e a liberdade e proclamar o Ano da Graça do Senhor (Lc 4, 18-19). A responsabilidade dos padrinhos Antes de a criança nascer, os pais já começam a pensar: “Quem será o padrinho?” Geralmente pensam numa pessoa influente, rica, estudada etc. É muito perigoso a gente esquecer que os padrinhos também são responsáveis, e convidar qualquer pessoa para ser padrinho de uma criança. Se quisermos que a criança seja uma boa cristã é importante que procuremos alguém que tenha condições de ser esta referência. Ninguém pode dar o que não tem. Primeiramente, devemos olhar é a capacidade que a pessoa tem, não financeiramente, porque isso não importa. Mas sobretudo, a capacidade de a pessoa dar bom testemunho e educar o afilhado como cristão. Para que assim se evite problemas futuro. Ser um bom cristão é ser alguém honesto, bem educado, um bom cidadão, uma pessoa cultive valores verdadeiramente humanos. Outra coisa que às vezes acontece é que alguém dê afilhado a pessoas de outra igreja ou religião. É claro que estas pessoas podem ser boas e que dão um ótimo exemplo, de acordo com a sua religiosidade. Mas no caso do batismo é necessário que se professe a mesma fé e que dê testemunho do que acredita. A unidade na fé e na moral são requisitos indispensáveis. Não é um caso de discriminação, é definição de critério. Porque ninguém pode testemunhar e se comprometer a ensinar algo que não acredita. É uma questão de discernimento. Dentro da própria Igreja Católica, é importante que se procure pessoas que tenham fé, sejam praticantes e dêem bom exemplo de vida. Apenas o rótulo de “católico” não é suficiente para testemunhar tão grandioso sacramento. A experiência já nos ensina isso. O número de batizados é muito grande, mas sabemos que praticantes são poucos. O Batismo não pode ser aderido simplesmente por superstição, por tradição, por medo do inferno. Hoje já somos bastante esclarecidos para não sermos “Maria vai com as outras”. Os padrinhos ajudam os pais a serem mais pais Os pais não são quem coloca o filho no mundo. Mas quem cuida da formação do filho. Esta formação se refere à formação religiosa, física, moral e social. É necessário educá-lo para viver em sociedade, cuidando de si, dos outros e do planeta como um todo. Somos responsáveis pelo ambiente e pelas pessoas que nos rodeiam. Por isso, precisamos ter moral, princípios, ninguém vive para si mesmo. Já que somos responsáveis uns pelos outros, os padrinhos podem e devem ajudar os pais a darem boas orientações aos filhos. Se entendermos o significado da palavra “compadre” e da palavra “comadre”, poderemos entender melhor, se os padrinhos ajudam ou não ajudam os pais a serem mais pais. A palavra “compadre” significa “ser pai com”; a palavra “comadre” significa “ser mãe com”. Isto porque, a palavra “padre” significa “pai”. E a palavra “madre” significa “mãe”. Com isso, dá para entender que, a palavra “padrinho” significa “paizinho” e a palavra “madrinha” significa “mãezinha”. Portanto, ser compadre não é coisa tão simples. É honra e compromisso. A família é responsável pelo bom membro Como sabemos, a família é o ambiente em que o novo membro da Igreja de Cristo vive mais. Nela deve existir um verdadeiro amor e um verdadeiro exemplo da vida cristã.
  • 6. 6 É de uma família que surgem os grandes homens e mulheres, ou também os criminosos e corruptos. E porque acontece isto? Será que Deus abençoa uma família e amaldiçoa a outra? Será a sorte de cada pessoa? Estas perguntas devem ter respostas. Deus sempre abençoou as famílias. E sempre que ajudá-las, quando estão em problemas. O perigo é a gente fechar-se e não dar vez a Ele. A família precisa assumir o seu papel de educadora. No milagre que Jesus fez em Caná da Galileia (Jo 2, 1-10), temos uma ótima idéia para isto. O texto relata que, estavam muitas pessoas presentes, mas Jesus também tinha sido convidado. Ele e sua mãe, Maria. Não podemos atribuir os problemas familiares à falta de sorte. Antes, devemos assumi-los e procurar solucioná-los. A responsabilidade das famílias é muito grande. Uma boa sociedade, uma comunidade, depende de pessoas bem educadas por suas famílias. Esta responsabilidade não pode ser transferida para a escola ou para outra instituição. A Escola, A Igreja, o Estado, eles são apenas parceiros. A moral e a prática cristã Se nós batizamos alguém é porque queremos que ele seja cristão. Jesus diz que ninguém acende uma lâmpada para escondê-la, a finalidade dela é brilhar. Assim, batizar para cumprir tabela é uma atitude pouco sensata (Mt 5, 14-16). O cristão precisa fazer a diferença no mundo. Existem tantas pessoas batizadas por aí que são mal educadas, irresponsáveis, criminosas e corruptas. Não é esse o tipo de cristão que queremos. Por isso, devemos nos preocupar em batizar as crianças e torná-las autenticamente cristãs. Ser cristãos significa assumir os valores do Reinado de Deus. Esses são os valores que Jesus pregou: O amor fraterno, a solidariedade, a justiça, a paz e o esforço para praticar sempre o bem para que todos tenham vida e a tenham em abundância. PONTOS PARA REFLEXÃO: 1. Que tipo de ambiente temos sido para os novos membros? Por quê? 2. Os padrinhos que você conhece, dão exemplo aos afilhados? Por quê? 3. Nossas famílias têm sempre a presença de Deus? Por quê? 4. Todos sabem da necessidade da boa formação da pessoa humana? Por quê? 5. É fácil ser compadre? Por quê? UNIDADE III A GRAÇA DO BATISMO NA VIDA DO NOVO CRISTÃO LEITURA BÍBLICA: Rm 6, 1-14 Existem sete sacramentos na Igreja. Eles acompanham a vida natural. Assim como nascemos, crescemos, amadurecemos, nos casamos e morremos também a vida de Igreja é marcada por celebrações especiais que nos põem em contato com a graça de Deus e nos leva a experimentar de modo mais profundo os mistérios da existência humana. O Batismo é o nascimento para a vida na Igreja; a Eucaristia é o alimento para fortalecer a caminhada; a Confissão é nossa reconciliação com Deus e com a comunidade; o Matrimônio marca nossa participação plena no
  • 7. 7 exercício do amor e do mistério da criança; a Unção dos Enfermos nos fortalece e nos reconforta na enfermidade e na velhice; e por fim, a Ordem habilita ministros para cuidar das necessidades da Igreja. Pelo batismo nós morremos e ressuscitamos com Cristo Pelo Batismo nós participamos da morte de Cristo, para podermos participar de sua ressurreição. Com isso, São Paulo nos chama à atenção para sairmos do pecado e buscarmos viver só em Cristo. “Se morremos para o pecado, como ainda poderemos viver nele?” (Rm 6, 2). Fomos batizados foi para que tudo que existe de mal possa ir sendo eliminado. Pelo Batismo a gente recebe a força de Cristo. Com a força de Cristo, nós podemos fazer muita coisa boa. E onde existe esta tal de “coisa boa”, o mal vai desaparecendo aos poucos. Cristo, que morreu uma vez por todas, como nos diz São Paulo, está junto do Pai, sem perigo de morte. Ele está também conosco, querendo que cada um de nós participe da sua glória. O batismo é a abertura para realizarmos isto. O pecado já não tem mais força de nos dominar, quando confiamos em Deus. A graça divina habita em nós (Rm 4, 14). O Batismo é a semente da vida Todos que são batizados recebem esta semente. É preciso que ela seja bem cultivada. E uma coisa muito prática, todos já conhecemos: A semente só germina, cresce e produz bem, se a terra for boa. No pedregulho é que ela não tem condição de produzir nada. Ela nasce, mas morre depressa (Lc 8,6). Mesmo que a terra seja boa, devemos ter muito cuidado com as formigas que rodeiam as plantinhas que nela existem. As crianças são uma ótima terra. Um terreno novo, descansado. Mas é preciso que os adultos zelem por elas, porque o mundo está cheio de formigas do mal. E é uma pena se atacarem a mais bela planta que é o Batismo. E como a semente não nasce e cresce de uma só vez, o Batismo das crianças também não se desenvolve de uma só vez. É devagar que ele vai se enraizando e apanhando firmeza para crescer. Todo esforço investido na educação do novo cristão terá com certeza um resultado positivo. Educar bem vale a pena. A Igreja caminha, quando os cristãos caminham Vimos no início que não é à toa que fazemos parte da Igreja. Ela é o ambiente próprio daqueles que querem viver em paz. Numa paz que não significa estacionamento. Numa paz, que tem como ponto principal, a alegria de ser cristão, a alegria de caminhar. A Igreja não pode ficar parada. Precisa ser água corrente. Água parada é brejo. Ela precisa crescer dia-a-dia. E o crescimento dela se dá com o nosso crescimento no amor. Se a gente foi batizado, diz ser católico, mas não faz nada de bom, a gente está é atrasando o crescimento da Igreja. Não precisa ninguém correr atrás dos outros para entrarem na Igreja. Basta que os que nela estiverem, deem testemunho de seu cristianismo. Isso depende de cada um de nós. A Igreja crescer se formos participativos e responsáveis por ela. Não podemos ser meros “torcedores”, é preciso que sejamos “jogadores”, que estejamos sempre em ação. A Igreja é de todos os batizados. A responsabilidade se mostra na participação ativa da vida comunitária e no testemunho daquilo que se professa.
  • 8. 8 PONTOS PARA REFLEXÃO: 1. Em que nossa vida, damos morada ao pecado? Por quê? 2. O que existe mais em nossa comunidade o bem ou o mal? Por quê? 3. Como encaramos a nossa responsabilidade de Igreja: com desânimo ou com entusiasmo? Por quê? 4. Em nossa comunidade, temos visto os frutos do Batismo? Por quê? 5. Já ajudei a alguém a viver o seu Batismo? Como? UNIDADE IV A LITURGIA DO BATISMO Leitura Bíblica: 1 Cor 12, 12-13 A Celebração do Batismo é repleta de simbolismo. É de fundamental importância que quem vai participar da celebração deste sacramento esteja consciente dos gestos e da linguagem presentes nela. Os principais elementos do Batismo são a água e as palavras “Eu te batizo...”. E toda a realidade assumida a partir dali é expressa através dos elementos que acompanham o batismo. A água e a invocação Pelo nosso Batismo, a água derramada em nós, com a invocação do Pai, do Filho e do Espírito Santo, nos transfigura, faz de nós criaturas novas. Somos purificados de todo o mal que herdamos desde as origens da humanidade, principalmente o pecado original. A presença de Deus, através da água batismal, nos fortalece e nos enriquece. A luz dentro do rito do Batismo Jesus dizia: Eu sou a luz do mundo. E pediu para seus discípulos: Que vossa luz brilhe para todos. E vendo as boas obras, glorifiquem o Pai. A luz representa o Cristo ressuscitado. São Paulo escreve aos coríntios: “Outrora éreis trevas, agora sois luz no Senhor. Andai como filhos da luz.” As vestes brancas A nossa Igreja coloca este símbolo da veste branca no Batismo para dizer-nos que nos revestimos da graça de Deus, de sua presença que nos purifica, ilumina e faz resplandecer a sua glória no mundo. O uso do óleo A Igreja usa para celebrar o Batismo a unção com óleo santo. O óleo serve para preparar a comida. Há óleos perfumados que tornam nosso corpo e nossa presença mais agradáveis a nós mesmos e aos outros. Há os óleos para combustível e para engrenagem de carros e máquinas. Há os óleos, na Bíblia, para consagrar os Reis, Profetas e Sacerdotes. Samuel pegou o vaso de óleo e ungiu o rei Davi na presença de todos. Jesus dizia: O Espírito está sobre mim, ele me ungiu e me
  • 9. 9 enviou para evangelizar. O nome. O anjo diz a Maria: Tu lhe darás o nome de Jesus, que significa Deus salva. Em geral todos os nomes dados a pessoas, na Bíblia, têm um significado bem específico. Na Bíblia o nome é um modo de referir-se à pessoa; é o mesmo que dizer: é tal pessoa. As promessas do Batismo Durante o Batismo recebemos o Creio em Deus Pai. É que depois do batismo passamos a viver a mesma fé que milhões e milhões de pessoas vivem no mundo. O celebrante nos pede para proclamarmos a nossa fé em Deus Pai, em Deus o Filho e em Deus o Espírito Santo. Recitação do resumo da fé assumida no Batismo Todos: Creio em Deus Pai, todo poderoso, criador do céu e da terra. Creio em Jesus Cristo, seu único Filho e nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, morto e sepultado. Desceu à mansão dos mortos, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai, todo poderoso, donde há de vir julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja católica, na comunhão dos santos, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém. PONTOS PARA REFLEXÃO: 1. Você tinha consciência da riqueza dos símbolos e gestos usados na Celebração do Batismo? 2. Em que nos comprometemos a crer com a “reza” do Creio? REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS OLIVEIRA, Raul Motta de Oliveira. O Batismo: Preparação e celebração do sacramento do Batismo nas comunidades eclesiais de base. Caratinga: Gráfica Dom Carloto, 1976. PADRES AGOSTINIANOS. Temas de preparação ao Batismo. São Paulo: Comunidade Santo Agostinho, 2007.